José Inaldo Chaves Júnior

Bolsista de Doutorado do CNPq

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3413426619092556
  • Última atualização do currículo em 03/08/2014


Licenciado em História pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB, 2010); mestre (2013) e doutorando em História Social pela Universidade Federal Fluminense (PPGH/UFF). Atualmente é Professor Assistente de História do Brasil no Instituto de Ciências Humanas da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (ICH/Unifesspa). Integra o "Núcleo de Pesquisa e Estudos em História Cultural" (NUPEHC), sediado na UFF. Atua na área de História, com ênfase em História do Brasil, principalmente nos seguintes temas: história urbana e do urbanismo; cidades coloniais; culturas políticas; governança e elites locais; populações indígenas, territórios e identidades; capitanias do Norte; Amazônia colonial. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
José Inaldo Chaves Júnior
Nome em citações bibliográficas
CHAVES JR., J. I.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, Instituto de Ciências Humanas.
Quadra Sete (Fl.31)
Nova Marabá
68507590 - Marabá, PA - Brasil
Telefone: (94) 21017136
Fax: (94) 21017136
URL da Homepage: www.unifesspa.edu.br


Formação acadêmica/titulação


2013
Doutorado em andamento em História.
Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
Título: Pernambuco e as capitanias do Norte: a construção de uma capitalidade a partir da política, dos negócios e das territorialidades (1750-1808),
Orientador: Maria Fernanda Baptista Bicalho.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil / Especialidade: História do Brasil Colônia.
Setores de atividade: Outras atividades profissionais, científicas e técnicas; Educação.
2011 - 2013
Mestrado em História.
Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
Título: "As duras cadeias de hum governo subordinado": história, elites e governabilidade na Capitania da Paraíba (c. 1755 - c.1799).,Ano de Obtenção: 2013.
Orientador: Maria Fernanda Baptista Bicalho.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.
Palavras-chave: Império português; século XVIII; Capitania da Paraíba; elites locais; historiografia.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História.
Setores de atividade: Atividades profissionais, científicas e técnicas.
2006 - 2010
Graduação em História.
Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Brasil.
Título: O caso de Monte-Mor: elites locais e culturas políticas na capitania da Paraíba no fim do Setecentos.
Orientador: Acácio José Lopes Catarino.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.


Formação Complementar


2014 - 2014
Extensão universitária em Oficina de Integração ICMBio/Unifap. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal do Amapá, UNIFAP, Brasil.
2010 - 2010
Extensão universitária em População Negra e Direitos Humanos.... (Carga horária: 40h).
Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Brasil.
2010 - 2010
Patrimônio Histórico Cultural. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Brasil.
2010 - 2010
Marx e o Marxismo. (Carga horária: 14h).
Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
2009 - 2009
Cultura Artística do Barroco. (Carga horária: 15h).
Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará, UNIFESSPA, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Assistente, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade Federal do Amapá, UNIFAP, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2014
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Assistente, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

03/2014 - 07/2014
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Introdução a Sociologia
01/2014 - 07/2014
Conselhos, Comissões e Consultoria, Campus Binacional de Oiapoque, .

Cargo ou função
Membro titular da Comissão de Pesquisa do Colegiado de História.
10/2013 - 07/2014
Pesquisa e desenvolvimento , Reitoria, .

01/2014 - 03/2014
Ensino, Licenciatura Intercultural Indígena, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Projetos Econômicos em Terras Indígenas

Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Doutorando, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Bolsista de Doutorado do CNPq.

Vínculo institucional

2011 - 2013
Vínculo: Estudante de Mestrado, Enquadramento Funcional: Estudante de Mestrado, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Aluno do Programa de Pós-graduação em História Social da UFF. Bolsista Capes/DS.

Atividades

03/2011 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Estudos Gerais, .


Universidade Federal da Paraíba, UFPB, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2011
Vínculo: Bolsista ITI, Enquadramento Funcional: Bolsista ITI Nível A, Carga horária: 12
Outras informações
Bolsista ITI do CNPq - nível A junto ao Curso de História PEC/MSC. Atua nas áreas de história do Brasil-Colônia e Teoria da História.

Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Monitor, Enquadramento Funcional: estudante-bolsista, Carga horária: 12
Outras informações
Monitor da disciplina Teoria da História I.

Vínculo institucional

2008 - 2009
Vínculo: Monitor, Enquadramento Funcional: estudante-bolsista, Carga horária: 12
Outras informações
Monitor da disciplina Introdução aos Estudos de História.

Atividades

2007 - 01/2011
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Humanas Letras e Artes - Campus I, .


Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Pe. Hildo Bandeira, EEEFMPHB, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2008
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Prestador de serviço, Carga horária: 20
Outras informações
Professor de História nas três séries do Ensino Médio.



Linhas de pesquisa


1.
Territorialidades, Poder e Identidades nas Capitanias do Norte

Objetivo: Objetivos: O período colonial no Nordeste ainda é muito pouco estudado atualmente, se comparado com a produção existente sobre os períodos imperial e republicano. Entre estas, evidencia-se a história político-administrativa, que é de fundamental importância para compreender a gênese da cultura política localista, patrimonial e burocrática, e dos mecanismos de apropriação e concentração de riquezas pelas elites, que caracterizam a economia e a sociedade brasileiras. Por outro lado, um dos objetivos é estudar as relações entre cultura, espaço e poder, tentando entender como os diversos agentes sociais envolvidos no processo de conquista e ocupação do Nordeste definiram estratégias a partir de suas dinâmicas culturais e identitárias.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História.
Setores de atividade: Educação; Atividades profissionais, científicas e técnicas.
Palavras-chave: Culturas políticas; Império Luso-Brasileiro; Poder e territorialidades na colônia..
2.
Poder e Sociedade

Objetivo: Estudo sobre as relações de poder em suas dimensões tanto formais quanto informais, abordando temáticas como: Estado, instituições, atores e pensamento político, relações internacionais, regimes e sistemas políticos, cultura e poder, e micro poderes..
Grande área: Ciências Humanas / Área: História.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História Moderna e Contemporânea.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil / Especialidade: História do Brasil Colônia.
3.
Economia e Sociedade
4.
Culturas políticas e territorialidades no Antigo Regime Ibérico


Projetos de pesquisa


2013 - Atual
Pernambuco e as Capitanias do Norte: a construção de uma capitalidade a partir da política, dos negócios e das territorialidades (1750-1808)

Descrição: "Pernambuco e as capitanias do Norte: a construção de uma capitalidade a partir da política, dos negócios e das territorialidades (1750-1808)" tem por objetivo investigar a construção de territorialidades nos espaços que compreendiam as antigas capitanias do Norte do Estado do Brasil, fundamentalmente na segunda metade do século 18, um período marcado pelos projetos de reforma territorial no reino e nas conquistas ultramarinas. No Atlântico português, as reformas territoriais, a exemplo da chamada política de capitanias anexadas , no nordeste oriental, e da criação de cidades e vilas por todo o Brasil, confundiram-se com as redefinições ilustradas acerca do governo ultramarino, mas também revelaram os flancos de uma política imperial permeável às concepções corporativas e pluralistas do poder, típicas do Antigo Regime. Por outro lado, no caso das capitanias anexas no Nordeste oriental do Estado do Brasil, a institucionalização de núcleos urbanos maiores serviu igualmente na confirmação da posição de capitalidade exercida pelo Recife desde os tempos flamengos , demonstrando, por sua vez, o pragmatismo ilustrado orientado por soluções políticas adequadas às localidades. Segundo Evaldo Cabral de Mello, até pelo menos os finais de Setecentos, as capitanias do Norte formavam um conjunto que há muito tivera a intuição de uma unidade assentada em raízes entranhadas . Os primeiros sinais desta integração territorial eram sentidos, sobretudo, a partir do comércio e da política, ressaltando, neste caso, a influência exercida pelos homens de negócio da praça do Recife por uma vasta hinterland, não restrita ao litoral, mas espraiada por uma infinidade de ramificações mercantis pelos sertões; outro sintoma era a proeminência política, confirmada pelas decisões régias, dos governadores-generais de Pernambuco, responsáveis, dentre outros poderes, pelo descimento das populações indígenas dos antigos aldeamentos nas capitanias do Norte, conduzidas às novas vilas instaladas na segunda metade do século XVIII. Doutra feita, este período assistiu um exponencial aumento da influência política dos generais de Pernambuco, especialmente no que tange ao seu relacionamento com os demais capitães-mores e com as elites locais. Este Projeto visa construir uma abordagem que, congregando a história do urbanismo colonial português, a nova história social e a história indígena, dê conta desse novo ordenamento territorial assumido nas antigas capitanias do Norte em meados de Setecentos, que confirmou a capitalidade do Recife e a proeminência de seus governadores no trato com as elites locais e no governo da conquista, mas também produziu um novo cenário relacional com populações subalternas na América portuguesa, especialmente aquelas que compuseram o contingente-base das chamadas vilas pombalinas, cujo principal objetivo a ser cumprido era produzir um território ocupando-o. Neste sentido, os indígenas passaram de obstáculos à conquista lusa a elementos imprescindíveis na consolidação da colonização, recebendo, inclusive o novo qualitativo de vassalos de Sua Majestade . De antemão, entendemos que uma territorialidade é formada pelas relações sociais (existenciais e de produção) que se estabelecem no interior dos territórios. Neste sentido, na esteira dos estudos de Michel de Certeau, Michel Foucault e Claude Reffestin, avaliamos que um sistema territorial é composto de tessituras, de nós e de redes organizadas hierarquicamente, permitindo o controle sobre aquilo que pode ser distribuído, alocado e/ou possuído, delimitando, assim, campos de ações (de poder) nas práticas espaciais que constituem o território..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: José Inaldo Chaves Júnior - Coordenador / Maria Fernanda Baptista Bicalho - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2011 - Atual
Labirinto dos Negócios: A dinâmica política e administrativa do Conselho Ultramarino entre comunicação, consultas e papéis de secretaria.

Descrição: Financiado por Bolsa de Produtividade em Pesquisa (CNPq), o projeto tem como objeto de fundo a discussão dos canais de comunicação e de decisão da política ultramarina entre fins do século XVII e finais da centúria seguinte. Visa a analisar os circuitos e os trâmites políticos e burocráticos no interior do Conselho Ultramarino e entre este as periferias imperiais, por meio da atuação de seus conselheiros e secretários. Estes últimos destacam-se como fios condutores ou chaves para acessar a memória administrativa e burocrática do Conselho. A família Lopes de Lavre deteve, por mais de um século, o ofício de secretário do Conselho Ultramarino. A análise da atuação destes homens na secretaria desse órgão colegiado será tratada como uma chave privilegiada para a discussão da dinâmica política e institucional do Conselho e de seus conselheiros na elaboração da política no Atlântico-Sul e no Brasil em particular. Respeitando as diferentes conjunturas por que passaram a monarquia portuguesa e o seu império ao longo da temporalidade aqui proposta, a pesquisa centra-se na análise das redes de comunicação e dos espaços de decisão da política ultramarina, tendo como fio condutor a discussão das relações e das conexões políticas e sociais entre oficiais régios, tanto no Conselho quanto no ultramar, e elites coloniais..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (3) .

Integrantes: José Inaldo Chaves Júnior - Integrante / Maria Fernanda Baptista Bicalho - Coordenador / Denise Vieira Demétrio - Integrante / Luciana Barbalho Velez - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2010 - 2010
PROLICEN: Ensino de história e o lugar do Brasil rural no livro didático.

Descrição: Analisar a presença (ou ausência) do mundo rural no livro didático no Brasil, especialmente nos conteúdos referentes ao período pós-1930, marcado por apelos e projetos do Estado Varguista por uma nova ordem urbano-industrial. A partir de então, o mundo rural passaria a representar as agruras de um Brasil arcaico e tradicional, merecendo ser superado pelo Brasil industrial e moderno. A emergência de significados históricos pejorativos sobre o campo provocou a sua exclusão, ou inclusão subordinada, numa cultura histórica marcadamente urbana presente em boa parte dos livros didáticos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .

Integrantes: José Inaldo Chaves Júnior - Integrante / Damião de Lima - Coordenador / Matheus Silveira Guimarães - Integrante / Aline Fábia Guerra de Moraes - Integrante.
Financiador(es): Universidade Federal da Paraíba - Bolsa.
2009 - 2010
Formação de educadores do campo da UFPB

Descrição: Desenvolver atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão junto aos cursos de Pedagogia e História, desenvolvidos na UFPB, para assentados da Reforma Agrária, financiados pelo PRONERA - Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária. Projeto Integrado. Edital MDA/INCRA/CNPq PRONERA Nº 04/2009. .
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (7) .

Integrantes: José Inaldo Chaves Júnior - Integrante / José Jonas Duarte da Costa - Coordenador / Regina Célia Gonçalves - Integrante / Paulo Giovani Antonino Nunes - Integrante / Ana Paula Romão de Souza Ferreira - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2004 - 2010
Da Capitânia à Província da Paraíba

Descrição: Este projeto procura delimitar os modos pelos quais se processa a mudança das práticas de implantação do domínio colonial na América portuguesa no período 1756-1830. A busca de racionalidade dos instrumentos e objetivos do Estado procurva então realizar o duplo objetivo da monopolização absolutista: a difusão do consenso em torno de uma sociedade organizada diadicamente entre súditos e governantes, e uma disposição ótima dos recursos materiais e humanos do reino de acordo com o bem-estar material. Este redirecionamento se processa de maneira diversificada, à medida em que distanciamo-nos para as periferias sociais e espaciais do Império, aliando-se ou em conflito com as elites locais e criando redes intermediárias de poder nas principais vilas coloniais. Estas novas regulações pressupunham instâncias de poder de natureza mais objetiva, correspondentes a uma unidade fiscal e a um governo hierarquicamente unívoco. Avalia-se assim a possibilidade de uma divisão territorial mais uniforme dos domínios, evitando descontinuidades por meio de representantes do rei mais próximos destas realidades localizadas. Deste modo as capitânias anexas permitiam racionalização que não só expurgava as duplicidades causadas pela sobreposição de órgãos para cada capitânia como também viabilizava a extensão de uma rede mais organizada de controle das riquezas e supervisão dos colonos. A Paraíba foi uma das capitânias anexadas a Pernambuco e pretende-se levantar a construção de novos padrões de poder a partir desta relação, pouco compreendida tanto pela historiografia luso-brasileira quanto no próprio discurso histórico dos paraibanos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissionalizante: (0) / Doutorado: (0) .

Integrantes: José Inaldo Chaves Júnior - Integrante / Acácio José Lopes Catarino - Coordenador / Bruno César S. da Silva - Integrante / George Silva do Nascimento - Integrante.
Financiador(es): Universidade Federal da Paraíba - Cooperação.


Outros Projetos


2009 - 2009
Programa de Monitoria

Descrição: Monitoria da disciplina Teoria da História I.
Situação: Concluído; Natureza: Outra.

Integrantes: José Inaldo Chaves Júnior - Integrante / Eduardo Henrique de Lima Guimarães - Coordenador.
Financiador(es): Universidade Federal da Paraíba - Bolsa.
2008 - 2009
Programa de Monitoria

Descrição: Monitoria da disciplina Introdução aos estudos da história.
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .

Integrantes: José Inaldo Chaves Júnior - Integrante / Eduardo Henrique de Lima Guimarães - Coordenador.
Financiador(es): Universidade Federal da Paraíba - Bolsa.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil/Especialidade: História do Brasil Colônia.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História Moderna e Contemporânea.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: Historiografia.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Prêmios e títulos


2010
Prêmio Pesquisador Júnior, XIV Encontro Estadual de História - "História, Memória e Comemorações" (ANPUH-PB).


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
CHAVES JR., J. I.2012 CHAVES JR., J. I. . As duras cadeias de hum governo subordinado : culturas políticas, negociação e governabilidade na Capitania da Paraíba (c.1764-1797). Outros Tempos, v. 9, p. 23-45, 2012.

2.
CHAVES JR., J. I.2012CHAVES JR., J. I. . As infelicidades de um nobre desgraçado: Jerónimo de Melo e Castro, capitão-mor da Paraíba. Elites, negócios e governança nas capitanias do Norte do Estado do Brasil (c.1764-1797). Revista Ars Histórica, v. 4, p. 2, 2012.

3.
CHAVES JR., J. I.2011 CHAVES JR., J. I. . Biografia e micro-história: diálogos possíveis para uma história da governança no Império Português (Capitania da Parayba, c.1764-1797). Cantareira (UFF), v. 1, p. 20, 2011.

4.
CHAVES JR., J. I.2011CHAVES JR., J. I. . História política, elites e culturas políticas: algumas reflexões para o Império português (século XVIII).. Anais do VI Simpósio de História: Revoluções, Repúblicas e Utopias, v. 1, p. 336-346, 2011.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
COSTA, A. K. (Org.) ; CHAVES JR., J. I. (Org.) . Fazer e refazer o Império: agências e agentes na América Portuguesa (sécs. XVII-XIX). 1. ed. Vitória - ES: DLL/UFES, 2011. v. 1. 450p .

Capítulos de livros publicados
1.
CHAVES JR., J. I. . Fronteiras insubmissas: circuitos mercantis, elites e territorialidades nas capitanias do Norte do Estado do Brasil, c. 1791-1797. In: COSTA, Ariadne Ketini; CHAVES JÚNIOR, José Inaldo.. (Org.). Fazer e refazer o Império: agências e agentes na América Portuguesa (sécs. XVII-XIX). 1ed.Vitória - ES: DLL/UFES, 2011, v. 1, p. 280-310.

2.
CHAVES JR., J. I. ; COSTA, A. K. . Negócios que enobrecem: história e historiografia da mercancia no Império Português (sécs. 17 e 18). In: COSTA, Ariadne Ketini; CHAVES JÚNIOR, José Inaldo.. (Org.). Fazer e refazer o Império: agências e agentes na América Portuguesa (sécs. XVII-XIX). 1ed.Vitória - ES: DLL/UFES, 2011, v. 1, p. 250-279.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
CHAVES JR., J. I. . História política, elites e culturas políticas: algumas reflexões para o império português (século XVIII). In: VIII Simpósio de História - Estado, poder e violência, 2011, São Gonçalo. Anais do VI Simpósio de História: Revoluções, Repúblicas e Utopias. São Gonçalo: UNIVERSO, 2011. v. 1.

2.
CHAVES JR., J. I. . Elites locais, redes mercantis e governabilidade na capitania da Paraíba: o. In: XXVI Simpósio Nacional de História, 2011, São Paulo. Anais do XXVI Simpósio Nacional da Anpuh - Associação Nacional de História. São Paulo: Anpuh/SP, 2011. v. 1.

3.
CHAVES JR., J. I. ; CATARINO, A. J. L. . Cruzando mares: poderes, privilégios e comunicação no Império Luso-brasileiro (século XVIII). In: V Semana de Humanidades. Interface dos saberes, formação docentee diversidade cultural., 2010, Guarabira. Anais da V Semana de Humanidades: interface dos saberes, formação docente e diversidade cultural. Guarabira: Queima Bucha, 2010.

4.
CHAVES JR., J. I. ; MORAES, Aline F. Guerra de. ; GUIMARÃES, Matheus Silveira . O mundo rural nos livros didáticos de história no Brasil: uma análise dos conteúdos referentes ao período 1930-1945.. In: II Colóquio Brasileiro Educação na Sociedade Contemporânea (COBESC), 2010, Campina Grande. Colóquio Brasileiro Educação na Sociedade Contemporânea. Campina Grande: EDUFCG, 2010.

5.
CHAVES JR., J. I. . O caso de Monte-Mor: um estudo prosopográfico sobre as elites locais na capitania da Paraíba no fim do Setecentos. In: XIV Encontro Estadual de História - História, Memória e Comemorações, 2010, João Pessoa. Encontro Estadual de História - ANPUH-PB. Programação em CD-ROM: XIV Encontro Estadual de História - História, Memória e Comemorações. Campina Grande: EDUFCG, 2010.

6.
CHAVES JR., J. I. ; CATARINO, A. J. L. . Entre a política e os negócios: um estudo sobre as elites locais na capitania da Paraíba no fim do século XVIII. In: III Encontro Internacional de História Colonial: Cultura, Poderes e Sociabilidade no Mundo Atlântico (Séc. XVI-XVIII), 2010, Recife. Anais do III Encontro Internacional de História Colonial: Cultura, Poderes e Sociabilidade no Mundo Atlântico (séc. XVI-XVIII). Recife: Editora Universitária/UFPE, 2010.

7.
CHAVES JR., J. I. ; CATARINO, A. J. L. . Culturas políticas nos Trópicos Setecentistas: Elites Locais, Poderes e Espaços na Capitania da Paraíba. In: II Colóquio Internacional de História: Fontes Históricas, Ensino e História da Educação, 2010, Campina Grande. II Colóquio Internacional de História: Fontes Históricas, Ensino e História da Educação. Campina Grande: EDUFCG, 2010.

8.
GUIMARÃES, Matheus Silveira ; CHAVES JR., J. I. ; LIMA, Damião de. . Cultura histórica e o lugar do mundo rural nos livros didáticos. In: XIII Encontro de Iniciação à Docência, 2010, João Pessoa. Anais do XIII Encontro de Iniciação à Docência e do XII Encontro de Extensão, 2010. v. 1.

9.
CHAVES JR., J. I. . Configuração das temporalidades na cristandade medieval. In: VIII CCHLA Conhecimento em Debate, 2008, João Pessoa. CCHLA - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes - VIII Conhecimento em Debate. João Pessoa: CCHLA - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, 2008. v. 6. p. 1.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
CHAVES JR., J. I. . História política, elites e culturas políticas: algumas reflexões para o império português (século XVIII). In: VIII Simpósio de História - Estado, poder e violência, 2011, São Gonçalo. Anais do VI Simpósio de História: Revoluções, Repúblicas e Utopias. São Gonçalo: UNIVERSO, 2011. v. 1.

2.
CHAVES JR., J. I. ; GUIMARÃES, Matheus Silveira ; MORAES, Aline F. Guerra de. . O mundo rural nos livros didáticos de história no Brasil: uma análise dos conteúdos referentes ao período 1930-1945.. In: II Colóquio Brasileiro Educação na Sociedade Contemporânea (COBESC), 2010, Campina Grande. Colóquio Brasileiro Educação na Sociedade Contemporânea. Campina Grande: EDUFCG, 2010.

3.
CHAVES JR., J. I. . O caso de Monte-Mor: um estudo prosopográfico sobre as elites locais na capitania da Paraíba no fim do Setecentos. In: XIV Encontro Estadual de História - História, Memória e Comemorações, 2010, João Pessoa. Encontro Estadual de História - ANPUH-PB. Programação e caderno de resumos: XIV Encontro Estadual de História: História, Memória e Comemorações. Campina Grande: EDUFCG, 2010.

4.
CHAVES JR., J. I. ; CATARINO, A. J. L. . Entre a política e os negócios: um estudo sobre as elites locais na capitania da Paraíba no fim do século XVIII. In: III Encontro Internacional de História Colonial: Cultura, Poderes e Sociabilidade no Mundo Atlântico (Séc. XVI-XVIII), 2010, Recife. III Encontro Internacional de História Colonial: Cultura, Poderes e Sociabilidade no Mundo Atlântico (séc. XVI-XVIII). Recife: Editora Universitária/UFPE, 2010.

5.
CHAVES JR., J. I. ; CATARINO, A. J. L. . Culturas políticas nos Trópicos Setecentistas: Elites Locais, Poderes e Espaços na Capitania da Paraíba. In: II Colóquio Internacional de História: Fontes Históricas, Ensino e História da Educação, 2010, Campina Grande. II Colóquio Internacional de História: Fontes Históricas, Ensino e História da Educação. Campina Grande: EDUFCG, 2010.

6.
CHAVES JR., J. I. ; CATARINO, A. J. L. . Redes mercantis e confrontos comerciais na Paraíba do século XVIII. In: II Encontro Internacional de História Colonial, 2008, Natal. II Encontro Internacional de História Colonial. Natal: EDUFRN, 2008. p. 76-76.

7.
CHAVES JR., J. I. . O mundo do trabalho - escravismo no sécuo XIX no Império Brasileiro. In: II Semana de Estudos Históricos - Conectando Saberes: História e Interdisciplinaridade, 2008, Natal. Anais eletrônicos da II Semana de estudos históricos. Conectando saberes: História e Interdisciplinaridade. Natal/RN: EDUFRN, 2008.

8.
CHAVES JR., J. I. . Configuração das temporalidades na cristandade medieval. In: VIII Conhecimento em Debate, 2008, João Pessoa. CCHLA - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes - VIII Conhecimento em Debate. João Pessoa: CCHLA - Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, 2008. v. 1. p. 1-6.

Artigos aceitos para publicação
1.
CHAVES JR., J. I. . Por ser Pernambuco tão chegado : anexação, governos e mercados ultramarinos na capitania da Paraíba (1791-1799). Almanack, 2014.

Apresentações de Trabalho
1.
CHAVES JR., J. I. . Os sertões nas franjas do Império, entre tapuias e conquistadores: uma releitura da chamada 'fronteira estável' (Capitanias do Norte, século XVIII). 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

2.
CHAVES JR., J. I. . História política, elites e culturas políticas: algumas reflexões para o império português (século XVIII). 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
CHAVES JR., J. I. . Elites locais, redes mercantis e governabilidade na capitania da Paraíba: o "caso de Monte-Mor" ou um exercício de história política para o Império Português (1791-1795). 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

4.
CHAVES JR., J. I. . Negócios Imperiais: História e Historiografia das práticas mercantis no Império Português - Séculos XVII e XVIII. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

5.
CHAVES JR., J. I. ; CATARINO, A. J. L. . Cruzando mares: poderes, privilégios e comunicação no Império Luso-brasileiro (século XVIII). 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

6.
CHAVES JR., J. I. ; GUIMARÃES, Matheus Silveira ; MORAES, Aline F. Guerra de. . O mundo rural nos livros didáticos de história no Brasil: uma análise dos conteúdos referentes ao período 1930-1945.. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
CHAVES JR., J. I. ; CATARINO, A. J. L. . Entre a política e os negócios: um estudo sobre as elites locais na capitania da Paraíba no fim do século XVIII. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

8.
CHAVES JR., J. I. ; CATARINO, A. J. L. . Culturas Políticas nos Trópicos Setecentistas: Elites locais, Poderes e Espaços na Capitania da Paraíba. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

9.
GUIMARÃES, Matheus Silveira ; CHAVES JR., J. I. ; LIMA, Damião de. . Cultura histórica e o lugar do mundo rural nos livros didáticos. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

10.
CHAVES JR., J. I. . Configuração das temporalidades medievais. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
CHAVES JR., J. I. . O mundo do trabalho - escravismo no sécuo XIX no Império Brasileiro. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções bibliográficas
1.
CHAVES JR., J. I. . Contra-capa do livro "Uma História da Guerra Viking".. Vitória, 2011. (Prefácio, Pósfacio/Apresentação)>.

2.
CHAVES JR., J. I. . O caso Ash-LaMotte e algumas considerações no ofício de historiar. Rio de Janeiro: Caderno Universitário de História/UFRJ, 2010 (Resenha de filme).


Demais tipos de produção técnica
1.
CHAVES JR., J. I. ; BICALHO, M. F. B. . Pernambuco e as capitanias do Norte: a construção de uma capitalidade a partir da política, dos negócios e das territorialidades (1750-1808). 2013. (Relatório de pesquisa).

2.
CHAVES JR., J. I. ; BICALHO, M. F. B. . Pernambuco e as capitanias do Norte: a construção de uma capitalidade a partir da política, dos negócios e das territorialidades (1750-1808). 2013. (Relatório de pesquisa).

3.
CHAVES JR., J. I. ; BICALHO, M. F. B. . FRONTEIRAS INSUBMISSAS : elites, negócios e territorialidades na Capitania da Paraíba (c. 1755-1799). 2012. (Relatório de pesquisa).

4.
CHAVES JR., J. I. ; BICALHO, M. F. B. . ENTRE A POLÍTICA E OS NEGÓCIOS: ELITES LOCAIS, PODERES E JURISDIÇÕES NA CAPITANIA DA PARAYBA (1764-1799). 2011. (Relatório de pesquisa).

5.
GUIMARÃES, Matheus Silveira ; CHAVES JR., J. I. ; LIMA, Damião de. . Ensino de história e o lugar do mundo rural no livro didático. 2010. (Relatório de pesquisa).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
XXVI Simpósio Nacional de História. Elites locais, redes mercantis e governabilidade na capitania da Paraíba: o "caso de Monte-Mor" ou um exercício de história política para o Império Português (1791-1795). 2011. (Congresso).

2.
Colóquio de Pesquisadores e Pós-Graduandos em História Medieval. Perspectivas de Investigação e Colaboração Científica. 2011. (Simpósio).

3.
II Colóquio Brasileiro Educação na Sociedade Contemporânea (COBESC). O mundo rural nos livros didáticos de história no Brasil: uma análise dos conteúdos referentes ao período 1930-1945.. 2010. (Congresso).

4.
V Semana de Humanidades. Interface dos saberes, formação docentee diversidade cultural..Cruzando mares: poderes, privilégios e comunicação no Império Luso-brasileiro (século XVIII). 2010. (Encontro).

5.
XIV Encontro Estadual de História - História, Memória e Comemorações.O caso de Monte-Mor: um estudo prosopográfico sobre as elites locais na capitania da Paraíba no fim do Setecentos. 2010. (Encontro).

6.
III Encontro Internacional de História Colonial: Cultura, Poderes e Sociabilidade no Mundo Atlântico (Séc. XVI-XVIII).Entre a política e os negócios: um estudo sobre as elites locais na capitania da Paraíba no fim do século XVIII. 2010. (Encontro).

7.
II Colóquio Internacional de História: Fontes Históricas, Ensino e História da Educação.Culturas políticas nos Trópicos Setecentistas: Elites Locais, Poderes e Espaços na Capitania da Paraíba. 2010. (Outra).

8.
II Seminário de História e Cultura Histórica. 80 anos dos Annales: contribuições historiográficas.. 2009. (Seminário).

9.
CCHLA Conhecimento em Debate.Configurações das temporalidades medievais. 2008. (Encontro).

10.
II Semana de Estudos Históricos - Conectando Saberes: História e Interdisciplinaridade.O mundo do trabalho - Escravismo no século XIX no Império Brasileiro. 2008. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
MELO, H. ; CHAVES JR., J. I. . Simpósio Temático "Sociedade, política e cultura na América Portuguesa (sécs. XVI-XIX)", na III Semana Regional de História. 2011. (Congresso).



Outras informações relevantes


Aprovado em 2º lugar no Processo Seletivo para ingresso no Doutorado do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense (PPGH/UFF).
Aprovado em 1º lugar no Concurso Público regido pelo edital 07/2013 para o provimento do cargo de professor efetivo de História Moderna da Universidade Federal do Amapá. Publicado no DOU de 11/07/2013, p. 39, seção 3. 
Aprovado em 2º lugar no Concurso Público regido pelo edital 020/2014 para o provimento do cargo de professor efetivo de História do Brasil da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará. Publicado no DOU de 02/07/2014, p. 215, seção 3.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 21/08/2014 às 9:05:01