Melody Forcelini

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/9807734331046427
  • Última atualização do currículo em 22/05/2018


Mestre em História pelo Programa de Pós-Graduação em História PPGH da Universidade Estadual do Centro-Oeste,UNICENTRO, Campus Santa Cruz. Possui graduação em História pela Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS , Campus Chapecó (2014). Áreas de atuação História Ambiental e Regiões; História da Ciência e da Tecnologia. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Melody Forcelini
Nome em citações bibliográficas
FORCELINI, M.


Formação acadêmica/titulação


2015 - 2017
Mestrado em História.
Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO, Brasil.
Título: COLOSSAL, COMPLEXA, IMPRESCINDÍVEL?: Tecnologia de força bruta e Usina Hidrelétrica de Itá/SC,Ano de Obtenção: 2017.
Orientador: Jó Klanovicz.
Palavras-chave: Hidrelétricas; História Ambiental.
2010 - 2014
Graduação em Licenciatura em História.
Universidade Federal da Fronteira Sul, UFFS, Brasil.
Título: Migrantes Sulistas e a relação com o ambiente no estado do Tocantins.
Orientador: Claiton Marcio da Silva.




Atuação Profissional



Universidade Federal da Fronteira Sul, UFFS, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidade Estadual do Centro-Oeste, UNICENTRO, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante de pós graduação, Carga horária: 40
Outras informações
Bolsista de mestrado vinculado á Capes e á Fundação Araucária



Projetos de pesquisa


2012 - 2013
Migrantes sulistas e a relação com o ambiente no Centro-Norte do Brasil
Descrição: Subprojeto que aborda a relação dos migrantes sulistas com o ambiente na região do Tocantins. A proposta central desta pesquisa é a de analisar o processo de conquista das vastas áreas de terra de estados como Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Piauí, Rondônia e Oeste da Bahia, entre outros, ocupados por agricultores sulistas, que num curto espaço de tempo transformaram radicalmente a paisagem e a organização sociocultural desses espaços. A primeira metade do século XX já havia sido marcada pela colonização de grandes áreas do chamado sertão do Brasil , como as do norte do Rio Grande do Sul, oeste de Santa Catarina e sudoeste do Paraná. O contexto que envolveu a colonização das fronteiras agrícolas do Sul foi de amplas discussões acerca da necessidade de o Brasil conquistar o sertão e de preencher os chamados vazios demográficos . Tal tarefa era atribuída especialmente aos imigrantes italianos, alemães e poloneses e seus descendentes, em particular das antigas áreas coloniais sulinas. Na percepção das autoridades republicanas e de intelectuais, isso possibilitaria civilizar os espaços do interior brasileiro, pelo aumento da população branca e pela qualificação do estatuto étnico da população, condição que melhoraria a imagem do Brasil na esfera internacional e colocaria o país no caminho da modernidade. Com base nas ideias positivistas e darwinistas sociais sugeria-se a necessidade de estabelecer a ordem necessária nas novas fronteiras agrícolas, com vistas ao sonhado progresso, ideia tão cara no início do período republicano e ao longo da primeira metade do século XX. Neste sentido, com o estabelecimento de pesquisas científicas que atestaram a vocação do sertão para a agricultura, um alto número de migrantes deslocam-se desde a década de 1960 para as novas fronteiras. Para este estudo, no entanto, será selecionada a região do Centro-Norte brasileiro, abrangendo a parte oeste da Bahia, e sudeste do Tocantins...
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Melody Forcelini - Integrante / Claiton Marcio da Silva - Coordenador.
Número de produções C, T & A: 1


Projetos de extensão


2012 - 2012
Politica na Rede: Um site sobre a história política no Oeste de Santa Catarina (1964-1979)
Descrição: A ideia do projeto de extensão parte do pressuposto que as novas gerações, possuem poucas informações sobre o período da ditadura militar do Brasil, apesar de todo o debate midiático ocorrido nos últimos anos. A necessidade de atingir este público jovem justifica a utilização da internet como meio de comunicação escolhido para tratar da temática perante este público. Em Santa Catarina o assunto ditadura militar engatinha nos meios acadêmicos e concentra-se apenas na Capital do Estado, centro formal das decisões políticas, desconsiderando por muitas vezes a cultura política do oeste catarinense em diversos temas, incluindo a ditadura militar. O projeto parte da constatação de que a Universidade deve participar com maior qualificação e inserção de debates e discussões de grande impacto social, hoje praticamente restritos ao ambiente das mídias, as quais costumam, por interesse de mercado, apresentar conteúdos superficiais e abordagens vinculadas e dependentes dos grandes interesses empresariais que a informação desperta no mundo contemporâneo. Para tanto, a indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, especialmente com impacto na formação do estudante e na geração de novo conhecimento ou interdisciplinaridade. A extensão está prevista no PPP do Curso de Graduação em História da Universidade Federal da Fronteira Sul em diversos momen-tos. Em seu item 2 Perfil do Curso destaca: O perfil do curso de graduação de Licenciatura em História da Universidade Federal da Fronteira Sul UFFS insere-se no projeto mais amplo da universidade, procurando preparar profissionais para atuação nos campos de ensino, da pesquisa e da extensão possibilitando uma formação ampla do ser humano. O professor é Doutorando em História na Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS e trabalha em sua tese com a ditadura militar no Brasil, especialmente com o caso de Santa Catarina. Entendemos que há impacto social na proposta, pois visa uma relação dialógica com a sociedade, cont..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Melody Forcelini - Integrante / Mateus Gamba Torres - Coordenador / Tatiany Moretto - Integrante / Carla Aparecida Rigo - Integrante.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
FORCELINI, M.2018 FORCELINI, M.; KLANOVICZ, J. . A usina hidrelétrica de Itá, Brasil e a tecnologia de força bruta na história recente do Rio Uruguai. REVISTA INCLUSIONES - REVISTA DE HUMANIDADES Y CIENCIAS SOCIALES, v. 5, p. 175-191, 2018.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
FORCELINI, M.; FORCELINI, M. . O Programa Arca de Noé e a Usina Hidrelétrica de Itá- Sc. In: XVI Encontro estadual de História da Anpuh- SC, 2016, Chapecó. Anais do XVI Encontro Estadual de História da ANPUH-SC, 2016.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
FORCELINI, M.. AMBIENTE E TECNOLOGIA: Considerações sobre a Usina Hidrelétrica de Itá (SC). In: 4º Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações, 2016, Florianópolis. Anais do 4° Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações, 2016.

2.
FORCELINI, M.. Abordagens Ricoeurianas sobre a noção historiográfica: o espaço habitado". In: XV simpósio de filosofia moderna e contemporânea, 2010, Toledo. XV simpósio de filosofia moderna e contemporânea da Unioste. Toledo: GFM, 2010.

3.
FORCELINI, M.. representação e narração: perspectivas Ricoeurianas. In: IX semana academica do curso de filosofia da Fapas., 2010, Santa Maria-RS. IX Semana IX semana academica do curso de filosofia da Fapas., 2010.

Apresentações de Trabalho
1.
FORCELINI, M.. VIII Simpósio de la Sociedad LatinoAmericana y caribeña de historia Ambiental. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

2.
FORCELINI, M.. 4º Simpósio Internacional de História ambiental e MIgrações. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

3.
FORCELINI, M.. Mini Curso Portal de Periódicos da Capes. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

4.
FORCELINI, M.; SILVA, Claiton Marcio Da . Migrantes sulistas e a relação com o ambiente no Estado do Tocantins. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
4º Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações.Ambiente e tecnologia: Considerações sobre a Usina Hidrelétrica de Itá (SC). 2016. (Simpósio).

2.
III Jornada do Pet História.Fontes de Pesquisa Histórica. 2016. (Oficina).

3.
VIII Simpósio de la Sociedad LatinoAmericana y caribeña de historia Ambiental.Tecnologias de força bruta e história ambiental: a usina hidrelétrica de Itá.-SC. 2016. (Simpósio).

4.
VII Simpósio de Pesquisa, Pós Graduação e Inovação tecnológica da Unicentro 2016. 2016. (Simpósio).

5.
XVI Encontro Estadual de História da ANPUH-SC.O programa Arca de Noé e a usina Hidrelétrica de Itá SC. 2016. (Encontro).

6.
2ª Escuela de Posgrado da Sociedad Latinoamericana de Historia Ambiental (SOLCHA).. 2015. (Encontro).

7.
3º Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações.Migrantes sulistas e a relação com o ambiente no Estado do Tocantins. 2014. (Simpósio).

8.
I Encontro sobre Diversidade na UFFS: Políticas de inclusão Indígena. 2012. (Seminário).

9.
II Seminário de Ensino, Pesquisa e Extensão - II SEPE.Migrantes Sulistas e a relação com o Ambiente no Centro-Norte do Brasil do. 2012. (Seminário).

10.
I Semana Acadêmica de História: Oficio do Historiador, Desafios Contempomporâneos. 2012. (Encontro).

11.
Simpósio Nacional sobre o Centenário do Movimento do Contestado:. 2012. (Simpósio).

12.
XIV Encontro Estadual de História - Anpuh SC. 2012. (Encontro).

13.
I Seminário do Núcleo de Estudos em Docência: Formação Docente em Perspectiva. 2011. (Seminário).

14.
Simpósio Internacional História Ambiental e Desastres.História Ambiental e Desastres.. 2011. (Simpósio).

15.
XXVI Simpósio Nacional de História - Anpuh. 2011. (Simpósio).

16.
Conferência de Ensino, Pesquisa e Extensão - COEPE. 2010. (Outra).

17.
I Mostra de Iniciação Acadêmica da UFFS.O tempo histórico sob olhares de Paul Ricoeur. 2010. (Outra).

18.
XIII Encontro Estadual de História - Anpuh. 2010. (Simpósio).

19.
XV simpósio de filosofia moderna e contemporânea.Abordagens Ricoeurianas sobre a noção historiográfica: o espaço habitado. 2010. (Simpósio).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
FORCELINI, M.; FORCELINI, M. . 2ª Escuela de Posgrado da Sociedad Latinoamericana de Historia Ambiental (SOLCHA).. 2015. (Outro).



Inovação



Projeto de extensão



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 23/10/2018 às 21:37:34