Carolina Antuarte Islabão

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/1745927370147636
  • Última atualização do currículo em 07/05/2018


Possui graduação em Licenciatura Plena em Ciências Biológicas pela Universidade Católica de Pelotas (2006), especialização em Ecologia Aquática Costeira pela Universidade Federal do Rio Grande, FURG (2007). Concluiu o curso de pós-graduação, mestrado em Oceanografia Biológica pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG (2010), onde objetivou relacionar o microplâncton com as condições oceanográficas do extremo sul do Brasil, com ênfase na identificação dos Dinoflagelados. Atuou no programa AGUAAN da FURG com apoio do CTHIDRO-MCT, bolsista DTI-2 CNPq. Concluiu seu doutorado em Oceanografia Biológica pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG (2015) no qual aprofundou seus estudos sobre a fisio-ecologia dos Dinoflagelados. Está vinculada ao Projeto INTERBIOTA da FURG, no qual sua pesquisa aborda sobre a Fisioecologia de espécies chave do fitoplâncton marinho na região da Península Antártica. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Carolina Antuarte Islabão
Nome em citações bibliográficas
ISLABÃO, C. A.;ISLABÃO, CAROLINA ANTUARTE;ISLABÃO, CAROLINA A.;ISLABÃO, C.A.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Rio Grande.
Av. Itália Km 08 Departamento de Oceanografia, Laboratório de Ecologia do Fitoplancton e microrganismos marinhos
Carreiros
96201-900 - Rio Grande, RS - Brasil
Telefone: (53) 32336737
URL da Homepage: www.cianobacterias.furg.br


Formação acadêmica/titulação


2011 - 2015
Doutorado em Pós-Graduação em Oceanografia Biológica.
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
Título: Dinoflagelados planctônicos no extremo Sul do Brasil: Identificação, distribuição e relação com fatores abióticos in situ e in vitro., Ano de obtenção: 2016.
Orientador: Clarisse Odebrecht.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Dinoflagelados; Fisioecologia; cultivo.
2008 - 2010
Mestrado em Oceanografia Biológica.
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
Título: Dinoflagelados do microplâncton da Plataforma Continental e Talude do Extremo Sul do Brasil: Inverno (2005) e Verão (2007),Ano de Obtenção: 2010.
Orientador: Clarisse Odebrecht.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Dinoflagelados; Protoperidinium; Plataforma Continental Atlântico Sul.
Grande área: Ciências Biológicas
2007 - 2008
Especialização em Ecologia Aquática Costeira.
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
Título: Estudo do gênero Prorocentrum (Dinoflagellata) na Plataforma Continental do Rio Grande do Sul.
Orientador: Marli Bergesch.
2003 - 2006
Graduação em Licenciatura Plena em Ciências Biológicas.
Universidade Católica de Pelotas, UCPEL, Brasil.
Título: Contribuição ao estudo da Tinea unguium e de sua ocorrência em uma escola no Município de Pedro Osório, RS..
Orientador: Jussara Theodosio Veira Dewes.




Formação Complementar


2007
Planctologia Geral I.
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
2007
Inglês.
Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.
2011 - 2011
Cultivo de microalgas potencialmente tóxicas.
Instituto Español de Oceanografia, IEO, Espanha.
2008 - 2008
Curso Teórico-Prático sobre Dinoflagelados Marinho. (Carga horária: 30h).
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
2006 - 2006
Extensão universitária em Observação. identificação e anilhamento de aves.
Universidade Católica de Pelotas, UCPEL, Brasil.
2003 - 2003
Extensão universitária em Cromossomopatias humanas.
Universidade Católica de Pelotas, UCPEL, Brasil.
2003 - 2003
Língua Inglesa.
Connections English, C.E, Brasil.


Atuação Profissional



Escola Municipal de Ensino Fundamental General Osório, E.M.G.O, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2004
Vínculo: Voluntária, Enquadramento Funcional: Ensino, Ciências, Ensino Fundamental
Outras informações
Pré-estágio voluntário em uma Escola do Município de Pedro Osório, licenciando a disciplina de Ciências para a 6ª série, durante meio ano letivo do ano de 2004.

Atividades

03/2004 - 07/2004
Ensino,

Disciplinas ministradas
Ciências

Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: DTI-A, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Estudo sobre a Fisioecologia de espécies chave do fitoplâncton marinho na região da Península Antártica no âmbito do projeto "Interações Biológicas em ecossistemas marinhos próximos à Península Antártica sob diferentes impactos de câmbios climáticos (INTERBIOTA)? da FURG.

Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista DTI-2, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Programa AGUAAN - Agilização do gerenciamento Para a Utilização de ÁguasCom Algas Nocivas

Atividades

02/2018 - Atual
Outras atividades técnico-científicas , Instituto de Oceanografia, Instituto de Oceanografia.

Atividade realizada
Filtração de água para análise de pigmentos fitoplânctônicos da Península Antártica.
02/2017 - 04/2017
Outras atividades técnico-científicas , Instituto de Oceanografia, Instituto de Oceanografia.

Atividade realizada
Isolamento e cultivo de microalgas da região da Pensínsula Antártica durante a OPERANTAR XXXV.
12/2015 - 08/2016
Serviços técnicos especializados , Instituto de Oceanografia, .

Serviço realizado
Contagem e identificação de amostras de fitoplâncton no âmbito do projeto "Estudos de Longa Duração para Avaliação de Impactos Naturais e Antrópicos no Estuário da Lagos dos Patos e Costa Adjacente (PELD)" da FURG.


Projetos de pesquisa


2014 - Atual
INTERações BIOlógicas em ecossisTemas marinhos próximos à Península Antártica sob diferentes impactos de câmbios climáticos (INTERBIOTA)
Descrição: O principal desígnio do Projeto INTERBIOTA será o de contribuir para uma melhor compreensão sobre a funcionalidade dos ecossistemas ao redor da Península Antártica, de forma a detectar eventuais alterações nos processos biológicos, desde o nível molecular ao ecossistêmico, que estejam ocorrendo em regiões sob diferentes impactos dos câmbios climáticos. Três perguntas-chave orientam a fundamentação teórica desta proposta: i. Como e em que escalas temporais os vários componentes bióticos dos ecossistemas marinhos antárticos respondem às mudanças no ambiente abiótico? ii. Quais são os principais elos tróficos entre as comunidades microbianas, fitoplâncton, consumidores primários e predadores de topo, e como a complexidade dessas interações aumenta sua resiliência às mudanças climáticas? iii. Qual é o grau de variabilidade dos ecossistemas marinhos antárticos em diferentes escalas espaço-temporais? Para responder a estas perguntas, uma série de objetivos específicos são propostos, com enfoque inter e multidisciplinar, combinando abordagens observacionais, experimentais e in silico (modelagem)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (4) .
Integrantes: Carolina Antuarte Islabão - Integrante / Monica Mathias Costa Muelbert - Integrante / Erik Muxagata - Integrante / Eduardo Resende Secchi - Coordenador / Virginia Maria Tavano - Integrante / Carlos Alberto Eiras Garcia - Integrante / Carlos Rafael Borges Mendes - Integrante / Ricardo Pollery - Integrante / Márcio Silva de Souza - Integrante / Angela Manzolillo Sanseverino - Integrante / Ricardo Yuji Sado - Integrante.
2013 - 2015
Variabilidade das propriedades óticas e dos constituintes oticamente ativos no estuário da Lagoa dos Patos, RS, Brasil
Descrição: O projeto objetiva estudar a variabilidade das propriedades óticas e dos constituintes opticamente ativos no estuário da Lagoa dos Patos, RS. Objetivos específicos - Caracterizar e quantificar a estrutura termohalina; - Quantificar a biomassa fitoplanctônica (clorofila‐a), o material orgânico dissolvido e o material total em suspensão da água do mar; - Determinar a variabilidade espacial e temporal de propriedades aparentes e inerentes; - Elaborar modelos empíricos ou semi-analíticos que correlacionem explicitamente as propriedades óticas inerentes e aparentes com as concentrações dos constituintes oticamente ativos; - Discriminar os principais grupos taxonômicos do fitoplâncton e suas propriedades óticas características; - Comparar estimativas da concentração de clorofila pelo sensor MODIS utilizando distintos métodos de correções atmosféricas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2012 - Atual
Estudos de longa duração para avaliação de impactos naturais e antrópicos no Estuário da Lagoa dos Patos e Costa Adjacente
Descrição: O Sitio 8 do Programa Ecológico de Longa Duração - PELD (MCTI-CNPq) abrange o estuário da Lagoa dos Patos (ELP) e região costeira adjacente (32° 05' S, 52° 10' W). Este ambiente é estudado desde o final do século XIX e, mais intensamente desde 1979, formando uma das mais longas séries temporais contínuas em ambiente estuarino no Brasil, com mais de 30 anos de dados bióticos e abióticos. Em 1998 teve início o primeiro projeto do PELD-Brasil no Sitio 08, intitulado ?Efeito das perturbações naturais e antrópicas na ecologia do estuário da Lagoa dos Patos?. O principal resultado deste estudo de 10 anos (1998-2009) foi mostrar que ?o regime hidrodinâmico do estuário da Lagoa dos Patos sofre profundas alterações devido `a perturbações naturais episódicas, esporádicas e caóticas (eventos climáticos de larga escala como o El Niño Oscilação Sul ? ENOS, e tempestades). Foi ainda demonstrado que essas variações, bem como as perturbações antrópicas prolongadas (eutrofização, dragagem e pesca descontrolada), desequilibram a estrutura e alteram a dinâmica de populações e comunidades do bentos, plâncton, necton e a distribuição dos habitats submersos e emersos no estuário da Lagoa dos Patos?. Em 2009, foi aprovado o projeto ?Limnificação e ação antrópica no estuário da Lagoa dos Patos: Conseqüências de longo prazo no recrutamento, invasão de espécies e interações tróficas?. Este projeto foi desenvolvido entre 2009 e 2012 e também ficou constatada a importância de fenômenos climáticos de larga escala na ecologia destes ecossistemas. Em períodos de ocorrência do fenômeno El Niño (aquecimento das águas do Oceano Pacífico) verifica-se um aumento significativo das chuvas na região, o que leva a uma diminuição da salinidade e do tempo de residência da água no ELP. Este fato leva a profundas alterações das comunidades de fito-, zôo- e ictioplâncton, bem como do bentos, peixes e da vegetação submersa e emersa deste ambiente. O projeto lançou mão de algumas inovações metodológicas e tecnol..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (11) / Mestrado acadêmico: (10) / Doutorado: (18) .
Integrantes: Carolina Antuarte Islabão - Integrante / Clarisse O. - Coordenador / Erik Muxagata - Integrante / PAULO CESAR OLIVEIRA VERGNE DE ABREU - Integrante / João Paes Vieira - Integrante / José Henrique Muelbert - Integrante / Osmar O Möller Jr - Integrante / Eduardo Resende Secchi - Integrante / Alexandre Miranda Garcia - Integrante / André Leonir Colling - Integrante / Margareth Copertino - Integrante / Felipe Dumont - Integrante / Elisa Helena Leão Fernandes - Integrante / Virginia Maria Tavano - Integrante / Carlos Rafael Mendes - Integrante / Monica Wallner Kersanach - Integrante / Silvina Botta - Integrante / Willian Marques - Integrante / Elisangela Guedes - Integrante / Fabiane Serra - Integrante / Heline Alves de Oliveira - Integrante.
2010 - 2013
Dinâmica do Ecossistema Marinho e suas Implicações para o Sequestro do Carbono (DEMI-SeC)
Descrição: A complexa dinâmica oceanográfica da região sul do Brasil possibilita o estudo do ciclo do carbono marinho pelágico sob diferentes cenários: bem misturado sob influência de água doce; altamente estratificado sob influência de água doce; sob influência de águas subtropicais; sob influência de águas subantárticas; sob influência de corrente de contorno oeste; em regiões oceânicas. Nestes ambientes, consumidores primários utilizam CO2 para construir matéria orgânica viva. O destino desta matéria orgânica será definida pela morte e reciclagem dos produtores primários; por sua utilização por consumidores secundários; e, pela exportação da matéria orgânica para o fundo oceânico ou outras regiões. Na região sul do Brasil, os principais componentes do ecossistema marinho planctônico são conhecidos, e há informação sobre sua relação com a dinâmica dos nutrientes e processos físicos. Desta forma, este projeto visa avaliar os níveis de absorção de CO2 por produtores primários e a utilização ou transferência da matéria orgânica produzida por produtores secundários e por processos de sedimentação, respectivamente, sob diferentes condições oceanográficas na região costeira e oceânica do sul do Brasil. Estes pressupostos permitem a formulação da seguinte hipótese, que norteará os estudos deste projeto O ciclo do Carbono, mediado por processos biológicos, é diferente em águas costeiras e em águas oceânicas. Para testar esta hipótese, a estratégia de campo adotada envolverá a realização de perfis oceanográficos da região costeira até a região oceânica nas diferentes estações do ano, e a utilização de sensores em bóias fixas. Complementando esta estratégia de campo, o projeto incluirá uma componente de modelagem numérica e sensoriamento remoto. A proposta conribuirá para suprir a necessidade de implementação de um sistema eficaz de monitoramento costeiro e oceânico, e será também uma contribuição substancial para programas internacionais como o ?OCEAN Sustained Interdisciplinary Time..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (1) .
Integrantes: Carolina Antuarte Islabão - Integrante / Clarisse O. - Integrante / Erik Muxagata - Integrante / PAULO CESAR OLIVEIRA VERGNE DE ABREU - Integrante / José Henrique Muelbert - Coordenador / Osmar O Möller Jr - Integrante / Carlos Alberto Eiras Garcia - Integrante / Ivan Soares - Integrante / Roberto de Almeida - Integrante.
2006 - 2014
Diversidade e ecologia de microalgas planctônicas marinhas no extremo Sul do Brasil
Descrição: Apesar do grande número de taxons de microalgas registradas na região do extremo Sul do Brasil, somente um pequeno percentual foi documentado com a descrição e publicação de imagens. O objetivo do presente projeto, é o de aprofundar o conhecimento sobre a biodiversidade de microalgas planctônicas marinhas no estuário da Lagoa dos Patos, Praia do Cassino e plataforma continental adjacente, com base em microscopia ótica e eletrônica. Imagens das espécies serão usadas para a construção de um atlas virtual; em especial serão identificadas as diatomáceas, dinoflagelados e outros flagelados. Dados ambientais serão relacionados com a ocorrência as espécies nos diversos ambientes, visando conhecer suas preferências ecológicas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Carolina Antuarte Islabão - Integrante / Marinês Garcia - Integrante / Clarisse O. - Coordenador / Lumi Haraguchi - Integrante.
2000 - 2012
Programa AGUAAN - Agilização do gerenciamento Para a Utilização de ÁguasCom Algas Nocivas
Descrição: Trata-se da cooperação técnica da Unidade de Pesquisas em Cianobactérias com Empresas de Abastecimento de Águas do Sul do País. O laboratório executa testes de toxicidade, análises de saxitoxinas, cilindrospermopsinas e microcistinas em aguas bruta e tratada. Estes resultados geram laudos semanais que subsidiam o monitoramento obrigatório e medidas de intervenção e melhoria das condições de tratamento de águas em difeirentes ETAs..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
1999 - 2008
Análise comparativa da influência dos padrões oceanográficos sobre a produção biológica da plataforma contiental e talude em duas áreas do sul do Brasil
Descrição: Projeto PRONEX-FURG, tem por objetivo avaliar a influência de fatores oceanográficos sobre a produção biológica primária e secundária em áreas com características distintas. A área de Santa Marta Grande é influenciada por frentes de ressurgência, enquanto que a área próxima à fronteira entre o Brasil e Uruguai, é influenciaa pelas frentes de plataforma determinadas pelo ramo corrente da Corrente das Malvinas e o Río e La Plata..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Carolina Antuarte Islabão - Coordenador / Clarisse O. - Integrante / Proença - Integrante / PAULO CESAR OLIVEIRA VERGNE DE ABREU - Integrante / José Henrique Muelbert - Integrante / Osmar O Möller Jr - Integrante / Virginia Maria Tavano - Integrante / Jorge P Castello - Integrante / Luis Felipe Niencheski - Integrante / Manuel Haimovici - Integrante.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
ISLABÃO, C.A.2017ISLABÃO, C.A.; MENDES, C.R.B. ; DETONI, A.M.S. ; Odebrecht, C. . Phytoplankton community structure in relation to hydrographic features along a coast-to-offshore transect on the SW Atlantic continental shelf. CONTINENTAL SHELF RESEARCH, v. 151, p. 30-39, 2017.

2.
ISLABÃO, CAROLINA A.2016 ISLABÃO, CAROLINA A.; MENDES, CARLOS R.B. ; RUSSO, ARNALDO D.P.G. ; ODEBRECHT, CLARISSE . Effects of irradiance on growth, pigment content and photosynthetic efficiency on three peridinin-containing dinoflagellates. Journal of Experimental Marine Biology and Ecology, v. 485, p. 73-82, 2016.

3.
ISLABÃO, C. A.;ISLABÃO, CAROLINA ANTUARTE;ISLABÃO, CAROLINA A.;ISLABÃO, C.A.2015 ISLABÃO, C. A.; ODEBRECHT, C. . Influence of salinity on the growth of and (Dinophyta) under acclimated conditions and abrupt changes. Marine Biology Research (Print), v. 11, p. 965-973, 2015.

4.
ISLABÃO, CAROLINA ANTUARTE2011 ISLABÃO, CAROLINA ANTUARTE; ODEBRECHT, CLARISSE . Dinoflagelados (Peridiniales, Prorocentrales) do microplâncton na plataforma continental e talude do extremo sul do Brasil (inverno 2005, verão 2007). Biota Neotropica (Edição em Português. Online), v. 11, p. 153-166, 2011.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
AGOSTINI, V. O. ; STAIGLEDER, K. M. ; ISLABÃO, C. A. ; MACEDO, A. J. ; MUXAGATA, E. . Evaluation of epibiont community on seaweed Ulva lactuca: biofilm and its relationship with the larval settlement of invertebrates.. In: VI Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2014, Itajaí. Anais do VI CBO, 2014.

2.
ISLABÃO, C. A.; AGOSTINI, V. O. . Evidências de Bacteriovoria por Prorocentrum micans e P. scutellum pelo uso de microesferas flluorescentes.. In: IV Congresso Brasileiro de Biologia Marinha, 2013, Florianópolis. IV Congresso Brasileiro de Biologia Marinha, 2013.

3.
YUNES, J.S ; ISLABÃO, C. A. ; Santos, Juliane Markes ; BIF, MB . Programa AGUAAN - Agilização Do Gerenciamento e Utilização de Águas com Algas Nocivas - 10 anos de Extensão Universitária.. In: X Mostra de Produção Universitária, 2011, Rio Grande. Agilização Do Gerenciamento e Utilização de Águas com Algas Nocivas - 10 anos de Extensão Universitária, 2011.

Apresentações de Trabalho
1.
VIRIATO, C. ; ISLABÃO, CAROLINA ANTUARTE . CURVA DE CRESCIMENTO E EFEITO DO TAMANHO DO INÓCULO EM CULTURAS DE Alexandrium fraterculus (DINOPHYTA) ISOLADAS NO EXTREMO SUL DO BRASIL. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
ISLABÃO, C. A.; MENDES, CARLOS R.B. ; DETONI, A. M. S. ; Odebrecht, C. . The role of water stratification in summer phytoplankton communities on the southern brazilian shelf. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
ISLABÃO, C. A.; MENDES, CARLOS R.B. ; RUSSO, ARNALDO D.P.G. ; Odebrecht, C. . Effects of irradiance on growth, pigment content and photosynthetic efficiency on three peridinin-containing dinoflagellates. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
ISLABÃO, C. A.; ODEBRECHT, C. . Dinoflagelados (Peridiniales, Prorocentrales) do Microplâncton na Plataforma Continental e Talude do Extremo Sul do Brasil. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
ISLABÃO, C. A.; Odebrecht, C. ; BERGESH, M. . Distribuição de Prorocentrum (Dinoflagellata) na Plataforma Continental do Rio Grande do Sul (Verão 2007). 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
Marzarotto ; Borges ; Lemes ; ISLABÃO, C. A. . CRESCIMENTO DE NANNOCHLOROPSIS OCULATA E THALASSIOSIRA WEISSFLOGII, CULTIVADAS SOB DIFERENTES FONTES DE NITROGÊNIO. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
Marzarotto ; Borges ; Lemes ; ISLABÃO, C. A. . CONCENTRAÇÃO DE PIGMENTOS EM NANNOCHLOROPSIS OCULATA E THALASSIOSIRA WEISSFLOGII CULTIVADAS SOB DIFERENTES FONTES DE NITROGÊNIO. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
PIEDRAS ; HAIG THEY ; PINOTTI ; ISLABÃO, C. A. ; MALANSKI ; LANGE ; LOBATO ; SILVEIRA ; TEIXEIRA ; FOES ; GARCIA ; ATTISSANO ; BADÚ ; LOMBARDI ; ODEBRECHT, C. . DIATOMÁCEAS NA PRAIA DO CASSINO: COMPARAÇÃO DA COMPOSIÇÃO E ABUNDÂNCIA (BIOVOLUME E TEOR EM CARBONO) EM TRÊS PONTOS. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
ISLABÃO, C. A.; BERGESH, M. . Estudo do gênero Prorocentrum Ehrenberg (Dinoflagellata) na Plataforma Continental do Rio Grande do Sul. 2008. (Apresentação de Trabalho/Outra).

10.
ISLABÃO, C. A.; VITORIA, J. M. . Contribuição ao estudo da Tinea unguium e de sua ocorrência em uma escola no Município de Pedro Osório, RS.. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

11.
VITORIA, J. M. ; ISLABÃO, C. A. . Avaliação da qualidade do ar na área do aeroporto Bartolomeu de Gusmão, Pelotas, RS, através de fungos liquenizados.. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).


Demais tipos de produção técnica
1.
ISLABÃO, C. A.; BORGES, L. V. . CULTIVAR MICROALGAS: 13 REASONS WHY. 2017. .

2.
YUNES, J.S ; PROENÇA, L.A.O ; ISLABÃO, C. A. ; SANTOS, J.M . Curso de Análises de Cianotoxinas em Águas. 2011. .

3.
Odebrecht, C. ; Bergesch, M. ; Garcia, M. ; ISLABÃO, C. A. . Atlas de Fitoplâncton e Protozooplâncton do Extremo Sul do Brasil. 2008. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Atlas Virtual).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
KERR, R. D. P.; MENDES, CARLOS R.B.; Tavano VM; ISLABÃO, C.A.. Participação em banca de Helena da Rocha Loewenstein.Comunidades Fitoplanctônicas Marinhas do Sul e Sudeste Brasileiro e sua Relação com a pCO2. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Oceanologia) - Universidade Federal do Rio Grande.

2.
ISLABÃO, C. A.; JARDIM, P. F. G.; CARDOSO, L. S.. Participação em banca de Paulo Francisco Granja Jardim.Ficoflora comparativa de Dinoflagelados na praia de Tramandaí ? Rs: 1976 Versus 2011. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.




Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
VII Semana Acadêmica da Oceanologia.CULTIVAR MICROALGAS: 13 REASONS WHY. 2017. (Simpósio).

2.
The 17th international conference on Harmful Algae. The role of water stratification in summer phytoplankton communities on the southern brazilian shelf. 2016. (Congresso).

3.
The 17th international conference on Harmful Algae. Peridinin-containing dinoflagellates: Effects of irradiance on growth, pigment content and photosynthetic efficiency. 2016. (Congresso).

4.
XV Congresso Brasileiro de Ficologia. Sobrevivência no escuro da diatomácea Pseudo-nitzschia pungens.. 2014. (Congresso).

5.
Congresso Brasileiro de Toxicologia Aquática. 2013. (Congresso).

6.
Workshop Teórico-Prático Algal Toxins: Analytical Tools and Monitoring Programs. 2013. (Encontro).

7.
Curso de Redação Científica - Método Lógico para Redação Internacional. 2011. (Oficina).

8.
IX Congresso de Ficología de Latino América Y el Caribe. Dinoflagelados (Peridiniales, Prorocentrales) do Microplâncton na Plataforma Continental e Talude do Extremo Sul do Brasil. 2011. (Congresso).

9.
IV Congresso Brasileiro de Oceanografia. Distribuição de Prorocentrum (Dinoflagellata) na Plataforma Continental do Rio Grande do Sul (Verão 2007). 2010. (Congresso).

10.
Curso de Bases para Redação e Publicação Cinetífica Internacional. 2009. (Outra).

11.
VII Mostra da Produção Universitária.Estudo do Gênero Prorocentrum Ehrenberg (Dinoflagellata) na Plataforma Continental do Rio Grande do Sul. 2008. (Encontro).

12.
III Semana do Meio Ambiente. 2007. (Outra).

13.
VI Mostra da Produção Universitária.Contribuição ao estudo da Tinea unguium e da sua ocorrência em uma escola no município de Pedro Osório, RS.. 2007. (Encontro).

14.
Encontro de Filosofia e Ensino. 2006. (Encontro).

15.
III Congresso Sul-Riograndense de Biociências. 2005. (Congresso).

16.
I Congresso Sul-Riograndense de BioCiências. 2003. (Congresso).

17.
Seminário ?Adequação ao Ensino de Biologia do Ensino Médio?. 2003. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
YUNES, J.S ; PROENÇA, L.A.O ; SANTOS, J.M ; BIF, MB ; KOLB, G. ; ISLABÃO, C. A. . Curso Intensivo de Análises de Cianotoxinas em Água Potável. 2011. (Outro).

2.
ISLABÃO, C. A.. 2º ENBIO ? Encontro de Biologia em Arroio Grande. 2006. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões concluídas
Iniciação científica
1.
Cristina Viriato de Freitas. CURVA DE CRESCIMENTO E EFEITODO TAMANHO DO INÓCULO EM CULTURAS DE Alexandrium fraterculus (DINOPHYTA) ISOLADAS NO EXTREMO SUL DO BRASIL. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Engenharia de Pesca) - Universidade do Estado de Santa Catarina. Orientador: Carolina Antuarte Islabão.



Educação e Popularização de C & T



Cursos de curta duração ministrados
1.
ISLABÃO, C. A.; BORGES, L. V. . CULTIVAR MICROALGAS: 13 REASONS WHY. 2017. .




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/01/2019 às 17:34:51