Estevan Eltink Nogueira

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8004048500479942
  • Última atualização do currículo em 10/08/2018


Possui graduação (Bacharelado e Licenciatura) em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Londrina (2006), mestrado (2009) e doutorado (2014) em Ciências pelo programa de pós-graduação em Biologia Comparada da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto/USP. Possui estágio no Staatliches Museum für Naturkunde, Stuttgart, Alemanha, pelo programa de intercâmbio acadêmico do DAAD/CNPq (2012-2013). Foi pós-doutor e pesquisador responsável pelo projeto de Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE-FAPESP), desenvolvido no Parque SUPERA (Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Ribeirão Preto) junto à empresa Decoy Smart Control, na área de Ecologia Química Comportamental Aplicada. Atualmente, é professor adjunto na Universidade Federal do Vale do São Francisco, campus de Senhor do Bonfim/Bahia, junto ao colegiado de Ecologia. Seus esforços se concentram em paleontologia de vertebrados fósseis, trabalhando especificamente com sistemática filogenética, paleoecologia, distribuição estratigráfica e biogeografia. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Estevan Eltink Nogueira
Nome em citações bibliográficas
Eltink, Estevan;ELTINK, ESTEVAN

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Vale do São Francisco, Colegiado de Ecologia e Geografia, campus Senhor do Bonfim, Colegiado de Ecologia.
Av. Tomaz Guimarães, S/N
Bairro Santos Dumont
48970000 - Senhor do Bonfim, BA - Brasil - Caixa-postal: 48970000
Telefone: (74) 32214808


Formação acadêmica/titulação


2010 - 2014
Doutorado em Biologia Comparada.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
com período sanduíche em Staatliches Museum für Naturkunde Stuttgart (Orientador: Rainer Schoch).
Título: Revisão da anatomia craniana e das relações filogenéticas de Australerpeton cosgriffi (Tetrapoda: Temnospondyli), Ano de obtenção: 2014.
Orientador: Max Cardoso Langer.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Grande área: Ciências Biológicas
2007 - 2009
Mestrado em Biologia Comparada.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Paleontologia da Serra do Cadeado (Formação Rio do Rasto, Permiano Superior): levantamento de localidades fossilíferas e fauna de vertebrados,Ano de Obtenção: 2009.
Orientador: Max Cardoso Langer.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Grande área: Ciências Biológicas
Grande Área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Geologia.
Grande Área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Geologia / Especialidade: Estratigrafia.
2002 - 2006
Graduação em Biologia.
Universidade Estadual de Londrina, UEL, Brasil.
Título: Paleontologia de vertebrados da Serra do Cadeado: revisão histórica e levantamento de localidades fossilíferas.
Orientador: André Celligoi / Co-orientador: Max C.Langer.


Pós-doutorado


2015 - 2016
Pós-Doutorado.
Supera Tecnologia em Gestão Empresarial, SUPERA, Brasil.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.


Formação Complementar


2013 - 2013
Animais subterrâneos. (Carga horária: 8h).
Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, FFCLRP, Brasil.
2011 - 2011
Morfometria Geométrica. (Carga horária: 40h).
Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, FFCLRP, Brasil.
2010 - 2010
ll Workshop em Sistemática Filogenética. (Carga horária: 32h).
UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA, UNESP - FRANCA, Brasil.
2009 - 2009
TNT como ferramenta cladística. (Carga horária: 24h).
Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, FFCLRP, Brasil.
2008 - 2008
Técnicas de preparação de vertebrados fósseis. (Carga horária: 16h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
2008 - 2008
Introdução à Tafonomia e Paleoecologia. (Carga horária: 8h).
Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto, FFCLRP, Brasil.
2004 - 2004
ll Curso de Oriegem e Evolução do Universo. (Carga horária: 15h).
Universidade Estadual de Londrina, UEL, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal do Vale do São Francisco, UNIVASF, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto A2, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Responsável pelas disciplinas de Biogeoografia, Paleoecologia e Ecologia de Campo


Supera Tecnologia em Gestão Empresarial, SUPERA, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2016
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Responsável, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Doutorado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Bolsista FAPESP

Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Aula para Ciências Biológicas, Carga horária: 6
Outras informações
Aula de Tafonomia junto à disciplina de Paleontologia da graduação em ciências biológicas da FFCLRP-USP. 4 horas teóricas/2 horas práticas

Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Monitoria PAE, Carga horária: 6

Vínculo institucional

2007 - 2009
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Mestrado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Bolsista FAPESP


Staatliches Museum für Naturkunde Stuttgart, SMNS, Alemanha.
Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Doutorado Sanduíche, Carga horária: 40
Outras informações
Bolsista DAAD/CNPq


American Museum of Natural History, AMNH, Estados Unidos.
Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Visitante, Carga horária: 40
Outras informações
Visita coleção paleontológica


Iziko South African Museum, SAM, África do Sul.
Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Visitante, Carga horária: 40
Outras informações
Visita coleção paleontológica


Ditsong Museums of South Africa, Transvaal Museum, TM, África do Sul.
Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Visitante, Carga horária: 20
Outras informações
Visita coleção paleontológica


Bernarde Price Institute, BPI Paleontology, África do Sul.
Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Visitante, Carga horária: 40
Outras informações
Visita coleção paleontológica


Institut und Museum für Geologie und Paläontologie, Universität Tübingen, GPIT, Alemanha.
Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Visitante, Carga horária: 20
Outras informações
Visita coleção paleontológica


Museum für Naturkunde, MN, Alemanha.
Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Visitante, Carga horária: 40
Outras informações
Visita coleção paleontológica


Paleontological Institute, Academy of Science, Moscou, PIN, Rússia.
Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Visitante, Carga horária: 50
Outras informações
Visita coleção paleontológica


Cambridge University Museum of Zoology, UMZC, Inglaterra.
Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Visitante, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Visita à coleção de anfíbios fósseis da coleção do museum de zoologia da Universidade de Cambridge, Inglaterra


Natural History Museum London, NHM, Inglaterra.
Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesuisador visitante, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Visita coleção paleontológica


Departamento Nacional de Produção Mineral, DGM, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Visitante, Carga horária: 20
Outras informações
Visita coleção paleontológica


Laboratório de Paleontologia de Vertebrados, Universidade Federal do Rio Gr, UFRGS, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Visitante, Carga horária: 40
Outras informações
Visita coleção paleontológica



Projetos de pesquisa


2017 - Atual
FÓSSEIS DO NORDESTE BAIANO: ASPECTOS SISTEMÁTICOS E PALEOECOLÓGICOS DE UMA FAUNA PRETÉRITA
Descrição: Este projeto de pesquisa visa o georeferenciamento e prospecção em áreas cársticas (cavernas) do norte da Serra do Espinhaço, incluindo a região de Chapada Diamantina, objetivando a coleta de fósseis do Pleistoceno, e em áreas sedimentares da Bacia Tucano, objetivando a coleta de fósseis do Jurássico/Cretáceo. Para tal, localidades nos municípios de Campo Formoso, Mirangaba, Nova Redenção e Iraquara serão pesquisadas com intuito de exploração das cavernas, que, abrangendo parte da Região Intertropical Brasileira, possuem abundante fauna de mamíferos fósseis; e localidades nos municípios de Euclides da Cunha, Tucano e Canudos, que, tendo depósitos sedimentares de um período em que a África e América do Sul estavam se separando, possuem fósseis provenientes da ?Era dos Dinossauros?. Fósseis de ambas as áreas (norte da Serra do Espinhaço e Bacia Tucano) revelam uma interessante fauna de períodos passados na Bahia. No entanto, esses fósseis ainda foram pouco estudados nos âmbitos da sistemática e paleoecologia. Os aspectos sistemáticos incluem a descrição e identificação taxonômica destas formas fósseis, bem como o entendimento de suas relações filogenéticas. E os estudos paleoecológicos abrangem inferências sobre dieta e nicho desta fauna pretérita, por meio de isótopos de carbono/oxigênio/nitrogênio. Dessa forma, espera-se que os novos esforços desse projeto, visando o georeferenciamento, prospecção e coleta de fósseis, resultem em novas localidades fossilíferas, assim como novos espécimes/espécies fósseis, que, depositados junto à coleção paleontológica da UNIVASF campus de Senhor do Bonfim, servirão de base para o entendimento de como foi e de como viveu essa fauna em tempos pretéritos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Estevan Eltink Nogueira - Coordenador / Marco Aurélio Gallo de França - Integrante / Maria Otávia Silva Crepaldi - Integrante / Gustavos Hees de Negreiros - Integrante / Daniel Vieira De Souza - Integrante / Diego Leal - Integrante / Iasmim Soares dos Santos - Integrante.
2010 - 2014
REVISAO DA ANATOMIA CRANIANA E DAS RELACOES FILOGENETICAS DE AUSTRALERPETON COSGRIFFI (TETRAPODA: TEMNOSPONDYLI)
Descrição: O presente projeto objetiva a descrição anatômica dos crânios e mandíbulas referentes à Australerpeton cosgriffi, espécie de temnospôndilo (Tetrapoda: Temnosponondyli) coletada nos níveis superiores da Formação Rio do Rasto (Permiano Superior, Bacia do Paraná) da região da Serra do Cadeado; área localizada no centro-norte do estado do Paraná entre os municípios de Ortigueira e Mauá da Serra. Havendo um mínimo de seis crânios parciais coletados, Australerpeton cosgriffi Barbarena 1998 trata-se do mais bem conhecido ?anfíbio? paleozóico do Brasil. Enquanto trabalhos que consideram as escamas e os materiais pós-cranianos também contribuíram para o entendimento da morfologia desta espécie, a descrição disponível de seu crânio é pouco detalhada, demandando um estudo anatômico revisional mais aprofundado, objetivo primeiro deste projeto. As suas relações filogenéticas também não se encontram bem estabelecidas e Australerpeton cosgriffi é alternativamente associado aos Archegosauridae ou aos Rhinesuchidae. O primeiro grupo inclui ?stem-Stereospondyli? avançados procedentes de estratos do Permiano Superior da Europa Central e do Leste, além do norte da Índia e nordeste do Brasil, enquanto o segundo congrega estereospôndilos basais gonduânicos que possuem grande diversidade no Permiano da Bacia Karoo, sul da África. Assim sendo, o segundo objetivo deste trabalho abrange a elaboração de uma hipótese filogenética para o enquadramento de Australerpeton cosgriffi dentro do contexto dos ?stem-Stereospondyli? e Stereospondyli, o que teria implicações tanto bioestratigráficas quanto biogeográficas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Estevan Eltink Nogueira - Coordenador / Max Cardoso Langer - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.
2008 - 2010
Vertebrados permianos da Serra do Cadeado (Formação Rio do Rasto), Paraná: prospecção, coleta, filogenia e bioestratigrafia
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2007 - 2009
PALEONTOLOGIA DA SERRA DO CADEADO (FORMACAO RIO DO RASTO, PERMIANO SUPERIOR): LEVANTAMENTO DE LOCALIDADES FOSSILIFERAS E FAUNA DE VERTEBRADOS.
Descrição: O projeto proposto visou, através de novas coletas de paleovertebrados e descrição de material coletado, a obtenção de dados complementares sobre a Formação Rio do Rasto. Esta unidade geológica data do Permiano Superior e situa-se no topo do Grupo Passa Dois, na Bacia do Paraná. A área de estudo localiza-se na Serra do Cadeado (nordeste do estado do Paraná) onde se pretende prospectar novos pontos com potencial fossilífero para a coleta de paleovertebrados e a reavaliação dos pontos já conhecidos. A existência de material já coletado na Serra do Cadeado pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto (anfíbio temnospôndilo e possível tubarão hibodontiforme) configura potencial para descrição de novos táxons de vertebrados. A correlação bioestratigráfica desta formação geológica com aquelas de outras áreas do globo, como a África do Sul (Sistema Karroo) e Leste europeu (Plataforma Russa), além de uma reconstituição de seu paleoambiente, com ênfase nos vertebrados, complementam os objetivos deste projeto..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Estevan Eltink Nogueira - Coordenador / Max Cardoso Langer - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.


Projetos de extensão


2017 - Atual
CRIAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO DO MUNICIPIO DE SENTO SÉ, BA
Descrição: Este projeto representa uma demanda, levantada pela comunidade do povoado Brejo da Brásida (Município Sento Sé - BA) para propor a criação de uma unidade de conservação municipal. O município de Sento Sé - BA localiza-se dentro da área demarcada para a criação da Unidade de Conservação do Boqueirão da Onça, juntamente com os municípios de Campo Formoso, Juazeiro, Umburanas e Sobradinho, porém, existem disputas de interesses que impediram a criação do parque até o presente momento, necessitando que essa temática seja retomada. Essas localidades se destacam pela sua riqueza natural, apresentando ametista, galena, manganês, cristal de rocha, magnesita, ferro, talco, calcário e outras; águas termais no Brejo da Brásida e na Batateira; fauna rica em peixes e de animais de pequeno porte. Além de, possuírem os melhores ventos para implantação de empresas que produzem energia eólica, alto número de endemismos e alta riqueza de espécies raras/ameaçadas. Porém, está sendo considerada como vulnerável devido o grau de alteração e pressão antrópica média, ameaças pela perda de habitat, susceptibilidade alta a desertificação, consumo de madeira para lenha; ameaças à biodiversidade pelo potencial minerário e de usinas eólicas e possui criação de Bovino, Ovino e Caprino, considerado em recentes estudos, como um dos maiores destruidores da caatinga. Tais ameaçadas embasam a recomendação dessa área como Unidade de Conservação de Proteção Integral no Boqueirão da Onça; Criação de UC de Uso Sustentável; Recuperação de Áreas Degradadas; Manejo Sustentável da Caatinga para a Pecuária (ação indicada para áreas onde a prática da pecuária de caprinos, ovinos e bovinos é mais intensa que a capacidade); Fiscalização; Controle de espécies invasoras; Outros: Adequação ambiental das áreas afetadas por mineração e eólicas. Apesar de toda a urgência para proteção da biodiversidade, o processo de criação do Boqueirão da Onça como unidade de proteção integral, encontra-se estagnado. Sendo assim, a iniciativa do município de Santo Sé em criar uma unidade de conservação municipal nessa área será, torna-se necessária para evitar perda de toda a riqueza natural e biodiversidade por ações antrópicas. Será elaborada uma proposta, em parceria entre os professores da UNIVASF e a comunidade do Brejo da Brásida, a ser encaminhada para a prefeitura municipal de Santo Sé. Na qual conterá relato de estudo técnico através da caracterização biológica, caracterização do meio físico, definição do potencial para visitação pública, caracterização socioeconômica e definição da categoria de unidade de conservação. Os passos posteriores serão realizados pelo corpo técnico da prefeitura até o encaminhamento para Assinatura do ato e publicação..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
2017 - Atual
Apoio à criação, manejo e implementação de Unidades de Conservação na Bahia
Descrição: A criação, o manejo e a implementação de Unidades de Conservação são considerados os principais mecanismos de proteção de paisagens, recursos hídricos, fauna, flora, patrimônio histórico-cultural e geológico, sendo também uma das principais estratégias brasileiras de conservação da biodiversidade e cumprimento das metas da Convenção da Diversidade Biológica - CDB. Esta não é uma tarefa exclusiva do poder público, cabendo à sociedade civil organizada atuar de forma efetiva na criação, manejo, implementação e gestão das áreas protegidas brasileiras. Destaca-se a necessidade e importância de estudos que justifiquem a criação de UC no Bioma Caatinga, que vem sendo comprometido com os usos antrópicos crescentes. Além disso, conforme Siqueira Filho (2015),as UC enfrentam sérios problemas,envolvendo desde os aspectos fundamentais de conservação, como a sua situação fundiária, até aspectos relativos ao seu funcionamento, como inexistência de plano de manejo e falta de pessoas para tal fim. Neste sentido o projeto de extensão irá auxiliar a sociedade civil e o poder público a criar e implementar unidades de conservação na Bahia, envolvendo os alunos e professores em reuniões técnicas, capacitações, pesquisas científicas, elaboração de documentos e pareceres sobre o tema. Cabe ressaltar que esta temática é uma das principais áreas de atuação do futuro ecólogo e também do geógrafo, que poderá desenvolver atividades de conservação da sóciobiodiversidade e de educação ambiental..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
2010 - 2010
Projeto de Ensino Interdisciplinar Comunitário - PEIC
Descrição: O Curso PEIC foi fundado em 2004 por iniciativa dos estudantes da FFCLRP (Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto) e tem por objetivo promover condições para que estudantes de baixa renda ingressem no Ensino Superior, provendo um ensino de qualidade sem que este seja uma mercadoria. O PEIC é uma referência em democratização do saber e acesso ao conhecimento. O PEIC oferece anualmente 40 vagas, e conta com professores que estão se graduando em diversos cursos da USP, apoiados por conselho pedagógico composto de docentes da área da psicologia e educação e alunos do curso de pedagogia..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2004 - 2006
Museu de Geociências e Meio Ambiente de Rio Claro - PR
Descrição: O Projeto visa fornecer subsídios para montar um Museu sobre Geociências e meio ambiente em Ribeirão Claro, PR. Sabe-se que no município em questão existe na Prefeitura uma série de amostras de rochas e fósseis, inclusive de "preguiça gigante". Sabe-se também que outros tantos se encontram ainda incrustados na rocha. Através desse Projeto, pretende-se classificar e organizar as amostras já existentes, bem como coletar novas amostras formando coleções de rochas, minerais e fósseis. Pretende-se ainda realizar levantamentos diversos (fotográfico, mapeamentos, dentre outros) do meio físico da região de Ribeirão Claro. Uma vez realizadas as coletas de amostras, as mesmas serão classificadas e organizadas em coleções e exposições as quais ficarão abertas ao público em local cedido pela Prefeitura Municipal de Ribeirão Claro. Serão realizadas ainda palestras para os alunos das escolas locais sobre o meio físico e o ambiente da região de Ribeirão Claro. Na cidade de Londrina passará a ser atendida a Biblioteca Móvel da Secretaria Municipal do Meio Ambiente bem como o Centro de Visitantes do Parque Municipal Arthur Thomas..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (7) .
Integrantes: Estevan Eltink Nogueira - Integrante / Angelo Spoladore - Coordenador / André Celligoi - Integrante.


Projetos de desenvolvimento


2015 - 2016
Desenvolvimento de uma armadilha feromonal para o controle do carrapato bovino Rhipicephalus (Boophilus) microplus.
Descrição: Atualmente, o carrapato-do-boi, Rhipicephalus (Boophilus) microplus, é um dos maiores problemas enfrentados pelos pecuaristas brasileiros. Este pequeno parasita causa prejuízos para a atividade pecuária que chegam à R$ 9 bilhões por ano. O uso de acaricidas sintéticos, representados por uma grande variedade de princípios ativos disponíveis no mercado, tem sido a principal forma de reduzir as perdas econômicas resultantes das infestações e infecções transmitidas pelos carrapatos. Estes métodos, no entanto, apresentam custos elevados e trazem riscos de contaminação da carne, leite e do solo por resíduos químicos, com consequências para o meio ambiente e aos seres humanos. Outro problema desse mecanismo de controle é a resistência e/ou tolerância que os carrapatos adquirem aos diferentes princípios ativos. Por estas razões, a busca por novas alternativas tem se intensificado. Nesse contexto, o uso de armadilhas feromonais para o controle biológico apresenta um avanço significativo no cenário agropecuário brasileiro. As armadilhas de feromônio vêm sendo utilizadas para o controle de diversas pragas no Brasil e consistem da combinação de feromônios atrativos com pequenas quantidades de toxinas. Em outras espécies de carrapato, e.g. Amblyomma variegatum, essa estratégia já se mostrou muito eficiente para o controle biológico. No entanto, ainda existe uma grande lacuna no conhecimento da ecologia química de R. (B.) microplus, principal problema da pecuária brasileira. Assim, o presente projeto propõe o desenvolvimento de um método alternativo de controle desse carrapato, utilizando armadilhas feromonais. Para atingir esse fim, os compostos voláteis de R. (B.) microplus serão coletados, quantificados e identificados com o auxílio de ferramentas conhecidas de análise química. Posteriormente, os compostos encontrados serão testados com os carrapatos para verificar quais são aqueles que provocam as respostas biológicas desejadas. Desse modo, espera-se obter ao final desta pesquisa os feromônios voláteis, que provoquem grande atração nos indivíduos de R. (B.) microplus, para posterior confecção de armadilhas. Os resultados obtidos neste estudo tem potencial para produzir um impacto significativo na atividade pecuária brasileira, elevando a produtividade e agregando valor ao gado bovino produzido no Brasil..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.


Revisor de periódico


2014 - Atual
Periódico: Acta Palaeontologica Polonica
2016 - Atual
Periódico: Zoological Journal of the Linnean Society


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Zoologia / Subárea: Evolução.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Zoologia / Subárea: Paleozoologia.
3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Zoologia / Subárea: Taxonomia.
4.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Zoologia / Subárea: Biogeografia.
5.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia.


Idiomas


Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.
Alemão
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
MARTINELLI, AGUSTÍN G.2017MARTINELLI, AGUSTÍN G. ; ELTINK, ESTEVAN ; DA-ROSA, ÁTILA A. S. ; LANGER, MAX C. . A new cynodont from the Santa Maria formation, south Brazil, improves Late Triassic probainognathian diversity. PAPERS IN PALAEONTOLOGY, v. 3, p. 401-423, 2017.

2.
GODOY, P.2016GODOY, P. ; BRONZATI, M. ; ELTINK, ESTEVAN ; MARSOLA, J. ; CIDADE, G. ; LANGER, MAX C. ; MONTEFELTRO, F. C. . Postcranial anatomy of Pissarrachampsa sera (Crocodyliformes, Baurusuchidae) from the Late Cretaceous of Brazil: insights on lifestyle and phylogenetic significance. PEERJ, v. 4, p. e2075, 2016.

3.
ELTINK, ESTEVAN2016ELTINK, ESTEVAN; DA-ROSA, ÁTILA A. STOCK ; DIAS-DA-SILVA, SÉRGIO . A capitosauroid from the Lower Triassic of South America (Sanga do Cabral Supersequence: Paraná Basin), its phylogenetic relationships and biostratigraphic implications. Historical Biology, v. 29, p. 1-12, 2016.

4.
PACHECO, C.2016PACHECO, C. ; Eltink, Estevan ; MULLER, R. T. ; DIAS-DA-SILVA, S. . A new Permian temnospondyl with Russian affinities from South America, the new family Konzhukoviidae, and the phylogenetic status of Archegosauroidea. Journal of Systematic Palaeontology (Print), p. 1-16, 2016.

5.
ELTINK, ESTEVAN2015 ELTINK, ESTEVAN; DIAS, ELISEU V. ; DIAS-DA-SILVA, SÉRGIO ; SCHULTZ, CESAR L. ; LANGER, MAX C. . The cranial morphology of the temnospondyl A ustralerpeton cosgriffi (Tetrapoda: Stereospondyli) from the Middle-Late Permian of Paraná Basin and the phylogenetic relationships of Rhinesuchidae. ZOOLOGICAL JOURNAL OF THE LINNEAN SOCIETY, v. 176, p. n/a-n/a, 2015.

6.
Eltink, Estevan;ELTINK, ESTEVAN2014Eltink, Estevan; LANGER, M. C. . A new specimen of the temnospondyl Australerpeton cosgriffi from the late Permian of Brazil (Rio do Rasto Formation, Paraná Basin): comparative anatomy and phylogenetic relationships. Journal of Vertebrate Paleontology, v. 34, p. 524-538, 2014.

Capítulos de livros publicados
1.
Eltink, Estevan; DIAS, E. V. . Temnospôndilos do Brasil: uma breve revisão e aspectos paleobiogeográfico. In: Valéria Gallo; Hilda M,A. Silva; Paulo M. Brito; Francisco J. de Figueiredo. (Org.). Paleontologia de Vertebrados: relações entre América do Sul e África. 1ed.Rio de Janeiro: Interciência, 2012, v. , p. 69-99.

2.
LANGER, MAX C. ; ELTINK, ESTEVAN ; BITTENCOUT, J. S. ; FRANCA, M. A. G. ; ROHN, Rosemarie . Serra do Cadeado, PR: uma janela paleobiológica para o Permiano continental sul-americano. In: Winge,M.; Schobbenhaus,C.; Souza,C.R.G.; Fernandes,A.C.S.; Berbert-Born,M.; Queiroz,E.T.;. (Org.). Sítios Geológicos e Paleontológicos do Brasil. 1ed.: , 2009, v. 2, p. 433-450.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
DANTAS, Mário André Trindade ; ARAUJO, A. V. ; Eltink, Estevan ; SILVA, L. A. ; LESSA, C. M. B. ; CARVALHO, J. C. ; ALVES, B. S. ; PANSANI, T. R. ; GOMES, V. S. ; SILVA, J. S. . Novos registros de fósseis de preguiças gigantes terrícolas (Xenarthra, Tardigrada) em uma caverna de Andaraí, Bahia: Taxonomia e inferências sobre a distribuição geográfica durante o Pleistoceno final.. In: 34º Congresso Brasileiro de Espeleologia, 2017, Ouro Preto, MG. Anais, 2017. v. 2017. p. 567-573.

2.
GODOY, P. ; MONTEFELTRO, F. C. ; Eltink, Estevan ; VILA NOVA, B. ; MARSOLA, J. ; BRONZATI, M. ; VENANCIO, V. ; FACHINI, T. ; LANGER, M. C. . Novo espécime de Baurusuchidae (Crocodyliformes, Mesoeucrocodylia) de General Salgado-SP (Grupo Bauru, Cretáceo Superior).. In: XXII Congresso Brasileiro de Paleontologia, 2011, Natal-RN. Anais do XXII Congresso Brasileiro de Paleontologia, 2011. v. 1. p. 714-716.

3.
LANGER, M. C. ; IANNUZZI, R. ; RICHTER, M. ; Laurini, C. R. ; Eltink, Estevan ; FRANCA, M. A. G. ; BRONZATI, M. . 'De volta ao Riacho Pedra de Fogo': vertebrados permianos da Bacia do Parnaíba no leste do Maranhão.. In: XXII Congresso Brasileiro de Paleontologia, 2011, Natal-RN. Anais do XXII Congresso Brasileiro de Paleontologia. Paleontologia: Caminhando pelo tempo, 2011. v. 1. p. 703-706.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
Eltink, Estevan; ABREU, D. L. ; SOUZA, D. V. ; ARAUJO, A. V. . Fósseis da 'Gruta da Lapinha' (Nova Redenção ? Bahia) e seus aspectos taxonômicos. In: XI Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrados, 2018, Teresina. Boletim de Resumos / Paleontologia em Destaque : Boletim Informativo da Sociedade Brasileira de Paleontologia, 2018. v. 1. p. 44-44.

2.
Eltink, Estevan; FRANCA, M. A. G. ; MONTEFELTRO, F. C. ; FACHINI, T. ; ONARY, S. ; SANTOS, I. S. ; ABREU, D. L. ; LANGER, MAX C. . Novos fósseis de vertebrados da Formação Aliança (Jurássico Superior) na porção sul da Bacia Tucano e o primeiro registro de Priohybodus no Brasil. In: XI Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrados, 2018, Teresina. Boletim de Resumos / Paleontologia em Destaque : Boletim Informativo da Sociedade Brasileira de Paleontologia, 2018. v. 1. p. 45-45.

3.
ELTINK, ESTEVAN; CASTRO, M. C. ; MONTEFELTRO, F. C. ; DANTAS, M. A. T. ; SCHERER, C. S. ; OLIVEIRA, P. V. ; LANGER, MAX C. . Fauna quaternária de vertebrados da Gruta do Ioiô (Palmeiras, Bahia): datação por radiocarbono, paleoecologia e implicações biogeográficas. In: XXV Congresso Brasileiro de Paleontologia, 2017, Ribeirão Preto. Paleontologia em destaque: Boletim de Resumos do XXV Congresso Brasileiro de Paleontologia, 2017. v. 32. p. 94-94.

4.
ELTINK, ESTEVAN; VIEIRA, A. A. ; BATISTA, E. ; DANTAS, M. A. T. . Potencialidades fossilíferas em caverna cársticas da sub-bacia Una-Utinga, Bahia.. In: XXV Congresso Brasileiro de Paleontologia, 2017, Ribeirão Preto. Paleontologia em destaque: Boletim de Resumos do XXV Congresso Brasileiro de Paleontologia, 2017. v. 32.

5.
RIBEIRO, D. C. ; ELTINK, ESTEVAN ; MONTEFELTRO, F. C. . Rhamdia do Pleistoceno da Bahia, novos registros e velhos problemas.. In: XXV Congresso Brasileiro de Paleontologia, 2017, Ribeirão Preto. Paleontologia em destaque: Boletim de Resumos do XXV Congresso Brasileiro de Paleontologia, 2017. v. 32.

6.
NUNES, T. M. ; ELTINK, ESTEVAN ; MATEUS, S. ; MONTEFELTRO, F. C. . Optimization of brood comb architecture and queen production in stingless bees phylogeny. In: XI Encontro sobre Abelhas, 2016, Ribeirão Preto. Anais do XI Encontro sobre Abelhas, 2015.

7.
GODOY, P. ; BRONZATI, M. ; LANGER, M. ; Eltink, Estevan ; MARSOLA, J. ; CIDADE, G. ; MONTEFELTRO, F. C. . The postcranial anatomy of Pissarrachampsa sera (mesoeucrocodylia, baurusuchidae), from the Late Cretaceous of Brazil. In: Annual Meeting of the Society of Vertebrate Paleontology, 2015, Dallas. Meeting Program and Abstracts of the 74th Annual Meeting of the Society of Vertebrate Paleontology, 2015. v. 1. p. 133-133.

8.
Eltink, Estevan; LANGER, M. C. . Revision of cranial anatomy and phylogenetic relationships of Australerpeton cosgriffi (Tetrapoda: Temnospondyli). In: 74th Annual Meeting of the Society of Vertebrate Paleontology, 2014, Berlin. Meeting Program and Abstracts of the 74th Annual Meeting of the Society of Vertebrate Paleontology, 2014. v. 1. p. 125-125.

9.
Eltink, Estevan; LANGER, M. C. . A new specimen of the temnospondyl Australerpeton cosgriffi from the Late Permian of Brazil (Rio do Rasto Formation, Paraná Basin): new anatomical information and phylogenetic relationships.. In: 73rd Annual Meeting of the Society of Vertebrate Paleontology, 2013, Los Angeles. Program and Abstracts of the 73rd Annual Meeting of the Society of Vertebrate Paleontology, 2013. v. 1. p. 122-122.

10.
LAURINI, C. ; RICHTER, M. ; Eltink, Estevan ; Max Cardoso Langer . The largest known chondrichthyan cephalic spine plate (Late Permian of Brazil).. In: IV Congresso Latinoamericano de Paleontologia de Vertebrados, 2011, San Juan. Abstracts: IV Congresso Latinoamericano de Paleontologia de Vertebrados, 2011. v. 1. p. 269-269.

11.
Eltink, Estevan; LANGER, M. C. . Cranial anatomy of Australerpeton cosgriffi Barberena, 1998: a permian temnospondyl from south Brazil.. In: IV Congresso Latinoamericano de Paleontologia de Vertebrados, 2011, San Juan. Abstracts: IV Congresso Latinoamericano de Paleontologia de Vertebrados, 2011. v. 1. p. 159-159.

12.
Eltink, Estevan; LANGER, M. C. . Sobre um anfíbio Temnospondyli procedente da Serra do Cadeado, Paraná. In: Vll Simpósio Brasileiro de Paleontologia da Vertebrados, 2010, Rio de Janeiro. Paleontologia em Destaque - Boletim informativo da sociedade brasileira de paleontologia. Rio de Janeiro: 3D Gráfica, 2010. v. 1. p. 18-183D.

13.
Eltink, Estevan; Laurini, C. R. ; LANGER, M. C. . Novos materiais fóssies provenientes da Serra do Cadeado, estado do Paraná: perspectivas e potencialidades. In: Vll Simpósio Brasielrio de Paleontologia, 2010, Rio de Janeiro. Paleontologia em Destaque - Boletim informativo da sociedade brasileira de paleontologia. Rio do Janeiro: 3D Gráfica, 2010. v. 1. p. 19-19.

14.
MONTEFELTRO, F. C. ; Eltink, Estevan ; MASSARANI, M. ; MARSOLA, J. ; BRONZATI, M. ; GODOY, P. ; LANGER, M. C. . Novos Crocodyliformes da Formação Vale do Rio do peixa (grupo Bauru, Cretáceo Superior) do município de Campina verde, MG.. In: VII Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrados, 2010, Rio de Janeiro. Boletim de Resumos do VII Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrados, 2010. v. 1. p. 51-51.

15.
Eltink, Estevan; LANGER, M. C. . Novos espécimes de temnospôndilos da Serra do Cadeado (nordeste do Paraná). In: VI Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrados, 2008, Ribeirão Preto. Boletim de Resumos do VI Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrados, 2008. v. 1. p. 86-88.

16.
LANGER, M. C. ; Eltink, Estevan ; BITTENCOUT, J. S. ; MONTEFELTRO, F. C. ; FRANCA, M. A. G. . De volta à Serra do Cadeado: vertebrados fósseis do Permiano Superior (Formação Rio do Rasto) do Paraná. In: XX Congresso Brasileiro de Paleontologia, 2007, Búzios. Anais do XX Congresso Brasileiro de Paleontologia, 2007. p. 91.

17.
OLIVEIRA, Vera Lúcia Bahl de ; BUENO, Eliana Aparecida Silicz ; SANTOS JÚNIOR, Marcelo Augusto dos ; CUSTÓDIO, Dayana Lacerda ; ESCANFERLA, Maria Eugenis ; Eltink, Estevan ; PASSIPIERI, Juliana Amaral ; PIRES, Larissa B ; LANÇA, Larissa B ; ENDO, Érica Miyuiki ; FALCO, Ana Lúcia ; ROCHA, Camila . Recursos para aprender: jogando em Ciências Naturais. In: Encontro nacional de pesquisa em educação em ciências, 2003, Bauru. Anais do lV ENPEC, 2003.

Apresentações de Trabalho
1.
ELTINK, ESTEVAN; CASTRO, M. C. ; MONTEFELTRO, F. C. ; DANTAS, M. A. T. ; SCHERER, C. S. ; OLIVEIRA, P. V. ; LANGER, M. . Fauna quaternária de vertebrados da Gruta do Ioiô (Palmeiras, Bahia): datação por radiocarbono, paleoecologia e implicações biogeográficas. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
Eltink, Estevan. A sistemática como uma ferramenta paleontológica e a história dos anfíbios gigantes brasileiros. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
Eltink, Estevan. Reconstruindo o Passado: o exemplo da história evolutiva das baleias. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
Eltink, Estevan. A conquista do ambiente terrestre pelos tetrápodes. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
Eltink, Estevan; Max Cardoso Langer . A new specimen of the temnospondyl Australerpeton cosgriffi from the Late Permian of Brazil (Rio do Rasto Formation, Paraná Basin): new anatomical information and phylogenetic relationships.. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
Eltink, Estevan; Max Cardoso Langer . Cranial anatomy of Australerpeton cosgriffi Barberena, 1998: a permian temnospondyl from south Brazil.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
Eltink, Estevan. Fósseis: a origem e evolução dos anfíbios.. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

8.
Eltink, Estevan; Max Cardoso Langer . Sobre um anfíbio Temnospondyli procedente da Serra do Cadeado, Paraná. In: Vll Simpósio Brasileiro de Paleontologia da Vertebrados. 2010. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

9.
Eltink, Estevan; LANGER, M. C. . Novos espécimes de temnospôndilos da Serra do Cadeado (nordeste do Paraná). 2008. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).


Produção técnica
Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
ELTINK, ESTEVAN. Paleontólogos descrevem anfíbio gigante de 260 milhões de anos. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

2.
ELTINK, ESTEVAN. USP recria 'primo' de sapo que parecia jacaré e viveu há 260 milhões de anos. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

3.
ELTINK, ESTEVAN. Um paleontólogo da USP de Ribeirão Preto fez uma pesquisa com um anfíbio gigante de 260 milhões de anos. O animal se parece com um crocodilo.. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

4.
ELTINK, ESTEVAN. Paleontólogos describen un anfibio gigante de 260 millones de años. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

5.
ELTINK, ESTEVAN. Pesquisadores recriam anfíbio de 2,5 metros que viveu há 260 milhões de anos. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

6.
ELTINK, ESTEVAN. Anfíbio com pinta de Jacaré. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

7.
ELTINK, ESTEVAN. Anfíbio com pinta de Jacaré. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).


Demais tipos de produção técnica
1.
Eltink, Estevan; CASTRO, M. C. . Paleontologia: um panorama sobre a vida na terra. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
Eltink, Estevan. Programa de Aperfeiçoamento de Ensino. 2010. (Monitoria).

3.
Eltink, Estevan. A Universidade e as Profissões. 2008. (Monitoria).

4.
Eltink, Estevan. A Universidade e as Profissões. 2006. (Monitoria).

5.
Eltink, Estevan. Geologia Geral e Paleontologia. 2005. (Monitoria acadêmica - 68 horas).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
Eltink, Estevan. Participação em banca de John Lennon Alves Pereira. Descrição osteológica de fragmentos de um anfíbio Temnospondyli da Formação Rio do Rasto. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em Geociências) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

2.
Eltink, Estevan; LANGER, M. C.; MARINHO, T. S.. Participação em banca de Pedro Lorena Godoy. Osteologia e filogenia de dois Crocodyliformes fósseis: Aplestosuchus sordidus do Cretáceo do Brasil e Eocaiman cavernensis do Eoceno da Argentina. 2014. Dissertação (Mestrado em Biologia Comparada) - Universidade de São Paulo.

Teses de doutorado
1.
ELTINK, ESTEVAN; DIAS, E. V.; DENTZIEN-DIAS, P.. Participação em banca de KARINE LOHMANN AZEVEDO. NOVOS REGISTROS DE TEMNOSPONDYLI DO SÌTIO SÃO JERÔNIMO DA SERRA DA FORMAÇÃO RIO DO RASTO (PERMIANO MÉDIO/SUPERIOR) DO ESTADO DO PARANÁ, BRASIL: IMPLICAÇÕES TAXONÔMICAS, TAFONÔMICAS, PALEOAMBIENTAIS E BIOESTRATIGRÁFICAS. 2018. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Geociências) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Qualificações de Mestrado
1.
Eltink, Estevan; LANGER, M.; KLEIN, W.. Participação em banca de Paulo Ricardo Mendonça Lopes. Estudo da descrição osteológica de um Mustelidae (Mammalia, Carnivora) do Alto Rio Juruá, do Pleistoceno Final da Amazônia brasileira.. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Biologia Comparada) - Universidade de São Paulo.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
FRANCA, M. A. G.; ELTINK, ESTEVAN; JAHYNY, B. J. B.. Participação em banca de Alexsandra Bezera de Carvalho.Caracterização da paleoictiofauna de afloramentos de Formação Romualdo (Aptiano-Albiano; Grupo Santana, Bacia do Araripe) na região pernambucana.. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Vale do São Francisco.

2.
FRANCA, M. A. G.; ELTINK, ESTEVAN; JAHYNY, B. J. B.. Participação em banca de Markus Voltaire de Oliveira Virgínio.Identificação taxonômica de um fragmento de manmbro locomotor de tetrápode da Formação Romualdo, encontrado no município de Bodocó-PE.. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Vale do São Francisco.




Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
XI Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrado.Fósseis da 'Gruta da Lapinha' (Nova Redenção ? Bahia) e seus aspectos taxonômicos. 2018. (Simpósio).

2.
XI Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrado.Novos fósseis de vertebrados da Formação Aliança (Jurássico Superior) na porção sul da Bacia Tucano e o primeiro registro de Priohybodus no Brasil. 2018. (Simpósio).

3.
XI Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrado. 2018. (Simpósio).

4.
PaleoNE. 2017. (Encontro).

5.
XXV Congresso Brasileiro de Paleontologia. 2017. (Congresso).

6.
XXV Congresso Brasileiro de Paleontologia. POTENCIALIDADES FOSSILÍFERAS EM CAVERNAS CÁRSTICAS DA SUB-BACIA UNAUTINGA, BAHIA. 2017. (Congresso).

7.
XXV Congresso Brasileiro de Paleontologia. FAUNA QUATERNÁRIA DE VERTEBRADOS DA GRUTA DO IOIÔ (PALMEIRAS, BAHIA): DATAÇÃO POR RADIOCARBONO, PALEOECOLOGIA E IMPLICAÇÕES BIOGEOGRÁFICAS. 2017. (Congresso).

8.
22º Mural da Casa da Ciência. Adote um Cientista. 2015. (Exposição).

9.
73rd Annual Meeting of the Society of Vertebrate Paleontology.A new specimen of the temnospondyl Australerpeton cosgriffi from the Late Permian of Brazil (Rio do Rasto Formation, Paraná Basin): new anatomical information and phylogenetic relationships.. 2013. (Encontro).

10.
Paleo SP. 2013. (Encontro).

11.
Vl Encontro da Biologia Comparada. 2013. (Encontro).

12.
lV Congreso Latinoamericano de Paleontologia de Vertebrados. AN ANATOMICAL REASSESSMENT OF TEMNOSPONDYL AMPHIBIAN AUSTRALERPETON COSGRIFFI. 2011. (Congresso).

13.
Vll Simpósio Brasielrio de Paleontologia de Vertebrados.Novos materiais fósseis provenientes da Serra do Cadeado, estado do Paraná: perspectivas e potencialidade. 2010. (Simpósio).

14.
Vll Simpósio Brasileiro de Paleontologia da Vertebrados.Sobre um espécime de anfíbio Temnospondyli procedente da Serra do Cadeado, Paraná. 2010. (Simpósio).

15.
Vll Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrados. 2010. (Simpósio).

16.
Na África saheliana, pesquisando a origem dos hominídeos. 2008. (Outra).

17.
Vl Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrados.Novos espécimes de temnospôndilos da Serra do Cadeado (nordeste do Paraná). 2008. (Simpósio).

18.
Vl Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrados.Novos espécimes de temnospôndilos da Serra do Cadeado (nordeste Paraná). 2008. (Simpósio).

19.
XXXV Semana de Bio-estudos/ Introdução à Tafonomia e Paleoecologia. 2008. (Outra).

20.
XII Seminário de Apresentação das Monografias do Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas.Paleontologia de vertebrados da Serra do Cadeado (Formação Rio do Rasto, Permiano Superior): revisão histórica e localidades fossilíferas. 2007. (Seminário).

21.
XX Congresso Brasileiro de Paleontologia. 2007. (Congresso).

22.
XXVI Congresso Brasileiro de Zoologia. 2006. (Congresso).

23.
Mostra de painéis de imunologia do curso de ciências biológicas.Evolução do sistema imune. 2004. (Outra).

24.
Lançamento da bioma - Consultoria ambiental - Empresa júnior de biologia. 2003. (Outra).

25.
Reconstrução Paleoambiental (vegetação e clima) na região amazônica e áreas adjacentes durante o pleistoceno tardio. 2003. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Claudine Gonçalves de Oliveira ; ELTINK, ESTEVAN ; RODRIGUES, M. A. ; NEGREIROS, G. H. ; SOUZA, D. V. . 2ª Semana de Meio Ambiente e 1º Worshop do GEMA ?Sustentabilidade e Envolvimento Social?. 2018. (Outro).

2.
LANGER, M. C. ; BITTENCOUT, J. S. ; MONTEFELTRO, F. C. ; Eltink, Estevan ; Laurini, C. R. ; MASSARANI, M. ; FRANCA, M. A. G. ; CASTRO, M. C. . Vl Simpósio Brasileiro de Paleontologia de Vertebrados. 2008. (Congresso).

3.
Eltink, Estevan. XXVI Congresso Brasileiro de Zoologia. 2006. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Iniciação científica
1.
Iasmin Soares dos Santos. ASPECTOS SISTEMÁTICOS DE UMA FAUNA PRETÉRITA: FÓSSEIS NA BACIA SEDIMENTAR DO TUCANO. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Ecologia) - Universidade Federal do Vale do São Francisco. (Orientador).

2.
Diego Leal Abreu. ASPECTOS SISTEMÁTICOS DE UMA FAUNA PRETÉRITA: FÓSSEIS EM CAVERNAS DA SERRA DO ESPINHAÇO NORTE. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Ecologia) - Universidade Federal do Vale do São Francisco. (Orientador).



Educação e Popularização de C & T



Apresentações de Trabalho
1.
Eltink, Estevan. Reconstruindo o Passado: o exemplo da história evolutiva das baleias. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).


Cursos de curta duração ministrados
1.
Eltink, Estevan; CASTRO, M. C. . Paleontologia: um panorama sobre a vida na terra. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Outra).


Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
ELTINK, ESTEVAN. Paleontólogos descrevem anfíbio gigante de 260 milhões de anos. 2015. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).



Outras informações relevantes


Aprovação em Concurso - INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA TRIÂNGULO MINEIRO - UBERABA (edital 025/2014), Professor Doutor de geologia e paleontologia - evolução - biogeografia - ensino em biologia de campo - práticas pedagógicas para ensino médio integrado.

Trabalhos de campo (participação e coordenação): Serra do Cadeado, Paraná, para coleta de vertebrados fósseis (11/09/2007 a 15/09/2007 e 01/11/2007 a 03/11/2007); Formação Presidente Prudente (Cretáceo Superior), Grupo Bauru, Presidente Prudente (07 a 13 de Junho de 2010); Formação Santa Maria (Triássico), Bacia do Paraná, Agudo, Rio Grande do Sul, (07 a 11 de Julho de 2010); Formação Pedra do Fogo, Bacia do Parnaíba (Permiano), Pastos Bons, Maranhão (16 a 29 de Agosto 2010); Formação Rio do Rasto (Permiano), Bacia do Paraná, Grupo Passa Dois, nas proximidades da cidade de Jacarezinho, São Jerônimo da Serra e Santo Antônio da Platina, Paraná (24 a 29 de Março de 2011); Formação Adamantina, Bacia Bauru, na cidade de General Salgado, São Paulo (14 a 21 de Maio 2011); Grupo Passa Dois e Cretáceo da Chapada dos Guimarães, Mato Grosso (25 de junho a 09 de julho de 2011); Gruta Ioiô, Chapada Diamantina, Bahia (17 de Novembro a 23 de novembro de 2013); Tanzânia, Tunduru beds, Triássico Médio/Superior, África (07 à 21 de Julho de 2015).



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 15/11/2018 às 15:36:38