Jorge da Silva Júnior

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6987409124079312
  • Última atualização do currículo em 06/11/2018


Graduado em Agronomia (2003) e mestrado em Fitotecnia pela Universidade Federal de Lavras - UFLA (2006). Atualmente é Doutorando em Agronomia, Produção Vegetal da UFU (Universidade Federal de Uberlândia), e Coordenador/Professor do Colegiado de Agronomia da Faculdade São Francisco de Barreiras - FASB, e atua na área de pesquisa e docência, e como Professor Assistente da UNEB - Campus IX em Barreiras, no Curso de Agronomia, tem experiência com o Manejo de Doenças de Plantas Cultivadas, Controle natural de pragas com extratos vegetais, e outras áreas da Agronomia, com ênfase em Fisiologia de Plantas Cultivadas, Uso e Manejo de Solos, atua principalmente nos temas: Pesquisa, docência do ensino superior, e prestação de serviços na área Agronômica. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Jorge da Silva Júnior
Nome em citações bibliográficas
SILVA JÚNIOR, J.;SILVA JÚNIOR, JORGE DA;DA SILVA JÚNIOR, JORGE

Endereço


Endereço Profissional
Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras, COORDENAÇÃO DE AGRONOMIA.
BR 135 Km 01, Nº 2341
Boa Sorte
47805270 - Barreiras, BA - Brasil - Caixa-postal: 235
Telefone: (77) 36138800
Ramal: 8844
Fax: (77) 36138824
URL da Homepage: http://www.fasb.edu.br


Formação acadêmica/titulação


2016
Doutorado em andamento em Produção Vegetal.
Universidade Federal de Uberlândia, UFU, Brasil.
Título: QUALIDADE DA MATÉRIA ORGANICA SOB DIFERENTES MANEJOS DAS MICROREGIÕES PRODUTORAS DE GRÃSO E FIIBRAS DO CERRADO BAIANO,
Orientador: Beno Wendling.
Coorientador: Francisco Assis de Oliveira.
Palavras-chave: MOS; COT; Humina; Acidos Humico e Fulvico; SISTEMA DE PLANTIO DIRETO.
Grande área: Ciências Agrárias
Grande Área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Ciência do Solo.
2004 - 2006
Mestrado em Agronomia (Fitotecnia).
Universidade Federal de Lavras, UFLA, Brasil.
Título: APLICAÇÃO DE FUNGICIDAS EM DIFERENTES ÉPOCAS NO CONTROLE DE FERRUGEM E NA PRODUTIVIDADE DA SOJA [Glycine max (L.) Merrill],Ano de Obtenção: 2006.
Orientador: Pedro Milanez de Rezende.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Ferrugem da soja; Controle químico; Épocas de aplicação; Testes de fungicidas; Produtividade; Severidade da ferrugem.
Grande área: Ciências Agrárias
Grande Área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitossanidade / Especialidade: Fitopatologia.
Grande Área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia / Especialidade: Fisiologia de Plantas Cultivadas.
Setores de atividade: Produção Vegetal.
2007 - 2010
Especialização em MIP E RECEITUÁRIO AGRONÔMICO. (Carga Horária: 465h).
Universidade Federal de Lavras, UFLA, Brasil.
Título: MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS.
Orientador: Jair Campos Moraes.
1999 - 2004
Graduação em Agronomia.
Universidade Federal de Lavras, UFLA, Brasil.
Título: Acompanhamento da incidência e severidade de Ferrugem e Cercosporiose em café fertirrrigado por gotejamento, com diferentes lâminas e adubações..
Orientador: Paulo Estevão de Souza.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais, FAPEMIG, Brasil.
1996 - 1998
Curso técnico/profissionalizante.
Escola Agrotécnica Federal de Uberlândia Mg, EAF UDIA, Brasil.
1992 - 1995
Ensino Fundamental (1º grau).
Escola São José, ESJ, Brasil.




Formação Complementar


2014 - 2014
Planejamento Educacional da FASB 2014. (Carga horária: 20h).
Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras, IAESB, Brasil.
2014 - 2014
I SEMANA INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA. (Carga horária: 16h).
Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras, IAESB, Brasil.
2013 - 2013
planejamento Educacional 2013. (Carga horária: 20h).
Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras, IAESB, Brasil.
2009 - 2009
ECONOMIA - Uma abordagem propedêutica. (Carga horária: 20h).
Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras, IAESB, Brasil.
2003 - 2003
FORMAÇÃO DO PROFISSIONAL EMPREENDEDOR. (Carga horária: 8h).
TERRAJR PROJETOS & CONSULTORIA, TERRAJR, Brasil.
2003 - 2003
CAPACITAÇÃO EM IDENTIFICAÇÃO DE IMPACTO AMBIENTAL. (Carga horária: 32h).
FUNDAÇÃO PRÓ-DEFESA AMBIENTAL, FPDA, Brasil.
2003 - 2003
ADVANCED 1. (Carga horária: 50h).
ESCOLA LAVRENSE DE INDIOMAS LTDA, FISK, Brasil.
2003 - 2003
ADVANCED 2. (Carga horária: 50h).
ESCOLA LAVRENSE DE INDIOMAS LTDA, FISK, Brasil.
2002 - 2002
COMO FALAR EM PÚBLICO. (Carga horária: 12h).
Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão, FAEPE, Brasil.
2002 - 2002
INTERMEDIATE 2. (Carga horária: 50h).
ESCOLA LAVRENSE DE INDIOMAS LTDA, FISK, Brasil.
2002 - 2002
ELABORAÇÃO DE PROJETOS. (Carga horária: 8h).
TERRAJR PROJETOS & CONSULTORIA, TERRAJR, Brasil.
2002 - 2002
ESTRATÉGIAS PROFISSIONAIS EM VENDAS. (Carga horária: 12h).
TERRAJR PROJETOS & CONSULTORIA, TERRAJR, Brasil.
2002 - 2002
INTERMEDIATE 1. (Carga horária: 100h).
ESCOLA LAVRENSE DE INDIOMAS LTDA, FISK, Brasil.
2001 - 2001
BASIC 2. (Carga horária: 50h).
ESCOLA LAVRENSE DE INDIOMAS LTDA, FISK, Brasil.
2000 - 2000
FRUTICULTURA. (Carga horária: 40h).
Universidade Federal de Lavras, UFLA, Brasil.
2000 - 2000
BASIC 1. (Carga horária: 50h).
ESCOLA LAVRENSE DE INDIOMAS LTDA, FISK, Brasil.
1998 - 1998
PRÁTICAS DE ELETRICIDADE NA PROPRIEDADE RURAL. (Carga horária: 16h).
CEMIG Distribuidora, CEMIG-D, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Uberlândia, UFU, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pós Graduando, Carga horária: 40

Atividades

03/2016 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Ciências Agrarias, .


Associação de Agricultores e Irrigantes do Oeste da Bahia, AIBA, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2016
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Coordenador Assistente de Pesquisa, Carga horária: 10

Atividades

10/2014 - 04/2016
Serviços técnicos especializados , Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia, .

Serviço realizado
Coordenação do Programa Fitossanitário da Soja Irrigada.
06/2014 - 11/2015
Serviços técnicos especializados , Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia, .

Serviço realizado
Pesquisador no Projeto Agricultura Sequestradora de Carbono no Oeste da Bahia.

Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras, IAESB, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Coordenador do Curso de Agronomia, Carga horária: 30
Outras informações
Coordenador do Curso de Agronomia; Membro do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Curso de Agronomia; Membro do Conselho Administrativo Superior (CAS) da FASB; Membro do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da FASB Coordenador dos Projetos de Pesquisa e Trabalhos Interdisciplinares (TIAGRO) de Agronomia da FASB.; Membro e Coordenador do GEPAV;

Vínculo institucional

2007 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 40

Vínculo institucional

2010 - 2016
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Coordenador do Curso de Agronomia, Carga horária: 30
Outras informações
Coordenador do Curso de Agronomia; Membro do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Curso de Agronomia; Membro do Conselho Administrativo Superior (CAS) da FASB; Coordenador dos Projetos de Pesquisa e Trabalhos Interdisciplinares (TIAGRO) de Agronomia da FASB.; AFASTAMENTO PARA DOUTORAMENTO

Atividades

10/2018 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, COMITÊ DE ÉTICA E PESQUISA - CEP, .

Cargo ou função
Representante da Área de Ciências Agrárias.
07/2018 - Atual
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Desenho Técnico
02/2018 - Atual
Extensão universitária , GRUPO DE ESTUDO E PESQUISA AGROPECUÁRIA DO VALE - GEPAV, NEPA - NÚCLEO DE ESTUDO E PESQUISA DE PRAGAS AGRÍCOLAS.

Atividade de extensão realizada
DIAGNÓSTICO DE FITOPATÓGENOS DE SOLOS DE PROPRIEDADES AGRÍCOLAS NO CERRADO BAIANO.
02/2018 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Conselho Administrativo Superior - CAS, .

Cargo ou função
Representante da Coordenação de Agronomia.
02/2010 - Atual
Direção e administração, COORDENAÇÃO DE AGRONOMIA, .

Cargo ou função
Coordenador de Curso.
02/2010 - Atual
Direção e administração, Conselho Administrativo Superior - CAS, .

Cargo ou função
Membro.
02/2018 - 07/2018
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
FRUTICULTURA
02/2018 - 02/2018
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
MÁQUIINAS E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA
08/2015 - 12/2015
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
AGRICULTURA I e II
AGRICULTURA ORGÂNICA
DESENHO TÉCNICO
ESTÁGIO I e II
FLORICULTURA E PAISAGISMO
FORRAGICULTURA
MONOGRAFIA II
02/2015 - 07/2015
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Máquinas e Mecanização Agrícola
AGRICULTURA II
MONOGRAFIA II
10/2014 - 02/2015
Extensão universitária , ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES E IRRIGANTES DE BARREIRAS - AIBA, .

Atividade de extensão realizada
MONITORAMENTO FITOSSANITÃ?RIO DAS PROPRIEDADES DE SOJA COM PLANTIO ANTECIPADO NO OESTE DA BAHIA.
07/2014 - 12/2014
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Silvicultura
Economia e administração Rural - DRE
02/2014 - 06/2014
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Máquinas e Mecanização
07/2013 - 12/2013
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Desenho Técnico
02/2013 - 06/2013
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
MANEJO DE PLANTAS INVASORAS
MÁQUINAS E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA
07/2012 - 12/2012
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Desenho Técnico
02/2012 - 07/2012
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Máquinas e Mecanização Agrícola
03/2010 - 04/2012
Direção e administração, COMITÊ DE ÉTICA E PESQUISA - CEP, .

Cargo ou função
MEMBRO.
03/2010 - 03/2012
Direção e administração, Comissão Própria de Avaliação - CPA, .

Cargo ou função
Representante dos Coordenadores.
07/2011 - 12/2011
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Desenho Técnico
09/2011 - 09/2011
Extensão universitária , UNIVERSIDADE ABERTA DA MELHOR IDADE, .

Atividade de extensão realizada
FLORICULTURA E PAISAGISMO.
02/2011 - 07/2011
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Máquinas e Mecanização Agrícola
07/2010 - 12/2010
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ENTOMOLOGIA GERAL
DESENHO TECNICO
02/2010 - 07/2010
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Construções Rurais
Fisiologia Vegetal I
Fruticultura
Máquinas e Mecanização Agrícola
07/2009 - 12/2009
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
FITOPATOLOGIA II
Desenho Técnico
Fisiologia Vegetal II
Floricultura e Paisagismo
Tecnologia de Produtos Agropecuários II
07/2009 - 12/2009
Ensino, Administração, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Gestão do Agronegócio
08/2009 - 11/2009
Extensão universitária , UNIVERSIDADE ABERTA DA MELHOR IDADE, .

Atividade de extensão realizada
TECNOLOGIA DE CONSERVAÇÃO DOS ALIMENTOS.
02/2009 - 06/2009
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Desenho Técnico
Fisiologia Vegetal I
Fruticultura
08/2008 - 12/2008
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estágio supervisionado;
Fisiologia Vegetal II;
Tecnologia de Produtos Agropecuários II;
Topografia I;
09/2008 - 10/2008
Extensão universitária , UNIVERSIDADE ABERTA DA MELHOR IDADE, .

Atividade de extensão realizada
UTILIZAÇÃO DOS ALIMENTOS - 20 HORAS/AULA.
02/2008 - 07/2008
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Agricultura Orgânica;
Fisiologia Vegetal I;
Orientações de Estágio Supervisionado (11 alunos);
Máquinas e Mecanização Agrícola;
07/2007 - 12/2007
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Floricultura e Paisagismo;
Tecnologia de Produção de Sementes;
Olericultura;
Fruticultura;
10/2007 - 10/2007
Extensão universitária , UNIVERSIDADE ABERTA DA MELHOR IDADE, .

Atividade de extensão realizada
PALESTRA SOBRE O REAPROVEITAMENTO DOS ALIMENTOS - 12 HORAS/AULA.
02/2007 - 06/2007
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Forragicultura;
Zootecnia Geral;
Agricultura Orgânica;
Máquinas e Mecanização Agrícola;

Universidade do Estado da Bahia, UNEB, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Assistente, Carga horária: 40
Outras informações
Designado para lecionar as disciplinas de: Manejo Pós Colheita; Estágio Supervisionado; e Marketing Agroindustrial.

Vínculo institucional

2008 - 2012
Vínculo: Professor vistante, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 20

Atividades

06/2014 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Departamento de Ciências Humanas, .

03/2009 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Departamento de Ciências Humanas, .

03/2009 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Departamento de Ciências Humanas, .

07/2015 - 12/2015
Ensino, Engenharia Agronômica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estágio Supervisionado
10/2014 - 02/2015
Extensão universitária , ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES E IRRIGANTES DE BARREIRAS - AIBA, .

Atividade de extensão realizada
MONITORAMENTO FITOSSANITÃ?RIO DAS PROPRIEDADES DE SOJA COM PLANTIO ANTECIPADO NO OESTE DA BAHIA.
08/2014 - 01/2015
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Administração e desenvolvimento Rural
Estágio Supervisionado
02/2014 - 06/2014
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Desenho Técnico
Estágio Supervisionado
08/2013 - 01/2014
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estágio Supervisionado
Administração e Desenvolvimento Rural
03/2013 - 07/2013
Ensino, Agronomia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Desenho Técnico
Estágio Supervisionado
02/2013 - 02/2013
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ADMINISTRAÇÃO E DESENVOLVIMENTO RURAL
08/2012 - 01/2013
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ESTÁGIO SUPERVISIONADO
FOTOGRAMETRIA E FOTOINTERPRETAÇÃO
08/2012 - 12/2012
Pesquisa e desenvolvimento , Departamento de Ciências Humanas, .

04/2012 - 08/2012
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
DESENHO TÉCNICO
ESTÁGIO SUPERVISIONADO
EXTENSÃO RURAL
03/2012 - 07/2012
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
DESENHO TÉCNICO
ESTÁGIO SUPERVISIONADO
06/2011 - 06/2012
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ADMINISTRAÇÃO E DESENVOLVIMENTO RURAL
DESENHO TECNICO
OLERICULTURA
11/2011 - 03/2012
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ENTOMOLOGIA AGRÍCOLA
ESTÁGIO SUPERVISIONADO
NUTRIÇÃO MINERAL DE PLANTAS
FRUTICULTURA
10/2010 - 02/2011
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
BIOCONTROLE DE FITOPATOGENOS
ENTOMOLOGIA APLICADA
FRUTICULTURA
03/2010 - 10/2010
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
DESENHO TÉCNICO
ENTOMOLOGIA APLICADA
FRUTICULTURA
07/2009 - 03/2010
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Entomologia Agrícola
Fotogrametria e Fotointerpretação
03/2009 - 07/2009
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Desenho Técnico
Extensão Rural
Topografia Aplicada à Agricultura
12/2008 - 03/2009
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ENTOMOLOGIA AGRÍCOLA;
FOTOGRAMETRIA E FOTOINTERPRETAÇÃO;
12/2008 - 03/2009
Ensino, CIÊNCIAS BIOLÓGICAS, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
ECOLOGIA GERAL;
06/2008 - 11/2008
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
DESENHO TÉCNICO
EXTENSÃO RURAL;
TOPOGRAFIA APLICADA À AGRICULTURA;
06/2008 - 07/2008
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
FOTOGRAMETRIA E FOTOINTERPRETAÇÃO - CURSO DE FÉRIAS

ASSOCIAÇÃO DOS ENGENHEIROS AGRONOMOS DE BARREIRAS, AEAB, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - Atual
Vínculo: MEMBRO, Enquadramento Funcional: DIRETOR, Carga horária: 4
Outras informações
MEMBRO DA DIRETORIA. INICIALMENTE NA PRIMEIRA GESTÃO (2010-2011) ATUANDO COMO DIRETOR FINANCEIRO, E NO MOMENTO COMO DIRETOR TÉCNICO (2011-2012).

Atividades

01/2013 - 12/2014
Direção e administração, DIRETORIA, .

Cargo ou função
Fiscal Financeiro.
12/2011 - 12/2012
Direção e administração, DIRETORIA, .

Cargo ou função
DIRETOR TÉCNICO.
12/2010 - 12/2011
Direção e administração, DIRETORIA, .

Cargo ou função
SECRETÁRIO FINANCEIRO.

PROGRAMA NACIONAL DE ENSINO na REFORMA AGRÁRIA, PRONERA, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2012
Vínculo: Professor vistante, Enquadramento Funcional: PROFESSOR, Carga horária: 10

Atividades

07/2011 - 12/2011
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
MÁQUINAS E MOTORES
04/2010 - 08/2010
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Entomologia Geral e Aplicada
04/2009 - 08/2009
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
CARTOGRAFIA E FOTOINTERPRETAÇÃO
10/2008 - 12/2008
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
CARTOGRAFIA, TOPOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO
DESENHO TÉCNICO

Faculdade Arnaldo Horácio Ferreira, FAAHF, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor visitante, Carga horária: 4
Outras informações
Professor de ensino superior

Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: PROFESSOR HORISTA, Carga horária: 8

Atividades

08/2011 - 12/2011
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Máquinas e motores
10/2009 - 12/2009
Ensino, AGRONOMIA, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
MECÂNICA E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA

Escola Agrotécnica Federal de Uberlândia Mg, EAF UDIA, Brasil.
Vínculo institucional

1996 - 1999
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: docente, Carga horária: 30

Vínculo institucional

1996 - 1996
Vínculo: Estudante, Enquadramento Funcional: Estudante, Carga horária: 10

Atividades

01/1998 - 03/1998
Estágios , Departamento de Fruticultura, .

Estágio realizado
ACOMPANHAMENTO DA PRODUÇÃO E PLANTIO DE MUDAS FRUTÍFERAS.
03/1997 - 03/1998
Serviços técnicos especializados , LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA BÁSICA, .

Serviço realizado
SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E MONITORIA.
12/1997 - 01/1998
Estágios , Departamento de Bovinocultura, .

Estágio realizado
CRIAÇÃO DE BOVINOS EM LACTAÇÃO.
03/1996 - 11/1996
Serviços técnicos especializados , LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA BÁSICA, .

Serviço realizado
Monitor de Informática.

ESCOLA ESTADUAL DOM DELFIM de 1o e 2o Graus, E.E. DOM DELFIM, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2004
Vínculo: Professor vistante, Enquadramento Funcional: professor, Carga horária: 16

Atividades

08/2004 - 11/2004
Ensino,

Disciplinas ministradas
BIOLOGIA

PREFEITURA MUNIICÍPIO DE ITUMIRIM/MG, PMITUM/MG, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2004
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: PROFESSOR, Carga horária: 20

Atividades

03/2004 - 12/2004
Ensino,

Disciplinas ministradas
INGLÊS;
FÍSICA;
MATEMÁTICA;
CIÊNCIAS;

Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas da Bahia, SEBRAE/BA, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2008
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: MINISTRADOR DE CURSO, Carga horária: 10

Atividades

03/2008 - 03/2008
Treinamentos ministrados , SEBRAE/BA, .

Treinamentos ministrados
CURSO DE PODA DO LIMÃO - FRUTICULTORES DO PERÍMETRO DE IRRIGAÇÃO DA CODEVASF BARREIRAS NORTE E NUPEBA

TERRAJR PROJETOS & CONSULTORIA, TERRAJR, Brasil.
Vínculo institucional

2003 - 2003
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Diretor de Projetos de Agronomia, Carga horária: 3


TERRAMEC - Máquinas Agrícolas Ltda, TERRAMEC, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2009
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Consultor Ténico, Carga horária: 10
Outras informações
Assistência Técnica e Prestação de Serviços na Área Agrária.

Vínculo institucional

2006 - 2007
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: ADMINISTRADOR, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

08/2006 - 06/2009
Conselhos, Comissões e Consultoria, Administração, .

Cargo ou função
CONSULTOR TÉCNICO;.
08/2006 - 01/2007
Direção e administração, Administração, .

Cargo ou função
GERENTE ADMINISTRATIVO.
11/2001 - 12/2001
Estágios , Assistência Técnica em campo, .

Estágio realizado
acompanhamento em mecanização agrícola e preparo de solo, assistência técnica no plantio de forrageiras e manejo de pastagens..
08/2001 - 11/2001
Estágios , Assistência Técnica em campo, .

Estágio realizado
Acompanhamento de reforma de tratores agrícolas e de grades aradoras, mecanização agrícola e terraplanagem, serviços efetuados em oficina mecânica, torno e solda..
07/2001 - 08/2001
Estágios , Assistência Técnica em campo, .

Estágio realizado
Avaliação do índice de pragas e doenças na cultura de abóbora irrigada, preparo de solo, gradagens, acompanhamento de mecanização agrícola e terraplanagem, tanques e barragens..

Universidade Federal de Lavras, UFLA, Brasil.
Vínculo institucional

1999 - 2003
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: estudante, Carga horária: 2

Atividades

10/2002 - 09/2003
Estágios , Departamento de Fitopatologia, .

Estágio realizado
ACOMPANHAMENTO DE EXPERIMENTO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EM CAFÉ, FERTIIRRIGADO POR GOTEJAMENTO, COM DIFERENTES LAMINAS E ADUBAÇÕES, E PRÁTICA DE LABORATÓRIO, IDENTIFICA'~AO DE DOENÇAS, PRODUÇÃO DE MEUIOS DE CULTURA, ISOLAMENTO DE FUNGOS PATOGÊNICOS..
03/2002 - 06/2002
Estágios , Departamento de Fitopatologia, .

Estágio realizado
ACOMPANHAMENTO DE PRÁTICAS DE LABORATÓRIO, IDENTIFICAÇÃO DE DOENÇAS, PRODUÇÃO DE MEIOS DE CULTURA, ISOLAMENTO DE FUNGOS PATOGÊNICOS.

USIFÉRTIL(Fazenda Agropecuária Grande Oeste), USIFÉRTIL, Brasil.
Vínculo institucional

1996 - 1996
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 40

Atividades

07/2008 - 08/2008
Estágios , FAZENDA AGOL, .

Estágio realizado
PRODUÇÃO DAS CULTURAS DA MELANCIA, MAMÃO E LIMÃO.
01/1996 - 02/1996
Estágios , FAZENDA AGOL, .

Estágio realizado
MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA E AGRICULTURA.

L.D.A. CONSULTORIA EDUCACIONAL, LDA, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: PROFESSOR, Carga horária: 20

Atividades

08/2015 - 08/2015
Ensino, ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO URBANO

CONSELHO MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE DE BARREIRAS, COMDEMA, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Membro do Conselho, Carga horária: 4
Outras informações
REPRESENTANTE DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA (UNIVERSIDADES E FACULDADES)

Vínculo institucional

2015 - 2017
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: MEMBRO DO CONSELHO, Carga horária: 4
Outras informações
REPRESENTANTE DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA (UNIVERSIDADES E FACULDADES)

Vínculo institucional

2015 - 2016
Vínculo: MEMBRO DA DIRETORIA, Enquadramento Funcional: VICE - PRESIDENTE, Carga horária: 4
Outras informações
Eleito pelo Conselho em eleição. Presidente: Nailton Souza Almeida, Secretário do Meio Ambiente - Gestão 2012 - 2016.

Atividades

09/2015 - Atual
Direção e administração, DIRETORIA, .

Cargo ou função
VICE - PRESIDENTE.
03/2015 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, REPRESENTANTE DA SOCIEDADE CIVIL ORGANIZADA, .

Cargo ou função
REPRESENTANTE DE UNIVERSIDADES E FACULDADES.


Linhas de pesquisa


1.
CONSERVAÇÃO PÓS-COLHEITA DE UVAS DE MESA (Vitis vinifera L.) ITÁLIA E BRASIL COMERCIALIZADAS IN NATURA EM BARREIRAS - BA
2.
Produção e Tecnologia Sustentavel no Bioma Cerrado
3.
AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO FITOSSANITÁRIO DA BANANICULTURA DOS PERÍMETROS IRRIGADOS DOS DISTRITOS DE BARREIRAS E RIACHÃO DAS NEVES, NO OESTE DA BAHIA
4.
Manejo integrado de doenças de plantas no cerrado baiano
5.
ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO DE UM SERINGAL NO CERRADO MINEIRO
6.
INFLUENCIA DA ADUBAÇÃO SILICATADA NAS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DE UM LATOSSOLO
7.
POTENCIAL DE SEQUESTRO DE CARBONO DE PROPRIEDADES DO CERRADO BAIANO
8.
ADSORÇÃO DE FÓSFORO SUBMETIDO A 3 CORRETIVOS DE PH EM 3 SOLOS DO CERRADO MINEIRO
9.
VARIAÇÃO DA MOS EM SISTEMAS DE PLANTIO DIRETO COM 5 E 1 ANOS DE IMPLANTAÇÃO COMPARADOS COM MATA NATIVA DO CERRADO MINEIRO


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Diagnóstico de Fitopatógenos de solos de Propriedades agrícolas no Cerrado Baiano
Descrição: Análise e identificação de fitopatógenos e potenciais Inimigos naturais microbiotas antagônicos dos solos de 2 propriedades do Extremo oeste do Cerrado Baiano, em Lavouras de Soja..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Integrante / GISELE ANGELICA SOUZA LOUSADA - Integrante / RICARDO ALVES REIS - Coordenador / DANILO CARDOSO RODRIGUES - Integrante.
2017 - 2017
IDENTIFICAÇÃO DE MICROORGANISMOS BENÉFICOS DE SOLO DE PROPRIEDADES DO CERRADO BAIANO
Descrição: Com a crescente demanda da produção industrial iniciada pela Inglaterra em meados do século XVIII a emissão de CO2, vem causando muito desequilíbrio entre a absorção e emissão CO2. A partir da invenção do locomóvel, movido à queima de lenha, iniciou-se o processo de degradação ambiental, que se intensificou posteriormente, com a utilização de combustíveis fósseis para movimentar trens, automóveis, aviões, etc. e gerar energia elétrica num processo crescente, chegando atualmente em um consumo excessivamente elevado, descarregando milhares de toneladas diariamente de CO² à atmosfera. Como consequência, teve-se o aumento da temperatura do ar, conhecido também como efeito estufa. Fenômeno este denominado de aquecimento global, que provoca mudanças climáticas, tais como distribuição irregular das chuvas, aumento ou diminuição das temperaturas da atmosfera, elevação do nível do mar, entre outros. É crescente a demanda mundial por alimentos, impondo compromissos aos países agrícolas de produzirem cada vez mais. E por vezes acusa-se a agricultura ser a principal contribuidora para o aquecimento global, o que demanda cada vez mais a busca por sistemas de cultivo que proporcionem a manutenção da microbiota benéfica do solo, que além de contribuir com a fixação de carbono no solo, podem ser alternativas de controle biológico de patógenos, a exemplo do sistema de plantio direto no cerrado. Dessa forma, o objetivo desse trabalho é verificar o potencial de microrganismos de controle biológico em solos com sistema de plantio direto, sistema de plantio convencional e de cerrado natural. Propõe-se assim, fazer um diagnóstico por meio da coleta de amostras de solos (0-10cm, 10-20cm) de solos de propriedades de 10 microrregiões do oeste da Bahia, de cultivo de grãos e fibras, com 3 sistemas de cultivo (CN ? Cerrado nativo sem cultivo; SPC ? Sistema de Plantio Convencional, e SPD ? Sistema de Plantio Direto). As propriedades a serem indicadas para a realização deste trabalho serão em regiões cuja amostragem seja representativa do oeste, para que os resultados possam ser tabulados em testes estatísticos, ou possibilite a criação de um modelo estatístico das diferentes fertilidades existentes. Fazendo-se as coletas no período de entre safra, com o uso de trado de cilindros indeformados, e dessa forma levantar as condições físicas dos solos nas profundidades estudadas, e posteriormente verificar qual a região apresenta maior variabilidade microbiana, e qual sistema é mais eficiente na manutenção dessa população. Os dados serão analisados em testes de médias, ao nível de 5% de erro, para verificar se há variabilidade entre os sistemas de cultivo..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Coordenador / DANIELA ROSSATO STEFANELO - Integrante / João Luis Coimbra - Integrante / FRANCISCO ASSIS DE OLIVEIRA - Integrante / IARA RODRIGUES GONÇALVES - Integrante / DANILO CARDOSO RODRIGUES - Integrante / Rafael Soares Batista - Integrante / DEUCYMARA BOMFIM ALVES - Integrante.
2016 - 2017
EFEITOS DE ISOLADOS DO FUNGO Isaria (Person) SOBRE O MOLEQUE DA BANANEIRA Cosmopolites sordidus (GERMAR) NO CULTIVO DA BANANA (MUSA SPP.).
Descrição: Visto que a cultura da banana é de importância significativa para a economia do país, seja em cultivo intensivo ou agricultura familiar, enfrentam problemas de baixo rendimento da fruta por aréa cultivada. Essa situação deve-se a problemas fitossanitários que acometem as lavouras, não permitindo que expressem seu potencial de produção. Das pragas que atacam essa fruta, destaca-se a broca da bananeira que, Segundo Barbosa (2009), em algumas regiões, essa redução de produtividade pode chegar a 80%. O controle químico é a principal forma de se controlar essa praga, fazendo uso de inseticidas sistêmicos que demandam cuidados especiais durante a aplicação que, segundo Lara et al. (2000), o princípio ativo desses produtos pode trazer problemas de resíduo, por se deslocar até os frutos, uma vez que esses químicos são comercializados na sua maioria ?in natura?. Na tentativa de redução desses resíduos vem sendo realizados estudos com entomopatógenos capazes de provocar doença e consequente morte de insetos-pragas. Dentre os fungos entomopatogênicos, tem-se o fungo Beauveria bassiana que apresenta alta eficiência no controle biológico do C. sordidus (ALMEIDA et. al, 2009; BATISTA et. al, 2010; COSTA et. al, 2010; MOURA et. al, 2015). Porém, com o passar do tempo, há a possibilidade de que a praga adquira resistência quanto ao fungo B. bassiana. Diante dessa situação, é necessário estudos que avaliem outros possíveis fungos entomopatogénicos que também apresentem eficiência no controle da broca da bananeira. Dos fungos entomopatogêncios, destaca-se o fungo Isaria spp. que apresentaram bons resultados em controle biológico de insetos (POTRICH et. al, 2011; LOPES et. al, 2011)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Coordenador / Rafael Soares Batista - Integrante.Financiador(es): PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UNEB - Bolsa.
2016 - 2017
ISOLADOS ACTINOMICETOS DO CERRADO BAIANO COMO CONTROLE BIOLÓGICO DO NEMATÓIDE RADOPHOLUS SIMILIS DA BANANICULTURA.
Descrição: O setor de fruticultura está entre os principais geradores de renda, emprego e de desenvolvimento rural do agronegócio nacional. A atividade frutícola possui elevado efeito multiplicador de renda e, portanto, com força suficiente para dinamizar economias locais estagnadas e com poucas alternativas de desenvolvimento (BUAINAIN; BATALHA, 2007). A fruticultura participa diretamente na economia do País através do valor das exportações e mercado interno, e pode-se salientar ainda a importância no caráter econômico-social, uma vez que está presente em todos os estados brasileiros. O estudo dos inimigos naturais presentes na rizosfera da planta está ganhando um espaço cada vez maior, por estudar os inimigos naturais dos fitopatógenos, os quais também estão presentes na rizosfera da planta. Os actinomicetos são microrganismos com potencial para o controle de fitonematóides, por produzirem metabolitos secundários com grande poder antibacteriano, antifúngico e nematicida (SPADARI et al., 2010) e predominam em solos pobres em nutrientes e altamente intemperizados como os solos do cerrado (PEREIRA, 1995) e também em solos ácidos ou alcalinizados (COELHO; DROZDOWICZ, 1978)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Coordenador / IARA RODRIGUES GONÇALVES - Integrante.Financiador(es): PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UNEB - Bolsa.
2016 - 2017
USO DO CONTROLE BIOLÓGICO DE FITOPATÓGENOS DA BANANICULTURA IRRIGADA NO OESTE BAIANO.
Descrição: A fruticultura participa diretamente na economia do País através do valor das exportações e mercado interno, e pode-se salientar ainda a importância no caráter econômico-social, uma vez que está presente em todos os estados brasileiros. O setor de fruticultura está entre os principais geradores de renda, emprego e de desenvolvimento rural do agronegócio nacional. A atividade frutícola possui elevado efeito multiplicador de renda e, portanto, com força suficiente para dinamizar economias locais estagnadas e com poucas alternativas de desenvolvimento (BUAINAIN; BATALHA, 2007). O estudo dos inimigos naturais presentes na rizosfera da planta está ganhando um espaço cada vez maior, por estudar os inimigos naturais dos fitopatógenos, os quais também estão presentes na rizosfera da planta. Os actinomicetos são microrganismos com potencial para o controle de fitonematóides, por produzirem metabolitos secundários com grande poder antibacteriano, antifúngico e nematicida (SPADARI et al., 2010) e predominam em solos pobres em nutrientes e altamente intemperizados como os solos do cerrado (PEREIRA, 1995) e também em solos ácidos ou alcalinizados (COELHO e DROZDOWICZ, 1978). Segundo Almeida et al. (2009), fungos entomopatogênicos são patógenos muito usados no controle de insetos, uma vez que podem atacar um grande número destes em quase todos os estágios de desenvolvimento. Dessa forma, o uso de fungos entomopatogênicos podem afetar as gerações seguintes, a outros agentes biológicos e químicos (ALVES, 1998)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Coordenador / IARA RODRIGUES GONÇALVES - Integrante / Rafael Soares Batista - Integrante.
2016 - 2017
ATRIBUTOS FÍSICOS, MATÉRIA ORGÂNICA E CARBONO ORGÂNICO TOTAL DE DOIS CLONES DE SERINGUEIRA (Hevea brasiliensis) NO CERRADO
Descrição: A crescente demanda mundial por alimentos impulsiona cada vez mais a utilização dos recursos naturais, que por vezes caso não tenha um manejo adequado causa grandes impactos ambientais. Com isso, busca de um manejo sustentável se faz necessária, tais como, por exemplo: o uso da agricultura de precisão, o sistema de plantio direto, a Integração Lavoura Pecuária, uso de combustíveis alternativos, e uso de compostos naturais, dentre outras. Os solos do bioma Cerrado por serem muito pobres em fertilidade, atrelado ao fato de estarem localizados nos trópicos, necessitam cada vez mais de acréscimos de matéria orgânica ´para melhoria da sua estrutura e manutenção dos nutrientes e umidade. Dessa maneira, uma das alternativas para isso é o uso do sistema do plantio direto. Diante disso, o objetivo desse trabalho é avaliar as variações nos atributos físicos em duas áreas sob sistemas de plantio direto com tempos de implantação distintos. Propõe-se assim, fazer um diagnóstico por meio da coleta de amostras de solos (0-5cm, 5-10cm, 10-20cm, e 20-40cm de profundidade) em 2 áreas de produção agrícola sob o sistema de plantio Direto em 2 tempos de implantação, T1- com 4 anos de implantação, e T2 com 16 anos de implantação, ambos localizados na área experimental do Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM), campus Uberaba ? MG. O Delineamento experimental será de Delineamento Inteiramente Casualizados (DIC), com 4 repetições por tratamento, e 4 amostras de cada repetição. Serão realizadas coletas de amostras indeformadas com o uso do Trado de amostras indeformadas de UHLAND para as determinações físicas dos solos nas profundidades estipuladas, e pá reta para amostras deformadas para determinações de análise químicas, se propõe realizar o teste de resistência à penetração com o uso de penetrômetro e a velocidade de infiltração de água no solos com o uso de anéis. Os dados serão analisados em testes multivariados, e análise do desvio padrão..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Integrante / Beno Wendling - Integrante / José Luis Rodrigues Torres - Coordenador / José Carlos Mazetto Junior - Integrante / Maria Luisa Maes - Integrante.
2016 - 2017
VARIAÇÃO DA MOS EM SISTEMA DE PLANTIO DIRETO IMPLANTADO COM 5 E 16 ANOS COMPARADO COM ÁREA DE MATA NATIVA DO CERRADO MINEIRO
Descrição: A crescente demanda mundial por alimentos impulsiona cada vez mais a utilização dos recursos naturais, que por vezes caso não tenha um manejo adequado causa grandes impactos ambientais. Com isso, busca de um manejo sustentável se faz necessária, tais como, por exemplo: o uso da agricultura de precisão, o sistema de plantio direto, a Integração Lavoura Pecuária, uso de combustíveis alternativos, e uso de compostos naturais, dentre outras. Os solos do bioma Cerrado por serem muito pobres em fertilidade, atrelado ao fato de estarem localizados nos trópicos, necessitam cada vez mais de acréscimos de matéria orgânica ´para melhoria da sua estrutura e manutenção dos nutrientes e umidade. Dessa maneira, uma das alternativas para isso é o uso do sistema do plantio direto. Diante disso, o objetivo desse trabalho é avaliar as variações de Matéria Orgânica do Solo (MOS) em duas áreas sob sistemas de plantio direto com tempos de implantação distintos, e Cerrado Nativo. Propõe-se assim, fazer um diagnóstico por meio da coleta de amostras de solos (0-5cm, 5-10cm, 10-20cm, e 20-40cm de profundidade) em 2 áreas de produção agrícola sob o sistema de plantio Direto em 2 tempos de implantação, SPD5- com 5 anos de implantação, e SPD16 com 16 anos de implantação, e CN de Cerrado Nativo ambos localizados na área experimental do Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM), campus Uberaba ? MG. O Delineamento experimental será de Delineamento Inteiramente Casualizados (DIC), com 4 repetições por tratamento, e 4 amostras de cada repetição. Serão realizadas coletas de amostras deformadas com o uso de pá reta para amostras deformadas para determinações de análise químicas, se propõe realizar o teste de resistência à penetração com o uso de penetrômetro e a velocidade de infiltração de água no solos com o uso de anéis. Os dados serão analisados em testes multivariados, e análise do desvio padrão..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Integrante / Beno Wendling - Integrante / Douglas da Silva Santos - Integrante / Gabriella Roquetti Guimarães - Integrante / Vanessa Sofia de Oliveira - Integrante / José Luis Rodrigues Torres - Coordenador / José Carlos Mazetto Junior - Integrante / Maria Luisa Maes - Integrante.
2016 - 2016
ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO DE UM SERINGAL NO CERRADO MINEIRO
Descrição: A seringueira, árvore que produz a borracha natural, pertence ao gênero Hevea e a família das Euforbiáceas, originária da região Amazônica pode ser encontrada naturalmente nos estados do Acre, Amazonas, Rondônia, Pará e em áreas vizinhas do Brasil, no Perú e na Bolívia. Dentre 11 espécies existentes, destaca-se a Hevea brasiliensis, devido a grande capacidade produtiva e variabilidade genética, chegando a atingir 30 metros de altura, com diâmetro de tronco entre 0,30 e 0,60 m (LORENZI, 1998). São espécies lenhosas e de hábito decíduo, com sistema radicular pivotante e caule ereto, com produção de sementes iniciando aos 4 anos, e a produção de látex aos 7 anos, podendo chegar até os 30-35 anos (PEREIRA; PEREIRA, 2001). Também pode ser uma opção para florestamento de áreas desmatadas ou degradadas, uma vez que se destaca por apresentar elevado ganho ambiental, pois armazena significativas quantias de carbono na biomassa, no solo e na borracha, que é o seu produto final. O trabalho foi realizado em num Latossolo Vermelho Distrófico de textura média, no município de Uberaba-MG, localizado entre as coordenadas 19º39?19?S e 47º57?27??W, a cerca de 795 m de altitude. O Seringal contém aproximadamente 600 plantas, que foram plantadas no mês de janeiro de 1986, desde então vem sendo feitas roçadas nas entrelinhas, algumas vezes aplicou-se água residual de suinocultura (ARS) em toda a área, contudo nunca foi feito a sangria destas plantas. A precipitação média anual é de 1.600 mm; a temperatura média anual é de 22,6ºC e a umidade relativa do ar média são de 68%. O clima é classificado como Aw, tropical quente, segundo Köppen, apresentando inverno frio e seco. No presente estudo buscou-se avaliar os atributos físicos do solo sob cultivo de dois clones de seringueira sob diferentes formas de plantio após 30 anos de implantação..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Integrante / José Luis Rodrigues Torres - Coordenador / José Carlos Mazetto Junior - Integrante / Thiago Nunes Landim - Integrante / Maria Luiza Maes - Integrante / David Nataren Perdomo - Integrante / Leandro Resende Moreira - Integrante.
2016 - 2016
INFLUENCIA DE ADUBAÇÃO SILICATADA NAS CARACTERÍSTICAS FÍSICAS DE UM LATOSSOLO
Descrição: A grande maioria das áreas brasileiras onde se pratica a agricultura tem como característica principal a predominância de solos com elevada acidez. Esse fato também é observado em solos com cultivo de cana de açúcar no bioma Cerrado. Essa acidez pode ser corrigida por meio da calagem, que promoverá a neutralização do Al tóxico na camada arada e estimulando maior desenvolvimento do sistema radicular, fator de suma importância no manejo da estrutura do solo. Além de se corrigir o pH do solo, a calagem fornece cálcio e magnésio, contribuindo positivamente ao crescimento radicular das culturas. Uma das alternativas que vem sendo utilizada para essa finalidade tem sido o aproveitamento de escórias de siderúrgicas, tais como o Silicato de Cálcio (CaSiO3), e Silicato de magnésio (MgSiO3). Pois além de atuar como corretivo do solo assim como o calcário, também é fonte de macro e micronutrientes, e silício (Si), elemento considerado benéfico para plantas acumuladoras deste nutriente como é o caso das gramíneas tropicais. Os silicatos são a principal fonte de silício para agricultura. Os silicatos possuem efeito corretivo. Com a sua aplicação no solo, o pH aumenta, os teores de Al+3 diminuem, a Saturação por Bases aumenta e a Saturação por Al diminui. Diante disso, este projeto objetiva verificar o comportamento físico e químico de um Latossolo, originalmente coberto pela vegetação de cerrado, e hoje sob cultivo da cana de açúcar, com aplicação de diferentes tipos de corretivos de solo , comparativamente a área coberta pela vegetação natural. A pesquisa será conduzida em área representativa do agronegócio nacional, em área comercial de cana-de-açúcar (Saccharum spp.), variedade RDB86-7515, na fazenda Santa Fé do Cedro, localizada no município de Uberaba-MG, fornecedora de cana-de-açúcar à Usina Vale do Tijuco, unidade vinculada ao Grupo Companhia Mineira de Açúcar e Álcool (CMAA). Para a realização da pesquisa definir-se-á os pontos de coleta das amostras de solo. Em cada uma das áreas serão coletadas amostras indeformadas e deformadas das camadas de 0-30cm, com quatro repetições, para realização das análises dos atributos físicos e químicos do solo. Com isso, serão produzidas informações que podem ser utilizadas para orientação e recomendação no uso de silicatos, principalmente relacionados ao efeito de flocução das argilas e sua influencia sobre a erodibilidade do solo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Integrante / Elias Nascentes Borges - Coordenador / Beno Wendling - Integrante / Gaspar Henrique Korndörfer - Integrante / Douglas da Silva Santos - Integrante / Lucas Perassoli Menegazzo - Integrante / Slloane do Valle Nogueira Fernandes Brasil - Integrante / Gustavo Alves Santos - Integrante / Gabriella Roquetti Guimarães Aloise - Integrante / Vanessa Sofia de Oliveira - Integrante.
2016 - Atual
QUALIDADE DA MATÉRIA ORGANICA DOS SOLOS DE PROPRIEDADES DO CERRADO BAIANO
Descrição: A crescente demanda da produção industrial pela Inglaterra em meados do século XVIII desequilibrou o ambiente com constantes emissões de dióxido de carbono (CO2). Atualmente, o consumo de combustíveis fósseis vem descarregando milhares de toneladas diariamente de CO2 à atmosfera, causando o efeito estufa. A demanda mundial por alimentos delega aos países agrícolas de produzirem cada vez mais, e por vezes acusa-se a agricultura ser a principal contribuidora para o aquecimento global. Com isso, tem se buscado manejo cada vez mais sustentável para diminuir esses impactos, tais como agricultura de precisão, plantio direto, Integração Lavoura Pecuária, dentre outras. O Oeste da Bahia dispõe de 1,9 milhão de hectares de produção agrícola de grãos e fibras, e possui ainda o dobro dessa área com potencial agrícola em áreas de cerrado nativo. Diante disso, o objetivo desse trabalho é verificar a diferença na fixação de carbono na Matéria Orgânica do Solo (MOS) de Cerrado Nativo em comparação com áreas de cultivo. Propõe-se assim, fazer um diagnóstico por meio da coleta de amostras de solos (0-10cm, 10-20cm de profundidade) em 10 propriedades de 10 microrregiões do oeste da Bahia, que realizem cultivo em 2 sistemas de cultivo (SPC ? Sistema de Plantio Convencional, e SPD ? Sistema de Plantio Direto), e de áreas de reserva (CN - Cerrado Nativo). As propriedades a serem indicadas para a realização deste trabalho serão em regiões cuja amostragem seja representativa das microrregiões produtivas do oeste baiano. Coletar-se-á as amostras no período de entre safra, com o uso de trado de cilindros indeformados, para se realizar as determinações físicas dos solos nas profundidades estipuladas, e pá reta para amostras deformadas para determinações de análise químicas, determinando o Carbono Orgânico Total (COT), para verificar qual a região e qual sistema apresenta maior incremento no estoque de carbono ficado na MOS. Os dados serão analisados em testes multivariados, e análise do desvio padrão..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Integrante / Beno Wendling - Coordenador / Vanessa Sofia de Oliveira - Integrante / Gustavo Costa da Silva - Integrante.
2015 - 2016
Delimitação de Faixas de Segurança Específicas para Aplicação de Defensivos Agrícolas na Zona de Amortecimento da Estação Ecológica Serra Geral do Tocantins e Estudo da Presença de Defensivos na Área da UC
Descrição: A necessidade do desenvolvimento sustentável perpassa dia a dia na mente das pessoas, de maneira que as tomadas de decisões técnicas cada vez mais se balizam na dualidade entre Sociedade e Natureza, buscando formas para os meios de produção econômicos e para a conservação do meio ambiente. Daí surgem conflitos de interesses, os quais carecem de estudos científicos que produzam dados imparciais, e que contribuam para as tomadas de decisões. Deve-se utilizar dos meios acadêmicos, com a realização de pesquisa ação de âmbito local, caracterizando as relações mútuas para a busca do desenvolvimento sustentável. O Oeste da Bahia é reconhecido como uma área de fronteira agrícola consolidada, tendo destaque no cenário nacional na produção e exportação de commodities agrícolas. O agronegócio de fato tem a sua parcela de contribuição para o desenvolvimento regional, com destaque para a geração de empregos e renda em toda cadeia produtiva deste setor e em outros setores econômicos. Entende-se que há impactos negativos causados por uma exploração do ambiente natural, mas sabe-se que há legislação que trata deste assunto. Questões que a legislação permite interpretação subjetiva, como no caso das delimitações das Zonas de Amortecimento (ZA) no entorno de Unidades de Conservação, carece de pesquisas científicas, as quais fornecerão dados mensuráveis para a delimitação objetiva da ZA. A área de pesquisa está localizada no estremo leste do estado de Tocantins, na divisa com o estado da Bahia, de maneira que a área da Estação Ecológica da Serra Geral do Tocantins e sua respectiva ZA, estão inclusas nestes dois Estados (Fig. 1). Os trabalhos serão realizados na Zona de Amortecimento de faixa de 1K, no seu entorno e dentro da Unidade de Conservação. Neste local o clima é sazonal com duas estações bem definidas, sendo uma úmida e quente e outra seca e com temperaturas um pouco mais amenas. A litologia é composta basicamente por rochas sedimentares de idade paleozoica e mesozoica, que fazem parte da Bacia Sedimentar do São Francisco e da Bacia Sedimentar do Parnaíba. A faixa Rio Preto correspondente ao evento orogenético brasiliano é evidente na região, porém sem afloramentos expressivos. Os solos são predominantemente autóctones, classificados como Latossolos ou Neossolos Quartzarênicos, que se formam em regiões de relevo plano, com escarpas de transição entre as Chapadas e os Planaltos em Patamares..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Integrante / RICARDO ALVES REIS - Coordenador / DANILO CARDOSO RODRIGUES - Integrante.
2015 - 2015
LEVANTAMENTO DE FERTILIDADE DE SOLOS EM PROPRIEDADES DO OESTE DA BAHIA SOB DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO DE GRÃOS E FIBRAS, SAFRA 2014/15.
Descrição: A agricultura de modo geral sempre teve seu inicio, com a abertura de áreas de vegetação nativa para plantio, em busca de crescimento e expansão ocupando grandes áreas pelo Brasil, colocando o país como destaque mundial na produção de commodities. Assim como em varias regiões do país, o oeste da Bahia continua em pleno crescimento, buscando sempre as melhores maneiras de produzir mais e melhor, nunca deixando de lado a preocupação com o meio ambiente. A agricultura moderna, tem se especializado cada vez mais para atingir grandes produtividades levando em conta a sustentabilidade da atividade agrícola. Um dos pontos importantes a se levar em questão é a constate necessidade de correção dos solos utilizados para a agricultura, uma vez que as cultivares utilizadas, são cada vez mais exigentes em nutrientes para as produções requeridas. Em função disso deve-se verificar como estão os balanços nutricionais dos solos por meio de análises químicas e contrapor com as extrações a qual são submetidas pelas culturas utilizadas. A região oeste da Bahia é polarizada pelas cidades: Barreiras e Luís Eduardo Magalhães, onde funcionam plenamente uma universidade federal, um instituto federal, uma universidade estadual e quatro universidades particulares, ofertando um excelente ambiente de estudos e pesquisas aplicadas. Pretende-se com esse trabalho, por meio de uma equipe de professores e estudantes das áreas afins com o objetivo de integração do ensino e pesquisa com o desenvolvimento do agronegócio. Novas tecnologias têm sido desenvolvidas pelas instituições pesquisadoras e transferidas ao campo com muito êxito nos permitindo crescentes produtividades em diversas culturas na região. A região oeste da Bahia vem destacando-se por adotar as mais avançadas tecnologias disponíveis, dentre elas destacamos: a rotação de culturas, plantio direto e integração lavoura pecuária, Manejo integrado de pragas, e o Manejo eficiente da irrigação. As propriedades a serem indicadas para a realização deste trabalho serão em regiões cuja amostragem seja representativa do oeste, para que os resultados possam ser validados pelas instituições públicas e privadas, bem como pelas instituições de ensino e pesquisa..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Coordenador / FRANCISCO ASSIS DE OLIVEIRA - Integrante / Daniel Batista Gomes - Integrante / Gerdilson Santos Barreto Júnior - Integrante / Teófilo Lenon Silva de Jesus - Integrante / LUCIANO TORRES QUADROS - Integrante / DANILO CARDOSO RODRIGUES - Integrante.Financiador(es): Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras - Bolsa.
2014 - 2015
LEVANTAMENTO DE FERTILIDADE DE SOLOS EM PROPRIEDADES DO OESTE DA BAHIA SOB DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO DE GRÃOS E FIBRAS, SAFRA 2014/15.
Descrição: A agricultura de modo geral sempre teve seu inicio, com a abertura de áreas de vegetação nativa para plantio, em busca de crescimento e expansão ocupando grandes áreas pelo Brasil, colocando o país como destaque mundial na produção de commodities. Assim como em varias regiões do país, o oeste da Bahia continua em pleno crescimento, buscando sempre as melhores maneiras de produzir mais e melhor, nunca deixando de lado a preocupação com o meio ambiente. A agricultura moderna, tem se especializado cada vez mais para atingir grandes produtividades levando em conta a sustentabilidade da atividade agrícola. Um dos pontos importantes a se levar em questão é a constate necessidade de correção dos solos utilizados para a agricultura, uma vez que as cultivares utilizadas, são cada vez mais exigentes em nutrientes para as produções requeridas. Em função disso deve-se verificar como estão os balanços nutricionais dos solos por meio de análises químicas e contrapor com as extrações a qual são submetidas pelas culturas utilizadas. A região oeste da Bahia é polarizada pelas cidades: Barreiras e Luís Eduardo Magalhães, onde funcionam plenamente uma universidade federal, um instituto federal, uma universidade estadual e quatro universidades particulares, ofertando um excelente ambiente de estudos e pesquisas aplicadas. Pretende-se com esse trabalho, por meio de uma equipe de professores e estudantes das áreas afins com o objetivo de integração do ensino e pesquisa com o desenvolvimento do agronegócio. Novas tecnologias têm sido desenvolvidas pelas instituições pesquisadoras e transferidas ao campo com muito êxito nos permitindo crescentes produtividades em diversas culturas na região. A região oeste da Bahia vem destacando-se por adotar as mais avançadas tecnologias disponíveis, dentre elas destacamos: a rotação de culturas, plantio direto e integração lavoura pecuária, Manejo integrado de pragas, e o Manejo eficiente da irrigação. As propriedades a serem indicadas para a realização deste trabalho serão em regiões cuja amostragem seja representativa do oeste, para que os resultados possam ser validados pelas instituições públicas e privadas, bem como pelas instituições de ensino e pesquisa..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Coordenador / FRANCISCO ASSIS DE OLIVEIRA - Integrante / Daniel Batista Gomes - Integrante / Gerdilson Santos Barreto Júnior - Integrante / Teófilo Lenon Silva de Jesus - Integrante / LUCIANO TORRES QUADROS - Integrante / PABLYNE SOARES DA SILVA - Integrante.Financiador(es): Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras - Bolsa.
2014 - 2015
AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO FITOSSANITÁRIO DA BANANICULTURA DOS PERÍMETROS IRRIGADOS DOS DISTRITOS DE BARREIRAS E RIACHÃO DAS NEVES, NO OESTE DA BAHIA
Descrição: A banana é uma das frutas mais consumidas mundialmente, e é uma das culturas principais dos países tropicais. Atualmente o Brasil se destaca como 5º maior produtor, produzindo cerca de quase 7 milhões de toneladas, e 2º lugar em área produtiva (FAO, 2014). É considerada como fonte alimentar de elevada importância, fornecendo açucares, proteínas, carboidratos e vitaminas. A Bahia se destaca como 2º maior produtor nacional, com uma produção de 1,08 milhões de toneladas, em uma área de cerca de 72 mil hectares (IBGE, 2012). Dentre os municípios baianos produtores, Barreiras, São Desidério e Riachão das Neves situados no Oeste Baiano, destacam-se como grandes polos produtivos da cultura. Muitos destes polos produtivos são fomentados por implantação de projetos de irrigação e de aproveitamento dos recursos hídricos pela Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba que vem promovendo o retorno econômico e os benefícios sociais. Com a disponibilidade de terras e de recursos hídricos e climáticos favoráveis à produção da banana, e ainda à experiência de produção frutícola adquirida no Vale do São Francisco, favorecem um padrão de qualidade das frutas (CODEVASF, 2008). Apesar da grande área produzida na região, atualmente não existe uma expressão de todo o potencial para a cultura, apresentando média na produtividade menor que quinze toneladas por hectare ao ano. Isso acontece devido à interferência dos fatores abióticos e principalmente bióticos que prejudicam o desenvolvimento da cultura, o que se reflete na produção, uma vez que a região produz variedades altamente susceptíveis a pragas e doenças da cultura. Dessa forma, torna-se necessário mais estudos sobre avaliação da ocorrência e o monitoramento fitossanitário na região produtiva de banana irrigada no oeste baiano..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Coordenador / DANIELA ROSSATO STEFANELO - Integrante / JOANA MARTA CAMARA DE JESUS - Integrante / IARA RODRIGUES GONÇALVES - Integrante.
2014 - 2015
MONITORAMENTO FITOSSANITÁRIO DAS PROPRIEDADES RURAIS COM PLANTIO ANTECIPADO DE SOJA IRRIGADA NO OESTE DA BAHIA
Descrição: A soja [Glycine max (L) Merrill] é produzida há mais de cinco mil anos pelo homem, sendo uma cultura de grande importância no agronegócio brasileiro. Atualmente, a agricultura é responsável por 24% do PIB brasileiro, tendo a sojicultura como principal atividade nesse setor. Essa cultura é cultivada em 49% da área de grãos do Brasil, o que faz o país ser o segundo mais produtor de soja do mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Na ultima safra, 2013/2014, cultivou-se cerca de 30,1 milhões de hectares de soja no país, o que rendeu uma produtividade de 87,8 milhões de toneladas de grãos nesse período, números esses que devem aumentar para a próxima safra 2014/15. A Região Oeste da Bahia tem o cultivo desse grão, como sua principal atividade no agronegócio local, ocupando 58,8% de toda a área agrícola da região, cerca de 1,3 milhão de hectares em regime de sequeiro, e aproximadamente 30 mil hectares em cultivo irrigado. Mesmo com grandes áreas dedicadas a sua produção, e o aumento da produtividade a cada safra, a soja apresenta suas fragilidades em relação a pragas, doenças e deficiência nutricional. A principal doença da soja é a ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi Sydow & Sydow), causada por fungo. As lesões podem aparecer em qualquer estádio de desenvolvimento da planta, formando pequenas pústulas, lesões que também são chamadas de urédias, que quando evoluídas, liberam esporos que se acumulam ao redor dos poros, conferindo cor castanha clara e escura nas partes afetadas das folhas doentes. Causando desfolha prematura, prejudicando na produção. O controle dessa doença é feito por produtos químicos, porém o fungo vem adquirindo resistência aos produtos do mercado, o que vem dificultando seu controle. Uma maneira de controlar e diminuir a incidência da doença nas lavouras é fazer o plantio da cultura em época com baixa incidência do fungo, adotar variedades mais precoces e fazer monitoramento nas lavouras. Em relação às pragas que mais acometem a cultura da soja, temos as lagartas em geral, sendo a principal lagarta que vem trazendo prejuízos a cultura nesses últimos anos a Helicoverpa sp. Os danos causados são os mesmos, desfolha dos pés de soja. Porém cada uma tem sua particularidade de reprodução, época de maior incidência e grau de destruição. A Helicoverpa armigera apareceu no cenário agrícola brasileiro na safra 2012/2013, deixando um prejuízo de 2 bilhões de reais só na região Oeste da Bahia. Seu poder de destruição se dá por a lagarta se alimentar de várias partes da planta, embora prefira a parte de frutificação e se alimenta mais rapidamente do que outras lagartas, o que causa maiores danos nas lavouras. A região Oeste da Bahia decretou estado de emergência fitossanitária, para que produtos ainda não autorizados no Brasil possam ser importados na tentativa de combater essa nova lagarta controle biológico tem sido uma alternativa natural de combater a Helicoverpa nas mais diferentes culturas que ela ataca, mas como se sabe, esse é um meio mais lento e demorado no controle de pragas. Usando desses meios de controle químico e biológico e unindo com um bom manejo integrado de pragas (MIP), pode-se controlar e diminuir os danos causados pelas lagartas que causam tantos danos para as plantas e prejuízos financeiros para os produtores..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (12) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Coordenador / Genildo Ribeiro dos Santos - Integrante / DANIELA ROSSATO STEFANELO - Integrante / MARCO ANTONIO TAMAI - Integrante / GISELE ANGELICA SOUZA LOUSADA - Integrante.
2014 - 2015
DIAGNÓSTICO DO POTENCIAL DE SEQUESTRO DE CARBONO DE PROPRIEDADES DO OESTE DA BAHIA EM DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO DE GRÃOS E FIBRAS, SAFRA 2014/15.
Descrição: O Planeta Terra esteve em equilíbrio entre a absorção de CO2 e respectiva emissão, até antes da revolução industrial iniciada pela Inglaterra no início do século XVIII. A partir da invenção do locomóvel, movido à queima de lenha, iniciou-se o processo predatório ambiental. Depois veio os combustíveis fósseis para movimentar trens, automóveis, aviões, etc. e gerar energia elétrica num processo crescente, chegando atualmente em um consumo excessivamente elevado, descarregando muitas milhares de toneladas diariamente de CO² à atmosfera. O Excessivo aumento das emissões de gases, principalmente o CO², devido às atividades humanas que se utilizam dos recursos naturais trouxe como consequência maior interação com a radiação infravermelha refletida pela terra e como resultado o aumento da temperatura do ar. Fenômeno este denominado de aquecimento global, que provoca mudanças climáticas, tais como distribuição irregular das chuvas, aumento ou diminuição das temperaturas da atmosfera, elevação do nível do mar, entre outros. As crescentes demandas por alimentos, nos impõem compromissos de produzirmos cada vez mais sob pena de impormos ao Brasil e a todos os povos grandes sacrifícios na procura por alimentos, em uma escalada crescente, considerando que a população mundial continua em pleno aumento. Equivocadamente, essa mesma população que nos impõe o compromisso de ofertar mais alimentos, nos acusa de estarmos contribuindo para o aquecimento global. Pretendemos demonstrar, com esse trabalho que há um grande equívoco quanto a isso, uma vez que ao praticarmos agricultura, principalmente as anuais, estamos fazendo um trabalho altamente favorável à diminuição de CO² na atmosfera. A agricultura de modo geral sempre teve seu inicio, com a abertura de áreas de vegetação nativa para plantio, em busca de crescimento e expansão ocupando grandes áreas pelo Brasil, colocando o país como destaque mundial na produção de commodities. Assim como em varias regiões do país, o oeste da Bahia continua em pleno crescimento, buscando sempre as melhores maneiras de produzir mais e melhor, nunca deixando de lado a preocupação com o meio ambiente. A agricultura moderna, tem se especializado cada vez mais para atingir grandes produtividades levando em conta a sustentabilidade da atividade agrícola..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (0) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Integrante / Joaquim Pedro Soares Neto - Integrante / FRANCISCO ASSIS DE OLIVEIRA - Integrante / JOSE CISINO LOPES - Integrante / ENOC LIMA DO REGO - Integrante / RICARDO ALVES REIS - Integrante / Ernani Edvino Sabai - Coordenador / Daniel Batista Gomes - Integrante / Gerdilson Santos Barreto Júnior - Integrante / Teófilo Lenon Silva de Jesus - Integrante / Leandro da Cruz da Guarda - Integrante / LUCIANO TORRES QUADROS - Integrante / PABLYNE SOARES DA SILVA - Integrante.
2013 - Atual
Potencialidades do Cajuí (Anacardium sp.) no Oeste Baiano
Descrição: O cajuí, ou também conhecido como cajuzinho do cerrado, é um nome popular, abrangente, atribuído a pelo menos 6 espécies do gênero Anacardium. spp. encontradas predominantemente na região Nordeste do Brasil, e que produzem pseudofrutos bem menores do que o caju comercial (Anacardium occidentale). O cajuí é pouco conhecido e consumido no Brasil, embora seja muito apreciado pela população regional e apresentar características potenciais para exploração. Estudos recentes têm demonstrado o seu potencial para consumo in natura, processamento, como planta medicinal e na fabricação de extratos com características inseticidas. Devido a estes aspectos o projeto foi criado para contribuir com estes estudos, buscando conhecer ainda mais esta planta tão comum no cerrado da nossa região. Para isto, o projeto conta com a participação de 10 professores e 10 alunos, distribuídos entre 10 diferentes linhas de pesquisas que tem como objetivos: I) identificar e caracterizar as espécies de cajuí presentes em Barreiras, II) fazer um levantamento do conhecimento popular sobre as utilizações do cajuí na nossa região, III) desenvolver produtos derivados do cajuí, IV) identificar insetos e fitopatógenos que atacam e causam danos nestas plantas, V) determinar métodos eficazes de propagação do gênero Anacardium, VI) estudar o potencial desta planta para fins medicinais e para produção de extratos para controle biológico e VII) determinar métodos eficazes na conservação pós-colheita dos pseudofrutos e frutos. O projeto encontra-se em andamento desde outubro de 2013 e terá continuidade durante todo o ano de 2014..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (7) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (4) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Integrante / DIEGO CABRAL BARREIROS - Integrante / DANIELA ROSSATO STEFANELO - Integrante / JULIANE KARSTEN - Coordenador / FRANCISCO RÉGIS LIBERATO PINTO - Integrante / FRANCISCO ASSIS DE OLIVEIRA - Integrante.
2011 - 2012
CONSERVAÇÃO PÓS-COLHEITA DE UVAS DE MESA (Vitis vinifera L.) 'ITÁLIA E BRASIL' COMERCIALIZADAS In natura EM BARREIRAS BAHIA
Descrição: ANÁLISE DE CARACTERÍSTICAS ORGANOLÉPTICAS E PERÍODO DE PRATELEIRA DE UVAS DE MESA, DE MODO A DEFINIR O PONTO DE EQUILÍBRIO..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Coordenador / ENIO DA CUNHA DIAS MAGALHÃES - Integrante.
2008 - 2009
Avaliação do controle e a incidência da fusariose (Fusarium solani), com a aplicação de isolados de fungos antagonistas (Trichoderma spp.) em diferentes estádios na cultura da soja [Glycines max (L.) Merrill].
Descrição: A cultura da soja [Glycine max (L.) Merrill] é considerada a oleaginosa mais cultivada, e ainda a mais importante fonte de proteína e óleo vegetal no mundo, em função da qualidade e baixo custo de produção (REUNIÃO DA PESQUISA DE SOJA DA REGIÃO SUL, 2006). A produção mundial dessa cultura chegou a 221 milhões de toneladas na safra de 2006/2007, e ainda, dentre os grãos colhidos no Brasil, mantém o País em segundo lugar no ranking mundial de produção de soja, ficando atrás apenas dos Estados Unidos, e em primeiro lugar na pauta mundial de exportações. Na última safra, a produção brasileira chegou a 58,5 milhões de toneladas do grão em uma área de 20,6 milhões de hectares (CONAB, 2007). Na safra 2006/07, o Mato Grosso manteve-se como o maior produtor nacional, com 5,124 milhões de hectares plantados e colheita de 15,369 milhões de toneladas com rendimento de 2.997 kg.ha-1, Paraná (11,9 milhões/t), Rio Grande do Sul (9,9 milhões/t), Goiás (6,3 milhões/t) e Mato Grosso do Sul (4,9 milhões/t) são os outros estados que obtiveram maior produção. No estado da Bahia, a área plantada esta em torno de 910 mil hectares e a produção no estado já supera a 2.297 mil toneladas, com produtividade media de 2.700 kg.ha-1 (CONAB, 2007). Entre os principais fatores que limitam a obtenção de um maior rendimento na produção de soja estão as pragas e doenças, e entre as doenças de solo, a fusariose (Fusarium solani) exige cuidados cada vez mais exigentes, evitando a repetição de mesmos ingredientes ativos que podem causar resistência. Logo, os estudos do uso de agentes de controle biológicos tornam-se imprescindíveis para obter máxima produtividade econômica nas lavouras de soja do país e produção com sustentabilidade..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Integrante / Sandra Eliza Guimarães - Coordenador.Financiador(es): Universidade do Estado da Bahia - Cooperação.


Projetos de extensão


2018 - Atual
ESTUDO DE DIFERENTES FONTES DE MATÉRIA ORGÂNICA NA PRODUÇÃO DE ALFACE
Descrição: ESSE TRABALHO DE PESQUISA FAZ PARTE DE UMA DAS LINHAS DE PESQUISA DO TIAGRO - TRABALHOS INTERDISCIPLINARES DA AGRONOMIA, QUE BUSCA TESTAR DE DIFERENTES FONTES E DOSES DE MATÉRIA ORGÂNICA NA PRODUÇÃO DE ALFACE EM CANTEIRO DO VIVEIRO DA ÁREA EXPERIMENTAL DO CURSO DE AGRONOMIA DA FASB..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Coordenador / ADILSON FARIAS LIMA - Integrante / JOSÉ ANGELO BATISTA NETO - Integrante / FRANCISCO DAS CHAGAS - Integrante / JANILSON DOS SANTOS RAMOS - Integrante / ADRIEL MESAQUE DOS SANTOS SILVA - Integrante.
2018 - Atual
PRODUÇÃO DE MUDAS DE ESPÉCIES NATIVAS DO CERRADO
Descrição: ESSE TRABALHO DE PESQUISA FAZ PARTE DE UMA DAS LINHAS DE PESQUISA DO TIAGRO - TRABALHOS INTERDISCIPLINARES DA AGRONOMIA, QUE BUSCA A PRODUÇÃO DE MUDAS DE DIFERENTES ESPÉCIES NATIVAS DO CERRADO BAIANO SOB DIFERENTES FORMAS DE QUEBRA DE DORMÊNCIA NO VIVEIRO DE MUDAS NA ÁREA EXPERIMENTO DO CURSO DE AGRONOMIA DA FASB, EM PARCERIA COM A SEMATUR BARREIRAS. FINALIDADE DE FORNECER MUDAS NO DIA DO CERRADO E FASB CIDADÃ..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Coordenador / Inácio dos Santos de Macedo - Integrante / Caio Borges do Nascimento - Integrante / Tainá Flávia Modesto Oliveira - Integrante / Luduy Lucas Timm - Integrante / Cleidson A Santos - Integrante.
2015 - 2016
DIAGNÓSTICO DE DERIVA DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS APLICADOS NA ZONA DE AMORTECIMENTO DA ESTAÇÃO ECOLÓGICA SERRA GERAL DO TOCATINS
Descrição: A região do Oeste da Bahia/Estremo sudeste do Tocantins é reconhecida como uma área de fronteira agrícola consolidada, tendo destaque no cenário nacional na produção e exportação de commodities agrícolas. O agronegócio de fato tem a sua parcela de contribuição para o desenvolvimento regional, com destaque para a geração de empregos e renda em toda cadeia produtiva deste setor e em outros setores econômicos. Destacando-se para a produção de Grãos e fibras, em sua maioria para as culturas de Soja (Glycine max [Merrill]), Milho (Zea mays) e o algodão (Gossypium hirsutum), que ocupam uma área de aproximadamente 1,9 milhão de hectares (ha), sendo que esta primeira abrange cerca de 63% da área plantada. No entanto, a produção agrícola não dispara ainda mais no cenário mundial devido a problemas de distribuição e regularidades das chuvas e ao ataque de pragas e doenças. Recentemente a cultura da soja teve quebra na safra devido ao ataque da lagarta Helicoverpa armigera, que não era identificada como praga para a cultura, e a ferrugem da soja (Phakopsora pachirrizi Sydow & Sydow), doença responsável pela queda na produção de até 80% nas lavouras dessa região em 2002/03, e que exige manejo intensivo. Com isso, verifica-se que há a necessidade do manejo fitossanitário para garantir a produção agrícola, e entende-se também que há impactos negativos causados por uma exploração do ambiente natural e riscos de contaminação pelo uso indiscriminado dessa tecnologia, devendo-se respeitar a legislação vigente. No entanto, verifica-se que a legislação permite interpretação subjetiva, como no caso das delimitações das Zonas de Amortecimento (ZA) no entorno de Unidades de Conservação (UC), onde com as pesquisas científicas, podem fornecer dados para a delimitação mais objetiva da ZA. Na sociedade há um consenso de que os agrotóxicos são prejudiciais ao homem, em razão das notícias de contaminação ambiental. O seu uso, no entanto, tem contribuído com os incrementos na produção agrícola, permitindo o cultivo em larga escala. Sua utilização deve ocorrer de maneira racional, dentro do contexto mais amplo da proteção integrada de plantas. Diminuindo assim, a contaminação do solo e da água, os danos à saúde humana e animal e o aparecimento de pragas, doenças e plantas daninhas mais resistentes. Muitas vezes, dá-se muita importância ao produto fitossanitário a ser aplicado e pouca à técnica de aplicação. Não basta conhecer o produto a ser aplicado, mas fundamental também é conhecer a forma correta de aplicação. É preciso garantir que o produto alcance o alvo de forma eficiente, minimizando-se as perdas, que ocorrem por deriva aérea ou terrestre..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (3) .
Integrantes: Jorge da Silva Júnior - Coordenador / RICARDO ALVES REIS - Integrante / DANILO CARDOSO RODRIGUES - Integrante / EDMAR ISAIAS DE MELO - Integrante / CAMILA IZABEL PEREIRA REZENDE - Integrante / VITOR ARAÚJO ALVES - Integrante.
2008 - 2009
AVALIAÇÃO DOS EFEITOS DA IMPLANTAÇÃO DA CANAVICULTURA NOS SOLOS DO OESTE BAIANO
Descrição: Levantamento e acompanhamento dos Impactos causados pelo cultivo de Cana em cidades da Região Oeste da Bahia, em comparativo com áreas intactas de Cerrado..
Situação: Desativado; Natureza: Extensão.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Ciência do Solo/Especialidade: Manejo e Conservação do Solo.
2.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Ciência do Solo.
3.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia/Especialidade: Mecanização Agrícola.
4.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitossanidade.
5.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Agronomia / Subárea: Fitotecnia.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2017
TRABALHO SELECIONADO PARA APRESENTAÇÃO ORAL NO X CISAGRO, UNIVERSIDADE FECDERAL DE UBERLÂNDIA - UFU.
2017
HOMENAGEM PELOS 10 ANOS DE DEDICAÇÃO E COMPROMETIMENTO OFERTADO À FASB, FACULDADE SÃO FRANCISCO DE BARREIRAS - FASB.
2016
Nome da Turma 2015.2 de Engenharia Agronômica, Universidade do Estado da Bahia.
2016
MELHOR TRABALHO CIENTÍFICO APRESENTADO EM BANNER, PÓS GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA.
2016
PADRINHO DA TURMA DE ENGENHARIA AGRONÔMICA 2016.1, Universidade do Estado da Bahia - UNEB CAMPUS IX.
2015
Nome da Turma 2015.1 de Engenharia Agronômica, Universidade do Estado da Bahia.
2014
Paraninfo da Turma de Engenharia Agronômica, Universidade do Estado da Bahia.
2014
Nome da Turma de Agronomia 2013.2, Faculdade São Francisco de Barreiras - FASB.
2013
Professor Amigo da Turma, Universidade do Estado da Bahia.
2013
Professor Homenageado, Faculdade São Francisco de Barreiras - FASB.
2013
Professor Homenageado da turma de PRONERA, Universidade do Estado da Bahia.
2009
Professor Homenageado da turma de biologia, Universidade do Estado da Bahia.
2004
Paraninfo da Turma, Escola Dom Delfim.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
1REGO, ENOC LIMA DO2017REGO, ENOC LIMA DO ; GOMES, DANIEL BATISTA ; DA SILVA JÚNIOR, JORGE ; HEROK, DIEGO LUCENA ; PORTO, ENEAS DENIESTE DE OLIVEIRA ; LEITE, OLDAIR DONIZETI . Evaluation of Physic-chemical Parameters of Water Quality on Agricultural Fields of Western Bahia. ORBITAL: THE ELECTRONIC JOURNAL OF CHEMISTRY, v. 9, p. 105-110, 2017.

2.
2ANDRADE, ALEXANDRO PEREIRA2013 ANDRADE, ALEXANDRO PEREIRA ; BRITO, CAMILLA DE CARVALHO DE ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA ; COCOZZA, FÁBIO DEL MONTE ; SILVA, MARCOS ANTÔNIO VANDERLEI . Estabelecimento inicial de plântulas de Myracrodruon urundeuva Allemão em diferentes substrato. Revista Árvore (Impresso), v. 37, p. 737-745, 2013.

3.
3SILVA JÚNIOR, J.;SILVA JÚNIOR, JORGE DA;DA SILVA JÚNIOR, JORGE2009 SILVA JÚNIOR, J.; Rezende, Pedro Milanez de ; Carvalho, Eudes de Arruda ; Alves, Eduardo ; Pozza, Edson Ampélio . Efeito de fungicidas sistêmico e protetores aplicados em diferentes estádios fenológicos no controle da ferrugem asiática da soja. Ciência e Agrotecnologia (UFLA), v. 33, p. 705/3-712, 2009.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
SILVA, J. C. ; ASSIS, R. T. ; FRAVET, P. R. F. ; SILVA JÚNIOR, J. . POTENCIAL DE SEQUESTRO DE CARBONO EM SOLOS DO CERRADO In: Bases Sustentáveis do Agronegócio. 1. ed. Uberlândia: COMPOSER, 2016. 200p .

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
SILVA JÚNIOR, JORGE DA; OLIVEIRA, F. A. ; LOPES, J. C. ; RODRIGUES, D. C. . O MANEJO INADEQUADO DOS SOLOS DIMINUI A EFICIÊNCIA NA PRODUÇÃO AGRÍCOLA. aiba RURAL - A revista do Agronegócio da Bahia, BARREIRAS, p. 24 - 27, 01 mar. 2018.

2.
LOPES, S. S. M. ; SILVA JÚNIOR, J. . MONITORAMENTO FITOSSANITÁRIO. aiba RURAL - A revista do Agronegócio da Bahia, p. 44 - 45, 02 maio 2016.

3.
REGO, E. L. ; SILVA JÚNIOR, J. . A QUALIDADE DA ÁGUA EM POÇOS E RIOS EM PERÍMETROS AGRICULTÁVEIS. aiba RURAL - A revista do agronegócio da Bahia, BARREIRAS - BA, p. 28 - 29, 09 set. 2015.

4.
SILVA JÚNIOR, J.. Plantio antecipado da soja irrigada promove diversos ganhos. aiba RURAL - A revista do Agronegócio da Bahia, Barreiras, p. 12 - 13, 01 mar. 2015.

5.
LIPPSTEIN, I. ; SILVA JÚNIOR, J. . BOLETIM TÉCNICO Dia de campo de Algodão. Uso de Diferentes Fungicidas no Controle de Ramulária e Mancha de mirotécio no Algodoeiro, Luis Eduardo Magalhães, p. 12 - 12, 03 jun. 2013.

6.
ANDRADE, A. P. ; BRITO, C. C. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA ; COCOZZA, F. M. ; SILVA, M. A. V. . ESTABELECIMENTO INICIAL DE PLÂNTULAS DE Myracrodruon urundeuva ALEMÃO EM DIFERENTES SUBSTRATO1. Revista Árvore,, Viçosa-MG, p. 737 - 745, 04 mar. 2013.

7.
CARDOSO, T. A. A. ; ALMEIDA, F. P. ; SILVA JÚNIOR, J. . Manejo da propagação do Nim por Estaquia. BOLETIM Passarela da Soja e do Milho, Luis Eduardo Magalhães, p. 15 - 15, 04 mar. 2013.

8.
FELIX, C. ; SILVA JÚNIOR, J. . O Cacau do Oeste. AgroMAGAZINE, Barreiras, BA, p. 20 - 23, 03 set. 2012.

9.
SILVA JÚNIOR, J.. ALIMENTOS: O VENENO NOSSO DE CADA DIA.. REVISTA AGRONEWS OESTE, LUÍS EDUARDO MAGALHÃES, p. 16 - 26, 01 dez. 2007.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
GUADAGNIN, J. ; SILVA JÚNIOR, J. ; SANTANA, P. S. . Avaliação da vegetação ciliar no município de Barreiras/BA no ano de 2008 utilizando Sensoriamento Remoto e Sistema de Informação Geográfica. In: XV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO - SBSR, 2011, CURITIBA. XV SIMPÓSIO BRASILEIRO DE SENSORIAMENTO REMOTO. CURITIBA: INPE, 2011. v. 1. p. 6548-6555.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
RODRIGUES, D. C. ; SILVA, J. S. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA ; REIS, R. A. . ANÁLISE MICROBIOLOGICA DE FUNGOS NATIVOS EM ÁREAS AGRICULTÁVEIS E CERRADO NATURAL. In: XVI CIC - Congrtesso de iniciação Científica da FASB, 2018, Barreiras. ANAIS do XVI CIC FASB. Barreiras: FASB, 2018.

2.
SILVA JÚNIOR, J.; OLIVEIRA, F. A. ; LOPES, J. C. ; OLIVEIRA, V. S. ; RODRIGUES, D. C. . SEQUESTRO DE CARBONO EM SOLOS DO CERRADO BAIANO. In: 1ª MOSTRA CIENTÍFICA E DE INOVAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓSGRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA UFU, 2016, UBERLÂNDIA. ANAIS - 1ª MOSTRA CIENTÍFICA E DE INOVAÇÃO DO PPGA - UFU. Uberlândia: UFU, 2016. v. 1.

3.
LANDIM, T. N. ; MAES, M. L. ; SILVA JÚNIOR, J. ; MAZETTO JUNIOR, J. C. ; PERDOMO, D. N. ; MOREIRA, L. R. ; TORRES, J. L. R. . ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO DE UM SERINGAL NO CERRADO MINEIRO. In: 1ª MOSTRA CIENTÍFICA E DE INOVAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓSGRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA UFU, 2016, UBERLÂNDIA. ANAIS - 1ª MOSTRA CIENTÍFICA E DE INOVAÇÃO DO PPGA - UFU. Uberlândia: UFU, 2016. v. 1.

4.
RODRIGUES, D. C. ; SILVA JÚNIOR, J. ; REIS, R. A. ; OLIVEIRA, V. S. . DERIVA DE AGROTÓXICOS APLICADOS EM ZONA DE AMORTECIMENTO. In: 1ª MOSTRA CIENTÍFICA E DE INOVAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓSGRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA UFU, 2016, UBERLÂNDIA. ANAIS - 1ª MOSTRA CIENTÍFICA E DE INOVAÇÃO DO PPGA - UFU. Uberlândia: UFU, 2016. v. 1.

5.
GONCALVES, I. R. ; SANTOS, A. C. J. ; BATISTA, R. S. ; TRABUCO, F. S. ; SILVA JÚNIOR, J. . LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DAS PRAGAS DA CULTURA DO MAMÃO E SEUS INIMIGOS NATURAIS NOS PERÍMETROS IRRIGADOS DE RIACHÃO DAS NEVES OESTE BAIANO. In: XXIV - CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA: FRUTEIRAS NATIVAS E SUSTENTABILIDADE, 2016, SÃO LUÍS, MA. ANAIS XXIV - CBF. SAO LUÍS: SBF, 2016.

6.
GONCALVES, I. R. ; BATISTA, R. S. ; TRABUCO, F. S. ; JESUS, J. M. C. ; SILVA JÚNIOR, J. . OCORRÊNCIA DE FITONEMATOIDES EM BANANEIRAS NOS PERIMETROS IRRIGADOS DE BARREIRAS E RIACHÃO DAS NEVES NO OESTE BAIANO. In: XXIV - CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA: FRUTEIRAS NATIVAS E SUSTENTABILIDADE, 2016, SÃO LUÍS, MA. ANAIS XXIV - CBF. SAO LUÍS: SBF, 2016.

7.
BATISTA, R. S. ; JESUS, J. M. C. ; SILVA JÚNIOR, J. ; GONCALVES, I. R. ; SANTOS, A. C. J. . LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DAS PRAGAS DA CULTURA DA BANANA E SEUS INIMIGOS NATURAIS NOS PERIMETROS IRRIGADOS DO OESTE BAIANO. In: XXIV - CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA: FRUTEIRAS NATIVAS E SUSTENTABILIDADE, 2016, SÃO LUÍS, MA. ANAIS XXIV - CBF. SAO LUÍS: SBF, 2016.

8.
LIMA, W. G. ; GUARDA, L. C. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA ; LEITE, O. D. . DIAGNÓSTICO DA QUALIDADE DA ÁGUA DE RIOS EM PERÍMETROS AGRICULTÁVEIS DA REGIÃO OESTE DA BAHIA. In: XII CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASB, 2015, BARREIRAS. ANAIS DO CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE SÃO FRANCISCO DE BARREIRAS. BARREIRAS: FASB, 2015. v. 3. p. 77-80.

9.
RODRIGUES, D. C. ; REGO, E. L. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA . IDENTIFICAÇÃO DE ARGILOMINERAIS NO SOLO DE ÁREAS AGRICULTÁVEIS E DE CERRADO DA REGIÃO OESTE DA BAHIA. In: XIII CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASB, 2015, BARREIRAS. ANAIS DO CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE SÃO FRANCISCO DE BARREIRAS. BARREIRAS: FASB, 2015. v. 3. p. 104-107.

10.
MAGALHAES, E. C. D. ; NUNES, H. B. ; SILVA JÚNIOR, J. . Perda de massa bruta em uva cv. 'Itália' e 'Brasil' cultivada em Barreiras-BA e conservada em prateleira.. In: III Simpósio Brasileiro de Pós-Colheita dr Frutas, Hortaliças e Flores, 2011, Nova Friburgo. III Simpósio Brasileiro de Pós-Colheita dr Frutas, Hortaliças e Flores.. Nova Friburgo, 2011.

11.
MAGALHAES, E. C. D. ; SILVA, J. M. ; SILVA JÚNIOR, J. . Perda de massa fresca em banana Prata anã, Nanica e Maçã durante processo de conservação em câmara fria. In: III Simpósio Brasileiro de Pós-Colheita de Frutas, Hortaliças e Flores, 2011, Nova Friburgo. III Simpósio Brasileiro de Pós-Colheita de Frutas, Hortaliças e Flores, 2011.

12.
MAGALHAES, E. C. D. ; SILVA, J. M. ; COCOZZA, F. del M. ; SILVA JÚNIOR, J. . Conservação pós-colheita de banana prata anã, nanica e maçã climatizada e comercializada em barreiras-ba.. In: II simpósio em ciência e tecnologia de alimentos e I congresso do instituto nacional de frutos tropicais, 2010, ARACAJU. Anais do II simpósio em ciência e tecnologia de alimentos e I congresso do instituto nacional de frutos tropicais. ARACAJU, 2010. v. II. p. 2045-2048.

13.
SILVA JÚNIOR, J.; SANTOS, V. A. ; Carvalho, E. A. ; Carvalho, E. R. ; Fraga, A. C. ; Castro nETO, p. ; REZENDE, P. M. de . EXTRATOS DE MAMONA NO CONTROLE DA FERRUGEM ASIÁTICA DA SOJA. In: 4º Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel, 2007, VARGINHA. 4º Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel. VARGINHA, 2007. v. 1. p. 853-859.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
LIMA, W. G. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA ; LOUSADA, G. A. S. ; SANTOS, G. C. B. . ANÁLISE DO CRESCIMENTO VEGETATIVO DO MARACUJAZEIRO SOBRE INFLUÊNCIA DE MICRORGANISMOS DE SOLO. In: SIMPÓSIO REGIONAL DO AGRONEGÓCIO E CONSERVAÇÃO DO CERRADO, 2018, BARREIRAS. ANAIS - SIMPÓSIO REGIONAL DO AGRONEGÓCIO E CONSERVAÇÃO DO CERRADO. BARREIRAS: GIOVANNA CELI, 2018.

2.
RODRIGUES, D. C. ; SILVA, J. S. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA ; LOUSADA, G. A. S. ; REIS, R. A. . COMPARAÇÃO DE MICROORGANISMOS NATIVOS ENCONTRADO ENTRE ÁREAS AGRICULTÁVEIS E CERRADO NATIVO. In: I SIMPÓSIO REGIONAL DO AGRONEGÓCIO E CONSERVAÇÃO DO CERRADO, 2018, BARREIRAS. ANAIS - I SIMPÓSIO REGIONAL DO AGRONEGÓCIO E CONSERVAÇÃO DO CERRADO, 2018.

3.
GONCALVES, I. R. ; BATISTA, R. S. ; SILVA JÚNIOR, J. ; NUNES, H. B. . OCORRÊNCIA DE FITONEMATOIDES EM MAMOCULTURA NOS PERIMETROS IRRIGADOS DE BARREIRAS E RIACHÃO DAS NEVES NO OESTE BAIANO. In: XXV Congresso Brasileiro de Fruticultura, 2017, Porto Seguro, BA. XXV ANAIS CONGRESSO BRASILEIRO DE FRUTICULTURA, 2017.

4.
SILVA, V. R. E. ; MAZETTO JUNIOR, J. C. ; FERREIRA, P. S. ; TORRES, J. L. R. ; SILVA JÚNIOR, J. . USO DE INDICADORES DE QUALIDADE PARA AVALIAR A DETERIORAÇÃO DOS ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO APÓS CADA CORTE DA CANA. In: XXXVI CONGRESSO BRASILEIRO DE CIENCIAS DO SOLO, 2017, BELÉM, PA. AMAZÔNIA E SEUS SOLOS: PECULIARIDADES E POTENCIALIDADES. BELEM, PA, 2017.

5.
SILVA, V. R. E. ; MAZETTO JUNIOR, J. C. ; SILVA JÚNIOR, J. ; TORRES, J. L. R. ; COSTA, D. D. A. ; FERREIRA, P. S. . QUANTIFICAÇÃO DA MATÉRIA ORGÂNICA D O SOLO EM ÁREAS SOB PLANTIO DIRETO COM DIFERENTES TEMPOS DE IMPLANTAÇÃO NO CERRADO. In: XXXVI CONGRESSO BRASILEIRO DE CIENCIAS DO SOLO, 2017, BELÉM, PA. XXXVI CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO ? CBCS 2017, 2017.

6.
SILVA JÚNIOR, J.; WENDLING, B. ; BORGES, E. N. ; OLIVEIRA, V. S. . TEOR DE MICRONUTRIENTES NO SOLO PELO USO DE SILICATO DE CÁLCIO, RESÍDUO FOSFATADO E CALCÁRIO. In: FERTBIO 2016 - RUMO AOS NOVOS DESAFIOS, 2016, GOIÂNIA. FERTBIO 2016. GOIANIA: SBCS - NRCO, 2016. v. 1. p. 250-250.

7.
ALOISE, G. R. G. ; SANTOS, D. S. ; SILVA JÚNIOR, J. ; MENEGAZZO, L. P. . Fracionamento da matéria orgânica do solo em área manejada com silicato de cálcio, resíduo fosfatado e calcário.. In: FERTBIO 2016 - RUMO AOS NOVOS DESAFIOS, 2016, GOIÂNIA. FERTBIO 2016. GOIANIA: SBCS - NRCO, 2016. v. 1. p. 250-250.

8.
SILVA JÚNIOR, J.; SANTOS, D. S. ; ALOISE, G. R. G. ; OLIVEIRA, V. S. ; BORGES, E. N. . USO DE DIFERENTES CORRETIVOS DA ACIDEZ E RELAÇÕES COM ATRIBUTOS FÍSICOS E CARBONO ORGÂNICO DO SOLO. In: XX REUNIÃO BRASILEIRA DE MANEJO DA CONSERVAÇÃO DE SOLO E ÁGUA, 2016, FOZ DO IGUAÇÚ. Anais XX RBMCSA - O solo sob ameaça: conexões necessárias ao manejo e conservação do solo e água. CURITIBA: SBCS - NEPAR, 2016. v. 1. p. 303-304.

9.
SANTOS, D. S. ; SILVA JÚNIOR, J. ; ALOISE, G. R. G. ; BORGES, E. N. ; MANFROI, G. A. . EFEITO DO SILICATO DE CÁLCIO E RESÍDUO FOSFATADO NA DISPERSÃO DE ARGILA. In: XX REUNIÃO BRASILEIRA DE MANEJO DA CONSERVAÇÃO DE SOLO E ÁGUA, 2016, FOZ DO IGUAÇÚ. Anais XX RBMCSA - O solo sob ameaça: conexões necessárias ao manejo e conservação do solo e água. CURITIBA: SBCS - NEPAR, 2016. v. 1. p. 315-316.

10.
GONCALVES, A. M. S. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA ; DUARTE, E. L. ; SILVA, J. M. ; ARAUJO, D. M. ; TRABUCO, F. S. . AVALIAÇÃO DO POTENCIAL PRODUTIVO DE DIFERENTES GENÓTIPOS DE FEIJÃO-CAUPI (Vigna uguilata), EM CULTIVO DE SEQUEIRO NO MUNICÍPIO DE BARREIRAS, OESTE DA BAHIA. In: XII CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASB, 2014, BARREIRAS. ANAIS DO CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE SÃO FRANCISCO DE BARREIRAS. BARREIRAS: FASB, 2014. v. 2. p. 19-20.

11.
SILVA, J. M. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA ; SANTOS, G. R. ; TRABUCO, F. S. ; GONCALVES, A. M. S. ; DUARTE, E. L. . CONTROLE DA LAGARTA DO CARTUCHO DO MILHO COM O USO DE EXTRATOS DE NIM E DE MAMONA. In: XII CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASB, 2014, BARREIRAS. ANAIS DO CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE SÃO FRANCISCO DE BARREIRAS. BARREIRAS: FASB, 2014. v. 2. p. 21-21.

12.
SOUZA, L. ; SILVA, P. S. ; SILVA, J. ; BORGES, E. F. ; ROCHA, A. J. G. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA . CRESCIMENTO INICIAL DE MUDAS DE Anacardium sp. CULTIVADAS EM DIFERENTES SUBSTRATOS. In: XII CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASB, 2014, BARREIRAS. ANAIS DO CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE SÃO FRANCISCO DE BARREIRAS. BARREIRAS: FASB. v. 2. p. 22-22.

13.
ARAUJO, D. M. ; MARTINS, M.C. ; SILVA, J. M. ; GONCALVES, A. M. S. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA ; DUARTE, E. L. . USO DE DIFERENTES DOSES DE ESTERCO BOVINO E BIOFERTILIZANTE NA CULTURA DO FEIJÃO-CAUPI (Vigna Unguilata) NO MUNICÍPIO DE CARINHANHA - BA. In: XII CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASB, 2014, BARREIRAS. ANAIS DO CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACULDADE SÃO FRANCISCO DE BARREIRAS. BARREIRAS: FASB, 2014. v. 2. p. 32-32.

14.
MAGALHAES, E. C. D. ; SILVA, J. M. ; SILVA JÚNIOR, J. ; COCOZZA, F. del M. ; SANCHES, C. L. G. . CONSERVAÇÃO PÓS-COLHEITA DE BANANA PRATA ANÃ, NANICA E MAÇÃ CLIMATIZADA E COMERCIALIZADA EM BARREIRAS - BA. In: I CONGRESSO DO INSTITUO NACIONAL DE FRUTOS TROPICAIS, 2010, ARACAJU. II SIMPOSIO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS, 2010.

15.
SILVA JÚNIOR, J.; Carvalho, E. A. ; REZENDE, P. M. de ; Pozza, E. A. ; Alves, E. . EFEITO DOS FUNGICIDAS APLICADOS EM DIFERENTES ESTÁDIOS FENOLÓGICOS NO CONTROLE DA FERRUGEM ASIÁTICA E NA PRODUTIVIDADE DA SOJA.. In: XL Congresso Brasileiro de Fitopatologia, 2007, Maringá. XL CONGRESSO BRASILEIRO DE FITOPATOLOGIA, 2007. v. 1. p. 0564-0564.

Artigos aceitos para publicação
1.
TORRES, J. L. R. ; MAZETTO JUNIOR, J. C. ; SILVA JÚNIOR, J. ; FERREIRA, P. S. ; MAES, M. L. . Carbono orgânico na serapilheira e solo nas linhas e entrelinhas da goiabeira. FLORESTA E AMBIENTE, 2017.

Apresentações de Trabalho
1.
BATISTA, R. S. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA . EFEITOS DE ISOLADOS DO FUNGO Isaria (Person) SOBRE O MOLEQUE DA BANANEIRA Cosmopolites sordidus (GERMAR) NO CULTIVO DA BANANA (MUSA SPP.).. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

2.
GONCALVES, I. R. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA . ISOLADOS ACTINOMICETOS DO CERRADO BAIANO COMO CONTROLE BIOLÓGICO DO NEMATÓIDE Radopholus similis DA BANANICULTURA.. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

3.
SILVA JÚNIOR, JORGE DA; WENDLING, B. ; SILVA, G. C. ; OLIVEIRA, V. S. . QUALIDADE DA MATÉRIA ORGÂNICA DOS SOLOS DE 3 MICROREGIÕES PRODUTORAS DE GRÃOS E FIBRAS NO CERRADO BAIANO. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

4.
SILVA JÚNIOR, J.. POTENCIAL DO SEQUESTRO DE CARBONO EM SOLOS DO CERRADO. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
SILVA JÚNIOR, J.; WENDLING, B. ; BORGES, E. N. ; OLIVEIRA, V. S. . TEOR DE MICRONUTRIENTES NO SOLO PELO USO DE SILICATO DE CÁLCIO, RESÍDUO FOSFATADO E CALCÁRIO.. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
ALOISE, G. R. G. ; SANTOS, D. S. ; SILVA JÚNIOR, J. ; MENEGAZZO, L. P. . FRACIONAMENTO DA MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM ÁREA MANEJADA COM SILICATO DE CÁLCIO, RESÍDUO FOSFATADO E CALCÁRIO.. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
SILVA JÚNIOR, J.; OLIVEIRA, F. A. ; LOPES, J. C. ; OLIVEIRA, V. S. ; RODRIGUES, D. C. . SEQUESTRO DE CARBONO EM SOLOS DO CERRADO BAIANO. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
SILVA JÚNIOR, J.; SANTOS, D. S. ; ALOISE, G. R. G. ; OLIVEIRA, V. S. ; BORGES, E. N. . USO DE DIFERENTES CORRETIVOS DA ACIDEZ E RELAÇÕES COM ATRIBUTOS FÍSICOS E CARBONO ORGÂNICO DO SOLO. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
RODRIGUES, D. C. ; SILVA JÚNIOR, J. ; REIS, R. A. ; OLIVEIRA, V. S. . DERIVA DE AGROTÓXICOS APLICADOS EM ZONA DE AMORTECIMENTO. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

10.
LANDIM, T. N. ; MAES, M. L. ; SILVA JÚNIOR, JORGE DA ; MAZETTO JUNIOR, J. C. ; PERDOMO, D. N. ; MOREIRA, L. R. ; TORRES, J. L. R. . ATRIBUTOS FÍSICOS DO SOLO DE UM SERINGAL NO CERRADO MINEIRO. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

11.
JESUS, J. M. C. ; TRABUCO, F. S. ; SILVA JÚNIOR, J. . LEVANTAMENTO DE LEPIDOPTEROS PRAGA NA CULTURA DA BANANA MUSA NOS PERIMETROS IRRIGADOS DO OESTE. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

12.
GONCALVES, I. R. ; SILVA JÚNIOR, J. . OCORRÊNCIA DE FITONEMATÓIDES EM BANANEIRAS DOS PERÍMETROS IRRIGADOS DE BARREIRAS E RIACHÃO DAS NEVES. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

13.
SILVA JÚNIOR, J.. MANEJO DE PLANTAS INVASORAS. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

14.
CARVALHO, J. P. ; SILVA JÚNIOR, J. ; TAMAI, M. A. ; CARVALHO, A. S. ; LIMA, A. P. S. ; SANTANA, F. V. ; ROSA, V. A. ; SANTOS, M. A. . AVALIAÇÃO DO ÓLEO DE MAMONA NO CONTROLE DE Spodoptera frugiperda (Lepidoptera noctuidae). 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

15.
ARRUDA, C. T. B. S. ; SILVA JÚNIOR, J. ; STEFANELO, D. R. . AVALIAÇÃO DE TIPOS DE ISCAS NO CONTROLE DO Cosmopolitus sordidus DA BANANEIRA COM O FUNGO Beauveria bassiana EO INSETICIDA CARBOFURAN. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

16.
MAGALHAES, E. C. D. ; SILVA JÚNIOR, J. ; SILVA, J. M. ; COCOZZA, F. del M. . CONSERVAÇÃO PÓS-CLHEITA DE BANA PRATA ANÃ, NANICA E MAÇÃ CLIMATIZADA E COMERCIALIZADA EM BARREIRAS - BA.. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

17.
GUADAGNIN, J. ; SANTANA, P. S. ; SILVA JÚNIOR, J. . AVALIAÇÃO DA VEGETAÇÃO CILIAR NO MUNICIPIO DE BARREIRAS-BA UTILIZANDO SENSORIAMNETO REMOTO. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

18.
SILVA JÚNIOR, J.. O POTENCIAL DAS FIBRAS VEGETAIS E QUÍMICAS. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

19.
SILVA JÚNIOR, J.. EMPREENDEDORISMO NA UNIVERSIDADE. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

20.
SILVA JÚNIOR, J.; BOTELHO, Alex ; MALUF, L. E. J. ; SOUZA, Paulo Estevão de ; TALAMINI, V. . AVALIAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE SCLEROTÍNIA EM HIBISCO. 2003. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

21.
SILVA JÚNIOR, J.; SOUZA, Paulo Estevão de ; MIRANDA, Julio Cesar ; TALAMINI, V. . PROGRESSO DA FERRUGEM E DA CERCOSPORIOSE EM CAFEEIRO (Coffea arábica L.) IRRIGADO POR GOTEJAMENTO. 2003. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

22.
COTRIM, J. A. N. ; PERUCHI, F. ; ZUPPANI, J. L. R. ; BERNARDI, H. V. F. ; SILVEIRA, D. C. ; TEREZA, M. C. ; SILVA JÚNIOR, J. ; Guimarães, S. E. ; LOUZADA, J. N. C. ; FERREIRA, R. M. A. . CULTURA DA SERRA I: PRODUÇÃO, TECNOLOGIA E CONSERVAÇÃO, UMA QUESTÃO DE SOBREVIVÊNCIA. 2003. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

23.
SILVA, L. C. S. ; Guimarães, S. E. ; BERNARDI, H. V. F. ; SILVEIRA, D. C. ; COTRIM, J. A. N. ; MACHADO, F. S. ; ZUPPANI, J. L. R. ; SILVA JÚNIOR, J. ; LOUZADA, J. N. C. ; FERREIRA, R. M. A. . CULTURA DA SERRA II: CONVERSÃO DE TRADIÇÕES E RECURSOS NATURAIS EM CONSEQUÊNCIA DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO NO MUNICÍPIO DE CARRANCAS.. 2003. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

24.
MACHADO, F. S. ; TEREZA, M. C. ; SILVA JÚNIOR, J. ; SILVA, L. C. S. ; BERNARDI, H. V. F. ; SILVEIRA, D. C. ; COTRIM, J. A. N. ; PERUCHI, F. ; ZUPPANI, J. L. R. ; Guimarães, S. E. ; LOUZADA, J. N. C. ; FERREIRA, R. M. A. . CULTURA DA SERRA III: SITUAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO EM UMA REGIÃO DO MUNICÍPIO DE CARRANCAS-MG.. 2003. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Outras produções bibliográficas
1.
SILVA JÚNIOR, J.. EFEITO DE FUNGICIDAS APLICADOS EM DIFERENTES ESTÁDIOS NO CONTROLE DA FERRUGEM ASIÁTICA E NA PRODUTIVIDADE DA SOJA [Glycine max (L.) Merrill]. Lavras: UFLA, 2006 (Dissertação de Mestrado).

2.
SILVA JÚNIOR, J.; REZENDE, P. M. de . Aplicação de fungicidas em diferentes épocas no controle de ferrugem e na produtividade da soja (Glycine max L. Merril).. Brasília - DF 2005 (XXXVIII Congresso Brasileiro de Fitopatologia).

3.
SILVA JÚNIOR, J.; SOUZA, Paulo Estevão de ; BOTELHO, Alex . Avaliação da incidência e Severidade de Sclerotínia na cultura do Hibisco. Lavras: UFLA, 2003 (CICESAL, XI Seminário de Avaliação do PIBIC/CNPQ e VI Seminário de Avaliação do PBIICT/FAPEMIG).

4.
SILVA JÚNIOR, J.; SOUZA, Paulo Estevão de ; MIRANDA, Julio Cesar . Avaliação da incidência ae severidade de Ferrugem e Cercosporiose do caffeiro fertirrigado com diferentes lâminas e adubações.. Lavras: UFLA, 2003 (CICESAL, XI Seminário de Avaliação do PIBIC/CNPQ e VI Seminário de Avaliação do PBIICT/FAPEMIG).


Demais tipos de produção técnica
1.
OLIVEIRA, F. A. ; SILVA JÚNIOR, J. . Características dos calcários, calagem e supercalagem.. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

2.
SILVA JÚNIOR, J.. MANEJO DE PLANTAS INVASORAS. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

3.
OLIVEIRA, F. A. ; SILVA JÚNIOR, J. . Recomendação de Adubação, corretivos e misturas. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

4.
VIEIRA, R. F. ; SILVA JÚNIOR, J. . EFICIÊNCIA E MANEJO EM PERÍMETROS IRRIGADOS. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

5.
ANDRADE, A. P. ; SILVA JÚNIOR, J. . A INTEGRAÇÃO DA LAVOURA PECUÁRIA - ILP. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

6.
ALMEIDA, M. S. ; SILVA JÚNIOR, J. . MANEJO DE PLANTAS INVASORAS EM PASTAGENS NO OESTE BAIANO. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

7.
COIMBRA, J. L. ; STEFANELO, D. R. ; SILVA JÚNIOR, J. . DIAGNOSE E ANÁLISE DE FITONEMATOIDES DO OESTE BAIANO. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

8.
PEDROSA, K. ; SILVA JÚNIOR, J. . DESAFIOS DA AVICULTURA NO OESTE BAIANO. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

9.
SANTOS, G. R. ; SILVA JÚNIOR, J. . MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS NA AGROPECUÁRIA - PRAGAS EMERGENTES NA AGRICULTURA BAIANA. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

10.
OLIVEIRA, F. A. ; SILVA JÚNIOR, J. . Recomendação de Adubação, corretivos e misturas. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

11.
SANTOS, P. S. ; SILVA JÚNIOR, J. . Uso do Sensoriamento Remoto na Agricultura. 2009. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

12.
SILVA, J. M. ; SILVA JÚNIOR, J. . PODA DE PLANTAS CÍTRICAS. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

13.
CANTELLI, D. A. V. ; SILVA JÚNIOR, J. . TECNOLOGIA DE SEGURANÇA NO TRABALHO. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

14.
SILVA JÚNIOR, JORGE DA. PANORAMA DO CAFÉ NO OESTE BAIANO. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

15.
SILVA JÚNIOR, J.. PODA DO LIMÃO. 2007. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
WENDLING, B.; SANTOS, D. S.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Guilherme Andreatta.Trabalho de Conclusão de Curso. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal de Uberlândia.

2.
WENDLING, B.; SILVA JÚNIOR, J.; ALOISE, G. R. G.. Participação em banca de Guilherme Andreatta.Defesa de Estágio Supervisionado II. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade Federal de Uberlândia.

3.
PIMENTEL, L. P.; SANTOS, F. S.; SILVA JÚNIOR, J.; COSTA, J. A. S.. Participação em banca de Laise Pamplona Pimentel.ATIVIDADE ANTIFUNGICA DE EXTRATOS ETANOLICOS DE Lafoensia pacari A.St. Hil, Tapirira guianensis Aubl, Terminalia argentea Mart & Zucc, e Guazuma ulmifolia Lam. na biologia de Alternaria brassicola (Schwm) Wilt. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Oeste da Bahia.

4.
MARAFIGA, M. V. B.; STEFANELO, D. R.; BARRERO, F. M. C.; SILVA JÚNIOR, JORGE DA. Participação em banca de Marcus Vinícius Braga Marafiga.Acompanhamento da Rotina de Laboratório e Unidade de Produção de Agentes Biológicos na empresa JCO-Bio Produtos. 2013 - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

5.
SILVA JÚNIOR, J.; SANTOS, F. S.; STEFANELO, D. R.. Participação em banca de BRUNA IOHANNA SANTOS OLIVEIRA.MICORRIZAS ARBUSCULARES EM SOLO DE CERRADO BAIANO: ESTUDO PRELIMINAR. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em CIÊNCIAS BIOLÓGICAS) - Universidade Federal da Bahia.

6.
REIS, T. C.; SILVA, M. A. V.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de RICARDO ESCOBAR DE MATOS.ACOMPANHAMENTO DE VISITAS TÉCNICAS EM FAZENDAS DA REGIÃO OESTE DA BAHIA COM O USO DE CONTROLE BIOLÓGICO E ACOMPANHAMENTO DO PREPARO DE SOLO E PLANTIO DA CULTURA DO ALGODOEIRO (Gossypium hirsutum). 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia.

7.
REIS, T. C.; BAQUEIRO, P. A.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de DAISE ALVES BENJAMIM.ACOMPANHAMENTO DE ATIVIDADES DE CULTIVO DE ALGODÃO DE FORMA ORGÂNICA PARA PEQUENOS PRODUTORES, E NÚCLEO DE PECUÁRIA DA EBDA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia.

8.
CARVALHO, J. C.; SILVA JÚNIOR, J.; PIMENTA, M. A.. Participação em banca de DANIELLE ALVES DA SILVA.ACOMPANHAMENTO DO CONTROLE DE PRAGAS E DOENÇAS E ADUBAÇÃO NAS CULTURAS DO CAFÉ (Coffea arábica L.) E DA SOJA NA FAZ. MILANO ? BARREIRAS BA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia.

9.
CARVALHO, J. C.; SILVA JÚNIOR, J.; SANTOS, M. P. A.. Participação em banca de LÍVIA DO NASCIMENTO MENDES.ACOMPANHAMENTO DO CONTROLE QUÍMICO DE PLANTAS DANINHAS EM PASTAGENS E REGULAGEM DE PULVERIZADORES NA EMPRESA OESTE REPRESENTAÇÕES AGRÍCOLAS Ltda, BARREIRAS BA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia.

10.
BARROS, B. C.; SILVA JÚNIOR, J.; BRITO, C. R. M.. Participação em banca de HEBERTH RAFAEL MOREIRA TORRES.ATIVIDADES DE LICENCIAMENTO, FISCALIZAÇÃO E CONSERVAÇÃO AMBIENTAL NA SEMMA DE BARREIRAS ? BA.. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia.

11.
Neto, J. P. S.; SILVA JÚNIOR, J.; MATOS, P. S.. Participação em banca de EDALMO GONÇALVES DE SOUZA.ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL NA AGRICULTURA FAMILIAR NOS MUNICÍPIOS DE BARREIRAS E LUÍS EDUARDO MAGALHÃES. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia.

12.
SANTOS, G. R.; SILVA, M. A. V.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de WEBER DOS SANTOS NUNES.MANEJO DE INSETOS PRAGAS NA CULTURA DA SOJA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia.

13.
SANTOS, G. R.; SILVA JÚNIOR, J.; SANTOS, J. F.. Participação em banca de IVA PAULA DE ARAÚJO TEIXEIRA.ACOMPANHAMENTO DAS ATIVIDADES DE DEFESA VEGETAL DESENVOLVIDAS PELA AGÊNCIA ESTADUAL DE DEFESA AGROPECUÁRIA DA BAHIA (ADAB). 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia.

14.
REIS, T. C.; SILVA JÚNIOR, J.; CASTRO, J. M. B.. Participação em banca de RODRIGO DE CARVALHO NUNES.ACOMPANHAMENTO DAS ATIVIDADES DA SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, DE SÃO DESIDÉRIO, BAHIA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia.

15.
BARROS, B. C.; SILVA JÚNIOR, J.; QUADROS, D. G. de. Participação em banca de JAMARA MARQUES JÁCOME.COMPOSIÇÃO BROMATOLÓGICA DE DICOTILEDÔNEAS COM OCORRÊNCIA NO OESTE DA BAHIA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

16.
MILLER, L. O.; SILVA JÚNIOR, J.; COIMBRA, J. L.. Participação em banca de BIANCA SAMAY ANGELINA BOMFIM.PRODUÇÃO INDUSTRIAL DE AGENTES DE CONTROLE BIOLÓGICO. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

17.
REIS, T. C.; SILVA JÚNIOR, J.; RIBEIRO, R. M.. Participação em banca de CARINA MARIANI LEITE LOPES.ACOMPANHAMENTO DA ROTINA DO LABORATÓRIO DE FERTILIDADE DO SOLO DA KUHLMANN LABORATÓRIOS/FUNDAÇÃO?BA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

18.
SILVA, M. A. V.; MARTINS, M.C.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de ÉDER STOLBEN MOSCON.ACOMPANHAMENTO DO MANEJO DE SOLO, PRÉ-COLHEITA E COLHEITA DO ALGODÃO. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

19.
REIS, T. C.; SILVA, J. M.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de ÊNIO DA CUNHA DIAS MAGALHÃES.ACOMPANHAMENTO DOS TRATOS CULTURAIS DO TOMATEIRO (Licopersicum esculentum Mill). 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

20.
COSTA, A. A.; SILVA JÚNIOR, J.; LOPES, M. A.. Participação em banca de JADSON JENNER XAVIER DOS SANTOS.ACOMPANHAMENTO DO PROGRAMA DE INCENTIVO AO CULTIVO DO ALGODÃO ORGÂNICO NA AGRICULTURA DO OESTE DA BAHIA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

21.
TAMAI, M. A.; SILVA JÚNIOR, J.; SILVA, M. A. V.. Participação em banca de JADSON JORDÃO RIBEIRO.ACOMPANHAMENTO DO MONITORAMENTO DE PRAGAS E BENEFICIAMENTO DO ALGODÃO. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

22.
Neto, J. P. S.; SILVA JÚNIOR, J.; REBOUÇAS, A. C. M. N.. Participação em banca de JAMARA MARQUES JÁCOME.IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA ?PEGADA DE CARBONO? NO MUNICÍPIO DE BARREIRAS-BA E IMPORTÂNCIA DA CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

23.
REIS, T. C.; SILVA JÚNIOR, J.; RIBEIRO, M. P.. Participação em banca de JOÃO BRUNO MARTINS RIBEIRO.MONITORAMENTO DE PRAGAS E ESTIMATIVA DE PERDAS NA COLHEITA MECANIZADA DE ALGODÃO (Gossypium hirsutum)?. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

24.
REIS, P. F.; SILVA JÚNIOR, J.; BARBOSA, R. H.. Participação em banca de JOHN CHARLES DA SILVA SOUZA.AVERBAÇÃO DE RESERVA LEGAL E LICENCIAMENTO AMBIENTAL. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

25.
Neto, J. P. S.; SILVA JÚNIOR, J.; REBOUÇAS, A. C. M. N.. Participação em banca de LARISSA ISTELINA DE JESUS SANTOS.ARBORIZAÇÃO E MEDIDAS SOCIO-EDUCATIVAS EXECUTADAS PELA SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE DE BARREIRAS ? BA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

26.
REIS, T. C.; SILVA JÚNIOR, J.; COCOZZA, F. del M.. Participação em banca de MANUELLY ANDRESSA BATTISTI DE OLIVEIRA.VISITAS TÉCNICAS EM PROPRIEDADES DA REGIÃO OESTE DA BAHIA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

27.
REIS, T. C.; SILVA JÚNIOR, J.; COCOZZA, F. del M.. Participação em banca de MONIQUE OLIVEIRA DE MENEZES.LEVANTAMENTO DE ÁREAS, ACOMPANHAMENTO DO CONTROLE FITOSSANITÁRIO DE HORTALIÇAS E FRUTAS, E PESQUISA DE MERCADO EM REDISTRIBUIDORAS DE DEFENSIVOS AGRÍCOLAS PELA EMPRESA BAYER. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

28.
SANTOS, G. R.; SANTOS, J. F.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de ROBSON SANTOS DA SILVA.DELIMITAÇÃO DO FOCO DE Aleurocanthus woglumi Ashby (1945) NA REGIÃO OESTE DA BAHIA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

29.
COSTA, A. A.; REIS, T. C.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de ROMEU ALVES DOS SANTOS.ACOMPANHAMENTO DA NEGOCIAÇÃO EXTERNA DE INSUMOS AGRÍCOLAS E DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES RELACIONADAS À COLHEITA DE ALGODÃO, E PREPARO CONVENCIONAL DO SOLO. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

30.
TAMAI, M. A.; SILVA JÚNIOR, J.; KAPPES, L. I.. Participação em banca de RUBINEI NUNES FILHO.ACOMPANHAMENTO DE ATIVIDADES DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ASSESSORIA EM REGULARIZAÇÃO AMBIENTAL EM IMÓVEIS RURAIS. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

31.
TAMAI, M. A.; SILVA JÚNIOR, J.; ARAÚJO, F. A.. Participação em banca de SIMONI APARECIDA ALMEIDA RIBAS.ACOMPANHAMENTO DE ATIVIDADES LABORATORIAIS DE ANÁLISE DE SEMENTES DE SOJA (Glycine max) DA SEMENTES OILEMA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

32.
QUADROS, D. G. de; SILVA JÚNIOR, J.; SILVA, A. S.. Participação em banca de WILKA TEIXEIRA DE MIRANDA.MELHORAMENTO GENÉTICO E PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE NA AGROPECUÁRIA JACAREZINHO (COTEGIPE ? BA). 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia.

33.
BOMFIM, B. S. A.; SILVA JÚNIOR, J.; COIMBRA, J. L.; MILLER, L. O.. Participação em banca de BIANCA SAMAY ANGELINA BOMFIM.Produção Industrial de Agentes de Controle Biológico. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia.

34.
RODRIGUES, C. S.; SILVA JÚNIOR, J.; SANTOS, G. R.; PEDROZA, K. V. A. V.. Participação em banca de CRISTIANO DA SILVA RODRIGUES.ACOMPANHAMENTO DAS AÇÕES DE DEFESA SANITÁRIA ANIMAL E A INSPENÇÃO DOS PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL NA ADAB. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia.

35.
QUIRINO, E. F. S.; SILVA JÚNIOR, J.; BARRERO, F. M. C.; REIS, T. C.. Participação em banca de ÉDEN FELIPE DA SILVA QUIRINO.Acompanhamento da Implantação da Cultura da soja, preparo de solo e colheita de algodão do Grupo Mizote. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia.

36.
LIPPSTEIN, A. L. M. V.; STEFANELO, D. R.; SILVA JÚNIOR, J.; BARREIROS, D C. Participação em banca de ANA LEIRE MOTA VELOSO LIPPSTEIN.Assistência técnica e venda de herbicidas para pasto. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

37.
OLIVEIRA, G. L.; BARREIROS, D C; SILVA JÚNIOR, J.; BARRERO, F. M. C.. Participação em banca de GILSON LIMA OLIVEIRA.Acompanhamento do plantio de Feijão (Phaseolus vulgaris L.). 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

38.
FIGUEREDO, P. V. O.; SOUZA, M A S; SILVA JÚNIOR, J.; COCOZZA, F. del M.. Participação em banca de PALMIRA VALOIS OLIVEIRA FIGUEREDO.Acompanhamento do beneficiamento de grãos em uma fazenda do oeste baiano, safra 2011/2012. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

39.
ALMEIDA, R. R.; SOUZA, M A S; SILVA JÚNIOR, J.; CASALI, M. P. M.. Participação em banca de RAQUILES RODRIGUES DE ALMEIDA.Visitas técnicas para a avaliação das condições de custeio pecuário em propriedades rurais da Região Oeste da Bahia.. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

40.
SANTANA, S. A.; BARREIROS, D C; SILVA JÚNIOR, J.; BARRERO, F. M. C.. Participação em banca de SHEYLLA ARAÚJO SANTANA.Acompanhamento do processo de insdustrialização do caroço de algodão, produção de "torta e óleo bruto de algodão". 2012. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

41.
MACEDO, O. F.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de ADOLFO LUIS DE AZEVEDO.LEVANTAMENTOS PLANIMÉTRICOS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE TOPOGRAFIA CONVENCIONAL E GPS GEODÉSICO. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

42.
MACEDO, O. F.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de JULIANO MARCON DA LUZ.COMPARAÇÃO DA PRECISÃO ALTIMÉTRICA DO LEVANTAMENTO TOPOGRÁFICO ENTRE TEODOLITO E GPS. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

43.
BEZERRA, S F A; SOUZA, M A S; SILVA JÚNIOR, J.; CASALI, M. P. M.. Participação em banca de SIDCLEY FRANKLIN DE ARAÚJO BEZERRA.Superação da Dormência de semesntes de Sucupira-branca, Pterodon Emargginatus Vogel. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

44.
BEZERRA, S F A; SOUZA, M A S; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de SIDCLEY FRANKLIN DE ARAÚJO BEZERRA.SUPERAÇÃO DA DORMÊNCIA DE SEMESNTES DE SUCUPIRA-BRANCA, Pterodon emarginatus Vogel.. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

45.
SANTOS, G. R.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de NEISSON RAMOS DA CRUZ.MANEJO INTEGRADO DAS PRAGAS DO ALGODÃO (Gossypium hirsutum L) NA FAZENDA CALIFORNIA, REGIÃO OESTE DA BAHIA.. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

46.
SILVA JÚNIOR, J.; ALMEIDA, F. P.. Participação em banca de NÉLSON GILIARD RAMOS DA SILVA.ANALISE PRODUTIVA DE MILHOS HÍBRIDOS EM FORMOSA DO RIO PRETO - BA. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

47.
SILVA JÚNIOR, J.; BARREIROS, D C; SOUZA, M A S. Participação em banca de RAIMUNDO GUEDES DE ALMEIDA.EFEITOS DA SUPLEMENTAÇÃOMINERAL E MISTURA MÚLTIPLA NA PECUÁRIA DE CORTE NLO OESTE DA BAHIA. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

48.
SILVA JÚNIOR, J.; SOUZA, M A S. Participação em banca de PEDRO JOSÉ CUSTÓDIO NETO.PRODUÇÃO DE SEMENTE DE SOJA, NO SISTEMA PLANTIO DIRETO, NA FAZENDA ELIANE, SAFRA 2009/2010. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

49.
SANTOS, A. B.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Adelaide Batista da Cruz.A Descentralização das Ações de Controle e da Hanseníase na cidade de Barreiras, Bahia.. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade do Estado da Bahia.

50.
MERCES, Z. P. R.; SILVA JÚNIOR, J.; COCOZZA, F. del M.. Participação em banca de Zênia Paula R. das Merces.Estudo quali-quantitativo da arborização na área interna do DCH/Campus IX - Barreiras, Bahia.. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade do Estado da Bahia.

51.
PORTO, F. S.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de FÁBIO DA SILVA PORTO.EFEITO DE EXTRATOS VEGETAIS DE PLANTAS NATIVAS DO CERRADO BAIANO SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE FUSARIUM SOLANI, AGENTE ETIOLÓGICO DA PODRIDÃO VERMELHA DA RAIZ.. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia.

52.
MARQUES, P. E. C.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de PEDRO EMÍLIO CUSTÓDIO MARQUES.DENSIDADE POPULACIONAL DAS COMUNIDADES BACTERIANAS E FÚNGICAS EM SOLOS DO CERRADO E ÁREAS CULTIVADAS. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia.

53.
CARVALHO, J. P.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de JHONATHAN PIMENTEL CARVALHO.DIVERSIDADE DE NEMATÓIDES FITOPARASITAS EM ÁREAS NATIVAS DO CERRADO E AGRICULTURA NA REGIÃO DA RODA VELHA, MUNICÍPIO DE SÃO DESIDÉRIO, BAHIA.. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia.

54.
CORDEIRO, I. N.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Isadora Nogueira Cordeiro.Estudo epidemiológico de doenças do Girassol no oeste da Bahia. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia.

55.
OLIVEIRA, Y. T.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Yulia Tishchenko de oliveira.Escleródios de Sclerotínia sclerotiorum submetidos a diferentes extratos vegetais de plantas do Cerrado Baiano. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia.

56.
ALMEIDA, T. S.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Thalita Simões Almeida.sUSCETIBILIDADE4 DE VARIEDADES DE mAMONA (Ricinus communis L.) ao mofo cinzento na região Oeste da Bahia. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia.

57.
OLIVEIRA, G. C.; REIS, T. C.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de GINA CARLA DE OLIVEIRA.DETERMINAÇÃO DO TEOR DE MATÉRIA ORGÂNICA EM SOLOS DA REGIÃO OESTE DA BAHIA. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia.

58.
ALMEIDA, F. P.; SANTOS, G. R.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Valter de Almeida Pinto Júnior.Desenvolvimento inicial de Pinhão -manso (Jatropha curcas L.) em diferentes espaçamentos no município de Angical - BA.. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

59.
FIGUEIREDO, A. N.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de ADRIANA NUNES DE FIGUEIREDO.CONTROLE QUÍMICO DA CERCOSPORIOSE EM CAFÉ NO OESTE DA BAHIA. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia.

60.
SOUZA, B. L. D. N.; ALMEIDA, F. P.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de BRIANNA LÍDIA DUARTE NUNES DE SOUZA.Avaliação da época de plantio e densidade de semeadura de genótipos de soja [Glycine max (L.) Merril]. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

61.
NUNES, A. O. R.; SANTOS, G. R.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Anderson Onofre do Rêgo Nunes.Avaliação da resistência de genótipos de mandioca ao percevejo-de-renda e cochonilha no cerrado do Distrito Federal; Avaliação de espécies de Brachiaria ao ataque de cigarrinha-das-pastagens. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

62.
MARCAL JUNIOR, C.; SANTOS, G. R.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Cláudio Marçal Júnior.Manejo das principais pragas de ocorrência no algodoeiro na Fazenda Amizade no oeste da Bahia, safra 2006/7. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

63.
BATISTA, P. C.; SANTOS, G. R.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Pablo Cardoso Batista.Principais pragas de ocorrência na cultura da soja no oeste da Bahia e as medidas de controle. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

64.
BERTOLI, L.; SANTOS, G. R.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Lúcio Bertoli.Diagnose e controle de pragas e doenças em sistemas de produção de sementes de soja. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

65.
PAVAO, Y. T. A. G.; ALVAREZ, C. G. D.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Yann Thomas Alinka Gropp Pavão.Ambiência na produção de bovinos de corte a pasto no oeste da Bahia. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

66.
BARBOSA, R. H.; ALMEIDA, F. P.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Rosângela Honorato Barbosa.Elaboração e implantação de projeto florestal com eucalipto (Eucalyptus urophylla e Eucalyptus grandis em Riachão das Neves ? BA. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

67.
NUNES, A. J.; ALMEIDA, F. P.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Antônio José Nunes.Avaliação de genótipos de soja [Glycine max (L.) Merrill] à ferrugem e à podridão da raiz. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

68.
GEMELLI, F.; ALMEIDA, F. P.; SILVA JÚNIOR, J.. Participação em banca de Flávio Gemelli.Análise de solo e nutrição de plantas: importância e interações. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

69.
BATISTA, L. M.; SILVA JÚNIOR, J.; SANTANA, J. N.. Participação em banca de Luanda Mendes Batista.Condução da bananeira (Musa spp.) no Distrito de Irrigação do perímetro irrigado de Mirorós, BA. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Professor titular
1.
LOPES, S. S. M.; SILVA JÚNIOR, J.; PIGNATA, E. K. A. A.; LOUSADA, G. A. S.. BANCA DOCENTE - ENTOMOLOGIA GERAL. 2014. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

2.
REGO, E. L.; CASALI, M. P. M.; ARAUJO, R. Q. M.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - FÍSICA GERAL. 2014. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

3.
AMARAL, T. S.; LOUSADA, G. A. S.; ARAUJO, R. Q. M.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - ENTOMOLOGIA GERAL. 2014. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

4.
SANTOS, I. M.; CASALI, M. P. M.; ARAUJO, R. Q. M.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - ENTOMOLOGIA GERAL. 2014. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

5.
MORENO, J. M.; BARREIROS, D C; CASSOL, A. P.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - FISIOLOGIA ANIMAL. 2013. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

6.
JUNOR, V. R. B.; CASALI, M. P. M.; CASSOL, A. P.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - TOPOGRAFIA. 2013. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

7.
OLIVEIRA, D. N.; CASSOL, A. P.; BARRERO, F. M. C.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - BOTÂNICA II. 2012. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

8.
KARSTEN, J.; CASALI, M. P. M.; SANTANA, J. N.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - FISIOLOGIA VEGETAL I. 2012. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

9.
LOUSADA, G. A. S.; STEFANELO, D. R.; SANTANA, J. N.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - FITOPATOLOGIA. 2012. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

10.
PINTO, F. R. L.; CASALI, M. P. M.; SANTANA, J. N.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - HIDRAULICA E HIDROLOGIA. 2012. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

11.
GUERREIRO, D.; SOUZA, M A S; PIGNATA, E. K. A. A.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - OLERICULTURA. 2012. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

12.
OLIVEIRA, F. A.; PIGNATA, E. K. A. A.; SANTANA, J. N.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - CLASSIFICAÇÃO DE SOLOS. 2012. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

13.
SILVA JÚNIOR, J.; COSTA, A. A.; FRANK, G.; BARRERO, F. M. C.. BANCA DOCENTE - FERTILIDADE E NUTRIÇÃO DE PLANTAS. 2011. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

14.
BARRERO, F. M. C.; CASALI, M. P. M.; SANTANA, J. N.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - ECOLOGIA. 2011. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

15.
MACEDO, O. F.; CASALI, M. P. M.; SANTANA, J. N.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - TOPOGRAFIA. 2011. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

16.
SCHNEIDER, L. C.; CASALI, M. P. M.; CASSOL, A. P.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - TECNOLOGIA DE PRODUTOS AGROPECUARIOS. 2011. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

17.
BARREIROS, D C; FRANK, G.; SANTANA, J. N.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - BOVINOCULTURA. 2011. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

18.
STEFANELO, D. R.; SANTANA, J. N.; FRANK, G.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - FITOPATOLOGIA. 2010. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

19.
SOUZA, M A S; CASALI, M. P. M.; SANTANA, J. N.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - FÍSICA GERAL. 2010. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

20.
SANTOS, L. D.; CASALI, M. P. M.; SANTANA, J. N.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - MICROBIOLOGIA GERAL. 2009. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

21.
MARTINS, M.C.; FRANK, G.; SANTANA, J. N.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - AGRICULTURA I. 2009. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

22.
MIRANDA, A. M.; SANTANA, J. N.; CASALI, M. P. M.; SILVA JÚNIOR, J.. BANCA DOCENTE - FÍSICA GERAL. 2009. Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras.

Concurso público
1.
COIMBRA, J. L.; DORNELLES, R. J.; DA SILVA JÚNIOR, JORGE. Professor Substituto de GESTÃO AMBIENTAL/GESTÃO DE ASSOCIAÇÃO E COOPERATIVAS/GESTÃO E MARKETING DO SISTEMA AGROINDUSTRIAL/AVALIAÇÃO E PERÍCIAS EM AGRONOMIA. 2018. Universidade do Estado da Bahia.

2.
COIMBRA, J. L.; TAMAI, M. A.; SILVA JÚNIOR, J.. Professor Substituto de TÓPICOS DE FÍSICA, FÍSICA, BIOFÍSICA, E QUÍMICA. 2014. Universidade do Estado da Bahia.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
X CISAGRO - CICLO DE SEMINÁRIOS DE AGRONOMIA.QUALIDADE DA MATÉRIA ORGÂNICA DOS SOLOS DE 3 MICROREGIÕES PRODUTORAS DE GRÃOS E FIBRAS NO CERRADO BAIANO. 2017. (Encontro).

2.
XXI JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA.CONHECIMENTO, INOVAÇÃO E TRASNFORMAÇÃO LOCAIS. 2017. (Encontro).

3.
1ª MOSTRA CIENTÍFICA E DE INOVAÇÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA DA UFU.SEQUESTRO DE CARBONO EM SOLOS DO CERRADO BAIANO. 2016. (Outra).

4.
FERTBIO 2016 - RUMO AOS NOVOS DESAFIOS. TEOR DE MICRONUTRIENTES NO SOLO PELO USO DE SILICATO DE CÁLCIO, RESÍDUO FOSFATADO E CALCÁRIO.. 2016. (Congresso).

5.
IX SEMANA AGRONÔMICA DE AGRONOMIA.POTENCIAL DO SEQUESTRO DE CARBONO EM SOLOS DO CERRADO. 2016. (Outra).

6.
SEMANA DE AGRONOMIA DA UFU. 2016. (Outra).

7.
XX REUNIÃO BRASILEIRA DE MANEJO DA CONSERVAÇÃO DE SOLO E ÁGUA. USO DE DIFERENTES CORRETIVOS DA ACIDEZ E RELAÇÕES COM ATRIBUTOS FÍSICOS E CARBONO ORGÂNICO DO SOLO. 2016. (Congresso).

8.
PLANEJAMENTO EDUCACIONAL DA FASB.A EDUCAÇÃO DA EMANCIPAÇÃO HUMANA. 2015. (Outra).

9.
XIII CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASB. 2015. (Congresso).

10.
Semana de Planejamento Pedagógico da FASB.Rediscutindo a Praxis Pedagógica a partir dos Direitos e Deveres em sala de aula.. 2014. (Outra).

11.
XII CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASB. 2014. (Congresso).

12.
2a. CONFERÊNCIA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTETENTÁVEL E SOLIDÁRIORIO. 2013. (Outra).

13.
II Simpósio de Defesa Agropecuária do Oeste Baiano com o tema: Sanidade Vegetal no Oeste da Bahia..Cultura do algodão e principais problemas fitossanitários no Oeste. 2013. (Simpósio).

14.
PLANEJAMENTO EDUCACIONAL DA FASB. 2013. (Oficina).

15.
SEMINÁRIO: IMPACTOS CAUSADOS POR AGROTOXICOS NOS TERRITÓRIOS DAS BACIAS DOS RIOS: GRANDE E VELHO CHICO. 2013. (Seminário).

16.
SEMINÁRIO BRASILEIRO SOBRE HELICOVERPA. 2013. (Seminário).

17.
Seminário sobre o Cerrado e Legislação Ambiental. 2013. (Seminário).

18.
XXIII CONGRESSO NACIONAL DE IRRIGAÇÃO E DRENAGEM - CONIRD. 2013. (Congresso).

19.
1º SEMINÁRIO DE SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL NO AGRONEGÓCIO DO OESTE DA BAHIA. 2009. (Seminário).

20.
IX ENCONTRO DA CAFEICULTURA DO CERRADO DA BAHIA. 2009. (Encontro).

21.
PALESTRA: O VENDEDOR DE SONHOS. 2009. (Outra).

22.
4º Congresso Brasileiro de Plantas Oleaginosas, Óleos, Gorduras e Biodiesel. EXTRATOS DE MAMONA NO CONTROLE DA FERRUGEM ASIÁTICA. 2007. (Congresso).

23.
PROFISSIONALIZAÇÃO DOCENTE: ATITUDE DO PROFESSOR PESQUISADOR EM SALA DE AULA.. 2007. (Seminário).

24.
X Agroex - Seminário do Agronegócio para Exportação. 2007. (Seminário).

25.
XL Congresso Brasileiro de Fitopatologia. EFEITO DE FUNGICIDAS APLICADOS EM DIFERENTES ESTÁDIOS FENOLÓGICOS NO CONTROLE DA FERRUGEM ASIÁTICA E NA PRODUTIVIDADE DA SOJA. 2007. (Congresso).

26.
V SIMPÓSIO DE CONTROLE DE DOENÇAS DE PLANTAS: MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS. 2005. (Simpósio).

27.
XXXVIII CONGRESSO BRASILEIRO DE FITOPATOLOGIA.. EFEITO DE FUNGICIDAS APLICADOS EM DIFERENTES ESTÁDIOS FENOLÓGICOS NO CONTROLE DA FERRUGEM ASIÁTICA E NA PRODUTIVIDADE DA SOJA.. 2005. (Congresso).

28.
I SIMPÓSIO SOBRE A CULTURA DA SOJA. 2004. (Simpósio).

29.
VI ENCONTRO TÉCNICO DA CULTURA DO MILHO.. 2003. (Encontro).

30.
VI SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃODO PBIICT/FAPEMIG..AVALIAÇÃO DA INCIDÊNCIA E SEVERIDADE DA SCLEROTINIA SCLEROTIORUM EM HIBISCUS. 2003. (Seminário).

31.
II SIMPÓSIO DE CONTROLE DE DOENÇAS DE PLANTAS: PATOLOGIA PÓS-COLHEITA DE. 2002. (Simpósio).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
PIGNATA, E. K. A. A. ; SILVA JÚNIOR, J. . XVI CIC - CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASB. 2018. (Congresso).

2.
SILVA JÚNIOR, J.; RODRIGUES, D. C. . II ENCONTRO DE AGRONOMIA DA FASB. 2015. (Outro).

3.
SILVA JÚNIOR, J.. XIII CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASB - CIC. 2014. (Congresso).

4.
HONAISER, A. M. ; WELTER, L. ; SILVA JÚNIOR, J. . ENAGRO - Encontro Agronômico da FASB. 2014. (Outro).

5.
SILVA JÚNIOR, JORGE DA. XII Mostra de Cursos - AGROFASB. 2014. (Outro).

6.
BARRERO, F. M. C. ; SILVA JÚNIOR, J. . II SIMPÓSIO DE AGRONOMIA DA FASB. 2014. (Outro).

7.
KARSTEN, J. ; JOIA, L. C. ; ROSSI, A. A. F. ; PIGNATA, E. K. A. A. ; MADEIRA, I. E. C. ; MORAES, I. B. ; VIANA, J. M. ; SILVA JÚNIOR, J. ; DOBRACHINSKI, L. ; KAWANO, M. ; MAINERI, M. M. ; SILVA, M. C. ; BARRETO, R. M. M. ; LIMA, R. B. ; OLIVEIRA, A. M. ; MEDEIRO, E. S. M. ; DORFEY, E. S. ; FENATO, M. ; FRANCA, S. A. G. . XI CONGESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - CIC/ A pesquisa como eixo articulador: Prática e Saberes. 2013. (Congresso).

8.
SILVA, M. A. V. ; SILVA JÚNIOR, J. . II SIMPÓSIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA. 2013. (Congresso).

9.
SILVA JÚNIOR, J.; BARRERO, F. M. C. ; MARAFIGA, M. V. B. . I SIMPOSIO DE AGRONOMIA DA FASB. 2013. (Outro).

10.
SILVA JÚNIOR, J.. XII CIC - Congresso de Iniciação Científica da FASB. 2013. (Congresso).

11.
SILVA JÚNIOR, J.; PIGNATA, E. K. A. A. . X CIC - CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. 2012. (Congresso).

12.
SILVA JÚNIOR, J.; SILVA, M. A. V. . III SEMANA AGRONÔMICA DE BARREIRAS. 2012. (Outro).

13.
SILVA JÚNIOR, J.. IX CIC - CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. 2011. (Congresso).

14.
SILVA JÚNIOR, J.. II SEMANA AGRONÔMICA DE BARREIRAS. 2011. (Outro).

15.
SILVA JÚNIOR, J.. VIII CIC - Congresso de Iniciação Científica. 2010. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Iniciação científica
1.
GUSTAVO DA COSTA SILVA. FRACIONAMENTO DA MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO NA REGIÃO DO CERRADO BAIANO. Início: 2016. Iniciação científica (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal de Uberlândia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Monografia de conclusão de curso de aperfeiçoamento/especialização
1.
ANA PAULA ROSA DOS SANTOS DAMASCENO. AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO: SUAS IMPLICAÇÕES E PERSPECTIVAS PARA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. 2016. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA) - Faculdade São Salvador. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

2.
Elvira Seixas Martins. Oportunidade de negócio com aplicabilidade na Área de Ecoturismo na cidade de Barreiras, visando a preservação ecológica da região Oeste da Bahia. 2010. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em GESTÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA) - Instituto de educação Superior Unyahna de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

3.
CAMILA DE CARVALHO DE BRITO. ANÁLISE MORFOLÓGICA DE SEMENTES E CRESCIMENTO INICIAL DE PLANTULAS DE AROEIRA CULTIVADAS EM DIFERENTES SUBSTRATOS.. 2010. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em CIÊNCIAS BIOLÓGICAS) - Universidade do Estado da Bahia. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
FABIANA DA SILVA TRABUCO. FLUTUAÇÃO DA POPULAÇÃO DAS PRINCIPAIS PRAGAS E INIMIGOS NATURAIS EM FUNÇÃO DO MANEJO E CONDIÇÕES CLIMÁTICAS DA MAMOCULTURA NOS PERÍMETROS IRRIGADOS DOS DISTRITOS DE BARREIRAS E RIACHÃO DAS NEVES, NO OESTE BAIANO. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

2.
FRANCISCO JEOVANE ALVES RODRIGUES. CONTROLE QUÍMICO DA MANCHA RAMULÁRIA DO ALGODÃO NA REGIÃO DA COACERAL. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Agronomia) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

3.
EMERSON ANDRÉ MARONEZ FAGUNDES. EFICIENCIA DE INSETICIDAS NO CONTROLE DA Helicoverpa spp. (Lepidoptera: Noctuidae) NA CULTURA DA SOJA. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Agronomia) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

4.
WILBER PARAGUASSU MATUTINO AMORIM. AVALIAÇÃO DE FORMAS DE CONTROLE DO ALGODÃO DE SEDA (Calotropis procera) EM PASTAGEM NA FAZENDA ALTO DA CAIERA, BARREIRAS - BA. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Agronomia) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

5.
HENRRIQUE AUGUSTO PASSOS ARAGÃO. DO CONTROLE QUÍMICO E MECANICO DE PLANTAS INVASORAS EM PASTAGEM DO OESTE DA BAHIA. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Agronomia) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

6.
FELIPE ANTONIO SANTOS MACHADO. DE EXTRATOS VEGETAIS OBTIDOS DE PLANTAS NATIVAS DO CERRADO SOBRE A MOBILIDADE E MORTALIDADE DOS JUVENIS DE SEGUNDO ESTAGIO DO NEMATOIDE DE GALHA (Meloidogyne incognita). 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Agronomia) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

7.
JOÃO MANOEL CAVALCANTE DE ARAÚJO. EFICIENCIA DE FUNGICIDAS NO CONTROLE DO MOFO BRANCO (Sclerotinia sclerotiorum) NA CULTURA DA SOJA SAFRA 2012/2013. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Agronomia) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

8.
ERIVELTON DE ALMEIDA DA SILVA. CONTROLE DA FALSA MEDIDEIRA (Pseudoplusia includens) NA CULTURA DA SOJA, NA FAZENDA 2 IRMAOS EM FORMOSA DO RIO PRETO - BA. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Agronomia) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

9.
HELTON JONE FRANCISCO DE BORJA. COMPORTAMENTO DA CULTURA DA ALFACE EM DIFERENTES SOMBREAMENTOS. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Agronomia) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

10.
ITAMAR LIPPSTEIN. Formação de preço e aquisição de soja para a empresa CARGILL AGRÍCOLA S/A no município de Barreiras - BA. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

11.
ROMERITO DA SILVA BRANDÃO. Acompanhamento técnico da cultura do cacau no Perímetro de irrigação Barreiras Norte. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

12.
ROSELI MARIA DALMOLIN FERIGOLLO. RESPOSTA DO GESSO AGRÍCOLA NA PRODUTIVIDADE DO ALGODOEIRO (Gossypium hirsutum sp.). 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Agronomia) - União do Ensino Superior de Nova Mutum. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

13.
DIEGO ANDRADE REGIS. MANEJO E CONTROLE DAS PRAGAS DO ALGODOEIRO NA FAZENDA SAVANA, RIACHÃO DAS NEVES - BA, SAFRA 2010/2011. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

14.
BRUNO COSTA OLIVEIRA. INSTALÇÃO DE VIVEIRO PARA PRODUÇÃO DE MUDAS FLORESTAIS. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

15.
Itamar Lippstein. Diferentes fungicidas utilizados no controle de Ramulária e Mirotécio no algodoeiro.. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

16.
Josiel Menezes da Silva. Conservação pós-colheita de bananas ´PRATA ANô, ´NANICA´ e ´MAÇô climatizada e comercializada em Barreiras, BA. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

17.
Elton Medeiros Rego. Diagnóstico da importância do georreferenciamento para a região oeste.. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Universidade do Estado da Bahia. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

18.
Wallacy dos Santos Nunes. Avaliação de pragas, doenças e nutrição em campos experimentais da cultura do milho (Zea mays L.) na Região do Oeste da Bahia.). 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

19.
Darley Fabrício Borges Correia de Oliveira. Diagnóstico da Cultura da Mamona (Ricinus communis L.) na Micro-região do município do Senhor do Bonfim.. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

20.
Paulo Renato Huff. Acompanhamento do Manejo de uma lavoura de soja [Glycine max (L.) Merrill], no Cerrado do Oeste da Bahia: Do plantio à Colheita.. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

21.
Agnelo Araújo Dias Alves. Acompanhamento de ensaios experimentais de Algodão Colorido (Gossypium hirsutum) em municípios do Oeste Baiano.. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

22.
Diego Falcone Nunes de Brito. Manejo integrado das pragas do algodoeiro em cultivo no Cerrado.. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

23.
Fabiano Guilherme Rieger. Agricultura Orgânica da Região do Oeste do Paraná.. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

24.
José Márcio Albino da Silva Santana. Manejo integrado das pragas da cana-de-açúcar (Sacharum officinarum L.) na Usina Santa Maria, Região Norte de Alagoas - safra 2007/2008. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

25.
Miguel Alves de Santana. Manejo Integrado das pragas da soja [Glycine max (L.) Merrill] na Fazenda Razia, safra 2007/2008.. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

26.
Nilmária Rodrigues de Carvalho. Acompanhamento de ensaios de melhoramento genético do algodoeiro na região do Oeste Baiano.. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

27.
Saulo da Silva Barbosa. Manejo da cultura do algodoeiro na Fazenda Marechal Rondo em São Desidério no Oeste da Bahia em cultivo convencional, safra 2007/2008.. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

28.
Aila Manuela Souza Silva. Acompanhamento do cultivo da soja [Glycine max (L) Merril] na regiãodo Oeste da Bahia - Safra 2007/2008.. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

29.
Luanda Mendes Batista. Condução da bananeira (Musa spp.) no Distrito de Irrigação do Perímetro Irrigado de Mirorós, BA. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

Iniciação científica
1.
RAFAEL SOARES BATISTA. EFEITOS DE ISOLADOS DO FUNGO Isaria (PERSON) SOBRE O MOLEQUE DA BANANEIRA Cosmopolites sordidus (GERMAR) NO CULTIVO DA BANANA (MUSA SPP). 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia, PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UNEB. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

2.
IARA RODRIGUES GONÇALVES. ISOLADOS DE ACTINOMICETOS DO CERRADO BAIANO COMO CONTROLE BIOLÓGICO DO NEMATÓIDE RADOPHOLUS SIMILIS DA BANANICULTURA.. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia, PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UNEB. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

3.
PABLYNE SOARES DA SILVA. LEVANTAMENTO DE FERTILIDADE DE SOLOS EM PROPRIEDADES DO OESTE DA BAHIA SOB DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO DE GRÃOS E FIBRAS, SAFRA 2014/15. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras, PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

4.
DANILO CARDOSO RODRIGUES. LEVANTAMENTO DE FERTILIDADE DE SOLOS EM PROPRIEDADES DO OESTE DA BAHIA SOB DIFERENTES SISTEMAS DE CULTIVO DE GRÃOS E FIBRAS, SAFRA 2014/15. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras, PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

5.
FABIANA DA SILVA TRABUCO. LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DAS PRINCIPAIS PRAGAS DA MAMOCULTURA NOS PERÍMETROS IRRIGADOS DO OESTE BAIANO. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

6.
IARA RODRIGUES GONCALVES. OCORRÊNCIA E SEVERIDADE DAS PRINCIPAIS DOENÇAS DA CULTURA DO MAMÃO NOS PERÍMETROS IRRIGADOS DOS DISTRITOS DE BARREIRAS E RIACHÃO DAS NEVES, NO OESTE BAIANO. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Engenharia Agronômica) - Universidade do Estado da Bahia, PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UNEB. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

7.
IARA RODRIGUES GONÇALVES. OCORRÊNCIA E SEVERIDADE DAS PRINCIPAIS DOENÇAS DA CULTURA DA BANANA IRRIGADA NOS PERIMETROS IRRIGADOS DOS DISTRITOS DE BARREIRAS E RIACHÃO DAS NEVES, NO OESTE BAIANO. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia, PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UNEB. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

8.
JOANA MARTA CAMARA DE JESUS. LEVANTAMENTO E MONITORAMENTO DAS PRAGAS DA CULTURA DA BANANA E SEUS INIMIGOS NATURAIS NOS PERIMETROS IRRIGADOS DO OESTE BAIANO. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Universidade do Estado da Bahia, PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UNEB. Orientador: Jorge da Silva Júnior.

Orientações de outra natureza
1.
LUY TIMM. MONITORIA DE ENSINO_MAQUINAS E MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA. 2015. Orientação de outra natureza. (AGRONOMIA) - Instituto Avançado de Ensino Superior de Barreiras. Orientador: Jorge da Silva Júnior.



Inovação



Projetos de pesquisa



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 12/12/2018 às 20:00:40