Sofia Maria Carrato Diniz

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3233497819592258
  • Última atualização do currículo em 11/10/2018


Professora Titular da EE-UFMG (progressão aprovada em 10/2016 com média geral 95,0/100). Aprovada em segundo lugar (média geral 94,0/100), concurso para Professor Titular, Departamento de Engenharia de Estruturas, DEEs-UFMG, 05/2010. Professora Titular do DEEs-UFMG, 03/2011 a 10/2012 (posse via mandado de segurança; processo extinto SEM AVALIAÇÃO DO MÉRITO e novo processo judicial em tramitação). Aprovada em segundo lugar (maior média geral, 92,6/100), concurso para Professor Titular, DEEs-UFMG, 03/2006. Docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas da UFMG. Pós-doutorado (guest researcher) no National Institute of Standards and Technology (NIST), EUA, 05/2001-10/2002; PhD em Engenharia Civil/ Engenharia Estrutural - University of Colorado at Boulder, EUA (1994); mestrado em Ciências e Técnicas Nucleares - UFMG (1988); graduada em Engenharia Civil - UFMG (1979). Visiting professor na University of Pittsburgh, EUA (1999-2000) e no Musashi Institute of Technology, Tóquio, Japão (07/1999). É Fellow do American Concrete Institute (ACI), Member da American Society of Civil Engineers (ASCE), charter member do Structural Engineering Institute (SEI-ASCE) e do Engineering Mechanics Institute (EMI-ASCE), Member do Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems (SEI-ASCE), Chair do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty do Technical Council on Life-Cycle Performance, membro do Instituto Brasileiro do Concreto (IBRACON), membro do Conselho Técnico de atividades (CTA) do IBRACON, membro da IASSAR (International Association for Structural Safety and Reliability), membro da IALCCE (International Association for Life-Cycle Civil Engineering), da IABMAS (International Association for Bridge Maintenance and Safety). É associada da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), coordenadora da Comissão de Estudos Especiais de Materiais Não Convencionais para Reforço de Estruturas de Concreto (ABNT/CEE-193), e expert credenciada pela ABNT junto aos comitês ISO/TC 71 (Concrete, Reinforced concrete and Pre-stressed concrete) e ISO/TC 98 (Bases for Design of Structures) . Foi chair do comitê ACI 348-Structural Safety (2004-2010), member do Fellows Nomination Committee do ACI (2009-2012), voting member do Marketing Committee do ACI (2007-2010), voting member do comitê ACI 318-08R (2007), voting member do comitê Chester Paul Siess Award for Excellence in Structural Research do ACI (2006-2008), chair do comitê Safety of Buildings - Structural Engineering Institute (SEI-ASCE) e member do Technical Administrative Committee Structural Safety & Reliability (2003-2007). Foi líder do Grupo de Pesquisa Métodos Numéricos e Computacionais, No. UFMG.0182, CNPq, DEES-UFMG (08/1995-11/1999) e também Líder do Grupo de Pesquisa Estruturas em Concreto Armado e Protendido, No. UFMG.0187, CNPq, DEES-UFMG (01/1998-11/1999). Publicou artigos em periódicos de renome internacional (Engineering Structures, Probabilistic Engineering Mechanics, Journal of Structural Engineering (ASCE), etc) e em eventos internacionais de destaque. Revisora do ACI Materials Journal, ACI Structural Journal, Structural Safety, Journal of Structural Engineering (ASCE), Engineering Structures (Elsevier), Structure & Infrastructure Engineering (Taylor and Francis), dentre outros. Membro de comitês científicos de várias conferências nacionais e internacionais; palestrante convidada em vários eventos e instituições nacionais e internacionais. Participou em mais de 200 eventos nas Américas, Europa, Ásia e Austrália. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Estruturas de Concreto, Normalização, Confiabilidade estrutural, Métodos probabilísticos, Materiais de alto desempenho, Engenharia de vento. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Sofia Maria Carrato Diniz
Nome em citações bibliográficas
DINIZ, S. M. C.;Diniz, Sofia M. C.;Diniz, Sofia;Diniz, S.M.C.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.
Av. Antonio Carlos 6627
Pampulha
31270-901 - Belo Horizonte, MG - Brasil
Telefone: (31) 34091977
Fax: (31) 34091973
URL da Homepage: http://www.pos.dees.ufmg.br


Formação acadêmica/titulação


1990 - 1994
Doutorado em Engenharia Civil.
University Of Colorado At Boulder, CU-BOULDER, Estados Unidos.
Título: Reliability Evaluation of High-Strength Concrete Columns, Ano de obtenção: 1994.
Orientador: Dan Mircea Frangopol.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: pilares; concreto de alta resistencia; confiabilidade estrutural; metodos probabilisticos; normas tecnicas.
Grande área: Engenharias
Setores de atividade: Construção Civil; Desenvolvimento de Novos Materiais.
1984 - 1988
Mestrado em Ciências Técnicas Nucleares.
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Título: Aplicacao da Fotoelasticidade no Estudo das Tensoes em Componente do Elemento Combustivel do Reator Nuclear,Ano de Obtenção: 1988.
Orientador: Alexandre Octavio Rodrigues Sette Camara.
Bolsista do(a): Pronuclear, PRONUCLEAR, Brasil.
Palavras-chave: fotoelasticidade; tensoes; elemento combustivel; reator nuclear; mecanica dos materiais.
Grande área: Engenharias
Setores de atividade: Energia.
1975 - 1979
Graduação em Engenharia Civil.
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.


Pós-doutorado


2001 - 2002
Pós-Doutorado.
National Institute of Standards and Technology, NIST, Estados Unidos.
Bolsista do(a): National Institute of Standards and Technology, NIST, Estados Unidos.
Grande área: Engenharias
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia Civil / Subárea: Engenharia de Vento.
Grande Área: Engenharias / Área: Engenharia Civil / Subárea: Estruturas / Especialidade: Estruturas Metálicas.


Formação Complementar


1989 - 1989
Instabilidade das Estruturas. (Carga horária: 45h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
1989 - 1989
Estruturas em Concreto Armado. (Carga horária: 45h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
1988 - 1988
Análise Matricial das Estruturas. (Carga horária: 45h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
1988 - 1988
Teoria das Placas e Cascas. (Carga horária: 45h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
1987 - 1987
Fotoelasticidade, Holografia e Moiré. (Carga horária: 48h).
Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio, Brasil.
1980 - 1980
Seminário. (Carga horária: 45h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
1980 - 1980
Planejamento Territorial. (Carga horária: 45h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
1980 - 1980
Biologia Sanitária. (Carga horária: 45h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
1980 - 1980
Quimica Sanitaria. (Carga horária: 45h).
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Professor Voluntário, Enquadramento Funcional: Docente Permanente do PROPEEs, Carga horária: 20
Outras informações
Professor voluntário, participando como docente permanente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas (PROPEEs) da Escola de Engenharia da UFMG. Disciplina ministrada (2o. Semestre de 2018); Confiabilidade das Estruturas (PROPEEs)

Vínculo institucional

2016 - 2018
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Aprovada em processo de promoção para Professora Titular do Departamento de Engenharia de Estruturas da UFMG em 07/10/2016, média geral 95,0/100.

Vínculo institucional

2012 - 2016
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Associado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2011 - 2012
Vínculo: Professora Titular, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Posse como Professora Titular do Departamento de Engenharia de Estruturas (DEEs) em 14 de março de 2011, mediante mandado de segurança. Processo extinto em outubro de 2012, SEM AVALIAÇÃO DO MËRITO. Nova ação judicial contra o DEEs foi impetrada em 2013, visando a restituição do cargo.

Vínculo institucional

2006 - 2011
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Associado, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

1995 - 2006
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

1988 - 1995
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: ProfessorAssistente, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

08/2003 - Atual
Ensino, Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Confiabilidade Estrutural
10/1998 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Membro com direito a voto do Structural Safety Committee - ACI Committee 348 do American Concrete Institute (ACI).
08/1998 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Membro do subcomitê 5, System Identification and Structural Control da International Association for Structural Safety and Reliability (IASSAR).
3/1995 - Atual
Ensino, Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Confiabilidade das Estruturas
Estágio Docência
Estágio Docência II
Estudos Especiais: Concreto de Alta Resistencia
Estudos Especiais: Confiabilidade das Estruturas
Introducao a Teoria da Elasticidade e a Mecanica do Continuo
Metodo dos Elementos Finitos
Topicos Especiais: Confiabilidade das Estruturas
9/1988 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

08/2017 - 12/2017
Ensino, Engenharia Mecânica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Análise Estrutural EES039
03/2008 - 12/2017
Ensino, Engenharia Civil, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Resistência dos Materiais II
03/2017 - 07/2017
Ensino, Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Tópicos Especiais em Engenharia de Estruturas II: Tópicos Avançados em Confiabilidade Estrutural
04/2016 - 07/2016
Direção e administração, Escola de Engenharia, .

Cargo ou função
Representante do DEEs na Comissão de Assessoramento da Coordenação da disciplina TIM III do curso de Engenharia Civil.
03/2016 - 07/2016
Ensino, Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Tópicos Especiais em Engenharia de Estruturas II: Tópicos Avançados em Confiabilidade Estrutural
08/2015 - 12/2015
Ensino, Engenharia Civil, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Resistência dos Materiais I - EES 145, T. A
Resistência dos Materiais I - EES 145, T. C
04/2015 - 05/2015
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Membro da Comissão para Avaliação de Relatórios de Atividades dos Docentes do DEEs.
04/2015 - 05/2015
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Membro da Comissão para Avaliação de Relatórios de Atividades dos Docentes do DEEs.
08/2013 - 12/2013
Ensino, Engenharia Mecânica, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Análise Estrutural
10/2012 - 12/2013
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, .

Cargo ou função
Membro da comissão de revisão dos critérios de aprovação de relatórios de atividades docentes.
05/2012 - 10/2012
Direção e administração, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Representante dos Professores Titulares na Câmara Departamental do DEEs.
06/2007 - 05/2009
Direção e administração, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Representante titular dos professores do curso de pós-graduacão em Engenharia de Estruturas no colegiado do referido curso.
08/1999 - 09/2008
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Membro do Safety of Buildings Committee da American Society of Civil Engineers (ASCE).
9/1988 - 12/2007
Ensino, Engenharia Civil, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estabilidade das Estruturas I (Arquitetura)
Introducao a Mecanica dos Solidos (Engenharia Mecanica)
Mecânica para Engenheiros (Engenharia Civil)
Resistencia dos Materiais (Arquitetura)
Resistência dos Materiais (Engenharia Elëtrica)
Resistencia dos Materiais II (Engenharia Civil)
Teoria das Estruturas II (Engenharia Civil)
10/2003 - 09/2007
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Chairman do Comite 'Safety of Building's do 'Structural Engineering Institute-American Society of Civil Engineers'.
03/2004 - 06/2006
Direção e administração, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Representante titular do DEEs junto ao Colegiado de Graduação em Engenharia Civil.
3/2005 - 12/2005
Outras atividades técnico-científicas , Escola de Engenharia, Escola de Engenharia.

Atividade realizada
Consultor.
2005 - 2005
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Membro da comissão para Avaliação dos Relatórios Anual de Atividades (2004) dos Docentes do DEEs.
10/2001 - 03/2004
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Secretária do Structural Safety Committee - ACI Committee 348 do American Concrete Institute (ACI).
2004 - 2004
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Presidente da comissão para Avaliação dos Relatórios Anual de Atividades (2003) dos Docentes do DEEs.
04/2002 - 10/2003
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Secretária do Safety of Buildings Committee da American Society of Civil Engineers (ASCE).
10/2000 - 10/2000
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Membro da banca examinadora para o projeto de dissertação de mestrado, intitulado Implementação do Modelo de Microplanos para Estruturas de Concreto, Uma Abordagem Orientada a Objetos, do aluno Patrick Peres Ramos Silva, do Curso de Mestrado em Engen.
04/1998 - 04/2000
Direção e administração, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Representante dos professores adjuntos do Departamento de Engenharia de Estruturas da UFMG (suplente) junto à Câmara Departamental do referido departamento..
01/1999 - 12/1999
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Membro da comissão para criação do curso de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas do DEES-UFMG.
12/1996 - 12/1999
Direção e administração, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Suplente da Coordenação do Curso de Mestrado em Engenharia de Estruturas da UFMG..
01/1998 - 11/1999
Outras atividades técnico-científicas , Escola de Engenharia, Escola de Engenharia.

Atividade realizada
Líder do Grupo de Pesquisa Estruturas em Concreto Armado e Protendido, grupo No. UFMG.0187, CNPq, DEES-UFMG.
08/1995 - 11/1999
Outras atividades técnico-científicas , Escola de Engenharia, Escola de Engenharia.

Atividade realizada
Líder do Grupo de Pesquisa Métodos Numéricos e Computacionais, grupo No. UFMG.0182, CNPq, DEES-UFMG.
06/1998 - 06/1999
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Membro da comissão para Adequação do Regulamento do Curso de Mestrado em Engenharia de Estruturas do DEES-UFMG com as Normas Gerais da Pós-Graduação..
05/1999 - 05/1999
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Presidente da banca examinadora para projeto de dissertação de mestrado, da aluna Regina Célia Maciel França do Curso de Mestrado em Engenharia de Estruturas da EE.UFMG.
05/1999 - 05/1999
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Presidente da banca examinadora para projeto de dissertação de mestrado, da aluna Elizeth Rodrigues Machado do Curso de Mestrado em Engenharia de Estruturas da EE.UFMG..
02/1996 - 02/1998
Direção e administração, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Representante dos professores do Curso de Mestrado em Engenharia de Estruturas da UFMG (suplente) junto ao colegiado do referido curso..
08/1995 - 08/1997
Direção e administração, Escola de Engenharia, .

Cargo ou função
Representante dos professores adjuntos (suplente) junto à Congregação da EEUFMG..
07/1996 - 07/1996
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais.

Cargo ou função
Membro da banca examinadora para projeto de tese de doutorado, intitulado Proposta de Metodologia de Análise Estrutural de Concretos, do aluno Cláudio Alberto Rigo da Silva do Curso de Pós-Graduação em Engenharia Metalúrgica e de Minas da EE.UFMG..
1996 - 1996
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Membro da comissão para definição de critérios para o processo de seleção de alunos do Curso de Mestrado de Engenharia de Estruturas do DEES-UFMG.
1995 - 1995
Conselhos, Comissões e Consultoria, Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Cargo ou função
Presidente da comissão para ajuste e atualização de conteúdo das disciplinas Resistência dos Materiais I e II, Teoria das Estruturas I, II e III..
1988 - 1990
Serviços técnicos especializados , Escola de Engenharia, Departamento de Engenharia de Estruturas.

Serviço realizado
Implantacao do Laboratório de Análise Experimental de Tensões do Departamento de Engenharia de Estruturas da UFMG..

National Institute of Standards and Technology, NIST, Estados Unidos.
Vínculo institucional

2001 - 2002
Vínculo: Pesquisadora convidada, Enquadramento Funcional: Guest researcher, Carga horária: 40
Outras informações
Atividades: pesquisa e desenvolvimento na área de confiabilidade estrutural aplicada a estruturas sujeitas a carregamento de vento. Desenvolvimento de normas eletrônicas para o projeto de estruturas sujeitas a carregamento de vento levando em conta a mecânica das estruturas, a aerodinâmica das estruturas, e a teoria de processos estocásticos. Desenvolvimento de metodologia para a estimação de esforços internos resultantes do carregamento de vento a partir de banco de dados relativos à resposta aerodinâmica da estrutura obtidos em túnel de vento.

Atividades

5/2001 - 10/2002
Pesquisa e desenvolvimento , Building and Fire Research Laboratory, .


University of Pittsburgh, PITT, Estados Unidos.
Vínculo institucional

1999 - 2000
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor visitante, Carga horária: 40

Atividades

9/1999 - 4/2000
Pesquisa e desenvolvimento , School Of Engineering, Department Of Civil And Environmental Engineering.

9/1999 - 4/2000
Ensino, Engenharia Civil, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Introduction to Structural Analysis
Civil Engineering Systems Analysis
9/1999 - 4/2000
Ensino, Engenharia Civil, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Advanced Mechanics of Materials
Concrete Structures 2

American Concrete Institute, ACI, Estados Unidos.
Vínculo institucional

2001 - Atual
Vínculo: Voting member, Enquadramento Funcional: Voting member
Outras informações
Voting member (membro com direito a voto) do comitê ACI 348 (Structural Safety) do American Concrete Institute.

Vínculo institucional

1999 - Atual
Vínculo: Revisor de periódicos, Enquadramento Funcional: Revisor de periódicos
Outras informações
Revisora de periódicos ACI Structural Journal e ACI Materials Journal

Vínculo institucional

2009 - 2012
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Membro do Fellows Nomination Committee

Vínculo institucional

2007 - 2010
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Membro do comitê Marketing

Vínculo institucional

2004 - 2010
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Presidente do comite 348-Structural Safety
Outras informações
'Chair' do ACI 348 Committee (Structural Safety) do American Concrete Institute.

Vínculo institucional

2007 - 2007
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Membro (?voting member?) do comitê ?318C-08R"
Outras informações
─ Membro (?voting member?) do comitê ?318C-08R Safety, Serviceability, and Analysis?, do American Concrete Institute, EUA. Este comitê temporário foi responsável pela análise das sugestões propostas pelo comitê ?318C Safety, Serviceability, and Analysis? para a revisão da norma norte-americana ACI 318 (norma para projeto de estruturas em concreto armado), edição de 2008 nos ítens segurança, análise e estados limites de utilização

Vínculo institucional

2006 - 2007
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Membro do comitê Awards for Papers (CAP), SC3
Outras informações
Membro com direito a voto do subcomitê ?Chester Paul Siess Award for Excellence in Structural Research (SC3)? do ?Committee on Awards for Papers?, (CAP) do ?American Concrete Institute (ACI)?. (2006-2008). O Prêmio ?Chester Paul Siess? para Excelência na pesquisa em Engenharia Estrutural honra o artigo que descreve grandes feitos em termos de pesquisa analítica ou experimental, avançando a teoria ou prática da engenharia Estrutural, e sobretudo, recomenda como a pesquisa pode ser aplicada no projeto estrutural. A indicação para ser membro deste comitê é feita pelo ?Board of Governors? do ACI e se baseia nas contribuições do profissional ao setor da indústria do concreto e também na elevada qualidade demonstrada na revisão de artigos submetidos para possível publicação nos periódicos produzidos pelo ACI.

Vínculo institucional

2001 - 2004
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Secretaria do comite ACI 348

Atividades

03/2004 - 02/2010
Conselhos, Comissões e Consultoria, ACI 348- Structural Safety Committee, .

Cargo ou função
Presidente do Comite ACI 348 (Structural Safety)).
2001 - 03/2004
Conselhos, Comissões e Consultoria, ACI 348- Structural Safety Committee, .

Cargo ou função
Secretaria do comite ACI 348.

Structural Engineering Institute-American Society of Civil Engineers, SEI-ASCE, Estados Unidos.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: Chair do TG 1, Enquadramento Funcional: Chair do TG 1-Life-Cycle Performance of Civil
Outras informações
Chair do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty do Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Structural Engineering Institute (SEI-ASCE). Conselho técnico criado em outubro de 2008.

Vínculo institucional

2011 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Membro do Technical Council on Life-Cycle Per

Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: Membro comitê técnico-científi, Enquadramento Funcional: Membro TG 2 Reliability-based Structural Syst
Outras informações
Member do Task Group 2 on Reliability-based Structural System Performance Indicators do SEI Technical Activities Division, Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems (American Society of Civil Engineers).

Vínculo institucional

2011 - 2016
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Secretary do Technical Council on Life-Cycle
Outras informações
Secretary do Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems. Este conselho e' constituido por: Dan M. Frangopol, Chair, Lehigh University, EUA, Bruce R. Ellingwood, Vice-Chair, Georgia Tech, EUA, Sofia Maria C. Diniz, Secretary, Brasil, Fabio Biondini, Politecnico di Milano, Italia, Michel J. Ghosn, CUNY, EUA. http://www.asce.org/CommitteeDetail.aspx?id=2147487856&committeeid=000000928331

Vínculo institucional

2008 - 2014
Vínculo: Membro de comitê técnico, Enquadramento Funcional: Membro do Task Group 1: Life-Cycle Performanc
Outras informações
Membro do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty do Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Structural Engineering Institute (SEI-ASCE). Conselho técnico criado em outubro de 2008.

Vínculo institucional

2003 - 2007
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Presidente do Comite 'Safety of Buildings'

Vínculo institucional

2003 - 2007
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Membro do TAC Structural Safety and Reliabili
Outras informações
Membro do Technical Administrative Committee Structural Safety and Reliability. Comitê do Structural Engineering Institute (ASCE) que congrega os presidentes ("chairs") dos comitês Safety of Buildings, Safety of Bridges, Fatigue and Fracture Reliability e Reliability of Offshore Structures.

Vínculo institucional

2002 - 2003
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Secretaria do Safety of Buildings Committee

Atividades

10/2003 - 09/2007
Conselhos, Comissões e Consultoria, Safety of Buildings Committee, .

Cargo ou função
Presidente do Safety of Buildings Committee.
2002 - 10/2003
Conselhos, Comissões e Consultoria, Safety of Buildings Committee, .

Cargo ou função
Secretaria do Safety of Buildings Committee.

Associação Brasileira de Normas Técnicas - Sede, ABNT/RJ, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Expert brasileira junto ao ISO, Enquadramento Funcional: Expert brasileira junto ao ISO TC 98
Outras informações
Expert brasileira credenciada junto ao ISO TC 98 - Bases for Design of Structures, ABNT - ISO (International Standardization Organization). Membro da delegação brasileira na 32nd Meeting of ISO TC 98, Copenhagen, Dinamarca, 01-04 de dezembro de 2014. Membro da delegação brasileira na 33rd Meeting of ISO TC 98, Reston, VA, EUA 16-20 de novembro de 2015.

Vínculo institucional

2012 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Coordenadora da Comissão ABNT/CEE-193
Outras informações
Coordenadora da Comissão de Estudos Especiais de Materiais Não Convencionais para Reforço de Estruturas de Concreto (ABNT/CEE-193)

Vínculo institucional

2008 - Atual
Vínculo: Associado, Enquadramento Funcional: Associado
Outras informações
Chefe da delegação brasileira participante da 22nd ISO TC71 Plenary Meeting, 19 a 22 de outubro de 2016, Cartagena de Índias, Colômbia; Chefe da delegação brasileira participante da 21st ISO TC71 Plenary Meeting, 26 a 29 de outubro de 2015, Seul, Coréia do Sul; Chefe da delegação brasileira participante da 20th ISO TC71 Plenary Meeting, 28 a 31 de janeiro de 2014, Sydney, Austrália; Chefe da delegação brasileira participante da 19th ISO TC71 Plenary Meeting, 19 a 22 de junho de 2012, San José, Costa Rica; Chefe da delegação brasileira participante da 18th ISO TC71 Plenary Meeting, 20 a 23 de junho de 2011, Hong Kong, China; Chefe da delegação brasileira participante da 17th ISO TC71 Plenary Meeting, 20 a 23 de setembro de 2010, Cartagena de Indias, Colombia; Chefe da delegação brasileira participante da 16th ISO TC71 Plenary Meeting, 9 a 12 de feveiro de 2009, Cairo, Egito; Membro da delegação brasileira participante da 15th ISO TC71 Plenary Meeting, 26 a 29 de março de 2008, Los Angeles, EUA. Expert brasileira credenciada pela ABNT junto ao comitê ISO/TC 71, Concrete, reinforced concrete and prestressed concrete, da International Standardization Organization (ISO), com atividades nos subcomitês SC1 (Test methods for concrete), SC3 (Concrete production and execution of concrete structures), SC4 (Performance requirements for structural concrete), SC5 (Simplified design standard for concrete structures), SC6 (Non-traditional Materials for Concrete Reinforcement), SC7 (Maintenance and Repair of Concrete Structures) e SC8 (Environmental Management of Concrete Structures), com vistas ao desenvolvimento e harmonização de normas técnicas.

Vínculo institucional

2008 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Expert brasileira junto ao ISO TC 71
Outras informações
Expert brasileira junto ao ISO TC 71 - Concrete, Reinforced Concrete and Pre-stressed Concrete, instituição máxima da normalização internacional no referido setor, com sede em Genebra, Suiça. Chefe da delegação brasileira nas reuniões de Cairo (Egito, 2009), Cartagena (Colômbia, 2010), Hong Kong (China, 2011), San José (Costa Rica, 2012), Sydney (Austrália, 2014), Seul (Coréia do Sul, 2015), Cartagena (Colômbia, 2016), Sapporo (Japão, 2017) e Moscou (Rússia, 2018).

Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Tradutora, Enquadramento Funcional: Tradutora da ABNT/NBR 6118:2014 para o Inglês
Outras informações
Tradutora da nova versão da ABNT/NBR 6118 (ABNT/NBR 6118:2014) para o Inglês, com vistas à certificação da referida norma como de padrão internacional, segundo a ISO 19338:2014 - Performance and assessment requirements for design standards on structural concrete.

Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Resposta ao revisores NBR 6118, Enquadramento Funcional: Resposta ao revisores da NBR 6118
Outras informações
Elaboração e apresentação da resposta ao parecer dos revisores da norma ABNT NBR 6118:2014 segundo a ISO 19338-Performance and assessment requirements for design standards on structural concrete. O painel de revisores foi constituído por representantes das organizações normalizadoras dos EUA (ANSI), Austrália (SA), e Coréia do Sul (KATS). A apresentação da resposta ao parecer dos revisores foi feita durante reunião do subcomitê SC4 do ISO TC 71-Concrete, Reinforced Concrete, and Pre-stressed concrete, na 21st ISO TC 71 Plenary meeting, 28 de outubro de 2015, Seul.

Atividades

11/2012 - Atual
Outras atividades técnico-científicas , Associação Brasileira de Normas Técnicas - SP, Associação Brasileira de Normas Técnicas - SP.

Atividade realizada
Coordenadora da Comissão de Estudos Especiais de Materiais Não Convencionais para Reforço de Estruturas de Concreto (ABNT/CEE-193).

International Organization For Standardization, ISO, Suiça.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Liaison ISO/TC 71-ISO/TC 98, Enquadramento Funcional: Liaison ISO/TC 71-ISO/TC 98
Outras informações
Liaison do comitê ISO/TC 71 (Concrete, Reinforced Concrete and Pre-stressed Concrete) junto ao comitê ISO/TC 98 (Bases for Design of Structures).

Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Expert brasileira ISO TC 98, Enquadramento Funcional: Expert brasileira junto ao ISO TC 98
Outras informações
Expert brasileira credenciada junto ao ISO TC 98 - Bases for Design of Structures, ABNT - ISO (International Standardization Organization). Membro da delegação brasileira na 32nd Meeting of ISO TC 98, Copenhagen, Dinamarca, 01-04 de dezembro de 2014. Membro da delegação brasileira na 33rd Meeting of ISO TC 98, Reston, VA, EUA 16-20 de novembro de 2015. Representante brasileira da ABNT junto ao grupo de trabalho ISO/TC 98/SC 2/WG 12.

Vínculo institucional

2008 - Atual
Vínculo: Expert brasileira - ISO TC 71, Enquadramento Funcional: Expert brasileira junto ao ISO TC 71
Outras informações
Expert brasileira junto ao ISO TC 71 - Concrete, Reinforced Concrete and Pre-stressed Concrete, instituição máxima da normalização internacional no referido setor, com sede em Genebra, Suiça. Chefe da delegação brasileira nas reuniões de Cairo (Egito, 2009), Cartagena (Colômbia, 2010), Hong Kong (China, 2011), San José (Costa Rica, 2012), Sydney (Austrália, 2014), Seul (Coréia do Sul, 2015), Cartagena (Colômbia, 2016), Sapporo (Japão, 2017) e Moscou (Rússia, 2018).

Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Avaliadora ACI 318-2014, Enquadramento Funcional: Avaliadora ACI 318-2014, ISO TC 71/SC4
Outras informações
O ISO TC 71 é o comitê que avalia normas no setor de Concreto e Estruturas de Concreto, certificando-as (ou não) como normas de padrão internacional, a partir da ISO 19338:2014-Performance and assessment requirements for design standards on structural concrete. Estas avaliações são feitas por painéis de revisores (representantes de instituições normalizadoras "membros participantes" do ISO TC 71) indicados pelo subcomitê SC4. Os EUA solicitaram a participação do Brasil, via ABNT, e sob minha coordenação (no que tange à ABNT), para a avaliação da norma Building Code Requirements for Structural Concrete (ACI 318-14) and Commentary.

Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Avaliadora KCI 2012, Enquadramento Funcional: Avaliadora KCI 2012, ISO TC 71/SC4
Outras informações
O ISO TC 71 é o comitê que avalia normas no setor de Concreto e Estruturas de Concreto, certificando-as (ou não) como normas de padrão internacional, a partir da ISO 19338:2014-Performance and assessment requirements for design standards on structural concrete. Estas avaliações são feitas por painéis de revisores (representantes de instituições normalizadoras ?membros participantes? do ISO TC 71) indicados pelo subcomitê SC4. A Coréia do Sul solicitou a participação do Brasil, via ABNT, e sob minha coordenação (no que tange à ABNT), para a avaliação da norma KCI 2012.


Instituto Brasileiro do Concreto, IBRACON, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Representante do CTA junto ao CT 303
Outras informações
Representante do CTA junto ao Comitê IBRACON/ABECE Uso de Materiais não convencionais para Estruturas de Concreto, Fibras e Concreto Reforçado com Fibras (CT 303). O CT 303 tem como missão promover a integração dos diversos setores da utilização de materiais não convencionais para reforço de estruturas de concreto (reforço estrutural, armaduras não metálicas e concreto reforçado com fibras), visando a integração do setor de projetos e materiais; e como objetivos: 1.Desenvolver trabalhos técnicos visando auxiliar na Normalização Brasileira sobre os três temas (reforço estrutural, armaduras não metálicas e concreto reforçado com fibras); 2.Fortalecer a representação brasileira em trabalhos internacionais de normalização, especialmente no âmbito do ISO/TC71/SC6; 3.Elaboração de Práticas Recomendadas para serem publicadas pelo IBRACON e pela ABECE, visando promover uma constante atualização técnica dos profissionais da área de estruturas de concreto.

Vínculo institucional

2012 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Membro do Comitê Técnico de Atividades (CTA)


Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2017
Vínculo: Pesquisador nivel 2, Enquadramento Funcional: Pesquisador nivel 2
Outras informações
Bolsista Produtividade em Pesquisa, projeto "A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas III". Processo: 309034/2013-2 Modalidade/Nível: PQ-2 Edital/Chamada: Produtividade em Pesquisa - PQ - 2013 Instituição: Universidade Federal de Minas Gerais/UFMG-MG

Vínculo institucional

2011 - 2014
Vínculo: Pesquisador nivel 2, Enquadramento Funcional: Pesquisador nivel 2
Outras informações
Bolsista Produtividade em Pesquisa, projeto "A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas II"

Vínculo institucional

2008 - 2011
Vínculo: Pesquisador nível 2, Enquadramento Funcional: Pesquisador nível 2
Outras informações
Bolsista Produtividade em Pesquisa, projeto "A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas"

Vínculo institucional

2005 - 2008
Vínculo: Pesquisador nível 2, Enquadramento Funcional: Pesquisador nível 2
Outras informações
Bolsista de produtividade em pesquisa - "Avaliação da confiabilidade de pilares em concreto de alta resistência sujeitos a cargas de longa duração".


Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais, FAPEMIG, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2013
Vínculo: Pesquisador, Enquadramento Funcional: Programa do Pesquisador Mineiro V
Outras informações
Programa do pesquisador mineiro, versão V. Projeto "A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas II", Projeto TEC PPM-00193-11- PPM V. Recursos captados: R$ 48.000,00.

Vínculo institucional

2008 - 2010
Vínculo: Pesquisador, Enquadramento Funcional: Programa do pesquisador mineiro
Outras informações
Programa do pesquisador mineiro, versão II. Projeto "A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas", Projeto TEC 00250/08 - PPM II. Recursos captados: R$ 48.000,00.


International Association for Structural Safety and Reliability, IASSAR, Estados Unidos.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Scientific Committee member, Enquadramento Funcional: Scientific Committee member
Outras informações
Scientific Committee member, International Conference on Structural Safety and Reliability (ICOSSAR 2017), TU-Wien, Viena, Áustria.

Vínculo institucional

2013 - Atual
Vínculo: Membro de comitê tecnico, Enquadramento Funcional: Membro de comitê tecnico TC4: LIFE-CYCLE ...
Outras informações
Membro do comitê tecnico TC4: LIFE-CYCLE PERFORMANCE, COST AND OPTIMIZATION

Vínculo institucional

2011 - 2013
Vínculo: Scientific committee member, Enquadramento Funcional: Scientific Committee member
Outras informações
Scientific Committee member, International Conference on Structural Safety and Reliability (ICOSSAR 2013), Columbia University, New York, EUA.

Vínculo institucional

2007 - 2009
Vínculo: Scientific Committee member, Enquadramento Funcional: Scientific Committee member
Outras informações
Scientific Committee member, International Conference on Structural Safety and Reliability (ICOSSAR 2009), Osaka, Japão.


International Association for Life-Cycle Civil Engineering, IALCCE, Itália.
Vínculo institucional

2006 - Atual
Vínculo: Membro, Enquadramento Funcional: Colaboradora
Outras informações
Membro do IALCCE, tendo sido membro do Scientific Committee dos simpósios IALCCE'08 (Varenna, Itália), IALCCE'10 (Taipei, Taiwan), IALCCE'12 (Viena,Áustria), IALCCE'14 (Tóquio, Japão), IALCCE'16 (Delft, Holanda), IALCCE'18 (Ghent, Bélgica).


International Association for Bridge Maintenance and Safety, IABMAS, Estados Unidos.
Vínculo institucional

1999 - Atual
Vínculo: Membro, Enquadramento Funcional: Membro
Outras informações
Membro do IABMAS, tendo sido membro do Scientific Committee das conferências IABMAS'2010 (Philadelphia, EUA), IABMAS'2012 (Stresa, Itália), IABMAS'2014 (Shangai, China), IABMAS'2016 (Foz do Iguaçu, Brasil), IABMAS'2018 (Melbourne, Austrália).


Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - Atual
Vínculo: Participante externo, Enquadramento Funcional: Colaborador
Outras informações
Participante externo no Programa de Pos-Graduacao em Engenharia Civil da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Conceito 7 da Capes).


Escola de Engenharia Kennedy, KENNEDY, Brasil.
Vínculo institucional

1981 - 1987
Vínculo: Outro, Enquadramento Funcional: ProfessorAuxiliar, Carga horária: 12

Atividades

9/1981 - 3/1987
Ensino, Engenharia Civil, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Economia dos Transportes
Resistencia dos Materiais

Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais, BDMG, Brasil.
Vínculo institucional

1979 - 1979
Vínculo: Outro, Enquadramento Funcional: Estagiaria, Carga horária: 20

Atividades

1/1979 - 6/1979
Estágios , Setor Agro Industrial, .

Estágio realizado
Estudo de viabilidade tecnico-economico-financeira no setor agro-industrial.


Linhas de pesquisa


1.
Estruturas em Concreto Armado
2.
Confiabilidade Estrutural
3.
Metodos Numericos e Computacionais
4.
Normatizacao
5.
Concreto de alta resistencia
6.
Engenharia de vento
7.
High-strength concrete
8.
Structural Reliability
9.
Probabilistic Methods
10.
Performance-based design
11.
Reliability-Based, Database-Assisted Design for Wind Excited Structures


Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Avaliação da Confiabilidade de Seções de Vigas de Concreto Armado em Situação de Incêndio
Descrição: Normas e especificações atuais para o projeto de estruturas de concreto armado (CA) se baseiam no Método dos Estados Limites, ou seja, métodos semi-probabilísticos. Nas últimas décadas, muito tem sido desenvolvido em termos da avaliação da confiabilidade de componentes estruturais em CA tais como lajes, vigas e pilares com vistas a subsidiar a calibração de fatores parciais nos métodos semi-probabilísticos. Por outro lado são praticamente inexistentes os estudos destinados à verificação da confiabilidade de tais componentes estruturais em situação de incêndio. Devido à natureza imprevisível dos incêndios e às várias incertezas pertinentes ao problema (propriedades mecânicas dos materiais a temperaturas elevadas, dimensões, modelos matemáticos empregados, etc.), a confiabilidade de estruturas de CA em situação de incêndio deve ser investigada. Esta pesquisa tem como objetivo apresentar o arcabouço para a análise de confiabilidade de estruturas de CA em situação de incêndio, compreendendo os conceitos, métodos, descrição probabilística das variáveis pertinentes e definição da função de desempenho correspondente. Como exemplo prático, a confiabilidade de vigas de CA em situação de incêndio será avaliada a partir de conceitos e métodos probabilísticos. A probabilidade de falha (e o correspondente índice de confiabilidade) de vigas de CA, como função da temperatura, é obtida através da simulação de Monte Carlo..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Túlio Antunes Pinto Coelho - Integrante.
Número de produções C, T & A: 3 / Número de orientações: 1
2017 - Atual
Confiabilidade de Pilares Existentes de Concreto Armado Sujeitos a Perda de Área da Armadura Longitudinal
Descrição: Nos dias atuais existe uma grande preocupação quanto à sustentabilidade, que é uma premissa básica para a utilização de forma racional dos recursos naturais existentes visando à minimização de impactos ambientais em decorrência da atividade humana. Das várias tecnologias construtivas conhecidas no Brasil, o concreto armado é a mais utilizada tanto para as construções formais quanto para as informais. O concreto, em si, é um dos maiores geradores de resíduos na construção civil. Assim, a avaliação da confiabilidade de estruturas existentes de concreto armado é de grande importância, visando gerar uma menor quantidade de resíduos, seja na recuperação, reforço ou demolição das mesmas, assim como na redução de custos. Na análise de estruturas existentes há que se considerar as distintas patologias que podem afetar a durabilidade das estruturas em concreto armado; no âmbito dos mecanismos causadores de degradação, a corrosão das armaduras é o principal agente causador de problemas estruturais ao longo da vida das edificações. Em função da formação dos produtos da corrosão, há perda de aço e, portanto, diminuição da área de seção transversal das barras das armaduras, com a consequente diminuição da capacidade resistente e dos níveis de segurança dos elementos estruturais. Adicionalmente, a análise de estruturas existentes demanda uma abordagem distinta da análise de estruturas novas, uma vez que várias das incertezas presentes no projeto de estruturas novas passam a ser conhecidas após a conclusão da obra. Mais ainda, a presença de tais incertezas demanda que seja dado ao problema um tratamento via métodos probabilísticos. Pelo exposto, a pesquisa aqui proposta tem como objetivo avaliar os níveis de confiabilidade associados a pilares curtos, existentes, de concreto armado, sujeitos a carga axial, com perda de área da seção transversal da armadura longitudinal. Para tal serão consideradas não apenas tais perdas, mas também a resistência à compressão do concreto no pilar em análise e a influência da idade na resistência à compressão do concreto. A requerida consideração das incertezas presentes no problema em questão será feita via Simulação de Monte Carlo. Os efeitos de distintos parâmetros nos níveis de confiabilidade obtidos serão analisados..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Luíza Cardoso Ribas e Castro - Integrante.Número de orientações: 1
2016 - Atual
Confiabilidade de Pilares Curtos em Concreto Armado Confinados por PRF sob Carregamento Excêntrico
Descrição: Uma aplicação importante dos compósitos é como material de confinamento do concreto na recuperação de pilares de concreto armado (CA) existentes. O confinamento do concreto através do revestimento com PRF atua limitando a expansão lateral do concreto. No caso do reforço de colunas existentes em CA via confinamento com PRF, foi reconhecido que é o comportamento combinado dos materiais confinantes (PRF e aço transversal) e aço longitudinal que devem ser avaliados. Como resultado, uma distinção deve ser feita entre colunas confinadas com PRF e colunas CA-PRF (com aço transversal e longitudinal). Tem sido largamente reconhecido que os mecanismos de confinamento em secções transversais circulares e quadradas (ou retangulares) apresentam diferenças significativas. No caso de secções transversais circulares, o confinamento por envolvimento contínuo de PRF introduz uma pressão lateral uniforme, permitindo assim um aumento considerável na capacidade portante da coluna e na ductilidade (se for fornecido confinamento adequado). Para seções transversais quadradas (ou retangulares), o confinamento via PRF é menos eficaz devido à presença de regiões não confinadas longe dos cantos. O confinamento do concreto é mais eficiente na ausência de um gradiente de deformação na secção transversal da coluna, isto é, no caso de colunas com carga centrada. Consequentemente, a maior parte da literatura sobre colunas CA-PRF foi dedicada a essa condição. Por outro lado, as colunas reais são submetidas a carregamento excêntrico, exigindo, portanto, um melhor conhecimento sobre o tópico de colunas CA-PRF com carga excêntrica. No Brasil ainda não existem normas especificas para a elaboração de projetos de reforço estrutural e poucos são os estudos que tratam o assunto. Esta carência pode ser entendida pela recente aplicação dos PRF?s no meio técnico e científico da construção civil, pela heterogeneidade dos materiais envolvidos e pelo vulto do trabalho requerido no desenvolvimento de normas técnicas (estudos experimentais, desenvolvimento e validação de modelos analíticos, descrição estatística das variáveis pertinentes ao problema, harmonização com as demais normas do setor, calibração de normas no formato semi-probabilístico)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Peterson de Araújo Quadros - Integrante.
Número de produções C, T & A: 3 / Número de orientações: 1
2015 - Atual
Avaliação Probabilística das Flechas de Vigas de Concreto Armadas com Plástico Reforçado por Fibras (PRF)
Descrição: Devido às diferenças entre as propriedades mecânicas do aço e do PRF, a confiabilidade das vigas de CA-PRF deve ser avaliada. Como a maioria das variáveis envolvidas no projeto (propriedades mecânicas do concreto e PRF, características geométricas, erro do modelo, cargas, etc) são aleatórias, métodos probabilísticos são necessários para avaliar a segurança e condições de utilização desses elementos estruturais. Enquanto um volume razoável de conhecimento tem sido desenvolvido em relação à confiabilidade de vigas de CA-PRF em relação a estados limites últimos (ACI 440 2006, Ribeiro e Diniz 2013, Shield et al. 2011), o mesmo não é verdade para os estados limites de utilização de vigas de CA-PRF. Ademais, muitos problemas de projeto são controlados pelos estados limites últimos, no entanto, um número crescente de problemas da construção civil são controlados pelos estados limites de utilização, entre eles vigas de CA-PRF. Estados limites de utilização relacionados a flechas máximas e fissuração, usualmente controlam o projeto de vigas de CA-PRF. Uma vez que o PRF é caracterizado por elevados valores de resistência e menor módulo de Young em relação ao aço, isso implica que o projeto de estruturas de CA-PRF será controlado quase que exclusivamente pelo estado limite de utilização..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Sidnea Eliane Campos Ribeiro - Integrante / Elayne Marques Silva - Integrante.
Número de produções C, T & A: 9 / Número de orientações: 1
2015 - Atual
Avaliação Probabilística da Vida Útil de Estruturas de Concreto Armado Sujeitas à Carbonatação
Descrição: Diante dos requisitos da sustentabilidade no ambiente construído, a previsão da vida útil das estruturas de concreto armado (CA) é um assunto de grande relevância. Dentre os mecanismos de degradação das estruturas de CA, a carbonatação é uma das principais causas da deterioração das armaduras. A despeito desta importância, a durabilidade das estruturas de CA é tratada em normas técnicas, como a NBR 6118:2014 e o ACI 318-14 a partir de procedimentos prescritivos, ou seja, especificando a relação água/cimento, a espessura do cobrimento, dentre outros, como função das condições ambientais em que a estrutura está inserida. Diversos fatores influenciam no mecanismo da carbonatação estando relacionados aos materiais (relação água/cimento, tipo de cimento, aditivos, cura e compactação) e às condições ambientais (concentração de CO2 na atmosfera, teor de umidade, temperatura e fator de proteção da chuva). Dadas as incertezas associadas a estes parâmetros, a vida útil de uma estrutura de CA submetida aos efeitos da carbonatação só pode ser estabelecida em termos probabilísticos. A simulação de Monte Carlo (SMC), que é um processo de replicação do mundo real através de métodos computacionais, tem sido utilizada na previsão de vida útil de estruturas de CA (Lorensini e Diniz, 2006). Para o problema específico das estruturas sujeitas à carbonatação, são requeridos para a sua implementação as equações determinísticas que definem a profundidade da carbonatação e a descrição estatística das variáveis intervenientes no processo. Com isso, os objetivos deste trabalho são: (i) discutir os modelos existentes para o cálculo da profundidade de carbonatação; (ii) descrever estatisticamente as variáveis intervenientes, (iii) determinar probabilisticamente a vida útil da estrutura..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Rafael Aredes Couto - Integrante.
Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 1
2015 - Atual
Avaliação da Confiabilidade de Estruturas Existentes: Influência da Resistência à Compressão do Concreto
Descrição: Um dos grandes problemas enfrentados pelos engenheiros de estruturas na atualidade é a tomada de decisão quanto ao desempenho de estruturas existentes com vistas à sua adequação ao uso proposto, rehabilitação ou mesmo demolição. O conservadorismo durante o projeto de novas estruturas implica em apenas uma pequena penalidade em termos de custos para a estrutura. Entretanto, conservadorismo no critério de aceitação para a estrutura existente pode ter um grande impacto resultando em reparos de alto custo, prejuízos à atividade comercial, demolições etc. Assim, uma questão de extrema importância é a definição de critérios para a avaliação da segurança de estruturas existentes. O problema básico da Confiabilidade Estrutural é o de garantir que a resistência será superior ao carregamento (ou efeito do carregamento) ao longo da vida útil da estrutura. Devido à presença de incertezas na determinação da resistência e do carregamento, a confiabilidade pode ser estabelecida apenas em termos probabilísticos. Para as estruturas reais este é um problema bastante complexo, e como em todo problema complexo, um balizamento é necessário, o qual é feito através de normas e especificações técnicas. As normas técnicas para novas estruturas lidam com incertezas associadas ao projeto e construção; por outro lado, muito do que era inicialmente incerto, deixa de sê-lo depois da obra concluída. Entretanto, a determinação dos valores assumidos pelas diversas variáveis que afetam o desempenho das estruturas existentes pode não ser uma tarefa simples. Por exemplo, a determinação da resistência à compressão do concreto na estrutura apresenta as suas dificuldades e incertezas específicas. Desta maneira, o problema da avaliação da segurança de estruturas existentes é bastante distinto daquele relativo ao projeto de novas estruturas. Embora distintos métodos existam e possam ser utilizados, a consistência com o desenvolvimento de normas técnicas atuais sugere que regras para a avaliação de estruturas existentes devem se basear em uma mesma filosofia. Isto significa que tais métodos devem ser consistentes com o formato dos fatores parciais ou o método probabilístico. Neste contexto, uma importante questão é a definição do índice de confiabilidade objetivo a ser utilizado no processo de calibração. Este trabalho apresenta uma contribuição à definição do índice de confiabilidade objetivo para estruturas existentes a partir da avaliação dos índices de confiabilidade resultantes para distintos cenários associados à efetiva resistência à compressão do concreto e incertezas associadas à determinação desta resistência..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Billiy Lukusa Badimuena - Integrante.
Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 1
2014 - 2017
A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas (III)
Descrição: Os últimos anos têm assistido a uma evolução constante das normas técnicas no sentido de se dar um melhor tratamento às incertezas presentes no projeto estrutural. Neste aspecto, a coordenadora deste projeto tem contribuído fortemente para o setor através de suas pesquisas realizadas na área da Confiabilidade Estrutural e a Evolução de Normas Técnicas, assim como frente às mais importantes instituições nacionais e internacionais no setor da normalização (ou que dão suporte a este setor). Dentre estas instituições estão, por exemplo, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o Instituto Brasileiro do Concreto (IBRACON), a International Standardization Organization (ISO), o American Concrete Institute (ACI) e a American Society of Civil Engineers (ASCE). ?A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas (III)? dá continuidade à utilização de métodos probabilísticos no desenvolvimento de normas técnicas pertinentes a problemas de relevância no âmbito da engenharia mineira, nacional e internacional. Esta proposta continua portanto na mesma linha dos projetos anteriores ?A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas (II)? (2011-2014) e ?A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas? (2008-2011), agora com ênfase para os seguintes temas: (i) Requisitos de durabilidade no projeto de estruturas de concreto armado - uma visão geral das normas técnicas, diretrizes e especificações atuais; (ii) Avaliação probabilística da resistência de pilares em concreto armado confinados por PRF; e (iii) Avaliação probabilística das flechas de vigas em concreto armado com PRF..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Sidnea Eliane Campos Ribeiro - Integrante / Juscelina Rosiane Ferreira - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 20 / Número de orientações: 12
2014 - Atual
Confiabilidade de Pilares Curtos em Concreto de Alta Resistência Dimensionados Segundo a NBR 6118:2014
Descrição: Estudos realizados em diversos países demonstram a viabilidade econômica do uso do concreto de alta resistência (CAR) em pilares de pavimentos inferiores de construções altas, pontes e estruturas especiais. A NBR6118:2007 que tinha sua aplicação limitada a concretos com resistência característica até 50 MPa incorporou ao seu escopo na versão NBR 6118:2014 concretos com resistência característica entre 50 e 90 MPa, alinhando-se a normas internacionais. Esta modificação na norma brasileira de projeto de estruturas de concreto visa atender a disponibilidade e utilização de concretos de resistências superiores aos limites anteriormente estabelecidos, o que já vem ocorrendo em território nacional. Dada a sua crescente utilização, tipo de falha e importância para a integridade estrutural, a avaliação da segurança de pilares em concreto de alta resistência é assunto da maior relevância. No caso de pilares, vários parâmetros envolvidos no projeto estrutural são incertos (resistência à compressão do concreto, dimensões da seção transversal, cargas atuantes etc.). Desta maneira, a segurança estrutural pode ser definida apenas em termos probabilísticos. Visando a simplificação do processo de cálculo, as normas de projeto têm como objetivo manter de forma implícita o nível de confiabilidade prescrito através dos fatores parciais utilizados no método dos estados limites. Neste trabalho, os níveis de confiabilidade implícitos no projeto de pilares curtos, projetados segundo as recomendações da NBR 6118:2014, para o Estado Limite Último, serão avaliados. A influência de diversos parâmetros (resistência característica à compressão, taxa de armadura longitudinal e razão do carregamento) nos níveis de confiabilidade será estudada. Esses níveis serão comparados aos valores disponibilizados na literatura..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Raphael Nonato Cabana Vieira - Integrante.
Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 1
2014 - Atual
Avaliação Probabilística da Resistência de Pilares Esbeltos em Concreto Armado Projetados segundo a NBR 6118:2014

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Jose Marcio Fonseca Calixto em 03/03/2015.
Descrição: A NBR 6118:2014 apresenta métodos aproximados de determinação dos efeitos locais de segunda ordem em pilares submetidos à flexão composta reta que levam em conta os dois tipos de não-linearidade de maneira aproximada. Nesta pesquisa, serão considerados pilares que atingiram a ruptura devido à falha do material. O cálculo dos efeitos locais de segunda ordem será efetuado pelos dois métodos aproximados mais utilizados: o Método do Pilar-Padrão com Curvatura Aproximada e o Método do Pilar-Padrão com Rigidez k Aproximada. este trabalho tem como objetivos: - estudar e analisar os principais métodos aproximados de obtenção dos efeitos de 2ª ordem em pilares sujeitos à flexão composta reta; - compilar um banco de dados relativo a resultados experimentais, disponíveis na literatura, de ensaios de pilares esbeltos em concreto armado sujeitos à flexão composta reta; - obter as estatísticas da variável aleatória ?erro do modelo? (Melchers 1999), que representa a razão resultado experimental/ resultado teórico, para cada modelo de cálculo. As estatísticas da variável aleatória ?erro do modelo? são informação requerida na avaliação dos níveis de confiabilidade implícitos no projeto de pilares esbeltos em concreto armado conforme estes métodos. Tais estatísticas devem ser obtidas de forma consistente com a função de desempenho definida para o pilar esbelto. A função de desempenho utilizada segue as orientações apresentadas em Diniz e Frangopol (1997)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Integrante / Jose Marcio Calixto - Coordenador / Erika Marinho Meireles Leitão - Integrante.
Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 1
2011 - 2014
A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas (II)
Descrição: Este projeto dá continuidade à utilização de métodos probabilísticos no desenvolvimento de normas técnicas pertinentes a problemas de relevância no âmbito da engenharia nacional e internacional. Esta proposta continua portanto na mesma linha do projeto ?A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas? apoiada pelo CNPq no período 2008-2011, que tem tratado de vários problemas de interesse, a saber: 1. Calibração de Fatores Parciais para Reforço Estrutural em PRF via Métodos de Confiabilidade; 2. Avaliação da confiabilidade de vigas em concreto armado com PRF; 3. Avaliação da confiabilidade de fundações de torres de linhas de transmissão; 4. Avaliação Probabilística da Corrosão por Cloretos em Estruturas de Concreto Armado: Fase de Propagação; 5. Avaliação da Confiabilidade de Sistemas Estruturais com Perfis de Alma Corrugada Senoidal e Proposta para Análise e Dimensionamento; 6. A Confiabilidade Estrutural e a Evolução de Normas Técnicas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (3) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Jose Marcio Calixto - Integrante / Rodrigues, Francisco Carlos - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.Número de orientações: 4
2011 - Atual
Avaliação Probabilística da Resistência de Pilares em Concreto Armado Confinados por PRF
Descrição: Dadas as facilidades de aplicação e potencial para recuperação, tanto em termos de aumento da capacidade de carga quanto da ductilidade, a recuperação de pilares em concreto armado via confinamento por PRF vem sendo largamente utilizada. Assim, o projeto de reforço em PRF de pilares em CA demanda uma metodologia que reflita as características particulares do PRF acopladas a uma modelagem adequada dos mecanismos envolvidos no confinamento. Vários modelos para o confinamento de pilares através de estribos ou espirais em aço já foram desenvolvidos (Diniz, 1997; Diniz e Frangopol, 1997). Embora a utilização de PRF como reforço estrutural para pilares possa apresentar grandes promessas em termos técnicos e econômicos, as características particulares destes materiais, com comportamento elástico-linear têm conduzido a novos desafios em relação à modelagem adequada dos mecanismos envolvidos no confinamento e a consequente avaliação da capacidade de carga e da ductilidade destes componentes estruturais. Dado que a maioria das variáveis envolvidas no projeto de recuperação estrutural de pilares (propriedades mecânicas, características geométricas, cargas, etc.) são aleatórias, a avaliação da resistência e da ductilidade destes pilares, requisitos básicos para a calibração de normas técnicas, deve ser feita a partir de uma metodologia probabilística, isto é, métodos de Confiabilidade Estrutural (Ang and Tang 1984, Melchers 1999) devem ser empregados. Este é, portanto, o objeto principal do projeto de pesquisa proposto..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Juscelina Rosiane Ferreira - Integrante.
Número de produções C, T & A: 11 / Número de orientações: 1
2010 - Atual
Avaliação Probabilística da Resistência à Compressão de Perfis de Aço Formados a Frio
Descrição: Os perfis de aço formados a frio vêm sendo adotados amplamente em construções metálicas no Brasil. A sua intensa utilização se deve à diversidade de possibilidades do seu emprego como produto final no mercado, proporcionado pela grande variabilidade nas formas de suas seções transversais. No caso de projetos de estruturas metálicas, outra vantagem é a possibilidade da composição de novas seções a partir da união de dois ou mais perfis. A despeito das vantagens oferecidas pelos elementos estruturais constituídos por perfis de aço formados a frio, o projeto destes elementos ainda apresenta desafios ao desenvolvimento da normalização pertinente a este setor. Para o cálculo da resistência dos perfis formados a frio submetidos à compressão axial, um dos principais focos deste trabalho, deve-se prever os modos locais e globais de flambagem, e também a possível interação entre estes. Dentre os modos locais destacam-se a flambagem local e a distorção; para os modos globais tem-se a flambagem por flexão, torção e flexo-torção. Dentro do esforço hoje existente de calibração e harmonização de normas técnicas, é de vital importância o conhecimento dos níveis de confiabilidade implícitos nas distintas metodologias de projeto sugeridas. Neste particular, destaque deve ser dado à incorporação na análise das variáveis de caráter epistemológico, ou seja, aquelas associadas ao ?erro do modelo? e erros amostrais. Dentro deste contexto, o presente trabalho tem como objetivos principais: ─ compilar dados experimentais existentes na literatura de tal maneira a formar um banco de dados relativos à resistência à compressão axial de perfis de aço formados a frio; ─ analisar as principais alterações ocorridas, referentes ao cálculo da resistência à compressão axial dos perfis de aço formados a frio, na recente revisão da norma ABNT NBR 14762; ─ desenvolver um estudo estatístico do erro do modelo associado ao cálculo da resistência à compressão axial de perfis de aço.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Rodrigues, Francisco Carlos - Integrante.Número de orientações: 1
2008 - 2011
A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas
Descrição: O problema básico da Confiabilidade Estrutural é o de garantir que a resistência R será superior ao carregamento (ou efeito do carregamento) ao longo da vida útil da estrutura. Devido à presença de incertezas na determinação da resistência e do carregamento, a confiabilidade pode ser estabelecida apenas em termos probabilísticos, ou seja, em termos da probabilidade P(R > S). Para as estruturas reais este é um problema bastante complexo, e como em todo problema complexo, um balizamento é necessário, o qual é feito através de normas e especificações técnicas. Dada a grande variedade de idealizações nos modelos de avaliação de confiabilidade de estruturas incorporados nas normas técnicas, torna-se adequado dispor de uma classificação. Os métodos de confiabilidade estrutural podem ser divididos em níveis, a saber: (i) nível 0, métodos que usam o formato das tensões admissíveis; (ii) nível 1, ou Método dos Estados Limites; (iii) nível 2, ou Método do Índice de Confiabilidade; (iv) nível 3, ou Método da Probabilidade de Falha; e (v) nível 4, ou Método da Minimização dos Custos Envolvidos ao Longo da Vida Útil. Os últimos anos têm assistido a uma evolução constante das normas técnicas no sentido de se dar um melhor tratamento às incertezas presentes no projeto estrutural. Normas e especificações atuais se baseiam no Método dos Estados Limites, ou seja métodos do nível 1 (projeto semi-probabilístico). Enquanto que seria mais adequado projetar uma estrutura (ou componente estrutural) para uma determinada probabilidade de falha, - ou para um custo ótimo ao longo da vida útil -, o grande apego ao projeto semi-probabilístico se deve à sua simplicidade e à incorporação de forma implícita de conceitos probabilísticos. Entretanto, o desenvolvimento sem precedentes da capacidade computacional, o desenvolvimento da tecnologia de sensores, a disponibilidade crescente de dados sobre a variabilidade das propriedades mecânicas de materiais e carregamentos, o uso de novos materiais, o.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) Doutorado: (4) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Outra.
Número de produções C, T & A: 3 / Número de orientações: 4
2008 - Atual
Projeto Semi-Probabilístico de Vigas em Concreto Armado Sujeitas ao Cisalhamento
Descrição: O esforço cortante nas vigas de concreto armado tem sido objeto de intensa pesquisa em várias partes do mundo. Entretanto, ainda existe falta de consenso entre os vários modelos propostos para o dimensionamento prescritos pelas normas em vigor, com diferenças significativas. Em estudo anterior, Ribeiro (2005) gerou um banco de dados com resultados experimentais de 522 vigas de concreto armado e comparou esses resultados experimentais aos calculados segundo os critérios da NBR 6118 (2003), ACI 318 (2005) e EUROCODE 2 (2004). Dentre outras conclusões, Ribeiro (2005) observou a falta de consenso existente nos critérios de dimensionamento, a necessidade de ajustes na parcela relativa aos mecanismos complementares ao da treliça, Vc, existente nos critérios da norma brasileira e que o efeito de escala é significativo no dimensionamento nas vigas com e sem estribos. O efeito de escala se destaca, mesmo com o pequeno número de vigas com altura útil maior que 60 cm disponível no banco de dados formado. Diante do exposto, o objetivo deste trabalho é desenvolver: (i) pesquisa bibliográfica para atualização do número de vigas com altura maior que 60 cm existente no banco de dados de Ribeiro (2005); (ii) estudo comparativo entre os resultados obtidos segundo os critérios da NBR 6118 (2003), EUROCODE 2 (2004), ACI 318 (2008), CSA A23.3 (2003) e ZSUTTY (1971); (iii) fator de correção para o critério de dimensionamento do esforço cortante das vigas de concreto armado NBR 6118 (2003), de forma a incluir o efeito de escala; (iv) análise da confiabilidade das vigas projetadas pelos critérios em análise e do critério proposto..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Integrante / Jose Marcio Calixto - Coordenador / Adriana Bicalho Ribeiro - Integrante.Número de orientações: 1
2007 - 2011
Avaliação Probabilística da Corrosão por Cloretos em Estruturas de Concreto Armado: Fase de Propagação
Descrição: Para atingir o objetivo de prolongar a vida útil das estruturas de concreto armado, deve-se ter um bom conhecimento dos mecanismos de degradação, como também dos métodos construtivos, dos controles de qualidade e das propriedades dos materiais. Com esses conhecimentos, teoricamente é possível realizar a previsão da vida útil de estruturas de concreto armado submetidas a ataques de cloretos. Porém, diversos fatores devem ser levados em conta, dada a complexidade do assunto, como salientam Lorensini e Diniz (2006). Tutti (1982) apresenta o processo de deterioração por corrosão como composto por duas fases. A primeira foi denominada de iniciação, onde ocorre a gradual contaminação por cloretos ou queda de pH, resultando na destruição da camada passivadora do aço. Visto que os danos, nesta fase, são muito limitados, a maioria dos estudos que vêm sendo realizados se concentram na mesma. Já a segunda fase, propagação, compreende o período de tempo após a despassivação, na qual se aceleram as correntes de corrosão e se acumulam os danos, comprometendo a vida útil da estrutura. O modelo de Tutti se tornou uma referência mundial e se constituiu na base teórica de várias pesquisas relativas ao campo da durabilidade e vida útil de estruturas, tanto envolvendo processos de corrosão como outros fenômenos agressivos. Quando o processo de corrosão atinge o período de propagação, é mais provável que se tenham que aplicar técnicas de reparo que demandam intervenção na estrutura. Dependendo do estágio do processo, pode ser necessária a substituição da armadura e/ou a aplicação de reforços, atividades que normalmente acarretam um elevado investimento financeiro, razão pela qual é fundamental entender como se desenvolve a deterioração e como evoluem os danos, de forma a subsidiar a formulação de modelos que permitam determinar quando é necessário intervir. Dada a importância dos danos que se manifestam na fase de propagação, a carência de maiores informações sobre a velocidade e imp.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Integrante / Luiz Carlos Pinto da Silva Filho - Coordenador / Ariela da Silva Torres - Integrante.
2007 - Atual
Avaliação da confiabilidade de torres de linhas de transmissão
Descrição: Nos dias atuais um grande enfoque vem sendo dado à confiabilidade de linhas de transmissão (e de seus componentes) sob um ponto de vista probabilístico (veja-se por exemplo a conferência patrocinada pela ASCE ELECTRICAL TRANSMISSION CONFERENCE: STRUCTURAL RELIABILITY in a Changing World, 15-19 outubro, 2006, Birmmingham, AL, EUA). O estudo desenvolvido em Azevedo (2007) lança as bases para uma pesquisa mais abrangente da confiabilidade de torres em linhas de transmissão..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Crysthian Bernardes Purcino Azevedo - Integrante.Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.
2006 - 2015
Avaliação da Confiabilidade de Sistemas Estruturais com Perfis de Alma Corrugada Senoidal e Proposta para Análise e Dimensionamento
Descrição: Este trabalho de pesquisa tem como objetivo geral propor uma metodologia de cálculo e dimensionamento de perfis de alma senoidal relativo aos estados limites de flambagem lateral com torção (FLT), flambagem lateral com distorção (FLD) e flambagem local da mesa (FLM) e uma metodologia de cálculo e dimensionamento de vigas mistas, biapoiadas e semicontínuas. São abordados também aspectos relacionados aos efeitos localizados específicos desses perfis. São realizados ensaios experimentais e simulações numéricas buscando ampliar e obter, quando não disponíveis na literatura técnica, as informações necessárias para se atingir o objetivo deste trabalho. Os objetivos específicos consistem em: ─ Propor modelos de cálculo para se determinar o momento resistente característico dos perfis de alma senoidal com relação aos estados limites FLT, FLD e FLM; ─ Propor modelos de cálculo para se determinar a resistência característica de vigas mistas com perfis de alma senoidal, biapoiadas e semicontínuas, na região de momento positivo, considerando inclusive sua capacidade de rotação e as possíveis interferências entre os conectores de cisalhamento e a alma senoidal; ─ Determinar a resistência da ligação proposta, puramente metálica (fase antes da cura) e mista, considerando os diversos fatores que a influenciam, tais como, dimensões da chapa, da solda e dos parafusos de ligação, quantidade, dimensões e disposição da armadura, quantidade e disposição dos conectores de cisalhamento, considerando inclusive sua capacidade de rotação; ─ Propor modelos de cálculo para se determinar a resistência característica de vigas mistas semicontínuas com perfis de alma senoidal na região de momento negativo; ─ Descrever estatisticamente as variáveis básicas envolvidas no problema em questão; ─ Avaliar os níveis de segurança implícitos nas metodologias propostas via métodos probabilísticos do nível 3; ─ Calibrar os coeficientes de ponderação das resistê.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Integrante / Gilson Queiroz - Coordenador / Roberval José Pimenta - Integrante.
Número de produções C, T & A: 12
2005 - 2007
Avaliação da Confiabilidade de Fundações de Torres Estaiadas em Linhas de Transmissão
Descrição: O crescimento econômico de um país depende da oferta de energia a custos competitivos e suprimento garantido. Destaca-se ainda a importância da utilização de recursos renováveis com as devidas precauções na preservação do meio ambiente focando sempre o desenvolvimento sustentável. O Brasil possui alto potencial hidroelétrico; entretanto, verifica-se o aumento da distância dos pontos de geração aos centros consumidores daí acarretando grande importância à transmissão da energia. A transmissão de energia deve ser feita, portanto, dentro dos preceitos da economia e confiabilidade. Falhas em qualquer componente desta etapa serão prejudiciais ao sistema como um todo. Na grande maioria das linhas de transmissão (onde não existam restrições ambientais e de topografia), a incidência de torres estaiadas é bem maior do que as autoportantes. Isto é devido ao menor peso e conseqüentemente menores custos das torres estaiadas. Tais torres apresentam um ou dois mastros (com fundações sujeitas à flexo-compressão) e quatro estais (com fundações tracionadas). Desta maneira, a grande maioria das fundações de uma linha de transmissão é de estais. Dada a complexidade da interação solo-estai-mastro, tem sido reconhecido que o comportamento de tais fundações demandam estudos mais aprofundados. Neste trabalho a confiabilidade de sistemas é utilizada para a definição da probabilidade de falha da fundação de torres estaiadas. A avaliação da confiabilidade das fundações de uma torre estaiada envolve o sub-sistema estai e o sistema fundação. Existem dois modos de falha para cada estai: (1) deslocamentos máximos excessivos, e (2) deslocamentos residuais excessivos. Resultados experimentais servem como base para a definição de modelos probabilísticos para descrever deslocamentos máximos e deslocamentos residuais. Probabilidades de falha são calculadas para cada modo de falha e daí para o sub-sistema estai. Estas informações são então utilizadas para a avaliação da probabilidade de falha do s.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Crysthian Bernardes Purcino Azevedo - Integrante.Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 4 / Número de orientações: 1
2004 - 2006
Avaliação Probabilística da Deterioração de Estruturas em Concreto Armado
Descrição: O ataque por íons cloreto é uma das formas mais agressivas de deterioração das estruturas em concreto armado. Diante da grande variabilidade de fatores e das incertezas envolvidas neste processo, uma modelagem probabilística deve ser adotada na descrição do processo de corrosão da armadura. Nesta pesquisa, a simulação de Monte Carlo é utilizada na descrição probabilística da vida útil de serviço. Para tal são estudados: (i) os modelos matemáticos de caráter determinístico que representam as várias etapas da deterioração de estruturas de concreto armado pelo ataque de íons cloreto, e (ii) a descrição estatística das variáveis básicas pertinentes ao processo da corrosão. Os resultados obtidos incluem o modelamento estocástico do tempo de iniciação da corrosão e também do aparecimento de fissuras. Adicionalmente, uma análise de sensibilidade também é desenvolvida para a identificação dos parâmetros mais significativos no processo e também da adequação da descrição estatística das variáveis básicas assumidas no modelamento..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Rodrigo Vitali Lorensini - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 6 / Número de orientações: 1
2004 - 2006
Avaliação da Confiabilidade de Pilares Curtos Projetados segundo a NBR 6118-2003
Descrição: Estudos realizados em diversos países demonstram a viabilidade econômica do uso do concreto de alta resistência (CAR) em pilares de pavimentos inferiores de construções altas, assim como nas de médio porte. Dentre as principais vantagens do uso do CAR tem-se a maior capacidade de carregamento, menores dimensões das peças, peso próprio reduzido, maior rigidez lateral e menor encurtamento axial. Se por um lado existem vantagens na utilização do CAR em pilares, por outro lado existem preocupações. Devido a diferenças nas propriedades mecânicas, o CAR em muitos aspectos apresenta comportamento diferente do concreto de resistência normal, como diagrama tensão-deformação mais linear e íngreme nos trechos ascendente e descendente, menor micro-fissuração, maior módulo de elasticidade, maior resistência à tração, menor fluência e decréscimo de ductilidade. Várias normas técnicas já se ajustaram a esta nova realidade, como por exemplo a CSA A23.3, o ACI 318 e a NZS 3101, dentre outras. No caso brasileiro, a despeito da recente revisão da NBR 6118:2003, esta norma tem os concretos de classe C50 como limite de aplicação. Entretanto, a utilização de concretos de resistência superiores a este limite já vem sendo feita com sucesso em território nacional e a inexistência de documentos normativos que atendam a esta nova realidade representa um empecilho para a utilização segura e econômica deste material. Dada a sua crescente utilização, tipo de falha e importância para a integridade estrutural, a avaliação da segurança de pilares em concreto de alta resistência é assunto da maior relevância. No caso de pilares, vários parâmetros envolvidos no projeto estrutural são incertos (resistência à compressão do concreto, resistência ao escoamento do aço, dimensões da seção transversal, cargas atuantes etc.). Desta maneira, a segurança estrutural pode ser definida apenas em termos probabilísticos. Visando a simplificação do processo de cálculo, as normas de projeto mantém de forma implíc.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Henrique Alves Tartaglia Nogueira - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 3 / Número de orientações: 1
2003 - 2009
Avaliação da confiabilidade de estruturas em concreto armado com plástico reforçado por fibras
Descrição: O uso do concreto armado está bem estabelecido na prática atual de projeto e construção de estruturas. Embora vários materiais tenham sido utilizados ao longo da história como possíveis reforços para o concreto, o material que mais se destaca é o aço. Recentemente, o uso de plástico reforçado por fibras (PRF) tem ganhado uma crescente aceitação como reforço estrutural para o concreto. Este fato é facilmente compreensível na medida em que este material não apresenta os problemas de durabilidade associados à corrosão das armaduras de aço. Embora a utilização de PRF como reforço estrutural possa apresentar grandes promessas em termos de durabilidade, as características particulares deste material têm conduzido a novos desafios em relação ao projeto de componentes estruturais em concreto armado com PRF (CA-PRF). O PRF é um material compósito constituído por (1) fibras utilizadas como reforço (fibras de vidro, aramida ou carbono) e (2) matriz constituída por polímero. As propriedades mecânicas dos PRF?s podem variar significativamente de um produto para outro dependendo da natureza das fibras, das resinas, das características geométricas e do processo de fabricação deste material. Adicionalmente, as propriedades mecânicas e o modo de falha dos PRF?s diferem significativamente daqueles do aço. Em relação a aços para concreto armado de tensão de escoamento de aproximadamente 420 MPa, a resistência à tração e o módulo de elasticidade para o PRF reforçado com fibras de vidro (PRF-V) são o dobro e um quinto, respectivamente. Quanto ao modo de falha, ao contrário do comportamento dúctil do aço, o PRF-V apresenta um comportamento elasto-frágil. Pelo exposto, pode-se concluir que o projeto de estruturas em CA-PRF demanda uma metodologia que reflita as características particulares deste tipo de armadura. Embora a pesquisa na área de CA-PRF possa ser considerada como relativamente recente, uma primeira geração de recomendações para projeto já foi desenvolvida. Entretanto estas.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Sidnea Eliane Campos Ribeiro - Integrante.
Número de produções C, T & A: 2
2002 - 2004
Avaliação da ductilidade de pilares em concreto de alta resistência
Descrição: O concreto de alta resistência (CAR) tem sido um grande desenvolvimento para a indústria do concreto. O melhor desempenho deste material em relação a custos, durabilidade e habilidade em termos de satisfazer a demandas arquitetônicas, têm feito do CAR o material preferido no caso de pilares de prédios altos. A despeito do considerável conhecimento obtido nos últimos anos sobre o comportamento deste material, a pouca deformabilidade do CAR tem levado a sérias preocupações sobre a utilização deste material nos casos em que uma maior ductilidade seja requerida. Comportamento frágil do material não se traduz necessariamente em comportamento estrutural frágil. É fato geralmente aceito que para uma dada taxa e espaçamento da armadura transversal, o confinamento via espirais circulares é mais eficiente do que aquele via estribos. Entretanto, o uso de estribos persiste dadas as vantagens em termos de projeto, detalhamento e fabricação. No caso de pilares em CAR várias pesquisas têm demonstrado que o confinamento é menos eficiente para este material do que no caso de concreto de resistência normal. Ademais, o mecanismo do confinamento por estribos apresenta uma complexidade razoável, o que somado à variabilidade inerente dos parâmetros que afetam a ductilidade do pilar implicam numa grande dispersão das estimativas da ductilidade. A eficiência do confinamento por estribos para o concreto de alta resistência (CAR), assim como a adequabilidade das normas de projeto em vigor ainda são temas controversos. Nesta pesquisa a ductilidade de pilares em CAR é analisada via simulação de Monte Carlo. Dois modelos de confinamento são analisados: o modelo de Razvi & Saatcioglu e o modelo de Fafitis & Shah modificado. A influência de diversos parâmetros que influenciam a ductilidade (resistência à compressão do concreto, taxa de armadura longitudinal, taxa de armadura transversal, tensão de escoamento do aço, configuração dos estribos, nível de carga axial) são avaliados..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
1999 - 2001
Comportamento estrutural de pilares curtos em concreto de alta resistencia
Descrição: O concreto de alta resistência (CAR) tem encontrado uma utilização crescente nos últimos vinte e cinco anos, e, em particular no caso de pilares de edificios altos. A despeito das grandes vantagens apresentadas por este material, tanto a resistência quanto a ductilidade de pilares em CAR têm sido alvo de preocupações no que concerne à segurança destes elementos estruturais. Entretanto, é fato bastante conhecido que tal comportamento pode ser melhorado a partir da utilização de armadura transversal de confinamento, tanto na forma de espirais ou estribos. Por outro lado, vários estudos têm demonstrado uma menor eficiência da armadura de confinamento no caso de pilares em CAR. Neste estudo, a análise do comportamento estrutural de pilares em CAR é apresentada. É mostrado que o problema crucial na modelagem do comportamento estrutural de pilares em CAR é a descrição do diagrama tensão-deformação do CAR confinado. Os resultados obtidos a partir de dois modelos de confinamento, - o modelo de Fafitis e Shah modificado (Diniz e Frangopol, 1997) e o modelo de Razvi e Saatcioglu (Razvi e Saatcioglu, 1999)-, são apresentados. Os resultados gerados via simulação numérica são validados a partir da comparação com resultados experimentais representando distintas geometrias da seção transversal, taxas de armadura transversal e longitudinal, arranjo da armadura transversal, tensão de escoamento da armadura transversal e resistência à compressão do concreto..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Regina Celia Maciel Franca - Integrante.
Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 1
1999 - 2001
Avaliação da Segurança de Estruturas em Concreto Armado Projetadas Segundo a NBR6118
Descrição: O processo de globalização da economia tem colocado inúmeros desafios em diversos aspectos. No que tange aos aspectos técnicos, especial atenção tem sido dedicada à normatização dos critérios para projeto de estruturas. Entretanto, uma maior uniformização dos critérios utilizados é de difícil implementação, sendo necessário o estabelecimento de parâmetros que permitam a comparação da performance de diversas estruturas projetadas segundo distintos critérios. Neste estudo é mostrado que tais parâmetros podem ser obtidos através dos chamados ?Métodos de Análise da Confiabilidade Estrutural?. Como exemplo, a avaliação da segurança de vigas em concreto armado projetadas segundo a NBR6118 é apresentada. Dois estados limites são considerados: a flexão e o cisalhamento. Para tal, foram requeridos o conhecimento das estatísticas das variáveis básicas de projeto e a definição de uma função de desempenho para cada estado limite considerado. A partir destas informações, o índice de confiabilidade (ou a correspondente probabilidade de falha) foi calculado para cada uma das vigas analisadas. A influência de parâmetros tais como resistência à compressão do concreto, taxa de armadura longitudinal, taxa de armadura transversal e razão do carregamento (razão peso morto/ sobrecarga) no correspondente índice de confiabilidade é analisada. Importantes resultados são obtidos para a avaliação da performance da NBR6118 dentro do contexto da normatização em termos mundiais..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Elizeth Rodrigues MAchado - Integrante / Marcilio Sousa Rocha Freitas - Integrante.
Número de produções C, T & A: 2 / Número de orientações: 1
1998 - 2008
Avaliação da confiabilidade de pilares em concreto de alta resistência sujeitos a cargas de longa duração
Descrição: Existem várias diferenças entre as propriedades mecânicas do CAR e do concreto tradicional. Maior linearidade do diagrama tensão-deformação, menor micro-fissuração, módulo de elasticidade mais elevado, maior resistência à tração, menor fluência e reduzida ductilidade são algumas das propriedades do CAR. Adicionalmente, no caso de pilares em concreto armado, uma parcela considerável do carregamento atuante deverá agir ao longo de toda a vida útil da estrutura, e é fato bastante conhecido que a resistência do concreto sujeito a cargas de longa duração é inferior àquela medida em testes de curta duração. Nos últimos anos, um volume considerável de pesquisas tem sido dedicado ao estudo do comportamento mecânico e estrutural do CAR. Entretanto, a resistência do material no pilar, o comportamento frágil do CAR, os efeitos de segunda ordem nas colunas esbeltas em CAR, os efeitos de longo prazo (fluência, retração, carregamento de longa duração, etc) nas colunas em CAR e a adequação das normas de projeto em vigor ainda são temas controversos. Devido à crescente utilização, tipo de falha e importância para a integridade estrutural, a confiabilidade dos pilares em CAR sujeitos a cargas de longa duração é tópico de grande relevância. Entretanto, a quase totalidade das sugestões propostas para projeto de estruturas em CAR têm sido feitas a partir de um ponto de vista determinístico. Uma vez que vários parâmetros envolvidos no projeto de pilares são aleatórios, nesta pesquisa a confiabilidade de pilares em CAR é avaliada a partir da utilização de Métodos de Confiabilidade..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


1989 - 1990
Pesquisa Tensões residuais - técnicas de medição e influência na estabilidade de colunas em perfis soldados e laminados a quente, financiada pela Siderbrás.
Descrição: Pesquisa enconmendada pela Siderbras para estudo das tensões residuais - técnicas de medição e influência na estabilidade de colunas em perfis soldados e laminados a quente..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.


Projetos de desenvolvimento


2001 - 2005
Reliability-Based, Database-Assisted Design for Wind
Descrição: Esta pesquisa visa o desenvolvimento de uma nova geração de normas técnicas para o projeto de estruturas sujeitas a cargas de vento. Para tal estão sendo implementadas as ferramentas conceituais e computacionais para o projeto de estruturas sujeitas a cargas de vento a partir dos métodos da confiabilidade estrutural (métodos probabilísticos). Os procedimentos envolvidos no Reliability-Based, Database-Assisted Design of Wind-Excited Structures incorporam incertezas inerentes, epistêmicas e de amostragem na estimação dos coeficientes de pressão assim como no modelamento da velocidade do vento..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.


Outros Projetos


2016 - 2016
Participação coletiva em eventos técnicos-científicos (processo FAPEMIG Nº PCE-00698-16)
Descrição: Projeto para participação coletiva no 58 Congresso Brasileiro do Concreto, 58 CBC, realizado em Belo Horizonte, 11/10/2016 a 14/11/2016. Financiamento de R$ 13.156,66..
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (8) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Sofia Maria Carrato Diniz - Coordenador / Ayrton Hugo de Andrade e Santos - Integrante / Elizabeth Vieira Maia - Integrante.
Número de produções C, T & A: 7


Membro de corpo editorial


2018 - Atual
Periódico: Structure and Infrastructure Engineering
2012 - 2014
Periódico: ICE Civil Engineering
2011 - Atual
Periódico: Structural Engineer - Journal of the Macedonian Association of Structural E


Revisor de periódico


2007 - Atual
Periódico: Structure and Infrastructure Engineering: Maintenance, Management, Life-Cyc
2007 - Atual
Periódico: Revista IBRACON de Estruturas
2008 - Atual
Periódico: Engineering Structures
1999 - Atual
Periódico: ACI Structural Journal
2008 - Atual
Periódico: ACI Materials Journal
2001 - Atual
Periódico: Journal of Structural Engineering (ASCE)
2010 - Atual
Periódico: Journal of Civil Engineering (Korean Society of Civil Engineers - KSCE)
2012 - Atual
Periódico: Journal of Composite Materials
2014 - Atual
Periódico: Structural Safety
2014 - Atual
Periódico: Probabilistic Engineering Mechanics
2015 - Atual
Periódico: ASCE-ASME Journal of Risk and Uncertainty in Engineering Systems, Part A: C


Áreas de atuação


1.
Grande área: Engenharias / Área: Engenharia Civil / Subárea: Estruturas/Especialidade: Confiabilidade Estrutural.
2.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Probabilidade e Estatística / Subárea: Probabilidade e Estatística Aplicadas/Especialidade: Metodos Probabilisticos na Engenharia Civil.
3.
Grande área: Engenharias / Área: Engenharia de Materiais e Metalúrgica / Subárea: Novos Materiais/Especialidade: Concreto de Alta Resistencia.
4.
Grande área: Engenharias / Área: Engenharia Civil / Subárea: Estruturas/Especialidade: Estruturas de Concreto.
5.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Ciência da Computação / Subárea: Metodos Computacionais/Especialidade: Metodos Computacionais na Engenharia Civil.
6.
Grande área: Engenharias / Área: Engenharia Civil / Subárea: Engenharia de Vento.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.
Francês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Italiano
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Pouco, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2018
Auxílio para participação na 24th Plenary Meeting ISO TC 71, Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete, Moscou, Rússia, International Standardization Organization (ISO), Genebra, Suiça.
2018
Chefe da delegação brasileira, 24th ISO TC71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete Plenary Meeting, Moscou, Rússia, ABNT - ISO (International Standardization Organization).
2017
Auxílio para participação na 23rd Plenary Meeting ISO TC 71, Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete, Sapporo, Japão, International Standardization Organization (ISO), Genebra, Suiça.
2017
Auxílio para participação na 12th International Conference on Structural Safety & Reliability, Viena, Processo 452055/2017-2, CNPq.
2017
Chefe da delegação brasileira, 23rd ISO TC71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete Plenary Meeting, Sapporo, Japão, ABNT - ISO (International Standardization Organization).
2017
Chair do Task Group 1 - Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty, Structural Engineering Institute - American Society of Civil Engineers (SEI-ASCE).
2016
Auxílio para participação na 8th International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management, FAPEMIG, Processo PEP-00211-16, FAPEMIG.
2016
Chefe da delegação brasileira, 22nd ISO TC71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete Plenary Meeting, Cartagena de Índias, Colômbia, ABNT - ISO (International Standardization Organization).
2016
Prêmio Francisco de Assis Basílio - Destaque do ano em Engenharia da região do evento, Instituto Brasileiro do Concreto (IBRACON).
2016
Aprovada na promoção para Professora Titular da EE-UFMG, Escola de Engenharia da UFMG.
2016
Auxílio para participação no Fifth International Symposium on Life -Cycle Civil Engineering, IALCCE2016, FAPEMIG, Processo PEE 01482-16, outubro 2016, FAPEMIG.
2016
Membro do Task Group 2 on Reliability-based Structural System Performance Indicators, SEI Technical Activities Division, Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability.
2015
Auxílio para participação na conferência Multi-Span Large Bridges, CAPES, Processo no. 4604-15-6, julho 2015, CAPES.
2015
Auxílio para participação na 21th Plenary Meeting ISO TC 71, Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete, Seul, Coréia do Sul, International Standardization Organization (ISO), Genebra, Suiça.
2015
Chefe da delegação brasileira, 21st ISO TC71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete Plenary Meeting, Seul, Coréia do Sul, ABNT - ISO (International Standardization Organization).
2015
Auxílio para participação no SEI/ASCE Workshop on Life-Cycle of Civil Structure and Infrastructure Systems, Task Group 1 do Technical Council on Life-Cycle Performance, Structural Engineering Institute/ASCE.
2015
Outstanding Contribution in Reviewing, Engineering Structures, Elsevier, Amsterdã, Holanda.
2014
Chefe da delegação brasileira, 20th ISO TC71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete Plenary Meeting, Sydney, Austrália, ABNT - ISO.
2014
Membro da delegação brasileira - 32nd Meeting of ISO TC 98 - Bases for Design of Structures, ABNT - ISO (International Standardization Organization).
2013
Membro do TC4: LIFE-CYCLE PERFORMANCE, COST AND OPTIMIZATION da International Association for Structural Safety and Reliability (IASSAR), International Association for Structural Safety and Reliability (IASSAR).
2013
Prêmio Fernando Luiz Lobo Barbosa Carneiro: Destaque do ano em Pesquisa em Concreto Estrutural, Instituto Brasileiro do Concreto (IBRACON).
2013
Auxílio para participação no 55o. Congresso Brasileiro do Concreto, FAPEMIG, processo PEP 00778-2013, FAPEMIG.
2012
Auxílio para participacão na IABMAS'2012, Stresa, Itália, CNPq, processo No. 451902/2012-2.
2012
Chefe da delegação brasileira, 19th ISO TC71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete Plenary Meeting, San José, Costa Rica, ISO - ABNT.
2011
Chefe da delegação brasileira para o 18th Plenary Meeting ISO TC 71, ABNT/ ISO TC 71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete, Hong Kong, ABNT / ISO.
2011
Auxilio para participacao no ICASP11, Zurich, CAPES, processo AEX (1996/11-8).
2011
Projeto aprovado, Edital Programa do Pesquisador Mineiro PPM V, FAPEMIG.
2011
Secretary do Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Structural Engineering Institute (SEI-ASCE), Structural Engineering Institute - American Society of Civil Engineers.
2010
Chefe da delegação brasileira, 17th ISO TC71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete Plenary Meeting, Cartagena, Colombia, ISO - ABNT.
2010
Auxilio para participacao na IABMAS'10, Philadelphia, EUA, CNPq, Processo 451425/2010-3.
2010
Auxilio para participacão no IALCCE2010, Taipei, Taiwan, FAPEMIG, Processo PEE-00906-10.
2010
Aprovada em segundo lugar (média 94,0/100), concurso p/ Professor Titular, DEEs-UFMG (05/2010), DEEs-UFMG.
2009
Chefe da delegação brasileira, 16th ISO TC71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete Plenary Meeting, Cairo Egito, ISO-ABNT.
2009
Membro do Fellows Nomination Committee, American Concrete Institute.
2008
Auxilio para participacao na IABMAS'08, Seoul, Coréia do Sul., CAPES, Processo: AEX 0904/08-2.
2008
Membro da delegacao brasileira para o 15th Plenary Meeting ISO TC 71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete, ABNT/ ISO TC 71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete.
2008
Projeto aprovado, Edital Programa do Pesquisador Mineiro PPM II, FAPEMIG.
2008
"Fellow" do American Concrete Institute, American Concrete Institute, ACI.
2007
Membro do "Marketing Committee" do American Concrete Institute, American Concrete Institute (ACI).
2007
Membro da "International Association for Life-Cycle Civil Engineering" (IALCCE), "International Association for Life-Cycle Civil Engineering" (IALCCE).
2007
Auxílio concedido pelo CNPq (Processo 450818/2007-1) para participação no ?CMNE/CILAMCE 2007 ? realizado em Porto/PORTUGAL, CNPq.
2007
Membro da delegacao brasileira para o 14th Plenary Meeting ISO TC 71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete, ABNT/ ISO TC 71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete.
2006
Primeiro lugar para o poster ?Avaliação Probabilística da Deterioração de Estruturas em Concreto Armado Causada pela Ação de Cloretos?, Lorensini, R.V. e Diniz, S.M.C., VI Simposio EPUSP de Estruturas de Concreto.
2006
Aprovada em segundo lugar no concurso para professor titular, Departamento de Engenharia de Estruturas da UFMG, media geral: 92,6/ 100,0, UFMG.
2006
Membro do comite "Chester Paul Siess Award for Excellence in Structural Research", American Concrete Institute (ACI).
2006
Auxílio concedido pela FAPEMIG (Processo TEC 2032/06) para participação no ?IABMAS'06, THE THIRD INTERNATIONAL CONFERENCE ON BRIDGE MAINTENANCE, SAFETY AND MANAGEMENT? realizado em Porto/PORTUGAL, FAPEMIG.
2005
Auxílio para participação na ?10th Americas Conference on Wind Engineering (10 ACWE), Baton Rouge, LA, EUA, National Institute of Standards and Technology (NIST).
2004
Chairman do Comitê ACI 348 (Structural Safety), American Concrete Institute (ACI).
2004
Auxílio para participação na ?2004 ASCE Specialty Conference on Probabilistic Mechanics and Structural Reliability?, Albuquerque, EUA, National Institute of Standards and Technology (NIST).
2003
Chairman do Comitê 'Safety of Buildings?, Structural Engineering Institute-American Society of Civil Engineers.
2003
Auxílio para participação na ?2nd MIT Conference on Computational Fluid and Solid Mechanics?, Cambridge, MA, EUA, National Institute of Standards and Technology (NIST).
2003
Auxílio para participação no ?10th Symposium of the Macedonian Association of Structural Engineers?, Ohrid, Macedonia, Macedonian Association of Structural Engineering (MASE), República da Macedônia.
2003
Membro do comite "Technical Activities Committee (TAC) Structural Safety and Reliability", Structural Engineering Institute (SEI), American Society of Civil Engineers (ASCE), SEI-ASCE.
2002
Auxílio para participação na reunião do comitê 348 ?Structural Safety? do ?American Concrete Institute? (ACI), Detroit, Michigan, EUA, National Institute of Standards and Technology (NIST).
2002
Auxílio para participação na ?15th ASCE Engineering Mechanics Conference?, Columbia University, New York, National Institute of Standards and Technology (NIST).
2002
Auxílio para participação no ?Third U.S.-Japan Workshop on Wind Engineering?, Seattle, WA, EUA, National Institute National Institute of Standards and Technology (NIStandards and Technology (NIST).
2002
Auxílio para participação no ?Computational Stochastic Mechanics- CSM-4?, Corfu, Grécia, National Institute of Standards and Technology (NIST).
2002
Auxílio para participação no ?6th International Symposium on the Utilization of High Strength/High Performance Concrete?, Leipzig, Alemanha, National Institute of Standards and Technology (NIST).
2001
Secretária do Comitê 'Safety of Buildings?, Structural Engineering Institute-American Society of Civil Engineers.
2001
Secretária do Comitê ACI 348 (Structural Safety), American Concrete Institute (ACI).
2001
?Voting member? do Comitê ACI 348 (Structural Safety), American Concrete Institute (ACI).
2001
Auxílio para participação no ?ICOSSAR'01?, Newport Beach, California, Estados Unidos, National Institute of Standards and Technology (NIST).
2001
Auxílio para participação na ?International Conference High Performance Materials in Bridges and Buildings?, Kona, Hawaii, EUA, National Institute of Standards and Technology (NIST).
2001
Auxílio para participação na reunião do ?ASCE Wind Load Task Committee?, Houston, Texas, EUA, National Institute of Standards and Technology (NIST).
2000
?Charter member? do Structural Engineering Institute (SEI) da American Society of Civil Engineers (ASCE), Structural Engineering Institute (SEI) da American Society of Civil Engineers (ASCE).
2000
Chefe da delegação brasileira, 17th ISO TC71 Plenary Meeting, Cartagena, Colombia, ISO/ABNT.
1999
Visiting Scholar, Musashi Institute of Technology, Tóquio, Japão, Musashi Institute of Technology.
1999
Auxílio para participação na ?American Concrete Institute 1999 Spring Convention - Theme: High-Performance Concrete?, Chicago, Estados Unidos, FAPEMIG.
1998
Membro do subcomitê 5, System Identification and Structural Control, International Association for Structural Safety and Reliability (IASSAR).
1997
?Member? (M.ASCE), American Society of Civil Engineers (ASCE).
1997
Auxílio para participação na ?International Conference on High-Strength Concrete?, Hawaii, Estados Unidos, CNPq.
1997
Auxílio para participação no evento ?7th International Conference on Structural Safety and Reliability (ICOSSAR 97)?, Kyoto, Japão, CAPES.
1996
Auxílio para participação na ?4th Materials Engineering Conference: Materials for the New Millennium?, Washington, DC, Estados Unidos, Fapemig.
1984
Segundo lugar na seleção de candidatos ao mestrado em Ciências e Técnicas Nucleares, Departamento de Engenharia Nuclear, UFMG.
1984
Primeiro lugar no curso de nivelamento para candidatos selecionados para o mestrado em Ciências e Técnicas Nucleares, Departamento de Engenharia Nuclear, UFMG.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

SCOPUS
Total de trabalhos:14
Total de citações:189
Diniz, SMC  Data: 04/10/2018

Outras
Total de trabalhos:13
Total de citações:199
Diniz, SMC  Data: 22/09/2018

Artigos completos publicados em periódicos

1.
FERREIRA, JUSCELINA R.2017FERREIRA, JUSCELINA R. ; Diniz, Sofia M. C. . Model uncertainty in the estimation of the resistance of circular reinforced concrete columns confined by carbon fiber reinforced polymer. Structure and Infrastructure Engineering, v. 14, p. 68-88, 2017.

2.
Ribeiro, A.B.2016Ribeiro, A.B. ; CALIXTO, J.M.F. ; Diniz, S.M.C. . Assessment of epistemic uncertainties in the shear strength of slender reinforced concrete beams. Engineering Structures, v. 116, p. 140-147, 2016.

3.
GHOSN, M.2016GHOSN, M. ; FRANGOPOL, D. M. ; MCALLISTER, T. P. ; SHAH, M. ; DINIZ, S. M. C. ; ELLINGWOOD, B. R. ; MANUEL, L. ; BIONDINI, F. ; CATBAS, N. ; STRAUSS, A. ; ZHAO, X. L. . Reliability-Based Performance Indicators for Structural Members. Journal of Structural Engineering (New York, N.Y.), v. 142, p. F4016002, 2016.

4.
Pimenta, R.J.2015Pimenta, R.J. ; QUEIROZ, G. ; Diniz, S.M.C. . Reliability-based design recommendations for sinusoidal-web beams subjected to lateral-torsional buckling. Engineering Structures, v. 84, p. 195-206, 2015.

5.
RIBEIRO, S. E. C.2013 RIBEIRO, S. E. C. ; Diniz, S.M.C. . Reliability-based design recommendations for FRP-reinforced concrete beams. Engineering Structures, v. 52, p. 273-283, 2013.

6.
DINIZ, S. M. C.2013DINIZ, S. M. C.. E a Primavera da UFMG? A Luta por Direitos na Progressão na Carreira de Magistério Superior. Caminhos (UFMG), v. 30, p. 22-35, 2013.

7.
Pimenta, R.J.2012Pimenta, R.J. ; Diniz, S.M.C. ; QUEIROZ, G. ; Fakury, R.H. ; Galvão, A. ; Rodrigues, F.C. . Reliability-based design recommendations for composite corrugated-web beams. Probabilistic Engineering Mechanics, v. 28, p. 185-193, 2012.

8.
Paliga, C.M.2011Paliga, C.M. ; Campos Filho, A. ; Real, M.V. ; Diniz, Sofia M. C. . Métodos de análise de confiabilidade aplicados a vigas de concreto armado recuperadas com PRFC. Teoria e Prática na Engenharia Civil (Online), v. 17, p. 57-66, 2011.

9.
DINIZ, S. M. C.2010DINIZ, S. M. C.. Structural Reliability: Rational Tools for Design Code Development. Engenharia Estudo e Pesquisa, v. 10, p. 68-74, 2010.

10.
RIBEIRO, S. E. C.2010RIBEIRO, S. E. C. ; Diniz, S.M.C. . Análise de Confiabilidade de Vigas de Concreto Armado com Plástico Reforçado por Fibras. Mecánica Computacional, v. XXIX, p. 6809-6826, 2010.

11.
PIMENTA, R. J.2009PIMENTA, R. J. ; Gonzaga, L.G.M. ; QUEIROZ, G. ; DINIZ, S. M. C. . Avaliação da segurança de vigas de alma senoidal sujeitas à flambagem lateral com torção - parte 1: requisitos básicos. Rem: Revista Escola de Minas, v. 62, p. 215-220, 2009.

12.
PIMENTA, R. J.2009PIMENTA, R. J. ; Gonzaga, L.G.M. ; QUEIROZ, G. ; DINIZ, S. M. C. . Avaliação da segurança de vigas de alma senoidal sujeitas à flambagem lateral com torção - Parte 2: análise de confiabilidade. REM. Revista Escola de Minas (Impresso), v. 62, p. 221-225, 2009.

13.
DINIZ, S. M. C.;Diniz, Sofia M. C.;Diniz, Sofia;Diniz, S.M.C.2005 DINIZ, S. M. C.; SIMIU, Emil . Probabilistic Descriptions of Wind Effects and Wind-Load Factors for Database-Assisted Design. Journal of Structural Engineering (ASCE), Estados Unidos, v. 131, n.3, p. 507-516, 2005.

14.
Hanzlik, Petr2005Hanzlik, Petr ; Diniz, Sofia ; Grazini, Andrea ; Grigoriu, Mircea ; SIMIU, Emil . Building Orientation and Wind Effects Estimation. Journal of Engineering Mechanics (ASCE), Estados Unidos, v. 131, n.3, p. 254-258, 2005.

15.
Sadek, Fahim2004Sadek, Fahim ; Diniz, Sofia ; Kasperski, Michael ; Gioffre?, Massimiliano ; SIMIU, Emil . Sampling Errors in the Estimation of Peak Wind-Induced Internal Forces in Low-Rise Structures. Journal of Engineering Mechanics (ASCE), EUA, v. 130, n.2, p. 235-239, 2004.

16.
Diniz, Sofia M. C.2004Diniz, Sofia M. C.; SADEK, F. ; SIMIU, Emil . Wind speed estimation uncertainties: effects of climatological and micrometeorological parameters. Probabilistic Engineering Mechanics, v. 19, n.4, p. 361-371, 2004.

17.
Diniz, Sofia M. C.2003Diniz, Sofia M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Safety evaluation of slender high-strength concrete columns under sustained loads. Computers & Structures, v. 81, n.14, p. 1475-1486, 2003.

18.
SIMIU, E2003SIMIU, E ; SADEK, F. ; WHALEN, T. ; JANG, S. ; LU, L. ; Diniz, Sofia M. C. ; GRAZINI, A. ; RILEY, Michael . Achieving safer and more economical buildings through database-assisted, reliability-based design for wind. Journal of Wind Engineering and Industrial Aerodynamics, v. 91, n.12-15, p. 1587-1611, 2003.

19.
Diniz, Sofia M. C.1998Diniz, Sofia M. C.; Frangopol, Dan M. . Reliability Assessment of High-Strength Concrete Columns. Journal of Engineering Mechanics, Estados Unidos, v. 124, n.5, p. 529-536, 1998.

20.
DINIZ, S. M. C.;Diniz, Sofia M. C.;Diniz, Sofia;Diniz, S.M.C.1998DINIZ, S. M. C.. Discussion on Axial Load Behavior of Large-Scale Spirally Reinforced High-Strength Concrete Columns. Aci Structural Journal, Estados Unidos, v. 95, n.4, p. 456-457, 1998.

21.
Diniz, Sofia M. C.1997 Diniz, Sofia M. C.; Frangopol, Dan M. . Strength and Ductility Simulation of High-Strength Concrete Columns. Journal of Structural Engineering (ASCE), Estados Unidos, v. 123, n.10, p. 1365-1374, 1997.

22.
Diniz, Sofia M. C.1997 Diniz, Sofia M. C.; Frangopol, Dan M. . Reliability Bases for High-Strength Concrete Columns. Journal of Structural Engineering (ASCE), Estados Unidos, v. 123, n.10, p. 1375-1381, 1997.

Capítulos de livros publicados
1.
Ferreira, J.R. ; Diniz, S.M.C. . Reliability analysis of circular RC columns confined by CFRP. In: Túlio N. Bittencourt, Dan M. Frangopol, André T. Beck. (Org.). Maintenance, Monitoring, Safety, Risk and Resilience of Bridges and Bridge Networks. 1ed.Londres: CRC Press/ Balkema, 2016, v. 1, p. 413-420.

2.
Diniz, S.M.C.. Samarco: dos dias de glória ao banco dos réus. In: Ângela Carrato; Dalmir Francisco. (Org.). Mídia, Docência e Cidadania. 1ed.Belo Horizonte: Fino Traço, 2016, v. , p. 99-117.

3.
DINIZ, S. M. C.. Reliability Evaluation of FRP Reinforced Beams. In: Deodatis, G. ; Spanos, P.D.. (Org.). Computational Stochastic Mechanics. Rotterdam: Millpress, 2007, v. , p. 215-225.

4.
DINIZ, S. M. C.; SADEK, F. ; SIMIU, Emil . Wind Speed Estimation Uncertainties: Effects of Climatological and Micrometeorological Parameters. In: P.D. Spanos; G. Deodatis. (Org.). Computational Stochastic Mechanics. Rotterdam: Millpress, 2003, v. , p. 169-178.

5.
DINIZ, S. M. C.; SIMIU, Emil . Probabilistic Descriptions of Wind Effects for Database-Assisted Design. In: Klaus_Jurgen Bathe. (Org.). Computational Fluid and Solid Mechanics. Kidlington: Elsevier Science, 2003, v. 2, p. 2261-2264.

6.
DINIZ, S. M. C.; SIMIU, Emil . Database-Assisted Design, Structural Reliability, and Safety Margins for Building Codes. In: Franco Bontempi. (Org.). System-Based Vision for Strategic and Creative Design. Rotterdam: Balkema, 2003, v. 3, p. 2353-2358.

7.
DINIZ, S. M. C.. Modeling the Long-Term Strength of Slender HSC Columns under Sustained Loads. In: Azizinamini, A., Yakel, A., and Abdelrahman, M.. (Org.). High Performance Materials in Bridges. Reston: American Society of Civil Engineers, 2003, v. , p. 329-338.

8.
DINIZ, S. M. C.. Structural Reliability Considerations on HSC Columns under Sustained Loads. In: Tome Trombev. (Org.). Proceedings of the 10th Symposium of the Macedonian Association of Structural Engineers. Bitola, Macedonia: Macedonian Association of Structural Engineers, 2003, v. 1, p. 151-162.

9.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Modeling Uncertainties in HSC Columns According to Reliability-Based Design Philosophy. In: ACI Committee 343; ACI Committee 213; ACI Committee 236; ACI Committee 343; ACI Committee 348. (Org.). High Performance Concrete: research to Practice. Farmington Hills: American Concrete Institute, 2000, v. , p. 431-449.

10.
DINIZ, S. M. C.. Probabilistic Assessment of the Strength of Tied HSC Columns. In: P.D. Spanos. (Org.). Computational Stochastic Mechanics. Rotterdam: Balkema, 1999, v. , p. 567-574.

11.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Strength, Ductility, and Reliability of High-Strength Concrete Columns. In: A. Azizinamini; D. Darwin; C. French. (Org.). High-Strength Concrete. Washington: ASCE, 1999, v. , p. 187-200.

12.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Reliability Assessment of High-Stength Columns. In: N. Shiraishi; M. Shinozuka; Y.K.Wen. (Org.). Structural Safety and Reliability. Rotterdam: Balkema, 1998, v. 1, p. 557-564.

13.
DINIZ, S. M. C.. Probabilistic Assessment of the Strength of Spirally Reinforced HSC Columns. In: P.C. Aitcin; Y. Delagrave. (Org.). High-Performance and Reactive Powder Concretes. Sherbrooke: Universite de Sherbrooke, 1998, v. 1, p. 191-210.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
BUENO, S. B. ; Diniz, S.M.C. ; BATTAGIN, I. . Norma Brasileira de Projeto de Estruturas de Concreto É Padrão Internacional. Concreto, São Paulo, p. 94 - 96, 01 jun. 2016.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
FERREIRA, J. R. ; QUADROS, P. A. ; Diniz, S.M.C. . Extending the life-cycle of reinforced concrete columns by FRP strengthening. In: Structures Congress 2018, 2018, Fort Worth. Bridges, Transportation Structures, and Nonbuilding Structures. New York: ASCE, 2018. v. 1. p. 252-260.

2.
BADIMUENA, B. L. ; Diniz, S.M.C. . Code development for existing structures: influence of concrete strength statistics. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON BRIDGE MAINTENANCE, SAFETY AND MANAGEMENT, 2018, Melbourne. Maintenance, Safety, Risk, Management and Life-Cycle Performance of Bridges. Leiden: CRC Press/Balkema, 2018. p. 1153-1160.

3.
SILVA, E. M. ; RIBEIRO, S. E. C. ; Diniz, S.M.C. . Probabilistic Assessment of Serviceability of FRP-Reinforced Concrete Beams. In: International Conference on Structural Safety and Reliability, 2017, Viena. Proceedings of ICOSSAR 2017. Viena: TU Verlag, 2017.

4.
COELHO, T. A. P. ; Diniz, S.M.C. . Estudo da Confiabilidade de Lajes de Concreto Armado em Situação de Incêndio via Simulação de Monte Carlo. In: XXXVIII Ibero-Latin American Congress on Computational Methods in Engineering, 2017, Florianópolis. CILAMCE 2017, 2017.

5.
COELHO, T. A. P. ; Diniz, S.M.C. . Avaliação da confiabilidade de lajes de concreto armado em situação de incêndio. In: 59 Congresso Brasileiro do Concreto, 2017, Bento Gonçalves. Anais do 59o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2017.

6.
Líbero, H.S. ; MAGALHAES, M. C. ; Diniz, S.M.C. . INFLUÊNCIA DA FREQUÊNCIA NA PERCEPÇÃO SUBJETIVA DE RUÍDOS DE IMPACTO EM EDIFICAÇÕES. In: XII Simpósio de Mecânica Computacional, 2016, Diamantina. Anais do XII Simpósio de Mecânica Computacional, 2016. v. 1. p. 30-37.

7.
LEITAO, E. M. M. ; CALIXTO, J. M. ; Diniz, S.M.C. . Estudo Comparativo de Métodos Aproximados para Análise do Efeito de Segunda Ordem em Pilares Esbeltos de Concreto Armado sob Flexão Composta Reta. In: IX Congresso Brasileiro de Pontes e Estruturas, 2016, Rio de Janeiro. Anais do IX Congresso Brasileiro de Pontes e Estruturas. Rio de Janeiro, 2016.

8.
SILVA, E. M. ; Diniz, S.M.C. ; RIBEIRO, S. E. C. . Avaliação Probabilística das Flechas de Vigas de Concreto Armado com Plástico Reforçado por Fibras. In: 58o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2016, Belo Horizonte. Anais do 58o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2016.

9.
COUTO, R. A. ; Diniz, S.M.C. . Descrição Probabilística da Frente de Carbonatação em Estruturas de Concreto Armado. In: 58o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2016, Belo Horizonte. Anais do 58o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2016.

10.
BADIMUENA, B. L. ; Diniz, S.M.C. . Avaliação da Confiabilidade de Estruturas Existentes: Influência da Resistência à Compressão do concreto. In: 58o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2016, Belo Horizonte. Anais do 58o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2016.

11.
Líbero, H.S. ; MAGALHAES, M. C. ; Diniz, S.M.C. . Análise In-situ do Isolamento Acústico de Piso de Concreto ao Ruído de Impacto. In: 58o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2016, Belo Horizonte. Anais do 58o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2016.

12.
VIEIRA, R. N. C. ; Diniz, S.M.C. . Confiabilidade de Pilares Curtos em Concreto de Alta Resistência: Avaliação Probabilística da Resistência. In: 58o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2016, Belo Horizonte. Anais do 58o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2016.

13.
Diniz, S.M.C.; PADGETT, J. ; BIONDINI, F. . Durability Design Criteria for Concrete Structures ? An Overview of Existing Codes, Guidelines and Specifications. In: Fifth International Symposium on Life -Cycle Civil Engineering, IALCCE2016, 2016, Delft, Holanda. Life-Cycle of Engineering Systems: Emphasis on Sustainable Civil Infrastructure, 2016.

14.
BADIMUENA, B. L. ; Diniz, S.M.C. . Avaliação da Confiabilidade de Estruturas Existentes: Simulação da Influência da Resistência à Compressão dos Testemunhos de Concreto. In: CILAMCE 2016, 2016, Brasília. Anais do CILAMCE 2016, 2016.

15.
VIEIRA, R. N. C. ; Diniz, S.M.C. . Confiabilidade de Pilares Curtos Dimensionados Segundo a Nbr 6118:2014 - Apresentação de um Programa Computacional. In: CILAMCE 2016, 2016, Brasília. Anais do CILAMCE 2016, 2016.

16.
SILVA, E. M. ; Diniz, S.M.C. ; RIBEIRO, S. E. C. . Deformabilidade de Vigas em Concreto Armado com PRF (Plástico Reforçado Por Fibras). In: Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais - CBECiMat, 2016, Natal, RN. Anais do Congresso Brasileiro de Engenharia e Ciência dos Materiais - CBECiMat, 2016.

17.
COUTO, R. A. ; Diniz, S.M.C. . Avaliação Probabilística da Vida Útil de Estruturas de Concreto Armado Sujeitas à Carbonatação. In: Congresso Brasileiro de Patologia das Construções - CBPAT2016, 2016, Belém. Congresso Brasileiro de Patologia das Construções - CBPAT2016, 2016. p. 695-705.

18.
FERREIRA, J. R. ; Diniz, S.M.C. . AVALIAÇÃO DAS INCERTEZAS EPISTÊMICAS NA RESISTÊNCIA DE PILARES EM CONCRETO ARMADO CONFINADOS POR PRF. In: 57 Congresso Brasileiro do Concreto, 2015, Bonito. Anais do 57 Congresso Brasileiro do Concreto, 2015.

19.
LEITAO, E. M. M. ; CALIXTO, J. M. ; Diniz, S.M.C. . PILARES ESBELTOS DE CONCRETO ARMADO SUBMETIDOS À FLEXÃO COMPOSTA RETA. In: 57 Congresso Brasileiro do Concreto, 2015, Bonito. Anais do 57 Congresso Brasileiro do Concreto, 2015.

20.
Sily, B.T.P. ; Francisco Carlos Rodrigues ; DINIZ, S. M. C. . Probabilistic Assessment of the Axial Strength of Cold Formed Steel Columns. In: 7th International Conference on Computational Stochastic Mechanics (CSM 7), 2015, Santorini. Computational Stochastic Mechanics (CSM 7). Singapore: Research Publishing Services, 2014. p. 59-68.

21.
FERREIRA, J. R. ; Diniz, S.M.C. . Assessment of epistemic uncertainties in the resistance of RC columns confined by CFRP. In: Multi-Span Large Bridges, 2015, Porto, Portugal. Multi-Span Large Bridges. Londres: CRC Press, 2015.

22.
FERREIRA, J. R. ; Diniz, S.M.C. . MODELOS DE CONFINAMENTO PARA PILARES REFORÇADOS POR PRF: UMA REVISÃO DA LITERATURA. In: 56o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2014, Natal. Anais do 56o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2014.

23.
Ribeiro, A.B. ; CALIXTO, J. M. ; Diniz, S.M.C. . Assessment of epistemic uncertainties in the shear strength of reinforced concrete beams. In: 11th International Conference on STRUCTURAL SAFETY AND RELIABILITY (ICOSSAR2013), 2013, New York. Safety, Reliability, Risk and Life-Cycle Performance of Structures and Infrastructures. Leiden: CRC Press/ Balkema, 2013.

24.
Ribeiro, A.B. ; CALIXTO, J. M. ; Diniz, S.M.C. . Projeto Semi-Probabilístico de Vigas de Concreto Armado com Modo de Falha por Cisalhamento. In: 55 Congresso Brasileiro do Concreto, 2013, Gramado. Ações Concretas para o Futuro da Construção em Concreto no Brasil. São Paulo: IBRACON, 2013.

25.
Ribeiro, A.B. ; CALIXTO, J. M. ; DINIZ, S. M. C. . DESIGN OF REINFORCED-CONCRETE BEAMS FOR SHEAR: MODEL SELECTION AND MODEL UNCERTAINTIES. In: 1st International Symposium on Uncertainty Quantification and Stochastic Modeling, 2012, Maresias. Uncertainties 2012, 2012.

26.
RIBEIRO, S. E. C. ; DINIZ, S. M. C. . Strength and Reliability of FRP-Reinforced Concrete Beams. In: 6th International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management, 2012, Stresa. Bridge Maintenance, Safety, Management, Resilience and Sustainability, 2012.

27.
AZEVEDO, C. B. P. ; Diniz, S.M.C. . Probabilistic description of foundation capacity for design of electrical transmission lines. In: 3rd International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering, 2012, Viena. Life-Cycle and Sustainability of Civil Infrastructure Systems. Leiden: CRC Press/ Balkema, 2012.

28.
Ribeiro, A.B. ; CALIXTO, J. M. ; Diniz, S.M.C. . Viés Estatístico na Identificação do Efeito de Tamanho em Vigas de. In: 54 Congresso Brasileiro do Concreto, 2012, Maceió. Anais do 54o. Congresso Brasileiro do Concreto. São Paulo: ART 2000 Gráfica Ltda, 2012.

29.
PIMENTA, R. J. ; DINIZ, S. M. C. ; QUEIROZ, G. ; Fakury, R.H. ; Alexander Galvao Martins ; Rodrigues, Francisco Carlos . Reliability-Based Design Recommendations for Composite Corrugated-Web Beams. In: 6th International Conference on Computational Stochastic Mechanics - CSM6, 2011, Rhodes. Proceedings of the 6th International Conference on Computational Stochastic Mechanics, 2010.

30.
RIBEIRO, S. E. C. ; DINIZ, S. M. C. . Reliability considerations for FRP-reinforced concrete beam design. In: 9th International Symposium on High Performance Concrete, 2011, Rotorua. Proceedings of the 9th International Symposium on High Performance Concrete, 2011.

31.
RIBEIRO, S. E. C. ; DINIZ, S. M. C. . Reliability-based design recommendations for FRP-reinforced concrete beams. In: ICASP11 - Applications of Statistics and Probability in Civil Engineering, 2011, Zurich. Applications of Statistics and Probability in Civil Engineering. Londres: Taylor & Francis Group, 2011. p. 122-129.

32.
TORRES, A. S. ; Padilha, Stael ; Diniz, Sofia ; SILVA FILHO, L. C. P. . Análise Descritiva dos Estudos Brasileiros sobre Corrosão de Armaduras por Ação de Íons Cloreto. In: 53o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2011, Florianopolis. Materia, 2011.

33.
Sily, B.T.P. ; Rodrigues, Francisco Carlos ; DINIZ, S. M. C. . ASSESSMENT OF EPISTEMIC UNCERTAINTIES IN THE COMPRESSIVE STRENGTH OF COLD FORMED STEEL. In: Iberian Latin American Congress on Computational Methods in Engineering - XXXII CILAMCE, 2011, Ouro Preto. XXXII CILAMCE, 2011.

34.
PIMENTA, R. J. ; Alexander Galvao Martins ; DINIZ, S. M. C. ; QUEIROZ, G. ; Fakury, R.H. . SAFETY ASSESSMENT OF COMPOSITE CONNECTIONS IN SINUSOIDAL-WEB GIRDERS. In: 11th Pan-American Congress of Applied Mechanics, 2010, Foz do Iguaçu. 11th Pan-American Congress of Applied Mechanics, 2010.

35.
DINIZ, S. M. C.. RELIABILITY BASES FOR DESIGN CODE DEVELOPMENT. In: Joint IABSE-fib Conference on Codes in Structural Engineering: Developments and Needs for International Practice, 2010, Cavtat. Codes in Structural Engineering: Developments and Needs for International Practice, 2010.

36.
Paliga, C.M. ; Real, M.V. ; Campos Filho, A. ; DINIZ, S. M. C. . Reliability assessment of reinforced concrete beams rehabilitated with CFRP sheets. In: The Fifth International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management, 2010, Philadelphia. Bridge Maintenance, Safety, Management and Life-Cycle Optimization. London: CRC Press, 2010.

37.
RIBEIRO, S. E. C. ; DINIZ, S. M. C. . Avaliação da confiabilidade de vigas de concreto armado com plástico reforçado por fibras. In: 52 Congresso Brasileiro do Concreto, 2010, Fortaleza. Materia. São Paulo: Instituto Brasileiro do Concreto, 2010.

38.
RIBEIRO, S. E. C. ; DINIZ, S. M. C. . Análise de Confiabilidade de Vigas de Concreto Armado com Plástico Reforçado por Fibras. In: MECOM-CILAMCE 2010, 2010, Buenos Aires. Mecanica Computacional. Buenos Aires: Asociacion Argentina de Mecanica Computacional, 2010. v. XXIX.

39.
LORENSINI, R. V. ; DINIZ, S. M. C. . Probabilistic modeling of service life of reinforced concrete structures under corrosion. In: Second International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering (IALCEE?10), 2010, Taipei. Life-Cycle of Civil Engineering Systems. Taipei: National Taiwan University of Science and Technology, 2010.

40.
AZEVEDO, C. B. P. ; DINIZ, S. M. C. . Projeto de Fundações de Linha de Transmissão Baseado em Confiabilidade. In: 52 Congresso Brasileiro mdo Concreto, 2010, Fortaleza. Materia. São Paulo: Instituto Brasileiro do Concreto, 2010.

41.
DINIZ, S. M. C.; PIMENTA, R. J. ; QUEIROZ, G. ; Fakury, R.H. ; Alexander Galvao Martins ; Rodrigues, Francisco Carlos . Safety Assessment of Composite Sinusoidal-Web Beams. In: 10th International Conference on Structural Safety and Reliability, 2009, Osaka. 10th International Conference on Structural Safety and Reliability, 2009.

42.
Paliga, C.M. ; Real, M.V. ; Campos Filho, A. ; DINIZ, S. M. C. . Avaliação da confiabilidade de vigas de concreto armado, pesadamente carregadas, recuperadas com PRFC. In: 51o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2009, Curitiba. Materia. São Paulo: IBRACON, 2009.

43.
DINIZ, S. M. C.. Structural Reliability: Rational Tools for Design Code Development. In: 2008 Structures Congress, 2008, Vancouver. Crossing Borders: 2008 Structures Congress. Reston, VA, EUA: American Society of Civil Engineers, 2008.

44.
PIMENTA, R. J. ; Gonzaga, L.G.M. ; QUEIROZ, G. ; DINIZ, S. M. C. . ESTUDO DA CONFIABILIDADE DE UM MÉTODO PROPOSTO PARA VERIFICAÇÃO DE FLT EM VIGAS DE ALMA SENOIDAL. In: Jornadas Sudamericanas de Ingenieria Estructural, 2008, Santiago. Jornadas Sudamericanas de Ingenieria Estructural. Santiago: Universidad Central, 2008.

45.
AZEVEDO, C. B. P. ; DINIZ, S. M. C. . Towards Life-Cycle Assessment of Foundations of Guyed Towers in Electrical Transmission Lines. In: First International Symposium on Life-cycle Civil Engineering, 2008, Varenna. Life-Cycle Civil Engineering: Proceedings of the International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering, IALCCE '08. Londres: CRC Press, 2008. p. 703-708.

46.
DINIZ, S. M. C.. Reliability Evaluation of FRP Reinforced Concrete Beams. In: 50o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2008, Salvador. Anais do 50o. Congresso Brasileiro do Concreto, 2008.

47.
DINIZ, S. M. C.. FRP Reinforced Concrete: Reliability Assessment for Life-Cycle Analysis. In: Fourth International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management, 2008, Seoul, Coréia do Sul. Bridge Maintenance, Safety, Management, Health Monitoring and Informatics. London: CRC Press, 2008. p. 446.

48.
AZEVEDO, C. B. P. ; DINIZ, S. M. C. . Estudo Probabilístico da Resistência à Compressão de Concretos Utilizados em Fundações. In: 50o Congresso Brasileiro do Concreto, 2008, Salvador. Anais do 50o Congresso Brasileiro do Concreto, 2008.

49.
DINIZ, S. M. C.; NOGUEIRA, H. A. T. . NBR 6118 AND HIGH-STRENGTH CONCRETE COLUMNS: DESIGNING FOR SAFETY BEYOND 50 MPa. In: 8th International Symposium on Utilization of High-Strength and High-Performance Concrete, 2008, Tokyo. 8th International Symposium on Utilization of High-Strength and High-Performance Concrete. Tokyo: Japan Concrete Institute, 2008.

50.
DINIZ, S. M. C.. FRP REINFORCED CONCRETE: RELIABILITY OF BEAMS DESIGNED ACCORDING TO ACI-440 GUIDELINES. In: 8th International Symposium on Utilization of High-Strength and High-Performance Concrete, 2008, Tokyo. 8th International Symposium on Utilization of High-Strength and High-Performance Concrete. Tokyo: Japan Concrete Institute, 2008.

51.
PIMENTA, R. J. ; Alexander Galvao Martins ; QUEIROZ, G. ; Fakury, R.H. ; Diniz, Sofia M. C. ; Rodrigues, Francisco Carlos . SAFETY ASSESSMENT OF COMPOSITE SINUSOIDAL-WEB BEAMS. In: XXIX CILAMCE - Congresso Ibero Latino Americano de Métodos Computacionais em Engenharia, 2008, Maceio. XXIX CILAMCE - Congresso Ibero Latino Americano de Métodos Computacionais em Engenharia, 2008.

52.
AZEVEDO, C. B. P. ; DINIZ, S. M. C. . Avaliação da Confiabilidade de Fundações de Torres Estaiadas em Linhas de Transmissão. In: CMNE/CILAMCE 2007, 2007, Porto. Métodos Numéricos e Computacionais em Engenharia. Porto, 2007.

53.
NOGUEIRA, H. A. T. ; DINIZ, S. M. C. . A NBR 6118 e o concreto de alta resistência: projetando com segurança além dos 50 MPa. In: 49 Congresso Brasileiro do Concreto, 2007, Bento Goncalves. 49 Congresso Brasileiro do Concreto, 2007.

54.
LORENSINI, R. V. ; DINIZ, S. M. C. . Avaliação Probabilística da Deterioração de Estruturas em Concreto Armado Causada pela Ação de Cloretos. In: VI Simpósio EPUSP sobre Estruturas de Concreto, 2006, Sao Paulo. VI Simpósio EPUSP sobre Estruturas de Concreto, 2006.

55.
DINIZ, S. M. C.. A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas. In: VI Simpósio EPUSP sobre Estruturas de Concreto, 2006, Sao Paulo. VI Simpósio EPUSP sobre Estruturas de Concreto, 2006.

56.
DINIZ, S. M. C.. Designing with HSC for safety: effect of age specification for characteristic strengths. In: Third International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management (IABMAS'06), 2006, Porto. Bridge Maintenance, Safety, Managemeny, Life-Cycle Performance and Cost. London: Taylor & Francis.

57.
LORENSINI, R. V. ; DINIZ, S. M. C. . Modelagem Probabilística da Vida Ütil de Estruturas em Concreto Armado Sujeitas à Ação de Cloretos. In: 27th Iberian Latin American Congress on Computational Methods in Engineering, 2006, Belém. Anais do 27th CILAMCE. Belém: Editora da UFPA.

58.
DINIZ, S. M. C.. Structural Reliability and the Development of Design Codes. In: II International Conference on Concrete for Structures (INCOS06), 2006, Rio de Janeiro. II Ibero-American Symposium on Concrete for Structures (INCOS06), 2006.

59.
DINIZ, S. M. C.. Effect of concrete age specification on the reliability of HSC columns. In: International Conference on Structural Safety and Reliability (ICOSSAR'05), 2005, Roma. Proceedings of the 9th International Conference on Structural Safety and Reliability, 2005.

60.
DINIZ, S. M. C.; FRITZ, William ; SIMIU, Emil . Reliability-Based Approach to Estimation of Load Factors to Rigid and Flexible Buildings. In: 10th Americas Conference on Wind Engineering, 2005, Baton Rouge. Proceedings of the 10th Americas Conference on Wind Engineering, 2005.

61.
DINIZ, S. M. C.. Structural Reliability Methods: Rational Tools for Design Codes Development. In: XXVI CILAMCE, 2005, Guarapari. XXVI CILAMCE, 2005.

62.
DINIZ, S. M. C.. Reliability Assessment of HSC Columns: Effect of Age Specification for Characteristic Strengths. In: XXVI CILAMCE, 2005, Guarapari. XXVI CILAMCE, 2005.

63.
DINIZ, S. M. C.. HSC Columns: A Monte Carlo Simulation Approach for Ductility Estimation. In: 2004 ASCE Structures Congress, 2004, Nashville. Structures 2004 - Building on the Past: Securing the Future. Reston: ASCE, 2004.

64.
DINIZ, S. M. C.; IANCOVICI, Mihai ; RILEY, M. ; SIMIU, Emil . Probabilistic Performance criteria for tall buildings subjected to wind loads. In: PSAM/ESREL'04, 2004, Berlim. International Conference on Probabilistic Safety Assessment and Management, 2004.

65.
HANZLIK, P. ; DINIZ, S. M. C. ; GRAZINI, A. ; SIMIU, Emil . Building Orientation and Wind Effects Estimation. In: 2004 ASCE Specialty Conference on Probabilistic Mechanics and Structural Reliability, 2004, Albuquerque. 2004 ASCE Specialty Conference on Probabilistic Mechanics and Structural Reliability. Albuquerque: Sandia National Laboratories, 2004.

66.
DINIZ, S. M. C.; IANCOVICI, Mihai ; RILEY, M. ; SIMIU, Emil . Probabilistic Performance Criteria for Tall Buildings Subjected to Wind. In: 2004 ASCE Specialty Conference on Probabilistic Mechanics and Structural Reliability, 2004, Albuquerque. 2004 ASCE Specialty Conference on Probabilistic Mechanics and Structural Reliability. Albuquerque: Sandia National Laboratories, 2004.

67.
DINIZ, S. M. C.. WiLEP: a software for reliability-based design for wind. In: XXV CILAMCE, 2004, Recife. XXV CILAMCE. Recife: UFPE, 2004.

68.
DINIZ, S. M. C.; IANCOVICI, Mihai ; FRITZ, William ; RILEY, Michael ; SIMIU, Emil . Probabilistic Performance Criteria for Tall Buildings Subjected to Wind Loads. In: 36th Joint Panel Meeting on Wind and Seismic Effects, 2004, Gaithersburg. Proceedings of the 36th Joint Panel Meeting on Wind and Seismic Effects, 2004. p. 157-162.

69.
DINIZ, S. M. C.; SIMIU, Emil . Probabilistic Description of Wind Effects and Wind Load Factors for Database-Assisted Design. In: 11th International Conference on Wind Engineering, 2003, Lubbock, TX, EUA. 11th International Conference on Wind Engineering, 2003. v. 1. p. 739-746.

70.
DINIZ, S. M. C.; SIMIU, Emil . Database-Assisted Design and Structural Reliability for Building Codes. In: Engineering Smarter - 2003 ASCE Structures Congress, 2003, Seattle, EUA. Engineering Smarter - 2003 ASCE Structures Congress. Reston, EUA: ASCE, 2003.

71.
PINELLI, J. P. ; SUBRAMANIAN, C. ; ZHANG, L. ; GURLEY, K. ; COPE, A. ; SIMIU, Emil ; DINIZ, S. M. C. ; HAMID, S. . A Model to Predict Hurricane Induced Losses for Residential Structures. In: European Safety and Reliability Conference, ESREL 2003, 2003, Maastricht. European Safety and Reliability Conference, ESREL 2003, 2003.

72.
PINELLI, J. P. ; SUBRAMANIAN, C. ; ZHANG, L. ; GURLEY, K. ; COPE, A. ; SIMIU, Emil ; DINIZ, S. M. C. ; HAMID, S. . A Model To Predict Hurricanes Induced Losses For Residential Structures. In: Wind and Seismic Effects - 35th US-Japan Joint Panel Meeting, 2003, Tsukuba. Wind and Seismic Effects, Proceedings of the 35th Joint Panel Meeting, 2003.

73.
DINIZ, S. M. C.. Long-Term Reliability of Eccentrically-Loaded High-Strength Concrete Columns. In: 6th International Symposium on the Utilization of High Strength/High Performance Concrete, 2002, Leipzig. 6th International Symposium on the Utilization of High Strength/High Performance Concrete, 2002. v. 2.

74.
SADEK, F. ; DINIZ, S. M. C. ; SIMIU, Emil . Assessment of Sampling Errors in Peak Wind-Induced Internal Forces. In: 15th ASCE Engineering Mechanics Conference, 2002, New York. 15th ASCE Engineering Mechanics Conference. New York: Columbia University, 2002.

75.
SIMIU, Emil ; SADEK, F. ; DINIZ, S. M. C. ; RILEY, M. ; JANG, S. ; LU, L. . Development of Database-Assisted Design for Wind Loads: Current and Future Research. In: Third U.S.-Japan Workshop on Wind Engineering, 2002, Seattle. Third U.S.-Japan Workshop on Wind Engineering, 2002.

76.
SIMIU, Emil ; SADEK, F. ; WHALEN, T. ; JANG, S. ; LU, L. ; DINIZ, S. M. C. ; GRAZINI, A. ; RILEY, M. . Database-Assisted Design for Wind Loading. In: Euro-SIBRAM?2002 International Colloquium on Simulation-Based Reliability Assessment Methods, 2002, Praga. Proceedings of the Euro-SIBRAM?2002 International Colloquium on Simulation-Based Reliability Assessment Methods. Praga, 2002.

77.
SIMIU, Emil ; SADEK, F. ; WHALEN, T. ; JANG, S. ; LU, L. ; DINIZ, S. M. C. ; GRAZINI, A. ; RILEY, M. . Achieving Safer and More Economical Buildings through Database-Assisted, Reliability-Based Design for Wind. In: The Alan G. Davenport Symposium, 2002, London. Proceedings of the Alan G. Davenport Symposium. London: University of Western Ontario, 2002.

78.
MACHADO, E. R. ; FREITAS, M. S. R. ; DINIZ, S. M. C. . Avaliação da Segurança de Vigas Projetadas Segundo a NBR6118. In: 43 Congresso do IBRACON, 2001, Foz do Iguacu. Anais do 43 Congresso do IBRACON, 2002.

79.
FRANCA, R. C. M. ; DINIZ, S. M. C. . Análise do Comportamento Estrutural de Pilares em Concreto de Alta Resistência. In: 43 Congresso do IBRACON, 2001, Foz do Iguacu. Anais do 43 Congresso do IBRACON, 2001.

80.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Strength and Reliability of Slender High-Strength Concrete Columns under Sustained Loads. In: ICOSSAR '01, 2001, Newport Beach, California. Structural safety and reliability - Proceedings of the eighth international conference, ICOSSAR '01. Rotterdam: Balkema Publishers, 2001.

81.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Long-Term Performance of HSC Columns under Sustained Loads. In: 2000 Structures Congress, 2000, Philadelphia. Advanced Technology in Structural Engineering. Washington: ASCE, 2000.

82.
DINIZ, S. M. C.; MACHADO, E. R. ; FREITAS, M. S. R. . Avaliação da Confiabilidade de Estruturas em Concreto Armado. In: Congresso Íbero Latino-Americano de Métodos Computacionais em Engenharia, CILAMCE 2000, 2000, Rio de Janeiro. Congresso Íbero Latino-Americano de Métodos Computacionais em Engenharia, CILAMCE 2000. Rio de Janeiro: Puc-Rio, 2000.

83.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Loads and Load Combinations for Slender High-Strength Concrete Columns. In: 1999 Structures Congress, 1999, New Orleans. Structural Engineering in the 21st Century. Washington: ASCE, 1999. p. 528-531.

84.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Probabilistic Assessment of the Safety of HSC Columns. In: 1999 Structures Congress, 1999, New Orleans. Structural Engineering in the 21st Century. Washington: ASCE, 1999. p. 472-475.

85.
DINIZ, S. M. C.. Long-Term Strength and Reliability of HSC Columns under Sustained Loads. In: 13th ASCE Engineering Mechanics Division Specialty Conference, 1999, Baltimore. Proceedings of the 13th ASCE Engineering Mechanics Division Specialty Conference. Washington: ASCE, 1999.

86.
DINIZ, S. M. C.. Cost versus Reliability in Reinforced HSC Column Design. In: 12th International Conference on Composite Materials - ICCM12, 1999, Paris. Proceedings of the 12th International Conference on Composite Materials. Paris: ICCM12, 1999.

87.
DINIZ, S. M. C.. Strength and Reliability of HSC Columns under Sustained Loads. In: 5th International Symposium on the Utilization of High Strength/High Performance Concrete, 1999, Sandefjord. Proceedings of the 5th International Symposium on the Utilization of High Strength/High Performance Concrete. Oslo, 1999. v. 2. p. 222-231.

88.
DINIZ, S. M. C.. High-Strength Versus Normal-Strength Concrete in Columns: A Comparative Study by the Weighted Objective Approach. In: IV World Conference on Computational Mechanics, 1998, Buenos Aires. Proceedings of the IV World Conference on Computational Mechanics. Buenos Aires, 1998.

89.
DINIZ, S. M. C.. A Comparative Study on the Confinement Models for High-Strength Concrete Columns. In: XXVIII Jornadas Sul-Americanas de Engenharia Estrutural, 1997, Sao CArlos. Anais das XXVIII Jornadas Sul-Americanas de Engenharia Estrutural. Sao Carlos, SP: USP-Sao carlos, 1997. v. 5. p. 2051-2060.

90.
DINIZ, S. M. C.. Reliability Analysis of High-Strength Concrete Columns: Computational Aspects. In: 18 XVIII Congresso Íbero Latino-Americano de Métodos Computacionais em Engenharia, 1997, Brasilia. Proceedings of the XVIII Congresso Íbero Latino-Americano de Métodos Computacionais em Engenharia. Brasilia: UnB, 1997. v. 2. p. 593-601.

91.
DINIZ, S. M. C.. Reliability Evaluation of High-Strength Concrete Columns. In: 4th International Symposium on the Utilization of High-Strength/ High-Performance Concrete, 1996, Paris. Proceedings of the 4th International Symposium on the Utilization of High-Strength/ High-Performance Concrete. Paris: ENPC, 1996. v. 3. p. 925-934.

92.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Reliability Evaluation of Slender High-Strength Concrete Columns. In: 7th ASCE Specialty Conference on Probabilistic Mechanics & Structural Reliability, 1996, Worcester. Probabilistic Mechanics and Structural Reliability. Washington: ASCE, 1996. v. 1. p. 242-245.

93.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Reliability of High-Strength Concrete Columns. In: Fourth ASCE Materials Engineering Conference, 1996, Washington. Materiais for the New Millenium. Washington: ASCE, 1996. v. 1. p. 213-222.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
JARDIM, P. C. S. ; Diniz, S.M.C. . A Confiabilidade Estrutural e a Avaliação das Estruturas Existentes em Concreto Armado. In: XXIII Semana de Iniciação Científica, UFMG, 2014, Belo Horizonte. XXIII Semana de Iniciação Científica, UFMG, 2014.

2.
HAMACEK, A. S. R. ; Diniz, S.M.C. . Conceitos e Métodos da Confiabilidade Estrutural na Calibração de Normas Técnicas. In: XXIII Semana de Iniciação Científica, UFMG, 2014, Belo Horizonte. XXIII Semana de Iniciação Científica, UFMG, 2014.

3.
CATALDO, A. P. ; Diniz, S.M.C. . Descrição Probabilística das Variáveis de Projeto de Estruturas de Concreto Armado. In: XXIII Semana de Iniciação Científica, UFMG, 2014, Belo Horizonte. XXIII Semana de Iniciação Científica, UFMG, 2014.

4.
Sily, B.T.P. ; Francisco Carlos Rodrigues ; Diniz, S.M.C. . Probabilistic Assessment of the Axial Strength of Cold-Formed Steel. In: 11th International Conference on STRUCTURAL SAFETY AND RELIABILITY (ICOSSAR2013), 2013, New York. Safety, Reliability, Risk and Life-Cycle Performance of Structures and Infrastructures. Leiden: CRC Press/ Balkema, 2013. p. 947-947.

5.
FRANCA, R. C. M. ; DINIZ, S. M. C. . Numerical Simulation of the Capacity of Confined HSC columns. In: V World Congress on Computational Mechanics, 2002, Viena. Proceedings of the V World Congress on Computational Mechanics, 2002.

6.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Numerical Simulation of the Ductility of High-Strength Concrete Columns. In: ASCE Joint Specialty Conference on Probabilistic Mechanics and Structural Reliability, 2000, South Bend. PMC2000. Washington: ASCE, 2000.

Apresentações de Trabalho
1.
Diniz, S.M.C.. Extending the life-cycle of reinforced concrete columns by FRP strengthening. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
Diniz, S.M.C.. Code development for existing structures: influence of concrete strength statistics. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
Diniz, S.M.C.. Probabilistic Assessment of Serviceability of FRP-Reinforced Concrete Beams. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
CARRATO, A. ; DINIZ, S. M. C. ; LOPES, G. E. M. . Uma disputa de narrativas: Acidente, crime, desastre ou tragédia?. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

5.
DINIZ, S. M. C.. Confiabilidade Estrutural, Estruturas de Concreto e Normalização. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

6.
Diniz, S.M.C.. Reliability analysis of circular RC columns confined by CFRP. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
Diniz, S.M.C.. Avaliação Probabilística das Flechas de Vigas de Concreto Armado com Plástico Reforçado por Fibras. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
Diniz, S.M.C.. Durability Design Criteria for Concrete Structures ? An Overview of Existing Codes, Guidelines and Specifications. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
Diniz, S.M.C.; FERREIRA, J. R. . Reliability Evaluation of Circular RC Columns Strengthened by FRP. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

10.
Diniz, S.M.C.. Assessment of epistemic uncertainties in the resistance of RC columns confined by CFRP. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

11.
Diniz, S.M.C.. Resposta ao parecer dos revisores da norma ABNT NBR 6118:2014 segundo a ISO 19338. 2015. (Apresentação de Trabalho/Outra).

12.
DINIZ, S. M. C.. Life-Cycle Performance of Civil Structure and Infrastructure Systems ? State of Research: Performance and Maintenance. 2015. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

13.
Diniz, S.M.C.. Assessment of Model Uncertainties in the Shear Strength of RC Beams. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

14.
Diniz, S.M.C.. Confiabilidade Estrutural, Estruturas de Concreto e Normalização. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

15.
Diniz, S.M.C.. PROBABILISTIC ASSESSMENT OF THE AXIAL STRENGTH OF COLD FORMED STEEL COLUMNS. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

16.
Diniz, S.M.C.. Assessment of epistemic uncertainties in the shear strength of reinforced concrete beams. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

17.
Diniz, S.M.C.. Projeto Semi-Probabilístico de Vigas de Concreto Armado com Modo de Falha por Cisalhamento. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

18.
Diniz, S.M.C.. Design of Reinforced-Concrete Beams for Shear: Model selection and Model Uncertainties. 2012. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

19.
Diniz, S.M.C.. Considerações para Projeto-Baseado em Confiabilidade de Estruturas de Concreto Armado com FRP. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

20.
DINIZ, S. M. C.. Strength and Reliability of FRP-Reinforced Concrete Beams. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

21.
DINIZ, S. M. C.. Reliability bases for design code development. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

22.
Diniz, S.M.C.. RELIABILITY-BASED CONSIDERATIONS IN THE DESIGN OF FRP-REINFORCED CONCRETE STRUCTURES. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

23.
Diniz, S.M.C.. Manutenção e Reabilitação de Estruturas de Concreto. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

24.
Diniz, S.M.C.. Probabilistic description of foundation capacity for design of electrical transmission lines. 2012. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

25.
Diniz, S.M.C.. Confiabilidade Estrutural e Normalização na Engenharia Civil. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

26.
DINIZ, S. M. C.. Reliability-based design recommendations for FRP-reinforced concrete beams. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

27.
DINIZ, S. M. C.. Considerações para Projeto-Baseado em Confiabilidade de Estruturas de Concreto Armado com FRP. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

28.
DINIZ, S. M. C.. RELIABILITY-BASED CONSIDERATIONS IN THE DESIGN OF FRP-REINFORCED CONCRETE STRUCTURES. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

29.
DINIZ, S. M. C.. SAFETY ASSESSMENT OF COMPOSITE CONNECTIONS IN SINUSOIDAL-WEB GIRDERS. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

30.
DINIZ, S. M. C.. RELIABILITY BASES FOR DESIGN CODE DEVELOPMENT. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

31.
DINIZ, S. M. C.. Reliability assessment of reinforced concrete beams rehabilitated with CFRP sheets. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

32.
DINIZ, S. M. C.. RELIABILITY-BASED DESIGN RECOMMENDATIONS FOR COMPOSITE CORRUGATED-WEB BEAMS. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

33.
DINIZ, S. M. C.. Métodos Probabilísticos: Bases Racionais para a Evolução de Normas Técnicas. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

34.
DINIZ, S. M. C.. Probabilistic modeling of service life of reinforced concrete structures under corrosion. 2010. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

35.
DINIZ, S. M. C.. Comentários sobre o tema Conservation, Seminário fib Model Code 2010. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

36.
DINIZ, S. M. C.. Análise de Confiabilidade de Vigas de Concreto Armado com Plástico Reforçado por Fibras. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

37.
Paliga, C.M. ; Real, M.V. ; Campos Filho, A. ; DINIZ, S. M. C. . Avaliação da confiabilidade de vigas de concreto armado, pesadamente carregadas, recuperadas com PRFC. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

38.
DINIZ, S. M. C.. ESTUDO DA CONFIABILIDADE DE UM MÉTODO PROPOSTO PARA VERIFICAÇÃO DE FLT EM VIGAS DE ALMA SENOIDAL. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

39.
DINIZ, S. M. C.. FRP Reinforced Concrete: Reliability Assessment for Life-Cycle Analysis. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

40.
DINIZ, S. M. C.. Estudo Probabilístico da Resistência à Compressão de Concretos Utilizados em Fundações. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

41.
DINIZ, S. M. C.. Structural Reliability: Rational Tools for Design Codes Development. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

42.
DINIZ, S. M. C.. Towards Life-Cycle Assessment of Foundations of Guyed Towers in Electrical Transmission Lines. 2008. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

43.
AZEVEDO, C. B. P. ; DINIZ, S. M. C. . Avaliação da Confiabilidade de Fundações de Torres Estaiadas em Linhas de Transmissão. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

44.
DINIZ, S. M. C.. Risk and Reliability in Civil Engineering, Rutgers, The State University of New Jersey. 2007. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

45.
DINIZ, S. M. C.. Confiabilidade e Risco na Engenharia Civil: Conceitos, Métodos e Aplicações. 2007. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

46.
NOGUEIRA, H. A. T. ; DINIZ, S. M. C. . A NBR 6118 e o concreto de alta resistência: projetando com segurança além dos 50 MPa. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

47.
DINIZ, S. M. C.. Structural Reliability Methods: Rational Tools for Design Code Development, Rutgers, The State University of New Jersey. 2006. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

48.
LORENSINI, R. V. ; DINIZ, S. M. C. . Avaliação Probabilística da Deterioração de Estruturas em Concreto Armado Causada pela Ação de Cloretos. 2006. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

49.
DINIZ, S. M. C.. A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas. 2006. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

50.
DINIZ, S. M. C.. Reliability Evaluation of FRP Reinforced Concrete Beams, CSM5, Rodos, Grécia. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

51.
DINIZ, S. M. C.. Designing with HSC for safety: effect of age specification for characteristic strengths. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

52.
LORENSINI, R. V. ; DINIZ, S. M. C. . Modelagem Probabilística da Vida Útil de Estruturas em Concreto Armado Sujeitas à Ação de Cloretos. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

53.
DINIZ, S. M. C.. A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas técnicas. 2006. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

54.
DINIZ, S. M. C.. Structural Reliability and the Development of Design Codes. 2006. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

55.
DINIZ, S. M. C.. Effect of concrete age specification on the reliability of HSC columns. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

56.
DINIZ, S. M. C.; FRITZ, William ; SIMIU, Emil . Reliability-Based Approach to Estimation of Load Factors to Rigid and Flexible Buildings. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

57.
DINIZ, S. M. C.. Structural Reliability Methods: Rational Tools for Design Codes Development, XXVI CILAMCE. 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

58.
DINIZ, S. M. C.. Reliability Assessment of HSC Columns: Effect of Age Specification for Characteristic Strengths. XXVI CILAMCE. 2005. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

59.
DINIZ, S. M. C.. Probabilistic Methods: Rational Tools for Design Codes Development, University of Missouri-Rolla. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

60.
DINIZ, S. M. C.. Probabilistic Methods: Rational Tools for Design Codes Development, Texas Tech University. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

61.
DINIZ, S. M. C.. Metodos Probabilisticos: Ferramentas para o Desenvolvimento de Normas Tecnicas. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

62.
DINIZ, S. M. C.. HSC Columns: A Monte Carlo Simulation Approach for Ductility Estimation. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

63.
DINIZ, S. M. C.. Probabilistic Methods: Rational Tools for Design Codes Development, Vanderbilt University. 2004. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

64.
DINIZ, S. M. C.. Building Orientation and Wind Effects Estimation. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

65.
DINIZ, S. M. C.. WiLEP: a software for reliability-based design for wind. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

66.
DINIZ, S. M. C.; SIMIU, Emil . Probabilistic Descriptions of Wind Effects for Database-Assisted Design. 2003. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

67.
DINIZ, S. M. C.; SIMIU, Emil . Database-Assisted Design and Structural Reliability for Building Codes. 2003. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

68.
DINIZ, S. M. C.; SIMIU, Emil . Probabilistic Description of Wind Effects and Wind Load Factors for Database-Assisted Design. 2003. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

69.
DINIZ, S. M. C.. Structural Reliability Considerations on HSC Columns under Sustained Loads. 2003. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

70.
DINIZ, S. M. C.. Database-Assisted, Reliability Based Design for Wind, Rutgers University. 2003. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

71.
DINIZ, S. M. C.. Database-Assisted, Reliability-Based Design for Wind, Texas Tech University. 2002. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

72.
DINIZ, S. M. C.. Database-Assisted, Reliability-Based Design for Wind, Louisiana State University. 2002. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

73.
DINIZ, S. M. C.. Probabilistic Assessment of the Safety of HSC columns, Kansas State University. 2002. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

74.
SIMIU, Emil ; SADEK, F. ; DINIZ, S. M. C. ; RILEY, M. ; JANG, S. ; LU, L. . Development of Database-Assisted Design for Wind Loads: Current and Future Research. 2002. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

75.
DINIZ, S. M. C.; SADEK, F. ; SIMIU, Emil . Wind Speed Estimation Uncertainties: Effects of Climatological and Micrometeorological Parameters. 2002. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

76.
DINIZ, S. M. C.. Long-Term Reliability of Eccentrically-Loaded High-Strength Concrete Columns. 2002. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

77.
SADEK, F. ; DINIZ, S. M. C. ; SIMIU, Emil . Assessment of Sampling Errors in Peak Wind-Induced Internal Forces. 2002. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

78.
Diniz, S.M.C.. Database-Assisted, Reliability-Based Design for Wind. 2002. (Apresentação de Trabalho/Outra).

79.
DINIZ, S. M. C.. Probabilistic Assessment of the Safety of HSC Columns, Bradley University. 2001. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

80.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Strength and Reliability of Slender High-Strength Concrete Columns under Sustained Loads. 2001. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

81.
DINIZ, S. M. C.. Modeling the Long-Term Strength of Slender HSC Columns under Sustained Loads. 2001. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

82.
DINIZ, S. M. C.. Long-Term Strength and Reliability of HSC Columns, University of Pittsburgh. 2000. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

83.
DINIZ, S. M. C.. Probabilistic Assessment of the Safety of HSC Columns, Tufts University. 2000. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

84.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Long-Term Performance of HSC Columns under Sustained Loads. 2000. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

85.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Numerical Simulation of the Strength and Ductility of High-Strength Concrete Columns. 2000. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

86.
DINIZ, S. M. C.. Probabilistic Assessment of the Safety of HSC Columns, Clarkson University. 2000. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

87.
DINIZ, S. M. C.. Strength, Ductility, and Reliability of High-Strength Concrete columns. 1999. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

88.
DINIZ, S. M. C.. Strength, Ductility, and Reliability of HSC Columns, University of Pittsburgh. 1999. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

89.
DINIZ, S. M. C.. Reliability Assessment of HSC Columns: Part 1, Musashi Institute of Technology, Tokyo, Japão. 1999. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

90.
DINIZ, S. M. C.. Reliability Assessment of HSC Columns: Part 2, Musashi Institute of Technology, Tokyo, Japão. 1999. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

91.
DINIZ, S. M. C.. High-Strength Concrete: Material and Structural Behavior Considerations, Musashi Institute of Technology, Tokyo, Japão. 1999. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

92.
DINIZ, S. M. C.. Strength and Reliability of HSC Columns under Sustained Loads. 1999. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

93.
DINIZ, S. M. C.. Cost versus Reliability in Reinforced HSC Column Design. 1999. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

94.
DINIZ, S. M. C.. Long-Term Strength and Reliability of HSC Columns under Sustained Loads. 1999. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

95.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Probabilistic Assessment of the Safety of HSC Columns. 1999. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

96.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Loads and Load Combinations for Slender High-Strength Concrete Columns. 1999. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

97.
DINIZ, S. M. C.. Confiabilidade das Estruturas. 1998. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

98.
DINIZ, S. M. C.. Probabilistic Assessment of the Strength of Tied HSC Columns. 1998. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

99.
DINIZ, S. M. C.. Probabilistic Assessment of the Strength of Spirally Reinforced HSC Columns. 1998. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

100.
DINIZ, S. M. C.. High-Strength Versus Normal-Strength Concrete in Columns: A Comparative Study by the Weighted Objective Approach. 1998. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

101.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Reliability Assessment of High-Strength Concrete Columns. 1997. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

102.
DINIZ, S. M. C.. Reliability Analysis of High-Strength Concrete Columns: Computational Aspects. 1997. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

103.
DINIZ, S. M. C.. A Comparative Study on the Confinement Models for High-Strength Concrete Columns. 1997. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

104.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Reliability of High-Strength Concrete Columns. 1996. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

105.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Reliability Evaluation of Slender HSC Columns. 1996. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

106.
DINIZ, S. M. C.. Reliability Evaluation of High-Strength Concrete Columns. 1996. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

107.
DINIZ, S. M. C.. Fotoelasticidade, Primeiro Seminário Straintec de Análise Experimental de Tensões. 1988. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

Outras produções bibliográficas
1.
Diniz, S.M.C.; CARRATO, A. . UMA CURIOSA VISITA AO 'FANTÁSTICO' CURRICULO DE ALEXANDRE DE MORAES. Belo Horizonte: Blog Estação Liberdade, 2017 (Artigo publicado em blog).

2.
Diniz, S.M.C.. Memorial Promoção para Professor Titular, EE-UFMG 2016 (Memorial).

3.
Diniz, S.M.C.; LOPES, G. E. M. . SERRA DO GANDARELA: REJEITE O REJEITO DA VALE. Blog Estação Liberdade, 2015 (Artigo publicado em blog).

4.
Diniz, S.M.C.; BUENO, S. B. ; KIMURA, A. E. . ABNT NBR 6118:2014 -Design of concrete structures ? Procedure, 2015. (Tradução/Outra).

5.
Diniz, S.M.C.. INFRAESTRUTURA: EM BH, VIADUTO TEM MORTE PREMATURA. Belo Horizonte: Blog Estação Liberdade, 2014 (Artigo publicado em blog).

6.
Diniz, S.M.C.; LOPES, G. E. M. . ANOS DE CHUMBO: SEQUELAS DE UM ATO IRRACIONAL. Belo Horizonte: Blog Estação Liberdade, 2014 (Artigo publicado em blog).

7.
DINIZ, S. M. C.. Memorial Concurso para Professor Titular, Departamento de Engenharia de Estruturas, UFMG 2010 (Memorial).

8.
DINIZ, S. M. C.. Memorial Concurso para Professor Titular, Departamento de Engenharia de Estruturas, UFMG 2006 (Memorial).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
DINIZ, S. M. C.. Consultoria ad hoc, CNPq Chamada Universal (1). 2016.

2.
DINIZ, S. M. C.. Consultoria ad hoc, CNPq Chamada Universal (2). 2016.

3.
DINIZ, S. M. C.. Consultoria ad hoc, CNPq Chamada Universal (3). 2016.

4.
DINIZ, S. M. C.. Consultoria ad hoc, CNPq Chamada Universal (5). 2016.

5.
DINIZ, S. M. C.. Consultoria ad hoc, CNPq Chamada Universal (4). 2016.

6.
Diniz, S.M.C.. Consultoria ad hoc, CNPq - Pós-doutorado. 2015.

7.
Diniz, S.M.C.. Consultoria ad hoc, CNPq - Doutorado. 2015.

8.
Diniz, S.M.C.. Consultor ad hoc - CNPq - Produtividade em Pesquisa. 2015.

9.
Diniz, S.M.C.. Consultoria ad hoc, CNPq Chamada Universal (1). 2014.

10.
Diniz, S.M.C.. Consultoria ad hoc, CNPq Chamada Universal (2). 2014.

11.
Diniz, S.M.C.. Consultoria ad hoc, CNPq Chamada Universal (3). 2014.

12.
Diniz, S.M.C.. Consultoria ad hoc, CNPq - Doutorado. 2014.

13.
Diniz, S.M.C.. Consultoria ad hoc, CNPq - PQ. 2014.

14.
Diniz, S.M.C.. Consultor ad hoc, CNPq, Edital universal (1). 2013.

15.
Diniz, S.M.C.. Consultor ad hoc, CNPq, Edital universal (2). 2013.

16.
Diniz, S.M.C.. Consultor ad hoc, CNPq, Edital universal (3). 2013.

17.
Diniz, S.M.C.. Consultor ad hoc - CNPq - Produtividade em Pesquisa. 2013.

18.
Diniz, S.M.C.. Consultor ad hoc CNPq -Programa PEC-PG - Chamada N° 25/2013 - PEC - PG 2013. 2013.

19.
DINIZ, S. M. C.. Consultor ad hoc, CNPq, Edital universal (1). 2012.

20.
Diniz, S.M.C.. Consultor ad hoc, CNPq, Edital universal (2). 2012.

21.
Diniz, S.M.C.. Consultor ad hoc, CNPq, PQ (1). 2012.

22.
Diniz, S.M.C.. Consultor ad hoc, CNPq, PQ (2). 2012.

23.
Diniz, S.M.C.. Consultor 'ad hoc' CNPq, convênios internacionais, 2012. 2012.

24.
DINIZ, S. M. C.. Consultor ad hoc, CNPq. 2011.

25.
DINIZ, S. M. C.. Consultor "ad hoc", CNPq. 2010.

26.
DINIZ, S. M. C.. Consultor "ad hoc", CNPq. 2009.

27.
DINIZ, S. M. C.. Consultor "ad hoc", CNPq. 2008.

28.
DINIZ, S. M. C.. Consultor ad hoc, CNPq. 2007.

29.
DINIZ, S. M. C.. Consultor "ad hoc", FAPITEC/SE. 2007.

30.
DINIZ, S. M. C.. Consultor ad hoc, CNPq. 2006.

31.
DINIZ, S. M. C.. Consultor ad hoc, CNPq. 2005.

Programas de computador sem registro
1.
DINIZ, S. M. C.; HANZLIK, P. ; SIMIU, Emil . WiLEP-Wind Load Effects Probabilistic. 2005.

2.
DINIZ, S. M. C.. CONFCOL. 1994.

Trabalhos técnicos
1.
Diniz, S.M.C.. Report on attendance-ISO/TC 71 Plenary Meeting, Moscow, Russia. 2018.

2.
Diniz, S.M.C.. Formulação de voto sobre documento técnico do comitê ACI 348 - Structural Safety. 2017.

3.
Diniz, S.M.C.. Formulação do voto brasileiro, projeto de norma ISO TC71-SC6 ISO/CD 21022 Test method for fibre-reinforced cementitious composites? loaddeflection curve using circular plates. 2017.

4.
Diniz, S.M.C.. Chair do Task Group 1 - Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty. 2017.

5.
Diniz, S.M.C.; BUENO, S. B. . Formulação do voto brasileiro, norma ISO TC98- ISO 22111 - Bases for design of structures ? General requirements. 2016.

6.
Diniz, S.M.C.. Formulação do voto brasileiro, final draft norma ISO TC71-SC6 ISO/FDIS 18319 Fibre-reinforced polymer (FRP) reinforcement for concrete structures: Specifications of FRP sheets. 2015.

7.
Diniz, S.M.C.; BUENO, S. B. . Avaliação da norma coreana Structural Concrete Design Code (KCI 2012). 2015.

8.
Diniz, S.M.C.; Stucchi, F.R. ; Santos, S.H.C. ; BUENO, S. B. . Avaliação da norma norte-americana Building Code Requirements for Structural Concrete (ACI 318-14). 2015.

9.
Diniz, S.M.C.. Formulação do voto brasileiro, projeto de norma ISO/TC 71/SC 7 - DTS 16774-2 - Test Methods for repair materials for water-leakage cracks in concrete structures -- Part 2: Test method for chemical resistance. 2015.

10.
Diniz, S.M.C.. Formulação do voto brasileiro, projeto de norma ISO/TC 71/SC 7 / ISO/DTS 16774-3 - Test Methods for repair materials for water-leakage cracks in concrete structures -- Part 3: Test method for water (washed out) resistance. 2015.

11.
Diniz, S.M.C.. Formulação do voto brasileiro, projeto de norma ISO/TC 71/SC 7 / ISO/DTS 16774-4 - Test Methods for repair materials for water-leakage cracks in concrete structures -- Part 4: Test method for adhesion on the wet substrate. 2015.

12.
BATTAGIN, I. ; Diniz, S.M.C. ; BUENO, S. B. . Resposta ao parecer dos revisores da norma ABNT NBR 6118:2014 segundo a ISO 19338. 2015.

13.
Diniz, S.M.C.. Formulação do voto brasileiro, proposta de norma ISO TC71-SC6/NWIP - Test method for fibre-reinforced cementitious composites - load-deflection curve using circular plates. 2015.

14.
DINIZ, S. M. C.. Formulação do voto brasileiro,draft international standard', norma ISO/ TC71-SC6 ISO/DIS 19044 ´Test methods for fibre-reinforced cementitious composites - Load-displacement curve using notched specimen´. 2015.

15.
Diniz, S.M.C.. Formulação do voto brasileiro, projeto de norma ISO TC71-SC6 ISO/DIS 18319 Fibre-reinforced polymer (FRP) reinforcement for concrete structures: Specifications of FRP sheets. 2014.

16.
Diniz, S.M.C.. Formulação do voto brasileiro, projeto de norma ISO TC71-SC6 ISO/CD 19044 - Test methods for fibre-reinforced cementitious composites. 2014.

17.
Diniz, S.M.C.. Formulação do voto brasileiro, projeto de norma ISO TC71-SC7 ISO/DIS 16711 Seismic Assessment and Retrofit of Concrete Structures. 2014.

18.
Diniz, S.M.C.. Formulação do voto brasileiro, projeto de norma ISO TC71-SC6 ISO/FDIS 10406-1 - Fibre-reinforced polymer (FRP) reinforcement of concrete - Test methods. 2014.

19.
Diniz, S.M.C.. Formulação do voto brasileiro, projeto de norma ISO TC71-SC6 ISO/FDIS 10406-2 - Fibre-reinforced polymer (FRP) reinforcement of concrete - Test methods - Part 2: FRP sheets. 2014.

20.
Diniz, S.M.C.. Formulação do voto brasileiro, projeto de norma ISO TC71-SC7 ISO/WD 16711 Seismic Assessment and Retrofit of Concrete Structures. 2013.

21.
DINIZ, S. M. C.. Parecer, projeto de pesquisa de doutorado em Odontologia ?Influência do tipo de conexão dos implantes osseointegráveis em próteses dento-implanto-suportadas: análise de tensões por Fotoelasticidade?. 2010.

22.
DINIZ, S. M. C.; BATTAGIN, I. ; Repette, W. . Formulação do voto brasileiro, projeto de norma ISO TC71-SC7 Maintenance and repair of concrete structures - Part 1: General principles. 2010.

23.
DINIZ, S. M. C.; SILVA FILHO, L. C. P. . Formulação do voto brasileiro, projeto de norma TC71 SC8 Environmental management for concrete and concrete and concrete structures: General Principles. 2010.

24.
DINIZ, S. M. C.. Parecer sobre o documento ISO/TC71/SC6/ISO CD 14484 (projeto de norma ISO, Guidelines for Design of Concrete Structures Using Fibre-Reinforced Polymer Materials), como contribuição à formulação do voto brasileiro (ABNT).. 2010.

25.
DINIZ, S. M. C.. Avaliador na área de ciências exatas para o convênio USP/COFECUB. 2009.

26.
DINIZ, S. M. C.. Revisão dos projetos de norma ISO/FDIS 10406-1e ISO/FDIS 10406-2. 2008.

27.
DINIZ, S. M. C.. Análise das sugestões propostas pelo comitê ?318C-08R Safety, Serviceability, and Analysis? para a revisão da norma norte-americana ACI 318. 2007.

28.
DINIZ, S. M. C.. Membro do comitê ?Chester Paul Siess Award for Excellence in Structural Research (SC3)? do ?Committee on Awards for Papers?, (CAP) do ?American Concrete Institute (ACI)?. 2007.

29.
DINIZ, S. M. C.. Membro do comitê ?Chester Paul Siess Award for Excellence in Structural Research (SC3)? do ?Committee on Awards for Papers?, (CAP) do ?American Concrete Institute (ACI)?. 2006.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
Diniz, S.M.C.. Desenvolvimento Sustentável. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).


Demais tipos de produção técnica
1.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Revista Ibracon de Estruturas e Materiais. 2018. (Revisão de artigo técnico).

2.
Diniz, S.M.C.. Preparação da ata da reunião do Task Group 1 on Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty. 2018. (Preparação da ata da reunião do Task Group 1 on Life-Cycle Performance of Structural Systems under).

3.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, ASCE-ASME Journal of Risk and Uncertainty in Engineering Systems, Part A: Civil Engineering. 2018. (Revisão de artigo técnico).

4.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering. 2018. (Revisão de artigo técnico).

5.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering (2). 2018. (Revisão de artigo técnico).

6.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering (3). 2018. (Revisão de artigo técnico).

7.
Diniz, S.M.C.. A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas (III). 2017. (Relatório de pesquisa).

8.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering. 2017. (Revisão de artigo técnico).

9.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, ACI Structural Journal. 2017. (Revisão de artigo técnico).

10.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering (2). 2017. (Revisão de artigo técnico).

11.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Revista Ibracon de Estruturas e Materiais. 2017. (Revisão de artigo técnico).

12.
Diniz, S.M.C.. Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Denver, CO, EUA. 2017. (Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliab).

13.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Journal of Structural Engineering (ASCE). 2017. (Revisão de artigo técnico).

14.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, ACI Structural Journal (2). 2017. (Revisão de artigo técnico).

15.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering (3). 2017. (Revisão de artigo técnico).

16.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering. 2016. (Revisão de artigo técnico).

17.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigo técnico, Journal of Composite Materials. 2016. (Revisão de artigo técnico).

18.
DINIZ, S. M. C.. Preparação da ata da reunião do Task Group 1 on Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty. 2016. (Preparação da ata da reunião do Task Group 1 on Life-Cycle Performance of Structural Systems under).

19.
DINIZ, S. M. C.. Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Phoenix, AZ, EUA. 2016. (Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliab).

20.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigo técnico, Structural Safety, Elsevier. 2016. (Revisão de artigo técnico).

21.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigo técnico, Engineering Structures, Elsevier. 2016. (Revisão de artigo técnico).

22.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, ACI Structural Journal. 2016. (Revisão de artigo técnico).

23.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Engineering Structures, Elsevier (2). 2016. (Revisão de artigo técnico).

24.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, ASCE-ASME Journal of Risk and Uncertainty in Engineering Systems, Part A: Civil Engineering. 2016. (Revisão de artigo técnico).

25.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Structural Safety, Elsevier (2). 2016. (Revisão de artigo técnico).

26.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Engineering Structures, Elsevier. 2015. (Revisão de artigo técnico).

27.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, ACI Structural Journal. 2015. (Revisão de artigo técnico).

28.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structural Safety, Elsevier. 2015. (Revisão de artigo técnico).

29.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Journal of Structural Engineering (ASCE). 2015. (Revisão de artigo técnico).

30.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, ASCE-ASME Journal of Risk and Uncertainty in Engineering Systems, Part A: Civil Engineering. 2015. (Revisão de artigo técnico).

31.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering. 2015. (Revisão de artigo técnico).

32.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structural Safety, Elsevier (2). 2015. (Revisão de artigo técnico).

33.
Diniz, S.M.C.. Preparação da ata da reunião do Task Group 1 on Life-Cycle Performance of Structural Systems under. 2015. (Preparação da ata da reunião do Task Group 1 on Life-Cycle Performance of Structural Systems under).

34.
Diniz, S.M.C.. Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliab. 2015. (Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliab).

35.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Engineering Structures, Elsevier (2). 2015. (Revisão de artigo técnico).

36.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Engineering Structures, Elsevier (3). 2015. (Revisão de artigo técnico).

37.
DINIZ, S. M. C.. Relatório de participação em reuniões do ISO/TC 71-Concrete, Reinforced Concrete, and Pre-stressed C. 2015. (Relatório de participação em reuniões do ISO/TC 71-Concrete, Reinforced Concrete, and Pre-stressed C).

38.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigo técnico, ACI Structural Journal (2). 2015. (Revisão de artigo técnico).

39.
Diniz, S.M.C.. A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas (II). 2014. (Relatório de pesquisa).

40.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, ACI Structural Journal. 2014. (Revisão de artigo técnico).

41.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering (1). 2014. (Revisão de artigo técnico).

42.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering (2). 2014. (Revisão de artigo técnico).

43.
Diniz, S.M.C.. Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Boston, EUA. 2014. (Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliab).

44.
Diniz, S.M.C.. Preparação da ata da reunião do Task Group 1 on Life-Cycle Performance of Structural Systems under. 2014. (Preparação da ata da reunião do Task Group 1 on Life-Cycle Performance of Structural Systems under).

45.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Structural Safety, Elsevier. 2014. (Revisão de artigo técnico).

46.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Probabilistic Engineering Mechanics, Elsevier. 2014. (Revisão de artigo técnico).

47.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, ACI Structural Journal (2). 2014. (Revisão de artigo técnico).

48.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, ACI Structural Journal (3). 2014. (Revisão de artigo técnico).

49.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Engineering Structures, Elsevier. 2014. (Revisão de artigo técnico).

50.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Engineering Structures, Elsevier (2). 2014. (Revisão de artigo técnico).

51.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Structural Safety, Elsevier (2). 2014. (Revisão de artigo técnico).

52.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Engineering Structures, Elsevier (3). 2014. (Revisão de artigo técnico).

53.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering (3). 2014. (Revisão de artigo técnico).

54.
Diniz, S.M.C.. Programa do Pesquisador Mineiro V - A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas II. 2013. (Relatório de pesquisa).

55.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering (1). 2013. (Revisão de artigo técnico).

56.
Diniz, S.M.C.. Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliab. 2013. (Ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliab).

57.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, ACI Structural Journal. 2013. (Revisão de artigo técnico).

58.
Diniz, S.M.C.. Preparação da ata da reunião da ABNT / CEE-193. 2013. (Ata da reunião da ABNT / CEE-193).

59.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Engineering Structures, Elsevier. 2013. (Revisão de artigo técnico).

60.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Engineering Structures, Elsevier (2). 2013. (Revisão de artigo técnico).

61.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, periódico Structure &Infrastructure Engineering (2). 2013. (Revisão de artigo técnico).

62.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigo técnico, Engineering Structures, Elsevier. 2012. (Revisão de artigo técnico).

63.
DINIZ, S. M. C.. Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliab. 2012. (Ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliab).

64.
Diniz, S.M.C.. Maintenance and repair of concrete structures -- Part 2: Assessment of existing structures. 2012. (Avaliação do DRAFT INTERNATIONAL STANDARD ISO/DIS 16311-2, TC71/SC7).

65.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigo técnico, Engineering Structures, Elsevier, 2. 2012. (Revisão de artigo técnico).

66.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, ACI Structural Journal. 2012. (Revisão de artigo técnico).

67.
Diniz, S.M.C.. Revisão de artigo técnico, Journal of Composite Materials. 2012. (Revisão de artigo técnico).

68.
Diniz, S.M.C.; BATTAGIN, I. . Avaliação do DRAFT INTERNATIONAL STANDARD ISO/DIS 13315-1, Comitê ISO/TC 71/SC 8. 2012. (Avaliação do DRAFT INTERNATIONAL STANDARD ISO/DIS 13315-1, Comitê ISO/TC 71/SC 8).

69.
Diniz, Sofia M. C.. A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas. 2011. (Relatório de pesquisa).

70.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ACI Structural Journal. 2011. (Revisao de artigos tecnicos).

71.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ASCE Journal of Structural Engineering. 2011. (Revisao de artigos tecnicos).

72.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigo técnico, ACI Special Publication (SP), Andy Scanlon Symposium (1). 2011. (Revisão de artigo técnico).

73.
DINIZ, S. M. C.. Ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliab. 2011. (Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliab).

74.
DINIZ, S. M. C.; BATTAGIN, I. . Maintenance and repair of concrete structures -- Part 3: Design of repairs and prevention.. 2011. (Avaliação do DRAFT INTERNATIONAL STANDARD ISO/DIS 16311-3, TC71/SC7).

75.
DINIZ, S. M. C.; BATTAGIN, I. . Maintenance and repair of concrete structures -- Part 4: Execution of repairs and prevention.. 2011. (Avaliação do DRAFT INTERNATIONAL STANDARD ISO/DIS 16311-4, TC71/SC7).

76.
DINIZ, S. M. C.; BATTAGIN, I. . Performance guidelines for design of concrete structures using fibre-reinforced polymer (FRP) materials. 2011. (Avaliação do DRAFT INTERNATIONAL STANDARD ISO/DIS 14484, Comitê ISO/TC 71/SC 6).

77.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigo técnico, ACI Special Publication (SP), Andy Scanlon Symposium (2). 2011. (Revisão de artigo técnico).

78.
DINIZ, S. M. C.; BATTAGIN, I. . Maintenance and repair of concrete structures -- Part 1:General Principles.. 2011. (Avaliação do DRAFT INTERNATIONAL STANDARD ISO/DIS 16311-1, TC71/SC7).

79.
DINIZ, S. M. C.. Programa do pesquisador mineiro II: A Confiabilidade Estrutural e a Evolucao de Normas Técnicas. 2010. (Relatório de pesquisa).

80.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, Revista Ibracon de Estruturas e Materiais. 2010. (Revisao de artigos tecnicos).

81.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ACI Structural Journal. 2010. (Revisao de artigos tecnicos).

82.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ASCE Journal of Structural Engineering. 2010. (Revisao de artigos tecnicos).

83.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, Journal of the Korean Society of Civil Engineers. 2010. (Revisao de artigos tecnicos).

84.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ACI Structural Journal. 2009. (Revisao de artigos tecnicos).

85.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, Structure and Infrastructure Engineering Maintenance, Management, Life-Cycle Design and Performance. 2009. (Revisao de artigos tecnicos).

86.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos Journal of Structural Engineering. 2009. (Revisao de artigos tecnicos).

87.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos Revista Ibracon de Estruturas e Materiais. 2009. (Revisao de artigos tecnicos).

88.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigo tecnico, ACI Special Publication (SP), Thomas T.C. Hsu Symposium: Shear and Torsion of Concrete Structures. 2009. (Revisao de artigos tecnicos).

89.
DINIZ, S. M. C.. Avaliação da confiabilidade de pilares em concreto de alta resistência sujeitos a cargas de longa duração. 2008. (Relatório de pesquisa).

90.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ACI Materials Journal. 2008. (Revisao de artigos tecnicos).

91.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigos técnicos, Engineering Structures, Elsevier. 2008. (Revisão de artigos técnicos).

92.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, Revista IBRACON de Estruturas. 2008. (Revisao de artigos tecnicos).

93.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ACI Structural Journal. 2008. (Revisao de artigos tecnicos).

94.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ACI Structural Journal. 2007. (Revisao de artigos tecnicos).

95.
DINIZ, S. M. C.. Coordenadora da sessão "Gestão e Normalização", 01/09/2007. 2007. (Moderadora de sessão).

96.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, Journal of Structural Engineering (ASCE). 2007. (Revisao de artigos tecnicos).

97.
DINIZ, S. M. C.. Co-chairman da sessão Offshore and Other Systems, CSM5, Rodos, Grécia. 2006. (Moderadora de sessão).

98.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigos técnicos, 27th CILAMCE. 2006. (Revisão de artigos técnicos).

99.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ACI Structural Journal. 2006. (Revisao de artigos tecnicos).

100.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, Building and Fire Research Laboratory, National Institute of Standards and Technology, Gaithersburg, EUA. 2005. (Revisao de artigos tecnicos).

101.
DINIZ, S. M. C.. Moderadora da sessão "Risk Analysis III: Hurricane Loss Models", 10th Americas Conference on Wind Engineering, Baton Rouge, EUA. 2005. (Moderadora de sessão).

102.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ACI Structural Journal, American Concrete Institute. 2005. (Revisao de artigos tecnicos).

103.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de seis artigos técnicos, XXVI CILAMCE, 19-21 Outubro, 2005, Guarapari. 2005. (Revisao de artigos tecnicos).

104.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, Building and Fire Research Laboratory, National Institute of Standards and Technology, Gaithersburg. 2004. (Revisao de artigos tecnicos).

105.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, American Concrete Institute. 2004. (Revisao de artigos tecnicos).

106.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, National Institute of Standards and Technology. 2003. (Revisao de artigos tecnicos).

107.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ACI Structural Journal. 2002. (Revisao de artigos tecnicos).

108.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigos técnicos, Journal of Structural Engineering, American Society of Civil Engineers. 2002. (Revisão de artigos técnicos).

109.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigos técnicos, Building and Fire Research Laboratory, NIST, 2002. 2002. (Revisão de artigos técnicos).

110.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigos técnicos, XXX Jornadas Sul-Americanas de Engenharia Estrutural. 2002. (Revisão de artigos técnicos).

111.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ACI Structural Journal. 2001. (Revisao de artigos tecnicos).

112.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigos técnicos, International Conference on High Performance Materials in Bridges and Buildings. 2001. (Revisão de artigos técnicos).

113.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigos técnicos, Journal of Structural Engineering, American Society of Civil Engineers. 2001. (Revisão de artigos técnicos).

114.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigos técnicos, RILEM Publications, França. 2001. (Revisão de artigos técnicos).

115.
DINIZ, S. M. C.. Revisão de artigos técnicos, Building and Fire Research Laboratory, NIST, 2001. 2001. (Revisão de artigos técnicos).

116.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, ACI Structural Journal. 1999. (Revisao de artigos tecnicos).

117.
DINIZ, S. M. C.. Revisao de artigos tecnicos, 1st Engineering Foundation Conference on High-Strength Concrete. 1997. (Revisao de artigos tecnicos).

Demais trabalhos
1.
DINIZ, S. M. C.. Entrevista concedida ao programa de TV da Rede Minas, Opiniao Minas, sobre o tema Engenharia e Desenvolvimento Sustentavel.. 2004 (Demais trabalhos relevantes) .

2.
DINIZ, S. M. C.. Participacao no programa de TV, Brasil das Gerais, da Rede Minas, MG sobre o tema popularizacao da ciencia.. 2004 (Demais trabalhos relevantes) .



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
MAGALHAES, A. G.; Diniz, S.M.C.; BRANCO, L. A. M. N.. Participação em banca de Chrístopher Augusto Campos. Estudo da carbonatação em compósitos cimentícios produzidos com aditivos redutores de permeabilidade por cristalização capilar. 2018. Dissertação (Mestrado em Construção Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
Diniz, S.M.C.; CALIXTO, J. M.; FREITAS, M. S. R.. Participação em banca de Raphael Nonato Cabana Vieira. Confiabilidade de Pilares Curtos em Concreto de Alta Resistência Dimensionados Segundo a NBR 6118:2014. 2017. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

3.
MAGALHAES, M. C.; Diniz, S.M.C.; DUARTE, M. L. M.; PAPINI, G. S.. Participação em banca de Hugo Sampaio Líbero. Avaliação de Desempenho Vibroacústico de Unidades Residenciais. 2017. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
Diniz, S.M.C.; CALIXTO, J. M.; PEREIRA, S. S. R.. Participação em banca de Billy Lukusa Badimuena. Avaliação da Confiabilidade de Estruturas Existentes: Influência da Resistência à Compressão do Concreto. 2017. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

5.
Diniz, S.M.C.; CALIXTO, J. M.; MAGALHAES, A. G.. Participação em banca de Rafael Aredes Couto. Avaliação Probabilística da Vida Útil de Estruturas de Concreto Armado Sujeitas À Carbonatação. 2017. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

6.
Diniz, S.M.C.; CALIXTO, J. M.; PEREIRA, S. S. R.. Participação em banca de Elayne Marques Silva. Probabilistic Assessment of Serviceability of FRP-Reinforced Concrete Beams. 2017. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

7.
CALIXTO, J. M.; Diniz, S.M.C.; PEREIRA, S. S. R.; Santos, S.H.C.. Participação em banca de Erika Marinho Meireles Leitão. Estudo Comparativo de Métodos Aproximados para Análise do Efeito de Segunda Ordem em Pilares Esbeltos de Concreto Armado sob flexão Composta Reta. 2016. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

8.
Campos Filho, A.; Real, M.V.; MAGHOUS, S.; Diniz, S.M.C.; Menezes, R.C.R.. Participação em banca de Alexandra Pinto Damas. Estudo da Confiabilidade no Projeto de Pilares Esbeltos de Concreto de Alta Resistência. 2015. Dissertação (Mestrado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

9.
Beck, A.T.; DINIZ, S. M. C.; LEONEL, E. D.. Participação em banca de Eunice Silva Santos. Avaliação estatística do erro de modelos de resistência para elementos lineares de concreto armado da ABNT NBR 6118:2007. 2012. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil (Engenharia de Estruturas)) - Universidade de São Paulo.

10.
Rodrigues, F.C.; DINIZ, S. M. C.; FREITAS, M. S. R.; Caldas, R.B.. Participação em banca de Bruno Torres Pichara Sily. Avaliacão Probabilística da Resistência à Compressão Axial de Perfis de Aco Formados a Frio. 2012. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

11.
DINIZ, S. M. C.; Malite, M.; Beck, A.T.. Participação em banca de Antonio Carlos de Souza Júnior. Aplicação de Confiabilidade na Calibração de Coeficientes parciais de Segurança de Normas Brasileiras de Projeto Estrutural. 2009. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - Universidade de São Paulo.

12.
DINIZ, S. M. C.; Silva, N.A.; Menezes, R.C.R.. Participação em banca de Crysthian Purcino Bernardes Azevedo. Avaliação da Confiabilidade de Fundações de Torres Estaiadas em Linhas de Transmissão. 2007. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

13.
da Silva, T.J.; DINIZ, S. M. C.; Agostinho, P.C.P.. Participação em banca de Fernanda Ribeiro Jordão. Caracterização de variáveis que influenciam na vida útil das estruturas de concreto. 2006. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Uberlândia.

14.
DINIZ, S. M. C.; PITANGUEIRA, R. L.; da Silva, T.J.. Participação em banca de Rodrigo Vitali Lorensini. Avaliação Probabilística da Deterioração de Estruturas em Concreto Armado. 2006. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

15.
DINIZ, S. M. C.; CALIXTO, J. M.; FREITAS, M. S. R.. Participação em banca de Henrique Alves Tartaglia Nogueira. Avaliação da Confiabilidade de Pilares Curtos em Concreto Armado Projetados Segundo a NBR 6118:2003. 2006. Dissertação (Mestrado em Pos-graduacao em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

16.
DINIZ, S. M. C.; FREITAS, M. S. R.; RIBEIRO, L. F. L.. Participação em banca de Aparecida Mucci Castanheira. Avaliação de Confiabilidade de Vigas Metálicas Dimensionadas pela NBR 8800. 2004. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Ouro Preto.

17.
DINIZ, S. M. C.; FREITAS, M. S. R.; PITANGUEIRA, R. L.; CALIXTO, J. M.. Participação em banca de Elizeth Rodrigues Machado. Avaliacao da Confiabilidade de Estruturas em Concreto Armado. 2001. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

18.
DINIZ, S. M. C.; PITANGUEIRA, R. L.; CALIXTO, J. M.; MELO, G.. Participação em banca de Regina Celia Maciel Franca. Comportamento Estrutural de Pilares em Concreto de Alta Resistencia. 2001. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Teses de doutorado
1.
Diniz, S.M.C.; Campos Filho, A.; BECK, A. T.; FREITAS, M. S. R.; CALIXTO, J. M.. Participação em banca de Juscelina Rosiane Ferreira. RELIABILITY OF SHORT CIRCULAR RC COLUMNS CONFINED BY FRP. 2017. Tese (Doutorado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
Da Silva, R.M.; SOUZA, R. V. G.; DINIZ, S. M. C.; KRUGER, E. L.; SOUZA, H. A.; PEDRINI, A.. Participação em banca de Raquel Diniz Oliveira. Classificação do Desempenho Térmico da Envoltória de Habitação Popular em Concreto Armado. 2015. Tese (Doutorado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

3.
SILVA FILHO, L. C. P.; Real, M.V.; Diniz, S.M.C.; Campos Filho, A.; SCHWETZ, P. F.; GARCEZ, M. R.. Participação em banca de FÁBIO COSTA MAGALHÃES. A Problemática dos Concretos não Conformes e sua Influência na Confiabilidade de Pilares de Concreto Armado. 2014. Tese (Doutorado em Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

4.
CALIXTO, J. M.; LADEIRA, L. O.; Diniz, S.M.C.; Mansur, H.; REPETTE, W. L.; MIRANDA, C. R.. Participação em banca de Júnia Nunes de Paula. Comportamento Mecânico e Reológico de Pastas de Cimento Fabricado com Nanotubos de Carbono Crescidos em Clínquer para Poços de Petróleo. 2014. Tese (Doutorado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

5.
FREITAS, M. S. R.; FREITAS, A. M. S.; SOUSA JR, J. B. M.; BATISTA, E. M.; Diniz, S.M.C.. Participação em banca de André Luís Riqueira Brandão. Calibração do coeficiente de ponderação da resistência em barras e ligações de perfis formados a frio. 2012. Tese (Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil - PROPEC) - Universidade Federal de Ouro Preto.

6.
CALIXTO, J. M.; LADEIRA, L. O.; Diniz, S.M.C.; Pimenta, Marcos Assunção; Gleize, Philippe Jean Paul; FREIRE, V. N.. Participação em banca de Péter Ludvig. Synthesis and Characterization of Portland Cement Manufactured with Carbon Nanotubes. 2012. Tese (Doutorado em ENGENHARIA DE ESTRUTURAS) - Universidade Federal de Minas Gerais.

7.
CALIXTO, J. M.; Diniz, S.M.C.; PEREIRA, S. S. R.; FREITAS, M. S. R.; GUIMARAES, G. B.; BECK, A. T.. Participação em banca de Adriana Bicalho Ribeiro. Projeto semi-probabilístico de vigas de concreto armado com modo de falha por cisalhamento. 2012. Tese (Doutorado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

8.
SILVA FILHO, L. C. P.; DINIZ, S. M. C.; Heineck, K.S.; Figueiredo, E.J.P.; Ferreira, J.Z.; Bisognin, C.. Participação em banca de Ariela da Silva Torres. Corrosão por Cloretos em Estruturas de Concreto Armado: Uma Meta-Análise. 2011. Tese (Doutorado em Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

9.
DINIZ, S. M. C.; LAVALL, A. C. C.; FREITAS, M. S. R.; Beck, A.T.; Aoki, N.. Participação em banca de Crysthian Purcino Bernardes Azevedo. Projeto de Fundações de Linhas de Transmissão Baseado em Confiabilidade. 2011. Tese (Doutorado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

10.
DINIZ, S. M. C.; Campos Filho, A.; Vaz, L.E.; Da Silva, R.M.; PITANGUEIRA, R. L.; Machado, A.P.. Participação em banca de Sidnea Eliane Campos Ribeiro. Avaliação da Confiabilidade de Vigas em Concreto Armado com Plástico Reforçado por Fibras. 2009. Tese (Doutorado em Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

11.
Campos Filho, A.; Real, M.V.; Riera, J.D.; DINIZ, S. M. C.; Loriggio, D.D.. Participação em banca de Charlei Marcelo Paliga. Análise Probabilística de Estruturas Reforçadas de Concreto através do Mëtodo dos Elementos Finitos. 2008. Tese (Doutorado em Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

12.
Anselmo Chaves Neto; Mildred Ballin Hecke; DINIZ, S. M. C.; Marco Antonio Marino; Roberto Dalledone Machado; Rodrigo Neves. Participação em banca de Claudio Marchand Kruger. Analise de Confiabilidade Estrutural Aplicada as Barragens de Concreto. 2008. Tese (Doutorado em Métodos Numéricos em Engenharia) - Universidade Federal do Paraná.

13.
QUEIROZ, G.; DINIZ, S. M. C.; Ricardo Hallal Fakury; Francisco Carlos Rodrigues; FREITAS, M. S. R.; FRUCHTENGARTEN, J.. Participação em banca de Roberval José Pimenta. Perfis de Alma Senoidal: Proposição de Métodos de Cálculo e Análise da Confiabilidade Estrutural. 2008. Tese (Doutorado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

14.
Velasco, M.S.L.; Eboli, C.R.; Silva, R.R.; Vaz, L.E.; Santos, S.H.C.; DINIZ, S. M. C.; Einsfeld, R.A.. Participação em banca de Marcela Torno de Azeredo Lopes. Análise de Confiabilidade de Estruturas Aplicada ao Projeto de Reforco à Forca Cortante com Compósitos de Fibras de Carbono de Vigas em Concreto Armado. 2007. Tese (Doutorado em Pós-Graduacão em Engenharia Civil da PUC-Rio) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

15.
DINIZ, S. M. C.; CUNHA, J. C.; VASCONCELOS, W. L.. Participação em banca de Claudio Rigo da Silva. Desenvolvimento e Aplicação de uma Metodologia para Caracterização e Análise Estrutural de Concretos. 1998. Tese (Doutorado em Engenharia Metalúrgica e de Minas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Qualificações de Doutorado
1.
Diniz, S.M.C.; GAMA, J. L. C. N.; PORTELLA, K. F.. Participação em banca de Ana Paula Borges Marcelino. Evaluation of Internal Attack from Sulfide-Bearing Aggregates on the Behavior of Micro-Concrete. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
GARCIA, S. L. G.; Diniz, S.M.C.; HELENE, P. R. L.. Participação em banca de Diogo Pereira dos Santos. ESTUDO EXPERIMENTAL DOS EFEITOS DA CORROSÃO EM ELEMENTOS PRÉ-TRACIONADOS PRODUZIDOS COM CONCRETO LEVE ESTRUTURAL. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em Engenharia Civil) - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro.

3.
DINIZ, S. M. C.; KRUGER, E. L.; SOUZA, H. A.. Participação em banca de Raquel Diniz Oliveira. Análise do Desempenho Térmico da Envoltória de Habitação Popular Naturalmente Ventilada Estruturada em Parede de Concreto na Perspectiva das Principais Normas Vigentes. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
SILVA FILHO, L. C. P.; Real, M.V.; Campos Filho, A.; BARBOSA, M. P.; Diniz, S.M.C.; GARCEZ, E. O.. Participação em banca de FÁBIO COSTA MAGALHÃES. CONTRIBUIÇÃO PARA A ANÁLISE DA VIABILIDADE DO USO DA RESISTÊNCIA DO CONCRETO NA AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DE ESTRUTURAS. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

5.
DINIZ, S. M. C.; Pimenta, Marcos Assunção; Gleize, Philippe Jean Paul. Participação em banca de Peter Ludvig. Macro and Micro Characterization of Matrices Produced with Portland Cement Manufactured with Carbon Nanotubes. 2010. Exame de qualificação (Doutorando em Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

6.
DINIZ, S. M. C.; CASAS, E. B. L.; MAZZILLI, C. E. N.. Participação em banca de Pedro Vianna Pessoa de Mendonça. Avaliação do Risco Sísmico em Edificios de Andares Múltiplos Construídos no Território Brasileiro?. 2003. Exame de qualificação (Doutorando em Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

7.
VASCONCELOS, W. L.; CUNHA, J. C.; DINIZ, S. M. C.. Participação em banca de Cláudio Alberto Rigo da Silva. Proposta de Metodologia de Análise Estrutural de Concretos. 1996. Exame de qualificação (Doutorando em Pós-Graduação em Engenharia Metalúrgica e de Minas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Qualificações de Mestrado
1.
Diniz, S.M.C.; CALIXTO, J. M.; PEREIRA, S. S. R.. Participação em banca de Luíza Cardoso Ribas e Castro. Confiabilidade de Pilares Existentes de Concreto Armado Sujeitos a Perda de Área da Armadura Longitudinal. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
Carvalho, H.; LAVALL, A. C. C.; Diniz, S.M.C.. Participação em banca de Victor Roberto Verga Mendes. Critérios de Projeto para Linhas de Transmissão Aéreas. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

3.
Diniz, S.M.C.; CALIXTO, J. M.; Francisco Carlos Rodrigues. Participação em banca de Túlio Antunes Pinto Coelho. Estudo da Confiabilidade de Estruturas de Concreto Armado em Situação de Incêndio. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
Diniz, S.M.C.; PEREIRA, S. S. R.; CALIXTO, J. M.; Carvalho, H.. Participação em banca de Gabriel Rhein Signorelli. Gestão de Pontes Ferroviárias em Concreto considerando as Condições Estruturais, Funcionais e de Durabilidade, identificadas em Inspeção. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

5.
CALIXTO, J. M.; PEREIRA, S. S. R.; Maia, E.V.; Diniz, S.M.C.. Participação em banca de Ricardo Barbosa Vieira Santos. Análise Não Linear de Lajes Alveolares Protendidas sob Carga de Longa Duração. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

6.
DINIZ, S. M. C.; CALIXTO, J. M.; MAGALHAES, A. G.. Participação em banca de Rafael Aredes Couto. Avaliação Probabilística da Vida Útil de Estruturas de Concreto Armado Sujeitas à Carbonatação. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

7.
MAGALHAES, M. C.; DINIZ, S. M. C.; GRECO, M.; DUARTE, M. L. M.. Participação em banca de Hugo Sampaio Líbero. Análise Teórico-Experimental Vibro-Acústica entre Duas Unidades Residenciais Adjacentes. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

8.
DINIZ, S. M. C.; RIBEIRO, S. E. C.; CALIXTO, J. M.; PEREIRA, S. S. R.. Participação em banca de Elayne Marques Silva. Avaliação Probabilística das Flechas de Vigas de Concreto Armadas com Plástico Reforçado por Fibras (PRF). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

9.
DINIZ, S. M. C.; CALIXTO, J. M.; PEREIRA, S. S. R.. Participação em banca de Billy Lukusa Badimuena. Avaliação da Confiabilidade de Estruturas Existentes: Influência da Resistência à Compressão do Concreto. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

10.
Diniz, S.M.C.; CALIXTO, J. M.; PEREIRA, S. S. R.. Participação em banca de Raphael Nonato Cabana Vieira. Confiabilidade de Pilares Curtos em Concreto de Alta Resistência Dimensionados Segundo a NBR 6118:2014. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

11.
CALIXTO, J. M.; Diniz, S.M.C.; PEREIRA, S. S. R.; MELO, G. N. A.. Participação em banca de Erika Marinho Meireles Leitão. Pilares esbeltos de concreto armado submetidos à flexão composta reta. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

12.
Francisco Carlos Rodrigues; DINIZ, S. M. C.. Participação em banca de Bruno Torres Pichara Sily. Avaliacão Probabilística da Resistência à Compressão Axial de Perfis de Aço Formados a Frio. 2011. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

13.
CALIXTO, J. M.; DINIZ, S. M. C.; PEREIRA, S. S. R.; CHAVES, R. A.. Participação em banca de Cluderson Basileu Carvalho. Análise crítica sobre os critéririos normativos de dimensionamento à punção de lajes cogumelo. 2007. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

14.
DINIZ, S. M. C.. Participação em banca de Henrique Alves Tartaglia Nogueira. Avaliação da Confiabilidade de Pilares Curtos em Concreto Armado Projetados Segundo a NBR 6118:2003. 2006. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

15.
Silva, N.A.; COSTA, R. M.; DINIZ, S. M. C.. Participação em banca de Ayrton Hugo de Andrade e Santos. Estudo comparativo das propriedades mecânicas do concreto produzido com água tratada magneticamente. 2005. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

16.
DINIZ, S. M. C.. Participação em banca de Crysthian Purcino Bernardes Azevedo. Avaliação da Confiabilidade de Fundações de Torres Estaiadas em Linhas de Transmissão. 2005. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

17.
DINIZ, S. M. C.. Participação em banca de Rodrigo Vitali Lorensini. Avaliação Probabilística da Deterioração de Estruturas em Concreto Armado. 2004. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

18.
PITANGUEIRA, R. L.; DINIZ, S. M. C.. Participação em banca de Patrick Peres Ramos Silva. Implementação do Modelo de Microplanos para Estruturas de Concreto, Uma Abordagem Orientada a Objetos. 2000. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

19.
DINIZ, S. M. C.. Participação em banca de Elizeth Rodrigues Machado. Avaliacao da Confiabilidade de Estruturas em Concreto Armado. 1999. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

20.
DINIZ, S. M. C.. Participação em banca de Regina Celia Maciel França. Comportamento Estrutural de Pilares em Concreto de Alta Resistencia. 1999. Exame de qualificação (Mestrando em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
Diniz, S.M.C.; PEREIRA, S. S. R.; MENDONCA, P. V. P.. Participação em banca de Túlio Antunes Pinto Coelho.Critérios para tomada de decisão em Engenharia Estrutural baseados em risco. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
PAULA, F. A.; Diniz, S.M.C.; Piancastelli, E.M.. Concurso para Professor Substituto. 2014. Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
PAULETTI, R. M. O.; BELLA, J. C. D.; Diniz, S.M.C.; da Silva, T.J.; Roberto Dalledone Machado. Comissão julgadora do concurso ao cargo de Professor Doutor, PEF-USP. 2014. Universidade de São Paulo.

3.
Las Casas, E.B.; LAVALL, A. C. C.; PAULA, F. A.; Gonçalves, P.B.; Pimenta, P.M.; DINIZ, S. M. C.; Palermo Júnior, L.. Membro suplente da banca examinadora de concurso público para Professor Adjunto, DEEs/UFMG. 2009. Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
DINIZ, S. M. C.; BEDE, R. C.; CHAHUD, E.. Concurso para provimento de uma vaga de Professor Auxiliar, na área de "Análise Experimental de Tensões". 1989. Universidade Federal de Minas Gerais.

Outras participações
1.
Diniz, S.M.C.. Avaliadora, Engenharias, XXIV Semana de Iniciação Científica, UFMG. 2015. Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
Diniz, S.M.C.. Avaliadora, Engenharias, XXII Semana de Iniciação Científica, UFMG. 2013. Universidade Federal de Minas Gerais.

3.
Francisco Carlos Rodrigues; Diniz, S.M.C.; MAGALHAES, M. C.. Seleção de alunos para o Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas-PROPEEs. 2013. Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
DINIZ, S. M. C.; Palmier, L.R.. Avaliadora, Engenharias, XIX Seminário de Iniciação Científica, UFOP. 2011. Universidade Federal de Ouro Preto.

5.
DINIZ, S. M. C.; BARROS, J. E. M.; FRANCA, G. A. C.. Comissão para avaliação final de estágio probatório do Prof. Fabrício José Pacheco Pujatti. 2011. Universidade Federal de Minas Gerais.

6.
DINIZ, S. M. C.. Relatora do processo de credenciamento do Prof. André Teofilo Beck, Curso de Pós-Graduação, EESC/USP. 2009. Universidade de São Paulo.

7.
DINIZ, S. M. C.. Casebook review do processo de promocao da Dra. Mayrai Gindy, de Assistant Professor para Associate Professor. 2008. University of Rhode Island.

8.
FRANCO, J. R. Q.; DINIZ, S. M. C.; Ribeiro, G.O.. Seleção de alunos para o curso de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas da UFMG. 2007. Universidade Federal de Minas Gerais.

9.
DINIZ, S. M. C.; PAULA, F. A.; FRANCO, J. R. Q.. Seleção de alunos para o curso de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas da UFMG. 2006. Universidade Federal de Minas Gerais.

10.
DINIZ, S. M. C.. Casebook review do processo de promocao da Dra. Maria Szerszen, assistant research scientist para associate research scientist, University of Michigan. 2004. University of Michigan.

11.
DINIZ, S. M. C.; LAVALL, A. C. C.; VASCONCELLOS FILHO, A.. Presidente da comissão de seleção de alunos para o curso de mestrado em Engenharia de Estruturas da UFMG. 1996. Universidade Federal de Minas Gerais.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
2018 ACI Spring Convention. 2018. (Congresso).

2.
24th ISO TC 71 - Concrete, Reinforced Concrete and Pre-stressed Concrete Plenary Meeting.Chefe da delegação brasileira, 24th ISO TC71 Plenary Meeting, Moscou, Rússia. 2018. (Outra).

3.
9th International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. Bridge Safety Evaluation and Risk Assessment: Code Requirements vs. Practical Considerations. 2018. (Congresso).

4.
9th International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. http://iabmas2018.org/. 2018. (Congresso).

5.
9th International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. General Inspection and Maintenance. 2018. (Congresso).

6.
Mostra PROPEEs 2018.Confiabilidade Estrutural, Estruturas de Concreto e Normalização. 2018. (Outra).

7.
Reunião do comitê ACI 348, Salt Lake City, EUA.Voting member do comitê ACI 348 - Structural Reliability and Safety. 2018. (Outra).

8.
Reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Fort Worth, EUA.Chair do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainties. 2018. (Outra).

9.
Reunião do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty, Fort Worth, EUA.Chair do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainties. 2018. (Outra).

10.
Structures Congress 2018. Extending the life-cycle of reinforced concrete columns by FRP strengthening. 2018. (Congresso).

11.
23rd ISO TC 71 - Concrete, Reinforced Concrete and Pre-stressed Concrete Plenary Meeting.Chefe da delegação brasileira, 23rd ISO TC71 Plenary Meeting, Sapporo, Japão. 2017. (Outra).

12.
35th Meeting of ISO TC 98 - Bases for Design of Structures, Londres..35th Meeting of ISO TC 98 - Bases for Design of Structures, Londres. Membro da delegação brasileira credenciada pela ABNT.. 2017. (Outra).

13.
International Conference on Structural Safety and Reliability-Viena. Probabilistic Assessment of Serviceability of FRP-Reinforced Concrete Beams. 2017. (Congresso).

14.
International Conference on Structural Safety and Reliability-Viena. Concrete. 2017. (Congresso).

15.
Reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Denver, EUA.Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Denver, EUA. 2017. (Outra).

16.
Reunião do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty, Denver, EUA.Discussão sobre as atividades do TG1. 2017. (Outra).

17.
Reunião do Task Group 2: Reliability-Based Structural System Performance Indicators, Denver, EUA.Discussão sobre as atividades do TG2. 2017. (Outra).

18.
Reunião do Task Group 3: Risk Assessment of Structural Infrastructure Facilities and Risk-Based Decision Making, Denver, EUA. 2017. (Outra).

19.
2016 ACI Spring Convention, Milwaukee, EUA. 2016. (Congresso).

20.
22nd ISO TC71 Plenary Meeting - Concrete, Reinforced Concrete and Pre-stressed concrete.Chefe da delegação brasileira, 22nd ISO TC71 Plenary Meeting, Cartagena de Índias, Colômbia. 2016. (Outra).

21.
58o. Congresso Brasileiro do Concreto. Avaliação Probabilística das Flechas de Vigas de Concreto Armado com Plástico Reforçado por Fibras. 2016. (Congresso).

22.
5o. Encontro Nacional de Blogueiros e Ativistas Digitais-5BlogProg.O crime de Mariana e o papel da mídia. 2016. (Encontro).

23.
8th International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. Structural reliability methods for bridge safety and maintenance. 2016. (Congresso).

24.
8th International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. Bridge Networks: Maintenance, Safety, Reliability, Resilience, and Sustainability. 2016. (Congresso).

25.
8th International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. Reliability analysis of circular RC columns confined by CFRP. 2016. (Congresso).

26.
8th International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. Safety, Reliability and Serviceability. 2016. (Congresso).

27.
Fifth International Symposium on Life -Cycle Civil Engineering, IALCCE2016. Durability Design Criteria for Concrete Structures ? An Overview of Existing Codes, Guidelines and Specifications. 2016. (Congresso).

28.
Mostra PROPEEs 2016.Confiabilidade Estrutural, Estruturas de Concreto e Normalização. 2016. (Outra).

29.
Reunião do comitê ACI 348, Milwaukee, EUA.Voting member do ACI 348 - Structural Safety. 2016. (Outra).

30.
Reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Phoenix, EUA.Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Phoenix, EUA. 2016. (Outra).

31.
Reunião do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty, Phoenix, EUA.Discussão sobre as atividades do TG1; Preparação da ata da reunião do TG1, Phoenix, EUA. 2016. (Outra).

32.
Reunião do Task Group 2: Reliability-Based Structural System Performance Indicators, Phoenix, EUA.Discussão sobre as atividades do TG2. 2016. (Outra).

33.
Reunião do Task Group 3: Risk Assessment of Structural Infrastructure Facilities and Risk-Based Decision Making, Phoenix, EUA. 2016. (Outra).

34.
Seminário Mídia Concentrada, Democracia Ameaçada?. 2016. (Outra).

35.
2015 ACI Spring Convention, Kansas City, EUA. 2015. (Congresso).

36.
21st ISO TC71 Plenary Meeting - Concrete, Reinforced Concrete and Pre-stressed concrete.Avaliadora da norma técnica KCI 2012 (sul-coreana). 2015. (Outra).

37.
21st ISO TC71 Plenary Meeting - Concrete, Reinforced Concrete and Pre-stressed concrete.Avaliadora da norma técnica ACI 318-14 (norte-americana). 2015. (Outra).

38.
21st ISO TC71 Plenary Meeting - Concrete, Reinforced Concrete and Pre-stressed concrete.Resposta ao parecer dos revisores da norma ABNT NBR 6118:2014 segundo a ISO 19338. 2015. (Outra).

39.
21st ISO TC71 Plenary Meeting - Concrete, Reinforced Concrete and Pre-stressed concrete.Chefe da delegação brasileira credenciada pela ABNT. 2015. (Outra).

40.
33rd Meeting of ISO TC 98 - Bases for Design of Structures, Reston.Membro da delegação brasileira credenciada pela ABNT. 2015. (Outra).

41.
Multi-Span Large Bridges. Assessment of epistemic uncertainties in the resistance of RC columns confined by CFRP. 2015. (Congresso).

42.
Reunião do comitê ACI 348, Kansas City, EUA.Voting member do ACI 348 - Structural Safety. 2015. (Outra).

43.
Reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Portland, EUA.Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Portland, EUA. 2015. (Outra).

44.
Reunião do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty, Portland, EUA.Discussão sobre as atividades do TG1; Preparação da ata da reunião do TG1, Portland, EUA. 2015. (Outra).

45.
Reunião do Task Group 2: Reliability-Based Structural System Performance Indicators, Portland, EUA.Discussão sobre o white paper Performance Indicators. 2015. (Outra).

46.
Reunião do Task Group 3: Risk Assessment of Structural Infrastructure Facilities and Risk-Based Decision Making, Portland, EUA. 2015. (Outra).

47.
SEI/ASCE Workshop on Life-Cycle of Civil Structure and Infrastructure Systems.Life-Cycle Performance of Civil Structure and Infrastructure Systems ? State of Research: Performance and Maintenance. 2015. (Oficina).

48.
SEI/ASCE Workshop on Life-Cycle of Civil Structure and Infrastructure Systems.State of Research: Performance and Maintenance. 2015. (Oficina).

49.
2014 ACI Spring Convention, Reno, EUA. Assessment of Model Uncertainties in the Shear Strength of RC Beams. 2014. (Congresso).

50.
20th ISO TC71 Plenary Meeting - Concrete, Reinforced Concrete and Pre-stressed concrete.Chefe da delegação brasileira credenciada pela ABNT. 2014. (Outra).

51.
32nd Meeting of ISO TC 98 - Bases for Design of Structures, Copenhagen.Membro da delegação brasileira credenciada pela ABNT. 2014. (Outra).

52.
7th Computational Stochastic Mechanics Conference (CSM-7). RELIABILITY ASSESSMENT. 2014. (Congresso).

53.
7th Computational Stochastic Mechanics Conference (CSM-7), Santorini. PROBABILISTIC ASSESSMENT OF THE AXIAL STRENGTH OF COLD FORMED STEEL COLUMNS. 2014. (Congresso).

54.
Reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Boston, EUA.Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Boston, EUA. 2014. (Outra).

55.
Reunião do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty, Boston, EUA.Discussão sobre as atividades do TG1; Preparação da ata da reunião do TG1, Boston, EUA. 2014. (Outra).

56.
Reunião do Task Group 2: Reliability-Based Structural System Performance Indicators, Boston, EUA.Discussão sobre o white paper Performance Indicators. 2014. (Outra).

57.
Reunião do Task Group 3: Risk Assessment of Structural Infrastructure Facilities and Risk-Based Decision Making, Boston, EUA. 2014. (Outra).

58.
Visita técnica à EDRA Eco Sistemas.Visita técnica à EDRA Eco Sistemas. 2014. (Outra).

59.
11th International Conference on Structural Safety and Reliability, New York. Assessment of Epistemic Uncertainties in the Shear Strength of Reinforced Concrete Beams. 2013. (Congresso).

60.
2013 ACI Spring Convention, Minneapolis, EUA. 2013. (Congresso).

61.
55 Congresso Brasileiro do Concreto. Projeto Semi-Probabilístico de Vigas de Concreto Armado com Modo de Falha por Cisalhamento. 2013. (Congresso).

62.
Reunião do ACI 348 committee (Structural Safety), Minneapolis, EUA.Participação como voting member da reunião do ACI 348 committee (Structural Safety). 2013. (Outra).

63.
Reunião do comitê tecnico TC4: LIFE-CYCLE PERFORMANCE, COST AND OPTIMIZATION.Membro do comitê tecnico TC4: LIFE-CYCLE PERFORMANCE, COST AND OPTIMIZATION. 2013. (Outra).

64.
Reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Pittsburgh, EUA.Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Pittsburgh, EUA. 2013. (Outra).

65.
Reunião do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty, Pittsburgh, EUA.Discussão sobre as atividades do TG1. 2013. (Outra).

66.
Reunião do Task Group 2: Reliability-Based Structural System Performance Indicators.Discussão sobre o white paper Performance Indicators. 2013. (Outra).

67.
Reunião do Task Group 3: Risk Assessment of Structural Infrastructure Facilities and Risk-Based Decision Making. 2013. (Outra).

68.
19th ISO TC71 Plenary Meeting - Concrete, Reinforced Concrete and Pre-stressed concrete.Chefe da delegacão brasileira. 2012. (Outra).

69.
1st International Symposium on Uncertainty Quantification and Stochastic Modeling.DESIGN OF REINFORCED-CONCRETE BEAMS FOR SHEAR: MODEL SELECTION AND MODEL UNCERTAINTIES. 2012. (Simpósio).

70.
2012 ACI Spring Convention, Dallas, EUA. 2012. (Congresso).

71.
3rd International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering.Probabilistic description of foundation capacity for design of electrical transmission lines. 2012. (Simpósio).

72.
3rd International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering.Increasing durability of concrete structures. 2012. (Simpósio).

73.
54 Congresso Brasileiro do Concreto. Discussão sobre comitês técnicos do IBRACON. 2012. (Congresso).

74.
6th International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. Strength and Reliability of FRP-Reinforced Concrete Beams. 2012. (Congresso).

75.
6th International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. Residual Capacity and Service Life Assessment of Bridges. 2012. (Congresso).

76.
7th Computational Stochastic Mechanics Conference (CSM-7), Santorini. PROBABILISTIC ASSESSMENT OF THE AXIAL STRENGTH OF COLD FORMED STEEL COLUMNS. 2012. (Congresso).

77.
III Seminário de Engenharia de Confiabilidade.Confiabilidade Estrutural e Normalização na Engenharia Civil. 2012. (Seminário).

78.
Reunião do ACI 348 committee (Structural Safety), Dallas, EUA.Participação como voting member da reunião do ACI 348 committee (Structural Safety). 2012. (Outra).

79.
Reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Chicago, EUA.Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Chicago, EUA. 2012. (Outra).

80.
Reunião do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty, Chicago, EUA.Chapter 3 - Deterioration Mechanisms. 2012. (Outra).

81.
Reunião do Task Group 2: Reliability-Based Structural System Performance Indicators.Discussao sobre o white paper Performance Indicators. 2012. (Outra).

82.
Reunião do Task Group 3: Risk Assessment of Structural Infrastructure Facilities and Risk-Based Decision Making. 2012. (Outra).

83.
Seminário no Dipartimento di Ingegneria Strutturale, Politecnico di Milano.RELIABILITY-BASED CONSIDERATIONS IN THE DESIGN OF FRP-REINFORCED CONCRETE STRUCTURES. 2012. (Seminário).

84.
Seminário Normas Nacionais e Internacionais de Concreto - Concrete Show 2012.Manutenção e Reabilitação de Estruturas de Concreto. 2012. (Seminário).

85.
18th Plenary Meeting ISO TC 71, ABNT/ ISO TC 71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete.Delegação brasileira para o 18th Plenary Meeting ISO TC 71, ABNT/ ISO TC 71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete. 2011. (Outra).

86.
2011 ACI Spring Convention. 2011. (Congresso).

87.
53o. Congresso Brasileiro do Concreto. Análise Descritiva dos Estudos Brasileiros sobre Corrosão de Armaduras por Ação de Íons Cloreto. 2011. (Congresso).

88.
Engenheiro do Futuro: Inovação no Ensino de Engenharia. 2011. (Seminário).

89.
ICASP11 - Applications of Statistics and Probability in Civil Engineering. Reliability-based design recommendations for FRP-reinforced concrete beams. 2011. (Congresso).

90.
II Seminário sobre o Combate ao Assédio Moral. 2011. (Seminário).

91.
Reunião do ACI 348 committee (Structural Safety), Tampa, EUA.Participação como voting member da reunião do ACI 348 committee (Structural Safety). 2011. (Outra).

92.
Reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Las Vegas, EUA.Preparação da ata da reunião do SEI-ASCE Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems, Las Vegas, EUA. 2011. (Outra).

93.
Reunião do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty, Las Vegas, EUA.Durability Design Criteria for Concrete Structures ? An Overview of Existing Codes, Guidelines and Specifications. 2011. (Outra).

94.
Reunião do Task Group 2: Reliability-Based Structural System Performance Indicators. 2011. (Outra).

95.
Reunião do Task Group 3: Risk Assessment of Structural Infrastructure Facilities and Risk-Based Decision Making. 2011. (Outra).

96.
11th Pan-American Conference of Applied Mechanics. SAFETY ASSESSMENT OF COMPOSITE CONNECTIONS IN SINUSOIDAL-WEB GIRDERS. 2010. (Congresso).

97.
11th Pan-American Conference of Applied Mechanics. Mini-simpósio Stochastic Modeling and Uncertainties in Solid Mechanics. 2010. (Congresso).

98.
17th ISO TC71 Plenary Meeting, Cartagena, Colômbia.Chefe da Delegação brasileira para o 17th Plenary Meeting ISO TC 71, ABNT/ ISO TC 71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete. 2010. (Outra).

99.
2010 ACI Fall Convention, Pittsburgh. 2010. (Congresso).

100.
2010 ACI Spring Convention. 2010. (Congresso).

101.
52 Congresso Brasileiro do Concreto. Quando não se atinge o fck especificado em obra: razões, consequência e prevenção. 2010. (Congresso).

102.
6th Computational Stochastic Mechanics. RELIABILITY-BASED DESIGN RECOMMENDATIONS FOR COMPOSITE CORRUGATED-WEB BEAMS. 2010. (Congresso).

103.
6th Computational Stochastic Mechanics. Offshore and Other Systems. 2010. (Congresso).

104.
Joint IABSE-fib Conference on Codes in Structural Engineering: Developments and Needs for International Practice. RELIABILITY BASES FOR DESIGN CODE DEVELOPMENT. 2010. (Congresso).

105.
MECOM-CILAMCE 2010, Buenos Aires. Análise de Confiabilidade de Vigas de Concreto Armado com Plástico Reforçado por Fibras. 2010. (Congresso).

106.
Reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety), Chicago.Participação como presidente do comite ACI 348 (Structural Safety), na reunião de Chicago 2010. 2010. (Outra).

107.
Reunião do sub-comitê SC8 (Environmental Management of Concrete Structures).Participação na reunião do sub-comitê SC8 (Environmental Management of Concrete Structures). 2010. (Outra).

108.
Second International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering (IALCEE?10).Probabilistic modeling of service life of reinforced concrete structures under corrosion. 2010. (Simpósio).

109.
Seminário fib Model Code 2010.Comentários sobre o tema Conservation, fib Model Code 2010. 2010. (Seminário).

110.
The Fifth International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. Life-cycle design of structural systems. 2010. (Congresso).

111.
The Fifth International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. Reliability assessment of reinforced concrete beams rehabilitated with CFRP sheets. 2010. (Congresso).

112.
10th International Conference on Structural Safety and Reliability. Safety Assessment of Composite Sinusoidal-Web Beams. 2009. (Congresso).

113.
10th International Conference on Structural Safety and Reliability. General Session (GS15). 2009. (Congresso).

114.
16th ISO TC71 Plenary Meeting.Chefe da delegação brasileira indicada pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). 2009. (Outra).

115.
2009 ACI Fall Convention. 2009. (Congresso).

116.
2009 ACI Spring Convention, San Antonio, Texas, EUA. Fellow do American Concrete Institute. 2009. (Congresso).

117.
51o. Congresso Brasileiro do Concreto. Temas controversos: Quando o fck não é atingido em obra. 2009. (Congresso).

118.
51o. Congresso Brasileiro do Concreto. Avaliação da confiabilidade de vigas de concreto armado, pesadamente carregadas, recuperadas com PRFC. 2009. (Congresso).

119.
Reunião do comitê ACI 348, Structural Safety.Presidência da reunião do comitê ACI 348, Structural Safety. 2009. (Outra).

120.
Reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety), San Antonio, Texas.Presidencia da reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety). 2009. (Outra).

121.
Reunião do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty.Reunião do Task Group 1: Life-Cycle Performance of Structural Systems under Uncertainty. 2009. (Outra).

122.
Reunião do Task Group 3: Risk Assessment of Structural Infrastructure Facilitiesand Risk-Based Decision Making.Reunião do Task Group 3: Risk Assessment of Structural Infrastructure Facilitiesand Risk-Based Decision Making. 2009. (Outra).

123.
Reunião do Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems.Reunião do Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems. 2009. (Outra).

124.
15th Plenary Meeting ISO TC 71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete.Representante da ABNT junto ao ISO TC 71. 2008. (Outra).

125.
2008 ACI Fall Convention. 2008. (Outra).

126.
2008 ACI Spring Convention, Los Angeles, USA. 2008. (Congresso).

127.
2008 Structures Congress. Structural Reliability: Rational Tools for Design Codes Development. 2008. (Congresso).

128.
2008 Structures Congress. Structural Reliability in Design Practice. 2008. (Congresso).

129.
50o Congresso Brasileiro do Concreto. Análise Estrutural. 2008. (Congresso).

130.
50o Congresso Brasileiro do Concreto. Reliability Evaluation of FRP Reinforced Concrete Beams. 2008. (Congresso).

131.
50o Congresso Brasileiro do Concreto. Estudo Probabilístico da Resistência à Compressão de Concretos Utilizados em Fundações. 2008. (Congresso).

132.
8th International Symposium on Utilization of High-Strength and High-Performance Concrete.FRP reinforced concrete: Reliability of Beams Designed According to ACI-440 Guidelines. 2008. (Simpósio).

133.
8th International Symposium on Utilization of High-Strength and High-Performance Concrete.Structural Performance 3. 2008. (Simpósio).

134.
First International Symposium on Life-cycle Civil Engineering.Towards Life-Cycle Assessment of Foundations of Guyed Towers in Electrical Transmission Lines. 2008. (Simpósio).

135.
First International Symposium on Life-cycle Civil Engineering.Life-Cycle Damage Processes II. 2008. (Simpósio).

136.
Fourth International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. Life-Cycle Structural Enginering. 2008. (Congresso).

137.
Fourth International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. FRP Reinforced Concrete: Reliability Assessment for Life-Cycle Analysis. 2008. (Congresso).

138.
Jornadas Sudamericanas de Ingenieria Estructural. ESTUDO DA CONFIABILIDADE DE UM MÉTODO PROPOSTO PARA VERIFICAÇÃO DE FLT EM VIGAS DE ALMA SENOIDAL. 2008. (Congresso).

139.
Reunião do comitê ACI 348 (Structural Safety), Los Angeles, USA.Presidência da reunião do comitê ACI 348 (Structural Safety), Atlanta, USA. 2008. (Outra).

140.
Reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety) Saint Louis, Missouri.Presidencia da reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety). 2008. (Outra).

141.
14th Plenary Meeting ISO TC 71 - Concrete, reinforced concrete and pre-stressed concrete. 2007. (Outra).

142.
2007 ACI Fall Convention, Fajardo, Porto Rico. 2007. (Congresso).

143.
2007 ACI Spring Convention, Atlanta, USA. 2007. (Congresso).

144.
49 Congresso Brasileiro do Concreto. A NBR 6118 e o concreto de alta resistência: projetando com segurança além dos 50 MPa. 2007. (Congresso).

145.
CMNE/CILAMCE 2007. Avaliação da Confiabilidade de Fundações de Torres Estaiadas em Linhas de Transmissão. 2007. (Congresso).

146.
CMNE/CILAMCE 2007, Presidente da sessão "Métodos Probabilísticos II". CMNE/CILAMCE 2007, Presidente da sessão "Métodos Probabilísticos II". 2007. (Congresso).

147.
Mesa Redonda ?Corrosão em Concreto Armado em Ambiente Marítmo: Situação Atual e Ações Futuras?. 2007. (Outra).

148.
Reunião do comitê ACI 348 (Structural Safety), Atlanta, USA.Presidência da reunião do comitê ACI 348 (Structural Safety), Atlanta, USA. 2007. (Outra).

149.
Reunião do comitê ACI 348 (Structural Safety), Fajardo, Porto Rico.Presidência da reunião do comitê ACI 348 (Structural Safety), Fajardo, Porto Rico. 2007. (Outra).

150.
Reunião do comitê Safety of Buildings do Structural Engineering Institute (SEI) da American Society of Civil Engineers (ASCE).Presidência da reunião do comitê Safety of Buildings do Structural Engineering Institute (SEI) da American Society of Civil Engineers (ASCE). 2007. (Outra).

151.
Reunião do comitê TAC Structural Safety and Reliability do Structural Engineering Institute (SEI) da American Society of Civil Engineers (ASCE).Participa,cão na reunião como presidente do comitê Safety of Buildings. Preparação da ata da reunião. 2007. (Outra).

152.
Seminário Risco na Engenharia Civil, Palestra: Confiabilidade e Risco na Engenharia Civil.Confiabilidade e Risco na Engenharia Civil: Conceitos, Métodos e Aplicacões. 2007. (Seminário).

153.
2006 ACI Fall Convention. Structural Reliability Basics. 2006. (Congresso).

154.
2006 ACI Fall Convention. How Reliable Is Reliability?. 2006. (Congresso).

155.
2006 ACI Spring Convention. ACI Spring Convention, Charlotte, EUA. 2006. (Congresso).

156.
2006 ASCE Structures Congress. 2006. (Congresso).

157.
27th Iberian Latin American Congress on Computational Methods in Engineering. Keynote lecture: A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas tëcnicas. 2006. (Congresso).

158.
27th Iberian Latin American Congress on Computational Methods in Engineering. Modelagem Probabilística da Vida Útil de Estruturas em Concreto Armado Sujeitas à Ação de Cloretos. 2006. (Congresso).

159.
48o. Congresso Brasileiro do Concreto. 2006. (Congresso).

160.
FIFTH INTERNATIONAL CONFERENCE ON COMPUTATIONAL STOCHASTIC MECHANICS. 5th International Conference on Computational Stochastic Mechanics, Rodos, Grécia. 2006. (Congresso).

161.
II International Conference on Concrete for Structures (INCOS06). Structural Reliability and the Development of Design Codes. 2006. (Congresso).

162.
Reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety).Presidencia da reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety). 2006. (Outra).

163.
Reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety).Reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety), Charlotte, EUA. 2006. (Outra).

164.
Reuniao do comite Safety of Bridges, Saint Louis, EUA.Reuniao do comite Safety of Bridges, Saint Louis, EUA. 2006. (Outra).

165.
Reuniao do comite Safety of Buildings, Saint Louis, EUA.Reuniao do comite Safety of Buildings, Saint Louis, EUA. 2006. (Outra).

166.
Reuniao do Technical Activities Committee Structural Safety and Reliability, SEI-ASCE, Saint Louis, EUA.Reuniao do Technical Activities Committee Structural Safety and Reliability, SEI-ASCE, Saint Louis, EUA. 2006. (Outra).

167.
Third International Conference on Bridge Maintenance, Safety and Management. Bridge evaluation using field testing. 2006. (Congresso).

168.
Third International conference on Bridge Maintenance, Safety and Management (IABMAS'06). Designing with HSC for safety: effect of age specification for characteristic strengths. 2006. (Congresso).

169.
VI Simpósio EPUSP sobre Estruturas de Concreto.Avaliação Probabilística da Deterioração de Estruturas em Concreto Armado Causada pela Ação de Cloretos. 2006. (Simpósio).

170.
VI Simpposio EPUSP sobre Estruturas de Concreto.A Confiabilidade Estrutural e a Evolução das Normas Técnicas. 2006. (Simpósio).

171.
10th Americas Conference on Wind Engineering. 10th Americas Conference on Wind Engineering, Baton Rouge, Louisiana, Estados Unidos. 2005. (Congresso).

172.
2005 American Concrete Institute Spring Convention. American Concrete Institute Spring Convention, New York, EUA. 2005. (Congresso).

173.
2005 Structures Congress - Metropolis & Beyond. 2005 Structures Congress - Metropolis & Beyond, New York, EUA. 2005. (Congresso).

174.
American Concrete Institute Fall 2005 Convention. American Concrete Institute Fall 2005 Convention. 2005. (Congresso).

175.
International Conference on Structural Safety and Reliability (ICOSSAR'05). International Conference on Structural Safety and Reliability (ICOSSAR'05), Roma, Itália. 2005. (Congresso).

176.
Reuniao do ACI Committee 348 (Structural Safety).Reuniao do ACI Committee 348 (Structural Safety), New York, EUA. 2005. (Outra).

177.
Reuniao do ACI Committee 348 (Structural Safety), Kansas City, EUA. 2005..Reuniao do ACI Committee 348 (Structural Safety), Kansas City, EUA. 2005. (Outra).

178.
Reuniao do ACI Committee 365 (Service Life Prediction).Reuniao do ACI Committee 365 (Service Life Prediction), New York, EUA. 2005. (Outra).

179.
Reuniao do ACI Committee 365 (Service Life Prediction), Kansas City, EUA. 2005.Reuniao do ACI Committee 365 (Service Life Prediction), Kansas City, EUA. 2005. 2005. (Outra).

180.
Reunião do Joint Committee on Structural Safety (JCSS).Reunião do Joint Committee on Structural Safety (JCSS), Roma, Itália. 2005. (Outra).

181.
Reuniao do Safety of Bridges Committee do SEI -ASCE.Reuniao do Safety of Bridges Committee do SEI -ASCE, New York, EUA. 2005. (Outra).

182.
Reunião do Safety of Buildings committee do SEI-ASCE.Reunião do Safety of Buildings committee do SEI-ASCE, New York, EUA. 2005. (Outra).

183.
XXVI CILAMCE, Outubro, 2005, Guarapari. XXVI CILAMCE, Outubro, 2005, Guarapari. 2005. (Congresso).

184.
2004 ACI Fall Convention. 2004 ACI Fall Convention, San Francisco, EUA. 2004. (Congresso).

185.
2004 ACI Spring Convention. American Concrete Institute Spring 2004 Convention, Washington D.C., EUA. 2004. (Congresso).

186.
2004 ASCE Structures Congress. 2004 ASCE Structures Congress, Nashville, EUA. 2004. (Congresso).

187.
9th ASCE Joint Specialty Conference on Probabilistic Mechanics and Structural Reliability. 9th ASCE Joint Specialty Conference on Probabilistic Mechanics and Structural Reliability, Albuquerque, EUA. 2004. (Congresso).

188.
Reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety).Reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety), Washington D.C., EUA. 2004. (Outra).

189.
Reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety).Reuniao do comite ACI 348 (Structural Safety), San Francisco, EUA. 2004. (Outra).

190.
Reunião do comitê SEI-ASCE Safety of Buildings.Reunião do comitê SEI-ASCE Safety of Buildings, Albuquerque, EUA. 2004. (Outra).

191.
Reuniao do comite TAC Structural Safety and Reliability do SEI-ASCE.Reuniao do comite TAC Structural Safety and Reliability do SEI-ASCE, Nashville, EUA. 2004. (Outra).

192.
Visita ao Departamento de Engenharia Civil da Vanderbilt University, Nashville, EUA.Visita ao Departamento de Engenharia Civil da Vanderbilt University, Nashville, EUA. 2004. (Outra).

193.
XXV CILAMCE. XXV CILAMCE, Recife. 2004. (Congresso).

194.
10th Symposium of the Macedonian Association of Structural Engineers.10th Symposium of the Macedonian Association of Structural Engineers, Ohrid, Republica da Macedonia. 2003. (Simpósio).

195.
11th International Conference on Wind Engineering. 11th International Conference on Wind Engineering, Lubbock, EUA. 2003. (Congresso).

196.
2nd MIT Conference on Computational Fluid and Solid Mechanics. 2nd MIT Conference on Computational Fluid and Solid Mechanics, Cambridge, EUA. 2003. (Congresso).

197.
ACI 348 (Structural Safety) committee meeting.ACI 348 (Structural Safety) committee meeting, Boston, EUA. 2003. (Outra).

198.
ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Vancouver, Canada. 2003.ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Vancouver, Canada. 2003. 2003. (Outra).

199.
American Concrete Institute Spring 2003 Convention. American Concrete Institute Spring 2003 Convention, Vancouver, Canada. 2003. (Congresso).

200.
ASCE Safety of Buildings Committee meeting.ASCE Safety of Buildings Committee meeting, Seattle, EUA. 2003. (Outra).

201.
Engineering Smarter - 2003 ASCE Structures Congress. Engineering Smarter - 2003 ASCE Structures Congress, Seattle, EUA. 2003. (Congresso).

202.
Visita ao Departamento de Engenharia Civil da University of British Columbia.Visita ao Departamento de Engenharia Civil da University of British Columbia, Canadá. 2003. (Outra).

203.
Visita à Rutgers University, Piscataway, New Jersey, EUA.Visita à Rutgers University, Piscataway, New Jersey, EUA. 2003. (Outra).

204.
Visita às instalações do Wind Science and Engineering Center (WISE) da Texas Tech University.Visita às instalações do Wind Science and Engineering Center (WISE) da Texas Tech University. 2003. (Outra).

205.
15th ASCE Engineering Mechanics Conference. 15th ASCE Engineering Mechanics Conference, Columbia University, New York, EUA. 2002. (Congresso).

206.
4th Computational Stochastic Mechanics Conference. 4th Computational Stochastic Mechanics Conference, Corfu, Grecia. 2002. (Congresso).

207.
6th International Symposium on the Utilization of High Strength/High Performance Concrete.6th International Symposium on the Utilization of High Strength/High Performance Concrete, Leipzig, Alemanha. 2002. (Simpósio).

208.
ACI 348 (Structural Safety) Committee Meeting.ACI 348 (Structural Safety) Committee Meeting, Phoenix, EUA. 2002. (Outra).

209.
ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Detroit, EUA. 2002.ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Detroit, EUA. 2002. 2002. (Outra).

210.
American Concrete Institute Spring 2002 Convention. American Concrete Institute Spring 2002 Convention, Detroit, EUA. 2002. (Congresso).

211.
ASCE Safety of Buildings Committee Meeting.ASCE Safety of Buildings Committee Meeting, Denver, EUA. 2002. (Outra).

212.
SC1-Computational Stochastic Mechanics, IASSAR Committee Meeting.Database-Assisted, Reliability-Based Design for Wind, New York, EUA. 2002. (Outra).

213.
Third U.S.-Japan Workshop on Wind Engineering.Third U.S.-Japan Workshop on Wind Engineering, Seattle, EUA. 2002. (Oficina).

214.
Visita às obras de construção da estação central de Berlim, Alemanha.Visita às obras de construção da estação central de Berlim, Alemanha. 2002. (Outra).

215.
Visita às obras de renovação do estádio olímpico de Berlin, Alemanha.Visita às obras de renovação do estádio olímpico de Berlim, Alemanha. 2002. (Outra).

216.
ACI 348 (Structural Safety) Committee Meeting.Modeling Uncertainties in Wind Load Effects, Dallas, EUA. 2001. (Outra).

217.
ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Dallas, EUA. 2001.ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Dallas, EUA. 2001. 2001. (Outra).

218.
ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Philadelphia, EUA. 2001.ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Philadelphia, EUA. 2001. 2001. (Outra).

219.
American Concrete Institute Fall 2001 Convention. American Concrete Institute Fall 2001 Convention, Dallas, EUA. 2001. (Congresso).

220.
American Concrete Institute Spring 2001 Convention. American Concrete Institute Spring 2001 Convention, Philadelphia, EUA,. 2001. (Congresso).

221.
ASCE 7 - Task Committee on Wind Loads.Wind Speeds in the ASCE 7 Standard Peak-Gust Map: An Assessment, Houston, EUA. 2001. (Outra).

222.
ASCE Safety of Buildings Committee Meeting.ASCE Safety of Buildings Committee Meeting, Washington D.C., EUA. 2001. (Outra).

223.
ICOSSAR'01. International Conference on Structural Safety and Reliability - ICOSSAR'01, Newport Beach, EUA. 2001. (Congresso).

224.
International Conference on High Performance Materials in Bridges and Buildings. Modeling the Long-Term Strength of Slender HSC Columns under Sustained Loads. 2001. (Congresso).

225.
Reunião do ?Umbrella Committee? da ?International Association for Structural Safety and Reliability? (IASSAR), Newport Beach, California, Estados Unidos.Reunião do ?Umbrella Committee? da ?International Association for Structural Safety and Reliability? (IASSAR), Newport Beach, California, Estados Unidos. 2001. (Outra).

226.
Reunião do comitê ?Probabilistic Mechanics? da ?American Society of Civil Engineers? (ASCE), Newport Beach, California, Estados Unidos.Reunião do comitê ?Probabilistic Mechanics? da ?American Society of Civil Engineers? (ASCE), Newport Beach, California, Estados Unidos. 2001. (Outra).

227.
Reunião do sub-comitê #5 (System Identification and Structural Control) da ?International Association for Structural Safety and Reliability? (IASSAR), Newport Beach, California, Estados Unidos.Reunião do sub-comitê #5 (System Identification and Structural Control) da ?International Association for Structural Safety and Reliability? (IASSAR), Newport Beach, California, Estados Unidos. 2001. (Outra).

228.
8th ASCE Specialty Conference on Probabilistic Mechanics and Structural Reliability. 8th ASCE Specialty Conference on Probabilistic Mechanics and Structural Reliability, South Bend, EUA. 2000. (Congresso).

229.
ACI 348 (Structural Safety) Meeting.ACI 348 (Structural Safety ) Meeting, San Diego, EUA. 2000. (Outra).

230.
ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Toronto, Canada. 2000.ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Toronto, Canada. 2000. 2000. (Outra).

231.
Advanced Technology in Structural Engineering - 2000 ASCE Structures Congress, Philadelphia, EUA. Advanced Technology in Structural Engineering - 2000 ASCE Structures Congress, Philadelphia, EUA. 2000. (Congresso).

232.
American Concrete Institute Fall 2000 Convention. American Concrete Institute Fall 2000 Convention, Toronto, Canada. 2000. (Congresso).

233.
ASCE Safety of Buildings Committee Meeting, Philadelphia, EUA. 2000.ASCE Safety of Buildings Committee Meeting, Philadelphia, EUA. 2000. 2000. (Outra).

234.
Congresso Íbero Latino-Americano de Métodos Computacionais em Engenharia, CILAMCE 2000. Congresso Íbero Latino-Americano de Métodos Computacionais em Engenharia, CILAMCE 2000, Rio de Janeiro. 2000. (Congresso).

235.
12th International Conference on Composite Materials. 12th International Conference on Composite Materials, Paris, Franca. 1999. (Congresso).

236.
13th ASCE Engineering Mechanics Division Specialty Conference. 13th ASCE Engineering Mechanics Division Specialty Conference, Baltimore, EUA. 1999. (Congresso).

237.
14 IABSE Symposium "Structures for the Future - The Search for Quality", Rio de Janeiro. 14 IABSE Symposium ?Structures for the Future - The Search for Quality, Rio de Janeiro. 1999. (Congresso).

238.
5th International Symposium on the Utilization of High Strength/High Performance Concrete.5th International Symposium on the Utilization of High Strength/High Performance Concrete, Sandefjord, Noruega. 1999. (Simpósio).

239.
5th US National Congress on Computational Mechanics. 5th US National Congress on Computational Mechanics, Boulder, EUA. 1999. (Congresso).

240.
ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Baltimore, EUA. 1999.ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Baltimore, EUA. 1999. 1999. (Outra).

241.
ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Chicago, EUA. 1999..ACI 348 (Structural Safety) Meeting, Chicago, EUA. 1999.. 1999. (Outra).

242.
American Concrete Institue Spring Convention 1999. American Concrete Institue Spring Convention 1999, Chicago, EUA. 1999. (Congresso).

243.
American Concrete Institute Fall 1999 Convention. American Concrete Institute Fall 1999 Convention, Baltimore, EUA. 1999. (Congresso).

244.
ASCE Safety of Buildings Committee Meeting, New Orleans, EUA. 1999.ASCE Safety of Buildings Committee Meeting, New Orleans, EUA. 1999. 1999. (Outra).

245.
Reunião da ?Working Commission #1? da ?International Association for Bridge and Structural Engineering? (IABSE), Rio de Janeiro.Reunião da ?Working Commission #1? da ?International Association for Bridge and Structural Engineering? (IABSE), Rio de Janeiro. 1999. (Outra).

246.
Reunião do ?Umbrella Committee? da ?International Association for Structural Safety and Reliability? (IASSAR), Johns Hopkins University, Baltimore, Maryland, Estados Unidos.Reunião do ?Umbrella Committee? da ?International Association for Structural Safety and Reliability? (IASSAR), Johns Hopkins University, Baltimore, Maryland, Estados Unidos. 1999. (Outra).

247.
Reunião do sub-comitê #5 (System Identification and Structural Control) da ?International Association for Structural Safety and Reliability? (IASSAR), Johns Hopkins University, Baltimore, Maryland, Estados Unidos.Reunião do sub-comitê #5 (System Identification and Structural Control) da ?International Association for Structural Safety and Reliability? (IASSAR), Johns Hopkins University, Baltimore, Maryland, Estados Unidos. 1999. (Outra).

248.
Structural Engineering in the 21st Century. Structural Engineering in the 21st Century, New Orleans, EUA. 1999. (Congresso).

249.
Visita ao National Institute of Standards and Technology (NIST), Gaithersburg, Maryland, Estados Unidos.Visita ao National Institute of Standards and Technology (NIST), Gaithersburg, Maryland, Estados Unidos. 1999. (Outra).

250.
Visita aos Laboratórios de Materiais e Estruturas da University of Illinois at Chicago, Chicago, Illinois, Estados Unidos.Visita aos Laboratórios de Materiais e Estruturas da University of Illinois at Chicago, Chicago, Illinois, Estados Unidos. 1999. (Outra).

251.
Fourth International Conference on Stochastic Structural Dynamics. Fourth International Conference on Stochastic Structural Dynamics, South Bend, EUA. 1998. (Congresso).

252.
Fourth World Congress on Computational Mechanics. Fourth World Congress on Computational Mechanics, Buenos Aires, Argentina. 1998. (Congresso).

253.
International Symposium on High-Performance and Reactive Powder Concretes.International Symposium on High-Performance and Reactive Powder Concretes, Sherbrooke, Canada. 1998. (Simpósio).

254.
Reunião do sub-comitê #5 (System Identification and Structural Control) da International Association for Structural Safety and Reliability (IASSAR), University of Notre Dame, South Bend, Indiana, Estados Unidos.Reunião do sub-comitê #5 (System Identification and Structural Control) da International Association for Structural Safety and Reliability (IASSAR), University of Notre Dame, South Bend, Indiana, Estados Unidos. 1998. (Outra).

255.
Third International Conference on Computational Stochastic Mechanics. Third International Conference on Computational Stochastic Mechanics, Santorini, Grecia. 1998. (Congresso).

256.
Visita aos Laboratórios de Materiais e Estruturas da Université de Sherbrooke, Sherbrooke, Québec, Canadá.Visita aos Laboratórios de Materiais e Estruturas da Université de Sherbrooke, Sherbrooke, Québec, Canadá. 1998. (Outra).

257.
7th International Conference (ICOSSAR 97). 7th International Conference (ICOSSAR 97), Kyoto, Japão. 1997. (Congresso).

258.
High Strength Concrete: First International Conference, Kona, Hawaii, EUA. High Strength Concrete: First International Conference, Kona, Hawaii, EUA. 1997. (Congresso).

259.
Jornadas Sul-Americanas de Engenharia Estrutural. Jornadas Sul-Americanas de Engenharia Estrutural, São Carlos. 1997. (Congresso).

260.
Visita ao ?Applause Tower?, Osaka, Japão.Visita ao ?Applause Tower?, Osaka, Japão. 1997. (Outra).

261.
Visita às obras da ?Akashi Kaikyo Bridge?, Japão.Visita às obras da ?Akashi Kaikyo Bridge?, Japão. 1997. (Outra).

262.
XVIII Congresso Íbero Latino-Americano de Métodos Computacionais em Engenharia. XVIII Congresso Íbero Latino-Americano de Métodos Computacionais em Engenharia, Brasília. 1997. (Congresso).

263.
4th ASCE Materials Engineering Conference: Materials for the New Millennium. 4th ASCE Materials Engineering Conference: Materials for the New Millennium, Washington D.C., EUA. 1996. (Congresso).

264.
7th ASCE Specialty Conference on Probabilistic Mechanics & Structural Reliability. 7th ASCE Specialty Conference on Probabilistic Mechanics & Structural Reliability, Worcester, EUA. 1996. (Congresso).

265.
Utilization of High-Strength/ High-Performance Concrete.Utilization of High-Strength/ High-Performance Concrete, Paris, França. 1996. (Simpósio).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Diniz, S.M.C.. Membro do comitê cientifico do 60o. Congresso Brasileiro do Concreto. 2018. (Congresso).

2.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee da IABMAS 2018, Melbourne. 2018. (Congresso).

3.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee do 6th International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering (IALCCE 2018), Ghent, Bélgica. 2018. (Congresso).

4.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee VI International Conference Integration, Partnership and Innovation in Construction Science and Education (IPICSE?2018), Moscou. 2018. (Congresso).

5.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee da IABMAS 2018, Melbourne. 2017. (Congresso).

6.
Diniz, S.M.C.. Membro do comitê cientifico do 59o. Congresso Brasileiro do Concreto. 2017. (Congresso).

7.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee do 6th International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering (IALCCE 2018), Ghent, Bélgica. 2017. (Congresso).

8.
Diniz, S.M.C.. Membro do comitê cientifico do 58o. Congresso Brasileiro do Concreto. 2016. (Congresso).

9.
CARRATO, A. ; Diniz, S.M.C. ; LOPES, G. E. M. . A Mídia e o Crime Ambiental de Mariana. 2016. (Outro).

10.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee da IABMAS 2016. 2016. (Congresso).

11.
BECK, A. T. ; Diniz, S.M.C. ; Stucchi, F.R. . Organização do MS8 ? Structural Reliability Methods for Bridge Safety and Maintenance. 2016. (Congresso).

12.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee do 5th International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering (IALCCE 2016), Delft, Holanda. 2016. (Congresso).

13.
Diniz, S.M.C.. Member of the Scientific Committee - 12th International Conference on Structural Safety and Reliability (ICOSSAR2017). 2016. (Congresso).

14.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee da IABMAS 2016. 2015. (Congresso).

15.
BECK, A. T. ; Diniz, S.M.C. ; Stucchi, F.R. . Organização do MS8 ? Structural Reliability Methods for Bridge Safety and Maintenance. 2015. (Congresso).

16.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee do 5th International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering (IALCCE 2016), Delft, Holanda. 2015. (Congresso).

17.
Diniz, S.M.C.. Member of the Scientific Committee - 12th International Conference on Structural Safety and Reliability (ICOSSAR2017). 2015. (Congresso).

18.
CARRATO, A. ; FRANCISCO, D. ; DINIZ, S. M. C. ; ZOMPETTI, J. . Seminário Internacional - Comunicação e Retomada das Relações USA e Cuba. 2015. (Outro).

19.
Diniz, S.M.C.. Membro do National Advisory Committee do IABMAS 2016. 2015. (Congresso).

20.
Diniz, S.M.C.. Membro do comitê científico do 1° Congresso Brasileiro de Patologia das Construções. 2014. (Congresso).

21.
Diniz, S.M.C.. Membro do comitê cientifico do 56o. Congresso Brasileiro do Concreto. 2014. (Congresso).

22.
Diniz, S.M.C.. Membro do National Advisory Committee do IABMAS 2016. 2014. (Congresso).

23.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee da IABMAS 2016. 2014. (Congresso).

24.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee da IABMAS 2014. 2013. (Congresso).

25.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee do 4th International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering (IALCCE 2014), Tokyo, Japão. 2013. (Congresso).

26.
Diniz, S.M.C.. Membro do scientific committee do ICOSSAR 2013, Columbia University, New York. 2013. (Congresso).

27.
Diniz, S.M.C.. Membro do comitê cientifico do 55o. Congresso Brasileiro do Concreto. 2013. (Congresso).

28.
Diniz, S.M.C.. Membro do comitê cientifico da 7th Computational Stochastic Mechanics Conference - CSM7. 2013. (Congresso).

29.
DINIZ, S. M. C.. Membro do comitê científico do 54o. Congresso Brasileiro do Concreto, Maceió. 2012. (Congresso).

30.
DINIZ, S. M. C.. Membro do scientific committee do ICOSSAR 2013, Columbia University, New York. 2012. (Congresso).

31.
DINIZ, S. M. C.. Membro do comitê científico do 1st International Symposium on Uncertainty Quantification and Stochastic Modeling (Uncertainties 2012). 2011. (Congresso).

32.
DINIZ, S. M. C.. Membro do comitê científico do 53o. Congresso Brasileiro do Concreto, Florianopolis. 2011. (Congresso).

33.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee da IABMAS 2012, Stresa, Italia. 2011. (Congresso).

34.
Diniz, S.M.C.. Membro do Scientific Committee do 3rd International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering (IALCCE 2012), Viena, Austria. 2011. (Congresso).

35.
DINIZ, S. M. C.. Membro do comitê científico do 52o. Congresso Brasileiro do Concreto, Fortaleza. 2010. (Congresso).

36.
DINIZ, S. M. C.. Membro do Scientific Committee do 6th Computational Mechanics. 2010. (Congresso).

37.
DINIZ, S. M. C.. Membro do Scientific Committee da IABMAS 2012, Stresa, Italia. 2010. (Congresso).

38.
DINIZ, S. M. C.. Membro do Scientific Committee do 3rd International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering (IALCCE 2012), Viena, Austria. 2010. (Congresso).

39.
DINIZ, S. M. C.. Membro do Scientific Committee do 2nd International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering (IALCCE 2010), Taiwan. 2009. (Congresso).

40.
DINIZ, S. M. C.. Membro do Scientific Committee da IABMAS 2010, Philadelphia, EUA. 2009. (Congresso).

41.
Diniz, Sofia M. C.. Membro do comitê científico do 51o. Congresso Brasileiro do Concreto, Curitiba. 2009. (Congresso).

42.
DINIZ, S. M. C.. Membro do Scientific Committee da 11th Americas Conference on Wind Engineering, Porto Rico. 2008. (Congresso).

43.
DINIZ, S. M. C.. Membro do scientific committee do ICOSSAR'09, Kansai University, Osaka, Japão. 2007. (Congresso).

44.
DINIZ, S. M. C.. Membro do "Scientific Committee" do First International Symposium on Life-Cycle Civil Engineering (IALCCE'08). 2007. (Congresso).

45.
SILVA FILHO, L. C. P. ; TORRES, A. S. ; DINIZ, S. M. C. . Membro da comissão organizadora do Seminário Risco na Engenharia Civil. 2007. (Outro).

46.
DINIZ, S. M. C.; NASSIF, H. . Organização da sessão "Structural Reliability in Design Practice", 2008 ASCE Structures Congress, Vancouver, Canadá. 2007. (Congresso).

47.
DINIZ, S. M. C.; NASSIF, H. . Sessão ?How Reliable is Reliability??, 2006 ACI Fall Convention, Denver, CO, EUA. Co-organizador: Dr. Hani Nassif (Rutgers University). 2006. (Congresso).

48.
DINIZ, S. M. C.; FREITAS, M. S. R. . Membro do comite cientifico do XXVII CILAMCE (co-organizadora do mini-simposio. 2006. (Congresso).

49.
DINIZ, S. M. C.. Membro do 'Scientific Committee' da 5th International Conference of Computational Stochastic Mechanics. 2006. (Outro).

50.
DINIZ, S. M. C.. 10th Americas Conference on Wind Engineering (10ACWE), member of the Scientific Committee. 2005. (Congresso).

51.
DINIZ, S. M. C.; FREITAS, M. S. R. . Membro do Comite Cientifico do XXVI CILAMCE (co-organizadora do mini-simposio Structural Reliability). 2005. (Congresso).

52.
DINIZ, S. M. C.. Organizacao da sessao Modeling Uncertainties in Wind Load Effects, 2004 ASCE Probabilistic Mechanics Conference, Albuquerque, EUA. 2004. (Congresso).

53.
DINIZ, S. M. C.. 9th ASCE Joint Specialty Conference on Probabilistic Mechanics and Structural Reliability. 2004. (Congresso).

54.
DINIZ, S. M. C.; FRANGOPOL, D. M. . Session: Performance-Based Design of Reinforced Concrete Structures, 2000 Structures Congress. 2000. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Luíza Cardoso Ribas e Castro. Confiabilidade de Pilares Existentes de Concreto Armado Sujeitos a Perda de Área da Armadura Longitudinal. Início: 2017. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

2.
Gabriel Rhein Signorelli. Gestão de pontes baseada em risco. Início: 2016. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Peterson Araújo Quadros. Confiabilidade de Pilares Curtos em Concreto Armado Confinados por PRF sob Carregamento Excêntrico. Início: 2016. Tese (Doutorado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Túlio Antunes Pinto Coelho. Avaliação da Confiabilidade de Seções de Vigas de Concreto Armado em Situação de Incêndio. 2018. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, . Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

2.
Raphael Nonato Vieira Cabana. Confiabilidade de Pilares Curtos em Concreto de Alta Resistência Dimensionados Segundo a NBR 6118:2014. 2017. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, . Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

3.
Rafael Aredes Couto. Avaliação Probabilística da Corrosão por Carbonatação em Estruturas de Concreto Armado. 2017. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

4.
Elayne Marques Silva. Probabilistic Assessment of Serveceability of FRP-Reinforced Concrete Beams. 2017. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

5.
Billy Lukusa Badimuena. Avaliação da Confiabilidade de Estruturas Existentes: Influência da Resistência à Compressão do Concreto. 2017. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

6.
Hugo Sampaio Líbero. Avaliação de Desempenho Vibroacústico de Unidades Residenciais. 2017. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

7.
Erika Marinho Meireles Leitão. Estudo Comparativo de Métodos Aproximados para Análise do Efeito de Segunda Ordem em Pilares Esbeltos de Concreto Armado sob flexão Composta Reta. 2016. Dissertação (Mestrado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

8.
Bruno Torres Pichara Sily. Avaliação Probabilística da Resistência à Compressão de Perfis de Aço Formados a Frio. 2012. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, . Coorientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

9.
Crysthian Purcino Bernardes Azevedo. Avaliação da Confiabilidade de Fundações de Torres Estaiadas em Linhas de Transmissão. 2007. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, . Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

10.
Henrique Alves Tartaglia Nogueira. Avaliação da Confiabilidade de Pilares Curtos em Concreto Armado Projetados Segundo a NBR 6118:2003. 2006. Dissertação (Mestrado em Pos-graduacao em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

11.
Rodrigo Vitali Lorensini. Avaliação Probabilística da Deterioração de Estruturas em Concreto Armado. 2006. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

12.
Elizeth Rodrigues Machado. Avaliacao da Confiabilidade de Estruturas em Concreto Armado. 2001. 0 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

13.
Regina Celia Maciel Franca. Comportamento Estrutural de Pilares em Concreto de Alta Resistencia. 2001. 0 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

Tese de doutorado
1.
Juscelina Rosiane Ferreira. RELIABILITY OF SHORT CIRCULAR RC COLUMNS CONFINED BY FRP. 2017. Tese (Doutorado em Pos Graduacao Em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

2.
Adriana Bicalho Ribeiro. Projeto semi-probabilístico de vigas em concreto armado com modo de falha por cisalhamento. 2012. Tese (Doutorado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Coorientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

3.
Crysthian Purcino Bernardes Azevedo. Projeto de Fundações de Linhas de Transmissão Baseado em Confiabilidade. 2011. Tese (Doutorado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

4.
Ariela da Silva Torres. Corrosão por Cloretos em Estruturas de Concreto Armado: Uma Meta-Análise. 2011. Tese (Doutorado em PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA CIVIL) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, . Coorientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

5.
Sidnea Eliane Campos Ribeiro. Avaliação da Confiabilidade de Vigas em Concreto Armado com Plástico Reforçado por Fibras. 2009. Tese (Doutorado em Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, . Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

6.
Roberval José Pimenta. Perfis de Alma Senoidal: Proposição de Métodos de Cálculo e Análise da Confiabilidade Estrutural. 2008. Tese (Doutorado em Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, . Coorientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Túlio Antunes Pinto Coelho. Critérios para tomada de decisão em Engenharia Estrutural baseados em risco. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

Iniciação científica
1.
Adriana Pinheiro Cataldo. Descrição Probabilística das Variáveis de Projeto de Estruturas de Concreto Armado. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

2.
Artur Sepulveda Del Rio Hamacek. Conceitos e Métodos da Confiabilidade Estrutural na Calibração de Normas Técnicas. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

3.
Priscila Caroline Saraiva Jardim. A Confiabilidade Estrutural e a Avaliação das Estruturas Existentes em Concreto Armado. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

Orientações de outra natureza
1.
Isabela Botelho Santiago. Monitoria de graduação. 2017. Orientação de outra natureza. (Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

2.
Peterson Araújo Quadros. Estágio Docência II, disciplina Análise Estrutural. 2017. Orientação de outra natureza. (Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

3.
Alexandre de Castro Campos Utsch. Orientação de estágio supervisionado. 2017. Orientação de outra natureza. (Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

4.
Rafael Aredes Couto. Estágio Docência, disciplina Resistência dos Materiais II. 2016. Orientação de outra natureza. (Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

5.
Elayne Marques Silva. Estágio Docência, disciplina Resistência dos Materiais II. 2016. Orientação de outra natureza. (Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

6.
Billy Lukusa Badimuena. Estágio Docência, disciplina Resistência dos Materiais II. 2016. Orientação de outra natureza. (Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

7.
Luiza Leme Teodoro. Orientação de estágio supervisionado. 2016. Orientação de outra natureza. (Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

8.
Tulio Antunes Pinto Coelho. Estágio Docência, disciplina Resistência dos Materiais II. 2016. Orientação de outra natureza. (Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

9.
Rodrigo Luiz Santos Gherardi de Alencar. Estágio de graduação - Rodrigo Luiz Santos Gherardi de Alencar. 2015. Orientação de outra natureza. (Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

10.
Túlio Antunes Pinto Coelho. Estágio curricular em Engenharia de Estruturas. 2014. Orientação de outra natureza. (Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

11.
Raphael Nonato Cabana Vieira. Estágio Docência, disciplina Resistência dos Materiais II. 2014. Orientação de outra natureza. (Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

12.
Camila Lacerda Gomes. Estágio supervisionado. 2013. Orientação de outra natureza. (Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

13.
Juscelina Rosiane Ferreira. Estágio Docência, disciplina Resistência dos Materiais II. 2013. Orientação de outra natureza. (Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

14.
Juscelina Rosiane Ferreira. Estágio Docência II, disciplina Resistência dos Materiais II. 2013. Orientação de outra natureza. (Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

15.
Camila Lacerda Gomes. Estágio de graduação - Camila Lacerda Gomes. 2012. Orientação de outra natureza. (Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

16.
Camila Lacerda Gomes. Estágio de graduação - Camila Lacerda Gomes. 2011. Orientação de outra natureza. (Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

17.
Crysthian Purcino Bernardes Azevedo. Estágio Docência II, disciplina Resistência dos Materiais II. 2008. Orientação de outra natureza. (Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

18.
Crysthian Purcino Bernardes Azevedo. Estágio docência. 2007. Orientação de outra natureza. (Engenharia Civil) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

19.
Rodrigo Vitali Lorensini. Estágio docência: disciplina Mecânica para Engenheiros (Engenharia Civil). 2005. Orientação de outra natureza. (Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

20.
Henrique Alves Tartaglia Nogueira. Estágio docência: disciplina Resistência dos Materiais II (Engenharia Civil). 2005. Orientação de outra natureza. (Pós-Graduação em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

21.
Edgar Rodriguez. ?Teaching Assistant?, Disciplina Civil Engineering Systems Analysis (Civil Engineering). 2000. Orientação de outra natureza. (MSc in Civil Engineering/ Construction Management) - University of Pittsburgh. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

22.
Aldo Giuntini de Magalhães. Monitoria de pós-graduação: disciplina Teoria das Estruturas II (Engenharia Civil). 1996. Orientação de outra natureza. (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.

23.
Aldo Giuntini de Magalhães. Monitoria de pós-graduação: disciplina Teoria das Estruturas II. 1995. Orientação de outra natureza. (Mestrado em Engenharia de Estruturas) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Sofia Maria Carrato Diniz.



Inovação



Projetos de pesquisa


Educação e Popularização de C & T



Artigos
Artigos completos publicados em periódicos
1.
DINIZ, S. M. C.2013DINIZ, S. M. C.. E a Primavera da UFMG? A Luta por Direitos na Progressão na Carreira de Magistério Superior. Caminhos (UFMG), v. 30, p. 22-35, 2013.


Apresentações de Trabalho
1.
Diniz, S.M.C.. RELIABILITY-BASED CONSIDERATIONS IN THE DESIGN OF FRP-REINFORCED CONCRETE STRUCTURES. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
Diniz, S.M.C.. Manutenção e Reabilitação de Estruturas de Concreto. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).



Outras informações relevantes


Professora Titular do Departamento de Engenharia de Estruturas, DEEs-UFMG desde 10/2016. Aprovada em segundo lugar (média geral 94,0/100), concurso para Professor Titular, DEEs-UFMG, maio de 2010. Professora Titular do DEEs-UFMG de 03/2011 a 10/2012 (posse via mandado de segurança; processo extinto SEM AVALIAÇÃO DO MÉRITO e novo processo judicial contra a UFMG em tramitação)
Guest researcher, Building and Fire Research Laboratory, National Institute of Standards and Technology, Gaithersburg, EUA, 05/2001-10/2002; Visiting Professor, Department of Civil and Environmental Engineering, University of Pittsburgh, EUA, 1999-2000; Visiting professor, Musashi Institute of Technology, Tóquio, Japão, 07/1999;
Áreas de interesse: confiabilidade estrutural, normalização, métodos probabilísticos, estruturas em concreto armado, concreto de alta resistência, mecânica computacional e engenharia de vento.
Fellow do American Concrete Institute (ACI) desde 2009;
Secretária do Technical Council on Life-Cycle Performance, Safety, Reliability and Risk of Structural Systems (SEI-ASCE) (2011- );
Presidente do Comitê Safety of Buildings do Structural Engineering Institute (ASCE), 2003-2007;
Presidente do comitê 348 (Structural Safety) do ACI (2004-2010);
Membro do Fellows Nomination Committee do ACI (2009-2012);
Membro do comitê "Chester Paul Siess Award for Excellence in Structural Research" do ACI (2006-2007);
Secretária do comitê 348 (Structural Safety) do ACI (2001-2004);
Membro do sub-comitê 5 (System Identification and Structural Control) do IASSAR;
Membro da International Association for Bridge Maintenance and Safety (IABMAS);
Membro do IBRACON;
Membro da International Association for Life-Cycle Civil Engineering (IALCCE);
Líder do Grupo de Pesquisa Métodos Numéricos e Computacionais, grupo No. UFMG.0182, CNPq, DEES-UFMG (08/1995-11/1999);
Líder do Grupo de Pesquisa Estruturas em Concreto Armado e Protendido, grupo No. UFMG.0187, CNPq, DEES-UFMG (01/1998-11/1999).



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 23/10/2018 às 3:08:18