Vitor de Moura Vivas

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2950202318418885
  • Última atualização do currículo em 12/11/2018


Possui graduação em Bacharelado e Licenciatura em Letras - Português/Literaturas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Foi bolsista CAPES e FAPERJ NOTA 10 no Mestrado e Professor Substituto de Língua Portuguesa pela UFRJ e pela UERJ. Desde de junho de 2011, é Professor Efetivo do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Além disso, terminou o Doutorado na UFRJ com bolsa da Capes. É lider do grupo MORFOLOGIA E USO: POR NOVAS PERSPECTIVAS PARA O ENSINO DE PORTUGUÊS, financiado pelo IFRJ/CNPQ. Participa também como integrante do grupo de pesquisa NÚCLEO DE ESTUDOS MORFOLÓGICOS DO PORTUGUÊS (NEMP) na linha de pesquisa "Linguística cognitiva aplicada à morfologia". (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Vitor de Moura Vivas
Nome em citações bibliográficas
VIVAS, V. M.


Formação acadêmica/titulação


2011 - 2015
Doutorado em Letras (Letras Vernáculas).
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Título: ABORDAGEM DE PADRÕES DERIVACIONAIS NAS MARCAS DE MODO-TEMPO-ASPECTO E NÚMERO-PESSOA: POR UMA VISÃO GRADIENTE DA MORFOLOGIA DO PORTUGUÊS, Ano de obtenção: 2015.
Orientador: Carlos Alexandre Victorio Gonçalves.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
2009 - 2011
Mestrado em Letras (Letras Vernáculas).
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Título: NOVOS ENFOQUES SOBRE A FLEXÃO VERBAL EM PORTUGUÊS: ABORDAGEM FORMAL E SEMÂNTICA DO MECANISMO FUSÃO,Ano de Obtenção: 2011.
Orientador: Carlos Alexandre Victorio Gonçalves.
Bolsista do(a): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ, FAPERJ, Brasil.
2005 - 2009
Graduação em Licenciatura em Letras - Português/Literaturas.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Orientador: Carlos Alexandre Victorio Gonçalves.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
2005 - 2008
Graduação em Bacharelado em Letras - Português/Literaturas.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Orientador: Carlos Alexandre Victorio Gonçalves.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.




Formação Complementar


2018 - 2018
ESPAÇOS MENTAIS E INTEGRAÇÃO CONCEPTUAL. (Carga horária: 6h).
Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
2018 - 2018
CONTRIBUIÇÕES DA LINGUÍSTICA FUNCIONAL CENTRADA NO USO AO ESTUDO DA INTEGRA. (Carga horária: 2h).
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
2018 - 2018
CONCEPÇÕES TEÓRICAS DA LÍNGUÍSTICA DO TEXTO E SUAS IMPLICAÇÕES PEDAGÓGICAS. (Carga horária: 2h).
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
2017 - 2017
Recurrent gestures in multimodal communication (Alan Cienki).
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
2017 - 2017
Blended Classic Joint Attention & Multimodal Deixis (Turner & Avelar).
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
2017 - 2017
Viewpoint and multimodality in conditionals (Eve Sweetser e Lilian Ferrari).
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
2009 - 2009
Estudos da metáfora: perspectivas ....
XV Congresso da Assel-Rio & III SELP, ASSEL, Brasil.
2007 - 2008
Curso de Espanhol. (Carga horária: 240h).
Cursos de Línguas Abertos à Comunidade, CLAC (UFRJ), Brasil.
2007 - 2007
PRAAT: Fazendo fonética com o computador.
Semana de Língua Portuguesa - 2007, SELP 2007, Brasil.
2007 - 2007
Funcionalismo: Premissas e Pressupostos Teóricos.
Semana de Língua Portuguesa - 2007, SELP 2007, Brasil.
2005 - 2005
Extensão universitária em Textos Dissertativos: leitura e produção. (Carga horária: 16h).
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
2005 - 2005
Extensão universitária em N. Rodrigues - homem e sociedade postos em cheque. (Carga horária: 9h).
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
1998 - 2004
Inglês básico, intermediário e avançado. (Carga horária: 741h).
CCAA - Curso de Idiomas, CCAA, Brasil.
1998 - 1999
Curso de Informática. (Carga horária: 162h).
SOS Computadores: Cursos de Computação, SOS COMPUTADORES, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade do Estado do Rio de Janeiro, UERJ, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Professor Substituto, Enquadramento Funcional: Professor Substituto, Carga horária: 12

Atividades

2012 - 2012
Ensino, Letras, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Morfologia do Português; Semântica do Português

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, IFRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Efetivo, Carga horária: 40


Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - Atual
Vínculo: Bolsista de Doutorado, Enquadramento Funcional: Bolsista de Doutorado CAPES

Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Substituto, Carga horária: 20

Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: Bolsa FAPERJ NOTA 10, Enquadramento Funcional: Bolsista de Mestrado FAPERJ NOTA 10

Vínculo institucional

2009 - 2010
Vínculo: Bolsista de Mestrado CAPES, Enquadramento Funcional: Bolsista de Mestrado CAPES

Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Bolsista de Monitoria CLAC, Enquadramento Funcional: Monitor da Disciplina Redação III

Vínculo institucional

2008 - 2009
Vínculo: Bolsa CNPQ Pibic (IC), Enquadramento Funcional: Bolsista CNPQ

Vínculo institucional

2007 - 2007
Vínculo: Bolsa de Monitoria, Enquadramento Funcional: Monitor de Língua Portuguesa II (Morfologia), Carga horária: 12

Atividades

2010 - 2011
Ensino, Letras, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Morfologia do português; Fonologia do Português; Variação em Língua Portuguesa; Produção e Leitura de Textos


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Classes de palavras, posicionamentos sociais e criatividade: a morfologia faz sentido
Descrição: Pretendemos, neste projeto, estudar novas possibilidades de ensino de morfossintaxe, investigar a criatividade e o posicionamento político/social/ideológico no mundo através da morfologia. Quanto ao ensino de morfossintaxe, há um caminho frutífero para ser descoberto na interface entre uso de classes de palavras e produção / leitura de textos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .
Integrantes: Vitor de Moura Vivas - Coordenador / Carlos Alexandre Victorio Gonçalves - Integrante / Eliete Figueira Batista da Silveira - Integrante / Diogo Oliveira Ramires Pinheiro - Integrante / Victor Figueiredo souza Vasconcellos - Integrante / Felipe da Silva Vital - Integrante / Wallace Bezerra de Carvalho - Integrante / Daniel Araujo Conceição - Integrante / Alice Maia Casimiro da Silva - Integrante.
2017 - Atual
INVESTIGANDO POSSÍVEIS RELAÇÕES ENTRE MORFOLOGIA E TEXTO: GRAMÁTICA E PRODUÇÃO DE SENTIDO
Descrição: Investigação da produção de sentido de processos de expansão lexical na produção / interpretação de diversos textos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - 2017
Novos caminhos para o ensino de morfologia: foco no uso e no significado
Descrição: O objetivo desse projeto de pesquisa é propor e colocar em prática novos ?caminhos? para os estudos de morfologia de português no Ensino Médio. Geralmente, o que livros didáticos e gramáticas propõem no estudo dessa área está muito distante do uso. Além disso, a interface com a semântica e com o texto não é explorada. Fundamentando-nos em autores como Gonçalves (2005; 2011a; 2011b; 2012; 2016), Gonçalves & Almeida (2014), Basílio (1987; 2010; 2011) e Vivas (2010; 2011; 2015), pretendemos aplicar ao ensino o que é produzido e discutido em morfologia no âmbito acadêmico..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Vitor de Moura Vivas - Coordenador / Carlos Alexandre Victorio Gonçalves - Integrante / Diogo Oliveira Ramires Pinheiro - Integrante / Victor Figueiredo souza Vasconcellos - Integrante / Felipe da Silva Vital - Integrante / Wallace Bezerra de Carvalho - Integrante / Eliete Figueira Batista da Silveira - Integrante / Tiago Vieira de Souza - Integrante.
2015 - 2016
Morfologia e ensino: por novas perspectivas para o ensino de português
Descrição: Projeto com financiamento interno (IFRJ) e externo (CNPQ). O projeto foi aprovado através do edital PIBIC do IFRJ 2015-2016..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Vitor de Moura Vivas - Coordenador / Carlos Alexandre Victorio Gonçalves - Integrante / Eliete Figueira Batista da Silveira - Integrante / Diogo Oliveira Ramires Pinheiro - Integrante / Victor Figueiredo souza Vasconcellos - Integrante / Felipe da Silva Vital - Integrante / Rômulo de Andrade Oliveira - Integrante / Wallace Bezerra de Carvalho - Integrante / Tainá Vinco - Integrante.
2014 - Atual
Fronteiras em morfologia: composição e derivação

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Carlos Alexandre Victorio Gonçalves em 05/05/2016.
Descrição: procuramos mostrar, seguindo Baker (2000) e Ralli (2007), que as unidades envolvidas na formação de Ppalavras podem ser dispostas num continuum morfológico determinado tanto por propriedades estruturais quanto semânticas. Para esses autores, afixos e radicais livres ocupam os dois extremos da escala, enquanto radicais presos (neoclássicos) localizam-se em posicões mais ao centro. Uma abordagem dessa natureza representa as semelhanças compartilhadas por diferentes constituintes, como, por exemplo, a propriedade fixidez (boundness), característica tanto de afixos quanto de radicais neoclássicos. Com base em formações mais recentes do português (sobretudo em sua variante brasileira), pretendemos demonstrar que vários tipos de elementos morfológicos, além de radicais presos, podem ser dispostos no continuum radical-afixo, pois igualmente dão mostras da dificuldade de categorizar como compostas ou derivadas as construções morfológicas de que participam.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - Atual
Composição e derivação: constituintes morfológicos, enfoques e perspectivas de análise

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Carlos Alexandre Victorio Gonçalves em 05/05/2016.
Descrição: O principal objetivo deste projeto é discutir as diferenças entre os dois principais mecanismos de formação de palavras, a composição e a derivação, de modo a fornecer evidências do português brasileiro em favor da proposta de Baker (2000), Ralli (2007, 2010) e Kastovsky (2009), para quem esses processos constituem os extremos prototípicos de um continuum, havendo, em decorrência, casos limítrofes com propriedades duas operações morfológicas. Mapear e descrever os mecanismos de formação de palavras que se situam entre a composição e a derivação constitui outro objetivo central desta proposta, já que a discussão sobre o estatuto de elementos morfológicos que compartilham propriedades de radicais e afixos ? as chamadas formas combinatórias , como trocínio, de ?patrocínio?, e drasta, de ?madrasta? ? vem ganhando destaque nos estudos contemporâneos (WARREN, 1990; LEHRER, 1998; DUNKS, 2003; KENESEI, 2007; FANDRICH, 2008). A mudança no estatuto de radicais neoclássicos, como bio-, -latra, eco- e dromo, também é analisada no projeto, pois autores como Bauer (2005) e Booij (2005, 2010) a consideram uma das principais evidências da flexibilização de fronteiras entre a composição e a derivação.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.


Membro de corpo editorial


2015 - Atual
Periódico: Cadernos do NEMP


Revisor de periódico


2015 - Atual
Periódico: Cadernos do NEMP


Revisor de projeto de fomento


2015 - Atual
Agência de fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico


Áreas de atuação


1.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Letras.
2.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Lingüística.
3.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Lingüística / Subárea: Teoria e Análise Lingüística.


Prêmios e títulos


2015
2º lugar na categoria Linguística, Letras e Artes na IX Jornada Científica e Tecnológica, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro - Campus Rio de Janeiro.
2010
Aprovação em primeiro lugar no Concurso de Professor Substituto em Língua Portuguesa da UFRJ, Edital nº 09, de 31/03/2010, Universidade Federal do Rio de Janeiro.
2010
Aprovação e Habilitação em sétimo lugar no Concurso Público para Provimento de Cargos de Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico - Edital nº 12/2010 - na área S-50, Instituto Federal do Rio de Janeiro (Antigo Cefet-Química).
2010
Aprovado na Seleção, do Programa de Pós Graduação em Vernáculas da UFRJ e da Instituição FAPERJ, para o Programa de Bolsa NOTA 10 FAPERJ, Programa de Pós-Graduação em Letras Vernáculas da UFRJ e FAPERJ.
2010
Aprovado em primeiro lugar no Concurso de Doutorado de Língua Portuguesa da UFRJ 2011, UFRJ.
2008
Aprovação em primeiro lugar no Concurso de Mestrado em Língua Portuguesa da UFRJ 2009/1, Universidade Federal do Rio de Janeiro.
2008
Aprovação em primeiro lugar no Exame de Seleção para professor do CLAC(UFRJ) 2009 / 1, Cursos de Línguas Abertos à Comunidade.
2007
Aprovado em 26º lugar no Concurso de Professor I Língua Portuguesa, Prefeitura do RJ.
2006
Aprovação em primeiro lugar no Concurso de Monitoria de Língua Portuguesa 2007/1, Universidade Federal do Rio de Janeiro.
2006
Aprovado no Concurso de Monitoria de Fonologia, UFRJ (Departamento de Linguística).


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
VIVAS, V. M.2018VIVAS, V. M.; GONCALVES, C. A. V. ; CONCEICAO, D. A. ; VITAL, F. S. ; CARVALHO, W. B. ; SOUZA, T. V. . Posicionamentos sociais e criatividade no ensino de morfologia. REVISTA PHILOLOGUS, v. 70, p. 213-222, 2018.

2.
SOUZA, T. V.2018SOUZA, T. V. ; VIVAS, V. M. ; VITAL, F. S. ; CARVALHO, W. B. ; CONCEICAO, D. A. ; GONCALVES, C. A. V. . UMA NOVA ABORDAGEM NO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: O ENSINO DA RECOMPOSIÇÃO. CADERNOS DO CNLF (CIFEFIL), v. XXII, p. 848-856, 2018.

3.
VIVAS, V. M.2017VIVAS, V. M.; SOUZA, T. V. ; CARVALHO, W. B. ; VITAL, F. S. ; GONCALVES, C. A. V. ; CONCEICAO, D. A. . DISCUTINDO POSSÍVEIS CAMINHOS ENTRE MORFOLOGIA E TEXTO: A IMPORTÂNCIA DA GRAMÁTICA COMO PRODUÇÃO DE SENTIDO. CADERNOS DO CNLF (CIFEFIL), v. XXI, p. 1816-1828, 2017.

4.
SOUZA, T. V.2017SOUZA, T. V. ; VIVAS, V. M. ; VITAL, F. S. ; CARVALHO, W. B. ; GONCALVES, C. A. V. . O ENSINO DE MORFOLOGIA: REFLEXÕES E PROPOSTAS SOBRE A COMPOSIÇÃO NAS AULAS DO ENSINO MÉDIO. CADERNOS DO CNLF (CIFEFIL), v. XXI, p. 2145-2151, 2017.

5.
VITAL, F. S.2017VITAL, F. S. ; VIVAS, V. M. ; SOUZA, T. V. ; CARVALHO, W. B. . A DERIVAÇÃO E O ENSINO DE MORFOLOGIA: POR UMA ABORDAGEM CAUTELAR. CADERNOS DO CNLF (CIFEFIL), v. XXI, p. 1426-1444, 2017.

6.
CARVALHO, W. B.2017CARVALHO, W. B. ; VITAL, F. S. ; SOUZA, T. V. ; GONCALVES, C. A. V. ; VIVAS, V. M. . ENSINO DE MORFOLOGIA: PROPOSTAS PARA UM ENSINO CIENTÍFICO DE PROCESSOS 'MARGINAIS' DE FORMAÇÃO DE PALAVRAS. CADERNOS DO CNLF (CIFEFIL), v. XXI, p. 1910-1918, 2017.

7.
OLIVEIRA, R. A.2016OLIVEIRA, R. A. ; CARVALHO, W. B. ; VITAL, F. S. ; GONCALVES, C. A. V. ; VIVAS, V. M. . Revendo a composição: por uma abordagem centrada no uso. Revista Philologus, v. 1, p. 924-931, 2016.

8.
VIVAS, V. M.2016VIVAS, V. M.; VITAL, F. S. ; OLIVEIRA, R. A. ; CARVALHO, W. B. ; GONCALVES, C. A. V. . Por novas experiências no ensino de morfologia. Revista Philologus, v. 1, p. 996-1007, 2016.

9.
VIVAS, V. M.2016VIVAS, V. M.; VITAL, F. S. ; CARVALHO, W. B. ; OLIVEIRA, R. A. ; GONCALVES, C. A. V. ; BATISTA DA SILVEIRA, E. F. ; SOUZA, T. V. . A relação entre pesquisa e ensino em morfologia. CADERNOS DO CNLF (CIFEFIL), v. XX, p. 308, 2016.

10.
VIVAS, V. M.2015VIVAS, V. M.; GONCALVES, C. A. V. ; VITAL, F. S. ; CARVALHO, W. B. ; OLIVEIRA, R. A. . Problemas no ensino de composição, derivação e processos não concatenativos: a necessidade de um ensino de morfologia criterioso e pautado no uso. Revista Philologus, v. 1, p. 1788-1797, 2015.

11.
VIVAS, V. M.2015VIVAS, V. M.; GONCALVES, C. A. V. ; VITAL, F. S. ; CARVALHO, W. B. ; VINCO, T. . Novas perspectivas para o ensino de morfologia. Cadernos do CNLF (CiFEFil), v. XIX, p. 258-266, 2015.

12.
VIVAS, V. M.2014VIVAS, V. M.. Por um léxico cognitivista: análise de casos da morfologia portuguesa. Revista Philologus, v. 1, p. 949-960, 2014.

13.
VIVAS, V. M.2014VIVAS, V. M.. Análise de padrões não-flexionais nas marcas de modo-tempo-aspecto e número-pessoa. (CON)TEXTOS LINGUÍSTICOS, v. 8, p. 231-242, 2014.

14.
VIVAS, V. M.2014VIVAS, V. M.. Desconstrução da ideia de univocidade na flexão verbal do português. Revista Philologus, v. 1, p. 981-991, 2014.

15.
VIVAS, V. M.2014VIVAS, V. M.. Perspectivas que aproximam flexão e derivação. Cadernos do NEMP, v. 5, p. 67-83, 2014.

16.
VIVAS, V. M.2013VIVAS, V. M.. Verbos irregulares: padrões de morfologia não concatenativa. Revista Philologus, v. 1, p. 1005-1014, 2013.

17.
VIVAS, V. M.2013VIVAS, V. M.; GONCALVES, C. A. V. . Morfologia não-concatenativa na flexão verbal do português. NONADA, v. 2, p. 1, 2013.

18.
VIVAS, V. M.2012VIVAS, V. M.. Outro enfoque sobre bio-: a recomposição em português. Cadernos do NEMP, v. 3, p. 97-107, 2012.

19.
VIVAS, V. M.2011VIVAS, V. M.. Fusão por ditongação: a informação de presente. Revista Gatilho (PPGL/ UFJF. Online), v. 14, p. 3, 2011.

20.
VIVAS, V. M.2011VIVAS, V. M.. A informação de presente no português: o uso da ditongação. EntreLetras (Online), v. 3, p. 127/9-141, 2011.

21.
VIVAS, V. M.2011 VIVAS, V. M.. Alternância vocálica na flexão verbal do português: análise pela Morfologia Autossegmental.. Linguística (Rio de Janeiro), v. 7, p. 31/3-47, 2011.

22.
VIVAS, V. M.2010VIVAS, V. M.. A alternância vocálica em português: regularidade e sistematização. Cadernos do NEMP, v. 1, p. 33-44, 2010.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
ALVES, R. S. (Org.) ; VIVAS, V. M. (Org.) . Cadernos do Nemp. 1. ed. Rio de Janeiro: Cadernos do NEMP, 2015. v. 6. 83p .

2.
VIVAS, V. M.. Português Superobjetivo - Novíssima Reforma. 1ª. ed. Rio de Janeiro: Quileditora, 2009. v. 1. 103p .

Capítulos de livros publicados
1.
VIVAS, V. M.; VITAL, F. S. ; CARVALHO, W. B. ; OLIVEIRA, R. A. ; GONCALVES, C. A. V. . Morfologia e ensino: novas abordagens voltadas para o ensino médio. In: Carlos Alexandre Gonçalves; Neide Higino da Silva. (Org.). Novos horizontes da pesquisa em morfologia. 1ed.Campinas: Pontes, 2017, v. 1, p. 205-230.

2.
VIVAS, V. M.. A ausência de fronteiras rígidas entre flexão e derivação: abordagem das marcas de modo-tempo-aspecto e número-pessoa. In: Carlos Alexandre Gonçalves; Neide Higino da Silva. (Org.). Novos Horizontes da Pesquisa em morfologia. 1ed.Campinas: Pontes, 2017, v. 1, p. 147-179.

3.
VIVAS, V. M.. Padrões de flexão (verbal). Processos. 1ed.Campinas: Pontes, 2016, v. 1, p. 121-133.

4.
VIVAS, V. M.. A instabilidade categorial do particípio passado: Uma visão cognitivista. In: ALMEIDA, M. L. L et al.. (Org.). Linguística Cognitiva em foco: morfologia e semântica. Rio de Janeiro: Publit, 2010, v. , p. -.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
VIVAS, V. M.. Ditongação: expediente formal de tempo presente. In: VI Jornada de Estudos da Linguagem UERJ, 2011, Rio de Janeiro. Linguagem, Teoria, Análise e Aplicações (6). Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ, 2011. v. 6. p. 50-60.

2.
VIVAS, V. M.. Sobre a instabilidade categorial do particípio passado. In: XV Congresso da Assel - Rio III Semana de Língua Portuguesa - SELP, 2009, Rio de Janeiro. Anais do XV Congresso da Assel-Rio Linguagens em Diálogo: Pesquisa e Ensino na área de Letras. Rio de Janeiro: Clone Carioca Serv. de Multim. Ltda, 2009.

3.
VIVAS, V. M.. Relendo as categorias verbais. In: XIII Congresso Nacional de Linguística e Filologia, 2009, Rio de Janeiro. Anais do XIII Congresso Nacional de linguística e Filologia, 2009.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
VIVAS, V. M.. Informação de modo-tempo-aspecto e número-pessoa: casos de fusão em português. In: II Colóquio Brasileiro de Morfologia, 2013, Rio de janeiro. Resumos do II Colóquio Brasileiro de Morfologia, 2013.

2.
VIVAS, V. M.. A interface morfologia-semântica: a fusão no português. In: VI Jornada de Estudos da Linguagem UERJ, 2010. VI JEL JORNADAS DE ESTUDOS DA LINGUAGEM Resumos, 2010.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
VIVAS, V. M.. Reflexões e propostas para o ensino de morfologia. In: X Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e Linguísticos, 2018, Rio de Janeiro. LIVRO DE PROGRAMAÇÃO E RESUMOS do X SINEFIL, 2018.

2.
VITAL, F. S. ; VIVAS, V. M. . Derivação: uma proposta de aplicação ao texto em exercícios. In: X Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e Linguísticos, 2018, Rio de Janeiro. LIVRO DE PROGRAMAÇÃO E RESUMOS do X SINEFIL, 2018.

3.
CARVALHO, W. B. ; VIVAS, V. M. . Encarando os processos 'marginais' de formação de palavras. In: X Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e Linguísticos, 2018, Rio de Janeiro. LIVRO DE PROGRAMAÇÃO E RESUMOS do X SINEFIL, 2018.

4.
SOUZA, T. V. ; VIVAS, V. M. . Morfologia e ensino: propostas para o ensino de composição. In: X Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e Linguísticos, 2018, Rio de Janeiro. LIVRO DE PROGRAMAÇÃO E RESUMOS do X SINEFIL, 2018.

5.
VIVAS, V. M.. Interface entre morfologia e fonologia: a fusão no português. In: 66º Seminário do Grupo de Estudos Linguísticos do Estado de São Paulo (GEL), 2018, São José do Rio Preto. Cadernos de Resumos do 66º Seminário do GEL. Araraquara: Letraria, 2018. v. 1. p. 110-111.

6.
VIVAS, V. M.. A abordagem de morfologia no Ensino Médio: reflexões e propostas. In: 66º Seminário do Grupo de Estudos Linguísticos do Estado de São Paulo (GEL), 2018, São José do Rio Preto. Caderno de Resumos do 66º Seminário do GEL. Araraquara: Letraria, 2018. v. 1. p. 392-392.

7.
VIVAS, V. M.. DESCRIÇÃO DA MORFOLOGIA VERBAL DO PORTUGUÊS: ENFOQUE NO USO E NO SIGNIFICADO. In: III Seminário de Estudos sobre o Português em Uso, 2018, Niterói. Resumos Simpósios Porus, 2018. p. 13-14.

8.
VIVAS, V. M.. Os processos de formação de palavras: críticas e soluções. In: II Jornada do LEPELL, 2018, Rio de Janeiro. Resumos da II Jornada do LEPELL, 2018.

9.
CONCEICAO, D. A. ; VIVAS, V. M. . Análise do sufixo -udo: criatividade, posicionamento e identidade. In: II Jornada do LEPELL, 2018, Rio de Janeiro. Resumos da II Jornada do LEPELL, 2018.

10.
VIVAS, V. M.. Por novas estratégias no Ensino Médio: o tratamento de flexão verbal. In: II Congresso Internacional de Ensino de Língua Portuguesa (II CONELP), 2018, Rio de Janeiro. Resumos do II CONELP, 2018.

11.
VIVAS, V. M.. Motivação conceptual na gramática: instabilidade categorial em formas modificadas por marcas de modo-tempo-aspecto e número-pessoa. In: X Congresso Internacional da Abralin, 2017, Niterói. Resumos do X Congresso Internacional da ABRALIN, 2017.

12.
VIVAS, V. M.; VITAL, F. S. ; SOUZA, T. V. ; CARVALHO, W. B. . (RE)ANALISANDO OS PROCESSOS DE AMPLIAÇÃO LEXICAL: UMA ABORDAGEM CIENTÍFICA E FOCADA NO USO.. In: XI Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica (JIT), 2017, Rio de Janeiro. Resumos da XI Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica (JIT), 2017.

13.
VITAL, F. S. ; VIVAS, V. M. . REVENDO A ABORDAGEM DA DERIVAÇÃO: POR UM NOVO TRATAMENTO DO PROCESSO NO ENSINO MÉDIO.. In: XI Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica (JIT), 2017, Rio de Janeiro. Resumos da XI Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica (JIT), 2017.

14.
SOUZA, T. V. ; VIVAS, V. M. . . REFLEXÕES E PROPOSTAS PARA O ENSINO DA COMPOSIÇÃO EM FORMAÇÃO DE PALAVRAS NO ENSINO MÉDIO. 2017.. In: XI Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica (JIT), 2017, Rio de Janeiro. Resumos da XI Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica (JIT), 2017.

15.
CARVALHO, W. B. ; VIVAS, V. M. . PROCESSOS MARGINAIS DE FORMAÇÃO DE PALAVRAS: DESCRIÇÃO E PROPOSTA PARA O ENSINO DE MORFOLOGIA NO ENSINO MÉDIO. 2017.. In: XI Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica (JIT), 2017, Rio de Janeiro. Resumos da XI Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica (JIT), 2017.

16.
VITAL, F. S. ; VIVAS, V. M. . A derivação em (re)vista.. In: XXI Congresso Nacional de Linguística e Filologia (XXI CNLF), 2017, Rio de Janeiro. Resumos do XXI Congresso Nacional de Linguística e Filologia (XXI CNLF), 2017.

17.
SOUZA, T. V. ; VIVAS, V. M. . O ensino de morfologia: reflexões e propostas sobre a composição nas aulas do ensino médio.. In: XXI Congresso Nacional de Linguística e Filologia (XXI CNLF), 2017, Rio de Janeiro. Resumos do XXI Congresso Nacional de Linguística e Filologia (XXI CNLF), 2017.

18.
CARVALHO, W. B. ; VIVAS, V. M. . Processos 'Marginais' de formação de palavras e ensino de morfologia: uma (re)visão científica.. In: XXI Congresso Nacional de Linguística e Filologia (XXI CNLF), 2017, Rio de Janeiro. Resumos do XXI Congresso Nacional de Linguística e Filologia (XXI CNLF), 2017.

19.
VIVAS, V. M.. INSTABILIDADE DE CLASSE NA FLEXÃO VERBAL: A MOTIVAÇÃO CONCEPTUAL NA MORFOLOGIA. In: VI Congresso Internacional sobre a Metáfora na Linguagem e no Pensamento, 2017, Rio de Janeiro. Resumos do VI Congresso Internacional sobre a Metáfora na Linguagem e no Pensamento, 2017.

20.
VIVAS, V. M.. O ensino de flexão verbal: uma abordagem científica e pautada no significado.. In: XXI Congresso Nacional de Linguística e Filologia, 2017, Rio de Janeiro. Resumos do XXI Congresso Nacional de Linguística e Filologia, 2017.

21.
VIVAS, V. M.. Morfologia e ensino: novas perspectivas para o ensino de flexão verbal. In: VIII Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e linguísticos, 2016, Rio de Janeiro. Resumos do VIII Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e linguísticos, 2016.

22.
VITAL, F. S. ; VIVAS, V. M. . Os limites entre a composição e derivação: análise dinâmica centrada no uso. In: VIII Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e Linguísticos, 2016, Rio de Janeiro. Resumo dos VIII Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e Linguísticos, 2016.

23.
CARVALHO, W. B. ; VIVAS, V. M. . Morfologia e uso: o tratamento dos processos não-concatenativos em gramáticas e livros didáticos. In: VIII Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e Linguísticos, 2016, Rio de Janeiro. Resumos do VIII Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e Linguísticos, 2016.

24.
OLIVEIRA, R. A. ; VIVAS, V. M. . Revendo a composição: por uma abordagem centrada no uso. In: VIII Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e Linguísticos, 2016, Rio de Janeiro. Resumos do VIII Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e Linguísticos, 2016.

25.
VIVAS, V. M.. Um novo olhar para as marcas de modo-tempo-aspecto e número-pessoa: por mudanças no ensino de flexão verbal. In: XXXVI Jornada do Gelne, 2016, Recife. Resumos da XXXVI Jornada do Gelne, 2016.

26.
VIVAS, V. M.. Resumos da XXVI Jornada do Gelne. In: XXVI Jornada do Gelne, 2016, Recife. Resumos da XXVI Jornada do Gelne, 2016.

27.
VIVAS, V. M.. A flexão verbal e o ensino: foco nas mudanças. In: X Jornada Nacional de Linguística e Filologia de Língua Portuguesa, 2015, Rio de Janeiro. Resumos. Rio de Janeiro, 2015.

28.
GONCALVES, C. A. V. ; PINHEIRO, D. O. R. ; SILVEIRA, E. F. B. ; VASCONCELLOS, V. F. S. ; VITAL, F. S. ; CARVALHO, W. B. ; VINCO, T. ; VIVAS, V. M. . Morfologia e uso: por novas perspectivas para o ensino de português. In: XXXV Semana da Química: Produzindo Ciência Há 450 anos, 2015, Rio de Janeiro. Livro de Resumos, 2015.

29.
VIVAS, V. M.. A informação de passado, presente e futuro por marcas não-aglutinativas. In: IV SINEFIL, 2014, Rio de Janeiro. Resumos, 2014.

30.
VIVAS, V. M.. Afixos de modo-tempo-aspecto e número-pessoa e a mudança de classe. In: IV SINEFIL, 2014, Rio de Janeiro. Resumos, 2014.

31.
VIVAS, V. M.. Padrões semânticos e categoriais inesperados nos afixos de modo-tempo-aspecto (MTA) e número-pessoa (NP). In: 3º Colóquio internacional de Estudos Linguísticos e Literários, 2014, Maringá - PR. Resumos dos trabalhos aprovados, 2014.

32.
VIVAS, V. M.. A criação de palavras e as mudanças de classe / significado através de marcas verbais flexionais. In: IV Simpósio internacional dos Estudos de Língua Portuguesa (SIELP), 2014, Uberlândia. Resumos, 2014.

33.
VIVAS, V. M.. Revisitando a flexão verbal do português. In: IX JORNADA NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA DA LÍNGUA PORTUGUESA, 2014, Rio de Janeiro. Resumos, 2014.

34.
VIVAS, V. M.. Padrões derivacionais nas marcas de modo-tempo-aspecto e número-pessoa: por uma visão gradiente na morfologia. In: XII Seminário de Teses e Dissertações em Andamento, 2014, Rio de Janeiro. Caderno de Resumos, 2014.

35.
VIVAS, V. M.. Por uma nova análise das marcas de flexão verbal.. In: V Seminário do NEMP, 2014, Rio de Janeiro. Caderno de resumos do V Seminário, 2014.

36.
VIVAS, V. M.; GONCALVES, C. A. V. . A morfologia não-concatenativa na flexão verbal do português. In: VIII Jornada Nacional de Linguística e Filologia da Língua Portuguesa, 2013, Rio de Janeiro. Resumos, 2013.

37.
VIVAS, V. M.. Interface entre conteúdo lexical e conteúdo gramatical: a fusão no português. In: I Congresso Internacional de Estudos do Léxico, 2011, Salvador. Programação e Caderno de Resumos, 2011.

38.
VIVAS, V. M.; CASTRO ; Thami da Silva ; FURTADO ; FERREIRA . A metáfora e a metonímia no particípio passado. In: IV Congresso internacional sobre metáfora na linguagem no pensamento, 2011, Porto Alegre. Caderno de Resumos. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2011.

39.
VIVAS, V. M.. Afixos de modo-tempo-aspecto e número-pessoa: flexão ou derivação?. In: IV Seminário do NEMP, 2011, Rio de Janeiro. Caderno de Resumos, 2011.

40.
VIVAS, V. M.. Interface entre conteúdo lexical e conteúdo gramatical: a fusão no português. In: I Congresso Internacional de Estudos do Léxico, 2011, Salvador. Resumos, 2011.

41.
VIVAS, V. M.. Sistematizando a fusão em português. In: VIII Seminário de Teses e Dissertações em Andamento, 2010, Rio de Janeiro. SEDITA - LEV Caderno de resumos, 2010.

42.
VIVAS, V. M.. Mudança no radical verbal: fenômeno regular em português. In: III Seminário do NEMP, 2010, Rio de Janeiro. III Seminário do NEMP Caderno de Resumos, 2010.

43.
VIVAS, V. M.. A interface morfologia-semântica: a fusão no português. In: VI Jornada de Estudos da Linguagem UERJ, 2010, Rio de Janeiro. JEL VI Caderno de Resumos, 2010.

44.
VIVAS, V. M.. A instabilidade de classe no português. In: XIV Congresso Nacional de Linguística e Filologia, 2010, Rio de Janeiro. XIV Congresso Nacional de Linguística e Filologia Resumos, 2010.

45.
VIVAS, V. M.. Mudança no radical verbal: fenômeno regular em português. In: III Seminário do NEMP, 2010, Rio de Janeiro. Caderno de Resumos - III Seminário NEMP, 2010.

46.
VIVAS, V. M.. EM DEFESA DA ESCALARIDADE NOS PROCESSOS MORFOLÓGICOS: O CASO DAS TERMINAÇÕES VERBAIS DO PORTUGUÊS. In: XXXI Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Artística e Cultural da UFRJ, 2009, Rio de Janeiro. XXI Jornada Giulio massarani de Iniciação Científica, Artística e Cultural 2009, 2009.

47.
VIVAS, V. M.. Sobre a instabilidade categorial do particípio passado. In: XV Congresso da Assel - Rio III Semana de Língua Portuguesa - SELP, 2009, Rio de Janeiro. XV Congresso da Assel-Rio. Rio de Janeiro: Faculdade de Letras / UFRJ, 2009. p. 227-228.

48.
VIVAS, V. M.. Relendo as categorias verbais. In: XIII CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA, 2009, Rio de Janeiro. Anais do XIII Congresso Nacional de linguística e Filologia (Resumos), 2009.

49.
VIVAS, V. M.. Flexão e derivação: um continuum morfológico. In: II Seminário NEMP, 2009, Rio de Janeiro. Caderno de resumos e programação, 2009. p. 1-34.

50.
VIVAS, V. M.. Características derivacionais nas chamadas flexões modo-tempo-aspectuais e número-pessoais. In: XII Congresso nacional de Lingüística e Filologia, 2008, Rio de Janeiro. Cadernos do CNLF, 2008.

51.
VIVAS, V. M.. REPENSANDO OS FORMATIVOS MODO-TEMPO-ASPECTUAIS E NÚMERO-PESSOAIS À LUZ DO CONTINUUM FLEXÃO-DERIVAÇÃO.. In: 56° Seminário do GEL - 2008, 2008, São Paulo. 56° Seminário do GEL - 2008 / Resumos, 2008.

52.
VIVAS, V. M.. Um condicionamento fonológico que indica informação semântica. In: I Seminário NEMP, 2008, Rio de Janeiro. Caderno de Resumos, 2008.

53.
VIVAS, V. M.. Gradação flexional/derivacional entre as categorias modo-tempo-aspectuais e número-pessoais através da análise da fusão. In: XXX Jornada Giulio Massarani de iniciação Científica Artística e Cultural da UFRJ, 2008, Rio de Janeiro. Resumos, 2008.

Apresentações de Trabalho
1.
VIVAS, V. M.. Reflexões e propostas para o ensino de morfologia. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
VITAL, F. S. ; VIVAS, V. M. . Derivação: uma proposta de aplicação ao texto em exercícios. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
CARVALHO, W. B. ; VIVAS, V. M. . Encarando os processos 'marginais' de formação de palavras no ensino de morfologia. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
SOUZA, T. V. ; VIVAS, V. M. . Morfologia e ensino: propostas para o ensino de composição. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
VIVAS, V. M.. A abordagem de morfologia no Ensino Médio: reflexões e propostas. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

6.
VIVAS, V. M.. Interface entre morfologia e fonologia: a fusão no português. 2018. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

7.
VIVAS, V. M.. DESCRIÇÃO DA MORFOLOGIA VERBAL DO PORTUGUÊS: ENFOQUE NO USO E NO SIGNIFICADO. 2018. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

8.
VIVAS, V. M.. Os processos de formação de palavras: críticas e soluções. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

9.
CONCEICAO, D. A. ; VIVAS, V. M. . Análise do sufixo -udo: criatividade, posicionamento e identidade. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

10.
VIVAS, V. M.. Por novas estratégias no Ensino Médio: o tratamento de flexão verbal. 2018. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

11.
VIVAS, V. M.. Motivação conceptual na gramática: instabilidade categorial em formas modificadas por marcas de modo-tempo-aspecto e número-pessoa. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

12.
SOUZA, T. V. ; VITAL, F. S. ; CARVALHO, W. B. ; VIVAS, V. M. . (RE)ANALISANDO OS PROCESSOS DE AMPLIAÇÃO LEXICAL: UMA ABORDAGEM CIENTÍFICA E FOCADA NO USO. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

13.
VITAL, F. S. ; VIVAS, V. M. . REVENDO A ABORDAGEM DA DERIVAÇÃO: POR UM NOVO TRATAMENTO DO PROCESSO NO ENSINO MÉDIO. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

14.
SOUZA, T. V. ; VIVAS, V. M. . REFLEXÕES E PROPOSTAS PARA O ENSINO DA COMPOSIÇÃO EM FORMAÇÃO DE PALAVRAS NO ENSINO MÉDIO. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

15.
CARVALHO, W. B. ; VIVAS, V. M. . PROCESSOS MARGINAIS DE FORMAÇÃO DE PALAVRAS: DESCRIÇÃO E PROPOSTA PARA O ENSINO DE MORFOLOGIA NO ENSINO MÉDIO. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

16.
VIVAS, V. M.; SOUZA, T. V. ; VITAL, F. S. ; CARVALHO, W. B. . Morfologia e ensino do português. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

17.
VITAL, F. S. ; VIVAS, V. M. . A derivação em (re)vista. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

18.
SOUZA, T. V. ; VIVAS, V. M. . O ensino de morfologia: reflexões e propostas sobre a composição nas aulas do ensino médio. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

19.
CARVALHO, W. B. ; VIVAS, V. M. . Processos 'Marginais' de formação de palavras e ensino de morfologia: uma (re)visão científica. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

20.
VIVAS, V. M.. O ensino de flexão verbal: uma abordagem científica e pautada no significado. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

21.
VIVAS, V. M.. Instabilidade de classe na flexão verbal: a motivação conceptual na morfologia. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
VIVAS, V. M.. Morfologia e ensino: novas perspectivas para o ensino de flexão verbal. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

23.
VITAL, F. S. ; VIVAS, V. M. . Os limites entre a composição e derivação: análise dinâmica centrada no uso. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

24.
CARVALHO, W. B. ; VIVAS, V. M. . Morfologia e uso: o tratamento dos processos não-concatenativos em gramáticas e livros didáticos. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

25.
OLIVEIRA, R. A. ; VIVAS, V. M. . Revendo a composição: por uma abordagem centrada no uso. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

26.
VIVAS, V. M.; VITAL, F. S. ; OLIVEIRA, R. A. ; CARVALHO, W. B. ; GONCALVES, C. A. V. . Morfologia e ensino: abordagem de problemas e expectativa de soluções. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

27.
VIVAS, V. M.; CARVALHO, W. B. ; OLIVEIRA, R. A. ; VITAL, F. S. . Morfologia e uso: por novas perspectivas para o ensino de português. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

28.
VIVAS, V. M.. Um novo olhar para as marcas de tempo-aspecto e número-pessoa: por mudanças no ensino de flexão verbal. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

29.
VIVAS, V. M.. A flexão verbal e o ensino: foco nas mudanças. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

30.
GONCALVES, C. A. V. ; PINHEIRO, D. O. R. ; SILVEIRA, E. F. B. ; VASCONCELLOS, V. F. S. ; VITAL, F. S. ; VINCO, T. ; CARVALHO, W. B. ; VIVAS, V. M. . Morfologia e uso: por novas perspectivas para o ensino de português. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

31.
VIVAS, V. M.. A informação de passado, presente e futuro por marcas não-aglutinativas. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

32.
VIVAS, V. M.. Afixos de modo-tempo-aspecto e número-pessoa e a mudança de classe. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

33.
VIVAS, V. M.. Padrões semânticos e categoriais inesperados nos afixos de modo-tempo-aspecto (MTA) e número-pessoa (NP). 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

34.
VIVAS, V. M.. A criação de palavras e as mudanças de classe / significado através de marcas verbais flexionais. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

35.
VIVAS, V. M.. Revisitando a flexão verbal do português. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

36.
VIVAS, V. M.. Padrões derivacionais nas marcas de modo-tempo-aspecto e número-pessoa: por uma visão gradiente na morfologia. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

37.
VIVAS, V. M.. Por uma nova análise das marcas de flexão verbal. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

38.
VIVAS, V. M.. Informação de modo-tempo-aspecto e número-pessoa: casos de fusão em português. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

39.
VIVAS, V. M.; GONCALVES, C. A. V. . A Morfologia não-concatenativa na flexão verbal do português. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

40.
VIVAS, V. M.. A interface entre conteúdo lexical e conteúdo gramatical: a fusão no português. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

41.
VIVAS, V. M.; CASTRO ; FURTADO ; FERREIRA ; Thami da Silva . A metáfora e a metonímia no particípio passado. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

42.
VIVAS, V. M.; CASTRO ; FURTADO ; FERREIRA ; Thami da Silva . Uma análise morfossemântica do elemento do elemento tele- à luz do Cognitivismo. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

43.
VIVAS, V. M.. Afixos de modo-tempo-aspecto e número-pessoa: flexão ou derivação?. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

44.
VIVAS, V. M.. A interface morfologia-semântica: a fusão no português. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

45.
VIVAS, V. M.. Mudança no radical verbal: fenômeno regular em português. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

46.
VIVAS, V. M.. Sistematizando a fusão no português. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

47.
VIVAS, V. M.. EM DEFESA DA ESCALARIDADE NOS PROCESSOS MORFOLÓGICOS: O CASO DAS TERMINAÇÕES VERBAIS DO PORTUGUÊS. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

48.
VIVAS, V. M.. Relendo as categorias verbais. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

49.
VIVAS, V. M.. EM DEFESA DA ESCALARIDADE NOS PROCESSOS MORFOLÓGICOS: O CASO DAS TERMINAÇÕES VERBAIS DO PORTUGUÊS. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

50.
VIVAS, V. M.. Flexão e derivação: um continuum morfológico. 2009. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

51.
VIVAS, V. M.. Características derivacionais nas chamadas flexões modo-tempo-aspectuais e número-pessoais. 2008. (Apresentação de Trabalho/Outra).

52.
VIVAS, V. M.. Gradação Flexional / derivacional entre as categorias modo-tempo-aspectuais e numero-pessoais através da análise da fusão. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

53.
VIVAS, V. M.. Repensando os formativos modo-tempo-aspectuais e número-pessoais à luz do continuum flexão-derivação. 2008. (Apresentação de Trabalho/Outra).

54.
VIVAS, V. M.. Um condicionamento fonológico que indica informação semântica. 2008. (Apresentação de Trabalho/Seminário).


Demais tipos de produção técnica
1.
VIVAS, V. M.. IX Jornada Científica e Tecnológica - XXXV Semana de Química: Produzindo Ciência há 450 anos. 2015. (Avaliação de trabalhos de pesquisa).

2.
VIVAS, V. M.. Relatório de bolsistas de Pós-Graduação Período: de 11/2013 a 11/2014. 2014. (Relatório de pesquisa).

3.
VIVAS, V. M.. Relatório de bolsistas de Pós-Graduação Período: de 11/2012 a 11/2013. 2013. (Relatório de pesquisa).

4.
VIVAS, V. M.. Relatório de bolsistas de Pós-Graduação Período: de 11/2011 a 11/2012. 2012. (Relatório de pesquisa).

5.
VIVAS, V. M.. Curso de Mestrado na UERJ - Disciplina. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

6.
VIVAS, V. M.. Relatório de bolsistas de Pós-Graduação Período: de 3/2011 a 11/2011. 2011. (Relatório de pesquisa).

7.
VIVAS, V. M.. Análise de aspectos derivacionais em MT e NP. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Teses de doutorado
1.
VIVAS, V. M.; LIMA, B. C.; GONCALVES, C. A. V.; FERREIRA; SILVA, N. H.. Participação em banca de Patricia Affonso de Oliveira. A recomposição com os afixoides de primeira posição: um continuum morfológico. 2018. Tese (Doutorado em Língua Portuguesa) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

2.
GONCALVES, C. A. V.; VIVAS, V. M.; ANDRADE, K. E.; BERNARDO, S. P.; BELCHOR, A. P. V.. Participação em banca de Regina Simões Alves. Construções sufixais de aumento: uma análise com base na gramática das construções. 2016. Tese (Doutorado em Letras (Letras Vernáculas)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Qualificações de Doutorado
1.
VIVAS, V. M.. Participação em banca de José Augusto de Oliveira Pires. Banca Examinadora de exame de qualificação de doutorado, título: "Uma abordagem Construcional dos Splinters não-nativos no português do Brasil". 2016. Exame de qualificação (Doutorando em Letras (Letras Vernáculas)) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Professor titular
1.
VIVAS, V. M.; ALMEIDA, E. S.; NASCIMENTO, M. J. R.; ROCHA, P. V. S.. Banca do concurso público docente do IFRJ para professor de português - edital 80/2015. 2016.

Concurso público
1.
VIVAS, V. M.. Banca de Correção para Processo Seletivo Discente aos cursos Concomitantes/Subsequentes para 2018. 2017. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

2.
VIVAS, V. M.. Banca de Elaboração para Processo de transferência externa e reingresso aos cursos de graduação do IFRJ. 2016. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

3.
VIVAS, V. M.. Banca de Correção para transferência externa e reingresso aos cursos de graduação do IFRJ. 2016. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

4.
VIVAS, V. M.; LIMA, B. C.. Banca de Elaboração para Processo Seletivo Discente aos cursos Concomitantes/Subsequentes para 2017/1. 2016. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

5.
VIVAS, V. M.. Banca de Correção para Processo Seletivo Discente aos cursos Concomitantes/Subsequentes para 2017/1. 2016. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

6.
VIVAS, V. M.. Banca de Elaboração para Processo Seletivo Discente aos cursos Concomitantes/Subsequentes para 2016/1. 2015. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

7.
VIVAS, V. M.. Banca de Correção para Processo Seletivo Discente aos cursos Concomitantes/Subsequentes para 2016/1. 2015. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

8.
VIVAS, V. M.. Banca em Concurso Público (ENEM). 2009.

Outras participações
1.
VIVAS, V. M.. Comissão Julgadora dos processos discentes apresentados durante a XXXVIII Semana da Química - Rio de Janeiro: IFRJ, Fazendo Ciência na Semana da Química. 2018. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

2.
VIVAS, V. M.. Comissão Julgadora dos processos discentes apresentados durante a XXXVII Semana da Química. 2017. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

3.
VIVAS, V. M.. BANCA EXAMINADORA DA PROVA DIDÁTICA DE PORTUGUÊS PARA SELEÇÃO DE TUTORES. 2016. Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do RJ.

4.
VIVAS, V. M.. Comissão Julgadora dos processos discentes apresentados durante a XXXVI Semana da Química - Rio de Janeiro: IFRJ, Fazendo Ciência na Semana da Química. 2016. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

5.
VIVAS, V. M.. BANCA EXAMINADORA DA PROVA DIDÁTICA DE PORTUGUÊS PARA SELEÇÃO DE TUTORES. 2015. Fundação Centro de Ciências e Educação Superior à Distância do Estado do RJ.

6.
VIVAS, V. M.. Avaliação de trabalhos na modalidade pôster na XI Jornada Interna de Iniciação Científica e Tecnológica do IFRJ, XXXV Semana da Química. 2015. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

7.
VIVAS, V. M.. Avaliação de trabalhos na modalidade pôster na X Jornada Interna de Iniciação Científica e Tecnológica, evento concomitante ao V Fórum de Inovação Tecnologia e Inovação, IFRJ, Campus Nilópolis. 2015. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

8.
VIVAS, V. M.. Avaliação de projetos de pesquisa visando ao Programa PIBICT/PROCIÊNCIA 2015-2016. 2015. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
66º Seminário do Grupo de Estudos Linguísticos do Estado de São Paulo (GEL).A abordagem de morfologia no Ensino Médio: reflexões e propostas. 2018. (Seminário).

2.
I CITAM - Congresso Internacional de Tempo, Aspecto e Moo. 2018. (Congresso).

3.
II CONELP. Por novas estratégias no Ensino Médio: o tratamento de flexão verbal. 2018. (Congresso).

4.
III Seminário de Estudos sobre o Português em Uso.DESCRIÇÃO DA MORFOLOGIA VERBAL DO PORTUGUÊS: ENFOQUE NO USO E NO SIGNIFICADO. 2018. (Seminário).

5.
II Jornada do LEPELL.Os processos de formação de palavras: críticas e soluções. 2018. (Outra).

6.
X Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e Linguísticos.A Visão de Irregularidade Verbal de Horácio Rolim de Freitas. 2018. (Simpósio).

7.
I SIMPÓSIO DE MORFOLOGIA DO PORTUGUÊS / VI SEMINÁRIO DO NEMP.Morfologia e ensino do português. 2017. (Simpósio).

8.
VI Congresso Internacional sobre a Metáfora na Linguagem e no Pensamento. Instabilidade de classe na flexão verbal: a motivação conceptual na morfologia. 2017. (Congresso).

9.
X Congresso Internacional da ABRALIN. Motivação conceptual na gramática: instabilidade categorial em formas modificadas por marcas de modo-tempo-aspecto e número-pessoa. 2017. (Congresso).

10.
XI Jornada de Iniciação Científica e Tecnológica (JIT).Apresentação de uma comunicação e três pôsteres. 2017. (Outra).

11.
XXI Congresso Nacional de Linguística e Filologia (XXI CNLF). Morfologia e ensino: novas perspectivas e estratégias em temas diversos. 2017. (Congresso).

12.
XXI Congresso Nacional de Linguística e Filologia (XXI CNLF). Morfologia e ensino: novas perspectivas e estratégias em temas diversos (mesa-redonda). 2017. (Congresso).

13.
XXI Congresso Nacional de Linguística e Filologia (XXI CNLF). Morfologia e ensino: novas perspectivas e estratégias em temas diversos. 2017. (Congresso).

14.
VIII Simpósio Nacional de Estudos Filológicos e Linguísticos.4 trabalhos apresentados. 2016. (Simpósio).

15.
X Jornada Interna de Iniciação Científica e Tecnológica. Morfologia e ensino: abordagem de problemas e expectativa de soluções. 2016. (Congresso).

16.
XXVI Jornada do Gelne. Um novo olhar para as marcas de modo-tempo-aspecto e número-pessoa: por mudanças no ensino de flexão verbal. 2016. (Congresso).

17.
XXXVI Semana da Química: IFRJ - Fazendo Ciência na Cidade Olímpica.Comissão julgadora dos Projetos Discentes. 2016. (Outra).

18.
IX Jornada Científica e Tecnológica - XXXV Semana da Química: Produzindo Ciência Há 450 anos, 2015.Morfologia e uso: por novas perspectivas para o ensino de português. 2015. (Outra).

19.
X Jornada Nacional de Linguística e Filologia de Língua Portuguesa. A flexão verbal e o ensino: foco nas mudanças. 2015. (Congresso).

20.
3º Colóquio Internacional dos Estudos Linguísticos e Literários.Padrões semânticos e categoriais inesperados nos afixos de modo-tempo-aspecto (MTA) e número-pessoa (NP).. 2014. (Simpósio).

21.
IV SINEFIL.1) A INFORMAÇÃO DE PASSADO, PRESENTE E FUTURO POR MARCAS NÃO-AGLUTINATIVAS; 2)AFIXOS DE MODO-TEMPO-ASPECTO E NÚMERO-PESSOA E A MUDANÇA DE CLASSE. 2014. (Simpósio).

22.
II Colóquio Brasileiro de Morfologia: uma homenagem a Margarida Basilio.Informação de modo-tempo-aspecto e número-pessoa: casos de fusão em português. 2013. (Outra).

23.
VIII Jornada Nacional de Linguística e Filologia da Língua Portuguesa.A Morfologia não-concatenativa na flexão verbal do português. 2013. (Outra).

24.
I Congresso Internacional de Estudos do Léxico. Interface entre conteúdo lexical e conteúdo gramatical: a fusão no português. 2011. (Congresso).

25.
III Seminário do NEMP.Mudança no radical verbal: fenômeno regular em português. 2011. (Seminário).

26.
2ª fase da XXI Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Artística e Cultural.EM DEFESA DA ESCALARIDADE NOS PROCESSOS MORFOLÓGICOS: O CASO DAS TERMINAÇÕES VERBAIS DO PORTUGUÊS. 2009. (Outra).

27.
II Seminário do NEMP.Flexão e Derivação: um continuum morfológico. 2009. (Seminário).

28.
XIII CONGRESSO NACIONAL DE LINGUÍSTICA E FILOLOGIA. Relendo as categorias verbais. 2009. (Congresso).

29.
XV Congresso da Assel - Rio III Semana de Língua Portuguesa - SELP. Sobre a instabilidade categorial do particípio passado. 2009. (Congresso).

30.
XXXI Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Artística e Cultural da UFRJ.EM DEFESA DA ESCALARIDADE NOS PROCESSOS MORFOLÒGICOS: O CASO DAS TERMINAÇÕES VERBAIS DO PORTUGUÊS. 2009. (Outra).

31.
56º Seminário do GEL - 2008. Repensando os formativos modo-tempo-aspectuais e número-pessoais à luz do continuum flexão-derivação.. 2008. (Congresso).

32.
I Seminário NEMP Núcleo dos estudos morfossemânticos do português.Um condicionamento fonológico que indica informação semântica. 2008. (Seminário).

33.
XII Congresso Nacional de Lingüística e filologia. Características derivacionais nas chamadas flexões modo-tempo-aspectuais e número-pessoais. 2008. (Congresso).

34.
XXX Jornada Giulio Massarani de iniciação Científica Artística e Cultural da UFRJ. Gradação flexional / derivacional entre as categorias modo-tempo-aspectuais e número-pessoais através da análise da fusão. 2008. (Congresso).

35.
II Congresso Internacional "Língua Portuguesa: identidade, difusão e variabilidade". 2007. (Congresso).

36.
Semana de Língua Portuguesa - 2007. 2007. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
VIVAS, V. M.. II Seminário NEMP. 2009. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Iniciação científica
1.
Daniel Araujo Conceição. Estudo de estratégias de posicionamento ideológico através do uso de afixos. Início: 2017 - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

2.
Wallace Bezerra de Carvalho. O Ensino de Morfologia: Reflexões e Proposições sobre o Tratamento de Processos Marginais de Formação de Palavras no Ensino Médio. Início: 2016 - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. (Orientador).

3.
Felipe da Silva Vital. O Ensino de Morfologia: Reflexões e Propostas para o tratamento da derivação no Ensino Médio. Início: 2016 - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

4.
Tiago Vieira de Souza. O Ensino de Morfologia: Reflexões e Propostas para o Ensino da composição em Formação de Palavras. Início: 2016. Iniciação científica (Graduando em Abi - Letras - Português - Ingles) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Iniciação científica
1.
Felipe da Silva Vital. O Ensino de Morfologia: Reflexões e Propostas para o Ensino. 2015. Iniciação Científica - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Vitor de Moura Vivas.

2.
Wallace Bezerra de Carvalho. O Ensino de Morfologia: Reflexões e Propostas para o Ensino. 2015. Iniciação Científica - Universidade Federal do Rio de Janeiro. Orientador: Vitor de Moura Vivas.

3.
Rômulo Andrade de Oliveira. O Ensino de Morfologia: Reflexões e Propostas para o Ensino. 2015. Iniciação Científica - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Vitor de Moura Vivas.



Inovação



Projetos de pesquisa


Educação e Popularização de C & T



Livros e capítulos
1.
VIVAS, V. M.. Padrões de flexão (verbal). Processos. 1ed.Campinas: Pontes, 2016, v. 1, p. 121-133.



Outras informações relevantes


Na Iniciação Científica, o trabalho de Vítor de Moura Vivas: "Em defesa da escalaridade nos processos morfológicos: o caso das terminações verbais do português" recebeu menção honrosa, passando para a Segunda Fase da XXXI Jornada Giulio Massarani de Iniciação Científica, Artística e Cultural da UFRJ.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 11/12/2018 às 12:25:33