Claudia Gemaque Gualberto

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2886224409397943
  • Última atualização do currículo em 14/02/2018


Mestre em Ciências Biológicas pelo PPG Biologia de Água Doce e Pesca Interior (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia/2016), bióloga graduada em Licenciatura em Ciências Biológicas (Universidade do Estado do Amazonas/2012). Tenho experiência na área de Ecologia e Biologia de Peixes de Água Doce, atuando principalmente nos seguintes temas: peixes de riachos, ecologia de populações, reprodução de peixes de riachos, monitoramento de riachos amazônicos. Desenvolvi também trabalhos referentes a elaboração de plano de monitoramento de recursos pesqueiros em comunidades ribeirinhas amazônicas presentes em UC's. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Claudia Gemaque Gualberto
Nome em citações bibliográficas
GUALBERTO, C. G.


Formação acadêmica/titulação


2013 - 2015
Mestrado em Biologia de Água Doce e Pesca Interior.
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, INPA, Brasil.
Título: Efeito do reisolamento de fragmentos florestais sobre a dinâmica temporal de assembleias de peixes de igarapés na Amazônia Central Brasileira,Ano de Obtenção: 2016.
Orientador: Cláudia Pereira de Deus.
Coorientador: Jansen A. S. Zuanon.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas, FAPEAM, Brasil.
Palavras-chave: Peixes de igarapés; Fragmentação Florestal; Floresta Secundária; Estabilidade Ecológica.
Grande área: Ciências Biológicas
Setores de atividade: Pesquisa e desenvolvimento científico.
2007 - 2012
Graduação em Ciências Biológicas.
Universidade do Estado do Amazonas, UEA, Brasil.
Título: Aspectos de biologia reprodutiva de Pyrrhulina brevis Steindachner, 1875 (Characiformes: Lebiasinidae) e efeitos da disponibilidade de poças sobre sua estrutura populacional em igarapés de terra firme.
Orientador: Cristina Motta Bührnheim/ Helder Mateus Viana Espirito Santo.
2007 interrompida
Curso técnico/profissionalizante interrompido em 2009 em Técnico Subsequencial em Meio Ambiente.
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas, IFAM, Brasil.
Ano de interrupção: 2009




Formação Complementar


2017 - 2017
Introdução à Gestão Participativa. (Carga horária: 40h).
Agência Nacional de Águas, ANA, Brasil.
2017 - 2017
Hidrologia Geral. (Carga horária: 40h).
Agência Nacional de Águas, ANA, Brasil.
2014 - 2014
Técnicas de Monitoramento da Biodiversidade e Socioeconômia. (Carga horária: 72h).
Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, INPA, Brasil.
2011 - 2011
Biologia Reprodutiva de Peixes.
Sociedade Brasileira de Ictiologia, SBI, Brasil.
2010 - 2010
Coleções Entomológicas: métodos e aplicabilidade no ensino de ciência e bio. (Carga horária: 20h).
Universidade do Estado do Amazonas, UEA, Brasil.
2010 - 2010
Técnicas de coleta, preparação e conservação de material botânico. (Carga horária: 20h).
Universidade do Estado do Amazonas, UEA, Brasil.
2008 - 2008
Microscopia Vegetal. (Carga horária: 3h).
Centro Federal de Educação Tecnológico do Amazonas, CEFETAM, Brasil.
2008 - 2008
Fundamentos de Taxonomia. (Carga horária: 30h).
Escola Superior Batista do Amazonas, ESBAM, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade do Estado do Amazonas, UEA, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Clube de Ciências e Biologia, Enquadramento Funcional: Estágiaria, Carga horária: 5

Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Escola do Meio Ambiente, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 5


Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, INPA, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista de Pós-Graduação (Mestrado), Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: Iniciação Cientifica, Enquadramento Funcional: Bolsista de Iniciação Cientifica, Carga horária: 20

Vínculo institucional

2009 - 2010
Vínculo: Iniciação Cientifica, Enquadramento Funcional: Bolsista de Iniciação Cientifica, Carga horária: 20


Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas, IDESAM, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Voluntário, Enquadramento Funcional: Voluntário, Carga horária: 720, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Participação da equipe multidisciplinar que realizou o levantamento sócio-econômicos das comunidades que fazem parte da RDS do Rio Negro (Amazonas) para produção do Plano de Gestão da reserva.


WCS - Brasil - Amazônia, WCS, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: Consultoria, Enquadramento Funcional: Consultor, Carga horária: 40
Outras informações
Montagem de estratégias de monitoramento de desembarque pesca e consumo de peixes em comunidades no entorno do Parque Nacional de Anavilhanas. Diretrizes para as Oficinas de Capacitação de Monitores de Pesca.



Projetos de pesquisa


2013 - 2015
Efeito do reisolamento de fragmentos florestais sobre a dinâmica temporal de assembléias de peixes de igarapés
Descrição: Os principais fatores causadores de degradação dos igarapés na Amazônia incluem a expansão desordenada das cidades, o desmatamento, a atividade madeireira, a criação de pastagens para criação de gado e o uso de agrotóxicos em plantações. O desmatamento para atividades agropecuárias frequentemente causa o isolamento de fragmentos florestais, o que provoca numerosos efeitos deletérios para plantas e animais terrestres. Entretanto, os efeitos desse fenômeno são pouco conhecidos em sistemas aquáticos e para assembleias de peixes. Na região de Manaus, Amazonas, o Projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais (PDBFF) vem estudando os efeitos da fragmentação florestal há mais de três décadas. Para isso, fragmentos florestais isolados experimentalmente têm que ser reisolados periodicamente, e esses eventos de perturbação ambiental previsíveis e controlados criam uma oportunidade para estudar os efeitos da supressão da vegetação sobre comunidades biológicas. Este estudo teve como principal objetivo avaliar os efeitos do reisolamento de fragmentos florestais sobre a estrutura e composição de assembleias de peixes em igarapés de terra firme na Amazônia Central brasileira. Buscamos especificamente: i) avaliar os efeitos do reisolamento de fragmentos florestais sobre as características ambientais de igarapés de floresta de terra firme; ii) avaliar a estrutura das assembleias de peixes de igarapés em ambientes de floresta contínua, fragmentos florestais, floresta secundária madura e áreas cobertas por capoeiras (vegetação secundária recente) em três momentos diferentes do tempo: antes do reisolamento, logo após o reisolamento (decorrido cerca de um mês) e após seis meses; e iii) Verificar como as populações de peixes reagem ao reisolamento dos fragmentos florestais, em dois momentos após o processo: curto prazo (um mês) e médio prazo (depois de seis meses). O estudo foi desenvolvido em 14 igarapés na Área de Relevante Interesse Ecológico (ARIE) do PDBFF. As coletas foram realizadas nos quatro ambientes, antes e após o reisolamento. O reisolamento de fragmentos florestais afetou as características ambientais dos igarapés, contudo, a estrutura das assembleias de peixes (riqueza, diversidade e abundância) não apresentou diferenças em curto e médio prazos e nem espacial. Espécies raras (pouco frequentes e pouco abundantes) apresentaram alterações quanto à presença e ausência nos ambientes, sendo as mais afetadas pelo processo. Os resultados sugerem que as assembleias de peixes podem resistir parcialmente às perturbações ambientais resultantes do reisolamento, sem que se afastem de um ponto de equilíbrio (resiliência). Entretanto, não é possível descartar a hipótese de que alterações nas assembleias de peixes venham a ocorrer em uma escala de tempo maior, compatível com o tempo geracional desses organismos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Claudia Gemaque Gualberto - Coordenador / Cláudia Pereira de Deus - Integrante / Jansen Alfredo Sampaio Zuanon - Integrante.
2010 - 2011
Relação entre desenvolvimento reprodutivo e uso de habitats de Pyrrhulina brevis (Characiformes: Lebiasinidae) em pequenos igarapés de terra firme
Descrição: Diferentes necessidades quanto a recursos e condições ambientais ao longo do ciclo ontogenético levam os indivíduos a usar habitats específicos durante cada fase de vida. Em igarapés de terra firme o aumento da frequência de chuvas, o transbordamento do canal do igarapé juntamente com o levantamento do lençol freático no período chuvoso formam uma complexa rede de poças temporárias marginais. O lebiasinideo Pyrrhulina brevis, uma espécie de pequeno porte e de habito principalmente insentívo, é uma das espécies mais freqüentes em igarapés e poças temporárias na Reserva Ducke. Em estudos sobre a estrutura populacional e sua relação com a disponibilidade de poças concluímos que esta espécie utiliza poças marginais formadas durante o período chuvoso como sitio de reprodução. Diante disso o objetivo deste estudo foi testar se a mudança de uso de habitat por esta espécie está realmente relacionada ao processo de reprodução. Para isso realizamos amostragens mensais mensalmente no período de novembro/2010 a maio/2011 nos igarapés e poças e estabelecemos macroscopicamente uma classificação de maturação gonadal. Ao longo do avanço do período chuvoso a espécie apresentou aumento do número de indivíduos sexualmente aptos a reprodução como indicado pelo aumento gradual do número de indivíduos em reprodução encontrado a partir do mês de março. Neste período ocorre também o aumento do número de poças marginais ao canal. Este ambiente aparentemente representa para a espécie P. brevis um sitio favorável a desova, porém, este evento não é exclusivo deste ambiente. Para a espécie P. brevis a poça marginal temporária representa um sitio favorável para a desova; porém, a atividade reprodutiva não é exclusiva desse ambiente. Aparentemente o ambiente de poça é mais importante para a desova do que para o crescimento inicial de P. brevis. E diferentemente dos peixes que vivem nas planícies de inundação dos grandes rios, P. brevis se reproduz na metade final do período chuvoso..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Claudia Gemaque Gualberto - Coordenador / Helder Mateus Viana Espírito-Santo - Integrante / Willian Ernest Magnusson - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2009 - 2010
Efeito da disponibilidade e características de poças temporárias em baixios sobre a estrutura populacional de Pyrrhulina brevis (Characiformes: Lebiasinidae) nos igarapés da Reserva Ducke (Amazonas, Brasil)
Descrição: O aumento da frequência de chuvas e transbordamentos dos igarapés, juntamente com levantamento do nível do lençol freático, forma uma complexa rede de poças temporárias marginais aos igarapés de terra firme. Essas poças marginais podem ser colonizadas por diversos grupos biológicos. O lebiasinídeo Pyrrhulina brevis é uma das espécies de peixe mais frequentes nos igarapés e nas poças temporárias marginais aos igarapés da Reserva Ducke. Portanto, o presente trabalho objetivou testar se existem diferenças na estrutura populacional de P. brevis nos igarapés de duas bacias de drenagem presentes na reserva e testar se tais diferenças estão relacionadas à disponibilidade das poças dos baixios..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Claudia Gemaque Gualberto - Coordenador / Helder Mateus Viana Espírito-Santo - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de População.
3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de Ecossistemas.
4.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de Comunidades.
5.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca / Subárea: Recursos Pesqueiros de Águas Interiores.
6.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca / Subárea: Recursos Pesqueiros de Águas Interiores/Especialidade: Manejo e Conservação de Recursos Pesqueiros de Águas Interiores.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Apresentações de Trabalho
1.
Crema, L.C. ; GUALBERTO, C. G. ; Andrade, A.L.R.H. ; Pimenta, N.C. ; Wagner, N. ; Lopes, P.L.J. . Diversidade funcional de assembleias de peixes em bancos de herbáceas aquáticas em um lago de várzea da Amazônia Central. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
GUALBERTO, C. G.. Efeito da disponibilidade de poças temporárias em baixios sobre a estrutura populacional de Pyhrrulina brevis (Characiformes, Lebiasinidade) nos igarapés da Reserva Ducke (Amazonas, Brasil). 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

3.
GUALBERTO, C. G.. Efeito da disponibilidade de poças temporárias em baixios sobre a estrutura populacional de Pyhrrulina brevis (Characiformes: Lebiasinidade) nos igarapés da Reserva Ducke (Amazonas, Brasil). 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Outras produções bibliográficas
1.
GUALBERTO, C. G.; DEUS, C. P. . Efeito do reisolamento de fragmentos florestais sobre a dinâmica temporal de assembleias de peixes de igarapés 2015 (Dissertação de Mestrado).

2.
GUALBERTO, C. G.; BURNHEIN, C. M. ; ESPIRITO-SANTO, H. M. V. . Aspectos de biologia reprodutiva de Pyrrhulina brevis Steindachner, 1875 (Characiformes: Lebiasinidae) e efeitos da disponibilidade de poças sobre sua estrutura populacional em igarapés de terra firme 2011 (Monografia).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
GUALBERTO, C. G.; STUPINAN, G. M. B. . Monitoramento de Pesca do Mosaico do Baixo Rio Negro. 2016.

Trabalhos técnicos

Demais tipos de produção técnica
1.
GUALBERTO, C. G.; MAGNUSSON, W. E. . Técnicas de Monitoramento da Biodiversidade e Monitoramento Sócio-econômico. 2014. .



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
XIX - Encocntro Brasileiro de Ictiologia. 2011. (Encontro).

2.
II Semana de Biologia da Universidade do Estado do Amazonas.Efeito da disponibilidade de poças temporárias em baixios sobre a estrutura populacional de Pyrrhulina brevis (Characiformes: Lebiasinidae) nos igarapés da Reserva Ducke (Amazonas, Brasil). 2010. (Outra).

3.
Reunião Regional da Sociedade Brasileira de Progresso da Ciência.Efeito da disponibilidade de poças temporárias em baixios sobre a estrutura populacional de Pyhrrulina brevis (Characiformes: Lebiasinidade) nos igarapés da Reserva Ducke (Amazonas, Brasil). 2010. (Outra).

4.
V Seminário de Ensino de Ciências na Amazônia - SECAM. 2010. (Seminário).

5.
2 CONFERÊNCIA LATINO AMERICANA DE PRESERVAÇÃO AO MEIO AMBIENTE DE MANAUS. 2008. (Outra).

6.
I Semana de Biologia da Universidade do Estado do Amazonas. 2008. (Outra).

7.
MAMIFEROS AQUATICOS AMAZONICOS. 2008. (Seminário).



Educação e Popularização de C & T



Apresentações de Trabalho
1.
Crema, L.C. ; GUALBERTO, C. G. ; Andrade, A.L.R.H. ; Pimenta, N.C. ; Wagner, N. ; Lopes, P.L.J. . Diversidade funcional de assembleias de peixes em bancos de herbáceas aquáticas em um lago de várzea da Amazônia Central. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).


Cursos de curta duração ministrados
1.
GUALBERTO, C. G.; MAGNUSSON, W. E. . Técnicas de Monitoramento da Biodiversidade e Monitoramento Sócio-econômico. 2014. .




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 22/10/2018 às 19:48:16