Isabelle Maria Vilela de Oliveira

Bolsista de Mestrado do CNPq

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/1054696493115642
  • Última atualização do currículo em 30/08/2018


Graduada em Oceanografia/Bacharelado pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com período sanduíche em Humboldt State University (HSU). Mestranda em Oceanografia pela UFPE, atuando na área de Oceanografia Física. Possui experiência em Oceanografia em Oceanografia Física, com ênfase em interação oceano-atmosfera; e em Geológica, com ênfase em Geoquímica e Sedimentologia Marinha. Integrante de pesquisa do Laboratório de Oceanografia Física Estuarina e costeira (LOFEC). Integrante do projeto de pesquisa que é uma contribuição do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para ambientes marinhos tropicais (INCT AmbTropic), da Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais (Rede CLIMA), Projeto PIRATA 17 - Continuidade do monitoramento meteoceanográfico do Atlântico tropical através das bóias PIRATA, Modelo Regional de Produtividade Primária da Pluma do Amazonas (Projeto ProdPluma) e do Projeto Pólo de Interação para o Desenvolvimento de Estudos Conjuntos em Oceanografia do Atlântico Tropical (PILOTE). Pesquisadora do Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (CEERMA) - UFPE. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Isabelle Maria Vilela de Oliveira
Nome em citações bibliográficas
OLIVEIRA, I. M. V.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Tecnologia.
Avenida da Arquitetura
Cidade Universitária
50740550 - Recife, PE - Brasil
Telefone: (81) 21267224
URL da Homepage: www.ufpe.br


Formação acadêmica/titulação


2017
Mestrado em andamento em Oceanografia.
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Título: DETECÇÃO E ANÁLISE DOS MODOS ACOPLADOS DE VARIABILIDADE ENTRE DADOS DE ALTIMETRIA DO OCEANO E CLOROFILA-a NO ATLÂNTICO TROPICAL,Orientador: Dóris Regina Aires Veleda.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra
Grande Área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Oceanografia / Subárea: Oceanografia Física.
Grande Área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Oceanografia / Subárea: Oceanografia Física / Especialidade: Interação do Oceano com a Atmosfera.
2010 - 2016
Graduação em OCEANOGRAFIA.
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
com período sanduíche em Humboldt State University (Orientador: Jeffry Borgeld).
Título: VARIABILIDADE ESPAÇO-TEMPORAL DAS CORRENTES SUPERFICIAIS DO ATLÂNTICO TROPICAL A PARTIR DA ANALISE FUNÇÕES ORTOGONAIS EMPÍRICAS.
Orientador: Doris Regina Aires Veleda.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
2010
Curso técnico/profissionalizante em andamento em Edificações.
Instituto Federal de Pernambuco, IFPE, Brasil.




Formação Complementar


2017 - 2017
Extensão universitária em The Pirate 22 Summer School Tropical Atlantic Ocean View and Data Analysis. (Carga horária: 16h).
Copernicus Marine Environment Monitoring Service, CEMEMS, França.
2016 - 2016
Climate Change.
Macquarie University, MACQUARIE, Austrália.
2016 - 2016
Marine and Antarctic Science.
University of Tasmania, UTAS, Austrália.
2016 - 2016
Introdução ao ArcGis 10.2. (Carga horária: 20h).
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
2016 - 2016
Introdução ao Matlab. (Carga horária: 30h).
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
2014 - 2014
Extensão universitária em Geological Oceanography. (Carga horária: 50h).
Telonicher Marine Laboratory, MCSI, Estados Unidos.
2014 - 2014
Extensão universitária em Library Research and Report Writing in Oceanography. (Carga horária: 60h).
Humboldt State University, H.S.U., Estados Unidos.
2014 - 2014
Extensão universitária em Sampling Techniques and Field Studies. (Carga horária: 26h).
Humboldt State University, H.S.U., Estados Unidos.
2013 - 2014
Extensão universitária em English Language Program. (Carga horária: 1100h).
International English Language Institute, IELI, Estados Unidos.
2013 - 2013
METEOROLOGIA - DESAFIOS TECNOLÓGICOS NA GESTÃO DAS. (Carga horária: 6h).
Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência - São Paulo, SBPC, Brasil.
2012 - 2012
INTRODUÇÃO A LEVANTAMENTOS GEOFÍSICOS. (Carga horária: 6h).
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
2012 - 2012
TÉC DE MAPEAMENTO GEOL.-GEOMOFORLÓGICO DE PLANÍCES. (Carga horária: 6h).
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2016
Vínculo: Pibic/UFPE/CNPq, Enquadramento Funcional: Bolsista voluntária, Carga horária: 20

Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitoria em Oceanografia Física 1, Carga horária: 20

Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: Pibic/UFPE/CNPq, Enquadramento Funcional: Bolsista Voluntária, Carga horária: 20

Vínculo institucional

2011 - 2012
Vínculo: Estágio acadêmico, Enquadramento Funcional: Estagiária voluntária, Carga horária: 20
Outras informações
Análises relativas à geoquímica e matéria orgânica sedimentar na região estuarina do complexo do Capibaribe, realizando análises sedimentares (granulometria, pipetagem) e químicas (matéria orgânica total, carbonato de cálcio).


Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, INPE, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: ESTUDANTE, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 20
Outras informações
Projeto: Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mundanças Climáticas. Coordenador: Moacyr Cunha de Araujo Filho.

Vínculo institucional

2015 - 2016
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 20
Outras informações
Projeto: Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mundanças Climáticas. Coordenador: Moacyr Cunha de Araujo Filho.


Humboldt State University, H.S.U., Estados Unidos.
Vínculo institucional

2014 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Experiência em laboratório de Oceanografia, Carga horária: 3
Outras informações
I had attended 15 laboratory sections, each 2 hours and 50 minutes in length. Twelve of the laboratories were held at the Telonicher Marine Laboratory; three were held in the HSU Geology Department microscope lab, on main campus in Arcata, California.

Vínculo institucional

2014 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Embarque no Navio Coral Sea
Outras informações
I had participated on an eight-hour aboard the Research Vessel Coral Sea in October 2014. On the cruise, samples were collected for later analyses using a modified Ocean Systems Box Corer and a Smith-McIntyre grab sampler.

Vínculo institucional

2014 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Embarque de 4 viagens no navio Coral Sea
Outras informações
September 14, 2014 ? 08:00-14:00; 6 hours ? Used CTD, phytoplankton net, Secchi disk, and went over safety on board and use of equipment. September 27, 2014 ? 08:00-14:00; 6 hours ? Used Box core, Shipek grab, and Smith-McIntyre grab October 25, 2014 ? 08:00-14:00; 6 hours ? Used Otter trawl, bongo nets, and phytoplankton nets November 15, 2014 ? 08:00-16:00; 8 hours ? Used CTD and rosette with Niskin bottles; practice collection oxygen and pH samples from the Niskin bottles.

Vínculo institucional

2014 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Experiência em laboratório de pesquisa, Carga horária: 3
Outras informações
I had attended 3 hours of laboratory sections per week for the semester, which was completed until the end of the semester 45 hours.



Projetos de pesquisa


2016 - Atual
Simulating the Amazon River Plume and its Impacts using Climate Models
Descrição: The plume of freshwater entering the ocean from the Amazon River influences rainfall patterns and hurricane activity in the surrounding regions. The spreading of the Amazon plume and its impact on the atmosphere will be investigated using high-resolution coupled climate models in conjunction with field observations. This work unites the TAMU and UFPE/INPE numerical modeling expertise with the observational data obtained from different Brazilian cruises to understand the impacts of the Amazon River discharge on tropical Atlantic climate. At the highest spatial resolution (~3km), a fully coupled regional climate model (CRCM) developed at TAMU will be used to explicitly simulate the Amazon River plume influence. The results will be validated against in situ observations and compared to the output of the Brazilian Earth System Model (BESM), which is a coordinated national effort to develop a multidisciplinary research framework for understanding climate change..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2014 - Atual
ProdPluma Modelo Regional de Produtividade Primária da Pluma do Amazonas
Descrição: Este projeto propõe o desenvolvimento de um modelo regional para a área da Pluma do Amazonas, visando identificar a variabilidade da concentração da biomassa fitoplanctônica e produção primária sob os efeitos das propriedades abióticas (ex: temperatura, radiação solar, salinidade) presentes e suas implicações ecológicas no ecossistema aquático da região. O desenvolvimento de um modelo semi-analítico, de fotossíntese-luz é baseado em Trevor Platt et al. (1988, 1990), o qual implica no cálculo da produção primária com base no sistema de equações com coeficientes e argumentos medidos por sensoriamento remoto e in situ. Este estudo utiliza a combinação de séries de dados bióticos, biogeoquímicos e abióticos originados por satélites, campanhas oceanográficas e dados analíticos experimentais, realizados nos âmbitos do Projeto INCTAmbTropic e Programa REVIZEE..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (4) .
Integrantes: Isabelle Maria Vilela de Oliveira - Integrante / Moacyr Cunha de Araujo Filho - Integrante / Dóris Regina Aires Veleda - Coordenador / Jacques Servain - Integrante / Nathalie Lefevre - Integrante / Alex Costa da Silva - Integrante / Pedro Tyaquiçã - Integrante / Fernando Feitosa - Integrante / AMANDA YUMI OTSUKA - Integrante.
2014 - Atual
Projeto PIRATA 17 - Continuidade do monitoramento meteoceanográfico do Atlântico tropical através das bóias PIRATA
Descrição: A continuidade do monitoramento das variáveis de estado meteoceanográficas sobre o Atlântico Tropical é fundamental para as seguranças hídrica, energética e alimentar sobre o Brasil, constituindo o sistema de bóias PIRATA numa das mais importante redes de observação implantada no Atlântico tropical. O suporte logístico para o desenvolvimento e manutenção da rede é dividido entre o Brasil, França e EUA. O Brasil é responsável pela manutenção do lado ocidental da rede, incluindo 5 fundeios do arranjo principal e 3 fundeios da extensão Sudoeste; a França é responsável pelo lado do oriental da rede, com cinco fundeios do arranjo principal e um fundeio da extensão Sudeste; os EUA são responsáveis por quatro fundeios da extensão Nordeste. Portanto, cabe ao Brasil realizar anualmente cruzeiros oceanográficos para a troca e manutenção de 08 (oito) bóias Atlas (Autonomous Temperature Line Acquisition System). Os cruzeiros brasileiros do Projeto PIRATA são realizados pela DHN-MB (cerca de 55 dias de mar), um dos signatários brasileiros do MoU PIRATA. Entretanto, para a realização das campanhas de mar, são necessários recursos para aquisição de novos sensores e equipamentos, pagamento de serviços de calibração de sensores de hidrografia, desenvolvimento de programas computacionais para controle de qualidade e distribuição de dados, transporte de equipamentos e equipe de embarque. A razão de submissão da presente proposta Projeto PIRATABR17 é o conjunto de motivos enunciados acima. O objetivo principal deste projeto é garantir a continuidade do sistema de observações meteoceanográficas no Atlântico tropical, realizadas através da rede de bóias do Projeto PIRATA sob a responsabilidade do Brasil em parceria com a França e os EUA..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2012 - Atual
Projeto INCT AmbTrop - Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Ambientes Marinhos Tropicais (CNPq 565054/2010-4)
Descrição: As regiões Norte e Nordeste do Brasil, devido às suas características, apresentam uma oportunidade única para se avaliar de que maneira a heterogeneidade espacial e temporal dos ambientes marinhos tropicais influencia os padrões de resposta destes ambientes e sua resiliência às mudanças climáticas que afetarão a região neste século. Nesta região, compreendida entre os estados do Espírito Santo e Amapá, encontram-se as principais construções recifais do oceano Atlântico Sul Ocidental, os principais deltas brasileiros, uma das áreas mais extensas de manguezais do mundo, uma plataforma continental que varia da mais estreita a mais larga do Brasil, as principais ilhas e montes submarinos, variações extremas nos fluxos de sedimentos e nutrientes, além da sua importância inegável na transferência de calor e massa interhemisférica. Em sua concepção, o INCT AmbTropic está estruturado em 3 Pacotes de Trabalho que contemplam as três escalas espaciais principais de investigação. Cada um destes Pacotes de Trabalho se desdobram em Grupos de Trabalho (GT) que investigarão aspectos específicos dentro de cada uma destas escalas espaciais. A escolha dos temas dos Grupos de Trabalho e suas áreas específicas de investigação foram balizadas pelos seguintes principios: (i) contemplar a heterogeneidade espacial e temporal nas suas três escalas principais de investigação, privilegiando gradientes fisico-quimicos e dinâmicos (ondas, marés, CO2, circulação, etc.) e ambientes marinhos intrinsecamente associados à região tropical do Brasil, tais como recifes de corais, manguezais, recursos vivos, ilhas oceânicas, processos oceânicos etc., (ii) construir sobre a experiência dos grupos de pesquisa locais, (iii) concentrar os esforços dos GTs em areas geográficas comuns, não só para minimizar custos, como também estimular a sinergia entre os GTs, e (iv) avaliação de recursos naturais (vivos e não vivos) específicos da região..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Oceanografia.
2.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Oceanografia / Subárea: Oceanografia Física.
3.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Oceanografia / Subárea: Oceanografia Geológica.
4.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Oceanografia / Subárea: Oceanografia Geológica/Especialidade: Sedimentologia Marinha.
5.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Oceanografia / Subárea: Oceanografia Geológica/Especialidade: Geoquímica Marinha.
6.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Oceanografia / Subárea: Oceanografia Física/Especialidade: Interação do Oceano com a Atmosfera.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Prêmios e títulos


2014
Perfect Attendance, International English Language Institute.
2014
Perfect Attendance, International English Language Institute.
2013
Perfect Attendance, International English Language Institute.


Produções



Produção bibliográfica
Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
OLIVEIRA, I. M. V.; BARCELLOS, R. L. ; MONTES, M. J. F. . DISTRIBUIÇÃO DA MATÉRIA ORGÂNICA TOTAL E DO CARBONATO BIODETRÍTICO NOS SEDIMENTOS ESTUARINOS DO RIO CAPIBARIBE, REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE, ESTADO DE PERNAMBUCO.. In: 65ª Reunião Anual da SBPC, 2013, Recife. Resumos de Comunicações Livres, 2013.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
PARDAL, E. C. ; BARCELLOS, R. L. ; OLIVEIRA, I. M. V. ; FLORES-MONTES, M. J. ; CAMARGO, P. B. . PROCESSO SEDIMENTAR SAZONAL E EVIDÊNCIAS DE POLUIÇÃO EM UM ESTUÁRIO TROPICAL URBANO. In: II Congresso Ibero Americano de Gestão Integrada e Áreas Litorais ? GIAL, 2016, Florianópolis. Gestão Integrada e Áreas Litorais, 2016.

2.
OLIVEIRA, I. M. V.; VELEDA, D. R. A. ; ARAUJO, M. ; TYAQUICA, P. ; SILVA, T. L. . Current variability of the Tropical Atlantic inferred from satellite data. In: Congresso Brasileiro de Oceanografia 2016, 2016, Salvador. Ambientes Marinhos Tropicais, 2016.

3.
PARDAL, E. C. ; BARCELLOS, R. L. ; OLIVEIRA, I. M. V. ; XAVIER, D. A. ; FLORES-MONTES, M. J. . VARIAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DOS PROCESSOS SEDIMENTARES ATUAIS EM UM SISTEMA ESTUARINO-LAGUNAR TROPICAL DO NORDESTE BRASILEIRO. In: XV CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ESTUDOS DO QUATERNÁRIO, 2015, IMBÉ - RIO GRANDE DO SUL. ECODIVERSIDADE E SUA SUSTENTABILIDADE NO QUATERNÁRIO, 2015.

4.
BARCELLOS, R. L. ; OLIVEIRA, I. M. V. ; PARDAL, E. C. ; MONTES, M. J. F. . SAZONALIDADE E A DISTRIBUIÇÃO DA MATÉRIA ORGÂNICA SEDIMENTAR NO SISTEMA ESTUARINO DO RIO CAPIBARIBE, REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE (PE).. In: VI Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2014, Itajaí. Anais de Resumos do VIII Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2014.

5.
BARCELLOS, R. L. ; OLIVEIRA, I. M. V. ; MONTES, M. J. F. ; CAMARGO, P. B. ; PITANGA, M. E. ; SANTOS, L. D. . Comportamento da matéria orgânica e sedimentação sazonal no estuário do Rio Capibaribe, Recife, Pernambuco, Brasil. In: XV COLACMAR, 2013, Punta del Este. Anais do XV COLACMAR, 2013.

6.
OLIVEIRA, I. M. V.; BARCELLOS, R. L. ; MONTES, M. J. F. . Grau de influência marinha no sistema estuarino do Rio Capibaribe, no Estado de Pernambuco, por meio da utilização do carbonato biodetrítico.. In: XV COLACMAR, 2013, Punta del Este. Anais do XV COLACMAR, 2013.

7.
BARCELLOS, R. L. ; OLIVEIRA, I. M. V. ; FLORES-MONTES, M. J. ; CAMARGO, P. B. ; PITANGA, M. E. . EVIDÊNCIAS DE POLUIÇÃO URBANA NO ESTUÁRIO DO RIO CAPIBARIBE (PERNAMBUCO, BRASIL) A PARTIR DO COMPORTAMENTO SAZONAL DA MATÉRIA ORGÂNICA SEDIMENTAR.. In: II WORKSHOP ANTROPICOSTA IBEROAMERICA 2012, 2012, MONTEVIDEO. II WORKSHOP ANTROPICOSTA IBEROAMERICA 2012, 2012.

8.
BARCELLOS, R. L. ; OLIVEIRA, I. M. V. ; MONTES, M. J. F. ; CAMARGO, P. B. ; PITANGA, M. E. . Processo sedimentar atual e comportamento sazonal da matéria orgânica no sistema estuarino do Rio Capibaribe, Região Metropolitana do Recife, Estado de Pernambuco. In: V Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2012, Rio de Janeiro. CD-room do V CBO, 2012.

Apresentações de Trabalho
1.
OLIVEIRA, I. M. V.; BARCELLOS, R. L. ; MONTES, M. J. F. . DISTRIBUIÇÃO DA MATÉRIA ORGÂNICA TOTAL E DO CARBONATO BIODETRÍTICO NOS SEDIMENTOS ESTUARINOS DO RIO CAPIBARIBE, REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE, ESTADO DE PERNAMBUCO.. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

2.
BARCELLOS, R. L. ; OLIVEIRA, I. M. V. ; FLORES-MONTES, M. J. ; CAMARGO, P. B. ; PITANGA, M. E. . PROCESSO SEDIMENTAR ATUAL E COMPORTAMENTO SAZONAL DA MATÉRIA ORGÂNICA NO SISTEMA ESTUARINO DO RIO CAPIBARIBE, REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE, ESTADO DE PERNAMBUCO.. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
22th PIRATA SCIENTIFIC CONFERENCE. 2017. (Encontro).

2.
Congresso Brasileiro de Oceanografia 2016. Current variability of the Tropical Atlantic inferred from satellite data. 2016. (Congresso).

3.
IX Encontro do ComClima. 2016. (Encontro).

4.
65° Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência.DISTRIBUIÇÃO DA MATÉRIA ORGÂNICA TOTAL E DO CARBONATO BIODETRÍTICO NOS SEDIMENTOS ESTUARINOS DO RIO CAPIBARIBE, REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE, ESTADO DE PERNAMBUCO.. 2013. (Outra).

5.
II ENCONTRO PERNAMBUCANO DE MICOLOGIA. 2012. (Encontro).

6.
I Simpósio de Ecossistemas Aquáticos. 2012. (Simpósio).

7.
V CONGRESSO BRASILEIRO DE OCEANOGRAFIA. PROCESSO SEDIMENTAR ATUAL E COMPORTAMENTO SAZONAL DA MATÉRIA ORGÂNICA NO ESTUARIO DO RIO CAPIBARIBE, REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE, ESTADO DE PERNAMBUCO.. 2012. (Congresso).

8.
XX Congresso de Iniciação Científica da UFPE (CONIC). 2012. (Congresso).

9.
III EXPO UFPE. APRESENTAÇÃO SOBRE O CURSO DE OCEANOGRAFIA DA UFPE. 2010. (Exposição).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
OLIVEIRA, I. M. V.. I Semana de Oceanografia da UFPE. 2016. (Outro).

2.
OLIVEIRA, I. M. V.. V Seminar of the Bilateral Cooperation DOCEAN - GEOMAR. 2016. (Outro).



Educação e Popularização de C & T



Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
OLIVEIRA, I. M. V.. V Seminar of the Bilateral Cooperation DOCEAN - GEOMAR. 2016. (Outro).



Outras informações relevantes


Atividades embarcadas totalizando 528 horas e 3134 milhas náuticas, conforme especificadas abaixo: 

Marinha do Brasil. Comissão: Costa Norte. Navio: Antares. Período de embarque: 22/11/2016 a 02/12/2016. Porto de embarque: Fortaleza/CE
Porto de desembarque: Belém/PA. Atividades realizadas: aquisição de dados batimétricos; coleta de dados com XBT; coleta de dados meteorológicos; coleta de dados com CTD; análise de oxigênio e com portasal de amostras de água; coleta de dados com termossalinógrafo.
Foram realizados: 10 dias de mar; e Navegadas: 1754,0 milhas náuticas.

Integrou o grupo de pesquisa no cruzeiro oceanográfico PIRATA BR VXII do navio de Pesquisa Hidroceanográfico Vital de Oliveira. Período de embarque: 03/01/2018 a 15/01/2018, totalizando 12 dias de mar e 1380 milhas náuticas navegadas. Porto de embarque: Maceió / Porto de desembarque: Rio de Janeiro.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/10/2018 às 5:55:25