Ítalo Beltrão Sposito

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8383445849160533
  • Última atualização do currículo em 17/01/2019


Professor Adjunto na Universidade Federal do Tocantins (UFT) no Bacharelado em Relações Internacionais, Campus de Porto Nacional (Regime de Dedicação Exclusiva). Doutor em Relações Internacionais no Instituto de Relações Internacionais (IRI) da Universidade de São Paulo (USP), bolsista FAPESP. Mestre em Relações Internacionais pelo Instituto de Relações Internacionais (IRI) da Universidade de São Paulo (USP), bolsista FAPESP. Especialista em Integração Latino-Americana pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade Estadual Paulista ?Julio de Mesquita Filho? (UNESP), Campus de Franca. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Ítalo Beltrão Sposito
Nome em citações bibliográficas
SPOSITO, Ítalo Beltrão;SPOSITO, ITALO BELTRÃO


Formação acadêmica/titulação


2012 - 2016
Doutorado em Relações Internacionais.
Instituto de Relações Internacionais (USP), IRI-USP, Brasil.
Título: Continuidade e Mudança na Política Externa dos Estados Latino-americanos (1945-2008), Ano de obtenção: 2016.
Orientador: João Paulo Candia Veiga.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: mudança; politica externa; janela politica; américa latina.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Ciência Política / Subárea: Cultura e Relações Internacionais.
2009 - 2012
Mestrado em Relações Internacionais.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Redirecionamento na Política Externa Brasileira: uma análise comparativa entre os governos Castelo Branco e Fernando Collor,Ano de Obtenção: 2012.
Orientador: Janina Onuki.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: politica externa; redirecionamento; Itamaraty; Castelo Branco; Fernando Collor.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Ciência Política.
2008 - 2009
Especialização em Integração Latino Americana. (Carga Horária: 360h).
Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.
Título: A Formulação Conceitual da Política Externa Brasileira: uma análise comparativa entre os governos Castelo Branco e Fernando Collor.
Orientador: Karla Lisandra Gobbo.
2004 - 2007
Graduação em Relações Internacionais.
Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Título: As Identidades Nacionais Espanholas: o embate entre Castela e Catalunha.
Orientador: Elizabete Sanches Rocha.
2000 - 2002
Ensino Médio (2º grau).
Centro Educacional Objetivo, OBJETIVO, Brasil.
1992 - 2000
Ensino Fundamental (1º grau).
Centro Educacional Objetivo, OBJETIVO, Brasil.




Formação Complementar


2015 - 2015
Causal Case Study Methodology. (Carga horária: 61h).
International Political Science Association, IPSA, Estados Unidos.
2013 - 2013
Time Series Analysis and Pooled Time Series Analys. (Carga horária: 68h).
International Political Science Association, IPSA, Estados Unidos.
2013 - 2013
Oficina de Avaliação do Programa Estudante Convêni. (Carga horária: 56h).
Escola Nacional de Administração Pública, ENAP, Brasil.
2010 - 2010
Qualitative Comparative Analysis. (Carga horária: 120h).
International Political Science Association, IPSA, Estados Unidos.


Atuação Profissional



Fundação Universidade Federal do Tocantins, UFT, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidade Federal do Tocantins, UFT, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2015 - 2018
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Assistente, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

06/2016 - 10/2018
Direção e administração, Universidade Federal de Tocantins, .

Cargo ou função
Coordenador de curso de graduação.

Centro de Estudos das Negociações Internacionais Ltda, CAENI, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2012
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: pesquisador, Carga horária: 8


Centro Universitário Lusíada, UNILUS, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Professor vistante, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 4


Instituto de Relações Internacionais (USP), IRI-USP, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2012
Vínculo: Estágio Docência, Enquadramento Funcional: Assistente de professor, Carga horária: 4

Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Estágio Docência, Enquadramento Funcional: Assistente de professor, Carga horária: 8


Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2015
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Assistente Técnico Administrativo II, Carga horária: 40
Outras informações
Servidor na AREX (Assessoria de Relações Exteriores) da UNESP.



Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Impacto do comportamento individual dos Estados em política externa na estabilidade do sistema internacional
Descrição: Este é um subprojeto vinculado ao projeto de pesquisa #1918, cadastrado junto à PROPESQ da UFT, com o título de ?Redirecionamento da Política Externa: comparação de casos latino-americanos?. A partir dos avanços desenvolvidos nele, tal como a análise de literatura e de dados sobre os processos de redirecionamento na política externa de Estados com base na observação de padrões de votação na Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU), novas informações foram coletadas e novas perguntas de pesquisa surgiram. De início, o estudo desta temática usando as votações na AGNU levantou a necessidade em analisar com maior profundidade os tipos de medições utilizadas pela literatura para transformar o posicionamento de vários países em diversas resoluções votadas anualmente nas sessões da Assembleia Geral em variáveis numéricas. A comparação de vantagens e desvantagens em relação a cada tipo de medida levantou a necessidade de analisar a adequação de cada uma para representar o comportamento em áreas específicas de política externa, ou em resposta a variáveis originadas no sistema internacional e como resultado da relação com outros pares em arranjos bilaterais. A observação destas medidas também levantou perguntas de pesquisa adicionais sobre maneiras de entender o comportamento externo dos Estados no sistema internacional: o conflito seria o único indicativo para determinar a instabilidade no sistema internacional? Alterações de posicionamento político de Estados também pode trazer significativa instabilidade no sistema internacional? Com base na análise das diversas variáveis desenvolvidas pela literatura para capturar as votações de Estados na AGNU, na medida de Mudança de Política Externa (MPE) proposta no projeto de pesquisa principal e nas perguntas de pesquisa levantadas na mesma, buscar-se-á desenvolver uma análise sobre fatores de instabilidade no sistema internacional com base no comportamento individual de cada Estado, observado a partir do posicionamento político nas sessões anuais da AGNU..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
Redirecionamento da Política Externa: comparação de casos latino-americanos
Descrição: Nosso objetivo é analisar casos de redirecionamento na política externa (RPE) ? mudanças de política externa (MPE) mais extremos. Utilizamos três critérios de pertencimento: (a) rapidez; (b) abrangência temática; (c) radicalidade. Para ser considerado como redirecionamento, o caso de MPE deve ser (a) abrupto ? acontecer de repente, com implementação durante curto período temporal ? (b) abrangente ? envolver o máximo de áreas temáticas que englobam a política externa ? e (c) radical ? maior grau de deslocamento no espectro político. Visando identificar somente os casos mais extremos, colocamos como condição para pertencimento ao caso de RPE a necessidade de presença de todos os critérios, na lógica booleana "E". Consideramos que processos de RPE teriam características específicas que diferem das alterações padrões e ajustamentos na política externa dos países sendo, portanto, necessário moldar a variável dependente visando observar especificamente este processos. Para isso, utilizaremos diversos métodos de análise. De início, é feita uma análise quantitativa utilizando modelos de sobrevivência, em que é atribuído valor ?1? sempre que a diferença na coincidência de votos em relação aos Estados Unidos (ou no ponto ideal) na Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU) entre t-1 e t superar dois desvios padrão. Nesta etapa, testamos o efeito de um conjunto de variáveis relacionadas ao conceito de janela política, momento em que os custos de produzir mudanças políticas radicais se tornam menores. Assim, analisaremos o efeito da ocorrência de determinados eventos, conceitualmente relacionados a uma janela política, sobre as chances de ocorrência de RPE: mudança de líder, mudança de regime, crise econômica, intervenção militar, embargo econômico, alteração nos níveis de ajuda externa repassada pelos Estados Unidos e diferença de poder entre os pares. Na etapa posterior, são analisados casos que não seguem o esperado de maneira mais aprofundada, buscando identificar possíveis fatores idiossincráticos que alteraram o resultado esperado, levando os tomadores de decisões a manterem as linhas da política externa vigente, mesmo após a ocorrência dos eventos supracitados. O objetivo é analisar os desencadeamentos históricos para identificar os motivos que levaram os principais atores políticos a desconsiderarem ? ou não interpretaram como tais ? as condições para implementarem um processo de RPE. Por fim, utilizando a metodologia de análise qualitativa comparada, serão estudados os casos mais extremos de RPE, buscando desenvolver tipologias explicativas, para agrupar os casos segundo determinadas condições básicas não identificáveis pela análise quantitativa..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Ítalo Beltrão Sposito - Coordenador.Número de orientações: 1


Projetos de extensão


2018 - Atual
Ciclo de Egressos - o profissional em Relações Internacionais
Descrição: O projeto 'Ciclo de Egressos' é uma ferramenta pedagógica para discutir o mercado de trabalho para o Bacharel em Relações Internacionais e a alocação dos egressos em profissões relacionadas à área de Relações Internacionais. Serão convidados a palestrar egressos do Bacharel em Relações Internacionais em diferentes universidades/faculdades para apresentar suas trajetórias profissionais na área de Relações Internacionais, suas principais atribuições e cargos ocupados, assim como as perspectivas futuras de mercado para formados na área. Serão convidados profissionais trabalhando nas seguintes áreas: instituições públicas e governos, consultorias especializadas na área de Relações Internacionais, Instituições Internacionais, Organizações não-governamentais, empresas da área de comércio exterior, entre outras. O objetivo do projeto é apresentar aos discentes possíveis áreas de atuação de um profissional de Relações Internacionais, os principais desafios para os formandos e as formas de complementar a formação para se alocar como um profissional da área no mercado. Ao entrar em contato com egressos em diferentes posições e áreas correlacionadas às Relações Internacionais, os discentes terão a oportunidade de conhecer as oportunidades que se apresentarão após concluirem sua formação básica. A atividade também visa diminuir a evasão no Bacharelado em Relações Internacionais, apresentando as oportunidades que encontrarão após formados, e colocando os discentes em contato com profissionais que se alocaram com sucesso em diferentes áreas relacionadas ao exercício da profissão dos bacharéis em Relações Internacionais..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (40) .
Integrantes: Ítalo Beltrão Sposito - Coordenador.
2018 - Atual
Internacionalização de Indústrias do Estado do Tocantins
Descrição: O objeto do plano de trabalho é o desenvolvimento de um projeto de internacionalização de Indústrias do Estado do Tocantins. Com base em uma parceira entre a Universidade Federal do Tocantins (UFT) e a Federação de Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO), por meio do Centro Internacional de Negócios (CIN), irão unir esforços para desenvolver um diagnóstico de empresas com potencial para internacionalização, através da implementação do projeto ?Rota Global?, programa da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), destinado a Micro, Pequenas e Médias Empresas (MPMEs) interessadas em aumentar capacidade de atuação no mercado internacional. Feito este diagnóstico, mediante a implementação de questionário padrão destinado a identificação do potencial de internacionalização de empresas em quatro dimensões ? mercado, operação, gestão e estratégica ? será realizado um plano de internacionalização contendo serviços ofertados pelos parceiros que trabalham que o tema internacionalização. Incluindo a realização de mapeamento do perfil das indústrias Tocantinenses que tenham maturidade e perfil para posterior inserção no Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX), programa de qualificação da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX), vinculada ao Ministério das Relações Exteriores (MRE). O programa buscará aumentar a competitividade internacional de indústrias iniciantes em comércio exterior, engajando-as na construção de um plano de negócios e estratégias colaborativas entre empresas e instituições de apoio, governamentais e não governamentais..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Ítalo Beltrão Sposito - Coordenador.


Membro de corpo editorial


2015 - Atual
Periódico: Diplomatize


Revisor de periódico


2017 - Atual
Periódico: Conjuntura Austral. Revista do Núcleo Brasileiro de Estratégia e Relações I


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Ciência Política / Subárea: Política Internacional/Especialidade: Política Externa do Brasil.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Ciência Política / Subárea: Política Internacional.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Ciência Política.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Ciência Política / Subárea: Cultura e Relações Internacionais.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Francês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
SPOSITO, Ítalo Beltrão2018SPOSITO, Ítalo Beltrão. Policy Windows for Foreign Policy Shifts in Latin American and Caribbean States. Revista de Ciencia Politica, v. 38, p. 459-483, 2018.

2.
SPOSITO, ITALO BELTRÃO2014SPOSITO, ITALO BELTRÃO. AVANÇOS E EMPECILHOS NA GOVERNANÇA GLOBAL: ANÁLISE EM TRÊS NÍVEIS.. REVISTA MURAL INTERNACIONAL, v. 5, p. 93-104, 2014.

3.
SPOSITO, Ítalo Beltrão;SPOSITO, ITALO BELTRÃO2013 SPOSITO, Ítalo Beltrão. Foreign policy change in Brazil: comparing Castelo Branco (1964-1967) and Fernando Collor (1990-1992). BRAZILIAN POLITICAL SCIENCE REVIEW, v. 7, p. 118-144, 2013.

4.
SPOSITO, Ítalo Beltrão;SPOSITO, ITALO BELTRÃO2012SPOSITO, Ítalo Beltrão. Efeito dominó na América Latina: influência do sistema internacional nos regimes políticos. Cadernos de Pesquisa Política, v. 5, p. fflch.usp.br/dc-61, 2012.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Redirecionamento da Política Externa: uma análise comparativa entre os Governos Castello Branco e Fernando Collor. 1. ed. São Paulo: Editora Alameda, 2013. v. 1. 236p .

Capítulos de livros publicados
1.
SPOSITO, Ítalo Beltrão; LUDWIG, F. J. ; MARCHINI NETO, D. . Dinâmicas Securitárias das Fronteiras na América do Sul. In: Fernando José Ludwig; Luciano Stremel Barros. (Org.). (Re)definições das Fronteiras: Velhos e Novos Paradigmas. 1ed.Foz do Iguaçu: Editora IDESF, 2018, v. 2, p. 39-56.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Continuidade e Mudança na Política Externa. In: 36º Encontro da ANPOCS, 2012, Águas de Lindóia. Anais do Encontro, 2012. v. 36.

2.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Avanços e Empecilhos à Governança Global: uma análise de três níveis. In: 3º Encontro da ABRI: Governança Global e Novos Atores, 2011, São Paulo. Governança Global e Novos Atores, 2011. v. 3.

3.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Redirecionamento na Política Externa: proposta de um modelo. In: III Simpósio e Pós-Graduação em Relações Internacionais do Programa "San Tiago Dantas", 2011, São Paulo. Anais do III Simpósio de Pós-Graduação em Relações Internacionais do Programa "San Tiago Dantas", 2011.

4.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. A formulação conceitual da política externa brasileira: uma análise comparativa entre os governos Castelo Branco e Fernando Collor. In: II Simpósio e Pós-Graduação em Relações Internacionais do Programa, 2009, São Paulo. Anais do II Simpósio de Pós-Graduação em Relações Internacionais do Programa, 2009.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. A formulação conceitual da política externa brasileira: uma análise comparativa entre os governos Castelo Branco e Fernando Collor. In: 7ª Semana de Relações Internacionais, 2009, Marília. Anais da VII Semana de Relações Internacionais, 2009.

2.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. As Nações Espanholas e suas Modificações pelo Contexto Internacional. In: V Semana de Relações Internacionais, 2007, Marília. Anais da V Semana de Relações Internacionais, 2007. v. 1.

Artigos aceitos para publicação
1.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Mudança na Política Externa dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos: uma análise baseada nas votações da assembleia geral das nações unidas. DADOS - REVISTA DE CIÊNCIAS SOCIAIS, 2018.

Apresentações de Trabalho
1.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Unipolar and Bipolar International System Stability. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
GAMA, C. F. P. S. ; SPOSITO, Ítalo Beltrão . Mesa Redonda do(a) Evento: Semana Acadêmica Integrada UFT Porto Nacional 'Direitos Humanos, Transversalidade e Protagonismo Estudantil'. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

3.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Policy Windows: conditions that raise the risks of foreign policy shifts in Latin American foreign policies. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

4.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Processos históricos de redirecionamento na política externa latino-americana. 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

5.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Redirecionamento na Política Externa Brasileira: uma análise comparativa entre os Governos Castello Branco (1964-1967) e Fernando Collor (1990-1992). 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. The Main Determinants of Foreign Policy Change: comparing Latin American cases. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Continuidade e Mudança na Política Externa: comparação de casos latino-americanos. 2014. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

8.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Continuidade e Mudança na Política Externa. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

9.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Avanços e Empecilhos na Governança Global: uma análise de três níveis. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

10.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Advance and Restraints in Global Governance: a three level analysis. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

11.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Redirecionamento na Política Externa: proposta de um modelo. 2011. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

12.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Conceitos e Paradigmas no Itamaraty: novos atores e perspectivas na década de 1990. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

13.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. A formulação conceitual da política externa brasileira: uma análise comparativa entre os governos Castelo Branco e Fernando Collor. 2009. (Apresentação de Trabalho/Outra).

14.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. A Formulação Conceitual da Política Externa Brasileira: uma análise comparativa entre os Governos Castelo Branco e Fernando Collor. 2009. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

15.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. As Nações Espanholas e suas Modificações pelo Contexto Global. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Outras produções bibliográficas
1.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Redirecionamento na política externa brasileira: uma análise comparativa dos Governos Castello Branco (1964-1967) e Fernando Collor (1990-1992). São Paulo: Universidade de São Paulo, 2012 (Trabalho de Conclusão de Curso).

2.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. A Formulação Conceitural da Política Externa Brasileira: uma análise comparativa entre os Governos Castelo Branco e Fernando Collor. Curitiba: UFPR, 2009 (Trabalho de Conclusão de Curso).

3.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. As Nações Espanholas e suas Modificações pelo Contexto Internacional 2007 (Trabalho de Conclusão de Curso).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Comitê Científico - III Semana Acadêmica Integrada UFT/CPT. 2018.


Demais tipos de produção técnica
1.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Identidade Internacional Brasileira. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Qualificações de Mestrado
1.
CABRAL, J. P. C.; SANTOS, Roberto de Souza; SPOSITO, Ítalo Beltrão. Participação em banca de Sandra de Oliveira Gomes Pereira. Trabalho Informal, território e questão social: a dinâmica socioespacial dos trabalhadores por conta própria na cidade de Palmas. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em GEOGRAFIA) - Universidade Federal do Tocantins.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
GODOY, Luciene; SPOSITO, Ítalo Beltrão. Participação em banca de Maria Carolina Batisteli de Mello.A economia alemã: da reunificação à zona do euro. 2013.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
GAMA, C. F. P. S.; CAMARGO, F. F.; SPOSITO, Ítalo Beltrão; CABRAL, J. P. C.. CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE VAGAS NO CARGO DE PROFESSOR DO MAGISTÉRIO SUPERIOR - 2016.1(EDITAL N° 001/2016 ? COPESE/UFT, DE 02/02/2016). 2016. Universidade Federal do Tocantins.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
4o Seminário de Relações Internacionais.A Política Externa em Tempos de Ruptura. 2018. (Seminário).

2.
4o Seminário de Relações Internacionais.Alterações nas coalizões domésticas e seus impactos sobre a política externa: simples alternância de poder ou polarização política?. 2018. (Seminário).

3.
FLACSO-ISA Joint International Conference. BRICS and New Global Governance Issues. 2018. (Congresso).

4.
FLACSO-ISA Joint International Conference. Foreign Policy Windows: are there events that raise the chances of foreign policy changes?. 2018. (Congresso).

5.
ISA?s 58th Annual Convention. Historical Processes of Foreign Policy Shifts in Latin-American Foreign Policies. 2017. (Congresso).

6.
MPSA 72nd Annual Conference. The Main Determinants of Foreign Policy Change: comparing Latin American cases. 2014. (Congresso).

7.
Oficina Nacional do Programa de Mobilidade MARCA. 2014. (Oficina).

8.
V Encuentro de Responsables y Asistentes Administrativos de Programas ESCALA. 2014. (Encontro).

9.
36º Encontro da ANPOCS.Continuidade e Mudança na Política Externa. 2012. (Encontro).

10.
3º Encontro Nacional da ABRI.Avanços e Empecilhos na Governança Global: uma análise de três níveis. 2011. (Encontro).

11.
III Simpósio do Programa de Pós-graduação em Relações Internacionais do Programa.Redirecionamento na Política Externa: proposta de um modelo. 2011. (Simpósio).

12.
Imagining Global Governance - Change and Continuity. Advance and Restraints in Global Governance: a three level analysis. 2011. (Congresso).

13.
7a Semana de Relações Internacionais.A formulação conceitual da política externa brasileira: uma análise comparativa entre os governos Castelo Branco e Fernando Collor. 2009. (Outra).

14.
7a Semana de Relações Internacionais.História, formulação de conceitos e atualidade da política exgterna brasileira. 2009. (Outra).

15.
II Simpósio de Pós-graduação em Relações Internacionais do Programa "San Tiago Dantas".A Formaulação Conceitual da Política Externa Brasileira: uma análise comparativa entre os governos Castelo Branco e Fernando Collor. 2009. (Simpósio).

16.
1ª Semana de Migrações Internacionais. 2007. (Outra).

17.
1º Simpósio de Pesquisa na Graduação em Relações Internacionais. 2007. (Simpósio).

18.
2º Forum Sociojurídico e 2º Simpósio PET Serviço Social. 2007. (Simpósio).

19.
I Semana de Migrações Internacionais. 2007. (Outra).

20.
I Simpósio "Política e Sociedade na América Latina". 2007. (Simpósio).

21.
Mini-curso Globalização, Ambiente e Agricultura. 2007. (Outra).

22.
NEDA 10 ano: Resistência e Luta por um Pensamento Crítico no Direito. 2007. (Outra).

23.
V Semana de Relações Internacionais. As Nações Espanholas e suas Modificações pelo Contexto Global. 2007. (Congresso).

24.
6º Forum Social Mundial. 2006. (Congresso).

25.
A América Latina nas Garras da Águia: reflexões de um acadêmico velho e ranzinza. 2006. (Seminário).

26.
A Projeção Política dos Estados Unidos e América Latina no Sistema Internacional. 2006. (Seminário).

27.
II Semana Gramschinia: América Latina em debate. 2006. (Outra).

28.
Mini-curso Política, Cultura e Conflitos na África. 2006. (Outra).

29.
Mini-curso Política, Cultura e Conflitos na África. 2006. (Outra).

30.
10º ENERI - Encontro Nacional de Estudantes de Relações Internacionais. 2005. (Encontro).

31.
3ª Semana de Relações Internacionais da Unesp de Franca. 2005. (Congresso).

32.
Divresidade, Identidade e Emancipação. 2005. (Congresso).

33.
2ª Semana de Relações Internacionais da Unesp Franca. 2004. (Congresso).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
SCOLESO, Fabiana ; MARCHINI NETO, D. ; SILVA, R. I. ; LUDWIG, F. J. ; SPOSITO, Ítalo Beltrão . III Semana Acadêmica Integrada. 2018. (Outro).

2.
LUDWIG, F. J. ; SPOSITO, ITALO BELTRÃO . I Simulação das Nações Unidas - O Caso do Chipre. 2018. (Outro).

3.
FOSCHIERA, A. A. ; THOMAZ JUNIOR, A. ; SPOSITO, Ítalo Beltrão . XVII Jornada do Trabalho. 2016. (Outro).

4.
LUDWIG, F. J. ; SPOSITO, Ítalo Beltrão . Crise, Corrupção e Democracia. 2016. (Outro).

5.
VERGANI, C. E. ; FREIRE JUNIOR, J. C. ; KOKUBUN, E. ; SPOSITO, Ítalo Beltrão . I Forum Sobre Disciplinas em Inglês na UNESP: resultados do biênio 2013-2014. 2015. (Outro).

6.
FREIRE JUNIOR, J. C. ; SPOSITO, ITALO BELTRÃO . V Forum de Internacionalização da UNESP. 2013. (Congresso).

7.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. XXI Jornada de Jóvenes Investigadores del Grupo Montevideo. 2013. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Monografias de conclusão de curso de aperfeiçoamento/especialização
1.
Carlla Cristina de Oliveira Barros. Diplomacia Cultural Brasileira. Início: 2018. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Relações Internacionais) - Universidade Federal do Tocantins. (Orientador).

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Julia Soares Figueiredo. Política Externa Brasileira para o Meio Ambiente: Uma Análise do Caso de Belo Monte A Agenda de PEB tem se direcionado para o desenvolvimento sustentável?. Início: 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Relações Internacionais) - Universidade Federal do Tocantins. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Hugo Rafael Soares. Novos rumos da Política Externa Brasileira: análise comparativa entre os governos Dilma e Temer. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em Relações Internacionais) - Universidade Federal do Tocantins, Fundação Universidade Federal do Tocantins. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Iniciação científica
1.
Thatiane Letícia Rodrigues Ribeiro. Transformações Sociais do Neoliberalismo na Argentina. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Relações Internacionais) - Universidade Federal do Tocantins, Fundação Universidade Federal do Tocantins. Orientador: Ítalo Beltrão Sposito.

2.
Thatiane Letícia Rodrigues Ribeiro. Influência do Sistema Internacional sobre as transformações da política externa latino-americana. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Relações Internacionais) - Universidade Federal do Tocantins, Fundação Universidade Federal do Tocantins. Orientador: Ítalo Beltrão Sposito.



Educação e Popularização de C & T



Cursos de curta duração ministrados
1.
SPOSITO, Ítalo Beltrão. Identidade Internacional Brasileira. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Outras informações relevantes


TOEFL Internet-based Test (TOEFL iBT)
Reading - 29
Listening - 29
Speaking - 24
Writing - 22

Diploma de Proeficiencia em Idioma espanhol - D.E.L.E. - nível avançado
Insituto Cervantes - ESP



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 21/01/2019 às 24:21:52