Joana das Flores Duarte

Bolsista de Doutorado do CNPq

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/7050328398578647
  • Última atualização do currículo em 24/10/2018


Possui graduação em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2013). É Mestra em Serviço Social (2016) pela mesma instituição. No mestrado pesquisou sobre adolescentes do sexo feminino em medida privativa de liberdade no Rio Grande do Sul e a interface com a seletividade penal de gênero no Sistema Socioeducativo. Tem experiência na área da infância e juventude, com ênfase na Execução da Medida Privativa de Liberdade para jovens autores e autoras de ato infracional. Coordena o Núcleo de Estudos em Criminologia Crítica (NECC). Integra o Grupo de Estudos e Pesquisas em Violência - NEPEVI na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Neste grupo atua em pesquisas sobre violência contra a mulher numa perspectiva feminista interseccional ( Gênero, Raça e Classe Social) na contemporaneidade e suas múltiplas expressões no meio rural, urbano e comunidades quilombolas. Integra também o Laboratório de Estudos sobre Hegemonia e Contra-Hegemonia (LEHC) da Universidade Federal do Rio de Janeiro. É professora substituta do Departamento de Política Social da Escola de Serviço Social da mesma instituição. Atualmente é doutoranda no Programa de Pós-graduação em Serviço Social (PUC/RS) com o projeto de tese sobre Neoliberalismo e Superexploração da Força de Trabalho Juvenil Feminina no Brasil e no México na última década (2006-2016). (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Joana das Flores Duarte
Nome em citações bibliográficas
DUARTE, J.F

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Escola de Serviço Social.
Avenida Pasteur - até 213/214
Botafogo
22290240 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil
Telefone: (21) 39385432
URL da Homepage: http://essufrj.wixsite.com/graduacao


Formação acadêmica/titulação


2016
Doutorado em andamento em Serviço Social.
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Brasil.
Título: NEOLIBERALISMO, TRABALHO JUVENIL E OS DETERMINANTES DE GÊNERO: um estudo da realidade brasileira e mexicana na última década,
Orientador: Patrícia K. Grossi.
Coorientador: Adrián Sotelo Valencia.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Estado; Neoliberalismo; Mercado de Trabalho; Superexploração da Força de Trabalho; Juventude proletária.
2014 - 2016
Mestrado em Serviço Social.
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Brasil.
Título: PARA ALÉM DOS MUROS: as experiências sociais das adolescentes privadas de liberdade,Ano de Obtenção: 2016.
Orientador: Patrícia Krieger Grossi.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Estado; Direitos Humanos; Gênero; Medida Privativa de Liberdade; Adolescentes; Cotidiano.
2011 - 2013
Graduação em Serviço Social.
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Brasil.
Título: A juventude privada de liberdade: a contribuição da assessoria do serviço social do ministério público do Rio Grande do Sul.
Orientador: Beatriz Gershenson Aguinsky.
2008 interrompida
Graduação interrompida em 2010 em Serviço Social.
Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
Ano de interrupção: 2010
2003 - 2005
Ensino Médio (2º grau).
Escola Estadual Padre Madureira, EEPM, Brasil.
1994 - 2002
Ensino Fundamental (1º grau).
Escola Estadual Padre Madureira, EEPM, Brasil.




Formação Complementar


2015 - 2015
Extensão universitária em Curso de Extensão Internacional. (Carga horária: 64h).
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Brasil.
2015 - 2015
Extensão universitária em Monitoria no Curso de Extensão Universitária DHIAJ. (Carga horária: 64h).
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Brasil.
2015 - 2015
Análise Quantitativa na Sociologia com uso de SPSS. (Carga horária: 2h).
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
2015 - 2015
GPESC. (Carga horária: 40h).
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Brasil.
2014 - 2014
Metodologia de educação popular feminista. (Carga horária: 18h).
Associação Mulheres pela Paz, AMP, Brasil.
2014 - 2014
Instituto Transdisciplinar de Estudos Criminais RS. (Carga horária: 20h).
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Brasil.
2012 - 2012
Saúde Mental. (Carga horária: 40h).
Ministério Público do Rio Grande do Sul, MP/RS, Brasil.
2010 - 2010
Curso de Iniciação em Justiça Restaurativa. (Carga horária: 32h).
Escola Superior da Magistratura do Rio Grande do Sul, ESM-AJURIS, Brasil.


Atuação Profissional



Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitoria, Carga horária: 6
Outras informações
Atuou como Monitora no Curso de Extensão Internacional de Direitos Humanos da Infância, Adolescência e Juventude, com carga horária total de 64h, periodo 8 de maio a 11 de julho.


Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Violência, NEPEVI, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Doutoranda, Carga horária: 20
Outras informações
Atualmente integra o grupo atuando em pesquisas sob coordenação da Professora Dra. Patrícia Grossi. No grupo está vinculada com bolsa de doutorado do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Cnpq), com o projeto de tese que versa sobre: NEOLIBERALISMO, TRABALHO JUVENIL E OS DETERMINANTES DE GÊNERO: um estudo da realidade brasileira e mexicana na última década (2006-2016). O projeto de tese busca situar o refluxo do Estado social e os massivos investimentos na área da segurança policial, definindo a penalização como forma regulatória da desigualdade social, que visa conter a desordem produzida pelo desemprego em massa, a imposição do trabalho precário e o encolhimento da proteção social. Trata-se do desvendamento da penalidade neoliberal como fenômeno sustentado pelas estruturas do Estado, em que pese a remoção do Estado econômico, o desmantelamento do Estado social e o fortalecimento do Estado penal, alijando a classe trabalhadora, estando o segmento juvenil do sexo feminino em condições mais aviltantes do ponto de vista de acesso e permanência no mundo do trabalho formal.


Grupo de Pesquisas e Estudos em Ética e Direitos Humanos, GEPEDH, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.


Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde/PET - Saúde, PET/SAÚDE, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 20
Outras informações
Atuou na área da Saúde na Unidade Básica de Saúde (UBS) Morro Santana no Município de Porto Alegre. Realizou mapeamento da rede de atendimento na área da saúde com o grupo de estudos sobre Tuberculose e HIV no Município de Porto Alegre.


Grupo de Estudos Sobre Teoria Marxiana, Ensino e Políticas Públicas (PUCRS), GTEMPP, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - Atual
Vínculo: Iniciação Científica, Enquadramento Funcional: Estudante - Iniciação Científica
Outras informações
-contribuição na realização de análise das grades curriculares e aplicação de instrumentos de coleta de dados com demais alunos da Faculdade de Serviço Social da PUCRS referente a pesquisa: "Contribuição das Instituições de Ensino Superior de Porto Alegre para a formação de profissionais Assistentes Sociais e Psicólogos com vistas a inserção no SUAS". -participação também como estudante em reuniões sistemáticas, reuniões, eventos e outras atividades acadêmicas realizadas por esse grupo de estudos.


Ministério Público do Rio Grande do Sul, MP/RS, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2013
Vínculo: Estagiária, Enquadramento Funcional: Estágio Curricular Obrigatório, Carga horária: 30, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
O Campo de Estágio Curricular Obrigatório foi realizado na Unidade de Assessoramento Técnico em Direitos Humanos. A inserção dos Assistentes Sociais no processo, ocorre por meio de Assessoria Técnica, em matéria de Serviço Social às Promotorias de Justiça do Estado. O Estágio obrigatório em Serviço Social realizado nessa unidade perfez carga horária total de 2837,02 horas. Durante a realização do Estágio Curricular Obrigatório foram realizadas entrevistas; visitas domiciliares; contatos e reuniões institucionais; participação em audiências. Nesse percurso atividades como: pesquisa documental; compilação dos dados dos projetos estratégicos; mapeamento da rede de atendimento e servições no âmbito da rede SUAS, elaboração de relatório social e dos relatórios acerca da regional de educação de Porto Alegre/RS foram desenvolvidas. As atividades curriculares ocorreram no período de fevereiro de 2011 a dezembro de 2012 acompanhada pela supervisora de estágio.


Faculdade de Serviço Social, PUCRS, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estágiária Docente, Carga horária: 2
Outras informações
estagiária docente na disciplina: ?Gênero, Raça e Etnia: Identidades, Desigualdades e Resistências? do curso de graduação em Serviço Social, sob responsabilidade da Professora Dra. Patrícia Grossi.


Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Porfessora Substituta, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

08/2018 - Atual
Ensino, Serviço Social, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Política Social I Diurno ( SSP 306)
Política Social III Previdência Diurno ( SSP 362)
Política Social III Previdência Noturno (SSP 362)
03/2018 - 07/2018
Ensino, Serviço Social, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Política Social I Diurno (SSP 306)
Política Social III Previdência Diurno ( SSP 362)
Política Social III Previdência Noturno ( SSP 362)


Projetos de pesquisa


2017 - Atual
DESENVOLVIMENTO DE UM APLICATIVO COM GUIA DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA MULHERES QUILOMBOLAS DE PORTO ALEGRE E REGIÃO METROPOLITANA PARA AMPLIAÇÃO DO ACESSO AOS DIREITOS DE CIDADANIA E PROMOÇÃO DA EQUIDADE DE GÊNERO
Descrição: O Programa Brasil Quilombola prevê um conjunto de ações inseridas nos diversos órgãos governamentais voltadas para as comunidades remanescentes de quilombos, envolvendo diferentes órgãos e políticas públicas a fim de garantir os direitos à titulação e a permanência na terra, à documentação básica, alimentação, saúde, esporte, lazer, moradia adequada, trabalho, serviços de infra-estrutura e previdência social, entre outras, sendo que um dos eixos é a promoção da equidade de gênero. Estudo, de natureza interdisciplinar com o objetivo de mapear as políticas públicas e programas existentes voltados para as comunidades quilombolas com recorte de gênero; identificar as demandas das mulheres quilombolas de POA e região metropolitana, as formas de acesso às políticas públicas e criar um aplicativo com dados sobre os programas disponíveis para essas comunidades. Para o desenvolvimento do processo de design do aplicativo, serão utilizados diferentes métodos de pesquisa, que incluem: a) pesquisa bibliográfica para compreensão e análise do domínio; b) pesquisa documental sobre políticas públicas para comunidades quilombolas. Será também realizado um trabalho de campo, através de entrevistas com lideranças quilombolas e mulheres quilombolas. Posteriormente, serão transcritas e submetidas à análise de conteúdo de Bardin. Como resultados esperados, pretende-se ter o conhecimento das demandas dessas mulheres e formas de acesso às políticas públicas e contribuir, através da construção de uma prototipagem de aplicativo que seja útil e de fácil manuseio para as comunidades, visando ampliar o acesso á informação de seus direitos de cidadania e rede de serviços. Palavras-chaves: mulheres quilombolas, políticas públicas, aplicativo. Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul - Bolsa / Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa. Número de produções C, T & A: 2 / Número de orientações: 3.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Joana das Flores Duarte - Integrante / GROSSI, Patrícia Krieger - Coordenador / João Victor Bittencourt - Integrante / Maria Inês Nunes Barcelos - Integrante / Mariana Marques Sebastiany - Integrante / Ana Paula Terra Bacelo - Integrante / árcia de Borba Campos - Integrante / Alexandre Anselmo Guilherme - Integrante / Josias Vidal - Integrante / Rafaela da Silva Ripol - Integrante.
2017 - Atual
As experiências sociais de mulheres quilombolas no âmbito da política de assistência social
Descrição: Este estudo, de natureza qualitativa e exploratória, tem como objetivo geral compreender as experiências sociais de mulheres quilombolas no âmbito da política de assistência social, suas demandas e necessidades a partir da perspectiva das mulheres e dos profissionais dos CRAS. Pretendemos identificar os fatores obstaculizadores e potencializadores no percurso de acesso à política de assistência social e como os trabalhadores da rede SUAS vem realizando o trabalho com essas comunidades. As narrativas serão obtidas através de entrevistas semi-estruturadas com as mulheres e os profissionais que atuam nos CRAS nas proximidades das áreas quilombolas de Porto Alegre. Os dados serão analisados com base em Bardin. Como resultados esperados, pretende-se ter o conhecimento das demandas dessas mulheres, contribuindo com subsídios para a qualificação do acesso a essa política. Palavras-chaves: mulheres quilombolas, política de assistência social, cidadania. Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul - Bolsa. Número de produções C, T & A: 9 / Número de orientações: 1.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Joana das Flores Duarte - Integrante / GROSSI, Patrícia Krieger - Coordenador / Ana Rita Costa Coutinho - Integrante / João Victor Bittencourt - Integrante / Maria Inês Nunes Barcelos - Integrante / Carine Magalhães Zanchi de Mattos - Integrante / Eliane Moreira de Almeida - Integrante / Cassia Aline Bulsing Maia - Integrante / Renata Alencar Póvoas - Integrante / Mariana Marques Sebastiany - Integrante.
2016 - 2017
A Experiência Social de Mulheres Quilombolas no âmbito da política de educação: interseccionalidades de gênero, raça/etnia, classe social e geração
Descrição: A Educação Escolar Quilombola segue a proposta política de um currículo construído com os quilombolas e para os quilombolas, baseado nos saberes, conhecimentos e respeito às suas matrizes culturais. Trata-se de uma educação diferenciada onde se trabalha a realidade a partir da história de luta e resistência desses povos bem como dos seus valores civilizatórios. Este estudo, de natureza qualitativa e exploratória, tem como objetivo geral compreender as experiências sociais de mulheres quilombolas no âmbito da política de educação, considerando as interseccionalidades de gênero, raça/etnia, classe social e geração. Irá contribuir para suprir uma lacuna de conhecimento nessa área, pois a educação quilombola no Estado ainda encontra-se em processo de estruturação. Pretendemos identificar os fatores obstaculizadores e potencializadores no percurso de acesso à política educacional de mulheres de diferentes gerações. As narrativas serão obtidas através de histórias orais temáticas e os dados submetidos à análise de conteúdo de Bardin. Como resultados esperados, pretende-se ter o conhecimento das demandas dessas mulheres, de diferentes gerações, contribuindo com subsídios para a qualificação do acesso a essa política, em suas diferentes modalidades. Palavras-chaves: mulheres quilombolas, políticas públicas, educação; interseccionalidade.Financiador(es): Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - Bolsa. Número de produções C, T & A: 7.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (4) .
Integrantes: Joana das Flores Duarte - Integrante / GROSSI, Patrícia Krieger - Coordenador / Geovana Prante Gasparotto - Integrante / Ana Rita Costa Coutinho - Integrante / João Victor Bittencourt - Integrante / Conrado Paulino da Rosa - Integrante / Márcio Lima Grossi - Integrante / imone Barros de Oliveira - Integrante / Roberto da Cruz Fonseca Junior - Integrante / simone bohn - Integrante / Tamires de Oliveira - Integrante.
2015 - Atual
Mulheres Quilombolas e o acesso aos direitos de cidadania: desafios para as políticas públicas
Descrição: Desde 2004, o governo federal instituiu o Programa Brasil Quilombola, que prevê um conjunto de ações inseridas nos diversos órgãos governamentais voltadas para as comunidades remanescentes de quilombos e metodologias que possibilitem o desenvolvimento sustentável dessas comunidades. Essas ações envolvem diferentes órgãos e políticas públicas a fim de garantir os direitos à titulação e a permanência na terra, à documentação básica, alimentação, saúde, esporte, lazer, moradia adequada, trabalho, serviços de infra-estrutura e previdência social, entre outras políticas públicas destinadas à população brasileira (BRASIL, 2004). Nas diretrizes do Programa Brasil Quilombola está prevista a necessidade de ?Incorporar a dimensão de gênero nas diversas iniciativas voltadas para o desenvolvimento sustentável e ampliação dos direitos de cidadania existentes nestas comunidades, promovendo políticas concretas que efetivem a igualdade e eqüidade de gênero? (BRASIL, 2004, p.24) Este estudo, de natureza qualitativa e exploratória, tem como objetivo geral compreender as experiências sociais das mulheres quilombolas no âmbito das políticas públicas, considerando as interseccionalidades de gênero, raça/etnia, classe social e geração. Irá contribuir para suprir uma lacuna de conhecimento nessa área, pois existem poucos dados sobre as experiências sociais das mulheres negras que vivem em quilombos urbanos e rurais de Porto Alegre e região metropolitana e suas trajetórias pela busca de acesso aos seus direitos. Pretendemos identificar os fatores obstaculizadores e potencializadores nesse percurso de acesso aos direitos; verificar as diferenças entre quilombos rurais e urbanos no âmbito de aspectos culturais, econômicos, sociais e de gênero e desvendar as estratégias de resistência das mulheres quilombolas frente às opressões (internas e externas) de gênero, raça/etnia, classe social e geração. As narrativas serão obtidas através de histórias orais temáticas e grupos focais com mulheres que residem nos quilombos urbanos de Porto Alegre e na região metropolitana e posteriormente, transcritas e submetidas à análise de conteúdo de Bardin. Como resultados esperados, pretende-se ter o conhecimento das demandas dessas mulheres, contribuindo com subsídios para a qualificação da rede de serviços.Palavras-chaves: mulheres quilombolas, políticas públicas, gênero Projeto contemplado no edital PQG Gaúcho da FAPERGS 2017 - Faixa B. Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul - Auxílio financeiro / York University - Cooperação / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa. Número de produções C, T & A: 10 / Número de orientações: 2.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (4) / Doutorado: (4) .
Integrantes: Joana das Flores Duarte - Integrante / GROSSI, Patrícia Krieger - Coordenador / Ana Rita Costa Coutinho - Integrante / Michelle Bertoglio Clos - Integrante / Márcio Lima Grossi - Integrante / Jaina Raqueli Pedersen - Integrante / Monique Soares Vieira - Integrante / Lucas Machado - Integrante / Simone Barros de Oliveira - Integrante / Geovana Prante Gasparotto - Integrante.
2014 - 2015
O Atendimento Especializado no âmbito da rede SUAS às Mulheres em situação de violência no município de Porto Alegre: avanços e desafios
Descrição: Descrição: Estima-se, segundo a Pesquisa Perseu Abramo (2010), que a cada 24 segundos uma mulher é violentada no País. O Rio Grande do Sul assinou o Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher em 2011. Neste Pacto, está previsto várias ações para o enfrentamento e prevenção da violência de gênero. Consta nesses documentos, como parte da rede de atendimento, no âmbito do SUAS, os CREAS, Centros de Referência Especializados da Assistência Social. Justifica-se assim a realização desta pesquisa cujo objetivo geral consiste em conhecer a experiência social das mulheres em situação de violência no âmbito dos Centros de Referência Especializados da Assistência Social e os desafios para a construção de uma rede intersetorial de atendimento à violência no município de Porto Alegre a partir da perspectiva das usuárias, profissionais e gestores. Porto Alegre é considerado um município-pólo para a implementação das ações voltadas ao enfrentamento da violência contra as mulheres, em consonância com os critérios estabelecidos pelo Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. È o único município do RS que possui o Juizado Especializado de Violência Doméstica e Intrafamiliar e o Centro de Referência Estadual da Mulher. Quanto à metodologia optou-se pela pesquisa quanti-qualitativa, sob a perspectiva histórico-estrutural, cujas categorias teóricas centrais são totalidade, contradição e historicidade. Os procedimentos e instrumentos de coleta de dados são: a) entrevistas com os profissionais e gestores dos CREAS em Porto Alegre; b) Entrevistas com mulheres vinculadas ao PAEFI, suas demandas e impacto do serviço em suas vidas; c) mapeamento dos CREAS em Porto Alegre. Para os dados qualitativos, será utilizada a análise temática de conteúdo de Bardin (1977) e os dados quantitativos serão tabulados no programa SPSS e submetidos à análise estatística descritiva simples, a partir das categorias de análise da efetividade do programa. A proposta consiste na avaliação da efetividade através da análise dos impactos do PAEFI na vida das mulheres usuárias do CREAS para que possamos através da pesquisa vocalizar suas demandas e contribuir para o sistema de monitoramento e avaliação, uma das dimensões previstas no âmbito da vigilância socioassistencial do SUAS. Pretendemos com isso enfocar nos efeitos do serviço sobre a população-alvo no sentido de verificar se as seguranças afiançadas pelo SUAS estão contribuindo para uma maior autonomia econômica, maior controle de suas vidas, maior acesso a informações e direitos, entre outros, incidindo nas relações familiares das mulheres em situação de violência. A meta é contribuir com subsídios teóricos para qualificação da rede de atenção à mulher em situação de violência no âmbito da assistência social. PALAVRAS-CHAVES: Políticas Públicas. Mulheres em situação de violência. Rede Intersetorial. Seguranças sociais; violência de gênero. . Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (4) .
Integrantes: Joana das Flores Duarte - Integrante / GROSSI, Patrícia Krieger - Coordenador.
2012 - 2016
Violência contra a Mulher Rural e a Rede de Proteção Social no Estado do RS
Descrição: Estudos e pesquisas encomendadas pelo Ministério da Saúde e pela ONU apontam que a violência contra a mulher atinge milhares de brasileiras, independente de idade, etnia e classe social, além da maioria dos casos ocorrerem dentro do próprio lar, tendo o cônjuge/companheiro, como o agressor. Estima-se, segundo a Pesquisa Perseu Abramo (2010), que a cada 24 segundos uma mulher é violentada no País. Entretanto, alguns segmentos de mulheres são mais vulneráveis à violência e apresentam menor acesso à rede de serviços de proteção. Entre estas, encontramos as mulheres rurais. Diante desta realidade, foi criada a Portaria n 85, de 10 de agosto de 2010, editada pela Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República que instituiu Diretrizes de Enfrentamento à Violência contras as Mulheres do Campo e da Floresta, visando à garantia de condições para o cumprimento, no campo e na floresta, das recomendações previstas nos tratados internacionais na área de violência contra as mulheres. Através desta Portaria, também está prevista a implementação de ações que desconstruam os estereótipos de gênero e que modifiquem os padrões sexistas, perpetuadores das desigualdades de poder entre homens e mulheres e da violência de gênero, de forma a contemplar as especificidades do campo e da floresta. Além disso, visa à criação de condições para a implementação da Lei Maria da Penha no campo e na floresta e a garantia do acesso destas mulheres ao sistema de justiça e de segurança pública. Este documento, por si só, nos mostra que foi detectado pelo governo uma vulnerabilidade desta população específica. Dentro da realidade do Rio Grande do Sul (RS), embora os dados do site da Secretaria de Política para as Mulheres do RS nos demonstram a existência de 15 delegacias, mais 27 postos de atendimento à mulher, os resultados do Censo 2010 apontam que 759.365 mulheres gaúchas residem na área rural, correspondendo a 47.6% da população rural e 13.8% do total de mulheres em. Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Joana das Flores Duarte - Integrante / GROSSI, Patrícia Krieger - Coordenador.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Serviço Social.
2.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva / Subárea: Políticas Públicas.
3.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva / Subárea: Políticas Sociais.
4.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva / Subárea: Direitos Humanos.


Idiomas


Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Francês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2017
Aprovada em 1º lugar em concurso público para professora substituta da Escola de Serviço Social da UFRJ, Universidade Federal do Rio de Janeiro.
2016
Defesa de dissertação com grau de louvor Para além dos Muros: A Experiencia Social das adolescentes privadas de liberdade, PUC/RS.


Produções



Produção bibliográfica
Livros publicados/organizados ou edições
1.
GROSSI, Patrícia Krieger (Org.) ; DUARTE, J.F (Org.) ; FONSECA JUNIOR, R. C. (Org.) . EXPRESSÕES DE VIOLÊNCIA: Experiências de Intervenção e Pesquisa em Serviço Social. 01. ed. Curitiba: Appris, 2017. v. 01. 256p .

2.
DUARTE, J.F. Para além dos Muros: as experiências sociais de adolescentes na prisão. 1. ed. Rio de Janeiro: Revan, 2017. v. 01. 236p .

Capítulos de livros publicados
1.
GROSSI, Patrícia Krieger ; CLOS, M. B. ; DUARTE, J.F ; COUTINHO, A. R. C. ; LESSA, A. . VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER RURAL E A REDE DE PROTEÇÃO SOCIAL NO RIO GRANDE DO SUL: AVANÇOS E DESAFIOS PARA A GARANTIA DE DIREITOS. In: Patricia Krieger Grossi; Roberto da Cruz Fonseca Jr; Joana das Flores Duarte. (Org.). EXPRESSÕES DE VIOLÊNCIA: Experiências de Intervenção e Pesquisa em Serviço Social. 01ed.Curitiba: Appris, 2017, v. 01, p. 25-54.

2.
DUARTE, J.F. REPRESENTAÇÕES FETICHIZADAS NO CONTEXTO PRIVATIVO DE LIBERDADE A TÉCNICA DE OBSERVAÇÃO NA LEITURA DE REALIDADE. In: Patricia Krieger Grossi; Roberto da Cruz Fonseca Jr; Joana das Flores Duarte. (Org.). EXPRESSÕES DE VIOLÊNCIA: Experiências de Intervenção e Pesquisa em Serviço Social. 01ed.Curitiba: Appris, 2017, v. 01, p. 229-250.

3.
GROSSI, Patrícia Krieger ; DUARTE, J.F . ENADE COMENTADO SERVIÇO SOCIAL. In: Gleny Terezinha Duro Guimarães, Patricia Krieger Grossi.. (Org.). Questão 23. 55ed.Porto Alegre: EDIPUCRS, 2015, v. 01, p. 47-54.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
DUARTE, J.F. Juventudes, Trabalho e Territorialidade: o ingresso de jovens do sexo feminino no tráfico de drogas. In: Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 & 13 Women's Worlds Congress, 2017, Florianópolis. Juventudes, Trabalho e Territorialidade: o ingresso de jovens do sexo feminino no tráfico de drogas, 2017. p. 01-12.

2.
DUARTE, J.F; GROSSI, Patrícia Krieger . Privação de liberdade e sociabilidade precária: seletividade penal de gênero e criminalizarão da pobreza. In: 4º Encontro Internacional de Política Social/11º Encontro Nacional de Política Social, 2016, Vitória/ES. Anais do 4º Encontro Internacional e 11º Encontro Nacional de Política Social. Vitória - 06 a 09/6/2016: Paulo Nakatani, 2016. v. v. 1. p. 1-16.

3.
DUARTE, J.F. O Vácuo Ideológico da Socialdemocracia: uma breve análise sobre juventudes na contemporaneidade brasileira. In: 15 º Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais - CBAS, 2016, Olinda, PE. 15º Congresso Brasileiro de Assistentes Socias - CBAS. Olinda, PE., 2016. p. 01-08.

4.
GROSSI, Patrícia Krieger ; CLOS, M. B. ; DUARTE, J.F ; COUTINHO, A. R. C. ; VIEIRA, M.S. ; GASPAROTTO. G.P . A Busca de Acesso aos Direitos para Mulheres em situação de Violência no meio Rural no Rio Grande do Sul: avanços e desafios. In: 15 º Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais - CBAS, 2016, Olinda, PE. A Busca de Acesso aos Direitos para Mulheres em Situação de Violência no Meio Rural no Rio Grande do Sul: avanços e desafios.. Olinda, PE., 2016. p. 01-08.

5.
DUARTE, J.F. Destituição dos direitos humanos e aperfeiçoamento do Estado penal: permanências inquisitoriais no sistema de justiça juvenil brasileiro. In: VI SEMINÁRIO INTERNACIONAL: DIREITOS HUMANOS, VIOLÊNCIA E POBREZA: a situação de crianças e adolescentes na América Latina hoje., 2016, Rio de Janeiro. DIREITOS HUMANOS, VIOLÊNCIA E POBREZA: a situação de crianças e adolescentes na América Latina hoje.. Rio de Janeiro: Rede Sírius, 2016. v. VI. p. 01-11.

6.
GROSSI, Patrícia Krieger ; DUARTE, J.F ; FONSECA JUNIOR, R. C. ; BITTENCOURT. J.V ; OLIVEIRA, T. . VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO ÂMBITO DA REDE SUAS: Relações Patriarcais de Gênero em questão. In: XV Encontro Nacional de Pesquisadoras/es em Serviço Social, 2016, Ribeirão Preto. XV ENPESS Formacao e Trabalho Profissional Reafirmando as diretrizes curriculares da ABEPSS. Ribeirão Preto, 2016. p. 01-12.

7.
DUARTE, J.F; GROSSI, Patrícia Krieger ; COUTINHO, A. R. C. ; BONHEMBERG, M. ; MACHADO, A.L . Juventudes, Gênero e Consumo na Sociedade de Classes. In: XV Encontro Nacional de Pesquisadoras/es em Serviço Social, 2016, Ribeirão Preto. XV ENPESS Formacao e Trabalho Profissional Reafirmando as diretrizes curriculares da ABEPSS. Ribeirão Preto, 2016. p. 01-13.

8.
DUARTE, J.F; GROSSI, Patrícia Krieger . Adolescentes e participação no Controle Social Democrático: Garantia de Direitos, Publicização das Desiguldades e o Fortalecimento de Resistências. In: Congreso Lationoamericano Interdisciplinario del adolescente, 2015, Porto Alegre. Anales Del Congreso Latinoamericano Interdisciplinario del adolescente. Porto Alegre: UFRGS, 2015. v. 9º. p. 01-12.

9.
SCHERER, Giovane Antônio ; DUARTE, J.F ; GROSSI, Patrícia Krieger . Juventudes, Transformações Societárias e Inovações tecnológicas: Uma Reflexão Necessária. In: Congreso Lationoamericano Interdisciplinario del adolescente, 2015, Porto Alegre. Anales IV Del Congreso Latinoamericano Interdisciplinario del adolescente. Porto Alegre: UFRGS, 2015. v. 9º. p. 01-11.

10.
GROSSI, Patrícia Krieger ; CLOS, M. B. ; DUARTE, J.F ; COUTINHO, A. R. C. ; GASPAROTTO. G.P . O Enfrentamento da Violência contra a Mulher Rural: desafios para as políticas públicas. In: VII Jornada Internacional Políticas Públicas, 2015, Maranhão. Anais da VII Jornada Internacional de Políticas Públicas: para além da crise global. Maranhão: Son Color, 2015. v. 07. p. 01-13.

11.
GROSSI, Patrícia Krieger ; GASPAROTTO. G.P ; DUARTE, J.F ; BITTENCOURT. J.V ; OLIVEIRA. T . O Atendimento Especializado às Mulheres em Situação de Violência no âmbito da Rede SUAS: uma demanda invisibilizada. In: VII Jornada Internacional Políticas Públicas, 2015, Maranhão. Anais da VII Jornada Internacional de Políticas Públicas: para além da crise global. Maranhão: Son Color. v. 07. p. 01-13.

12.
GROSSI, Patrícia Krieger ; CLOS, M. B. ; CAMPANHA, R.V ; DUARTE, J.F . Violencia contra la mujer rural: El Brasil Sur en Revision. In: VII Congreso Internacional de Trabajo Social, 2015, Havana. Anales del VII Congreso Internacional de Trabajo Social. Havana: Editorial Ciências Médicas - ECIMED, 2015. v. 01. p. 1845-1857.

13.
DUARTE, J.F. Jovens e Sistema Capitalista: quando a sociabilidade é pautada na lógica do consumo. In: V SEMINARIO INTERNACIONAL DERECHOS HUMANOS, VIOLENCIA Y POBREZA: la situación de los niños y adolescentes en América Latina hoy, 2014, Buenos Aires. Jovens e Sistema Capitalista: quando a sociabilidade é pautada na lógica do consumo. Rio de Janeiro/RJ: Editora Rede Sírius (UERJ), 2014. p. 01-13.

14.
DUARTE, J.F. O Feminino Privado de Liberdade no Brasil: criminalização da pobreza e violações de direitos. In: V SEMINARIO INTERNACIONAL DERECHOS HUMANOS, VIOLENCIA Y POBREZA: la situación de los niños y adolescentes en América Latina hoy, 2014, Buenos Aires. O Feminino Privado de Liberdade no Brasil: criminalização da pobreza e violações de direitos. Rio de Janeiro/RJ: Editora Rede Sírius (UERJ), 2014. p. 01-16.

15.
DUARTE, J.F. CAPITALISMO CONTEMPORÂNEO: JUVENTUDES E SOCIABILIDADES NO CIRCUITO DA BARBÁRIE. In: XIV ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES EM SERVIÇO SOCIAL, 2014, Natal/RN. XIV ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISADORES EM SERVIÇO SOCIAL. Natal, RN: Multirecords - Gravadora Fonografica, 2014. p. 01-12.

16.
GROSSI, Patrícia Krieger ; GASPAROTTO. G.P ; DUARTE, J.F ; COUTINHO, A. R. C. ; BARROS. T.O ; CUNHA, M. ; PICOLLI. G.Z . A REDE DE ATENDIMENTO À MULHER EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA NO MEIO RURAL: desafios para a intervenção profissional. In: Seminário Regional Políticas Públicas, Intersetorialidade e Família: formação e intervenção profissional., 2014, Porto Alegre. II SERPINF, 2014. p. 02-12.

17.
AGUINSKY, B. G. ; AVILA, L.F. ; FERREIRA, G.G. ; DUARTE, J.F ; FRAGA, C.G. ; SILVA, G. M. . OS DESAFIOS DO TRABALHO DO ASSISTENTE SOCIAL NA IMPLEMENTAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DO SINASE. In: Seminário Regional Políticas Públicas, Intersetorialidade e Família: formação e intervenção profissional., 2014, Porto Alegre. II SERPINF, 2014. p. 01-13.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
DUARTE, J.F. O Feminino Privado de Liberdade e os desafios do SINASE na discussão de Gênero. In: IV Seminário Nacional de Estudos Prisionais - III Fórum sobre vitimização de mulheres no Sistema de Justiça Criminal, 2014, São Bernardo do Campo - SP. IV Seminário Nacional de Estudos Prisionais - III Fórum sobre vitimização de mulheres no Sistema de Justiça Criminal. SP: Fundepe, 2014. v. 01. p. 01-05.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
DUARTE, J.F; GROSSI, Patrícia Krieger . Desvendando o Cotidiano de Adolescentes privadas de liberdade: desafios para a visibilidade de gênero.. In: VI SEMINÁRIO INTERNACIONAL: DIREITOS HUMANOS, VIOLÊNCIA E POBREZA: a situação de crianças e adolescentes na América Latina hoje., 2016, Rio de Janeiro. DIREITOS HUMANOS, VIOLÊNCIA E POBREZA: a situação de crianças e adolescentes na América Latina hoje.. Rio de Janeiro: Rede Sírius. v. VI. p. 01-01.

Apresentações de Trabalho
1.
DUARTE, J.F. Gênero, Corpos e Resistências: as experiências sociais de adolescentes do sexo feminino na socioeducação. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

2.
DUARTE, J.F. PARA ALÉM DOS MUROS: as experiências sociais das adolescentes privadas de liberdade. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
DUARTE, J.F. Adolescentes Privadas de Liberdade: ressignificações da pobreza e seletividade jurídica na construção do Direito Penal Juvenil brasileiro. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
DUARTE, J.F. Privação de liberdade e sociabilidade precária: seletividade penal de gênero e criminalizarão da pobreza. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

5.
DUARTE, J.F. Do Código de Menores de 1927 à Lei do SINASE de 2012: o desígnio androcêntrico na construção do Direito Penal Juvenil brasileiro. 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

6.
DUARTE, J.F. A Busca de Acesso aos Direitos para Mulheres em situação de Violência no meio Rural no Rio Grande do Sul: avanços e desafios. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
DUARTE, J.F. O Vácuo Ideológico da Socialdemocracia: uma breve análise sobre juventudes na contemporaneidade brasileira. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
DUARTE, J.F. As Medidas Socioeducativas: reflexões sobre Gênero e Adolescência. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

9.
DUARTE, J.F. Destituição dos direitos humanos e aperfeiçoamento do Estado penal: permanências inquisitoriais no sistema de justiça juvenil brasileiro. 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

10.
DUARTE, J.F; GROSSI, Patrícia Krieger . Desvendando o Cotidiano de Adolescentes privadas de liberdade: desafios para a visibilidade de gênero.. 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

11.
DUARTE, J.F. Juventudes, Transformações Societárias e Inovações tecnológicas: Uma Reflexão Necessária. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

12.
DUARTE, J.F. Adolescentes e participação no Controle Social Democrático: Garantia de Direitos, Publicização das Desiguldades e o Fortalecimento de Resistências. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

13.
DUARTE, J.F. EDUCAÇÃO OU NEGÓCIO? RELATO DE EXPERIÊNCIA DO ESTÁGIO DOCENTE EM TEMPOS DE MERCADORIZAÇÃO.. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

14.
DUARTE, J.F. Jovens Privadas de Liberdade. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

15.
DUARTE, J.F. Trabalho Escravo na Contemporaneidade: uma análise a partir do documenário ' Os Carvoeiros'. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

16.
DUARTE, J.F. O FEMININO PRIVADO DE LIBERDADE E OS DESAFIOS DO SINASE NA DISCUSSÃO DE GÊNERO. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

17.
DUARTE, J.F. As Jovens em Medida Privativa de Liberdade e o SINASE: Desafios e Perspectivas. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

18.
DUARTE, J.F. Jovens e Sistema Capitalista: quando a sociabilidade é pautada na lógica do consumo. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

19.
DUARTE, J.F. O Feminino Privado de Liberdade no Brasil: criminalização da pobreza e violações de direitos. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

20.
AGUINSKY, B. G. ; DUARTE, J.F . Estudo Documental sobre Programas de Tratamento Penal para Mulheres: da moralização religiosa à prisão moderna. 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

21.
DUARTE, J.F. A materialização do Projeto Ético-Político no Cotidiano da Formação Profissional. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
DUARTE, J.F. Experiências profissionais no âmbito da assessoria e consultoria em Serviço Social. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

23.
DUARTE, J.F. Política Social no Espaço Sociojurídico e Prática Supervisionada. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

24.
GROSSI, Patrícia Krieger ; DUARTE, J.F . Contribuições dos Museus para Preservação Socioambiental. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Outras produções bibliográficas
1.
DUARTE, J.F. ENADE COMENTADO SERVIÇO SOCIAL. Porto Alegre: EDIPURS, 2016 (Questão Comentada).

2.
GUIMARÃES, G. D.T ; GROSSI, Patrícia Krieger ; DUARTE, J.F . ENADE COMENTADO SERVIÇO SOCIAL.. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2015 (Questão Comentada).


Produção técnica
Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
DUARTE, J.F. Juízes e Cidades na América Latina. 2015. (Programa de rádio ou TV/Comentário).


Demais tipos de produção técnica
1.
DUARTE, J.F. Parecerista ad hoc da Revista Serviço Social & Sociedade. 2018. (Parecerista).

2.
DUARTE, J.F. Parecerista ad hoc da Revista Serviço Social & Sociedade. 2017. (Parecerista).

3.
DUARTE, J.F. Parecerista ad hoc da Revista Serviço Social & Sociedade. 2016. (Parecerista).


Produção artística/cultural
Artes Visuais
1.
TORRELLAS, M. ; DINIZ, C. ; DUARTE, J.F . Cubanas: Mulheres em Revolução. 2018. Filme.

2.
DUARTE, J.F. Olhos Curiosos: uma experiência em Cuba, um legado Cubano.. 2015. Fotografia.



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
DUARTE, J.F. Participação em banca de Marluí Tellier Ferreira.Identidade Profissional da mulher catadora: uma experiência de Serviço Social junto à Sociedade Civil organizada. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

2.
FERNANDES, I.; DUARTE, J.F. Participação em banca de Vanusa Rosa Keppler.A Inserção do Jovem no Mercado de Trabalho e a atuação do Serviço Social. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Seriço Social) - Escola de Humanidades PUC/RS.

3.
AGUINSKY, B. G.; DUARTE, J.F. Participação em banca de Paola Falceta da Silva.Buscando a Efetivação de Direitos: contribuição do Serviço Social no âmbito do Ministério Público do Rio Grande do Sul. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Seriço Social) - Escola de Humanidades PUC/RS.

4.
AMARO, I.; GROSSI, Patrícia Krieger; DUARTE, J.F. Participação em banca de Mariane de Castro Echer.O Fortalecimento da rede de proteção para garantia de direitos de criança e adolescente nas escolas. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.




Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
III Semana Acadêmica do Curso de Serviço Social da UFRRJ.Serviço Social, Controle Social e Criminalização da Pobreza. 2018. (Outra).

2.
13º Congresso Mundos de Mulheres e Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 ? ?Transformações, Conexões, Deslocamentos?. 2017. (Congresso).

3.
13º Congresso Mundos de Mulheres e Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 ? ?Transformações, Conexões, Deslocamentos?. Juventudes, Trabalho e Territorialidade: o ingresso de jovens do sexo feminino no tráfico de drogas. 2017. (Congresso).

4.
Serviço Social: identidade e história. 2017. (Outra).

5.
V ENADIR - Encontro Nacional de Antropologia do Direito.Gênero, Corpos e Resistências: as experiências sociais de adolescentes do sexo feminino na socioeducação. 2017. (Encontro).

6.
10º Encontro Gaúcho de Assistentes Sociais (EGAS). 2016. (Encontro).

7.
15 º Congresso Brasileiro de Assistentes Sociais. 2016. (Congresso).

8.
4º Encontro Internacional e 11º Encontro Nacional de Política Social. 2016. (Encontro).

9.
Comissão Examinadora da Defesa do Trabalho de Conclusão de Curso.Identidade Profissional da mulher catadora: uma experiência de Serviço Social junto à Sociedade Civil organizada. 2016. (Outra).

10.
Enfrentamento à violência sexual de crianças e adolescentes. 2016. (Encontro).

11.
III Seminário de Defesa e Garantia de Direitos: Gênero e Sexualidade e Sistemas de Justiça e de Segurança Pública. 2016. (Seminário).

12.
VI Seminário Internacional Direitos Humanos, Violência e Pobreza: a situação de crianças e adolescentes na América Latina hoje. 2016. (Seminário).

13.
17º Congresso Brasileiro de Sociologia. 2015. (Congresso).

14.
9º Encontro Transdisciplinar de Ciências Penitenciárias e do 5º Seminário de Políticas Sociais no Mercosul,. 2015. (Encontro).

15.
Comissão Examinadora da Defesa do Trabalho de Conclusão de Curso.O Fortalecimento da rede de proteção para garantia de direitos da criança e do adolescente nas escolas. 2015. (Outra).

16.
II Congresso Internacional Novos Horizontes da Ibero-América. 2015. (Congresso).

17.
IX Congresso Latino-americano Interdisciplinar Orientado ao Adolescente (CLIOA). 2015. (Congresso).

18.
SEMINÁRIO INTERNACIONAL JUÍZES E CIDADES NA AMÉRICA LATINA. 2015. (Seminário).

19.
Seminário Tolerante Contra a Redução da Maioridade Penal. 2015. (Seminário).

20.
VIII SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR: CONTEXTOS EMERGENTES.EDUCAÇÃO OU NEGÓCIO? RELATO DE EXPERIÊNCIA DO ESTÁGIO DOCENTE EM TEMPOS DE MERCADORIZAÇÃO.. 2015. (Seminário).

21.
5º CONGRESSO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS CRIMINAIS E XIV CONGRESSO TRANSDISCIPLINAR DE CIÊNCIAS CRIMINAIS DO !TEC/RS. 2014. (Congresso).

22.
8º Encontro Gaúcho de Assistentes Sociais. 2014. (Encontro).

23.
Colóquio Internacional de Justiça Juvenil na Contemporaneidade. 2014. (Outra).

24.
IV SEMINÁRIO NACIONAL DE ESTUDOS PRISIONAIS - III FÓRUM SOBRE VITIMIZAÇÃO DE MULHERES NO SISTEMA DE JUSTIÇA CRIMINAL. 2014. (Seminário).

25.
Justiça Restaurativa no Canadá. 2014. (Outra).

26.
Juventude e Juventudes: A Intervenção do Serviço Social no Contexto Juvenil. 2014. (Outra).

27.
Lideranças Negras Femininas no Sul do Brasil: reflexões sobre gênero, cor e classe social. 2014. (Oficina).

28.
Redefinindo Paz - Trafico de Mulheres e Violência Sexual: metodologia de educação popular feminista específica para trabalhar com mulheres e homens. 2014. (Oficina).

29.
Seminário "Sistema Socioeducativo Estadual: Desafios e Perspectivas. 2014. (Seminário).

30.
Transferência de renda na América Latina. 2014. (Oficina).

31.
XVI Encontro Nacional de Pesquisadores em Serviço Social. 2014. (Encontro).

32.
"II Ciclo de Estudos Direito no Cárcere - CEDC" no Presídio Centra de Porto Alegre - PCPA. 2013. (Outra).

33.
DEBATE SOBRE A MAIORIDADE PENAL. 2013. (Outra).

34.
De Hegel a Marx e de volta a Hegel! A Tradição dialética em tempos de crise. 2013. (Outra).

35.
III ENCONTRO ESTADUAL DO SERVIÇO SOCIAL NO CAMPO SOCIOJURÍDICO. 2013. (Encontro).

36.
I Simpósio Internacional de Intervenções Sociais com Populações Vulneráveis: experiências no Brasil e nos Estados Unidos. 2013. (Simpósio).

37.
Pós-Graduaçõa no Brasil, Uruguai e Argentina. 2013. (Oficina).

38.
6º Encontro Gaúcho de Assistentes Sociais. 2012. (Encontro).

39.
8ª Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente nte. 2012. (Outra).

40.
Audiência: A execução das medidas socioeducativas em meio fechado e o papel da da Fundação de Atendimento Socioeducativo (FASE). 2012. (Outra).

41.
Colóquio de Pesquisa Internúcleos: Pesquisa Qualitativa e Narrativas Orais e Escritas. 2012. (Outra).

42.
Método em Marx e Enfoque Misto. 2012. (Oficina).

43.
Plataforma Brasil e Pesquisa Múltipla. 2012. (Oficina).

44.
Responsabilização Estatutária e a nova lei do SINASE. 2012. (Seminário).

45.
Saúde Mental e Atendimento Especializado: Desafios à política Socioeducativa no no Rio Grande do Sul. 2012. (Seminário).

46.
Seminário Estadual Pró-Convivência Familiar e Comunitária. 2012. (Seminário).

47.
Seminário Violências e Gênero: Coisas que a Gente não Gostaria de Saber. 2012. (Seminário).

48.
Atividade de Extensão Comunitária da XVII Semana da Solidariedade. 2011. (Outra).

49.
Aula Magna do Curso de Graduação em Serviço Social e aula Inaugural do Programa de Pós Graduação em Serviço Social da PUCRS. 2011. (Outra).

50.
Seminário de abertura de 2011 do projeto Justiça Juvenil Restaurativa na Comunidade. 2011. (Seminário).

51.
Seminário de Aprofundamento das mesas de diálogos sobre direitos humanos. 2011. (Seminário).

52.
Seminário Internacional Brasil/EUA, processos circulares: ferramenta para a intervenção e prevenção no trabalho com jovens. 2010. (Seminário).

53.
V Encontro dos grupos de apoio á adoção do Estado do Rio de Janeiro. 2008. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
TORRELLAS, M. ; DINIZ, C. ; DUARTE, J.F . Cubanas: Mulheres em Revolução. 2018. (Outro).

2.
GROSSI, Patrícia Krieger ; FERREIRA, G.G. ; DUARTE, J.F ; AVILA, L.F. ; AGUINSKY, B. G. . III Seminário de Defesa e Garantia de Direitos: Gênero e Sexualidade e Sistemas de Justiça e de Segurança Pública. 2016. (Outro).

3.
AGUINSKY, B. G. ; DUARTE, J.F . I Simpósio Internacional de Intervenções Sociais com Populações Vulneráveis: experiências no Brasil e Nos Estados Unidos. 2013. (Outro).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 13/12/2018 às 5:38:37