Natacha Simei Leal

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/5610282115012086
  • Última atualização do currículo em 06/08/2018


Doutora e mestre em Antropologia pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade de São Paulo (PPGAS/USP) . Graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Tem experiência na área de Antropologia Rural, Antropologia da Ciência e Teoria Antropológica, com ênfase nos seguintes temas: família, economia,agronegócio, política e relações humano-animais. É pesquisadora do Hybris -Grupo de Estudo e Pesquisa sobre Relações de Poder, Conflitos, Socialidades - USP/UFSCar e do NuAP - Núcleo de Antropologia da Política - UFRJ/Museu Nacional . Foi bolsista da Fundação Carlos Chagas, atuando como coordenadora nacional na pesquisa de campo, no estudo do Ministério do Desenvolvimento Agrário "Nova organização produtiva e social da agricultura brasileira. Uma necessidade". O doutorado de sua autoria, " Nome aos bois. Zebus e zebuzeiros em uma pecuária brasileira de elite, " ganhou o prêmio de melhor tese em Ciências Sociais do ano de 2015, no concurso brasileiro de obras científicas e teses universitárias promovido pela ANPOCS. É professora do Colegiado de Antropologia da UNIVASF (Universidade Federal do Vale do São Francisco), campus Serra da Capivara, e coordenadora do LamPDa ( Laboratorio de Metodologia, Pesquisa e Documentação em Antropologia). (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Natacha Simei Leal
Nome em citações bibliográficas
LEAL, N. S.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Vale do São Francisco, Colegiado de Antropologia.
Rua João Ferreira dos Santos, S/N
Campestre
64770000 - São Raimundo Nonato, PI - Brasil
Telefone: (89) 35829750


Formação acadêmica/titulação


2010 - 2014
Doutorado em Ciência Social (Antropologia Social).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Nome aos Bois. Zebus e zebuzeiros em uma pecuária brasileira de elite., Ano de obtenção: 2014.
Orientador: Ana Cláudia Duarte Rocha Marques.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: agronegócio; Etnografia; gado de elite; zebu.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Rural.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Teoria Antropológica.
2006 - 2008
Mestrado em Ciência Social (Antropologia Social).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: É de agronegócio! Circuitos, relações e trocas entre peões de manejo, peões de rodeio e tratadores de gado nas feiras de pecuária.,Ano de Obtenção: 2008.
Orientador: José Guilherme Cantor Magnani.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Peões, feiras de pecuária, agronegócio; redes.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Urbana.
2000 - 2004
Graduação em Ciências Sociais.
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Brasil.
Título: Expogrande: Feira Agropecuária como palco de celebração da cultura e identidade campo-grandense.
Orientador: Álvaro Banducci Junior.


Pós-doutorado


2016 - 2017
Pós-Doutorado.
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas


Formação Complementar


2008
Curso avançado francês. (Carga horária: 120h).
Aliança Francesa, AF, Brasil.
2011 - 2011
Treinamento de novos Auditores Sociais. (Carga horária: 30h).
Imaflora- Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola, IMAFLORA, Brasil.
2010 - 2010
Cátedra Unesco - Agronegócio na América Latina. (Carga horária: 32h).
Fundação Memorial da América Latina, MEMORIAL, Brasil.
2005 - 2005
Formação de Gestores (As) em Gênero. (Carga horária: 60h).
Escola de Governo de Mato Grosso do Sul, EGMS, Brasil.
2005 - 2005
Oficina - Elaboração de projetos culturais. (Carga horária: 30h).
Universidade Católica Dom Bosco, UCDB, Brasil.
2004 - 2004
Antropologias e projetos sócio-culturais. (Carga horária: 4h).
XXIV Reunião da Associação Brasileira de Antropologia, RBA, Brasil.
2004 - 2004
A Pecuária Bovina no Processo de Ocupação. (Carga horária: 4h).
Universidade Católica Dom Bosco, UCDB, Brasil.
2000 - 2001
Turismo.
Universidade Anhanguera - Uniderp, UNIDERP, Brasil.
1998 - 1998
Intercâmbio Culturall - Cambrigde Inglaterra. (Carga horária: 40h).
EF Education First -, EF, Grã-Bretanha.


Atuação Profissional



Universidade Federal do Vale do São Francisco, UNIVASF, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Magistério Superior, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Professora Teoria Antropológica I

Vínculo institucional

2017 - 2018
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Magistério Superior, Carga horária: 40
Outras informações
- Professora do Curso de Organização Social e Parentesco

Vínculo institucional

2017 - 2017
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professora Magistério Superior, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
- Professora do Curso de Teoria Antropológica I

Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Magistério Superior, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

11/2017 - Atual
Ensino, Antropologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Ciência e Diversidade Humana
Organização Social e Parentesco
Teoria Antropológica I
10/2017 - Atual
Direção e administração, Colegiado de Antropologia, .

Cargo ou função
Coordenação de Curso.
10/2017 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Colegiado de Antropologia, .

Cargo ou função
Conselheira do Conuni ( Conselho Universitário).
06/2016 - Atual
Conselhos, Comissões e Consultoria, Colegiado de Antropologia, .

Cargo ou função
Núcleo Docente Estruturante.

Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pós-Doutorado, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2015 - 2016
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto A, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

08/2015 - Atual
Ensino, Ciências Sociais, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Antropologia da Saúde A, Antropologia da Saúde B

Centro Universitário Senac, SENAC/SP, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2016
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professora horista, Carga horária: 40
Outras informações
Professora na disciplina de Análise de Contexto oferecida no curso de especialização de Responsabilidade Social.


Fundação Carlos Chagas, FCC, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Subcoordenador de campo-pesquisa qualitativa, Carga horária: 20
Outras informações
Coordenação da pesquisa de campo no projeto de cooperação técnica UTF/BRA/083/BRA - Contrato FAO n. 15/2013. Elaboração de metodologias, seleção e instrução aos pesquisadores, realização de trabalho de campo.


Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisadora/Doutora, Carga horária: 20
Outras informações
Pesquisadora do Hybris - Grupo de Estudo e Pesquisa sobre Relações de Poder, Conflitos, Socialidades - USP/UFSCar

Vínculo institucional

2010 - 2014
Vínculo: Bolsisa Fapesp, Enquadramento Funcional: Doutoranda, Carga horária: 40

Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Bolsista PAE, Enquadramento Funcional: Programa de Aperfeiçoamento de Ensino, Carga horária: 8
Outras informações
Estágio de docência na disciplina de Família, Política e Conflito Social ministrada ao alunos da graduação em Ciências Sociais da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP)

Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Bolsita PAE, Enquadramento Funcional: Programa de Aperfeiçoamento de Ensino, Carga horária: 8
Outras informações
Estágio de docência na disciplina Antropologia II, ministrada aos alunos de Ciências Sociais da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo ( USP)

Vínculo institucional

2006 - 2008
Vínculo: Bolsista CAPES, Enquadramento Funcional: Mestranda, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
-Pesquisadora do Nau - Núcleo de Antropologia Urbana na Universidade de São Paulo

Vínculo institucional

2006 - 2006
Vínculo: Bolsista PAE, Enquadramento Funcional: Programa de Aperfeiçoamento de Ensino, Carga horária: 8
Outras informações
Programa de Aperfeiçoamento de Ensino (Julho de 2006 até dezembro de 2006). Estágio de docência na disciplina de Pesquisa de Campo em Antropologia ministrada aos alunos de Ciências Sociais da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. ( Elaboração de plano de ensino, correção de trabalhos e provas, docência e acompanhamento em plantões de dúvidas e orientações de pesquisa)


Universidade Nove de Julho, UNINOVE, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2009
Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Professora Universitária, Carga horária: 40
Outras informações
Introdução Ciências Sociais - Jornalismo. Introdução Ciências Sociais - Serviço Social Introdução Ciências Sociais - Publicidade e Propaganda


Síntese - Eventos Acadêmicos, SÍNTESE, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2009
Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Analista de gestão e projetos, Carga horária: 30
Outras informações
Captação de recursos junto a agências financiadoras de pesquisa, prestação de contas, elaboração de projetos e gestão financeira da empresa. Organização de eventos acadêmicos ( Reuniões da ABA, ANPOCS, ABCP, SBS), gerenciamento de equipes.


Secretaria de Estado e Cultura de Mato Grosso do Sul, SEC, Brasil.
Vínculo institucional

2005 - 2005
Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Antropóloga ( Agente Cultural), Carga horária: 40
Outras informações
Atuou como Antropóloga, vinculada à Secretaria de Estado da Cultura de Mato Grosso do Sul no ano de 2005, desenvolvendo trabalhos de captação de recursos, formatação e implantação de projetos de fomentação à cultura (Fundo Estadual de Incentivo à Cultura e Pontos de Cultura do Minc). Atuou em programas de inclusão cultural de comunidades de baixa renda em Campo Grande, colaborando na definição de linhas de trabalho e atuação direta das atividades do público-alvo. Trabalhou, ainda na Secretaria de Cultura de Mato Grosso do Sul, com trabalhos de campo em comunidades ribeirinhas do Pantanal sul-mato-grossense, realizando diversos diagnósticos sobre a produção artística e cultural desses povoados

Atividades

10/2005 - Atual
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Palestrante na I Conferência de Cultura de Batayporã - MS.
09/2005 - Atual
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Palestrante na I Conferência de Caarapó - MS..
03/2005 - Atual
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Elaboração dos projetos de "Ponto de Cultura" propostos pelo Ministério da Cultura nos meses de Maio e Junho de 2005..
03/2005 - Atual
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Realização de diagnósticos sócio-culturais nas cidades do interior de Mato Grosso do Sul..

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Brasil.
Vínculo institucional

2003 - 2004
Vínculo: Outro (pesquisador iniciação), Enquadramento Funcional: Pesquisador, Carga horária: 10


Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, FCMS, Brasil.
Vínculo institucional

2003 - 2003
Vínculo: Estagiário, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 20


ESCOLA CARLOS HENRIQUE SCHRADER, EEPCS, Brasil.
Vínculo institucional

2001 - 2001
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Voluntária, Carga horária: 5
Outras informações
Projeto arte-educativo entre crianças carentes da periferia de Campo Grande- MS. ( Oficinas de arte: teatro, musicalização, literatura e cinema).



Projetos de pesquisa


2017 - Atual
O que faz o Parentesco
Descrição: O objetivo deste projeto é descrever, refletir e argumentar sobre o que o parentesco faz e aquilo de que é feito, por meio da interconexão de três eixos: memória, domesticidade e política. Essa proposta é tributária da revisão crítica de uma longa tradição de estudos de parentesco na antropologia, que se concentrou na definição e na natureza de seu objeto. Aqui propomos um deslocamento de enfoque que privilegia o parentesco como produto e produtor de relações que são também políticas, religiosas, econômicas, morais etc. Os materiais empíricos a serem explorados pela equipe de pesquisadores provêm de diferentes universos sociais, usualmente referidos a distintas sub-áreas disciplinares (antropologia rural, etnologia indígena, antropologia urbana, antropologia das populações afro-brasileiras). Além da convergência em torno desse objetivo comum, as pesquisas confluem metodologicamente através de abordagens etnográficas que priorizam constructos analíticos e discursivos dos sujeitos observados e seu cotejamento com as teorias antropológicas. Assim, ao aporte teórico e empírico aos estudos de parentesco no Brasil, o diálogo entre as sub-áreas acadêmicas de nossa disciplina se soma às contribuições do presente projeto..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - 2017
Seleção e ?raceamento? do gado Pé-Duro piauiense. Naturezas e culturas, raças e misturas.
Descrição: O presente projeto pretende analisar, desde uma perspectiva antropológica, práticas e enunciados sobre os recentes investimentos na preservação e seleção de um tipo de gado nordestino, piauiense, o Pé- Duro. Estes animais, mestiços de entrecruzamentos entre bovinos da Península Ibérica que chegaram ainda no século XVI ao Brasil, estiveram em vias de extinção a partir da segunda metade do século XX: com a emergência da indústria frigorífica nacional, raças indianas (zebus) foram sucessivamente importadas ao país para abastecer o mercado da carne, dominando os campos e pastos do centro-oeste, sudeste, norte e também do nordeste brasileiro. Atualmente, no entanto, elites ganadeiras e pesquisadores da Embrapa defendem a viabilidade zootécnica dos Pés-Duros para a indústria da carne através de uma combinação de iniciativas: reconhecimento da raça, publicação de pedigrees, organização de feiras agropecuárias, tombamento destes tipos com um patrimônio histórico e cultural do Piauí, além da defesa da importância da biodiversidade de espécies domésticas nativas. Este pós-doutorado objetiva acompanhar e descrever as controvérsias do "raceamento" do gado Pé-Duro, avaliando a produção de enunciados da genética, da cultura, do sangue, da mestiçagem, da economia, do pedigree, do ambiente, da tradição e da naturalização que, concomitantemente, buscam produzir a pureza destes tipos. Além disso, tomando a centralidade do conceito de raça em zootecnia, pretende demonstrar os conflitos e controvérsias que fizeram, e seguem fazendo, os rebanhos bovinos nacionais. (AU).
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
Seleção e ?raceamento? do gado Pé-Duro piauiense. Naturezas e culturas, raças e misturas.
Descrição: O presente projeto pretende analisar, desde uma perspectiva antropológica, práticas e enunciados sobre os recentes investimentos na preservação e seleção de um tipo de gado nordestino, piauiense, o Pé- Duro. Estes animais, mestiços de entrecruzamentos entre bovinos da Península Ibérica que chegaram ainda no século XVI ao Brasil, estiveram em vias de extinção a partir da segunda metade do século XX: com a emergência da indústria frigorífica nacional, raças indianas (zebus) foram sucessivamente importadas ao país para abastecer o mercado da carne, dominando os campos e pastos do centro-oeste, sudeste, norte e também do nordeste brasileiro. Atualmente, no entanto, elites ganadeiras e pesquisadores da Embrapa defendem a viabilidade zootécnica dos Pés-Duros para a indústria da carne através de uma combinação de iniciativas: reconhecimento da raça, publicação de pedigrees, organização de feiras agropecuárias, tombamento destes tipos com um patrimônio histórico e cultural do Piauí, além da defesa da importância da biodiversidade de espécies domésticas nativas. Esta pesquisa objetiva acompanhar e descrever as controvérsias do ?raceamento? do gado Pé-Duro, avaliando a produção de enunciados da genética, da cultura, do sangue, da mestiçagem, da economia, do pedigree, do ambiente, da tradição e da naturalização que, concomitantemente, buscam produzir a pureza destes tipos. Além disso, tomando a centralidade do conceito de raça em zootecnia, pretende demonstrar os conflitos e controvérsias que fizeram, e seguem fazendo, os rebanhos bovinos nacionais..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2014 - Atual
?NOVA ORGANIZAÇÃO PRODUTIVA E SOCIAL DA AGRICULTURA FAMILIAR BRASILEIRA ? UMA NECESSIDADE?
Descrição: PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA UTF/BRA/083/BRA ? ?NOVA ORGANIZAÇÃO PRODUTIVA E SOCIAL DA AGRICULTURA FAMILIAR BRASILEIRA ? UMA NECESSIDADE?.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2010 - 2014
Dando nome aos bois: Redes de circulação, comércio e trocas no agronegócio de gado de elite
Descrição: O Brasil é o maior produtor de bovinos do mundo. A pecuária no país se organiza em duas frentes: produção de animais para o abate (gado de corte) e aprimoramento genético de bovinos para a criação de matrizes (gado de elite). Ainda que essas duas frentes estabeleçam relações, participam de circuitos comerciais bastante distintos. De um lado o gado é criado e produzido para o abastecimento de mercados da carne, de outro para a comercialização e produção de genética, de padrões raciais. O mercado de gado de elite organiza uma ampla rede. Através da participação e circulação de vaqueiros, produtores rurais, veterinários, empresários, artistas e mesmo de animais em feiras agropecuárias, julgamentos e leilões se dão as trocas e comercialização de reses cujos preços são milionários. Como os mercados da moda e das artes, a comercialização de gado de elite é bastante especulativa. Vende um conceito - os padrões de raças bovinas ? e a possibilidade de gerar cada vez mais lucros: a genética dessas reses, se reconhecida e apreciada, é capaz de criar novos animais, novas matrizes, novos padrões. A presente pesquisa, através de uma etnografia, pretende descrever essa ampla rede. Objetiva pensar o agronegócio através de um olhar antropológico, entender as relações entre a produção de carne e produção de gado elite e pensar a lógica da troca, da circulação e do valor dado aos animais no contexto das feiras agropecuárias, leilões, julgamentos que dão o tom desse mercado..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2006 - 2008
Práticas culturais e sociabilidade no contexto urbano
Descrição: Práticas culturais e sociabilidade no contexto urbano Palavras-chave: estilos de vida, sociabilidade, usos e apropriações dos espaços urbanos. Pesquisa desenvolvida junto ao Núcleo de Antropologia Urbana da Universidade de São Paulo - USP.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2006 - 2008
É de agronegócio!: Circuitos, relações e trocas entre peões de manejo, peões de rodeio e tratadores da gado nas feiras de pecuária.
Descrição: Há no Brasil um grande circuito de feiras e exposições agropecuárias. Tais eventos apresentam o agronegócio como importante atividade geradora da economia e têm em vários estados da federação - sido palcos de comemoração para as cidades e comunidades que os abrigam. Localidades de diversos tamanhos, espalhadas pelos quatro cantos do país, possuem uma feira cuja apresentação da produção agrícola ou pastoril divide espaço com aclamadas atividades de lazer: shows das mais requisitadas duplas neo-sertanejas, barracas de jogos de azar e comes e bebes, rodeios e no caso de algumas exposições, requintados restaurantes, bares e boates. Dentre os diversos atores/trabalhadores que se fazem essenciais para o êxito e sucesso dos eventos agropecuários uma categoria específica os peões merece uma especial atenção. Reverenciados por muitos participantes de exposições agropecuárias como os autênticos nativos do universo rural, peões de rodeio, tratadores de gado e peões de manejo executam atividades imprescindíveis para o funcionamento desses eventos. Como uma trupe circense, viajam durante todo ano de exposição em exposição, percorrendo o circuito brasileiro das grandes e pequenas feiras de agronegócio. A presente pesquisa, fruto de observações de campo realizadas nas exposições agropecuárias de Londrina- PR, Campo Grande MS e São Paulo - SP, pretende apreender a dinâmica do circuito de feiras agropecuárias brasileiro, contemplando a análise da rotina de peões nesses eventos e de que maneira o trabalho que esses vaqueiros realizam está por trás de grande parte das atividades de negócios e de lazer presentes nas exposições de pecuária..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2003 - 2004
Projeto CIM - Uma ponte entre a cidadania e a educação
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2017 - Atual
Cena na Serra. Cinema em Ação
Descrição: O objetivo do projeto de extensão "Cena na Serra, cinema em ação" é organizar um cineclube quinzenal no Núcleo de Extensão da UNIVASF, em São Raimundo Nonato ? PI. Em parceria com a distribuidora Vitrine Filmes, o Cena na Serra promoverá a mostra e discussão de produções audiovisuais brasileiras. Além de buscar a aproximação da universidade com a comunidade, a iniciativa permite a promoção de debates sobre temas importantes para a população do município, bem como a conexão entre discussões promovidas na universidade, as obras audiovisuais e outros conhecimentos do público. O projeto objetiva ainda somar-se a outras atividades de extensão do campus, no intuito de auxiliar na promoção do direito à cultura à população de São Raimundo Nonato. O projeto é uma iniciativa de docentes do Colegiado de Antropologia, e conta com a participação de estudantes dos cursos de Antropologia e Arqueologia e Preservação Patrimonial. As sessões de filme ocorrerão em terças-feiras alternadas no Núcleo de Extensão da UNIVASF, no centro de São Raimundo Nonato. A programação atualizada será divulgada por e-mail, cartazes na cidade e redes sociais.".
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (10) .
Integrantes: Natacha Simei Leal - Coordenador / Camila Galan Paula - Integrante / Paula Layane Souza - Integrante.


Membro de corpo editorial


2016 - Atual
Periódico: Argumentos ( Revista do Departamento de Ciência Sociais da Unimontes)


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Urbana.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Rural.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.
Francês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2015
Concurso Brasileiro de obras científicas e teses universitárias 2015 - Prêmio de melhor tese de doutorado, ANPOCS - Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais..


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
LEAL, N. S.2018LEAL, N. S.. Dos manuais que fazem raça. Técnicas e enunciados sobre purezas zootécnicas.. R@U : REVISTA DE ANTROPOLOGIA SOCIAL DOS ALUNOS DO PPGAS-UFSCAR, v. 10, p. 25-52, 2018.

2.
LEAL, N. S.2016LEAL, N. S.. O Zebu Indiano No Brasil Central: O Pedigree E A Consolidação De Um Mercado De Elite. revista florestan fernandes, v. v.4, p. 60-72, 2016.

3.
LEAL, N. S.2016LEAL, N. S.. Dos zebus e seus clones: Valor e pedigree em um mercado de elite. Revista de Antropologia (USP. Impresso), v. 59, p. 07, 2016.

4.
LEAL, N. S.2016LEAL, N. S.. About zebus and zebuzeiros: Value and price, influences and substances in elite cattle auctions. Vibrant (Florianópolis), v. 13, p. 95-109, 2016.

5.
LEAL, N. S.2014LEAL, N. S.. Resenha de O diabo e o fetichismo da mercadoria na América do Sul. Revista Ñanduty, v. 2, p. 133, 2014.

6.
LEAL, N. S.2013LEAL, N. S.. Do agronegócio! : O trabalho de tratadores de gado, peões de manejo e peões de rodeio em feiras de pecuária. Composição: Revista de Ciências Sociais da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, v. 12, p. 150-164, 2013.

7.
LEAL, N. S.2013LEAL, N. S.. Notas sobre o mercado financeiro: um olhar antropológico ( Resenha de Mercado Exemplar: um estudo antropológico sobre a bolsa de valores). REVISTA CONTEXTO, v. 4, p. 263-268, 2013.

8.
LEAL, N. S.2013LEAL, N. S.. Os Milton: Cem anos de história nos seringais ( Resenha). Revista de Antropologia (USP. Impresso), v. 56, p. 565-573, 2013.

9.
I.M.A2011I.M.A ; LEAL, N. S. ; Luís Felipe Kojima Hirano ; Samantha Gaspar ; Eduardo Dimitrov . Antropologia em diálogo: A I Semana de Humanidades em Mossoró ( Etnográficas). Ponto.Urbe (USP), v. 8, p. 1-5, 2011.

10.
LEAL, N. S.2011LEAL, N. S.. "Simmel e o dinheiro: primeiros ensaios" ( Resenha de Psicologia do dinheiro e outros ensaios). Revista Mediações (UEL), v. 16, p. 345-345, 2011.

11.
LEAL, N. S.2011LEAL, N. S.. "Touros de genética, touros de genealogia": Controvérsias da pecuária brasileira. Periferia (Bellaterra), v. 16, p. 01-20, 2011.

12.
LEAL, N. S.2010LEAL, N. S.. " Os argonautas de Pizzini": Um povo canoeiro em uma etnopoesia. Composição: Revista de Ciências Sociais da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, v. 7, p. 70-80, 2010.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
LEAL, N. S.. Nome aos bois. Zebus e zebuzeiros em uma pecuária brasileira de elite. 1. ed. São Paulo: Hucitec, 2016. 343p .

Capítulos de livros publicados
1.
LEAL, N. S.. De sangues, purezas e misturas bovinas. Políticas e saberes da criação.. Questões e Dimensões da Política.. 1ed.rio de janeiro: papeis selvagens, 2018, v. , p. 1-13.

2.
LEAL, N. S.. O début do touro Ranchi: uma celebração da pecuária de gado de elite. In: Ciméa Bevilacqua; Felipe Vander Velden. (Org.). Parentes, vítimas, sujeitos: perspectivas antropológicas sobre relações entre humanos e animais. 1ed.Curitiba-PR/São Carlos - SP: UFPR/UFSCar, 2015, v. 1, p. 59-82.

3.
LEAL, N. S.. ? Nóis é do Mato, mas nóis é moderno?: Notas etnográficas sobre uma exposição agropecuária.. In: Menegazzo, Maria Adélia; Banducci Júnior, Álvaro.. (Org.). Travessias e limites: Escritos sobre identidade e o regional. 1ed.Campo Grande: Editora UFMS, 2009, v. , p. 1-243.

4.
LEAL, N. S.. Foi quando tudo mudou. In: Moreli Teixera Arantes. (Org.). 70 anos de exposições. 1ed.Campo Grande: Elicio, 2009, v. 1, p. 50-54.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
LEAL, N. S.. A festa é da cidade!. Álbum dos 70 anos da Expogrande, Campo Grande, 03 abr. 2008.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
LEAL, N. S.. ENTRE FAZENDAS, PIPETAS, ESTUFAS E ACORDOS MILIONÁRIOS: CLONAGEM E PEDIGREE NO MERCADO DE GADO DE ELITE BRASILEIRO .. In: Seminario de Antropologia da UFScar, 2014, São Carlos - SP. Seminário de Antropologia da UFSCar, 2014. v. 1. p. 353-364.

2.
LEAL, N. S.. Dos homens e dos bois: genética e transmissão de substâncias na pecuária de gado de elite.. In: IV React - Reunião de Antropologia da Ciência e da Técnica, 2013, Campinas - SP. Anais da React. Campinas - SP, 2013. v. 1. p. 1.

3.
LEAL, N. S.. A festa de aniversário do touro Ranchi: Uma etnografia da celebração de um mercado. In: 28} Reunião da Associação Brasileira de Antropologia, 2012, São Paulo. Anais da 28º Reunião da Associação Brasileira de Antropologia, 2012.

4.
LEAL, N. S.. Gado de elite, gado da elite: Notas sobre a pecuária de bovinos reprodutores no Brasil. In: ALA - III Congreso Latinoamericano de Antropología Antropologías en Movimiento, 2012, Santiago. Actas del Tercer Congreso Latinoamericano de Antropología ALA, 2012, 2012.

5.
LEAL, N. S.. Dando nome aos bois: Redes de circulação, comércio e trocas no agronegócio de gado de elite. In: 27º Reunião da Associação Brasileira de Antropologia, 2010, Belém. Anais da 27º Reunião da Associação Brasileira de Antropologia, 2010.

6.
LEAL, N. S.. Ser peão na era do agronegócio: O trabalho de peões de manejo, peões de rodeio e tratadores de gado em "Pecuárias". In: 26. Reunião Brasileira de Antropologia, 2008, Porto Seguro - BA. Anais do 26. Reunião Brasileira de Antropologia, 2008.

7.
LEAL, N. S.. Eu sou do rural, você é da cidade: Reflexões etnográficas sobre o trabalho de peões no circuito brasileiro de feiras e exposições agropecuárias?. In: Reunião de Antropologia do Mercosul, 2007, Porto Alegre. Caderno de Resumos, 2007.

8.
LEAL, N. S.. Expogrande: História, Festa e Identidade Campo- Grandense. In: VII Encontro de Historia de Mato Grosso do Sul, 2004, Campo Grande - MS. Cd - room do evento, 2004.

9.
LEAL, N. S.; C,L, Alexandra ; S, M ; O,L,M, Sônia . Projeto CIM: Uma Ponte entre a comunicação e a cidadania.. In: 7°FOLKCOM, 2004, Lageado- RS. CD Room do Evento, 2004.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
LEAL, N. S.. The 'rhythm of the waters': cattle, farmers and environment in the hinterland of Piauí, Brazil. In: 13. Sief - Ways of Dwelling: Crisis - Craft - Creativity, 2017, Gottingen. 13. Sief Programme - Ways of Dwelling: Crisis - Craft - Creativity, 2017.

2.
LEAL, N. S.. Dos manuais que fazem raça. Técnicas e Enunciados sobre Purezas Zootécnicas.. In: VI REACT, 2017, São Paulo. Anais do VI REACT, 2017.

3.
LEAL, N. S.. Seleção e ?raceamento? do gado Pé-Duro piauiense. Naturezas e culturas, raças e misturas. In: 30 Reuniao Brasileira de Antropologia, 2016, Joao Pessoa. Cadernos de Resumos 30. Aba, 2016.

4.
LEAL, N. S.. ENTRE FAZENDAS, PIPETAS, ESTUFAS E ACORDOS MILIONÁRIOS: CLONAGEM E PEDIGREE NO MERCADO DE GADO DE ELITE BRASILEIRO. In: Seminario de Antropologia da UFScar, 2014, Sao Carlos. Caderno de Resumos, 2014.

5.
LEAL, N. S.. . Dos homens e dos bois: genética e transmissão de substâncias na pecuária de gado de elite... In: Caderno de Resumos, 2013, Campinas. Anais da IV React - Reunião de Antropologia da Ciência e da Técnica, 2013.

6.
LEAL, N. S.. Sobre homens e bois: sangue e pedigree na pecuária de gado de elite. In: X Reunión de Antropologia del Mercosur, 2013, Córdoba - Argentina. Caderno de Resumos, 2013.

7.
LEAL, N. S.. Pecuária Ambiente e mercado: a nova fronteira verde. In: II CIAEE- Congresso Iberamericano de Arqueologia, Etnologia e Etno-história, 2012, Dourados. Caderno de Resumos, 2012.

8.
LEAL, N. S.. Latifundiários, meio ambiente e mercado: Novas perspectivas da pecuária no Brasil. In: 54 ICA - Congresso Internacional de Americanistas, 2012, Viena- Austria. 54 ICA - Congresso Internacional de Americanistas - Abstracts, 2012.

9.
LEAL, N. S.. A festa de aniversário do touro Ranchi: Uma etnografia da celebração de um mercado. In: 28. Reunião Brasileira de Antropologia, 2012, São Paulo. Anais da 28. Reunião Brasileira de Antropologia, 2012.

10.
LEAL, N. S.. Gado de elite, gado da elite: Notas sobre a pecuária de bovinos reprodutores no Brasil.. In: III Congreso Latinoamericano de Antropología, 2012, Santiago - Chile. Caderno de Resumos, 2012.

11.
LEAL, N. S.. Senses of the rural: Brazilian cowboys in livestock shows and fairs. In: SIEF 2011: People make places, 2011, Lisboa. Congress programme and book of abstracts, 2011.

12.
LEAL, N. S.. Do agronegócio? O trabalho de tratadores de gado, peões de manejo e peões de rodeio em feiras de pecuária. In: 38º Encontro Nacional de Estudos Rurais e Urbanos, 2011, São Paulo. 38º Encontro Nacional de Estudos Rurais e Urbanos, 2011.

13.
LEAL, N. S.. Aonde a vaca vai , o boi vai atrás: Notas etnográficas sobre uma central de inseminaçào artificial de bovinos. In: III Reuniao de Antropologia da Ciência e Tecnologia, 2011, Brasiíia. Caderno de Resumos, 2011.

14.
LEAL, N. S.. 'Brazilian livestock': Market, science and networks. In: IUAES/ AAS/ ASAANZ Conference - Knowledge and Valeu in a Globalising World, 2011, Perth, Western Australia. Abstracts - IUAES/ AAS/ ASAANZ Conference - Knowledge and Valeu in a Globalising World, 2011.

15.
I.M.A ; LEAL, N. S. . Metodologias de Pesquisa em Antropologia. In: I Semana de Humanidades FAFIC/UERN Ciência, Modernidade, Identidade Diálogos entre saberes, 2010, Mossoró - RN. Anais I Semana de Humanidades FAFIC/UERN, 2010.

16.
LEAL, N. S.. Dando nome aos bois: Redes de circulação, comércio e trocas no agronegócio de gado de elite. In: 27º Reunião da Associação Brasileira de Antropologia, 2010, Belem - PA. Caderno de Resumos, 2010.

17.
LEAL, N. S.. Ser peão na era do agronegócio: O trabalho de peões de manejo, peões de rodeio e tratadores de gado em 'Pecuárias'. In: 26. Reunião Brasileira de Antropologia, 2008, Porto Seguro - BA. Anais da 26. Reunião Brasileira de Antropologia, 2008.

18.
LEAL, N. S.. Eu sou do rural, você é da cidade: Reflexões etnográficas sobre o trabalho de peões no circuito brasileiro de feiras e exposições agropecuárias. In: VII Reunião de Antropologia do Mercosul, 2007, Porto Alegre - RS. Anais da VII Reunião de Antropologia do Mercosul, 2007.

19.
LEAL, N. S.. Qual esperança?. In: ENAREL - XVII Encontro Nacional de Recreação e Lazer, 2005, Campo Grande. Caderno de Resumos, 2005.

20.
LEAL, N. S.; C,L, Alexandra ; S, M ; O,L,M, Sônia . Projeto CIM: Uma Ponte entre a Comunicação e a Cidadania. In: 56°Reunião Anual da SBPC, 2004, Cuiabá - MS. Anais da 56°Reunião Anual da SBPC, 2004.

21.
LEAL, N. S.. . Expogrande: História, Festa e Identidade Campo- Grandense. In: VII Encontro de Historia de Mato Grosso do Sul, 2004, Campo Grande - MS. Caderno de Resumos, 2004.

22.
LEAL, N. S.. Projeto CIM: Uma Ponte entre a comunicação e a cidadania. In: 56. Reunião da SBPC, 2004, Cuiabá-MT. Anais do 7. Folkcom, 2004.

23.
LEAL, N. S.; O,L,M, Sônia ; S, M ; C,L, Alexandra . ?PROJETO CIM: UMA PONTE ENTRE A COMUNICAÇÃO E A EDUCAÇÃO?. In: VII Conferencia Brasileira de Folkcomunicação, 2004. CD- Room VII Conferência Brasileira de Folkcomunicação, 2004.

Apresentações de Trabalho
1.
LEAL, N. S.. Sobre a raça do gado pé-duro piauiense: naturezas, culturas e misturas. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
LEAL, N. S.. The 'rhythm of the waters': cattle, farmers and environment in the hinterland of Piauí, Brazil. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
LEAL, N. S.. Das purezas e misturas. Seleção e Raceamento do gado pé-duro piauiense. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
LEAL, N. S.. Dos manuais que fazem raça. Técnicas e Enunciados sobre Purezas Zootécnicas. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

5.
LEAL, N. S.. Das biogenéticas, distinções e inconsistências. A produção de pedigrees em rebanhos zebuínos brasileiros. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
LEAL, N. S.. De sangues, purezas e misturas bovinas. Políticas e saberes da criação. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
LEAL, N. S.. Mesa família, parentesco e relações pessoais. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

8.
LEAL, N. S.. Mesa Intersecções entre Biologia e Economia. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
LEAL, N. S.. Coléquio A relação humano-animal nas Ciências Sociais. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

10.
LEAL, N. S.. Seleção e ?raceamento? do gado Pé-Duro piauiense. Naturezas e culturas, raças e misturas.. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

11.
LEAL, N. S.; SOUSA, P. L. P. . O Saber-Fazer do Trabalho Etnográfico. 2016. (Apresentação de Trabalho/Outra).

12.
LEAL, N. S.. Das fronteiras da raça: O zebu indiano no oeste brasileiro. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

13.
LEAL, N. S.. Dando nome aos bois. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

14.
LEAL, N. S.. Dos zebus e zebuzeiros: sangue e pedigree em um mercado de elite. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

15.
LEAL, N. S.. Da criação dos zebus, dos zebuzeiros e de uma pecuária de elite brasileira. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

16.
LEAL, N. S.. Entre fazendas, pipetas, estufas e acordos milionários: clonagem e pedigree no mercado de gado de elite brasileiro. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

17.
LEAL, N. S.. Sobre homens e bois: sangue e pedigree na pecuária de gado de elite. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

18.
LEAL, N. S.. Dos homens e dos bois: genética e transmissão de substâncias na pecuária de gado de elite. 2013. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

19.
LEAL, N. S.. A festa de aniversário do touro Ranchi: Uma etnografia da celebração de um mercado. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

20.
LEAL, N. S.. Pecuária, ambiente e mercado: A nova fronteira verde. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

21.
LEAL, N. S.. Gado de elite, gado da elite: Notas sobre a pecuária de bovinos reprodutores no Brasil. 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
LEAL, N. S.. Debatedora na mesa Mobilidades, oralidades e moralidades, distância e família em Minas Gerais. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

23.
LEAL, N. S.. " Aonde a vaca vai o boi vai atrás": Notas etnográficas sobre uma central de inseminação artificial de bovinos.. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

24.
LEAL, N. S.. Senses of the rural: Brazilian cowboys in livestock shows and fairs. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

25.
LEAL, N. S.. Do agronegócio? O trabalho de tratadores de gado, peões de manejo e peões de rodeio em feiras de pecuária. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

26.
LEAL, N. S.. Dando nome aos bois: Redes de circulação, comércio e trocas no agronegócio de gado de elite.. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

27.
LEAL, N. S.; I.M.A . Metodologias de Pesquisa em Antropologia. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

28.
LEAL, N. S.. Debatedora na mesa Agencia dos Objetos. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

29.
LEAL, N. S.. Ser peão na era do agronegócio: O trabalho de peões de manejo, peões de rodeio e tratadores de gado em "Pecuárias". 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

30.
LEAL, N. S.. Oficina: Trabalho de campo e construção do texto etnográfico. 2007. (Apresentação de Trabalho/Outra).

31.
LEAL, N. S.. Eu sou do rural, você é da cidade: Reflexões etnográficas sobre o trabalho de peões no circuito brasileiro de feiras e exposições agropecuárias. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

32.
LEAL, N. S.. Dos manuais que fazem raça. Técnicas e Enunciados sobre purezas zootecnicas. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

33.
LEAL, N. S.. I Conferencia Estadual de Cultura de Caarapó. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

34.
LEAL, N. S.. I Conferencia Estadual de Cultura de Batayporã. 2005. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

35.
LEAL, N. S.. Qual esperança?. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

36.
LEAL, N. S.. ?Expogrande: História, Festa e Identidade campo-grandense. 2004. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

37.
LEAL, N. S.; O,L,M, Sônia ; C,L, Alexandra ; S, M . Projeto CIM: Uma Ponte entre a Comunicação e a Cidadania. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

38.
LEAL, N. S.; C,L, Alexandra ; O,L,M, Sônia ; S, M . PROJETO CIM: UMA PONTE ENTRE A COMUNICAÇÃO E A EDUCAÇÃO. 2004. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Outras produções bibliográficas
1.
LEAL, N. S.. A festa da cidade - Exposicao Agropecuaria como palco da cutura e sociedade campo-grandense. 2004 (Trabaho de conclusao e curso).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
LEAL, N. S.. Net - Brasil. 2009.

2.
LEAL, N. S.. Antropologia Organizacional - Porto Seguro. 2008.

Trabalhos técnicos
1.
LEAL, N. S.. Parecer para a Revista Repocs ( UFMA). 2017.

2.
LEAL, N. S.; BRITO, R. ; PAULA, C. G. ; SOUZA, P. L. ; HARAYAMA, R. M. ; FREIRE, B. C. . Projeto Político Pedagógico da graduação em de Antropologia da Univasf. 2017.

3.
LEAL, N. S.. Parecer Revista de Antropologia ( USP). 2016.

4.
LEAL, N. S.. Parecer para a revista R@u ( UFSCar). 2016.

5.
LEAL, N. S.. Parecer para Revista Horizontes Antropológicos. 2016.

6.
LEAL, N. S.. Contrato FAO n. 15/2013. 2015.

7.
LEAL, N. S.. Parecer para Revista Enfoques - IFCS/UFRJ. 2015.

8.
LEAL, N. S.. Parecer para a Revista Florestan Fernandes/ UFSCar. 2015.

9.
LEAL, N. S.. Parecer para Revista Manufaturas - UnB. 2012.

10.
LEAL, N. S.. Ponto de Cultura. 2005.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
LEAL, N. S.. Documentário ?Doméstica? será apresentado no projeto Cena da Serra amanhã. 2018. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

2.
LEAL, N. S.. Nova temporada do projeto Cena na Serra exibe amanhã filme Era o Hotel Cambridge. 2018. (Programa de rádio ou TV/Comentário).


Demais tipos de produção técnica
1.
LEAL, N. S.. Relatório Fapesp - Pós- Doutorado. 2017. (Relatório de pesquisa).

2.
LEAL, N. S.. Relatório Anual PPGAS/USP. 2015. (Relatório de pesquisa).

3.
LEAL, N. S.. Relatório Bolsa Fapesp. 2014. (Relatório de pesquisa).

4.
LEAL, N. S.. Relatório Bolsa Fapesp. 2013. (Relatório de pesquisa).

5.
LEAL, N. S.. Relatório de atividades Bolsa Fapesp. 2012. (Relatório de pesquisa).

6.
LEAL, N. S.. Relatório Anual PPGAS USP. 2011. (Relatório de pesquisa).

7.
LEAL, N. S.. Relatório de Atividades Bolsa Fapesp. 2011. (Relatório de pesquisa).

8.
LEAL, N. S.. Relatório Anual PPGAS USP. 2010. (Relatório de pesquisa).

9.
LEAL, N. S.. Por que cada vez mais precisamos consumir para sermos felizes?. 2008. (Entrevista).

10.
LEAL, N. S.. Relatório Anual dos Bolsistas. 2007. (Relatório de pesquisa).

11.
LEAL, N. S.. Relatório Anual dos Bolsistas. 2006. (Relatório de pesquisa).

12.
LEAL, N. S.. Relatório Projeto CIM - Uma ponte entre a cidadania e a educação. 2004. (Relatório de pesquisa).


Produção artística/cultural
Outras produções artísticas/culturais
1.
LEAL, N. S.. Sou Bugre Véio!. 2007 (Produção musical).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
VELDEN, F. F. V.; ANDRELO, G.; LEAL, N. S.. Participação em banca de Míriam Rebeca Rodeguero Stefanuto. Trabalho calado: uma etnografia dos índios Kaingang nos frigoríficos do oeste de Santa Catarina. 2017. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Universidade Federal de São Carlos.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
MAGESTE, L. E. C.; SALVIO, V. L.; LEAL, N. S.. Participação em banca de André Araújo.PICHAÇÃO, CORPO E PAISAGEM: uma comparação entre o fenômeno gráfico urbano de São Raimundo Nonato- PI e Jandira -SP. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Arqueologia e Preservação Patrimonial) - Universidade Federal do Vale do São Francisco.

2.
LEAL, N. S.; A.B; Moretti, E.. Participação em banca de Virgílio Armando Trentin de Oliveira.Políticas Públicas para o Turismo no Assentamento Andalúcia (Nioaque-MS). 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

3.
LEAL, N. S.; Banducci Jr.; Moretti, E.. Participação em banca de Roseli Aparecida Zeli de Mello."Turismo no Assentamento Rural Andalúcia: Caminhos e Perspectivas". 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
LEAL, N. S.; FREIRE, B.; MAGESTE, L. E. C.. Concurso professor Antropologia Univasf. 2018. Universidade Federal do Vale do São Francisco.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
III CIAEE. Das fronteiras da raça: O zebu indiano no oeste brasileiro.. 2015. (Congresso).

2.
Seminario de Antropologia da UFScar. ENTRE FAZENDAS, PIPETAS, ESTUFAS E ACORDOS MILIONÁRIOS: CLONAGEM E PEDIGREE NO MERCADO DE GADO DE ELITE BRASILEIRO. 2014. (Congresso).

3.
IV React - Reunião de Antropologia da Ciência e da Técnica. Dos homens e dos bois: genética e transmissão de substâncias na pecuária de gado de elite. 2013. (Congresso).

4.
X RAM - Reunião de Antropologia do Mercosul. Sobre homens e bois: sangue e pedigree na pecuária de gado de elite. 2013. (Congresso).

5.
28 Reunião da Associaçao Brasileira de Antropologia. A festa de aniversário do touro Ranchi: uma etnografia da celebração de um mercado. 2012. (Congresso).

6.
II CIAEE- Congresso Iberamericano de Arqueologia, Etnologia e Etno-história. " Pecuária, ambiente e mercado: A nova fronteira verde".. 2012. (Congresso).

7.
II CIAEE- Congresso Iberamericano de Arqueologia, Etnologia e Etno-história. GT 5 ? Fronteiras, Turismo e Manifestações Festivas e Religiosas. 2012. (Congresso).

8.
III Congreso Latinoamericano de Antropología. Gado de elite, gado da elite: Notas sobre a pecuária de bovinos reprodutores no Brasil. 2012. (Congresso).

9.
Sexta do mês com John Comerford.Mobilidades, oralidades e moralidades: Reputação, distância e família em Minas Gerais.. 2012. (Seminário).

10.
Tercer congreso Latinoamericano de Antropología ALA. Gado de elite, gado de elite: Notas sobre a pecuária de bovinos reprodutores no Brasil. 2012. (Congresso).

11.
38º Encontro Nacional de Estudos Rurais e Urbanos. " Do agronegócio?": O trabalho de tratadores de gado, peões de rodeio e peões de manejo em feiras de pecuária.. 2011. (Congresso).

12.
III REACT - Reuniao de Antropologia da Ciência e Tecnologia. Aonde a vaca vai , o boi vai atrás: Notas etnográficas sobre uma central de inseminaçào artificial de bovinos. 2011. (Congresso).

13.
SIEF 2011 - People make places - ways of feeling the world. " Senses of the rural: Brazilian cowboys in livestock shows and fairs. 2011. (Congresso).

14.
27º Reunião da Associação Brasileira de Antropologia. " Dando nome aos bois": Redes de circulação, comércio e trocas no agronegócio de gado de elite.. 2010. (Congresso).

15.
III Seminário de Revisão dos Critérios de Seleção das Raças Zebuínas em Gado de Corte. 2010. (Seminário).

16.
I Semana de Humanidades FAFIC/UERN Ciência, Modernidade, Identidade Diálogos entre saberes. Oficina: Metodologias de Pesquisa em Antropologia. 2010. (Congresso).

17.
IX Graduação em Campo.Agência dos objetos. 2010. (Seminário).

18.
26 Reunião da Associação Brasileira de Antropologia. Ser peão na era do agroengócio: O trabalho de peões de manejo, peões de rodeio e tratadores de gado em Pecuárias. 2008. (Congresso).

19.
VI Graduação em Campo.Coordenação dos posteres. 2007. (Simpósio).

20.
VII Reunião de Antropologia do Mercosul. Eu sou do rural, você é da cidade: O trabalho de peões de rodeio, tratadores de gado e peões de manejo em feiras de pecuária.. 2007. (Congresso).

21.
VI Semana de Ciências Sociais.Trabalho de campo e contraução do texto etnográfico. 2007. (Simpósio).

22.
ENAREL 2005 - Encontro nacional de Recreação Esporte e Lazer.ENAREL 2005 - Encontro nacional de Recreação Esporte e Lazer. 2005. (Encontro).

23.
V Fórum Social Mundial. 2005. (Encontro).

24.
56° Reunião Anual da SBPC. Projeto CIM - Uma ponte entre a Educação e a Comunicação. 2004. (Congresso).

25.
Mato Grosso do Sul: História, Identidade e Destino. 2004. (Outra).

26.
VII Conferencia Brasileira de Folkcomunicação. ?PROJETO CIM: UMA PONTE ENTRE A COMUNICAÇÃO E A EDUCAÇÃO?. 2004. (Congresso).

27.
V Reunião Brasileira de Antropologia. 2004. (Encontro).

28.
II Semana de Ciências Sociais.II Semana de Ciências Sociais. 2003. (Seminário).

29.
V Reunião de Antropologia do Mercosul. 2003. (Congresso).

30.
III ENEPOL ? Encontro Nacional de Estudantes de Ciência Política. 2002. (Congresso).

31.
I Semana de Ciências Sociais. 2002. (Simpósio).

32.
I Seminário Terra, Saúde e Educação Indígena. 2002. (Seminário).

33.
CONFAD - 3° Congresso sul-mato-grossense das faculdades de direito. 2001. (Congresso).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
BRITO, R. ; PAULA, C. G. ; SOUZA, P. L. ; LEAL, N. S. . Jornadas da Caatinga. 2017. (Congresso).

2.
LEAL, N. S.; VELDEN, F. F. V. . Seminário Humanimália - Antropologia das Relações Humano Animais. 2017. (Congresso).

3.
LEAL, N. S.; MARQUES, A. C. D. R. ; VIANNA, C. M. . Cosmopolíticas de Família. 2016. (Congresso).

4.
LEAL, N. S.; BRITO, T. F. S. . Grupo de trabalho "Etnografias das trocas econômicas".. 2015. (Congresso).

5.
LEAL, N. S.; A.B . GT 5 - Fronteiras, turismo e manifestações festivas e religiosas no II - CIAEE. 2012. (Congresso).

6.
I.M.A ; Jacqueline Moraes Teixeira ; LEAL, N. S. ; Luís Felipe Kojima Hirano ; Natalia Fazzioni . Sexta do mês com Paula Montero (Universidade de São Paulo) Alteridade: um conceito antropológico?. 2011. (Congresso).

7.
I.M.A ; Jacqueline Moraes Teixeira ; LEAL, N. S. ; Luís Felipe Kojima Hirano ; Natalia Fazzioni . Sexta do mês com Rosane Pinheiro Machado (Escola Superior de Propaganda e Marketing) O consumo das classes populares: lacunas e desafios da antropologia brasileira. 2011. (Congresso).

8.
I.M.A ; LEAL, N. S. ; Luís Felipe Kojima Hirano ; Natalia Fazzioni ; Jacqueline Moraes Teixeira . Sexta do mês com Florian Mühlfried (Universidade de Campinas ? Max Planck Institute) From Citizen to Subject: Transformations of Political Belonging in the Margins of the Georgian State. 2010. (Congresso).

9.
I.M.A ; Jacqueline Moraes Teixeira ; LEAL, N. S. ; Luís Felipe Kojima Hirano ; Natalia Fazzioni . Sexta do mês com Ella Habiba Shohat e Robert Stam (New York University) Race coloniality debate in translation: culture and words in the red, black, and white Atlantic. 2010. (Congresso).

10.
I.M.A ; Jacqueline Moraes Teixeira ; LEAL, N. S. ; Luís Felipe Kojima Hirano ; Natalia Fazzioni . Sexta do mês com Derek Pardue (Washington University) "Tuga" what? Rappers kriolu deslocam a relação convencional entre o espaço e a identidade em Portugal. 2010. (Congresso).

11.
I.M.A ; Jacqueline Moraes Teixeira ; LEAL, N. S. ; Luís Felipe Kojima Hirano ; Natalia Fazzioni . Sexta do mês com Manuela Carneiro da Cunha (University of Chicago ? Universidade de São Paulo) Cultura com aspas. 2010. (Congresso).

12.
I.M.A ; Jacqueline Moraes Teixeira ; LEAL, N. S. ; Luís Felipe Kojima Hirano ; Natalia Fazzioni . Sexta do mês com João de Pina Cabral (Universidade de Lisboa) Xarás e padrinhos: aliança e corresponsabilidade em Moçambique, Portugal e Brasil. 2010. (Congresso).

13.
I.M.A ; Jacqueline Moraes Teixeira ; LEAL, N. S. ; Luís Felipe Kojima Hirano ; Natalia Fazzioni . Sexta do mês com Michel Agier (L?École des Hautes Études en Sciences Sociales) Da etnografia urbana à antropologia da cidade: introdução às situações africanas e latino-americanas. 2010. (Congresso).

14.
I.M.A ; Jacqueline Moraes Teixeira ; LEAL, N. S. ; Luís Felipe Kojima Hirano ; Natalia Fazzioni . Sexta do mês com Miguel Vale de Almeida (Instituto Universitário de Lisboa) Discriminações: dilemas entre a teoria crítica e o ativismo político. 2010. (Congresso).

15.
I.M.A ; Jacqueline Moraes Teixeira ; LEAL, N. S. ; Luís Felipe Kojima Hirano ; Natalia Fazzioni . Sexta do mês com Stelio Marras (Universidade de São Paulo) A cosmologia num tubo de ensaio: o pensamento de Darwin e a prática dos laboratórios de ciência. 2010. (Congresso).

16.
I.M.A ; Jacqueline Moraes Teixeira ; LEAL, N. S. ; Luís Felipe Kojima Hirano ; Natalia Fazzioni . Sexta do mês com José Maurício Arruti (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro) Antropologia dos laudos periciais. 2010. (Congresso).

17.
LEAL, N. S.; Magnani, JGC . VII Graduação em Campo. 2008. (Congresso).

18.
LEAL, N. S.; Magnani, JGC . VI - Graduação em campo. 2007. (Congresso).

19.
LEAL, N. S.. I Conferência Estadual de Cultura de Mato Grosso do Sul. 2005. (Outro).



Outras informações relevantes


Aprovada em primeiro lugar no Edital número 004/13- Seleção Unesco, Divisão Técnica IPHAN-MS.

Está organizando , junto com Ana Claudia Marques, uma coletânea de artigos de pesquisadores do Hybris. (Livro no prelo).

Aprovada, em segundo lugar, na designação de professor temporário para a disciplina de Antropologia: Cultura Brasileira, UEMG, Faculdade de Educação, Edital 7, 2016.

Aprovada, em primeiro lugar, no concurso para Professor Adjunto de Teoria Antropológica na Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF), campus Serra da Capivara.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 22/10/2018 às 21:04:21