Fernanda Alvarenga Lima Barroso

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8125531547156737
  • Última atualização do currículo em 26/11/2018


Mestre em Genética (2012) e Bacharel em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (2010). Tem experiência na área de Genética, com ênfase em Genética Molecular e de Microorganismos, atuando principalmente em projetos de pesquisa voltados para o desenvolvimento de novos sistemas de expressão gênica. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Fernanda Alvarenga Lima Barroso
Nome em citações bibliográficas
LIMA, F. A.;LIMA, F. ALVARENGA;LIMA, FERNANDA;Fernanda Alvarenga Lima;LIMA, FERNANDA Alvarenga

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Minas Gerais, Instituto de Ciências Biológicas.
Av. Antônio Carlos, 6627
Pampulha
31270-901 - Belo Horizonte, MG - Brasil
Telefone: (31) 34092778
Fax: (31) 34994188
URL da Homepage: www.ufmg.br


Formação acadêmica/titulação


2018
Doutorado em andamento em Genética.
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Orientador: Vasco Ariston de Carvalho Azevedo.
Coorientador: Pamela Mancha Agresti.
2010 - 2012
Mestrado em Genética.
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Título: Construção e avaliação de um plasmídeo terapêutico para expressão da IL-10 de M. musculus em células mamíferas, utilizando como veículo carreador linhagens de L. lactis invasivas: desenvolvimento de estratégia alternativa para o tratamento das IBDs,Ano de Obtenção: 2012.
Orientador: Anderson Miyoshi.
Coorientador: Sophie Leclercq.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
2006 - 2010
Graduação em Ciências Biológicas.
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Título: Clonagem, expressão e endereçamento protéico em Lactococcus lactis da Enterotoxina B de Staphylococcus aureus.
Orientador: Anderson Miyoshi.




Formação Complementar


2018 - 2018
Mini curso de Genética Forense. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2018 - 2018
Mini curso RNAs não codificantes. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
2009 - 2009
Extensão universitária em Biossegurança em OGM:da produção à comercialização. (Carga horária: 80h).
CIBio Instituto de Ciências Biológcas/UFMG, CIBIO, Brasil.
2009 - 2009
Biotecnologia aplicada para a produção industrial. (Carga horária: 3h).
Sociedade Brasileira de Genética, SBG, Brasil.
2008 - 2008
Curso de Perícia Criminal (Toxicologia Forense). (Carga horária: 8h).
Integra Cursos e Eventos, INC, Brasil.
2007 - 2007
Transformação Genética de Milho e Sorgo. (Carga horária: 40h).
Núcleo de Biologia Aplicada/ Embrapa Milho e Sorgo, NBA, Brasil.


Atuação Profissional



Uniclon Biotecnologia, UNICLON, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Técnico de Laboratório - Biologia, Carga horária: 30

Vínculo institucional

2007 - 2012
Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 40

Atividades

08/2010 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Ciências Biológicas, .


Embrapa Milho e Sorgo, CNPMS, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2007
Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Estágio de complementação educacional na área de Biologia Molecular

Atividades

02/2007 - 02/2007
Estágios , Núcleo de Biologia Aplicada, .

Estágio realizado
Atividade: Transformação de milho via biobalística / Orientadora: Dra. Andrea Almeida Carneiro.

Colégio Batista Mineiro, CBM, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2006
Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 20

Atividades

02/2006 - 12/2006
Ensino,

Disciplinas ministradas
Monitoria de Ciências e Biologia


Linhas de pesquisa


1.
Novas utilizações biotecnológicas das bactérias lácticas

Objetivo: Lactococcus lactis, a mais bem caracterizada bactéria láctica (BL), é um microrganismo Gram-positivo amplamente utilizado na indústria alimentícia para a produção e preservação de produtos lácteos fermentados. Desde o início dos anos 90, a despeito de sua utilização industrial, vários grupos de pesquisa voltaram-se para o potencial uso de L. lactis como uma usina celular para a produção de proteínas recombinantes. Hoje, através do desenvolvimento de inúmeras ferramentas genéticas, como sistemas de expressão gênica, estas bactérias são utilizadas não só industrialmente mas também em laboratório para a produção de proteínas heterólogas de interesse biotecnológico como enzimas e antígenos. Neste contexto, esta linha de pesquisa propõe-se a explorar alguns dos instrumentos genéticos disponíveis para uso nas BL, bem como desenvolver novos e alternativos sistemas de expressão que visam implementar ainda mais a utilização destas bactérias..
Grande área: Ciências Biológicas
Palavras-chave: Bactérias Lácticas; Biotecnologia; Lactococcus lactis; clonagem e expressão; vacinas de DNA; vacinas vivas de mucosas.


Projetos de pesquisa


2011 - 2014
Bactérias lácticas e a imunidade de mucosas: construção de instrumentos genéticos para utilização de bactérias lácticas como veículos carreadores de vacinas gênicas
Descrição: CAPES-COFECUB 720/11; Diversos agentes infecciosos invadem o hospedeiro através das superfícies das mucosas. Assim, o uso de bactérias como veículos carreadores de plasmídeos vacinais, por via oral, constitui uma promissora estratégia de vacinação. Bactérias patogênicas atenuadas dos gêneros Shigella, Yersinia, Listeria e Salmonella têm sido utilizadas para a entrega de vacinas de DNA em células mamíferas. Contudo, esses organismos apresentam riscos de reversão, não sendo totalmente seguros para uso humano, especialmente em crianças e pacientes imunocomprometidos. Tal problema poderia ser solucionado através da utilização de bactérias não patogênicas e comensais, tal como as bactérias lácticas (BL). As BL compõem um grupo de microrganismos Gram-positivos que são utilizados há séculos em processos de fermentação e preservação de alimentos e, por isso, são consideradas seguras. Neste contexto, a utilização de BL como veículos carreadores de vacinas gênicas poderia ser considerada a próxima fronteira a ser quebrada na área. Nosso grupo, desde 1998, vem implementando novas utilizações biotecnológicas para as BL; e dentre estas novas utilizações, nós também vislumbramos novas estratégias vacinais utilizando estas bactérias. Nesse sentido, nós, recentemente, conseguimos um feito inédito na área: nós desenvolvemos linhagens invasivas de Lactococcus lactis, uma bactéria láctica modelo, capazes de entregar plasmídeos, contendo uma unidade de expressão eucariótica, para células epiteliais humanas. Foi demonstrado que L. lactis expressando a internalina A (InlA) de Listeria monocytogenes foi internalizada por células epiteliais in vitro e por enterócitos in vivo após administração oral em porcos-da-índia; o que promoveu a entrega de plasmídeos contendo a ORF GFP levando à produção da mesma nos animais. Nesse contexto, nós acreditamos que a utilização de linhagens invasivas de L. lactis para a entrega de vacinas gênicas tem impacto no estudo da imunidade de mucosas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Fernanda Alvarenga Lima Barroso - Integrante / Anderson Miyoshi - Coordenador / Vasco Azevedo - Integrante.
2011 - 2014
Construção de linhagens invasivas de Lactococcus lactis para a entrega e expressão da citocina IL-10 em células mamíferas: desenvolvimento de uma estratégia alternativa para tratamento de doenças inflamatórias intestinais
Descrição: A mucosa intestinal é uma das primeiras linhas de defesa do organismo e por isso é um alvo atraente para a entrega de drogas biológicas que regulam o delicado equilíbrio entre o controle de infecções e prevenção de doenças inflamatórias e autoimunes. Assim, o uso de bactérias como carreadoras de plasmídeos vacinais e/ou terapêuticos pela rota oral constitui uma estratégia de vacinação promissora. Bactérias patogênicas atenuadas tais como Shigella flexneri, Yersinia enterocolitica, Listeria monocytogenesis e Salmonella thiphymurium vêm sendo utilizadas para tais fins, ainda que as mesmas apresentem risco de reversão ao fenótipo selvagem, não sendo totalmente seguros para uso humano, especialmente em crianças e pacientes imunocomprometidos. Sendo assim, a utilização de bactérias não patogênicas e comensais, tal como as bactérias lácticas (BL), constitui uma alternativa mais atraente e segura. As BL compõem um grupo bastante heterogêneo de microrganismos Gram-positivos que são utilizados há séculos em processos de fermentação e preservação de alimentos e, por isso, são considerados seguros. Lactococcus lactis é uma das bactérias lácticas mais bem estudas, figurando como microrganismo modelo no estudo das mesmas, é considerada GRAS (do inglês, Generally Regarded As Safe) por não ser patogênica e vem sendo extensivamente utilizada para a produção e entrega de antígenos e citocinas ao nível de mucosas. Dessa maneira, o uso de L. lactis como veículos para a terapia de DNA é bastante promissor. Neste contexto, foram desenvolvidas linhagens invasivas de L. lactis além de um novo plasmídeo capaz de se replicar em L. lactis, contendo um cassete de expressão eucariótica. Assim, a utilização de uma linhagem invasiva de L. lactis capaz de entregar o vetor de expressão eucariótico pValac codificando a Interleucina 10 (IL-10) de Mus musculus, uma potente citocina anti-inflamatória, representaria uma nova estratégia para o desenvolvimento de uma terapêutica alternativa contra as doe.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Fernanda Alvarenga Lima Barroso - Integrante / Anderson Miyoshi - Coordenador / Vasco Azevedo - Integrante / Meritxell ZURITA-TURK - Integrante / Jean Guy LeBlanc - Integrante.
2009 - 2010
Clonagem, expressão e endereçamento protéico em Lactococcus lactis da proteína hipotética Rv1419p de Mycobacterium tuberculosis
Descrição: A tuberculose, causada pelo bacilo Mycobacterium tuberculosis, é uma das doenças infecciosas mais graves no mundo e, apesar da vacinação com Mycobacterium bovis (BCG), é responsável por milhões de mortes anuais. Devido ao alto impacto na saúde pública acarretada pela tuberculose, a ausência de uma vacina preventiva eficaz e o aumento de problemas terapêuticos decorrentes da resistência a fármacos, existe uma clara necessidade de um melhor entendimento dos mecanismos da imunopatogênese da doença e desenvolvimento de novas estratégias profiláticas. Neste contexto, esse trabalho propõe-se a construir linhagens de Lactococcus lactis produtoras da proteína hipotética Rv1419p de M. tuberculosis H37Rv e avaliar o potencial biotecnológico e imuno-terapêutico dessas linhagens na geração de respostas imunes eficazes contra a tuberculose..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Fernanda Alvarenga Lima Barroso - Integrante / Anderson Miyoshi - Coordenador / Vasco Azevedo - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2008 - 2011
Construção de linhagens de Lactococcus lactis produtoras do antígeno Hsp65 de Mycobacterium leprae: desenvolvimento tecnológico do processo de obtenção da proteína recombinante livre de LPS e avaliação das linhagens na profilaxia contra a TB experimental
Descrição: A tuberculose (TB), ainda hoje, permanece como um dos principais problemas de saúde pública do mundo. Foi estimado que, cerca de um terço da população mundial, está infectada com o M. tuberculosis e três milhões de mortes são atribuídas, anualmente, à doença. A única vacina atualmente disponível contra a tuberculose é a BCG (Bacilo Calmette-Guérin) e, no entanto, esta possui eficácia bastante variável, de 0 a 80%, especialmente em países endêmicos. Diante disso, o desenvolvimento de novas vacinas contra a tuberculose tornou-se uma prioridade global. Uma das estratégias vacinais propostas e utilizadas para burlar esta situação é a utilização de antígenos candidatos provenientes de organismos filogeneticamente próximos. O antígeno Hsp65 de Mycobacterium leprae é bem caracterizado e possui propriedades imunogênicas capazes de gerar respostas imunes potentes contra diferentes agentes infecciosos. Entretanto, o maior inconveniente da utilização deste antígeno, seja na sua forma nativa ou recombinante, está relacionado à inexistência de um produto livre de contaminação por lipopolissacarídeo (LPS), contaminação seguramente proveniente dos processos de obtenção da molécula; o que pode gerar resultados falso-positivos e também comprometer sua utilização clínica. Neste contexto, este projeto propõe-se (i) a construir linhagens de Lactococcus lactis produtoras da forma citoplasmática e secretada do antígeno Hsp65 de M. leprae, (ii) avaliar a capacidade produtiva destas linhagens em relação à quantidade, qualidade e teor de LPS do antígeno recombinante, e (iii) caracterizar e avaliar o potencial vacinal das linhagens contra a tuberculose experimental; o que, por sua vez, propiciará o desenvolvimento tecnológico do processo de obtenção da proteína recombinante livre de LPS, e também contribuirá com a pesquisa e o desenvolvimento de uma nova estratégia vacinal não só contra a TB, mas também contra microrganismos filogeneticamente relacionados, como, por exemplo, M. leprae..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Fernanda Alvarenga Lima Barroso - Integrante / Anderson Miyoshi - Coordenador / Vasco Azevedo - Integrante / Marcela Santiago Pacheco de Azevedo - Integrante / Kátia Moraes Costa - Integrante / Tessália Diniz Luerce Saraiva - Integrante / Sarah Caroline Zanetti e Viguetti - Integrante / Aracelle Maria de Souza - Integrante.
2007 - 2008
Clonagem e Expressão do gene IpaC de Shigella sp em L. lactis
Descrição: As espécies do gênero Shigella causam uma infecção intestinal grave de transmissão via fecal-oral, denominada shiguelose. Essa doença é de incidência significativa principalmente em países em desenvolvimento. A alta incidência nesses países é geralmente atribuída à falta de saneamento básico, condições de higiene inadequadas, sub-nutrição, comportamento de risco e alto custo dos antibióticos. Após o sequenciamento do genoma de Shigella, vários genes de virulência foram identificados, sendo a maioria encontrada em um plasmídio (pINV) de 220 Kb. O pINV codifica 2 loci cruciais para seu fenótipo invasivo: o locus mxi-sp e o locus ipa. O operon mxi-spa codifica os componentes do sistema de secreção tipo III, importante por carrear proteínas do citoplasma bacteriano para a membrana citoplasmática ou para o citoplasma da célula hospedeira. O operon ipa codifica os antígenos plasmidiais de invasão denominados IpaA, IpaB, IpaC e IpaD, os quais são efetores para o processo de invasão bacteriana. Sabendo que essas proteínas podem ser altamente imunogênicas, principalmente a proteína IpaC, esses antígenos plasmidiais de invasão poderiam ser utilizados na construção de uma vacina, sendo carreados e secretados por uma outra bactéria não-patogênica. O presente trabalho tem como objetivo clonar o gene que codifica a proteína IpaC em um vetor xilose-induzido (pXies) e expressar essa proteína em bactérias da espécie Lactococcus lactis, a bactéria láctica modelo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Fernanda Alvarenga Lima Barroso - Integrante / Anderson Miyoshi - Coordenador / Vasco Azevedo - Integrante.


Projetos de desenvolvimento


2005 - 2010
Construção de um sistema food-grade de expressão gênica e endereçamento protéico para Lactococcus lactis
Descrição: As bactérias lácticas (BL) constituem um grupo de microrganismos Gram-positivos e anaeróbios facultativos capazes de converter açúcares em ácido láctico. Lactococcus lactis, a mais bem caracterizada bactéria láctica é um microrganismo amplamente utilizado na indústria alimentícia para a produção e preservação de produtos lácteos fermentados. Isso fez com que essa bactéria tenha sido extensivamente estudada para o uso na produção de proteínas de interesse biotecnológico com alto valor agregado, como por exemplo, enzimas e antígenos. Dentre os mais promissores sistemas de expressão gênica já desenvolvidos, encontra-se o sistema NICE (nisin controlled expression system), já utilizado para a produção de diversas proteínas heterólogas em diferentes BL; contudo, esse sistema é induzido pela presença de nisina, a qual pode inviabilizar a sua utilização extralaboratorial. Assim, foi desenvolvido em nosso laboratório um sistema de expressão gênica e endereçamento protéico para L. lactis denominado XIES, o qual combina o forte promotor PxylT, elementos genéticos (RBS e SP) da proteína Usp45 de L. lactis e o gene repórter nuc de Staphylococcus aureus. Esse sistema demonstrou ser capaz de produzir elevados níveis da proteína, além de corretamente endereçar o produto final para o citoplasma ou meio extracelular. No entanto, o sistema XIES não pode ser classificado como ?food grade?, uma vez que utiliza como marcador de seleção um gene de resistência a antibióticos. Dessa forma, é extremamente interessante que a realização de uma construção na qual os genes responsáveis pelo metabolismo da xilose, fenótipo variável em linhagens de L. lactis, funcionassem como marcadores de seleção. Assim, em um meio de cultivo bacteriano suplementado com xilose como única fonte de carbono, apenas as bactérias que contivessem os genes xylRAB (responsáveis pelo metabolismo de xilose) poderiam se proliferar e desempenhar a função desejada: a produção de proteínas de interesse..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.

Integrantes: Fernanda Alvarenga Lima Barroso - Integrante / Anderson Miyoshi - Coordenador / Vasco Azevedo - Integrante / Marcelle Oliveira de Almeida - Integrante.
Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Genética / Subárea: Genética Molecular e de Microorganismos.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Biologia Molecular.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2018
Relevância Acadêmica I, XXVII Semana de Iniciação Científica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
2018
Relevância Acadêmica II, XXVII Semana de Iniciação Científica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
2018
Menção Honrosa/Destaque acadêmico, XXVII Semana de Iniciação Científica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
2018
Grande Prêmio Conceição Ribeiro Machado, XXVII Semana de Iniciação Científica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).
2018
Menção Honrosa como melhor pôster., Gene Time Conference 2018..


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
PEREIRA, VANESSA BASTOS2014PEREIRA, VANESSA BASTOS ; ZURITA-TURK, MERITXELL ; SARAIVA, TESSÁLIA DINIZ LUERCE ; DE CASTRO, CAMILA PRÓSPERI ; SOUZA, BIANCA MENDES ; MANCHA AGRESTI, PAMELA ; LIMA, FERNANDA Alvarenga ; PFEIFFER, VANESSA NATHALIE ; AZEVEDO, MARCELA SANTIAGO PACHECO ; ROCHA, CLARISSA SANTOS ; PONTES, DANIELA SANTOS ; AZEVEDO, VASCO ; MIYOSHI, ANDERSON . DNA Vaccines Approach: From Concepts to Applications. WORLD JOURNAL OF VACCINES, v. 04, p. 50-71, 2014.

2.
DEL CARMEN, S.2013 DEL CARMEN, S. ; ZURITA-TURK, M. ; LIMA, F. ALVARENGA ; DOS SANTOS, J.S. COELHO ; LECLERCQ, S.Y. ; CHATEL, J.-M. ; AZEVEDO, V. ; DE MORENO DE LEBLANC, A. ; MIYOSHI, A. ; LEBLANC, J.G. . A Novel Interleukin-10 Dna Mucosal Delivery System Attenuates Intestinal Inflammation in a Mouse Model. European Journal of Inflammation, v. 11, p. 641-654, 2013.

3.
LEBLANC, JEAN2012 LEBLANC, JEAN ; CARMEN, SILVINA ; TURK, MERITXELL ; LIMA, FERNANDA ; PONTES, DANIELA ; MIYOSHI, ANDERSON ; AZEVEDO, VASCO ; DE LEBLANC, ALEJANDRA . Mechanisms Involved in the Anti-Inflammatory Properties of Native and Genetically Engineered Lactic Acid Bacteria. Anti-Infective Agents, v. 11, p. 59-69, 2012.

Capítulos de livros publicados
1.
Vanessa Bastos Pereira ; Marcela Santiago Pacheco Azevedo ; Saraiva, T. D. L. S ; Bianca Mendes Souza ; Meritxell Zurita Turk ; Camila Prósperi De Castro ; Pamela Mancha Agresti ; Fernanda Alvarenga Lima ; AZEVEDO, V. ; Daniela Santos Pontes ; MIYOSHI, A. . Use of bacteria in DNA vaccine delivery. http://www.formatex.info/microbiology4/vol3/1993-2003.pdf. 1ed.Espanha: Formatex, 2013, v. 3, p. 1993-2003.

2.
Jean Guy LeBlanc ; Silvina del Carmen ; Fernanda Alvarenga Lima ; Meritxell Zurita Turk ; MIYOSHI, A. ; AZEVEDO, V. ; Alejandra de Moreno de LeBlanc . Prospective Uses of Genetically Engineered Lactic Acid Bacteria for the Prevention of Inflammatory Bowel Diseases. Prospective Uses of Genetically Engineered Lactic Acid Bacteria for the Prevention of Inflammatory Bowel Diseases. 1ed.Londres: IntechOpen, 2012, v. 1, p. 223-238.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
LIMA, F. A.; Castro, C.P ; SOUZA, B.M ; Saraiva, T. D. L. S ; PEREIRA, V. B. ; MANCHA-AGREST, P. ; ZURITA-TURK, M. ; ROCHA, C. ; PFEIFFER, V. N. ; AZEVEDO, V. ; MIYOSHI, A. . Bactérias Lácticas: aplicações e perspectivas biotecnológicas. Microbiologia in foco, São Paulo, p. 4 - 12, 02 out. 2011.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
MANCHA-AGREST, P. ; PROSPERI, C.C ; Santos, J. S. C dos ; LIMA, F. A. ; ZURITA-TURK, M. ; PEREIRA, V. B. ; Saraiva, T. D. L. S ; AZEVEDO, VASCO ; LECLERCQ, S.Y. ; MIYOSHI, A. . Desenvolvimento de uma nova estratégia vacinal contra tuberculose utilizando Lactococus Lactis invasivas como veículos para a entrega do plasmídeo vacinal codificando o antígeno Ag85A de Mycobacterium Tuberculosis a células mamíferas. In: XXI Congresso Latinoamericano de Microbiología, 2012, Santos. XXI Congresso Latinoamericano de Microbiología, 2012, Santos Brasil, 2012.

2.
PROSPERI, C.C ; Santos, J. S. C dos ; MANCHA-AGREST, P. ; LIMA, F. A. ; ZURITA-TURK, M. ; Saraiva, T. D. L. S ; PEREIRA, V. B. ; AZEVEDO, V. ; LECLERCQ, S.Y. ; MIYOSHI, A. . Otimização de um plasmídeo vacinal, a ser veiculado por linhagens invasivas de Lactococcus lactis, por introdução da Sequência de Endereçamento Nuclear do vírus SV40. In: XXI Congresso Latinoamericano de Microbiología, 2012, Santos. XXI Congresso Latinoamericano de Microbiología, 2012, Santos Brasil, 2012.

3.
ZURITA-TURK, M. ; LIMA, F. A. ; DEL CARMEN, S. ; Santos, J. S. C dos ; PROSPERI, C.C ; MANCHA-AGREST, P. ; PEREIRA, V. B. ; AZEVEDO, V. ; LECLERCQ, S.Y. ; DE MORENO DE LEBLANC, A. ; LEBLANC, J.G. ; MIYOSHI, A. . Anti inflamatory effect of a fibronectin-binding protein expressing Lactococcus lactis containing a eukaryotic DNA vector coding for interleukin 10 using a murine model of Crohn´s disease.. In: XXXVII Congress of Brazilian Society of Immunology, 2012, Campos do Jordão. XXXVII Congress of Brazilian Society of Immunology, 2012, Campos do Jordão, Brasil, 2012.

4.
LIMA, F. A.; ZURITA-TURK, M. ; COSTA, K. M. ; PROSPERI, C.C ; MANCHA-AGREST, P. ; PEREIRA, V. B. ; Saraiva, T. D. L. S ; PFEIFFER, V. N. ; Le Loir, Y. ; AZEVEDO, V. ; MIYOSHI, A. . Clonagem, expressão e endereçamento protéico da enterotoxina B de Staphylococcus aureus em Lactococcus lactis. In: 26 Congresso de Microbiologia, 2011, Foz do Iguaçu. 26 Congresso de Microbiologia, 2011.

5.
ZURITA-TURK, M. ; LIMA, F. A. ; SANTOS, J. ; PROSPERI, C.C ; MANCHA-AGREST, P. ; Saraiva, T. D. L. S ; PEREIRA, V. B. ; PFEIFFER, V. N. ; AZEVEDO, V. ; LECLERCQ, S. Y. ; MIYOSHI, A. . Desenvolvimento de uma nova estratégia para tratamento de doenças inflamatórias intestinais utilizando Lactococcus lactis invasivas para entrega, em células mamíferas, de um plasmídeo terapêutico codificando a Interleucina-10 (IL-10) de Mus musculus.. In: 26 Congresso de Microbiologia, 2011, Foz do Iguaçu. 26 Congresso de Microbiologia, 2011.

6.
PEREIRA, V. B. ; MANCHA-AGREST, P. ; SANTOS, J. ; Saraiva, T. D. L. S ; ZURITA-TURK, M. ; PROSPERI, C.C ; LIMA, F. A. ; AZEVEDO, V. ; LECLERCQ, S. Y. ; MIYOSHI, A. . Construction and functional evaluation of a DNA vaccine for expression of the antigen ESAT-6 of Mycobacterium tuberculosis in mammalian cells, using an invasive lactic bacterium as a carrier vehicle.. In: 26 Congresso de Microbiologia, 2011, Foz do Iguaçu. 26 Congresso de Microbiologia, 2011.

7.
MANCHA-AGREST, P. ; SANTOS, J. ; PFEIFFER, V. N. ; PEREIRA, V. B. ; LIMA, F. A. ; ZURITA-TURK, M. ; PROSPERI, C.C ; Saraiva, T. D. L. S ; AZEVEDO, V. ; LECLERCQ, S. Y. ; MIYOSHI, A. . Construção e avaliação funcional do plasmídeo vacinal pValac:Ag85A: Desenvolvimento de uma nova estratégia vacinal contra a tuberculose.. In: 26 Congresso de Microbiologia, 2011, Foz do Iguaçu. 26 Congresso de Microbiologia, 2011.

8.
PROSPERI, C.C ; SANTOS, J. ; LIMA, F. A. ; ZURITA-TURK, M. ; MANCHA-AGREST, P. ; PEREIRA, V. B. ; PFEIFFER, V. N. ; Saraiva, T. D. L. S ; AZEVEDO, V. ; LECLERCQ, S. Y. ; MIYOSHI, A. . Otimização de instrumentos genéticos para utilização de Lactococcus lactis como veículos carreadores de vacinas gênicas.. In: 26 Congresso de Microbiologia, 2011, Foz do Iguaçu. 26 Congresso de Microbiologia, 2011.

9.
LIMA, F. A.; AZEVEDO, V. ; MIYOSHI, A. . Expressão heteróloga e endereçamento protéico em Lactococcus lactis da proteína hipotética Rv1419p de Mycobacterium tuberculosis: desenvolvimento de vacina alternativa contra a tuberculose experimental. In: 55º Congresso Brasileiro de Genética, 2009, Águas de Lindóia. Anais do 55º Congresso Brasileiro de Genética, 2009.

Apresentações de Trabalho
1.
LIMA, F. A.; Coimbra, M.M.B ; Souza, A.M ; COSTA, K. M. ; AZEVEDO, V. ; MIYOSHI, A. . Clonagem, expressão heteróloga e endereçamento protéico em Lactococcus lactis da proteína hipotética Rv1419p de Mycobacterium tuberculosis. 2009. (Apresentação de Trabalho/Outra).

2.
LIMA, F. A.; COSTA, K. M. ; AZEVEDO, M. S. P ; ALMEIDA, M. O. ; Viguetti, S.C.Z ; Saraiva, T. D. L. S ; AZEVEDO, V. ; MIYOSHI, A. . Clonagem, expressão e endereçamento protéico em Lactococcus lactis da proteína de invasão IpaC de Shigella sp: desenvolvimento de nova estratégia vacinal contra a shiguelose. 2008. (Apresentação de Trabalho/Outra).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Gene Time Conference 2018. 2018. (Outra).

2.
International Meeting-LIA/2018 Bact-Inflam. 2018. (Encontro).

3.
XXVII Semana de Iniciação Científica.AVALIAÇÃO DA FUNCIONALIDADE DO VETOR PEXU CODIFICANDO O GENE REPÓRTER MCHERRY EM CÉLULAS EUCARIÓTICAS INTESTINAIS, UTILIZANDO LACTOCOCCUS LACTIS ENCAPSULADA COMO VEÍCULO DE ENTREGA. 2018. (Outra).

4.
XXVII Semana de Iniciação Científica.LACTOCOCCUS LACTIS MG1363 COMO VEÍCULO DE ENTREGA DE UM PLASMÍDEO VACINAL/TERAPÊUTICO CODIFICANDO A PROTEÍNA HSP65 DE MYCOBACTERIUM LEPRAE: PERSPECTIVAS PARA O TRATAMENTO DA ESCLEROSE MÚLTIPLA EM MODELOS ANIMAIS. 2018. (Outra).

5.
26 Congresso de Microbiologia. Clonagem, expressão e endereçamento protéico da enterotoxina B de Staphylococcus aureus em Lactococcus lactis. 2011. (Congresso).

6.
Simpósio Internacional de Bactérias Lácticas. 2011. (Simpósio).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 17/02/2019 às 20:07:27