Lorenzo Baravalle

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8615132321538060
  • Última atualização do currículo em 26/04/2018


Possui graduação em Filosofia - Università degli Studi di Torino (2004) e doutorado em Ciencias cognitivas y lenguaje - Universitat Rovira i Virgili (2010). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do ABC. Tem experiência na área de Filosofia da Ciência, com ênfase em Filosofia da Biologia. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Lorenzo Baravalle
Nome em citações bibliográficas
Baravalle, L.;BARAVALLE, LORENZO

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do ABC, Centro de Ciências Naturais e Humanas.
Rua Arcturus (Jd Antares)
Anchieta
09606070 - São Bernardo do Campo, SP - Brasil
Telefone: (011) 49967960
URL da Homepage: http://www.ufabc.edu.br


Formação acadêmica/titulação


2005 - 2010
Doutorado em Ciencias cognitivas y lenguaje.
Universitat Rovira i Virgili, URV, Espanha.
Título: Evolución cultural y adaptación, Ano de obtenção: 2010.
Orientador: José Antonio Díez Calzada.
Bolsista do(a): Universitat Rovira i Virgili, URV, Espanha.
Palavras-chave: Adaptacionismo; Maladaptação; Memética; Sociobiologia; Adaptação de segunda ordem.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Epistemologia / Especialidade: Filosofia da Biologia.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia.
1999 - 2004
Graduação em Laurea in Filosofia.
Università degli Studi di Torino, UST, Itália.
Título: Il ruolo della sopravvenienza all'interno di una ontologia della realtá sociale.
Orientador: Maurizio Ferraris.


Pós-doutorado


2011
Pós-Doutorado.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Epistemologia / Especialidade: Filosofia da Ciência.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Epistemologia / Especialidade: Filosofia da Biologia.


Atuação Profissional



Universidade de Lisboa, UL, Portugal.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidad de Santiago de Chile, USACH, Chile.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Konrad Lorenz Institute, KLI, Austria.
Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidade Federal do ABC, UFABC, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2013
Vínculo: Bolsista recém-doutor, Enquadramento Funcional: Bolsista, Regime: Dedicação exclusiva.


Universitat Rovira i Virgili, URV, Espanha.
Vínculo institucional

2005 - 2009
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudiante de doctorado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.



Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Drift as a Force of Evolution: A Manipulationist Account
Descrição: Can evolutionary theory be characterised as a ?theory of forces?, like Newtonian mechanics? One common criticism to this claim concerns the possibility to conceive genetic drift as a causal process endowed by a specific magnitude and direction. In the realisation of this project, I aim to offer an original response to this criticism by pointing out a connection between the notion of force and the notion of explanatory depth, as depicted in Hitchcock and Woodward?s manipulationist account of causal explanation. My argument is that, since P1) force-explanations can be consistently reframed as deep explanations and vice versa, and P2) the notion of drift can be characterised in manipulationist terms as constitutively intervening in evolutionary deep explanations, then C) drift-explanations can be consistently reframed as force-explanations, and drift can be considered as a force of evolution. Insofar as my analysis applies also to other evolutionary factors ? chiefly selection ?, it offers an important support to the claim that evolutionary theory is a theory of forces..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
Manipular lo vivo: una aproximación pragmática a la epistemología de la biología
Descrição: Objetivos de la Investigación: Proporcionar una interpretación metafísica y epistemológicamente consistente de la noción de manipulación. Ofrecer un marco histórico general sobre la relación entre manipulación y conocimientos en las ciencias de la vida del último siglo. Examinar diferencias y continuidades en las actividades de manipulación e intervención en varios ámbitos experimentales de la biología contemporánea (ej. genética, biología molecular, biología del desarrollo, biología evolutiva). Mostrar cómo la noción de manipulación en biología se ha modificado con el uso de nuevas tecnologías, del ADN recombinante a las representaciones y simulaciones digitales. Publicar no menos de 4 artículos en revistas indexadas (ISI, Scopus) y una compilación (monografía) con un editorial académico reconocido. Objetivos específicos: Evaluar críticamente si un enfoque manipulacionista de la causación biológica ofrece un marco teórico adecuado para entender las relaciones causales entre medio y genoma. En particular, relaciones entre genotipo y fenotipo, y entre fenotipo y ambiente. Evaluar críticamente si un enfoque manipulacionista de la causación biológica ofrece un marco teórico novedoso para analizar las pretensiones ontológicas y epistemológicas de la nueva filosofía de la ciencia mecanicista. Desarrollar un análisis manipulacionista de la teoría de la selección natural, con el objetivo de solucionar una serie de confusiones sobre sus elementos causales. Mostrar y evaluar la relación entre manipulación y conocimiento en la biología del desarrollo Mostrar y evaluar las relaciones entre manipulación, genética y biología molecular Analizar la noción de manipulación en el contexto de la tecnologías digitales (ej. simulaciones)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Lorenzo Baravalle - Integrante / Davide Vecchi - Integrante / Maurizio Esposito - Coordenador / Gabriel Vallejos - Integrante.
2016 - 2016
Invariance and Unification in Cultural Evolution Theory
Descrição: In this project I argue that, to the extent that it allows to conceptualise cultural change as a population-level causal process, the dual inheritance theory can be profitably conceived as a dynamical theory, or a theory of forces. In order to defend this claim I first reject an alternative interpretation recently suggested by Tim Lewens, according to which the dual inheritance theory is a kinetic theory, like statistical mechanics. Although this interpretation might be appropriate for accounting for some models elaborated by dual inheritance theorists, it is ultimately unable to characterise the dual inheritance theory as a properly evolutionary theory, as propitiated by Alex Mesoudi and other cultural evolutionists. The dynamical interpretation, on the contrary, permits to clearly define a common metatheoretical framework for any properly cultural evolutionary explanation. In the second part of the project, I thus defend this thesis by identifying the conceptual structure of the dual inheritance theory and showing how this contributes in explain the causal processes of cultural change..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Lorenzo Baravalle - Coordenador.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.
2016 - Atual
The theory of cultural evoltion as a theory of forces
Descrição: Inspired by Woodward?s account of causation and explanation, Gustavo Caponi has recently defended that biology ? and, especially, evolutionary biology ? is grounded on a ?mosaic of invariants?, that is, a net of causal regularities which, although not stable and universal enough to constitute genuine causal laws, may guarantee the explanatory autonomy of this discipline by supporting a certain number of relevant counterfactuals. In spite of lacking proper causal laws, evolutionary biology is a unitary theory because invariants are, in some sense, ?subsumed? by other kinds of laws ? the zero force laws, like the Hardy-Weinberg equilibrium, and the consequence laws, like the laws of population genetics ?, which connect them within a more general theoretical framework. Might the explanatory structure of a hypothetical unified theory of cultural evolution be conceived in a similar way? The goal of the present project is to provide an answer to this question, by considering three related problems. Firstly, I shall attempt to identify the zero force law and the consequence laws of the theory of cultural evolution. In this way, I shall verify if it may be interpreted, like the theory of natural selection, as a theory of forces. Secondly, I shall assess case studies in order to determine if the causal regularities that are invoked in cultural evolutionary explanations may count as genuine invariants. Finally, I shall consider the relative weight of the evolutionary forces (selection, drift, migration etc.) in these explanations..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2015 - Atual
Estilos de raciocínio científico
Descrição: Há diferentes estilos de raciocínio nas ciências: formas de conceber e investigar determinados domínios científicos, incluindo padrões de evidência, de inferência, e formas de constituição de objetos nessas áreas. Apresenta-se aqui um projeto de pesquisa empreendido por uma equipe de filósofos do Brasil e dos EUA, com duração de 36 meses (2015-2017), que tem como pressuposto central a tese de que a noção de estilo permite capturar aspectos relevantes da dinâmica da ciência que não seriam abarcados por outras noções metacientíficas como paradigmas, teorias, programas de pesquisa e tradições de pesquisa, e também possibilita a interpretação e a compreensão mais plenas do processo histórico de desenvolvimento do conhecimento científico e da prática científica. No curso da pesquisa, será realizada uma investigação em três frentes: (I) Uma reflexão filosófica teórica sobre a própria noção de estilo, tanto considerando as propostas já existentes na literatura quanto buscando o desenvolvimento de uma proposta própria. (II) Um mapeamento da variedade de estilos de raciocínio presentes na ciência (dedutivo, hipotético, experimental, estatístico, taxonômico, evolutivo, entre outros) e de suas características distintivas, bem como a exploração do seu potencial para a compreensão de aspectos da prática científica. Incluem-se aqui estudos de casos específicos. (III) A exploração dos desdobramentos possibilitados pela investigação teórica do item (I) e apoiada pelo mapeamento e pelos estudos de casos do item (II), no sentido de uma articulação de novos tipos de estilos (por exemplo, computacional-simulativo, imaginativo-teórico, instrumental). Serão também examinadas as conexões entre nossas concepções acerca dos estilos de raciocínio e as questões relacionadas já tradicionais em filosofia da ciência..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2012 - 2015
Gênese e significado da tecnociência: Das relações entre ciência, tecnologia e sociedade
Descrição: O objetivo central do projeto, a ser desenvolvido no período 2012-2016 com base nas realizações do período 2007-2011, é investigar os papéis desempenhados pelos valores éticos e sociais, sustentados por indivíduos e incorporados em instituições, nas práticas científicas e tecnológicas da atualidade. Esse objetivo desdobra-se em três conjuntos de pesquisas. O primeiro concerne à importância contemporânea da tecnociência, incluindo o impacto de sua pesquisa e desenvolvimento nos processos e na institucionalização da ciência; o segundo trata do desenvolvimento histórico da tecnociência; o terceiro desenvolve uma estratégia sociológica de abordagem transversal das relações entre ciência, tecnologia e sociedade no Brasil. Dentre as questões do primeiro conjunto encontram-se: (a) as mudanças ocorridas em décadas recentes nos modos de produção social da tecnociência com o aumento do financiamento privado da pesquisa científica; (b) o modo como as mudanças afetam o status dos valores tradicionais da comunidade científica: objetividade, neutralidade e autonomia; (c) a função dos direitos de propriedade intelectual nesse processo; (d) problemas teóricos e práticos da biotecnologia; (e) avaliação do significado dessas mudanças a partir de alternativas às práticas tecnocientíficas e o papel da bioética e do princípio de precaução . As investigações do segundo conjunto incluem: (a) a ideia do controle da natureza e os valores do progresso tecnológico e seu impacto na formação da pesquisa científica moderna; (b) as relações entre a ciência e a tecnologia na modernidade, especialmente o papel representado pelas máquinas e pelas ideias mecanicistas, e pelo avanço da experimentação na ciência, e (c) o impacto de ideias da tradição do ceticismo no desenvolvimento da ciência moderna. O terceiro conjunto concentra-se no estudo da sociedade brasileira, contemplando: (a) o debate público sobre educação: a produção contemporânea da doxa na sociedade brasileira; (b) cultura digital e desigualdade: os usos sociais das novas tecnologias de informaçao e comunicação, e (c) instituições de produção, difusão e legitimação do conhecimento. Os três grupos de investigações serão reforçados pelo uso de um modelo de atividade científica, amplamente discutido e aceito pelos membros da equipe de pesquisa, que identifica as interelações entre a adoção, na pesquisa, de estratégias metodológicas particulares e a sustentação de valores éticos e sociais particulares. Além disso, o modelo será testado e complementado pela contraposição com as ideias de Otto Neurath e de outras abordagens da filosofia da ciência contemporânea. O segundo objetivo do projeto, não menos importante, é prático: continuar e expandir as atividades de organização de seminários, de publicação dos trabalhos relevantes e de participação regular em eventos, que reúnem, para uma discussão construtiva e racional, cientistas, filósofos e cientistas sociais brasileiros (e de outros países), de abordagens metodológicas e perspectivas éticas divergentes, de modo a assegurar que um amplo leque de pontos de vista sejam considerados nas investigações, e explorar como os resultados obtidos podem ter um impacto positivo na pesquisa científica, no ensino de ciências e na educação superior..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (5) .
Integrantes: Lorenzo Baravalle - Integrante / Pablo Mariconda - Coordenador / Valter Alnis Bezerra - Integrante / Marcos Barbosa de Olivera - Integrante / Renato Kinouchi - Integrante / Maurício de Carvalho Ramos - Integrante / Sylvia Gemignani Garcia - Integrante / Hugh Matthew Lacey - Integrante / Nicolas Lechopier - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.
2011 - 2013
Estratégias cognitivas e evolução humana
Descrição: O objectivo principal da investigação é a explicação das razões que levam os membros de uma sociedade humana à adopção de determinadas estratégias cognitivas de compreensão e controle da natureza. Num primeiro momento, haverá que considerar a relação entre as condições materiais (genéticas ou ambientais) e a adesão aos valores sociais que estas estimulam. Em segundo lugar, será necessária uma análise (histórica e antropológica) dos laços que unem valores sociais e estratégias cognitivas de vários tipos, principalmente as que sustentam a religião e a ciência. Uma das maiores diferenças entre as estratégias cientificas actuais (materialistas) e outras não cientificas é que as primeiras proporcionam uns valores cognitivos que permitem uma continua revisão dos resultados teóricos. Isso não significa que desempenhem sempre a função desejada a nível social. O segundo objectivo da investigação será portanto o de avaliar a "bondade" de outras estratégias (também não cientificas) em relação aos valores sociais presentes numa determinada cultura..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Membro de corpo editorial


2013 - Atual
Periódico: Scientiae Studia (USP)


Revisor de periódico


2011 - Atual
Periódico: Scientiae Studia (USP)
2015 - 2015
Periódico: Principia (Florianópolis. Online)


Revisor de projeto de fomento


2015 - Atual
Agência de fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Epistemologia/Especialidade: Filosofia da Ciência.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Epistemologia/Especialidade: Filosofia da Biologia.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Epistemologia.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Filosofia / Subárea: Metafísica.


Idiomas


Italiano
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Bem.
Francês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente.
Catalão
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
Baravalle, L.2018Baravalle, L.. The (Dis)Unity of Cultural Evolutionary Theory. Science & Education, v. 27, p. 225-231, 2018.

2.
BERALDO-DE-ARAÚJO, ANDERSON2017 BERALDO-DE-ARAÚJO, ANDERSON ; BARAVALLE, LORENZO . The Ontology of Digital Physics. Erkenntnis (Dordrecht. Print), v. 6, p. 1211-1231, 2017.

3.
Baravalle, L.2017 Baravalle, L.. El papel del pensamiento poblacional en la teoría de la doble herencia. SCIENTIAE STUDIA, v. 15, p. 283-305, 2017.

4.
BARAVALLE, LORENZO2016 BARAVALLE, LORENZO; VECCHI, DAVIDE . Beyond blindness: On the role of organism and environment in trial generation. Studies in History and Philosophy of Biological and Biomedical Sciences, v. 60, p. 25-34, 2016.

5.
VECCHI, D.2015 VECCHI, D. ; Baravalle, L. . A soul of truth in things erroneous: Popper?s -amateurish- evolutionary philosophy in light of contemporary biology. History and Philosophy of the Life Sciences, v. 36, p. 525-545, 2015.

6.
Baravalle, L.2015Baravalle, L.. O demônio de Carnap. Scientiae Studia, v. 13, p. 223-232, 2015.

7.
BARAVALLE, LORENZO2015BARAVALLE, LORENZO. O mosaico causal do mundo orgânico. Scientiae Studia, v. 13, p. 685-694, 2015.

8.
Baravalle, L.;BARAVALLE, LORENZO2014Baravalle, L.. Potencialidades e limites das explicações evolutivas da cultura: um enfoque diacrónico. História, Ciências, Saúde-Manguinhos (Impresso), v. 21, p. 439-456, 2014.

9.
Baravalle, L.;BARAVALLE, LORENZO2014Baravalle, L.. As muitas faces do altruísmo: pressões seletivas e grupos humanos. SCIENTIAE STUDIA (USP), v. 12, p. 97-120, 2014.

10.
BARAVALLE, LORENZO2014BARAVALLE, LORENZO. Valsa para carrapatos. Scientiae Studia (USP), v. 12, p. 379-388, 2014.

11.
Baravalle, L.;BARAVALLE, LORENZO2014Baravalle, L.. Epistemologia Evoluzionista. APhEx, v. 10, p. 1, 2014.

12.
Baravalle, L.;BARAVALLE, LORENZO2014Baravalle, L.. Animalidade transcendental. O problema da naturalização do a priori em Konrad Lorenz. SCIENTIAE STUDIA (USP), v. 12, p. 285-308, 2014.

13.
Baravalle, L.;BARAVALLE, LORENZO2013Baravalle, L.. La venganza de Wilson. Una crítica a los enfoques seleccionistas analógicos de la evolución cultural. Diánoia (México, D.F.), v. LVIII, p. 113, 2013.

14.
Baravalle, L.;BARAVALLE, LORENZO2012Baravalle, L.. L?adattabilità delle superstizioni. Rivista di Estetica, v. 48, p. 253-270, 2012.

15.
Baravalle, L.;BARAVALLE, LORENZO2012Baravalle, L.. A função adaptativa da transmissão cultural. Scientiae Studia (USP), v. 2, p. 269-295, 2012.

16.
Baravalle, L.;BARAVALLE, LORENZO2008Baravalle, L.. La mente e il mondo físico di Jaegwon Kim. Humana.Mente, v. 5, p. 223-228, 2008.

17.
Baravalle, L.;BARAVALLE, LORENZO2008Baravalle, L.. Il riconoscimento della realtá sociale. Rivista di Estetica, v. 39, p. 23-37, 2008.

18.
Baravalle, L.;BARAVALLE, LORENZO2006Baravalle, L.. Sopravvenienza del sociale. Rivista di Estetica, v. 33, p. 177-196, 2006.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
Baravalle, L.. Evoluzione e Cultura. 1ª. ed. Roma: Carocci, 2018.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
Baravalle, L.. Extensión del dominio de la selección natural: enfoques sincrónicos y diacrónicos del cambio cultural. In: VII Congreso de la Sociedad de Lógica, Metodología y Filosofía de la Ciencia en España, 2012, Santiago de Compostela. Proceedings of VII Conference of the Spanish Society for Logic, Methodology and Philosophy of Science,, 2012.


Demais tipos de produção técnica
1.
MARICONDA, P. ; Caponi, G. ; Baravalle, L. . Scientiae Studia Vol. 13 No. 3. 2015. (Editoração/Periódico).

2.
MARICONDA, P. ; Caponi, G. ; Baravalle, L. . Scientiae Studia Vol. 12 No. 1. 2014. (Editoração/Periódico).

3.
MARICONDA, P. ; Baravalle, L. . Scientiae Studia Vol. 12 No. 2. 2014. (Editoração/Periódico).

4.
Baravalle, L.. Tópicos de filosofia da biologia. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

5.
Baravalle, L.. Darwinismo e culturas humanas: introdução geral ao debate contemporâneo. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

6.
Baravalle, L.. Extensão do domínio da teoria da seleção natural: um confronto de alternativas. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

7.
Baravalle, L.. Evolução e Cultura. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

8.
Baravalle, L.. Introducción a la filosofía de la mente. 2009. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Teses de doutorado
1.
Ramos, M.; Baravalle, L.; Tolle, O.; Safatle, V.. Participação em banca de Caio César Cabral. A teoria da individuação de Gilbert Simondon: os modos físico e biológico de individuação. 2017. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade de São Paulo.

2.
Smith, P.; Baravalle, L.; Cuter J.; Tranjan, T.. Participação em banca de Daniel Soares da Silva. LINGUAGEM E VISÃO DA COMUNIDADE NA FILOSOFIA DE SAUL KRIPKE: DE NAMING AND NECESSITY A WITTGENSTEIN ON RULES AND PRIVATE LANGUAGE. 2017. Tese (Doutorado em Filosofia) - Universidade Federal de São Paulo.

Qualificações de Mestrado
1.
Baravalle, L.; MORPHY, C.; Kinouchi, R.. Participação em banca de Gustavo Rosa. ?Excepcionalismo Humano? versus ?Princípio da Mediocridade?: uma discussão histórico-filosófica seguida de uma investigação do tema entre discentes e docentes do Ensino Superior da UFABC. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Ensino, História e Filosofia das Ciências e Matemática) - Universidade Federal do ABC.

2.
Pessoa, O.; Cuter J.; BARAVALLE, LORENZO. Participação em banca de Rogério de Souza Teza. A Natureza e a Realidade das Representações Mentais. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Filosofia) - Universidade de São Paulo.




Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Explanatory Practices: Interaction, Dialogues, and Cognitive Processes.Beyond Blindness: On the Role of Organism and Environment in Trial Generation. 2018. (Simpósio).

2.
Philosophy and Biology: Mechanisms, Manipulation, and Experiment.Manipulating Shadows: The Empirical Approach to the Problem of Causal Exclusion. 2018. (Simpósio).

3.
Seminario do Institute of Philosophy and Complexity Sciences.Population Thinking and the Causal Structure of Cultural Evolution. 2018. (Seminário).

4.
The Generalized Theory of Evolution. International Conference. The Theory of Cultural Evolution as a Theory of Forces. 2018. (Congresso).

5.
ISHPSSB. Invariance and Unification in Cultural Evolution Theory. 2017. (Congresso).

6.
ISHPSSB. Is Genetic Drift a Force of Evolution? A Manipulationist Account. 2017. (Congresso).

7.
On the Nature of Variation: Random, Biased and Variational.The Cultural Selection of Chance. 2017. (Simpósio).

8.
Seminario Labont.Does Cultures Actually Evolve?. 2017. (Seminário).

9.
Seminario São Bento.Um contraponto entre as noções aristotelica e darwinista de espécie. 2017. (Seminário).

10.
AFHIC. The Fisher-Wright Controversy: A Question of Style. 2016. (Congresso).

11.
ANPOF. The Fisher-Wright Controversy: A Question of Style. 2016. (Congresso).

12.
Death and Its Philosophical Significance.Epistemologia da Morte. 2016. (Simpósio).

13.
Konrad Lorenz Seminar.Invariance and Unification in Cultural Evolution Theory. 2016. (Seminário).

14.
II Congreso de la Asociación Ibero-americana de filosofia de la ciencia. Modus Lamarck. 2015. (Congresso).

15.
II Congreso de la Asociación Ibero-americana de filosofia de la ciencia. Estilos de razonamiento científico: existe un estilo evolutivo?. 2015. (Congresso).

16.
Seminario Labont.Stili di ragionamento scientifico: le spiegazioni causali in stile evoluzionista. 2015. (Seminário).

17.
Seminário em neurociências e cognição.A constituição da identidade pessoal nos animais. 2014. (Seminário).

18.
Encontro Humanos y animales: los limites de la humanidad.Animalidade transcendental. O problema da naturalização do a priori em Konrad Lorenz. 2013. (Encontro).

19.
Humanos e animais: os limites da humanidade.Animalidade transcendental. O problema da naturalização do a priori em Konrad Lorenz. 2013. (Encontro).

20.
XII encontro de epistemologia da Universidade São Judas Tadeu.Como é se sentir um animal?. 2013. (Encontro).

21.
Homem natural, homem cultural, homem animal.Biopolítica e metáforas evolutivas nas explicações sobre as culturas humanas. 2012. (Encontro).

22.
II Congreso Colombiano de Lógica, Epistemología y Filosofía de la Ciencia. Enfoques reduccionistas de la evolución cultural: una alternativa funcionalismo. 2012. (Congresso).

23.
II Congresso da Sociedade Brasileira de Filosofia Analítica. Enfoques reducionistas da evolução cultural: uma alternativa funcionalista. 2012. (Congresso).

24.
VII Congreso de la Sociedad de Lógica, Metodología y Filosofía de la Ciencia en España. Extensión del dominio de la selección natural: enfoques sincrónicos y diacrónicos del cambio cultural. 2012. (Congresso).

25.
VIII Encuentro de Filosofía e Historia de la Ciencia del Cono Sur. La venganza de Wilson: contra el empleo de la analogía en los modelos sobre la evolución cultural. 2012. (Congresso).

26.
VII Simpósio de Filosofia da UEM. A dialética evolutiva do altruísmo. 2012. (Congresso).

27.
XV Encontro Nacional de Filosofia da ANPOF. Extensão do domínio da seleção natural: enfoques sincrónicos e diacrónicos da mudança cultural. 2012. (Congresso).

28.
Convegno Nazionale di Filosofia Analitica. Il riconoscimento della realtá sociale. 2007. (Congresso).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Baravalle, L.. Humanos e Animais. 2014. (Congresso).

2.
Baravalle, L.; MARICONDA, P. ; NEIRA, H. . Humanos e animais: os limites da humanidade. 2013. (Congresso).

3.
NEIRA, H. ; Baravalle, L. . Humanos y animales: los limites de la humanidad. 2013. (Congresso).

4.
Baravalle, L.. Homem natural, homem cultural, homem animal. 2012. (Congresso).

5.
Grupo de Investigación ; Baravalle, L. . SEFA 5. 2007. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões concluídas
Iniciação científica
1.
Ana Suelen Fernandes Gomes. O conceito de Umwelt na biossemiótica contemporânea. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Ciência e Tecnologia) - Universidade Federal do ABC. Orientador: Lorenzo Baravalle.




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 12/12/2018 às 22:17:26