Eduardo Portanova Barros

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3117349847907708
  • Última atualização do currículo em 17/08/2014


É pós-doutor pela Université de Paris V (Sorbonne) e pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), com bolsa PNPD/CAPES junto ao PPG em Ciências Sociais, doutor em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2009), mestre em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (2003) e bacharel em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1986), com habilitação em Jornalismo (Impresso, Radiofônico, Televisionado e Cinematográfico). Atualmente, realiza estágio pós-doutoral com bolsa PNPD/CAPES junto ao PPPG em Ciências Sociais da Unisinos. É jornalista, tradutor do francês e professor-pesquisador. Pesquisa assuntos na área da Comunicação, das Ciências Sociais (Sociologia do Cotidiano e Políticas Culturais), do Imaginário e do Cinema. Integrante do Imaginalis - Grupo de Estudos sobre Comunicação e Imaginário (cadastrado junto ao CNPq). É parecerista ad hoc. Traduziu artigos de Michel Maffesoli, Philippe Joron, Armand Mattelart, Lucien Sfez, Stéphane Hugon, Patrick Tacussel, Marie-France Bouilly, Denis Fleurdoge, Michel Moatti e Pierre Lévy, entre outros, e o livro "Sociologia do imaginário", de Patrick Legros, Frédéric Monneyron, Jean-Bruno Renard e Patrick Tacussel (Porto Alegre: Sulina, 2007). Aprovado com louvor na defesa de tese. Indicado pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Famecos / PUCRS ao prêmio Capes de Teses. Integrante (ad hoc) do GRES/GRIS (Groupe de Recherche sur l´Espace et Socialité e Groupe de Recherche sur l´Image et Sociologie) no âmbito do Centro d´Etudes sur l´Imaginaire et le Quotidien (CEAQ/Sorbonne), dirigido por Michel Maffesoli. Autor de "Truffaut, o homem que amava o cinema" (Editora da Ulbra, 2013). (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Eduardo Portanova Barros
Nome em citações bibliográficas
BARROS, Eduardo Portanova


Formação acadêmica/titulação


2006 - 2009
Doutorado em Comunicação Social.
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.
Título: O cinema de Ruy Guerra: um imaginário autoral na pós-modernidade, Ano de obtenção: 2009.
Orientador: Carlos Gerbase.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.
Palavras-chave: Cinema; Imaginário; Estética; Autoria; Artes; cultura.
2001 - 2003
Mestrado em Ciências da Comunicação.
Universidade de São Paulo.
Título: Autoria cinematográfica: a impressão digital de François Truffaut,Ano de Obtenção: 2003.
Orientador: Mario Arturo Alberto Guidi.
1983 - 1986
Graduação em Comunicação Social.
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.
Título: O triunfo de Truffaut: a coerência de um artista autobiográfico.
Orientador: Aníbal Damasceno Ferreira.


Pós-doutorado


2014
Pós-Doutorado.
Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS, Brasil.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia.
2013 - 2013
Pós-Doutorado.
Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS, Brasil.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia.
2012 - 2013
Pós-Doutorado.
Université Paris Descartes - V Sorbonne.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia do Cotidiano.
2011 - 2012
Pós-Doutorado.
Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS, Brasil.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia.


Formação Complementar


2013 - 2013
Extensão universitária em Comunicação. (Carga horária: 12h).
Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
2009 - 2009
Extensão universitária em Introdução às Metodologias do Imaginário. (Carga horária: 7h).
Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
2007 - 2007
Proficiência em Língua Francesa.
Aliança Francesa.
2003 - 2003
Comunicação, Gestão e Novas Estruturas Organizacio. (Carga horária: 20h).
Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS, Brasil.
2003 - 2003
Proficiência em Língua Inglesa.
Cultura Inglesa.
1988 - 1988
First Certificate in English.
University of Cambridge.
1986 - 1986
Certificat d´Études Françaises Fondamentales. (Carga horária: 350h).
Aliança Francesa.
1985 - 1985
Certificat d´Études de Langue Française.
Aliança Francesa.


Atuação Profissional



Universidade do Vale do Rio dos Sinos, UNISINOS, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Professor-pesquisador, Carga horária: 20, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Professor pesquisador, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2011 - 2012
Vínculo: Bolsista recém-doutor, Enquadramento Funcional: Professor pesquisador, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2002 - 2005
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Jornalista, Carga horária: 30, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

04/2014 - Atual
Ensino, Ciências Sociais, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Teorias Sociais Contemporâneas
01/2011 - 12/2012
Ensino, Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Seminário de Sociologia
Teorias Sociais Contemporâneas
01/2011 - 10/2012
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Humanas, .

Linhas de pesquisa
Identidades e Sociabilidades
03/2002 - 06/2005
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Assessoria de imprensa, reportagem, entrevista, atualização de site..
05/2005 - 05/2005
Extensão universitária , Pró-Reitoria Comunitária e de Extensão, .

Atividade de extensão realizada
Ministrante da oficina "Nova onda francesa - uma poética dos autores no cinema"..
04/2004 - 04/2004
Extensão universitária , Pró-Reitoria Comunitária e de Extensão, .

Atividade de extensão realizada
Ministrante do curso "Sessões comentadas de cinema - Ditadura Militar 1964-2004: lembrar o passado para construir o futuro"..

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, PUCRS, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2009
Vínculo: Estudante de pós-graduação, Enquadramento Funcional: Bolsista CNPq, Regime: Dedicação exclusiva.


Associação Brasileira de Jornalismo Literário, ABJL, Brasil.
Vínculo institucional

2006 - 2006
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor visitante, Carga horária: 15

Atividades

06/2006 - 09/2006
Ensino, Jornalismo Literário, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
Disciplina ministrada: Documentário e Jornalismo Literário

Faculdades de Ciências Sociais Aplicadas, FACISA/CELER, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 15

Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Professor Visitante, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 15

Atividades

06/2011 - 08/2011
Ensino, Curso de Atualização em Docência Universitária, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
Metodologia da Pesquisa
06/2010 - 08/2010
Ensino, Curso de Atualização em Docência Universitária, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
Metodologia da Pesquisa

Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2000 - 2001
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Jornalista, Carga horária: 30

Atividades

07/2000 - 11/2001
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Assessoria de comunicação, reportagens, entrevistas..

Agência Folha, AF, Brasil.
Vínculo institucional

2000 - 2000
Vínculo: livre, Enquadramento Funcional: Redator, Carga horária: 30, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

04/2000 - 07/2000
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Redação de notícias..
04/1995 - 11/1996
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Redação..

Grupo Editorial Sinos, JORNAL NH, Brasil.
Vínculo institucional

1997 - 1999
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Jornalista, Carga horária: 30

Atividades

02/1997 - 01/1999
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Reportagens, entrevistas, redação de notícias.

Cia. Jornalística Caldas Júnior, CP, Brasil.
Vínculo institucional

1996 - 1997
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Jornalista, Carga horária: 30, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

11/1996 - 02/1997
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Reportagem, entrevistas, redação..
11/1993 - 02/1995
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Reportagem, entrevistas, redação..

Jornal de Santa Catarina - Agência RBS de Notícias, JSC - RBS, Brasil.
Vínculo institucional

1993 - 1993
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Jornalista, Carga horária: 30

Atividades

03/1993 - 08/1993
Serviços técnicos especializados , Agência RBS de Notícias, .

Serviço realizado
Edição, reportagem, entrevistas, redação..

Diário Catarinense, DC, Brasil.
Vínculo institucional

1989 - 1992
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Jornalista, Carga horária: 30, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

11/1989 - 02/1992
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Reportagem, entrevistas, redação..

Rádio e TV Portovisão (Rádio Bandeirantes), RTVP, Brasil.
Vínculo institucional

1987 - 1987
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Jornalista, Carga horária: 30

Atividades

05/1987 - 08/1987
Serviços técnicos especializados , Rádio Bandeirantes, .

Serviço realizado
Reportagem, redação..

Rádio Pampa, RP, Brasil.
Vínculo institucional

1987 - 1987
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Jornalista, Carga horária: 30

Atividades

01/1987 - 06/1987
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Redação de notícias..

Grêmio Naútico União, GNU, Brasil.
Vínculo institucional

1986 - 1987
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Estagiário de jornalismo, Carga horária: 30

Atividades

06/1986 - 07/1987
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Assessoria de imprensa..

Gráfica e Editora Nova Imprensa Ltda., NOTÍCIA, Brasil.
Vínculo institucional

1995 - 1995
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Jornalista, Carga horária: 6
Outras informações
Repórter



Linhas de pesquisa


1.
Identidades e Sociabilidades


Projetos de pesquisa


2011 - 2012
Laboratório de Políticas Culturais e Ambientais: Gestão e Inovação

Descrição: A proposta deste projeto visa superar especificidades apresentadas em estudos sobre políticas culturais e ambientais, geralmente apresentadas em enfoques dicotômicos, configurando um escopo amplo de investigações sobre as formações de coletividades sócio-técnicas, no âmbito dos agenciamentos identitários que grupos, comunidades e segmentos sociais brasileiros produzem, contemporaneamente, na forma de projetos que combinam referentes culturais e ambientais. Os objetivs do projetos são os seguintes: Inserir jovens doutores em atividades de pesquisa e docência de pós-graduação junto ao PPG em Ciências Sociais da Unisinos, visando formação de quadros para seus grupos de pesquisa, o ensino em nível de pós-graduação, orientação e pesquisa; - Implantar um Laboratório de Políticas Culturais e Ambientais, considerando-as desde o enfoque das coletividades sócio-técnicas, nas quais a interação mútua entre agenciamentos humanos e não-humanos produz sistemas abstratos, de imposição tecnológica, que condicionam as reflexividades, ações e projetos dos atores sociais;- Implantar e dinamizar pesquisas em políticas culturais e ambientais desenvolvidas no país, com foco nas análises de gestão e inovação das coletividades sócio-técnicas, visando gerar um banco de dados, a ser disponibilizado em rede virtual, na web;- Integrar jovens doutores no ensino de pós-graduação, de forma a difundir e orientar as pesquisas realizadas no Laboratório, no quadro de um mestrado profissionalizante em políticas culturais e ambientais;- Dinamizar os projetos realizados nos Grupos de Pesquisa do PPG em Ciências Sociais, reforçando e consolidando interlocuções e redes de pesquisa, através de parcerias institucionais, participações em congressos e publicações acadêmicas. .
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Eduardo Portanova Barros - Integrante / Paolo Totaro - Integrante / José Rogério Lopes - Coordenador.
2011 - 2012
Imaginário e pós-modernidade: a função oscilante da não-racionalidade estética

Descrição: A partir da observação da obra de Ruy Guerra, este dionisíaco criador cinematográfico latinoamericano, porque trágico e radicado no estado do Rio de Janeiro (Brasil), refletimos: como ter um novo olhar para além das possibilidades que a câmera (nos) dá? Mas o aparelho não (nos) dá outras possibilidades que não sejam as de sua operacionalidade. Neste intervalo entre a objetividade maquínica e a subjetividade é que reside a tragédia guerriana e a proposta desta pesquisa. Pioneiro do Cinema Novo nos anos 1960, Guerra, encastelado no município de Petrópolis (RJ), pensa para executar, e, para pensar, exila-se. O cinema, para ele, retomando Glauber Rocha, é a expressão da sua personalidade. Porém, a personalidade de sua orgia fílmica esbarra nos limites do artefato tecnológico. Flusser captou esse aspecto anti-autoral da máquina (não só fotográfica). Guerra insiste: a visão renascentista se esgotou. É preciso, a partir de uma (trans)individualidade, fazer do cinema um território de descoberta. Mas o que a lente (re)descobre se tudo passa, do mesmo jeito, por ela? Para o autor de Estorvo, no entanto, é preciso persistir para criar, mesmo nessa vida vivida entre a objetividade e a autoria. Nesse caso, o que o motiva? Como se dá o equilíbrio nele entre a expressão subjetiva e o racionalismo próprio da materialidade? Bachelard pergunta: como pode o homem, apesar da vida, tornar-se poeta? Este é o questionamento que fundamenta o trágico pós-moderno e no qual se poderia caracterizar o atual estado da autoria, conforme veremos no cinema de Ruy Guerra, dando prosseguimento aos caminhos percorridos na tese, formalmente finalizada em abril de 2009. .
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Eduardo Portanova Barros - Coordenador.
2006 - 2009
O cinema de Ruy Guerra: um imaginário autoral da pós-modernidade

Descrição: O sociólogo Michel Maffesoli caracteriza o pós-moderno como uma sensibilidade alternativa aos valores sustentados pela lógica de cunho racionalista. Isso significa dizer que, hoje. Já é possível, com mais clareza, observar aspectos como as emoções, os sentimentos e as intuições de um artista - no caso, o dionisíaco (referente a Dionísio, o deus da tragédia) Rui Guerra - e de seu imaginário (sonhos e desejos). Este é o objetivo da tese: investigar a trajetória como processo autoral de Ruy Guerra pelo viés do imaginário na linhagem de Gaston Bachelard, Gilbert Durand e Michel Maffesoli. Focamos um cineasta cujo perfil nos remete ao espírito dionisíaco da desmedida e do insólito, que atuou tanto no Cinema Novo brasileiro dos anos 1960 - uma fase marcada pela ideologia política - quanto no ambiente da hedonista pósmodernidade. O que interessa, neste painel, é mostrar como se dá o equilíbrio. em Rui Guerra, entre suas pulsões subjetivas e coerções objetivas (Durand). Não se trata de buscar uma resposta rígida na direção de um conceito, e sim procurar uma constelação de fatores. Conforme Maffesoli, "todo objeto ou fenômeno está ligado a outros. e é determinado por eles. E, por isso mesmo, está sujeito à mudança e ao acaso" (2004, p.10). Interessa-nos, portanto, revisar e questionar a noção de autoria cinematográfica pós-moderna através do imaginário deste cineasta como pessoa inserida na coletividade (o "eu-outro"). A autoria cinematográfica é vista como trilha de uma vivência cultural intransponível do ser humano enquanto manifestação do seu imaginário. Não se trata, aqui, de descobrir o que o cineasta, atrás da câmera, pensa, mas admitir que um filme, em determinadas circunstâncias, pode ser a representação simbólica de uma individualidade sensível e, só por isso, ele já se justificaria. Procuramos refletir sobre uma idéia que, inserida em uma sociedade pós-moderna, antes acolhe do que exclui um cinema instintivamente autoral. Estes filmes, hoje, não teriam, de forma específica, uni cenário político ou contestatório como no ambiente da ditadura dos anos 1960. O importante é a expressão do artista dentro de uma lógica contraditorial, cuja relação "eu-outro" fundamenta os aspectos éticos, técnicos e estéticos do fazer cinematográfico..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Eduardo Portanova Barros - Coordenador.
2001 - 2003
Autoria cinematográfica. A impressão digital de François Truffaut.

Descrição: Este trabalho reflete sobre a noção (holográfica) e não conceito (telescópico) de autoria cinematográfica, segundo a qual a personalidade do diretor representa um estilo que, por sua vez, se traduz na recorrência de certas imagens no filme. O estilo de um diretor pode ser considerado uma mise en scène ou o que chamaremos de sensibilidade autoral, com base no trabalho teórico (livros) e prático (filmes) do diretor, ator e produtor francês François Truffaut. Mise en scène é o equivalente a uma opção moral do cineasta de escolha ou recusa de determinados elementos que compõem o filme. Muito se falou, e ainda se fala, no desaparecimento do autor. Ele, no entanto, continua presente, seja na música, na literatura ou, no caso específico desta pesquisa, no cinema. A autoria cinematográfica volta à cena em um momento oportuno de questionamento dos paradigmas que prevaleceram no século anterior. No cinema contemporâneo, parece haver uma tendência de (re)valorização da autoria, cujo espaço só teria sido possível, em grande medida, pelo movimento em defesa do cinema de autor engendrado nos anos 50 e 60 conhecido como Nouvelle Vague..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Eduardo Portanova Barros - Coordenador.


Membro de corpo editorial


2013 - Atual
Periódico: Revista Educere et Educare


Revisor de periódico


2012 - Atual
Periódico: Animus (Santa Maria. Online)
2009 - Atual
Periódico: Ciências Sociais Unisinos
2011 - Atual
Periódico: Ideias (UNICAMP)
2012 - Atual
Periódico: Intexto
2012 - Atual
Periódico: Ciências Sociais em Perspectiva


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Comunicação.
2.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Cinema/Especialidade: Estética e audiovisual.
3.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Comunicação / Subárea: JORNALISMO IMPRESSO, RADIOFÔNICO, TELEVISIONADO E CINEMATOGRÁFICO.
4.
Grande área: Lingüística, Letras e Artes / Área: Artes / Subárea: Cinema.
5.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Políticas Culturais.


Idiomas


Francês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Pouco, Lê Bem, Escreve Pouco.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Prêmios e títulos


2010
Aprovação em concurso para professor Assistente em Direção para Audiovisual no Instituto de Artes e Design da UFPEl, UFPEL.
2010
Indicação para o prêmio CAPES de teses pela PUCRS, CAPES / PUCRS.
2009
Tese Aprovada com Louvor, PUCRS.
2004
2º Prêmio Destaque em Comunicação, SINEPE/RS.
2003
1º Prêmio Destaque em Comunicação, SINEPE/RS.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
BARROS, Eduardo Portanova2014BARROS, Eduardo Portanova ; FONTES, B. . O artesão olindense nas esferas da cultura, do imaginário e da pós-modernidade. Estudos de Sociologia (Recife), v. 1, p. 1-19, 2014.

2.
BARROS, Eduardo Portanova2014BARROS, Eduardo Portanova ; CHATRIANT, O. . La perspective de l´imaginaire tragique-Dionysien dans le cinéma de Ruy Guerra. Metábasis, v. 1, p. 123-135, 2014.

3.
MAFFESOLI, M.2014MAFFESOLI, M. ; BARROS, Eduardo Portanova . Éros philosophe. In Texto (UFRGS. Online), v. 1, p. 14-36, 2014.

4.
BARROS, Eduardo Portanova2013BARROS, Eduardo Portanova . A arte de Joseph Beuys e a visão de Andreas Huyssen na pós-modernidade. Semina. Ciências Sociais e Humanas (Online), v. 33, p. 61, 2013.

5.
BARROS, Eduardo Portanova2013BARROS, Eduardo Portanova ; ALVES, F. L. ; SCHROEDER, T. . Discursos e representações sobre corpo feminino e beleza no contexto da pós-modernidade. Opsis (UFG), v. 13, p. 233-247, 2013.

6.
BARROS, Eduardo Portanova2013BARROS, Eduardo Portanova . A sociologia romântica e o imaginário na obra de Michel Maffesoli. Educere et Educare (versão eletrônica), v. 1, p. 321-328, 2013.

7.
BARROS, Eduardo Portanova2013BARROS, Eduardo Portanova . Uma sociologia do cinema: a questão do autoral Ruy Guerra na pós-modernidade. Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas (Online), v. 14, p. 200-237, 2013.

8.
BARROS, Eduardo Portanova2013BARROS, Eduardo Portanova . Michel Maffesoli: a pós-modernidade se orienta para 'algo de anarquista'. Em Questão, v. 19, p. 1-9, 2013.

9.
BARROS, Eduardo Portanova2013BARROS, Eduardo Portanova ; CAZALLAS, T. N. . A era pós-televisiva e a mediação de sentidos: uma perspectiva interdisciplinar. Semina. Ciências Sociais e Humanas (Online), v. 34, p. 229, 2013.

10.
BARROS, Eduardo Portanova2012BARROS, Eduardo Portanova ; Motta, Diego Airoso . O encontro das águas: breves notas introdutórias sobre a pós-modernidade. Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas (Online), v. 13, p. 4-26, 2012.

11.
BARROS, Eduardo Portanova2012 BARROS, Eduardo Portanova ; GADEA, C. A. . Blade Runner depois dele mesmo: ambiguidade e fotogenia no pós-humano. Logos (Rio de Janeiro. Online), v. 19, p. 43-54, 2012.

12.
BARROS, Eduardo Portanova2011BARROS, Eduardo Portanova . O pensamento visceral de Michel Maffesoli. OPSIS (UFG), v. 11, p. 255-259, 2011.

13.
BARROS, Eduardo Portanova2011BARROS, Eduardo Portanova . A autoria no jornalismo afetual de Cremilda Medina. Conexão (UCS), v. 10, p. 159-163, 2011.

14.
BARROS, Eduardo Portanova2011BARROS, Eduardo Portanova . A metáfora do apocalipse: uma leitura de Michel Maffesoli. Revista Ciências Sociais Unisinos, v. 47, p. 185, 2011.

15.
BARROS, Eduardo Portanova2010BARROS, Eduardo Portanova . O autor no imaginà rio da pà s-modernidade: repensando Flusser e Foucault. Revista Ciências Sociais Unisinos, v. 46, p. 152-155, 2010.

16.
BARROS, Eduardo Portanova2008BARROS, Eduardo Portanova . Maffesoli e a -investigação do sentido- - das identidades às identificações. Ciências Sociais Unisinos, v. 44, p. 181-185, 2008.

17.
BARROS, Eduardo Portanova2007BARROS, Eduardo Portanova . A violência simbólica na estética de Godard em "Viver a vida". Sessões do Imaginário (Impresso), v. 1, p. 42-49, 2007.

18.
BARROS, Eduardo Portanova2007BARROS, Eduardo Portanova . Michel Marie e a poesia do olhar. Revista FAMECOS, v. 33, p. 7-12, 2007.

19.
BARROS, Eduardo Portanova2006BARROS, Eduardo Portanova . Um resumo assumido:cinema e documentário. E-Compós (Brasília), v. 4/2006, p. 01-02, 2006.

20.
BARROS, Eduardo Portanova2006BARROS, Eduardo Portanova . Cacá Diegues e o nomadismo trágico. Logos (Rio de Janeiro), v. 1, p. 24, 2006.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
BARROS, Eduardo Portanova (Org.) ; GADEA, C. A. (Org.) . A 'questão pós' nas Ciências Sociais: crítica, estética, política e cultura. 1. ed. Curitiba: Appris, 2013. 348p .

2.
BARROS, Eduardo Portanova . Truffaut, o homem que amava o cinema. 1. ed. Canoas: Editora da Ulbra, 2013. 96p .

Capítulos de livros publicados
1.
BARROS, Eduardo Portanova . Imagem e imaginário: as contribuições de Michel Maffesoli, um anarquista romântico. In: Fábio Lopes Alves; Tânia Maria Rechia Schroeder; Ana Taís Martins Portanova Barros. (Org.). Diálogos com o imaginário. 1ed.Curitiba: CRV, 2014, v. 1, p. 47-56.

2.
BARROS, Eduardo Portanova . Pós-autoria cinematográfica: do conceito à noção. In: Eduardo Portanova Barros;Carlos A. Gadea. (Org.). A. 1ed.Curitiba: Appris, 2013, v. , p. 251-281.

3.
BARROS, Eduardo Portanova . Do Cinema Novo à (pós-)Retomada: um imaginário do autor. In: Gutfreind, Cristiane Freitas; Escosteguy, Ana Carolina. (Org.). Leituras em comunicação, cultura e tecnologia. 43ed.Porto Alegre: EDIPUCRS, 2007, v. , p. 33-54.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
BARROS, Eduardo Portanova . Certo, Errado ou Compreensível? A perversa (anti)globalizante política internacional. Sociologia (São Paulo. 2006), São Paulo, p. 62 - 62, 30 abr. 2012.

2.
BARROS, Eduardo Portanova . Para que serve mesmo a ciência?. Filosofia (São Paulo), São Paulo, p. 14 - 17, 10 ago. 2011.

3.
BARROS, Eduardo Portanova . A literatura como simulacro da vida. Jornal da USP, São Paulo (SP), p. 1 - 4, 29 out. 2010.

4.
BARROS, Eduardo Portanova . A ciência como ferramenta pedagógica. Jornal da USP, São Paulo, p. 1 - 2, 26 maio 2010.

5.
BARROS, Eduardo Portanova . As utopias pós-modernas. Jornal da USP, São Paulo, p. 08 - 09, 07 nov. 2005.

6.
BARROS, Eduardo Portanova . Livros inspiram jornada em Passo Fundo. Jornal da USP, São Paulo, 19 set. 2005.

7.
BARROS, Eduardo Portanova . Uma bienal para todos os gostos. Jornal da USP, São Paulo, 03 set. 2005.

8.
BARROS, Eduardo Portanova . Filmes na primeira pessoa. Jornal da USP, 04 jun. 2005.

9.
BARROS, Eduardo Portanova . A (re)volta do autor. J.U.OnLine, 19 maio 2005.

10.
BARROS, Eduardo Portanova . Festivais alternativos valorizam novos cineastas. J.U.OnLine, 02 jun. 2003.

11.
BARROS, Eduardo Portanova . Muito barulho por nada. Redemoinho, Porto Alegre, 30 out. 2002.

12.
BARROS, Eduardo Portanova . Estratégias de sobrevivência. Redemoinho, Porto Alegre, 27 set. 2002.

13.
BARROS, Eduardo Portanova . Cinema na primeira pessoa. Redemoinho, Porto Alegre, 30 ago. 2002.

14.
BARROS, Eduardo Portanova . Clichê da cultura indiana. Redemoinho, Porto Alegre, 26 jul. 2002.

15.
BARROS, Eduardo Portanova . Educar-se para o silêncio. Redemoinho, Porto Alegre, 12 jul. 2002.

16.
BARROS, Eduardo Portanova . Filme bom porque experimental. Redemoinho, Porto Alegre, 28 jun. 2002.

17.
BARROS, Eduardo Portanova . Mais um filme de gênero. Redemoinho, 17 jun. 2002.

18.
BARROS, Eduardo Portanova . "Gladiador" é filme para entrar na história. Agência Folha, São Paulo, 22 maio 2002.

19.
BARROS, Eduardo Portanova . Benigni ratifica excelência de interpretação. Agência Folha, São Paulo, 19 maio 2002.

20.
BARROS, Eduardo Portanova . No mundo das imagens. Jornal da USP, São Paulo, p. 12 - 13, 28 out. 2001.

21.
BARROS, Eduardo Portanova . O esquecido Jean Renoir de volta. Jornal da USP, São Paulo, p. 13 - 13, 30 set. 2001.

22.
BARROS, Eduardo Portanova . Letras com a força de imagens. Jornal da USP, São Paulo, p. 12 - 12, 03 set. 2001.

23.
BARROS, Eduardo Portanova . A graça do preto-e-branco. Jornal da USP, São Paulo, p. 14 - 14, 05 ago. 2001.

24.
BARROS, Eduardo Portanova . Das cavernas à digitalização. Jornal da USP, São Paulo, p. 12 - 12, 22 jul. 2001.

25.
BARROS, Eduardo Portanova . Cinema: reflexo do espírito humano. Jornal da USP, São Paulo, p. 14 - 14, 08 abr. 2001.

26.
BARROS, Eduardo Portanova . Série da TV USP rompe fronteiras. Jornal da USP, São Paulo, p. 4 - 5, 22 jan. 2001.

27.
BARROS, Eduardo Portanova . Truffaut e a marca do autor. Jornal da USP, São Paulo, p. 8 - 8, 14 jan. 2001.

28.
BARROS, Eduardo Portanova . Por um jornalismo desalienado. Jornal da USP, São Paulo, p. 14 - 14, 23 out. 2000.

29.
BARROS, Eduardo Portanova . "Magnólia" é um caleidoscópio moderno. Agência Folha, São Paulo, 16 maio 2000.

30.
BARROS, Eduardo Portanova . "Imprensa está vivendo a crise da parcialidade". Versão dos Jornalistas, Porto Alegre, p. 8 - 9, 01 set. 1998.

31.
BARROS, Eduardo Portanova . Stallone redime-se dos fracassos em Risco Total. Jornal de Santa Catarina, Blumenau, p. 17 - 17, 07 ago. 1993.

32.
BARROS, Eduardo Portanova . Aladdin se parece com todos nós. Jornal de Santa Catarina, p. 21 - 21, 27 jun. 1993.

33.
BARROS, Eduardo Portanova . Peixoto, o cineasta de um filme só. Jornal de Santa Catarina, Blumenau, p. 17 - 17, 15 maio 1993.

34.
BARROS, Eduardo Portanova . A noite é de Stephen Frears. Diário Catarinense, Florianópolis, p. 9 - 9, 09 fev. 1992.

35.
BARROS, Eduardo Portanova . Sabino em folhetim promocional. Diário Catarinense, Florianópolis, p. 4 - 4, 02 fev. 1992.

36.
BARROS, Eduardo Portanova . Schwanke e a busca de um ideal estético. Diário Catarinense, Florianópolis, p. 2 - 2, 19 nov. 1991.

37.
BARROS, Eduardo Portanova . Malandro das palavras (Estorvo, de Chico Buarque). Diário Catarinense, Florianópolis, p. 4 - 4, 17 nov. 1991.

38.
BARROS, Eduardo Portanova . Cem anos sem um gênio (Rimbaud). Diário Catarinense, Florianópolis, p. Capa - Capa, 08 nov. 1991.

39.
BARROS, Eduardo Portanova . Quando o assunto é cinema. Diário Catarinense, Florianópolis, p. Capa - Capa, 04 nov. 1991.

40.
BARROS, Eduardo Portanova . Panorama do cinema mundial. Diário Catarinense, Florianópolis, p. Capa - Capa, 28 out. 1991.

41.
BARROS, Eduardo Portanova . A hora e a vez dos curtas. Diário Catarinense, Florianópolis, p. 2 - 2, 23 out. 1991.

42.
BARROS, Eduardo Portanova . Sacudindo a poeira do cinema catarinense. Diário Catarinense, Florianópolis, p. 2 - 2, 03 out. 1991.

43.
BARROS, Eduardo Portanova . Conheça a inesquecível Paris. Diário Catarinense, Florianópolis, p. 42 - 42, 22 set. 1991.

44.
BARROS, Eduardo Portanova . Último Tornatore no CIC. Diário Catarinense, Florianópolis, p. Capa - Capa, 14 set. 1991.

45.
BARROS, Eduardo Portanova . Ciclo alemão na UFSC. Diário Catarinense, Florianópolis, p. Capa - Capa, 02 set. 1991.

46.
BARROS, Eduardo Portanova . Poesias de Cechelero. Diário Catarinense, Florianópolis, p. 4 - 4, 14 ago. 1991.

47.
BARROS, Eduardo Portanova . Filmes catarinenses agitam Gramado. Diário Catarinense, Florianópolis, p. 2 - 2, 08 ago. 1991.

48.
BARROS, Eduardo Portanova . Delírios eróticos de Kaufman. Diário Catarinense, Florianópolis, p. 6 - 6, 06 ago. 1991.

49.
BARROS, Eduardo Portanova . Marcel Proust. Diário Catarinense, Florianópolis, p. 1 - 1, 10 jul. 1991.

50.
BARROS, Eduardo Portanova . Magia sem cortes. Diário Catarinense, Florianópolis, p. Capa - Capa, 31 maio 1991.

51.
BARROS, Eduardo Portanova . Taxi Blues, do russo Pavel Lounguine. Diário Catarinense, Florianópolis, p. Capa - Capa, 25 maio 1991.

52.
BARROS, Eduardo Portanova . Alternativo não é marginal. Diário Catarinense, Florianópolis, p. 2 - 2, 16 maio 1991.

53.
BARROS, Eduardo Portanova . O realismo alemão na mostra da UFSC. Diário Catarinense, Florianópolis, p. 6 - 6, 06 maio 1991.

54.
BARROS, Eduardo Portanova . Cinema às pampas. Continente Multicultural, Recife.

55.
BARROS, Eduardo Portanova . Assassinato histórico. Rascunho, Curitiba, p. 7 - 7.

56.
BARROS, Eduardo Portanova . Penso, logo hesito. Rascunho, Curitiba, p. 6 - 6.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
BARROS, Eduardo Portanova ; LOPES, José Rogério ; TOTARO, P. . Políticas culturais, comunidades e patrimônios no Brasil: algumas questões epistêmicas. In: V Seminário Internacional de Políticas Culturais, 2014, Rio de Janeiro. Seminário Internacional Políticas Culturais. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2014. v. 1. p. 1-15.

2.
BARROS, Eduardo Portanova . O artesanato em Cachoeira do Brumado sob o enfoque de Políticas Culturais e o. In: XXXVI Intercom - Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2013, Manaus. Anais do XXXVI Intercom. São Paulo, 2013. v. 1. p. 1-15.

3.
BARROS, Eduardo Portanova . Políticas Culturais e cotidiano nos artesanatos olindense e lagunense. In: Intercom 2012, 2012, Fortaleza. Anais do ... Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2012. p. 1.

4.
BARROS, Eduardo Portanova . A perspectiva trágico-dionisíaca (autoral) no cinema de Ruy Guerra. In: XII Corredor das Ideias, 2012, São Leopoldo. Nosso rosto latino-americano. As ideias. As experiências. As culturas. São Leopoldo: Oikos, 2011. p. 1455-1466.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
BARROS, Eduardo Portanova . O cotidiano nômade em Estorvo, de Ruy Guerra: Um ensaio de Sociologia Compreensiva. In: XVI Ciclo de Estudos Sobre o Imaginário, 2011, Recife. Imaginário e Dinâmicas do Segredo. Recife: Tecnografic, 2011. v. 1. p. 67-68.

2.
BARROS, Eduardo Portanova . A expressão poética pós-moderna: o ser e a subjetividade em Ruy Guerra. In: XI Seminário Internacional da Comunicação: 100 Anos Marshall McLuhan, 2011, Porto Alegre. Mídias locativas e transmídia: De que meios e mensagens estamos falando?. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2011. p. 162-162.

3.
BARROS, Eduardo Portanova . Nouvelle Vague, da revolta à revolução. In: Simpósio Internacional O Ano 1968: Permanências e Mudanças, 2008, São Leopoldo. O Ano 1968: Permanências e Mudanças. São Leopoldo: Oikos, 2008. v. 1. p. 116-117.

4.
BARROS, Eduardo Portanova . O nomadismo poético em Estorvo, de Ruy Guerra. In: IX Seminário Internacional da Comunicação: Simulacros e dis(simulações) na sociedade hiperespetacular, 2007, Porto Alegre. Simulacros e (dis)simulações na sociedade hiper-espetacular. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2007. p. 5-5.

Artigos aceitos para publicação
1.
BARROS, Eduardo Portanova . O imaginário na pós-modernidade e a fruição do presente. Forum Sociológico, 2014.

Apresentações de Trabalho
1.
BARROS, Eduardo Portanova . Políticas Culturais, comunidades e patrimônios no Brasil: algumas questões epistêmicas. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
BARROS, Eduardo Portanova . Laboratoire de politiques culturelles au Brésil: la cartographie de l´imaginaire des réseaux sociotechniques. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
BARROS, Eduardo Portanova . Imagem e imaginário: as contribuições de Michel Maffesoli. Um anarquista romântico. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
BARROS, Eduardo Portanova . O artesanato em Cachoeira do Brumado sob o enfoque de políticas culturais e o 'trajeto antropológico' em Durand. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
BARROS, Eduardo Portanova . Imagem e imaginário: as contribuições de Michel Maffesoli. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
BARROS, Eduardo Portanova . A disjunção entre a cultura instituída e o artesanato no Brasil: um imaginário do desmanche. 2013. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
BARROS, Eduardo Portanova . Políticas Culturais e cotidiano nos artesanatos olindense e lagunense. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
BARROS, Eduardo Portanova . A perspectiva trágico-dionisíaca no cinema de Ruy Guerra. 2011. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

9.
BARROS, Eduardo Portanova . Políticas Culturais na pós-modernidade: do culto à razão à paixão do culto. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

10.
BARROS, Eduardo Portanova . O cotidiano nômade em Estorvo, de Ruy Guerra: Um ensaio de Sociologia Compreensiva. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

11.
BARROS, Eduardo Portanova . A expressão poética pós-moderna: o ser e a subjetividade em Ruy Guerra. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

12.
BARROS, Eduardo Portanova . Políticas culturais do audiovisual brasileiro na era da globalização. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

13.
BARROS, Eduardo Portanova . Ruy Guerra e o imaginário autoral na pós-modernidade: raízes do etéreo. 2008. (Apresentação de Trabalho/Outra).

14.
BARROS, Eduardo Portanova . Nouvelle Vague: da revolta à revolução. 2008. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

15.
BARROS, Eduardo Portanova . O nomadismo poético em Estorvo, de Ruy Guerra. 2007. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

16.
BARROS, Eduardo Portanova . Imaginário e cinema: entre a vida e a arte. 2007. (Apresentação de Trabalho/Outra).

17.
BARROS, Eduardo Portanova . Imaginário e cinema: entre a vida e a arte. 2006. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Outras produções bibliográficas
1.
BARROS, Eduardo Portanova . Apologia da 'futilidade': o cotidiano da pós-mulher. Curitiba, 2014. (Prefácio, Pósfacio/Posfácio)>.

2.
BARROS, Eduardo Portanova . Da pré-medievalidade à pós-modernidade. Curitiba: Appris, 2013. (Tradução/Artigo).

3.
BARROS, Eduardo Portanova ; Barros, Ana Taís Martins Portanova . As formas de expressão do imaginário e as estruturas paradoxais da linguagem simbólica. Cascavel, 2013. (Tradução/Artigo).

4.
BARROS, Eduardo Portanova . Iconologias e idolatrias pós-modernas. São Leopoldo: Revista Ciências Sociais Unisinos, 2012. (Tradução/Artigo).

5.
BARROS, Eduardo Portanova . Um novo Brasil está para emergir? A eleição de Lula à presidência e o Brasil contemporâneo. Porto Alegre: PUCRS, 2009. (Tradução/Artigo).

6.
BARROS, Eduardo Portanova . O protocolo e a precedência nas representações ritualizadas do presidente da República francesa. Porto Alegre: PUCRS, 2009. (Tradução/Artigo).

7.
BARROS, Eduardo Portanova . A mídia, a democracia e o tempo. Porto Alegre: Revista Famecos - Edipucrs, 2008. (Tradução/Artigo).

8.
BARROS, Eduardo Portanova . Georges Bataille e a comunicação soberana. Porto Alegre: Revista Famecos - Edipucrs, 2008. (Tradução/Artigo).

9.
BARROS, Eduardo Portanova . Comunicação em demasia mata a informação. Porto Alegre: Revista Famecos - Edipucrs, 2008. (Tradução/Artigo).

10.
BARROS, Eduardo Portanova . A terra fértil do cotidiano. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008. (Tradução/Artigo).

11.
BARROS, Eduardo Portanova . O novo cinema de Greenaway. Porto Alegre: Sessões do Imaginário, EDIPUCRS, 2007 (Entrevista).

12.
BARROS, Eduardo Portanova . Um gênero comunicacional: os boatos e as lendas urbanas. Porto Alegre: Revista Famecos, EDIPUCRS, 2007. (Tradução/Artigo).

13.
BARROS, Eduardo Portanova . Sociologia do Imaginário. Porto Alegre: Sulina, 2007. (Tradução/Livro).

14.
BARROS, Eduardo Portanova . Perfil de uma lenda moderna. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2007. (Tradução/Artigo).

15.
BARROS, Eduardo Portanova . As apropriações populares e juvenis das novas tecnologias no âmbito da epistemologia pós-moderna, 2007. (Tradução/Outra).

16.
BARROS, Eduardo Portanova . A história do cinema e seus métodos, 2007. (Tradução/Outra).

17.
BARROS, Eduardo Portanova . A inteligência possível do século XXI. Porto Alegre: Edipucrs, 2007. (Tradução/Artigo).

18.
BARROS, Eduardo Portanova . O Brasil mítico dos franceses. Porto Alegre: Revista Famecos, EDIPUCRS, 2006. (Tradução/Artigo).

19.
BARROS, Eduardo Portanova . Mundialização, cultura e diversidade. Porto Alegre: Revista Famecos, EDIPUCRS, 2006. (Tradução/Artigo).

20.
BARROS, Eduardo Portanova . Internet, a nova ferramenta de RP. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006. (Tradução/Artigo).

21.
BARROS, Eduardo Portanova . O imaginário social, valores e representações coletivas na civilização pós-industrial. EDIPUCRS, 2006. (Tradução/Artigo).

22.
BARROS, Eduardo Portanova . As biotecnologias e a construção social de um corpo perfeito. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2006. (Tradução/Artigo).

23.
BARROS, Eduardo Portanova . Unisinos em Revista - O vôo da transformação. São Leopoldo: Editora da Unisinos, 2003 (Edição executiva).

24.
BARROS, Eduardo Portanova . Livro Aberto - Atualidades Paris. São Paulo, SP: Grupo Editorial Cone Sul, 1999 (Free-lancer).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
BARROS, Eduardo Portanova . Parecer ad hoc emitido para Revista Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas. 2014.

2.
BARROS, Eduardo Portanova . XVII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste UFOP Jornalismo (1). 2012.

3.
BARROS, Eduardo Portanova . XVII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Sudeste UFOP Jornalismo (2). 2012.

4.
BARROS, Eduardo Portanova . XXXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação Unicap Estudos Interdisciplinares. 2011.

5.
BARROS, Eduardo Portanova . XXXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação Unicap Audiovisual. 2011.


Demais tipos de produção técnica
1.
BARROS, Eduardo Portanova . Artesanato da Ilha da Pintada Art´Escama (RS). 2013. (Relatório de pesquisa).

2.
BARROS, Eduardo Portanova . Cooperativa de Pesca e Artesanato de Antonina (PR). 2013. (Relatório de pesquisa).

3.
BARROS, Eduardo Portanova . Taba Lascada Boa Vista (RR). 2013. (Relatório de pesquisa).

4.
BARROS, Eduardo Portanova . Associação dos Artesãos de Olinda (PE). 2012. (Relatório de pesquisa).

5.
BARROS, Eduardo Portanova . Artesãos de Cachoeira do Brumado (Mariana-MG). 2012. (Relatório de pesquisa).

6.
BARROS, Eduardo Portanova . Caminhada da Natureza Ivaiporã (PR). 2012. (Relatório de pesquisa).

7.
BARROS, Eduardo Portanova . Associações dos Artesãos de Laguna (SC). 2011. (Relatório de pesquisa).

8.
BARROS, Eduardo Portanova . Caminhada de Nossa Senhora das Graças (Canela - RS). 2011. (Relatório de pesquisa).

9.
BARROS, Eduardo Portanova . Revista Famecos: mídia, cultura e tecnologia. 2006. (Revisão de periódico científico).

10.
BARROS, Eduardo Portanova . Uma poética dos autores no cinema - Nova Onda Francesa. 2005. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

11.
BARROS, Eduardo Portanova . A música de Godard - Sons de uma Utopia. 2005. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Teses de doutorado
1.
GADEA, C. A.; BARROS, Eduardo Portanova; FOLMANN, José Ivo; VERONESE, M.; SCHROEDER, T.. Participação em banca de Fábio Lopes Alves. Corpo feminino na noite: o laboratório sociocultural da pós-mulher. 2013. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Qualificações de Doutorado
1.
BARROS, Eduardo Portanova; GADEA, C. A.; FOLMANN, José Ivo. Participação em banca de Fábio Lopes Alves. "Na night, o corpo é seu tudo": a construção do corpo feminino entre sedução e performances de gênero. 2012. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências Sociais) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Qualificações de Mestrado
1.
FONSECA, M. J.; BARROS, Eduardo Portanova; TREZ, G.; GARCIA, S. R.. Participação em banca de Ana Paula Pydd Teixeira. "Um café e um amor. Quentes, por favor". O consumo cotidiano de café sob inspiração da Practice Theory. 2013. Exame de qualificação (Mestrando em Administração) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

2.
BARROS, Eduardo Portanova; VIZER, E. A.; VIEIRA, Miriam Steffen. Participação em banca de Thayane Cazallas do Nascimento. A "rede" alternativa Centro de Mídia Independente: da razão mecânica ao nós comunitário. 2012. Exame de qualificação (Mestrando em Ciências Sociais) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
BARROS, Eduardo Portanova; PENKALLA, A. P.; SILVA, J.P.. Montagem e Finalização para Audiovisual. 2014. Universidade Federal de Pelotas.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
V Seminário Internacional de Políticas Culturais.Políticas Culturais, comunidades e patrimônio no Brasil: algumas questões epistêmicas. 2014. (Seminário).

2.
Teorias e Metodologias do Imaginário. 2013. (Seminário).

3.
Encontros com o Imaginário. 2013. (Encontro).

4.
XXXV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. 2012. (Congresso).

5.
IHU Ideias - Cultura popular tradicional: novas mediações e legitimações culturais de mestres populares paulistas. 2011. (Seminário).

6.
X Seminário Internacional de Comunicação. 2009. (Seminário).

7.
I Colóquio Comunicação e Imaginário. 2009. (Outra).

8.
IV Congresso Internacional da Comunicação, Cultura e Mídia. 2008. (Congresso).

9.
I Simpósio Internacional ReVer Flusser. 2008. (Simpósio).

10.
IX Seminário Internacional da Comunicação Simulacros e (dis) simulações na sociedade hiper-espetacular. 2007. (Seminário).

11.
VI Seminário Internacional de Comunicação: Cultura, Poder e Tolerância em um Mundo Complexo. 2002. (Seminário).

12.
5º Congresso de Leitura do Brasil. 1985. (Congresso).

13.
Programas Radiofônicos e de Televisão para a Juventude. 1985. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
BARROS, Eduardo Portanova . III Simpósio Nacional de Educação; Violência e Educação. 2012. (Outro).

2.
BARROS, Eduardo Portanova . Fórum sobre o Cinema Catarinense. 1991. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Thayane Cazallas do Nascimento. A sociedade da comunicação: os novos movimentos sociais através do Centro de Mídia Independente-Brasil. 2011. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Universidade do Vale do Rio dos Sinos, . Co-Orientador: Eduardo Portanova Barros.



Educação e Popularização de C & T



Artigos
Artigos completos publicados em periódicos
1.
BARROS, Eduardo Portanova2013BARROS, Eduardo Portanova ; ALVES, F. L. ; SCHROEDER, T. . Discursos e representações sobre corpo feminino e beleza no contexto da pós-modernidade. Opsis (UFG), v. 13, p. 233-247, 2013.

2.
BARROS, Eduardo Portanova2013BARROS, Eduardo Portanova . Uma sociologia do cinema: a questão do autoral Ruy Guerra na pós-modernidade. Cadernos de Pesquisa Interdisciplinar em Ciências Humanas (Online), v. 14, p. 200-237, 2013.

3.
BARROS, Eduardo Portanova2013BARROS, Eduardo Portanova ; CAZALLAS, T. N. . A era pós-televisiva e a mediação de sentidos: uma perspectiva interdisciplinar. Semina. Ciências Sociais e Humanas (Online), v. 34, p. 229, 2013.


Livros e capítulos
1.
BARROS, Eduardo Portanova . Truffaut, o homem que amava o cinema. 1. ed. Canoas: Editora da Ulbra, 2013. 96p .

1.
BARROS, Eduardo Portanova . Do Cinema Novo à (pós-)Retomada: um imaginário do autor. In: Gutfreind, Cristiane Freitas; Escosteguy, Ana Carolina. (Org.). Leituras em comunicação, cultura e tecnologia. 43ed.Porto Alegre: EDIPUCRS, 2007, v. , p. 33-54.

2.
BARROS, Eduardo Portanova . Pós-autoria cinematográfica: do conceito à noção. In: Eduardo Portanova Barros;Carlos A. Gadea. (Org.). A. 1ed.Curitiba: Appris, 2013, v. , p. 251-281.

3.
BARROS, Eduardo Portanova . Imagem e imaginário: as contribuições de Michel Maffesoli, um anarquista romântico. In: Fábio Lopes Alves; Tânia Maria Rechia Schroeder; Ana Taís Martins Portanova Barros. (Org.). Diálogos com o imaginário. 1ed.Curitiba: CRV, 2014, v. 1, p. 47-56.


Apresentações de Trabalho
1.
BARROS, Eduardo Portanova . Políticas culturais do audiovisual brasileiro na era da globalização. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).



Outras informações relevantes


- Avaliador de trabalhos submetidos aos congressos da INTERCOM  no âmbito da Expocom e/ou Intercom Jr e DTs dos Congressos Regionais.

- "Aprovado com louvor" na defesa de tese, conforme Ata nº004/2008, de 1º de julho de 2009, sob a orientação do Prof.Dr.Carlos Gerbase.

- Candidato habilitado em processo seletivo do Edital AI 07/2008, publicado no D.O.U. de 09/06/2008, para contratação de professor substituto em Jornalismo (20h) junto à Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (FABICO).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 02/09/2014 às 13:40:40