Ana Luisa de Souza Dantas

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3511597700305884
  • Última atualização do currículo em 03/07/2017


Graduanda do curso de Arquitetura e Urbanismo na Universidade Federal do Rio Grande do Norte; Bolsista de Iniciação Científica do grupo de pesquisa História da Cidade, do Território e do Urbanismo (HCUrb). (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Ana Luisa de Souza Dantas
Nome em citações bibliográficas
DANTAS, Ana Luísa S.


Formação acadêmica/titulação


2015
Graduação em andamento em Arquitetura e Urbanismo.
Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.
2004 - 2014
Ensino Médio (2º grau).
Colégio Marista de Natal, CMN, Brasil.




Atuação Profissional



Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:



Projetos de pesquisa


2010 - Atual
Representações e legitimações do campo disciplinar do urbanismo no Brasil (1893-1935)
Descrição: O projeto ora apresentado visa aprofundar uma das vertentes de análise da problemática da tese de doutorado sobre ?A formação das representações sobre a cidade colonial no Brasil?, defendida em agosto de 2009. Parte-se, assim, daquele que é considerado o marco inicial do urbanismo moderno no Brasil ? o Plano de Belo Horizonte, elaborado pela comissão chefiada pelo engenheiro Aarão Reis ? para analisar como, em meio à constituição do campo disciplinar do urbanismo moderno no Brasil, às suas matrizes teóricas, aos seus elementos de legitimação, pode-se identificar, cartografar e analisar as representações mobilizadas e construídas. A pesquisa, baseada em fontes primárias (muitas das quais já compulsadas) e na literatura consolidada sobre a história do urbanismo no Brasil, considerará ainda uma série de eventos e processos, a dizer, a reforma de Pereira Passos para o Rio de Janeiro (1902-06), as propostas para a região central de São Paulo (1910-11), o Plano de Giacomo Palumbo para Natal (1929-30), o Plano de Alfred Agache para o Rio de Janeiro (1930), o Plano de Avenidas para São Paulo (1930), as propostas urbanísticas de Nestor de Figueiredo, Prestes Mais e Ulhoa Cintra para o Recife no início dos anos 1930, culminando com os planos urbanísticos do concurso para Monlevade (1933), os projetos de Armando de Godoy e de Atílio Correia Lima para Goiânia (1935) e a proposta teórica de Carmem Portinho para uma nova capital brasileira (1935), momento em que o urbanismo já recebera os influxos das discussões modernistas e que se consolidara como disciplina autônoma no Brasil. Pretende-se assim contribuir para a compreensão do processo de introdução e formação do urbanismo moderno no Brasil, dos seus elementos e estratégias de legitimação; e discutir umas das representações mais recorrentes sobre a história da América Latina e, em especial, do Brasil...
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Arquitetura e Urbanismo.


Idiomas


Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Francês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica


Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Congresso de Iniciação Científica e Tecnológica - CICT UFRN. 2016. (Congresso).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/10/2018 às 11:07:23