Douglas Attila Marcelino

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3094547693089382
  • Última atualização do currículo em 10/11/2018


Professor de Teoria da História/Historiografia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) desde fevereiro de 2013. Foi coordenador do Programa de Pós-Graduação em História da UFMG (2016-2018). Mestre e Doutor em História pelo PPGH/UFRJ (2006 e 2011). Foi professor substituto de Teoria e Metodologia da História da UFRJ nos anos de 2008 e 2009 e atuou, durante um ano, como bolsista de pós-doutorado da Capes (PNPD) no PPGH/UFRRJ, vinculado ao Histor: Núcleo de Pesquisas sobre Teoria da História e Historiografia (UFRRJ). Atuou como investigador estrangeiro no Instituto de História e Teoria das Ideias da Universidade de Coimbra entre janeiro e março de 2016, com bolsa de pesquisa do 'Programa Santander de Bolsas Ibero-Americanas para Jovens Professores e Pesquisadores'. Recebeu o Prêmio de Pesquisa Anpuh-Rio Eulália Maria Lahmeyer Lobo 2012 por sua tese de doutorado, que deu origem ao livro O corpo da Nova República: funerais presidenciais, representação histórica e imaginário político (FGV, 2015). O livro foi vencedor do Prêmio Literário Biblioteca Nacional 2016, na modalidade Ensaio Social - Sérgio Buarque de Holanda, e finalista na área de Ciências Humanas do Prêmio Jabuti 2016. Recebeu também o Prêmio Arquivo Nacional de Pesquisa 2009, na primeira colocação, pela dissertação de mestrado, que deu origem ao livro Subversivos e Pornográficos: censura de livros e diversões públicas nos anos 1970 (Arquivo Nacional 2012). Atualmente, tem desenvolvido pesquisas no campo de estudos sobre memória, ritos e ritualizações da história, principalmente no que se refere à relação entre o culto dos mortos e a escrita da história. É coordenador do grupo Ritualizações do poder e do tempo: historiografia, ritos de recordação e práticas cívicas, subcoordenador do grupo de pesquisas Brasiliana: Escritos e Leituras da Nação, coordenado por Eliana Dutra (ambos sediados na UFMG), e integrante do grupo Imagens da morte: a morte e o morrer no mundo Ibero-Americano, coordenado por Claudia Rodrigues (UNIRIO). Os três grupos são cadastrados no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Douglas Attila Marcelino
Nome em citações bibliográficas
MARCELINO, Douglas Attila

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas.
Universidade Federal de Minas Gerais
Pampulha
31270901 - Belo Horizonte, MG - Brasil
Telefone: (21) 26821042


Formação acadêmica/titulação


2007 - 2011
Doutorado em História Social.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Título: O corpo da Nova República: funerais de presidentes e memória de Tancredo Neves, Ano de obtenção: 2011.
Orientador: Carlos Fico da Silva Júnior.
Bolsista do(a): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ, FAPERJ, Brasil.
Palavras-chave: memória política; morte de presidentes; identidade nacional.
Grande área: Ciências Humanas
2004 - 2006
Mestrado em História Social.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Título: Salvando a pátria da pornografia e da subversão: a censura de livros nos anos 1970,Ano de Obtenção: 2006.
Orientador: Carlos Fico da Silva Júnior.
Bolsista do(a): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ, FAPERJ, Brasil.
Palavras-chave: censura; moral e bons costumes; anos 70.
Grande área: Ciências Humanas
2000 - 2003
Graduação em História.
Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Bolsista do(a): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ, FAPERJ, Brasil.


Pós-doutorado


2011 - 2012
Pós-Doutorado.
Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ, Brasil.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas


Atuação Profissional



Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Adjunto III, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Professor de Teoria da História/Historiografia, cargo para o qual foi aprovado em primeiro lugar no concurso realizado entre os dias 27 e 29 de novembro de 2012. A posse foi realizada no dia 22 de fevereiro de 2013.

Vínculo institucional

2016 - 2018
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Coordenador da Pós-Graduação em História, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Coordenador do Programa de Pós-Graduação em História

Vínculo institucional

2015 - 2016
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Representante Docentes/Câmara Departamental, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Representante dos docentes na Câmara Departamental. A atuação como membro titular da Câmara Departamental continuou até 2018 por ser atribuição do cargo de coordenador de Pós-Graduação. A participação membro titular da Congregação da FAFICH/UFMG também é atribuição dos coordenadores de Pós-Graduação.


Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: Bolsista recém-doutor, Enquadramento Funcional: Bolsista de pós-doutorado (PNPD/CAPES), Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Atividades desenvolvidas: pesquisa e docência na graduação de História, inserindo-se na área de Teoria da História/História da Historiografia. O projeto próprio de pesquisa intitulou-se ?Funerais cívicos, historiografia e cultura histórica (1870-1930)?, inserindo-se no projeto geral ?Teorias da historia, linguagens e historiografia: pesquisa e ensino na formação do profissional de Historia?, coordenado pelo prof. Dr. Fábio Lopes. A bolsa foi interrompida no início de fevereiro de 2013, devido ao início das atividades como professor de Teoria da História/Historiografia na UFMG. Disciplinas ministradas na graduação em história: Teoria e Metodologia da História II (2012/1; vespertino) Métodos e Técnicas de Pesquisa em História (2012/1; noturno) Teoria e Metodologia da História I (2012/2; vespertino; substituído em fevereiro de 2013) Introdução à História (2012/2/ noturno; substituído em fevereiro de 2013)


Fundação Casa de Rui Barbosa, FCRB, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2012
Vínculo: Bolsista de pesquisa, Enquadramento Funcional: Bolsista de pesquisa, Carga horária: 20
Outras informações
Atividades desenvolvidas: Bolsista do Programa de Incentivo à Produção do Conhecimento Técnico e Científico na Área da Cultura com projeto próprio de pesquisa intitulado "A história do Brasil como tragédia: as mortes de Getúlio Vargas e Tancredo Neves na literatura de cordel". A pesquisa foi supervisionada pela pesquisadora Rachel Valença e a bolsa foi interrompida em 01/02/2012 devido ao início das atividades de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

Vínculo institucional

2006 - 2007
Vínculo: Bolsista de pesquisa, Enquadramento Funcional: Bolsista de pesquisa, Carga horária: 20
Outras informações
Atividades desenvolvidas: Integrante do projeto ?Ação federal na cultura: memória e história?, de responsabilidade da pesquisadora do Setor de Políticas Culturais da FCRB, Dra. Lia Calabre, no qual coordenou um grupo formado por bolsistas de Iniciação Científica com o objetivo de recuperar (higienizar e indexar) os acervos documentais do Conselho Nacional de Cultura, do Conselho Federal de Cultura e do Conselho Nacional de Política Cultural. O projeto fazia parte do Programa de Incentivo à Produção do Conhecimento Técnico e Científico na Área da Cultura da Fundação Casa de Rui Barbosa, financiado pela FAPERJ. Em fevereiro de 2007, foi solicitado o meu desligamento do projeto devido ao início das atividades do doutorado no mês seguinte.


Universidade Aberta do Brasil - UAB - CEDERJ, CEAD-UNIRIO, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Professor-tutor, Enquadramento Funcional: Professor-tutor de Teoria da História, Carga horária: 12
Outras informações
Atividades desenvolvidas: professor-tutor presencial de Teoria da História, atuando na disciplina Historiografia Contemporânea, coordenada pelo prof. Dr. Pedro Caldas, polo Duque de Caxias, curso de graduação a distância do CEDERJ (consórcio UERJ, UENF, UNIRIO, UFF, UFRRJ), entre fevereiro e junho de 2011 (primeiro semestre letivo)

Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Professor-tutor, Enquadramento Funcional: Professor-tutor de Teoria da História, Carga horária: 12
Outras informações
Atividades desenvolvidas: professor-tutor a distância de Teoria da História, atuando na disciplina Metodologia da Pesquisa Histórica, coordenada pelo prof. Dr. Felipe Charbel, no CEAD/UNIRIO, entre julho e dezembro de 2011 (segundo semestre letivo)


Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2009
Vínculo: Professor substituto, Enquadramento Funcional: Professor de Teoria e Metodologia da História, Carga horária: 20
Outras informações
Aprovado em processo seletivo de janeiro de 2008, atuou como professor substituto de Teoria e Metodologia da História por quatro semestres letivos (de fevereiro de 2008 até dezembro de 2009). Ministrou as seguintes disciplinas e laboratórios: Tópico Especial em Metodologia da História III - As relações entre História e Memória (Integral ? 2008/1) Tópico Especial em Metodologia da História IV - Concepções de política e cultura (Integral ? 2008/1) Tópico Especial em Metodologia da História IV - Concepções de política e cultura (Noturno ? 2008/1) Metodologia da História II (Integral ? 2008/2) Metodologia da História II (Integral ? 2009/1) Metodologia da História II (Noturno ? 2009/1) Metodologia da História II (Integral ? 2009/2) Metodologia da História II (Noturno ? 2009/2) Laboratório NPEH 1 - ?Rituais políticos, liturgias cívicas e escrita da história 1? (2008/1) Laboratório NPEH 2 - ?Rituais políticos, liturgias cívicas e escrita da história 2? (2008/2) Laboratório NPEH 3 - ?Rituais políticos, liturgias cívicas e escrita da história 3? (2009/1) Laboratório NPEH 4 - ?Rituais políticos, liturgias cívicas e escrita da história 4? (2009/2)


Programa Nacional de Inclusão de Jovens, PROJOVEM, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2007
Vínculo: Professor de Ciências Humanas, Enquadramento Funcional: professor, Carga horária: 30
Outras informações
Professor no colégio Arthur Bernardes, entre março de 2006 e fevereiro de 2007, Estação Miécimo da Silva (Campo Grande).


Fundação Getúlio Vargas, FGV, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2006
Vínculo: Prestador de serviços, Enquadramento Funcional: Prestador de serviços, Carga horária: 12
Outras informações
Pesquisa desenvolvida sob orientação da professora Dra. Marieta de Moraes Ferreira que resultou num instrumento de pesquisa para outros especialistas e num relatório sobre as atividades do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), órgão criado em 2003 pelo governo de Luís Ignácio Lula da Silva.


Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ, PPGHIS/UFRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2006
Vínculo: Pesquisador de mestrado, Enquadramento Funcional: Bolsista (CNPq e depois FAPERJ)


Universidade de Coimbra, UC, Portugal.
Vínculo institucional

2016 - 2016
Vínculo: Investigador estrangeiro, Enquadramento Funcional: Investigador estrangeiro, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Desenvolvimento de projeto de pesquisa selecionado pelo Programa Santander de Bolsas Ibero-Americanas para Jovens Professores e Pesquisadores, sob supervisão do prof. Dr. Fernando Catroga e Dra. Joana Bernardes, no Instituto de História e Teoria das Ideias da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. A pesquisa foi desenvolvida entre 04 de janeiro e 04 de março de 2016.



Projetos de pesquisa


2016 - Atual
Estudos sobre morte e historiografia
Descrição: O projeto de pesquisa visa dar continuidade a uma reflexão já em curso sobre estudos com enfoque histórico no tema da morte, que são considerados relevantes para pensar, numa perspectiva ampliada, diferentes formas memorialísticas de conferir sentido ao passado. Trata-se de uma proposta inserida em um quadro mais geral de análises específicas já produzidas sobre o assunto, mas que guarda vínculos com preocupações existentes desde, pelo menos, a realização de minha pesquisa de doutorado, concluída em 2011. O projeto se divide em diferentes eixos: (1) no primeiro, a análise se volta para estudos que, ao tratarem do tema da morte aproximando-se de um enfoque no imaginário ou nas formas de racionalidade e sensibilidades políticas, forneceram elementos para uma reflexão sobre as especificidades da representação histórica. Ao tematizarem condicionantes fundamentais da vida humana, relacionando o estudo sobre a morte com uma análise do fenômeno do poder, obras como as de Jean-Pierre Vernant, François Hartog, Nicole Loraux, Jean-Claude Bonnet, Reinhart Koselleck e Fernando Catroga tornam-se relevantes para pensar a própria historicidade da historiografia como forma de conferir sentido ao passado; (2) um segundo eixo enfoca possíveis relações entre os modos de lidar com a morte, o imaginário político e as formas do elogio como gênero literário, analisando obras como as de Louis Marin sobre as formas de representação (historiográfica e pictórica) do corpo político na monarquia absolutista e as de Jacques Rancière sobre a dimensão poética da historiografia; (3) num terceiro eixo, propõe-se um estudo mais detido sobre o modo como relações entre a escrita da história e as práticas de culto dos mortos foram estabelecidas nas obras de Michel de Certeau e Paul Ricoeur; (4) num quarto eixo, por fim, a análise recaí sobre os funerais de importantes figuras letradas durante o período republicano brasileiro, particularmente a chamada Primeira República. A pesquisa se vincula ao projeto mais geral Ritualizações do poder e do tempo: historiografia, ritos de recordação e práticas cívicas, que deu origem a um grupo de pesquisa de mesmo nome, sediado na FAFICH/UFMG desde 2013, contando com a participação de vários graduandos e pós-graduandos. Como resultados mais relevantes, pode-se destacar as publicações do livro Historiografia, morte e imaginário: estudos sobre racionalidades e sensibilidades políticas (Alameda, 2017) e de vários artigos em revistas especializadas..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2014 - Atual
A figura do escritor nas biografias de Machado de Assis e Euclides da Cunha das coleções Brasiliana e Documentos Brasileiros nos anos 1930 e 1940
Descrição: O objetivo da proposta aqui apresentada é a análise das obras de natureza biográfica sobre as figuras de Machado de Assis e Euclides da Cunha publicadas nas coleções Brasiliana e Documentos Brasileiros nos anos 1930 e início dos 1940. Falecidos em fins da primeira década do século XX e homenageados com funerais expressivos e outras celebrações consagratórias, ambos tornaram-se os escritores de obras literárias mais biografados nos textos então editados nas duas coleções, os quais ocuparam lugar de destaque dentro do conjunto de livros de natureza diversa que as caracterizaram. Autores como Lúcia Miguel Pereira, José-Maria Belo, Mário Matos, Francisco Venâncio Filho, Elói Pontes e Gilberto Freyre produziram obras nesse sentido. Geralmente marcadas pela busca de certa humanização do personagens biografados, não obstante amparadas nos debates teóricos da época e na maior reflexividade alcançada pelo gênero biográfico, muitas dessas obras expressavam os fundamentos memorialísticos daquela forma de escrita, fundamentada em uma busca da identidade nacional que encontrava na psicologia autoral o caminho que, inclusive, supostamente a interligava ao universal. A singularidade da cultura ou da sensibilidade nacional, de certa maneira, parecia se expressar não somente nas mazelas e idiossincrasias do homem letrado brasileiro, mas também naquilo que configuraria o humano, que permitiria pensar a relação do nacional com um patrimônio mais amplo da cultura universal, conformando uma espécie de "caldo cultural" que caracterizou boa parte da produção de natureza biográfica do período..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2014 - Atual
Ritualizações do poder e do tempo: historiografia, ritos de recordação e práticas cívicas
Descrição: O objetivo do projeto é refletir sobre a escrita da história e outras práticas de simbolização da morte como formas de ritualização do poder e do tempo. Parte-se do pressuposto de que a historiografia, enquanto rito de recordação, deve ser compreendida em sua devida historicidade, por sua relação com outras formas memorialísticas de dar sentido ao passado que se expressam por meio de narrativas. Isto porque, numa perspectiva diacrônica, as formas de ritualização da morte também podem ser analisadas como parte de um complexo e multifacetado processo de crescente laicização dos discursos, marcado por momentos importantes como a invenção da oração fúnebre ateniense e a constituição do elogio acadêmico como novo gênero a partir do Enciclopedismo do século XVIII, por exemplo. Além das novas demandas relativas à temporalidade que marcaram uma crescente secularização do horizonte de expectativas, tal processo se relacionaria também com uma tendência à maior racionalização e uso político das práticas discursivas e rituais de monumentalização da morte, aspecto que, tal como indicaram autores como Fernando Catroga e Reinhart Koselleck, caracterizou igualmente a escrita da história. O importante a ressaltar é que, para além do recorte diacrônico, tal perspectiva permite pensar um campo de reflexão atento às demandas relativas à temporalidade e ao poder que atravessam práticas rituais diversas, entendendo o campo da história da historiografia por sua relação com discussões mais amplas sobre as condições de possibilidade da produção de sentido sobre o passado e dialogando, assim, com autores que, embora distintos, não deixaram de refletir sobre a escrita da história e outras formas rituais de simbolização da morte. Nesse caso, têm sido privilegiadas as interrogações sobre a morte e a escrita da história presentes em certos textos de Michel de Certeau, Reinhart Koselleck e Fernando Catroga. Inicialmente enviado ao CNPq sob a forma de projeto individual de pesquisa, sob o título ?Ritos de consagração cívica na passagem do Império à República: os funerais de homens de letras?, o projeto é fruto da ampliação e reelaboração daquela primeira proposta e, além da produção acadêmica do coordenador, desenvolve-se por meio de reuniões quinzenais para discussão de textos e pesquisas afins..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2012 - 2013
Funerais cívicos, historiografia e cultura histórica (1870-1930)
Descrição: Pesquisa de pós-doutorado fundamentada numa interrogação sobre a relação entre rituais cívicos e historiografia, focando principalmente o estudo dos funerais de importantes personalidades da Primeira República e das mudanças que caracterizaram o campo da escrita da história no período. Parte-se da perspectiva de que a análise de determinados funerais, compreendidos como formas de ritualização cívica, representa um caminho relevante para pensar o estabelecimento de uma economia da glória centrada no enaltecimento dos ?grandes homens? no caso brasileiro. Bastante difundido após a Revolução Francesa, esse novo padrão de exaltação cívica já poderia ser encontrado nas biografias e necrológios da revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro no século XIX, não obstante se mesclasse ainda aos antigos modelos de heroicidade fundados numa ética aristocrática de Antigo Regime. Nesse sentido, as alterações na prática historiográfica e no regime de rituais cívicos de fins do Oitocentos são considerados fundamentais à compreensão do fortalecimento do ideal dos grandes homens, que será analisado, principalmente, a partir dos funerais elaborados para homenagear políticos, escritores e cientistas durante a Primeira República..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2011 - 2012
A história do Brasil como tragédia: as mortes de Getúlio Vargas e Tancredo Neves na literatura de cordel
Descrição: As mortes de Getúlio Vargas e de Tancredo Neves estimularam uma rica e extensa produção de folhetos de cordel, tornando-se dois dos eventos mais tratados por este tipo de produção literária. Com base numa análise desses títulos, o projeto aponta a elaboração de uma versão trágica da história nacional, na qual a trajetória do país é apresentada como a luta de um povo que passa por constantes desilusões e nunca alcança sua verdadeira autonomia. Associados a outros personagens como Tiradentes, por exemplo, Getúlio Vargas e Tancredo Neves tiveram seus fatídicos desaparecimentos tomados como representativos dos frequentes desenganos que acometeriam os brasileiros. Por outro lado, compreendendo a noção de tragédia de forma ampliada, que ultrapassa a dimensão da morte sacrifical do herói, a pesquisa se ampara num sentido próximo daquilo que já foi indicado como a essência da tragédia clássica: o impulso à reflexão sobre a condição humana, compreendida como fruto da relação entre as leis divinas e as escolhas do homem (o que impede que o trágico seja definido apenas pelo sentido de fatalidade ou pelas escolhas equívocas do herói que determinam, em muitos casos, o fim catastrófico que compõe o enredo). Os cordéis, nesse caso, remetem menos para a condição humana em sua generalidade do que para aquela do povo brasileiro em sua trajetória de constantes ?fins aterradores? (possivelmente geradores dos sentimentos de ?terror e piedade?, conforme a definição aristotélica de tragédia). Para compreender a constituição dessa narrativa, por outro lado, parte-se de uma perspectiva teórica atenta à complexidade da interação dinâmica entre as influências sócio-históricas e os componentes poéticos que estruturam um texto literário, compreendendo essa relação como um elemento fundamental à explicação do modo como a história brasileira é representada nos folhetos. O projeto foi financiado pela Fundação Casa de Rui Barbosa e supervisionado pela pesquisadora Rachel Valença..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
2006 - 2007
Ação federal na cultura: memória e história
Descrição: Projeto de responsabilidade da pesquisadora do Setor de Políticas Culturais da Fundação Casa de Rui Barbosa, Dra. Lia Calabre, no qual coordenei um grupo formado por bolsistas de Iniciação Científica com o objetivo de recuperar (higienizar e indexar) os acervos documentais do Conselho Nacional de Cultura, do Conselho Federal de Cultura e do Conselho Nacional de Política Cultural. O projeto fazia parte do Programa de Incentivo à Produção do Conhecimento Técnico e Científico na Área da Cultura da Fundação Casa de Rui Barbosa, financiado pela FAPERJ. Em fevereiro de 2007, solicitei o meu desligamento do projeto devido ao início das atividades do doutorado no mês seguinte..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.


Membro de corpo editorial


2014 - Atual
Periódico: Coleção Novos Olhares


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: Teoria e Filosofia da História.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: Historiografia Contemporânea.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil República.


Idiomas


Espanhol
Compreende Bem, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.
Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Francês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2016
Livro O corpo da Nova República: funerais presidenciais, representação histórica e imaginário político finalista na área de Ciências Humanas, Prêmio Jabuti 2016.
2016
Prêmio Literário Biblioteca Nacional 2016; modalidade Ensaio Social - Sérgio Buarque de Holanda; livro O corpo da Nova República: funerais presidenciais, representação histórica e imaginário político, BN.
2012
Tese de doutorado selecionada pelo PPGHIS/UFRJ para concorrer ao Prêmio Capes de Tese 2012, PPGHIS/UFRJ - CAPES.
2012
Prêmio de Pesquisa Eulália Maria Lahmeyer Lobo - 2012, Anpuh-Rio (tese de doutorado).
2012
Aprovado em 1o. lugar no concurso para professor adjunto de Teoria da História/Historiografia da UFMG, UFMG.
2011
Tese de doutorado aprovada com louvor e sugestão de publicação, PPGHIS/UFRJ.
2011
Aprovado na primeira colocação para Professor-tutor a distância de Metodologia da Pesquisa Histórica, CEAD/UNIRIO.
2011
Selecionado para bolsista P3 (área de literatura de cordel) do Programa de Incentivo à Produção do Conhecimento Técnico e Científico na Área da Cultura, Fundação Casa de Rui Barbosa.
2010
Aprovado na primeira colocação para Professor-tutor presencial de Teoria da História, CEDERJ.
2009
Prêmio Arquivo Nacional de Pesquisa 2009, Arquivo Nacional (primeira colocação; dissertação de mestrado).
2008
Aprovado na primeria colocação para professor substituto de Teoria da História, UFRJ.
2008
Bolsa nota 10, FAPERJ (Doutorado).
2006
Dissertação de Mestrado aprovada com Louvor e sugestão de publicação, .
2006
Aprovado em 1º lugar para o Curso de Doutorado, PPGHIS/UFRJ.
2006
Selecionado para bolsista P3 (área de política cultural) do Programa de Incentivo à Produção do Conhecimento Técnico e Científico na Área da Cultura, Fundação Casa de Rui Barbosa.
2004
Bolsa nota 10, FAPERJ (Mestrado).
2004
Grau de Dignidade Acadêmica, Universidade Federal do Rio de Janeiro (graduação em História).
2003
Aprovado em 2º lugar para o Curso de Mestrado, PPGHIS/UFRJ.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
MARCELINO, Douglas Attila2018MARCELINO, Douglas Attila. Estudos sobre poder, imaginação e historicidade dos anos 1970 e 1980: apontamentos para o debate atual. Tempo e Argumento, v. 10, p. 06-42, 2018.

2.
MARCELINO, Douglas Attila2017MARCELINO, Douglas Attila. Luto, representação histórica e imaginário republicano em Redescobrindo o Brasil: a festa na política, de Marlyse Meyer e Maria Lucia Montes. REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA DAS RELIGIÕES, v. 10, p. 97-119, 2017.

3.
MARCELINO, Douglas Attila2016MARCELINO, Douglas Attila. Culto cívico dos mortos e escrita da história: reflexões sobre a obra de Fernando Catroga. Anos 90 (Online) (Porto Alegre), v. 23, p. 297-323, 2016.

4.
MARCELINO, Douglas Attila2016MARCELINO, Douglas Attila. Morte do rei, incorporação do poder e representação histórica: entre uma poética da ausência e uma poética do saber?. Revista de História das Ideias, v. 34, p. 113-136, 2016.

5.
MARCELINO, Douglas Attila2016MARCELINO, Douglas Attila. O lugar do 'outro mundo' na percepção da nacionalidade: cartas e pedidos ao 'São Tancredo'. Revista M. Estudos sobre a Morte, os Mortos e o Morrer, v. 1, p. 49-74, 2016.

6.
MARCELINO, Douglas Attila2016MARCELINO, Douglas Attila. Morte, poder e política. Revista M. Estudos sobre a Morte, os Mortos e o Morrer, v. 1, p. 4-6, 2016.

7.
MARCELINO, Douglas Attila2016MARCELINO, Douglas Attila. Rituais políticos e representações do passado: sobre os funerais de 'homens de letras' na passagem do império à república. TEMPO (NITERÓI. ONLINE), v. 22, p. 260-282, 2016.

8.
MARCELINO, Douglas Attila2016MARCELINO, Douglas Attila. Experiências primárias e descontinuidades da recordação: notas a partir de um texto de Reinhart Koselleck. Tempo e Argumento, v. 8, p. 338-373, 2016.

9.
MARCELINO, Douglas Attila2016MARCELINO, Douglas Attila. Morte, historiografia, historicidade: sobre as formas do poder e do imaginário. ARTCULTURA (UFU), v. 18, p. 143-158, 2016.

10.
MARCELINO, Douglas Attila2016MARCELINO, Douglas Attila. Primary experiences and discontinuities of remembrance: notes from a text by Reinhart Koselleck. TEMPO E ARGUMENTO, v. 8, p. 462-496, 2016.

11.
MARCELINO, Douglas Attila2014MARCELINO, Douglas Attila. Tempo presente e usos do passado: qual o lugar da epistemologia?. História da Historiografia, v. 14, p. 162-169, 2014.

12.
MARCELINO, Douglas Attila2012MARCELINO, Douglas Attila. A narrativa histórica entre a vida e o texto: apontamentos sobre um amplo debate. TOPOI (ONLINE): REVISTA DE HISTORIA, v. 13, p. 130-146, 2012.

13.
MARCELINO, Douglas Attila2011MARCELINO, Douglas Attila. Os funerais como liturgias cívicas: notas sobre um campo de pesquisas. Revista Brasileira de História (Impresso), v. 31, p. 125-144, 2011.

14.
MARCELINO, Douglas Attila2011MARCELINO, Douglas Attila. Funerals as civic liturgies: notes about a field of research. Revista Brasileira de História (Impresso), v. 31, p. 125-143, 2011.

15.
MARCELINO, Douglas Attila2010MARCELINO, Douglas Attila. A despedida de um mártir. Revista de História (Rio de Janeiro), v. 54, p. 58-61, 2010.

16.
MARCELINO, Douglas Attila2009MARCELINO, Douglas Attila. A morte de Tancredo Neves pela TV: algumas reflexões sobre rituais, memória e identidade nacional. Mosaico (Rio de Janeiro), v. 1, p. 1-31, 2009.

17.
MARCELINO, Douglas Attila2008MARCELINO, Douglas Attila. Cadê o censor!. Revista de História (Rio de Janeiro), v. 32, p. 66-71, 2008.

18.
MARCELINO, Douglas Attila2007MARCELINO, Douglas Attila. O poder a sete palmos. Revista de História (Rio de Janeiro), v. 18, p. 64-69, 2007.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
MARCELINO, Douglas Attila. Historiografia, morte e imaginário: estudos sobre racionalidades e sensibilidades políticas. 1. ed. São Paulo: Alameda, 2017. 162p .

2.
MARCELINO, Douglas Attila. Historiografia, morte e imaginário: estudos sobre racionalidades e sensibilidades políticas (ebook). 1. ed. São Paulo: Alameda, 2017. 182p .

3.
MARCELINO, Douglas Attila. O corpo da Nova República: funerais presidenciais, representação histórica e imaginário político. Ebook. 1. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas, 2015. 488p .

4.
MARCELINO, Douglas Attila. O corpo da Nova República: funerais presidenciais, representação histórica e imaginário político. 1. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas, 2015. 488p .

5.
MARCELINO, Douglas Attila. Subversivos e pornográficos: censura de livros e diversões públicas nos anos 1970. 1. ed. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2012.

Capítulos de livros publicados
1.
MARCELINO, Douglas Attila. Funerais de presidentes e cultura política republicana. In: Lucilia de Almeida Neves Delgado; Marieta de Moraes Ferreira. (Org.). História do Tempo Presente. 1ed.Rio de Janeiro: FGV, 2014, v. 1, p. 194-210.

2.
MARCELINO, Douglas Attila. Cartas à viúva Neves: a dimensão privada da morte presidencial. In: Samantha Viz Quadrat. (Org.). Não foi tempo perdido: os anos 80 em debate. 1ed.Rio de Janeiro: 7Letras, 2014, v. , p. 58-82.

3.
MARCELINO, Douglas Attila. O passado recente em disputa: memória, historiografia e a(s) censura(s) da ditadura militar.. In: SANTOS, Cecília MacDowell; TELES, Edson Luís de Almeida; TELES, Janaína de Almeida. (Org.). Desarquivando a ditadura: memória e justiça no Brasil. 1ed.São Paulo: Hucitec, 2009, v. 1, p. 312-333.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
MARCELINO, Douglas Attila. As cartas a 'São Tancredo'. Estado de Minas, 29 jul. 2016.

2.
MARCELINO, Douglas Attila. Os funerais de Itamar Franco. Folha de S. Paulo, 05 jul. 2011.

3.
MARCELINO, Douglas Attila. O significado da democracia. Carta Maior, 06 abr. 2001.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
MARCELINO, Douglas Attila. A figura do escritor nas biografias de Machado de Assis e Euclides da Cunha das coleções Brasiliana e Documentos Brasileiros nos anos 1930 e 1940. In: Encontro Regional de História da Anpuh-Rio: saberes e práticas científicas, 2014, Rio de Janeiro. Anais do Encontro Regional de História da Anpuh-Rio: saberes e práticas científicas, 2014.

2.
MARCELINO, Douglas Attila. Funerais de consagração cívica e escrita da história no Brasil (1870-1930). In: 6º. Seminário Brasileiro de História da Historiografia ? O giro lingüístico e a historiografia: balanço e perspectivas, 2012, Ouro Preto. Caderno de Resumos e Anais do 6º. Seminário Brasileiro de História da Historiografia ? O giro lingüístico e a historiografia: balanço e perspectivas.. Ouro Preto: EdUFOP, 2012.

3.
MARCELINO, Douglas Attila. Liturgias cívicas e ritualização do poder: funerais de presidentes e memória de Tancredo Neves. In: XXVI Simpósio Nacional de História ? ANPUH, 2011, São Paulo. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História ? ANPUH ? São Paulo, julho 2011, 2011. p. 1-16.

4.
MARCELINO, Douglas Attila. Momentos biográficos na memória da nação: a morte e os rituais fúnebres de Tancredo Neves. In: IV Jornada de Estudos Históricos do PPGHIS (UFRJ), 2009, Rio de Janeiro. Anais da IV Jornada de Estudos Históricos do PPGHIS (UFRJ), 2009.

5.
MARCELINO, Douglas Attila. Representações da nação: a morte e os funerais de Tancredo Neves. In: XIII Encontro Regional de História AnpuhRio - Identidades, UFRRJ, 2008, Seropédica. Anais do XIII Encontro Regional de História AnpuhRio, 2008.

6.
MARCELINO, Douglas Attila. Uma "personalidade brasileira": representações de Tancredo Neves e da nação às vésperas da chamada Nova República. In: III Semana de História Política do PPGH/UERJ, 2008, Rio de Janeiro. Anais da III Anais Semana de História Política do PPGH/UERJ, 2008.

7.
MARCELINO, Douglas Attila. Um novo objeto para os estudos sobre memória: mortes e funerais de presidentes republicanos. In: XXIV Simpósio nacional de História. História e Multidisciplinaridade: territórios e deslocamentos, 2007, São Leopoldo. Anais - XXIV Simpósio nacional de História. História e Multidisciplinaridade: territórios e deslocamentos [CD-ROM]. São Leopoldo: Unisinos, 2007. São Leopoldo: Unisinos, 2007.

8.
MARCELINO, Douglas Attila. Refazendo biografias e reescrevendo a história: as mortes e os funerais de presidentes. In: II Semana de História Política PPGH/UERJ, 2007, Rio de Janeiro'. Anais da II Semana de História Política PPGH/UERJ, 2007.

9.
MARCELINO, Douglas Attila. A morte de Tancredo Neves e a construção de uma identidade nacional. In: III Jornada de Estudos HIstóricos do PPGHIS, 2007, Rio de Janeiro. Anais da III Jornada de Estudos HIstóricos do PPGHIS, 2007.

10.
MARCELINO, Douglas Attila. Salvando a pátria da pornografia e da subversão: a censura de livros e revistas nos anos 1970. In: XXIII Simpósio Nacional de História. História: Guerra e Paz, 2005, Londrina. Anais [do] XXIII Simpósio Nacional de História: guerra e paz [CD-ROM] / Associação Nacional de História: ANPUH. Londrina: Editorial Mídia, 2005.. Londrina: Editorial Mídia, 2005.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
MARCELINO, Douglas Attila. Morte, representação histórica e imaginário político em Redescobrindo o Brasil: a festa na política, de Marlyse Meyer e Maria Lucia Montes. In: VII Congresso Internacional Imagens da Morte, 2016, São Paulo. Caderno de Resumos. VII Congresso Internacional Imagens da Morte, 2016.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
MARCELINO, Douglas Attila. O livro Redescobrindo o Brasil: a festa na política, de Marlyse Meyer e Maria Lucia Montes: sobre imaginário político e representação histórica. In: XXVII Encontro de História da Anpuh-Rio: entre o local e o global, 2016, Nova Iguaçu. Anais da XXVII Encontro de História da Anpuh-Rio, 2016.

2.
MARCELINO, Douglas Attila. Culto dos mortos, representação histórica, racionalidades e sensibilidades políticas: notas para um levantamento historiográfico e um estudo de caso. In: XVIII Simpósio Nacional de História. Lugares dos historiadores. Velhos e Novos Desafios., 2015, Florianópolis. Anais do XVIII Simpósio Nacional de História. Lugares dos historiadores. Velhos e Novos Desafios., 2015.

3.
MARCELINO, Douglas Attila. Funerais cívicos, historiografia e cultura histórica (1870-1930). In: XV Encontro Regional de História da Anpuh-Rio - Ofício do Historiador: Ensino e Pesquisa, 2012, São Gonçalo. XV Encontro Regional de História da Anpuh-Rio - Ofício do Historiador: Ensino e Pesquisa - Caderno de Resumos, 2012. p. 289-289.

4.
MARCELINO, Douglas Attila. Funerais de consagração cívica e escrita da história no Brasil (1870-1930). In: Sexto Seminário Brasileiro de História da Historiografia, 2012, Mariana. Sexto Seminário Brasileiro de História da Historiografia - resumos, 2012.

5.
MARCELINO, Douglas Attila. Liturgias cívicas e ritualização do poder: funerais de presidentes e memória de Tancredo Neves. In: XXVI Simpósio Nacional de História ? ANPUH, 2011, São Paulo. Simpósio História do Tempo Presente e Memória - Programação, 2011.

6.
MARCELINO, Douglas Attila. A morte e os funerais de presidentes como momentos de reescrita de suas biografias e da memória nacional. In: XXV Simpósio Nacional de História Associação Nacional de História - ANPUH. História e Ética, 2009, Fortaleza. XXV Simpósio Nacional de História Associação Nacional de História - ANPUH. História e Ética. Resumos dos Simpósios Temáticos, 2009.

7.
MARCELINO, Douglas Attila. A memória de 1968 e a censura pela ótica da resistência: alguns dilemas esquecidos. In: 1968: 40 anos depois. História e memória, 2009, Rio de Janeiro. 1968: 40 anos depois. História e memória. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2008. p. 243-243.

8.
MARCELINO, Douglas Attila. Uma "personalidade brasileira": representações de Tancredo Neves e da nação às vésperas da chamada Nova República. In: III Semana de História Política do PPGH/UERJ, 2008, Rio de Janeiro. Caderno de resumos da III Jornada de História Política do PPGH/UERJ, 2008.

9.
MARCELINO, Douglas Attila. Representações da nação: a morte e os funerais de Tancredo Neves. In: XIII Encontro Regional de História AnpuhRio - Identidades, UFRRJ, 2008, Seropédica. Caderno de resumos do XIII Encontro de História Anpuh-Rio, 2008.

10.
MARCELINO, Douglas Attila. Refazendo biografias e reescrevendo a história: as mortes e os funerais de presidentes. In: II Semana de História Política - Programa de Pós-Graduação em História da Uerj - 20-21 jun., 2007, Rio de Janeiro. Caderno de Resumos II Semana de História Política - PPGH/UERJ - 20 e 21 de junho de 2007, 2007. v. 2. p. 4-4.

11.
MARCELINO, Douglas Attila. Um novo objeto para os estudos sobre memória: mortes e funerais de presidentes republicanos. In: XXIV Smpósio Nacional de História. História e Multidisciplinaridade: terrítórios e deslocamentos, 2007, São Leopoldo. Caderno de Resumos do XXIV Simpósio Nacional de História. História e Multidisciplinaridade: terrítórios e deslocamentos. São Leopoldo: Unisinos, 2007. p. 255-255.

12.
MARCELINO, Douglas Attila. A morte de Tancredo Neves e a construção de uma identidade nacional. In: III Jornada de Estudos HIstóricos do PPGHIS, 2007, Rio de Janeiro. Caderno de Resumos da III Jornada de Estudos HIstóricos do PPGHIS, 2007.

13.
MARCELINO, Douglas Attila. Resguardando a moralidade em tempos de arbítrio: a DCDP e a censura de diversões públicas durante o regime militar. In: I Jornada de Estudos Históricos do Programa de Pós-Graduação em História Social, 2005, Rio de Janeiro. Anais da I Jornada de Estudos Históricos do Programa de Pós-Graduação em História Social.

14.
MARCELINO, Douglas Attila. Salvando a pátria da pornografia e da subversão: a censura de livros e revistas nos anos 1970. In: XXIII Simpósio Nacional de História: guerra e paz (ANPUH), 2005, Londrina. Anais do XXIII Simpósio Nacional de História: guerra e paz (ANPUH), 2005.

15.
MARCELINO, Douglas Attila. Salvando a pátria da pornografia e da subversão: censura da TV e defesa da moral nos anos 1970. In: 40 anos do golpe militar: 1964-2004, 2004, Rio de janeiro. Resumos dos trabalhos apresentados pelos alunos, 2004.

16.
MARCELINO, Douglas Attila. Censura à televisão e comunidade de informações no Regime Militar. In: XXIV Jornada de Iniciação Científica. XIV Jornada de Iniciação Artística e Cultural, 2002, Rio de Janeiro. Livro de resumos da XXIV Jornada de Iniciação Científica. XIV Jornada de Iniciação Artística e Cultural, 2002.

17.
MARCELINO, Douglas Attila. Repertório analítico da legislação brasileira produzida pelo regime militar (1964-1985). In: XXIII Jornada de Iniciação Científica. XIII Jornada de Iniciação Artística e Cultural, 2001, Rio de Janeiro. Livro de resumos da XXIII Jornada de Iniciação Científica. XIII Jornada de Iniciação Artística e Cultural, 2001.

Apresentações de Trabalho
1.
MARCELINO, Douglas Attila. Apresentação no Colloque 'Penser les commemorations au croisement d'une approche historique et anthropologique'. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
MARCELINO, Douglas Attila. Teoria da História/Historiografia. 2018. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
MARCELINO, Douglas Attila. Historicidade, poder e imaginário em estudos dos anos 1960 e 1970: apontamentos iniciais. 2018. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

4.
MARCELINO, Douglas Attila. A história como emergência do novo: acontecimento, imprevisibilidade e temporalidade em textos dos anos 1960 e 1970. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
MARCELINO, Douglas Attila. Mesa Redonda de debate do lançamento do livro 'Habitar o passado: Gustavo Barroso e o seu tempo', de Érika Moraes Cerqueira. 2017. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

6.
MARCELINO, Douglas Attila. O estudo da morte em diferentes perspectivas: reflexões sobre poder, imaginário e historiografia. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
MARCELINO, Douglas Attila. Morte, representação histórica e imaginário político em Redescobrindo o Brasil: a festa na política, de Marlyse Meyer e Maria Lucia Montes (VII Congresso Internacional Imagens da Morte). 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

8.
MARCELINO, Douglas Attila. Sobre as formas da representação histórica: morte, política e imaginário a partir do livro Redescobrindo o Brasil: a festa na política (1985) (Ephis-UFMG). 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

9.
MARCELINO, Douglas Attila. O livro Redescobrindo o Brasil: a festa na política, de Marlyse Meyer e Maria Lucia Montes: sobre imaginário político e representação histórica (Anpuh-Rio). 2016. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

10.
MARCELINO, Douglas Attila. Luto, representação histórica e imaginário político em Redescobrindo o Brasil: a festa na política. 2016. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

11.
MARCELINO, Douglas Attila. Debatedor da mesa sobre 'representância' em Paul Ricoeur. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

12.
MARCELINO, Douglas Attila. Culto dos mortos, representação histórica, racionalidades e sensibilidades políticas: notas para um levantamento historiográfico e um estudo de caso. 2015. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

13.
MARCELINO, Douglas Attila. Rituais políticos e representações do passado: um estudo a partir das mortes de presidentes brasileiros. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

14.
MARCELINO, Douglas Attila. Considerações sobre os conceitos de família e sexualidade na obra de Caio Prado Júnior. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

15.
MARCELINO, Douglas Attila. Experiências com a Pesquisa Histórica. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

16.
MARCELINO, Douglas Attila. Funerais cívicos, historiografia e cultura histórica (1870-1930). 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

17.
MARCELINO, Douglas Attila. Funerais como liturgias cívicas e narrativas históricas no Brasil republicano. 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

18.
MARCELINO, Douglas Attila. Comentador do grupo de trabalho Discursividades (pesquisas de mestrado e doutorado em desenvolvimento). 2012. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

19.
MARCELINO, Douglas Attila. Política, cultura e memória: notas sobre um campo de pesquisas. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

20.
MARCELINO, Douglas Attila. Liturgias cívicas e ritualização do poder: funerais de presidentes e memória de Tancredo Neves. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

21.
MARCELINO, Douglas Attila. Ritos do poder e da nação: os funerais de Tancredo Neves e presidentes do pós-1930. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

22.
MARCELINO, Douglas Attila. Momentos biográficos na memória da nação: a morte e os rituais fúnebres de Tancredo Neves. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

23.
MARCELINO, Douglas Attila. A memória de 1968 e da censura pela ótica da resistência: alguns dilemas esquecidos. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

24.
MARCELINO, Douglas Attila. Uma "personalidade brasileira": representações de Tancredo Neves e da nação às vésperas da Nova República. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

25.
MARCELINO, Douglas Attila. Representações da nação: a morte e os funerais de Tancredo Neves. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

26.
MARCELINO, Douglas Attila. Memória, política e cultura: questões para pesquisa. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

27.
MARCELINO, Douglas Attila. Refazendo biografias e reescrevendo a história: as mortes e os funerais de presidentes. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

28.
MARCELINO, Douglas Attila. Reconstruindo memórias acerca da Repressão: as diferentes censuras do regime militar. 2007. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

29.
MARCELINO, Douglas Attila. Um novo objeto para os estudos sobre memória: mortes e funerais de presidentes republicanos. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

30.
MARCELINO, Douglas Attila. A morte de Tancredo Neves e a construção de uma identidade nacional. 2007. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

31.
MARCELINO, Douglas Attila. O guardião dos bons costumes: Armando Falcão e as publicações obscenas nos anos 1970. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

32.
MARCELINO, Douglas Attila. Resguardando a moralidade em tempos de arbítrio: a DCDP e a censura de diversões públicas. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

33.
MARCELINO, Douglas Attila. Salvando a pátria da pornografia e da subversão: a censura de livros e revistas nos anos 1970. 2005. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

34.
MARCELINO, Douglas Attila. Salvando a pátria da pornografia e da subversão: censura da TV e a defesa da moral dos anos 1970. 2004. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

35.
MARCELINO, Douglas Attila. Censura à televisão e comunidade de informações no Regime Militar. 2002. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

36.
MARCELINO, Douglas Attila. Repertório analítico da legislação brasileira produzida pelo regime militar (1964-1985). 2001. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

Outras produções bibliográficas
1.
MARCELINO, Douglas Attila. Orelha do livro SILVA, Renán. Lugar de dúvidas. Sobre a prática da análise histórica. Breviário de Inseguranças.. Belo Horizonte: Autêntica, 2015 (Orelha de livro).

2.
MARCELINO, Douglas Attila. Relatório do projeto Ação federal na cultura: memória e história 2007 (Relatório final das atividades como bolsista da FCRB).

3.
MARCELINO, Douglas Attila. Censura das telenovelas e comunidade de informações no regime militar 2004 (Relatório final de bolsa de iniciação científica apresentado à FAPERJ).

4.
MARCELINO, Douglas Attila; FICO, C. ; CAROCHA, M. L. . Repertório analítico da legislação brasileira produzida pelo regime militar (1964-1985) 2003 (Guia de legislação apresentado como relatório final de projeto financiado pelo CNPq).

5.
MARCELINO, Douglas Attila. Em defesa da moral e dos bons costumes: a DCDP e a censura televisiva nos anos 1970 (Monografia de bacharelado) 2003 (Monografia de bacharelado).

6.
MARCELINO, Douglas Attila. Introdução. In: Repertório analítico da legislação brasileira produzida pelo regime militar (1964-1985) 2002 (Relatório final de bolsa de iniciação científica apresentado ao CNPq).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para Revista Brasileira de História. 2018.

2.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer de artigo/Processo de Incentivo Funcional/Depto. História/UESB. 2018.

3.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a revista Nuevo Mundo. 2017.

4.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para revista Topoi. 2017.

5.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a Revista Antíteses (UEL). 2016.

6.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a Revista M. Estudos sobre a morte, os mortos e o morrer (n. 1). 2016.

7.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a revista História da Historiografia (2016/2). 2016.

8.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a revista História da Historiografia (2016/1). 2016.

9.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a revista Outras Fronteiras ((PPGH/UFMT). 2016.

10.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a Revista Latino-Americana de História (Unissinos). 2016.

11.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a Revista M. Estudos sobre a Morte, os Mortos e o Morrer (n. 2). 2016.

12.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a revista História da Historiografia (UFOP). 2015.

13.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a revista Varia História. 2015.

14.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer de artigo/Processo de Incentivo Funcional/Depto. História/UESB. 2015.

15.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a revista História da Historiografia. 2014.

16.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a Revista Diálogos. 2014.

17.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para Revista Eletrônica da ANPHLAC. 2014.

18.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para revista Ars Historica. 2014.

19.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para Revista Brasileira de História em maio de 2012. 2012.

20.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para Revista Brasileira de História em julho de 2012. 2012.

21.
MARCELINO, Douglas Attila. Parecer para a revista História da Historiografia (UFOP). 2012.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
MARCELINO, Douglas Attila. Nova República e Imaginário Político (Entrevista ao Interconexão Brasil - BH News TV). 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

2.
MARCELINO, Douglas Attila. Ritos fúnebres em narrativas. Entrevista ao Boletim UFMG. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).


Demais tipos de produção técnica
1.
MARCELINO, Douglas Attila. Relatório Sucupira do PPGH/UFMG do ano de 2017. 2018. (Relatório de pesquisa).

2.
MARCELINO, Douglas Attila. Revisão de Relatório Sucupira do PPGH/UFMG do ano de 2013. 2017. (Relatório de pesquisa).

3.
MARCELINO, Douglas Attila. Revisão de Relatório Sucupira do PPGH/UFMG do ano de 2014. 2017. (Relatório de pesquisa).

4.
MARCELINO, Douglas Attila. Relatório Sucupira do PPGH/UFMG do ano de 2016. 2017. (Relatório de pesquisa).

5.
MARCELINO, Douglas Attila. Revisão de Relatório Sucupira do PPGH/UFMG do ano de 2015. 2017. (Relatório de pesquisa).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
PAIVA, E. F.; SCHIEFLER, F. R.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Stéfany Sidô Ventura. As categorias conceituais (con)formadoras do léxico: progresso, evolução, civilização, raça e mestiçagem em Manuel Bomfim, Oliveira Vianna e Alberto Torres. 2018. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
SILVA, R. H. A.; LANARI, R.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Bruno de Carvalho Corrêa. Padre Eustáquio: o beato e o bairro - entre a religiosidade popular e os usos da memória. 2018. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

3.
BUARQUE, V. A. C.; PEREIRA, M. H. F.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Robson de Freitas Miranda Junior. Estratégias do tempo e discurso narrativo: relações entre história e psicanálise na operação historiográfica de Michel de Certeau. 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
DUTRA, E. R. F.; VENANCIO, G. M.; PARRELA, I. D.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Mariana Vargens Silva. O instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais e a escrita da história do Brasil republicano. 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

5.
MARCELINO, Douglas Attila; OLIVEIRA, M. G.; BUARQUE, V. A. C.. Participação em banca de Marco Guisoli Girardi. Narrativa, tempo e limites da linguagem: história e psicanálise. 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

6.
MARCELINO, Douglas Attila; PEREIRA, M. H. F.; SANTOS, A. S.. Participação em banca de Hugo Mateus Gonçalves Rocha. Ensaio, Ciência e História em Os Parceiros do Rio Bonito: uma leitura historiográfica da obra de Antonio Candido. 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

7.
MARCELINO, Douglas Attila; SOUZA, M. L. E.; SANTOS, V. S.. Participação em banca de Mariana Schlickmann. A introdução aos estudos africanos no Brasil nos anos 1960-1985. 2015. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

8.
REIS, José Carlos (orientador); PEREIRA, Mateus Henrique; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Marina Silva Duarte. História e memória: um enfrentamento entre Paul Ricoeur e Michel Foucault. 2013. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Teses de doutorado
1.
FURTADO, J. P.; COUTO, E. F.; BRUM, A.; RAMOS, A.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Geovano Moreira Chaves. Sob o desígnio da moral: o cinema além do filme (1900-1964). 2018. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
RAMOS, F. R. L.; CALDEIRA, A. P. S.; KUNZ, M. S.; LUCAS, M. R. L.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Amanda Teixeira da Silva. Juazeiro sem Padre Cícero: uma cidade que não se esqueceu (1934-1969). 2018. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal do Ceará.

3.
BRANDAO, P. C.; BAGGIO, K. G.; DARAUJO, M. C.; ROCHA, A. J. R.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Gisele Gomes da Silva. Huntington e a obra The Soldier and The State: a emergência de uma hstória intelectual da teoria das relações civil-militares em tempos de Guerra Fria. 2018. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
FICO, C.; CHARBEL, F.; GREEN, J.; SALES, J. R.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Pedro Ivo Teixeirense. Reinventando o inimigo: história, política e memória na montagem dos dossiês e dos contra-dossiês da ditadura militar brasileira (1964-2001). 2017. Tese (Doutorado em História Social) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.

5.
BRANDAO, P. C.; MOTTA, M. H. S.; MATHIAS, S. K.; DARAUJO, M. C.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de André Gustavo da Silva. O Anticomunismo Fardado: Um estudo sobre represetações anticomunistas, intervenção e repressão na Polícia Militar de Minas Gerais (1947-1954). 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

6.
MACIEL, A. C. M. D.; SOARES, C. C.; RAMOS, F. R. L.; MARCELINO, Douglas Attila; CALDEIRA, A. P. S.. Participação em banca de Danilo Almeida Patrício. O "omelete ecumênico": Reescritas do (outro) sertão no Corpo de Baile de Guimarães Rosa. 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

7.
PEREIRA, M. H. F.; MARCELINO, Douglas Attila; BAUER, C. S.; PEREIRA, L. R.; ABREU, M. S.. Participação em banca de Mauro Eustáquio Costa Teixeira. Vozes dissonantes: relatos testemunhais e ficcionais sobre repressão e luta armada: 1978-1988. 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Ouro Preto.

8.
REIS, José Carlos (orientador); PEREIRA, Mateus Henrique; MARCELINO, Douglas Attila; CARDOSO, L.; ROIZ, D. S.. Participação em banca de Rodrigo Cracco. As contribuições de Paul Ricoeur para a Historiografia Contemporânea. 2015. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

9.
REIS, J. C.; CONDE, M. L. L.; MARCELINO, Douglas Attila; DOMINGUES, I.; COSTA NETO, P. L.. Participação em banca de Ângelo Filomeno Palhares Leite. A História "histórica" da filosofia no Brasil: João Cruz Costa. 2014. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

10.
FURTADO, J. P.; OLIVEIRA, L. E.; RAMOS, A. F.; DELGADO, I. J. G.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Marcio de Paiva Delgado. A Frente Ampla de oposição ao Regime Militar. 2013. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Qualificações de Doutorado
1.
STARLING, H.; MARCELINO, Douglas Attila; BARBOSA NETO, E. R.. Participação em banca de Juliana Ventura de Souza Fernandes. "E tem que saber que onde o sangue deles derramou, foi onde que nasceu, a semente brotou". A ditadura civil-militar e os modos de (re)existir do povo indígena Xakriabá. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
MARCELINO, Douglas Attila; RANGEL, M.; FREIXO, A. L.. Participação em banca de Clayton Ferreira. Dimensões ético-políticas em ensaios da Primeira República Brasileira. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Ouro Preto.

3.
AREND, S. M. F.; OLIVEIRA, N. A. S.; NUNES, E. S. N.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Luisa Rita Cardoso. A Dona Morte Surge do Nada: violência, infância e juventude no Brasil (década de 1990). 2018. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade do Estado de Santa Catarina.

4.
FURTADO, J. P.; MOTTA, R. P. S.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Geovano Moreira Chaves. O cinema e a moral. 2017.

5.
MARCELINO, Douglas Attila; PINTO, A. M.; DOMINGUES, I.; BOTTON, J. B.. Participação em banca de Breno Mendes. Os sentidos do sentido na filosofia da história de Paul Ricoeur. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

6.
MOTTA, R. P. S.; MOTTA, M. H. S.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Gustavo Bianch Silva Matias. A UREMG/UFV e suas relações com o poder: modernização, ditadura e convênios internacionais (1952-1979). 2017. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

7.
MARCELINO, Douglas Attila; OTTE, G.; MENEZES, R. S.. Participação em banca de Danilo Almeida Patrício. A 'vida fora da regra' - os sertões erráticos de Guimarães Rosa na coleção histórica Corpo do Baile (1956). 2016. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

8.
BRANDAO, P. C.; MOTTA, M. H. S.; MARCELINO, Douglas Attila; DARAUJO, M. C.. Participação em banca de André Gustavo da Silva. O Anticomunismo Fardado: Um estudo comparado sobre representações anticomunistas, intervenção e repressão na Polícia Militar de Minas Gerais no Exército Brasileiro (1935-1964). 2016. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

9.
REIS, José Carlos (orientador); MARCELINO, Douglas Attila; DRAWIN, C. R.. Participação em banca de Rodrigo Bianchini Cracco. A hermenêutica de Paul Ricoeur e a Historiografia: mapeamento e possibilidades de apropriação. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

10.
DUTRA, E. R. F.; VIDAL, A.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Raul Amaro de Oliveira Lanari. O Projeto de "reorganização nacional" de Mário Augusto Teixeira de Freitas (1930-53). 2014. Exame de qualificação (Doutorando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Qualificações de Mestrado
1.
LANARI, R.; SILVA, R. H. A.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Bruno de Carvalho Corrêa. Padre Eustáquio: o beato e o bairro: a memória como elemento de conformação socioespacial. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
BUARQUE, V. A. C.; MARCELINO, Douglas Attila; MOURA, F.. Participação em banca de Larissa de Assis Pimenta Rodrigues. Os demônios de Michel de Certeau: a alteridade na escrita da História, na Psicanálise e no Cristianismo. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Ouro Preto.

3.
MARCELINO, Douglas Attila; CALDEIRA, A. P. S.; SANTOS, A. S.; OLIVEIRA, M. G.. Participação em banca de Carolina de Oliveira Silva Othero. O conceito de tradição e a escrita da história de Manoel Bomfim. 2018. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
PARRELA, I. D.; LANARI, R.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Matheus Pimenta da Silva. Os homens de letras e os seus discursos: o republicanismo no Brasil através da Academia Brasileira de Letras (1896-1950). 2018. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

5.
PAIVA, E. F.; MARCUSSI, A.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Stéfany Sidô Ventura. Conceitos e categorias conceituais na historiografia brasileira dos séculos XIX e XX: a produção de um corpus teórico. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

6.
STARLING, H.; GUIMARAES, J. R.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Maria Cecília Vieira de Carvalho. Não façam prisioneiros! Operação Marajoara e o Extermínio da Guerrilha no Araguaia. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

7.
SANTOS, A. S.; CALDEIRA, A. P. S.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Pedro Henrique Resende. Ser historiador no Brasil nas décadas de 80 e 90: mudanças e continuidades a partir da obra de José Murilo de Carvalho. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

8.
DUTRA, E. R. F.; PARRELA, I. D.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Mariana Vargens Silba. O Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais e a escrita da História no Brasil Republicano. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

9.
MIATELLO, A. L. P.; ARAUJO, V. C. D.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Átila Siqueira Martins Lopes. As representações históricas do Orientalismo na Obra de Tolkien (1930-1950). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

10.
MARCELINO, Douglas Attila; REIS, J. C.; PEREIRA, M. H. F.. Participação em banca de Robson Freitas de Miranda Junior. Estratégias do tempo e discurso narrativo: relações entre historiografia e psicanálise na operação historiográfica de Michel de Certeau. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

11.
MOTTA, R. P. S.; MOTTA, M. H. S.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Iara Souto Ribeiro Silva. Memórias sobre a UFMG: modernização e repressão durante a ditadura militar (1969-1979). 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

12.
MARCELINO, Douglas Attila; DUTRA, E. R. F.; COSTA, A. V.. Participação em banca de Hugo Mateus Gonçalves Rocha. Os Parceiros do Rio Bonito e a História: uma leitura historiográfica sobre a obra de Antonio Cândido. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

13.
MARCELINO, Douglas Attila; OLIVEIRA, M. G.; BUARQUE, V. A. C.. Participação em banca de Marco Guisoli Girardi de Mendonça. Entre a História e a Psicanálise? Uma aproximação possível?. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

14.
DUTRA, E. R. F.; BAGGIO, K. G.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Guilherme Elias de Figueiredo. A política em páginas periódicas: o ideário republicano no Brasil e o discurso político da Revista Illustrada. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

15.
REIS, J. C.; ARAUJO, V. L.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Danilo Araújo Marques. Pós-modernidade, historicidade e presentismo: entre os finalismos de Jean-François Lyotard e Francis Fukuyama. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

16.
ORIENTADOR, V. S. S.; ZAMPARONI, V. D.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Mariana Schlickmann. A Introdução dos Estudos Africanos no Brasil nos Anos 1960/1980. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

17.
DUTRA, E. R. F.; VIDAL, A.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Marina Helena Meira Carvalho. Propagandas comerciais em revistas brasileiras de variedades (1937-1945): as representações de brasilidade e o American Way of Life. 2014. Exame de qualificação (Mestrando em Programa de Pós-Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

18.
FURTADO, J. P.; MOTTA, M. H. S.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Gabriela Silva Galvão. Irmãos Coragem e Fogo sobre Terra: a abordagem política na obra de Janete Clair durante os Anos de Chumbro (1970-1975). 2013. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
CALDEIRA, A. P. S.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Daniel Fomanelli.A coleção Mineiriana: uma jóia dentro da Fundação João Pinheiro. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
MARCELINO, Douglas Attila; CALDEIRA, A. P. S.. Participação em banca de João Victor de Jesus Nogueira.Catolicismo, identidade e política em Jonathas Serrano: uma análise a partir de Farias Brito: o homem e a obra. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

3.
MARCELINO, Douglas Attila; CALDEIRA, A. P. S.. Participação em banca de Julio Cesar de Aguiar Santana.Corpo de Bombeiros: análise dos ritos e símbolos na construção de uma identidade. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
MARCELINO, Douglas Attila; LANARI, R.. Participação em banca de Matheus Pimenta da Silva.Disputas pela imortalidade na Primeira República: a política entre discursos e orações fúnebres da Academia Brasileira de Letras (1908 a 1924). 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

5.
MARCELINO, Douglas Attila; VIDAL, A.. Participação em banca de Samuel Braga Rocha de Paiva.Escrita da História e discurso científico em Manoel Bomfim: uma análise a partir de América Latina: Males de Origem. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

6.
VIDAL, A.; MARCELINO, Douglas Attila. Participação em banca de Fabrício Seixas Barbsa.Exílio e condição exílica nas autobiografias Fora do Lugar, de Edward Said, e O homem desenraizado, de Tzvetan Todorov. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal de Minas Gerais.

7.
MARCELINO, Douglas Attila; LANARI, R.. Participação em banca de Thaís Lanna Junqueira.História, Memória e Espaço Urbano: comemorações da Inconfidência Mineira em Ouro Preto na segunda metade do século XIX. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal de Minas Gerais.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
SONTAG, R.; CARDOSO, R. C.; DRI, C. F.; VAISMAN, E. V. E.; MARCELINO, Douglas Attila. Concurso Público de Provas e Títulos para Professor de Ciências do Estado do Departamento de Direito do Trabalho e Introdução ao Estado do Direito da Faculdade de Direito da UFMG. 2017. Universidade Federal de Minas Gerais.

Outras participações
1.
MARCELINO, Douglas Attila. Participação em Comissão Examinadora do Processo Seletivo de Mestrado e Doutorado do PPGH/UFMG. 2018. Universidade Federal de Minas Gerais.

2.
MARCELINO, Douglas Attila; CALDEIRA, A. P. S.; BOTELHO, T.. Seleção para prof. substituto de Teoria da História e Historiografia Contemporânea do Departamento de História da UFMG. 2016. Universidade Federal de Minas Gerais.

3.
MARCELINO, Douglas Attila; GOODWIN JR, J. W.; CORREA, B. C.. Banca de seleção PDSE/Capes. 2016. Universidade Federal de Minas Gerais.

4.
MARCELINO, Douglas Attila. Integrante da Comissão de Avaliação dos trabalhos da XXIV Semana de Iniciação Científica. 2015. Universidade Federal de Minas Gerais.

5.
MARCELINO, Douglas Attila; DUTRA, E. R. F.; ROMEIRO, A.. Participação em banca de seleção para professor substituto de Teoria da História/Prática de Ensino. 2014. Universidade Federal de Minas Gerais.

6.
MARCELINO, Douglas Attila. Participação em Comissão Julgadora do Processo Seletivo para os Cursos de Mestrado e Doutorado do PPGH/UFMG. 2014.

7.
MARCELINO, Douglas Attila. Integrante da Comissão de Avaliação dos trabalhos da XXIII Semana de Iniciação Científica 2014. 2014. Universidade Federal de Minas Gerais.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
VII Congresso Internacional Imagens de Morte. 2016. (Congresso).

2.
Filosofia, história, historiografia.Debatedor da mesa sobre "representância" em Paul Ricoeur. 2015. (Seminário).

3.
Ciclo de Colóquios do Histor ? Núcleo de Pesquisas sobre Teoria da História e História da Historiografia.Funerais como liturgias cívicas e narrativas históricas no Brasil republicano. 2012. (Seminário).

4.
VI Jornada de História da Universidade Estácio de Sá.Funerais cívicos, historiografia e cultura histórica (1870-1930). 2012. (Seminário).

5.
IV Jornada de História da Universidade Estácio de Sá.Política, cultura e memória: notas sobre um campo de pesquisas. 2011. (Seminário).

6.
XXVI Simpósio Nacional de Historiai. Anpuh 50 Anos. Liturgias cívicas e ritualização do poder: funerais de presidentes e memória de Tancredo Neves. 2011. (Congresso).

7.
V Jornada de Estudos Históricos do PPGHIS/UFRJ.Ritos do poder e da nação: os funerais de Tancredo Neves e presidentes do pós-1930. 2010. (Seminário).

8.
IV Jornada de Estudos Históricos do PPGHIS/UFRJ.Momentos biográficos na memória da nação: a morte e os rituais fúnebres de Tancredo Neves. 2009. (Seminário).

9.
III Semana de História Política do PPGH/UERJ.Uma "personalidade brasileira": representações de Tancredo Neves e da nação às vésperas da Nova República. 2008. (Seminário).

10.
Seminário Internacional 1968 - 40 Anos Depois: Memória e História ? PPGHIS/UFRJ.A memória de 1968 e da censura pela ótica da resistência: alguns dilemas esquecidos. 2008. (Seminário).

11.
XIII Encontro Regional de História (Anpuh-Rio).Representações da nação: a morte e os funerais de Tancredo Neves. 2008. (Simpósio).

12.
III Jornada de Estudos Históricos do PPGHIS/UFRJ.A morte de Tancredo Neves e a construção de uma identidade nacional. 2007. (Seminário).

13.
III Semana de História da Universidade Estácio de Sá.Reconstruindo memórias acerca da Repressão: as diferentes censuras do regime militar. 2007. (Seminário).

14.
II Semana de História Política - Programa de Pós-Graduação em História da Uerj - 20-21 jun., 2007. Refazendo biografias e reescrevendo a história: as mortes e os funerais de presidentes. 2007. (Congresso).

15.
Segundo Seminário Casa de Rui Barbosa/Faperj.Memória, política e cultura: questões para pesquisa. 2007. (Seminário).

16.
XXIV Simpósio Nacional de História. História e Multidisciplinaridade: terrítórios e deslocamentos.Um novo objeto para os estudos sobre memória: mortes e funerais de presidentes republicanos. 2007. (Simpósio).

17.
Encontro de Historiografia e História Política. IFCS/UFRJ. 2005. (Seminário).

18.
I Jornada de Estudos Históricos do Programa de Pós-Graduação em história Social. IFCS/UFRJ..Resguardando a moralidade em tempos de arbítrio: a DCDP e a censura de diversões públicas. 2005. (Seminário).

19.
Seminário Segurança Pública e Cidadania. IFCS/UFRJ.. 2005. (Seminário).

20.
V Semana de História da Uerj..O guardião dos bons costumes: Armando Falcão e as publicações obscenas nos anos 1970. 2005. (Seminário).

21.
XXIII Simpósio Nacional de História. História: Guerra e Paz..Salvando a pátria da pornografia e da subversão: a censura de livros e revistas nos anos 1970. 2005. (Simpósio).

22.
40 anos do golpe militar: 1964-2004.Salvando a pátria da pornografia e da subversão: censura da TV e a defesa da moral dos anos 1970. 2004. (Seminário).

23.
A universidade na construção de uma nova ética. Forúm de Educação, Ciência e Cultura. 2002. (Seminário).

24.
Desafios do tempo presente. 2002. (Seminário).

25.
Seminário PPGHIS 20 anos. 2002. (Seminário).

26.
XXIV Jornada de Iniciação Científica. XIV Jornada de Iniciação Artística e Cultural.Censura à televisão e comunidade de informações no Regime Militar. 2002. (Seminário).

27.
XXIII Jornada de Iniciação Científica.XIII Jornada de Iniciação Artística e Cultural.Repertório analítico da legislação brasileira produzida pelo regime militar (1964-1985). 2001. (Seminário).

28.
XXI Simpósio Nacional de História. ANPUH. 2001. (Seminário).

29.
Arquivos da relação: autoritarismo, repressão e memória. 2000. (Seminário).

30.
Campesinato na História. 2000. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
MARCELINO, Douglas Attila; BUARQUE, V. A. C. . JORNADA INTERINSTITUCIONAL MAIO DE 68: 50 ANOS DE MAIO DE 1968. 2018. (Congresso).

2.
MARCELINO, Douglas Attila; CALDEIRA, A. P. S. . Coordenação do Simpósio Temático Estudos sobre memória e Cultura História (Anpuh-MG). 2018. (Congresso).

3.
MARCELINO, Douglas Attila; FAGUNDES, L. P. . Coordenação do Simpósio Temático Rituais políticos, memória e historiografia na Anpuh-Rio2016. 2016. (Congresso).

4.
MARCELINO, Douglas Attila; CALDEIRA, A. P. S. . Coordenação do Simpósio Temático História e Memória: historiografia, história dos intelectuais e ensino de história na Anpuh-MG. 2016. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Isabela Lemos Coelho. As noções de ?sentimento? e ?tradição? nacionais em José Veríssimo e Teófilo Braga (1870-1916). Início: 2018. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

2.
Carolina de Oliveira Silva Othero. O conceito de tradição na escrita da história de Manoel Bomfim (1929-1931). Início: 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

3.
Matheus Pimenta da Silva. Os discursos dos imortais: a Academia Brasileira de Letras e a Primeira República (1897-1930). Início: 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

4.
Pedro Henrique Resende. Abordagem historiográfica sobre a obra de José Murilo de Carvalho. Início: 2016. Dissertação (Mestrado profissional em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Hélia Costa Morais. Passado Sedutor: a escrita da história de Raimundo Nonato da Silva (1955-1983). Início: 2018. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

2.
César Leonardo Van Kan Saad. A figuração de um arquivo historiográfico: a escrita de História da História do Brasil de José Honório Rodrigues (1957 ? 1988). Início: 2018. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

3.
Denilson de Cássio Silva Silva. As guerras mundiais e o pensamento político de Cecília Meireles: do drama humano universal às relações de poder nacionais (Rio de Janeiro, 1930 a 1945). Início: 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

4.
Erika Morais Cerqueira. Heróis de Papel: Narrativa Biográfica e Escrita da História em Gustavo Barroso (1920-1940). Início: 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

5.
Robson de Freitas Miranda Junior. O que Michel de Certeau fez da história? Lugares e sentidos da religiosidade em sua trajetória intelectual. Início: 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).

6.
Breno Mendes. Os sentidos do sentido na filosofia da história de Paul Ricoeur. Início: 2016. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

Iniciação científica
1.
Henrique Carvalho Figueredo. Para além da última fronteira: A Filosofia da História nas obras de Arthur C. Clarke. Início: 2018. Iniciação científica (Graduando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Robson Freitas de Miranda Júnior. Estratégias do tempo e discurso narrativo: relações entre história e psicanálise na operação historiográfica de Michel de Certeau. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

2.
Hugo Mateus Gonçalves Rocha. Ensaio, Ciência e História em Os Parceiros do Rio Bonito: uma leitura historiográfica da obra de Antonio Candido. 2017. Dissertação (Mestrado em Programa de Pós-Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, . Orientador: Douglas Attila Marcelino.

3.
Marco Guisoli Girardi de Mendonça. Narrativa, tempo e limites da linguagem: história e psicanálise. 2017. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

Tese de doutorado
1.
Danilo Almeida Patrício. O "omelete ecumênico": Reescritas do (outro) sertão no Corpo de Baile de Guimarães Rosa. 2017. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
João Victor Jesus Nogueira. A filosofia de Farias Brito na obra histórica de Jonathas Serrano. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

2.
Julio Cesar de Aguiar Santana. Corpo de Bombeiros: análise dos ritos e símbolos na construção de uma identidade. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

3.
Matheus Pimenta da Silva. Disputas pela imortalidade na Primeira República: a política entre discursos e orações fúnebres da Academia Brasileira de Letras (1908 a 1924). 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

4.
Samuel Braga Rocha de Paiva. Escrita da história e discurso científico em Manoel Bomfim: uma análise a partir de América Latina: Males de Origem. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

5.
Thayná Miclos. Biografia histórica em Pedro Calmon. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

6.
Rubia Carla. Afrânio Peixoto e a escrita da história do Brasil. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

7.
Thaís Lanna Junqueira. História, Memória e Espaço Urbano: comemorações da Inconfidência Mineira em Ouro Preto na segunda metade do século XIX. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Abi - História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

Iniciação científica
1.
Isabela Lemos Coelho. Repúlica e História na obra de José Veríssimo (título provisório). 2017. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

2.
Carolina Othero. O conceito de tradição em Manoel Bomfim (título provisório). 2016. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

3.
Rubia Carla. Biografias de escritores nos anos 1930. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Abi - História) - Universidade Federal de Minas Gerais. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

4.
Thayná Miclos. Biografia histórica na Coleção Brasiliana. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, PRPq. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

Orientações de outra natureza
1.
Adriana Jordão de Souza Bandeira. Orientação de monitoria de Metodologia da História II. 2009. Orientação de outra natureza. (Metodologia da História II) - Universidade Federal do Rio de Janeiro. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

2.
Larissa Velasquez de Souza. Orientação de Monitoria de Metodologia da História II. 2009. Orientação de outra natureza. (Metodologia da História II) - Universidade Federal do Rio de Janeiro. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

3.
Carine Pereira Rebonatto. Orientação de monitoria de Metodologia da História II. 2009. Orientação de outra natureza. (Metodologia da História II) - Universidade Federal do Rio de Janeiro. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

4.
Erasmo Soares de Moura Neto. Orientação de monitoria de Metodologia da História II. 2009. Orientação de outra natureza. (Metodologia da História II) - Universidade Federal do Rio de Janeiro. Orientador: Douglas Attila Marcelino.

5.
Filippi Fernandes Silva. Orientação de monitoria de Metodologia da História II. 2008. Orientação de outra natureza. (Metodologia da História II) - Universidade Federal do Rio de Janeiro. Orientador: Douglas Attila Marcelino.



Educação e Popularização de C & T



Apresentações de Trabalho
1.
MARCELINO, Douglas Attila. Considerações sobre os conceitos de família e sexualidade na obra de Caio Prado Júnior. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 21/11/2018 às 6:36:32