Guilherme Augusto Fabrin

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2521095020409744
  • Última atualização do currículo em 22/11/2018


Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal de Santa Catarina (2017). Atualmente é mestrando no Programa de Pós-graduação em Geografia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e está vinculado ao Núcleo de Pesquisas sobre Desenvolvimento Sócio-Espacial (NuPeD). Tem experiência na área de Geografia Ambiental com interesse na Ecologia Social e Agroecologia. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Guilherme Augusto Fabrin
Nome em citações bibliográficas
FABRIN, G. A.;FABRIN, Guilherme Augusto


Formação acadêmica/titulação


2018
Mestrado em andamento em Geografia.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Título: Da agroecologia à autonomia: reflexões à luz do pensamento libertário a partir da experiência de descentralização da gestão de resíduos sólidos orgânicos através do Projeto Revolução dos Baldinhos (Florianópolis-SC),Orientador: Marcelo Lopes de Souza.
Palavras-chave: Autonomia; Agroecologia.
2010 - 2017
Graduação em Geografia.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Título: O processo de territorialização de práticas agroecológicas no Bosque do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (UFSC): entre ação direta e luta institucional.
Orientador: Leila Christina Duarte Dias.




Formação Complementar


2017 - 2017
Pensamento Antiecológico Crítica do Capitalismo Verde e Ecologia Política. (Carga horária: 36h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2016 - 2016
Teoria do imperialismo e o golpe de 1964 no Brasil em Mário Pedrosa. (Carga horária: 72h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2016 - 2016
3º Curso de Sistemas Agroflorestais para Produção Orgânica. (Carga horária: 16h).
Movimento de Agroflorestores de Inclusão Sintrópica, MAIS, Brasil.
2016 - 2016
Trabalho, autonomia e formas institucionais. (Carga horária: 68h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2013 - 2013
Desenho em Permacultura. (Carga horária: 80h).
Instituto Çarakura de Educação Ambiental, IÇARA, Brasil.
2013 - 2013
Geoconservação nas Unidades de Conservação da Natureza. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2012 - 2013
Curso de Formação de Monitores para a Ilha do Campeche - Florianópolis. (Carga horária: 72h).
Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, IPHAN, Brasil.
2012 - 2012
Curso de Planejamento em Permacultura (PDC). (Carga horária: 72h).
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
2005 - 2007
Curso Técnico em Sistemas Automotivos. (Carga horária: 2000h).
Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, SENAI, Brasil.


Atuação Profissional



Coordenadoria de Gestão Ambiental, CGA, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2016
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20

Atividades

10/2014 - 09/2016
Estágios , Coordenadoria de Gestão Ambiental, .

Estágio realizado
Manejo agroecológico do Bosque do CFH, implantação de sistemas agroflorestais, manutenção de composteira para geração de adubo orgânico, restauração florestal das Áreas de Preservação Permanente e atividades de educação ambiental..

Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20

Atividades

10/2011 - 11/2013
Extensão universitária , Núcleo de Estudos do Mar - UFSC, .

Atividade de extensão realizada
Trabalhos de campo para análise sócio-espacial, detecção de zonas de conflito e georreferenciamento do perímetro da Unidade de Conservação.


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Lutas Sociais e meio ambiente: Proteção Ambiental, direito à moradia e conflitos pelo uso do solo nas cidades brasileiras
Descrição: O objetivo geral do projeto consiste em investigar os conflitos ambientais que têm por palco as cidades brasileiras, examinando as agendas dos ativistas, o seu repertório de práticas espaciais, a relevância (socio)política e (econômico-)social das questões por eles levantadas e, por fim, os resultados concretos de suas mobilizações e lutas. Mais concretamente, no que tange aos objetivos específicos, o projeto almeja: 1) esboçar um panorama das situações mais típicas de injustiça ambiental e conflitos ambientais em escala global e suas peculiaridades em países semiperiféricos, com o objetivo de contextualizar as análises em escala (micro)local; 2) analisar a constituição de novos sujeitos sociopolíticos e novas territorialidades em escala (micro)local (sem desprezar, contudo, as escalas supralocais, seja para efeito de contextualização, seja por causa das políticas de escala desenvolvidas pelas organizações de movimentos), dando-se particular atenção ao papel da dimensão espacial na conformação da estrutura, da dinâmica (práticas espaciais, estratégias e táticas) e da identidade dos movimentos; 3) examinar a consistência sociopolítica dos ativismos, particularmente à luz de suas práticas espaciais (contrastando seus pontos fortes, de um lado, e seus problemas e suas limitações, em especial no tocante a temas como grau de heterogestão/autogestão e a capacidade de conquistar apoios externos); 4) avaliar a performance e a relevância (socio)política e (econômico-social) dos ativismos (o que eles têm conquistado, quais as suas perspectivas). Os objetivos, por sua vez, giram em torno de três eixos temáticos principais, que dão margem aos questionamentos que ajudarão a orientar a investigação: 1) Securitização do ambiente: em que medida e em que circunstâncias a proteção ambiental é absorvida por uma retórica que, em nome da segurança ambiental (problemáticas do risco ambiental, do acesso a recursos etc.), promove medidas legais e institucionais que conflitam ou podem conflitar com os interesses e os direitos de segmentos inteiros da população de uma cidade, em especial os mais pobres? 2) Resistência contra a injustiça ambiental: de que forma, com que instrumentos e com qual eficácia grupos sociais resistem a situações de injustiça ambiental, as quais ameaçam deteriorar (ainda mais) a sua qualidade de vida e, no limite, desterritorializá-los? 3) Ambientalização dos conflitos sociais: de que modo novos agentes se tornam atores em meio a conflitos ambientais específicos, e como e por qual razão certas questões (eventualmente referentes a lutas já existentes) passam a ser tratadas e classificadas como (socio)ambientais? Em que medida esse processo de ambientalização influencia a produção discursiva e as ações concretas de agentes como órgãos do aparelho de Estado e a grande imprensa?..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (5) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Guilherme Augusto Fabrin - Integrante / Marcelo Lopes de Souza - Coordenador / Amanda Cavaliere Lima - Integrante / Thiago Roniere Rebouças Tavares - Integrante / Rafael Chaves - Integrante / Thiago Wentzel Vieira - Integrante / Gabriela Porto da Luz Chianello - Integrante / Henrique Vital Brazil Simonard - Integrante / Eduardo Bayer Knopman - Integrante / Anna Stauffer - Integrante / Tiago Boruchovitch Fonseca - Integrante.
2016 - 2017
Estudo de iniciativas de descentralização de políticas públicas voltadas ao desenvolvimento rural em Santa Catarina
Descrição: Em 2008, a política territorial do Governo Federal ganhou novo impulso com a criação do Programa Territórios da Cidadania (PTC), pelo qual foram selecionadas 120 regiões prioritárias para o desenvolvimento de ações conjuntas entre diversos órgãos públicos e da sociedade civil organizada. A prioridade do PTC é o combate da pobreza em regiões que apresentam baixos índices de desenvolvimento humano. Seu principal objetivo é promover o desenvolvimento econômico e universalizar programas básicos de cidadania por meio de uma estratégia de desenvolvimento territorial sustentável. Uma dessas experiências ocorreu na mesorregião oeste de Santa Catarina com criação do Território Meio Oeste Contestado (MOC). Pesquisas preliminares apontaram a existência de escassos estudos a respeito desse processo de descentralização da gestão pública em curso sobre o meio rural catarinense. Particularmente no que diz respeito ao MOC, região alvo deste projeto, são raros trabalhos desta natureza. Este trabalho pretende auxiliar na análise dos resultados da articulação (ou, inversamente, da baixa articulação) entre as ADR do Estado de Santa Catarina e as orientações políticas calcadas na abordagem territorial do governo federal, com foco nas políticas voltadas ao desenvolvimento rural no MOC. Após o levantamento das informações sobre a ocorrência de comunidades rurais com presença de famílias de origem cabocla no MOC foi elaborada uma tabela com os dados coletados sistematizados. Também foi elaborado um mapa temático representando a distribuição geográfica dessas comunidades e o número aproximado de famílias por município..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Guilherme Augusto Fabrin - Integrante / Ademir Antônio Cazella - Coordenador / Olímpio Cipriano - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.


Projetos de extensão


2014 - 2016
Recuperação Ambiental do Bosque do CFH por meio da implantação de Sistema Agroflorestal (SAF)
Descrição: Projeto executado através da parceria da Coordenadoria de Gestão Ambiental (CGA) da UFSC com a Comissão de Revitalização do Bosque-CFH e com o Núcleo de Permacultura (NEPERMA), vinculado ao Departamento de Geociências. O projeto visa a implantação de Sistemas Agroflorestais para recuperação das áreas degradadas, através do qual é realizado o manejo agroecológico de alguns setores do Bosque com canteiros multifuncionais e atividades de extensão universitária..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Guilherme Augusto Fabrin - Integrante / Caio Ramos Dir de Carvalho - Integrante / Arthur Schmidt Nanni - Coordenador.Financiador(es): Universidade Federal de Santa Catarina - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 1
2012 - 2014
Conservação da Biodiversidade em Áreas de Proteção
Descrição: Através desse projeto a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) compunha o Grupo de Trabalho Maciço da Costeira (GTMC), organismo representado pelo Poder Público (FLORAM e IPUF), UFSC e pela Sociedade Civil Organizada, e que funcionou como embrião do Conselho Gestor e iniciou os procedimentos de adequação do Parque Municipal do Maciço da Costeira (PMMC) à legislação federal vigente (Lei nº 9.985/00, que institui o Sistema Nacional das Unidades de Conservação). Os trabalhos referentes ao GTMC incluíram a verificação de adequação dos limites da UC e sua determinação através de uma poligonal com pontos georreferenciados; os procedimentos para a definição de categoria de manejo; a formação do Conselho Consultivo do PMMC; redelimitação com base na exclusão de áreas com ocupação irregular consolidada e anexação de todo remanescente de solo não ocupado..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Guilherme Augusto Fabrin - Integrante / PAULO ROBERTO PAGLIOSA ALVES - Coordenador / Aracídio de Freitas Barbosa Neto - Integrante.Financiador(es): Universidade Federal de Santa Catarina - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 1


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Geografia / Subárea: Geografia Humana.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Capítulos de livros publicados
1.
Martins, Pedro Buss ; Leal, Luiz Fernando ; de Abreu, Ludmila Serafim ; Nanni, Arthur ; Petrassi, Anna Cecília Mendonça Amaral ; Carrieri, Marina ; FABRIN, Guilherme Augusto ; Ferreira, Carolina Assis Fernandes ; Zampieri, Gabriela Mota ; Peres, Letícia ; Nepomuceno, Carolina . Recovery of a Green Area Inside the Campus of the Federal University of Santa Catarina Through Agroecological Agroforestry Systems. World Sustainability Series. 1ed.: Springer International Publishing, 2018, v. , p. 685-700.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
MARTINS, P. B. ; Leal, Luiz Fernando ; FABRIN, G. A. ; de Abreu, Ludmila Serafim ; NANNI, A. S. . Oficinas agroecológicas como estratégia de recuperação e educação ambiental. In: VI Congresso Latino-americano de Agroecologia; X Congresso Brasileiro de Agroecologia; V Seminário de Agroecologia do Distrito Federal e Entorno; 12 a 15 de setembro de 2017, Brasí, 2017, Brasília DF. v. 13 n. 1 (2018): Anais do VI Congresso Latino-americano de Agroecologia; X Congresso Brasileiro de Agroecologia; V Seminário de Agroecologia do Distrito Federal e Entorno; 12 a 15 de setembro de 2017, Brasília/DF, 2017. v. 13.

2.
FABRIN, G. A.; CIPRIANO, O. ; REINACH, M. H. M. . As Comunidades Rurais Caboclas e o Programa Territórios da Cidadania no Meio Oeste Catarinense. In: VIII Simpósio Internacional de Geografia Agrária e IX Simpósio Nacional de Geografia Agrária, 2017, Curitiba PR. Anais do VIII Simpósio Internacional de Geografia Agrária e IX Simpósio Nacional de Geografia Agrária, 2017.

Apresentações de Trabalho
1.
FABRIN, Guilherme Augusto. Agroecologia urbana e a construção da autonomia. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
FABRIN, G. A.; REINACH, M. H. M. . Contribuição para uma análise crítica da Agroecologia. 2018. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

3.
MARTINS, P. B. ; LEAL, L. F. ; FABRIN, G. A. ; ABREU, L. S. ; NANNI, A. S. . Oficinas agroecológicas como estratégia de recuperação e educação ambiental.. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
FABRIN, G. A.. Roda de Conversa: Agroecologia pra que(m)?. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
FABRIN, G. A.. Roda de Conversa: REGA: momento atual,desafios e perspectivas de futuro. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
FABRIN, G. A.; CIPRIANO, O. ; REINACH, M. H. M. . As comunidades rurais caboclas e o Programa Territórios da Cidadania no meio oeste catarinense. 2017. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

7.
FABRIN, G. A.. O processo de territorialização de um sistema agroflorestal no Bosque do Centro de Filosofia e Ciências Humanas-UFSC. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
FABRIN, G. A.. O processo de implementação de uma Unidade de Conservação no contexto da política nacional de meio ambiente.. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
FABRIN, G. A.. Patrimônio geológico da Guarita, Torres-RS. 2011. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Debates (Socio)Ambientais III: O Potencial Emancipatório da Agroecologia.Agroecologia urbana e a construção da autonomia. 2018. (Outra).

2.
I Simpósio Nacional Geografia, Ambiente e Território. Reterritorializar a Vida: o ambiente e as lutas por direitos.Contribuição para uma análise crítica da Agroecologia. 2018. (Simpósio).

3.
IV Encontro Nacional de Agroecologia. 2018. (Encontro).

4.
VI Congresso Latino-Americano de Agroecologia X Congresso Brasileiro de Agroecologia. Oficinas agroecológicas como estratégia de recuperação e educação ambiental. 2017. (Congresso).

5.
VIII Simpósio Internacional de Geografia Agrária e IX Simpósio Nacional de Geografia Agrária.As comunidades rurais caboclas e o Programa Territórios da Cidadania no meio oeste catarinense. 2017. (Simpósio).

6.
1º Encontro da Agrobiodiversidade e Troca de Saberes de Florianópolis. 2016. (Encontro).

7.
Organização e Realização do Pré-SAPIS Seminário de Áreas Protegidas e Inclusão Social. 2016. (Encontro).

8.
Semana do Meio Ambiente da UFSC. 2015. (Encontro).

9.
XV Encontro de Geógrafos da América Latina.O processo de territorialização de um sistema agroflorestal no Bosque do Centro de Filosofia e Ciências Humanas. 2015. (Encontro).

10.
Contexto Atual, Novos Desafios e Perspectivas para a Agricultura Familiar em Santa Catarina. 2014. (Seminário).

11.
I Encontro da Rede de Sementes Livres Brasil. 2014. (Encontro).

12.
XIV Encontro de Geógrafos da América Latina.Processo de implementação de uma Unidade de Conservação no contexto da política nacional de meio ambiente.. 2013. (Encontro).

13.
XXXIV Semana de Geografia da UFSC SEMAGeo. 2013. (Encontro).

14.
I Seminário Pesquisa sobre a Sociobiodiversidade nas Unidades de Conservação Federais de Santa Catarina. 2012. (Seminário).

15.
I Simpósio Brasileiro de Patrimônio Geológico.Patrimônio Geológico da Guarita Torres/RS. 2011. (Simpósio).

16.
XIX Encontro Nacional dos Estudantes de Geografia. 2011. (Encontro).

17.
12º Encuentro Internacional Humboldt. 2010. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
FABRIN, G. A.. IX Encontro Nacional dos Grupos de Agroecologia. 2017. (Outro).

2.
FABRIN, G. A.. Encontro Regional dos Grupos de Agroecologia (I ERGA - Sul). 2016. (Outro).

3.
FABRIN, G. A.. Semana do Meio Ambiente da UFSC. 2016. (Outro).

4.
FABRIN, G. A.. 37ª SEMAGEO Semana Acadêmica de Geografia da UFSC. 2016. (Outro).

5.
FABRIN, G. A.. IX Semana de Integração do CFH - Espaço e Território: desdobramentos políticos, sociais e culturais. 2014. (Outro).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 18/01/2019 às 14:54:24