Ágatha Oliveira Giacomelli

Bolsista de Pós-doutorado Júnior do CNPq

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/5351316473311007
  • Última atualização do currículo em 01/10/2018


Possui graduação em Farmácia (2011) e mestrado em Bioquímica (2014) pela Universidade Federal de Santa Catarina. Doutora em Ciências Biológicas (Bioquímica) pela Universidade de São Paulo - USP. Atualmente é pós-doutoranda no Laboratório de Neurociências do Instituto de Química - USP (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Ágatha Oliveira Giacomelli
Nome em citações bibliográficas
OLIVEIRA, Á.;OLIVEIRA, A.;Ágatha Oliveira;Agatha Oliveira;OLIVEIRA, ÁGATHA;Oliveira-Giacomelli, Á;Oliveira-Giacomelli, Ágatha

Endereço


Endereço Profissional
Universidade de São Paulo, Instituto de Química.
Avenida Professor Lineu Prestes, 748. Bloco 9, sala 964.
Butantã
05508000 - São Paulo, SP - Brasil
Telefone: (011) 30919181
URL da Homepage: http://www2.iq.usp.br/docente/henning/


Formação acadêmica/titulação


2014 - 2018
Doutorado em Ciências Biológicas (Bioquímica).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Papel dos receptores purinérgicos em modelo animal de doença de Parkinson., Ano de obtenção: 2018.
Orientador: Alexander Henning Ulrich.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Parkinson; Receptores Purinérgicos; Células Tronco Embrionárias.
Grande área: Ciências Biológicas
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Biologia Molecular.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Morfologia / Subárea: Citologia e Biologia Celular.
2012 - 2014
Mestrado em Bioquímica.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Título: A terapia combinada de exercício físico e creatina induz efeito tipo-antidepressivo e aumento de BDNF no hipocampo de camundongos.,Ano de Obtenção: 2014.
Orientador: Nelson Horacio Gabilan.
Coorientador: Ana Lúcia Severo Rodrigues.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Depressão; Creatina; Exercício Físico; BDNF.
Grande área: Ciências Biológicas
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Farmacologia / Subárea: Neuropsicofarmacologia.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Biologia Molecular.
Setores de atividade: Pesquisa e desenvolvimento científico.
2007 - 2011
Graduação em Farmácia.
Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.


Pós-doutorado


2018
Pós-Doutorado.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Grande área: Ciências Biológicas
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Farmacologia / Subárea: Neuropsicofarmacologia.


Formação Complementar


2018 - 2018
Docência no Ensino Superior. (Carga horária: 8h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
2011 - 2011
Sinalização Celular: da membrana ao núcleo..
Federação das Sociedades de Biologia Experimental, FeSBE, Brasil.
2000 - 2005
Inglês Avançado.
FISK - Centro de Ensino, FISK, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Doutoranda, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Mestranda, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2011 - 2012
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica, Carga horária: 20
Outras informações
Bolsista de iniciação científica pelo programa PIBIC/CNPq no Laboratório de Neurobiologia da Depressão. Título do projeto: "Envolvimento dos receptores NMDA e da via L-arginina - Óxido Nítrico - GMPc na ação de compostos com potencial antidepressivo." Orientadora: Profª Drª Ana Lúcia Severo Rodrigues.

Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Outro, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 16
Outras informações
Estagiária na Farmácia Escola UFSC/PMF. Responsável pelo atendimento dos usuários da Farmácia Básica e do Componente Especializado do SUS, prestando assistência farmacêutica individual visando o uso racional dos medicamentos.

Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica, Carga horária: 20
Outras informações
Bolsista de iniciação científica pelo programa PIBIC/CNPq no Laboratório de Neurobiologia da Depressão. Título do projeto: "Avaliação do efeito antidepressivo da atividade física na roda de corrida voluntária em camundongos." Orientadora: Profª Drª Ana Lúcia Severo Rodrigues.

Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: Outro, Enquadramento Funcional: Coordenador
Outras informações
Coordenadora Secretária do Centro Acadêmico de Farmácia da UFSC, responsável pela administração da entidade, auxilio aos estudantes do curso e organização de eventos integrativos.

Atividades

10/2010 - 10/2011
Direção e administração, Colegiado do curso de Farmácia da UFSC, .

Cargo ou função
Representante discente.

Hospital Universitário - UFSC (SC), HU UFSC, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2010
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estagiaria, Carga horária: 12
Outras informações
Estagiária responsável pela recepção, organização, distribuição e tratamento dos resultados de exames de Carga Viral e CD4 realizados no Laboratório de Análises Clínicas do Hospital Universitário da UFSC.



Projetos de pesquisa


2014 - Atual
Papel dos receptores purinérgicos na terapia de transplante de células-tronco embrionárias em um modelo animal de doença de Parkinson.
Descrição: A Doença de Parkinson é uma doença altamente incapacitante e de grande prevalência. Pouco se sabe sobre sua etiologia e os tratamentos atuais consistem na diminuição dos sintomas, uma vez que ainda não foi encontrada uma maneira de reverter o déficit de neurônios dopaminérgicos observados nos pacientes acometidos. Devido a sua capacidade de se diferenciar em todos os tipos celulares embrionários, as células-tronco possuem interessante aplicabilidade terapêutica contra diversas doenças, como a doença de Parkinson, se diferenciadas especificamente em neurônios dopaminérgicos. De fato, essa terapia tem mostrado resultados promissores em modelos animais, porém a elucidação dos mecanismos moleculares envolvidos ainda precisa ser explorada. Sabe-se que os receptores purinérgicos são encontrados por todo o sistema nervoso central, não só no indivíduo adulto como também em diferentes estágios do desenvolvimento embrionário, e estão envolvidos em processos de proliferação e diferenciação de células-tronco in vivo e in vitro. Dessa forma, este trabalho propõe o estudo do envolvimento de receptores purinérgicos durante a preparação das células para transplante, na lesão animal como modelo da doença de Parkinson e durante o processo de inserção desses novos neurônios após o transplante, auxiliando na validação desse procedimento como uma possível terapia de cura para a doença. Para isso, serão utilizados ratos lesionados com 6-OHDA, uma neurotoxina que induz a perda de neurônios dopaminérgico na via nigro-estriatal e mimetiza parâmetros comportamentais e bioquímicos da Doença de Parkinson. Estes serão tratados utilizando células-tronco embrionárias diferenciadas em neurônios dopaminérgicos e a expressão dos receptores purinérgicos será avaliada durante todo o processo utilizando Western Blotting, RT-PCR e imunohistoquímica. Além disso, será utilizada a técnica de imunocitoquímica para avaliar a expressão desses receptores durante a diferenciação das células-tronco embrionárias em neurônios dopaminérgicos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Ágatha Oliveira Giacomelli - Coordenador / Alexander Henning Ulrich - Integrante.
2012 - 2014
Efeito tipo-antidepressivo da terapia combinada de fluoxetina ou creatina e exercício físico em camundongos: estudo da expressão de neurotrofinas
Descrição: Os tratamentos farmacológicos disponíveis para a depressão demandam semanas para surtir efeito e podem causar efeitos adversos aos pacientes. Assim, há uma constante necessidade de desenvolver terapias alternativas de ação mais rápida, segura e efetiva. O exercício físico apresenta efeitos benéficos sobre diversas doenças e distúrbios neurológicos como Parkinson, Alzheimer, depressão e declínio de funções cognitivas. A creatina, um composto endógeno ou obtido pela ingestão de alguns alimentos possui propriedade antidepressiva. Nosso grupo demonstrou que a administração aguda de creatina em camundongos apresentou efeito tipo-antidepressivo num teste preditivo (Teste do Nado Forçado, TNF). O objetivo deste trabalho foi investigar o efeito tipo-antidepressivo da terapia combinada de creatina com exercício físico e avaliar a expressão de neurotrofinas no hipocampo de camundongos. Para alcançar este objetivo, foram desenvolvidas as seguintes etapas: i) investigar o efeito tipo-antidepressivo do tratamento crônico por 14 dias com creatina ou fluoxetina; ii) analisar amostras do hipocampo destes animais para verificar seus efeitos sobre a expressão de neurotrofinas (BDNF, VEGF e FGF-2); iii) verificar o efeito tipo-antidepressivo em camundongos submetidos ao exercício físico prolongado (14, 21 e 28 dias); iv) investigar o efeito tipo-antidepressivo do tratamento crônico (14 dias) da terapia combinada de creatina ou fluoxetina junto com exercício físico (14 dias); v) analisar amostras do hipocampo dos animais tratados com a terapia combinada de antidepressivos e exercício físico para determinar a expressão das neurotrofinas. O tratamento (por via oral) de camundongos durante 14 dias com fluoxetina (1 e 10 mg/kg) ou creatina (0,1 e 1 mg/kg) apresentou efeito tipo-antidepressivo no TNF. Fluoxetina na dose de 10 mg/kg ou creatina na dose de 1 mg/kg administradas por 14 dias aumentaram o imunoconteúdo de BDNF, mas não alteraram o de VEGF e FGF-2. A expressão gênica de BDNF (RNAm, determinada por Reação em Cadeia da Polimerase em Tempo Real, qRT-PCR) foi aumentada somente pela fluoxetina. O tratamento com fluoxetina ou creatina não alterou significativamente a expressão gênica de VEGF e de FGF-2. Para avaliar os efeitos do exercício físico, os animais foram submetidos por 14, 21 e 28 dias a uma esteira durante 40 minutos/dia, em velocidades de 6, 8, 10 e 12 metros/minuto, na primeira, segunda, terceira e quarta semana, respectivamente. Os animais exercitados durante 21 e 28 dias apresentaram um efeito tipo-antidepressivo no TNF. Na última etapa, os camundongos foram submetidos à terapia combinada de fluoxetina ou creatina associada ao exercício físico durante 14 dias, em doses e tempos que não mostraram efeito tipo-antidepressivo. A terapia combinada de exercício físico com doses subativas de fluoxetina (0,1 mg/kg) ou creatina (0,01 mg/kg) produziram um efeito sinérgico comportamental no TNF. Assim, estes dados sugerem que o tratamento com doses menores de fluoxetina com exercício físico pode ser uma terapia alternativa no tratamento da depressão. Adicionalmente, a terapia combinada de exercício e creatina aumentou a expressão protéica e gênica de BDNF no hipocampo. Os resultados indicam que a creatina associada ao exercício físico poderia atuar aumentando a transcrição, tradução e clivagem de BDNF. Em conclusão, estes dados mostram que a creatina aumenta a expressão de BDNF e que as terapias combinadas poderiam ser alternativas potenciais para o tratamento da depressão..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Ágatha Oliveira Giacomelli - Coordenador / Ana Lúcia Severo Rodrigues - Integrante / Julia Macedo Rosa - Integrante / Nelson Horácio Gabilan - Integrante / CUNHA, MAURICIO P. - Integrante / PAZINI, FRANCIS L. - Integrante / DAIANE FÁTIMA ENGEL - Integrante / CAMILLE MERTINS RIBEIRO - Integrante.
2010 - 2013
Potencial antidepressivo da creatina: estudos in vivo, ex vivo e in vitro
Descrição: Avaliação do efeito antidepressivo da creatina através de testes comportamentais em camundongos com o auxílio de ferramentas farmacológicas, e expressão de proteínas por Western Blotting. Avaliação do efeito neuroprotetor do composto em fatias de cérebro de camundongos e em células de neuroblastoma humano..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Ágatha Oliveira Giacomelli - Integrante / Ana Lúcia Severo Rodrigues - Integrante / Maurício Peña Cunha - Coordenador / Francis Leonardo Pazini - Integrante.
2010 - 2011
Avaliação do efeito antidepressivo da atividade física na roda de corrida voluntária em camundongos.
Descrição: A depressão é uma doença crônica recorrente que se constitui em uma das maiores causas de incapacitação no mundo. Diversos estudos reportam que a atividade física apresenta propriedades antidepressivas em humanos e em modelos animais, embora os mecanismos responsáveis por este efeito não estejam bem elucidados. Alguns estudos indicam que o efeito antidepressivo da atividade física voluntária pode ser decorrente de um aumento na expressão de fatores tróficos, de genes relacionados com remodelamento e plasticidade do sistema nervoso central e da ativação de vias da sinalização intracelular. Estudos prévios do nosso laboratório mostraram que camundongos submetidos a 21 dias de acesso à roda de corrida voluntária apresentam efeito tipo-antidepressivo no teste do nado forçado (TNF) em camundongos, o qual é modulado pelo sistema serotoninérgico. O presente estudo investgou o envolvimento do sistema noradrenérgico no efeito tipo-antidepressivo induzido pela atividade física na roda de corrida voluntária através da administração do inibidor da síntese de noradrenalina α-metil-p-tirosina (AMPT, 100 mg/kg, i.p.) ou veículo 4 horas antes dos testes coportamentais, TNF ou teste do campo aberto (TCA). A administração de AMPT preveniu o efeito tipo-antidepressivo induzido pela atividade física sem alterar a atividade locomotora. Ainda foram verificadas as participações das vias de sinalização intracelular mediadas pela proteína cinase A (PKA) e pela cinase dependente do complexo cálcio calmodulina 2 (CAMK-2) no efeito tipo-antidepressivo induzido pela atividade física na roda de corrida voluntária em camundongos por 21 dias. Para tanto, foi administrado respectivamente H-89 (1 µg/sítio, i.c.v., inibidor da PKA) e KN-62 (1 μg/sítio, intracerebroventricular, um inibidor da CAMK-II) 24 h após a retirada do aparato e 15 min antes dos testes comportamentais, TNF ou TCA. A administração de H-89 reverteu parcialmente o efeito tipo-antidepressivo da atividade física sem alterar a locomoção. Ainda, a administração de KN-62 reverteu totalmente o efeito tipo-antidepressivo da atividade física no TNF, sem alterar a locomoção. Esse estudo também avaliou se o efeito tipo-antidepressivo da atividade física persiste nos camundongos após 7 dias da retirada da roda de corrida voluntária. Para isso, os camundongos tiveram livre acesso ao aparato por 21 dias e, após 7 dias da retirada do mesmo, foram submetidos ao TNF e TCA. O efeito tipo-antidepressivo da atividade física no TNF perdurou após 7 dias da retirada da roda de corrida voluntária, sem alterar os parâmetros avaliados no TCA. Os resultados obtidos indicam que a atividade física apresenta efeito tipo-antidepressivo no TNF e este efeito persiste até 7 dias após a retirada da roda de corrida voluntária, sendo sua propriedade antidepressiva mediada por aumento na biodisponibilidade de serotonina e noradrenalina na fenda sináptica e pela ativação de PKA e CAMK-2..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Ágatha Oliveira Giacomelli - Integrante / Ana Lúcia Severo Rodrigues - Coordenador / Maurício Peña Cunha - Integrante / Francis Leonardo Pazini - Integrante.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Bioquímica / Subárea: Transdução de Sinais.
3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Farmacologia / Subárea: Farmacologia Bioquímica e Molecular.
4.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Farmacologia / Subárea: Neuropsicofarmacologia.
5.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Zoologia / Subárea: Comportamento Animal.
6.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Morfologia / Subárea: Embriologia.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2018
Mention of Honor: Effect of P2Y6 receptor antagonism in an animal model of Parkinson's Disease, Purines 2018 International.
2011
Honra ao Mérito pela apresentação do trabalho: "Antidepressant-like effect of creatine in mice: Involvement of serotoninergic system", Federação de sociedades de Biologia Experimental - FeSBE.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
CORRÊA-VELLOSO, JULIANA DA CRUZ2018CORRÊA-VELLOSO, JULIANA DA CRUZ ; GONÇALVES, MARIA CAROLINA BITTENCOURT ; NAALDIJK, YAHAIRA ; Oliveira-Giacomelli, Ágatha ; PILLAT, MICHELI MAINARDI ; ULRICH, HENNING . Pathophysiology in the comorbidity of Bipolar Disorder and Alzheimer's Disease: Pharmacological and stem cells approaches. PROGRESS IN NEURO-PSYCHOPHARMACOLOGY & BIOLOGICAL PSYCHIATRY, v. 80, p. 34-53, 2018.

2.
Oliveira-Giacomelli, Á2018 Oliveira-Giacomelli, Á; NAALDIJK, YAHAIRA ; Sardà-Arroyo, Laura ; GONÇALVES, MARIA CAROLINA BITTENCOURT ; Corrêa-Velloso, Juliana ; PILLAT, MICHELI MAINARDI ; de SOUZA, H. D. N. ; ULRICH, HENNING . Purinergic Receptors in Neurological Diseases With Motor Symptoms: Targets for Therapy. Frontiers in Pharmacology, v. 9, p. 325, 2018.

3.
CUNHA, Mauricio P.2017CUNHA, Mauricio P. ; PAZINI, FRANCIS L. ; LIEBERKNECHT, VICENTE ; BUDNI, Josiane ; OLIVEIRA, Á. ; ROSA, JÚLIA M. ; MANCINI, GIANNI ; MAZZARDO, LEIDIANE ; COLLA, ANDRÉ R. ; LEITE, MARINA C. ; SANTOS, A. R. S. ou SANTOS, A.R. ; MARTINS, DANIEL F. ; DE BEM, ANDREZA F. ; GONÇALVES, CARLOS ALBERTO S. ; FARINA, Marcelo ; Rodrigues, Ana Lúcia S. . MPP+-Lesioned Mice: an Experimental Model of Motor, Emotional, Memory/Learning, and Striatal Neurochemical Dysfunctions. MOLECULAR NEUROBIOLOGY, v. 54, p. 6356-6377, 2017.

4.
FERRAZOLI, E. G.2017FERRAZOLI, E. G. ; de SOUZA, H. D. N. ; NASCIMENTO, I. C. ; Oliveira-Giacomelli, Á ; SCHWINDT, T. T. ; BRITTO, L. R. ; ULRICH, H. . Brilliant Blue G, But Not Fenofibrate, Treatment Reverts Hemiparkinsonian Behavior and Restores Dopamine Levels in an Animal Model of Parkinson?s Disease. CELL TRANSPLANTATION, v. 26, p. 669-677, 2017.

5.
CUNHA, MAURICIO P.2016CUNHA, MAURICIO P. ; BUDNI, JOSIANE ; LUDKA, FABIANA K. ; PAZINI, FRANCIS L. ; ROSA, JULIA MACEDO ; OLIVEIRA, ÁGATHA ; LOPES, MARK W. ; TASCA, CARLA I. ; LEAL, RODRIGO B. ; RODRIGUES, ANA LÚCIA S. . Involvement of PI3K/Akt Signaling Pathway and Its Downstream Intracellular Targets in the Antidepressant-Like Effect of Creatine. Molecular Neurobiology, v. 53, p. 2954-2968, 2016.

6.
Cunha, M. P.2015Cunha, M. P. ; Pazini, F.L. ; ROSA, J. M. ; RAMOS-HRYB, A.B. ; OLIVEIRA, Á. ; KASTER, M.P. ; Rodrigues, A. L. S. . Creatine, similarly to ketamine, affords antidepressant-like effects in the tail suspension test via adenosine A1 and A2A receptor activation. Purinergic Signalling (Print), v. 11, p. 215-227, 2015.

7.
Cunha, M. P.2015Cunha, M. P. ; Pazini, F.L. ; ROSA, J. M. ; OLIVEIRA, Á. ; BETTIO, L. E. B. ; BUDNI, J. ; LUDKA, F. K. ; LIEBERKNECHT, V. ; TASCA, C. I. ; Rodrigues, A. L. S. . The modulation of NMDA receptors and l-arginine/nitric oxide pathway is implicated in the anti-immobility effect of creatine in the tail suspension test. Amino Acids (Wien. Internet), v. 47, p. 795-811, 2015.

8.
OLIVEIRA, ÁGATHA2015 OLIVEIRA, ÁGATHA; ILLES, PETER ; ULRICH, HENNING . Purinergic receptors in embryonic and adult neurogenesis. NEUROPHARMACOLOGY, v. 104, p. 272-281, 2015.

9.
PAZINI, FRANCIS L.2015PAZINI, FRANCIS L. ; CUNHA, MAURICIO P. ; ROSA, JULIA M. ; COLLA, ANDRÉ R. S. ; LIEBERKNECHT, VICENTE ; OLIVEIRA, ÁGATHA ; RODRIGUES, ANA LÚCIA S. . Creatine, Similar to Ketamine, Counteracts Depressive-Like Behavior Induced by Corticosterone via PI3K/Akt/mTOR Pathway. Molecular Neurobiology, v. 53, p. 6818-6834, 2015.

10.
Cunha, M. P.2014Cunha, M. P. ; BUDNI, J. ; OLIVEIRA, Á. ; PAZINI, F. L. ; ROSA, J. M. ; LOPES, M. W. ; LEAL, R. B. ; Rodrigues, A. L. S. . Involvement of PKA, PKC, CAMK-II and MEK1/2 in the acute antidepressant-like effect of creatine in mice. Pharmacological Reports, v. 4, p. 653-659, 2014.

11.
COLLA, A. R.2014COLLA, A. R. ; OLIVEIRA, Á. ; PAZINI, F. L. ; ROSA, J. M. ; MANOSSO, L. M. ; Cunha, M. P. ; Rodrigues, A. L. S. . Serotonergic and noradrenergic systems are implicated in the antidepressant-like effect of ursolic acid in mice. Pharmacology, Biochemistry and Behavior, v. 124, p. 108-116, 2014.

12.
Cunha, M. P.2013Cunha, M. P. ; OLIVEIRA, Á. ; Pazini, F.L. ; MACHADO, D. G. ; BUDNI, J. ; BETTIO, L. E. B. ; AGUIAR-JR, A. S. ; MARTINS, D. F. ; SANTOS, A. R. S. ; Rodrigues, A. L. S. . The Antidepressant-like Effect of Physical Activity on a Voluntary Running Wheel. MEDICINE AND SCIENCE IN SPORTS AND EXERCISE, v. 45, p. 851-859, 2013.

13.
Cunha, M. P.2013Cunha, M. P. ; OLIVEIRA, Á. ; PAZINI, F. L. ; BETTIO, L. E. B. ; MACHADO, D. G. ; Rodrigues, A. L. S. . The activation of α1-adrenoceptors is implicated in the antidepressant-like effect of creatine in the tail suspension test. Progress in Neuro-Psychopharmacology & Biological Psychiatry, v. 44, p. 39-50, 2013.

14.
CUNHA, MAURICIO P.2013CUNHA, MAURICIO P. ; PAZINI, FRANCIS L. ; OLIVEIRA, ÁGATHA ; MACHADO, DANIELE G. ; RODRIGUES, ANA LÚCIA S. . Evidence for the involvement of 5-HT1A receptor in the acute antidepressant-like effect of creatine in mice. Brain Research Bulletin, v. 95, p. 61-69, 2013.

15.
BETTIO, L. E. B.2012BETTIO, L. E. B. ; Cunha, M. P. ; BUDNI, J. ; PAZINI, F. L. ; OLIVEIRA, A. ; COLLA, A. R. ; Rodrigues, A. L. S. . Guanosine produces an antidepressant-like effect through the modulation of NMDA receptors, nitric oxide cGMP and PI3K/mTOR pathways. Behavioural Brain Research, v. 234, p. 137-148, 2012.

16.
MACHADO, D. G.2012MACHADO, D. G. ; Cunha, M. P. ; NEIS, V. B. ; BALEN, G. O. ; COLLA, A. R. ; BETTIO, L. E. B. ; OLIVEIRA, Á. ; PAZINI, F. L. ; SIMIONATTO, E. L. ; PIZZOLATTI, M. G. ; Rodrigues, A. L. S. . Antidepressant-like effects of fractions, essential oil, carnosol and betulinic acid isolated from Rosmarinus officinalis L.. Food Chemistry, v. 2, p. 999-1005, 2012.

Capítulos de livros publicados
1.
Glaser, Talita ; Corrêa-Velloso, Juliana ; Oliveira-Giacomelli, Ágatha ; Teng, Yang D. ; ULRICH, HENNING . Dopaminergic and GABAergic Neuron In Vitro Differentiation from Embryonic Stem Cells. Neuromethods. 1ed.: Springer New York, 2017, v. , p. 45-53.

2.
OLIVEIRA, ÁGATHA; CORRÊA-VELLOSO, JULIANA DA CRUZ ; Glaser, Talita ; ULRICH, HENNING . Stem Cells: Principles and Applications. In: Henning Ulrich; Priscilla Davidson Negraes. (Org.). Working with Stem Cells. 1ed.: Springer International Publishing, 2016, v. 1, p. 1-13.

3.
Glaser, Talita ; OLIVEIRA, ÁGATHA ; Sardà-Arroyo, Laura ; ULRICH, HENNING . Growth and Neurotrophic Factor Receptors in Neural Differentiation and Phenotype Specification. In: Jan Pruszak. (Org.). Neural Surface Antigens. 1ed.: Elsevier, 2015, v. 1, p. 77-90.

4.
Glaser, Talita ; Castillo, Ana Regina G. ; OLIVEIRA, ÁGATHA ; ULRICH, HENNING . Intracellular Calcium Measurements for Functional Characterization of Neuronal Phenotypes. Methods in Molecular Biology. 1ed.: Springer New York, 2015, v. , p. 245-255.

5.
CUNHA, MAURICIO P. ; OLIVEIRA, ÁGATHA ; PAZINI, F. L. ; RODRIGUES, ANA LÚCIA S. . The Role of Creatine in the Pathophysiology of Depression and the Possible Mechanisms Underlying its Antidepressant Effect. In: Fernando D'Cruz, Victor Ribeiro. (Org.). Creatine: Biosynthesis, Therapeutic Uses and Physiological Effects of Supplementation. 1ed.Nova Iorque: Nova Publishers, 2013, v. , p. 1-10.

Artigos aceitos para publicação
1.
ARAUJO, F. T. ; SEMEANO, A. T. S. ; Oliveira-Giacomelli, Á ; GONÇALVES, MARIA CAROLINA BITTENCOURT ; FERRARI, M. F. R. ; PEREIRA, L. V. ; ULRICH, H. . Midbrain dopaminergic neurons differentiated from human induced pluripotent stem cells. METHODS IN MOLECULAR BIOLOGY (CLIFTON, N.J.), 2018.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Purines 2018 International. Effect of P2Y6 receptor antagonism in an animal model of Parkinson's Disease. 2018. (Congresso).

2.
VI Brazilian Purine Club Meeting. P2X7 receptor expression patterns in an animal model of Parkinson's Disease. 2016. (Congresso).

3.
4th Brazilian Conference on Natural Products and the XXX Meeting on micromolecular, evolution, systematic and ecology (RESEM). Neurotransmitter systems implicated in the antidepressant-like effect of ursolic acid in mice. 2013. (Congresso).

4.
XXXVII Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento - SBNeC. Motor Impairment Induced by the dopaminergic toxin MPP+ in mice is associated with astrocyte dysfunction and oxidative stress. 2013. (Congresso).

5.
III Ciclo de Seminários em Bioquímica: Bioquímica do Exercício Físico. 2012. (Seminário).

6.
III Reunião Anual do IBNeC e IV Fórum de Neurobiologia do Estresse. 2012. (Congresso).

7.
XXVII Reunião Anual da FeSBE. Creatina exerce efeito tipo-antidepressivo dependente do bloqueio de receptores NMDA e aumenta a viabilidade celular em fatias de hipocampo em camundongos.. 2012. (Congresso).

8.
XXVII Reunião Anual da FeSBE. Comunicação Oral: Creatina exerce efeito tipo-antidepressivo dependente do bloqueio de receptores NMDA e aumenta a viabilidade celular em fatias de hipocampo em camundongos.. 2012. (Congresso).

9.
XXVII Reunião Anual da FeSBE. Efeito tipo-antidepressivo do tratamento repetido com creatina no teste de suspensão pela cauda em camundongos: Envolvimento de proteínas associadas com apoptose.. 2012. (Congresso).

10.
Seminário de Iniciação Científica da UFSC.Efeito tipo-antidepressivo do tratamento repetido com creatina no teste de suspensão pela cauda em camundongos. 2011. (Seminário).

11.
Seminário de Iniciação Científica da UFSC.Envolvimento de α1-adrenoceptores no efeito tipo-antidepressivo da creatina. 2011. (Seminário).

12.
Seminário de Iniciação Científica da UFSC.Envolvimento do sistema noradrenérgico e das vias de sinalização mediadas pela PKA e CAMK-2 no efeito tipo-antidepressivo da atividade física na roda de corrida voluntária em camundongos.. 2011. (Seminário).

13.
XXI Reunião anual da FESBE - Federação de Sociedades de Biologia Experimental. Efeito tipo-antidepressivo da creatina em camundongos: Envolvimento do sistema serotoninérgico. 2011. (Congresso).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Ágatha Oliveira. II Simpósio de Integração das Pós-Graduações do CCB/UFSC. 2013. (Congresso).

2.
Ágatha Oliveira. III Reunião Anual do IBNeC e IV Fórum de Neurobiologia do Estresse. 2012. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Iniciação científica
1.
Carolina de Moura Albino. Efeito antiinflamatório do antagonista do receptor P2X7, Brilliant Blue G, per se e em combinação com terapia celular, em modelo animal de Doença de Parkinson. Início: 2016 - Universidade de São Paulo, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo. (Orientador).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 17/02/2019 às 22:58:24