Rafael Bottaro Gelaleti

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/5406898158867898
  • Última atualização do currículo em 22/02/2018


Graduado em Ciências Biológicas (Licenciatura) pela Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira - UNESP. Desenvolveu trabalho de Iniciação Científica junto ao Laboratório de Hemoglobinas e Genética das Doenças Hematológicas, Departamento de Biologia, UNESP-IBILCE. Foi bolsista FAPESP de Treinamento Técnico nível-3, junto ao laboratório de Pesquisa Experimental de Ginecologia e Obstetrícia, FMB-UNESP. Possui Mestrado e Doutorado em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia - Área: Ciências da Saúde pela Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP com bolsas FAPESP e CAPES e Pós-Doutorado nas áreas de Biociências e Nanotecnologia, pelo Instituto de Biociências de Botucatu UNESP com bolsa CNPq. Tem experiência na área de Genética Molecular, Humana e Médica, Biologia Molecular, Biologia da Reprodução e na área da Saúde Materno/Infantil com ênfase em Diabete. Faz parte do grupo de pesquisa: Diabete e Gravidez Clínico e Experimental cadastrado no CNPq. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Rafael Bottaro Gelaleti
Nome em citações bibliográficas
GELALETI, R. B.;GELALETI, RAFAEL BOTTARO;GELALETI, RAFAEL B;GELALETI, R.;GELALETI, RAFAEL


Formação acadêmica/titulação


2012 - 2016
Doutorado em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia.
Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP, FMB - UNESP, Brasil.
Título: AVALIAÇÃO NO PADRÃO DE EXPRESSÃO GÊNICA EM CÉLULAS DO SANGUE TOTAL DE GESTANTES DIABÉTICAS E COM HIPERGLICEMIA GESTACIONAL LEVE, Ano de obtenção: 2016.
Orientador: MARILZA VIEIRA CUNHA RUDGE.
Coorientador: DÉBORA CRISTINA DAMASCENO.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: DIABETE; HIPERGLICEMIA GESTACIONAL LEVE; Microarray; Expressão Gênica; Genética; Biologia Molecular.
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Genética / Subárea: Genética Humana e Médica / Especialidade: BIOLOGIA MOLECULAR.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Genética / Subárea: Genética Humana e Médica.
2010 - 2012
Mestrado em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia.
Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP, FMB - UNESP, Brasil.
Título: ANÁLISES MOLECULARES EM GESTANTES COM DIABETE E HIPERGLICEMIA LEVE E EM SEUS RECÉM-NASCIDOS,Ano de Obtenção: 2012.
Orientador: MARILZA VIEIRA CUNHA RUDGE.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: DIABETE; GLY972ARG; IRS-1; POLIMORFISMOS; GESTAÇÃO; HIPERGLICEMIA GESTACIONAL LEVE.
Grande área: Ciências Biológicas
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Genética / Subárea: Genética Humana e Médica / Especialidade: BIOLOGIA MOLECULAR.
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: Saúde Materno-Infantil.
2009 - 2010
Especialização em Treinamento Técnico Nível 3. (Carga Horária: 40h).
Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP, FMB - UNESP, Brasil.
Título: Avaliação gênica e de proteínas do sangue e da placenta de gestantes diabéticas e com hiperglicemia leve.
Orientador: Marilza Vieira Cunha Rudge.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
2004 - 2008
Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas.
UNESP - Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, FEIS, Brasil.


Pós-doutorado


2016 - 2017
Pós-Doutorado.
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Grande área: Ciências Biológicas
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Biologia Geral / Subárea: Nanotecnologia.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Biologia Geral / Subárea: Biociências.


Formação Complementar


2015 - 2015
Genética Molecular Humana na Prática Biomédica. (Carga horária: 60h).
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP, UNESP - FMB, Brasil.
2013 - 2013
Oratória - Como Falar Bem em Público. (Carga horária: 7h).
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP, UNESP - FMB, Brasil.
2013 - 2013
Biologia Molecular. (Carga horária: 60h).
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP, UNESP - FMB, Brasil.
2011 - 2011
Translational Researches in Complicated Pregnancie. (Carga horária: 30h).
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP, UNESP - FMB, Brasil.
2011 - 2011
Biologia Molecular. (Carga horária: 16h).
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP, UNESP - FMB, Brasil.
2011 - 2011
Principios de Biologia Molecular. (Carga horária: 16h).
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP, UNESP - FMB, Brasil.
2011 - 2011
Proficiência em Língua Inglesa.
Instituto Cultural Brasil-Estados Unidos, ICBEU, Brasil.
2010 - 2010
Embriologia. (Carga horária: 60h).
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP, UNESP - FMB, Brasil.
2010 - 2010
Bioquímica. (Carga horária: 60h).
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP, UNESP - FMB, Brasil.
2010 - 2010
Fisiologia. (Carga horária: 60h).
FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP, UNESP - FMB, Brasil.
2010 - 2010
Missão de Estudo - PROCAD - CAPES (057/2007). (Carga horária: 232h).
Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.
2008 - 2008
ESTÁGIO - LAPGO - GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA. (Carga horária: 60h).
UNESP - FACULDADE DE MEDICINA - CAMPUS DE BOTUCATU, UNESP-FMB, Brasil.
2007 - 2008
PESQUISA DA MUTAÇÃO S65C NO GENE HFE EM PORTADORES. (Carga horária: 700h).
UNESP - Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, IBILCE, Brasil.
2006 - 2007
DIAGNÓSTICO CLÁSSICO DE HEMOGLOBINOPATIAS. (Carga horária: 560h).
UNESP - Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, IBILCE, Brasil.
2006 - 2006
Extensão universitária em Diagnóstico das Anemias. (Carga horária: 40h).
UNESP - Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, IBILCE, Brasil.


Atuação Profissional



Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva, FAIT, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 4
Outras informações
Professor Titular da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva (FAIT) da disciplina de Biologia Humana e Bioquímica, no 1º período do curso de Educação Física (Bacharelado e Licenciatura).


UNESP - FACULDADE DE MEDICINA - CAMPUS DE BOTUCATU, UNESP-FMB, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pós-Doutorado (Bolsista Recém-Doutor PROPE), Carga horária: 40

Vínculo institucional

2012 - 2016
Vínculo: Aluno de Doutorado, Enquadramento Funcional: Aluno de Doutorado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Aluno de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP

Vínculo institucional

2010 - 2012
Vínculo: Mestrado, Enquadramento Funcional: Aluno de Mestrado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Aluno de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia da Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP

Vínculo institucional

2009 - 2010
Vínculo: Aperfeiçoamento Bolsa-FAPESP, Enquadramento Funcional: Treinamento Técnico (Nível Superior III), Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Treinamento Técnico (Nível Superior III): "Avaliação gênica e de proteínas do sangue e da placenta de gestantes diabéticas e com hiperglicemia leve" desenvolvido no Laboratório de Pesquisa Experimental de Genecologia e Obstetrícia. Vinculado ao Auxílio Pesquisa nº 2008/06480-6. Orientação: Profa. Dra. Marilza Vieira Cunha Rudge.

Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Graduado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Rafael realiza estágio junto ao Departamento de Ginecologia e Obstetrícia/FMB/UNESP

Vínculo institucional

2008 - 2008
Vínculo: Aluno de graduação, Enquadramento Funcional: Estágio voluntário


Escola Estadual Arno Hausser, E.E.ARNO HAUSSER, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2008
Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Professor de Ciências


Escola Estadual Urubupungá, E.E. URUBUPUNGÁ, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2008
Vínculo: PROFESSOR EVENTUAL, Enquadramento Funcional: PROFESSOR EVENTUAL, Carga horária: 20
Outras informações
PROFESSOR EVENTUAL DA ESCOLA ESTADUAL URUBUPUNGÁ NAS DISCIPLINAS DE BIOLOGIA, QUÍMICA, FÍSICA E MATEMÁTICA DURANTE DOIS ANOS.


UNESP - Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, IBILCE, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2008
Vínculo: INSTITUCIONAL - ESTAGIÁRIO, Enquadramento Funcional: ALUNO DE GRADUAÇÃO, Carga horária: 40


UNESP - Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, FEIS, Brasil.
Vínculo institucional

2005 - 2005
Vínculo: PROFESSOR DO PROJETO EJA, Enquadramento Funcional: PROFESSOR VOLUNTÁRIO DO PROJETO EJA, Carga horária: 4
Outras informações
PROFESSOR VOLUNTÁRIO DO PROJETO EJA - EDUCAÇÃO PARA JOVENS E ADULTOS NAS DISCIPLINAS DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA.


UNESP - Instituto de Biociências de Botucatu, IBB-UNESP, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pós-Doutorado, Carga horária: 40


Sociedade Cultural e Educacional de Garça, FAEF, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor Titular II
Outras informações
Professor Titular do curso superior de Enfermagem.


Faculdade da Fundação Educacional Araçatuba, FAC FEA, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor 1, Carga horária: 12
Outras informações
Professor Titular do curso superior de Psicologia.



Projetos de pesquisa


2016 - Atual
AVALIAÇÃO DO PERFIL DE EXPRESSÃO GÊNICA EM RATAS DIABÉTICAS E SEUS RECÉM-NASCIDOS APÓS ADMINISTRAÇÃO DE NANOPARTÍCULAS MAGNÉTICAS
Descrição: Diabete é uma doença da atualidade de extrema importância, pois, o numero de indivíduos com esta patologia cresce cada dia mais devido a vários fatores, que vão desde hábitos diários à fatores genéticos. O emprego de nanotecnologia oferece novas alternativas para o diagnóstico e o tratamento de diferentes tipos de doenças em diferentes estágios, graças à extraordinária versatilidade destes nano-agentes, porém, as vantagens oferecidas pelo potencial teranóstico das nanopartículas são limitadas pela falta de uma técnica apropriada de detecção e pela garantia da segurança do emprego de nanopartículas magnéticas no tratamento das doenças. Com isso, o objetivo do estudo é identificar o perfil de expressão gênica em células do sangue total de ratas da linhagem Sprague Dawley diabéticas e não diabéticas e seus recém-nascidos após administração de nanopartículas magnéticas. A indução do diabete moderado será feita com uso de droga beta-citotóxica, streptozotocin, na dose de 70 mg/kg via subcutânea no 5º dia de vida pós-natal. O teste oral de tolerância à glicose (TOTG) será determinante para confirmar o estado diabético na idade adulta. Ratas adultas serão acasaladas com machos saudáveis e, após confirmação da prenhez serão distribuídas aleatoriamente em quatro grupos com base na doença e aplicação de nanopartículas durante a prenhez a cada três dias. No final da prenhez os animais serão sacrificados, coletados sangue total e fígado das mães e recém-nascidos para quantificação, avaliação do perfil de distribuição e acumulo das nanopartículas, segundo protocolo estabelecido no grupo. Amostras de sangue total serão armazenadas para posterior extração de RNA e avaliação do perfil de expressão gênica em larga escala (microarray). Este projeto inovador possui um grande potencial na área nanotecnologica e sua biodistribuição, que pode desencadear avanços significativos nas aplicações e segurança dos sistemas nano-estruturados, gerando um impacto expressivo no possível diagnóstico e tratamento de doenças e na otimização de técnicas terapêuticas..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2013 - 2016
AVALIAÇÃO NO PADRÃO DE EXPRESSÃO GÊNICA EM CÉLULAS DO SANGUE TOTAL DE GESTANTES DIABÉTICAS E COM HIPERGLICEMIA GESTACIONAL LEVE

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Marilza Vieira Cunha Rudge em 15/06/2015.
Descrição: Gestantes portadoras de hiperglicemia gestacional leve (HGL) apresentam diagnóstico negativo para Diabetes mellitus gestacional (DMG) no teste de tolerância à glicose (TTG100g normal), mas rastreamento positivo com resposta alterada no perfil glicêmico (PG). Este grupo foi identificado primeiramente em 1983, quando um projeto prospectivo foi desenvolvido para padronização do PG comparando-o com o TTG100g para o diagnóstico do diabete na gestação. Essas gestantes apresentam resistência à insulina, intolerância à glicose, maior susceptibilidade de desenvolver Diabetes mellitus Tipo 2 (DM2) alguns anos após o parto e 53,8% de seus recém-nascidos (RN) são grandes para idade gestacional e/ou macrossômicos, semelhantes às mulheres com DMG. A literatura descreve que existem diversos genes relacionados ao diabete. Além disso, é conhecido que a fisiopatologia do DMG e DM2 também está relacionada com anormalidades genéticas, as quais são amplamente estudadas. O presente estudo objetiva identificar alterações no padrão de expressão gênica para determinar biomarcadores que evidenciem a presença de diabetes ou de hiperglicemia gestacional leve nas gestantes. Serão avaliadas mulheres atendidas no Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina? UNESP, Botucatu ? SP, e selecionadas com base na ausência de doenças crônicas e infecciosas, não fumantes e que não estejam sob radioterapia. As pacientes submetidas aos testes diagnósticos serão divididas em 4 grupos: 1) grupo com rastreamento negativo (mulheres com TTG e Perfil glicêmico normais), 2) Hiperglicemia gestacional leve (mulheres com TTG normal e Perfil glicêmico alterado, 3) Diabete Gestacional (mulheres com TTG alterado e Perfil glicêmico normal ou TTG e Perfil glicêmico alterados), 4) Diabete tipo 2 (mulheres com TTG e Perfil glicêmico alterados) respectivamente. Serão coletadas amostras de sangue periférico dos diferentes grupos e essas amostras serão processadas imediatamente para posterior extração de RNA, expressão gênica de larga escala e análise/interpretação dos dados de expressão. Os genes com alteração de expressão gênica serão submetidos à análise de redes, vias gênicas, doenças relacionadas e função celular ou molecular com a utilização do software Ingenuity Pathways Analysis (IPA) (Ingenuity Systems)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Integrante / Débora Cristina Damasceno - Integrante / Daisy Maria Favero Salvadori - Integrante / Marilza Vieira Cunha Rudge - Coordenador / Iracema de Mattos Paranhos Calderon - Integrante / GIOVANA FERNANDA COSI BENTO - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2012 - 2016
MECANISMOS MOLECULARES ASSOCIADOS À OBESIDADE: RELAÇÃO ENTRE DIABETES MELLITUS GESTACIONAL, MODULAÇÃO DO EPIGENOMA FETAL E PREDISPOSIÇÃO À OBESIDADE
Descrição: A obesidade é uma doença de etiologia multifatorial, resultante de interações complexas entre fatores genéticos e ambientais. No entanto, o aumento acentuado de sua incidência, precocidade e severidade não são ainda totalmente entendidos. Diversos achados sugerem, que estímulos estressores (p.ex. diabete e alterações nutricionais) durante o desenvolvimento intrauterino podem promover alterações epigenéticas e consequentemente transcricionais, que se refletirão no desenvolvimento fetal predispondo ao desenvolvimento tardio de doenças. Portanto, o presente estudo tem por objetivo identificar, em células de placenta (faces materna e fetal) e sangue periférico, eventos genéticos (expressão gênica em larga escala e expressão de microRNAs) e epigenéticos (metilação gênica) que estejam relacionados a maior risco para o desenvolvimento de obesidade em recém-nascidos de mães com diabetes melittus gestacional (DMG). Para tanto, serão incluídos no estudo gestantes diagnosticadas com DMG (Grupo 1, n = 15) e seus respectivos recém-nascidos (Grupo 2, n = 15), e gestantes saudáveis (Grupo 3, n = 15) e seus recém-nascidos (Grupo 4, n = 15). Adicionalmente, participarão do estudo indivíduos adultos obesos (Grupo 5, n = 15) e eutróficos (Grupo 6, n = 15) como população de referência. Espera-se, que o conhecimento das alterações moleculares que possam relacionar o diabete durante a gestação ao desenvolvimento da obesidade, contribua para o estabelecimento de estratégias de prevenção ou redução do risco para essa alteração metabólica...
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Integrante / Débora Cristina Damasceno - Integrante / Daisy Maria Favero Salvadori - Coordenador / Marilza Vieira Cunha Rudge - Integrante / Iracema de Mattos Paranhos Calderon - Integrante / João Paulo de Castro Marcondes - Integrante / Maruhen Amir Datsch Silveira - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.
2012 - 2016
CARACTERIZAÇÃO MOLECULAR DA PROGRAMAÇÃO FETAL NO DIABETE GESTACIONAL: PREDISPOSIÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA OBESIDADE

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Marilza Vieira Cunha Rudge em 15/04/2013.
Descrição: O conceito de "programação fetal" tem recebido atenção especial devido à perspectiva de, ainda na vida intra-uterina, poder-se interferir em fatores relacionados à gênese e desenvolvimento de doenças na infância, adolescência e vida adulta. Por outro lado, o fato da literatura mostrar que crianças nascidas de mães com Diabetes mellitus gestacional (DMG) têm risco aumentado para o desenvolvimento de obesidade na vida adulta, torna de grande relevância a caracterização da hiperglicemia como agente estressor e a identificação do(s) mecanismo(s) pelo qual(ais) atua. Nesse contexto, o presente Projeto de Pesquisa busca classificar mulheres com Diabetes Mellitus (Gestacional e Tipo 2) e Hiperglicemia Gestacional Leve (HGL) e elucidar alguns dos mecanismos pelos quais esses distúrbios podem predispor o feto/recém-nascido para o desenvolvimento da obesidade. Assim, são apresentados dois subprojetos que se complementam e que têm como objetivo geral a caracterização genômica de gestantes diabéticas e com hiperglicemia gestacional leve e a identificação de efeitos toxicogenômicos induzidos por essa desordem metabólica no feto/recém-nascido que favoreceriam o desenvolvimento de obesidade. Particularmente, o Subprojeto 1 visa a caracterização molecular de gestantes diabéticas e com hiperglicemia gestacional leve, e o Subprojeto 2 busca a identificação de marcadores de programação fetal relacionados ao estímulo estressor da hiperglicemia na vida intra-uterina que estariam relacionados à obesidade. Fazem parte da casuística do Subprojeto 1, gestantes do grupos: 1) Não-Diabético - ND - (com rastreamento positivo e diagnóstico negativo para DM ou seja com TTG75g e Perfil glicêmico normais), 2) Hiperglicemia Gestacional Leve - HGL - (mulheres com TTG normal e Perfil glicêmico alterado, 3) Diabete Gestacional - DG - (mulheres com TTG alterado e Perfil glicêmico normal) 4) Diabete Gestacional e Clínico - DGC - (mulheres com TTG e Perfil glicêmico alterados). No subprojeto 2 serão inclu.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Integrante / Débora Cristina Damasceno - Integrante / Daisy Maria Favero Salvadori - Integrante / Marilza Vieira Cunha Rudge - Coordenador / Iracema de Mattos Paranhos Calderon - Integrante / Silvia Regina Rogatto - Integrante / João Paulo de Castro Marcondes - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro.
2012 - 2016
PERFIL DA EXPRESSÃO GÊNICA EM CÉLULAS DO SANGUE TOTAL DE GESTANTES COM HIPERGLICEMIA GESTACIONAL LEVE
Descrição: Gestantes portadoras de hiperglicemia gestacional leve (HGL) apresentam diagnóstico negativo para Diabetes mellitus gestacional (DMG) no teste de tolerância à glicose (TTG100g normal), mas rastreamento positivo com resposta alterada no perfil glicêmico (PG). Este grupo foi identificado primeiramente em 1983, quando um projeto prospectivo foi desenvolvido para padronização do PG comparando-o com o TTG100g para o diagnóstico do diabete na gestação. Essas gestantes apresentam resistência à insulina, intolerância à glicose, maior susceptibilidade de desenvolver Diabetes mellitus Tipo 2 (DM2) alguns anos após o parto e 53,8% de seus recém-nascidos (RN) são grandes para idade gestacional e/ou macrossômicos, semelhantes às mulheres com DMG. A literatura descreve que existem diversos genes relacionados ao diabete. Além disso, é conhecido que a fisiopatologia do DMG e DM2 também está relacionada com anormalidades genéticas, as quais são amplamente estudadas. O presente estudo objetiva identificar alterações no padrão de expressão gênica para determinar biomarcadores que evidenciem a presença de diabetes ou de hiperglicemia gestacional leve nas gestantes. Serão avaliadas mulheres atendidas no Hospital das Clinicas da Faculdade de Medicina? UNESP, Botucatu ? SP, e selecionadas com base na ausência de doenças crônicas e infecciosas, não fumantes e que não estejam sob radioterapia. As pacientes submetidas aos testes diagnósticos serão divididas em 4 grupos: 1) grupo com rastreamento negativo (mulheres com TTG e Perfil glicêmico normais), 2) Hiperglicemia gestacional leve (mulheres com TTG normal e Perfil glicêmico alterado, 3) Diabete Gestacional (mulheres com TTG alterado e Perfil glicêmico normal ou TTG e Perfil glicêmico alterados), 4) Diabete tipo 2 (mulheres com TTG e Perfil glicêmico alterados) respectivamente. Serão coletadas amostras de sangue periférico dos diferentes grupos e essas amostras serão processadas imediatamente para posterior extração de RNA, expressão gênic.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Coordenador / Débora Cristina Damasceno - Integrante / Marilza Vieira Cunha Rudge - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.
2012 - 2014
EFEITO DO DIABETES MELLITUS GESTACIONAL NA MODULAÇÃO DE GENES RELACIONADOS AO METABOLISMO MITOCONDRIAL E A IMPLICAÇÃO NA PREDISPOSIÇÃO DO RECÉM-NASCIDO À OBESIDADE
Descrição: A obesidade é uma doença de etiologia multifatorial, resultante de interações complexas entre fatores genéticos e ambientais. No entanto, o aumento acentuado de sua incidência, precocidade e severidade não são ainda totalmente entendidos. Diversos achados sugerem que estímulos estressores (p.ex. diabete, alterações nutricionais, compostos do cigarro) durante o desenvolvimento intrauterino podem promover alterações epigenéticas, transcricionais, além de afetar o metabolismo mitocondrial, podendo modular o desenvolvimento fetal e predispor ao desenvolvimento tardio de doenças, como por exemplo, a obesidade e outros componentes da síndrome metabólica. Portanto, o presente estudo tem por objetivo avaliar, em células de placenta (faces materna e fetal) e sangue de cordão umbilical de recém-nascidos de mães com diabetes melittus gestacional (DMG) se determinados eventos genéticos (expressão de genes relacionados ao metabolismo mitocondrial - MnSOD, PPAR-α e PGC- 1α), epigenéticos (metilação gênica) e alterações proteicas, estão relacionados a um maior risco para o desenvolvimento de obesidade na vida adulta. Para tanto, serão incluídos no estudo gestantes diagnosticadas com DMG (Grupo 1, n = 15) e seus respectivos recém-nascidos (Grupo 2, n = 15) e gestantes saudáveis (Grupo 3, n = 15) e seus recém-nascidos (Grupo 4, n = 15). Adicionalmente, participarão do estudo indivíduos adultos obesos (Grupo 5, n = 15) e eutróficos (Grupo 6, n = 15) como populações de referência. Espera-se, que o conhecimento das alterações moleculares que possam relacionar o diabete durante a gestação ao desenvolvimento da obesidade, contribua para o estabelecimento de estratégias de prevenção ou redução do risco para essa alteração metabólica..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Integrante / Débora Cristina Damasceno - Integrante / Daisy Maria Favero Salvadori - Coordenador / Marilza Vieira Cunha Rudge - Integrante / Iracema de Mattos Paranhos Calderon - Integrante / João Paulo de Castro Marcondes - Integrante / Maruhen Amir Datsch Silveira - Integrante.
2011 - 2013
APPROACHES IN WHOLE BLOOD THAWING FOR GENOTOXICITY ANALYSIS IN RATS

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Débora Cristina Damasceno em 06/07/2014.
Descrição: The comet assay is a sensitive method for detecting DNA damage and is widely used in isolated human lymphocytes. This test involves time-consuming experiments and the samples should immediately be processed after collection. Hininger et al. (2004) froze human whole blood samples to optimize the time and to use the samples for future analyzes and thawed them after four months. Following this study, the aim was to standardize a frozen and thawing protocol of whole blood samples from rats following modified Hininger et al. (2004) protocol to store blood samples for future analyzes of DNA damage. After rat blood collection, samples were randomly processed using four different tests: Test 1: This experiment followed Lima et al. (2008) protocol with freshly isolated rat lymphocytes, which are used as gold standard for comet assay. Test 2: This test was performed according to modified Hininger et al. (2004) protocol. Test 3: similar test to Hininger et al. (2004) freezing process, but with changes in thawing technique. Test 4: In this test fresh whole blood was used and considered as the control experiment. The samples were performed in duplicate; 20ml of sample were added to 120ml of low melting point (LMP) agarose. The mixtures were layered onto slides precoated with normal melting point (NMP). The slides were immersed in lysis solution, after immersed in alkaline electrophoresis buffer, electrophoresed, neutralized and stained for DNA damage evaluation. The results showed that the tests 1, 2, 3 and 4 showed no statistically significant differences (p> 0.05) among themselves, when analyzed using comet assay by software (tail intensity) or by visual score. Therefore, it was concluded that the tests with frozen whole blood were viable showing greater efficiency and reducing cost and time in laboratory practice. Thus, the present study also offers a new approach in experimental investigation, since most articles that address this issue is held in humans..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Integrante / Débora Cristina Damasceno - Coordenador / Marilza Vieira Cunha Rudge - Integrante / Iracema de Mattos Paranhos Calderon - Integrante / Rebeca Germano Serrano - Integrante / Aline de Oliveira Netto - Integrante / Silvana Barroso Corvino - Integrante / GUSTAVO TADEU VOLPATO - Integrante / Isabela Lovizuto Iessi - Integrante / Kleber Eduardo de Campos - Integrante.
2010 - 2012
GESTAÇÃO COMPLICADA POR HIPERGLICEMIA GESTACIONAL LEVE E DIABETE GESTACIONAL COMO JANELA DE SUSCETIBILIDADE, IDENTIFICADA POR BIOMARCADORES MATERNOS, PLACENTÁRIOS E DO SANGUE DE CORDÃO, PARA PREVENÇÃO DO DIABETE CLÍNICO

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Marilza Vieira Cunha Rudge em 17/06/2014.
Descrição: A literatura atual está reconhecendo que a hiperglicemia materna, de qualquer intensidade e independente do diagnóstico de diabete gestacional, deve ser controlada pelo risco de resultados perinatais adversos. O Centro de Investigação do Diabete Perinatal ? CIDPN da Faculdade de Medicina de Botucatu, utilizando dois testes-diagnósticos paralelos, identificou quatro grupos de gestantes com respostas diferenciadas ao teste de tolerância oral à glicose de 100 gramas (TTG 100g) associado ao perfil glicêmico. Esses grupos constituíam-se de gestantes normoglicêmicas (não-diabéticas) denominadas Grupo IA de Rudge; gestantes diabéticas (DMG) (com diabete clínico ou gestacional) de acordo com a literatura constituíram os Grupos IIA e IIB e gestantes com hiperglicemia gestacional leve (HGL) que apresentavam TTG 100g normal e perfil glicêmico (PG) alterado e não tinham correspondência com a classificação de P. White, foram denominadas de grupo IB de Rudge (Rudge et al., 2005). Os achados descritos evidenciam que esse grupo de gestantes que apresentam hiperglicemia leve tem as mesmas repercussões maternas, neonatais e placentárias das gestantes diabéticas. Essas gestantes apresentam resistência à insulina (RI), intolerância à glicose, maior susceptibilidade de desenvolver Diabete Tipo 2 alguns anos após o parto, e 53,8% de seus recém-nascidos (RN) são grandes para idade gestacional e/ou macrossômicos, semelhantes às mulheres com DMG. Atualmente, os estudos com DMG e HGL devem estar direcionados à busca de marcadores na gestação, na placenta e no sangue de cordão, usando as mais avançadas técnicas de laboratório, que mostrem o maior ou menor risco da gestante desenvolver diabete no futuro e não apenas investigações nas mães e resultados perinatais imediatos. Encontrar marcadores previamente que estejam ligados à persistência dessa RI pode representar um avanço do conhecimento e levar ao desenvolvimento de novos fármacos ou de alteração na prescrição de fármacos já existentes no mercado. Portanto, o presente estudo objetiva identificar biomarcadores em gestação complicada por hiperglicemia gestacional leve e diabete gestacional na placenta, no sangue de cordão e no colostro como preditores da manutenção da resistência à insulina (RI) e de síndrome metabólica-SM (?diabesity?) seis semanas após o parto. O estudo será desenvolvido no Centro de Investigação do Diabete Perinatal da FMB-Unesp, referência para as gestações complicadas por diabete e hiperglicemia leve, e outras unidades de atendimento a gestantes das redes de intercâmbio. Em torno da 24ª ? 28ª semana de gestação, será realizado o Teste Oral de Tolerância à Glicose de 100g acompanhado do perfil glicêmico para diagnóstico do DMG e HGL. Serão incluídas gestantes portadoras de (i) HGL (TTG100g normal e PG alterado - Grupo IB de Rudge), (ii) DMG (TTG100g e PG alterados - Grupos IIA e IIB de Rudge) e (iii) não diabéticas (TTG100g e PG normais - grupo IA de Rudge), com fator de risco para diabete gestacional (ND/FR+). Amostras de sangue periférico materno, placenta, sangue de cordão umbilical (parto) e colostro (até 72 horas pós-parto) serão coletados por profissional experiente e armazenadas para posterior análise de biomarcadores..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (7) / Doutorado: (7) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Integrante / Débora Cristina Damasceno - Integrante / Marilza Vieira Cunha Rudge - Coordenador / Jusciele Brogin Moreli - Integrante / Glilciane Morceli - Integrante / Yuri Karen Sinzato - Integrante / Iracema de Mattos Paranhos Calderon - Integrante / Lessandra de Rosa - Integrante / Edlaine Cristina de Lego - Integrante / Aline Bueno - Integrante / Rebeca Germano Serrano - Integrante / Aline de Oliveira Netto - Integrante / Silvana Barroso Corvino - Integrante / Gabriela Marini - Integrante / Roberto Antonio de Araújo Costa - Integrante / Maria Aparecida Mourão Brasil - Integrante / Claudia Garcia Magalhães - Integrante / José Eduardo Corrente - Integrante / Adriano Dias - Integrante / Bruna Dalaqua - Integrante / Felipe Hiroshi Saito - Integrante / Joice Vernini - Integrante / Fernanda Piculo - Integrante / Isabela Lovizuto Iessi - Integrante / Ana Maria Cirino Ruocco - Integrante / Vânia Bueno Magalhães - Integrante / Luciana Vaz A. Silveira - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2010 - 2011
ANÁLISES MOLECULARES EM GESTANTES COM DIABETE E HIPERGLICEMIA LEVE E EM SEUS RECÉM-NASCIDOS
Descrição: O grupo IB corresponde a gestantes portadoras de hiperglicemia leve, ou seja, gestantes que apresentam rastreamento positivo, mas diagnóstico negativo para diabete gestacional (DMG) teste de tolerância a glicose (TTG100g normal), e resposta alterada no perfil glicêmico (PG). Este grupo foi, acidentalmente, identificado em 1983, quando projeto prospectivo foi desenvolvido para padronização do PG comparando-o com o TTG100g no diagnóstico do diabete na gestação. Essas gestantes apresentam resistência à insulina, intolerância à glicose, maior susceptibilidade de desenvolver Diabete Tipo 2 alguns anos após o parto, e 53,8% de seus recém-nascidos (RN) são grandes para idade gestacional e/ou macrossômicos, semelhantes às mulheres com DMG. A sinalização da insulina é mediada por uma complexa e altamente integrada rede que controla vários processos, sendo responsável pela maioria das ações metabólicas da insulina, pela regulação da expressão de alguns genes e controle do crescimento e diferenciação celular. O gene do substrato receptor de insulina 1 (IRS-1) produz a proteína IRS-1, que é uma molécula expressa em muitos tecidos sensíveis à insulina, no qual tem um papel muito importante na regulação dos efeitos da insulina na célula. O gene IRS-1 é altamente polimórfico, e esses polimorfismos podem prejudicar gravemente a função do IRS-1. A substituição mais prevalente é o polimorfismo Gly-Arg no codon 972 (Arg972) do gene IRS-1 que mostra ligação direta a resistência à insulina, alterações lipídicas, Diabetes mellitus gestacional e Diabetes mellitus tipo 2. O presente estudo objetiva avaliar o quadro de diabetes e hiperglicemia leve na gestação, para identificar possíveis alterações genéticas relacionadas a essa alteração glicêmica, que podem aumentar o risco para o desenvolvimento de futuras doenças degenerativas na própria gestante ou em seus descendentes..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2011
AVALIAÇÃO DA PRESENÇA DO POLIMORFISMO ARG972 DO GENE DO IRS-1 EM GESTANTES DIABÉTICAS E COM HIPERGLICEMIA LEVE E EM SEUS RECÉM-NASCIDOS
Descrição: O grupo IB corresponde a gestantes portadoras de hiperglicemia leve, ou seja, gestantes que apresentam rastreamento positivo, mas diagnóstico negativo para diabete gestacional (DMG) teste de tolerância a glicose (TTG100g normal), e resposta alterada no perfil glicêmico (PG). Este grupo foi, acidentalmente, identificado em 1983, quando projeto prospectivo foi desenvolvido para padronização do PG comparando-o com o TTG100g no diagnóstico do diabete na gestação. Essas gestantes apresentam resistência à insulina, intolerância à glicose, maior susceptibilidade de desenvolver Diabete Tipo 2 alguns anos após o parto, e 53,8% de seus recém-nascidos (RN) são grandes para idade gestacional e/ou macrossômicos, semelhantes às mulheres com DMG. A sinalização da insulina é mediada por uma complexa e altamente integrada rede que controla vários processos, sendo responsável pela maioria das ações metabólicas da insulina, pela regulação da expressão de alguns genes e controle do crescimento e diferenciação celular. O gene do substrato receptor de insulina 1 (IRS-1) produz a proteína IRS-1, que é uma molécula expressa em muitos tecidos sensíveis à insulina, no qual tem um papel muito importante na regulação dos efeitos da insulina na célula. O gene IRS-1 é altamente polimórfico, e esses polimorfismos podem prejudicar gravemente a função do IRS-1. A substituição mais prevalente é o polimorfismo Gly-Arg no codon 972 (Arg972) do gene IRS-1 que mostra ligação direta a resistência à insulina, alterações lipídicas, Diabetes mellitus gestacional e Diabetes mellitus tipo 2. O presente estudo objetiva avaliar o quadro de diabetes e hiperglicemia leve na gestação, para identificar possíveis alterações genéticas relacionadas a essa alteração glicêmica, que podem aumentar o risco para o desenvolvimento de futuras doenças degenerativas na própria gestante ou em seus descendentes..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Integrante / Paula Helena Ortiz Lima - Integrante / Marilza Vieira Cunha Rudge - Coordenador.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.
2008 - 2011
AVALIAÇÃO DA GENOTOXICIDADE DE GESTANTES COM DIAGNÓSTICO POSTIVO DE HIPERGICEMIA LEVE
Descrição: O grupo IB corresponde a gestantes portadoras de hiperglicemia leve, ou seja, gestantes que apresentam rastreamento positivo, mas diagnóstico negativo para diabete gestacional ( Teste de tolerância oral a glicose - TTG100g normal), e resposta alterada no perfil glicêmico (PG). Este grupo foi, acidentalmente, identificado em 1983, quando projeto prospectivo foi desenvolvido para padronização do PG comparando-o com o TTG100g no diagnóstico do diabete na gestação. A hiperglicemia, manifestação clínica principal do Diabetes mellitus, gera espécies reativas de oxigênio (ROS) que alteram proteínas, lipídios e DNA. Tendo em vista que gestantes diabéticas apresentam estresse oxidativo exacerbado, o presente trabalho tem como objetivo investigar os níveis de danos oxidativos causados por ROS no DNA materno e fetal (8-OHdG). Além disso, será avaliado os níveis de 8-OHdG presentes na urina dessas pacientes. Serão avaliadas mulheres atendidas no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina - UNESP, Botucatu - SP no período de 1 ano. As pacientes com diabete serão divididas em 4 grupos: 1) mulheres com TTG e Perfil glicêmico normais (grupo controle), 2) mulheres com TTG normal e Perfil glicêmico alterado (hiperglicemia leve), 3) mulheres com TTG alterado e Perfil glicêmico normal (Diabética gestacional), 4) mulheres com TTG e Perfil glicêmico alterados (Diabética gestacional ou clínico) respectivamente. Os recém-nascidos serão selecionados com base na idade gestacional (37 a 42 semanas). Amostras de sangue periférico de cada indivíduo adulto, sangue de cordão umbilical e urina serão coletadas, por profissional experiente. As amostras de sangue coletadas serão processadas imediatamente para determinação de danos oxidativos no DNA (8-OHdG ) enquanto que, amostras de urina serão armazenadas para futuras dosagens de 8-OHdG por ELISA. Será considerado p<0,05 como limite de significância estatística..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Integrante / Paula Helena Ortiz Lima - Integrante / Daisy Maria Favero Salvadori - Integrante / Marilza Vieira Cunha Rudge - Coordenador / Carolina Amaral de Alcantara - Integrante / Camila Paul Ferreira - Integrante / Camila Pereira Gobette - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro.
2008 - 2010
AVALIAÇÃO GÊNICA E DE PROTEÍNAS DO SANGUE E DA PLACENTA DE GESTANTES DIABÉTICAS E COM HIPERGLICEMIA LEVE.
Descrição: O grupo IB corresponde a gestantes portadoras de hiperglicemia leve, ou seja, gestantes que apresentam rastreamento positivo, mas diagnóstico negativo para diabete gestacional (DMG) (TTG100g normal), e resposta alterada no perfil glicêmico (PG). Este grupo foi, acidentalmente, identificado em 1983, quando projeto prospectivo foi desenvolvido para padronização do PG comparando-o com o TTG100g no diagnóstico do diabete na gestação. Essas gestantes apresentam resistência à insulina, intolerância à glicose, maior susceptibilidade de desenvolver Diabete Tipo 2 alguns anos após o parto, e 53,8% de seus recém-nascidos (RN) são grandes para idade gestacional e/ou macrossômicos, semelhantes às mulheres com DMG. O objetivo desse trabalho é avaliar o quadro de hiperglicemia leve na gestação, para identificar biomarcadores moleculares e possíveis alterações genéticas relacionadas a essa alteração glicêmica. Serão avaliadas mulheres atendidas no HC da FMB ? UNESP, Botucatu ? SP entre 37 e 42 semanas de gestação. As pacientes serão divididas em 4 grupos: 1) mulheres com TTG e PG normais (controle), 2) mulheres com TTG normal e PG alterado (hiperglicemia leve), 3) mulheres com TTG alterado e PG normal (DMG), 4) mulheres com TTG e PG alterados (DMG ou clínico) respectivamente. Amostras de sangue periférico, placenta e sangue de cordão umbilical serão coletadas por profissional experiente e ramazenadas para posterior extração de DNA e RNA (avaliação de polimorfismos dos genes: PPARg, INS, ADIPOQ, e expressão gênica: PPARg, TNF-a, adiponectina e lactogênio placentário), dosagens bioquímicas, hormonais e pesquisas futuras. Será considerado p<0,05 como limite de significância estatística..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2008 - 2008
AVALIAÇÃO DA GENOTOXICIDADE DE GESTANTES COM DIAGNÓSTICO DE HIPERGLICEMIA LEVE
Descrição: O grupo IB corresponde a gestantes portadoras de hiperglicemia leve, ou seja, gestantes que apresentam rastreamento positivo, mas diagnóstico negativo para diabete gestacional ( Teste de tolerância oral a glicose - TTG100g normal), e resposta alterada no perfil glicêmico (PG). Este grupo foi, acidentalmente, identificado em 1983, quando projeto prospectivo foi desenvolvido para padronização do PG comparando-o com o TTG100g no diagnóstico do diabete na gestação. A hiperglicemia, manifestação clínica principal do Diabetes mellitus, gera espécies reativas de oxigênio (ROS) que alteram proteínas, lipídios e DNA. Tendo em vista que gestantes diabéticas apresentam estresse oxidativo exacerbado, o presente trabalho tem como objetivo investigar os níveis de danos oxidativos causados por ROS no DNA materno e fetal (8-OHdG). Além disso, será avaliado os níveis de 8-OHdG presentes na urina dessas pacientes. Serão avaliadas mulheres atendidas no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina - UNESP, Botucatu - SP no período de 1 ano. As pacientes com diabete serão divididas em 4 grupos: 1) mulheres com TTG e Perfil glicêmico normais (grupo controle), 2) mulheres com TTG normal e Perfil glicêmico alterado (hiperglicemia leve), 3) mulheres com TTG alterado e Perfil glicêmico normal (Diabética gestacional), 4) mulheres com TTG e Perfil glicêmico alterados (Diabética gestacional ou clínico) respectivamente. Os recém-nascidos serão selecionados com base na idade gestacional (37 a 42 semanas). Amostras de sangue periférico de cada indivíduo adulto, sangue de cordão umbilical e urina serão coletadas, por profissional experiente. As amostras de sangue coletadas serão processadas imediatamente para determinação de danos oxidativos no DNA (8-OHdG ) enquanto que, amostras de urina serão armazenadas para futuras dosagens de 8-OHdG por ELISA. Será considerado p<0,05 como limite de significância estatística..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Integrante / Paula Helena Ortiz Lima - Integrante / Débora Cristina Damasceno - Integrante / Marilza Vieira Cunha Rudge - Integrante / Daniele Pereira dos Santos - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2007 - 2008
AVALIAÇÃO DA FREQUÊNCIA DO MUTANTE S65C DO GENE HFE EM PORTADORES DE BETA TALASSEMIA HETEROZIGOTA
Descrição: As síndromes beta talassêmicas constituem um grupo de doenças hereditárias caracterizadas por uma deficiência genética na síntese das cadeias de beta globina. Na talassemia menor (forma heterozigota), apenas um gene da globina beta é defeituoso. O portador geralmente é assintomático e seu diagnóstico realizado por meio de exames de rotina. Todavia, alguns estudos têm mostrado a presença de sobrecarga de ferro em alguns desses indivíduos. A hemocromatose é definida como uma sobrecarga de ferro, secundária a um aumento da absorção intestinal, com conseqüente dano tecidual. Com a evolução da doença ocorrem danos orgânicos graves e irreversíveis. Mutações no gene HFE determinam as formas mais freqüentes de hemocromatose hereditária, sendo as mais comuns as mutações C282Y, H63D e S65C. A mutação S65C é implicada em uma forma moderada de hemocromatose hereditária. Esta mutação é observada em 2% a 3% de caucasóides e acarreta em uma sobrecarga leve do ferro quando herdada no estado heterozigoto. O presente trabalho teve por objetivo avaliar a freqüência da mutação S65C para o gene HFE em pacientes com talassemia beta menor, comparados com um grupo controle e sua relação com os níveis séricos de Ferritina. Foram avaliados 80 portadores de talassemia beta menor, residentes na região de São Carlos, e 93 doadores de sangue, da região Noroeste do Estado de São Paulo, como grupo controle. Para a pesquisa de beta talassemia menor foram realizados: eritrograma por meio de método automatizado utilizando o equipamento Pentra 120ABX, análise da morfologia eritrocitária, resistência osmótica em solução de NaCl 0,36%, eletroforese em pH alcalino e cromatografia líquida de alta pressão (HPLC) com o equipamento VARIANT ( BIO?RAD). O DNA genômico, extraído de leucócitos de sangue periférico segundo a técnica por fenol/clorofórmio, e o produto foi amplificado e digerido com a utilização da enzima Hinf I. Das amostras analisadas, apenas uma do grupo controle apresentou a mutação S65C em het.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Coordenador / ISABETH DA FONSECA ESTEVÃO - Integrante / CLAUDIA REGINA BONINI-DOMINGOS - Integrante.
Número de produções C, T & A: 6


Projetos de desenvolvimento


2011 - 2012
REPARO DE EQUIPAMENTO - AVALIAÇÃO GÊNICA E DE PROTEÍNAS DO SANGUE E DA PLACENTA DE GESTANTES DIABÉTICAS E COM HIPERGLICEMIA LEVE

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Marilza Vieira Cunha Rudge em 15/06/2015.
Descrição: Descrição: O grupo IB corresponde a gestantes portadoras de hiperglicemia leve, ou seja, gestantes que apresentam rastreamento positivo, mas diagnóstico negativo para diabete gestacional(TTG100g normal), e resposta alterada no perfil glicêmico (PG). Este grupo foi, acidentalmente, identificado em 1983, quando projeto prospectivo foi desenvolvido para padronização do PG comparando-o com o TTG100g no diagnóstico do diabete na gestação. Essas gestantes apresentam resistência à insulina, intolerância à glicose, maior susceptibilidade de desenvolver Diabete Tipo 2 alguns anos após o parto, e 53,8% de seus recém-nascidos (RN) são grandes para idade gestacional e/ou macrossômicos, semelhantes às mulheres com DMG. O objetivo desse trabalho é avaliar o quadro de hiperglicemia leve na gestação, para identificar biomarcadores moleculares e possíveis alterações genéticas relacionadas a essa alteração glicêmica. Serão avaliadas mulheres atendidas no HC da FMB - UNESP, Botucatu - SP entre 37 e 42 semanas de gestação. As pacientes serão divididas em 4 grupos: 1) mulheres com TTG e PG normais (controle), 2) mulheres com TTG normal e PG alterado (hiperglicemia leve), 3) mulheres com TTG alterado e PG normal (DMG), 4) mulheres com TTG e PG alterados (DMG ou clínico) respectivamente. Amostras de sangue periférico, placenta e sangue de cordão umbilical serão coletadas por profissional experiente e armazenadas para posterior extração de DNA e RNA. Serão avaliados os de polimorfismos dos genes: PPARg, INS, ADIPOQ, além da expressão gênica: PPARg (sangue), TNF-a, adiponectina e lactogênio placentário (placenta). Será feita a dosagem materna de insulina, adiponectina, TNF-a, lactogênio placentário e ácidos graxos livres para correlacionar com os polimorfismos e expressões gênicas. Será considerado p<0,05 como limite de significância estatística..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Integrante / Paula Helena Ortiz Lima - Integrante / Marilza Vieira Cunha Rudge - Coordenador.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro.
2008 - 2008
ESTÁGIO VOLUNTÁRIO JUNTO AO LABORATÓRIO DE PESQUISA EXPERIMENTAL DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA
Descrição: Estágio voluntário realizado junto ao Laboratório de Pesquisa Experimental de Ginecologia e Obstetrícia com a seguinte programação: coleta de células do epitélio vaginal para verificação do ciclo estral de ratas Wistar, análise do ciclo estral, análise do comportamento de ratas wistar quanto a receptividade ao macho, análise do comportamento do macho quanto a sua atividade sexual, Padronização de Peso, Água, Ração e Glicemia e Ratas Prenhes, Simulação da Indução de Diabete em Ratos Wistar, apresentação de seminário e desenvolvimento de projeto..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Coordenador / Paula Helena Ortiz Lima - Integrante / Débora Cristina Damasceno - Integrante.
2006 - 2007
DIAGNÓSTICO CLÁSSICO DE HEMOGLOBINOPATIAS
Descrição: Estágio de nível básico com a seguinte programação:estudo de células sanguíneas, métodos de coleta de sangue, métodos de triagem de hemoglobinas, eletroforese de hemoglobinas, preparo de soluções tampão, técnicas de biossegurança, seminários, esterilização de materiaise princípios de Biologia Molecular..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Rafael Bottaro Gelaleti - Coordenador / CLAUDIA REGINA BONINI-DOMINGOS - Integrante.


Revisor de periódico


2014 - Atual
Periódico: Plos One
2014 - Atual
Periódico: Reproductive Sciences (Thousand Oaks. Online)
2015 - Atual
Periódico: Merit Research Journal of Medicine and Medical Sciences
2015 - Atual
Periódico: International Research Journal of Medicine and Medical Sciences
2016 - Atual
Periódico: Austin Gynecology Case Reports
2015 - Atual
Periódico: Clinical Endocrinology, Diabetes & Metabolism Discipline
2016 - Atual
Periódico: Remedy Open Access Journal
2016 - Atual
Periódico: Andrology and Gynecology Reports
2016 - Atual
Periódico: Journal of Obstetrics, Gynecology & Infertility‏
2016 - Atual
Periódico: Current Updates in Endocrinology and Diabetes
2017 - Atual
Periódico: Current Diabetes Reviews
2017 - Atual
Periódico: Future Science OA
2017 - Atual
Periódico: International Journal of Diabetes and Endocrinology
2017 - Atual
Periódico: Diabetology & Metabolic Syndrome
2017 - Atual
Periódico: American Research Journals (ARJ)
2017 - Atual
Periódico: American Research Journal of Gynaecology
2017 - Atual
Periódico: Austin Journal of Pregnancy & Child Birth
2017 - Atual
Periódico: AMERICAN JOURNAL OF OBSTETRICS AND GYNECOLOGY (ONLINE)
2017 - Atual
Periódico: AMERICAN JOURNAL OF OBSTETRICS AND GYNECOLOGY
2017 - Atual
Periódico: POJ Gynaecology & Obstetrics Research
2017 - Atual
Periódico: International Journal of Metabolic Syndromes (IJMS)
2017 - Atual
Periódico: Journal of Gynecology and Obstetrics Forecast
2017 - Atual
Periódico: Epigenomics
2017 - Atual
Periódico: Integrative Gynecology and Obstetrics (IGOJ)
2017 - Atual
Periódico: Journal of Oral Health and Dentistry
2017 - Atual
Periódico: BMJ
2017 - Atual
Periódico: Journal of Pediatric Diseases
2017 - Atual
Periódico: Journal of Research in Endocrinology
2017 - Atual
Periódico: Journal of Endocrinological Investigation
2018 - Atual
Periódico: Clinical Medicine Research


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Genética / Subárea: Genética Humana e Médica.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Genética.
3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Genética / Subárea: Genética Molecular e de Microorganismos/Especialidade: Biologia Molecular.
4.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Medicina / Subárea: Saúde Materno-Infantil.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Prêmios e títulos


2017
1° Lugar no Projeto HUB - Desafio Empreenda Botucatu 2017. Projeto: Tratamento com Nanopartículas Magnéticas Revestidas com N-acetilcisteína Durante a Prenhez de Ratas Diabéticas e seus Recém-Nascidos, Núcleo de Empreendedorismo e Inovação (NEI) e SEBRAE.
2016
Bolsa de Pós-doutorado, CNPq.
2016
Bolsa Recém-doutor, Prope - Unesp.
2013
Mejor de los Trabajos en Competencia en el área de Ciencias Biomédicas Clinicas presentados durante la XXIII Bienal de la Asociación Latinoamericana de Investigadores en Reproducción Humana - ALIRH, XXIII - ALIRH.
2012
Bolsa de Doutorado, FAPESP.
2011
Menção Honrosa com o trabalho: INFLUENCE OF MATERNAL HYPERGLYCEMIA ON IL-10 AND TNF-alpha PRODUCTION - RELATION TO PERINATAL OUTCOMES, X Congresso Brasileiro da Mutagênese, Carcinogênese e Teratogênese Ambiental (SBMTCA).
2010
1º Lugar na Categoria Melhor Apresentação de Painel dentre os Trabalhos Clínicos durante o VI ENCONTRO DE PÓS GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU, FMB - UNESP.
2010
Bolsa de Mestrado, FAPESP.
2009
Bolsa de Treinamento Técnico nível 3, FAPESP.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

Web of Science
Total de trabalhos:9
Total de citações:13
Fator H:2
Gelaleti RB  Data: 21/12/2017

SCOPUS
Total de trabalhos:7
Total de citações:22
Gelaleti, Rafael Bottaro  Data: 22/12/2017

Artigos completos publicados em periódicos

1.
SILVA, M. C.2017SILVA, M. C. ; GELALETI, R. B. ; BENTO, G. F. C. ; DAMASCENO, D. C. ; PERACOLI, J. C. . DNA damage in Wistar Kyoto rats exercised during pregnancy. Acta Cirurgica Brasileira, v. 32, p. 388-395, 2017.

2.
NETTO, A. O.2017NETTO, A. O. ; GELALETI, R. B. ; SERRANO, R. G. ; VOLPATO, G. T. ; RUDGE, M. V. C. ; DAMASCENO, D. C. . Approaches of Whole Blood Thawing for Genotoxicity Analysis in Rats. Journal of Toxicology and Pharmacology, v. 1, p. 1, 2017.

3.
GELALETI, R. B.2016 GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D. C. ; SALVADORI, D. M. F. ; CALDERON, I. M. P. ; COSTA, R. A. A. ; PICULO, F. ; MARTINS, D. C. ; RUDGE, M. V. C. . Gene expression profile of whole blood cells differs in pregnant women with positive screening and negative diagnosis for gestational diabetes. BMJ Open Diabetes Research & Care, v. 4, p. e000273, 2016.

4.
GELALETI, R. B.;GELALETI, RAFAEL BOTTARO;GELALETI, RAFAEL B;GELALETI, R.;GELALETI, RAFAEL2015 GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D.C. ; LIMA, P.H.O. ; SALVADORI, M. F. S. ; CALDERON, I. M. P. ; PERACOLI, J. C. ; RUDGE, M. V. C. . Oxidative DNA damage in diabetic and mild gestational hyperglycemic pregnant women. Diabetology & Metabolic Syndrome, v. 7, p. 1, 2015.

5.
GELALETI, RAFAEL B2015 GELALETI, RAFAEL B; DAMASCENO, DÉBORA C ; SALVADORI, DAISY M F ; MARCONDES, JOÃO PAULO C ; LIMA, PAULA H O ; MORCELI, GLILCIANE ; CALDERON, IRACEMA M P ; RUDGE, MARILZA V C . IRS-1 gene polymorphism and DNA damage in pregnant women with diabetes or mild gestational hyperglycemia. Diabetology & Metabolic Syndrome, v. 7, p. 30, 2015.

6.
TAVARES, HAMILTON DOS PRAZERES2015TAVARES, HAMILTON DOS PRAZERES ; GELALETI, RAFAEL BOTTARO ; PICOLO, FERNANDA ; TAVARES, S.B.M.P. ; MARINI, GABRIELA ; ABBADE, JOELCIO FRANCISCO ; DOS SANTOS, D.C.D.M. ; DE CAMPOS, PAULO ADÃO ; CALDERON, I.P. ; RUDGE, MARILZA VIEIRA CUNHA . Metabolic Syndrome: Consensus and Controversy: State of the Art. Open Journal of Endocrine and Metabolic Diseases, v. 05, p. 124-130, 2015.

7.
GELALETI, R. B.2015GELALETI, R. B.; MARCONDES, J. P. C. ; DAMASCENO, D. C. ; CALDERON, I. M. P. ; SALVADORI, D. M. F. ; RUDGE, M. V. C. . Gene Expression Profile in Pregnant Women with Positive Screening for Gestational Diabets, Mild Gestational Hyperglycemia and Diabetes. Environmental and Molecular Mutagenesis (Online), v. 56, p. S81, 2015.

8.
TAYLOR, KRISTIN2013TAYLOR, KRISTIN ; LIMA, PAULA ; GELALETI, RAFAEL ; HIRATA, MARIO ; SINZATO, YURI ; CALDERON, IRACEMA ; DAMESCENO, DÉBORA ; RUDGE, MARILZA . 274: Association of the Pro12Ala polymorphism of PPARγ2 with mild gestational hyperglycemia and gestational diabetes. American Journal of Obstetrics and Gynecology (Print), v. 208, p. S125, 2013.

9.
SÁ, JOCELINE CÁSSIA FEREZINI DE2013SÁ, JOCELINE CÁSSIA FEREZINI DE ; MARINI, GABRIELA ; GELALETI, RAFAEL BOTTARO ; SILVA, JOÃO BATISTA DA ; AZEVEDO, GEORGE GANTAS DE ; RUDGE, MARILZA VIEIRA CUNHA . Qualidade dos estudos clínicos publicados na RBGO ao longo de uma década (1999-2009): aspectos metodológicos, éticos e procedimentos estatísticos. REVISTA BRASILEIRA DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA (IMPRESSO), v. 35, p. 477-482, 2013.

10.
LIMA, P.H.2012 LIMA, P.H. ; SINZATO, Y. ; GELALETI, R. ; CALDERON, I.M. ; RUDGE, M.V. ; DAMASCENO, D. . Genotoxicity Evaluation in Severe or Mild Diabetic Pregnancy in Laboratory Animals. Experimental and Clinical Endocrinology & Diabetes, v. 120, p. 303-307, 2012.

11.
GELALETI, R. B.;GELALETI, RAFAEL BOTTARO;GELALETI, RAFAEL B;GELALETI, R.;GELALETI, RAFAEL2011GELALETI, R. B.; LIMA, P.H.O. ; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . Diabetes e o Polimorfismo Arg972 - Atualização Bibliográfica. Diabetes Clínica, v. 04, p. 204/04-209, 2011.

12.
GELALETI, R. B.rint GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D. C. ; SANTOS, D. P. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . Increased DNA Damage is Related to Maternal Blood Glucose Levels in the Offspring of Women With Diabetes and Mild Gestational Hyperglycemia. Reproductive Sciences, v. 23, p. 318-323, rint.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
GELALETI, R. B.; BONINI-DOMINGOS, C. R. ; ESTEVAO, I. F. . AVALIAÇÃO DA FREQUÊNCIA DAS MUTAÇÕES C282Y, H63D E S65C NO GENE HFE EM PORTADORES DE BETA TALASSEMIA HETEROZIGOTA. In: XX CIC - CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - UNESP, 2008, SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. XX CIC - CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - UNESP, 2008.

2.
GELALETI, R. B.; BONINI-DOMINGOS, C. R. . AVALIAÇÃO DA FREQUÊNCIA DE MUTANTES NO GENE HFE EM PORTADORES DE BETA TALASSEMIA HETEROZIGOTA - RESULTADOS PRELIMINARES. In: XIX CIC - CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - UNESP, 2007, BOTUCATU. XIX CIC - CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - UNESP, 2007.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
GELALETI, R. B.; MARCONDES, J. P. C. ; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; SALVADORI, D. M. F. ; RUDGE, M. V. C. . GENE EXPRESSION PROFILE IN PREGNANT WOMEN WITH POSITIVE SCREENING FOR GESTATIONAL DIABETES, MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA AND DIABETES. In: 46th Annual Meeting of the Environmental Mutagenesis and Genomic Society, 2015, New Orleans. 46th Annual Meeting of the Environmental Mutagenesis and Genomic Society, 2015.

2.
GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; SALVADORI, M. F. S. ; RUDGE, M. V. C. . GENETIC, MOLECULAR AND OXIDATIVE MARKERS IN PREGNANT WOMEN WITH DIABETES AND MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA. In: THE 9TH CONGRESS ON WOMEN'S HEALTH & DISEASE 'FROM PUBERTY TO MENOPAUSE', 2014, ATHENS. THE 9TH CONGRESS ON WOMEN'S HEALTH & DISEASE, 2014.

3.
GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D.C. ; De Lego, E. C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . MILD GESTATIONAL DIABETES: MATERNAL AND FETAL REPERCUSSIONS. In: 7TH INTERNATIONAL DIP SYMPOSIUM - DIABETES, HYPERTENSION, METABOLIC SYNDROME & PREGNANCY, 2013, FLORENCE. 7TH INTERNATIONAL DIP SYMPOSIUM - DIABETES, HYPERTENSION, METABOLIC SYNDROME & PREGNANCY. FLORENCE, 2013.

4.
GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D.C. ; De Lego, E. C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . CLINICAL, ANTHROPOMETRIC AND MOLECULAR CHARACTERISTICS OF PREGNANT WOMEN WITH MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA. In: V SLIMP - LATIN AMERICAN SOCIETY FOR MATERNAL FETAL INTERACTION & PLACENTA AND IV LASRI - LATIN AMERICAN SYMPOSIUM ON REPRODUCTIVE IMMUNOLOGY, 2013, FOZ DO IGUAÇU. V SLIMP - LATIN AMERICAN SOCIETY FOR MATERNAL FETAL INTERACTION & PLACENTA AND IV LASRI - LATIN AMERICAN SYMPOSIUM ON REPRODUCTIVE IMMUNOLOGY. FOZ DO IGUAÇU, 2013.

5.
NETTO, A. O. ; CORVINO, S. B. ; VOLPATO, G. T. ; GELALETI, R. B. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. ; DAMASCENO, D.C. . INTRAUTERINE GROWTH RESTRICTED RAT MOTHERS SUBMITTED TO SWIMMING: MATERNAL GENOTOXICITY EVALUATION AND IN THEIR NEWBORN. In: XXIII REUNIÓN BIENAL DE LA ASOCIACIÓN LATINOAMERICANA DE INVESTIGADORES EN REPRODUCCIÓN HUMANA (A.L.I.R.H.), 2013, CANCÚN. MAGNO CONGRESO INTERNACIONAL DE ENDOCRINOLOGÍA, DIABETES Y REPRODUCCIÓN. CANCUN, 2013.

6.
GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; SALVADORI, M. F. S. ; RUDGE, M. V. C. . DIABETES AND MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA: CLINICAL, ANTHROPOMETRICAL AND MOLECULAR RELATIONSHIPS. In: XXIII REUNIÓN BIENAL DE LA ASOCIACIÓN LATINOAMERICANA DE INVESTIGADORES EN REPRODUCCIÓN HUMANA (A.L.I.R.H.), 2013, CANCÚN. XXIII REUNIÓN BIENAL DE LA ASOCIACIÓN LATINOAMERICANA DE INVESTIGADORES EN REPRODUCCIÓN HUMANA (A.L.I.R.H.). CANCÚN, 2013.

7.
GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D.C. ; LIMA, P.H.O. ; SANTOS, D. P. ; SERRANO, R. G. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . GENOTOXICITY EVALUATION IN PREGNANT WOMEN WITH DIABETES AND MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA. In: 10º Congresso Paulista de Diabetes e Metabolismo, 2012, Ribeirão Preto. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia - 10º Congresso Paulista de Diabetes e Metabolismo, 2012. v. 56. p. S130-S130.

8.
SANTOS, D. P. ; GELALETI, R. B. ; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . GENOTOXICITY EVALUATION IN NEWBORNS OF WOMEN WITH DIABETES AND GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA - PRELIMINAR RESULTS. In: 10º Congresso Paulista de Diabetes e Metabolismo, 2012, Ribeirão Preto. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia - 10º Congresso Paulista de Diabetes e Metabolismo, 2012. v. 56. p. S147-S147.

9.
NETTO, A. O. ; CORVINO, S. B. ; SERRANO, R. G. ; GELALETI, R. B. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. ; DAMASCENO, D.C. . EVALUATION OF GENOTOXITY BY COMET ASSAY ON FROZEN TOTAL BLOOD IN RATS. In: 10º Congresso Paulista de Diabetes e Metabolismo, 2012, Ribeirão Preto. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia - 10º Congresso Paulista de Diabetes e Metabolismo, 2012. v. 56. p. S131-S131.

10.
MORELI, J. B. ; SANTOS, D. P. ; GELALETI, R. B. ; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . DNA DAMAGE IN NEWBORNS OF PREGNANT WOMEN WITH DIABETES OR MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA. In: 58º CONGRESSO BRASILEIRO DE GENÉTICA, 2012, FOZ DO IGUAÇU. 58º CONGRESSO BRASILEIRO DE GENÉTICA - GENÉTICA E SUSTENTABILIDADE, 2012.

11.
GELALETI, R. B.; LIMA, P.H.O. ; De Lego, E. C. ; MORELI, J. B. ; DAMASCENO, D.C. ; RUDGE, M. V. C. . EVALUATION OF OXIDATIVE DNA DAMAGES AND MATERNAL GLYCEMIC CONTROL DURING PREGNANCY. In: X Congresso Brasileiro da Sociedade Brasileira de Mutagênese, Carcinogênese e Teratogênese Ambiental (SBMTCA), 2011, São Pedro. X Congresso Brasileiro da Sociedade Brasileira de Mutagênese, Carcinogênese e Teratogênese Ambiental (SBMTCA), 2011.

12.
MORELI, J. B. ; MORCELI, G. ; LUCA, A. K. C. ; MAGALHAES, C. G. ; COSTA, R. A. A. ; DAMASCENO, D.C. ; GELALETI, R. B. ; RUDGE, M. V. C. ; CALDERON, I. M. P. . INFLUENCE OF MATERNAL HYPERGLYCEMIA ON IL-10 AND TNF-alpha PRODUCTION - RELATION TO PERINATAL OUTCOMES. In: X Congresso Brasileiro da Sociedade Brasileira de Mutagênese, Carcinogênese e Teratogênese Ambiental (SBMCTA), 2011, São Pedro - SP. X Congresso Brasileiro da Sociedade Brasileira de Mutagênese, Carcinogênese e Teratogênese Ambiental (SBMCTA), 2011.

13.
BUENO, A. ; SINZATO, Y. K. ; LIMA, P.H.O. ; MORELI, J. B. ; CAETANO, M. J. T. ; GELALETI, R. B. ; MORCELI, G. ; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . TNF-alpha and ADIPONECTIN LEVELS RELATED TO BODY MASS INDEX IN MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA. In: The Annual Meeting of the EASD Islet Study Group, 2011, Natal - RN. ISG 2011 - The Anual Meeting of the EASD Islet Study Group, 2011.

14.
SINZATO, Y. K. ; LIMA, P.H.O. ; MORELI, J. B. ; CAETANO, M. J. T. ; GELALETI, R. B. ; MORCELI, G. ; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . TNF-alpha and ADIPONECTIN LEVELS RELATED TO BODY MASS INDEX IN MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA. In: 6th International Symposium on Diabetes & Pregnancy, 2011, Salzburg - Austria. 6th International Symposium on Diabetes & Pregnancy, 2011.

15.
RUDGE, M. V. C. ; LIMA, P.H.O. ; GELALETI, R. B. ; De Lego, E. C. ; DAMASCENO, D.C. . EVALUATION OF OXIDATIVE DNA DAMAGES AND MATERNAL GLYCEMIC CONTROL DURING PREGNANCY. In: 6th International Symposium on Diabetes & Pregnancy, 2011, Salzburg - Austria. 6th International Symposium on Diabetes & Pregnancy, 2011.

16.
LIMA, P.H.O. ; HIRATA, M. H. ; TAYLOR, K. N. ; RODRIGUES, A. ; GELALETI, R. B. ; CAETANO, M. J. T. ; De Lego, E. C. ; DAMASCENO, D.C. ; RUDGE, M. V. C. . EVALUATION OF OXIDATIVE DAMAGE AND PPARGAMMA2 (Pro12Ala) POLYMORPHISM WITH FETAL SEX AND MATERNAL GLYCEMIC CONTROL DURING PREGNANCY. In: 6th International Symposium on Diabetes & Pregnancy, 2011, Salzburg - Austria. 6th International Symposium on Diabetes & Pregnancy, 2011.

17.
GELALETI, R. B.; ALCANTARA, C. A. ; CAETANO, M. J. T. ; De Lego, E. C. ; DAMASCENO, D.C. ; LIMA, P.H.O. ; RUDGE, M. V. C. . AVALIAÇÃO DE DANOS OXIDATIVOS NO DNA DE GESTANTES DIABÉTICAS E COM HIPERGLICEMIA LEVE. In: 9º Congresso Paulista de Diabetes e Metabolismo, 2010, Águas de São Pedro - SP. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabolismo, 2010. v. 54. p. s136-s137.

18.
LIMA, P.H.O. ; CAETANO, M. J. T. ; GELALETI, R. B. ; MORELI, J. B. ; MORCELI, G. ; SINZATO, Y. K. ; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . DETERMINAÇÃO DAS CONCENTRAÇÕES PLASMÁTICAS DE TNF-ALFA E ADIPONECTINA DE GESTANTES DIABÉTICAS E COM HIPERGLICEMIA LEVE. In: 9º Congresso Paulista de Diabetes e Metabolismo, 2010, Águas de São Pedro - SP. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabolismo, 2010. v. 54. p. s137-s137.

19.
GELALETI, R. B.; ALCANTARA, C. A. ; CAETANO, M. J. T. ; De Lego, E. C. ; MORELI, J. B. ; DAMASCENO, D.C. ; LIMA, P.H.O. ; RUDGE, M. V. C. . EVALUATION OF OXIDATIVE DAMAGES IN DNA OF DIABETIC PREGNANT WOMEN AND WITH MILD HYPERGLYCAEMIA. In: V Seminário em Interação Materno-Fetal: Pesquisa Básica & Clínicaem Biologia da Reprodução, 2010, São Paulo - SP. V Seminário em Interação Materno-Fetal: Pesquisa Básica & Clínicaem Biologia da Reprodução, 2010.

20.
GELALETI, R. B.; ALCANTARA, C. A. ; CAETANO, M. J. T. ; De Lego, E. C. ; MORELI, J. B. ; DAMASCENO, D.C. ; LIMA, P.H.O. ; RUDGE, M. V. C. . EVALUATION OF OXIDATIVE DAMAGES IN DNA OF DIABETIC PREGNANT WOMEN AND WITH MILD HYPERGLYCEMIA. In: VI Encontro de Pós-Graduação da Faculdade de Medicina de Botucatu, 2010, Botucatu - SP. VI Encontro de Pós-Graduação da Faculdade de Medicina de Botucatu, 2010.

21.
MORELI, J. B. ; MORCELI, G. ; RUOCCO, A. M. C. ; DAMASCENO, D.C. ; SINZATO, Y. K. ; GELALETI, R. B. ; CALDERON, I. M. P. . LEPTIN IN NEWBORNS FROM HYPERGYCEMIC MOTHERS. In: VI ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA E BOTUCATU, 2010, BOTUCATU. VI ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA E BOTUCATU, 2010.

22.
GELALETI, R. B.; LIMA, P.H.O. ; RUDGE, M. V. C. . POLIMORFISMO GLY972ARG DO GENE IRS-1 E DIABETES: ATUALIZAÇÃO BIBLIOGRÁFICA. In: 14º Congresso Brasileiro Multidisciplinar e Multiprofissional em Diabetes, 2009, São Paulo. 14º Congresso Brasileiro Multidisciplinar e Multiprofissional em Diabetes, 2009. p. 74-74.

23.
ALCANTARA, C. A. ; CASARRI, M. B. ; CAETANO, M. J. T. ; LIMA, P.H.O. ; GELALETI, R. B. . DIAGNÓSTICO POSITIVO DE HIPERGLICEMIA LEVE EM GESTANTES ATENDIDAS PELO SERVIÇO DE OBSTETRÍCIA DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP. In: Encontro de Pesquisa Institucional e Iniciação Científica - ENAPI, 2009, Presidente Prudente. Encontro de Pesquisa Institucional e Iniciação Científica - ENAPI, 2009.

24.
LIMA, P.H.O. ; MORELI, J. B. ; CAETANO, M. J. T. ; GELALETI, R. B. ; ALCANTARA, C. A. ; MORCELI, G. ; SINZATO, Y. K. ; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . DETERMINAÇÃO DOS NÍVEIS PLASMÁTICOS DE TNF-ALFA EM GESTANTES COM DIABETE OU COM HIPERGLICEMIA LEVE. In: XVII CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES, 2009, FORTALEZA. XVII CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES, 2009.

25.
MORELI, J. B. ; SINZATO, Y. K. ; DAMASCENO, D.C. ; LIMA, P.H.O. ; GELALETI, R. B. ; MORCELI, G. ; DE ROSA, L. ; CALDERON, I. M. P. . TNF-α IN PREGNANCIES COMPLICATED BY DIABETES OR MILD HYPERGLICEMIA - PRELIMINARY RESULTS. In: V ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU, 2009, BOTUCATU - SP. V ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU, 2009.

26.
GELALETI, R. B.; MORELI, J. B. ; CAETANO, M. J. T. ; CASARRI, M. B. ; LIMA, P.H.O. ; RUDGE, M. V. C. . THE GLY972ARG POLYMORPHISM IN THE IRS-1 GENE AND DIABETES: AN UPDATE. In: V ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU, 2009, BOTUCATU. V ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU, 2009.

27.
GELALETI, R. B.; BONINI-DOMINGOS, C. R. . PORTADORES DE BETA TALASSEMIA HETEROZIGOTA COM FERRITINA SÉRICA AUMENTADA: O QUE DETERMINA ESSE QUADRO?. In: 53º CONGRESSO BRASILEIRO DE GENÉTICA, 2007, ÁGUAS DE LINDÓIA. 53º CONGRESSO BRASILEIRO DE GENÉTICA, 2007.

28.
Signorini, A.P.R. ; GELALETI, R. B. ; BONINI-DOMINGOS, C. R. . INTERAÇÃO ENTRE BETA TALASSEMIA HETEROZIGOTA E HB B2 EM INDIVÍDUO ANÊMICO - RELATO DE CASO. In: XXXIII COLÓQUIO DE INCENTIVO À PESQUISA, 2006, SÃO JOSÉ DO RIO PRETO. XXXIII COLÓQUIO DE INCENTICO À PESQUISA, 2006.

29.
GELALETI, R. B.; Signorini, A.P.R. ; BONINI-DOMINGOS, C. R. . FREQUÊNCIA DO MUTANTE H63D EM PORTADORES DE BETA TALASSEMIA HETEROZIGOTA. In: XXXIII COLÓQUIO DE INCENTIVO À PESQUISA, 2006, SÃO JOSÉ DO RIO PRETO. XXXIII COLÓQUIO DE INCENTIVO À PESQUISA, 2006.

Artigos aceitos para publicação
1.
GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D. C. ; SALVADORI, D. M. F. ; MARCONDES, J. P. C. ; VESENTINI, G. ; COSTA, R. A. A. ; MARTINS, D. C. ; RUDGE, M. V. C. . Gene Expression Profiles of Hyperglycemia During Pregnancy Characterize Stages in the Temporal Evolution to Gestational Diabetes mellitus: A Cross-Sectional Study. AMERICAN JOURNAL OF OBSTETRICS AND GYNECOLOGY, 2018.

2.
PICULO, F. ; BARBOSA, A. M. P. ; VESENTINI, G. ; MARINI, G. ; MORCELI, G. ; GELALETI, R. B. ; DAMASCENO, D. C. ; CALDERON, I. M. P. ; HIJAS, A. ; RUDGE, M. V. C. . Interaction between gestational diabetes mellitus, pregnancy-specific urinary incontinence, and CCL7 serum concentration on the long-term maternal outcome of UI: a population-based cohort study. AMERICAN JOURNAL OF OBSTETRICS AND GYNECOLOGY, 2018.

3.
SUBMETIDO, ; NETTO, A. O. ; CORVINO, S. B. ; VOLPATO, G. T. ; GELALETI, R. B. ; RUDGE, M. V. C. ; DAMASCENO, D.C. . RAT MOTHERS BORN WITH INTRAUTERINE GROWTH RESTRICTION EXERCISED IN ADULTHOOD: MATERNAL AND NEWBORN DNA DAMAGE EVALUATION. PLoS One, 2017.

4.
SUBMETIDO, ; NETTO, A. O. ; GELALETI, R. B. ; CORVINO, S. B. ; SERRANO, R. G. ; RUDGE, M. V. C. ; HERNANDEZ, S. C. ; DAMASCENO, D. C. . EXERCISE AND DNA DAMAGE IN RAT BORN WITH INTRAUTERINE GROWTH RESTRICTION: MATERNAL AND NEWBORN EVALUATION. REPRODUCTIVE TOXICOLOGY, 2017.

5.
PICULO, F. ; VESENTINI, G. ; MARINI, G. ; GELALETI, R. B. ; MORCELI, G. ; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; MAGALHAES, C. G. ; COSTA, R. A. A. ; SOBREVIA, L. ; RUDGE, M. V. C. . Pregnanancy-Specific Urinary Incontinence and Gestational Hyperglycemia Worse the Occurrence and Severity of Urinary Incontinence and Quality of Life Over the First Year Postpartum. EUROPEAN UROLOGY, 2017.

6.
SUBMETIDO, ; SINZATO, Y. K. ; VOLPATO, G. T. ; LIMA, P.H.O. ; GELALETI, R. B. ; HERRERA, E. ; DAMASCENO, D.C. . Evaluation of streptozotocin-induced genotoxicity in rats. TOXICOLOGY LETTERS, 2017.

Apresentações de Trabalho
1.
GELALETI, R. B.; MARCONDES, J. P. C. ; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; SALVADORI, D. M. F. ; RUDGE, M. V. C. . GENE EXPRESSION PROFILE IN PREGNANT WOMEN WITH POSITIVE SCREENING FOR GESTATIONAL DIABETES, MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA AND DIABETES. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

2.
GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; SALVADORI, M. F. S. ; RUDGE, M. V. C. . GENETIC, MOLECULAR AND OXIDATIVE MARKERS IN PREGNANT WOMEN WITH DIABETES AND MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D.C. ; De Lego, E. C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . MILD GESTATIONAL DIABETES: MATERNAL AND FETAL REPERCUSSIONS. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D.C. ; De Lego, E. C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . CLINICAL, ANTHROPOMETRIC AND MOLECULAR CHARACTERISTICS OF PREGNANT WOMEN WITH MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA. 2013. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

5.
GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D.C. ; LIMA, P.H.O. ; SANTOS, D. P. ; SERRANO, R. G. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . GENOTOXICITY EVALUATION IN PREGNANT WOMEN WITH DIABETES AND MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
GELALETI, R. B.; LIMA, P.H.O. ; De Lego, E. C. ; MORELI, J. B. ; DAMASCENO, D.C. ; RUDGE, M. V. C. . EVALUATION OF OXIDATIVE DNA DAMAGES AND MATERNAL GLYCEMIC CONTROL DURING PREGNANCY. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
GELALETI, R. B.. STANDART ASSESSMENT IN GENE EXPRESSION IN WHOLE BLOOD CELLS OF PREGNANT WOMEN WITH DIABETES AND MILD GESTATIONAL HYPERGLYCEMIA. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
LIMA, P.H.O. ; HIRATA, M. H. ; TAYLOR, K. N. ; RODRIGUES, A. ; GELALETI, R. B. ; CAETANO, M. J. T. ; De Lego, E. C. ; DAMASCENO, D.C. ; RUDGE, M. V. C. . EVALUATION OF OXIDATIVE DNA DAMAGE AND PPARGAMMA2 (PRO12ALA) POLYMORPHISM SITH FETAL SEX AND MATERNAL GLYCEMIC CONTROL DURING PREGNANCY. 2011. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

9.
GELALETI, R. B.; ALCANTARA, C. A. ; CAETANO, M. J. T. ; De Lego, E. C. ; DAMASCENO, D.C. ; LIMA, P.H.O. ; RUDGE, M. V. C. . AVALIAÇÃO DE DANOS OXIDATIVOS NO DNA DE GESTANTES DIABÉTICAS E COM HIPERGLICEMIA LEVE. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

10.
GELALETI, R. B.; ALCANTARA, C. A. ; CAETANO, M. J. T. ; De Lego, E. C. ; MORELI, J. B. ; DAMASCENO, D.C. ; LIMA, P.H.O. ; RUDGE, M. V. C. . EVALUATION OF OXIDATIVE DAMAGES IN DNA OF DIABETIC PREGNANT WOMEN AND WITH MILD HYPERGLYCAEMIA. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

11.
LIMA, P.H.O. ; CAETANO, M. J. T. ; GELALETI, R. B. ; MORELI, J. B. ; MORCELI, G. ; SINZATO, Y. K. ; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . DETERMINAÇÃO DAS CONCENTRAÇÕES PLASMÁTICAS DE TNF-ALFA E ADIPONECTINA DE GESTANTES DIABÉTICAS E COM HIPERGLICEMIA LEVE. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

12.
GELALETI, R. B.; ALCANTARA, C. A. ; CAETANO, M. J. T. ; De Lego, E. C. ; MORELI, J. B. ; DAMASCENO, D.C. ; LIMA, P.H.O. ; RUDGE, M. V. C. . EVALUATION OF OXIDATIVE DAMAGES IN DNA OF DIABETIC. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

13.
GELALETI, R. B.; LIMA, P.H.O. ; RUDGE, M. V. C. . POLIMORFISMO GLY972ARG DO GENE IRS-1 E DIABETES: ATUALIZAÇÃO BIBLIOGRÁFICA. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

14.
ALCANTARA, C. A. ; CASARRI, M. B. ; CAETANO, M. J. T. ; LIMA, P.H.O. ; GELALETI, R. B. . DIAGNÓSTICO POSITIVO DE HIPERGLICEMIA LEVE EM GESTANTES ATENDIDAS PELO SERVIÇO DE OBSTETRÍCIA DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

15.
LIMA, P.H.O. ; MORELI, J. B. ; CAETANO, M. J. T. ; GELALETI, R. B. ; ALCANTARA, C. A. ; MORCELI, G. ; SINZATO, Y. K. ; DAMASCENO, D.C. ; CALDERON, I. M. P. ; RUDGE, M. V. C. . DETERMINAÇÃO DOS NÍVEIS PLASMÁTICOS DE TNF-ALFA EM GESTANTES COM DIABETE OU COM HIPERGLICEMIA LEVE. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

16.
GELALETI, R. B.; MORELI, J. B. ; CAETANO, M. J. T. ; CASARRI, M. B. ; LIMA, P.H.O. ; RUDGE, M. V. C. . THE GLY972ARG POLYMORPHISM IN THE IRS-1 GENE AND DIABETES: AN UPDATE. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

17.
MORELI, J. B. ; SINZATO, Y. K. ; DAMASCENO, D.C. ; LIMA, P.H.O. ; GELALETI, R. B. ; MORCELI, G. ; DE ROSA, L. ; CALDERON, I. M. P. . TNF-α IN PREGNANCIES COMPLICATED BY DIABETES OR MILD HYPERGLICEMIA - PRELIMINARY RESULTS. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

18.
GELALETI, R. B.; BONINI-DOMINGOS, C. R. ; ESTEVAO, I. F. . AVALIAÇÃO DA FREQUÊNCIA DAS MUTAÇÕES C282Y, H63D E S65C NO GENE HFE EM PORTADORES DE BETA TALASSEMIA HETEROZIGOTA. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

19.
GELALETI, R. B.. PORTADORES DE BETA TALASSEMIA HETEROZIGOTA COM FERRITINA SÉRICA AUMENTADA: O QUE DETERMINA ESSE QUADRO?. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

20.
GELALETI, R. B.. AVALIAÇÃO DA FREQÜÊNCIA DE MUTANTES NO GENE HFE EM PORTADORES DE BETA TALASSEMIA HETEROZIGOTA - RESULTADOS PRELIMINARES. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

21.
Signorini, A.P.R. ; GELALETI, R. B. . INTERAÇÃO ENTRE BETA TALASSEMIA HETEROZIGOTA E HB B2EM INDIVÍDUO ANÊMICO - RELATO DE CASO. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

22.
GELALETI, R. B.. FREQUÊNCIA DO MUTANTE H63D EM PORTADORES DE BETA TALASSEMIA HETEROZIGOTA. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

Outras produções bibliográficas
1.
GELALETI, R. B.; RUDGE, M. V. C. . Perfil da Expressão Gênica em Células do sangue Total de Gestantes com Hiperglicemia Gestacional Leve 2014 (Relatório Científico Parcial 3 - Doutorado (Relatório de Pesquisa)).

2.
GELALETI, R. B.; RUDGE, M. V. C. . Perfil da Expressão Gênica em Células do sangue Total de Gestantes com Hiperglicemia Gestacional Leve 2014 (Relatório Científico Parcial 2 - Doutorado (Relatório de Pesquisa)).

3.
GELALETI, R. B.; RUDGE, M. V. C. . Perfil da Expressão Gênica em Células do sangue Total de Gestantes com Hiperglicemia Gestacional Leve 2013 (Relatório Científico Parcial 1 - Doutorado (Relatório de Pesquisa)).

4.
GELALETI, R. B.; RUDGE, M. V. C. . Análises Moleculares em Gestantes com Diabete e Hiperglicemia Leve e em Seus Recém-Nascidos 2012 (Ata de Defesa - Mestrado (Relatório de Pesquisa)).

5.
GELALETI, R. B.; RUDGE, M. V. C. . Análises Moleculares em Gestantes com Diabete e Hiperglicemia Leve e em Seus Recém-Nascidos 2011 (Relatório Científico Parcial - Mestrado (Relatório de Pesquisa)).

6.
GELALETI, R. B.; RUDGE, M. V. C. . Avaliação gênica e de proteínas do sangue e da placenta de gestantes diabéticas e com hiperglicemia leve 2010 (Relatório Científico Final - Treinamento Técnico (Relatório de Pesquisa)).

7.
GELALETI, R. B.; RUDGE, M. V. C. . Avaliação gênica e de proteínas do sangue e da placenta de gestantes diabéticas e com hiperglicemia leve 2009 (Relatório Científico Parcial - Treinamento Técnico (Relatório de Pesquisa)).


Produção técnica
Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
DAMASCENO, D. C. ; GELALETI, R. B. ; GALLEGO, F. Q. . Diabetes: A doença do século. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).


Demais tipos de produção técnica
1.
GELALETI, R. B.. Como Escrever Um Projeto de Pesquisa. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
GELALETI, R. B.. Como ter uma boa ideia - Projeto de Pesquisa. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
GELALETI, R. B.. Estrutura do projeto de pesquisa - Parte 1. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

4.
GELALETI, R. B.. Estrutura do projeto de pesquisa - Parte 2. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

5.
GELALETI, R. B.. Como escrever meu projeto de pesquisa. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

6.
GELALETI, R. B.. PRINCÍPIOS BÁSICOS DO PREENCHIMENTO DO CURRÍCULO LATTES. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

7.
GELALETI, R. B.. PRINCIPAIS AGÊNCIAS DE FOMENTO PARA SOLICITAÇÃO DE BOLSAS E AUXÍLIOS no CURSO. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

8.
GELALETI, R. B.. APRESENTAÇÃO DA PLATAFORMA SAGE_FAPESP. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

9.
GELALETI, R. B.. IMPORTÂNCIA DA REDAÇÃO ADEQUADA DE UM PROJETO DE PESQUISA. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

10.
GELALETI, R. B.. Lattes. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

11.
GELALETI, R. B.. DNA, RNA e Proteínas. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

12.
GELALETI, R. B.. PCR - Reação em Cadeia da Polimerase. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

13.
GELALETI, R. B.. ATUAÇÃO DO BIÓLOGO NA ÁREA DA SAÚDE. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

14.
GELALETI, R. B.. ESTUDOS COM PACIENTES COM DIABETE E COM HIPERGLICEMIA GESTACIONAL LEVE: PROJETOS DE PESQUISA. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

15.
GELALETI, R. B.. Atualização Clínica em Diabetes. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

16.
GELALETI, R. B.. Princípios das Técnicas de Biologia Molecular Aplicadas à Pesquisa. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

17.
GELALETI, R. B.. Princípios de Biologia Molecular. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

18.
GELALETI, R. B.. Palestra: "Standart Assessment in Geme Expression in Whole Blood Cells of Pregnant Women with Diabetes and Mild Gestational Hyperglycemia". 2011. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

19.
GELALETI, R. B.. Translational Researches in Complicated Pregnancies. Standart Asssesment in Gene Expression Profile in Whole Blood Cells of Pregnant Women with Diabetes and Mild Gestational Hyperglycemia. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

20.
GELALETI, R. B.. TESTE DO COMETA PARA DETECÇÃO DE DANOS NO DNA. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Qualificações de Doutorado
1.
DAMASCENO, D. C.; SCARANO, W. R.; IESSI, I. L.; GELALETI, R. B.; VOLPATO, G. T.. Participação em banca de Franciane Quintanilha Gallego Souza. Repercussão do Diabete Moderado no Estresse Oxidativo e Hormônios Pancreáticos ao Longo da Vida de Ratas. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em Doutorado em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia) - FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP.

Qualificações de Mestrado
1.
DAMASCENO, D. C.; RODRIGUES, T.; FLEURI, L. F.; GELALETI, R. B.; SINZATO, Y. K.. Participação em banca de Eduardo Kloppel. Vitamina D e Cálcio para o Tratamento de Ratas Prenhes com Diabete Moderado. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em PG EM GINECOLOGIA OBSTETRÍCIA E MASTOLOGIA) - FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU - UNESP.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Outras participações
1.
GELALETI, R. B.. AVALIAÇÃO DE TRABALHOS (ORAL E POSTER) NO XXIV CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP - CIC. 2012.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Participation of the training of Integrity ℠. 2017. (Outra).

2.
Estímulo a Pesquisa Competitiva na FMB: Busca de Apoio Financeiro Adicional às Agências de Fomento. 2016. (Simpósio).

3.
46th Annual Meeting of the Environmental Mutagenesis and Genomic Society ie. 2015. (Encontro).

4.
THE 9TH CONGRESS ON WOMEN'S HEALTH & DISEASE 'FROM PUBERTY TO MENOPAUSE'. 2014. (Congresso).

5.
7TH ITERNATIONAL DIP SYMPOSIUM - DIABETES, HYPERTENSION, METABOLIC SYNDROME & PREGNANCY. 2013. (Congresso).

6.
Interação entre os Conhecimentos Básicos e Aplicados frente aos Projetos de Pesquisa em Diabete e Gravidez. 2013. (Outra).

7.
Técnica de Estudo: Introdução ao Modelo de Mapa Mental. 2013. (Outra).

8.
V SLIMP - LATIN AMERICAN SOCIETY FOR MATERNAL FETAL INTERACTION AND PLACENTA AND IV- LASRI - LATIN AMERICAN SYMPOSIUM ON REPRODUCTIVE IMMUNOLOGY. 2013. (Congresso).

9.
10º Congresso Paulista de Diabetes e Metabolismo. 2012. (Congresso).

10.
2º Encontro dos Comitês de Ética em Experimentação Animal e 1º Encontro dos Secretários. 2012. (Encontro).

11.
Atualização Clínica em Diabetes. 2012. (Outra).

12.
Princípios da Técnicas de Biologia Molecular Aplicadas à Pesquisaisa. 2012. (Simpósio).

13.
Ciência ao Cair da Tarde - Os Esforços para um Programa de PG em Saúde Evoluir em Conceito e Produção de Maneira Sustentada e Efetiva. 2011. (Outra).

14.
Princípios de Biologia Molecular. 2011. (Outra).

15.
Recent Advances in Womens Health. 2011. (Congresso).

16.
Tópicos Especiais: Translational Researches in Complicated Pregnancies.Standart Assessment in Gene Expression in Whole Blood Cells of Pregnant Women with Diabetes and Mild Gestational Hyperglycemia. 2011. (Outra).

17.
X Congresso Brasileiro da Sociedade Brasileira de Mutagênese, Carcinogênese e Teratogênese Ambiental (SBMTCA). 2011. (Congresso).

18.
9º Congresso Paulista de Diabetes e Metabolismo. 2010. (Congresso).

19.
II Seminário de Ética na Pesquisa Envolvendo Seres Humanos. 2010. (Seminário).

20.
I Seminário de Ética na Experimentação Animal. 2010. (Seminário).

21.
Tópicos Autais no Tratamento do DM. 2010. (Congresso).

22.
VI ENCONTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU. 2010. (Encontro).

23.
V Seminário em Interação Materno-Fetal: Pesquisa Básica & Clínica em Biologia da Reprodução. 2010. (Seminário).

24.
14º Congresso Brasileiro Multidisciplinar e Multiprofissional em Diabetes. 2009. (Congresso).

25.
V Encontro de Pós Graduação da Faculdade de Medicina de Botucatu. 2009. (Encontro).

26.
Elaboração de Resumos. 2008. (Oficina).

27.
XX Congresso de Iniciação Científica da Unesp. 2008. (Congresso).

28.
"Animais Peçonhentos". 2007. (Outra).

29.
"Fósseis e catástrofes: fragmentos da história da vida em um planeta mutante". 2007. (Oficina).

30.
53º Congresso Brasileiro de Genética. 2007. (Congresso).

31.
I Encontro de Ciências da Vida. 2007. (Congresso).

32.
Terapia Celular e Tumores. 2007. (Outra).

33.
XIX Congresso de Iniciação Científica da Unesp. 2007. (Congresso).

34.
XXIII Semana da Biologia do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, IBILCE - UNESP. 2007. (Outra).

35.
"Comportamento Social Humano: Uma Perspectiva Evolutiva". 2006. (Outra).

36.
"Diagnóstico e tratamento de anemia falciforme". 2006. (Simpósio).

37.
"Introdução à Identificação Humana". 2006. (Outra).

38.
"Programação Neurolinguística". 2006. (Outra).

39.
"Técnicas de biologia molecular". 2006. (Simpósio).

40.
IX Simpósio de Genética "Genômica e Proteômica no Brasil". 2006. (Simpósio).

41.
XXII Semana da Biologia do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, IBILCE - UNESP. 2006. (Outra).

42.
XXXIII Colóquio de Incentivo à Pesquisa. 2006. (Outra).

43.
"Adaptações Fisiológica em Organismos Aquáticos, com ênfase em Respiração e Osmorregulação". 2005. (Outra).

44.
"Alimentação e desinfecção de recintos de animais silvestres em cativeiro". 2005. (Oficina).

45.
"Conservação e manejo de felinos silvestres". 2005. (Outra).

46.
"Ecologia, evolução e conservação de morcegos". 2005. (Oficina).

47.
"Interações entre Animais e Plantas: Implicações para a Biologia da Conservação". 2005. (Outra).

48.
"Legislação e triagem de animais silvestres exóticos". 2005. (Outra).

49.
"Técnicas e Procedimentos de Trabalho com Fósseis". 2005. (Outra).

50.
Ecologia da Conservação. 2005. (Simpósio).

51.
III SABIO (Semana Acadêmica da Biologia). 2005. (Outra).

52.
XXI Semana da Biologia do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, IBILCE - UNESP. 2005. (Outra).

53.
"Ensinar Ciências: Pra que?, Como Despertar uma Consciência Ecológica?". 2004. (Seminário).

54.
"Minerando Micro-Satélites, em seqüências repetitivas de DNA de Eucalipto". 2004. (Outra).

55.
Excursão Multidisciplinar do Curso de Ciências Biológicas. 2004. (Outra).

56.
II Ciclo de Palestras da Biologia. 2004. (Outra).

57.
III Simpósio GEZ: Ecologia, Sistemática e Conservação da Biodiversidade Marinha Brasileira. 2004. (Simpósio).

58.
II SABIO (Semana Acadêmica da Biologia). 2004. (Outra).

59.
O Homem e a Natureza: Simbiose até que Ponto?. 2004. (Outra).

60.
Shiitake: Cultivo e Atividade Inseticida. 2004. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D. C. ; SINZATO, Y. K. ; GALLEGO, F. Q. . Como Escrever Um Projeto de Pesquisa. 2017. (Outro).

2.
GELALETI, R. B.; DAMASCENO, D. C. ; SINZATO, Y. K. ; GALLEGO, F. Q. . Como Conseguir uma Bolsa de Estudo e Financiamento para um Projeto de Pesquisa por Órgão Público. 2016. (Outro).

3.
DAMASCENO, D.C. ; SINZATO, Y. K. ; GELALETI, R. B. ; DALAQUA, B. ; BUENO, A. ; MARINI, GABRIELA ; PICULO, F. ; GALLEGO, F. Q. ; IESSI, I. L. . INTERAÇÃO ENTRE OS CONHECIMENTOS BÁSICOS E APLICADOS FRENTE AOS PROJETOS DE PESQUISA EM DIABETE E GRAVIDEZ. 2013. (Outro).



Outras informações relevantes


- FOI AVALIADOR DOS TRABALHOS (ORAL E POSTER) NO XXIV CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNESP - CIC.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 21/01/2019 às 6:41:09