Roberto Lopes de Souza

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/7447876802000519
  • Última atualização do currículo em 13/11/2018


Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Santa Maria (1995), mestrado em Cirurgia Experimental - Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Santa Maria (1999); PhD em Biologia Celular - Royal Veterinary College (2005). Atualmente é professor associado de Patologia e Clinica Cirúrgica e Ortopedia Veterinária na Universidade Federal de Mato Grosso. Post-doutorado no Royal Veterinary College em 2010 com Bolsa do Arthritis Campain Research e em 2014 Bolsista do Ciências sem Fronteiras no mesma instituição. Tem experiência na área de Cirurgia Veterinária, com ênfase em ortopedia e doenças articular degenerativa, atuando principalmente nos seguintes temas: biologia óssea, modelos experimentais de doenças osteo-articulares, análise de andadura, ortopedia veterinária, osteoartrite e biomecânica. Foi Conselheiro Titular do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea) representando Ministério da Educação no biênio 2015-17 e atualmente é Diretor da Faculdade de Midicina Veterinária da Universidade Federal de Mato Groso (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Roberto Lopes de Souza
Nome em citações bibliográficas
de SOUZA, R. L.;SOUZA, RL;Souza, Roberto L.;De Souza, Roberto;DE SOUZA, ROBERTO LOPES;De Souza, R;DE SOUZA, R.;DE SOUZA, R.L.;SOUZA, ROBERTO LOPES DE

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Mato Grosso, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinaria.
Av. Fernando Correa da Costa s/n
Coxipó da Ponte
78068000 - Cuiabá, MT - Brasil
Telefone: (65) 6158000
Ramal: 8614
Fax: (65) 6158609


Formação acadêmica/titulação


2001 - 2005
Doutorado em PhD em Ciencias Veterinarias.
Royal Veterinary College, RVC, Inglaterra.
Título: Non-invasive axial loading of the murine tibia induces on cortical bone formation accompanied by modification in trabecullar bone archtecture: a novel model for in-vivo loading studies, Ano de obtenção: 2005.
Orientador: Andrew Antony Pitsillides.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: biologia ossea; estresse mecanico; biomecanica; osteoporose; doencas osseas metabolicas e hormonais.
Grande área: Ciências Agrárias
Grande Área: Ciências Agrárias / Área: Medicina Veterinária / Subárea: Clínica e Cirurgia Animal.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Biologia Geral / Subárea: Biologia Ossea.
Setores de atividade: Produtos e Processos Biotecnológicos Vinculados À Saúde Humana Ou dos Animais; Saúde Humana.
1996 - 1999
Mestrado em Medicina Veterinária.
Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.
Título: Precursores do Proteoglicanos na regeneração articular após trauma iatrogênico no joelho de cães,Ano de Obtenção: 1999.
Orientador: Alceu Gaspar Raiser.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: regeneração articular; proteoglicanos; cães.
Grande área: Ciências Agrárias
1989 - 1995
Graduação em Medicina Veterinária.
Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.


Pós-doutorado


2014 - 2014
Pós-Doutorado.
Royal Veterinary College, RVC, Inglaterra.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Grande área: Ciências Agrárias
2010 - 2011
Pós-Doutorado.
Royal Veterinary College, RVC, Inglaterra.
Bolsista do(a): Arthitis Research Campaing, ARC, Grã-Bretanha.


Formação Complementar


2018 - 2018
AOvet Advanced Small Animal Fracture Management. (Carga horária: 24h).
AO Foundation, AOVET, Estados Unidos.
2017 - 2017
Principles in Small Animal Fracture Management. (Carga horária: 30h).
AO Foundation, AOVET, Estados Unidos.


Atuação Profissional



Royal Veterinary College, RVC, Inglaterra.
Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Research Associate, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade Federal de Santa Maria, UFSM, Brasil.
Vínculo institucional

1998 - 1998
Vínculo: Servidor público ou celetista, Enquadramento Funcional: Professor Substituto, Carga horária: 8

Atividades

3/1998 - 7/1998
Ensino,

Disciplinas ministradas
Técnica Cirurgica

Universidade Federal de Mato Grosso, UFMT, Brasil.
Vínculo institucional

1998 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Associado II, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Coordenador do Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias

Atividades

03/2016 - Atual
Direção e administração, Faculdade de Medicina Veterinária, .

Cargo ou função
Diretor da Faculdade de Medicina Veterinária - UFMT.
3/2000 - Atual
Direção e administração, Pró-Reitoria de Ensino e Graduação, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária.

Cargo ou função
Chefe do Serviço de Cirurgia de Pequenos Animais da Hospital Veterinário da UFMT.
3/2000 - Atual
Direção e administração, Pró-Reitoria de Ensino e Graduação, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária.

Cargo ou função
Membro do Conselho Administrativo do Hospital Veterinário da UFMT.
9/1998 - Atual
Direção e administração, Pró-Reitoria de Ensino e Graduação, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária.

Cargo ou função
Membro do Conselho de Ensino e Pesquisa da UFMT.
7/1998 - Atual
Direção e administração, Pró-Reitoria de Ensino e Graduação, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária.

Cargo ou função
Membro do Conselho Departamental.
7/1998 - Atual
Ensino,

Disciplinas ministradas
Patologia e Clínica Cirúrgica Veterinária
Anestesiologia e Técnica Cirúrgica Veteinária
12/2001 - 12/2005
Pesquisa e desenvolvimento , Royal Veterinary College, .

3/1998 - 3/1999
Direção e administração, Pró-Reitoria de Ensino e Graduação, Depratamento de Clínica Médica Veterinária.

Cargo ou função
Coordenador de Curso.


Linhas de pesquisa


1.
Biologia óssea e estresse mecânico

Objetivo: Ossos adultos e saudáveis sofrem um processo de remodelação dinâmica no qual resistência a fratura é assegurada pela adaptação da massa óssea assim como sua arquitetura em resposta a um prevalecente ambiente mecânico. Alteração neste processo mecâno-adaptativo leva a uma significante redução da massa óssea, aumentando incidência de fraturas e morbidade, particularmente nos idosos. Objetivamos pesquisa os processo regulatórios da capacidade mecâno-adaptativa dos óssos longos, de modo a promover um aumento da massa óssea através do exercício, desta forma dimimuindo a morbidade e fraturas decorrentes da osteoporose pós-menopausa mulheres idosas.
Grande área: Ciências Biológicas
Palavras-chave: biologia ossea; biomecanica; doencas osseas metabolicas e hormonais; estresse mecanico.
2.
Oncologia Comparada Veterinária

Objetivo: Devido a importância dos casos de oncologia na clínica veterinária de animais de companhia e a atenção com que, cada vez mais, os proprietários se dedicam aos seus animais, as doenças neoplásicas têm sido registradas como tendo expressão crescente, a avaliacao e tratamento devem ser instituidos de maneira adequada para cada caso..
Grande área: Ciências Agrárias
Grande Área: Ciências Agrárias / Área: Medicina Veterinária / Subárea: oncologia veterinária.
3.
Ortopedia e traumatologia veterinária

Objetivo: O grupo dedica-e ao estudo de fenômenos fisio-patológicos do sistema músculo-esquelético, com ênfase na indução e progressão da doença articular degenerativa e na regulação mecânica da massa óssea como ação preventiva da osteoporose. Trabalha comparativamente tais doenças em modelos experimentais e sua ação é diretamente ligada a saúde humana..
Palavras-chave: ortopedia veterinária; surgical trauma; doencas osseas metabolicas e hormonais; doenças articulares degenerativas.


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
A incidência de câncer de mama (CM) nos animais de companhia apresenta um crescimento contínuo nos últimos anos em virtude do aumento na expectativa de vida animal, à semelhança do ocorrido com seres humanos (THURÓCZY et al. 2007). Na medicina veterinária
Descrição: A incidência de câncer de mama (CM) nos animais de companhia apresenta um crescimento contínuo nos últimos anos em virtude do aumento na expectativa de vida animal, à semelhança do ocorrido com seres humanos (THURÓCZY et al. 2007). Na medicina veterinária estudos com cães denotam que o CM representa aproximadamente 50% das neoplasias, sendo o tumor mais frequente em cadelas não castradas, e aproximadamente 30 a 80% dos tumores mamários são malignos (CASSALI et al. 2007, ANDRADE et al. 2010, REIS et al. 2010, , ENGINLER et al. 2014, SALAS et al. 2015, MELIN et al. 2016; VASCELLARI et al. 2016). O câncer de mama em cadelas é um fenômeno altamente incidente que apresenta similaridades epidemiológicas (HÉLLMEN et al. 1993), clínicas (MULAS et al. 2005), biológicas (GERALDES et al. 2000) e genéticas (LEE et al. 2004, MELIN et al. 2016) com as neoplasias mamárias da mulher, portanto é considerado um ótimo modelo em estudos comparativos. A idade média de diagnóstico de tumores mamários em cadelas ocorre entre 8 a 11 anos, sendo rara em idades inferiores a 5 anos (EGENVALL et al. 2005; MELIN et al. 2016; VASCELLARI et al. 2016) . Os tumores da glândula mamária raramente acometem cães machos, sendo a sua incidência inferior a 1%, e quando ocorrem estão associados a alterações hormonais, tais como as que ocorrem nos tumores das células de Sertoli, onde se verifica a secreção de estrogênios (RUTTEMAN et al.,2001; MISDORP, 2002; HENSON, 2003). Segundo Lana et al. (2007) fatores endógenos e exógenos influenciam o risco para o desenvolvimento da doença. Fatores genéticos possuem um importante papel na incidência do desenvolvimento do CM, sendo determinadas raças mais predispostas, como Boxer, English Springer Spaniel, Poodle, Cocker Spainel e Dachshund (MOE 2001, BORGE et al. 2011). O câncer surge como resultado de alterações genéticas que impactam sob a proliferação celular, promovendo a divisão ou inibindo a morte celular. Consequentemente, o resultado final desses erros genéticos acumulados são células capazes de multiplicarem-se sem restrição, invadindo o tecido, e estabelecendo metástases distantes (RIEGER 2004). Alguns genes têm sido abundantemente estudados, por estarem sendo associados ao risco do desenvolvimento de tumores, como BRCA1, BRCA2, CYP1A1, TP53 e PTEN (RIVERA et al., 2009; BORGE et al., 2011). Dois destes genes, BRCA1 e BRCA2, estão significativamente associados com o desenvolvimento da doença (BORGE et al., 2011; MELIN, 2016). O BRCA1 E 2 estão associados ao risco de desenvolvimento de tumores mamários (RIVERA et al. 2009, BORGE et al. 2011, MELIN 2016), especificamente o câncer de mama hereditário humano. O BRCA1 está localizado no cromossomo 17q21, e codifica uma proteína nuclear de 220kDa que participa da regulação do ciclo celular das células epiteliais da glândula mamária (SILVA et al. 2005). O BRCA2 está localizado no cromossomo 13, na posição 13q12-13, composto por 27 éxons e codifica uma proteína de 3.418 aminoácidos, e está relacionado com o risco de desenvolvimento de tumores mamários e ovarianos. São considerados genes supressores tumorais porque mutações neles levam a um defeito no reparo de danos ao DNA e uma instabilidade genética que favorece a tumorigênese. De todos os casos de CM em mulheres, 3 a 5% estão associados com mutações no gene BRCA1/2 (WALSH et al. 2016). As mutações hereditárias no BRCA estão presentes em cerca de 80% dos casos de câncer de mama humano familiar. Os pacientes com este tipo de mutação apresentam menor tempo de sobrevida livre de doença e maior taxa de mortalidade, assim como maior tendência a bilateralidade (DOORSSERS et al. 2004). Vários estudos (NIETO et al. 2003, KLOPFLEISCH & GRUBER 2009, RIVERA et al. 2009, ENGINLER et al. 2014, TSUCHIDA et al. 2001, QIU & LIN 2016) têm descrito o BRCA ou a expressão da proteína e a mutação do BRCA em tumores mamários caninos. O BRCA1.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Edson Moleta Colodel - Integrante / Caroline Argenta Pescador - Integrante / Maria Thereza Bonfim Ens - Integrante / Camila Calvi Menegassi - Integrante / Fernando Henrique Furlan - Integrante.
2018 - Atual
COMO A EXPRESSÃO IMUNOHISTOQUÍMICA DE MARCADORES TUMORAIS: P-53, HER-2, RECEPTORES HORMONAIS: ESTROGÊNIO E PROGESTERONA INFLUENCIAM NO PROGNÓSTICO DE CADELAS COM TUMORES DE MAMA
Descrição: O câncer é a principal causa de morte em cães de países desenvolvidos (PROSCHOWSKY et al., 2003). O tumor de mama é o mais comum neoplasma em mulher (YASSAEE et al., 2002) e em cadelas (MORRISON, 1998). Segundo Lana et al. (2007) a etilogia do câncer de mama (CM) é complexa e obedece a um padrão multifatorial, sendo que diversos fatores endógenos e exógenos influenciam o risco para o desenvolvimento da doença. Fatores genéticos possuem um importante papel na incidência do desenvolvimento do CM, (BORGE et al., 2011). A avaliação e diagnóstico possui uma difícil interpretação, uma vez que a morfologia e a heterogenicidade biológica desses tumores não são bem definidos. Os avanços no conhecimento da Biologia Molecular têm proporcionado melhor entendimento dos mecanismos fundamentais que regulam a proliferação e diferenciação celulares, bem como o desenvolvimento de metástases tumorais. Os marcadores tumorais (ou marcadores biológicos) são substâncias presentes no tumor, no sangue ou em outros líquidos biológicos, produzidos primariamente por ele ou, secundariamente pelo paciente, em resposta à presença do tumor, (ANDRIOLO, 1996). Essa identificação de receptores e moléculas relacionadas a progressao tumoral permite construir fatores prognósticos e preditivos importantes devido a caracterização imunofenótipo das células neoplásicas, (RAMOS-VARA et al., 2008, MOHAMMED et al., 2011). O rastreamento é uma estratégia reconhecida internacionalmente para controlar as neoplasias. Quando realizado de forma eficaz, o rastreamento favorece ao diagnóstico precoce da doença, permitindo o uso de terapêutica menos agressiva (MARQUES et al., 2015). O uso da técnica de imuno-histoquímica em Patologia Veterinária tem sido limitado devido à falta de anticorpos para os tecidos animais, no entanto podem ser utilizados os anticorpos que apresentam reatividade cruzada entre antígenos humanos e animais (KELLER et al. 2007) e, juntamente com outros exames (citologia e histologia), contribuem para o diagnóstico definitivo e preciso desses tumores (CASSALI et al. 2002). Análises imuno-histoquímicas para descoberta de receptores de estrógeno, progesterona, fator de crescimento epidermal, oncogenes, supressores de tumor como o gene p53 (Tp53) entre outros, são de grande valor para fornecer um prognóstico mais acurado para cães com neoplasmas mamários (HELLMÉN et al., 2005). Nos últimos anos, houve um aumento significativo na utilização de técnicas imunohistoquímicas na oncologia veterinária com o objetivo de identificar possíveis marcadores prognósticos, estabelecendo parâmetros que balizem o comportamento tumoral e orientem as medidas terapêuticas, (HUGHES & DOBSON, 2012; MATOS et al., 2017). Elas se baseiam na utilização de anticorpos para identificação de um antígeno ?in situ?, em tecido fresco ou cortes histológicos processados, (RAMOS-VARA, 2011) Estudos clínicos, epidemiológicos e experimentais têm demonstrado que os hormônios estrogênio e progesterona desempenham importante papel na gênese do CM, sendo que o risco é fortemente relacionado com a exposição à esteróides, (BERSTEIN, 1998; PIKE; PEARCE; WU, 2004). Os receptores hormonais (RH) são proteínas que se ligam aos hormônios circulantes, mediando seus efeitos celulares. Os mais estudados em carcinomas de mama são os receptores de estrogênio (RE) e os receptores de progesterona (RP). Desde que foi demonstrado que o crescimento dos carcinomas de mama é regulado por estrógenos, a presença de receptores específicos para o estrogênio em tumores mamários e a terapia ablativa desse hormônio tem produzido remissão clínica em pacientes com carcinoma de mama. Os tumores que respondem à terapia hormonal expressam altos níveis de receptores de estrogênio, enquanto que os tumores que não respondem têm níveis baixos ou indetectáveis. Mutações em carcinomas de mama esporádicos têm sido associadas com alto grau hi.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Edson Moleta Colodel - Integrante / Caroline Argenta Pescador - Integrante / Maria Thereza Bonfim Ens - Integrante / Camila Calvi Menegassi - Integrante / Fernando Henrique Furlan - Integrante.
2017 - Atual
Influência da temperatura de incubação e motilidade embrionária sobre o crescimento dos membros do jacaré-do-pantanal (Caiman yacare ? Daudin, 1802)
Descrição: O sexo dos embriões de jacaré-do-pantanal é um fator dependente da temperatura de incubação dos ovos, que quando inferiores a 30º desenvolvem fêmeas e superiores a 30º machos. A temperatura também tem influência sobre a frequência cardíaca dos embriões, e consequentemente sobre a taxa metabólica e desenvolvimento (Andrews; Pough, 1985; Franklin; Seebacher, 2003; Du et al., 2009; Du et al., 2011). O movimento embrionário, portanto, é necessário para o desenvolvimento normal do esqueleto, pois gera carga mecânica sobre a estrutura em desenvolvimento, agindo sobre processos de ossificação endocondral envolvendo proliferação de condrócitos, definindo assim a proporção dos membros. Estudos em galinhas sobre o uso de elevadas temperaturas e de aminopiridina durante a incubação, revelam que o aumento da motilidade embrionária atua como estímulo mecânico sobre a morfogênese e estimulam o crescimento longitudinal dos membros, alterando a estrutura esquelética do indivíduo. Serão utilizados 40 ovos de jacarés-do-pantanal, provenientes de ninhos de controle populacional do Zoológico UFMT, divididos em quatro grupos de 10 ovos cada: Grupo I 28°C, Grupo II 34°C, Grupo III 31°C e Grupo IV 28°C e indução de hiperatividade com uso de 4-aminopyridine. Análises comparativas macroscópicas, histológicas e histoquímicas serão empregadas para avaliar a estrutura esquelética quanto a influência do aumento de temperatura e motilidade sobre o crescimento dos membros. Espera-se que os resultados agreguem novas fontes para a anatomia e sirvam como fonte de conhecimento aplicável, haja vista a importância da espécie para a fauna silvestre, e suas relações socioambientais, culturais e econômicas..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Especialização: (1) Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Andrew Pitsillides - Integrante / Chantal Chenu - Integrante / Blandine Poulet - Integrante / Liana Grisi Gomes - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso - Auxílio financeiro.
2017 - Atual
Efeito do bisfosfonato na resistência óssea a fraturas
Descrição: A osteoporose é uma doença metabólica que afeta 200 milhões de pessoas em todo o mundo, esta patologia consiste na perda de massa óssea em decorrência da idade, desuso e a má nutrição. Esta doença gera um desequilíbrio entre a reabsorção e formação do osso, resultando em redução generalizada da densidade óssea, degradação da arquitetura óssea e consequente aumento da fragilidade óssea levando a fratura. A rigidez da matriz óssea determina o crescimento ósseo que só poderá ser realizado através da deposição óssea em superfícies ósseas já formadas. No entanto, o processo de reabsorção óssea permite a remoção de osso velho no interior da matriz do osso e a subsequente formação de osso novo no mesmo sítio. Esta sequência de acontecimentos é conhecida como remodelação óssea e é realizada por osteoclastos e osteoblastos, que são responsáveis pela reabsorção e formação óssea, respectivamente. Os osteoclastos removem uma quantidade de osso e, em seguida, pré-osteoblastos migram para estas cavidades aonde vão proliferar e se diferenciar em osteoblastos, reparando as cavidades com uma matriz extracelular osteóide não calcificada, que, em seguida, mineraliza. O osso é elástico, assim consegue absorver uma grande quantidade de energia e não fratura facilmente, nesta condição é denominado ?duro?. O bisfosfonato é a primeira linha de tratamento para osteoporose por possuir alta afinidade pelo osso mineral, a hidroxiapatita. Seu mecanismo de ação consiste em suprimir o início da atividade osteoclástica através de um efeito anti-cabólico. Devido à ligação com a hidroxiapatita, o bifosfonato, acumula nos lugares de reabsorção óssea, pois o osteoclasto não consegue mais se ligar ao osso. O ibandronato de sódio é o bifosfonato que possui maior afinidade com a hidroxiapatita, sendo dez vezes mais potente que o alandronato. Vários estudos demonstram a eficácia do ibandronato e afirmam que ele incrementa a qualidade do osso e diminui o risco a fratura, entretanto o uso crônico deste fármaco pode estar associado a fraturas atípicas em ossos longos. Como o uso crônico de bifosfonatos altera atividade osteoclástica, a composição mineral, torna o osso inelástico, deixando-o tão rígido que absorve pouca energia e favorece a ocorrência de fraturas atípicas, este trabalho tem como objetivo avaliar a resistência à fratura, a morfologia e a composição óssea após o uso prolongado de bifosfonatos em camundongos ovariectomizados, bem como quantificar a presença de biomarcadores para remodelação e reabsorção óssea no soro sanguíneo dos mesmos..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Andrew Antony Ptsillides - Integrante / Chantal Chenu - Integrante / Samuel Monzem - Integrante.
2016 - 2018
Avaliação do efeito do enalapril e benazepril sob a nefrotoxicidade induzida por cisplatina em ratos
Descrição: A citotoxicidade renal é frequentemente observada como efeito adverso da maioria dos quimioterápicos; limitando, muitas vezes, a continuidade do tratamento antineoplásico. A cisplatina é um dos agentes quimioterápicos com maior potencial terapêutico frente às neoplasias malignas em animais e humanos, principalmente no tratamento de tumores em órgãos do sistema geniturinário, sarcomas ósseos, carcinomas de cabeça e pescoço e no controle de doenças metastáticas pulmonares. No entanto, sua utilidade clínica tem sido restringida por decorrência dos seus efeitos secundários nefrotóxicos. A administração de vários agentes associados ao tratamento com quimioterápicos é estudada, como por exemplo, os inibidores da enzima conversora de angiotensina (IECA), medicações amplamente prescritas para o tratamento de hipertensão e insuficiência cardíaca congestiva, bem como colaboram no atraso da progressão da insuficiência renal crônica. Os IECAs atuam reduzindo a vasoconstrição e promovendo excreção de sódio e água. São medicamentos especialmente úteis para reduzir a proteinúria e este efeito renoprotetor é independente de qualquer redução da pressão arterial sistêmica. Desta forma, objetiva-se avaliar os possíveis efeitos protetores dos inibidores de ECA (enalapril e benazepril) contra a nefrotoxicidade induzida por cisplatina em ratos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Thalita Priscila da Silva Peres - Integrante.
2016 - Atual
Segurança e Eficácia do IgY oral no Tratamento de Doenças Periodontais em Cães
Descrição: Os cães objetos de estudo deste trabalho serão de qualquer idade, de ambos os sexos de todas as raças e temperamento dócil. Os proprietários deverão declarar por escrito a autorização para utilização de fluidos biológicos dos animais e responder perguntas relacionadas à alimentação e rotina destes. Todos os animais passarão por exame clínico e físico e as informações serão anotadas em ficha odontológica. Serão realizados exames laboratoriais de hemograma e bioquímica séricas para caracterizar o estado de saúde geral dos animais nos dias 1 e 28. Serão utilizados 50 cães, divididos em 5 grupos com 10 animais em cada que receberão os diferentes protocolos terapêutico ou cirúrgico-terapêutico, sendo grupos 1, 2 e 3 os animais que receberão IgY em pasta nas concentrações de 8%, 15% e 20% respectivamente para aplicação diária dental realizada pelos proprietários, grupo EC os animais serão submetidos à extração de placa e cálculo dentário cirúrgicamente e ECT os animais submetidos a extração cirúrgica de placa e cálculo dentário e posterior manutenção diária com IgY. Todos os animais que incluírem procedimentos cirúrgicos serão submetidos à anestesia geral inalatória com analgesia. Todos os animais no dia 1 serão classificados de acordo com o índice de placa, índice de cálculo e índice de gengivite pelos métodos de Turesky (1970), Boyce e Logan (1994) e Löe (1967) respectivamente. Para que não haja inconformidades com a avaliação, estes serão realizados durante todo o projeto somente pelos mesmos avaliadores e em conjunto, sendo; 3.1. Índice de Placa: Para determinar o índice de placa, será aplicada fucsina, gentilmente, à superfície dos dentes e, imediatamente, será enxaguado com água para evidenciar os limites da placa bacteriana. Será avaliada a extensão e a espessura do biofilme. 3.1.1 Área de cobertura de placa bacteriana: O critério de área coberta seguirá os seguintes valores: 0 Placa não observável 1 De 1% a 24% de área coberta 2 Entre 25% e 49% de área coberta 3 Entre 50 e 74% de área coberta 4 Mais que 75% de área coberta 3.1.2 Espessura de placa bacteriana: O critério de espessura das placas seguirá a coloração dos dentes obtida através do evidenciador da placa: 1 Fina Cor rósea ou vermelha clara 2 Média Cor vermelha 3 Espessa Cor vermelha escura 3.1.3 Valor final: O valor será calculado multiplicando-se o valor da área de extensão pelo valor de espessura da placa bacteriana de cada dente. Os valores obtidos para todos os dentes serão somados e a média resultante do número total de dentes avaliados determinará o valor final do índice da placa bacteriana de cada animal. 3.2 Índice de cálculo dental: Os dentes serão divididos em três terços verticalmente e cada terço receberá uma numeração baseado na porcentagem de cobertura de cálculo do dente. O critério que será utilizado seguirá os seguintes valores: 0 Cálculo não observável 1 De 1% a 24% de área coberta 2 Entre 25% e 49% de área coberta 3 Entre 50% e 74% de área coberta 4 Mais que 75% de área coberta Os valores obtidos de cada terço serão somados para obter valor final de cada dente. Os valores serão somados e a média classificará o valor final de índice de cálculo na boca. 3.3 Índice de gengivite: O critério utilizado é o grau de inflamação observado pela inspeção visual. 1 Inflamação leve: eritema e edema discretos, sem hemorragia do sulco gengival. 2 Inflamação moderada: eritema e edema evidentes e hemorragia gengival. 3 Inflamação grave: eritema importante, edema com tendência hemorrágica e/ou úlceras ao longo da linha gengival. Nos dias 1 e 28 realizar-se-a a curetagem de biofilme da face palatina dos caninos e dentes quarto pré molares superiores direito e esquerdo em duplicata com cureta Gracey do tipo mini-five, para realização das qPCRs para certificação da presença e quantificação de Porphiromonas gingivalis. As amostras serão imediatamente depositadas em tubos.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Especialização: (2) / Mestrado profissional: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Andresa de Cassia Martini - Integrante / Liana Grisi Gomes - Integrante / Matias Batistella Stocco - Integrante / PIZZINATTO, FÁBIO DUMIT - Integrante / Dábila Araújo Sônego - Integrante.
2015 - 2017
AVALIAÇÃO DO EFEITO DO ENALAPRIL E BENAZEPRIL SOB A NEFROTOXICIDADE INDUZIDA POR CISPLATINA EM RATOS
Descrição: Resumo: A citotoxicidade renal é frequentemente observada como efeito adverso da maioria dos quimioterápicos; limitando, muitas vezes, a continuidade do tratamento antineoplásico. A cisplatina é um dos agentes quimioterápicos com maior potencial terapêutico frente às neoplasias malignas em animais e humanos, principalmente no tratamento de tumores em órgãos do sistema geniturinário, sarcomas ósseos, carcinomas de cabeça e pescoço e no controle de doenças metastáticas pulmonares. No entanto, sua utilidade clínica tem sido restringida por decorrência dos seus efeitos secundários nefrotóxicos. A administração de vários agentes associados ao tratamento com quimioterápicos é estudada, como por exemplo, os inibidores da enzima conversora de angiotensina (IECA), medicações amplamente prescritas para o tratamento de hipertensão e insuficiência cardíaca congestiva, bem como colaboram no atraso da progressão da insuficiência renal crônica. Os IECAs atuam reduzindo a vasoconstrição e promovendo excreção de sódio e água. São medicamentos especialmente úteis para reduzir a proteinúria e este efeito renoprotetor é independente de qualquer redução da pressão arterial sistêmica. Desta forma, este trabalho tem como objetivo avaliar o os possíveis efeitos protetores dos inibidores de ECA (enalapril e benazepril) contra a nefrotoxicidade induzida por cisplatina em ratos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Thalita Priscila da SIlva Peres - Integrante / Marcelo Candido Portilho Gouveia - Integrante.
2015 - 2017
AVALIAÇÕES HEMATOLÓGICAS E BIOQUÍMICAS DO USO DE FIROCOXIB (PREVICOX®) ANTES E APÓS ADMINISTRAÇÃO DE PROPOFOL EM CÃES
Descrição: Avaliar as alterações hematológicas e bioquímicas do uso do anti-inflamatório não esteroidal (AINE) firocoxib (previcox® - 227mg/57mg) antes e após a administração do propofol em cães. Serão utilizados 30 animais, distribuídos de forma randomizada em três grupos. Grupo I (GI) não receberão o AINE, grupo II (GII) receberão o AINE 1 hora e 30 minutos antes do procedimento cirúrgico e grupo III (GIII) receberão o AINE 90 dias consecutivos antes do procedimento cirúrgico, então serão coletadas amostras de sangue previamente e após a administração deste AINE. Comparações entre as situações serão avaliadas pela ANOVA, seguidas pelo teste Scott-Knott (p<0,05)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2015 - Atual
Adaptação do método TNM de classificação e estadiamento tumoral humano para utilização na Medicina Veterinária de pequenos animais.
Descrição: O objetivo deste trabalho é demonstrar a correlação entre tamanho tumoral quando este comparado ao tamanho do animal, ex: um tumor de 3cm em um cão de 2kg e um tumor de 3cm em um cão de 45kg, demonstrar se ocorre ou não uma relação desta variação com as características de malignidade tumoral. Adaptar a variável tamanho do sistema TNM de estadiamento tumoral (TNM), utilizado em humanos, para medicina veterinária de pequenos animais. Atualmente se usa o sistema TNM em cães utilizando as mesmas normas que em humanos sem levar em consideração a grande variação de tamanho entre as raças. A necessidade de estudos retrospectivos é de fundamental importância para a medicina veterinária, já que é a partir destes estudos é possível obter dados para se poder afirmar com clareza sobre determinada patologia (Souza et al., 2006). 3. Metodologia Serão utilizadas para a coleta de informações e material biológico animais oriundos do atendimento clinico e cirúrgico do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso (HOVET-UFMT), durante o período que se estenderá de 06/15 até a 06/17 ou até a coleta de dados e materiais de 180 animais. Os animais com diagnóstico prévio de neoformação serão transferidos para o setor de oncologia do (HOVET), onde passará por anamnese e avaliação e preenchimento de ficha oncológica, com dados do proprietário, dados gerais do animal alem dos dados referentes ao estadiamento tumoral. Serão consideradas como neoplasias todas as alterações de crescimento, podendo ser estes, neoplasias malignas, benignas ou alterações não neoplásicas como, hiperplasias, cistos entre outros. (Oliveira Filho et al., 2010). Os dados serão armazenados em uma planilha de Excel sendo efetuada a analise estatística descritiva. Em relação à localização das neoplasias, estas serão categorizadas em: cabeça, pescoço, tórax, abdômen, membro torácico, membro pélvico, períneo, genitais e generalizado de acordo com Souza et al. (2006). O estadiamento clínico será realizado, com base nos parâmetros do sistema TMN, avaliando o tamanho das neoplasias (T), se ocorre envolvimento de linfonodo regional (N) e presença de metástase a distancia (M).Quando o animal avaliado apresentar mais de uma neoplasia será considerada sempre a neoplasia de maior tamanho. Em ralação a avaliação dos linfonodos, esta será realizada a palpação no momento do exame físico do animal, para averiguar o tamanho dos tumores, será utilizado o sistema TNM proposto pela Organização Mundial da Saúde (OMS) onde os tumores são agrupados em 3 classificaçõesT1: menor que 3 cm, T2: tumores com 3 a 5 cm, T3: tumores maiores que 5 cm (Oliveira Filho et al., 2010). Serão necessários 180 animais, sendo 60 animais de pequeno porte (PP) até 10kg, 60 animais de médio porte 10 a 25kg (MP) e 60 animais de grande porte acima de 25kg (PG), que serão distribuídos em 3 grupos de de acordo com o tamanho da neoplasia apresentada e seus respectivos portes; sendo: Grupo T1 com 20 animais de (PP), 20 animais (MP) e 20 animais (GP), Grupo T2: com 20 animais de (PP), 20 animais (MP) e 20 animais (GP), e Grupo T3 com 20 animais de (PP), 20 animais (MP) e 20 animais (GP)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Dábila Araújo Sonego - Integrante / Andresa de Cassia Martini - Integrante / Paulo Roberto Spiller - Integrante / Fabio Dumit - Integrante / COLODEL, EDSON MOLETA - Integrante / Samara Roslen - Integrante / Matias Batistella Stocco - Integrante / Marcelo Candido Portilho Gouveia - Integrante.
2014 - 2018
Alterações sequenciais de genes identificados por transcriptoma durante a progressão da osteoartrite experimental em ratos
Descrição: A osteoartrite (OA) é uma denominação clínica para uma combinação de condições patológicas que envolvem a degeneração progressiva da cartilagem articular, remodelação de osso subcondral e sinovite. Alterações de genes em diferentes fases da sua progressão estão envolvidas com a etiopatogenia da doença. Diante da escassez de estudos experimentais acerca de mecanismos moleculares envolvidos com a OA, os objetivos do presente estudo são: a) Avaliar as alterações transcricionais durante as diferentes fases da progressão da osteoartrite experimental em ratos; b) Sequenciar as diferentes populações de cDNA nas diferentes fases da progressão da doença; c) Correlacionar as alterações sequenciais de genes com a gravidade encontrada nas análises histopatológicas e tomográficas das articulações avaliadas; d) Caracterização de genes expressos em diferentes fases da OA experimental em ratos; e) Análise bioinformática e comparação do padrão de expressão gênica nas diferentes fases, através de análises in silico. Esses achados poderão levar a uma melhor compreensão dos mecanismos envolvidos no desenvolvimento e gênese da OA. Além disso, esse estudo poderá evidenciar um biomarcador para essa doença articular degenerativa. Objetivo Geral: Avaliar as alterações transcricionais de genes durante as diferentes fases da progressão da osteoartrite experimental em ratos. Objetivos específicos: 1) Sequenciar as diferentes populações de cDNA nas diferentes fases da progressão da doença; 2) Validar o modelo experimental de ruptura do ligamento cruzado cranial (RLCCr), através da análise de genes identificados pelo transcriptoma; 3) Validação de genes identificados por transcriptoma os quais se mostrarem diferencialmente expressos na cartilagem de ratos com osteoartrite experimental induzida; 4) Correlacionar as alterações sequenciais de genes com a gravidade nas análises histopatológicas e tomográficas das articulações avaliadas; 5) Caracterização de genes expressos em diferentes fases da osteoartrite experimental em ratos; 6) Identificação de biomarcadores moleculares; 7) Análise bioinformática e comparação do padrão de expressão gênica nas diferentes fases, através de análises in silico..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Luciano Nakazato - Integrante / Dábila Araújo Sonego - Integrante / Thalita Priscila da SIlva Peres - Integrante / Wilma Neres da Silva Campos - Integrante / Wilma Neres da Silva Campos - Integrante / Mateus Annicchino Andrade - Integrante / Fabio Dumit - Integrante.
2014 - 2018
Avaliação de polimorfismo em genes da família p450 e suas associações com cancer de mama em cadelas
Descrição: A incidência de câncer de mama (CM) nos animais de companhia, têem crescido nos últimos anos em virtude ao aumento na expectativa de vida animal à semelhança do ocorrido com seres humanos (THURÓCZY et al., 2007). Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o CM humano é o segundo tipo mais frequente no mundo e o de maior incidência entre as mulheres, correspondendo à aproximadamente 30% de todos os casos de câncer diagnosticados e 16% de todas as mortes causadas por esta doença. Na medicina veterinária estudos com cães denotam que o CM representa aproximadamente 50% das neoplasias, sendo o segundo tumor mais frequente em canídeos do gênero feminino (REIS et al., 2010, ANDRADE et al., 2010). O CM em cadelas têm uma incidência três vezes superior aos tumores da mama nas mulheres (MISDORP, 2002, CASSALI et al., 2007). A etilogia do CM é complexa e obedece a padrão multifatorial, diversos fatores endógenos e exógenos influenciam o risco para CM, segundo Lana et al. (2007), a idade do animal e a probabilidade de desenvolvimento de tumores mamários variam numa razão direta, sendo que a idade média de manifestação tumoral, nas cadelas, está entre os 10 e os 11 anos, sendo rara em idades inferiores a 4 anos. Vários estudos sugerem um maior risco de desenvolvimento de tumores mamários associado à obesidade, principalmente juvenil (PÉREZ- ALENZA et al., 1998; LANA et al., 2009; CLEARY et al., 2010). Fatores relacionados ao sexo são determinantes, os tumores da glândula mamária raramente ocorrem em cães machos, sendo a sua incidência inferior a 1%, e parecem estar associados a alterações hormonais, tais como as que ocorrem nos tumores das células de Sertoli, onde se verifica a secreção de estrogênios (MISDORP, 2002; RUTTEMAN et al.,2001; HENSON, 2003). Estudos clínicos, epidemiológicos e experimentais têm demonstrado que os hormônios estrogênio e progesterona desempenham importante papel na gênese do CM, sendo que o risco é fortemente relacionado com exposição à esteróides (BERSTEIN, 1998; PIKE;PEARCE;WU, 2004). Outra ocorrência de apoio à hormônio dependência do CM é a identificação de receptores de estrógenos e progesterona nas lesões em 40 á 60% dos casos (RUTTEMAN et al.,2001). O CM em cadelas é um fenômeno altamente incidente que apresenta similaridades epidemiológicas (HÉLLMEN et al., 1993), clínicas (LAS MULAS et al., 2005), biológicas (GERALDES et al., 2000) e genéticas (LEE et al., 2004) com as neoplasias mamárias da mulher, sendo por isso considerado ótimo modelo em estudos comparativos. Portanto a aplicação do conhecimento obtido em estudos com CM em cadelas pode ser estendida à medicina humana e contribuir substancialmente nos prognósticos e tratamentos do CM em animais.Objetivo Geral  Verificar as frequências dos polimorfismos nos genes CYP1A1, CYP1B1, CYP3A4, CYP17 e CYP19, COMT (Catechol-o-methyltransferase), GSTM1 (Glutatione S Transferase M1) e receptores de estrogênios e progesterona e suas associações com o câncer de mama em cadelas atendidas no Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso (HOVET/UFMT). Objetivos Específicos  Caracterizar fatores de risco para câncer de mama das cadelas atendidas no HOVET/UFMT;  Montar banco de DNA e RNA proveniente das amostras de sangue e de tecido mamário tumoral das cadelas e controles;  Analisar a expressão proteica desses genes por imunohistoquímica;  Investigar a associaçã.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / WIlma Neres Campos - Integrante / Dábila Araújo Sonego - Integrante / Andresa de Cassia Martini - Integrante / Paulo Roberto Spiller - Integrante / Mateus Annicchino Andrade - Integrante / Marcelo Candido Portilho Gouveia - Integrante / Fábio D. Pizzinatto - Integrante / Lianna Ghisi Gomes - Integrante.
2014 - 2015
Avaliação do extravasamento de líquido vesical, após cistectomia parcial com e sem suplementação de serosa intestinal em cadáveres caninos.
Descrição: Procedimentos cirúrgicos na vesícula urinária são comumente executados em medicina veterinária. A principal indicação está associada à remoção de cálculos urinários. Outras indicações incluem ruptura por trauma, aprisionamentos, neoplasias e correção de anomalias congênitas (CORNELL, 2000). Na ocorrência de tumores ou traumas, há necessidade de ressecção cirúrgica do tecido comprometido por cistectomia parcial. Em tais condições, se a região do trígono for preservada, admite-se que até 75% da bexiga possa ser removida sem prejuízos ao paciente (PEACOCK, 1984). A complicação cirúrgica mais comum é a deiscência de sutura, que enseja uroperitôneo, que rapidamente evolui para uremia, desidratação, hipovolemia, hipercalemia e morte (FOSSUM, 2008). Quando a viabilidade do tecido remanescente após a cistectomia for questionável, recomenda-se o emprego do remendamento com serosa intestinal sob a linha de sutura como reforço (CROWE, 1984). Nesse procedimento a superfície serosa de estruturas abdominais adjacentes são usadas de modo semelhante ao omento, sendo que a barreira física produzida pela parede intestinal fornece apoio estrutural e limita o extravazamento de líquido de vísceras ocas. Ademais, as células mesoteliais e os vasos presentes na serosa fornecem suporte cicatricial ao tecido doente, reduzindo o risco de deiscência (JONES; GAZZANIGA; KELLER, 1973; KIRBY, 2002). Para realização do procedimento, posiciona-se a borda antimesentérica de uma alça de intestino delgado sobre a linha de sutura, prendendo a serosa intestinal sobre a serosa vesical com padrão de sutura simples contínuo. O remendo deve ser fixado a 5 mm de cada lado da cistorrafia e as suturas devem incorporar a submucosa de ambos os órgãos, sem penetrar o lúmen dos mesmos (CORNELL, 2000). Há diversos relatos do emprego de remendamento com serosa em outros órgãos, como na correção de defeitos esofágicos (THAL; HATAFUKU; KURTZMAN, 1965; MENDELSSONH; MAGALHÃES; GOLDENBERG, 1998). Contudo, seu principal uso é no reparo de problemas intestinais (KOBOLD; THAL, 1963; HIROTA; HARKINS, 1965; FONTES et. al.,2004). Demonstrou-se que após ressecção e anastomose intestinal, as linhas de suturas suplementadas com o remendamento de serosa suportaram 65.8% mais pressão intraluminal que as alças onde o procedimento de suporte não foi realizado (HANSEN; MONNET, 2013). Os livros textos de cirurgia veterinária mais utilizados não descrevem ou recomendam o uso de remendamento com serosa após cistorrafia vesical (BOJRAB, 2005; SLATTER, 2007; FOSSUM, 2008), tão pouco encontraram-se relatos de seu emprego em casos clínicos. Por esse motivo, nos parece oportuno estudar e comparar a pressão intraluminal máxima em bexigas provenientes de cadáveres caninos, submetidas a cistectomia parcial com posterior cistorrafia, sem e com a suplementação da serosa intestinal. Objetivos de avaliar a pressão intraluminal máxima (PIL) em bexigas submetidas à cistectomia parcial com posterior cistorrafia, sem e com a suplementação da serosa intestinal. Objetivos Específicos Avaliar a pressão intraluminal máxima (sistema tubular de sondas e manômetro de mercúrio) em bexigas submetidas à cistectomia parcial com posterior cistorrafia (dois planos de sutura com fio absorvível multifilamentar 3-0 de material ácido poliglicólico), sem e com a suplementação da serosa intestinal..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (2) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Samuel Monzen - Integrante / Paulo Roberto Spiller - Integrante / Alexandre Pinto Ribeiro - Integrante / Lianna Grisi - Integrante.
2013 - 2017
Síntese e caracterização de nanopartículas de ouro conjugadas com curcumina e sua ação na administração intra-articular da osteoartrite experimental em murinos
Descrição: Osteoartrite (OA) é uma das doenças músculo-esqueléticas crônicas mais comuns e uma das principais causas de claudicação e deficiência locomotora em cães (Bennet, 1990; Innes, 2003). Esta doença degenerativa é causada por uma alteração de condrócitos que resultam numa degradação progressiva, eventual perda de cartilagem e dano ao osso subcondral (Creamer e Hochberg, 1997; Felson e Zhang, 1998). Produtos farmacêuticos existentes incluem analgésicos, esteróides e drogas anti-inflamatórias não-esteroidas (AINES), que tratam somente os sintomas da doença como redução da dor e inflamação. Por estas razões os tratamentos alternativos da OA tornam-se desejáveis e, recentemente, nutracêuticos, tais como a curcumina, têm sido propostos para este fim (Henrotin et al., 2009; Innes et al., 2010.). A curcumina, também conhecida como diferuloilmetano, extraída a partir das raízes de Curcuma longa, caracteriza-se como um agente quimiopreventivo, sendo uma molécula altamente pleiotrópica capaz de interagir com inúmeros fatores e mediadores envolvidos na inflamação (Aggarwal e Harikumar, 2009). Sua potente ação anti-inflamatória têm levado a inúmeras pesquisas acerca da sua utilização em uma variedade de doenças, incluindo a inflamação pós-operatória, artrite, uveíte, condições gastrointestinais e na terapia do câncer (Jurenka, 2009). A curcumina inibe a secreção de colagenase, elastase e hialuronidase, assim como vários tipos de fosfolipases: fosfolipase D, fosfolipase A2 e fosfolipase C, sendo capaz de inibir vários fatores inflamatórios como o NF-kappa B e AP-1, além de reduzir a produção de citocinas pró-inflamatórias como o TNF, IL1-beta e IL-8 (Shen e Li, 2012; Henrotin et al., 2013). Recentes estudos em animais demonstraram que a curcumina é rapidamente metabolizada, conjugada no fígado e excretada nas fezes, porém tem limitada biodisponibilidade sistêmica, sendo esta uma desvantagem deste fármaco (Ireson et al., 2011). A conjugação de fármacos e moléculas a metais, especialmente de nanopartículas em meios aquosos, podem proporcionar uma atividade aumentada, maior semi-vida, estabilidade melhorada e uma maior resistência aos processos metabólicos específicos. As nanopartículas de ouro (AuNPs) têm provado ser úteis no transporte de drogas, diagnóstico de doenças e sua biodisponibilidade é bem documentada e relatada (Sung et al., 2007). As vantagens da conjugação de AuNPs podem incluir a liberação controlada e/ou prolongada da substância nelas encapsuladas, redução de efeitos adversos associados à substância, proteção de compostos da inativação antes de atingirem o local de ação, aumento da penetração intracelular e o aumento da atividade farmacológica (Sung, et al., 2007; Marangoni et al., 2013). Objetivos: 1) Explicitar os objetivos e metas do projeto. Justificar a proposição e sua inserção na área proposta; 2) Realizar a síntese, caracterização e conjugação das AuNPs com a curcumina e assim avaliar sua ação terapêutica em um modelo de osteoartrite experimental em camundongos; 3) Caracterização de genes expressos em diferentes fases da osteoartrite experimental em camundongos; 4)Avaliar os efeitos da curcumina conjugada ou não às AuNPs na expressão gênica de TNF-α, iGF-1, TGF-β, IL-1 através da técnica do RT-PCR; 5) Correlacionar as expressões de genes com a gravidade nas análises histopatológicas e das articulações avaliadas;.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Especialização: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Dábila Araújo Sonego - Integrante / Thalita Priscila da SIlva Peres - Integrante / Wilma Neres da Silva Campos - Integrante / Mateus Annicchino Andrade - Integrante / Fabio Dumit - Integrante.
2013 - 2015
Ocorrência de neoplasias em cães atendidos no hospital veterinário da UFMT
Descrição: O câncer tem sido apontado como uma das principais causas de morte em animais domésticos (Bonnett et al. 1997). A crescente incidência das afecções neoplásicas em cães tem sido atribuída às melhores condições nutricionais e sanitárias dos animais refletindo de forma positiva na qualidade de vida e nos avanços demetodologias de diagnósticos mais eficientes e protocolos terapêuticos cada vez mais específicos (Withrow & Macewen 2006). Uma avaliação clinica no início da detecção do problema é de fundamental importância pra uma melhor sobrevida destes animais, já que tumores menores que três centímetros apresentam uma menor chance de ser maligno (Toribio et al. 2012). As neoplasias afetam com mais frequência animais de determinada idade, raça e sexo, o que de certa forma contribui no auxílio ao diagnóstico correto. Apesar de estudos apontarem o câncer como sendo uma doença de animais idosos, há relatos de desenvolvimento de neoplasias malignas em cães de dois meses de idade (Sturion et al. 1997). Em relação à raça, foi constatado que os mastocitomas envolvem principalmente os cães braquicefálicos, enquanto que os tumores ósseos são mais frequentes em raças grandes e gigantes (Gilson & Page 1998). Quanto ao sexo, (Mendes et al. 2007) observaram maior prevalência de tumores cutâneos em fêmeas, quando comparada aos machos. A pele é o principal local onde ocorre à formação das neoplasias com 67,6%, seguido das glândulas mamárias aonde a ocorrência chega a ser de 15,1% dos casos (De Nardi et al. 2002; Souza et al. 2006; Cardoso et al. 2013). Apesar dos avanços recentes no uso da radioterapia e quimioterapia na medicina veterinária, o método de tratamento ainda mais utilizado é o procedimento cirúrgico (Boothe 1997). A intervenção cirúrgica associada à quimioterapia rotineira é a modalidade terapêutica mais indicada para o tratamento das neoplasias (Oliveira et al. 2007). Atualmente, a quimioterapia mais utilizada é no tratamento de Tumor Venéreo Transmissível canino (TVT), a cura dos pacientes é estimada em 90% dos casos (Silva et al. 2007, Ribeiro & Zappa 2008), com poucos efeitos colaterais (Sousa et al. 2000). As características histológicas de cada neoplasia como: morfologia, grau de diferenciação, invasão tecidual com comprometimento ou não do linfonodo sentinela e metástases, permitem prever o comportamento biológico da mesma, sendo isto essencial para o prognóstico e para instituir uma intervenção terapêutica adequada ao animal (Dahroug et al. 2007, Angelim & Coelho 2012). O objetivo deste estudo foi verificar a ocorrência dos casos de neoplasias em cães atendidos no hospital veterinário da UFMT, correlacionando os achados com os dados epidemiológicos gerais..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Edson Moleta Colodel - Integrante / Caroline Argenta Pescador - Integrante / Wilma Neres Silva Campos - Integrante / Andresa de Cassia Martini - Integrante / Paulo Roberto Spiller - Integrante / Matias Stocco Bassinela - Integrante / Samara Rosler - Integrante.
2012 - 2018
Inibição da progressão da osteoartrite cirurgicamente induzida em camundongos por nanoparticulas de ouro.
Descrição: A OA é caracterizada pela degeneração dos componentes da matriz da cartilagem articular acompanhada de uma produção excessiva de citocinas inflamatórias. A interleucina 1β é considerada a primeira citocina participante da patofisiologia da AO. Ela induz uma cascata de eventos catabólicos incluindo a expressão aumentada dos genes de metaloproteinases (MMPs), induzindo a síntese de óxido nítrico, cicloxigenase-2 (COX-2) e prostaglandina microssomal E sintetase-1 (mPGEs1). A interleucina 1β (IL-1β) também retarda as atividades anabólicas dos condrócitos, conduzindo diminuição das sínteses de proteoglicanos e colágeno. A inflamação é o principal componente do mecanismo de defesa envolvendo uma série de reações no tecido lesado. Este processo ocorrerá independente da natureza do agente causador da lesão. Os fatores iniciais da OA permanecem desconhecidos, mas os agentes inflamatórios responsáveis por iniciar a resposta inflamatória, incluindo morte celular, necrose do tecido devido à perda do suprimento sanguíneo, mesmo não estando envolvidos na etiologia primária da doença, podem estar relacionados com a perpetuação e agravamento da doença articular. Sendo assim, encontrar agentes terapêuticos que modifiquem a evolução da patologia são de primordial importância no tratamento da OA. A nanotecnologia é o estudo e manipulação da matéria a um nível atômico."Nano" é derivada da palavra grega ?anão", e é uma medida de magnitude da ordem de 10-09m. A nanotecnologia envolve a construção de nanopartículas para formar estruturas que têm propriedades únicas e são muito diferentes para as propriedades do mesmo estrutura em um nível mais amplo. Nanopartículas são de imensa importância na medicina, devido à sua superfície em relação área, sendo menos de 100nm de tamanho, sua superfície em relação à massa é muito grande. Várias substâncias podem se ligar à grande área de superfície ou as partículas podendo ser usadas como transportadoras de drogas e sondas ao.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Edson Moleta Colodel - Integrante / Luciano Nakazato - Integrante / Marcos de Almeida de Souza - Integrante.
2012 - 2015
A arginina esterase específica prostática canina (CPSE) como biomarcador da hiperplasia prostática benigna em cães
Descrição: A população canina, pela melhora nos cuidados e qualidade de vida tem aumentado a expectativa de vida e com isso, como em humanos, surgem mais afecções prostáticas, como a HPB, que geralmente são relacionadas ao avanço da idade. A base para se realizar um procedimento Veterinário a contento é o estabelecimento do diagnóstico. A partir dele é que medidas terapêuticas e de controle podem ser utilizadas de forma eficiente. Para que se realizem diagnósticos da HPB são geralmente necessários exames complementares. Apenas o exame histopatológico estabelece o diagnóstico definitivo da doença. Há em emergência o estudo de marcadores biomoleculares, que nesse caso, detecta a patologia através do aumento de uma determinada proteína, a CPSE, nos níveis séricos. Um estudo mostrou que as atividades de CPSE no soro foram significativamente mais elevadas em cães com BPH do que em cães normais. Apesar disso, a atividade do soro em cães com BPH, prostatite bacteriana, e carcinoma prostático não foram significativamente diferentes umas das outras. A CPSE foi significativamente maior em cães com HPB do que em cães normais, com prostatite bacteriana e carcinoma da próstata. Os resultados de experiências mostram que a atividade da CPSE está sob controle androgênico, pode ser inibida pelo tratamento com anti-androgênico e pode servir como um marcador funcional do estado androgênica da próstata. Um recente registro de patente de um método de análise in vitro de HPB determinou os valores séricos de CPSE para diagnóstico de hiperplasia, através de ELISA ou Imunocromatografia, diferenciando a HPB das demais doenças prostáticas e mostrou que cães tratados para esta afecção tiveram diminuição dos níveis de CPSE em 15 dias. Sendo assim, o estudo da CPSE como marcador biológico da HPB é promissor, de modo que a partir do diagnóstico é que o tratamento é tomado de forma eficaz. Poder estabelecer um diagnóstico pela análise sérica evitará riscos anestésicos e de complicações pós-cirúrgicas,.
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Edson Moleta Colodel - Integrante / Caroline Argenta Pescador - Integrante.
2012 - 2014
Levantamento epidemiológico de afecções orais em espécies silvestres mantidas em cativeiro no Zoológico da UFMT
Descrição: O exame clínico da cavidade oral é essencial em um procedimento clínico na medicina de animais selvagens. A detecção precoce de lesões na cavidade oral é de vital importância para que seja preservada a integridade da saúde de um animal. Em programas de medicina preventiva para uma população de animais em cativeiro, esta conduta constitui item obrigatório para evitar a presença de enfermidades e óbitos de espécies muitas vezes raras em um zoológico. A informação do estado geral da cavidade oral e a gravidade das lesões dentárias encontradas contribuem para intervenções que visem preservar a expectativa de vida, a reprodução e a preservação destas espécies ameaçadas. A odontoestomatologia preventiva é parte indissociável do programa geral de cuidados com a saúde do plantel em quaisquer instituições que se dediquem a manter animais selvagens em cativeiro. Os principais objetivos são a detecção precoce de problemas preexistentes e a eliminação das causas de seu agravamento e da ocorrência de futuros problemas. O diagnóstico precoce também possibilita que as medidas terapêuticas mais indicadas a cada caso sejam tomadas em tempo hábil, aumentando a eficiência dos tratamentos. Objetivos - Realizar um levantamento epidemiológico das principais afecções orais encontradas nas espécies silvestres mantidas em cativeiro no Zoológico da Universidade Federal de Mato Grosso..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador.
2012 - 2014
Intermittent applied mechanical loading induces subchondral bone thickening that is intensified locally by articular cartilage lesions

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Wilma Neres da Silva Campos em 12/09/2017.
Descrição: Osteoarthritis is a heterogeneous group of conditions typified by pain, joint space narrowing, osteophytosis, subchondral bone (SCB) sclerosis and loss of articular cartilage (AC) integrity. Despite anatomical intimacy between AC and SCB changes, their relationship in osteoarthritis remains incompletely defined. Unravelling this relationship is complicated by the fact that mechanical loading is both a major risk factor for AC trauma and a strong driver of local bone mechanoadaptation. Their association is further obscured because AC also adapts in response to applied loads and by the fact that AC damage and increased SCB turnover both occur in osteoarthritis. Many studies in spontaneous and surgical osteoarthritis models, including by Radin and Rose, provide support for the notion that SCB thickening precedes loss in AC integrity in osteoarthritis. The reliability of this specific hierarchy remains, however, questionable. Thus, it has been proposed that SCB stiffening is not needed for initial AC fibrillation, but rather contributes only to accelerate later osteoarthritis. It is still also unclear to what extent SCB and AC interact in normal joints, what sequence leads to SCB thickening in osteoarthritis and how SCB thickening is related to AC lesions. Herein, we exploit a controllable joint loading model to examine these links between SCB thickening and AC damage. Surgically-induced mechanical joint destabilisation and spontaneous osteoarthritis mouse models are often used to represent human osteoarthritis. We have described a non-invasive murine model in which transient joint loading produces either focal AC trauma, which is restricted to the lateral femur after a single episode, or lesions that became more severe with time after multiple loading episodes. This study describes SCB and epiphyseal trabecular bone changes that occur following identical application of either single and multiple loading regimens, with the aim of establishing their link to load-induced AC lesions and spontaneous progression. This study examins the bone changes, adjacent to the joint, in response to controlled loading of mouse joints in order to determine new links between SCB and load-induced AC damage. Accordingly, micro-computer tomography (µCT) will be used to measure SCB thickness and epiphyseal trabecular parameters in both loaded and contralateral knees after application of specific experimental loading regimes; known to produce local AC trauma and which also, upon additional loading, prime spontaneous AC deterioration. Finally, longitudinal monitoring of load-related modifications in gait will evaluate whether these might explain any changes in bone architecture..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2012 - 2013
Síntese, funcionalização e caracterização de nanopartículas de ouro conjugadas com curcumina e sua ação na administração intra-articular da osteoartrite experimental em camundongos
Descrição: A Osteoartrite (OA) é uma denominação clínica para uma combinação de condições patológicas que envolvem a degeneração progressiva da cartilagem articular, remodelação de osso subcondral e sinovite. A curcumina, um potente agente anti-inflamatório, têm sido extensivamente estudada e relatada em várias pesquisas, no entanto não oferece boa biodisponibilidade sistêmica. Nanopartículas de ouro (AuNPs) apresentam aplicações potenciais na administração de substâncias terapêuticas com o objetivo de aumentar a eficiência do transporte de fármacos. O objetivo deste estudo foi realizar a síntese, funcionalização e caracterização de um sistema conjugando as AuNPs à curcumina e avaliar seu potencial terapêutico em um modelo experimental de OA em camundongos por desestabilização do menisco medial (DMM). Para a síntese das AuNPs utilizou-se a polialilamina hidroclorada como agente estabilizador e o borohidreto de sódio como redutor e as caracterizações foram realizadas por espectroscopia no UV-VIS, espalhamento de luz dinâmico (DLS) e determinação do potencial zeta. Formou-se 4 grupos de oito animais cada, denominados A,B,C,D que receberam injeção intra-articular de AuNP-PAH, curcumina, AuNP-PAH-Curcumina e solução fisiológica, respectivamente. Após 6 semanas, a cartilagem da articulação-femoro-tibio-patelar (AFTP) sera avaliada em uma variação de escore de 0 a 24. A conjugação de AuNP-PAH-Curcumina tambem sera testada quanto a sua estabilidade e aplicação terapêutica. Os resultados parciais deste jaq trabalho mostram a importância do desenvolvimento de novos nanofármacos. Neste caso a conjugação de AuNPs com a curcumina permitiu a obtenção de um nanofármaco com sugestivo potencial para aplicação no tratamento da OA. Keywords: Articulação; Camundongos; Nanofármacos; Osteoartrite; Terapêutica,.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Dábila Araújo Sonego - Integrante / Thalita Priscila da SIlva Peres - Integrante / Wilma Neres da Silva Campos - Integrante / Mateus Annicchino Andrade - Integrante.
2011 - 2014
Intermittent applied mechanical loading induces subchondral bone thickening that is intensified locally by articular cartilage lesions

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Wilma Neres da Silva Campos em 10/03/2015.
Descrição: Osteoarthritis is a heterogeneous group of conditions typified by pain, joint space narrowing, osteophytosis, subchondral bone (SCB) sclerosis and loss of articular cartilage (AC) integrity. Despite anatomical intimacy between AC and SCB changes, their relationship in osteoarthritis remains incompletely defined. Unravelling this relationship is complicated by the fact that mechanical loading is both a major risk factor for AC trauma and a strong driver of local bone mechanoadaptation. Their association is further obscured because AC also adapts in response to applied loads and by the fact that AC damage and increased SCB turnover both occur in osteoarthritis. Many studies in spontaneous and surgical osteoarthritis models, including by Radin and Rose, provide support for the notion that SCB thickening precedes loss in AC integrity in osteoarthritis. The reliability of this specific hierarchy remains, however, questionable. Thus, it has been proposed that SCB stiffening is not needed for initial AC fibrillation, but rather contributes only to accelerate later osteoarthritis. It is still also unclear to what extent SCB and AC interact in normal joints, what sequence leads to SCB thickening in osteoarthritis and how SCB thickening is related to AC lesions. Herein, we exploit a controllable joint loading model to examine these links between SCB thickening and AC damage. Surgically-induced mechanical joint destabilisation and spontaneous osteoarthritis mouse models are often used to represent human osteoarthritis. We have described a non-invasive murine model in which transient joint loading produces either focal AC trauma, which is restricted to the lateral femur after a single episode, or lesions that became more severe with time after multiple loading episodes. This study describes SCB and epiphyseal trabecular bone changes that occur following identical application of either single and multiple loading regimens, with the aim of establishing their link to load-induced AC lesions and spontaneous progression. This study propose the describes bone changes, adjacent to the joint, in response to controlled loading of mouse joints in order to determine new links between SCB and load-induced AC damage. Accordingly, micro-computer tomography (µCT) will be used to measure SCB thickness and epiphyseal trabecular parameters in both loaded and contralateral knees after application of specific experimental loading regimes; known to produce local AC trauma and which also, upon additional loading, prime spontaneous AC deterioration. Finally, longitudinal monitoring of load-related modifications in gait will evaluate whether these might explain any changes in bone architecture..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2011 - 2013
CARACTERIZAÇÃO ULTRASSONOGRÁFICA DOS ÓRGÃOS DA CAVIDADE CELOMÁTICA DO JABUTI-PIRANGA (CHELONOIDIS CARBONARIA SPIX, 1824)
Descrição: Estudo anatomico ultrasonografico dos orgaos da cavidade celomatica do Jabuti-Piranga..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Dábila Araújo Sonego - Integrante / Yara Silva Meireles - Integrante / Pedro Brandini Nespoli - Integrante.
2010 - 2014
Modifications in gait as preditors of natural osteoarthritis progression in Stro/ort mice

Projeto certificado pela empresa Universidade Federal de Mato Grosso em 10/03/2015.
Descrição: Osteoarthritis is a heterogeneous group of conditions typified by pain, joint space narrowing, osteophytosis, subchondral bone (SCB) sclerosis and loss of articular cartilage (AC) integrity. Despite anatomical intimacy between AC and SCB changes, their relationship in osteoarthritis remains incompletely defined. Unravelling this relationship is complicated by the fact that mechanical loading is both a major risk factor for AC trauma and a strong driver of local bone mechanoadaptation. Their association is further obscured because AC also adapts in response to applied loads and by the fact that AC damage and increased SCB turnover both occur in osteoarthritis. Many studies in spontaneous and surgical osteoarthritis models, including by Radin and Rose, provide support for the notion that SCB thickening precedes loss in AC integrity in osteoarthritis. The reliability of this specific hierarchy remains, however, questionable. Thus, it has been proposed that SCB stiffening is not needed for initial AC fibrillation, but rather contributes only to accelerate later osteoarthritis. It is still also unclear to what extent SCB and AC interact in normal joints, what sequence leads to SCB thickening in osteoarthritis and how SCB thickening is related to AC lesions. Herein, we exploit a controllable joint loading model to examine these links between SCB thickening and AC damage(10). Surgically-induced mechanical joint destabilisation and spontaneous osteoarthritis mouse models are often used to represent human osteoarthritis. We have described a non-invasive murine model in which transient joint loading produces either focal AC trauma, which is restricted to the lateral femur after a single episode, or lesions that became more severe with time after multiple loading episodes. This study describes SCB and epiphyseal trabecular bone changes that occur following identical application of either single and multiple loading regimens, with the aim of establishing their link to load-induced AC lesions and spontaneous progression. This study is looking to describes bone changes, adjacent to the joint, in response to controlled loading of mouse joints in order to determine new links between SCB and load-induced AC damage. Accordingly, micro-computer tomography (µCT) will be used to measure SCB thickness and epiphyseal trabecular parameters in both loaded and contralateral knees after application of specific experimental loading regimes; known to produce local AC trauma and which also, upon additional loading, prime spontaneous AC deterioration. Finally, longitudinal monitoring of load-related modifications in gait will evaluate whether these might explain any changes in bone architecture..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Integrante / Andrew Antony Ptsillides - Coordenador / Blandine Poulet - Integrante / Alan Wilson - Integrante / Y Chang - Integrante.Financiador(es): Arthitite Research Campain - Remuneração.
Número de produções C, T & A: 1
2010 - 2011
Does mechanical loading reveal genetic susceptibility to osteoarthritis?
Descrição: OA is commonest joint disease leading to desability. It's affect 25% of human aged 60 years and prevalence is rising in an ageing population. OA is multi-factorial with strong genetics and evironmental determinants. Althought it is established that the functional competence of articular cartilage is partly attained through adaptation of its unique extracellular matrix to mechanical use, it is clear that specific patterns of biomechanical joint loading also initiate OA. This project address the hypothesis: that applied loading of joints accelerates progression of OA, particularly in genectic predisposed mice which exhibit aberrante cartilage repair..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 - 2011
DIAGNÓSTICO MOLECULAR DE PATOLOGIAS EM FELÍDEOS SILVESTRES
Descrição: Poucos relatos têm sido feitos sobre o diagnóstico da erliquiose em felídeos silvestres brasileiros e nenhum estudo sobre toxoplasmose, anaplasmose e leishmaniose nesses animais. Cada uma dessas patologias apresentam grande importância epidemiológica, sendo portanto de suma importância o estudo da sua ocorrência nas diversas espécies animais, principalmente os silvestres, devido aos poucos estudos realizados. O presente estudo terá como objetivo realizar a detecção molecular de hematozoários em felídeos silvestres mantidos em cativeiro, no Zoológico da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Os felídeos silvestres se constituirão de cinco onças pintadas (Phantera onca), sete onças pintadas (Puma concolor) e quatro jaguatiricas (Leopardus pardalis). O material genético será extraído através do sangue total e aspirado de linfonodo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Luciano Nakazato - Integrante / Magyda Arabia Araji Dahroug - Integrante / João Vitor Galceran - Integrante / Valéria Dutra - Integrante.
2009 - 2011
Avaliação histopatológica, imuno-histoquímica e iminoenzimática dos efeitos da doxicilina na expressão do fotor de crescimento endotelial vascular (VEGF) em tumores mamários em cadelas
Descrição: O Fator de Crescimento Endotelial Vascular (VEGF) é o indutor mais potente da angiogênese e pode ser mensurado através de técnicas imuno-histoquímicas. A doxiciclina é um antibiótico aminoglicosideo análogo da família das Tetraciclinas que além de seus efeitos antibióticos pode afetar a angiogênese, podendo ser usada na inibição da invasão de células cancerígenas e metástases. Serão avaliados os efeitos da Doxiciclina na angiogênese através da avaliação da expressão de VEGF presente em tumores mamários de cadelas que receberam tratamento pré-operatório com doxiciclina..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Especialização: (2) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Andréia Stragliotto - Integrante / Caroline Argenta Pescador - Integrante / João Vitor Galceran - Integrante / Wilma Neres da Silva Campos - Integrante / Thais Ruiz - Integrante.
2009 - 2011
Proteína C Reativa como fator diagnóstico e prognóstico em cadelas acometidas por piometra e submetidas à ovariossalpingohisterectomia
Descrição: O complexo hiperplasia endometrial cística - piometra é uma doença que é caracterizada pela inflamação do útero com acúmulo de exsudatos, que ocorre na fase diestral do ciclo ovariano. Sua incidência pode chegar até 24%, sendo, no entanto a morbidade de 5 a 8 % e a mortalidade entre 4 a 20%. A piometra é uma doença polissistêmica, o tipo e a gravidade dos sinais clínicos relacionados à piometra dependem da patência da cérvix, duração da enfermidade e alterações extragenitais, dentre as complicações citadas na literatura, a infecção bacteriana associada ao fechamento da cérvix e a insuficiência renal aguda, são as mais importantes, pois, quando presentes aumentam o índice de mortalidade. A bactéria mais comumente cultivada a partir do conteúdo uterino das cadelas com piometra é a Escherichia Coli. A piometra é diagnosticada com base na ocorrência de sinais clínicos em uma fêmea sexualmente madura durante o diestro, presença de corrimento vulvar séptico e identificação de útero repleto de fluido em radiografia abdominal ou ultra-sonografia. Hemograma completo, perfil bioquímico e urinálise são necessários detectar anormalidades metabólicas associadas a sepse. A proteína C reativa é uma proteína plasmática produzida pelo fígado que pode ser utilizada como auxiliar no diagnóstico, controle terapêutico e acompanhamento pós-cirúrgico, pois, é um indicador altamente sensível de processos inflamatórios. Esta proteína constitui parte da resposta aguda do organismo, inespecífica, frente a diferentes estímulos de inflamação. Porém, há características da PCR que a tornam um bom indicador, com diferentes aplicações, no trato das doenças infecciosas. A utilidade da PCR é mais destacada nos casos complexos, em que múltiplas variáveis dificultam a avaliação clínica. Nestes casos, a par de orientar a necessidade de introdução de antimicrobianos, a avaliação seqüencial da PCR também nos indica quando suspendê-los. Isto resulta em economia e/ou diminuição do período de uso antibiótico.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (2) Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Magyda Arabia Araji Dahroug - Integrante / Francineide Bogorni - Integrante / Andréia Stragliotto - Integrante / Wilma Neres da Silva Campos - Integrante.Número de orientações: 1
2008 - 2010
EFEITO DOS NUTRACÊUTICOS SOBRE A EXPRESSÃO GÊNICA DAS CITOCINAS PRÓ-INFLAMATÓRIAS NA FISIOPATOLOGIA DA OSTEOARTRITE
Descrição: A osteoartrite é uma doença de alta casuística, tanto em humanos como em animais. Os fatores que envolvem seu desenvolvimento têm sido observados em vários estudos de pesquisadores em todo o mundo, como também a ação de medicações que ajudam a diminuir a progressão da doença, visto que para essa não há cura. Muitos estudos testando a eficácia de condroprotetores foram realizados tanto em humanos como em animais, porém os resultados em humanos são subjetivos, baseado apenas na redução da dor articular devido à dificuldade de se conseguir tecidos osteoartríticos de pacientes humanos. Estudos em animais basearam-se apenas nos resultados microscópicos da cartilagem articular (de Souza 1999; Melo et al., 2003) mas falharam em demonstrar os mecanismos fisiopatológicos que levam a uma melhora no quadro da doença. Outros estudos com tecido articular animal em cultura (Chan, 2006) devem ser avaliados com cautela, por apresentar resultados positivos, em um tecido fora do contexto anatomofisiológico e de outros fatores quimiotáticos e inflamatórios provenientes de tecidos vizinhos que podem ter papel importante na perpetuação da doença articular. Portanto, os mecanismos de ação dos condroprotetores, tais como o sulfato de condroitina e o sulfato de glicosamina ainda não foram definidos em modelo experimental in vivo. A osteoartrite (OA), doença articular degenerativa mais prevalente entre indivíduos com mais de 65 anos de idade. As estimativas recentes sugerem que a sintomatologia da osteoartrite acomete pessoas principalmente com a idade de 60 anos ou superior a esta e se espera que a prevalência dessa doença aumente na população mundial (Bauer, 2006). A OA é caracterizada pela degeneração dos componentes da matriz da cartilagem articular acompanhada de uma produção excessiva de citocinas inflamatórias. A interleucina 1β é considerada a primeira citocina participante da patofisiologia da OA (Dinarello, 1988). Ela induz uma cascata de eventos catabólicos incluindo a expr.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (2) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador.
2007 - 2008
Avaliação da desidrogenase láctica em cadelas portadoras de tumor de mama.
Descrição: Neoplasias mamárias são os que mais acometem cães. Metade destes tumores são malignos. Pesquisa molecular recentes tem demonstrado a eficiência da produção aeróbica de lactato como conseqüência direta da conversão maligna da glicólise por ativação de oncogenese e inativação de genes supressores do tumor. Este estudo visa avaliar a desidrogensase láctica como potencial agente prognóstico de neoplasias em cães..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Genilson Queiroz Fernandes - Integrante.
2001 - 2005
A novel model for non-invasive loading of the murine tibia
Descrição: The skeleton fulfils its mechanical functions through structural organization and material properties of individual bones. It is stated that both cortical and trabecular morphology and mass can be (re)modelled in response to changes in mechanical strains engendered by load-bearing. Although generally accepted, the mechanisms that underpin this hypothesis remain to be established. To address this, animal models that enable the application of specific loads to individual bones have been developed. These are useful in defining how loading modulates (re)modelling and allow examination of the mechanisms that coordinate these events. An evaluation of the models available disclosed the need for a murine bone-loading model in which both cortical and trabecular compartments could be evaluated. This thesis describes a new non-invasive model for loading murine tibiae through points of articulation, which allows changes in endosteal, periosteal as well as trabecular bone to be revealed by double fluorochrome labelling and computed tomography, respectively..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Lance E. Lanyon - Integrante / Andrew Pitsillides - Integrante / Chantal Chenu - Integrante.
1996 - 1998
Uso de glicosaminoglicanos na regerenação articular após sulcoplastia em cães
Descrição: Acredita-se que o uso de substâncias condroprotetoras, cuja composição inclua a presença de metionina, glutamina, glicosamina, arginina, e cisteína, ao estimular a biosíntese de glicosaminoglicanos favoreça a regeneração articular de lesões de origem traumática. No entanto o mecanismos através dos quais os GAGs podem minimizar as perdas de cartilagens lesadas ou portadoras de DAD não estão completamente esclarecidos. Este projeto visou a avaliação dos GAGs na regereração articular de cães submetidos a sulcoplastia induzida em cães..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Roberto Lopes de Souza - Coordenador / Alceu Gaspar Raiser - Integrante / Alessandro Leotte - Integrante / Christian Hintz - Integrante.


Revisor de periódico


2007 - Atual
Periódico: Ciência Rural
2016 - Atual
Periódico: Acta Veterinaria Brasilica (UFERSA)
2017 - Atual
Periódico: Arquivos (Faculdade de Veterinária, UFRGS) (Cessou em 2001. Cont. ISSN 1678
2017 - Atual
Periódico: MEDVEP. Revista Científica de Medicina Veterinária. Pequenos Animais e Anim
2017 - Atual
Periódico: Acta Scientiae Veterinariae (UFRGS. Impresso)
2017 - Atual
Periódico: Ciência Animal Brasileria
2017 - Atual
Periódico: Revista Brasileira de Ciências Veterinárias
2017 - Atual
Periódico: ARQUIVO BRASILEIRO DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA (ONLINE)
2018 - Atual
Periódico: PESQUISA VETERINARIA BRASILEIRA


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Medicina Veterinária / Subárea: Clínica e Cirurgia Animal/Especialidade: Clínica Cirúrgica Animal.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Biologia Geral / Subárea: Biologia Ossea.
3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Biologia Geral / Subárea: Biologia Ossea/Especialidade: Estresse mecanico.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.
Francês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2006
Young Investigator Award, European Calcified Tissue Society.
2005
Young Investigator Award, Bone and Tooth Society.
2004
Young Investigator Award, European Calcified Tissue Society.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

Web of Science
Total de trabalhos:51
Total de citações:413
Fator H:8
de Souza, Roberto L  Data: 29/05/2018

SCOPUS
Total de trabalhos:48
Total de citações:460
Souza RL  Data: 01/08/2017

Outras
Total de trabalhos:62
Total de citações:652
Roberto Souza  Data: 29/05/2018

Artigos completos publicados em periódicos

1.
LIMA, SAMARA ROSOLEM2018LIMA, SAMARA ROSOLEM ; STOCCO, M. B. ; RONDELLI, L. ; de SOUZA, R. L. ; FURLAN, F. H. ; COLODEL, E. M. ; PESCADOR, C. A. . Cutaneous neoplasms in dogs: Retrospective study of 656 cases (2007 - 2014) in Cuiabá, MT. PESQUISA VETERINARIA BRASILEIRA, v. 38, p. 1405-1411, 2018.

2.
CARVALHO, R. M.2018CARVALHO, R. M. ; MARTINI, A. C. ; MENEGASSI, C. C. ; de SOUZA, R. L. ; SILVA, M. F. A. ; ABDALLA, S. L. . DENS INVAGINATUS BILATERAL EM PRIMEIRO MOLAR MANDIBULAR EM CÃO ? RELATO DE CASO. MEDVEP. REVISTA CIENTÍFICA DE MEDICINA VETERINÁRIA. PEQUENOS ANIMAIS E ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO, v. 15, p. 27-32, 2018.

3.
JAVAHERI, B.2018JAVAHERI, B. ; HAZAR, R. ; PILES, M. ; DE SOUZA, ROBERTO LOPES ; CHANG, Y.-M. ; HOPKINSON, M. ; LEE, PETER D. ; PTSILLIDES, A. A. . Sexually dimorphic tibia shape is linked to natural osteoarthritis in STR/Ort mice. OSTEOARTHRITIS AND CARTILAGE, v. 26, p. 807-817, 2018.

4.
SILVEIRA, M. M.2018SILVEIRA, M. M. ; CANDIDO, S. L. ; RINALDI, K. ; DE SOUZA, ROBERTO LOPES ; ALMEIDA, ARLEANA DO BOM PARTO FERREIRA DE ; SOUSA, V. R. F. ; DUTRA, V. ; NAKAZATO, Luciano . Polymerase Chain Reaction (PCR) and blood culture on septic dogs. CIENCIA RURAL, v. 48, p. 1-7, 2018.

5.
JAVAHERI, B.2018 JAVAHERI, B. ; CARRIERO, A. ; WOOD, M. ; De Souza, Roberto ; LEE, P. ; SHEFELBINE, S. ; PTSILLIDES, A. A. . Transient peak-strain matching rescues the age-impaired mechanoadaptive 2 cortical bone response. Scientific Reports, v. 8, p. 1-7, 2018.

6.
SANTOS, J. G.2018SANTOS, J. G. ; MARTINI, A. C. ; MONTEIRO, B. G. ; SCHRODER, D. C. ; FRANCO, G. D. ; MASCARENHAS, L. C. ; de SOUZA, R. L. . Prolapso uretral em um cão da raça American Pit Bull. ACTA SCIENTIAE VETERINARIAE (ONLINE), v. 46, p. 248, 2018.

7.
BECKER, M.2018BECKER, M. ; SOUZA, M. A. ; MORAES, L. G. ; SILVA, G. S. ; ANTONIASSI, N. A. ; de SOUZA, R. L. ; COLODEL, E. M. . Bone quality evaluation of experimental osteometabolic disease in Pantanal alligators (Caiman yacare) by High Resolution Computerized Microtomography (µCT)1. PESQUISA VETERINARIA BRASILEIRA, v. 38, p. 981-990, 2018.

8.
MARTINI, A. C.2018MARTINI, A. C. ; GOMES, L. G. ; MARUYAMA, F. H. ; SOARES, L. M. C. ; CORREA, S. H. R. ; DUTRA, V. ; NAKAZATO, L. ; De Souza, Roberto . Detecção de periodontopatógenos em macaco aranha de cara branca (Ateles marginatus).. Acta Scientiae Veterinariae, v. 46, p. 1-4, 2018.

9.
MONZEM, S.2018MONZEM, S. ; SONEGO, D. A. ; MARTINI, A. C. ; DANTAS, A. P. B. ; SILVA, F. ; FARIAS, J. ; DE SOUZA, ROBERTO LOPES . Raman spectrometry of osteoporosis model in tibia in vivo. VIBRATIONAL SPECTROSCOPY, v. 98, p. 88-91, 2018.

10.
Wilma Neres da Silva Campos2017Wilma Neres da Silva Campos ; SONEGO, D. A. ; PIZZINATTO, F. D. ; ANDRADE, M. A. ; MARANGONI, V. ; NAKAZATO, LUCIANO ; COLODEL, E. M. ; DE SOUZA, ROBERTO LOPES . Synthesis and characterization of gold nanoparticles combined with curcumin and its effects on experimentally induced osteoarthritis. CIENCIA RURAL, v. 47, p. 1-7, 2017.

11.
SOUZA, RL2017SOUZA, RL; JAVAHERI, B. ; COLLINSON, R. ; LEE, P. ; SHEFELBINE, S. ; CHENU, C. ; PTSILLIDES, A. A. . Prolonging disuse in aged mice amplifies cortical but not trabecular bones? response to mechanical loading. JOURNAL OF MUSCULOSKELETAL & NEURONAL INTERACTIONS, v. 17, p. 218-225, 2017.

12.
GOMES, L. G.2017GOMES, L. G. ; DOWER, . M. B. ; SCHRODER, D. C. ; POLETTO, D. ; SILVA, F. G. ; GUIMARAES, L.D. ; DE SOUZA, R.L. . Effects of firocoxib on hematological and biochemical parameters and the propofol dose required for anesthesia induction in dogs. ACTA VETERINARIA BRASILICA (UFERSA), v. 11, p. 129-132, 2017.

13.
MARTINI, A. C.2017MARTINI, A. C. ; GOMES, L. G. ; PITCHENIN, L. C. ; PIZZINATTO, F. D. ; ALMEIDA, E. D. B. ; SPILLER, P. R. ; COSTA, M. S. M. ; NAKAZATO, L. ; DE SOUZA, R.L. . Porphyromonas gingivalis in the Oral Cavity of English Bulldog Newborn Puppies. Acta Scientiae Veterinariae, v. 45, p. 1-5, 2017.

14.
ENS, M. T. B.2017ENS, M. T. B. ; STOCCO, M. B. ; GOMES, L. G. ; SOARES, L. M. C. ; DOWER, . M. B. ; MENEGASSI, C. ; GUIMARAES, L.D. ; COLODEL, E.M. ; de SOUZA, R. L. . Hemipelvectomia total em um gato com osteosarcoma osteoblásitco. Acta Scientiae Veterinariae, v. 45, p. 190-194, 2017.

15.
JAVAHERI, BEHZAD2017 JAVAHERI, BEHZAD ; POULET, BLANDINE ; ALJAZZAR, AHMED ; De Souza, Roberto ; PILES, MIRIAM ; HOPKINSON, MARK ; SHERVILL, ELAINE ; POLLARD, ANDREA ; CHAN, BORIS ; CHANG, YU-MEI ; ORRISS, ISABEL R. ; LEE, PETER D. ; PITSILLIDES, ANDREW A. . Stable sulforaphane protects against gait anomalies and modifies bone microarchitecture in the spontaneous STR/Ort model of osteoarthritis. BONE, v. 1, p. 20-35, 2017.

16.
MARTINI, ANDRESA DE CÁSSIA2017MARTINI, ANDRESA DE CÁSSIA ; GOMES, L. G. ; PITCHENIN, L. C. ; PIZZINATTO, F. D. ; SONEGO, D. A. ; ALMEIDA, E. D. B. ; SPILLER, P. R. ; COSTA, M. S. M. ; NAKAZATO, Luciano ; de SOUZA, R. L. . Porphyromonas gingivalis na cavidade oral de neonatos da raça Bulldog Inglês. ACTA SCIENTIAE VETERINARIAE (ONLINE), v. 45, p. 1454, 2017.

17.
STOCCO, MATIAS BASSINELLO2017STOCCO, MATIAS BASSINELLO ; GOMES, LIANNA GHISI ; MORGADO, T. O. ; CORRÊA, SANDRA HELENA RAMIRO ; GUIMARÃES, LUCIANA DAMBRÓSIO ; de SOUZA, R. L. . Anesthesia in a giant armadillo (Priodontes maximus) for femoral fracture fixation. ACTA VETERINARIA BRASILICA (UFERSA), v. 11, p. 196-199, 2017.

18.
PERES, T. P. S.2016PERES, T. P. S. ; CRUZ, F. A. C. S. ; RUIZ, T. ; CAMPOS, W.N.S ; AZEVEDO, L. S. ; BICUDO, G. A. ; NESPOLI, P.E.B. ; de SOUZA, R. L. . Piloroplastia em Y-U para correção da gastropatia hipertrófica pilórica crônica em caninos. Acta Scientiae Veterinariae (UFRGS. Impresso), v. 44, p. 1-5, 2016.

19.
MEIRELES, Y. S.2016MEIRELES, Y. S. ; SHINIKE, F. S. ; MATTEI, D. R. ; MORGADO, T. ; KEMPE, G. V. ; CORREA, S. H. R. ; de SOUZA, R. L. ; Pedro B. Néspoli . Ultrasound characterization of the coelomic cavity organs of the red-footed tortoise (Chelonoidis carbonaria). Ciência Rural (UFSM. Impresso), v. 46, p. 1811-1817, 2016.

20.
PERES, T. P. S.2016PERES, T. P. S. ; ROSLEN, S. ; TRAVAGIN, D. R. P. ; PESCADOR, C. A. ; de SOUZA, R. L. . Agenesia ovariana e de corno uterino acompanhada por mumificação fetal em canino. Acta Scientiae Veterinariae, v. 44, p. 1-5, 2016.

21.
MARTINI, A. C.2016MARTINI, A. C. ; RUIZ, T. ; GOMES, L. G. ; CAMARA, L. ; SPILLER, P. B. ; CONCEICAO, L. A. V. ; SONEGO, D. A. ; TREVISAM, Y. P. ; PIZZINATTO, F. D. ; CAMPOS, G. M. D. ; NAKAZATO, LUCIANO ; de SOUZA, R. L. . Eficácia e segurança do uso de Defengy OC® na promoção da saúde oral de cães com doença periodontal. MEDVEP. Revista Científica de Medicina Veterinária. Pequenos Animais e Animais de Estimação, v. 14, p. 239, 2016.

22.
FUJIMORI, MAHYUMI2016FUJIMORI, MAHYUMI ; LOPES, ERIKA RONDON ; LIMA, SAMARA ROSOLEM ; PAULA, DAPHINE ARIADNE JESUS DE ; ALMEIDA, ARLEANA DO BOM PARTO FERREIRA DE ; COLODEL, EDSON MOLETA ; PESCADOR, CAROLINE ARGENTA ; NÉSPOLI, PEDRO EDUARDO BRANDINI ; Nakazato, Luciano ; Dutra, Valéria ; SOUZA, ROBERTO LOPES DE ; SOUSA, VALÉRIA RÉGIA FRANCO . Pythium insidiosum colitis in a dog: treatment and clinical outcome. CIÊNCIA RURAL, v. 46, p. 526-529, 2016.

23.
CRUZ, T. P. P. S.2016CRUZ, T. P. P. S. ; RUIZ, T. ; CAMPOS, W. N. S. ; AZEVEDO, L. S. ; BICUDO, G. A. ; Pedro B. Néspoli ; de SOUZA, R. L. . Piloroplastia em Y-U para correção da gastropatia hipertrófica pilórica crônica em caninos. Acta Scientiae Veterinariae, v. 44, p. 1-5, 2016.

24.
MENEGASSI, C.2016MENEGASSI, C. ; MARTINS, I. C. S. ; PEREIRA, G. M. ; GOMES, L. G. ; SPILLER, P. B. ; MARTINI, A. C. ; de SOUZA, R. L. ; RIBEIRO, A. P. . Aspectos clínicos, cirúrgicos, histológicos e pós-operatórios de oito cadelas com leiomioma vaginal. ARQUIVO BRASILEIRO DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA (ONLINE), v. 68, p. 307-312, 2016.

25.
POULET, BLANDINE2015 POULET, BLANDINE ; De Souza, Roberto ; KENT, ABIGAIL V. ; SAXON, LEANNE ; BARKER, OLIVER ; WILSON, ALAN ; CHANG, YU-MI ; CAKE, MARTIN ; PITSILLIDES, ANDREW A. . Intermittent applied mechanical loading induces subchondral bone thickening that may be intensified locally by contiguous articular cartilage lesions. OSTEOARTHRITIS AND CARTILAGE, v. 9, p. 1-9, 2015.

26.
GIORDANI, MORENNA ALANA2015GIORDANI, MORENNA ALANA ; COLLICCHIO, THIAGO CARVALHO MAMEDE ; ASCÊNCIO, SERGIO DONIZETI ; DE OLIVEIRA MARTINS, DOMINGOS TABAJARA ; BALOGUN, SIKIRU OLAITAN ; BIESKI, ISANETE GERALDINI COSTA ; DA SILVA, LEILANE APARECIDA ; COLODEL, EDSON MOLETA ; DE SOUZA, ROBERTO LOPES ; DE SOUZA, DAMIANA LUIZA PEREIRA ; DE FRANÇA, SUÉLEM APARECIDA ; ANDRADE, CLAUDIA MARLISE BALBINOTTI ; KAWASHITA, NAIR HONDA . Hydroethanolic extract of the inner stem bark of Cedrela odorata has low toxicity and reduces hyperglycemia induced by an overload of sucrose and glucose. Journal of Ethnopharmacology, v. 162, p. 352-361, 2015.

27.
PILES, M.2015PILES, M. ; DE SOUZA, R. ; POULET, B. ; PITSILLIDES, A. ; CHANG, Y.-M. . Gender differences OA progression and their longitudinal gait changes. Osteoarthritis and Cartilage, v. 23, p. A128, 2015.

28.
CAMPOS, W.N. SILVA2015CAMPOS, W.N. SILVA ; MARANGONI, V.S. ; SONEGO, D.A. ; ANDRADE, M.A. ; COLODEL, E.M. ; DE SOUZA, R.L. . Synthesis and characterization of gold nanoparticles combined with curcumin and its effect on experimental osteoarthritis in mice. OSTEOARTHRITIS AND CARTILAGE, v. 23, p. A397, 2015.

29.
ANDRADE, P. M. M. M. C.2015ANDRADE, P. M. M. M. C. ; MORGADO, T. ; MALLMANN, P. R. ; GOMES, L. G. ; MARTINI, A. C. ; SCHROEDER, D. ; CORREA, S. H. R. ; de SOUZA, R. L. . Occurrence of oral diseases in neotropical wild carnivores kept in captivity at the zoo from Federal University of Mato Grosso - Cuiabá. Semina. Ciências Agrárias (Online), v. 36, p. 2633, 2015.

30.
2015GOMES, L. G. ; GOUVEIA, M. C. P. ; RONDON, E. ; ROSLEN, S. ; MACIEL, C. E. S. ; MADRUGA, G. M. ; de SOUZA, R. L. . Osteossarcoma em gato jovem ? relato de caso. Clínica Veterinária (São Paulo), v. XX, p. 18-24, 2015.

31.
MACIEL, C. E. S.2015MACIEL, C. E. S. ; PERES, T. P. S. ; SCHROEDER, D. ; STOCCO, M. B. ; DE SOUZA, R.L. . TUMOR VENÉREO TRANSMISSÍVEL PRIMÁRIO EM TERCEIRA PÁLPEBRA COM MIGRAÇÃO PARA CAVIDADE NASAL - RELATO DE CASO. Enciclopédia Biosfera, v. 11, p. 2682-2690, 2015.

32.
PERES, T. P. S.2015PERES, T. P. S. ; MACIEL, C. E. S. ; LIMA, S. R. ; DE SOUZA, R.L. . Schwannoma Maligno Cutâneo em Canino. Acta Veterinaria Brasilica (UFERSA), v. 9, p. 185-189, 2015.

33.
SPILLER, PAULO ROBERTO2015SPILLER, PAULO ROBERTO ; GOMES, LIANNA GHISI ; MONZEM, SAMUEL ; DUCATTI, KASSIA RENOSTRO ; DOWER, NATHALIE MORO BASSIL ; PIZZINATTO, FÁBIO DUMIT ; RIBEIRO, ALEXANDRE PINTO ; SOUZA, ROBERTO LOPES DE . Evaluation of intraluminal pressure in cystorrhaphies with and without intestinal serosal patch supplementation from canine cadavers. ACTA CIRÚRGICA BRASILEIRA (ONLINE), v. 30, p. 704-708, 2015.

34.
POULET, B.2014POULET, B. ; de SOUZA, R. L. ; KNIGHTS, C. ; GENTRY, C. ; WILSON, A. ; BEVAN, S. ; CHANG, Y. M. ; PTSILLIDES, A. A. . Modifications of Gait as Predictors of Natural Osteoarthritis Progression in STR/Ort Mice. Arthritis & Rheumatology, v. 66, p. 1832-1842, 2014.

35.
CAMPOS, W.N.S2013CAMPOS, W.N.S ; Souza, M A ; Ruiz, T ; PERES, T. ; NESPOLI, P. E. B. ; MARQUES, A. T. C. ; COLODEL, E. M. ; de SOUZA, R. L. . Experimental osteoarthritis in rabbits: lesion progression. Pesquisa Veterinária Brasileira (Impresso), v. 33, p. 279-285, 2013.

36.
MELO, M. M.2013MELO, M. M. ; MALLMAN, P. R. ; SONEGO, D. A. ; MARQUES, A. T. ; GONCALVES, G. F. ; ZANATTA, R. ; NESPOLI, P. E. B. ; de SOUZA, R. L. . Reprodução experimental da doença articular degenerativa, pelo método cirúrgico associado à terapia condroprotetora, em ratos. Semina. Ciências Agrárias (Online), v. 34, p. 1217, 2013.

37.
STRAGLIOTTO, A.2013STRAGLIOTTO, A. ; Silva, M I V ; CAMPOS, C. G. ; GONCALVES, G. B. D. ; PIRES, M. A. M. ; Souza, Roberto L. ; COLODEL, E. M. ; PESCADOR, C. A. . Vascular Endothelial Growth Factor Expression in Bitch?s Mammary Tumors. Acta Scientiae Veterinariae, v. 41, p. 1-6, 2013.

38.
ALMEIDA, A. B. P. F.2013ALMEIDA, A. B. P. F. ; AMARANTE, C. P. S. ; Pitchenin, L.C ; DAHROUG, M. A. A. ; SILVA, G. C. P. ; SOUSA, V. R. F. ; de SOUZA, R. L. ; NAKAZATO, L. ; DUTRA, V. . Brucella abortus and Brucella canis in captive wild felids in Brazil. INTERNATIONAL ZOO YEARBOOK, v. 47, p. 204-207, 2013.

39.
Martini, A.C.2013Martini, A.C. ; Yara Silva Meireles ; MONZEM, S. ; VASCONCELOS, Luiz Paulo dos Santos ; TURBINO, Nívea Clarice Monteiro Rocha ; DAHROUG, M. A. A. ; FARIAS, Daniela Cristina de ; NESPOLI, P.E.B. ; Gentil Ferreira Gonçalves ; de SOUZA, R. L. ; GUIMARAES, L.D. . Avalaiação radiográfica da silhueta cardíaca, pelo método VHS (vertebral heart size), de quatis (Nasua nasua, linneaus 1766) jovens e adultos mantidos em cativeiro. Semina. Ciências Agrárias (Online), v. 34, p. 3823, 2013.

40.
PERES, T. P.2013PERES, T. P. ; CAMPOS, W. N.S ; RUIZ, T. ; MEIRELES, Y. S. ; Pedro B. Néspoli ; de SOUZA, R. L. . Hemimelia bilateral de rádio em canino ? relato de caso. Semina. Ciências Agrárias (Impresso), v. 5, p. 2381-2385, 2013.

41.
de SOUZA, R. L.2012de SOUZA, R. L.; SAXON, L. . Mechanical Loading. Methods in Molecular Biology (Clifton, N.J.), v. 816, p. 621-636, 2012.

42.
Ezequiel, M.C2012Ezequiel, M.C ; Faria A C S ; Pitchenin, L C ; PAULA, D. A. J. ; Brandão L N ; de SOUZA, R. L. ; Nakazato, Luciano ; DUTRA, V . Characterization of Gene Expression in Pigs on Condition of Osteochondrosis. Veterinary Science research, v. 3, p. 48-54, 2012.

43.
de SOUZA, R. L.2012de SOUZA, R. L.; POULET, B. ; PTSILLIDES, A. A. . CHANGES IN MOUSE GAIT MAY PREDICT OA-LIKE LESION PROGRESSION. Journal of Bone and Joint Surgery, v. 94, p. 29-30, 2012.

44.
Dahroug MAA2011Dahroug MAA ; ALMEIDA, A. B. P. F. ; SOUSA, V. R. F. ; Dutra, Valéria ; GUIMARÃES, L. D. ; SOARES, C. E. ; NAKAZATO, L. ; de SOUZA, R. L. . First case report of Leishmania (leishmania) chagasi in Phantera leo in Brazil. Yatai Redai Yiyao Zazhi, v. 190, p. 249-250, 2011.

45.
Antoniassi, Nadia A. B.2011Antoniassi, Nadia A. B. ; Boabaid, Fabiana M. ; Souza, Roberto L. ; Nakazato, Luciano ; Pimentel, Maria F. A. ; Filho, João O. X. ; Pescador, Caroline A. ; Driemeier, David ; Colodel, Edson M. . Granulomatous Meningoencephalitis Due to Toxoplasma gondii in a Black-headed Night Monkey (Aotus nigriceps). Journal of Zoo and Wildlife Medicine, v. 42, p. 118-120, 2011.

46.
Faria A C S2011Faria A C S ; Souza, M A ; Oliveira Filho, J X ; Silva, M I V ; CHITARRA, C. S. ; de SOUZA, R. L. ; Nakazato, Luciano ; DUTRA, V . Comparative study pigs and with increased on articular volume and/or lamness:microbiology, molecular and pathological aspects. Veterinary Science research, v. 2, p. 21-24, 2011.

47.
Faria A C S2011Faria A C S ; Oliveira Filho, J X ; PAULA, D. A. J. ; SILVA, G. R. ; Pitchenin, L C ; de SOUZA, R. L. ; Nakazato,L. ; DUTRA, V . Prevalence of Erysipelothrix rhusiopatiae in healthy swine tonsils at Mato Grosso state, Brazil. Journal of Indian Veterinary Association, v. 9, p. 9-11, 2011.

48.
POULET, B.2011POULET, B. ; SAXON, L. ; BARKER, O. ; de SOUZA, R. L. ; PITSILLIDES, A. . Localised thickening of subchondral bone in a model of loading-induced articular cartilage lesions: Product of cartilage damage or not?. Bone (New York, N.Y.), v. 48, p. 100, 2011.

49.
POULET, B.2011POULET, B. ; SAXON, L. ; BARKER, O. ; de SOUZA, R. L. ; PITSILLIDES, A. . 195 LOAD-INDUCED SUBCHONDRAL BONE THICKENING IN MICE WITH OR WHHOUT ARTICULAR CARTILAGE LESIONS. OSTEOARTHRITIS AND CARTILAGE, v. 19, p. S97, 2011.

50.
Darough MAA2010Darough MAA ; Ferreira ABP ; SOUSA, V. R. F. ; DUTRA, V. ; TURBINO, N. C. M. R. ; NAKAZATO, L. ; SOUZA, R. L. . Leishmania (Leishmania) chagasi in captive wild felids in Brazil. Transactions of the Royal Society of Tropical Medicine and Hygiene, v. 104, p. 73-74, 2010.

51.
VILA-REAL, V.2010VILA-REAL, V. ; DUTRA, V. ; NAKAZATO, L. ; FREITAS, T. P. ; KEUROGHLIAN, A. ; ALMEIDA, A. B. P. F. ; SOUZA, R. L. . Detecção pela PCR de Salmonella spp, Streptococcus suis, Brucella abortus e Circovírus suíno tipo 2 em taiassuídeos de vida livre e cativeiro.. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, v. 11, p. 858-864, 2010.

52.
Dahroug MAA2009Dahroug MAA ; TURBINO, N. C. M. R. ; GUIMARÃES, L. D. ; JUSTINO, C. H. S. ; de SOUZA, R. L. . Estabilização de fratura de rádio e ulna em tamanduá bandeira (Myrmecophaga. Acta Scientiae Veterinariae (UFRGS. Impresso), v. 37, p. 65-68, 2009.

53.
MANFRINATE, R.2009MANFRINATE, R. ; Dahroug MAA ; FARIAS, D. C. ; VASCONCELLOS, L. P. S. ; Monzem, S ; da Silva EC ; GALCERAN, J. V. ; BOGORNI, F. ; de SOUZA, R. L. ; GUIMARÃES, L. D. . Efeitos da morfina e da metadona associada à acepromazina em gatas anestesiadas com propofol e halotano e submetidas à ovariosalpingohisterectomia. Acta Scientiae Veterinariae (UFRGS. Impresso), v. 37, p. 245-251, 2009.

54.
Boabaid, Fabiana M.2008Boabaid, Fabiana M.; Ferreira, Eduardo V. ; Arruda, Laura P. de ; Gasparetto, Naiani D. ; Souza, Roberto L. de ; Silva, Maria C. da ; Dutra, Valéria ; Nakazato, Luciano ; Colodel, Edson M. . Conidiobolomicose em ovinos no Estado de Mato Grosso. Pesquisa Veterinária Brasileira, v. 28, p. 77, 2008.

55.
MARENZANA, M.2007MARENZANA, M. ; de SOUZA, R. L. ; CHENU, C. . Blockade of beta-adrenergic signaling does not influence the bone mechano-adaptive response in mice. BONE, v. 41, p. 206-215, 2007.

56.
ZAMAN, G.2006ZAMAN, G. ; JESSOP, H. ; MUZYLAK, M. ; de SOUZA, R. L. ; PITSILLIDES, A. ; PRICE, J. ; LANYON, L. E. . Osteocytes use Estrogen Receptor alpha to respond to strain but their ER content is regulated byestrogen?. JOURNAL OF BONE AND MINERAL RESEARCH, v. 21, p. 1297-1306, 2006.

57.
de SOUZA, R. L.;SOUZA, RL;Souza, Roberto L.;De Souza, Roberto;DE SOUZA, ROBERTO LOPES;De Souza, R;DE SOUZA, R.;DE SOUZA, R.L.;SOUZA, ROBERTO LOPES DE2005 de SOUZA, R. L.; MATSUURA, M. ; ECKSTEIN, F. ; RAWLLINSON, S. C. F. ; LANYON, L. E. ; PITSILLIDES, A. . Non-invasive axial loading of mouse tibiae increases cortical bone formation and modifies trabecular organization: a new model to study cortical and cancellous compartments in a single loaded element. Bone (New York), v. 37, n.6, p. 810-818, 2005.

58.
de SOUZA, R. L.;SOUZA, RL;Souza, Roberto L.;De Souza, Roberto;DE SOUZA, ROBERTO LOPES;De Souza, R;DE SOUZA, R.;DE SOUZA, R.L.;SOUZA, ROBERTO LOPES DE2005de SOUZA, R. L.; LANYON, L. E. ; PITSILLIDES, A. ; CHENU, C. . Sciatic denervation increases load-induced cortical bone formatino independently of the sympatectic nervous system. JOURNAL OF BONE AND MINERAL RESEARCH, v. 20, n.12, p. 2159-2168, 2005.

59.
MOREIRA, T. L.2003MOREIRA, T. L. ; PIPPI, N. L. ; Mazzanti A ; TOLEDO, E. ; OLIVEIRA, T. ; MARCHIONATTI, A. ; de SOUZA, R. L. . Transposição de segmento gástrico pediculado para reparação de defeito na bexiga de cães. Medvep Revista Científica de Medicina Veterinária Pequenos Animais e Animais de Estimação, Curitiba, v. 1, n.2, p. 97-102, 2003.

60.
de SOUZA, R. L.;SOUZA, RL;Souza, Roberto L.;De Souza, Roberto;DE SOUZA, ROBERTO LOPES;De Souza, R;DE SOUZA, R.;DE SOUZA, R.L.;SOUZA, ROBERTO LOPES DE1999de SOUZA, R. L.; RAISER, A. G. ; GUIMARÃES, L. D. ; ARAÚJO, L. ; RIOS, M. V. ; LEOTTE, A. ; HINTZ, C. . Precursores dos proteoglicanos na regeneração articular iatrogênica no joelho de cães após trauma cirurgico. Clínica Veterinária, São Paulo, v. 6, n.23, 1999.

61.
de SOUZA, R. L.;SOUZA, RL;Souza, Roberto L.;De Souza, Roberto;DE SOUZA, ROBERTO LOPES;De Souza, R;DE SOUZA, R.;DE SOUZA, R.L.;SOUZA, ROBERTO LOPES DE1998de SOUZA, R. L.; GRAÇA, D. L. . Enxerto homólogo de centro frênico preservado em glicerina na reconstrução parcial de parede esofágica em caninos. Arquivos. Faculdade de Veterinária (UFRGS), Porto Alegre, v. 25, n.2, p. 117-123, 1998.

62.
de SOUZA, R. L.;SOUZA, RL;Souza, Roberto L.;De Souza, Roberto;DE SOUZA, ROBERTO LOPES;De Souza, R;DE SOUZA, R.;DE SOUZA, R.L.;SOUZA, ROBERTO LOPES DE1998de SOUZA, R. L.; PIGATTO, J. A. T. ; MARCHIONATTI, A. ; CONTESINI, E. A. ; GRAÇA, D. L. ; PIPPI, N. L. . Esofagoplastia cervical com enxerto homólogo de cartilagem conchal preservada em glicerina. Ciência Rural (UFSM. Impresso), Santa Maria, v. 28, n.4, p. 343, 1998.

Capítulos de livros publicados
1.
de SOUZA, R. L.; SAXON, L. . Mechanical loading. Bone Research Protocols. New York: Human Press, 2012, v. , p. 621-636.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
CAMPOS, W.N.S ; RUIS, T. ; Darough MAA ; JORGE, A. ; FIGUEIREDO, L. Z. ; MENDONCA, A. J. ; de SOUZA, R. L. . PROTEÍNA C REATIVA COMO FATOR DIAGNÓSTICO E PROGNÓSTICO EM CADELAS COM E SEM PIOMETRA SUBMETIDAS À OVÁRIOSSALPINGO-HISTERECTOMIA. In: IX Congresso Brasileiro de Cirurgia e Anestesiologia Animal, 2010, Buzios. Jornal Brasileiro de Ciências Veterinárias, 2011. v. 3. p. 237-240.

2.
de SOUZA, R. L.; PIGATTO, J. A. T. ; GRAÇA, D. L. ; CONTESINI, E. A. ; MARCHIONATTI, A. ; PIPPI, N. L. . Enxerto Homólogo de cartilagem conchal na esofagoplastia cervical em caninos. In: II Congresso Brasileiro de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária, 1996, Ribeirão Preto. Anais do II CBCAV. Santa Maria: Gráfica Palloti, 1996.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
Darough MAA ; TURBINO, N. C. M. R. ; GUIMARÃES, L. D. ; JUSTINO, C. H. S. ; de SOUZA, R. L. . Estabilização de fratura de rádio e ulna em Tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla).. In: XXIX Congresso Brasileiro da ANCLIVEPA, 2008, Maceió. Anais do XXIX Congresso Brasileiro da ANCLIVEPA, 2008.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
JAVAHERI, B. ; POULET, BLANDINE ; ALJAZZAR, A. ; CHANG, Y. ; De Souza, Roberto ; PTSILLIDES, A. A. . A stable synthetic sulforaphane significantly improves bone architecture and gait in the naturally occurring str/ort model of osteoarthritis. In: European Calcified Tissue Society, 2015, Roterdam. 4yh Joint Meeting ECTS - IBMS, 2015. v. 11. p. 14-14.

2.
CAMPOS, W. N. S. ; MEIRELLES, Y. S. ; GODOY, J. S. ; SHINIKE, F. S. ; PERES, T. ; NESPOLI, P. B. ; De Souza, Roberto . Agenesia Unilateral de Olécrano em Cão - Relato de Caso. In: 34 Congresso Brasileiro da Anclivepa, 2013, Natal. 34 Congresso Brasileiro da ANCLIVEPA. Natal, 2013. v. 1. p. 1.

3.
VASCONCELLOS, L. P. S. ; GUIMARÃES, L. D. ; Paz RCR ; de SOUZA, R. L. ; TURBINO, N. C. M. R. ; WAYHS, N. N. S. ; Monzem, S . Anestésicos dissociativos e associações para contenção química de quatis (Nasua nasua). In: Seminário de Iniciação Científica da Universidade Federal do Mato Grosso, 2008, Cuiabá. Anais do Seminário de Iniciação Científica UFMT, 2008.

4.
FARIAS, D. C. ; GUIMARÃES, L. D. ; Paz RCR ; SOUZA, RL ; TURBINO, N. C. M. R. ; WAYHS, N. N. S. ; Monzem, S . Técnicas de conteção química em cachorro do mato (Cerdocyon thous). In: XVI Seminário de Iniciação Científica UFMT, 2008, Cuiabá. Anais do Seminário de Iniciação Científica UFMT, 2008.

5.
ALMEIDA, A. B. P. F. ; CRUZ, F. R. S. ; MANFRINATE, R. ; BOGORNI, F. ; Souza, Roberto L. ; SOUSA, V. R. F. . Uso de dreno em hidrocefalia congênita canina - relato de caso. In: IV Congresso do Centro-Oeste de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais, 2008, Goiania. Anais do IV Congresso do Centro-Oeste de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais, 2008.

6.
MATSUURA, M. ; de SOUZA, R. L. ; ECKSTEIN, F. ; PITSILLIDES, A. . Micro-CT analysis of trabecular structure on neurectomized C57Bl/6J mouse hindlimbs - a model of osteoporotic bone loss. In: European society of biomechanics, 2004, Hertogenbosh. Proceedings of European Society of Biomechanics, 2004.

7.
ODOI, S. ; BURFORD, J. ; de SOUZA, R. L. ; PARREY, L. ; SKERRY, T. . Increased osteoblastic differentiation in cultured marrow cells after blood loss or surgery. In: Bone and Toooth Society Annual Meeting, 2004, Oxford. Bone and Toooth Society Annual Meeting Abastract, 2004. v. 2004.

8.
COLODEL, E. M. ; NAKAZATO, L. ; FREITAS, T. P. ; de SOUZA, R. L. ; BARROS, C. L. . Abiotrofia cerebelar em cao dashhund. In: ENAPAVE, 2001, Pirassununga. Resumos do ENAPAVE. Sao Paulo: FUNEP, 2001. v. 1. p. 25-25.

9.
de SOUZA, R. L.; GUIMARÃES, L. D. ; BARROS, C. L. ; ARAÚJO, L. . Cartilage regeneration after surgical trauma - effects of condroitin sulfate. In: XXIII Coongress of the Wold Small AnimaL Association, 1998, Buenos Aires. Proceedings, 1998.

10.
de SOUZA, R. L.; RAISER, A. G. ; GUIMARÃES, L. D. ; ARAÚJO, L. ; RIOS, L. A. . Cartilage regeneration after surgical trauma - effects of glicosaminoglicans precursors. In: XXIII Congress of the Wold Small Animal Association, 1998, Buenos Aires. Proceedings, 1998.

11.
de SOUZA, R. L.; STRAGLIOTTO, M. S. ; VIARO, N. S. ; PEREIRA, C. N. ; ADAIME, M. B. . Estudo do aço inoxidável V254 no aspecto da corrosão e biadesão. In: X Congresso Paulista de Faramceuticos, II Seminário Innternacioonal de Farmaceuticos, 1997, São Paulo. Anais, 1997.

12.
de SOUZA, R. L.; MIRON, D. S. ; SCHMITT, I. ; GUIMARÃES, L. D. ; PIPPI, N. L. . Reconstituição de defeitos em ureteres de cães com a utilização de flap de peritônio parietal. In: IV Jornada integrada de Pesquia Extensão e Ensino, 1997, Santa Maria. Anais da IV JIPEE. Santa Maria: Gráfica Universitária, 1997.

13.
de SOUZA, R. L.; RAISER, A. G. ; GUIMARÃES, L. D. ; BARROS, C. L. ; PIGATTO, J. A. T. . Sulcoplastia articular - resposta ao trauma cirúrgico mediante regeneração estimulada. In: III Seminário Latinoamericano de Cirurgia Veterinária, V Seminário Argentino de Cirurgia Veterinária, V Taller de Ensinãnza de la Cirurgia Veterinária, 1997, Corrientes. Anais, 1997.

14.
de SOUZA, R. L.; COSTA, R. C. ; TEIXEIRA, M. W. ; GUIMARÃES, L. D. ; CAMPELLO, R. A. V. . Cetamina/Romifidina como medicação pré-anestésica em felinos. In: Congresso Brasileiro de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais, 1997, Curitiba. Anais, 1997.

15.
de SOUZA, R. L.; PIGATTO, J. A. T. ; GRAÇA, D. L. ; GODOY, C. L. B. ; MARCHIONATTI, A. ; PIPPI, N. L. . O centro frênico como enxerto homólogo na reconstrção parcial da parede esofágica cervical em cães. In: II Congresso Brasilleiro de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária, 1996, Ribeirão Preto. Anais do II Congresso Brasileiro de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária, 1996.

16.
de SOUZA, R. L.; OLIVEIRA, T. ; MENEGOTTO, R. ; RAISER, A. G. ; MOREIRA, T. L. ; PORTELA, L. ; TOLEDO, E. . A gelatina comercial em folhas na cicatrização de feridas cutâneas em cães. In: II Congresso Brasileiro de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária, 1996, Ribeirão Preto. Anais do II Congresso Brasileiro de Cirurgia e Anestesiologia Veterinária. Santa Maria: Gráfica Palloti, 1996.

17.
de SOUZA, R. L.; OLIVEIRA, T. ; MENEGOTTO, R. ; RAISER, A. G. ; MOREIRA, T. L. ; TOLEDO, E. ; PORTELA, L. . A gelatina comercial em folhas na cicatrização de feridas cutâneas em cães. In: II Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM, 1996, Santa Maria. Anais da II Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM. Santa Maria: Gráfica Universitária, 1996.

18.
de SOUZA, R. L.; FARIA, R. X. ; GRAÇA, D. L. ; MARCHIONATTI, A. ; PIPPI, N. L. . Enxerto Homólogo de artéria aorta convervada em glicerina na reparação traqueal em canino. In: II Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM, 1996, Santa Maria. Anais da II Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM. Santa Maria: Gráfica Universitária, 1996.

19.
de SOUZA, R. L.; GUIMARÃES, L. D. ; MONCORVO, M. C. R. ; ELWARRAK, A. O. ; PIPPI, N. L. . Estudo epidemiológico dos tumores de mama na espécie canina no hospital veterinário da UFSM. In: II Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM, 1996, Santa Maria. Anais da II Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM. Santa Maria: Gráfica Universitária, 1996.

20.
de SOUZA, R. L.; MOREIRA, T. L. ; MARCHIONATTI, A. ; PEIXOTO, E. C. ; PORTELLA, L. ; SILVA, M. S. ; LUCA, S. ; PIPPI, N. L. . Transposição de segmento gástrico pediculado para reparação de defeitos em bexigas de cães. In: II Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM, 1996, Santa Maria. Anais da II Jornada integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM. Santa Maria: Gráfica Universitária, 1996.

21.
de SOUZA, R. L.; PIGATTO, J. A. T. ; GRAÇA, D. L. ; GODOY, C. L. B. ; MARCHIONATTI, A. ; PIPPI, N. L. . O centro frênico como enxerto homólogo na reconstrução parcial da parede esofágica cervical em cães. In: II Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM, 1996, Santa Maria. Anais da II Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM. Santa Maria: Gráfica Universitária, 1996.

22.
de SOUZA, R. L.; PAIN, C. B. ; OLIVEIRA, T. ; KOMMERS, G. ; MENEGOTTO, R. ; GOELZER, L. ; TOLEDO, E. ; MOREIRA, T. ; RAISER, A. G. . O laser arseneto de gálio em autoenxertos cutâneos - aspectos histológicos. In: II Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM, 1996, Santa Maria. Anais da II Jornada Inntegrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM. Santa Maria: Gráfica Universitária, 1996.

23.
de SOUZA, R. L.; OLIVEIRA, T. ; PAIN, C. B. ; MENEGOTTO, R. ; RAISER, A. G. . Técnica alternativa para plastia de feridas em formato quadrado. In: XVIII Congresso Brasileiro de Clínicos de Pequenos Animais, 1996, Recife. Anais do XVIII Congresso da Anclivepa, 1996.

24.
de SOUZA, R. L.; FARIA, R. X. ; PIGATTO, J. A. T. ; GRAÇA, D. L. ; MARCHIONATTI, A. ; PIPPI, N. L. ; ZINN, L. L. . Enxerto homólogo de artéria aorta conservada em glicerina na reparção traqueal em cainos. In: Congresso Latino Americano de Medicina Veterinária, 1996, Campo Grande. Anais do PANVET, 1996.

25.
de SOUZA, R. L.; MOREIRA, T. L. ; MARCHIONATTI, A. ; TOLEDO, E. ; PORTELA, L. ; SILVA, M. ; CUNHA, S. ; OLIVEIRA, T. ; PIPPI, N. L. . Transplante pediculado de músculo reto do abome e pele para reparação de defeitos na parede lateral do flanco de cães. In: Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM, 1995, Santa Maria. Anais da Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM. Santa Maria: Universiária, 1995. v. 1. p. 1-1000.

26.
de SOUZA, R. L.; PIGATTO, J. A. T. ; PEIXOTO, P. ; WITZ, M. I. . Mixossarcoma em canino: relato de um caso. In: Jornada INtegrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM, 1995, Santa Maria. II Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM. Santa Maria: Universitária, 1995.

27.
de SOUZA, R. L.; MARCHIONATTI, A. ; PIGATTO, J. A. T. ; WITZ, M. I. . Fibrossarcoma em felinos: relato de dois casos. In: II Jornada Integrada de Pesquisa Extensão e Ensino, 1995, Santa Maria. II Jornada de Pesquisa Extensão e Ensino da UFSM. Santa Maria: Gráfica Universitária, 1995.

Resumos publicados em anais de congressos (artigos)
1.
de SOUZA, R. L.;SOUZA, RL;Souza, Roberto L.;De Souza, Roberto;DE SOUZA, ROBERTO LOPES;De Souza, R;DE SOUZA, R.;DE SOUZA, R.L.;SOUZA, ROBERTO LOPES DE2005de SOUZA, R. L.; MATSUURA, M. ; ECKSTEIN, F. ; LANYON, L. E. ; CHENU, C. ; PTSILLIDES, A. A. . The osteogenic response to mechanical loading is supress in old female but rescued after periods of disuse. Journal of Bone and Mineral Research, v. 20, p. S38, 2005.

2.
de SOUZA, R. L.;SOUZA, RL;Souza, Roberto L.;De Souza, Roberto;DE SOUZA, ROBERTO LOPES;De Souza, R;DE SOUZA, R.;DE SOUZA, R.L.;SOUZA, ROBERTO LOPES DE2005de SOUZA, R. L.; MATSUURA, M. ; ECKSTEIN, F. ; CHENU, C. ; LANYON, L. E. ; PTSILLIDES, A. A. . Long periods of disuse rescue the osteogenic response to mechanical loading that is suppressed by aging. Journal of Bone and Mineral Research, Seattle, v. Supp 1, 2005.

3.
de SOUZA, R. L.;SOUZA, RL;Souza, Roberto L.;De Souza, Roberto;DE SOUZA, ROBERTO LOPES;De Souza, R;DE SOUZA, R.;DE SOUZA, R.L.;SOUZA, ROBERTO LOPES DE2004de SOUZA, R. L.; MATSUURA, M. ; ECKSTEIN, F. ; LANYON, L. E. ; PTSILLIDES, A. A. . Unique Evidence for load induced modification in trabecular bone architecture as well as increased cortical bone formation in a non-invasive axial loading of mouse tibiae. Osteoporosis International, Wurzburg-Alemanha, v. 198, 2004.

4.
de SOUZA, R. L.;SOUZA, RL;Souza, Roberto L.;De Souza, Roberto;DE SOUZA, ROBERTO LOPES;De Souza, R;DE SOUZA, R.;DE SOUZA, R.L.;SOUZA, ROBERTO LOPES DE2004de SOUZA, R. L.; MATSUURA, M. ; ECKSTEIN, F. ; LANYON, L. E. ; PTSILLIDES, A. A. . Mechanical loading of murine tibiea provides unique evidence supporting adaptative remodelling of trabecular bone as well as cortical bone formation in a novel non-invasive axial loading of mouse tibiae. Calcified Tissue International, v. 74, n.S54, 2004.

5.
de SOUZA, R. L.;SOUZA, RL;Souza, Roberto L.;De Souza, Roberto;DE SOUZA, ROBERTO LOPES;De Souza, R;DE SOUZA, R.;DE SOUZA, R.L.;SOUZA, ROBERTO LOPES DE2004de SOUZA, R. L.; MATSUURA, M. ; ECKSTEIN, F. ; LANYON, L. E. ; PTSILLIDES, A. A. . Non-invasive axial loading of the murine tibiae indices increases on cortical bone formation accompanied by modification in trabecullar bone archtecture: a novel model for in vivo loading studies. Journal of Bone and Mineral Research, v. Supp 1, 2004.

6.
CHENU, C.2004CHENU, C. ; de SOUZA, R. L. ; LANYON, L. E. ; PTSILLIDES, A. A. ; SKERRY, T. . Sciatic denervation increases load-induced cortical bone formatino independently of the sympatectic nervous system. Journal of Bone and Mineral Research, v. Supp 1, 2004.

Apresentações de Trabalho
1.
de SOUZA, R. L.; POULET, B. ; PTSILLIDES, A. A. . Changes in mouse gait may predict AO-like lesion progression. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).


Produção técnica
Programas de computador sem registro
1.
de SOUZA, R. L.; RAISER, A. G. ; HINTZ, C. ; LEOTTE, A. ; GUIMARÃES, L. D. . Precursores dos proteoglicanos na reparação articular iatrogênica no joelho de cães após trauma iatrogênico. 1999.



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
De Souza, Roberto; FURLAN, F. H.; ZANATTA, R.; NESPOLI, P. B.. Participação em banca de Ludmila Silva Azevedo. Avaliação do metodo de classificação Bi-Rad no exame ultrassonográfico de tumores de mama em cadelas. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso.

2.
RIBEIRO, A. P.; PADUA, I. M.; SOUZA, ROBERTO LOPES DE. Participação em banca de Gabriela Madruga. EFEITO DOS COLÍRIOS HIALURONATO DE SÓDIO (0,15%) E CARBOXIMETILCELULOSE SÓDICA (0,5%) NO TEMPO DE RUPTURA DO FILME LACRIMAL DE CÃES COM CERATOCONJUNTIVITE SECA E CÃES SAUDÁVEIS E O EFEITO DO COLÍRIO HIALURONATO DE SÓDIO (0,15%) EM GATOS SAUDÁVEIS ANTES E APÓS A ANESTESIA GERAL. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso.

3.
VERONEZI, R. C.; FLORES, F. N.; DE SOUZA, R.L.. Participação em banca de Lianna Ghisi Gomes. Efeitos Hematológicos e Bioquímicos do uso do Firocoxib sobre a Dose do Propofol em Cães. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso.

4.
BOPP, S.; DE SOUZA, R.L.; GUIMARAES, L. D.. Participação em banca de Samuel Monzem. Anestesia Total Intravenosa com Propofol Associado ao Fentanil, Lidocaína, Cetamina ou Fentanil-Lidocaína-Cetamina em Cadelas Submetidas à Ovariossalpingohisterectomia. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso.

5.
MENDONCA, A. J.; TORRES, M. M.; de SOUZA, R. L.; PESCADOR, C. A.. Participação em banca de Thalita Priscila Peres Seabra da Cruz. Avaliação do Efeito do Enalapril e Benazepril sob Nefrotoxicidade Induzida por Cisplatina em Ratos. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso.

6.
GUIMARAES, L.D.; BOPP, S.; DE SOUZA, ROBERTO LOPES. Participação em banca de Samuel Mozen. Anestesia total intravenosa com propofol associado ao fentanil, lidocaina, cetamina ou fentanil lidocaina cetamina em cadelas submetidas a OSH eletiva. 2016. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso.

7.
RIBEIRO, A. P.; DE SOUZA, ROBERTO LOPES; BARBALHO, T.. Participação em banca de Nathalie Moro Bassil Dower. Efeitos da tafluprosta e da brinzolamida sobre a pressão intraocular e diametro pupilar de cães saudáveis. 2016. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso.

8.
GUIMARAES, L.D.; SOUZA, R. L.. Participação em banca de Daiane Cristina Winter. Efeitos da anestesia epidural cmo tramadol, ropivacaina ou sua associação, em cadelas submetidas a OSH sub anestesia com isofluorano. 2015. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso.

9.
DUTRA, V.; de SOUZA, R. L.; CARAMORI JR., J.. Participação em banca de Marcela do Carmo Ezequiel. Caracterização da expressão gênica em suinos em condições de osteocondrose. 2012. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso.

10.
Nakazato,L.; CARAMORI JR., J.; COSTA, M. M.; de SOUZA, R. L.. Participação em banca de Marcella do Carmo Ezaquiel. Caracterização da expressão gênica em suínos em condição de osteocondrose. 2012. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso.

Teses de doutorado
1.
NAKAZATO, Luciano; ALMEIDA, A. B. P. F.; AMUDE, A. M.; SILVA, P. C. A. E.; De Souza, Roberto. Participação em banca de Marcelo Marques da Silveira. Reação em cadeia da polimerase (PCR) e hemocultura em cães com suspeita de sepse. 2018. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso.

2.
PESCADOR, C. A.; RIBEIRO, A. P.; GONCALVES, G. F.; DE SOUZA, ROBERTO LOPES. Participação em banca de Wilma Neres da Silva Campos. Synthesis and characterization of gold nanoparticles combined with curcumin and its effects on experimentally induced osteoarthritis. 2017. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso.

Monografias de cursos de aperfeiçoamento/especialização
1.
RIBEIRO, A. P.; MADRUGA, G. M.; SOUZA, ROBERTO LOPES DE. Participação em banca de Bianca Garay Monteiro. DESCRIÇÃO CLÍNICO-CIRÚRGICA DE 8 CASOS DE CORREÇÃO DE MUCOCELE CERVICAL EM CÃES UTILIZANDO O ACESSO CIRÚRGICO LATERAL. 2017. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Residência Uniprofissional em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso.

2.
de SOUZA, R. L.; STOCCO, M. B.; Martini, A.C.. Participação em banca de Johanna Schvarzbach dos Santos. Aspectos Clínicos, Cirúrgicos e Histológicos do Osteoma Mamário - Relato de Cinco Casos. 2017. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Residência Uniprofissional em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
DE SOUZA, ROBERTO LOPES; BASSINELA, M. S.; MARTINI, A. C.; RUIZ, T.. Participação em banca de Fabio Dumit Pizzinato.Flait chest: estabilização com aparato autopolimerizável. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso.

2.
DE SOUZA, ROBERTO LOPES; MADRUGA, G.; MARTINI, A. C.. Participação em banca de Marcelo Candido Portilho Gouveia.Revisão de literatura: Síndrome Compartimental. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
De Souza, Roberto; RODRIGUES, D. F.; SOUZA, P. M.. Professor de Clínica de Pequenos Animais. 2018. Universidade Federal do Sul e Sudesta do Pará.

2.
De Souza, Roberto; RODRIGUES, D. F.; SOUZA, P. M.. Professor de Cirurgia de Pequenos Animais. 2018. Universidade Federal do Sul e Sudesta do Pará.

3.
Souza, Roberto L.; MENDONCA, A. J.; NESPOLI, P. B.. Porfessor Adjunto de Clinica de Pequenos Animais. 2012. Universidade Federal de Mato Grosso.

4.
BOTTON, S. A.; BRUM, L.; de SOUZA, R. L.. Professor Adjunto Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais. 2009. Universidade Federal do Pampa.

5.
FARIA JUNIOR, D.; GALERA, P.; de SOUZA, R. L.. Cirurgia de Pequenos Animais. 2009. Universidade Federal de Mato Grosso.

6.
de SOUZA, R. L.; GUIMARÃES, L. D.; SOUSA, V. R. F.. Concurso para professor de Clínica e Cirurgia de Equinos. 2008. Universidade Federal de Mato Grosso.

7.
de SOUZA, R. L.; Albuquerque, DA; CARDILLO, F.. Concurso publico para professor assitente, area de imunologia. 2006. Universidade Federal de Mato Grosso.

8.
de SOUZA, R. L.; COLODEL, E. M.; SOUSA, V. R. F.. Concurso publico para professor adjunto em Clinica Cirugica de Grandes Animais. 2006. Universidade Federal de Mato Grosso.



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Luiz Cruella. Modelos experimentais no ensino da ortopedia veterinária. Início: 2018. Dissertação (Mestrado profissional em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

2.
Maria Thereza Eins. COMO A EXPRESSÃO IMUNOHISTOQUÍMICA DE MARCADORES TUMORAIS: P-53, HER-2, RECEPTORES HORMONAIS: ESTROGÊNIO E PROGESTERONA INFLUENCIAM NO PROGNÓSTICO DE CADELAS COM TUMORES DE MAMA. Início: 2018. Dissertação (Mestrado profissional em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

3.
Luis Donizete Campeiro Junior. Cicatrização óssea em aves. Início: 2018. Dissertação (Mestrado profissional em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Camila Calvi Menegassi. EXPRESSÃO E POLIMORFIMOS NOS GENES BRCA1 E BRCA2 E SUAS ASSOCIAÇÕES COM TUMORES MAMÁRIOS E OVARIANOS EM CADELAS. Início: 2018. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso. (Orientador).

2.
Lianna Ghisi Gomes. Influência da temperatura de incubação e motilidade embrionária sobre o crescimento dos membros do jacaré-do-pantanal (Caiman yacare ? Daudin, 1802). Início: 2017. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

3.
Samuel Monzem. Influencia dos bifosfanatos na residência a fratura em modelo experimental de osteoporose. Início: 2016. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso. (Orientador).

4.
Marcos Marini Melo. Modelo de fratura experimental em camundongos. Início: 2016. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso. (Orientador).

5.
Matias Bssinello Stocco. Adaptação do método TNM de classificação e estadiamento tumoral humano para utilização na Medicina Veterinária de pequenos animais. Início: 2015. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso. (Orientador).

Monografias de conclusão de curso de aperfeiçoamento/especialização
1.
Fabio Dumit Pizzinati. Doença periodontal em sua relação com doença renal em cães. Início: 2017. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Residência Uniprofissional em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Programa Nacional de Residência Mulstiproficional em Saúde. (Orientador).

2.
Raphael Rogger Vieira. Ruptura de ligamento cruzaod em cães. Início: 2017. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Residência Uniprofissional em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Programa Nacional de Residência Mulstiproficional em Saúde. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Natalia Pestana. Efeito dos biofosfanatos na residência de fraturas. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

2.
Ana Paula Bispo Moura. Efeito dos biofosfanatos na residência de fraturas. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

3.
Maria Rita Ricci Girardi. Efeito dos biofosfanatos na residência de fraturas. Início: 2017. Iniciação científica (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

Orientações de outra natureza
1.
Gabriela Cardoso. Doenças articulares em cães. Início: 2018. Orientação de outra natureza. Universidade Federal de Mato Grosso. Programa Nacional de Residência Mulstiproficional em Saúde. (Orientador).

2.
Nathalia Freschi. Periodontopatias em cães. Início: 2018. Orientação de outra natureza. Universidade Federal de Mato Grosso. Programa Nacional de Residência Mulstiproficional em Saúde. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Camila Calvi Menegassi. Avaliação de polimorfismo no gene BRCA1 em cadelas com tumores mamários. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

2.
Dábila Araújo Sonego. Associação de polimorfismos de nucleotídeos simples (SNPS) na displasia coxal em cães da raça Shit-Tzu. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

3.
Thalita Perez. EFEITO DO ENALAPRIL E BENAZEPRIL SOB A NEFROTOXICIDADE INDUZIDA POR CISPLATINA EM RATOS. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, . Orientador: Roberto Lopes de Souza.

4.
Lianna Ghisi Gomes. AVALIAÇÕES HEMATOLÓGICAS E BIOQUÍMICAS DO USO DE FIROCOXIB (PREVICOX®) ANTES E APÓS ADMINISTRAÇÃO DE PROPOFOL EM CÃES. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, . Orientador: Roberto Lopes de Souza.

5.
Paulo Roberto Spiller. AVALIAÇÃO DA PRESSÃO INTRALUMINAL EM CISTORRAFIAS COM E SEM REMENDO DE SEROSA INTESTINAL EM CADÁVERES CANINOS. 2016. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

6.
Matias Bssinello Stocco. Ocorrencia de neoplasis em cães atendidos no hospital do Hovet UFMT. 2015. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

7.
Yara Silva Meirelles. CARACTERIZAÇÃO ULTRASSONOGRÁFICA DOS ÓRGÃOS DA CAVIDADE CELOMÁTICA DO JABUTI-PIRANGA (CHELONOIDIS CARBONARIA SPIX, 1824). 2014. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, . Orientador: Roberto Lopes de Souza.

8.
Carolina Braga Menegalle. Inibição da progressão da osteoatrite cirurgicamente induzida em camondongos por nanoparticula de ouro. 2013. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, . Orientador: Roberto Lopes de Souza.

9.
Paula Marcia de Campos Andrade. Levantamento epidemiológico de afecções orais em espécies silvestres mantidas em cativeiro no Zoológico da UFMT. 2013. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-graduação em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, . Orientador: Roberto Lopes de Souza.

10.
Marco Marini Melo. Efeitos do polisulfato de pentosano, sulfato de condroitina a e sulfato de glucosamina na osteoartrite secundária a ruptura de ligamento cruzado cranial.. 2012. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

11.
Wilma Neres Campos. PROGRESSÃO DA OSTEOARTRITE EXPERIMENTAL EM COELHOS (Oryctolagus cuniculus). 2012. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

12.
Magyda Arabia Araji Darough. DIAGNÓSTICO MOLECULAR DE PATOLOGIAS EM FELÍDEOS SILVESTRES. 2009. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, . Orientador: Roberto Lopes de Souza.

13.
Vânia Villa Real. Ocorrência de microorganimos patogênicos em Tayassu tajacu e Tayassu pecari de vida livre e em cativeiro. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, . Orientador: Roberto Lopes de Souza.

Tese de doutorado
1.
Andresa de Cássia Martini. Detecção e quantificação de Porphyromonas gingivalis após o uso tópico de IgY- anti gingipaínas em cães com doença periodontal. 2018. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal de Mato Grosso, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

2.
Wilma Néres da Silva Campos. Síntese e caracterização de nanopartículas de ouro conjugadas com curcumina e seus efeitos na osteoartrite experimental induzida. 2017. Tese (Doutorado em Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Mato Grosso, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

Monografia de conclusão de curso de aperfeiçoamento/especialização
1.
Camila Maciel. Osteoartrite em cães. 2018. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Residência Uniprofissional em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Programa Nacional de Residência Mulstiproficional em Saúde. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

2.
Gabrielle Dourado Franco. Osteosarcoma em cães. 2018. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Residência Uniprofissional em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Programa Nacional de Residência Mulstiproficional em Saúde. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

3.
Luis Paulo Vasconcelos. Ovariectomia em gatas com braçadeiras de nailon. 2012. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Residência Médico Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

4.
Thais Ruiz. Avaliação histopatológica, imuno-histoquímica e iminoenzimática dos efeitos da doxicilina na expressão sobre o receptor de VEGF em tumores mamários em cadelas. 2009. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Espe. em Clínica eCirurgia de Pequenos Animais) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

5.
Francineide Borgoni. Avaliação dos níveis séricos da desidrogenase lática em cadelas portadoras de tumor de mama. 2008. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Espe. em Clínica eCirurgia de Pequenos Animais) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

6.
Wilma Neres da Silva Campos. Proteina C reativa como fator diagnóstico e prognóstico em cadelas acometidas por piometra e submetidas a ovariosalpingohisterectomia. 2008. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Espe. em Clínica eCirurgia de Pequenos Animais) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Ana Paula Bispo Dantas Moura. Utilização de imunoglobulina Y (IgY) oral na doença periodontal em gatos. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

2.
Juliana Godoy Santos. Prolapso Uretral em um cão, corrigido cirurgicamente ? Relato de Caso. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

3.
Maria Thereza Eins. RELATO DE CASO: HEMIPELVECTOMIA EM UM GATO COM OSTEOSSARCOMA OSTEOBLÁSTICO. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

4.
Marcelo Gouveia Portilho. Sindrome Compartimental. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

5.
Fabio Dumit Pizzinati. Piloroplastia Y-U para correção de gastropatia pilorica cronica em caninos. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

6.
Wilken de Carvalho Lima. Principais patologias evias de acesso cirúrgico á coluna vertebral cervical e toracolombar em pequeno animais. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

7.
Adson Fernando Tosta Sandim. Técnicas cirurgicas para correção de ruptura de ligamento cruzado cranial em cães. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

8.
Magida Arabia Araji Dahroug. Fechamento precoce de disco epifisario ulnar distal em cao. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinaria) - Universidade Federal do Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

9.
Erotides Capistrano da SIlva. Artrite reumatoide em caes. 2006. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

10.
Nádia Neves. Relatório de Estágio Curricular. 2000. 0 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

11.
Lenny Rosa Filho. Relatório de Estágio Curricular. 1999. 0 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

Iniciação científica
1.
Natalia Pestana de Souza. Segurança e Eficácia do IgY oral no Tratamento de Doenças Periodontais em Cães. 2017. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

2.
Ana Paula Moura. Segurança e eficácia do IgY oral no tratamento de doenças periodontais em cães. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

3.
Emanuelly Almeida. Segurança e eficácia do IgY oral no tratamento de doenças periodontais em cães. 2016. Iniciação Científica - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

4.
Marcelo Candido Portilho Gouveia. Síntese e caracterização de nanopartículas de ouro conjugadas com curcumina e sua ação na administração intra-articular da osteoartrite experimental em camundongos. 2015. Iniciação Científica - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

5.
Fabio Dumit. Síntese e caracterização de nanopartículas de ouro conjugadas com curcumina e sua ação na administração intra-articular da osteoartrite experimental em camundongos. 2015. Iniciação Científica - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

6.
Dábila Sonego. Modelo experimental de doença articular degenerativa em camundongos. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

7.
Mateus Annicchino. Modelos experimentais de doenças articulares em roedores. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

8.
Mateus Annicchino de Andrade. Curcomin na terapia de doenca articular degenerativa experimental em camondongos. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

9.
Fabio Dumit. Curcomin na terapia de doenca articular degenerativa experimental em camondongos. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

10.
João Vitor Galceran. Ocorrência de microrganismos patogênicos em taiassuídeos de vida livre e cativeiro. 2009. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

11.
Felipe Arruda Peixoto. Circovirose em suídeoscriados em cativeiro e de vida livre na região do pantanal mato-grossense.. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

12.
Kellen Lopes do Carmo. Desidorgenase lática em cadelas portadores de tumor de mama. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

13.
Dienson Bourscheid. FUNÇÃO HORMONAL NA DOENÇA DO TRATO URINÁRIO INFERIOR DOS FELINOS MACHOS - ESTUDO HISTOMORFOMÉTRICO DA URETRA DE FELINOS SUBMETIDOS A ORQUIECTOMIA OU NÃO. 2006. Iniciação Científica - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

Orientações de outra natureza
1.
Johanna Schvarzbach. Aspectos clínicos, cirúrgicos e histológicos do osteoma mamário - relato de cinco casos. 2017. Orientação de outra natureza. (Programa de Residência em Medicina Veterinária - Clinica Cirúrgica) - Universidade Federal de Mato Grosso, Programa Nacional de Residência Mulstiproficional em Saúde. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

2.
Dábila Araújo Sonego. Aplasia uterina total em cadela - relato de caso. 2017. Orientação de outra natureza. (Programa de Residência em Medicina Veterinária - Clinica Cirúrgica) - Universidade Federal de Mato Grosso, Programa Nacional de Residência Mulstiproficional em Saúde. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

3.
Lais Greco Silva. Descrição clínico-cirúrgica de seis casos de maxilectomia parcial para o tratamento de neoplasia em cavidade oral em cães. 2016. Orientação de outra natureza. (Programa de Residência em Medicina Veterinária - Clinica Cirúrgica) - Universidade Federal de Mato Grosso, Programa Nacional de Residência Mulstiproficional em Saúde. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

4.
Gleicieli Monteiro. Estudo retrospectivo de tumores mamários felinos atendidos ho hospital veterinario da UFMT. 2015. Orientação de outra natureza. (Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

5.
Izabela Martins. Osteopatia hipertrófica associado á mestastase intratorácica de tumor mamário canino - relato de caso. 2015. Orientação de outra natureza. (Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso. Orientador: Roberto Lopes de Souza.

6.
Guilherme Bicudo. Análise química do cålculo renal em cães. 2014. Orientação de outra natureza. (Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Mato Grosso, Programa Nacional de Residência Mulstiproficional em Saúde. Orientador: Roberto Lopes de Souza.



Inovação



Projetos de pesquisa


Educação e Popularização de C & T



Artigos
Artigos completos publicados em periódicos
1.
MELO, M. M.2013MELO, M. M. ; MALLMAN, P. R. ; SONEGO, D. A. ; MARQUES, A. T. ; GONCALVES, G. F. ; ZANATTA, R. ; NESPOLI, P. E. B. ; de SOUZA, R. L. . Reprodução experimental da doença articular degenerativa, pelo método cirúrgico associado à terapia condroprotetora, em ratos. Semina. Ciências Agrárias (Online), v. 34, p. 1217, 2013.



Outras informações relevantes


Membro Titular do Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA) representando o Ministério da Educação



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 10/12/2018 às 8:40:25