Giovana Eloá Mantovani Mulza

Bolsista de Iniciação Científica do CNPq

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/7065371321256473
  • Última atualização do currículo em 22/12/2018


Tem experiência na área de História, com ênfase em História Moderna, atuando principalmente nos seguintes temas: Inglaterra do século XVI, Era Elisabetana e Reforma Anglicana. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Giovana Eloá Mantovani Mulza
Nome em citações bibliográficas
MULZA, G. E. M.;MULZA, GIOVANA ELOÁ MANTOVANI

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Estadual de Maringá, Centro de Ciências Humanas Letras e Artes.
Universidade Estadual de Maringá
Zona 7
87020900 - Maringá, PR - Brasil
Telefone: (44) 30114040
URL da Homepage: http://www.uem.br


Formação acadêmica/titulação


2016
Graduação em andamento em História.
Universidade Estadual de Maringá, UEM, Brasil.
2013 - 2015
Ensino Médio (2º grau).
NOROESTE C ED EM, N%20C%20ED%20EM, Brasil.




Atuação Profissional



Universidade Estadual de Maringá, UEM, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico, FAADCT/PR, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:



Projetos de pesquisa


2018 - Atual
A História Trágica do Doutor Fausto (1592), de Christopher Marlowe: cientificismo e religiosidade na era elizabetana
Descrição: Em referência à era elisabetana (1558-1603), a compilação marloweniana A História Trágica do Doutor Fausto (1592) obtém preeminência para explanar apreensões concernentes à religião e à ciência no século XVI. Tal conjuntura quinhentista compreende um período no qual a religiosidade socialmente comungada permanecera consonante à prevalecente nas centúrias precedentes, em que a cronologia quadripartite mostra-se insuficiente no presente trabalho. Ademais, intentos de cunho mágico permaneciam intrinsecamente vinculados a um arcabouço religioso, argumentação ratificada na compilação literária elencada. Embora formulado na conjuntura quatrocentista do Sacro Império Romano Germânico, o mito faústico permanecera ressignificado por Christopher Marlowe (1564-1593), aquando de adaptá-lo ao contexto da governança de Elizabeth I. Mediante a presente pesquisa, visamos apreender criticamente A História Trágica do Doutor Fausto, objetivando relacionar a peça à sua conjuntura de compilação. Conferir-se-á preeminência à compreensão da religiosidade, magia e cientificismo intrínsecos à obra, cujo arcabouço epistemológico se fundamentará em V. R. Borges (2010) e C. V. C. Mendonça e G. S. Alves (2013)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Giovana Eloá Mantovani Mulza - Integrante / Solange Ramos de Andrade - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2017 - 2018
PONTIFEX MAXIMUS E MONARQUIA INGLESA: BIPOLARIZAÇÃO E DISPUTA DE PODERES NA ERA ELISABETANA
Descrição: No que concerne à Inglaterra quinhentista, a era elisabetana suscitou a explanação da bipolaridade empreendida entre a instituição pontifical e a monarquia inglesa. O antagonismo, por sua vez, vinculou-se a uma conjuntura na qual o absolutismo nacional verificou ascendente fortalecimento, cuja consolidação culminou na contestação da pujança exercida pelo papado. Homologando tendências precedentes, Elizabeth I (1558-1603) conferiu à monarquia uma integral autoridade política nos domínios ingleses, bem como reedificou a Igreja Anglicana a fim de estabelecer a proeminência monárquica na esfera eclesiástica. A regência elisabetana, assim, compreendeu medidas que viriam a outorgar a consolidação do absolutismo na Inglaterra. Por conseguinte, objetivar-se-á examinar a disputa de poderes empreendida entre Elizabeth I e o Pontifex Maximus com o intuito de compreender as implicâncias do fenômeno para a História inglesa. Sob tal intuito temático, receberão abrangência os documentos estatais Queen Elizabeth?s Proclamation to Forbid Preaching (1558), Elizabeth?s Supremacy Act, Restoring Ancient Jurisdiction (1559) e Elizabeth?s Act of Uniformity (1559), cujas análises críticas serão fundamentadas no arcabouço epistemológico de André Cellard (2008) e Silvia Hunold Lara (2008)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Giovana Eloá Mantovani Mulza - Coordenador / Solange Ramos de Andrade - Integrante.Financiador(es): Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História.


Idiomas


Espanhol
Compreende Bem, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.
Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2018
Segundo Melhor Projeto de Iniciação Científica pelo EAIC-UEM na área de Ciências Humanas, Universidade Estadual de Maringá.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
MULZA, G. E. M.2018MULZA, G. E. M.. O FAUSTO DE MARLOWE: MANIFESTAÇÕES MÁGICAS NA ERA ELISABETANA. Anais do ... ERIC, v. 1, p. 13-25, 2018.

2.
MULZA, G. E. M.2018 MULZA, G. E. M.. PONTIFICADO E ELIZABETH I: DISPUTA ESTATAL-IDEOLÓGICA NO QUINHENTOS. Revista Hydra, v. 5, p. 308-322, 2018.

3.
MULZA, G. E. M.2017MULZA, G. E. M.. PONTIFICADO E MONARQUIA INGLESA: BIPOLARIDADE ESTADISTAIDEOLÓGICA NA CONJUNTURA ELISABETANA. Anais do ... ERIC, v. 1, p. 69-83, 2017.

4.
MULZA, GIOVANA ELOÁ MANTOVANI2017 MULZA, GIOVANA ELOÁ MANTOVANI. Doutrinas quinhentistas: assiduidades e alomorfias entre luteranismo e anglicanismo. Revista Sem Aspas, v. 6, p. 134-145, 2017.

Capítulos de livros publicados
1.
MULZA, G. E. M.. BIPOLARIDADE ESTADISTA-IDEOLÓGICA: ELIZABETH I E PONTIFICADO. In: Francisca Júlia Camargo Dresch. (Org.). Impactos das tecnologias nas ciências humanas e sociais aplicadas 2. 1ed.Ponta Grossa: Atena Editora, 2018, v. 2, p. 188-194.

Apresentações de Trabalho
1.
MULZA, G. E. M.. PONTIFICADO E MONARQUIA INGLESA: UMA DISPUTA DE PODERES NA INGLATERRA ELISABETANA. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

2.
MULZA, G. E. M.. PONTIFEX MAXIMUS E ELIZABETH I: ANTAGONISMO NA ERA ELISABETANA. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
MULZA, G. E. M.. Pontifex Maximus e monarquia inglesa: antagonismo na era elisabetana. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

4.
MULZA, G. E. M.. A HISTÓRIA TRÁGICA DO DOUTOR FAUSTO, DE CHRISTOPHER MARLOWE (1592): CIENTIFICISMO E RELIGIOSIDADE NO PERÍODO ELISABETANO. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

5.
MULZA, G. E. M.. Bipolaridade Estadista-ideológica: Elizabeth I e o pontificado. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

6.
MULZA, G. E. M.. PONTIFICADO E MONARQUIA INGLESA: BIPOLARIDADE ESTADISTA-IDEOLÓGICA NA CONJUNTURA ELISABETANA. 2017. (Apresentação de Trabalho/Outra).

7.
MULZA, G. E. M.. ANTAGONISMO IDEOLÓGICO-ESTADISTA: PONTIFEX MAXIMUS E MONARQUIA ELISABETANA QUINHENTISTA. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 22/01/2019 às 16:43:21