Karina Biondi

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/9293354732484739
  • Última atualização do currículo em 23/08/2018


Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (2005), mestrado (2009) e doutorado (2014) em Antropologia Social na Universidade Federal de São Carlos. Fez pós-doutorado na Universidade Estadual de Campinas (2016) e na Universidade Federal de São Carlos (2017). Atualmente, é professora adjunta na Universidade Estadual do Maranhão. É também pesquisadora do Hybris (Grupo de Estudo e Pesquisa sobre Relações de Poder, Conflitos, Socialidades) e do NEIP (Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Política. Escreveu Junto e Misturado: Uma Etnografia do PCC, cuja versão em inglês foi publicada pela University of North Carolina Press com o título Sharing This Walk: An Ethnography of Prison Life and the PCC in Brazil. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Karina Biondi
Nome em citações bibliográficas
BIONDI, K.;Biondi, Karina;Karina Biondi

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Estadual do Maranhão, Unidade de Estudos Básicos, Departamento de Ciencias Sociais.
Avenida Lourenço Vieira da Silva
Jardim São Cristóvão
65055310 - São Luís, MA - Brasil
Telefone: (98) 20168100


Formação acadêmica/titulação


2009 - 2014
Doutorado em Antropologia Social.
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Título: Etnografia no movimento: território, hierarquia e lei no PCC, Ano de obtenção: 2014.
Orientador: Jorge Luiz Mattar Villela.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: PCC; movimento; crime; etnografia.
Grande área: Ciências Humanas
2007 - 2009
Mestrado em Antropologia.
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Título: Junto e Misturado: Imanência e Transcendência no PCC,Ano de Obtenção: 2009.
Orientador: Jorge Luiz Mattar Villela.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: PCC; micropolítica; prisioneiros.
Grande área: Ciências Humanas
1997 - 2005
Graduação em Ciências Sociais.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.


Pós-doutorado


2016 - 2017
Pós-Doutorado.
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
2014 - 2016
Pós-Doutorado.
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas


Formação Complementar


2006 - 2006
Antropologia e Direitos Humanos. (Carga horária: 4h).
Associação Brasileira de Antropologia, ABA, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Estadual do Maranhão, UEMA, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professora Adjunta, Carga horária: 40

Atividades

05/2018 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Unidade de Estudos Básicos, Departamento de Ciencias Sociais.

Cargo ou função
Membra do Colegiado do Curso de Ciências Sociais.
06/2018 - 07/2018
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia Histórica Aplicada à Educação
02/2018 - 07/2018
Ensino, Geografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia
02/2018 - 07/2018
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia
02/2018 - 07/2018
Ensino, Direito, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia e Cultura Jurídica
01/2018 - 02/2018
Ensino, Pedagogia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História e Cultura Indígena

Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pós-doutoranda, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2009 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Doutoranda em Antropologia Social, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2007 - 2009
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Mestranda em Antropologia Social, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

03/2017 - 06/2017
Ensino, Antropologia Social, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia do Crime
07/2009 - 12/2009
Ensino, Ciências Sociais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia Política (monitoria no âmbito do Programa de Estágio Supervisionado de Capacitação Docente em Antropologia Social)
07/2009 - 12/2009
Estágios , Centro de Educação e Ciências Humanas, .

Estágio realizado
Estágio Supervisionado de Capacitação Docente em Antropologia Social.

Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Vínculo institucional

1995 - 2007
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Assistente Administrativo, Carga horária: 40

Atividades

03/1995 - 02/2007
Serviços técnicos especializados , Diretoria Administrativa, Gerência de Informática.

Serviço realizado
Assistente.

Penitenciária José Parada Neto, PJPNG1, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2017
Vínculo: Livre, Enquadramento Funcional: Membra de Comissão
Outras informações
Membra da Comissão de avaliação das resenhas do Projeto ̈Remição pela Leitura ̈.

Atividades

12/2015 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Diretoria de Educação, .

Cargo ou função
Membra da Comissão de avaliação das resenhas do Projeto ̈Remição pela Leitura ̈.

Secretaria da Administração Penitenciária, SAP, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2017
Vínculo: Voluntária, Enquadramento Funcional: Membra de Comissão


Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisadora Colaboradora

Vínculo institucional

2014 - 2016
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisadora Colaboradora/Pós-Doutoranda, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

07/2015 - 12/2015
Ensino, Ciências Sociais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia Contemporânea
01/2015 - 06/2015
Ensino, Ciências Sociais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia no Brasil


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Tecnologias de Gestão do Crime, da Escola de Chicago ao Pacto Pela Paz no Estado do Maranhão
Descrição: Um dos principais temas de pesquisa da Escola de Chicago era a questão do crime e da delinquência. Toda uma tecnologia social foi elaborada a partir dessas preocupações e, de acordo com alguns pesquisadores contemporâneos, permanece como base não só para os estudos urbanos como também para as boas práticas de gestão das cidades. O tema deste projeto são as tecnologias sociais de gestão do crime. Unindo, por um lado, trabalho de campo (junto a agentes estatais responsáveis pelo planejamento, elaboração e execução de projetos de prevenção e combate ao crime e junto a conselhos de comunidade envolvidos nesses projetos) e, por outro, pesquisa documental (que interrogará relatórios, levantamentos, estudos, análises, documentos oficiais, legislações), esta pesquisa pretende identificar e refletir sobre as continuidades e descontinuidades entre as tecnologias de gestão do crime desenvolvidas na Escola de Chicago e aquelas utilizadas atualmente, tendo como campo empírico a política de segurança pública do Estado do Maranhão durante a gestão do governador Flávio Dino, nomeada Pacto Pela Paz (PPP). Com essa pesquisa, pretendemos trazer à tona as bases epistemológicas que sustentam os estudos, as narrativas e as políticas de segurança pública..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Karina Biondi - Coordenador / Rodrigo Almeida - Integrante / Luis Henrique Lustosa da Sila - Integrante / Mariana Pinheiro Rosa de Vasconcelos - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa ao Desenvolv. Científico e Tecnológico - MA - Auxílio financeiro.
2016 - 2017
Micropolíticas das incitações em ambientes prisionais
Descrição: Esta pesquisa tem como tema as experiências dos presos abrigados nas cadeias que formam o complexo penitenciário de Guarulhos, com atenção especial à maneira pela qual elementos como a gestão prisional, a legislação penal, as ações policiais, a política penitenciária compõem essas experiências. Ao mesmo tempo, pretendo descrever os efeitos dessa composição na gestão carcerária, principalmente a partir da maneira pela qual esses efeitos são vivenciados pelos presos. Considerando que as políticas ou as gestões penitenciárias não partem de um Estado harmonicamente constituído e também não rebatem sobre uma população univocamente classificada ? ou seja, ?Estado? e ?presos? não são unidades monolíticas que possam ser presumidas ?, minha intenção é descrever a micropolítica das incitações e variações presentes nessas relações. Minha proposta é efetuar um deslocamento dos estudos sobre violência, criminalidade e segurança para uma antropologia dos agenciamentos prisionais, capaz de captar nuanças que tragam à tona relações geralmente eclipsadas nas abordagens que evidenciam os aspectos macroestruturais (política, economia, cultura) que estão na base da tendência global do crescimento do encarceramento. A proposta de pesquisa aqui apresentada pretende, assim, dar continuidade aos resultados de meus trabalhos anteriores, trazendo uma contribuição teórico-metodológica propriamente antropológica para os estudos acerca das prisões, especificamente para as reflexões acerca da interface entre o mundo intra e extramuros..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2015 - 2018
Ações ressocializadoras nas prisões de Guarulhos: Um estudo sobre relações entre gestão penitenciária e pessoas em privação de liberdade
Descrição: Atentos às ações ressocializadoras em curso nas prisões de Guarulhos, pretendemos realizar um estudo sobre as relações entre gestão penitenciária e pessoas em privação de liberdade. Através dos resultados da pesquisa, bem como da reflexão científica que a acompanha, pretendemos fornecer subsídios para a elaboração de políticas penitenciárias que visem a "ressocialização" da pessoa em privação de liberdade e contribuir para o avanço das pesquisas universitárias sobre prisão e sobre prisioneiros, bem como para o avanço do debate público sobre políticas sociais e de segurança..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Karina Biondi - Coordenador / Jorge Luiz Mattar Villela - Integrante / Guilherme Ramos Boldrin - Integrante.
2014 - 2016
Quando tudo se torna movimento: uma etnografia acerca das relações entre presos e a gestão de prisões.
Descrição: Esta pesquisa tem como tema as relações que se dão entre a gestão de prisões na cidade de Guarulhos (São Paulo) e os presos que elas obrigam. A partir de trabalho de campo junto a presos, meu objetivo é descrever de que modo a administração prisional incita e produz variações no cotidiano dos prisioneiros, bem como a forma pela qual a atuação do Primeiro Comando da Capital (PCC) incita e produz variações na gestão prisional. Com esta pesquisa, pretendo trazer à tona relações que são eclipsadas nas abordagens que evidenciam os aspectos macroestruturais (política, economia, cultura) que estão na base da tendência global do crescimento do encarceramento..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2015
Estado, presos e as relações que os perpassam: Etnografia de ações ressocializadoras nas prisões de Guarulhos
Descrição: Esta pesquisa tem como tema as relações que se dão entre o ?Estado? e os ?presos?, assim como no interior de cada um destes conjuntos, em meio a projetos de ressocialização em curso no complexo prisional de Guarulhos (São Paulo). Este complexo é composto por dois Centros de Detenção Provisória (CDP 1 e 2), pelas penitenciárias Desembargador Adriano Marrey (P-2) e José Parada Neto (P-1), e pelo anexo (à P-1) de regime semi-aberto. A partir de trabalho de campo junto a presos, agentes penitenciários, diretores de seções, diretores de unidades, técnicos administrativos e ? não menos importante ? documentos que transitam pelas unidades prisionais, nosso objetivo é descrever as incitações e variações que tencionam o movimento pendular entre os esforços políticos postos em exercício para adequar a realidade prisional à Lei de Execução Penal e aqueles que procuram ?ajustar? as leis e as operações mais rotineiras às exigências assumidas pela segurança pública..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Karina Biondi - Integrante / Jorge Luiz Mattar Villela - Coordenador / Guilherme Ramos Boldrin - Integrante / Rafael Leonardo Dias Andrade - Integrante / Vanessa Ogino - Integrante / Adalton José Marques - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2009 - 2014
Entre a Cadeia e o Mundão: continuidades e descontinuidades na dinâmica do Primeiro Comando da Capital
Descrição: Esta pesquisa tem como tema o Primeiro Comando da Capital (PCC), coletividade originada em estabelecimentos penais paulistas, mas que transbordou os muros das prisões para cobrir os territórios urbanos do Estado de São Paulo. A partir de pesquisa de campo junto a seus participantes, pretendo apurar a dinâmica de funcionamento do PCC fora das prisões, onde as condições de existência se distinguem daquelas presentes no ambiente carcerário. Meu objetivo é dar continuidade ao trabalho realizado no Mestrado, quando abordei o PCC a partir de pesquisa em prisões, aprofundar os conhecimentos acerca de suas dinâmicas políticas e examinar suas continuidades e descontinuidades em relação ao espaço extra prisional..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2007 - 2009
O PCC sem limites: uma abordagem antropológica sobre um fenômeno supralocal
Descrição: A presente pesquisa se debruçará sobre o Primeiro Comando da Capital ? PCC ? enquanto um novo fenômeno social que tem sua gênese nas instituições penais, mas que não ficou restrito a elas, transbordando sua dinâmica para as malhas urbanas, infringindo e sendo infringido por outros atores sociais que, à primeira vista, nada teriam a ver com este fenômeno. A partir de pesquisa de campo em instituições prisionais, busco apreender a lógica nativa, particularmente ao que diz respeito às questões da violência e do poder, para mostrar como as tensões que guardam essas noções podem constituir o impulso para o estabelecimento de uma socialidade fluída que encontra em outras socialidades (também fluídas) o outro necessário para a troca de valores, informações, éticas e morais transmitidas em rede. Com isso, busco dissolver tanto a ideia das fronteiras que isolariam o PCC dos outros fenômenos sociais, quanto a ideia de localização do PCC, mostrando que ele constitui, sobretudo, um fenômeno supralocal. Desta forma, procuro me distanciar cada vez mais das ideias do senso comum sobre o PCC para, então, refletir acerca do que é, afinal, o Primeiro Comando da Capital..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2018 - Atual
Cineclube Boboromina: Arte, Diversidade e Educação
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Karina Biondi - Coordenador / Wallace Max Correia da Silva - Integrante.
2018 - Atual
UEMA Debate
Descrição: Realização de evento mensal, no qual um convidado de reconhecida competência na área palestrará sobre os resultados de sua atual pesquisa para docentes e discentes das Ciências Sociais. Essa atividade proporciona ao corpo docente e discente a oportunidade de enriquecer suas reflexões, aumentar suas redes de cooperação e manter-se atualizado e em diálogo com a produção corrente..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) .
Integrantes: Karina Biondi - Coordenador.


Membro de corpo editorial


2008 - 2012
Periódico: r@u - Revista de Antropologia Social dos Alunos do PPGAS-UFSCar


Revisor de projeto de fomento


2015 - Atual
Agência de fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Política.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Urbana.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Francês
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2017
APLA 2017 Book Prize, Association for Political and Legal Anthropology/American Anthropological Association.
2015
LASA Brazil Section Doctoral Thesis Prize 2015, Latin American Studies Association.
2015
Indicação do PPGAS/UFSCar ao Prêmio Anpocs de Melhor Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social/UFSCar.
2015
Honra ao mérito, Reitoria da Universidade Federal de São Carlos..
2013
Latin America in Translation/En Traducción/Em Tradução, Consortium in Latin American and Caribbean Studies.
2006
IV Prêmio ABA/Ford de Antropologia e Direitos Humanos, Associação Brasileira de Antropologia e Fundação Ford.
2006
Menção Honrosa, Prêmio Claude Lévi-Strauss para Pesquisas de Graduação, Associação Brasileira de Antropologia.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
Biondi, Karina2018Biondi, Karina. Uma ética que é disciplina: Formulações conceituais a partir do ?crime? paulista. REVISTA FEVEREIRO - POLÍTICA, TEORIA, CULTURA, v. 1, p. 304-319, 2018.

2.
Biondi, Karina2017Biondi, Karina. 'It was already in the ghetto': Rap, religion and crime in the prison. Interview with Djalma Oliveira Rios, aka Cascão. Prison Service Journal, v. 229, p. 45-47, 2017.

3.
Biondi, Karina2017Biondi, Karina. Movement between and beyond walls: Micropolitics of incitements and variations among São Paulo?s Prisoners? Movement the ?PCC? and the Prison System. Prison Service Journal, v. 229, p. 23-25, 2017.

4.
Biondi, Karina2017Biondi, Karina. Prison Violence, Prison Justice: The Rise of Brazil's PCC. NACLA REPORT ON THE AMERICAS (1993), v. 49, p. 341-346, 2017.

5.
Biondi, Karina2017Biondi, Karina. As rebeliões do PCC. R@U : REVISTA DE ANTROPOLOGIA SOCIAL DOS ALUNOS DO PPGAS-UFSCAR, v. 9, p. 221-240, 2017.

6.
Biondi, Karina2017 Biondi, Karina. Políticas prisioneiras e gestão penitenciária: incitações, variações e efeitosPrison politics and management: incitements, variations and effects. ETNOGRÁFICA (LISBOA, v. 3, p. 555-567, 2017.

7.
Biondi, Karina2017Biondi, Karina. Pesquisar (n)o crime: a transformação das dificuldades pragmáticas em prazer analítico. CADERNOS DE CAMPO (USP), v. 1, p. 295-309, 2017.

8.
BIONDI, K.2010 BIONDI, K.; MARQUES, Adalton . Memória e historicidade em dois 'comandos' prisionais. Lua Nova (Impresso), p. 39-70, 2010.

9.
BIONDI, K.2010BIONDI, K.. Conquistadores de la calle: Child Street Labor in Guatemala City by Thomas A. Offit. Journal of Latin American and Caribbean Anthropology, v. 15, p. 494-496, 2010.

10.
MANSO, B. P.2009MANSO, B. P. ; DIAS, Camila Nunes ; FELTRAN, G. S. ; MARQUES, Adalton ; Biondi, Karina . Um debate sobre o PCC: Entrevista com Camila Nunes DIAS, Gabriel de Santis FELTRAN, Adalton MARQUES e Karina BIONDI. R@U : Revista de Antropologia Social dos Alunos do PPGAS-UFSCAR, v. 1, p. 154-175, 2009.

11.
Biondi, Karina2008Biondi, Karina. Relações Políticas e Termos Criminosos: O PCC e uma Teoria do Irmão-Rede. Teoria & Sociedade (UFMG), v. 15.2, p. 206-235, 2008.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
Biondi, Karina. Proibido roubar na quebrada: território, hierarquia e lei no PCC. 1. ed. São Paulo: Editora Terceiro Nome / Editora Gramma, 2018.

2.
Biondi, Karina. Junto e misturado: uma etnografia do PCC (edição ampliada). 2. ed. São Paulo: Editora Terceiro Nome / Editora Gramma, 2018. v. 1.

3.
Biondi, Karina. Sharing This Walk: An Ethnography of Prison Life and the PCC in Brazil. 1. ed. University of North Carolina Press, 2016. v. 1. 222p .

4.
Biondi, Karina. Junto e Misturado: uma etnografia do PCC (ebook). 1. ed. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2014.

5.
Biondi, Karina. Junto e misturado: uma etnografia do PCC. 1. ed. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2010. v. 1. 245p .

Capítulos de livros publicados
1.
Biondi, Karina. A gestão das ideias em uma etnografia no movimento. In: Bezerra, Marcos O.; Comerford, John; Palmeira, Moacir. (Org.). Questões e Dimensões da Política. 1ed.Rio de Janeiro: Papéis Selvagens, 2017, v. 1, p. 1-.

2.
Biondi, Karina. O PCC: da organização à ética. In: Antônio Rafael Barbosa, Brígida Renoldi e Marcos Veríssimo. (Org.). (I)Legal: etnografias em uma fronteira difusa. 1ed.Niterói: Editora da UFF, 2013, v. 1, p. 23-33.

3.
Biondi, Karina. Um mundo de considerações: alguns apontamentos sobre relações de força no trabalho de campo. In: Barreira, César; Sá, Leonardo; Aquino, Jania. (Org.). Violência e dilemas civilizatórios: as práticas de punição e extermínio. 1ed.Campinas: Pontes Editores, 2011, v. 1, p. 1-.

4.
Biondi, Karina. Tecendo as Tramas do Significado: As Facções Prisionais Enquanto Organizações Fundantes de Padrões Sociais. In: Miriam Pillar Grossi; Maria Luiza Heilborn; Lia Zanotta Machado. (Org.). Antropologia e Direitos Humanos 4. 1ed.Florianópolis: Nova Letra, 2006, v. 1, p. 303-350.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
MARQUES, Adalton ; FELTRAN, G. S. ; HIRATA, D. ; Biondi, Karina . A quem serve negar o impacto PCC?. Caros Amigos, 24 ago. 2012.

2.
Biondi, Karina. As cadeias do Parque da Juventude. Caros Amigos, 18 out. 2011.

3.
Biondi, Karina. Consumo de drogas na política do PCC. DAR - Desentorpecendo a razão, 14 mar. 2011.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
Biondi, Karina. Movement between and beyond walls: Retro-alimentation between São Paulo?s Prisoner?s Movement ?PCC? and the Prison System. In: XXXV International Congress of Latin American Studies Association, 2016, New York. LASA2016 Congress Papers, 2016.

2.
Biondi, Karina. Com a palavra, os irmãos!. In: 28ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2012, São Paulo. Anais da 28ª RBA, 2012. v. 1.

3.
Biondi, Karina. A vida em estado de campo: apontamentos sobre pesquisa de um objeto oscilante. In: 27ª Reunião Brasileira de Antropologia - Brasil Plural: conhecimentos, saberes tradicionais e direitos à diversidade, 2010, Belém. Anais da 27ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2010.

4.
Villela, J.L.M. ; Biondi, Karina . A ordem e a segurança pública - o cangaço das décadas de 1910 e 1920 no sertão de Pernambuco e a violência urbana do sudeste brasileiro do século XXI. As ressonâncias do discurso acadêmico/legal.. In: X Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais, 2009, Braga. X Congresso Luso-Afro-Brasileiro, 2009.

5.
Biondi, Karina. Direitos dos foras-da-lei: reflexões acerca de um paradigma. In: I Encontro Nacional de Antropologia do Direito, 2009, São Paulo. Anais do I Encontro Brasileiro de Antropologia do Direito, 2009.

6.
Biondi, Karina. A ilegalidade como meio para reivindicação pelo cumprimento da lei. In: VIII Reunión de Antropología del Mercosur, 2009, Buenos Aires. Anais da VIII Reunión de Antropología del Mercosur, 2009. v. 1.

7.
Biondi, Karina. A Ética Evangélica e o Espírito do Crime. In: 26ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2008, Porto Seguro. Anais da 26ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2008.

8.
Biondi, Karina. 'Junto e Misturado em Prol do Comando': Reflexões acerca da imanência e transcendência no PCC. In: 32º Encontro Anual da ANPOCS, 2008, Caxambu. Anais do 32º Encontro Anual da ANPOCS, 2008. v. I.

9.
Biondi, Karina. Relatos de uma rebelião: a faceta representativa do PCC. In: VII Reunião de Antropologia do Mercosul, 2007, Porto Alegre. RAM. Reunião de Antropologia do Mercosul, 2007. v. 1.

10.
Biondi, Karina. Pesquisa em prisões: reflexões acerca da inserção em campo. In: Reunião Equatorial de Antropologia, 2007, Aracaju. Anais da Reunião Equatorial de Antropologia, 2007. v. 1.

11.
Biondi, Karina. Devir-mulher: uma desterritorialização da prisão. In: XV Jornada de Jóvenes Investigadores de la AUGM (Associación de Universidades Grupo Montevideo), 2007, Assunção. Anais das XV Jornadas de Jóvenes Investigadores de la AUGM, 2007. v. 1.

12.
Biondi, Karina. Paz, Justiça e Liberdade - Caminhos para pensar o PCC. In: 25ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2006, Goiânia - GO. CD-ROM Anais da 25ª RBA, 2006. v. 2.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
Biondi, Karina. As condições e estratégias do campo e sua relação com os resultados da pesquisa. In: II Seminário Internacional Violência e Conflitos Sociais: práticas de extermínio, 2010, Fortaleza. Caderno de Resumos do II Seminário Internacional Violência e Conflitos Sociais: práticas de extermínio, 2010. v. 1. p. 35-35.

2.
Biondi, Karina. ?É de igual?: efeitos da introdução do ideal de ?igualdade? nas relações políticas entre prisioneiros. In: Simpósio Internacional de Antropologia: Entre o Legal e o Ilegal, 2008, São Carlos. Caderno de Resumos do Simpósio Internacional de Antropologia: Entre o Legal e o Ilegal, 2008.

3.
Biondi, Karina. Tecendo as tramas do significado: as facções prisionais enquanto organizações fundantes de padrões sociais. In: A Graduação em Campo V - Seminários de Antropologia Urbana das Ciências Sociais, 2006, São Paulo. Caderno de Resumos do A Graduação em Campo V - Seminários de Antropologia Urbana das Ciências Sociais, 2006.

Apresentações de Trabalho
1.
Biondi, Karina. Mistura e movimento: reflexões sobre fronteira e gênero em minha pesquisa no crime. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
Biondi, Karina. Tecnologias de gestão do crime, da Escola de Chicago à São Paulo do século XXI. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
Biondi, Karina. Desafios e estratégias na pesquisa sobre o PCC. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
Biondi, Karina. A gestão das ideias em uma etnografia no movimento. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
Biondi, Karina. Crime organizado: como a Lei trata o tráfico. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
Biondi, Karina. Movement between and beyond walls: Retro-alimentation between São Paulo?s Prisoner?s Movement ?PCC? and the Prison System. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
Biondi, Karina. Algumas considerações acerca das relações entre presos e a gestão de prisões. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

8.
Biondi, Karina. Desafios metodológicos, éticos e políticos nas pesquisas sobre práticas de uso, comércio e controle de drogas ilícitas. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

9.
Biondi, Karina. Crime e Direito. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

10.
Biondi, Karina. O PCC nas quebradas: movimentos, ideias e situações. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

11.
Biondi, Karina. O que se vê o que se visibiliza: questões sobre pesquisa de campo e etnografia. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

12.
Biondi, Karina. Dez anos de pesquisa sobre o PCC: Notas sobre um percurso teórico-metodológico. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

13.
Biondi, Karina. Uma breve apresentação dos resultados de 10 anos de pesquisa sobre o PCC. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

14.
MARQUES, Adalton ; Biondi, Karina . Outra forma de política: lições ameríndias sobre representação. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

15.
Biondi, Karina. As políticas prisioneiras e o Carandiru. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

16.
Biondi, Karina. Com a palavra, os irmãos!. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

17.
Biondi, Karina. Uma antropologia imanentista da transcendência. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

18.
Biondi, Karina. Excesso de Estado. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

19.
Biondi, Karina. O PCC sem lei e nem rei. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

20.
Biondi, Karina. A vida em estado de campo: apontamentos sobre pesquisa de um objeto oscilante. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

21.
Biondi, Karina. As condições e estratégias do campo e sua relação com os resultados da pesquisa. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

22.
Biondi, Karina. As penas para quem representa. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

23.
Biondi, Karina. Consumo de drogas na política do PCC. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

24.
Biondi, Karina. Junto e Misturado: Imanência e Transcendência no PCC. 2009. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

25.
Biondi, Karina. Uma auto-reflexão acerca dos ?ataques de maio de 2006. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

26.
Biondi, Karina. Direitos dos foras-da-lei: reflexões acerca de um paradigma. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

27.
Biondi, Karina. 'Junto e Misturado em Prol do Comando': Reflexões acerca da imanência e transcendência no PCC. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

28.
Biondi, Karina. 'É de igual': efeitos da introdução do ideal de 'igualdade' nas relações políticas entre prisioneiros. 2008. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

29.
Biondi, Karina. A Ética Evangélica e o Espírito do Crime. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

30.
Biondi, Karina. Dissolvendo individualidades: as relações de gênero como produtoras de devires. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

31.
Biondi, Karina. Pesquisa em prisões: reflexões acerca da inserção em campo. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

32.
Biondi, Karina. Relatos de uma rebelião: a faceta representativa do PCC. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

33.
Biondi, Karina. Paz, Justiça e Liberdade - Caminhos para pensar o PCC. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

34.
Biondi, Karina. Tecendo as Tramas do Significado: As Facções Prisionais Enquanto Organizações Fundantes de Padrões Sociais. 2006. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções bibliográficas
1.
Biondi, Karina. Mulher Fiel. Etnografia do Amor nas prisões do PCC, de Jacqueline Ferraz de Lima.. São Paulo: Alameda Casa Editorial, 2015 (Orelha de livro).

2.
Karina Biondi. Etnografia no movimento: território, hierarquia e lei no PCC 2014 (Tese de doutorado).

3.
Biondi, Karina. Junto e Misturado: Imanência e Transcendência no PCC 2009 (Dissertação de Mestrado).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Revista Athenea Digital. 2018.

2.
Biondi, Karina. Parecer Ad Hoc para PIBIC UEMA. 2018.

3.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Revista Ponto Urbe. 2017.

4.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para FAPESP. 2017.

5.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Vibrant - Virtual Brazilian Anthropology. 2017.

6.
BIONDI, K.. Parecer ad hoc para Revista Brasileira de Ciências Sociais. 2017.

7.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para R@U - Revista de Antropologia da UFSCar - seção artigos. 2017.

8.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para R@U - Revista de Antropologia da UFSCar - Dossiê 'Entre a Política e a Técnica'. 2017.

9.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Revista de Antropologia da USP. 2017.

10.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para FAPESP. 2017.

11.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Journal of Latin American Studies. 2017.

12.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para R@U - Revista de Antropologia da UFSCar - seção resenhas. 2017.

13.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Revista Cadernos de Campo - Revista dos Alunos de Pós-Graduação em Antropologia Social da USP. 2016.

14.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social. 2016.

15.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Primeiros Estudos - Revista de Graduação em Ciências Sociais. 2016.

16.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para FAPESP. 2016.

17.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Revista Etnográfica. 2016.

18.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Revista Runa Archivo para las Ciencias del Hombre. 2016.

19.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Vivência: Revista de Antropologia do Departamento de Antropologia e da Pós-Graduação em Antropologia Social da UFRN. 2015.

20.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Dilemas: Revista de Estudos de Conflito e Controle Social. 2015.

21.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para FAPESP. 2015.

22.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Revista Cadernos de Campo. 2015.

23.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para FLORESTAN - Revista dos alunos de graduação em Ciências Sociais da UFSCar. 2015.

24.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Lua Nova: Revista de Cultura e Política. 2013.

25.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para r@u - Revista de Antropologia Social dos Alunos do PPGAS/UFSCar. 2012.

26.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Revista Teoria & Sociedade. 2012.

27.
Biondi, Karina. Parecer ad hoc para Small Arms Survey 2010. 2009.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
Biondi, Karina. Can Anyone Stop Brazil's PCC?. 2018. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

2.
Biondi, Karina. Brazil?s PCC has become a multinational criminal enterprise. 2018. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

3.
Biondi, Karina. PCC Files Document Gang?s Explosive Growth in Brazil and Beyond. 2018. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

4.
Biondi, Karina. Proibido Roubar na Quebrada: Entrevista com Karina Biondi. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

5.
Biondi, Karina. Livros de Karina Biondi apresentam universo pouco conhecido do PCC. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

6.
Biondi, Karina. Karina Biondi, escritora e antropóloga, fala sobre o PCC. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

7.
Biondi, Karina. Por que a hierarquia não manda no PCC, segundo esta pesquisadora. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

8.
Biondi, Karina. Prof.ª Biondi: o PCC sobrevive mesmo sem cabeças. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

9.
Biondi, Karina. PCC não precisa de líderes para acontecer, diz autora de livro sobre a facção. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

10.
Biondi, Karina. Um novo banho de sangue nas prisões brasileiras será inevitável, apontam especialistas. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

11.
Biondi, Karina. Construir mais presídios só servirá para expandir facções criminosas, explicam especialistas. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

12.
Biondi, Karina. Massacres em prisões são resultados da política de segurança esperada pela sociedade. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

13.
Biondi, Karina. Le gang dietro le sbarre: il braccio violento dello Stato. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

14.
Biondi, Karina. Para pesquisadora, 'PCC é muito mais que uma estrutura, é uma ideia'. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

15.
Biondi, Karina. Entenda os conflitos entre facções nos presídios. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

16.
Biondi, Karina. Qual o papel das facções na crise dos presídios, segundo esta antropóloga. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

17.
Biondi, Karina. Life at Brazilian prison where 'the state has lost control'. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

18.
Biondi, Karina. La rapina del secolo. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

19.
Biondi, Karina. Qué es el Primer Comando Capital, el violento grupo criminal vinculado al 'robo del siglo' en Paraguay. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

20.
Biondi, Karina. Las cárceles de Brasil: brutalidad fuera de control. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

21.
Biondi, Karina. Is brutal treatment of young offenders fuelling crime rates in Brazil?. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

22.
Biondi, Karina. Is brutal treatment of young offenders fuelling crime rates in Brazil?. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

23.
Biondi, Karina. Os traumas de 2006: qual o legado dos ataques de maio?. 2016. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

24.
Biondi, Karina. ?O PCC consegue funcionar mesmo em cadeias sem nenhum membro seu?. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

25.
Biondi, Karina; VIEIRA, C. L. . PCC: Paz entre os ladrões. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

26.
Biondi, Karina. Carandiru foi embrião do PCC, mas não único motivo. 2012. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

27.
Biondi, Karina. Juntos e misturados. 2012. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

28.
Biondi, Karina; ALISSON, E. . Solução de conflitos por meio da violência diminui nas prisões paulistas. 2012. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

29.
DELMANTO, J. ; Biondi, Karina . SUFRÁGIO ATRÁS DAS GRADES. 2012. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

30.
Karina Biondi; ALISSON, E. . Violent conflict resolution declines in São Paulo prisons. 2012. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

31.
MARQUES, Adalton ; MANSO, B. P. ; DIAS, Camila Nunes ; FELTRAN, G. S. ; Biondi, Karina . Universidade vai a periferias e prisões para tentar entender o PCC. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

32.
Biondi, Karina. Livro descreve facção como 'desordenada e imensurável. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

33.
Biondi, Karina; MARQUES, Adalton ; DELMANTO, J. ; MONCAU, G. . Por dentro do PCC. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

34.
Biondi, Karina. O PCC e os ataques de maio de 2006. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

35.
Biondi, Karina. Fechado com o Comando. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

36.
Biondi, Karina. Antropóloga investiga em livro o PCC, a maior facção criminosa do país. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

37.
Biondi, Karina. PCC não tem líderes, revela autora de livro sobre a facção. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

38.
MARQUES, Adalton ; DIAS, Camila Nunes ; FELTRAN, G. S. ; Biondi, Karina ; MANSO, B. P. . 16 perguntas sobre o PCC. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).


Demais tipos de produção técnica
1.
Biondi, Karina. Relatório final de bolsa de pós-doutorado. 2016. (Relatório de pesquisa).

2.
Karina Biondi. Relatório final de bolsa de doutorado. 2013. (Relatório de pesquisa).

3.
Biondi, Karina. Relatório de Acompanhamento de bolsa de Doutorado. 2012. (Relatório de pesquisa).

4.
Biondi, Karina. Relatório de qualificação para obtenção de título de doutora. 2012. (Relatório de pesquisa).

5.
BIONDI, K.; MARQUES, Adalton ; FELTRAN, G. S. ; Neri, N. E. ; Vieira, D. ; Malvasi, P. A. ; Rui, T. . DOSSIÊ: Jovens em conflito com a lei. 2011. (Editoração/Coletânea).

6.
Biondi, Karina. Relatório de Acompanhamento de bolsa de Doutorado. 2011. (Relatório de pesquisa).

7.
Biondi, Karina. Relatório de Acompanhamento de bolsa de Doutorado. 2010. (Relatório de pesquisa).

8.
Biondi, Karina. Relatório Final da Bolsa de Mestrado. 2009. (Relatório de pesquisa).

9.
Biondi, Karina. Relatório de Acompanhamento de bolsa de Mestrado. 2008. (Relatório de pesquisa).

10.
Biondi, Karina. Relatório de qualificação para obtenção de título de mestre. 2008. (Relatório de pesquisa).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
Almeida, Ronaldo; HIRATA, D.; Biondi, Karina. Participação em banca de Liniker Giamarim Batista. A grande cidade e a vida no crime: uma etnografia dos mercados do crime em uma periferia de São Paulo. 2015. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Estadual de Campinas.

Teses de doutorado
1.
MARQUES, A. C. D. R.; PEREIRA, A. B.; COMERFORD, J. C.; SIMOES, J. A.; Biondi, Karina. Participação em banca de Nicolau Dela Bandera Arco Netto. A educação vem de casa: família e escola na periferia de São Paulo. 2017. Tese (Doutorado em Antropologia Social) - Universidade de São Paulo.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
Rui, T.; DURAO, S. S. B.; Biondi, Karina. Participação em banca de Vanessa Liu Lourenço.O tempo nas ruas: uma etnografia do programa Portas da Liberdade. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Estadual de Campinas.

2.
VILLELA, J. L. M.; Biondi, Karina. Participação em banca de Marcos Vinícius Guidotti Silva.Balão Não Tem Destino: uma etnografia das relações de quebrada pela prática dos baloeiros. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de São Carlos.

3.
Villela, J.L.M.; Biondi, Karina. Participação em banca de Estêvão Barros Chaves.Entre Ovelhas e Lobos: Uma perspectiva etnográfica entre religião e política numa Assembleia de Deus. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de São Carlos.

4.
Villela, J.L.M.; Biondi, Karina. Participação em banca de Jacqueline Stefany Ferraz de Lima.Amor Eterno. Uma etnografia da dinâmica familiar dos presos relacionados ao PCC. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de São Carlos.

5.
LANNA, M.; Biondi, Karina. Participação em banca de Raphael Tadeu Sabaini.Hierarquia, status e troca: Os agentes penitenciários de Itirapina. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de São Carlos.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
Gomes, Albiane Oliveira; Rabelo, Maria José Biondi, Karina. Processo Seletivo Simplificado para Professor Substituto do Centro de Educação, Ciências Exatas e Naturais/Departamento Educação e Filosofia. 2018. Universidade Estadual do Maranhão.

2.
NUNES, P. M. P.; FARIAS JUNIOR, E. A.; Biondi, Karina. Processo Seletivo Simplificado para Professor Substituto do Centro de Ciências Sociais Aplicadas. 2018. Universidade Estadual do Maranhão.

Outras participações
1.
Biondi, Karina. Seminário Prévio de Iniciação Científica da UEMA. 2018. Universidade Estadual do Maranhão.

2.
DURAO, S. S. B.; LOERA, N. C. R.; BIONDI, K.. PROCESSO SELETIVO; MESTRADO EM ANTROPOLOGIA SOCIAL; 2015/2016. 2015. Universidade Estadual de Campinas.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Reunião de Antropologia da Ciência e da Técnica. Tecnologias de gestão do crime, da Escola de Chicago à São Paulo do século XXI. 2017. (Congresso).

2.
Reunião do Núcleo de Antropologia da Política - NuAP.Conflitos e Violência. 2017. (Encontro).

3.
Seminário Permanente Gênero e Territórios de Fronteira: ?La frontera no existe?. 1, 3, múltiplo, impossível: relações e cosmografias de contra-fronteirização?.Mistura e movimento: reflexões sobre fronteira e gênero em minha pesquisa no crime. 2017. (Seminário).

4.
Sexta do Mês (USP).Risco e Vulnerabilidade em Campo. 2017. (Seminário).

5.
Workshop Trilateral Reino Unido-Brasil-Uruguai: How anthropology can contribute to affirmative action in South America in the fields of human rights, gender equality and environmental sustainabilityility.??Cuidado com as Palavras?: Prisoner?s Lessons for the Academic Production?. 2017. (Oficina).

6.
30ª Reunião Brasileira de Antropologia. Onde estava escrito? Criatividade, inovação e a teoria etnográfica (Coordenadora do GT, com Guilherme Sá). 2016. (Congresso).

7.
30ª Reunião Brasileira de Antropologia. Desafios metodológicos, éticos e políticos nas pesquisas sobre práticas de uso, comércio e controle de drogas ilícitas. 2016. (Congresso).

8.
Semana de Ciências Sociais da UNICAMP. Algumas considerações acerca das relações entre presos e a gestão de prisões.. 2016. (Congresso).

9.
Seminário sobre os dez anos da Lei de Drogas.Crime organizado: como a Lei trata o tráfico. 2016. (Seminário).

10.
Workshop ?Pesquisar a prisão: questões metodológicas e políticas?.Workshop ?Pesquisar a prisão: questões metodológicas e políticas?. 2016. (Seminário).

11.
XXXV International Congress of the Latin American Studies Association. Movement between and beyond walls: Retro-alimentation between São Paulo?s Prisoner?s Movement ?PCC? and the Prison System. 2016. (Congresso).

12.
Eventos Hybris.O PCC nas quebradas: movimentos, ideias e situações. 2015. (Encontro).

13.
XII Semana de Antropologia da UFRN - Viradas Antropológicas Contemporâneas: Teoria, Campo e Método. Coordenadora do Grupo de Trabalho "Antropologia do crime e do direito". 2015. (Congresso).

14.
XII Semana de Antropologia da UFRN - Viradas Antropológicas Contemporâneas: Teoria, Campo e Método.Crime e Direito. 2015. (Encontro).

15.
XVI Semana de Ciências Sociais Unesp Araraquara ? A Erosão dos Direitos Humanos e Desumanização: A construção da categoria de não-pessoa. ?Estigma, invisibilidade e cultura?. 2015. (Congresso).

16.
XXXIV International Congress of the Latin American Studies Association. Dez anos de pesquisa sobre o PCC: Notas sobre um percurso teórico-metodológico. 2015. (Congresso).

17.
III Seminário de Antropologia da UFSCar.Debatedora do Grupo de Trabalho Teoria antropológica e escrita etnográfica: Desafios teórico-metodológicos na elaboração de etnografias. 2014. (Encontro).

18.
28ª Reunião Brasileira de Antropologia. Com a palavra, os irmãos!. 2012. (Congresso).

19.
CARANDIRU + 20: O QUE RESTA DO MASSACRE.As políticas prisioneiras e o Carandiru. 2012. (Encontro).

20.
I Seminário de Antropologia da UFSCar.Debatedora do GT - Estado, poder, conflito. 2012. (Seminário).

21.
I Seminário de Antropologia da UFSCar.Debatedora do Grupo de Trabalho Estado, Poder, Conflito. 2012. (Encontro).

22.
JORNADA DE ESTUDOS SOBRE FILOSOFIA CONTEMPORÂNEA FRANCESA ERASMUS MUNDUS / UFSCAR.Uma antropologia imanentista da transcendência. 2012. (Encontro).

23.
27ª Reunião Brasileira de Antropologia - Brasil Plural: conhecimentos, saberes tradicionais e direitos à diversidade. A vida em estado de campo: Apontamentos sobre pesquisa de um objeto nebuloso. 2010. (Congresso).

24.
27ª Reunião Brasileira de Antropologia - Brasil Plural: conhecimentos, saberes tradicionais e direitos à diversidade.Debatedora do Grupo de Trabalho 05 - Dinâmicas criminais e dispositivos de controle. 2010. (Encontro).

25.
II Seminário Internacional Violência e Conflitos Sociais: Práticas de Extermínio.Ética, segredo e risco na pesquisa etnográfica de temas 'perigosos'. 2010. (Seminário).

26.
Reunião Hybris: relações de poder, socialidades e conflitos.Entre políticas: etnografias de relações de força. 2010. (Encontro).

27.
Tráficos, violência urbana e o consumo de psicoativos: a contribuição etnográfica na compreensão das questões.Mesa coordenada pela Profª Augusta Thereza de Alvarenga; FSP/USP. 2010. (Seminário).

28.
VIII Semana de Ciências Sociais.Narcotráfico, mundo do crime e dinâmicas criminais. 2010. (Outra).

29.
I Encontro Nacional de Antropologia do Direito.Direitos dos foras-da-lei: reflexões acerca de um paradigma. 2009. (Encontro).

30.
VIII Reunión de Antropología del Mercosur. A ilegalidade como meio para reivindicação pelo cumprimento da lei. 2009. (Congresso).

31.
X Congresso Luso-Afro-Brasileiro de Ciências Sociais. A ordem e a segurança pública - O cangaço das décadas de 1910 e 1920 no Sertão de Pernambuco e a violência urbana do Sudeste Brasileiro do Séc. XXI. As ressonânicas do discurso acadêmico/legal.. 2009. (Congresso).

32.
26ª Reunião Brasileira de Antropologia. A Ética Evangélica e o Espírito do Crime. 2008. (Congresso).

33.
32º Encontro Anual da ANPOCS. "Junto e Misturado em prol do Comando": Reflexões acerca da imanência e transcendência no PCC. 2008. (Congresso).

34.
Simpósio Internacional de Antropologia: Entre o Legal e o Ilegal.Simpósio Internacional de Antropologia: Entre o Legal e o Ilegal. 2008. (Simpósio).

35.
Reunião Equatorial de Antropologia. Pesquisa em prisões: reflexões acerca da inserção em campo. 2007. (Congresso).

36.
VII Reunião de Antropologia do Mercosul. Relatos de uma rebelião: a faceta representativa do PCC. 2007. (Congresso).

37.
XV Jornada de Jóvenes Investigadores de la AUGM (Associación de Universidades Grupo Montevideo). Devir-mulher: uma desterritorialização da prisão. 2007. (Congresso).

38.
25ª Reunião Brasileira de Antropologia. 25ª Reunião Brasileira de Antropologia. 2006. (Congresso).

39.
A Graduação em Campo V - Seminários de Antropologia Urbana das Ciências Sociais.Procedimentos: Estudos de Instituições. 2006. (Seminário).

40.
II Encontro Anual da Associação Nacional de Direitos Humanos - Pesquisa e Pós-Graduação. 2006. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Biondi, Karina; DURAO, S. S. B. ; DARKE, Sacha ; MENDES, Luis Alberto. . Mesa Redonda "Tecnologias Punitivas". 2016. (Outro).

2.
Biondi, Karina. Evento Hybris: Exibição do filme Sem Pena, seguida de debate. 2015. (Outro).

3.
Biondi, Karina. Mesa Redonda ?Presas, Cunhadas e Monas: a prisão sob perspectivas de gênero e sexualidade?. 2015. (Outro).

4.
Biondi, Karina; BASQUES, Messias . 1o Simpósio R@U. 2011. (Outro).

5.
Villela, J.L.M. ; BASQUES, Messias ; Biondi, Karina . Simpósio Internacional de Antropologia: Entre o Legal e o Ilegal. 2008. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Luciano Mendes Garcia. Ele foi porque quis. Início: 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Estadual do Maranhão. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Rodrigo Almeida. Os conselhos comunitários pela paz como zona de intersecção entre segurança pública e direitos humanos. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Estadual do Maranhão, Fundação de Amparo à Pesquisa ao Desenvolv. Científico e Tecnológico - MA. (Orientador).

2.
Mariana Pinheiro Rosa de Vasconcelos. Pacto pela paz: da fabricação à agência de documentos. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Direito) - Universidade Estadual do Maranhão, Universidade do Estado do Maranhão. (Orientador).

3.
Luis Henrique Lustosa da Siva. Cidade e Ciência: a emergência simultânea de um objeto e sua ciência na escola de Chicago. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade Estadual do Maranhão, Fundação de Amparo à Pesquisa ao Desenvolv. Científico e Tecnológico - MA. (Orientador).

Orientações de outra natureza
1.
Quetzia da Silva Lima. Monitoria na disciplina Teoria Antropológica Clássica. Início: 2018. Orientação de outra natureza. Universidade Estadual do Maranhão. Universidade do Estado do Maranhão. (Orientador).

2.
Wallace Max Correia da Silva. Cineclube Boboromina: Arte, diversidade e educação (projeto de extensão - PIBEX). Início: 2018. Orientação de outra natureza. Universidade Estadual do Maranhão. Universidade do Estado do Maranhão. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Sara Vieira Antunes. HABITAR ENTRE GRADES: Táticas de vida no cotidiano de uma penitenciária feminina. 2017. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Estadual de Campinas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Karina Biondi.

Iniciação científica
1.
Elena Duarte Parravicini. A disputa pelo controle da visualidade: a relação entre a categoria de traficante de drogas no cinema contemporâneo brasileiro e as autoimagens desses atores sociais. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Sociais) - Universidade Estadual de Campinas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Karina Biondi.



Educação e Popularização de C & T



Livros e capítulos
1.
Biondi, Karina. Junto e misturado: uma etnografia do PCC. 1. ed. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2010. v. 1. 245p .


Textos em jornais de notícias/revistas
1.
MARQUES, Adalton ; FELTRAN, G. S. ; HIRATA, D. ; Biondi, Karina . A quem serve negar o impacto PCC?. Caros Amigos, 24 ago. 2012.


Apresentações de Trabalho
1.
Biondi, Karina. Excesso de Estado. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
Biondi, Karina. O PCC sem lei e nem rei. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
Biondi, Karina. As políticas prisioneiras e o Carandiru. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
MARQUES, Adalton ; Biondi, Karina . Outra forma de política: lições ameríndias sobre representação. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
Biondi, Karina. Uma breve apresentação dos resultados de 10 anos de pesquisa sobre o PCC. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
Biondi, Karina. O que se vê o que se visibiliza: questões sobre pesquisa de campo e etnografia. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).


Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
Biondi, Karina. Os traumas de 2006: qual o legado dos ataques de maio?. 2016. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

2.
Biondi, Karina. ?O PCC consegue funcionar mesmo em cadeias sem nenhum membro seu?. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

3.
Biondi, Karina. Prof.ª Biondi: o PCC sobrevive mesmo sem cabeças. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

4.
Biondi, Karina. PCC não precisa de líderes para acontecer, diz autora de livro sobre a facção. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

5.
Biondi, Karina. Construir mais presídios só servirá para expandir facções criminosas, explicam especialistas. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

6.
Biondi, Karina. Massacres em prisões são resultados da política de segurança esperada pela sociedade. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

7.
Biondi, Karina. Le gang dietro le sbarre: il braccio violento dello Stato. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

8.
Biondi, Karina. Para pesquisadora, 'PCC é muito mais que uma estrutura, é uma ideia'. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

9.
Biondi, Karina. Entenda os conflitos entre facções nos presídios. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

10.
Biondi, Karina. Qual o papel das facções na crise dos presídios, segundo esta antropóloga. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

11.
Biondi, Karina. Life at Brazilian prison where 'the state has lost control'. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

12.
Biondi, Karina. Is brutal treatment of young offenders fuelling crime rates in Brazil?. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

13.
MARQUES, Adalton ; MANSO, B. P. ; DIAS, Camila Nunes ; FELTRAN, G. S. ; Biondi, Karina . Universidade vai a periferias e prisões para tentar entender o PCC. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

14.
Biondi, Karina. Carandiru foi embrião do PCC, mas não único motivo. 2012. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

15.
Biondi, Karina. Livro descreve facção como 'desordenada e imensurável. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

16.
Biondi, Karina; MARQUES, Adalton ; DELMANTO, J. ; MONCAU, G. . Por dentro do PCC. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

17.
Biondi, Karina. O PCC e os ataques de maio de 2006. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

18.
Biondi, Karina. Fechado com o Comando. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

19.
Biondi, Karina. Antropóloga investiga em livro o PCC, a maior facção criminosa do país. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

20.
Biondi, Karina. Juntos e misturados. 2012. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

21.
Biondi, Karina; ALISSON, E. . Solução de conflitos por meio da violência diminui nas prisões paulistas. 2012. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

22.
Biondi, Karina. PCC não tem líderes, revela autora de livro sobre a facção. 2010. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

23.
DELMANTO, J. ; Biondi, Karina . SUFRÁGIO ATRÁS DAS GRADES. 2012. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

24.
Biondi, Karina; VIEIRA, C. L. . PCC: Paz entre os ladrões. 2013. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

25.
Karina Biondi; ALISSON, E. . Violent conflict resolution declines in São Paulo prisons. 2012. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Biondi, Karina. Evento Hybris: Exibição do filme Sem Pena, seguida de debate. 2015. (Outro).



Outras informações relevantes


Pesquisadora do Hybris - Grupo de Estudo e Pesquisa sobre Relações de Poder, Conflitos, Socialidades.
Pesquisadora do NEIP - Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos.

Membra do Conselho Editorial da Série Drogas, Política e Cultura - Mercado de Letras.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 20/10/2018 às 24:05:58