Soraya Oliveira dos Santos

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2108443632450594
  • Última atualização do currículo em 12/09/2016


Possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1983), mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2001) e doutorado em Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas da Universidade Federal de Ouro Preto (2013). Atualmente é consultora Organização Panamericana de Saúde atuando como Gerente de Análise de Informação de Dados da Sala de Apoio a Gestão Estratégica do Ministério da Saúde. Tem experiência na área de Biologia Geral, com ênfase em Triatomíneos e Flebotomíneos, atuando principalmente nos seguintes temas: Leishmaniose visceral e Doença de Chagas. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Soraya Oliveira dos Santos
Nome em citações bibliográficas
SANTOS, S. O.

Endereço


Endereço Profissional
Organização Panamericana de Saúde.
Ministério da Saúde
Zona Cívico-Administrativa
70058900 - Brasília, DF - Brasil
Telefone: (61) 6133153733
Fax: (61) 33153733


Formação acadêmica/titulação


2008 - 2013
Doutorado em Programa de Pós-graduação em Ciências Biológicas.
Universidade Federal de Ouro Preto, UFOP, Brasil.
Título: Eco epidemiologia da doença de Chagas aguda em área Amazônica, município de Abaetetuba, Estado do Pará, 2008-2009, Ano de obtenção: 2013.
Orientador: George LIns Machado Coelho.
Palavras-chave: Doença de Chagas; DCA; eco epidemiologia.
Grande área: Ciências da Saúde
Grande Área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva / Subárea: Epidemiologia.
Setores de atividade: Atividades de vigilância, segurança e investigação; Atividades de atenção à saúde humana.
1999 - 2001
Mestrado em Saúde Coletiva.
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Brasil.
Título: Leishmaniose visceral americana e doença de Chagas em área indígena da nação Terena do município de Miranda em Mato Grosso do Sul,Ano de Obtenção: 2001.
Orientador: Michael Robin Honer.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: leishmaniose.
Grande área: Ciências da Saúde
Setores de atividade: Educação.
1993 - 1993
Especialização em Entomologia.
Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
1991 - 1991
Especialização em Saúde Pública.
Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, Brasil.
1979 - 1983
Graduação em Medicina Veterinária.
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Brasil.




Formação Complementar


1998 - 1998
Curso pesquisa operaconal para odoenças tropicais. (Carga horária: 40h).
Organização Panamericana de Saúde, OPAS, Estados Unidos.
1996 - 1996
Extensão universitária em Técnica de monitoramente e controle de insetos. (Carga horária: 44h).
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO, Brasil.
1993 - 1993
Métodos de lab e campo em esquistossomose mansoni. (Carga horária: 160h).
Fundação Oswaldo Cruz, FIOCRUZ, Brasil.


Atuação Profissional



SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO PARÁ, SESPA, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2012
Vínculo: CONSULTOR, Enquadramento Funcional: CONSULTOR
Outras informações
Como coordenadora da elaboração e implantação do Plano de intensificação da Doença de Chagas no estado do Pará fui convidada pela Secretaria de Saúde do Estado para colaborar na avaliação, monitoramento e capacitação dos profissionais de saúde dos municípios considerados de risco para doença de Chagas, assim desenvolvi atividades de consultoria e produção de materiais educativos além de participar de atividades de campo que foram executadas nessas áreas de risco. As capacitações foram realizadas tendo como público alvo técnicos de epidemiologia, entomologia de nível superior e médio, além de médicos e enfermeiros do Estado e municípios em investigação de surtos, sistemas de informações e análise de dados dos bancos oficiais com elaboração de relatórios técnicos sobre a situação epidemiológica local. Neste período coordenei a elaboração de guia e manuais de vigilância, prevenção controle e manejo clínico de pacientes e para a inserção dos agentes comunitários de saúde na vigilância da doença específicos para a dinâmica local da endemia. Nesta oportunidade implantei no Pará, como piloto, o Sistema de Informação das Ações de Campo (SIOC) que havia construído em colaboração com o Datasus durante o exercício de atividades no Ministério da Saúde.

Atividades

10/2005 - 08/2009
Outras atividades técnico-científicas , PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA DOENÇA DE CHAGAS, PROGRAMA ESTADUAL DE CONTROLE DA DOENÇA DE CHAGAS.

Atividade realizada
Pesquisa em Transmissão oral da Doença de Chagas.

Organização Panamericana de Saúde, OPAS, Estados Unidos.
Vínculo institucional

2010 - Atual
Vínculo: consultora nacional OPAS, Enquadramento Funcional: consultora nacional, Carga horária: 40


Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, UNESCO, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2007
Vínculo: Outro (especifique), Enquadramento Funcional: consultora, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.


Organizacão Pan-Americana da Saude/Organizacão Mundial da Saude, OPAS/OMS, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2009
Vínculo: consultora, Enquadramento Funcional: consultora, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.


Secretaria de vigilância em Saúde, SVS/MS, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2006
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Programas das Nações Unidas para o Desenvolvimento no Brasil, PNUD BRASIL, Brasil.
Vínculo institucional

2001 - 2002
Vínculo: Outro (especifique), Enquadramento Funcional: consultora, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.


Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, UEMS, Brasil.
Vínculo institucional

1998 - 1998
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor titular, Carga horária: 40
Outras informações
Contrato celetista como docente na disciplina de zoologia para a faculdade de Biologia

Atividades

1/1997 - 7/1997
Ensino,

Disciplinas ministradas
ZOOLOGIA

Fundação Naciona de Saúde, FUNASA, Brasil.
Vínculo institucional

2002 - 2004
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: profissional tédcnico superior, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Integrei a equipe técnica de saúde do Distrito Especial de Saúde Indígena com a finalidade de elaborar e implantar um Plano de vigilância ambiental nas aldeias indígenas de Mato Grosso do Sul. Desenvolvi atividades de entomologia e controle de vetores como: capacitação de profissionais de saúde e agentes comunitários indígenas em taxonomia de insetos e epidemiologia das doenças transmitidas por vetores, investigação epidemiológica e notificação de doenças. Investiguei e coordenei ações de controle em surtos de malária. Desenvolvi ações para controle de leishmaniose visceral canina e humana e pesquisa de vetores da doença de Chagas. Elaborei planejamento das ações e atividades de saúde para as diferentes etnias existentes no Estado baseada em dados epidemiológicos e entomológicos. Alimentei os sistemas de notificação oficias e o sistema de notificação local, analisando os dados e elaborando relatórios técnicos que subsidiaram o planejamento anual em conjunto com o conselho de saúde indígena estadual.

Vínculo institucional

1993 - 1998
Vínculo: CEDENCIA, Enquadramento Funcional: gerente de programa de controle, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Em 1993 com um acordo de cooperação entre o estado de Mato Grosso do Sul e a Fundação Nacional de Saúde fui cedida para esta Fundação com a função de desenvolver atividades na área de controle de vetores, supervisão e vigilância epidemiológica de doenças transmitidas por vetores. Nesta instituição fui responsável pela gerência de dengue, doença de Chagas, leishmanioses, entomologia e controle de vetores com inseticidas e planejamento anual das ações de vigilância e controle. Coordenei e capacitei equipes de agentes de saúde que faziam levantamento de vetores em campo e equipe de borrifadores. Avaliei equipamentos de aspersão de inseticidas. Realizei pesquisas com vetores de dengue, doença de Chagas, esquistossomose e principalmente leishmanioses onde descobri o vetor da leishmaniose na cidade de Corumbá e uma espécie nova de triatomíneos. Publiquei artigos na área e relatórios técnicos avaliando os dados epidemiológicos e mapeamento das doenças e a dispersão de vetores no estado de Mato Grosso do Sul como monitoramento e vigilância dessas doenças. Avalie eficácia de inseticidas e resistência dos vetores da leishmaniose, doença de Chagas e dengue a inseticidas utilizados na época.

Atividades

2/1998 - 12/2000
Pesquisa e desenvolvimento , Coordenação de Mato Grosso do Sul, Gerencia Técnica de Entomologia.

2/1998 - 5/2000
Direção e administração, Coordenação de Mato Grosso do Sul, Gerencia Técnica de Entomologia.

Cargo ou função
gerente.
5/1997 - 1/1998
Direção e administração, Coordenação de Mato Grosso do Sul, Gerencia Técnica de Malária.

Cargo ou função
gerente.
1/1995 - 1/1996
Treinamentos ministrados , Coordenação de Mato Grosso do Sul, Gerencia Técnica de Entomologia.

Treinamentos ministrados
auxiliar de entomologia
identificação de flebotomíneos
identificação de triatomíneos
identificação de culicídeos
criação de vetores em laboratório
testes com inseticidadas - verificação de susceptibilidade

Secretaria de Estado de Saúde, SES, Brasil.
Vínculo institucional

1986 - 1998
Vínculo: , Enquadramento Funcional: MEDICO VETERINÁRIO, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
As primeiras atividades desenvolvidas, quando da ingressão ao cargo, foram no Núcleo de Informações Toxicológicas prestando assistência via telefônica a população e a profissionais de saúde sobre intoxicações em geral. Além disso, havia a distribuição de soro antiofídico a acidentados. Os dados epidemiológicos das intoxicações eram inseridos em planilhas e gerados relatórios para subsidiar as ações de controle. Este serviço levou a implantação do laboratório de produção experimental de soro antiofídico e do biotério de criação de serpentes, aracnídeos e criação de equídeos para produção do medicamento. Neste momento exerci a função de responsável pelo biotério e pela sanidade dos animais do experimento e gerenciamento da fazenda de manutenção desses equídeos. O projeto produziu o primeiro lote de soro antiofídico liofilizado do país. Com o término do projeto, iniciei em conjunto com a Fundacentro levantamento de intoxicações por inseticidas em pequenos agricultores, mapeamento do uso desses produtos no Estado e palestras de boas práticas de uso de inseticida. Todas as informações geradas eram inseridas em planilhas e assim, elaborados relatórios técnicos que subsidiaram outras pesquisas pela Fundacentro e propostas de políticas públicas em saúde para o país. Em 1993 com um acordo de cooperação entre o estado de Mato Grosso do Sul e a Fundação Nacional de Saúde fui cedida para esta Fundação com a função de desenvolver atividades na área de controle de vetores, supervisão e vigilância epidemiológica de doenças transmitidas por vetores. Nesta instituição fui responsável pela gerência de dengue, doença de Chagas, leishmanioses, entomologia e controle de vetores com inseticidas e planejamento anual das ações de vigilância e controle.Coordenei e capacitei equipes de agentes de saúde que faziam levantamento de vetores em campo e equipe de borrifadores. Avaliei equipamentos de aspersão de inseticidas. Realizei pesquisas com vetores de dengue, doença de Chagas e outros

Atividades

1992 - 1992
Serviços técnicos especializados , Centro de Informaçãoes Toxicológicas, .

Serviço realizado
COORDENAÇÃO.
1990 - 1990
Treinamentos ministrados , Centro de Informaçãoes Toxicológicas, .

Treinamentos ministrados
IDENTIFICAÇÃO DE ANIMAIS PEÇONHENTOS
1987 - 1990
Outras atividades técnico-científicas , Centro de Informaçãoes Toxicológicas, Centro de Informaçãoes Toxicológicas.

Atividade realizada
PRODUÇÃO DE SORO ANTIOFÍDICO.

Ministério da Saúde, MS, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: bolsista FIOTEC, Carga horária: 40
Outras informações
Pesquisadora na área de monitoramento e avaliação

Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: outros, Enquadramento Funcional: coordenadora geral de gestão da informação, Regime: Dedicação exclusiva.



Linhas de pesquisa


1.
VIGILÂNCIA

Objetivo: ENTOMOLOGIA, PESQUISA E VIGILÂNCIA.
Grande área: Ciências da Saúde
Setores de atividade: Organismos Internacionais e Outras Instituições Extraterritoriais.
Palavras-chave: Doença de Chagas.
2.
entomologia
3.
flebotomíneos
4.
Vetores da doença de Chagas


Projetos de pesquisa


2008 - 2011
Determinar áreas de risco para a doença de Chagas no Estado do Pará
Descrição: O projeto teve por finalidade identificar com estudos de campo de entomologia (captura de insetos no intra, peri e estra domicilios), soroprevalência humana e animal (domésticos e silvestres), avaliação ambiental e estudos de cepas de trypanossomatideos, áreas de baixo, médio e alto risco para a ocorrência de casos agudos de doença de Chagas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (35) / Especialização: (13) / Mestrado acadêmico: (28) / Doutorado: (10) .
Integrantes: Soraya Oliveira dos Santos - Coordenador / TATTO, ERICA - Integrante / Obara, Marcos - Integrante / Flores, Mardones - Integrante / Atieri, Flavio - Integrante / Elenild Goes - Integrante / Luiz Augusto Passos - Integrante / George Luiz Lins Machado Coelho - Integrante.Financiador(es): Secretaria de vigilância em Saúde - Cooperação / SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO PARÁ - Cooperação.
Número de produções C, T & A: 12
2004 - 2006
Estudo eco epidemiológico da doença de Chagas em área urbana da cidade de São Luiz do Maranhão envolvendo o Triatoma rubrofasciata
Descrição: O estudo avaliou a presença do T. rubrofasciata em dois bairros da cidade de São Luiz do Maranhão verificando infectividade no vetor, soroprevalência da população residente na área e metodologias de controle do vetor domiciliado.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Especialização: (6) / Mestrado acadêmico: (6) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Soraya Oliveira dos Santos - Coordenador / TATTO, ERICA - Integrante / Obara, Marcos - Integrante / lins, George - Integrante / Flores, Mardones - Integrante / costa, Jaime - Integrante.Financiador(es): Secretaria de vigilância em Saúde - Remuneração.
1994 - 1998
Mapeamento de áreas de risco para leishmaniose visceal em Mato Grosso do Sul
Descrição: Mapear áreas com a presença de Lutzomyia cruzi e L. longipalpis no estado de Mato Grosso do Sul com finaciamento do TDR/WHO.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Membro de corpo editorial


2007 - Atual
Periódico: REVISTA VITA E SANITAS DA FACULDADE UNIÃO DE GOITACAZES


Membro de comitê de assessoramento


2013 - 2013
Agência de fomento: Departamento de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde


Revisor de periódico


2001 - 2003
Periódico: Acta Tropica
2008 - Atual
Periódico: Emerging Infectious Diseases


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Biologia Geral / Subárea: Entomologia Médica/Especialidade: Flebotomíneos.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Biologia Geral / Subárea: Entomologia Médica/Especialidade: Culicídeos.
3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Biologia Geral / Subárea: Entomologia Médica/Especialidade: Triatomíneos.
4.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Biologia Geral / Subárea: Entomologia Médica.
5.
Grande área: Ciências da Saúde / Área: Saúde Coletiva.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
SANTOS, S. O.1998 SANTOS, S. O.; Arias, Jorge ; Paiva, Marta ; Rui de Freitas ; Marco Aurélio Fulgêncio Malaco . Incrimination of Lutzomyia cruzi as a vector of American Visceral Leishmaniasis. Medical and Veterinary Entomology (Print), Inlgaterra, v. 12, p. 315-317, 1998.

2.
SANTOS, S. O.1998SANTOS, S. O.; João Carlos do Nascimento . Primeiro registro da presença do Aedes (Stegomyia) albopictus (Skuse) em Mato Grosso do Sul, Brasil. Revista de Saúde Pública (Impresso), São Paulo, v. 32, n.5, p. 487-487, 1998.

3.
SANTOS, S. O.1992SANTOS, S. O.; GONZAGA, M. C. . Avaliação das condições de trabalho inerentes ao uso de agrotóxicos nos municípios de Fátima do Sul, Glória de Dourados e Vicentina. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, São Paulo, v. 20, n.76, p. 42-46, 1992.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
Obara, Marcos ; SANTOS, S. O. ; Flores, Mardones . Avaliação do efeito desalojante em diferentes concentrações de produto a base de piretro em triatomineos em parede de taipa. In: XXI reunião aplicada de pesquisa aplicada em doença de Chagas e leishmanioses, 2005, Uberaba. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 2005.

2.
SANTOS, S. O.; Paiva, Marta . Behaviour of Lutzomyia cruzi vector of american visceral leishmaniases and other phlebotomines in Corumbá and Ladário - Mato Grosso do sul.I Valuation of peri and intradomiciary environments using CDC light trap. In: International of sand flies congress, 1999, Montpellier. Anal of sand flies international congress, 1999.

3.
SANTOS, S. O.; José Dilermano Andrade Filho ; Honer, M. R . Lutzomyia aldafalcoae n.sp. A new species of phlebotominae in focus os visceral and cutaneous leishmaniasis in MS. In: Seminário Internacional de flebotomíneos, 1999, Montpellier. Seminário Internacional de flebotomíneos, 1999.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
TATTO, ERICA ; SANTOS, S. O. . clinical and epidemiologyc presentation of acute Chagas disease cases in otbreaks related to oral transmission. In: Interantional meeting on emerging disease and surveillance, 2007, Viena. Interantional meeting on emerging disease and surveillance - ISID, 2007.

2.
costa, Jaime ; SANTOS, S. O. ; TATTO, ERICA ; Flores, Mardones ; lins, George ; Obara, Marcos . Positivity of triatoma rubrofasciata in an urban area in Sao Luiz, Marnhao, Northeast of Brazil. In: international meeting on emerging disease and surveillance, 2007, viena. international meeting on emerging disease and surveillance - ISID, 2007.

3.
SANTOS, S. O.; lins, George ; Obara, Marcos ; TATTO, ERICA ; Atieri, Flavio . Chagas disease surveillance in legal Amazon with enface in environmetal analysis. In: International meeting on emerging disease and surveillance, 2007, Viena. Anals of International meeting on emerging disease and surveillance, 2007.

4.
SANTOS, S. O.; TATTO, ERICA ; Obara, Marcos ; lins, George ; Flores, Mardones ; costa, Jaime . Eco-epidemiological study of Chagas disease in an urban area of triatoma rubrosfasciata, in São Luiz, Maranhão, Northest of Brazil. In: 12 th International Congress in infectious disease, 2006, Lisboa. Anals of 12 Th International Congress in infectious disease, 2006.

5.
SANTOS, S. O.; Honer, M. R . American visceral leishmaniasis and Chagas disease in indigena area of terena tribe in the Miranda county in Mato GRosso do Sul state. In: XVI congresso latinoamericano de microbiologia e III congreso cubano de medicina tropical, 2002, Havana. XVI congresso latinoamericano de microbiologia e III congreso cubano de medicina tropical, 2002.

6.
SANTOS, S. O.; Paiva, Marta ; Mara Betriz Furlan . Avaliação da frequência e comportamento da Lutzomyia cruzi vetor da LVA no município de Corumbá - MS. In: XXXXV Congressio da Socidde Brasileira de Medicina tropical, 2002, Belém. XXXXV Congresso da Sociedade Brasileira de medicina tropical, 2002.

7.
SANTOS, S. O.; Paiva, Marta ; Arias, Jorge . Epidemiology of American visceral leishmaniasis where the Lutzomyia cruzi is the vector. In: XVI Congresso Latinoamericano de Microbiologia e III Congresso Cubano de medicina tropical, 2002, Havana. Anais do Congresso Latino de microbiologia, 2002.

8.
SANTOS, S. O.; Mara Betriz Furlan ; Paiva, Marta . mapeamento das espécies de anofelinos em Mato Grosso do Sul - dados preliminares. In: XXXXVII Congreso da Sociedade brasileira de medicinia Tropical, 2001, Salvador. XXXXVII Congreso da Sociedade brasileira de medicinia Tropical, 2001.

9.
SANTOS, S. O.; Mara Betriz Furlan ; Paiva, Marta . dsitribuição geográfica da leishmaniose visceral em Mato Grosso do Sul. In: XXXXVII Congreso da Sociedade brasileira de medicinia Tropical, 2001, Salvador. XXXXVII Congreso da Sociedade brasileira de medicinia Tropical, 2001.

10.
Carolina N. Spiegel ; BRASIL, R. P. ; SANTOS, S. O. ; SOARES, M. J. . Morphology of pheromone gland pores in male Lutzomyia cruzi insects. In: XXV annual meeting on basic research in chagas disease, 1998, Rio de janeiro. XXV annual meeting on basic research en Chagas disease. rio de janeiro, 1998.

Artigos aceitos para publicação
1.
Rodrigues, I.B ; Tadei, W.P ; SANTOS, S. O. ; Santos, R. L. C ; Baggio, J. B . Malaria Control: Eficacy of Bacillus sphaericus 2362 the formulations against Anopheles species larvae in man-made breeding sites such as fish culture ponds and brickyard puddle.. Revista de Patologia Tropical, 2008.

Apresentações de Trabalho
1.
SANTOS, S. O.; TATTO, ERICA . EPIDEMIOGRAMA UMA NOVA FERRAMENTA NA INVESTIGAÇÃO EÍDEMIOLÓGICA DA DOENÇA DE CHAGAS. 2008. (Apresentação de Trabalho/Outra).

2.
SANTOS, S. O.; Elenild Goes ; lins, George ; TATTO, ERICA ; Atieri, Flavio . CHAGAS DISEASE SURVEILLANCE IN LEGAL AMAZON WITH ENFACE IN ENVIRONMENTAL ANALYSIS. 2008. (Apresentação de Trabalho/Outra).

3.
SANTOS, S. O.. MUDANÇA NO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DA DOENÇA DE CHAGAS: PRIORIDADES ESTRATÉGICAS DO pncdch. 2008. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

Outras produções bibliográficas
1.
SANTOS, S. O.. GUIA PARA VIGILÂNCIA, PREVENÇÃO, CONTROLE E MANEJO CLINICO DA DOENÇA DE cHAGAS AGUDA TRANSMITIDA POR ALIMENTOS. BRASÍLIA: OPAS, 2009 (Manual).

2.
SANTOS, S. O.. MANUAL PARA AGENTES DE SAÚDE COMUNITÁRIOS E AGENTES DE ENDEMIAS. BELÉM: SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DO PARÁ, 2009 (Manual).

3.
TATTO, ERICA ; SANTOS, S. O. ; Luqueti, Alejandro . Doença de Chagas aguda. Aspectos epidemiológicos, diagnóstico e tratamento. Guia de consulta rápida para profissionais de saúde. Goiania: Editora da Universidade Federal de Goiás, 2007 (Manual).

4.
TATTO, ERICA ; SANTOS, S. O. . Recomendações para diagn´sotico, tratamento e acompanhamento de co-infecção: Trypanosoma cruzi. Virus da imunodeficiência humana. Brasília: Ministério da Saúde, 2007 (Manual).

5.
TATTO, ERICA ; SANTOS, S. O. . Doença de Chagas In: Doenças Infecciosas e Parasitárias - Guia de Bolso. Brasília: Minsitério da Saúde, 2006 (Guia de Bolso).

6.
SANTOS, S. O.. Consenso Brasileiro de doneça de Chagas. Ueraba: Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, 2005 (Manual).


Produção técnica
Programas de computador sem registro
1.
SANTOS, S. O.. SISTEMA DE INFORMAÇÕES DAS OPERAÇÕES DE CAMPO PARA O CONTROLE DA DONEÇA DE CHAGAS. 2008.

Trabalhos técnicos
1.
SANTOS, S. O.; Obara, Marcos ; TATTO, ERICA ; Elenild Goes . Plano Estadual de Intensificação das Ações de Controle da Doença de Chagas no Estado do Pará. 2007.

2.
SANTOS, S. O.; TATTO, ERICA ; Obara, Marcos ; lins, George ; Elenild Goes ; Flores, Mardones ; Atieri, Flavio . Plano Nacional de Intensificação das Ações de Controle e Vigilância de Doença de Chagas, com Ênfase na Transmissão Oral. 2007.

3.
Luqueti, Alejandro ; SANTOS, S. O. . Informe de la consulta técnica em epidmiologia, prevenção y manejo de la transmissão de la enfermedad transmitida por alimentos. 2006.

4.
SANTOS, S. O.; TATTO, ERICA ; Obara, Marcos ; lins, George ; Flores, Mardones . Estudo Eco-Epidemiológico da Doença de Chagas em Área de Triatoma rubrofasciata, São Luis/MA?. 2005.



Eventos



Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
SANTOS, S. O.; Elenild Goes ; RUBEN FIGUEROA . SEMANA COMEMORATIVA DOS 100 ANOS DA DESCOBERTA DA DOENÇA DE CHAGAS. 2009. (Outro).

2.
SANTOS, S. O.; ELKHOURY, M. ; DENISE RESENDE ; DIANA OLIVEIRA . OFICINA SOBRE VIGILÂNCIA, PREVENÇÃO E CONTROLE DA DOENÇA DE CHAGAS TRANSMITIDA POR ALIMENTOS. 2009. (Outro).

3.
SANTOS, S. O.; TATTO, ERICA ; Obara, Marcos ; Flores, Mardones . Reunião Nacional de Doença de Chagas ? Reunião de responsáveis técnicos pelo Programa Nacional de Controle de Doença de Chagas nos estados. 2007. (Outro).

4.
SANTOS, S. O.; TATTO, ERICA . 23a. Reunião Anual de Pesquisa Aplicada em D. Chagas e Leishmanioses. Sociedade Brasileira de Medicina Tropical. 2007. (Congresso).

5.
TATTO, ERICA ; SANTOS, S. O. . V Reunião Técnica ?Co-Infecção Trypanosoma cruzi - Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV): Continuidade das ações desenvolvidas e consolidação da Rede Nacional e os centros estaduais de referência. 2007. (Outro).



Inovação



Projetos de pesquisa



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 19/01/2019 às 14:27:11