Antonio Ostrensky Neto

Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 1C

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6983758247542086
  • Última atualização do currículo em 13/11/2018


Graduou-se em Oceanologia pela Fundação Universidade Federal do Rio Grande (1988), tem mestrado (1991) e doutorado (1997) em Zoologia pela Universidade Federal do Paraná. Atuou como consultor do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento junto ao Programa Nacional para o Desenvolvimento da Aqüicultura. Trabalhou como consultor para o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e atualmente desenvolve trabalhos de assessoria técnica para a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO). Desde 1997 é professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal do Paraná. Coordenou os estudos para demarcação dos parques aquícolas marinhos do estado do Paraná e os estudos para demarcação dos parques aquícolas dos reservatórios da calha do Rio Paranapanema. Tem experiência na área de Recursos Pesqueiros, com ênfase em aquicultura, atuando principalmente nos seguintes temas: políticas públicas e planejamento estratégico da aquicultura; avaliação de impactos ambientais e recuperação de ambientes aquáticos alterados; desenvolvimento de tecnologia para a produção de formas jovens de organismos aquáticos para fins de repovoamento; projetos de aquicultura de interesse social (vide: www.cultimar.org.br). É um dos fundadores e atual coordenador do Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais (GIA) e professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Zoologia e do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, ambos da Universidade Federal do Paraná. Mais informações no site: www.gia.org.br. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Antonio Ostrensky Neto
Nome em citações bibliográficas
OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aqüicultura e Estudos Ambientais.
R. dos Funcionários 1540
Juvevê
80035-040 - Curitiba, PR - Brasil
Telefone: (041) 33505634
Fax: (041) 33505634
URL da Homepage: www.gia.org.br e www.cultimar.org.br


Formação acadêmica/titulação


1992 - 1997
Doutorado em Zoologia.
Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.
Título: Estudos para viabilização tecnológica dos cultivos de camarões marinhos no litoral do Estado do Paraná, Brasil, Ano de obtenção: 1997.
Orientador: Dra Setuko Masunari.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Camaroes Marinhos; Compostos nitrogenados; Produção animal.
1989 - 1991
Mestrado em Zoologia.
Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.
Título: Toxicidade da amônia e do nitrito no processo produtivo de pós-larvas do camarão-rosa Penaeus paulensis Pérez-Farfante, 1967 (Crustacea, Decapoda, Penaeidae),Ano de Obtenção: 1991.
Orientador: Setuko Masunari.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Amonia; Carcinicultura; Nitrito; Toxicidade; bioensaios.
Grande área: Ciências Agrárias
Grande Área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca / Subárea: Aqüicultura / Especialidade: Carcinocultura.
Setores de atividade: Produção Animal, Inclusive Serviços Veterinários; Pesca, Aqüicultura e Maricultura.
1985 - 1988
Graduação em Oceanologia.
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.




Atuação Profissional



Instituto Gia, GIA, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: Outro (especifique): Associado, Enquadramento Funcional: Colaborador, Carga horária: 4


Grupo paranaense de Comunicação, GRPCOM, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2011
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidade Federal do Paraná, UFPR, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Chefe do Departamento de Zootecnia, Carga horária: 8

Vínculo institucional

1996 - Atual
Vínculo: Servidor público ou celetista, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

1992 - 1994
Vínculo: Pesquisador RHAE/CNPq, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Bolsista RHAE/CNPq. Projeto: Instalação de um laboratório na área de carcinicultura Marinha no Centro de Estudos do Mar (CEM), localizado em Pontal do Paraná, PR

Atividades

07/1997 - Atual
Ensino, Ciências Veterinárias, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Tópicos Avançados de Maricultura
Técnica de Produção de Peixes Tropicais
1/1997 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Grupo Integrado de Aqüicultura e Estudos Ambientais, .

Linhas de pesquisa
Aqüicultura e Meio Ambiente
12/1996 - Atual
Ensino, Zootecnia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Maricultura
Aqüicultura
12/1996 - Atual
Extensão universitária , Setor de Ciências Agrárias, Departamento de Zootecnia.

Atividade de extensão realizada
Projetos de desenvolvimento da Aquicultura (continental e marinha).
12/1996 - Atual
Treinamentos ministrados , Setor de Ciências Agrárias, Departamento de Zootecnia.

Treinamentos ministrados
Cursos de treinamento e qualificação em piscicultura
01/2004 - 07/2006
Outras atividades técnico-científicas , Grupo Integrado de Aqüicultura e Estudos Ambientais, Grupo Integrado de Aqüicultura e Estudos Ambientais.

Atividade realizada
Programa de monitoramento e controle do mexilhão dourado (Limnoperna fortunei).
01/1998 - 12/1998
Serviços técnicos especializados , Setor de Ciências Agrárias, Departamento de Zootecnia.

Serviço realizado
Consultoria técnica para o PNUD.
05/1992 - 07/1994
Outras atividades técnico-científicas .

Atividade realizada
Implantação de um laboratório destinado à pesquisa na área de carcinicultura marinha.

Programa das Nações Unidas para O Desenvolvimento, PNUD, Itália.
Vínculo institucional

1998 - 1998
Vínculo: Consultor, Enquadramento Funcional: Trabalho por demanda, Carga horária: 20
Outras informações
Em 1998, o Ministério da Agricultura e do Abastecimento firmou um convênio com o PNUD, para implementar o Programa Nacional para o Desenvolvimento da Aqüicultura. O trabalho de consultoria realizado foi relativo à implantação dos pólos de desenvolviemnto aqüícola (20 ao todo), espalhados por todo o país.

Atividades

01/1998 - 01/1999
Serviços técnicos especializados , PNUD, .

Serviço realizado
Assessoria ao Ministério da Agricultura e do Abastecimento.
01/1998 - 12/1998
Serviços técnicos especializados , PNUD, .

Serviço realizado
Estruturtação de 20 pólos aqüícolas espalhados pelo país.

Bioensaios - Análise e Consultoria Ambiental Ltda, BIOENSAIOS, Brasil.
Vínculo institucional

1991 - 1992
Vínculo: Funcionário de empresa privada, Enquadramento Funcional: Diretor Técnico, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

07/1991 - 04/1992
Serviços técnicos especializados .

Serviço realizado
Bioensaios para avaliação da ecotoxicidade de contaminentes ambientais.

Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
Vínculo institucional

1990 - 1990
Vínculo: Servidor público ou celetista, Enquadramento Funcional: Professor Substituto, Carga horária: 40

Atividades

07/1990 - 12/1990
Ensino, Oceanologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Limnologia

Food and Agricultural Organization of the United Nations, FAO, Itália.
Vínculo institucional

2008 - 2008
Vínculo: Consultor Técnico, Enquadramento Funcional: Consultor Técnico, Carga horária: 10
Outras informações
Consultor da FAO para elaboração de uma UTF com o Governo do Paraná para elaboração do PROGRAMA DE AQÜICULTURA FAMILIAR DO PARANÁ.

Atividades

02/2008 - 05/2008
Conselhos, Comissões e Consultoria, Food And Agricultural Organization - Agencia Brasil, .

Cargo ou função
Consultor Técnico.

PETROBRAS, PETROBRAS, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - Atual
Vínculo: Consultoria, Enquadramento Funcional: Coordenação


Sansuy SA Ind de Plásticos, SANSUY, Brasil.
Vínculo institucional

1999 - 2006
Vínculo: Consultor Técnico, Enquadramento Funcional: Consultor, Carga horária: 5
Outras informações
Consultor técnico para a área de produtos voltados à aqüicultura, com destaque para a produção de telas para tanques-rede.



Linhas de pesquisa


1.
Aqüicultura e Meio Ambiente

Objetivo: - Desenvolvimento e aperfeiçoamento de tecnologias mais adequadas e eficientes de produção de organismos aquáticos, tanto para recomposição/recuperação de ambientes alterados, quanto para fins de geração de emprego e renda junto a comunidades tradicionais; - Avaliação e mitigação de impactos ambientais associados aos ambientes aquáticos; - Genética ambiental - Toxicologia.
Grande área: Ciências Agrárias
Grande Área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de Ecossistemas.
Setores de atividade: Pesca, Aqüicultura e Maricultura; Produtos e Serviços Voltados Para A Defesa e Proteção do Meio Ambiente, Incluindo O Desenvolvimento Sustentado.
Palavras-chave: Ucides cordatus; Aquicultura; Zoneamento aquícola; ecologia aquática; Biologia Molecular; Ictiologia.


Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Comparação entre o perfil microbiológico de ostras cultivadas e comercializadas no estado do Paraná e na região Nordeste do Brasil: situação atual e riscos potenciais para a segurança alimentar dos consumidores
Descrição: A denominação de ?alimento seguro? depende não só de como o organismo aquático é cultivado, mas sim, de como toda a cadeia de produção e de distribuição é operada. No caso das ostras, isso inclui também as etapas de depuração, de transporte, de processamento, de armazenamento e de distribuição do produto. Por isso, a adoção de medidas que visam à manutenção da qualidade do alimento até que esse chegue à mesa do consumidor final são indispensáveis. O objetivo deste trabalho será identificar e avaliar a microbiota associada a ostras produzidas e comercializadas em diferentes regiões do Brasil. Os estudos serão realizados no estado do Paraná (região Sul) e nos estados de Sergipe, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte (região Nordeste). No estado do Paraná, as ostras (in natura e industrializadas) cultivadas e comercializadas em todas as regiões do estado, serão obtidas em mercados municipais e de peixarias. Já as ostras nordestinas serão provenientes de sete cultivos, monitorados ao longo de um ano. Quatro campanhas amostrais deverão ser realizadas nessas fazendas. As amostras serão armazenadas e mantidas em caixas isotérmicas, sob refrigeração (5 a 10°C) até o momento das análises. O intervalo de tempo entre a compra e/ou coleta das ostras e o início do seu processamento não deverá exceder 48 horas. Ao chegar ao laboratório, as ostras passarão pelo processo de abertura e retirada da carne e líquido intervalvar. Em seguida, serão colocadas em sacos plásticos estéreis e maceradas para obtenção de uma amostra homogênea, da qual será retirada uma alíquota e inserida em frascos eppendorf. Após esse procedimento, será realizada a extração e quantificação do DNA total, seguida da amplificação do gene RNAr 16S a partir de uma PCR. O sequenciamento das amostras será realizado na plataforma Illumina MiSeq de nova geração, gerando informações sobre agrupamentos e estabelecimentos de unidades taxonômicas operacionais, assim como, realizará uma comparação com bancos de dados genômicos para estabelecimento de linhagens bacterianas presentes nas ostras amostradas. Os resultados permitirão um panorama bastante amplo sobre os padrões de qualidade.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Aline Horodesky - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.Número de orientações: 1
2014 - Atual
Marcadores moleculares e ecotoxicológicos aplicados a incidentes em ambientes aquáticos continentais
Descrição: A poluição, resultante da liberação de óleo para o ambiente aquático, devido acidentes recentes, tornou-se uma preocupação mundial por consequência de seus efeitos sobre os ecossistemas aquáticos. Em julho de 2000 aproximadamente quatro milhões de litros, ou cerca 25 mil barris de óleo cru, vazaram do oleoduto OSPAR, proveniente da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (REPAR) localizada no município de Araucária, Paraná. Mesmo com o uso de contenção, para evitar a dispersão, o óleo alcançou 45 km, a jusante do arroio Saldanha, contaminando o Rio Barigui e o Rio Iguaçu. Alguns meses após o acidente no oleoduto OSPAR, em fevereiro de 2001, ocorreu o rompimento do poliduto OLAPA, liberando derivados leves de petróleo na Serra do Mar Paranaense. Diversos trabalhos têm sido desenvolvidos com o objetivo de avaliar a capacidade adaptativa de populações de peixes que habitam ambientes contaminados por petróleo na bacia do altíssimo Iguaçu e na Serra do Mar. Nesse sentido, pesquisas que associem o uso de biomarcadores, e que ainda forneçam dados consistentes para o diagnóstico de riscos ambientais, frente a novas exposições do ambiente ao petróleo, não foram praticadas. Dessa forma, o presente estudo tem como objetivo principal estabelecer subsídios aos estudos de biomonitoramento ambiental, que permitirão identificar de forma mais precisa a interferência aguda e crônica de incidentes com petróleo, em especial em ambientes aquáticos continentais..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Márcio Roberto Pie - Integrante / Giorgi Dal Pont - Integrante / Marco Tadeu Grassi - Integrante / Tamires Marcela Burda - Integrante / Alina Stadnik Komarcheuski - Integrante / Marcelo Pereira de Souza Júnior - Integrante / Patrícia Ramos de Vargas - Integrante / Verena Elizabeth Baccaglini Alarcón De Nakano - Integrante / Diego Junqueira Stevanato - Integrante.Financiador(es): Petróleo Brasileiro - Rio de Janeiro - Matriz - Auxílio financeiro.Número de orientações: 1
2014 - Atual
Centro de Análise e Informação Estratégica da Aquicultura - INFOAQ
Descrição: Objetivo Geral Criar um portal virtual - Centro de Análise e Informação Estratégica da Aquicultura (INFOAQ) -, utilizando a tecnologia da gestão da informação como ferramenta, buscando promover a comunicação em rede entre os diferentes elos envolvidos na cadeia produtiva da aquicultura e principalmente, fornecendo informações qualificadas em linguagem simples e direta aos aquicultores familiares do estado do Paraná e do país. Objetivos específicos:  Construir e implantar um portal virtual ? Centro de Análise e Informação Estratégica da Aquicultura, para livre acesso aos interessados na produção de organismos aquáticos.  Pesquisar, estruturar e elaborar conteúdos para o abastecimento constante do INFOAQ.  Possibilitar aos usuários a colaboração direta e produção de conteúdos para o INFOAQ.  Divulgar notícias e informações técnicas, legais e ambientais que contribuam para o fortalecimento da cadeia produtiva da aquicultura familiar com foco no estado do Paraná.  Facilitar o acesso à informação a partir da concentração de materiais referentes à produção de organismos aquáticos, contribuindo para os processos de gestão do empreendimento aquícola e de comercialização da produção.  Servir como um banco de dados que facilite a busca e a troca de informações referente à aquicultura.  Divulgar oportunidades de estágios para acadêmicos, de emprego ofertados pelos setores comerciais e de serviços e de oportunidades junto ao setor produtivo.  Criar meios para promover a comunicação direta entre professores, alunos, empresas, ONG?s, órgãos governamentais, associações, cooperativas, produtores independentes, fornecedores e clientes da área.  Estimular o exercício da cidadania para a execução de ações individuais e coletivas que contribuam com a atividade aquícola e com o desenvolvimento rural no estado do Paraná..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Marcus Vinícius Fier Girotto - Integrante / Francismara Pinto - Integrante / Debora Pestana - Integrante.Financiador(es): Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2013 - Atual
Desenvolvimento de novas tecnologias para produção de ostras e camarões no litoral paranaense

Projeto certificado pela empresa FAZENDA BORGES LTDA - ME em 15/01/2014.
Descrição: A maricultura paranaense é sustentada basicamente pelo cultivo de ostras (ostreicultura) e camarões (carcinicultura). Sendo que a atividade de carcinicultura atualmente sofre uma pressão dos órgãos ambientais, que caracterizam a atividade como altamente poluidora, principalmente devido aos efluentes provenientes dos viveiros, e a utilização de fósforo na ração, causando a eutrofização das áreas adjacentes, porém poucos são os estudos que comprovam tais impactos, e essa caracterização tem dificultado a relação dos empreendedores com os órgãos licenciadores e tem afastado novos investidores. A ostreicultura por sua vez, apesar de não utilizar ração, também apresenta problemas ambientais, já que a atividade é dependente da extração desordenada dos bancos naturais como fonte de formas jovens para o abastecimento dos cultivos. Assim, acredita-se que a obtenção de ostras de forma exploratória e sem o correto gerenciamento seja determinante para o declínio dos estoques naturais. Diante desse cenário é fundamental criar novos sistemas de produção, e a Produção Integrada apresenta-se como uma alternativa viável, essa ferramenta pode ser descrita como um sistema de exploração agrária que produz alimentos de alta qualidade mediante o uso de recursos naturais e de mecanismos reguladores para minimizar o uso de insumos e contaminantes pela integração de práticas de manejo. Baseado nesses princípios a presente proposta irá trabalhar com o cultivo consorciado de camarões com ostras, que apresenta grandes vantagens, uma vez que a ostra tem grande capacidade de absorver nutrientes da água, diminuindo os sólidos em suspensão da água. Apresentando assim um melhor aproveitamento dos nutrientes da água e diminuindo a carga de efluentes. Para que essas ações sejam realizadas com sucesso é fundamental estabelecer e testar as técnicas de cultivo mais adequadas e desenvolver protocolos de produção que atendam a esse sistema, o que vai de encontro com o objetivo do projeto. Para isso, ao longo do projeto pretende-se desenvolver e testar inúmeros protocolos divididos por etapa de produção, onde serão testadas e avaliadas as taxas de captação de sementes por coletores artificiais, sistemas de cultivo de ostras consorciados com camarões, protocolos alimentares e protocolos de povoamento. Também serão monitorados os efluentes da produção, a qualidade sanitária da ostra e os índices zootécnicos dos camarões e ostras, no intuito de avaliar os resultados dos protocolos. Após sua validação, os resultados serão disseminados para produtores, técnicos e pesquisadores a partir da elaboração de manuais, e de ferramentas digitais como o Portal da aquicultura, além de encontros presenciais. Por fim, os resultados do Projeto deverão trazer novas oportunidades para a maricultura, sugerindo um novo sistema de produção, mais sustentável baseado na Produção Integrada. Em 2012 o Grupo Integrado de Aquicultura (GIA), através do Projeto Cultimar de incentivo à maricultura, venceu o Prêmio Finep de Inovação da Região Sul na categoria de Tecnologias Sociais. Agora, com o presente projeto, o desenvolvimento de técnicas e tecnologias produtivas tende a fazer com que os maricultores paranaenses possam progredir ainda mais, gerando alimentos e renda de forma mais sustentável eficiente..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Marcus Girotto - Integrante / Francismara Pinto - Integrante / Aline Horodesky - Integrante / Debora Pestana - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2013 - Atual
Biologia e desenvolvimento de tecnologia para o cultivo de siris de interesse comercial no litoral paranaense
Descrição: Uma das alternativas a se considerar, quando se pensa na sustentabilidade da exploração de espécies marinhas, é a substituição gradual do extrativismo pelo cultivo comercial dessas espécies. Nesse contexto, um crustáceo que desponta com grande potencial para a maricultura é o siri. Os crustáceos decápodes da família Portunidae, infraordem Brachyura (popularmente conhecidos como siris) habitam regiões costeiras e são considerados importantes recursos pesqueiros em diversos países. A pesca extrativista é ainda o principal meio de obtenção dessas espécies. Porém, enquanto em outros países, notadamente da Asia, as técnicas de cultivo de espécies nativas estão relativamente bem dominadas, no Brasil praticamente inexistem experiências consolidadas neste sentido. O objetivo geral deste projeto é estudar a biologia reprodutiva e alimentar de espécies de siris de interesse comercial do litoral paranaense e desenvolver tecnologias que permitam a manutenção e a engorda desses animais em condições de cultivo em larga escala. Para se chegar a isso, os objetivos específicos envolvem: 1) Identificar as espécies de siris do litoral paranaense com maior potencial biológico e de interesse econômico; 2) Avaliar a rusticidade (sobrevivência, agressividade, alimentação) dessas espécies em cativeiro; 3) Estudar o ciclo reprodutivo da(s) espécie(s) do litoral paranaense que demonstrar(em) maior potencial para o cultivo; 4) Estudar a alimentação dessas espécies em ambiente natural; 5) Identificar e descrever sinais indicativos da pré-muda nas espécies estudadas; 6) Comparar as taxas de crescimento e as frequências de muda em cativeiro de diferentes espécies de siris comercialmente exploradas, em condições individuais e coletivas. Caso todas essas etapas saiam como previsto, esses resultados serão compilados na forma de um conjunto de tecnologias que terão sido testadas e validadas para cultivo de uma ou mais espécie de siris em larga escala. O projeto abre caminho para o desenvolvimento, por exemplo, da tecnologia de produção de siris-moles (siris em período de muda), que apresentam elevado valor de mercado, tanto no Brasil quanto em outros países. Abre também caminho para se promover a maturação e a reprodução desses animais em cativeiro, que são pré-requisitos indispensáveis para se fechar o ciclo de uma espécie em condições controladas. Os trabalhos de campo serão realizados nas duas principais baías do litoral paranaense (baía de Guaratuba e de Paranaguá) e em dois laboratórios pertencentes ao GIA (Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais). Eles envolvem diretamente uma tese de doutorado (vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Zoologia) e envolverão diretamente acadêmicos dos cursos de Zootecnia e de formação de Tecnólogos em Aquicultura da Universidade Federal do Paraná. A importância deste estudo não se limitará aos aspectos meramente científicos ou acadêmicos da proposta, mas também aos desdobramentos tecnológicos, ambientais, econômicos que o sucesso deste projeto poderá gerar..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado profissional: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Ubiratã A. Silva - Integrante / Aline Horodesky - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2012 - 2016
Avaliação, desenvolvimento e aplicação de metodologias para a determinação da capacidade de suporte de cultivos de peixes em reservatórios. Estudo de caso: o reservatório de Chavantes (divisa Paraná/São Paulo)

Projeto certificado pela empresa ENVEX ENGENHARIA E CONSULTORIA S/S LTDA - EPP em 05/05/2013.
Descrição: Objetivo geral Avaliar metodologias e modelos utilizados para a determinação da capacidade de suporte para o cultivo de peixes em reservatórios e, com base em um estudo de caso (reservatório de Chavantes, divisa Paraná-São Paulo), propor o uso de uma metodologia a ser aplicada no caso dos estudos relacionados à demarcação e instalação dos parques aquícolas brasileiros. Objetivos específicos ? Avaliar diferentes métodos e modelos de capacidade de suporte utilizados no Brasil e no mundo, de modo a escolher um modelo adequado às condições locais. ? A partir dos estudos já realizados pelo GIA para a demarcação dos parques aquícolas do reservatório de Chavantes, realizar o levantamento de dados complementares para a determinação da capacidade de suporte do reservatório de Chavantes. ? Estimar a carga de nutrientes a ser aportada ao reservatório a partir dos empreendimentos aquícolas a serem instalados no reservatório de Chavantes e em outros reservatórios do Paranapanema. ? Simular, através de modelagem matemática, a dispersão das cargas aportadas durante os cultivos. ? Simular, através de modelagem matemática, a influência dos cultivos sobre os parâmetros de qualidade de água do reservatório de Chavantes. ? Determinar a capacidade de suporte do reservatório de Chavantes e de cada um dos parques aquícolas a serem instalados nesse reservatório..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Gisela Geraldine Castilho-Westphal - Integrante / Debora Pestana - Integrante / Roberto Montanhini Neto - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.Número de orientações: 1
2010 - 2013
Estudos para demarcação dos parques aquícolas dos reservatórios do rio Paranapanema.
Descrição: Foram realizados os estudos técnicos, ambientais e sociais para a definição das áreas mais adequadas à instalação de parques aquícolas em 8 reservatórios do rio Paranapanema (Jurumirim, Chavantes, salto Grande, Canoas II, Canoas I, Capivara, Taquaruçu e Rosana), na divisa entre Paraná e São Paulo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Ana Sílvia Pedrazzani - Integrante / Giorgi Dal Pont - Integrante / Gisela Geraldine Castilho Westphal - Integrante / Debora Pestana - Integrante / Flávia Sampaio - Integrante / Roberto Montanhini Neto - Integrante / Ayrton José Jungles Pacheco Junior - Integrante / Patrícia Sampaio Monteiro - Integrante / André Neves Mayer - Integrante / Luana Isabel Jaras - Integrante / Natanael de Oliveira dos Santos - Integrante / Dennis Panayoti Saridakis - Integrante.Financiador(es): Ministério da Pesca e Aquicultura - Outra.
2010 - 2012
Levantamentos ictiofaunísticos e avaliação de impactos ambientais no rio Iguaçu (Paraná).
Descrição: Em julho de 2000, um grave acidente envolvendo derramamento de petróleo aconteceu nas dependências da REPAR (Refinaria Presidente Getúlio Vargas) da Petrobras, em Araucária, atingindo o rio Iguaçu. O objetivo do presente projeto é estudar a resposta histopatológicas em peixes das espécies Corydoras paleatus e Astyanax spp., provenientes do local com histórico de derramamento de petróleo. Exemplares de C. paleatus e Astyanax spp. serão capturados na bacia do rio Iguaçu, em diferentes locais afetados e não afetados pelo derramamento de petróleo em 2000. Os animais serão capturados, eutanasiados por secção medular e fixados em Solução de Davidson (ALFAC). Todas as amostras serão transportadas até as dependências do GIA/UFPR, onde serão triados, identificados, submetidos à biometria e seus órgãos coletados e processados segundo método histotécnico de rotina. Lâminas permanentes serão confeccionadas em hematoxilina de Harris e eosina e analisadas em microscópio óptico..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Walter Antonio Pereira Boeger - Integrante / Gisela Geraldine Castilho-Westphal - Integrante.Financiador(es): PETROBRAS - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2010 - 2012
Projeto de Maricultura de Ostras no Complexo Lagamar-SP/ Baía de Guaratuba ?PR: Desenvolvimento de Bases Tecnológicas, Ecológicas e Mercadológicas para O Cultivo de Ostras Nativas
Descrição: O projeto tem como objetivos: ? Avaliar de captação de sementes na natureza e a utilização de sementes produzidas em laboratório; ? Avaliara eficiência de sistema suspensos e de sistemas fixos no substratopara a produção de moluscos; ? Demonstrar a viabilidade técnica e econômica de novos sistemas de cultivo e capacitar as comunidades locais para a sua utilização; ? Avaliar a variabilidade genética das ostras nativas do Lagamar e da Baía de Guaratuba com vistas a preservar a biodiversidade; ? Conhecer o ciclo reprodutivo e de assentamento larval de ostras em ambientes naturais; ? Desenvolver um programa de controle da qualidade e de marketing para as ostras produzidas no complexo Lagamar ? Baía de Guaratuba..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Walter Antonio Pereira Boeger - Integrante / Karin Yamashiro - Integrante / Marcus Vinícius Fier Girotto - Integrante / Ricardo Wendel de Magalhães - Integrante.
2009 - 2011
Projeto Águas do Amanhã
Descrição: O Águas do Amanhã é um projeto idealizado pelo Lupaluna Ambiental e pelo Grupo Paranaense de Comunicação - GRPCOM para mobilizar a sociedade em prol da preservação do Rio Iguaçu por meio da comunicação. A intenção é sensibilizar, conscientizar e instigar os paranaenses para uma agenda comum de conservação, tendo como foco a gestão e utilização responsável dos recursos hídricos da região..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / José Roberto Borghetti - Integrante / Eduardo Felga Gobbi - Integrante.
2008 - 2010
Caracterização e monitoramento dos impactos ambientais causados pela operação das fazendas de cultivo de camarão marinho situadas na região da Grande Aracaju (bacias dos rios Vaza Barris e Sergipe)
Descrição: A região Nordeste concentra cerca de 95% da produção nacional de camarões cultivados (atividade conhecida por carcinicultura), atividade que respondeu por exportações da ordem de U$ 150 milhões em 2006, em nível nacional. Mas a carcinicultura, por um lado, se destaca como uma importante fonte de emprego e renda para as populações ribeirinhas e do outro, é acusada de gerar diversos impactos ambientais nos estuários, com destaque para elevada descarga de nutrientes. Portanto, o tema ?carcinicultura? suscita ferrenhas discussões entre aqueles que são favoráveis e os que são contra a atividade, mas ambos os lados carecem de embasamento científico amplo para justificar suas posições. Por isso, o presente projeto pretende avaliar, sob a luz de uma metodologia científica e desprovida de paixões, quais são e em que nível incidem os impactos ambientais provocados pela operação de fazendas de cultivo de camarão, localizadas na região da Grande Aracaju (Bacias dos Rios Vaza Barris e Sergipe). As bacias dos rios vaza Barrios e Sergipe são uma área onde o desenvolvimento da carcinicultura estuarina, apesar de recente (tem aproximadamente dez anos), já conta com mais de 150 empreendimentos de micro e pequeno porte e mais de 500 ha de viveiros, que abastecem quase que integralmente as feiras e mercados da Grande Aracaju. O objetivo principal deste projeto é avaliar os reais impactos positivos e negativos da atividade de carcinicultura sobre os recursos hídricos, decorrentes da operação dos cerca de 150 empreendimentos situados na região metropolitana da Grande Aracaju, nas Bacias Hidrográficas dos Rios Vaza Barris e Sergipe, de forma a embasar a proposição de sistemas produtivos e usos compatíveis com essas áreas. As metas a serem alcançadas são: 1) Caracterizar os impactos ambientais causados pelas carciniculturas das Bacias Hidrográficas em questão; 2) Caracterizar e realizar registros detalhados dos insumos e manejos empregados pelas carciniculturas nas Bacias Hidrográficas em.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Marcelo Acácio Chammas - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2007 - 2010
Bases genéticas para a conservação e o manejo sustentável do caranguejo-uçá do estuário do rio São Francisco
Descrição: O projeto pretende conhecer a dinâmica genética dos estoques de caranguejo-uçá do estuário do Rio São Francisco e sua interação genética com os demais estuários dos estados de Sergipe e Alagoas, com o objetivo de subsidiar programas e procedimentos de gerenciamento e manejo da espécie, visando sua conservação e seu uso racional.São seus objetivos específicos: 1.Definição da estrutura genética dos estoques de cada sistema estuarino de Sergipe e Alagoas com caracterização genética das suas subpopulações e metapopulação; 2. Definição do fluxo gênico entre subpopulações e populações (estoques) intra e inter estuários, com o objetivo de definir o padrão de recrutamento e a dependência ou independência de estoques vizinhos com uma avaliação detalhada da contribuição genética das populações do Rio São Francisco. 3. Analisar a influência de características fisiográficas, oceanográficas e geográficas sobre a intensidade (dependência ou interdependência) de fluxo gênico entre estoques com uma avaliação detalhada da fenomenologia associada às populações do Rio São Francisco. 4 Propor critérios não genéticos com poder previsivo que possam ser aplicados na organização de programas de manejo e conservação do caranguejo-uçá no litoral brasileiro com enfoque e especial destaque para região da foz do Rio São Francisco..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Integrante / Walter Antonio Boeger - Coordenador / Márcio Roberto Pie - Integrante / Raphael Orélis Ribeiro - Integrante / José Francisco Olivera Neto - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 6
2007 - 2009
Projeto Puçá ? Programa Integrado de Manejo e Gerenciamento do caranguejo-uçá
Descrição: O objetivo geral do projeto é promover o manejo dos estoques de caranguejo-uçá, sua manutenção e integridade através do uso de técnicas de repovoamento de organismos aquáticos, estudos genéticos e do estímulo ao desenvolvimento de módulos de exploração/produção racional destes organismos, como forma de diminuir a pressão extrativa sobre os bancos naturais. São seus objetivos específicos: 1- Seleção de áreas para repovoamento na Baía de Camamu, BA e produção e liberação de formas imaturas de caranguejo-uçá (Ucides cordatus) nas áreas pré-selecionadas; 2- Aplicação de ferramentas genéticas na caracterização e manejo dos bancos naturais de caranguejo-uçá; 3- Capacitação de lideranças comunitárias, produtores e catadores ligados à gestão do ambiente costeiro, através de Unidades Demonstrativas de exploração/produção que serão desenvolvidas no período de vigência do projeto; 4- Aplicação de um Programa de Educação Ambiental e de treinamento e capacitação que relacione as questões sócio-históricas, culturais, éticas nas comunidades trabalhadas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Ubiratã Assis Silva - Integrante / Walter Antonio Boeger - Integrante / Robson Ventura de Souza - Integrante / Kelly Ferreira Cottens - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro / Bahia Pesca - Auxílio financeiro.
2004 - 2006
Identificação do agente patogênico responsável pela ocorrência de mortandades massivas do caranguejo-uçá no litoral brasileiro
Descrição: Mortandades extensas de Ucides cordatus, o caranguejo uçá, têm sido reportadas por catadores e pesquisadores de diversas instituições ao longo de toda a costa nordeste do Brasil. Aparentemente, não existem registros de eventos semelhantes no passado. Os animais mortos representam uma parcela bastante significativa das populações afetadas. Dentre outras conseqüências graves, de curto e médio prazo, está a indisponibilidade de um recurso marinho de grande importância para diversas comunidades do litoral brasileiro, os catadores, que dependem de caranguejos para a sua subsistência. Os impactos sócio-econômicos são gravíssimos e exigem uma resposta rápida. Alguns grupos sugerem que as populações sobreviventes podem mesmo não ser suficiente para a perpetuação dos estoques sem intervenção humana. Para que isto seja possível, é necessário inicialmente identificar e compreender a biologia e epidemiologia do agente causador desta epizootia. Os resultados indicaram fortemente que o fungo encontrado em tecidos de caranguejos com sintomas de DCL pertence ao gênero Exophiala (Ascomycota, Pezizomycotina, Chaetothyriales, Herpotrichiellaceae), possivelmente pertencendo à espécie Exophiala psychrophila. Uma colaboração com um dos maiores especialistas mundiais no assunto, Dr Sybren de Hoog deverá resolver a identificação taxonômica desta espécie em breve. Apresentamos o desenvolvimento de um marcador molecular capaz de detectar DNA oriundo do fungo associado à DCL, o qual poderá ser usado para detectar e monitorar a presença desse fungo na natureza e em ambientes artificiais. Por fim, experimento de infecção experimental confirmou a patogenicidade destas espécies de fungo (Exophiala cf psycrophila e Cladophialophora cf devriesii). Também foi analisada a presença do do fungo da DCL em diversos compartimentos ambientais em 4 estuários do estado de Sergipe, utilizando técnicas moleculares, histológicas e de isolamento microbiológico..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Integrante / Walter Antonio Boeger - Coordenador / Ubiratã Assis Teixeira da Silva - Integrante / Marcio Roberto Pie - Integrante / José Francisco Olivera Neto - Integrante.Financiador(es): Companhia de Desenvolvimento Industrial e de Recursos Minerais de Sergipe - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 6
2004 - 2006
Genética populacional do caranguejo-uçá, Ucides cordatus
Descrição: Para que estratégias de manejo e conservação dos recursos pesqueiros sejam eficientes é imprescindível conhecer a fundo as características biológicas das espécies exploradas. Em particular, é necessário entender como as populações naturais são renovadas ao longo do tempo (recrutamento). Esse entendimento é especialmente importante em espécies de interesse comercial, como o caranguejo-uçá Ucides cordatus. Durante as últimas décadas, a pressão de coleta de caranguejos aumentou consideravelmente, levando a redução significativa nos seus estoques naturais e causando preocupação com respeito à sua conservação. Além de ser um item importante na economia de diversas comunidades humanas litorâneas, os caranguejos desempenham um papel fundamental em ambientes de mangue, como o processamento de matéria orgânica e aeração do solo. Assim, o presente projeto tem como objetivo principal avaliar comparativamente a estrutura genética de estoques de U. cordatus de cerca de cinco sistemas estuarinos/manguezais do Estado de Sergipe. Para isso utilizaremos métodos avançados usando marcadores moleculares (DNA). O resultado deste projeto irá orientar esforços de manejo e conservação, gerar conhecimento sobre a dinâmica de recrutamento dos estoques regionais do caranguejo-uçá, e gerar subsídios para que projetos de gerenciamento dos estoques possam maximizar a manutenção da variabilidade genética nestas populações ordenando e estabelecendo estratégias extrativistas específicas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Integrante / Walter Antonio Boeger - Coordenador / Márcio Roberto Pie - Integrante / Luciana Patela Azambuja - Integrante / Raphael Orélis Ribeiro - Integrante / José Francisco de Oliveira Neto - Integrante / Renan Falleiros - Integrante / Diogo B Hungria - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2003 - 2009
Produção de larvas de caranguejo-uçá, Ucides cordatus, em larga escala para repovoamento de ambientes costeiros alterados
Descrição: Através da liberação controlada de grandes quantidades de formas jovens da espécie, geradas por técnicas de larvicultura já existentes, procura-se aumentar o número de indivíduos adultos de U. cordatus em uma área delimitada. A aplicação de técnicas de larvicultura permite a explorar a alta prolificidade dessa espécie, devolvendo ao ambiente alguns milhões de larvas em seu estágio final, quando naturalmente apenas algumas dezenas sobreviveriam. As larvas serão produzidas no LAPOA (Laboratório de pesquisa em organismos aquáticos), em Curitiba. As larvas serão obtidas através de eclosões controladas a partir de fêmeas ovígeras capturadas nos manguezais por pescadores profissionais e mantidas em tanques, no interior do laboratório. As larvas serão cultivadas em tanques impermeáveis, de acordo com as técnicas clássicas de larvicultura, até que atinjam a o estágio de megalopa, que é fase natural de recrutamento. Áreas de reconhecido declínio populacional para o caranguejo-uçá, mas que ainda possuam o seu habitats relativamente preservados, serão selecionadas como área-alvo para o repovoamento. Após as liberações, essas áreas deverão ser monitoradas para a avaliação da eficiência do método..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Robert Willian Pilchowski - Integrante / Walter Antonio Boeger - Integrante / Robson Ventura de Souza - Integrante / Ubiratã Assis Teixeira da Silva - Integrante / Alexandre Guilherme Becker - Integrante / Gisele Castilho - Integrante.Financiador(es): Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (PR) - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 27
2001 - 2002
Monitoramento ictiofaunístico pós-derramamento de óleo nos rios Barigui e Iguaçu, PR
Descrição: O presente trabalho foi realizado em decorrência do acidente ocorrido na Refinaria Getúlio Vargas (REPAR), em Araucária, PR, em julho de 2000. Naquela ocasião, um vazamento de aproximadamente 4 milhões de litros de óleo atingiu o arroio Saldanha e, subseqüentemente, os rios Barigüi e Iguaçu. Barreiras de contenção foram colocadas em todo o trecho afetado e o petróleo foi contido nas proximidades do município de Balsa Nova, cerca de 45 km rio abaixo. Considerando as dimensões do vazamento, a avaliação do impacto sobre ictiocenose dos rios afetados (REPAR) pelo óleo. Cerca de três meses após o acidente, o Grupo Integrado de Aqüicultura e Estudos Ambientais (GIA), da Universidade Federal do Paraná (UFPR), realizou um estudo preliminar intitulado ?Diagnóstico Ictiofaunístico Pós-derramamento de Óleo nos Rios Iguaçu e Barigüi, Julho de 2000?. Esse referido estudo serviu como base para o planejamento e para a estruturação do presente trabalho. As propostas principais do trabalho ora apresentado foram: a) caracterizar a distribuição e a evolução espacial e temporal dos táxons existentes nos corpos d'água após o derramamento; b) comparar os dados relativos à ictiofauna presente à montante e à jusante do ponto de derramamento; c) investigar possíveis relações entre variáveis abióticas e a distribuição/abundância de peixes nos ambientes monitorados; d) caracterizar o padrão reprodutivo das espécies indicadoras desses ambientes; e) investigar se esse padrão reprodutivo apresenta ou não alterações significativas; e) avaliar os prováveis impactos do acidente sobre tecidos de peixes, bem como sua intensidade de ocorrência; e, por fim, f) monitorar a evolução das patologias diagnosticadas. Todas esses objetivos específicos foram trabalhados com o propósito primário de se avaliar os impactos do acidente em questão sobre a dinâmica das comunidades de peixes e a forma como essas comunidades vêm se recuperando ao longo do tempo. O estudo realizado abrangeu uma distânci.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Robert Willian Pilchowski - Integrante / Ana Teresa Bittencourt Guimarães - Integrante / Fábio Xavier Wegbecher - Integrante / Silvia Romão Zanetti da Cruz - Integrante / Paulo deTarso Chaves - Integrante / Walter Antonio Pereira Boeger - Integrante / Ubiratã A. Silva - Integrante / Luis Fernnado Duboc - Integrante.Financiador(es): PETROBRAS - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 2 / Número de orientações: 1
2001 - 2001
Avaliação Ictiopatológica de Peixes Coletados na Baía de Paranaguá, para Identificação de Impactos Ambientais Decorrentes do Vazamento de Nafta do Navio de Transporte Norma .
Descrição: Na manhã do dia 18/10/2001, o Navio de Transporte Norma desviou-se de sua rota normal e se chocou contra rochas existentes na porção lateral do canal de navegação, no Porto de Paranaguá, o que provocou o seu encalhe. O incidente causou, ainda, o vazamento de parte da carga (nafta), de um dos seus tanques, para as águas da Baía de Paranaguá. Em decorrência deste vazamento, o Grupo Integrado de Aqüicultura e Estudos Ambientais (GIA), da Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi imediatamente acionado e passou a realizar um programa de monitoramento biológico em diversos pontos da Baía de Paranaguá. O Objetivo, identificar e monitorar, a nível visual, os possíveis impactos ambientais decorrentes do acidente, sobre a flora e a fauna da região..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Robert Willian Pilchowski - Integrante / Ubiratã Assis Silva - Integrante / Marcelo Faria Cardoso - Integrante / Walter Antonio Pereira Boeger - Integrante.Financiador(es): PETROBRAS - Auxílio financeiro.
2001 - 2001
Caracterização Ambiental de Emergência - Acidente ambiental com o Poliduto Olapa
Descrição: O principal objetivo do presente trabalho foi definir o grau de comprometimento das populações de peixes em decorrência do derramamento de óleo no poliduto da Petrobrás, na altura da Serra do Mar, no Estado do Paraná, bem como quantificar a extensão espacial dos possíveis impactos ocorridos ao longo dos cursos d?água contaminados pelo óleo. Além disso, o trabalho visa gerar subsídios técnico-científicos para, caso venha a ser necessário, o estabelecimento de um plano de monitoramento continuado da ictiofauna nos trechos comprovadamente impactados pelo derramamento de óleo. Os objetivos específicos: a) Promover o levantamento de informações pretéritas sobre a ictiofauna das áreas atingidas pelo óleo derramado; b) Identificar uma ou mais espécies que possa(m) melhor caracterizar os possíveis impactos ambientais decorrentes do acidente em questão; c) Avaliar as possíveis alterações nos padrões de distribuição das espécies ao longo dos corpos d'água envolvidos, em função de eventos que se correlacionem ou não com o acidente ocorrido em fevereiro de 2001; d) Fazer um acompanhamento de alterações histopatológicas na(s) espécie(s) utilizada(s) como modelo neste trabalho e) Avaliação macro e microscópica da prevalência de lesões proliferativas de órgãos e tecidos dos peixes nos cursos d?água monitorados; f) Avaliar a forma como a comunidade de peixes do sistema está respondendo ao retorno à normalidade das condições ambientais..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Robert Willian Pilchowski - Integrante / Paulo deTarso Chaves - Integrante / Walter Antonio Pereira Boeger - Integrante / Ubiratã A. Silva - Integrante / Luis Fernnado Duboc - Integrante.Financiador(es): PETROBRAS - Auxílio financeiro.
2000 - 2001
Projeto de produção de juvenis de caranguejos em larga escala para recuperação de área afetada por derramamentode óleo na Refinaria Duque de Caxias, RJ.
Descrição: A proposta do projeto foi estruturada com o objetivo de viabilizar a produção em cativeiro de juvenis de Ucides cordatus e o conseqüente repovoamento das áreas de mangue potencialmente afetadas pelo acidente com um oleoduto da Petrobrás. Para que esses objetivos gerais pudessem ser atingidos, haviam várias etapas que precisavam ser seqüencialmente superadas. Dado o ineditismo da proposta, era possível afirmar que cada uma dessas etapas se caracterizava como objetivos parciais a serem alcançados: a) A maturação de caranguejos em cativeiro e/ou o desenvolvimento de técnicas de transporte de fêmeas ovígeras por longos períodos; b) A obtenção de desovas regulares de caranguejos em laboratório; c) A realização de larviculturas em grande escala e com taxas de sobrevivências adequadas aos propósitos básicos do projeto; d) O desenvolvimento de técnicas de transporte de juvenis; e) Repovoamento de juvenis em áreas pré-determinadas na Baía de Guanabara. A adaptação das técnicas conhecidas de larvicultura de crustáceos, como a do camarão marinho, por exemplo, foi o ponto de partida para a viabilização da larvicultura de caranguejos, garantindo não só a produção de larvas, como também o transporte e a liberação das megalopas no ambiente natural. Ressalta-se aqui, que várias alterações das técnicas tradicionais de produção de larvas de camarões foram introduzidas e que após uma completa revisão dos dados obtidos durante toda o projeto, inúmeras outras serão sugeridas, através dos trabalhos científicos que serão publicados e das teses e dissertações que serão defendidas. Como exemplos de pontos a serem melhorados na larvicultura, podem ser citados o formato dos tanques, que, em alguns casos, foi o responsável pela dificuldade em se manter um regime adequado de aeração, que permitisse a contínua ressuspensão das larvas; a própria necessidade de aeração pode ser contestada, visto que em um experimento foi possível manter um número significativo de larvas em um tanqu.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Roberto Carlos barbieri JR - Integrante / Ângelo Francisco dos Santos - Integrante.Financiador(es): PETROBRAS - Auxílio financeiro.Número de orientações: 1
2000 - 2000
Diagnóstico ictiofaunístico pós-derramento de óleo nos rios Barigui e Iguaçu
Descrição: O presente trabalho foi realizado em função do acidente ocorrido na Refinaria Getúlio Vargas (REPAR), em Araucária, PR, em julho de 2000. Naquela ocasião, um vazamento de óleo atingiu o riacho Saldanha e daí o óleo foi levado até os rios Barigüi e Iguaçu. Barreiras de contenção foram colocadas em todo o trecho afetado e o petróleo foi contido até as proximidades do município de Balsa Nova. Considerando as dimensões do vazamento, era importante avaliar os possíveis impactos desse acidente sobre a ictiofauna presente nos corpos d'água afetados pelo óleo. As propostas principais deste trabalho foram: caracterizar a distribuição espacial dos táxons existentes nos corpos d'água após o derramamento; comparar os dados relativos a ictiofauna presente à montante e à jusante do local de derramamento e, com base na avaliação histopatológica de brânquias e fígados de uma espécie indicadora (Corydoras paleatus), avaliar os prováveis efeitos do óleo sobre a higidez dos peixes. O diagnóstico foi composto por duas fases de campo. A primeira etapa foi realizada entre os dias 9 e 15 de outubro de 2000 e a segunda realizada entre os dias 6 e 12 de novembro. O trabalho envolveu onze bases amostrais, localizadas entre a região do derramamento até a cidade de União da Vitória - PR, numa extensão rodoviária de aproximadamente 250 km. Quatro dessas bases amostrais foram estabelecidas em zonas à montante do acidente (duas no rio Barigüi, uma no rio Iguaçu e uma no regato GLP, um corpo d'água de pequenas dimensões e que apresentava características muito semelhantes ao do regato Saldanha antes do acidente)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Ubiratã Assis Silva - Integrante / Walter Boeger - Integrante / Luis Fernando Duboc da Silva - Integrante / Ana Teresa Bittencourt Guimarães - Integrante / Sílvia Zanetti Romão - Integrante / Robert Willian Pilchowski - Integrante / José Domingos Fontana - Integrante.Financiador(es): PETROBRAS - Auxílio financeiro.


Projetos de extensão


2010 - 2012
Águas do Amanhã
Descrição: O Águas do Amanhã é um projeto idealizado pelo Lupaluna Ambiental e pelo Grupo Paranaense de Comunicação - GRPCOM para mobilizar a sociedade em prol da preservação do Rio Iguaçu por meio da comunicação. A intenção é sensibilizar, conscientizar e instigar os paranaenses para uma agenda comum de conservação, tendo como foco a gestão e utilização responsável dos recursos hídricos da região. O Rio Iguaçu, conhecido mundialmente pelo espetáculo oferecido pelas suas águas nas Cataratas do Iguaçu, está ameaçado. Alguns trechos de suas nascentes, localizados na bacia do Alto Iguaçu, na Região Metropolitana de Curitiba, estão mortos. Atualmente, aproximadamente 80% da poluição do Rio Iguaçu é gerada por esgoto doméstico e poluição difusa e 20% por esgoto industrial. Os resíduos chegam ao rio depois de serem lançados em afluentes, como o rio Belém e o Atuba. Além de ser o rio mais importante do Paraná e cortar o estado de Leste a Oeste, o Iguaçu tem uma importância estratégica para o país, já que gera cerca de 7% de toda a energia elétrica produzida no Brasil. O projeto Águas do Amanhã é realizado pelo GRPCOM, por meio do Instituto GRPCOM e do Lupaluna Ambiental e conta com o patrocínio do HSBC e o apoio da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Fundação Roberto Marinho, Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e Agência Nacional de Águas (ANA)..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2009 - 2011
Encantos e Delícias de Caieiras: Readequando a Cozinha Comunitária de produtos aqüícolas e pesqueiros.
Descrição: Em 2006, foi criada a Cozinha Comunitária Encantos e Delícias de Caieiras, Guaratuba, PR, através do Programa Produzir, do Ministério da Integração Nacional, cujo objetivo principal era aumentar a renda das famílias de pescadores ao beneficiar produto pesqueiros e aqüícolas que até então sempre haviam sido sempre vendidos in natura. A Cozinha foi criada para ser gerenciada pelas mulheres de pescadores e de maricultores da própria comunidade, que passaram a processar a matéria-prima (peixes, camarões e ostras), oriunda do trabalho dos maridos, pais ou avós, transformando-a em lasanha de peixe e camarão, empadão, casquinha de siri e ostras gratinadas. Mas, a dificuldade de como gerir o negócio, assim como a falta de equipamentos para a cozinha, dificuldades na colocação dos produtos no mercado e a falta de apoio técnico para a sua estruturação e gerenciamento levou várias das participantes a abandonar a cozinha comunitária e a colocar em risco a continuidade do empreendimento. Atualmente, a Cozinha Comunitária é parte de um projeto do GIA que visa solucionar gargalos tecnológicos da ostreicultura do litoral sul do Paraná. Em 10 meses de projeto, as ações realizadas com as integrantes da equipe da Cozinha Comunitária, e já fizeram grande diferença na sua forma de encarar a atividade. Mas, ainda há vários pontos a corrigir. O principal objetivo da presente proposta é a consolidação da Cozinha Comunitária Encanto e Delícias de Caieiras, através: do processamento mais adequado dos produtos pesqueiros e aqüícolas locais; da melhoria da qualidade dos produtos; da capacitação para a gestão profissional do empreendimento; da valorização e divulgação dos produtos e do conseqüente aumento da renda das mulheres participantes. Para que esse objetivo possa ser atingido, será realizada: 1) correção dos pontos críticos da infra-estrutura e otimização do processo de produção; 2) orientação quanto à adequação das instalações da Cozinha Comunitária à legislação vigente; 3) o atendiment.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Cristiane Ivankiu - Integrante / Karin Yamashiro - Integrante / Marcus Vinícius Fier Girotto - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2009 - 2011
Organização do Arranjo Produtivo Local da Ostreicultura no Litoral Sul do Paraná
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 1 / Número de orientações: 3
2008 - 2011
Ostras do Cabaraquara: valorização do produto e aumento da renda dos pequenos maricultores
Descrição: Ostras do Cabaraquara: valorização do produto e aumento da renda dos pequenos maricultores A baía de Guaratuba, assim como as demais baías do Estado, suporta uma atividade pesqueira praticada em escala artesanal e realizada por comunidades que habitam as margens do estuário. Com freqüência, estas comunidades têm relatado um decréscimo acentuado na produtividade pesqueira, buscando na aqüicultura uma alternativa para geração de alimento e de renda. Além da produção através da maricultura, as ostras chegam até o comércio local e regional pelo extrativismo. Mas, independentemente da origem do molusco ou da forma de produção, a comercialização das ostras contribui para a geração de renda em diversas comunidades do litoral paranaense. Ostras extraídas de bancos naturais são vendidas, tanto para consumo, quanto na forma de sementes. As sementes extraídas são utilizadas nos cultivos, ainda que alguns produtores optem por estruturas coletoras específicas ou pela retirada das sementes que se aderem às próprias estruturas de cultivo. Em função da limitada oferta e dos custos mais elevados, raramente as sementes são provenientes de laboratórios. Neste sentido, a gestão coletiva da produção se apresenta como uma alternativa concreta, pela prática da cooperação, combinada com o uso de novas tecnologias e diversificação dos meios tradicionais de produção. Mas, para que isto ocorra, é necessário agora implementar ações de difusão, assistência técnica e extensão voltadas ao melhor aparelhamento e à gestão mais profissional e qualificada dos empreendimentos existentes. O presente projeto tem como objetivo central incrementar a renda dos produtores de ostra da região do Cabaraquara (Guaratuba-PR) através da qualificação técnica dos produtores, da agregação de valor ao produto e da expansão da demanda. Para que isso ocorra, serão desenvolvidas ações que envolvem: 1) o monitoramento periódico da qualidade das ostras produzidas na baía de Guaratuba; 2) a identificação e minimização de r.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Débora Pestana - Integrante / Gisela Geraldine Castilho - Integrante / Cristiane Ivankiu - Integrante / Marcus Girotto - Integrante / Karin Cristina Escobar Yamashiro - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2008 - 2010
Organização do arranjo produtivo local da ostreicultura no litoral sul do Paraná
Descrição: Os primeiros cultivos de ostra em escala comercial começaram no litoral sul paranaense por volta de 1995. Desde então, a atividade vem se desenvolvendo em escala exclusivamente familiar. Os maricultores, mesmo agrupados em uma associação (AGUAMAR - Associação Guaratubana de Maricultores, que conta com cerca de 30 associados), apresentam grandes dificuldades para gerenciar seus negócios, tanto pela deficiência na qualificação e na capacitação profissional, quanto pela falta de apoio institucional para o desenvolvimento da atividade. Mesmo assim, hoje a ostreicultura é muito importante para a economia local e para subsistência de dezenas de família por sua significativa capacidade de geração de emprego e renda a baixíssimos custos de investimento. Sua potencialidade para produzir alimentos a baixo custo (uma vez que não há gastos com alimentação dos organismos cultivados, que se nutrem das microalgas existentes na água) e, potencialmente, com menores danos ambientais, tem impulsionado o crescimento de todo o entorno sócio-econômico da Baía de Guaratuba. Apesar do imenso potencial natural, a estruturação dessa cadeia produtiva acabou ocorrendo de forma muito precária e frágil, o que tem colocado em risco a sustentabilidade técnica, econômica e ambiental dos empreendimentos instalados na região. Esse projeto tem por finalidade contribuir para o ordenamento da cadeia produtiva da ostreicultura no litoral sul do Paraná, com especial destaque nos empreendimentos localizados na baía de Guaratuba, identificando e solucionando os gargalos que hoje impedem o crescimento sustentável da atividade e, conseqüentemente, contribuindo para o desenvolvimento regional. Serão abordadas neste projeto questões como: a) monitoramento da qualidade ambiental das áreas de cultivo e também das ostras cultivadas; b) a certificação da qualidade e da origem das ostras, como meio de agregação de valor ao produto comercializado; c) ações de marketing institucional e de abertura de novos canais de c.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Débora Pestana - Integrante / Karin Yamashiro - Integrante / Marcus Vinícius Fier Girotto - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2008 - 2008
Cultimar - Caminho das águas: construindo mudanças
Descrição: OBJETIVO DA PROPOSTA Sensibilizar os potenciais apoiadores do Instituto HSBC Solidariedade para a questão da sustentabilidade socioambiental em nosso país e para uma real mudança de atitude que possa culminar no apoio efetivo às ações desenvolvidas pelo Instituto. METODOLOGIA DE TRABALHO O projeto se inicia com o desenvolvimento de oficinas, com duração de um final de semana, direcionada à sensibilização, práticas e vivências em questões socioambientais. As oficinas terão como público-alvo colaboradores do HSBC Bank Brasil e possíveis apoiadores do Instituto HSBC Solidariedade, num máximo de 20 participantes por oficina. Serão realizadas em uma pousada no município de Morretes, litoral do Paraná, onde os participantes ficarão envolvidos diretamente com os ministrantes em um ambiente de troca de experiências e discussões. A questão das águas (ambientes aquáticos) será o carro chefe do trabalho, sendo abordados seus problemas, desafios e oportunidades como um exemplo de caminho para discussões socioambientais: o Caminho das Águas. O início dos trabalhos será ainda em Curitiba, apresentando, logo na saída, a realidade de um dos principais rios da cidade (rio Belém) e alguns problemas sociais envolvidos com sua poluição. Depois disso, os participantes serão levados para um cenário contrastante, a região de Morretes, cidade histórica entre a Serra do Mar e litoral do Paraná, com seus rios e natureza exuberante. Neste momento, os participantes estarão em contato com diversas experiências monitoradas, em um ambiente inspirador, que permitirá o questionamento de suas próprias atitudes. A comparação com o que foi visto no dia anterior poderá fazer com que os participantes se sintam, então, motivados e comprometidos a algum tipo de mudança a favor da sustentabilidade socioambiental em suas vidas, comunidades, cidade e/ou país. Durante as oficinas, os participantes terão contato com histórias locais e com a natureza de Morretes, através de práticas de sensibilização. No.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador.Financiador(es): Instituto HSBC Solidariedade - Auxílio financeiro.


Projetos de desenvolvimento


2010 - 2011
Elaboração de Estudos para Implantação dos Parques Aquícolas nos Reservatórios do Rio Paranapanema
Descrição: O projeto tem como objetivo a identificação, delimitação e zoneamento de áreas aquícolas propícias para o cultivo de espécies aquáticas ao longo do Rio Paranapanema, na divisa entre os estados de São Paulo e Paraná, de forma a promover o ordenamento e gerar subsídios para o gerenciamento da aquicultura na região..
Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (2) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Débora Pestana - Integrante / Leandro Ângelo Pereira - Integrante / Diogo Barbalho Hungria - Integrante / Manuela Dreyer Silva - Integrante / Alexandre Guilherme Becker - Integrante / Larissa Lopes Mellinger - Integrante / Denis Panayotis Saridakis - Integrante / Ayrton Pacheco - Integrante / Helder Rafael Nocko - Integrante / Eduardo Felga Gobbi - Integrante / José Eduardo Gonçalves - Integrante / Orestes Jarentchuck - Integrante / Guilherme Augusto Stefanelo Franz - Integrante / Francismara Pinto - Integrante / Patrícia da Silva Carmo - Integrante / Adriano Hauer - Integrante / Diogo Rafael Wojcik - Integrante.Financiador(es): Ministério da Pesca e Aquicultura - Auxílio financeiro.
2010 - Atual
Estudos para a demarcação dos parques aquícolas dos reservatórios do Paranapanema

Projeto certificado pela empresa ENVEX ENGENHARIA E CONSULTORIA S/S LTDA - EPP em 05/05/2013.
Descrição: O Rio Paranapanema nasce na Serra de Agudos Grandes, no sudeste do Estado de São Paulo, a cerca de 100 km da Costa Atlântica e a aproximadamente 900 m de altitude, e tem sua foz no rio Paraná, após percorrer cerca de 930 km. O Paranapanema separa, a partir da foz do rio Itararé, os estados de São Paulo e Paraná. Seu maior uso atualmente é a geração de energia . A bacia hidrográfica do rio Paranapanema está localizada entre as coordenadas 22º - 26º S e 47º - 54º W, estendendo-se pelo sudoeste de São Paulo e norte do Paraná. A área drenada corresponde a 100.800 km2, sendo que 47% localiza-se em território paulista e 53% no Paraná. na calha do Paranapanema existem pelo menos 8 reservatórios de grande importância para a geração de energia do país (Jurumirim, Chavantes, Salto Grande, Canoas II, Canoas I, Capivara, Taquaruçu, Rosana). Nesses reservatórios de mais de 2.000 km2 de área alagada foram realizados estudos para o zoneamento aquícola e demarcação de parques aquícolas. Mais que apenas aplicar foram desenvolvidas e propostas metodologias de estudo ambiental e de métodos para a definição das melhores áreas para a aquicultura..
Situação: Em andamento; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Manuela Dreyer Silva - Integrante / Alexandre Guilherme Becker - Integrante / Larissa Lopes Mellinger - Integrante / Helder Rafael Nocko - Integrante / Gisela Geraldine Castilho Westphal - Integrante / Debora Pestana - Integrante.Financiador(es): Ministério da Pesca e Aquicultura - Cooperação.
Número de produções C, T & A: 5 / Número de orientações: 1
2008 - 2010
Promoção do desenvolvimento ordenado da Maricultura em Sergipe

Projeto certificado pela empresa ENVEX ENGENHARIA E CONSULTORIA S/S LTDA - EPP em 05/05/2013.
Descrição: Neste projeto foram realizados estudos para o zoneamento aquícola na foz dos rios Piaui e São Francisco, no estado de Sergipe. Mas, mais que apenas aplicar métodos e metodologias pré-concebidos, foram desenvolvidas ferramentas metodológicas para a demarcação de parques aquícolas em áreas estuarinas. Isso envolve não apenas o levantamento de áreas mais indicadas para a instalação de parques aquícolas, mas também a definição de espécies e sistemas de cultivo a serem empregados, a classificação do grau de aptidão das áreas, o estabelecimento de planos de gerenciamento e controle dos parques instalados e a proposição de planos de monitoramento ambiental dos parques após a sua instalação..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (6) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Helder Rafael Nocko - Integrante / Chammas, Marcelo - Integrante / Jorge Espíto Santo de Almeida - Integrante.Financiador(es): Ministério da Pesca e Aquicultura - Cooperação.
2008 - 2010
Planos Locais para o Desenvolvimento da Maricultura - PLDM - Paraná

Projeto certificado pela empresa ENVEX ENGENHARIA E CONSULTORIA S/S LTDA - EPP em 05/05/2013.
Descrição: Os estudos relacionados aos Planos Locais de Desenvolvimento da Maricultura (PLDM) do Paraná são uma iniciativa do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e execução do Instituto GIA. Na busca de um aprimoramento no planejamento e no gerenciamento da maricultura brasileira. Instituídos oficialmente através da Instrução Normativa SEAP nº 17 de 22 de setembro de 2005, os PLDM têm por objetivo planejar o desenvolvimento da maricultura utilizando ferramentas de micro-zoneamento numa escala municipal, ou quando for o caso, promover este planejamento para baías, enseadas, lagoas costeiras ou estuários. O planejamento inicia com um levantamento de informações para promover a melhor localização de fazendas marinhas, e envolvem a elaboração de uma detalhada caracterização socioambiental da área de abrangência do local, com aspectos do meio físico e biológico, das áreas marinhas e áreas terrestres adjacentes aonde serão instaladas as fazendas marinhas. Nesta caracterização são identificadas também as diversas formas de ocupação da área de abrangência, considerando os múltiplos usos da área, como a pesca, o turismo, a navegação, o lazer e as demais atividades industriais e tradicionais. Feitos estes levantamentos ambientais e das formas de ocupação e de uso das áreas marinhas e terrestres de entorno, é proposta então a demarcação das faixas de preferência para a maricultura realizada por comunidades tradicionais e a demarcação dos parques aquícolas marinhos, considerando as particularidades e circunstâncias locais. Para cada atividade aquícola é elaborado um Plano de Gerenciamento e um Plano de Monitoramento Ambiental visando a manutenção de sua sustentabilidade à longo prazo. Entende-se por gerenciamento a definição dos organismos que poderão ser cultivados em cada área, em função das características do local selecionado, a definição dos espaçamentos mínimos entre as unidades de cultivo, entre os produtores e entre grupos de produtores, de forma a garantir áreas de dilui.
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (7) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Gisela Geraldine Castilho - Integrante / Leandro Ângelo Pereira - Integrante / Marcus Girotto - Integrante / Helder Rafael Nocko - Integrante / Debora Pestana - Integrante / Thayzi de Oliveira Zeni - Integrante / Roberto Montanhini Neto - Integrante.Financiador(es): Ministério da Pesca e Aquicultura - Cooperação.
Número de produções C, T & A: 10 / Número de orientações: 3
2008 - 2010
Promoção do Desenvolvimento Ordenado da Maricultura no Estado do Paraná: Elaboração de Planos Locais de Desenvolvimento da Maricultura (PLDM?s) para as Baías de Paranaguá e de Guaratuba.
Descrição: O presente projeto tem por objetivo realizar estudos ambientais e socioeconômicos e o zoneamento da baía de Guaratuba, do complexo estuarino da baía de Paranaguá e de áreas marinhas do litoral do Paraná para a implantação dos PLDM's paranaenses, de acordo com as Instruções Normativas SEAP/PR nº 17/2005 e nº 11/2008, com o Decreto n° 4895/2003 e com a INI nº 06/2004..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Débora Pestana - Integrante / Ubiratã Assis Silva - Integrante / Alexandre Guilherme Becker - Integrante / Gisela Geraldine Castilho-Westphal - Integrante / Helder Rafael Nocko - Integrante / Eduardo Felga Gobbi - Integrante / José Eduardo Gonçalves - Integrante / Francismara Pinto - Integrante.Financiador(es): Ministério da Pesca e Aquicultura - Auxílio financeiro.
2006 - 2010
Projeto de implantação do núcleo de recuperação de ambientes costeiros alterados
Descrição: Cada vez que ocorre um acidente envolvendo a indústria do petróleo em áreas litorâneas as mesmas dúvidas são levantadas: Quais são os impactos sobre os recursos pesqueiros? Por quanto tempo as atividades pesqueiras deverão ser proibidas? Quanto tempo vai levar para a fauna se recuperar? O que fazer para recuperar as áreas impactadas? Há alternativas de geração de renda a se oferecer às comunidades pesqueiras afetadas pelo acidente? É para resolver os problemas relacionados a essas questões que o Grupo Integrado de Aqüicultura e Estudos Ambientais está implantando o Núcleo de Recuperação de Ambientes Costeiros Alterados, um centro que contará com vários ?laboratórios-satélite?, voltados à solução de problemas ambientais. O objetivo deste projeto, portanto, é a re-adequação e aperfeiçoamento da infra-estrutura dos seus laboratórios, para que o GIA possa implantar o Núcleo de Recuperação de Ambientes Costeiros Alterados, transformando-se em um centro internacional de referência nos trabalhos de identificação e quantificação de impactos causados pelo vazamento de óleo e derivados, na recuperação, mitigação e conservação de ecossistemas costeiros..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Walter Antonio Boeger - Integrante / Ubiratã Assis Teixeira da Silva - Integrante / Maria Regina Torres Boeger - Integrante.Financiador(es): PETROBRAS - Auxílio financeiro.
2005 - 2013
Cultimar
Descrição: O Projeto Cultimar se fundamenta na necessidade de criação de novas fontes de renda para comunidades tradicionais da região litorânea, de forma sustentável e que não descaracterize o ambiente natural ou as atividades tradicionais dessas áreas. A proposta é que essas comunidades gerem uma renda alternativa a partir da Maricultura, por meio da implementação de unidades modulares de produção e da implantação de um programa de educação ambiental. No primeiro ano de projeto, o Cultimar foi estruturado para beneficiar as comunidades litorâneas do Paraná. O litoral paranaense foi concebido como um modelo, que deverá ser, posteriormente, replicado para outras regiões do país. A proposta para o segundo ano é consolidar esse trabalho. Para isso, o Cultimar propõe agora o desenvolvimento de diferentes módulos de trabalho, os quais deverão integrar ações técnicas (aumento de produtividade na maricultura e minimização de possíveis impactos), a realização de estudos genéticos (voltados à conservação dos bancos naturais de organismos marinhos), ações econômicas de estruturação das cadeias produtivas, ações de certificação de origem de organismos cultivados, além das ações no campo educacional e cultural. Os módulos funcionarão como modelos de valorização sócio-ambiental, econômico e cultural, os quais deverão ser capazes de replicação em diferentes locais do Brasil. As áreas técnicas do Cultimar deverão ser ampliadas. Novas possibilidades de geração de renda serão trabalhadas, principalmente aquelas relacionadas à comercialização de iscas-vivas (camarões), da produção de mexilhões e de siris. O projeto visa trabalhar, ainda, a implantação do selo de Qualidade Cultimar para três distintas categorias: (1) produtores de ostras; (2) restaurantes e (3) coletores de sementes, dando continuidade às atividades com as ostras..
Situação: Concluído; Natureza: Desenvolvimento.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Antonio Ostrensky Neto - Coordenador / Débora Pestana - Integrante / Gisela Geraldine Castilho - Integrante / Leandro Ângelo Pereira - Integrante / Manuela Dreyer Silva - Integrante / Marcus Girotto - Integrante.Financiador(es): Instituto HSBC Solidariedade - Auxílio financeiro / Petróleo Brasileiro - Rio de Janeiro - Matriz - Auxílio financeiro.


Membro de corpo editorial


2008 - 2012
Periódico: Revista Brasileira de Zoologia
2006 - Atual
Periódico: Revista do GIA


Revisor de periódico


2005 - Atual
Periódico: Continental Shelf Research (0278-4343)
2004 - Atual
Periódico: Brazilian Journal of Oceanography (1679-8759)
2000 - 2002
Periódico: Atlântica (0102-1656)
2001 - Atual
Periódico: Scientia Agraria (UFPR)
2000 - Atual
Periódico: Archives of Veterinary Science
2006 - Atual
Periódico: Boletim do Instituto de Pesca
1998 - Atual
Periódico: Brazilian Archives of Biology and Technology
2007 - Atual
Periódico: Acta Scientiarum. Biological Sciences
2007 - Atual
Periódico: Archivos de Zootecnia (Universidad de Córdoba)
2007 - Atual
Periódico: Revista Brasileira de Zoologia
2007 - Atual
Periódico: Revista Unopar Científica
2009 - Atual
Periódico: Pesquisa Agropecuária Brasileira
2009 - Atual
Periódico: Pesquisa Agropecuária Brasileira (1977. Impressa)
2009 - Atual
Periódico: Pesquisa Agropecuária Brasileira (Online)
2010 - Atual
Periódico: Revista Brasileira de Ciências Agrárias
2009 - Atual
Periódico: Aquaculture (Amsterdam)
2012 - Atual
Periódico: Acta Amazonica (Impresso)
2013 - Atual
Periódico: Animal Biology
2013 - Atual
Periódico: Acta Oecologica (Montrouge)
2013 - Atual
Periódico: Journal of Integrated Coastal Zone Management
2013 - Atual
Periódico: Journal of Integrated Coastal Zone Management
2014 - Atual
Periódico: Tissue & Cell
2017 - Atual
Periódico: ACTA SCIENTIARUM. ANIMAL SCIENCES


Revisor de projeto de fomento


2017 - Atual
Agência de fomento: National Oceanic and Atmospheric Administration
2016 - Atual
Agência de fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais
2014 - Atual
Agência de fomento: Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas
2009 - Atual
Agência de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
2009 - Atual
Agência de fomento: Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco
2008 - Atual
Agência de fomento: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico
2008 - Atual
Agência de fomento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso
2003 - Atual
Agência de fomento: Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico
2000 - Atual
Agência de fomento: Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca / Subárea: Aqüicultura.
2.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca / Subárea: Aqüicultura/Especialidade: Carcinocultura.
3.
Grande área: Ciências Agrárias / Área: Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca / Subárea: Aqüicultura/Especialidade: Maricultura.
4.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Ecologia / Subárea: Ecologia de Ecossistemas/Especialidade: Diagóstico Monitoramento e Recuperação Ambiental de Ambientes Aquáticos Impactados.
5.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Oceanografia / Subárea: Oceanografia Biológica/Especialidade: Avaliação de Impactos Ambientais.
6.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Biologia Geral / Subárea: Ictiologia.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Prêmios e títulos


2012
Prêmio Finep de Inovação 2012 - Tecnologias Sociais, FINEP.
2007
Destaque no Marketing 2007 (pelo projeto Cultimar), Associação Brasileira de Marketing & Negócios.
2007
6o Marketing Best de Responsabilidade Social (pelo projeto Cultimar), Editora Referência e Madia Marketing School.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

Web of Science
Total de trabalhos:51
Total de citações:501
Fator H:12
Ostrensky, Antonio AON  Data: 13/11/2018

SCOPUS
Total de trabalhos:65
Total de citações:515
Ostrensky, A. or Ostrensky, Antonio  Data: 10/08/2017

Outras
Total de trabalhos:133
Total de citações:1515
Ostrensky, A.; Antonio Ostrensky  Data: 16/06/2017

Artigos completos publicados em periódicos

1.
3Ostrensky, Antonio2018Ostrensky, Antonio; HORODESKY, ALINE ; FAORO, HELISSON ; BALSANELLI, EDUARDO ; SFEIR, MICHELLE ZIBETTI TADRA ; COZER, NATHIELI ; PIE, Marcio Roberto ; DAL PONT, GIORGI ; CASTILHO-WESTPHAL, GISELA GERALDINE . Metagenomic evaluation of the effects of storage conditions on the bacterial microbiota of oysters Crassostrea gasar (Adanson, 1757). JOURNAL OF APPLIED MICROBIOLOGY, v. 07-18, p. jam.14045, 2018.

2.
2STEVANATO, DIEGO J.2018STEVANATO, DIEGO J. ; Ostrensky, Antonio . Ontogenetic development of tetra Astyanax lacustris (Characiformes: Characidae). Neotropical Ichthyology, v. 16, p. e170073, 2018.

3.
1TAVARES, CAMILA PRESTES DOS SANTOS2018TAVARES, CAMILA PRESTES DOS SANTOS ; SILVA, UBIRATÃ ASSIS TEIXEIRA ; PEREIRA, LEANDRO ANGELO ; Ostrensky, Antonio . Systems and techniques used in the culture of soft-shell swimming crabs. Reviews in Aquaculture, v. 10, p. 913-923, 2018.

4.
9Pie, M.R.2017Pie, M.R. ; STROHER, P. R. ; AGOSTINIS, A. O. ; BELMONTE-LOPES, R. ; TADRA-SFEIR, MICHELLE Z. ; OSTRENSKY, A. . Development of a real-time PCR assay for the detection of the golden mussel ( Limnoperna fortunei , Mytilidae) in environmental samples. ANAIS DA ACADEMIA BRASILEIRA DE CIENCIAS, v. 89, p. 1041-1045, 2017.

5.
8O. AGOSTINIS, ANDRÉ2017O. AGOSTINIS, ANDRÉ ; DAL PONT, GIORGI ; HORODESKY, ALINE ; Pie, Marcio R. ; Ostrensky, Antonio . Is There Detectable Long-term Depletion of Genetic Variation in Freshwater Fish Species Affected by an Oil Spill?. WATER AIR AND SOIL POLLUTION, v. 228, p. 256, 2017.

6.
7Pil, Maria W.2017Pil, Maria W. ; Baggio, Rafael A. ; TSCHÁ, MARCEL K. ; MARTELETO, FLÁVIO M. ; Orélis-Ribeiro, Raphael ; PATELLA, LUCIANA ; Chammas, Marcelo ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . The influence of paleoclimate on the distribution of genetic variability and demography of fishes in a large and highly fragmented neotropical river. HYDROBIOLOGIA, v. xx, p. 1-16, 2017.

7.
4HUNGRIA, Diogo B2017HUNGRIA, Diogo B ; TAVARES, C. P. S. ; PEREIRA, L. A. ; Silva, U.A. ; OSTRENSKY, A. . Global status of production and commercialization of soft-shell crabs. AQUACULTURE INTERNATIONAL, v. 1, p. 1-14, 2017.

8.
6Orélis-Ribeiro, Raphael2017Orélis-Ribeiro, Raphael ; Vicente, Vânia A. ; Ostrensky, Antonio ; Chammas, Marcelo A. ; BOEGER, Walter A. . Is Marine Dispersion of the Lethargic Crab Disease Possible? Assessing the Tolerance of Exophiala cancerae to a Broad Combination of Salinities, Temperatures, and Exposure Times. MYCOPATHOLOGIA, v. 1, p. 1-8, 2017.

9.
5CASTILHO-WESTPHAL, G. G.2017CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; OSTRENSKY, A. . Temporal variation in larval abundance of the mangrove oyster Crassostrea sp. in an estuary of southern Brazil. ARCHIVES OF VETERINARY SCIENCE, v. 22, p. 18-27, 2017.

10.
13CASTILHO-WESTPHAL, G. G.2016CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; OSTRENSKY, A. . Use of side-scan sonar for estimations of Crassostrea brasiliana (Lamarck, 1819) stocks in subtidal banks on the south coast of Brazil. Brazilian Journal of Oceanography (Online), v. 64, p. 49-56, 2016.

11.
14OSTRENSKY, A.2016OSTRENSKY, A.; MONTANHINI NETO, R . Desafios para o sucesso da piscicultura em parques aquícolas: o caso do rio Paranapanema. Panorama da Aquicultura, v. 153, p. 24-29, 2016.

12.
12DE OLIVEIRA ZENI, THAYZI2016DE OLIVEIRA ZENI, THAYZI ; VICENTE, ANDRÉ LUIZ ; CASTILHO-WESTPHAL, GISELA GERALDINE ; HORODESKY, ALINE ; MONTANHINI NETO, Roberto ; Ostrensky, Antonio . Effects of iodized salt on the histopathology of the gills and liver in and. Aquaculture Research (Print), v. 2109, p. 1-11, 2016.

13.
11MONTANHINI NETO, Roberto2016MONTANHINI NETO, Roberto ; NOCKO, HELDER RAFAEL ; Ostrensky, Antonio . Carrying capacity and potential environmental impact of fish farming in the cascade reservoirs of the Paranapanema River, Brazil. Aquaculture Research (Print), v. 49, p. 1-17, 2016.

14.
10OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY2016OSTRENSKY, A.; DAL PONT, G. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; PEDRAZZANI, A. S. . Use of Clove, Mint and Camphor Essential Oils on Confinement of Clown Anemonefish Amphiprion ocellaris (Cuvier 1830): Anesthetic Effects and Influence on Water Quality. Journal of Aquaculture Research & Development, v. 7, p. 457, 2016.

15.
15ZENI, T.O.2016ZENI, T.O. ; CASTILHO-WESTPHAL, GISELA G. ; OSTRENSKY, A. . Respostas adaptativas de peixes a alterações ambientais de temperatura e de oxigênio dissolvido. ARCHIVES OF VETERINARY SCIENCE, v. 21, p. 1-16, 2016.

16.
17ROUBACH, R.2015ROUBACH, R. ; Ostrensky, Antonio ; SCHULTER, E. P. ; Bueno, G.W. . Aquaculture Planning, Development In Brazilian Federal Waters. Global Aquaculture Advocate, v. 18, p. 40-43, 2015.

17.
22Ostrensky, Antonio2015Ostrensky, Antonio; PEDRAZZANI, ANA S ; VICENTE, ANDRÉ L . Use of MS-222 (tricaine methanesulfonate) and propofol (2,6-diisopropylphenol) as anaesthetics for the tetra (Teleostei, Characidae). Aquaculture Research (Print), v. 48, p. n/a-n/a, 2015.

18.
18HORODESKY, A.2015HORODESKY, A. ; ABILHOA, Vinícius ; ZENI, T. O. ; MONTANHINI NETO, Roberto ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; OSTRENSKY, A. . Ecological analysis of the ichthyofaunal community ten years after a diesel oil spill at Serra do Mar, Paraná state, Brazil. Global Ecology and Conservation, v. 4, p. 311-320, 2015.

19.
21OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY2015OSTRENSKY, A.; MONTANHINI NETO, Roberto ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; ZENI, T. O. ; ABILHOA, Vinícius ; HORODESKY, A. . Population structure of fish from the Serra do Mar, Paraná, Brazil: a comparative analysis of environments affected and by oil spills and unaffected areas. Journal of Ecology and The Natural Environment (JENE), v. 1, p. 55-62, 2015.

20.
16ZENI, T.O.2015ZENI, T.O. ; HORODESKY, A. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; OSTRENSKY, A. . Analysis of Tissue Alterations and Quantitative Histopathological Indices in Rhamdia quelen (Quoy & Gaimard, 1824) and Metynnis maculatus (Kner, 1858) During Treatment of Ichthyophthiriasis. Annual Research & Review in Biology, v. 8, p. 1-10, 2015.

21.
19MONTANHINI NETO, R2015MONTANHINI NETO, R ; NOCKO, HR ; Ostrensky, A . Environmental characterization and impacts of fish farming in the cascade reservoirs of the Paranapanema River, Brazil. AQUACULT ENV INTERAC, v. 6, p. 255-272, 2015.

22.
20Ostrensky, A2015Ostrensky, A; VENTURA, R. ; CORREA, A. M. A. ; SANTOS, G. V. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. . Improving production of soft-shelled swimming crabs: macroscopic signs of molting as a tool for selection and management of Callinectes danae and Callinectes exasperatus (Portunidae, Decapoda, Crustacea). Archives of Veterinary Science, v. 20, p. 122-131, 2015.

23.
29PEDRAZZANI, ANA SILVIA2014PEDRAZZANI, ANA SILVIA ; PHAM, NANCY KIM ; LIN, JUNDA ; NETO, ANTONIO OSTRENSKY . Reproductive behavior, embryonic and early larval development of the red head goby, Elacatinus puncticulatus. Animal Reproduction Science (Print), v. 145, p. 69-74, 2014.

24.
25OLIVEIRA NETO, J. F.2014OSTRENSKY, A.; OLIVEIRA NETO, J. F. ; Baggio, Rafael A. ; Chammas, Marcelo A. ; Boeger, Walter A. . Assessing the genetic diversity and gene flow of populations of the crab Ucides cordatus (Decapoda: Ocypodidae) on the Brazilian Coast using microsatellite markers. Journal of Crustacean Biology, v. 34, p. 70-75, 2014.

25.
27VENTURA, R.2014VENTURA, R. ; PEREIRA, L. A. ; Perbiche-Neves, G. ; Silva, M. D. ; Boeger, W. A. ; OSTRENSKY, A. . Effects of shrimp cage farming on sediment nutrients in a subtropical estuary. Brazilian Journal of Aquatic Science and Technology (Impresso), v. 17, p. 5-8, 2014.

26.
26Cottens, K. F.2014Cottens, K. F. ; Silva, Ubiratã A. T. da ; VENTURA, R. ; Menezes, F. ; OSTRENSKY, A. . Cultivo de larvas de Ucides cordatus (LINNAEU, 1763) sob diferentes intensidades luminosas. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 66, p. 1464-1470, 2014.

27.
28MONTANHINI NETO, R.2014MONTANHINI NETO, R. ; Ostrensky, A. . Evaluation of commercial feeds intended for the Brazilian production of Nile tilapia ( Oreochromis niloticus L.): nutritional and environmental implications. Aquaculture Nutrition (Print), v. 21, p. n/a-n/a, 2014.

28.
24PEDRAZZANI, ANA SILVIA2014PEDRAZZANI, ANA SILVIA ; NETO, ANTONIO OSTRENSKY . The anaesthetic effect of camphor ( Cinnamomum camphora ), clove ( Syzygium aromaticum ) and mint ( Mentha arvensis ) essential oils on clown anemonefish, Amphiprion ocellaris (Cuvier 1830). Aquaculture Research (Print), v. 47, p. n/a-n/a, 2014.

29.
23CASTILHO-WESTPHAL, G. G.2014CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; DAL PONT, G. ; HORODESKY, A. ; OSTRENSKY, A. . Comunidades ribeirinhas extrativistas e a exploração de bancos de ostras do mangue Crassostrea sp., na baía de Guaratuba - Paraná, litoral sul do Brasil. Bioscience Journal (Online), v. 30, p. 912-923, 2014.

30.
30MONTANHINI NETO, R.2013MONTANHINI NETO, R. ; OSTRENSKY, A. . Assessment of the use of statistical methods in articles published in a journal of veterinary science from 2000 to 2010. Acta Scientiarum. Technology (Impresso), v. 35, p. 97-102, 2013.

31.
32SAMPAIO, F.2013SAMPAIO, F. ; OSTRENSKY, A. . Brazilian environmental legislation as tool to conserve marine ornamental fish. Marine Policy, v. 42, p. 280-285, 2013.

32.
37MONTANHINI NETO, R.2013MONTANHINI NETO, R. ; Ostrensky, A . Nutrient load estimation in the waste of Nile tilapia Oreochromis niloticus (L.) reared in cages in tropical climate conditions. Aquaculture Research (Print), p. n/a-n/a, 2013.

33.
31Guerra, Raquel Schier2013Guerra, Raquel Schier ; NASCIMENTO, MARIANA MACHADO FIDELIS ; Miesch, Stephanie ; NAJAFZADEH, MOHAMMAD JAVAD ; RIBEIRO, Raphael Orélis ; OSTRENSKY, A. ; HOOG, GERRIT SYBREN ; VICENTE, VANIA APARECIDA ; Boeger, Walter A. ; BOEGER, W. A. . Black Yeast Biota in the Mangrove, in Search of the Origin of the Lethargic Crab Disease (LCD). Mycopathologia (1975. Print), v. 175, p. 421-430, 2013.

34.
34CASTILHO-WESTPHAL, GISELA G.2013CASTILHO-WESTPHAL, GISELA G. ; OSTRENSKY, A. ; Pie, Marcio R. ; Boeger, Walter A. ; BOEGER, W. A. . Morphology of the female reproductive system and reproductive cycle of the mangrove land crab Ucides cordatus (L.) in the Baía de Antonina, Paraná, Brazil. Acta Zoologica (Stockholm), v. 94, p. 86-93, 2013.

35.
36Ayres, B.2013OSTRENSKY, A.; Ayres, B. ; Silva, U. T. A. ; VENTURA, R. ; VENTURA, R. ; Boeger, W. A. . Morphometric comparison between hatchery-reared and wild-caught megalopae of the mangrove crab. Pesquisa Agropecuária Brasileira (1977. Impressa), v. 48, p. 1159-1162, 2013.

36.
33CASTILHO-WESTPHAL, GISELA G.2013CASTILHO-WESTPHAL, GISELA G. ; MAGNANI, FRANCESCO P. ; Ostrensky, Antonio . Gonad morphology and reproductive cycle of the mangrove oyster Crassostrea brasiliana (Lamarck, 1819) in the baía de Guaratuba, Paraná, Brazil. Acta Zoologica (Stockholm), v. 96, p. n/a-n/a, 2013.

37.
35BUENO, GUILHERME W.2013BUENO, GUILHERME W. ; OSTRENSKY, A. ; Canzi, C. ; TAVARES, Flávia ; ROUBACH, RODRIGO . Implementation of aquaculture parks in Federal Government waters in Brazil. Reviews in Aquaculture, p. n/a-n/a, 2013.

38.
43Orélis-Ribeiro, Raphael2012Orélis-Ribeiro, Raphael ; Chammas, Marcelo A. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. ; Boeger, Walter A. . Viability of the etiologic agent of the Lethargic Crab Disease, Exophiala cancerae, during cooking of the mangrove-land crab: Does this traditional dish represent a risk to humans?. Food Control, v. 25, p. 591-593, 2012.

39.
39SILVA, U. A.2012SILVA, U. A. ; COTTENS, K. F. ; SOUZA, R. V. ; Boeger, W. A. ; OSTRENSKY, A. . Different pathways in the larval development of the crab Ucides cordatus (Decapoda, Ocypodidae) and their relation with high mortality rates by the end of massive larvicultures. Pesquisa Veterinária Brasileira (Impresso), v. 32, p. 284-288, 2012.

40.
38Vicente, Vania A.2012Vicente, Vania A. ; Orélis-Ribeiro, R. ; Najafzadeh, M.J. ; Sun, Jiufeng ; Guerra, Raquel Schier ; Miesch, Stephanie ; OSTRENSKY, A. ; Meis, Jacques F. ; Klaassen, Corné H. ; de Hoog, G.S. ; Boeger, Walter A. ; BOEGER, W. A. . Black yeast-like fungi associated with Lethargic Crab Disease (LCD) in the mangrove-land crab, Ucides cordatus (Ocypodidae). Veterinary Microbiology (Amsterdam. Print), v. 158, p. 109-122, 2012.

41.
42PIL, M. W.2012OSTRENSKY, A.; PIL, M. W. ; BOEGER, M. R. T. ; BOEGER, M. R. T. ; PIE, M. ; GOLDENBERG, R. ; BOEGER, W. . Testing hypotheses for morphological differences among populations of Miconia sellowiana (Melastomataceae) in southern Brazil. Acta Scientiarum. Biological Sciences (Online), v. 34, p. 85-90, 2012.

42.
40NETO, ROBERTO MONTANHINI2012NETO, ROBERTO MONTANHINI ; ZENI, THAYZI O. ; Ludwig, Sandra ; HORODESKY, ALINE ; GIROTTO, MARCUS V.F. ; CASTILHO-WESTPHAL, GISELE G. ; Ostrensky, Antonio . Influence of environmental variables on the growth and reproductive cycle of Crassostrea (Mollusca, Bivalvia) in Guaratuba Bay, Brazil. Invertebrate Reproduction & Development, v. 57, p. 1-11, 2012.

43.
41MONTANHINI NETO, R.2012MONTANHINI NETO, R. ; OSTRENSKY, A. ; MONTANHINI NETO, R. . Revisão: Uso de modelos matemáticos para avaliação da influência de variáveis ambientais sobre o desenvolvimento de ostras no Brasil. Pubvet (Londrina), v. 6, p. 1284, 2012.

44.
49Orélis-Ribeiro, Raphael2011Orélis-Ribeiro, Raphael ; BOEGER, W. A. ; Boeger, Walter A. ; Vicente, Vânia A. ; OSTRENSKY, A. ; Chammas, Marcelo . Fulfilling Koch's postulates confirms the mycotic origin of Lethargic Crab Disease. Antonie van Leeuwenhoek (Gedrukt), v. 99, p. 601-608, 2011.

45.
50VENTURA, R.2011VENTURA, R. ; SILVA, U. A. ; OSTRENSKY, A. ; COTTENS, K. F. . Intraspecific interactions in the mangrove crab Ucides cordatus (Decapoda: Ocypodidae) during the metamorphosis and post-metamorphosis periods under laboratory conditions. Revista Brasileira de Zoologia (Impresso) (Cessou em 2008. Cont. ISSN 1984-4670 Zoologia (Curitiba. Impresso)), v. 28, p. 1-7, 2011.

46.
54Pie, M. R.2011Pie, M. R. ; Boeger, W. A. ; Patella, L. A. ; VICENTE, V. ; RIBEIRO, R.O. ; OSTRENSKY, A. . Specific primers for the detection of the black-yeast fungus associated with lethargic crab disease (LCD). Diseases of Aquatic Organisms, v. 94, p. 73-75, 2011.

47.
51VENTURA, R.2011VENTURA, R. ; Vicente, A. L. ; Santos, Alex Alves ; NOVAES, A. L. T. ; Silva, Fabiano Müller ; OSTRENSKY, A. . Malacocultura em Santa Catarina: Maricultores, extensionistas e pesquisadores apontam problemas e demandas. Panorama da Aqüicultura, v. 21, p. 36-41, 2011.

48.
53Pil, M. W.2011Pil, M. W. ; Boeger, M. R. T. ; Muschner, V. C. ; Pie, M. R. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Postglacial north-south expansion of populations of Rhizophora mangle (Rhizophoraceae) along the Brazilian coast revealed by microsatellite analysis. American Journal of Botany, p. 1-9, 2011.

49.
45BUENO, G. W.2011BUENO, G. W. ; MATOS, F. T. ; CANZI, C. ; OSTRENSKY, A. ; SAMPAIO, M. B. ; BARONE, R. S. C. ; ROUBACH, R. . A capacidade de suporte produção de peixes cultivados em reservatórios: Ferramentas utilizadas na estimativa da capacidade de suporte. Panorama da Aqüicultura, v. 21, p. 30-37, 2011.

50.
47Ludwig, Sandra2011Ludwig, Sandra ; Patella, Raquel ; Stoiev, Sérgio ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; Girotto, Marcus V. F ; OSTRENSKY, A. . A molecular method to detect and identify the native species of southwestern Atlantic Crassostrea (Mollusca: Ostreidae). ZOOLOGIA-CURITIBA, v. 28, p. 420-426, 2011.

51.
48SAMPAIO, F.2011SAMPAIO, F. ; CARMO, T. M. S. ; OSTRENSKY, A. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; ZENI, T. O. . Determinação do período reprodutivo e do tamanho de maturação funcional dos ovários de Ucides cordatus (Linnaeus, 1763) (Brachyura, Ocypodidae) na baía de Vitória, Espírito Santo. Archives of Veterinary Science, v. 16, p. 87-96, 2011.

52.
52Castilho, Gisela G.2011Castilho, Gisela G. ; OSTRENSKY, A. ; Pie, Marcio R. ; BOEGER, W. A. ; Boeger, Walter A. . Phenotypical traits and gonadal development in mangrove land crab, Ucides cordatus (Decapoda: Ocypodidae). Acta Zoologica (Stockholm), v. 92, p. 393-397, 2011.

53.
46Bueno, G.W.2011Bueno, G.W. ; TAVARES, Flávia ; Canzi, C. ; OSTRENSKY, A. ; Sampaio, M.B. ; Barone, R.S.C. ; ROUBACH, R. . A capacidade suporte: Produção de peixes em reservatórios - Bases conceituais. Panorama da Aqüicultura, v. 21, p. 48-59, 2011.

54.
44Baggio, Rafael A.2011Baggio, Rafael A. ; Pil, Maria W. ; BOEGER, W. A. ; Boeger, Walter A. ; Patella, Luciana A. ; OSTRENSKY, A. ; Pie, Marcio R. . Genetic evidence for multiple paternity in the mangrove land crab Ucides cordatus (Decapoda: Ocypodidae). Marine Biology Research (Print), v. 7, p. 520-524, 2011.

55.
56Angelo, L.2010OSTRENSKY, A.; Angelo, L. ; VENTURA, R. ; Perbiche-Neves, G. ; Boeger, W. A. . Influência do cultivo de camarões marinhos em tanque-rede sobre a qualidade da água e a estrutura da comunidade zooplanctônica na Baía de Guaratuba, Paraná. Revista Brasileira de Zootecnia (Online), v. 39, p. 2315-2322, 2010.

56.
58VENTURA, R.2010VENTURA, R. ; VENTURA, R. ; Silva, U. T. A. ; COTTENS, K. F. ; OSTRENSKY, A. ; Boeger, W. A. . Restocking Ucides cordatus (Decapoda: Ocypodidae): interespecific associations as a limiting factor to the survival of released recruits. Brazilian Journal of Oceanography (Impresso), v. 58, p. 207-212, 2010.

57.
59VENTURA, R.2010VENTURA, R. ; Silva, U. T. A. ; OSTRENSKY, A. ; COTTENS, K. F. ; Perbiche-Neves, G. . Survival of Ucides cordatus (Decapoda: Ocypodidae) megalopae during transport under different conditions of densities and durations. Revista Brasileira de Zoologia (Impresso) (Cessou em 2008. Cont. ISSN 1984-4670 Zoologia (Curitiba. Impresso)), v. 27, p. 845-847, 2010.

58.
57PESTANA, DEBORA2010PESTANA, DEBORA ; Ostrensky, Antonio ; TSCHá, MARCEL KRUCHELSKI ; BOEGER, Walter A. . Prospecção do molusco invasor Limnoperna fortunei (Dunker, 1857) nos principais corpos hídricos do estado do Paraná, Brasil. Papéis Avulsos de Zoologia (USP.Museu de Zoologia. Impresso), v. 50, p. 553-559, 2010.

59.
55COTTENS, K. F.2010COTTENS, K. F. ; SILVA, U. A. T. ; BECKER, A. G. ; ISTCHUK, P. I. ; OSTRENSKY, A. . A variação da taxa de sobrevivência e do tempo de desenvolvimento das larvas de Ucides cordatus (Linnaeus, 1763) cultivadas sob diferentes temperaturas. Boletim Técnico-Científico do CEPNOR, v. 10, p. 67-78, 2010.

60.
65Pestana, D.2009OSTRENSKY, A.; Pestana, D. ; BOEGER, Walter A. ; PIE, Marcio Roberto . The effect of temperature and body size on filtration rates of Limnoperna fortunei (Bivalvia, Mytilidae) under laboratory conditions. Brazilian Archives of Biology and Technology (Impresso), v. 52, p. 135-144, 2009.

61.
64Ferreira, C. P.2009Ferreira, C. P. ; PIE, M. R. ; Esteva, L. ; Mancera, P. F. A. ; BOEGER, W. A. ; OSTRENSKY, A. . Modelling the lethargic crab disease. Journal of Biological Dynamics (Print), v. 3, p. 620-634, 2009.

62.
66FRANCESCHI, Francisco2009FRANCESCHI, Francisco ; CASTILHO, G. G. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, Walter . Variação da concentração de bactérias fecais na carne de ostras do mangue, Crassostrea rhizophorae (GUILDING, 1828), coletadas em bancos naturais da Baía de Guaratuba, Paraná, Brasil. Higiene Alimentar, v. 23, p. 10-15, 2009.

63.
61SILVA, U. A.2009SILVA, U. A. ; MENEZES, F. R. ; SOUZA, R. V. ; COELHO NETO, A. ; BOEGER, W. A. ; OSTRENSKY, A. . A aqüicultura a serviço da conservação: A produção de larvas de caranguejo-uçá em sistema de cultivo em mesocosmos.. Panorama da Aqüicultura, v. 113, p. 24-31, 2009.

64.
63COISTA, Paulo Vicente2009COISTA, Paulo Vicente ; SILVA, U. A. ; SOUZA, R. V. ; OSTRENSKY, A. ; PEREIRA, L. Â. . Fish predation on brachyuran larvae and juveniles in the Pinheiros river, Guaratuba Bay, Paraná, Brazil. Zoologia (Curitiba. Impresso), v. 26, p. 231-240, 2009.

65.
62OSTRENSKY, A.2009OSTRENSKY, A.. Aquicultura e Biodiversidade: precaução ou exagero?. Panorama da Aqüicultura, v. 115, p. 30-36, 2009.

66.
60Pie, M.R.2009Pie, M.R. ; Pie, M. R. ; Baggio, R. A. ; Boeger, W. A. ; Patella, L. A. ; OSTRENSKY, A. ; Vitule, J. R. S. ; Abilhoa, V. . Molecular data reveal a diverse Astyanax species complex in the upper Iguaçu River. Journal of Fish Biology, v. 75, p. 2357-2362, 2009.

67.
75Pestana, D.2008OSTRENSKY, A.; Pestana, D. ; PIE, Marcio Roberto ; BOEGER, Walter A. . Seasonal variation in larval density of Limnoperna fortunei (Bivalvia, Mytilidae) in the Iguaçu and Paraná rivers, in the region of Foz do Iguaçu, Paraná, Southern Brazil. Brazilian Archives of Biology and Technology (Impresso), v. 51, p. 607-612, 2008.

68.
68Ventura, R.2008OSTRENSKY, A.; Ventura, R. ; SILVA, Ubiratã A ; Perbiche-Neves, G. ; BOEGER, Walter A. ; PIE, Marcio Roberto . Duration of the pre-settlement period of the mangrove crab Ucides cordatus (Decapoda: Ocypodidae) under laboratory conditions. Brazilian Archives of Biology and Technology (Impresso), v. 51, p. 957-962, 2008.

69.
71Ventura, R.2008Ventura, R. ; Silva, U.A. ; Perbiche-Neves, G. ; OSTRENSKY, A. ; Boeger, W. A. ; Pie, M.R. . Larval cannibalism rates in the mangrove crab Ucides cordatus (Decapoda: Ocypodidae) under laboratory conditions. Aquaculture Research, v. 39, p. 263-267, 2008.

70.
74De Oliveira-Neto, José F.2008De Oliveira-Neto, José F. ; Pie, Marcio R. ; Chammas, Marcelo A. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, Walter A. . Phylogeography of the blue land crab, Cardisoma guanhumi (Decapoda: Gecarcinidae) along the Brazilian coast. Journal of the Marine Biological Association of the United Kingdom, v. 88, p. 1417-1423, 2008.

71.
67Prodocimo, V.2008Prodocimo, V. ; TschÁ, M. K. ; PIE, M. R. ; Oliveira-Neto, J. F. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Lack of genetic differentiation in the fat snook Centropomus parallelus (Teleostei: Centropomidae) along the Brazilian coast. Journal of Fish Biology, v. 73, p. 2075-2082, 2008.

72.
69CASTILHO-WESTPHAL, G. G.2008CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; OSTRENSKY, A. ; PIE, M. R. ; Boeger, W. A. . Estado da arte das pesquisas com o caranguejo-uçá Ucides cordatus. Archives of Veterinary Science, v. 13, p. 149-164, 2008.

73.
73PEDRAZZANI, A. S.2008PEDRAZZANI, A. S. ; OSTRENSKY, A. ; CARNEIRO, P. C. F. ; GAYER, M. V. ; MOLENTO, C. F. M. . Opinião pública e educação sobre abate humanitário de peixes no município de araucária, Paraná.. Ciência Animal Brasileira (UFG. Impresso), v. 9, p. 976-983, 2008.

74.
70CASTILHO, G. G.2008CASTILHO, G. G. ; FARIAS, Helena ; IVANKIU, C. ; GIROTTO, M. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, Walter . Gestão da qualidade em mercados municipais de pescado. Aquicultura e Pesca. Revista Aqüicultura & Pesca, v. 36, p. 70-74, 2008.

75.
76Pie, M. R.2008Pie, M. R. ; Oliveira-Neto, J. F. ; BOEGER, W. A. ; OSTRENSKY, A. ; BAGGIO, R. A. . The Organization of the Mitochondrial Control Region in 2 Brachyuran Crustaceans: Ucides cordatus (Ocypodidae) and Cardisoma guanhumi (Gecarcinidae). Journal of Heredity, v. 99, p. 432-437, 2008.

76.
72CASTILHO, G. G.2008OSTRENSKY, A.; CASTILHO, G. G. ; PIE, Márcio Roberto ; BOEGER, Walter . Morphology and histology of the male reproductive system of the mangrove land crab Ucides cordatus (L.) (Crustacea, Brachyura, Ocypodidae). Acta Zoologica Online, v. 89, p. 157-161, 2008.

77.
77OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY2007OSTRENSKY, A.; BORGHETTI, J. R. . A Panorama-L como instrumento de diagnóstico da aqüicultura brasileira.. Panorama da Aqüicultura, v. 98, p. 74-78, 2007.

78.
78Oliveira Neto, José F.2007Oliveira Neto, José F. ; BOEGER, Walter A. ; PIE, Marcio Roberto ; OSTRENSKY, A. ; HUNGRIA, Diogo B . Genetic structure of populations of the mangrove crab Ucides cordatus (Decapoda: Ocypodidae) at local and regional scales. Hydrobiologia (The Hague), v. 586, p. 69-76, 2007.

79.
79BOEGER, Walter A2007BOEGER, Walter A ; PIE, Marcio Roberto ; VICENTE, Vania ; OSTRENSKY, A. ; HUNGRIA, Diogo B ; CASTILHO, Gisele . Histopathology of the mangrove land crab, Ucides cordatus (Ocypodidae), affected by Lethargic Crab Disease: clues to understand the disease. Diseases of Aquatic Organisms, v. 78, p. 73-81, 2007.

80.
80OLIVERA NETO, José Francisco2007OLIVERA NETO, José Francisco ; PIE, Marcio Roberto ; BOEGER, Walter A. ; OSTRENSKY, A. ; BAGGIO, R. A. . Population genetics and evolutionary demography of Ucides cordatus (Decapoda: Ocypodidae). Marine Ecology, v. 28, p. 460-469, 2007.

81.
81Boeger, W. A.2007Boeger, W. A. ; Pie, M.R. ; Falleiros, R.M. ; OSTRENSKY, A. ; Darrigran, G. ; Mansur, M.C.D. ; Belz, C. E. . Testing a molecular protocol to monitor the presence of golden mussel larvae (Limnoperna fortunei) in plankton samples. Journal of Plankton Research, v. 29, p. 1015-1019, 2007.

82.
82PIE, M. R.2006PIE, M. R. ; RIBEIRO, Raphael Orélis ; BOEGER, Walter Antonio ; OSTRENSKY, A. ; FALLEIROS, R. ; PEREIRA, L. Â. . A simple PCR-RFLP method for the discrimination of native and introduced oyster species (Crassostrea brasiliana, C. rhizophorae and C. gigas; Bivalvia: Ostreidae) cultured on the Brazilian coast.. Aquaculture Research, v. 37(15), n.no prelo, p. 1598-1600, 2006.

83.
84OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY2006OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. A. ; PIE, M. R. ; CARDOSO, M. F. . The effect of exposure to seismic prospecting on coral reef fishes. Brazilian Journal of Oceanography (Impresso), v. 54, p. 235-239, 2006.

84.
83SILVA, U. A.2006SILVA, U. A. ; OSTRENSKY, A. ; SOUZA, Robson Ventura de ; Santos, A.F. ; BOEGER, W. A. . Caranguejo-uçá - A produção em laboratório.. Panorama da Aqüicultura, v. 94, p. 16-21, 2006.

85.
86ANDRIGUETTO FILHO, José Milton2005OSTRENSKY, A.; ANDRIGUETTO FILHO, José Milton ; PIE, Márcio ; SILVA, Ubiratã Assis Teixeira da ; BOEGER, Walter Antonio . Evaluating the impact of seismic prospecting on artisanal shrimp fisheries. Continental Shelf Research, England, v. 25, p. 1720-1727, 2005.

86.
87BOEGER, Walter Antonio2005OSTRENSKY, A.; BOEGER, Walter Antonio ; PIE, Márcio ; AZAMBUJA, Luciana Patela . Lethargic crab disease: multidisciplinary evidence supports a mycotic etiology. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz (Impresso), Rio de Janeiro, v. 100, p. 161-167, 2005.

87.
85BOEGER, W. A.2005BOEGER, W. A. ; OSTRENSKY, A. ; PIE, M. R. ; VICENTE, Vânia . A doença do caranguejo letárgico.. Ciência Hoje, v. 221, p. 68-71, 2005.

88.
88OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY2004OSTRENSKY, A.; VIANA, L. S. . A dança dos números da piscicultura paranaense.. Panorama da Aqüicultura, v. 84, p. 28-32, 2004.

89.
89BOEGER, W. A.2004BOEGER, W. A. ; PIE, M. R. ; OSTRENSKY, A. . Doença do Caranguejo Letárgico: análises indicam que um fungo é o agente patogênico responsável pela mortandade de caranguejos no Nordeste do Brasil.. Panorama da Aqüicultura, v. 85, p. 24-27, 2004.

90.
90OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY2002OSTRENSKY, A.. O Milagre da Multiplicação dos Peixes. Panorama da Aqüicultura, v. 72, p. 53-56, 2002.

91.
91OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY2002OSTRENSKY, A.. Os números da piscicultura paranaense.. Panorama da Aqüicultura, v. 71, p. 55-56, 2002.

92.
92OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY2001OSTRENSKY, A.; BORGHETTI, José Roberto . Espécies cultivadas na aquicultura brasileira. Revista Brasileira de Agropecuária, São Paulo - SP, v. I, n.11, p. 18-27, 2001.

93.
93OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY2001OSTRENSKY, A.. Stocking-density effects on the the shrimp, Litopenaeus vannamei, production in cages.. Brazilian Archives of Biology and Technology, v. 44, n.1, p. 34-42, 2001.

94.
94OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY2000OSTRENSKY, A.; PESTANA, D. . Avaliação das taxas de crescimento de Farfantepenaeus paulensis Pérez-Farfante, 1967 em viveiros de cultivo. Archives of Veterinary Science, Curitiba, v. 5, p. 5-15, 2000.

95.
95OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1997OSTRENSKY, A.; PESTANA, D. ; STERNHAIM, U. S. . Effects Of Different Diets On The Larval Development And On The Ammonia Excretion Rates Of The Crab Chasmagnathus Granulata Dana, 1851, Under Laboratory Conditions.. Ciência e Cultura (SBPC), v. 49, n.3, p. 205-210, 1997.

96.
96OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1997OSTRENSKY, A.; BORGHETTI, J. R. . Pólos aqüícolas brasileiros: As regiões com potencial para o crescimento da atividade.. Panorama da Aqüicultura, v. 44, p. 23-27, 1997.

97.
99OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1995OSTRENSKY, A.; PESTANA, D. . Occurrence of an alternative pathway in the larval development of the crab Chasmagnathus granulata Dana, 1851 under laboratory conditions. Hydrobiologia (The Hague. Print), Holanda, v. 306, p. 33-40, 1995.

98.
97OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1995OSTRENSKY, A.; WASIELESKY, W. . Acute toxicity of ammonia to various life stages of the São Paulo shrimp, Penaeus paulensis Pérez-Farfante, 1967. Aquaculture (Amsterdam), USA, v. 132, p. 339-347, 1995.

99.
98OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1995OSTRENSKY, A.; STERNHAIN, U. S. ; BRUM, E. ; WEGBECHER, F. X. ; PESTANA, D. . Análise da Viabilidade Técnico-Econômica do Cultivo do Caranguejo-Uça No Litoral Paranaense.. Brazilian Archives of Biology and Technology (Impresso), v. 38, n.3, p. 939-947, 1995.

100.
100OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1994OSTRENSKY, A.; WASIELESKY JR, W. ; PESTANA, D. . Toxicidade Aguda da Amônia Para Artemia Sp.. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 64, n.4, p. 391-395, 1994.

101.
102OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1993OSTRENSKY, A.. Toxicidade Aguda do Nitrito Para O Rotífero Brachionus Plicatilis.. Brazilian Archives of Biology and Technology, v. 36, n.1, p. 125-132, 1993.

102.
101OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1993OSTRENSKY, A.; POERSCH, L. H. . Toxicidade Aguda do Nitrito Na Larvicultura do Camarão-Rosa Penaeus Paulensis Pérez-Farfante, 1967.. Nerítica (Pontal do Sul), v. 7, n.1-2, p. 99-105, 1993.

103.
105OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1992OSTRENSKY, A.; POERSCH, L. H. ; MARCHIORI, M. A. . Toxicidade Aguda da Amônia No Processo Produtivo de Pós-Larvas de Penaeus Paulensis Pérez-Farfante, 1967.. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 64, n.4, p. 383-389, 1992.

104.
103OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1992OSTRENSKY, A.; WASIELESKY JR, W. . Efeitos da Amônia Sobre O Desenvolvimento e Sobrevivência Populacional do Rotífero Brachionus Plicatilis (Muller).. Revista Brasileira de Biologia, v. 52, n.2, p. 355-360, 1992.

105.
104OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1992OSTRENSKY, A.. Studies On The Viability Of Silverside Odontesthes Argentinensis Cultivations: Acute Toxicity Of Ammonia.. Ciência e Cultura (SBPC), p. 413-414, 1992.

106.
106OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1992OSTRENSKY, A.; WASIELESKY, W.J. ; PESTANA, D. . Toxicidade Aguda da amônia para Artemia sp. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 64, n.4, p. 391-395, 1992.

107.
107OSTRENSKY, A.;Ostrensky, Antonio;Antonio Ostrensky;Ostrensky, Antonio;Ostrensky, A;Ostrensky, A.;Ostrensky, Antonio.;Ostrensky Neto, A;Ostrensky Neto, A.;Antonio Ostrensky Neto;NETO, ANTONIO OSTRENSKY1991OSTRENSKY, A.; MARCHIORI, M. A. ; SANTOS, M. H. S. . A Degradação de Alimentos Naturais Utilizados Na Maturação de Penaeus Paulensis e Sua Influência Sobre A Qualidade da Água.. Brazilian Archives of Biology and Technology, v. 34, n.2, p. 251-261, 1991.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
OSTRENSKY, A.; STEVANATO, D. J. ; DAL PONT, GIORGI ; CASTILHO-WESTPHAL, GISELA G. ; GIROTTO, M. V. F. ; COZER, N. ; GARCIA-MADRIGAL, R. F. A. ; SILVA, U.A.T. . A produção integrada na carcinicultura brasileira: princípios e práticas para se cultivar camarões marinhos de forma mais racional e eficiente: Volume I - Aspectos biológicos, sanitários, legais, ambientais, sociais e operacionais. 1. ed. Curitiba: Instituto GIA, 2017. v. 2. 273p .

2.
OSTRENSKY, A.; COZER, N. ; SILVA, U.A.T. . A produção integrada na carcinicultura brasileira: princípios e práticas para se cultivar camarões marinhos de forma mais racional e eficiente. Vol. II - Cultivando camarões marinhos. 1. ed. Curitiba: Instituto GIA, 2017. v. 2. 315p .

3.
BORGHETTI, J. R. ; OSTRENSKY, A. ; PESTANA, D. ; OSTRENSKY, V. P. . A água no setor industrial da região do Alto Iguaçu e dos afluentes do Alto Ribeira: em busca de alternativas para o uso mais eficiente. 1. ed. Curitiba, PR: Instituto GIA, 2017. v. 1. 180p .

4.
OSTRENSKY, A.; BORGHETTI, J. R. ; PESTANA, D. ; PINTO, F. M. V. S. . A água na indústria: uma análise da visão do setor industrial da região do Alto Iguaçu e afluentes do Ribeira. 1. ed. Curitiba. PR: Instituto GIA, 2017. v. 1. 208p .

5.
Ostrensky, A.; CASTILHO, G. G. ; PESTANA, D. . Cartilha de Rastreabilidade - Ostras cultivadas. 1. ed. Brasília: Sebrae, 2016. v. 1. 65p .

6.
CASTILHO, G. G. ; PESTANA, D. ; Ostrensky, A. . Manual de ostreicultura com espécies nativas da região Nordeste do Brasil: sanidade e profilaxia.. 1. ed. Brasília: Sebrae, 2016. v. 2. 169p .

7.
CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; OSTRENSKY, A. ; HUNGRIA, D. ; YAMASHIRO, K. C. E. ; GRAF, L.B.M. ; BOEGER, W. A. P. . Atlas Anatômico e histológico do Caranguejo-uçá (Ucides cordatus) / Atlas of anatomy and hiiswtology of mangrove land crab (ucides cordatu). 1. ed. Curitiba: Editora da UFPR, 2016. v. 1. 112p .

8.
CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; OSTRENSKY, A. . Ecologia da ostra do mangue - Ostras da espécie Crassostrea brasiliana em manguezais do litoral sul do Brasil. 1. ed. Alemanha: Saarbrücken, 2015. v. 1. 190p .

9.
OSTRENSKY, A.; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; GIROTTO, M. V. F. ; Souza, M.L. . Rastreabilidade na ostreicultura: conceitos, fundamentos e casos de sucesso.. 1. ed. Brasília: Sebrae, 2015. v. I. 239p .

10.
OSTRENSKY, A.; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; ZENI, T. O. ; HORODESKY, A. ; GIROTTO, M. V. F. ; HUNGRIA, D. B. ; PESTANA, D. . Fichas Técnicas Ilustradas - Organismos Identificados nas ostras cultivadas no Nordeste do Brasil. 1. ed. Brasília: Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas ? Sebrae, 2015. v. 1. 45p .

11.
CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; GIROTTO, M. V. F. ; HORODESKY, A. ; HUNGRIA, D. B. ; OSTRENSKY, A. . Manual de Boas Práticas: Qualidade e Segurança para Bons Negócios. 1. ed. Brasília: Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas ? Sebrae, 2015. v. 1. 54p .

12.
YAMASHIRO, K. C. E. (Org.) ; SILVA, M. D. (Org.) ; LINS, J. A. N. (Org.) ; OSTRENSKY, A. (Org.) . A floresta dos sonhos. 1. ed. CURITIBA: Innstituto GIA, 2011. 36p .

13.
OSTRENSKY, A.; BORGHETTI, J. R. (Org.) ; SOTO, D. (Org.) . Aqüicultura no Brasil: o desafio é crescer. Brasília: Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), 2008. v. I. 270p .

14.
SIQUEIRA, R. P. ; MELLINGER, L. L. ; SILVA, M. D. ; OLIVEIRA, J. ; PESTANA, D. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Recursos naturais na vida caiçara.. 1. ed. Curitiba: Grupo Integrado de Aqüicultura e Estudos Ambientais, 2008. v. I. 76p .

15.
SILVA, M. D. (Org.) ; SIQUEIRA, R. P. (Org.) ; GALVAO, M. (Org.) ; Boeger, W. A. (Org.) ; OSTRENSKY, A. (Org.) . As lendas na educação - estórias do Baixo Sul e do Recôncavo Baiano. 1. ed. Curitiba: Instituto GIA, 2008. v. 1. 68p .

16.
GALVAO, M. (Org.) ; SILVA, M. D. (Org.) ; MELLINGER, L. L. (Org.) ; OLIVEIRA, J. (Org.) ; PESTANA, D. (Org.) ; OSTRENSKY, A. (Org.) ; BOEGER, W. A. (Org.) . As lendas na educação caiçara. Curitiba: Grupo Integrado de Aqüicultura e Estudos Ambientais, 2008. v. I. 44p .

17.
BORGHETTI, N. B. ; OSTRENSKY, A. ; BORGHETTI, José Roberto . Aquicultura: Uma visão geral sobre a produção de organismos aquáticos cultivados no Brasil e no mundo. Curitiba: Grupo Integrado de Aqüicultura e Estudos Ambientais, 2003. v. 1. 128p .

18.
OSTRENSKY, A.; BARBIERI JR, R. C. . Camarões Marinhos II - Engorda. Viçosa: Aprenda Fácil Editora, 2002. v. II. 267p .

19.
BARBIERI JR, R. C. ; OSTRENSKY, A. . Camarões Marinhos I - Maturação, reprodução e larvicultura.. Viçosa - MG: Aprenda Fácil Editora., 2001. v. I. 233p .

20.
OSTRENSKY, A.; PILCHOWSKI, R. W. ; SILVA, U. A. . Manual Sansuy de Produção de Camarões Marinhos em Tanques-rede. São Paulo: Sansuy Indústria de Plásticos Ltda, 2001. 66p .

21.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. A. . Piscicultura: Fundamentos e Técnicas de Manejo. 1. ed. Porto Alegre, RS.: Editora e Livraria Agropecuária, 1998. 216p .

Capítulos de livros publicados
1.
PEREIRA, L. A. ; SILVA, M. D. ; NASCIMENTO, D.E. ; Ostrensky, A. . A ostreicultura como alternativa para o desenvolvimento territorial sustentável do litoral do Paraná. In: Cinthia Maria de Sena Abrahão; Rodrigo Arantes Reis; Marcelo; Chemim; Liliani Marilia Tiepolo. (Org.). Litoral do Paraná : território e perspectivas. Volume 1 sociedade, ambiente e gestão. Ied.Curitiba, PR: Brazil Publishing, 2016, v. I, p. 201-229.

2.
TSCHA, M. K. ; Patella, L. A. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . O método molecular de prospecção do mexilhão-dourado.. In: Maria Cristina Dreher Mansur; Cintia Pinheiro dos Santos; Daniel Pereira; Isabel Cristina Padula Paz; Manuel Luiz Leite Zurita; Maria Teresa Raya Rodriguez; Marinei Vilar Nehrke; Paulo Eduardo Aydos Bergonci. (Org.). Moluscos límnicos invasores no Brasil : biologia, prevenção e controle. Porto Alegre: Redes Editora Ltda., 2012, v. , p. 143-148.

3.
COTTENS, K. F. ; SILVA, U. A. ; SOUZA, R. V. ; WANDEMBRUCK, G. C. ; OSTRENSKY, A. . Sobrevivência e desenvolvimento das larvas de Ucides cordatus (Linnaeus, 1763) produzidas em laboratório sob diferentes densidades. In: José Eurico Possebon Cyrino; Wilson Massamitu Furuya; Ricardo Pereira Ribeiro; João Donato Scorvo Filho. (Org.). Tópicos Especiais em Biologia Aquática e Aqüicultura III. Jaboticabal: Sociedade Brasileira de Aqüicultura e Biologia Aquática, 2010, v. I, p. 321-328.

4.
TSCHA, M. K. ; BOEGER, W. A. ; PATELLA, Luciana ; OSTRENSKY, A. ; PIE, M. R. . Aumentando a sensibilidade e a agilidade do monitoramento de Limnoperna fortunei utilizando o método molecular.. In: Gustavo Darrigran; Cristina Damborenea. (Org.). Introdução à Biologia das Invasões. O Mexilhão Dourado na América do Sul: biologia, dispersão, impacto, prevenção e controle. São Carlos, SP.: Cubo Multimídia Ltda., 2009, v. , p. 223-228.

5.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Principais problemas enfrentados atualmente pela aqüicultura brasileira.. In: Ostrensky, A; Borghetti, J.R; Soto, D.. (Org.). ESTUDO SETORIAL PARA CONSOLIDAÇÃO DE UMA AQÜICULTURA SUSTENTÁVEL NO BRASIL.. Brasília - DF: Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), 2008, v. I, p. 138-155.

6.
OSTRENSKY, A.. Propostas Estruturais e executivas para Consolidação da Aqüicultura Brasileira.. In: Ostrensky, A; Borghetti, J.R; Soto, D.. (Org.). Aqüicultura no Brasil: o desafio é crescer. Brasília, DF: Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), 2008, v. I, p. 247-264.

7.
PESTANA, D. ; OSTRENSKY, A. . Aspectos da viabilidade econômica da Aqüicultura em pequena e média escala. In: Ostrensky, A; Borghetti, J.R; Soto, D.. (Org.). Aqüicultura no Brasil: o desafio é crescer. Brasília - DF: Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), 2008, v. I, p. 209-228.

8.
SILVA, U. A. ; COTTENS, K. F. ; SOUZA, R. V. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. ; WANDEMBRUCK, G. C. ; BECKER, A. G. . Formato de tamque e uso de subtratos na larvicultura do caranguejo-uçá Ucides cordatus (Linnaeus, 1763). In: J. E. P Cyrino; J. D. Scorvo Filho; L. A. Sampaio & R. O Cavalli. (Org.). Aquaciências 2006 - Tópicos Especiais em Biologia Aquática e Aqüicultura. Jabotical, SP.: Sociedade Brasileira de Aqüicultura e Biologia Aquática, 2008, v. VII, p. 315-325.

9.
COTTENS, K. F. ; Silva, U.A. ; SOUZA, R. V. ; BECKER, A. G. ; OSTRENSKY, A. ; Boeger, W. A. ; WANDEMBRUCK, G. C. . Alimentação, desempenho e indicadores de qualidade de larvas de caranguejo-uçá, Ucides cordatus (Linnaeus, 1763) produzidas em laboratório. In: J. E. P Cyrino; J. D. Scorvo Filho; L. A. Sampaio & R. O Cavalli. (Org.). Aquaciência 2006 - Tópicos Especiais em Biologia Aquática e Aqüicultura. Jaboticabal, SP: Sociedade Brasileira de Aquicultura e Biologia Aquática, 2008, v. II, p. 326-341.

10.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. ; CHAMMAS, M. A. . Potencial para o Desenvolvimento da Aqüicultura no Brasil.. In: Ostrensky, A; Borghetti, J.R; Soto, D.. (Org.). Aqüicultura no Brasil: o desafio é crescer. Brasília - DF: Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), 2008, v. I, p. 159-182.

11.
OSTRENSKY, A.; BORGHETTI, José Roberto . Uma visão crítica sobre a pesca e a aqüicultura continental no Brasil.. In: Aldo da Cunha Rebouças; Benedito Braga; José Galícia Tundize. (Org.). Águas Doces no Brasil: Capital Ecológico, uso e conservação. 3a Edição. 3aed.São Paulo: Escrituras Editora, 2006, v. I, p. 579-605.

12.
BORGHETTI, J. R. ; OSTRENSKY, A. . Panorama atual, problemas e pespectivas para a pesca e para a aqüicultura continental no Brasil.. In: Aldo da C. Rebouças, Benedito Braga e José Galizia Tundisi. (Org.). Águas doces no Brasil - Capital ecológico, uso e conservação.. 2aed.São Paulo: Editoa Escrituras, 2002, v. I, p. 451-471.

13.
OSTRENSKY, A.. Monitoramento Ictiofaunístico Pós-Derramamneto de óleo nos Rios Iguaçu e Barigui. In: UN-REPAR/PETROBRÁS. (Org.). II Seminário do Rio Iguaçu. Curitiba: Petrobras, 2001, v. I, p. 32-52.

14.
BORGHETTI, J. R. ; OSTRENSKY, A. . A Cadeia Produtiva da Aquicultura Brasileira.. In: Wagner Cotroni Valenti, Carlos Rogério Poli, José Arlindo Pereira, José Roberto Borghetti (Editores). (Org.). Aqüicultura no Brasil: bases para um desenvolvimento sustentável. 1ed.Brasília, DF: CNPq./Ministério da Ciencia e Tecnologia, 2000, v. , p. 73-106.

15.
OSTRENSKY, A.; BORGHETTI, J. R. ; PEDINE, M. . Situação Atual e da Aqüicultura Brasileira e Mundial.. In: Wagner Cotroni Valenti, Carlos Rogério Poli, José Arlindo Pereira, José Roberto Borghetti (Editores). (Org.). Aqüicultura no Brasil: bases para o desenvolvimento.. 1ed.Brasília, DF.: CNPq/Ministério da Ciência e Tecnologia, 2000, v. , p. 353-382.

16.
OSTRENSKY, A.; BORGHETTI, J. R. . Pesca e Aqüicultura Continental.. In: José Galizia Tundisi (ed.). (Org.). Águas Doces no Brasil. Capital Ecológico, Usos Múltiplos, Exploração Racional e Conservação.. São Paulo: EDUSP, 1998, v. , p. 324-365.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
BORGHETTI, J. R. ; Ostrensky, Antonio . Sai a energia limpa, entra o pré-sal. O Globo, Rio de Janeiro, 27 mar. 2014.

2.
BORGHETTI, J. R. ; OSTRENSKY, A. . Água e energia: a opção triunfante do Brasil pela poluição. Gazeta do Povo, Curitiba, 23 mar. 2014.

3.
OSTRENSKY, A.. O papel da imprensa na transformação do nosso mundo. Gazeta do Povo, Curitiba, 14 mar. 2011.

4.
CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; FARIAS, H. ; GIROTTO, M. V. F. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Gestão da qualidade em mercados municipais de pescado. Revista Aquicultura & Pesca, São Paulo, p. 70 - 74, 15 dez. 2008.

5.
OSTRENSKY, A.. Desenvolvimento Sustentável: uma grande utopia?. Revista do GIA, Curitiba, p. 4 - 5, 01 dez. 2007.

6.
OSTRENSKY, A.. Linha do Tempo: o histórico das ações do GIA na área da indústria do Petróleo. Revista do GIA, Curitiba, p. 10 - 13, 01 dez. 2007.

7.
OSTRENSKY, A.. 2000 - Um ano que poderia ter salvado o Rio Iguaçu da poluição. Revista do GIA, Curitiba, p. 22 - 24, 01 dez. 2007.

8.
OSTRENSKY, A.. Considerações sobre a proibição e a liberação da pesca após vazamentos de petróleo. Revista do GIA, Curitiba, p. 49 - 52, 01 dez. 2007.

9.
OSTRENSKY, A.. O GIA na Rede: desenvolvendo tecnologias ambientais. Revista do GIA, Curitiba, p. 30 - 32, 01 dez. 2007.

10.
OSTRENSKY, A.. Repovoamento de robalos - a marca do pioneirismo do GIA também na piscicultura marinha. Revista do GIA, Curitiba, p. 12 - 14, 01 nov. 2006.

11.
OSTRENSKY, A.. As cavas do Iguaçu: de problema a solução ambiental. Revista do GIA, Curitiba, p. 18 - 20, 01 nov. 2006.

12.
OSTRENSKY, A.; SILVA, U. A. . Garimpando caranguejos: um trabalho minucioso para estimar as taxas de sobrevivência dos animais após sua liberação no ambiente.. Revista do GIA, Curitiba, p. 32 - 35, 01 nov. 2006.

13.
SILVA, U. A. ; OSTRENSKY, A. ; SOUZA, R. V. ; Santos, A.F. ; Boeger, W. A. . Caranguejo-uçá - a produção em laboratório. Revista do GIA, Curitiba, p. 38 - 43, 01 ago. 2006.

14.
OSTRENSKY, A.; PEREIRA, L. Â. . Projeto Cultimar - minimizando riscos sociais, aumentando a qualidade de vida. Revista do GIA, Curitiba, p. 46 - 47, 01 ago. 2006.

15.
OSTRENSKY, A.. E agora, que caminho seguir?. Revista do GIA, Curitiba, p. 34, 01 mar. 2006.

16.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, Walter Antonio . A piscicultura no Paraná: situação atual e perspectivas.. Indústria e Comércio, Curitiba, 23 jun. 1997.

17.
OSTRENSKY, A.; BORGHETTI, José Roberto . Aqüicultura: Há muito espaço para crescer. A Granja, p. 5 - 8.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
PEREIRA, L. Â. ; SILVA, M. D. ; ROCHA, R. M. ; OSTRENSKY, A. ; MELLINGER, L. L. . Indicadores para avaliação de desenvolvimento local: uma proposta de gestão para baía de Guaratuba, litoral do Paraná.. In: IV Seminário Sobre Sustentabilidade, 2009, Curitiba. Anais do IV Seminário Sobre Sustentabilidade. Curitiba: FAE, 2009.

2.
BOEGER, W. A. P. ; GUIMARÃES, A. T. B. ; CRUZ, S. R. Z. ; OSTRENSKY, A. ; ZAMBERLAN, E. ; FALKIEWICZ, F. H. . Histopathology as an approach to evaluate the effect of an oil spill on fishes of the Arroio Saldanha and Rio Iguaçu (Brazil).. In: International Oil Spill Conference 2003, 2003, Vancouver. Proceedings of International Oil Spill Conference 2003, 2003.

3.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. A. P. ; SILVA, L. F. D. ; WEGBECHER, F. X. ; PILCHOWSKI, R. W. ; ZAMBERLAN, E. . Effect of the oil spill from the Presidente Getúlio Vargas Refinery, Brazil, in July of 2000, on the populations of fishes of the rivers Saldanha, Barigüi, and Iguaçu. In: International Oil Spill Conference 2003, 2003, Vancouver. Proceedings of the International Oil Spill Conference 2003, 2003.

4.
OSTRENSKY, A.. Piscicultura Marinha no Brasil: Realidade ou Utopia. In: Reunião Técnica sobre Ictiologia em Estuários, 2001, Curitiba. Reunião Técnica sobre Ictiologia em Estuários. Curitiba, 2001. v. I. p. 44-50.

5.
OSTRENSKY, A.; BORGES, R. B. ; ALESSI, F. E. . Relações entre índices zootécnicos e as variáveis hídricas monitoradas em viveiros comerciais de cultivo de Litopenaeus vannamei no estado do Paraná, Brasil.. In: Simpósio Brasileiro de Aqüicultura, 2000, Folrianópolis. Anais_ _ _, 2000.

6.
OSTRENSKY, A.; BELZ, C. E. . Efeitos da salinidade na toxicidade da amônia para juvenis de Litopenaeus schmitti Burkenroad 1936.. In: Simpósio Brasileiro de Aqüicultura, 2000, Florianópolis. Anais _ _ _, 2000.

7.
OSTRENSKY, A.. Efeitos da Salinidade No Crescimento de Penaeus Paulensis Pérez-Farfante, 1967.. In: II Congresso Latinoamericano de Aqüicultura., 1998. Anais. Recife, PE.. v. I. p. 323-342.

8.
OSTRENSKY, A.; LEMOS, D. L. . Efectos Del Amonio Y Nitrito Sobre El Crecimiento de La Microalga Marina T. Chuii.. In: IV Congreso Nacional de Acuicultura, 1993. Actas del IV Congreso Nacional de Acuicultura. Galicia. Espanha. p. 485-489.

9.
OSTRENSKY, A.; WASIELESKY JR, W. ; MARCHIORI, M. A. J. . Toxicidade da Amônia Em Todas As Fases de Cultivo do Camarão-Rosa Penaeus Paulensis Pérez-Farfante, 1967.. In: Encontro Nacional de Aqüicultura, 1992. Encontro Nacional de Aqüicultura - resumos. Peruíbe, Sp.. p. 140-140.

10.
OSTRENSKY, A.; MARCHIORI, M. A. ; WASIELESKY JR, W. . Interação Entre A Dinâmica Populacional de Tetraselmis Chuii (Prasinophyceae, Pyramimonadales) e Variações Se Amônia Em Bioensaio Utilizando Sistema Estático.. In: Encontro Brasileiro de Plâncton, 1991. Anais do IV Encontro Brasileiro de Plâncton. Recife, PE.. p. 185-198.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
ZENI, T. O. ; PONT, G. D. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; HORODESKY, A. ; NAKANO, V. E. B. A. ; OSTRENSKY, A. . A histologia como ferramenta de análise em estudos de alterações branquiais em peixes. In: ECOTOX 2014, 2014, Guarapari, ES. Anais do XIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2014.

2.
PONT, G. D. ; OSTRENSKY, A. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; NAKANO, V. E. B. A. ; ZENI, T. O. . Uso de ferramentas histológicas para avaliação dos efeitos da amônia sobre as brânquias do lambari-do-rabo-amarelo (Astyanax altiparanae (pisces, characiformes)). In: Ecotox 2014, 2014, Guarapari, ES. Anais do XIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2014.

3.
PONT, G. D. ; OSTRENSKY, A. ; NAKANO, V. E. B. A. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; GRASSI, M. T. . Sensibilidade de Astyanax altiparanae (characiformes: characidae) à amônia: uma abordagem para o uso de espécie nativa em ensaios laboratoriais de autoria. In: Ecotox 2014, 2014, Guarapari, ES. Anais do XIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2014.

4.
OSTRENSKY, A.; PONT, G. D. ; Silva, U.A. ; NAKANO, V. E. B. A. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. . Comparação da toxicidade de compostos nitrogenados para o camarão branco Litopenaeus schmitti Burkenroad, 1936 de origem selvagem e cultivada. In: Ecotox 2014, 2014, Guarapari, ES. Anais do XIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2014.

5.
OSTRENSKY, A.; PONT, G. D. ; Silva, U.A. ; NAKANO, V. E. B. A. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. . Influência da salinidade na toxicidade da amônia para juvenis do camarão branco Litopenaeus schmitti Burkenroad 1936. In: Ecotox 2014, 2014, Guarapari, ES. Anais do XIII Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2014.

6.
OLIVEIRA, A. J. ; LUDWIG, S. ; PATELLA, R. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; GIROTTO, M. V. F. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . DETECÇÃO DE UMA ESPÉCIE INVASORA DE CRASSOSTREA NA BAÍA DE GUARATUBA (PARANÁ, BRASIL) UTILIZANDO MARCADORES MOLECULARES. In: Congresso Latino-Americano de Ciências do Mar XIV COLACMAR, 2011, 2011, Balneário Camboriu. Anais do Congresso Latino-Americano de Ciências do Mar XIV COLACMAR, 2011, 2011. v. 14.

7.
CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; RIBEIRO, R.O. ; ZENI, T. ; GUMIELA, A. ; BRITO, L. ; HAUER, A. ; HUNGRIA, D. B. ; PATELLA, R. ; Boeger, W. A. ; OSTRENSKY, A. . HISTOLOGIA GONADAL DE TILÁPIAS (Oreochromis sp. ) COLETADAS NO RESERVATÓRIO DE ITAIPU (PR) E NA BACIA DO RIO URUGUAI.. In: X Congresso de Ecologia e I Simpósio de Sustentabilidade, 2011, São Lourenço - MG. Anais do X Congresso de Ecologia e I Simpósio de Sustentabilidade, 2011. v. 10.

8.
AZAMBUJA, R. P. ; LUDWIG, S. ; BOEGER, W. A. ; OSTRENSKY, A. . Testando um protocolo de identificação e prospecção de Crassostrea spp.. In: 18º EVINCI, 2010, Curitiba. Anais do 18º EVINCI. Curitiba: UFPR, 2010. v. 18. p. 669-669.

9.
FARIAS, H. ; CASTILHO, G. G. ; OSTRENSKY, A. ; GIROTTO, M. ; BOEGER, W. A. . Pesquisa de opinião pública para avaliar o grau de conhecimento e de exigência dos consumidores de frutos do mar em Guaratuba, PR, aos padrões legais de qualidade dos produtos consumidos em restaurantes.. In: IX Encontro Regional Sul de Ciência e Tecnologia de Alimentos., 2007, Curitiba. Anais do IX Encontro Regional Sul de Ciência e Tecnologia de Alimentos., 2007.

10.
PEDRAZZANI, A. S. ; OSTRENSKY, A. ; CARNEIRO, P. C. F. ; MOLENTO, C. F. M. . Opinião pública sobre abate humanitário em peixes. In: II Congresso Internacional de Conceitos em Bem-Estar Animal., 2007, Rio de Janeiro. Anais do II Congresso Internacional de Conceitos em Bem-Estar Animal., 2007. v. I. p. 12-13.

11.
BOEGER, Walter Antonio ; PIE, M. R. ; VICENTE, Vânia ; OSTRENSKY, A. ; RIBEIRO, Raphael Orélis ; AZAMBUJA, Luciana Patela ; HUNGRIA, D. B. . A Doença do Caranguejo Letárgico: O que sabemos? O que fazer?. In: 1º Congresso Brasileiro de Biologia Marinha, 2006, Niterói, RJ.. Anais do 1º Congresso Brasileiro de Biologia Marinha, 2006. v. I. p. 51-54.

12.
VENTURA, R. ; SILVA, U. A. ; NEVES, G. P. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. . Repovoamento de caranguejo-uçá, Ucides cordatus: Avaliação do momento mais adequado para liberação de megalopas no ambiente natural.. In: I Congresso Brasileiro de Biologia Marinha, 2006, Niterói. Livro de resumos do I Congresso Brasileiro de Biologia Marinha, 2006. p. 290-291.

13.
VENTURA, R. ; NEVES, G. P. ; OSTRENSKY, A. . Avaliação das taxas de canibalismo de megalopas sobre zoeas de Ucides cordatus em laboratório.. In: I Congresso Brasileiro de Biologia Marinha, 2006, Niterói. Livro de resumos do I Congresso Brasileiro de Biologia Marinha, 2006. p. 97-100.

14.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. ; PIE, M. R. ; PESTANA, D. ; PEREIRA, L. Â. ; PILCHOWSKI, R. W. ; SILVA, U. A. ; CASTILHO, G. G. ; BOEGER, W. A. P. . Grupo Integrado de Aqüicultura e Estudos Ambientais - GIA - Produção, Meio Ambiente e Desenvolvimento. In: I Congresso Brasileiro de Biologia Marinha, 2006, Niterói - RJ. Programa e resumos de palestras, mesas-redondas e painéis institucionais, 2006. v. I. p. 173-175.

15.
PEREIRA, L. Â. ; OSTRENSKY, A. ; Boeger, W. A. ; FRANCESCHI, F. ; CASTILHO, G. G. . PROJETO CULTIMAR: A Maricultura como ferramenta para o desenvolvimento sócio-econômico. In: 1º Congresso Brasileiro de Biologia Marinha, 2006, Nioterói. Anais do 1º Congresso Brasileiro de Biologia Marinha, 2006.

16.
SILVA, M. D. ; PEREIRA, L. Â. ; OSTRENSKY, A. . Dimensões da percepção ambiental: delineando o programa de educação ambiental do Projeto Cultimar na Vila das Peças, Guaraqueçaba, Paraná.. In: V Congresso Ibero-Americano de Educação Ambiental, 2006, Joinvile. Anais do V Congresso Ibero-Americano de Educação Ambiental, 2006.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
DAL PONT, GIORGI ; SOUZA-BASTOS, L. R. ; Giacomin, M.M ; GRASSI, M. T. ; DOLATTO, R. ; Baika, L. ; OSTRENSKY, A. . Acute exposure to water-soluble fraction of gasoline (WSFG) impairs nitrogen-waste (N-waste) excretion and O2 uptake in goldfish Carassius auratus. In: 13th International Congress on the Biology of Fish, 2018, Calgary. AB. Abstracts Book of the 13th International Congress on the Biology of Fish, 2018. p. 108-109.

2.
DAL PONT, GIORGI ; SOUZA-BASTOS, L. R. ; SAUDAUSKAS-HENRIQUE, H. ; DOLATTO, R. ; GRASSI, M. T. ; OSTRENSKY, A. . Does water temperature and pH modify the responses of biotransformation and oxidative stress biomarkers of yellow-tail tetra (Astyanax altiparanae) exposed to gasoline water-soluble fraction (WSFG)?. In: 13th International Congress on the Biology of Fish, 2018, Calgary. Abstract Book of the 13th International Congress on the Biology of Fish, 2018. p. 101-101.

3.
DAL PONT, GIORGI ; SOUZA-BASTOS, L. R. ; SAUDAUSKAS-HENRIQUE, H. ; DOLATTO, R. ; GRASSI, M. T. ; OSTRENSKY, A. . The role of water temperature and pH on physiological parameters of the neotropical yellow-tail tetra (Astyanax altiparanae) acutely exposed to water-soluble fraction of gasoline (WSFG). In: 13th International Congress on the Biology of Fish, 2018, Calgary. Abstract book of the 13th International Congress on the Biology of Fish, 2018. p. 104-104.

4.
PONT, G. D. ; SOUZA-BASTOS, L. R. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; DOLATTO, R. ; GRASSI, M. T. ; Ostrensky, A. . The effects water temperature and pH on hematological parameters of Astyanax altiparanae acutely exposed to water-soluble fraction of gasoline. In: XV Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia ? ECOTOX 2018, 2018, Aracaju. Anais do XV Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia, 2018.

5.
HORODESKY, A. ; CASTILHO-WESTPHAL, GISELE G. ; COZER, N. ; PONT, G. D. ; OSTRENSKY, A. . Avaliação de métodos para redução de epibiontes na ostra Crassostrea gasar (Adanson, 1757), durante cultivo. In: Encontro de Malacologia do Paraná, 2017, Curitiba -PR. Anais do IIIEMAP, 2017.

6.
HORODESKY, A. ; CASTILHO-WESTPHAL, GISELA G. ; COZER, N. ; Pie, M. R. ; FAORO, H. ; BALSANELLI, E. ; SFEIR, M. T. ; Ostrensky, A . Análise metagenômica da microbiota bacteriana de ostras cultivadas (Crassostrea sp.) na região Nordeste do brasil. In: Encontro de Malacologia do Paraná, 2017, Curitiba - PR. Anais do IIIEMAP, 2017.

7.
HORODESKY, A. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; COZER, N. ; Ostrensky, A . Efeitos da salinidade sobre a sobrevivência e sobre os tecidos de ostras Crassostrea gasar (Adanson, 1757). In: Encontro de Malacologia do Paraná, 2017, Curitiba -PR. Anais do IIIEMAP, 2017.

8.
PEDRAZZANI, ANA S ; STEVANATO, D. J. ; OSTRENSKY, A. . Effect of temperature on larval and post-larval ontogenic development of Astyanax altiparanae in laboratory conditions. In: World Aquaculture 2017, 2017, Cape Town. Proccedings of World Aquaculture 2017, 2017.

9.
PEDRAZZANI, ANA S ; OSTRENSKY, A. . Use of five anaesthetics during handling and confinement of clown anemonefish Amphiprion ocellaris. In: World Aquaculture 2017, 2017, Cape Town. Proceedings of World Aquaculture 2017, 2017.

10.
DAL PONT, GIORGI ; SOUZA-BASTOS, L. R. ; LEAL, T. M. S. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; OSTRENSKY, A. . The effects of neotropical tetra Astyanax altiparanae exposure and recovery to water soluble fraction of gasoline (WSFg) in aquatic acidosis condition. In: 54ª. Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 2017, Foz do Iguaçu. Proceedings of the 54th Annual Meeting of the Brazilian Society of Animal Science. Brasília: The Brazilian Society of Animal Science, 2017. v. 1. p. 394-394.

11.
DAL PONT, G. ; SADAUSKAS-HENRIQUE, H. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; LEAL, T. ; GRASSI, M. T. ; DOLATTO, R. ; Ostrensky, A. . Toxicity of water-soluble fraction (WSF) of petroleum and five derivative productsto the neotropical tetra, Astyanax altiparanae. In: 12th SETAC Latin America Biennial Meeting, 2017, Santos, SP. Proceedings of 12th SETAC Latin America Biennial Meeting, 2017. v. 1.

12.
DAL PONT, G. ; SADAUSKAS-HENRIQUE, H. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; LEAL, T. ; GRASSI, M. T. ; DOLATTO, R. ; Ostrensky, A. . Energetic metabolism of neotropical tetra, Astyanax altiparanae, exposure to water-soluble fraction of gasoline (WSF) high temperature and low pH. In: 12th SETAC Latin America Biennial Meeting, 2017, Santos, SP. Proceedings of 12th SETAC Latin America Biennial Meeting, 2017. v. 1.

13.
CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; DAL PONT, G. ; ZENI, T.O. ; Ostrensky, A. . Associação da exposição aguda ao óleo mineral isolante (omi) parafínico e hipóxia ambiental: efeitos sobre a histopatologia de Rhamdia quelen (Quoy & Gaimard, 1824) e Metynnis maculatus (Kner, 1858). In: XIV Encontro Brasileiro de Patologistas de Organismos Aquáticos, 2016, Florianópolis. Anais do XIV Encontro Brasileiro de Patologistas de Organismos Aquáticos, 2016.

14.
Ostrensky, Antonio.; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; ZENI, T.O. ; Pont, G. D. . Efeitos Histopatológicos da Exposição Subcrônica ao Óleo Mineral Isolante Parafínico em Rhamdia quelen (Quoy & Gaimard, 1824) E Metynnis maculatus (Kner, 1858). In: XIV Encontro Brasileiro de Patologistas de Organismos Aquáticos, 2016, Florianópolis. Anais do XIV Encontro Brasileiro de Patologistas de Organismos Aquáticos, 2016.

15.
CASTILHO, G. G. ; HORODESKY, A. ; Ostrensky, A. . Histopatologia de ostras nativas (Crassostrea gasar) cultivadas na região Nordeste do Brasil. In: Encontro Brasileiro de Patologistas de Organismos Aquáticos, 2016, Florianópolis. Anais do Encontro Brasileiro de Patologistas de Organismos Aquáticos, 2016.

16.
ZENI, THAYZI O. ; HORODESKY, ALINE ; CASTILHO-WESTPHAL, GISELA G. ; PONT, G. D. ; Ostrensky, A. . Avaliação das taxas de filtração de ostras do mangue Crassostrea brasiliana (Bivalvia, Ostreidae) expostas a diferentes salinidades e temperaturas. In: II EPRAM - Encontro Paranaense de Malacologia, 2015, Curitiba. II EPRAM - Encontro Paranaense de Malacologia, 2015.

17.
HORODESKY, ALINE ; CASTILHO-WESTPHAL, GISELA G. ; ZENI, THAYZI O. ; PONT, G. D. ; Ostrensky, A. . Comparação entre os métodos de preparo de amostras para identificação de organismos epibiontes associados ao cultivo da ostra mangue Crassostrea gasar (Adanson, 1757). In: II EPRAM - Encontro Paranaense de Malacologia, 2015, Curitiba. II EPRAM - Encontro Paranaense de Malacologia, 2015.

18.
CASTILHO-WESTPHAL, GISELA G. ; HORODESKY, ALINE ; ZENI, THAYZI O. ; Ostrensky, A. . Monitoramento microbiológico de ostras Crasssostrea brasiliana (Lamarck, 1819) produzidas e comercializadas no litoral paranaense. In: II EPRAM - Encontro Paranaense de Malacologia, 2015, Curitiba. II EPRAM - Encontro Paranaense de Malacologia, 2015.

19.
CASTILHO-WESTPHAL, GISELA G. ; ZENI, THAYZI O. ; Ostrensky, A. . Monitoramento parasitológico de ostras do mangue, Crassostrea brasiliana (Lamarck, 1819) produzidas e comercializadas no litoral paranaense. In: II EPRAM - Encontro Paranaense de Malacologia, 2015, Curitiba. II EPRAM - Encontro Paranaense de Malacologia, 2015.

20.
MASSANTI, T. B. ; ZENI, THAYZI O. ; PONT, G. D. ; HORODESKY, ALINE ; PEDRAZZANI, ANA S ; Ostrensky, A. . Utilização de peixes do gênero Rineloricaria (Siluriformes, Loricariidae) como organismos bioindicadores para a comparação de duas metodologias de análise histológica. In: XXX Congresso Brasileiro de Zoologia: Mapeando a Biodiversidade, 2014, Porto Alegre, RS. Livro de Resumos do XXX Congresso Brasileiro de Zoologia: Mapeando a Biodiversidade, 2014. p. 965.

21.
MASSANTI, T. B. ; Ostrensky, Antonio . Avaliação de metodologias histopatológicas utilizadas no diagnóstico de alterações hepáticas em peixes. In: 21o. EVINCI - Evento de Iniciação Científica, 2013, Curitiba. 21o. Evento de Iniciação Científica - EVINCI, 2013.

22.
VARGAS, P. R. ; Ostrensky, Antonio . Avaliação reprodutiva da ictiofauna de ambientes expostos e não expostos a óleo combustível. In: 21o. EVINCI - Evento de Iniciação Científica, 2013, Curitiba. 21o. Evento de Iniciação Científica - EVINCI, 2013.

23.
PINTO, M. C. ; Ostrensky, Antonio . Desenvolvimento de técnicas de manejo de peixes ornamentais marinhos: anestesia de peixes palhaços. In: 21o. EVINCI - Evento de Iniciação Científica, 2013, Curitiba - PR. 21o. Evento de Iniciação Científica - EVINCI, 2013.

24.
SANTOS, D. H. C. ; Ostrensky, Antonio . Qualidade microbiológica de ostras comercializadas em Curitiba e litoral do Paraná. In: 21o. EVINCI - Evento de Iniciação Científica, 2013, Curitiba - PR. 21o. Evento de Iniciação Científica - EVINCI, 2013.

25.
Ludwig, Sandra ; TschÁ, M. K. ; Darrigran, G. ; Belz, C. E. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Determinação das linhagens Sul-Americanas de corbícula (Mollusca: Bivalvia) através de marcadores moleculares. In: III Simpósio Brasileiro sobre Bioinvasões, 2012, Salvador. Anais do III Simpósio Brasileiro sobre Bioinvasões, 2012.

26.
VANDERLEI, E. ; LIMA, P. L. S. C. ; PONT, G. D. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; AMERICO, L. S. A. ; OSTRENSKY, A. . Avaliação limnológica do reservatório de Jurumirim para implantação de empreendimentos aquícolas. In: 19º Evento de Iniciação Científica, 2011, Curitiba. Anais do 19º EVINCI, 2011. v. 19. p. 515-515.

27.
FUJIMURA, E. Y. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. ; ZENI, T. ; PONT, G. D. ; OSTRENSKY, A. . Histopatologia branquial de lambari, Aastyanx sp., coletado na bacia do Alto Iguaçu.. In: 19º Evento de Iniciação Científica, 2011, Curitiba. Anais do 19º EVINCI, 2011. v. 19. p. 517-517.

28.
BRUDZINSKI, P. C. ; OSTRENSKY, A. ; HORODESKY, A. ; MAGNANI, F. P. ; ZENI, T. . Diversidade da ictiofauna do rio do Pinto no município de Morretes, Paraná. In: Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão SIEPE, 2011, Curitiba. Anais da Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão SIEPE, 2011.

29.
JARAS, L. I. ; OSTRENSKY, A. ; MAGNANI, F. P. ; BECKER, A. G. ; HORODESKY, A. ; ZENI, T. . Comprimento Total de Mimagoniates microlepis em diferentes rios da região de Morretes-PRPR. In: Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão SIEPE, 2011, Curitiba. Anais Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão SIEPE, 2011.

30.
SANTOS, N. O. ; OSTRENSKY, A. ; MAGNANI, F. P. ; BECKER, A. G. ; HORODESKY, A. ; ZENI, T. . Proporção Sexual de Mimagoniates microlepis em diferentes rios da região de Morretes-PR.. In: Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão SIEPE, 2011, Curitiba. Anais da Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão SIEPE, 2011.

31.
MAGNANI, F. P. ; OSTRENSKY, A. ; BECKER, A. G. ; HUY, A. H. ; GARCIA, D. R. ; HORODESKY, A. . Avaliação do potencial de inserção de peixes da Serra do Mar Paranaense no mercado de peixes ornamentais de Curitiba/PR. In: Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão SIEPE, 2011, Curitiba. Anais da Semana Integrada de Ensino, Pesquisa e Extensão SIEPE, 2011.

32.
LIMA, P. L. S. C. ; Vicente, A. L. ; PACHECO, A. ; BECKER, A. G. ; PONT, G. D. ; BOEGER, W. A. ; OSTRENSKY, A. . Caracterização dos parâmetros limnológicos do Reservatório de Jurumirim, SP, Brasil: uma avaliação para a implantação de Parques aquícolas. In: XIII Congresso Brasileiro de Limnologia, 2011, Natal - RN. Anais do XIII Congresso Brasileiro de Limnologia, 2011.

33.
COELHO NETO, A. ; VENTURA, R. ; CORREA, A. M. A. ; SANTOS, G. V. ; BOEGER, W. A. ; OSTRENSKY, A. . Produção de siris de casca mole: sinais macroscópicos de muda como uma ferramenta para a seleção e manejo de Callinectes danae e Callinectes exasperatus. In: II Simpósio Internacional de Aquicultura e Pesca, 2011, Itajaí. Resumos do II SIAP BRASIL, 2011.

34.
AYRES, B. A. C. ; SILVA, U. A. ; SOUZA, Robson Ventura de ; BOEGER, W. A. ; OSTRENSKY, A. . Comparação morfométrica entre megalopas do caranguejo do mangue Ucides cordatus produzidas em laboratório e capturadas na natureza. In: II Simpósio Internacional de Aquicultura e Pesca, 2011, Itajaí. Resumos do II SIAP BRASIL, 2011.

35.
BOEGER, W. A. ; RIBEIRO, R.O. ; Baggio, R. A. ; MARTELETO, F. ; ZAGONEL, M. L. ; TSCHA, M. K. ; PATELLA, Luciana ; AZAMBUJA, R. P. ; OSTRENSKY, A. . Fish genetics and hydroeletrical powerplants in large Neotropical rivers. In: 96th Annual Meeting, 2011, Austin - Texas - USA. 96th Annual Meeting - Abstracts, 2011.

36.
BECKER, A. G. ; Silva, U.A. ; OSTRENSKY, A. ; Boeger, W. A. ; COTTENS, K. F. . Efeitos da alimentação com diferentes concentrações de rotíferos Brachionus plicatilis no cultivo de larvas de caranguejo-uçá, Ucides cordatus, em laboratório.. In: XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008, Curitiba. Anais do IV Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008.

37.
BECKER, A. G. ; OSTRENSKY, A. ; Boeger, W. A. ; SILVA, U. A. ; WANDEMBRUCK, G. C. . Efeitos do uso de diferentes espécies de microalgas na alimentação de larvas do caranguejo-uçá, Ucides cordatus, em laboratório.. In: XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008, Curitiba. Anais do XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008.

38.
OLIVEIRA-NETO, J.F. ; Pie, M.R. ; Boeger, W. A. ; OSTRENSKY, A. ; BAGGIO, R. A. . Filogeografia e demografia evolutiva de Cardisoma guanhumi baseada na região controladora do mtDNA. In: XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008, Curitiba. Anais Anais do XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008. p. O1965..

39.
ZAGONEL, M. L. ; PIE, M. R. ; SCHNELL E SCHÜLLI, G. ; Boeger, W. A. ; OSTRENSKY, A. ; MARTELETO, F. . A Estruturação Genética do Camarão Branco (Litopenaeus schmitti ) no Litoral Brasileiro. In: XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008, Curitiba. Anais Anais do XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008. p. O1965..

40.
BAGGIO, R. A. ; SCHNELL E SCHÜLLI, G. ; PIE, M. R. ; ABILHOA, V. ; VITULE, J. R. S. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Dados moleculares revelam um complexo de espécies de Astyanax spp. no Alto Rio Iguaçu. In: XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008, Curitiba. Anais Anais do XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008. p. p-1774.

41.
COSTA, P. V. ; SOUZA, R. V. ; SILVA, U. A. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Ictiofauna temporal do Rio dos Pinheiros, Guaratuba, Paraná, Brasil.. In: XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008, Curitiba. Anais Anais do XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008.

42.
COSTA, P. V. ; SOUZA, R. V. ; SILVA, U. A. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Predação de formas jovens de braquiúros por peixes no rio dos Pinheiros, Guaratuba, Paraná, Brasil. In: XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008, Curitiba. Anais Anais do XXVII Congresso Brasileiro de Zoologia, 2008.

43.
FARIAS, H. ; CASTILHO, G. G. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. . Relação entre a contaminação microbiológica da ostra, Crassostrea sp., e a água de cultivo na Baía de Guaratuba ? PR. In: III Simpósio de controle do pescado: segurança alimentar, inovação tecnológica e mercado., 2008, São Vicente. Anais do III Simpósio de controle do pescado:, 2008.

44.
FARIAS, H. ; CASTILHO, G. G. ; IVANKIU, C. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. . Capacitação em boas práticas de fabricação para manipuladores de alimentos em mercado de pescados no litoral paranaense.. In: III Simpósio de controle do pescado: segurança alimentar, inovação tecnológica e mercado., 2008, São Vicente. Anais do III Simpósio de controle do pescado:, 2008.

45.
CASTILHO, G. G. ; FARIAS, H. ; IVANKIU, C. ; GIROTTO, M. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Qualidade microbiológica de ostras, Crassostrea sp., comercializadas no litoral paranaense durante a alta temporada.. In: III Simpósio de controle do pescado: segurança alimentar, inovação tecnológica e mercado., 2008, São Vicente. Anais do III Simpósio de controle do pescado:, 2008.

46.
PIL, M. V. ; BOEGER, M. R. ; MUSCHNER, V. C. ; Pie, M.R. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Inesperada redução da variabilidade genética de populações de Rhizophora mangle L. (Rhizophoraceae) no sentido norte-sull na costa brasielira.. In: 54º Congresso Brasileiro de Genética, 2008, Salvador, BA. Anais do 54º Congresso Brasileiro de Genética, 2008.

47.
TSCHA, M. K. ; PROSDOCIMO, V. ; PIE, M. R. ; BOEGER, W. A. ; OSTRENSKY, A. . Avaliação da identidade genética de Centropomus paralellus no litoral paranaense.. In: XVII Encontro Brasileiro de Ictiologia, 2007, Itajaí. Anais do XVII Encontro Brasileiro de Ictiologia, 2007.

48.
NEVES, G. P. ; HIROSE, G. L. ; FRANCESCHI, F. ; Pestana, D. ; BRITO, L. ; FAVARETO, L. R. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Temporal variations between zooplanktonic groups close to the Itaipu dam, Paraná river, Foz do Iguaçu, Brazil.. In: Plankton Symposium IVPlankton Symposium VI e I Congresso Brasileiro de Plancton., 2007, João Pesso, PB. BDUA Journal of Biology (Crispim, M.C.; Passavante, Z.; Jenkinson, I.; Gonçalvez, F.; Azeiteiro, U.M & Pereira, M.J.), 2007. v. II. p. 92-92.

49.
COELHO, V. S. ; CASTILHO, Gisele ; HUNGRIA, D. B. ; PERINELLI, A. F. ; YAMASHIRO, K. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . HISTOPATOLOGIA DE ALEVINOS DE TILÁPIA (Oreochromis niloticus) MANTIDOS EM ÁGUA COM DIFERENTES VALORES DE pH.. In: 34 Congresso Brasileiro de Medicina Veterinária, 2007, São Paulo. Anais do 34 Congresso Brasileiro de Medicina Veterinária, 2007, 2007.

50.
ZAGONEL, M. L. ; Boeger, W. A. ; Pie, M.R. ; OSTRENSKY, A. ; MARTELETO, F. . Filogenia de Pachyurinae (Neopterygii, Sciaenidae) baseada em seqüências de dois fragmentos do DNA mitocondrial.. In: XVII Encontro Brasileiro de Ictiologia, 2007, Itajaí. Anais do XVII Encontro Brasileiro de Ictiologia, 2007. v. I. p. 51.

51.
FERREIRA, C.P. ; PIE, M. R. ; MANCERA, P.F.A. ; Boeger, W. A. ; OSTRENSKY, A. . A mathematical model to describe the lethargic crab disease.. In: II Conference on Computational and Mathematical Population Dynamics,, 2007, Campinas. Proceedings of the II Conference on Computational and Mathematical Population Dynamics,, 2007.

52.
BOEGER, W. A. ; PIE, M. R. ; VICENTE, V. ; OSTRENSKY, A. ; RIBEIRO, R.O. ; HUNGRIA, D. B. ; CHAMMAS, M. A. . Lethargic crab disease: an emerging phaeohyphomycosis causing outbreaks in Brazil. In: Black Yeasts between extremotolerance and human pathology - Workshop of the International Society of Human and Animal Mycology. In: Black Yeasts between extremotolerance and human pathology - Workshop of the International Society of Human and Animal Mycology, 2007., 2007, Amsterdam. Annals of the Black Yeasts between extremotolerance and human pathology - Workshop of the International Society of Human and Animal Mycology, 2007.. Amsterdam, 2007.

53.
OLIVEIRA-NETO, J.F. ; Pie, M.R. ; OSTRENSKY, A. ; Boeger, W. A. . Avaliando a estruturação genética das populações do caranguejo-uçá, Ucides cordatus(Linnaeus, 1763), dos estados de Sergipe e do Paraná. In: IV Congresso Brasileiro sobre Crustáceos, 2007, Vitória, ES. Anais do IV Congresso Brasileiro sobre Crustáceos, 2007. v. I. p. 2168.

54.
AZAMBUJA, Luciana Patela ; RIBEIRO, Raphael Orélis ; BOEGER, Walter Antonio ; PIE, Márcio ; OSTRENSKY, A. . Desenvolvimento de Marcador Molecular para o Causador da Mortandade do caranguejo-uçá Ucides cordatus (Decapoda). In: XXVI Congresso Brasileiro de Zoologia, 2006, Londrina. CD Resumos, 2006. p. 1765.

55.
HUNGRIA, D. B. ; BOEGER, Walter Antonio ; CASTILHO, G. G. ; OSTRENSKY, A. ; PIE, M. R. . Histopatologia associada à Doença do Caranguejo Letárgico do caranguejo-uçá. In: XXVI Congresso Brasileiro de Zoologia, 2006, Londrina. nais do XXVI Congresso Brasileiro de Zoologia, 2006.

56.
RIBEIRO, Raphael Orélis ; PIE, M. R. ; BOEGER, Walter Antonio ; OSTRENSKY, A. ; FALLEIROS, R. ; PEREIRA, Leandro Ângelo . Discriminação de espécies de ostras cultivadas na costa brasileira através de PCR-RFLP (Bivalvia: Ostreidae).. In: XXVI Congresso Brasileiro de Zoologia, 2006, Londrina. Anais do XXVI Congresso Brasileiro de Zoologia., 2006.

57.
COTTENS, K. F. ; SILVA, U. A. ; VENTURA, R. ; OSTRENSKY, A. . A influência do contato direto com diferentes substratos durante os eventos de muda, na sobrevivência das larvas do caranguejo-uçá, Ucides cordatus (Linnaeus, 1763) (Custacea, Decapoda, Brachyura) cultivadas em laboratório.. In: Aquaciência 2006, 2006, Bento Gonçalves. Anais do Aquaciência 2006.

58.
COTTENS, K. F. ; SILVA, U. A. ; VENTURA, R. ; OSTRENSKY, A. . Utilização de quatro espécies de microalgas na alimentação das fases larvais do caranguejo-uçá Ucides cordatus (Linnaeus, 1763) (Crustacea, Decapoda, Brachyura) culltivadas em laboratório.. In: Aquaciencia 2006, 2006, Bento Gonçalves. Anais do Aquaciência 2006.

59.
COTTENS, K. F. ; SILVA, U. A. ; VENTURA, R. ; OSTRENSKY, A. . Estudo comparativo da eficiência de três modelos de tanques utilizados na larvicultura do caranguejo-uçá Ucides cordatus (linnaeus, 1763) (Crustacea, Decapoda, Brachyura).. In: Aquaciencia 2006, 2006, Bento Gonçalves. Anais do Aquaciência 2006.

60.
CASTILHO, G. G. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . MORFOLOGIA DO APARELHO REPRODUTOR MASCULINO DO CARANGUEJO-UÇÁ, Ucides cordatus (L.) (CRUSTACEA, BRACHYURA, OCYPODIDAE).. In: XVIII Semana de Oceanografia, 2006, Matinhos. Anais da XVIII Semana de Oceanografia, 2006.

61.
CASTILHO, G. G. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . ANATOMIA E HISTOLOGIA DAS ESPERMATECAS DE Ucides cordatus (L.) (CRUSTACEA, BRACHYURA, OCYPODIDAE).. In: XVIII Semana de Oceanografia, 2006, Matinhos. Anais da XVIII Semana de Oceanografia, 2006.

62.
BORDIGNON, S. E. ; MUNIZ, E. R. ; IVANKIU, C. ; FRANCESCHI, F. ; OSTRENSKY, A. ; PEREIRA, L. Â. ; SILVA, M. D. ; BOEGER, W. A. P. . MONITORAMENTO MICROBIOLÓGICO DA CARNE DE OSTRAS Crassostrea gigas (THUMBERG, 1795) CULTIVADAS NA BAÍA DE GUARATUBA, PARANÁ.. In: Anais da XVIII Semana de Oceanografia., 2006, Matinhos. Anais da XVIII Semana de Oceanografia, 2006.

63.
CARDOSO, M. F. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Avaliação dos impactos da prospecção sísmica exploratória 3d com cabo de fundo sobre peixes marinhos de interesse comercial.. In: XVIII Semana de Oceanografia, 2006, Matinhos. Anais da XVIII Semana de Oceanografia, 2006.

64.
BECKER, A. G. ; SILVA, U. A. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . A influência do ciclo lunar sobre larvas de Ucides cordatus (Linnaeus, 1763) (Crustacea, Decapoda, Brachyura), em cultivos experimentais realizados em laboratório.. In: XVIII Semana de Oceanografia, 2006, Matinhos. Anais da XVIII Semana de Oceanografia, 2006.

65.
SOUZA, Robson Ventura de ; SILVA, U. A. ; NEVES, G. P. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. P. . Estudo da sobrevivência de larvas de caranguejo-uçá, Ucides cordatus, durante a metamorfose do estágio de zoea VI para megalopa, utilizando diferentes substratos.. In: I Congresso Brasileiro de Biologia Marinha., 2006, Niterói. Livro de resumos do I Congresso Brasileiro de Biologia Marinha., 2006. p. 290.

66.
CASTILHO, G. G. ; OSTRENSKY, A. ; OLIVEIRA NETO, José Francisco de . Estudo morfológico da espermatogênese em Ucides cordatus (l.) (Crustacea, Brachyura, Ocypodidae)... In: IV Congresso Brasileiro sobre Crustáceos, 2006, Vitória. Anais do IV Congresso Brasileiro sobre Crustáceos, 2006.

67.
NEVES, G. P. ; BRITO, L. ; SARTORI, L. P. ; PEREIRA, L. Â. ; VENTURA, R. ; OSTRENSKY, A. ; FAVARETO, L. R. . Variação horária dos grupos zooplanctônicos em um ponto da baía de Guaratuba/PR, por seis dias consecutivos.. In: XXVI Congresso Brasileiro de Zoologia, 2006, Londrina. Anais do XXVI Congresso Brasileiro de Zoologia, 2006.

68.
BECKER, A. G. ; COTTENS, K. F. ; Silva, U.A. ; OSTRENSKY, A. ; Boeger, W. A. . A relação entre o ciclo lunar e a ecdise para o estágio de megalopa de Ucides cordatus (LINNAEUS, 1763) (CRUSTACEA ? DECAPODA - BRACHYURA), em laboratório.. In: IV Congresso Brasileiro de Crustáceos, 2006, Guarapari, ES.. Anais do IV Congresso Brasileiro de Crustáceos, 2006.

69.
BECKER, A. G. ; SILVA, U. A. ; OSTRENSKY, A. ; Boeger, W. A. . A influência do ciclo lunar sobre larvas de Ucides cordatus (Linnaeus, 1763) (Crustacea, Decapoda, Brachyura), em cultivos experimentais realizados em laboratório.. In: XVIII Semana Nacional de Oceanografia, 2006, Pontal do Paraná. Anais da XVIII Semana Nacional de Oceanografia, 2006.

70.
OLIVEIRA NETO, José Francisco de ; PIE, Márcio ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, Walter Antonio . Avaliando a estruturação genética das populações do caranguejo-uçá, Ucides cordatus(Linnaeus, 1763), dos estados de Sergipe e do Paraná.. In: XXVI Congresso Brasileiro de Zoologia, 2006, Londrina. CD Resumos, 2006. p. 2168.

71.
SOUZA, Robson Ventura de ; OSTRENSKY, A. . Avaliação das taxas de canibalismo de megalopas sobre zoeas de Ucides cordatus em laboratório. In: III Semana de Aquicultura ? UFSC, 2005, Florianópolis. Anais da III Semana de Aquicultura, 2005. v. I. p. 34-34.

72.
OSTRENSKY, A.. Aqüicultura e desenvolvimento rural sustentável. In: 8a Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Pesquisadores Nikkeis, 2000, Curitiba. SBPN - Scient. Journ., 2000. v. 4. p. 47-48.

73.
SILVA, U. A. ; OSTRENSKY, A. . Avaliação quantitativa dos trabalhos publicados sobre patologias de camarões marinhos publicados no período de 1989 a 1999.. In: II Encontro Latino-Americano de patologistas de Organismos Aquáticos., 2000, Florianópolis. Anais do _ _ _, 2000. v. I. p. 57-57.

74.
OSTRENSKY, A.; SILVA, U. A. . A ocorrência de camarões com as doença das brânquias escuras e sua relação com as condições ambientais estressantes.. In: II Encontro Latino-Americano de patologistas de Organismos Aquáticos., 2000, Florianópolis. Anais do _ _ _, 2000. v. I. p. 55-55.

75.
OSTRENSKY, A.; FARIAS, H. ; GOMES, E. . Tilapia (Oreochromis niloticus) production in marine shrimps ponds in Guaraqueçaba Bay, Paraná, Brasil.. In: Fifth International Symposium on Tilapia Aquaculture., 2000, Rio de janeiro. Proceedings from the _ _ _, 2000. v. I. p. 632-632.

76.
OSTRENSKY, A.; GOMES, E. . Evaluation of effects of benzocain and cetilperidine chloride to tilapia (Oreochromis niloticus).. In: Fifth International Symposium on Tilapia Aquaculture, 2000, Rio de Janeiro. Proceedings from the _ _ _, 2000. v. I. p. 464-464.

77.
OSTRENSKY, A.; PILCHOWSKI, R. W. ; OTTO, R. M. . Primeiros resultados obtidos em cultivos comerciais do camarão branco Litopenaus vannamei na Região Sul do Brasil.. In: 7o Evento de Iniciação Científica da UFPR., 1999, Curitiba. Anais do _ _ _, 1999. p. 247-247.

78.
OSTRENSKY, A.; TKACZ, M. ; GOMES, E. ; FARIAS, H. . Efeitos do uso de folhas de rami (Boehmeria nívea) na alimentação de tilápia nilótica (Orechromis niloticus).. In: 7o Evento de Iniciação Científica da UFPR, 1999, Curitiba. Anais do _ _ _, 1999. p. 248-248.

79.
OSTRENSKY, A.; GOMES, E. . Métodos de prevenção e controle de ectoparasitismo em peixes cultivados.. In: 7o Evento de Iniciação Científica da UFPR., 1999, Curitiba. Anais do _ _ _, 1999. p. 249-249.

80.
OSTRENSKY, A.; MONTRUCCHIO, E. ; BOEGER, W. A. . Origem dos Problemas Com Ectoparasitoses Em. In: I Econtro Brasileiro de patologistas de organismos aquáticos., 1998. Resumo.. Maringá, PR.. v. I. p. 3-3.

81.
OSTRENSKY, A.; BRUM, E. ; WEGBECHER, F. X. ; ZANATA, F. . A Importância da Macrofauna Bêntica Em Viveiros de Cultivo de P. Paulensis Pérez-Farfante, 1967.. In: IV Simpósio de Ciências Médicas e Biológicas., 1997. Archives of veterinary Science. Curitiba. v. 2. p. 32-32.

82.
OSTRENSKY, A.; GRIS, S. ; CORDEBELLA, A. ; MARTIGNAGO, R. ; WALDOW, F. ; SUGAWARA, E. . Avaliação das Técnicas de Piscicultura Utilizadas Na Região Oeste do Paraná.. In: IV Simpósio de Ciências Médicas e Biológicas., 1997. Archives of veterinary Science. Curitiba. v. 2. p. 31-32.

83.
OSTRENSKY, A.; BRUM, E. ; SANTOS, A. F. N. . Ecologia de Viveiros e Sua Importância Na Produtividade Em Cultivos de Camarões Marinhos.. In: 48a Reunião anual da SBPC, 1996. 48a Reunião anual da SBPC - Livro de Resumos. São Paulo, SP.. p. 235-235.

84.
OSTRENSKY, A.; WEGBECHER, F. X. ; 25, A. I. E. I. C. E. 9. U. C. ; 1995, 2. S. . Avaliação da Ecotoxicidade da Combinação de Compostos Nitrogenados Para Camarões Marinhos.. In: III Evento de Iniciação Científica - EVINCI/95, 1995. III Evento de Iniciação Científica - EVINCI/95 - Livro de Resumos. Curitiba. p. 67-68.

85.
OSTRENSKY, A.; FÓES, G. K. ; STERNHAIN, U. S. ; BRUM, E. ; WEGBECHER, F. X. . Qualidade da Água e Sua Importância Para Os Cultivos de Camarões Marinhos No Litoral do Estado do Paraná.. In: IV Simpósio de Ciências Médicas e Biológicas., 1994. Archives of veterinary Science. Curitiba. v. 2. p. 30-31.

86.
OSTRENSKY, A.; BRUM, E. ; SANTOS, A. F. N. ; 04, A. E. I. C. U. E. C. ; 1994, 0. A. . Cultivo de Camarões Marinhos No Litoral Paranaense: Resultados e Perspectivas.. In: Evento de Iniciação Científica da UFPR (EVINCI), 1994. Evento de Iniciação Científica da UFPR (EVINCI) - Livro de Resumos. Curitiba. p. 54-54.

87.
OSTRENSKY, A.. Análise Comparativa da Toxicidade do Nitrito Para Juvenis das Duas Principais Espécies de Camarões Marinhos do Paraná: Penaeus Paulensis e Penaeus Schmitti.. In: Evento de Iniciação científica da UFPR (EVINCI)., 1994. Evento de Iniciação científica da UFPR (EVINCI). _ Livro de Resumos. Curitiba. p. 45-46.

88.
OSTRENSKY, A.; SOBUE, S. ; FIGUEIREDO, M. C. ; WASIELESKY JR, W. . Análise dos Níveis de Energia Na Alimentação de Oreochromis Niloticus.. In: II Encontro Riograndense de Técnicos em Aqüicultura, 1994. II Encontro Riograndense de Técnicos em Aqüicultura - Resumos. Rio Grande, RS.. p. 71-71.

89.
OSTRENSKY, A.; POERSCH, L. H. ; WASIELESKY JR, W. . Variações Cíclicas de Amônia e Nitrito e Sua Influência Na Larvicultura de Penaeus Paulensis Pérez-Farfante, 1967.. In: Encontro Nacional de Pesca e Aqüicultura, 1992. Encontro Nacional de Pesca e Aqüicultura - Livro de Resumos. Santos. p. 75-75.

90.
OSTRENSKY, A.; POERSCH, L. H. . Toxicidade do Nitrito Na Larvicultura do Camarão-Rosa Penaeus Paulensis Pérez-Farfante, 1967.. In: Encontro Nacional de Pesca e Aqüicultura, 1992. Encontro Nacional de Pesca e Aqüicultura - Resumos. Santos, SP.. p. 74-74.

91.
OSTRENSKY, A.. Efeitos do Nitrito Sobre Todos Os Organismos Envolvidos Na Larvicultura do Camarão-Rosa Penaeus Paulensis.. In: Encontro Nacional de Aqüicultura, 1992. Encontro Nacional de Aqüicultura - Resumos. Peruíbe, SP.. p. 114-114.

92.
OSTRENSKY, A.. Efeitos da Amônia Sobre O Desenvolvimento e Sobrevivência do Rotífero Brachionus Plicatilis (Muller).. In: XVIII Congresso Brasileiro de Zoologia, 1991. XVIII Congresso Brasileiro de Zoologia - resumos. Salvador, BA. p. 22-22.

93.
OSTRENSKY, A.; MARCHIORI, M. A. ; POERSCH, L. H. . Toxicidade Aguda da Amônia No Processo Produtivo de Pós-Larvas de Penaeus Paulensis Pérez-Farfante, 1967.. In: II Encontro Riograndense de Técnicos em Aqüicultura, 1991. Resumo. p. 51-51.

94.
OSTRENSKY, A.; MARCHIORI, M. A. ; SANTOS, M. H. S. . Degradação de Alimentos Naturais Utilizados Na Maturação de Penaeus Paulensis e Sua Influência Sobre A Qualidade da Água.. In: III Semana Nacional de Oceanografia, IV Semana Universitária de Oceanografia, 1990. Resumo. Rio Grande, RS. p. 17-17.

95.
OSTRENSKY, A.; MARCHIORI, M. A. ; ZUNINO, P. . Toxicidade do Nitrito Para Tetraselmis Chuii (Prasinophyceae, Pyramimonadales).. In: III Semana Nacional de Oceanografia, IV Semana Universitária de Oceanografia, 1990. Resumos. Rio Grande, RS.. p. 18-18.

Artigos aceitos para publicação
1.
STEVANATO, D. J. ; OSTRENSKY, A. . Larval and post-larval ontogenetic development of Astyanax altiparanae (Characiformes: Characidae). Neotropical Ichthyology (Online), 2017.

Apresentações de Trabalho
1.
OSTRENSKY, A.. Evolução da atuação profissional em aquicultura e pesca no Brasil. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
VENTURA, R. ; HOLLUNDER, E. ; FASARELLA, L. D. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Crescimento em cativeiro de cinco espécies de siris explotadas na Baía de Todos os Santos, Bahia, Brasil.. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
VENTURA, R. ; HOLLUNDER, E. ; FASARELLA, L. D. ; Silva, U. T. A. ; OSTRENSKY, A. ; Boeger, W. A. . Rendimento de carne de quatro espécies de siris explotadas na Baía de Todos os Santos, Bahia, Brasil.. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

Outras produções bibliográficas
1.
IVANKIU, C. ; BOEGER, W. ; OSTRENSKY, A. . Boas práticas de manipulação de pescados.. Curitiba: Grupo Integrado de aquicultura e Estudos Ambientais (GIA), 2009 (Cartilha Técnica).

2.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Turma do Puçá No. 1 - O caranguejo-uçá. Curitiba: GIA, 2008 (Cartilha Técnica).

3.
CASTILHO, G. G. ; FARIAS, H. ; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . Cartilha de Boas Práticas para Manipuladores de Pescado. Curitiba: GIA, 2007 (Cartilha Técnica).

4.
OSTRENSKY, A.; CASTILHO, G. G. ; CASTILHO, Gisele ; PEREIRA, L. Â. ; SILVA, M. D. ; BOEGER, W. . Uatobá - No. 2 - Ostra também é cultura. Curitiba: GIA, 2007 (Cartilha Técnica).

5.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. A. . Uatobá - No. 1 - Quem sabe o que é o Projeto Cultimar. Curitiba: GIA, 2007 (Cartilha Técnica).

6.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Uatobá - No. 3 - Só quero ostras aprovadas pelo Cultimar. Curitiba: GIA, 2007 (Cartilha Técnica).

7.
CASTILHO, G. G. ; FARIAS, H. ; OSTRENSKY, A. ; Boeger, W. A. . Cartilha de Boas Práticas para Manipuladores de Alimentos. Curitiba: GIA, 2007 (Cartilha Técnica).

8.
OSTRENSKY, A.; CASTILHO, G. G. ; Ventura, R. . Curso para Formação de Agentes Capacitadores em Piscicultura. Curitiba: Senar (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), 2005 (Cartilha Técnica).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
OSTRENSKY, A.; PESTANA, D. . Consultoria técnica à COPEL - tema: Monitoramento e controle do mexilhão-dourado. 2016.

2.
Ostrensky, A.; BORGHETTI, J. R. . Assessoria técnica à Federação das Indústrias do Paraná. 2016.

3.
OSTRENSKY, A.. Creación del programa de maestría profesional en acuicultura dedicado a la atención de las demandas definidas por la Red de Acuicultura de las Américas. 2013.

4.
BORGHETTI, J. R. ; OSTRENSKY, A. . Consultoria em planejamento e gestão da aquicultura em parques aquícolas. 2012.

5.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. A. ; BOEGER, M. R. T. ; CASTILHO-WESTPHAL, G. G. . Diagnóstico ictiofaunístico em ambientes afetados por vazamento de óleo na Serra do Mar, no estado do Paraná.. 2011.

6.
Boeger, W. A. ; OSTRENSKY, A. ; CASTILHO, G. G. . Determinando o agente causador da mortandade de peixes marinhos ocorrida na Baía de Guaratuba em 2007.. 2007.

7.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. ; PILCHOWSKI, R. W. . Elaboração de plano de perícia ambiental para avaliação dos impactos do acidente do rio Iguaçu sobre a ictiofauna. 2006.

8.
OSTRENSKY, A.. Análise técnica de quesitos de perícias do acidente ambiental do OSPAR. 2005.

9.
OSTRENSKY, A.. Avaliação técnico-financeira do empreendimento Jambo Indústria Comércio e Exportação Ltda. 2004.

10.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Proposta de caracterização e monitoração ambiental das atividades de instalação do sistema de exploração de óleo e gás na bacia de Camamu-Almada, BA.. 2003.

11.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. A. P. ; SILVA, U. A. ; WEGBECHER, F. X. ; GUIMARÃES, A. T. B. ; CRUZ, S. R. Z. ; BELZ, C. E. ; PILCHOWSKI, R. W. . Avaliação dos Impactos Causados Durante a Aquisição de Dados Sísmicos sobre Organismos Marinhos de Interesse Comercial. 2002.

12.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. ; SILVA, L. F. D. ; PILCHOWSKI, R. W. ; GUIMARÃES, A. T. B. ; ROMÃO, S. Z. . Diagnósticos ictiofaunístico pós-derramamento de óleo nos rios Iguaçu e Barigui, julho de 2000.. 2001.

13.
OSTRENSKY, A.; BARBIERI JR, R. C. . Projeto de pesquisa e produção de juvenis de caranguejos para repovoamento de áreas afetadas por derramamento de óleo na Baía de Guanabara. 2001.

14.
OSTRENSKY, A.. Programa Ambiental de Emergência. 2001.

15.
OSTRENSKY, A.. Análise comparativa do potencial para o desenvolvimento da aqüicultura no Baixo São Francisco, em relação a outras regiões brasileiras.. 2000.

16.
OSTRENSKY, A.. Assessoria técnica para a empresa Sansuy Ltda na área de cultivos em tanques-rede.. 2000.

17.
OSTRENSKY, A.; BRUGGER, A. M. ; ARAUJO, G. C. ; LIMA, A. P. ; PROENCA, C. E. M. ; WURMANN, C. ; BARBOSA, F. O. A. ; HAZIN, F. H. V. ; OLIVEIRA, G. M. . Oficina de Trabalho para Determinação da Gestão Operacional do Departamento de Pesca e Aqüicultura, do Ministério da Agricultura e do Abastecimento. 1999.

18.
OSTRENSKY, A.; OSTRENSKY, A. ; Programa Nacional Para O Desenvolvimento da Aquicultura - Instalação dos Pólos de Aqüicultura do Ano de 1997.. 1998.

19.
OSTRENSKY, A.; OSTRENSKY, A. ; Uso de Áreas Adjacentes A Manguezais Pela Carcinicultura Marinha.. 1998.

20.
OSTRENSKY, A.; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . A Cadeia Produtiva da Piscicultura Na Região do Vale do Ribeira, Sp.. 1998.

21.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. ; OSTRENSKY, A. . A Cadeia Produtiva da Aquicultura No Baixo São Francisco.. 1998.

22.
OSTRENSKY, A.; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. A. . A Cadeia Produtiva da Aquicultura Na Regiao Noroeste do Rio Grande do Sul.. 1998.

23.
OSTRENSKY, A.; OSTRENSKY, A. ; Programa Nacional Para O Desenvolvimento da Aquicultura - Programa de Aquicultura Polarizada.. 1998.

24.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. A. P. . Elaboração de um Currículo Mínimo para o Curso de Técnico em Piscicultura Continental.. 1998.

25.
OSTRENSKY, A.; OSTRENSKY, A. ; Avaliação da Necessidade de Importação da Espécie Exótica Penaeus Vannamei Para Viabilização Comercial da Carcinicultura Na Região Sul do Brasil.. 1997.

Produtos tecnológicos
1.
OSTRENSKY, A.; OSTRENSKY, A. ; BOEGER, W. . Curso de Piscicultura - Nivel Pos-Medio.. 1998.

Trabalhos técnicos
1.
OSTRENSKY, A.. Perícia Técnica Judicial - Processo 5005309-31.2011.404.7000 - Carcicinicultura. 2012.

2.
OSTRENSKY, A.; PESTANA, D. ; BECKER, A. G. ; BOEGER, W. A. . Planos Locais para o Desenvolvimento da Maricultura - PLDM - Paraná. 2010.

3.
OSTRENSKY, A.; CHAMMAS, M. A. ; ALMEIDA, J. E. S. ; NOCKO, H. R. . Promoção do desenvolvimento ordenado da Maricultura em Sergipe. 2010.

4.
OSTRENSKY, A.; SILVA, U. A. . Projeto de produção de formas jovens de caranguejo-uçá, Ucides cordatus, em larga escala para repovoamento do litoral paranaense. 2007.

5.
OSTRENSKY, A.; Boeger, W. A. ; SILVA, U. A. ; CASTILHO, G. G. . Projeto de implantação do núcleo de recuperação de ambientes costeiros alterados. 2007.

6.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. A. ; CHAMMAS, M. A. ; SOUZA, R. V. ; SILVA, U. A. ; PEREIRA, L. Â. . Programa integrado de manejo e de gerenciamento dos estoques de caranguejo-uçá (Ucides cordatus). 2007.

7.
OSTRENSKY, A.; PESTANA, D. . Levantamento de informações acerca de efeitos do derramamento de óleo sobre a ictiofauna do Rio Iguaçu. 2006.

8.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Considerações sobre o processo de licenciamento para instalação de empreendimentos econômicos em áreas ecologicamente sensíveis. 2006.

9.
BOEGER, Walter Antonio ; PIE, Márcio ; OSTRENSKY, A. ; AZAMBUJA, Luciana Patela ; OLIVEIRA NETO, José Francisco de . Subsídios para a definição de estratégias de conservação, manejo e recuperação dos estoques do caranguejo-uçá dos diferentes estuários do Estado de Sergipe, com base na sua estrutura genética.. 2005.

10.
BOEGER, W. A. P. ; PIE, M. R. ; OSTRENSKY, A. . Mortandade do caranguejo-uçá no litoral nordestino. 2004.

11.
BOEGER, W. A. P. ; OSTRENSKY, A. ; PIE, M. R. ; CARDOSO, M. F. ; CASTILHO, G. G. ; VIANNA, R. T. ; FEHLAUER, K. H. ; SPONHOLZ JUNIOR, N. ; FRANCESCHI, F. . Avaliação dos efeitos da sísmica com cabo de fundo sobre peixes recifais e sobre o zooplâncton marinho. 2004.

12.
OSTRENSKY, A.; PEREIRA, Leandro Ângelo . Projeto Cultimar - A maricultura como instrumento de melhoria das condições de vida das comunidades tradicionais do litoral paranaense. 2004.

13.
OSTRENSKY, A.; SILVA, U. A. ; VENTURA, R. . Produção de formas jovens de caranguejo-uçá, Ucides cordatus em larga escala para repovoamento do litoral paranaense. 2004.

14.
OSTRENSKY, A.. Avaliação da eficiência do protocolo de tratamento de água utilizado na ETA Vila C no controle de larvas de Limnoperna fortunei, mexilhão dourado.. 2004.

15.
OSTRENSKY, A.. Avaliação das Possíveis Causas do Insucesso Técnico-Financeiro do Projeto Lusomar S/A Importação Exportação e Aqüicultura. 2003.

16.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Avaliação das Causas de Mortandade de Peixes Ocorrida na Região do Baixo Sul, Ba, em março de 2003. 2003.

17.
BOEGER, W. ; OSTRENSKY, A. . Monitoramento de Limnoperna Fortunei, o Mexilhão Dourado, Através de Marcadores Moleculares. 2003.

18.
OSTRENSKY, A.. Produção de Juvenis de Robalo em Larga Escala. 2003.

19.
OSTRENSKY, A.; SILVA, U. A. . Projeto Repovoamento de Caranguejo. 2003.

20.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Monitoração da ictiofauna do Altíssimo, Alto e Médio rio Iguaçu após derramamento de óleo. 2003.

21.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Avaliação das alterações pontuais na morfologia do leito marinho durante perfuração de poços de petróleo, no setor norte da Bacia de Camamu/Almada, e seus efeitos sobre a pesca de camarões.. 2003.

22.
OSTRENSKY, A.; BELZ, C. E. ; BORGHETTI, José Roberto . Projeto de produção melhoramento genético de tilápias e desenvolvimento de rações de alta performance.. 2002.

23.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Relatório de coleta de ictiofauna realizada na usina Petrobrás/Six- município de São Mateus do Sul - PR. 2002.

24.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Relatório sobre imagens reportadas na imprensa televisionada na data de 19 de fevereiro de 2000 por telejornais das redes Recod e Bandeirantes. 2002.

25.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Avaliação dos impactos causados pelo vazamento de óleo durante a operação de transferência do n/t Maracá até o terminal marítimo de São Francisco do Sul, SC, em 24 de maio de 2002.. 2002.

26.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Avaliação comparativa da ictiocenose dos rios impactados pelo rompimento do Poliduto Olapa. 2002.

27.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Avaliação organoléptica de moluscos e crustáceos coletados no litoral paranaense. 2002.

28.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Análise organoléptica de peixes coletados no Rio Iguaçu, entre Guajuvira e Porto Amazonas. 2001.

29.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. . Monitoramento biológico na baía de Paranaguá, para identificação de impactos ambientais decorrentes do vazamento de nafta do navio de transporte Norma. 2001.

30.
OSTRENSKY, A.; Santos, L..F. ; BELZ, C. E. . Programa Integrado de Desenvolvimento da Maricultura Paranaense.. 2000.

31.
OSTRENSKY, A.; PILCHOWSKI, R. W. . Produção intensiva de tilápias em tanques-rede. 1999.


Demais tipos de produção técnica
1.
OSTRENSKY, A.. Organização do Arranjo Produtivo Local da Ostreicultura no Litoral Sul do Paraná - Relatório Final de Atividades. 2011. (Relatório de pesquisa).

2.
OSTRENSKY, A.. Técnicas de apresentação de trabalhos acadêmicos. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
OSTRENSKY, A.. Fundamentos da qualidade de água na aquicultura. 2006. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

4.
OSTRENSKY, A.; CASTILHO, G. G. . Curso de formação de instrutores em piscicultura. 2005. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

5.
OSTRENSKY, A.; SILVA, U. A. . Vídeo Técnico relativo ao Projeto Repovoamento de Caranguejo. 2003. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Vídeo técnico-institucional).

6.
OSTRENSKY, A.; BARBIERI JR, R. C. . Vídeo intitulado "Cultivo de Camarões Marinhos". 2003. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Vídeo Técnico).

7.
OSTRENSKY, A.. Cartilha de Cultivo de Peixes em Tanques-rede. 2003. (Revisão de Material Técnico).

8.
OSTRENSKY, A.. Fundamentos de Oceanografia. 2002. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

9.
OSTRENSKY, A.. 1o Curso Básico sobre Piscicultura. 1999. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

10.
OSTRENSKY, A.. Curso Básico de Piscicultura.. 1999. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

11.
OSTRENSKY, A.. Qualidade de água em Piscicultura. 1999. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

12.
OSTRENSKY, A.. Cultivo de Camarões Marinhos. 1996. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

13.
OSTRENSKY, A.. Metodologia de Estudo de Sistemas Lênticos. 1995. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
OSTRENSKY, A.; LANA, P. C.. Participação em banca de Daphne Spier Moreira Alves. O papel das taxas de inundação na distribuição de Ucides cordatus (linnaeus, 1763), Mytella guyanensis (Lamarck, 1819) e Crassostrea rhizophorae (Guilding, 1828) espécies bentônicas de interesse comercial em manguezais da Baía de Paranaguá.. 2011. Dissertação (Mestrado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná.

2.
LANA, P. C.; OSTRENSKY, A.. Participação em banca de Daphner Spieder. O papel das taxas de inundação na distribuição de Ucides cordatus (Linnaeus, 1763), Mytella guyanensis (Lamarck, 1819) e Crassostrea rhizophorae (Guilding, 1828), espécies bênticas de interesse comercial em manguezais da Baía de Paranaguá. 2011. Dissertação (Mestrado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná.

3.
OSTRENSKY, A.; SILVA, U. A.; MIRANDA FILHO, K. C.. Participação em banca de Marcus Vinícius Fier Girotto. Efeitos da amônia sobre juvenos de Litopenaeus schmitti (Burkenroad, 1936) e de Litopenaeus vannamei: excreção e toxicidade. 2010. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná.

4.
OSTRENSKY, A.; VIDAL, E. A. G.; MASUNARI, S.. Participação em banca de Alexandre Guilherme Becker. Utilização de organismos-alimento na larvicultura do caranguejo-uçá, Ucides cordatus (linneus, 1763) (Crustacea, Brachyura, Ocipodidae).. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná.

5.
SANTOS, S.; OSTRENSKY, A.; MASUNARI, S.. Participação em banca de Mariângela Di Benedetto. Dinâmica populacional de Uca Maracoani (Latreille, 1802-1803) ( Decapoda, Brachyura. Ocupodydae) no Baixo do Mirim, Baía de Guaratuba, Paraná, Brasil.. 2007. Dissertação (Mestrado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná.

6.
MASUNARI, S.; OSTRENSKY, A.; SANTOS, S.. Participação em banca de Érico Ferri Maranezzi Oliveira Teodósio. Distribuição temporal de Aegla schmitti Hobbs III, 1979 (Crustacea, Anomura, Aeglidae) em reservatórios dos mananciais da Serra, Piraquara, estado do Paraná. 2007. Dissertação (Mestrado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná.

7.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. A.; PIE, Márcio. Participação em banca de Marcelo Faria Cardoso. Efeitos da sísmica com cabos de fundo sobre peixes recifais.. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná.

8.
OSTRENSKY, A.; MASUNARI, S.; PESTANA, D.. Participação em banca de Paulo Vicente Costa. Predação de larvas de caranguejo (infraordem Brachyura) por peixes no rio dos Pinheiros, Guaratuba, Paraná, Brasil. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná.

9.
OSTRENSKY, A.; MASUNARI, S.; MELO, S. G.. Participação em banca de Gisela Geraldine Castilho. Aspectos reprodutivos do caranguejo-uçá, Ucides cordatus (l.) (Crustacea, Brachyura, Ocypodidae), na baía de Antonina, Paraná, Brasil. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná.

10.
OSTRENSKY, A.; Pestana, D.; MELO, S. G.. Participação em banca de Robson Ventura de Souza. Canibalismo e assentamento de formas jovens de caranguejo-uçá, Ucides cordatus (L.) (Crustacea, Brachyura, Ocypodidae), em condiçőes de laboratório.. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná.

11.
ANDREATTA, E. R.; OSTRENSKY, A.; BELTRAME, E.. Participação em banca de Rafael da Cunha Moraes. Influência da densidade e idade no transporte de pós-larvas do camarão marinho Litopenaeus vannamei.. 2004. Dissertação (Mestrado em Aqüícultura) - Universidade Federal de Santa Catarina.

12.
OSTRENSKY, A.; ARANA, L. A. V.. Participação em banca de José Waldecir de Carvalho Filho. Avaliação da eficiência do aerador injetor de ar e do aerador de pás giratórias em diferentes salinidades: estudo de caso.. 2004. Dissertação (Mestrado em Aqüícultura) - Universidade Federal de Santa Catarina.

13.
OSTRENSKY, A.; SERAFIM JR., M. A.. Participação em banca de Leandro Ângelo Pereira. Cultivo do camarăo branco do pacífico, Litopenaeus vannamei (BOONE, 1931), em tanques-rede no litoral paranaense: estudo de caso.. 2004. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná.

14.
OSTRENSKY, A.. Participação em banca de Carlos Eduardo Belz. Cultivo Consorciado da Ostra do Mangue Crassotrea rizophorae com Camarões Marinhos na Baía de Paranaguá, PR.. 2003. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná.

15.
WASIELESKY JR, W.; OSTRENSKY, A.; ABREU, P. C. O. V.. Participação em banca de Eduardo Luis Cupertino Ballester. Influência do biofilme na sobrevivência e no crescimento de juvenis do camarão-rosa "Farfantepenaeus paulensis" cultivados em sistema de berçário no estuário da Lagoa dos Patos.. 2003. Dissertação (Mestrado em Aqüicultura) - Universidade Federal do Rio Grande.

16.
OSTRENSKY, A.; BOEGER, W. A.; CARNEIRO, P. C. F.. Participação em banca de Luis de Souza Viana. Produção de Tilápias em Tanques-Rede de Pequeno Volume na Região Metropolitana de Curitiba: Estudo de Caso.. 2003. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná.

17.
OSTRENSKY, A.; ANDRIGUETTO FILHO, José Milton; BOEGER, W. A.. Participação em banca de Robert Willian Pilchowski. Avaliação dos Impactos de Derramamento de Óleo sobre a Ictiofauna do Altíssimo, Alto e Médio Rio Iguaçu, Paraná, Brasil. 2003. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná.

18.
OSTRENSKY, A.; MASUNARI, S.. Participação em banca de Ubiratã Assis Teixeira da Silva. Cultivos Experimentais de Caranguejo-Uçá, Ucides cordatus (Linnaeus, 1763).. 2002. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná.

19.
Boeger, W. A.; OSTRENSKY, A.. Participação em banca de Ana Teresa Bittencourt. Análise Biológica de Tratamentos Contra Parasitoses de Peixes Cultivados. 2000. Dissertação (Mestrado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná.

20.
ANDREATTA, E. R.; OSTRENSKY, A.. Participação em banca de Fábio Xavier Wegbecher. Efeitos do Uso de Diferentes Fertilizantes Químicos Sobre o Crescimento de Diatomáceas Nativas.. 2000. Dissertação (Mestrado em Aqüícultura) - Universidade Federal de Santa Catarina.

21.
OSTRENSKY, A.. Participação em banca de Fabíola E. Alessi. Avaliação dos principais parâmetros zootécnicos envolvidos na produção das espécies de camarões marinhos cultivadas no litoral paranaense: Farfantepenaeus paulensis, Litopenaeus schmitti e Litopenaeus vannamei. 2000. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná.

22.
HAYASHI, C.; THOMAZ, S. M.; OSTRENSKY, A.. Participação em banca de Luiz Eduardo Guimarães Sá Barreto. Avaliação de parâmetros abióticos em ambientes utilizados para cultivo de peixes.. 1999. Dissertação (Mestrado em Ecologia de Ambientes Aquáticos Continentais) - Universidade Estadual de Maringá.

Teses de doutorado
1.
WASIELESKY, W.J.; POERSCH, L. H.; KRUMMENAUER, D.; PEIXOTO, S. R. M.; Ostrensky, A.. Participação em banca de Plínio Schmidt Furtado. Relevância da alcalinidade,pH e dióxido de carbono na sobrevivência e crescimento de Litopenaesu vannamei (Boone 1931) em sistema de bioflocos. 2014. Tese (Doutorado em Aqüicultura) - Universidade Federal do Rio Grande.

2.
NOSEDA, M. D.; CORDEIRO, L. M. C.; OSTRENSKY, A.; ASCENCIO, S. D.. Participação em banca de Juliane Rizzi. Potencial biotecnológico dos polissacarídeos de microalgas marinhas. 2010. Tese (Doutorado em Ciências (Bioquímica)) - Universidade Federal do Paraná.

3.
BOEGER, W. A.; FREITAS, P. D.; OSTRENSKY, A.; LANA, P. C.; SOUZA, R. L. R.. Participação em banca de José Francisco de Oliveira Neto. Filogeografia e demografia evolutiva de Ucides cordatus (linnaeus, 1763) Decapoda. Brachyura) e Cardisoma guanhumi Latreille, 1825 (Decapoda, Brachyura) na costa do Brasil.. 2009. Tese (Doutorado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná.

4.
OSTRENSKY, A.; FONTANA, J. D.. Participação em banca de Marcos Luiz Pessatti. Caracterização do mecanismo de resistência à multixenobióticos (MXR) no mexilhão Perna perna. 2002. Tese (Doutorado em Ciências (Bioquímica)) - Universidade Federal do Paraná.

5.
BIANCHINI, A.; OSTRENSKY, A.; CALAZANS, D.; D´Incao, F.; MONTU, M.. Participação em banca de Wilson F.B. Wasieleski Jr.. Cultivo de juvenis do camarão-rosa Farfantepenaeus paulensis (Decapoda, Penaeidae) no estuário da Lagoa dos Patos: Efeitos de parâmetros ambientais e manejo de cultivo. 2000. Tese (Doutorado em Oceanografia Biológica) - Universidade Federal do Rio Grande.

Qualificações de Doutorado
1.
Ostrensky, A; BERNAL, F. E. M.; FERREIRA, M. F. N.. Participação em banca de Gulherme Wolff Bueno. Modelo bioenergético e cálculo do balanço de massa como ferramenta de monitoramento e estimativa de efluentes da aquicultura em águas públicas. 2013. Exame de qualificação (Doutorando em Ciências Animais) - Universidade de Brasília.

Monografias de cursos de aperfeiçoamento/especialização
1.
OSTRENSKY, A.; Belz, C. E.. Participação em banca de Mariana Seide. Proposta de gerenciamento ambiental de parques aquícolas continentais baseado nos impactos da piscicultura em tanque-rede. 2011. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Pós-Graduação em MBA em Gestão Ambiental) - Universidade Federal do Paraná.

2.
OSTRENSKY, A.; BELZ, C. E.. Participação em banca de Camila Amorim. Conflitos ambientais portuários e remediação de conflitos ambientais. 2011. Monografia (Aperfeiçoamento/Especialização em Pós-Graduação em MBA em Gestão Ambiental) - Universidade Federal do Paraná.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
PECE, C. A. Z.; ERTHAL, R.; SANTOS, W. E.; OSTRENSKY, A.. Participação em banca de Daryton Roger Lebib.Refúgio Térmico: uma solução de engenharia para a piscicultura. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Industrial Elétrica) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

2.
OSTRENSKY, A.; ANDRIGUETTO FILHO, José Milton; OLIVEIRA, E. G.. Participação em banca de Roberta de Azevedo Zanatta.Métodos alternativos para obtenção de sementes para o cultivo do mexilhão Perna perna (Linnaeus, 1758) e manejo dos bancos naturais. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná.

3.
OSTRENSKY, A.; MOLENTO, C. F. M.; ANDRIGUETTO FILHO, José Milton. Participação em banca de Reginaldo Fabrício de Lima.Métodos de insensibilização de peixes sob a ótica do bem-estar animal. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná.

4.
FRANCO, S.; FISHER, A. V.; OSTRENSKY, A.. Participação em banca de Eduardo Massoquetti.Sistema integrado de produçào de frangos. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná.

5.
PONT, G. D.; ANDRIGUETTO FILHO, José Milton; OSTRENSKY, A.. Participação em banca de Giorgi Dal Pont.Aplicabilidade do Modelo do Ligante Biótico (BLM) na determinação da toxicidade do cobre na água branca do rio Solimões.. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná.

6.
OSTRENSKY, A.; MAIORCA, A.. Participação em banca de Karin Cristina Escobar Yamashiro.Manejo na Produção e Comercialização de Alevinos (Piscicultura Panamá, Santa Catarina). 2008.

7.
OSTRENSKY, A.; ANDRIGUETTO, J. L.; MAIORKA, A.. Participação em banca de Otávio Serino Castro.Principais Aspectos Inerentes á Estabilidade Física das Rações para Camarões Marinhos. 2008. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
HENRY, R.; ZANIBONI FILHO, E.; OSTRENSKY, A.; BARCELLOS, L. J. G.; BALDISSEROTO, B.. Banca examinadora do concurso público para a contratação de pesquisador III, área de produção sustentável da aquicultura.. 2012. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho.

2.
OSTRENSKY, A.. 31o Concurso Público de Provas e Títulos para Provimento de Cargo de Professor de Ensino Superior na Unioeste - Aquicultura, Dinâmica de Populações e Avaliação de Recursos. 2012. Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

3.
OSTRENSKY, A.; FEIDEN, A.; SCHAFFRATH, V. R.. Comissão julgadora para seleçãode professor da Escola Técnica Federal do Paraná na área de engenharia de pesca.. 2008. Escola Técnica da Universidade Federal do Paraná.

4.
OSTRENSKY, A.. Banca para seleção de candidatos ao mestrado no Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Paraná.. 2007. Universidade Federal do Paraná.

5.
OSTRENSKY, A.. Banca para seleção de candidatos ao mestrado no Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Paraná.. 2006. Universidade Federal do Paraná.

6.
OSTRENSKY, A.. Banca para seleção de candidatos ao mestrado no Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Paraná.. 2005. Universidade Federal do Paraná.

7.
OSTRENSKY, A.. Banca para seleção de candidatos ao mestrado no Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Paraná.. 2004. Universidade Federal do Paraná.

8.
OSTRENSKY, A.. Membro da comissão julgadora do processo seletivo para contratação de um docente, na Categoria de Professor Doutor, junto ao Departamento de Zootecnia, na área de julgamento e exterior, na Universidade Federal do Paraná.. 2003. Universidade Federal do Paraná.

9.
OSTRENSKY, A.. Banca para seleção de candidatos ao mestrado no Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Paraná.. 2003. Universidade Federal do Paraná.

10.
OSTRENSKY, A.. Banca para seleção de candidatos ao mestrado no Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Paraná.. 2002. Universidade Federal do Paraná.

11.
OSTRENSKY, A.. Membro da comissão julgadora do processo seletivo para contratação de um docente, na Categoria de Professor Doutor, junto ao Departamento de Oceanografia Biológica, na área de aqüicultura, no Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo.. 2001. Instituto Oceanográfico.

12.
OSTRENSKY, A.. Banca para seleção de candidatos ao mestrado no Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Paraná.. 2001. Universidade Federal do Paraná.

13.
OSTRENSKY, A.. Banca para seleção de candidatos ao mestrado no Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Paraná.. 2000. Universidade Federal do Paraná.

14.
OSTRENSKY, A.. Banca para seleção de candidatos ao mestrado no Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Paraná.. 1999. Universidade Federal do Paraná.

Outras participações
1.
Ostrensky, Antonio; FIGUEIREDO, M. C.. Comissão julgadora da cjhamada MCTI/MAPA/MEC/MPA/CNPq 81/203. 2013. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

2.
OSTRENSKY, A.; FURUYA, W. M.; LUCA, S. J.; ARAUJO, M. E.. Comissão julgadora do Edital MCT/CNPq/CT-Hidro/MPA No. 18. 2010. Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Reunion Ordinaria del Comite Tecnico de la Red de Acuicultura de las Americas.Reunion Ordinaria Anual del Comité Técnico. 2013. (Oficina).

2.
Aquapescabrasil - Feira Internacional de Pesca e Aquicultura.Crescimento em Ccativeiro de cinco espécies de siris explotadas na Baía de Todos os Santos. 2010. (Simpósio).

3.
Curso de Atualização em Piscicultura.Mexilhão dourado - impactos, biologia e controle no sistema de cultivo em tanques-rede. 2010. (Seminário).

4.
I Semana Acadêmica de Aquicultura.Planos Locais de Desenvolvimento da Maricultura. 2010. (Simpósio).

5.
I Simpósio Brasileiro de Tecnologia em Aquicultura.Aquicultura e biodiversidade: precaução ou exagero?. 2010. (Simpósio).

6.
Aquafair 2008.A Aqüicultura Brasileira, uma atividade de muito futuro. Mas, por que o futuro tem demorado tanto a chegar.. 2008. (Seminário).

7.
Encontro para a criação do Núcleo de Pesquisas em Aquicultura e Pesca - Núcleo Sul III- Paraná..Histórico da aqüicultura paranaense. 2008. (Encontro).

8.
I Conferência Estadual de Cessão de Águas para Aqüicultura.Alternativas de Desenvolvimento e Sustentabilidade: Integração, Pesca e Aquicultura. 2008. (Outra).

9.
Rede de Inovação e Prospecção Tecnológica para o Agronegócio - Oficinas de Aqüicultura.A Aqüicultura Brasileira, uma Atividade de Muito Futuro - mas porque esse futuro tem demorado tanto a chegar?. 2008. (Oficina).

10.
Lançamento do livro Aquicultura no Brasil: o desafio é crescer.Aquicultura no Brasil: o desafio é crescer. 2007. (Outra).

11.
Aquaciência. aa. 2006. (Congresso).

12.
I Congresso Brasileiro de Biologia Marinha. Carcinicultura: mitos e verdades científicas sobre a atividade que revolucionou a maricultura brasileira. 2006. (Congresso).

13.
I Fórum Nacional sobre Mortandade do Caranguejo-uçá..A produção em massa de larvas do caranguejo-uçá em laboratório e o repovoamento de áreas afetadas.. 2006. (Simpósio).

14.
Seminario sobre Fortalecimiento Institucional para el Desarrollo Sustentable de la Acuicultura en Brasil. FAO-SEAP.Os Sistemas de Produção de pequena, média e grande escala.. 2006. (Oficina).

15.
Congresso Brasileiro de Engenharia de Pesca. Políticas públicas para a aqüicultura. 2005. (Congresso).

16.
Congresso Brasileiro de Engenharia de Pesca. Potencialidades da aqüicultura continental brasileira. 2005. (Congresso).

17.
Conselho Nacional de Aqüicultura e Pesca.Panorama de Aquicultura no Brasil hoje: perspectivas e entraves. 2005. (Encontro).

18.
Exposição Feira Agropecuária de Ponta Grossa.O uso de tanques-rede na aqüicultura.. 2005. (Outra).

19.
XVI Feira do Verde.Desenvolvimento de projetos de aqüicultura em ambientes poluídos - estudo de caso - Baía de Guaratuba.. 2005. (Simpósio).

20.
1º Seminário de Integração Sanepar/UFPR..Avaliação da eficiência do protocolo de tratamento de água utilizado na ETA Vila C no controle de larvas de Limnoperna fortunei, mexilhão dourado.. 2004. (Seminário).

21.
Encontro Municipal de piscicultores..Manejo de viveiros aliado ao controle ambiental.. 2004. (Encontro).

22.
III Seminário Rio Iguaçu.Efeitos do vazamento de óleo ocorrido na Refinaria Getúlio Vargas, em julho de 2000, sobre os peixes do Rio Iguaçu e Barigui ? situação atual.. 2004. (Simpósio).

23.
Seminário Terras e Águas do Rio Iguaçu.Rio Iguaçu e sua biodiversidade.. 2004. (Encontro).

24.
Conferência Estadual de Aqüicultura e Pesca.Alternativas para o Desenvolvimento da Pesca e da Aqüicultura.. 2003. (Outra).

25.
Simpósio Internacional Paraná ? Hyogo.Aqüicultura e Gerenciamento Costeiro. Como parte da mesa-redonda intitulada: Desenvolvimento Sustentável da Região Costeira.. 2003. (Simpósio).

26.
Aqüicultura Brasil 2002. XII Simpósio Brasileiro de Aqüicultura..A sustentabilidade da aqüicultura brasileira. 2002. (Simpósio).

27.
IV Semana Acadêmica de Medicina Veterinária. Palotina.A Piscicultura paranaense ? realidade e perspetivas.. 2002. (Outra).

28.
1o Workshop tanques-rede para a piscicultura ? ordenamento e produção..O uso de tanques-rede na aqüicultura. 2001. (Outra).

29.
Encontro Internacional da Sociedade NikKei.Aqüicultura e Desenvolvimento Rural Sustentável. 2000. (Encontro).

30.
IV Workshop:.Piscicultura no Estado do Paraná: situação atual e perspectivas. Local e data:. 2000. (Outra).

31.
Pesca Brasil 99.Manejo da qualidade de água em piscicultura intensiva. 1999. (Simpósio).

32.
Seminário Brasil-Alemanha de Atualização em Piscicultura.Manejo de viveiros e poluição ambiental. 1999. (Seminário).

33.
Curso de Extensão Universitária em Piscicultura.Conjunturas da piscicultura no Brasil.. 1998. (Outra).

34.
Seminário de Oceanografia.Cultivos em Zonas Costeiras. 1998. (Seminário).

35.
Simpósio de Oceanografia.Cultivo de Camarões marinhos. 1998. (Simpósio).

36.
Ciclo de Atualização em Piscicultura.Manejo da Qualidade da Água em Viveiros de Piscicultura. 1997. (Oficina).

37.
Ciclo de Atualização em Piscicultura.Técnicas modernas de preparação e manejo de viveiros de cultivo de peixes. 1997. (Encontro).

38.
I Seminário Internacional de Aqüicultura.Sistemas de Cultivo em Aqüicultura. 1997. (Seminário).

39.
Ciclo de Atualização em Piscicultura.Produção e Comercialização Mundial de Peixes Cultivados. 1996. (Encontro).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
OSTRENSKY, A.; QUEIROZ, J. . Coordenação da Seção de Qualidade da Água - Aquaciência. 2006. (Congresso).

2.
OSTRENSKY, A.; CASTILHO, G. G. ; SOUZA, Robson Ventura de . Curso de formação de agentes capacitadores em piscicultura. 2005. (Outro).

3.
OSTRENSKY, A.; LEMOS, D. L. . Cage & Pen Aquaculture Worshop, evento integrante do simpósio World Aquaculture Society.. 2003. (Congresso).

4.
OSTRENSKY, A.. XI Simpósio Brasileiro de Aqüicultura. 2000. (Congresso).

5.
OSTRENSKY, A.. Curso de Especialização em Agronegócios Direcionado a Jornalistas. 2000. (Outro).

6.
OSTRENSKY, A.. Seminário Brasil-Alemanha de Atualização em Piscicultura. 1999. (Congresso).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Fabrício Salvador Vidal. Toxicidade de produtos utilizados no controle de incrustação pelo mexilhão-dourado, Limnoperna fortunei, em usinas hidrelétricas. Início: 2017. Dissertação (Mestrado profissional em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
Camila Prestes dos Santos Tavares. Biologia e desenvolvimento de tecnologias para o cultivo de siri-mole Callinectes ornatus (Crustacea, Decapoda, Portunidae). Início: 2017. Tese (Doutorado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. (Orientador).

2.
Diego Junqueira Stevanato. Efeitos de hidrocarbonetos derivados de petróleo sobre a ontogênese de Astyanax altiparanae. Início: 2016. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. (Orientador).

3.
Nathieli Cozer. A produção integrada na carcinicultura. Início: 2015. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. (Orientador).

4.
Giorgi Dal Pont. Marcadores ecotoxicológicos em peixes nativos: Aplicação e desenvolvimento de novas metodologias para o monitoramento de ambientes afetados por vazamento de óleo. Início: 2014. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. (Orientador).

Supervisão de pós-doutorado
1.
Luciana Rodrigues de Souza Bastos. Início: 2016. Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais.

2.
Gisele Geraldine Castilho-Westphal. Início: 2016. Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Vitor Gomes Rossi. Toxicidade aguda para larvas e juvenis de Astyanax altiparanae (Garutti & Britski, 2000) de diferentes métodos químicos utilizados no controle do mexilhão-dourado, Limnoperna fortunei. 2018. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, . Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

2.
Camila Prestes dos Santos Tavares. produção de siri-mole: sistemas de cultivo e potenciais métodos para indução da ecdise em Callinectes ornatus. 2017. Dissertação (Mestrado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

3.
Diogo Barbalho Hungria. Estudos voltados ao aumento da eficiência no processo produtivo de siri-mole. 2017. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

4.
Diego Junqueira Stevanato. Ontogenia larval e pós-larval de Astyanax altiparanae (Garutti & Britski, 2000) em Laboratório. 2016. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

5.
André Luiz Vicente. Uso de óleos essenciais e de compostos sintéticos como agentes anestésicos para o lambari Astyanax altiparanae (Garutti & Britski, 2000). 2014. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, . Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

6.
Giorgi Dal Pont. Toxicidade do óleo diesel para o peixe Astyanax altiparanae. 2012. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

7.
Aline Horodesky. Avaliação ictiofaunística em ambientes expostos ao acidente com óleo combustível na Serra do Mar, Estado do Paraná. 2012. Dissertação (Mestrado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

8.
Thayzi de Oliveira Zeni. Avaliação das taxas de filtração de Crassostrea brasiliana (Bivalvia, Ostreidae) em diferentes condições de laboratório.. 2011. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

9.
Roberto Montanhini Neto. Influência de variáveis ambientais sobre o desenvolvimento de ostras Crassostrea (SACCO, 1897) na baía de Guaratuba, Brasil. 2011. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, . Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

10.
Kelly Ferreira Cottens. Efeitos da temperatura, da intensidade luminosa e da densidade de cultivo na larvicultura de Ucides cordatius (Linnaeus, 1763) ( Crustacea, Decapoda, Brachyura) em condições de laboratório.. 2009. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

11.
Alexandre Guilherme Becker. Aspectos da alimentação de larvas de caranguejo-uçá (Ucides cordatus) na fase de zoea.. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

12.
Marcus Vinicius Fier Girotto. Produção de camarões marinhos para isca-viva utilizada na pesca esportiva.. 2008. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, . Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

13.
Helena Farias. Qualidade microbiológica das ostras produzidas e comercilaizadas no litoral do estado do Paraná.. 2007. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, . Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

14.
Paulo Vicente Costa. Predação de larvas de caranguejo (infraordem Brachyura) por peixes no rio dos Pinheiros, Guaratuba, Paraná, Brasil.. 2006. 0 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

15.
Gisela Geraldine Castilho. Aspectos reprodutivos do caranguejo-uçá, Ucides cordatus (l.) (Crustacea, Brachyura, Ocypodidae), na Baía de Antonina, Paraná, Brasil.. 2006. 0 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

16.
Marcelo Faria Cardoso. Efeitos da sísmica com cabo de fundo sobre peixes recifais. 2006. 92 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

17.
Robson Ventura de Souza. Canibalismo e assentamento de formas jovens de caranguejo-uçá, Ucides cordatus (l.) (Crustacea, Brachyura, Ocypodidae), em condições de laboratório. 2006. 0 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

18.
Leandro Ângelo Pereira. Cultivo do camarão branco do pacífico, Litopenaeus vannamei (Boone, 1931), em tanques-rede no litoral paranaense: estudo de caso.. 2004. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

19.
Robert Willian Pilchowski. Avaliação dos Impactos de Derramamento de Óleo sobre a Ictiofauna do Altíssimo, Alto e Médio Rio Iguaçu, Paraná, Brasil.. 2003. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

20.
Luis de Souza Viana. Produção de Tilápias em Tanques-Rede de Pequeno Volume na Região Metropolitana de Curitiba: Estudo de Casos. 2003. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, . Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

21.
Ubiratã Assis Silva. Cultivos Experimentais de Caranguejo-Uçá, Ucides cordatus (Linnaeus, 1763).. 2002. 0 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

22.
Carlos Eduardo Belz. Avaliação da qualidade da água e crescimento da ostra Crassostrea rizophorae em cultivo consorciado com camarões marinhos, na Baia de Paranaguá, PR, Brasil.. 2002. 0 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

23.
Fabíola Elis Alessi. Avaliação dos índices zootécnicos alcançados em cultivos de Litopenaeus vannamei Boone, 1931 no Estado do Paraná.. 2000. 0 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

Tese de doutorado
1.
giorgi dal pont. Effects of petroleum hydrocarbons to tropical and temperate fish species: a tocixity and multibiomarker aproach for the assessment of environmental contamination. 2018. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

2.
Aline Horodesky. Influência de fatores físicos, químicos e biológicos sobre o desenvolvimento e sobre a qualidade sanitária de ostras (Crassostrea spp.) cultivadas e comercializadas no Brasil. 2017. Tese (Doutorado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

3.
Thayzi de Oliveira Zeni. O uso da histopatologia por microscopia de luz em estudos com peixes dulcícolas em condições ambientais controladas. 2016. Tese (Doutorado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

4.
Roberto Montanhini Neto. Bases para a implantação de parques aquícolas destinados ao cultivo de peixes em gaiolas nos reservatórios artificiais do rio Paranapanema: implicações ambientais e capacidade de suporte. 2014. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, . Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

5.
Ana Silvia Pedrazzani. Uso de anestésicos durante o manejo e o transporte do peixe-palhaço Amphiprion ocelllaris. 2014. Tese (Doutorado em Ciências Veterinárias) - Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

6.
Gisela Geraldine Castilho-Westphal. Ecologia da ostra do mangue Crassostrea brasiliana (Lamarck, 1819) em manguezais da Baía de Guaratuba-PR. 2012. Tese (Doutorado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

7.
Ubiratã Assis Silva. Recuperação populacional de caranguejo-uçá, Ucides cordatus (Linnaeus, 1763), através da liberação de formas imaturas, em áreas antropicamente impactadas.. 2007. 0 f. Tese (Doutorado em Zoologia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Coorientador: Antonio Ostrensky Neto.

8.
Débora Pestana. Aspectos bioecológicos do mexilhão dourado limnoperna fortunei (Bivalvia, Mytilidae) (Dunker, 1857). 2006. 0 f. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Coorientador: Antonio Ostrensky Neto.

Supervisão de pós-doutorado
1.
Gisela Geraldine Castilho-Westphal. 2017. Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Antonio Ostrensky Neto.

2.
Gisela Geraldine Castilho-Westphal. 2015. Universidade Federal do Paraná, . Antonio Ostrensky Neto.

3.
Gisela Geraldine Castilho-Westphal. 2014. Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Antonio Ostrensky Neto.

4.
Maike Taís Maziero Montanhini. 2014. Universidade Federal do Paraná, Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Antonio Ostrensky Neto.

5.
Débora Pestana da Silva. 2008. Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Antonio Ostrensky Neto.

Monografia de conclusão de curso de aperfeiçoamento/especialização
1.
Mariana Seide. Proposta de gerenciamento ambiental de parques aquícolas continentais, baseado nos impactos da piscicultura em tanque-rede. 2011. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em Pós-Graduação em MBA em Gestão Ambiental) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Vinícius Moreira. Os princípios do horsemanship.. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

2.
Marina Lima de Souza. International genetic improvement opportunities at aquaculture and ovine production, two great potential productive chains in Brazil. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

3.
Gustavo Adolfo Ascázubi Silva. Nutrição e manejo de robalo (Centropomus parallelus, Centropomus undecimalis) em tanques-rede near-shore.. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

4.
Francesco Perissinotti Magnani. Aspectos técnicos e biológicos envolvidos na produção de antozoários ornamentais. 2012. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

5.
Rafael Salles Cabreira. A cadeia produtiva da tilapicultura em tanque-rede na bacia hidrográfica do rio Paranapanema (pr/sp): produção, processamento e comercialização. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

6.
Sheron Scholze Rosa. Percepções de atores locais sobre usos múltiplos que podem influenciar na demarcação e implantação de parques aquícolas nos reservatórios do rio Paranapanema (PR/SP). 2011. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

7.
Ayrton José Jungles Pacheco Júnior. Espécies potenciais para cultivo em tanques-rede nos reservatórios do rio Paranapanema. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

8.
Roberta de Azevedo Zanatta. Métodos alternativos para obtenção de sementes para o cultivo do mexilhão Perna perna (Linnaeus, 1758) e manejo dos bancos naturais. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

9.
Reginaldo Fabrício de Lima. Métodos de insensibilização de peixes sob a ótica do bem-estar animal. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

10.
Diego Rafael Wojcik Gomes. Atratividade e atrativos na ração de camarões marinhos. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

11.
Otávio Serino Castro. Principais aspectos inerentes à estabilidade física das rações para camarões marinhos.. 2007. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

12.
Marcus Vinícius Stolarski. Influência do arraçoamento no ritmo e nos hábitos alimentares do camarão-branco do pacífico, Litopenaeus vannamei Boone, 1931 (Crustacea, Decapoda, Penaeidae), cultivado em tanques-rede. 2004. 62 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Viências Biológicas) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

13.
Paulo Vicente Costa. Reprodução de peixes nativos da região oeste do Paraná.. 2003. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

14.
Paulo Vicente Coista. Técnicas de reprodução de peixes tropicais.. 2002. 38 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

15.
João Eldio Seiger Milder. Aspectos tecnológicos da reprodução e do cultivo de tilápia (Oreochromis niloticus).. 2001. 55 f. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Medicina Veterinária) - Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

Iniciação científica
1.
Tiago Lea. INFOAq - Centro de Informações Estratégicas da Aquicultura. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

2.
Wlademir Polese. Manejo de peixes ornamentais marinhos. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

3.
Tiago Leal. Infoaq - Centro de Informações Estratégicas da Aquicultura. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

4.
Renan Gustavo Rodrigues da Luz. Genética molecular de ostras Crassostrea gazar. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

5.
Vitor Gomes Rossi. Uso de bioflocos no cultivo do lambari-do-rabo-amarelo. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal de Santa Maria. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

6.
Leonardo Stefano Fernandes Zamoner. Comportamento do lambari-do-rabo-amarelo em condições laboratoriais controladas. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

7.
Francis Mara Vieira Schuster Pinto. INFOAq. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Abi - Letras Inglês) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

8.
Jeane Carla Turra Euriques. Atlas anatômico de espécie de interesse na aquicultura. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Faculdade Evangélica do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

9.
Sarah Larissa Mantovani. Reprodução de lambari-do-rabo-amarelo. 2014. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

10.
Caroline Bortoleto. Manejo de peixes A. ocellaris. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

11.
Vinícius Sales Rodrigues. Ostreicultura na Baía de Guaratuba - PR. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

12.
Thiago Brobio Massanti. Histologia de fígado de Rineloricaria sp.. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

13.
Ingrid J. Menegusso de Souza. Desenvolvimento de tecnologias para o cultivo de peixes ornamentais marinhos. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

14.
Marília Cristina Pinto. Anestesia de peixes palhaços através do uso de óleos essenciais. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

15.
Camila Luiza Wollinger. Atlas anatômico de espécie de interesse na aquicultura. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Faculdade Evangélica do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

16.
Patricia Ramos de Vargas. Reprodução da ictiofauna em ambientes expostos a óleo diesel. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

17.
Aline Marzalek Gumiela. Respostas histopatológicas de Corydoras paleatus (Jenyns, 1842) e Astyanax spp., provenientes da bacia do alto Iguaçu.. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

18.
Luana Isabel Jaras. Levantamentos ictiofaunísticos e avaliação de impactos ambientais no rio Iguaçu (Paraná). 2012. Iniciação Científica - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

19.
Thiago Brobio Massanti. Diagnóstico ictiofaunístico em ambientes aquáticos afetados por derramamento de óleo no estado do Paraná.. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

20.
Caroline Tomasi Bortoleto. Biologia reprodutiva ed peixes ornamentais marinhos. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

21.
Moisés Knaut Tokarski. Caracterização reprodutiva de peixes da Serra do Mar. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

22.
Maiko Vinicius Zanella. Metodologia de formação de casais de Gramma brasiliensis em laboratório. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

23.
Daniel Henrique Carvalho dos Santos. Qualidade microbiológica de ostras produzidas e comercializadas em Curitiba e litoral do Paraná. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Faculdade Evangélica do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

24.
Diogo Neves Melo. Projeto Cultimar. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

25.
Pedro Iosafat Istchuk. Peixes Ornamentais da Serra do Mar - PR. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

26.
Priscila Cristiae Brudzinski. A ictiofauna dos rios da Serra do Mar afetados por derramamento de óleo. 2010. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

27.
Diego rafael Wojcik Gomes. Produção de larvas de caranguejo em laboratório. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

28.
Diogo Neves Melo. Técnicas de larvicultura de caranguejo. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

29.
Letícia Angélica Pereira. Histologia de caranguejo-uçá. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

30.
Rafael Felice Chen. Alimentação de larvas de caranguejo-uçá em laboratório. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

31.
Fernando Fronza. Larvicultura do caranguejo-uçá. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

32.
Bruno mataveli Nasario. Técnicas de produção de larvas de caranguejo me laboratório. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Aqüicultura) - Escola Agrotecnica Federal de Alegre. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

33.
Eliane Hollunder. Técnicas de produção de larvas de caranguejo me laboratório. 2008. Iniciação Científica. (Graduando em Aqüicultura) - Escola Agrotecnica Federal de Alegre. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

34.
Karin Cristina Escobar Yamashiro. Histologia do caranguejo-uçá. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

35.
Roberta de Azevedo Zanatta. Utilização de microalgas na larvicultura de Ucides cordatus. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

36.
Pedro Iosafat Istchuk. Bioensaios com organismos aquáticos. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

37.
Otávio Serino Castro. Larvicultura do caranguejo-uçá. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

38.
Aline Finco Perinelli. Aspectos histológicos da reprodução do caranguejo-uçá. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Instituto Metodista de Ensino Superior. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

39.
Vinícius Soriano Coelho. Aspectos histológicos da reprodução do caranguejo-uçá. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Instituto Metodista de Ensino Superior. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

40.
Eduardo Azevedo Massoquetti. Técnicas de larvicultura de caranguejo. 2007. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

41.
Francisco Franceschi. Avaliação do ciclo Biológico do mexilhão-dourado no lago de Itaipu.. 2004. 25 f. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

42.
Helena Farias. Avaliação dos índices zootécnicos alcançados em cultivos de Litopenaeus vannamei boone, 1931 no estado do paraná. 2001. 70 f. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

43.
Hellencrys Camargo. Estudos comparativos sobre a alimentação de alevinos de tilápia nilótica (Oreochromis niloticus).. 2001. 15 f. Iniciação Científica. (Graduando em Zootecnia) - Universidade Federal do Paraná, Grupo Integrado de Aquicultura e Estudos Ambientais. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

44.
Eder Gomes. Desenvolvimento e avaliação da tilápia nilótica (Oreochromis niloticus) cultivada em tanques-rede com diferentes densidades. 2001. 15 f. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

45.
Eder Gomes. Desenvolvimento de técnicas de prevenção e controle para tratamento de enfermidades em peixes cultivados. 2000. 20 f. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

46.
Rodrigo Mira Oto. Ecologia bêntica em viveiros de cultivo do camarão-branco Penaeus vannamei, na baía de Paranaguá, Paraná, Brasil. 1999. 20 f. Iniciação Científica. (Graduando em Agronomia) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

47.
Márcia Tkacz. Efeitos do uso de folhas de rami (Boehmeria nivea) na alimentação de tilápia nilótica (Oreochromis niloticus). 1999. 30 f. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal do Paraná. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.

48.
Jaime Gris. Programa de melhoramento das técnicas de manejo de viveiros de peixes cultivados na Região Oeste do Estado do Paraná. 1997. 25 f. Iniciação Científica. (Graduando em Medicina Veterinária) - Universidade Federal do Paraná, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Antonio Ostrensky Neto.



Inovação



Projetos de pesquisa

Projeto de desenvolvimento tecnológico


Outras informações relevantes


? Consultoria ad hoc: CNPq, EMBRAPA, Fundo Nacional do Meio Ambiente, Fundação de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (FAPEMAT), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Sergipe (FAP-SE), Fundação Araucária, 

? Membro do Comitê Assessor de Aqüicultura da Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento científico e Tecnológico do Paraná ? Entre 2003 e 2005.

? Perito habilitado da Vara Federal Ambiental, Agrária e Residual de Curitiba da Justiça Federal.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/01/2019 às 4:45:23