Yuri Rosa Neves

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2358204283053090
  • Última atualização do currículo em 06/09/2018


Licenciado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Santa Catarina (2015) e Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social na Univesidade Federal do Rio Grande do Sul. Entre os principais interesses estão as discussões sobre a educação, antropologia urbana, deslocamentos, política e antropologia visual. . (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Yuri Rosa Neves
Nome em citações bibliográficas
NEVES, Y. R.


Formação acadêmica/titulação


2018
Doutorado em andamento em Antropologia Social.
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
Orientador: Ana Luiza Carvalho da Rocha.
2016 - 2018
Mestrado em Antropologia Social.
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
Título: Caronas antropológicas nas ruas de Florianópolis. Deslocamentos, tempo e cidade,Ano de Obtenção: 2018.
Orientador: Ana Luiza Carvalho da Rocha.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
2009 - 2015
Graduação em Ciências Sociais.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Título: Iluminando e Obscurecendo a Escolarização: Reflexões sobre a educação a partir de A Invenção da Cultura de Roy Wagner.
Orientador: Carmen Rial.
2004 - 2007
Ensino Médio (2º grau).
Colégio Dom Feliciano, DONFA%20, Brasil.




Formação Complementar


2013 - 2013
Extensão universitária em PROCAD - Casadinho. (Carga horária: 20h).
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2012
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica (PIBIC/CNPq-BIPI/UFSC), Carga horária: 20
Outras informações
Projeto de Pesquisa: "As mulheres Pescadoras em SC : estudo antropológico sobre as figurações locais, a memória coletiva, e a transição a agricultura para o turismo como trabalho acessório e a dinamicidade do modo de vida em comunidades pesqueiras de SC", sob a orientação do(a) professor(a) CARMEN SILVIA RIAL do DEPARTAMENTO DE ANTROPOLOGIA do CENTRO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS.


Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista IC/CNPq, Carga horária: 20
Outras informações
Integrante de equipe do projeto: Migrações e Mobilidades Contemporâneas: Trajetórias, Profissões e Estilos de Vida, submetido para Universal 14/2012.


Associação Brasileira de Antropologia, ABA, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2014
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Apoio Técnico, Carga horária: 10
Outras informações
Participação no Projeto TvABA desenvolvendo atividades de administração do repositório de filmes na plataforma digital, trabalhos de transmissão e gravação de palestras, conferências e eventos e de edição de vídeos.


Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2018
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bosista Capes, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

03/2017 - 08/2017
Estágios , Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, .

Estágio realizado
Disciplina Antropologia Urbana (HUM05035) sob orientação da Professora Cornélia Eckert.
08/2016 - 12/2016
Estágios , Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, .

Estágio realizado
Disciplina de Antropologia: Introdução (HUM05006) sob orientação do Professor Jean Segata.


Projetos de pesquisa


2016 - Atual
Banco de Imagens e Efeitos Visuais - a criação de um museu virtual
Descrição: Coordenado pela Professora Ana Luiza Carvalho da Rocha, o projeto existente desde 1997 e está centrado no estudo da imagem como forma de produção de narrativas etnográficas na e da cidade. O Banco de Imagens e Efeitos visuais tem por objetivos: . a criação de um banco de dados etnográficos versando sobre a estética urbana e memória coletiva da cidade de Porto Alegre a partir de coleções de documentos etnográficos em seus diversos suportes (sonoros e visuais - filme,fotografia,video e texto; . o estudo do processo de produção de novas formas de interpretação dos tempos e espaços sociais no mundo urbano contemporâneo através da uso das novas tecnologias digitais e eletrônicas aplicada a pesquisa em Antropologia das sociedades complexas; . a investigação da memória da cotidaneidade na e da cidade de Porto Alegre no sentido da produção de novas formas mais integrativas, criativas e interativas de se operar a gestão eletrônica do patrimônio etnológico da comunidade urbana local..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
Memórias do mundo do trabalho, práticas sociais e representações simbólicas. Coleções etnográficas e etnografia audiovisual de bairros nas metrópoles contemporâneas
Descrição: Inciada em 2014, esta pesquisa proposta integra parte do Projeto de Bolsa Produtividade da Professora Ana Luiza Carvalho da Rocha, aprovado pelo CNPq, PQ Proc. 30748220138 para o período 2014-2017. Visa pensar a memoria ambiental em suas complexidades urbanas na regiao metropolitana de Porto AlegreRS, a gestao de aguas urbanas, territorialidades e etnobiografias de memorias do trabalho, e tem por objeto o processo de produçao de coleções etnogrficas e de crônicas videogrficas versando sobre as metamorfooses das prticas de trabalho e as dinâmicas culturais que as acompanham no contexto de comunidades urbanas localizadas em Porto Alegre e sua regiao metropolitana, com enfase regiões do Vale dos Sinos e do Vale do Paranhana. Da mesma forma, o projeto esta vinculado aos resultados do Projeto CNPq, Bolsa Produtividade em Pesquisa, desenvolvidos no período de 20112013, junto ao Banco de Imagens e Efeitos Visuais Programa de Pos-Graduaçao em Antropologia Social UFRGS, denominado Etnobiografias urbanas, coleções etnogrficas e memorias do mundo do trabalho estudo antropologico das dinâmicas da cultura para a produçao de acervos digitais sobre patrimônio etnologico nas metropoles contemporâneas, assim como os resultados da pesquisa realizada de 2013/2 a 2014, durante o estagio senior no exterior Berlim-Alemanha e Paris-França, e intitulada Memorias de paisagens e territorialidades Estudo etnogrfico sobre imaginrio, identidades e dinâmicas da cultura na vida urbana Canal Saint MartinParis e Landwehrcanal Berlim, com financiamento da CAPES.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2015
Migrações e Mobilidades Contemporâneas: Trajetórias, Profissões e Estilos de Vida
Descrição: Nas últimas décadas os fenômenos migratórios nacionais e internacionais caracterizaram-se pela sua intensidade e complexidade. Desde os anos 1980, o Brasil deixou de ser um país receptor de imigrantes para transformar-se em um país que cede emigrantes para o mundo, especialmente para os Estados- Unidos, Japão e Europa, países receptores que tem sido estudados por antropólogos. A literatura que trata de emigrações já mostrou que é uma falácia se pensar que esta população emigrante é formada apenas por indivíduos pobres ou pertencentes às camadas mais baixas da população e que migram prioritariamente como estratégia para resolver problemas econômicos (Sklair 1999; Kearney 1996). Estes estudos têm mostrado que a emigração é um projeto coletivo e de ascensão social, no mais das vezes familiar, e são escolhidos os indivíduos considerados mais capazes pelo grupo para tentar a aventura da migração. Assim, com o intuito de refletir sobre os processos migratórios nacionais e internacionais de atores sociais sob uma ótica que leve em conta as intersecções de gênero, sexualidade, classe, etnia, geração nos mais diferentes contextos sócio-culturais, o projeto busca chamar atenção para as conseqüências sociais, culturais e políticas deste fenômeno. Este projeto pretende proporcionar um panorama dos deslocamentos dos sujeitos e /ou grupos envolvidos, as características das experiências migratórias e suas relações com o mercado de trabalho e com o entorno social de destino. Neste sentido, acredita-se que a relevância do projeto está em sua contribuição para a compreensão das estratégias e modalidades de migração e de inserção em redes sociais, no mercado de trabalho, re-arranjos familiares, de gênero e sexualidade, e as experiências vivenciadas nas sociedades de migração num contexto de cerceamento cada vez maior das fronteiras (Assis, 2008a; 2008b), bem como ao pretender oferecer um panorama mais amplo e diversificado do cenário das migrações em contexto nacionais e transnacionais. Este projeto de pesquisa visa analisar, em uma perspectiva interdisciplinar, os processos migratórios nacionais e/ou internacionais. Considerando como Weber a importância heurística de se abordar casos extremos, o projeto trata da trajetória de mobilidade profissional de futebolistas (jogadores e jogadoras de futebol) com carreiras bem sucedidas (um extremo), da trajetória profissional de mobilidade de travestis e de mulheres inseridas no trabalho doméstico e no mercado do sexo ou de futebolistas menos conhecidos ou, no sentido que Foucault dá ao termo, ?infames?, (outro extremo), procurando entender as implicações culturais, políticas e econômicas de suas modalidades de emigração. A partir de estudo etnográfico, busca-se compreender as transformações do seu dia-dia assim como mudanças no seu consumo, estilo de vida, valores e processos de subjetivação decorrentes da experiência da emigração. Pretende-se: a) mapear os trajetos migratórios dos sujeitos envolvidos em consonância com suas trajetórias b) identificar e cartografar as redes sociais que sustentam e agenciam as migrações c) reconhecer os projetos individuais e sociais (Velho, 1998) desses atores sociais em seus locais de destino. Busca-se ainda compreender as mudanças em seus cotidianos e no que diz respeito a identidade, gênero, sexualidade, corpo e estilos de vida decorrentes dos fluxos migratórios. A pesquisa terá como lócus as cidades de Florianópolis (SC), Pelotas (RS), Foz de Iguaçu, (PR) Manaus, (AM), Rio de Janeiro (RJ), Goiânia (GO), Lisboa (Portugal), Sydney (Australia) e Montevideo (Uruguai) a metodologia envolverá pesquisa nos locais que se constituem pontos de partida desses emigrantes no caso dos fluxos de migração internacional e as cidades que recebem imigrantes no caso dos imigrantes internos e terá como base o uso de entrevistas em profundidade, observação participante, diário de campo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2011 - 2012
As mulheres Pescadoras em SC : estudo antropológico sobre as figurações locais, a memória coletiva, e a transição a agricultura para o turismo como trabalho acessório e a dinamicidade do modo de vida em comunidades pesqueiras de SC
Descrição: O presente projeto está inserido na temática de estudos sócio-antropológicos sobre comunidades pesqueiras e suas práticas de trabalho, enquadrando-se nos múltiplos esforços que estão sendo realizados por parte de órgãos governamentais e grupos de pesquisa vinculados a diversas áreas do conhecimento para o reconhecimento e o mapeamento do trabalho das mulheres trabalhadoras na pesca. O processo de industrialização e urbanização no Brasil nas regiões costeiras vem desencadeando uma serie de transformações e impactos sociais e ambientais, destacando-se a especulação imobiliária, as atividades portuárias e a pesca predatória, implicando, por um lado em processos de exclusão social das populações que viviam nestas áreas, dependendo de seus recursos naturais, e, por outro, na adoção de práticas e estratégias de sobrevivência nas quais esses grupos mantêm sua herança cultural frente a injunções de mudança. Nas Ciências Sociais, sobretudo na antropologia, destaca-se a análise relativa às mudanças sociais em comunidades litorâneas brasileiras com um olhar voltado para suas praticas sócio-culturais. Mesmo com um amplo panorama de atuação da mulher no setor pesqueiro é possível identificar uma certa invisibilidade com relação ao trabalho por ela desenvolvido. Parte desta invisibilidade pode se percebido através dos meios de comunicação, das referências turísticas, e mesmo das pesquisas acadêmicas. E neste sentido, este projeto procura refletir sobre este cenário através de pesquisa realizada entre mulheres na região litorânea catarinense. Neste sentido o projeto aqui apresentado visa refletir sobre uma situação cotidiana na região, que é a atuação da mulheres no trabalho de pesca e coleta de frutos do mar, porém, pouco valorizada ou considerada enquanto profissão, cabendo ao homem a definição pescador. Neste sentido, torna-se importante conhecer este cenário através das mulheres, bem como suas necessidades e principais demandas enquanto mulheres trabalhadoras da pesca num processo de transição em que ao mesmo tempo, a pesca, a agricultura e as atividades ligadas ao turismo se fazem presente. Ressalta-se ainda que este cenário aponta para significativas transformações urbanas, que se refletem nas relações de trabalho destas mulheres, em que o processo de transformação de praias em balneários e da acelerada especulação imobiliária urbana vem gerando significativas transformações nas relações de trabalho, bem como nas relações cotidianas, familiares, alimentares, estéticas, de moradias, etc...
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2009 - 2010
Terapeutas da Alegria
Descrição: Projeto de Extensão que visa a realização de visitas em hospitais infantis com o intuito de brincar e produzir bons encontros. Para tal, se passa pela formação de um ano durante encontro semanais com jogos teatrais, formação de um palhaço pra si (personagem) e uma sensibilização para entrar em contato com as crianças enfermas..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.


Idiomas


Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.
Francês
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
NEVES, Y. R.2012NEVES, Y. R.; CYKMAN, N. ; COUTINHO, F. R. . Publicidade: Pública ou Privada. Mosaico Social, v. 6, p. 11-28, 2012.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
NEVES, Y. R.. ETNOGRAFIA NA SALA DE AULA E A CONSTRUÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE: INTERSECÇÕES ENTRE ANTROPOLOGIA E EDUCAÇÃO. In: V Encontro Nacional sobre o Ensino do Sociologia na Educação Básica, 2017, Brasília-DF. Anais do V Encontro Nacional sobre o Ensino do Sociologia na Educação Básica, 2017. p. 1-12.

Apresentações de Trabalho
1.
NEVES, Y. R.; Hilal, Renata . Margens, infraestruturas e temporalidades: o papel da água na construção permacultural e na locomoção por caronas, ou sobre possibilidades do habitar e do deslocar em mundos por vir. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

2.
NEVES, Y. R.; Hilal, Renata . Produzindo o público e o privado no deslocar e no habitar: diálogos cruzados entre etnografias de práticas de caronas e formações permaculturais no espaço urbano. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
NEVES, Y. R.. Etnografia na sala de aula e a construção da prática docente: intersecções entre antropologia e educação. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

4.
NEVES, Y. R.. Etnografia da Carona: produzindo o outro no deslocamento. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

5.
NEVES, Y. R.. As mulheres Pescadoras em SC : estudo antropológico sobre as figurações locais, a memória coletiva, e a transição a agricultura para o turismo como trabalho acessório e a dinamicidade do modo de vida em comunidades pesqueiras de SC. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

6.
NEVES, Y. R.. Imagens na Pesquisa. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Outras produções bibliográficas
1.
NEVES, Y. R.. Em busca do sentido antropológico: políticas da escrita e carona. Porto Alegre: Banco de Imagens e Efeitos Visuais - BIEV/UFRGS, 2018 (Ensaio).

2.
NEVES, Y. R.; ABALOS JUNIOR, J. L. . Fotocronografias. Porto Alegre-RS: Banco de Imagens e Efeitos Visuais - BIEV/UFRGS, 2018 (Organização de Volume de Periódico).

3.
NEVES, Y. R.; ABALOS JUNIOR, J. L. . A arte que mora na cidade: intervenções artísticas urbanas. Porto Alegre-RS, 2018. (Prefácio, Pósfacio/Apresentação)>.


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
NEVES, Y. R.. 29 RBA. A diferença e o sentido revolucionário. Homenagem aos antropólogos Luiz de Castro Faria, Renê Ribeiro, Gioconda Mussolini e Egon Schaden (2ª sessão). 2014.

2.
NEVES, Y. R.. 29RBA Conferência - Os Antropólogos Indígenas: desafios e perspectivas - Gersem Luciano Baniwa (UFAM) e Tonico Benites (MN-UFRJ). 2014.

3.
NEVES, Y. R.. 29RBA. Como publicar em periódicos internacionais. Niko Besnier (University of Amsterdam ). 2014.

4.
NEVES, Y. R.. 29 RBA. Conferência de abertura. Richard Price e Sally Price. 2014.

5.
NEVES, Y. R.. Seminário Projetos Interrompidos: Repercussões da Ditadura sobre os Trabalhadores, a Universidade e os Povos Indígenas. 2014.

6.
NEVES, Y. R.. 29 RBA - Cerimônia de Abertura. 2014.


Demais tipos de produção técnica
1.
NEVES, Y. R.. Oficina de Edição - Módulo: Softwares de Edição. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
NEVES, Y. R.. Possibilidades do uso de Audiovisual na produção acadêmica. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

3.
NEVES, Y. R.. Oficina de Imagens. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
18 IUAES World Congress. Margens, Infraestruturas e temporalidades: o papel da água na construção permacultural e na locomoção por caronas, ou sobre possibilidades do habitar e do deslocar em mundos por vir. 2018. (Congresso).

2.
Confrência: Relações Interespecíficas nas Paisagens Amazônicas Metropolitanas: a cidade de Belém e as Figurações no Imaginário Urbano. 2017. (Outra).

3.
III Jornadas Internacionales de Antropología del Conflicto Urbano: El papel del patrimonio en el marco del nuevo turismo urbano.Produzindo o público e o privado no deslocar e no habitar: diálogos cruzados entre etnografias de práticas de caronas e formações permaculturais no espaço urbano. 2017. (Seminário).

4.
II Mostra TELA Indígena. 2017. (Outra).

5.
IV Ciclo de Antropologia e Etnografia em Contextos Urbanos: Imagens e Suas Trajetórias. 2017. (Seminário).

6.
Olhares Diversos e Contemporâneos. 2017. (Seminário).

7.
Reunião de Antropologia do Mercosul. Etnografia na sala de aula e a construção da prática docente: intersecções entre antropologia e educação. 2017. (Congresso).

8.
Antropologia e jogos eletrônicos: aprendizados para o tema da memória e imaginário e a pesquisa etnográfica hipertextual. 2016. (Seminário).

9.
II Encontro da Rede de Antropologia Audiovisual Aplicada a Espaços Urbanos.Imagens na pesquisa. 2014. (Encontro).

10.
IV Encontro Internacional de Cinema e Vídeo Etnográfico Testeminhal: meios audiovisuais e arte digital em face da violência. 2014. (Encontro).

11.
22º Seminário de Iniciação Científica da UFSC."As mulheres Pescadoras em SC : estudo antropológico sobre as figurações locais, a memória coletiva, e a transição a agricultura para o turismo como trabalho acessório e a dinamicidade do modo de vida em comunidades pesqueiras de SC. 2012. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
NEVES, Y. R.. Organização da Mostra Audiovisual do 18 Congresso Mundial da IUAES. 2018. (Congresso).

2.
NEVES, Y. R.. 9º Seminário Olhares Diversos e Contemporâneos. 2017. (Outro).

3.
NEVES, Y. R.. A Questão Fundiária e as Políticas de Reconhecimento para Indígenas e Quilombolas. 2016. (Outro).

4.
NEVES, Y. R.. Mostra AudioVisual - Jornadas Antropológicas 2015 PPGAS/UFSC "Antropologia através das Antropologias". 2015. (Exposição).

5.
NEVES, Y. R.. II Encontro da Rede de Antropologia Audiovisual Aplicado a Espaços Urbanos. 2014. (Congresso).

6.
NEVES, Y. R.. Meio-Ambiente em Perspectiva: entre incertezas e seguranças. 2011. (Outro).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 20/10/2018 às 23:33:53