Leopoldo Rota de Oliveira

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/8984110948347903
  • Última atualização do currículo em 01/02/2019


Sou graduado em Física pela UFPEL (1998) e possuo Mestrado (2003) e Doutorado em Oceanografia Física, Química e Geológica pela FURG (2008). Trabalhei como docente substituto na área de Física Geral (UFPEL-FURG) e atualmente sou docente na Universidade Federal do Pampa, vinculado ao curso de Licenciatura em Física. Meus trabalhos científicos têm ênfase em Oceanografia Física, sobre a circulação oceânica de meso e larga escala, atuando principalmente nos seguintes temas e regiões: Variabilidade espacial e temporal das correntes oceânicas, conversões de energias associadas a instabilidades dinâmicas, cascata inversa de energia e fluxo de calor superficial das correntes oceânicas para o Oceano Atlântico Sudoeste e Austral. Também tenho forte interesse no estudo de técnicas de ensino de Física nas áreas que compreendem as Ciências Exatas e da Terra. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Leopoldo Rota de Oliveira
Nome em citações bibliográficas
OLIVEIRA, L. R.;Oliveira, Leopoldo R.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Pampa, Campus Bagé.
Avenida Maria Anunciação Gomes de Godoy, 1650
Malafaia
96413170 - Bagé, RS - Brasil
Telefone: (53) 32429931
Ramal: 3275


Formação acadêmica/titulação


2004 - 2008
Doutorado em Oceanografia Física, Química e Geológica.
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
com período sanduíche em Servício de Hidrografia Naval (Orientador: Alberto R. Piola).
Título: ENERGÉTICA DO ATLÂNTICO SUDOESTE A PARTIR DE OBSERVAÇÕES LAGRANGEANAS E DE SIMULAÇÕES DO PARALLEL OCEAN CLIMATE MODEL, Ano de obtenção: 2008.
Orientador: Mauricio Magalhães Mata.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: Conversões de energia; Fluxos de calor sensível.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra
2001 - 2003
Mestrado em Oceanografia Física, Química e Geológica.
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
Título: Estudo da variabilidade da Corrente do Brasil a 28°S,Ano de Obtenção: 2003.
Orientador: Mauricio Magalhães Mata.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Corrente do Brasil.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra
1993 - 1998
Graduação em Licenciatura Em Física.
Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.


Pós-doutorado


2011 - 2015
Pós-Doutorado.
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra
Grande Área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Física / Subárea: Física dos Fluídos, Física de Plasmas e Descargas Elétricas.
Grande Área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Física / Subárea: Áreas Clássicas de Fenomenologia e suas Aplicações / Especialidade: Dinâmica dos Fluídos.
2009 - 2011
Pós-Doutorado.
Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra


Formação Complementar


1997 - 1997
Extensão universitária em VI Seminário de Ensino de Física. (Carga horária: 12h).
Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.
1995 - 1995
Extensão universitária em V Seminário de Ensino de Física. (Carga horária: 16h).
Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.


Atuação Profissional



Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, INPE, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Universidade Federal do Pampa, UNIPAMPA, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor do Magistério Superior, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

8/2018 - 12/2018
Ensino, Engenharia da Computação, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Física III
08/2018 - 12/2018
Ensino, Engenharia de Energias Renováveis e Ambiente, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Física I
03/2018 - 07/2018
Ensino, Engenharia de Computação, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Física III
03/2018 - 07/2018
Ensino, Matemática, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Física II
08/2017 - 12/2017
Ensino, Engenharia de Produção, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
FISICA II
08/2017 - 12/2017
Ensino, Engenharia da Computação, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
FISICA I
03/2017 - 07/2017
Ensino, Engenharia de Produção, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Física II
03/2017 - 07/2017
Ensino, Engenharia Química, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Física II
08/2016 - 12/2016
Ensino, Engenharia de Computação, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Fisica II
08/2016 - 12/2016
Ensino, Engenharia de Produção, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Laboratório de Física I
03/2016 - 07/2016
Ensino, Engenharia de Produção, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Fisica II
03/2016 - 07/2016
Ensino, Engenharia de Produção, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Laboratório de Fisica I
08/2015 - 12/2015
Ensino, Engenharia de Computação, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Física II
08/2015 - 12/2015
Ensino, Engenharia Química, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Física I
03/2015 - 07/2015
Ensino, Engenharia da Computação, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Física I
03/2015 - 07/2015
Ensino, Engenharia de Energias Renováveis e Ambiente, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Física II

Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pós-Doutorado Institucional, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2009 - 2011
Vínculo: Pós-Doutorado Junior, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2003 - 2005
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Substituto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

03/2014 - 07/2014
Ensino, Oceanografia Física, Química e Geológica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Dinâmica de Fluídos Geofísicos I
04/2013 - 09/2013
Ensino, Oceanologia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Física para Oceanografia
03/2013 - 07/2013
Ensino, Oceanografia Física, Química e Geológica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Dinâmica dos Fluídos Geofísicos I
01/2008 - 12/2012
Outras atividades técnico-científicas , Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia, Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia.

Atividade realizada
Projeto de Pesquisa SOS-CLIMATE.
03/2012 - 07/2012
Ensino, Oceanografia Física, Química e Geológica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Dinâmica dos Fluídos Geofísicos I
03/2011 - 06/2011
Ensino, Oceanografia Física, Química e Geológica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Dinâmica dos Fluidos Geofísicos I
03/2010 - 07/2010
Ensino, Oceanografia Física, Química e Geológica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Dinamica dos Fluidos Geofisicos I
03/2009 - 07/2009
Ensino, Oceanografia Física, Química e Geológica, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Dinamica dos Fluidos Geofisicos I
10/2008 - 10/2008
Outras atividades técnico-científicas , Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia, Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia.

Atividade realizada
Participação na Operação Antártica Brasileira (OPERANTAR XXVII).
01/2003 - 11/2007
Outras atividades técnico-científicas , Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia, Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia.

Atividade realizada
Projetos de pesquisa GOAL - Grupo de Oceanografia de Altas Latitudes.
10/2007 - 10/2007
Outras atividades técnico-científicas , Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia, Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia.

Atividade realizada
Participação na Operação Antártica Brasileira (OPERANTAR XXVI).
10/2006 - 10/2006
Outras atividades técnico-científicas , Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia, Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia.

Atividade realizada
Participação na Operação Antártica Brasileira (OPERANTAR XXV).
10/2005 - 10/2005
Outras atividades técnico-científicas , Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia, Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia.

Atividade realizada
Participação na Operação Antártica Brasileira (OPERANTAR XXIV).
11/2003 - 6/2005
Ensino, Engenharia Civil, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Iniciação a Física
Física Geral I
Introdução a Física
01/2005 - 01/2005
Outras atividades técnico-científicas , Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia, Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia.

Atividade realizada
Participação na Operação Antártica Brasileira (OPERANTAR XXIII).
01/2004 - 01/2004
Outras atividades técnico-científicas , Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia, Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia.

Atividade realizada
Participação na Operação Antártica Brasileira (OPERANTAR XXII).
01/2003 - 02/2003
Outras atividades técnico-científicas , Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia, Atividades de Participação em Projeto, LOCFIS - Laboratório de Oceanografia.

Atividade realizada
Participação na Operação Antártica Brasileira (OPERANTAR XXI).

Universidade Federal de Pelotas, UFPEL, Brasil.
Vínculo institucional

1999 - 2001
Vínculo: , Enquadramento Funcional: PROFESSOR SUBSTITUTO, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

4/1999 - 12/2001
Ensino, Licenciatura Em Física, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL I
FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL II
FÍSICA PARA AGRONOMIA


Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Utilização e desenvolvimento do modelo BESM para o estudo do sistema oceano-atmosfera-criosfera em altas e médias latitudes - BESM/SOAC
Descrição: A presente proposta visa a utilização de dados de simulações futuros (2006 a 2100) do Modelo Brasileiro do Sistema Terrestre (BESM) com a finalidade de compreender melhor os processos de acoplamento do sistema oceano do hemisfério sul. Busca-se analisar e descrever a variabilidade espaço mudança de inúmeras variáveis oceanográficas, meteorológicas e do gelo marinho ártico e antártico nos cenários presentes e futuros sob um regime de aquecimento atmosférico forçado pelo aumento das concentrações de gases de efeito estufa na atmosfera. Os resultados de simulações existentes e de novas simulações do BESM serão avaliados e validados em relação a uma enorme gama de dad fontes como observações e reanálises atmosféricas e oceânicas, modelos do Intercomparison Project version 5 (CMIP5) e outros. O grupo executor e os grupos colaboradores dessa proposta organizarão seus esforços em cinco linhas de oceano-atmosfera-criosfera e dinâmica do gelo marinho; (2 Oceano Atlântico Sul e Austral; (3) Atmosfera: processos ciclogenéticos e Como metas principais, os grupos pretendem descrever, entre outras coisas, as características dos fluxos turbulentos de calor entre a atmosfera e o oceano e a acurácia do m fluxos no tempo e espaço em relação a outras fontes de dados. Uma ênfase grande será data ao papel da dinâmica do gelo marinho e das regiões oceânicas frontais e das correntes de contorno oeste na bacia do Oceano Atlântico Sul na modulação desses fluxos e dos sistemas ciclogenéticos e hemisfério sul. Ao mesmo tempo, objetiva implementação de um pacote de soluções para o cálculo das relações de dissipação energéticas no oceano, buscando-se compreender melhor os fluxos meridionais de calor no interior do Oceano Atlântico Sul e os processos associados à formação de massas de água desde o Atlântico Tropical até o Oceano Austral. Por fim, o pap hemisfério sul será avaliado a partir da caracterização dos sistemas frontais que se deslocam meridionalmente sobre o Oceano Atlântico Sul modulando o tempo e o clima da América do Sul. A proposta ora apresentada é considerada inovadora e agregadora, oferecendo a oportunidade da avaliação e difusão do uso do modelo BESM em regiões do país onde essa ferramenta infelizmente ainda não foi utilizada. O grupo proponente tem grande experiência no estudo atmosfera-criosfera e espera contribuir significativamente para o aprimoramento do conhecimento científico brasileiro acerca do papel desses sub planeta como um todo..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (4) Doutorado: (4) .

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Integrante / Azevedo, José Luiz Lima - Integrante / Ronald Buss de Souza - Coordenador.
2014 - 2017
Energética da Corrente do Brasil com ênfase no seu trajeto à jusante de 28 S
Descrição: As correntes de contorno oeste (CCOs) desempenham um papel fundamental no transporte de calor para os pólos. Estas correntes, em geral, possuem escoamentos intensos, estreitos e bem definidos. A Corrente do Brasil (CB), corrente da borda oeste do giro subtropical do oceano Atlântico Sul, transporta calor da região tropical deste oceano para as suas regiões subpolares. Além de possuir menor transporte que o de outras CCOs, a CB apresenta um espessamento da sua coluna d água conforme flui para o sul. Por outro lado, a quantificação das fontes, sumidouros e estoques de energia do oceano tem recebido uma atenção especial da comunidade científica por ser essencial para o entendimento de como o sistema oceânico interage internamente e com o meio externo. Uma estimativa acurada dos estoques de energia cinética (potencial) turbulenta em uma dada região do oceano, por exemplo, permite o estudo de processos de conversão barotrópica (baroclínica) presentes na região. A relação entre estas duas conversões indica o tipo dominante de instabilidade dinâmica presente no escoamento médio em análise, facilitando a identificação de processos responsáveis pela variabilidade observada em tal região. Neste contexto, os resultados obtidos a partir do estudo da energética de CCOs trazem importantes informações sobre os complexos processos dinâmicos que atuam associados a estas correntes, com ênfase nos processos de mesoescala e de submesoescala. Podemos citar como alguns destes resultados a obtenção de taxas de conversão barotrópicas e baroclínicas, a identificação de processos de instabilidade, a estimativa de fluxos turbulentos horizontais e verticais de calor, a identificação da presença de cascatas inversas de energia, dentre outros. Apesar da importância de tais análises para um melhor entendimento da circulação oceânica e do clima, a maioria destes estudos concentra-se no hemisfério Norte. Poucos estudos sobre conversões energéticas foram conduzidos no hemisfério Sul e onde, nestes casos, os cenários de interesse se concentraram nas regiões da Corrente das Agulhas e da Corrente Leste Australiana. A energética da corrente de contorno oeste do oceano Atlântico Sul, a relativamente quente e salina CB, contudo, ainda é muito pouco estudada. Tal lacuna se deve, em parte, a quase ausência de dados in situ em certos trechos do path da CB, com destaque maior para a porção sul do seu trajeto, o que, a princípio, dificultaria o estudo da energética desta corrente nesta região. Neste sentido, a utilização de dados de modelos numéricos preencheria esta lacuna, possibilitando a utilização de tal ferramenta na análise da dinâmica da CB na região sul da costa brasileira abaixo dos 28 S. Todas estas possibilidades, associadas ao fato do espessamento meridional da CB ao fluir para sul, tornam o estudo da sua energética uma importante ferramenta para a avaliação da dinâmica desta corrente ao longo do seu path. Outra consideração envolve a indústria de petróleo e gás, já presente na região sul do país (Cone do Rio Grande, Bacia de Pelotas). A prospecção exploratória ou comercial de recursos naturais em ambiente marinho passa pelo conhecimento da circulação oceânica na região de interesse. Este conhecimento é vital, por exemplo, para a construção de Diagnósticos Ambientais, para a elaboração de Planos de Contingência, dentre outros. O foco do presente trabalho é o estudo da energética da CB com ênfase na porção sul do seu trajeto abaixo de 28 S, região esta em que o seu comportamento foi muito pouco estudado pela comunidade científica. Para estes estudos de energética será utilizado o Diagrama de Lorenz..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) Doutorado: (1) .

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Integrante / Mauricio M Mata - Integrante / Azevedo, José Luiz Lima - Coordenador / Renato David Ghisolfi - Integrante / Paulo Henrique Rezende Calil - Integrante.
2014 - 2017
Energética e Dinâmica da Corrente do Brasil na Região do Cone do Rio Grande (RS): Uma Contribuição na Prospecção de Recursos Naturais (Petróleo e Gás) nesta Região
Descrição: A busca por petróleo e gás na costa gaúcha é um ponto recorrente no que diz respeito à economia do estado do Rio Grande do Sul. Neste contexto, destaca-se a Bacia de Pelotas e, mais especificamente, o Cone do Rio Grande (CRG), uma das suas principais feições. Nesta região, extensos volumes de hidratos de gás já foram detectados por perfis de sísmica, os quais se apresentam na forma de um sólido cristalino, composto de água e gases de peso molecular pequeno. Em particular, os hidratos de metano são muito abundantes em sedimentos submarinhos de regiões próximas às margens continentais. Este gás pode vir a se tornar uma alternativa mais limpa, em termos ambientais, na questão do suprimento de combustíveis para o país para as próximas décadas. A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em 2002, colocou em leilão vários blocos na costa gaúcha, visando a exploração, a produção e o desenvolvimento destas reservas naturais. Alguns destes blocos foram adquiridos pela Petrobrás em pregão público, empresa que detém 92% da produção nacional de petróleo e 98% da de gás natural. Tais atividades, contudo, dependem de liberação do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis IBAMA para que possam ser realizadas. A constatação da existência de recursos naturais na região da costa gaúcha em quantidade e localização viáveis economicamente, entretanto, ainda passa pela necessidade de maiores estudos, principalmente quanto ao petróleo, tendo em vista os estudos já realizados quanto à existência de gás metano na região. A instalação/expansão da indústria de exploração dos recursos marinhos é regida por legislação ambiental. O conhecimento prévio das áreas onde a indústria atuará, mediante estudos ambientais relativos aos aspectos ambientais e socioeconômicos relacionados à localização, instalação, operação e ampliação desta atividade ou empreendimento, é um importante subsídio para a análise da licença requerida ao órgão ambiental competente. Neste contexto, a elaboração de um Diagnóstico Ambiental de determinada área tem como objetivo subsidiar a avaliação dos impactos ambientais causados pela instalação/expansão de um empreendimento industrial, onde estão contidos os aspectos ou atividades do empreendimento passíveis de causar alteração no ambiente. No caso específico da exploração de recursos naturais em ambiente marinho (oceano) tal diagnóstico passa pelo conhecimento da circulação oceânica na região de interesse. Este conhecimento é vital, por exemplo, para o estabelecimento de planos de contingência para aqueles cenários de situações emergenciais que sempre acompanham tais atividades no ambiente marinho (tais como derramamentos de produtos químicos, vazamentos e outros). A realização de um Diagnóstico Ambiental na região do CRG também fará uso de tal conhecimento. Neste contexto, a região dos blocos adquiridos pela Petrobrás na costa gaúcha, faz parte do caminho da Corrente do Brasil (CB), corrente de contorno oeste do oceano Atlântico Sul, em sua jornada para as regiões subpolares deste oceano. Esta corrente é muito pouco estudada, em termos dinâmicos, na região sul do país, abaixo do Cabo Santa Marta, grande parte devido à inexistência de dados in situ à jusante daquele ponto. A energética e a modelagem numérica, nestes casos, mostram serem ferramentas valiosas para o suprimento desta lacuna. O foco do presente trabalho é o estudo da energética da CB e do seu comportamento dinâmico ao largo da margem continental do estado do Rio Grande do Sul, com destaque para o seu comportamento energético e dinâmico na região do CRG, região esta de interesse para as indústrias que exploram recursos naturais (petróleo e gás) no ambiente marinho, com destaque para a Petrobrás.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (2) Doutorado: (1) .

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Integrante / Azevedo, José Luiz Lima - Coordenador / Paulo Henrique Rezende Calil - Integrante / Renato Davi Ghisolfi - Integrante / Rodrigo Kerr Duarte Pereira - Integrante.
2014 - Atual
Rede de Estudos da Corrente do Brasil na Margem Continental Sudeste-Sul ? REMARSUL
Descrição: A Corrente do Brasil (CB) talvez seja a menos estudada entre todas as correntes de contorno oeste do Oceano Mundial. Seu papel no transporte de calor entre as regiões tropical e subpolar, suas características singulares em termos de estrutura vertical (devido à circulação de revolvimento meridional), sua rica atividade de mesoescala e submesoescala, sua recirculação de padrão complexo e distinto exigem mais observações e estudos dinâmicos. Num cenário de mudanças climáticas, urge que a mais importante corrente de contorno do Oceano Atlântico Sul seja explorada com o intento de se conhecer sua variabilidade intrasazonal e sazonal. Não é conhecido o estado presente do sistema hidrodinâmico envolvendo a CB. Seus meandros e vórtices impactam a coluna de água sobre a margem continental sudeste-sul, região de grande importância energética para o país- o pólo do Pré-Sal- e que está centrado na Bacia de Santos. Ademais, os fenômenos de submesoescala, ainda não investigados no Brasil e no domínio da CB, associados a seus vórtices e à interação com os sistemas de ressurgência costeira de Cabo Frio e do Cabo de Santa Marta, podem ser cruciais para o entendimento do ciclo do carbono na borda oeste do Atlântico e explicar a produtividade biológica no ambiente oligotrófico da região oceânica sudeste-sul. Esta proposta almeja a criação de uma rede de pesquisas sobre a CB, com ênfase na dinâmica (i) de mesosescala, (ii) de submesoescala e (iii) das interações entre o oceano costeiro e o oceano aberto na região da margem continental sudeste-sul. Para tanto, os dois centros mais tradicionais de Oceanografia Física do país - USP e FURG buscarão unificar e otimizar esforços científicos para alavancar o conhecimento sobre esta corrente e sua variabilidade. Através dos três eixos temáticos supramencionados, os pesquisadores das duas instituições integrarão esforços de pesquisa já em andamento, assim como outros a serem elaborados em conjunto pela rede e submetidos às Fundações de Amparo à Pesquisa locais. Ademais, centros internacionais e parceiros usuais destas universidades, tais como Universidade de Massachusetts, Massachusetts Institute of Technology, Universidade de Buenos Aires e Universidade Pierre e Marie Curie contribuirão com o grupo de estudos visando o aumento do conhecimento acerca da CB. A rede de pesquisa criada terá como alvo principal a formação de recursos humanos nos seus eixos temáticos. Envolverá dois programas conceito 5 e um programa internacional na área de concentração de Oceanografia Física - o recém-criado Programa Internacional de Dupla Titulação UMass-USP. O papel da Rede na formação de Recursos Humanos se dará através do intenso envolvimento dos alunos com a pesquisa em andamento e com os pesquisadores da Rede. Tal envolvimento será complementado por cursos oferecidos anualmente pelos pesquisadores locais alternando-se as duas universidades envolvidas como locais de realização. Haverá também participação ativa em cruzeiros oceanográficos e nos workshops a serem promovidos pela Rede. A participação dos colaboradores internacionais será efetiva também em formação de recursos humanos com visitas anuais e cursos condensados no Brasil, e mais importantemente, recebendo os alunos para estágios em suas instituições de origem. Isso se dará nos três níveis de ensino (graduação, mestrado e doutorado). Para tanto, a Rede contará com o Programa Ciência sem Fronteiras, os programas de doutoradosanduíche da CAPES e do CNPq e do programa BEPE-FAPESP..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Integrante / Alberto Piola - Integrante / Azevedo, José Luiz Lima - Integrante / Paulo Henrique Rezende Calil - Integrante / Ilson Carlos Almeida da Silveira - Coordenador / Antonio F. H. Fetter Filho - Integrante / Martin Saraceno - Integrante / Glenn R. Flierl - Integrante / Avijit Gangopadhyay - Integrante / Frederico P. Brandini - Integrante / Amit Tandon - Integrante / Marcelo Dottori - Integrante / Osmar O. Möller Jr - Integrante.
Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Auxílio financeiro.
2013 - 2017
NAUTILUS - Novas tecnologias autônomas na investigação e monitoramento das transformações da Água de Fundo Antártica no Mar de Weddell e Península Antártica: uma contribuição para o estudo de suas implicações à circulação oceânica e ao clima.
Descrição: No entorno do continente Antártico, em algumas regiões específicas, observa-se a mistura de águas superficiais oceânicas e de plataforma para resultar na formação da Água de Fundo Antártica (AFA) através de um complexo sistema acoplado de interações entre processos oceânicos, atmosféricos e de alguns componentes da criosfera. A produção e posterior exportação da AFA são partes integrantes do fechamento global da Circulação de Revolvimento Meridional (Meridional Overturning Circulation-MOC), caracterizando seu ramo profundo e atuando de maneira essencial na ventilação das camadas abissais do oceano mundial e na componente oceânica dos ciclos de carbono e nutrientes inorgânicos. Mais ainda, a importância da formação da AFA e da ventilação das camadas abissais no oceano Austral para o sistema climático da Terra está ilustrada pela influência direta em mudanças-chave nos padrões da circulação oceânica global e ciclo do carbono durante importantes transições climáticas do passado. O projeto NAUTILUS vem para contribuir com as iniciativas internacionais neste tema de extrema relevância global, através da observação sistemática da circulação oceânica e propriedades das massas de água em três pontos-chave ao longo da trajetória da AFA nos arredores da extremidade da Península Antártica: (i) o Estreito de Bransfield, (ii) o noroeste do mar de Weddell e (iii) o talude continental ao Norte-Nordeste das ilhas Shetland do Sul, particularmente da ilha Elefante..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (4) Doutorado: (2) .

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Integrante / Maurício Magalhães Mata - Coordenador / Alberto Piola - Integrante / Azevedo, José Luiz Lima - Integrante / Ilana Wainer - Integrante / Kerr, Rodrigo - Integrante.
2013 - 2016
Processos de difusão turbulentos associados as estruturas de meso-escala no Atlântico Sudoeste
Descrição: A comunidade oceanográfica vem concentrando esforços para estudar sistematicamente o oceano global, pois a compreensão dos fenômenos oceanográficos apresenta importância fundamental em diferentes setores e atividades, como por exemplo: estudos de tempo e clima, dispersão de poluentes, variabilidade da pesca, indústria do petróleo e navegação. A compreensão dos processos oceanográficos no Oceano Atlântico Sudoeste é ainda modesto, principalmente em relação à dinâmica de pequena e meso-escala. Os feições de meso-escala no oceano, com escala espacial da ordem de 100km e escala temporal de um mês, são feições que dominam a variabilidade do oceano superficial, até aproximadamente 1000m de profundidade. Estas feições geostróficas de meso-escala são geradas por instabilidades das correntes de larga escala e dominam a energia cinética do oceano e atuam para rapidamente redistribuir traçadores como o calor, sal e carbono [Gill et al., 1974; Wunsch and Ferrari, 2004]. Os vórtices de meso-escala mexem, misturam e transportam esses traçadores com significante consequência para a circulação de larga escala e o sistema climático [e.g., Abernathey e Marshall, 2013]. Em resumo, essas feições tem a função de advectarem propriedades, tais como calor, sal e momentum no oceano, assim possuem a finalidade de homogeneizarem as propriedades espacialmente levando o sistema físico para uma condição de maior equilíbrio [Cushman-Roisin e Beckers, 2011]. Assim, o foco deste projeto é investigar a difusão turbulenta provada pelas feições de meso-escala e a sua contribuição para os processos de mistura de propriedades na região da Corrente do Brasil e sua extensão, assim como na região da Corrente das Malvinas. Para tanto, serão usados dados altimétricos, boias de deriva superficiais e dodos de saída de modelos oceânicos, sendo todos esses dados públicos. A metodologia utilizada é focada na teoria de Ferrari e Nikurashin (2010), a qual já foi testada e adotada por outros pesquisadores. Conta-se com colaborações de três professores da mesma instituição do proponente. Cabe atentar para o fato de que o projeto aborda tema de destaque dentro da pesquisa oceanográfica contemporânea e que todavia ainda não foi explorado para a região de estudo proposta. O projeto ao nosso ver é exequível dentro do prazo proposto e será importante para o aprofundamento do conhecimento oceanográfico regional..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Coordenador / Mauricio M Mata - Integrante / José Luiz Lima de Azevedo - Integrante / Paulo Henrique Rezende Calil - Integrante.
2012 - 2016
O Surgimento de Processos de Submeso-Escala devido à Advecção Caótica e Suas Consequências Dinâmicas e Biogeoquímicas no Oceano Atlântico Sudoeste
Descrição: Estudos recentes sugerem que processos de submesoscala (O(1 − 10km)) , não resolvidos em modelos climáticos globais ou na grande maioria de estudos observacionais, podem afetar significativamente tanto a dinâmica oceânica, aumentando a transferência de energia cinética de largas para pequenas escalas e afetando características dispersivas do fluido, quanto a estrutura do ecossistema marinho e o ciclo global de carbono, contribuindo tanto para o suprimento de nutrientes para a camada eufótica quanto a exportação de materia orgânica para o fundo do oceano. Neste contexto, o objetivo principal deste projeto de pesquisa multi-disciplinar é investigar como filamentos de submeso-escala emergemda interação entre vórtices de meso-escala e como eles alteram propriedades dinâmicas e biogeoquímicas. Regiões de diferentes características físicas e biológicas na parte oeste do Oceano Atlântico Sul serão analizadas, a saber, as plataformas continentais sul e sudeste brasileiras, o Oceano Atlântico Subtropical e a Confluência Brasil-Malvinas. Mais especificamente, investigaremos, quantitativamente, como estes filamentos mudam propriedades gerais do fluido como, por exemplo, padrões de dispersão e mistura, transferência de energia cinética de largas para pequenas escalas, estabilidade dos vórtices e sua interação com correntes de larga-escala, topografia e vento? com enfoque especial nas trocas de massas de água entre a plataforma continental e o oceano profundo. Além disso, será investigada a influência destes filamentos, e as altas velocidades verticais associadas a eles, na produtividade primária e exportação de carbono..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Integrante / Paulo Henrique Rezende Calil - Coordenador / Abraham Chian-Long Chian - Integrante.
2011 - 2015
Estudos experimentais em Dinâmica dos Oceanos: da teoria à aplicação
Descrição: O projeto em questão apóia-se no fato de que conceitos físicos básicos devem ser facilmente assimilados por um estudante de Oceanologia. A máxima de que ?aquilo que é visto não é esquecido? é lembrada nesta ocasião. Os conceitos de física dos oceanos serão enfatizados nas aulas experimentais, pois se acredita que o educando cujo interesse está direcionado às Ciências Marinhas, não percebe, na sua grande maioria, que a física é fundamental para a compreensão do funcionamento do Oceano e de todos os processos e organismos que nele existem. Esta importância é fundamentada principalmente em raízes muito profundas, principalmente quando se lembra que a física é considerada a ?ciência mãe?. Docentes comprometidos com a tarefa de educar devem motivar nos seus alunos uma consciência crítica do seu pensar e agir na aprendizagem da oceanologia e na vida como um todo. Esse é o objetivo maior do Projeto-Político Pedagógico da FURG, i.e., propiciar a formação de um indivíduo com a capacidade de posicionar-se de maneira crítica, responsável e construtiva nas diferentes situações sociais de sua vida. Ao mesmo tempo, salienta-se que este projeto contribuirá de forma direta para implantar e tentar consolidar a parte experimental, que até o momento não existe nas disciplinas de Dinâmicas dos Oceanos nesta Universidade, tanto para, a graduação como para a pós-graduação. No campo da pesquisa, pode-se afirmar que a área de Dinâmica dos Oceanos e Costeira, a qual integra uma das linhas permanentes de pesquisa na Pós-Graduação em Oceanografia Física, Química e Geológica será fortemente beneficiada com o presente projeto, desde que o mesmo adentra o campo da ciência que aborda o fenômeno da viscosidade turbulenta negativa. Este fenômeno está contido na teoria da cascata de energia [e.g., Luo e Lu, 2000; Scott e Wang, 2005; Scott e Arbic, 2007], a qual em última instância é preponderante para o entendimento da manutenção do equilíbrio das correntes ao longo do tempo, fato este importan.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Coordenador / Maurício Magalhães Mata - Integrante / Azevedo, José Luiz Lima - Integrante.
Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa.
2011 - 2012
Desenvolvendo experimentos para o aprimoramento dos estudantes na aprendizagem dos conceitos físicos ministrados na área de Dinâmica dos Oceanos
Descrição: O presente projeto tem como objetivos: - Desenvolver atividades de laboratório direcionadas à dinâmica de fluidos com enfoque nas ementas das disciplinas de Dinâmica dos Oceanos I e II do Curso de Graduação em Oceanologia; - Escrever e disponibilizar aos estudantes material impresso para o adequado companhamento e embasamento destas atividades. - Acompanhar estudantes de pós-graduação, por ocasião de seus estágios-docência, que auxiliem o professor responsável pelas disciplinas de Dinâmica dos Oceanos I e II no desenvolvimento destas atividades..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Coordenador / Mauricio M Mata - Integrante / JOSÉ LUIS AZEVEDO - Integrante.
Número de orientações: 1
2010 - 2014
Circulação oceânica e Interações criosfera-oceano no entorno da Península Antártica: uma investigação das ligações entre processos costeiros e o oceano profundo (POLARCANION)
Descrição: Esta proposta tem como objetivo principal contribuir para o melhor entendimento dos processos oceânicos e costeiros associados à diminuição e derretimento do manto de gelo Antártico. Particularmente, a proposta estará focada no impacto que este derretimento está tendo no oceano adjacente e nos processos que levam este sinal para a circulação oceânica global e, desta maneira, ao clima. A proposta constitui-se em uma iniciativa do Grupo de Oceanografia de Altas Latitudes (GOAL) e está sustentada pelas observações e experiências decorrente da atuação do Grupo na região nos últimos 10 anos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Integrante / Mauricio M Mata - Coordenador.
2010 - 2012
ACC-PHYTO - ACC fronts interactions around Crozet Plateau regulating phytoplankton assembage
Descrição: O projeto ACC-PHYTO é conduzido pelo Grupo de Oceanografia de Altas Latitudes (GOAL) da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), sendo uma colaboração entre o Brasil e a Índia. As atividades estão inseridas dentro dos objetivos de integração da pesquisa Antártica executada pelo PROANTAR (Brasil) e pelo NCAOR (Índia). Os objetivos do projeto ACC-PHYTO são: identificar a posição e a variabilidade das frentes da ACC no Setor Índico do oceano Austral através de dados in-situ e sensoriamento remoto, estudar a composição da comunidade fitoplanctônica a partir dos pigmentos fotossintéticos, detreminar possíveis relaçoes entre a comunidade fitoplanctõnica e a posição das frentes oceânicas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Integrante / Maurício Magalhães Mata - Integrante / Azevedo, José Luiz Lima - Integrante / Carlos Alberto Eiras Garcia - Coordenador.
2005 - 2010
SOS-CLIMATE
Descrição: A proposta brasileira SOS-CLIMATE conduzirá estudos multidisciplinares nas áreas da quebra da plataforma e talude Antártico, particularmente nas regiões oeste do Mar de Weddell, passagem de Philip, Ilha Elefante, Estreito de Bransfield e Gerlache. A proposta visa contribuir no constante monitoramento da exportação de águas densas formadas nessa região. Este aspecto é crucial para o entendimento das mudanças no clima da Terra. A proposta brasileira está embasada na obtenção de dados hidrográficos e dinâmicos (correntometria) na região, através de seções repetidas a bordo de navio e de fundeios em setores considerados críticos na região do talude do Estreito de Bransfield e Ilha Joinville. As seções hidrográficas serão coordenadas com outras atividades previstas pelo SASSI, como por exemplo fundeios de correntômetros e termo-condutivímetros na região das passagens profundas a oeste das Ilhas Orcadas do Sul. Estes fundeios do SASSI deverão ser realizados por pesquisadores espanhóis e americanos visando capturar a variabilidade da exportação de águas densas para estas passagens. Além disso, o grupo do SOS-CLIMATE irá amostrar aspectos químicos e biológicos destas águas como as concentrações de nutrientes dissolvidos, as concentrações de biomassa fitoplanctônicas e as relações entra o sinal ótico e os constituintes da água do mar (clorofila, material particulado e matéria orgânica dissolvida). Durante a Rede-1/GOAL, verificou-se a dessalinização da bacia central do Estreito de Bransfield. Durante o API, pretende-se, através dos fundeios (moorings), monitorar as propriedades termohalinas e correntes do fundo oceânico para verificar sua variabilidade sazonal e intranual..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Integrante / Maurício Magalhães Mata - Coordenador / Carlos Alberto Eiras Garcia - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2004 - 2015
MOVAR/Atlantico Sul e Clima
Descrição: Com o encerramento do World Ocean Circulation Experiment (WOCE) em 2002 a pesquisa oceanográfica de meso e larga escala, com aplicações para estudos climáticos, estará centrada em programas como o CLIVAR e o GOOS. Pelas próprias características destes programas, as linhas mestras da pesquisa oceanográfica estão voltadas para o estudo e monitoramento da variabilidade oceânica em escalas mais longas de tempo (anos e décadas). Estes estudos são fundamentais para melhorar a compreensão da já constatada influência dos oceanos no clima global.Neste sentido, um aumento significativo do entendimento desta variabilidade pode ser obtido através de secções hidrográficas periódicas de alta densidade (i.e. obter perfis hidrográficos a cada 20 m.n. para regiões oceânicas e a cada 10 m.n. para regiões próximas às margens continentais) ao longo de uma mesma área num contexto semelhante aos programas que utilizam "navios de oportunidade". Neste contexto, foi constatado que a região compreendida entre a margem continental brasileira e a ilha de Trindade (ES) possui diversos fatores, científicos e logísticos, que propiciam e podem garantir o sucesso deste tipo de estudo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Leopoldo Rota de Oliveira - Integrante / Maurício Magalhães Mata - Coordenador / Mauro Cirano - Integrante.


Revisor de periódico


2011 - Atual
Periódico: Revista Atlântica
2011 - Atual
Periódico: Revista Brasileira de Geofísica (Impresso)
2013 - Atual
Periódico: Journal of Geophysical Research


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Física / Subárea: Oceanografia Física.
2.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Física / Subárea: Áreas Clássicas de Fenomenologia e suas Aplicações/Especialidade: Dinâmica dos Fluídos.
3.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Geociências / Subárea: Oceanografia Física/Especialidade: Circulação oceância e energética.
4.
Grande área: Ciências Exatas e da Terra / Área: Física / Subárea: Física Geral/Especialidade: Metrologia, Técnicas Gerais de Laboratório, Sistema de Instrumentação.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
MAGALHÃES, F. C.2017MAGALHÃES, F. C. ; Azevedo, J. L. L. ; OLIVEIRA, L. R. . Energetics of eddy-mean flow interactions in the Brazil Current between 20°S and 36°S. JOURNAL OF GEOPHYSICAL RESEARCH-OCEANS, v. 122, p. 6129-6146, 2017.

2.
BRUM, A. L.2017BRUM, A. L. ; Azevedo, J. L. L. ; Oliveira, Leopoldo R. ; CALIL, P. H. R. . Energetics of the Brazil Current in the Rio Grande Cone region. DEEP-SEA RESEARCH PART I-OCEANOGRAPHIC RESEARCH PAPERS, p. 67/81, 2017.

3.
Souza, J. F. A.2014Souza, J. F. A. ; AZEVEDO, J. L. L. ; OLIVEIRA, L. R. ; Soares, I.D. ; MATA, M. M. . Turbulence Modeling in Geophysical Flows ? Part I First-Order Turbulent Closure Modeling. Revista Brasileira de Geofísica (Impresso), v. 1, p. 31-37, 2014.

4.
Souza, J. F. A.2013Souza, J. F. A. ; AZEVEDO, J. L. L. ; OLIVEIRA, L. R. ; Soares, Ivan D. ; MATA, M. M. . INCORPORATION OF NEW TURBULENT CLOSURE SCHEMES IN THE PRINCETON OCEAN MODEL (POM). Revista Brasileira de Geofísica (Impresso), v. 31, p. 17-30, 2013.

5.
Souza, J. F. A.2011Souza, J. F. A. ; Oliveira, Leopoldo R. ; Azevedo, J. L. L. ; Soares, Ivan D. ; MATA, M. M. . Uma revisão sobre a turbulência e sua modelagem. Revista Brasileira de Geofísica (Impresso), v. 29, p. 21-41, 2011.

6.
OLIVEIRA, L. R.;Oliveira, Leopoldo R.2009 OLIVEIRA, L. R.; Piola, Alberto R. ; Mata, Mauricio M. ; Soares, Ivan D. . Brazil Current surface circulation and energetics observed from drifting buoys. Journal of Geophysical Research, v. 114, p. C10006, 2009.

7.
Azevedo, J. L. L.2008 Azevedo, J. L. L. ; OLIVEIRA, L. R. ; Souza, J. F. A. ; Soares, I.D. ; MATA, Mauricio M . OS PROCESSOS DE CONVERSÃO DE ENERGIA NOS OCEANOS: UMA REVISÃO DO DIAGRAMA DE LORENZ. Revista Brasileira de Geofísica, v. 26, p. 153-172, 2008.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
OLIVEIRA, L. R.; PIOLA, Alberto ; MATA, Mauricio Magalhães . Mean and Eddy kinetic energy in the southwestern Atlantic Ocean between 20°S and 40°S. In: Dynamic Planet 2005 ?Monitoring and Understanding a Dynamic Planet with Geodetic and Oceanographic Tools?, 2005.

2.
OLIVEIRA, L. R.; PIOLA, Alberto ; MATA, Mauricio M . Estimativas das energias cinéticas média e turbulenta para o Atlântico Sudoeste entre 20°S e 40°S com medidas lagrangianas do WOCE. In: II Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2005, Vitória-ES.

3.
OLIVEIRA, L. R.; MATA, Mauricio Magalhães . Variabilidade dos transportes de volume superficial e profundo no Atlântico Sudoeste. In: II Simpósio Brasileiro de Oceanografia, 2004, São Paulo. Programa e Índice de Trabalhos, 2004. p. 36-36.

4.
OLIVEIRA, L. R.; MATA, Mauricio Magalhães . Estimativas da variabilidade dos transportes em 28 °S pelos fundeios ACM12 e ACM3 do WOCE. In: V Jornadas Nacionales de Ciencias del Mar, 2003, Mar del Plata. V Jornadas Nacionales de Ciencias del Mar, 2003.

5.
OLIVEIRA, L. R.; MATA, M. M. . Estudo da variabilidade da Corrente do Brasil em 28°S utilizando medidas diretas. In: I Simpósio Brasileiro de Oceanografia, 2002, São Paulo. Simpósio Brasileiro de Oceanografia, 2002.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
OLIVEIRA, L. R.; MATA, M. M. . ENERGÉTICA DA CORRENTE CIRCUMPOLAR ANTÁRTICA NA PASSAGEM DRAKE ATRAVÉS DE DADOS LAGRANGEANOS. In: IV Congresso Brasileiro de Oceanografia, 2010, Rio Grande. IV CBO Anais- Resumo dos Trabalhos. Rio Grande: FURG, 2010. v. único.

2.
Oliveira, Leopoldo R.; MATA, Mauricio M ; PIOLA, Alberto ; Soares, I.D. . Energetics from drifting buoys in the southwestern Atlantic Ocean. In: OceanObs 09, 2010, Veneza. Livro de Resumos, 2009.

3.
OLIVEIRA, L. R.; PIOLA, Alberto ; MATA, Mauricio M . Estimativas de fluxos de calor sensível superficial para o Atlântico sudoeste. In: COLACMAR, 2007, Florianópolis. Livro de resumos, 2007.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
OLIVEIRA, L. R.; PIOLA, Alberto ; MATA, Mauricio Magalhães . CIRCULAÇÃO SUPERFICIAL E ENERGÉTICA NO OCEANO ATLÂNTICO SUL ATRAVÉS DE DERIVADORES LAGRANGIANOS ATÉ 30ºw. In: VI Jornadas Nacionales de Ciencias del Mar, 2006, Puerto Madryn. LIVRO DE RESUMENES, 2006. p. 53-53.

2.
OLIVEIRA, L. R.; PIOLA, Alberto ; MATA, Mauricio M . ENERGÉTICA DA CORRENTE CIRCUMPOLAR ANTÁRTICA COM DADOS LAGRANGIANOS ENTRE 70ºW E 30ºE. In: XIV SIMPOSIO BRASILEIRO SOBRE PESQUISA ANTÁRTICA, 2006, SÃO PAULO. XIV SIMPOSIO BRASILEIRO SOBRE PESQUISA, 2006.

Apresentações de Trabalho
1.
MAGALHAES, F. ; AZEVEDO, J. L. L. ; OLIVEIRA, L. R. . FLUXO DE CALOR TURBULENTO DIVERGENTE NA CORRENTE DO BRASI. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
MAGALHAES, F. ; AZEVEDO, J. L. L. ; OLIVEIRA, L. R. . INTERAÇÃO ENTRE OS FLUXOS MÉDIO E TURBULENTO NA CORRENTE DO BRASIL ENTRE 19ºS E 36ºS. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
BRUM, A. L. ; Azevedo, J. L. L. ; OLIVEIRA, L. R. . ANÁLISE ENERGÉTICA DA CORRENTE DO BRASIL NA REGIÃO DO CONE DO RIO GRANDE. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
LIMA, M. O. ; Cirano, M. ; Mata, Mauricio M. ; PITA, I. C. ; Oliveira, Leopoldo R. ; GONI, G. ; BARINGER, M. . The Brazil Current Variability at the NOAA AX97 high density XBT line: a comparison between in situ data and Ocean Forecasting and Analysis Systems. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
OLIVEIRA, L. R.; MATA, M. M. ; CALIL, P. H. R. ; Azevedo, J. L. L. . Estudo da difusão de mesoescala na região da Corrente do Brasil. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
Oliveira, Leopoldo R.. Pesquisas Antárticas: Explorando Riquezas e Fragilidades. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

7.
OLIVEIRA, L. R.; MATA, Mauricio M ; Souza, J. F. A. ; Azevedo, J. L. L. . ESCALAS LAGRANGEANAS NA PASSAGEM DRAKE ORIUNDAS DE BÓIAS DE DERIVA SUPERFICIAL. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

8.
BRUM, A. L. ; OLIVEIRA, L. R. . EXPERIMENTOS DE FÍSICA DIRECIONADOS À DINÂMICA DOS OCEANOS. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
OLIVEIRA, L. R.; MATA, Mauricio Magalhães . FLUXOS DE CALOR SENSÍVEL E MOMENTUM TURBULENTOS SUPERFICIAIS NA CIRCULAÇÃO DO OCEANO AUSTRAL. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

10.
OLIVEIRA, L. R.; Mata, Mauricio M. . EVIDENCIAS DE UMA CASCATA DE ENERGIA CINÉTICA INVERSA A PARTIR DE DADOS DE BOIAS DE DERIVA SUPERFICIAL. 2011. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

11.
Barroso, Adriano ; Azevedo, J. L. L. ; OLIVEIRA, L. R. ; Soares, I.D. ; Ruggiero, G. . ESTUDO DAS ENERGIAS CINÉTICAS ASSOCIADAS À CORRENTE DO BRASIL COM O MODELO HYCOM EM ALTA RESOLUÇÃO. 2011. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

12.
OLIVEIRA, L. R.; MATA, Mauricio M . CAMPO DE VELOCIDADE DO ATLÂNTICO SUDOESTE DERIVADO DE L-ADCP. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

13.
OLIVEIRA, L. R.; Mata, Mauricio M. . ESTIMATING EDDY KINETIC ENERGY AND BAROTROPIC CONVERSION ASSOCIATED WITH THE ANTARTIC CIRCUMPOLAR CURRENT IN THE DRAKE PASSAGE. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

14.
OLIVEIRA, L. R.; MATA, Mauricio M . Energy conversions in the Brazil-Malvinas Confluence using OCCAM global ocean model. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

15.
OLIVEIRA, L. R.. Conversões de energia no Oceano Atlântico Sudoeste. 2010. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

16.
Souza, J. F. A. ; Azevedo, J. L. L. ; Soares, Ivan D. ; Oliveira, Leopoldo R. . Implementação de novos modelos de turbulência no Princeton Ocean Model (POM). 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

17.
Baldasso, Patricia ; OLIVEIRA, L. R. ; Mata, Mauricio M. . ESTUDO DA VARIABILIDADE TEMPORAL DA CORRENTE CIRCUMPOLAR ANTÁRTICA NOS SEUS CHOCKEPOINTS. 2010. (Apresentação de Trabalho/Outra).

18.
OLIVEIRA, L. R.; MATA, M. M. ; PIOLA, Alberto ; Soares, I.D. . Energetics from drifting buoys in the southwestern Atlantic Ocean. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

19.
Baldasso, Patricia ; OLIVEIRA, L. R. ; Mata, Mauricio M. . ESTUDO DA VARIABILIDADE TEMPORAL DO TRANSPORTE DA CORRENTE CIRCUMPOLAR ANTÁRTICA COM DADOS DE SAÍDA DO MODELO CCSM. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

20.
LUIS, ; OLIVEIRA, L. R. . OS PROCESSOS DE CONVERSÃO DE ENERGIA NOS OCEANOS E O DIAGRAMA DE LORENZ. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

21.
Souza, J. F. A. ; OLIVEIRA, L. R. ; Azevedo, J. L. L. ; Soares, Ivan D. . Modelagem hidrodinâmica de plumas de emissários submarinos na costa de Rio Grande/RS. 2008. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

22.
Souza, J. F. A. ; Azevedo, J. L. L. ; OLIVEIRA, L. R. ; Soares, Ivan D. . Emissários submarinos - uma alternativa para a disposição final de efluentes em cidades costeiras. 2008. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

23.
OLIVEIRA, L. R.; MATA, M. M. ; PIOLA, Alberto . BALANÇO ENERGÉTICO NO ATLÂNTICO SUDOESTE E OCEANO AUSTRAL ADJACENTE A PARTIR DE DERIVADORES SUPERFICIAIS E MODELAGEM NUMÉRICA. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

24.
OLIVEIRA, L. R.; MATA, M. M. ; PIOLA, Alberto . Variabilidade Espacial e temporal da Corrente do Brasil a 28°S. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).


Demais tipos de produção técnica
1.
OLIVEIRA, L. R.. Entendendo como funciona e Aprendendo Física. 1998. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
AZEVEDO, J. L. L.; OLIVEIRA, L. R.; MATA, Mauricio M. Participação em banca de Isabel dos Santos Barros. Transportes associados e estrutura vertical de um vórtice das Agulhas. 2016. Dissertação (Mestrado em Oceanografia Física, Química e Geológica) - Universidade Federal do Rio Grande.

2.
AZEVEDO, J. L. L.; CALIL, P. H. R.; OLIVEIRA, L. R.. Participação em banca de André Lopes Brum. Diagrama de Lorenz: Ferramenta para análise energética de correntes de contorno oeste. 2015. Dissertação (Mestrado em Oceanografia Física, Química e Geológica) - Universidade Federal do Rio Grande.

3.
AZEVEDO, J. L. L.; GHISOLFI, R. D.; Oliveira, Leopoldo R.. Participação em banca de Eric Nardi. Influência do Cone do Rio Grande na formação de atividade de mesoescala na Corrente do Brasil. 2013. Dissertação (Mestrado em Oceanografia Física, Química e Geológica) - Universidade Federal do Rio Grande.

4.
Soares, I.D.; Azevedo, J. L. L.; OLIVEIRA, L. R.; GHISOLFI, R. D.. Participação em banca de Fernando C. Magalhães. Avaliação da influência da variabilidade temporal do vento no transporte e formação de processos de mesoescala da Corrente do Brasil. 2012. Dissertação (Mestrado em Oceanografia Física, Química e Geológica) - Universidade Federal do Rio Grande.

5.
Oliveira, Leopoldo R.. Participação em banca de Lorena Luiz Collares. Monitoramento de icebergs no noroeste do Mar de Weddell com o uso de rastreadores satelitais e imagens ASAR. 2011. Dissertação (Mestrado em Oceanografia Física, Química e Geológica) - Universidade Federal do Rio Grande.

6.
OLIVEIRA, L. R.. Participação em banca de Ricardo de Lima Costa. Estudo sobre a variabilidade sazonal e da estrutura vertical das correntes costeiras da plataforma interna ao largo de Rio Grande-RS. 2009. Dissertação (Mestrado em Oceanografia Física, Química e Geológica) - Universidade Federal do Rio Grande.

Teses de doutorado
1.
Azevedo, J. L. L.; OLIVEIRA, L. R.; MATA, Mauricio M; SILVEIRA, I. C. A.; MARQUES, W. C.. Participação em banca de Fernando Carvalho Magalhães. Interação entre os Fluxos Médio e Turbulento no Atlântico Sudoeste: Análise Energética e Fluxo de Calor Turbulento Divergente na Corrente do Brasil e na Corrente do Atlântico Sul. 2017. Tese (Doutorado em Oceanografia Física, Química e Geológica) - Universidade Federal do Rio Grande.

2.
CASTRO FILHO, B.; OLIVEIRA, L. R.; CAMARGO, R.; ASSIREU, A. T.; HARARI, J.. Participação em banca de José Roberto Bairão Leite. Oscilações Inerciais sobre a Plataforma Continental Sudeste do Brasil,. 2014. Tese (Doutorado em Doutoramento em Oceanografia Física pelo Instituo Oceanográfico da USP) - Universidade de São Paulo.

Qualificações de Doutorado
1.
Azevedo, J. L. L.; CALIL, P. H. R.; OLIVEIRA, L. R.; Mata, Mauricio M.. Participação em banca de Fernando Carvalho Magalhães. Um Estudo da Dinâmica da Corrente do Brasil entre 22°S e 35°S: Diagrama de Lorenz e Fluxos de Calor Turbulentos Divergentes. 2014. Exame de qualificação (Doutorando em Oceanografia Física, Química e Geológica) - Universidade Federal do Rio Grande.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
OLIVEIRA, L. R.; LUIS,; SANTOS, G. C.. Participação em banca de Lucas Rodrigues de Almeida.Nova equação termodinâmica do estado da água do mar (TEOS-10) e sua repercussão sobre as principais massas d'´agua no oceano Atlântico Sul. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Oceanologia) - Universidade Federal do Rio Grande.

2.
MATA, M. M.; OLIVEIRA, L. R.; AZEVEDO, J. L. L.. Participação em banca de Natalia Ribeiro do Santos.Análise de longo período das características termohalinas da frente polar na passagem de Drake, Antártica. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Oceanologia) - Universidade Federal do Rio Grande.

3.
OLIVEIRA, L. R.; SANTOS, G. C.; AZEVEDO, J. L. L.; GOTUZZO, R. A.. Participação em banca de Sergio Henrique Ribeiro Miranda.Experimentos de laboratório direcionados ao ensino de física aplicada a oceanografia. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Oceanologia) - Universidade Federal do Rio Grande.

4.
MOLLER JR, O. O.; Oliveira, Leopoldo R.; CALIL, P. H. R.. Participação em banca de Barbara Michelly Jung.Análise das Propriedades da Maré Interna do Cânion Barkley através de Dados do Projeto NEPTUNE- Canadá. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Oceanologia) - Universidade Federal do Rio Grande.

5.
Azevedo, J. L. L.; Oliveira, Leopoldo R.; Soares, I.D.. Participação em banca de Adriano Wiermann Barroso.Estudo das Energias Cinéticas Associadas à Corrente do Brasil entre 9ºS e 27ºS. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal do Rio Grande.

6.
Azevedo, J. L. L.; Calado, L.; OLIVEIRA, L. R.. Participação em banca de Arthur Eduardo Amaral Ramos.Formação e evolução espaço-temporal da ressurgência de Cabo Frio. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal do Rio Grande.

7.
Garcia, C. A. E.; Kerr, Rodrigo; Azevedo, J. L. L.; OLIVEIRA, L. R.. Participação em banca de Guilherme Cordova Santos.As massas de água do Atlântico Sul em 20°, 24° e 30ºS. 2011. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal do Rio Grande.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
Tonel, Arlei P.; CERETTA, E.; OLIVEIRA, L. R.. Concurso para Substituto na área de Física. 2018. Universidade Federal do Pampa.

2.
SEEBER, A.; CASTRO, P.; Oliveira, Leopoldo R.. Professor Substituto em Física. 2016. Universidade Federal do Pampa.

Outras participações
1.
OLIVEIRA, L. R.. Mostra Científica do 10º Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão. 2018. Universidade Federal do Pampa.

2.
OLIVEIRA, L. R.; Fernandes, Elisa H.. 13ª Mostra de Produção Universitária. 2014. Universidade Federal do Rio Grande.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Congresso Brasileiro de Oceanografia. Estudo da Difusão de Mesoescala na Região da Corrente do Brasil. 2014. (Congresso).

2.
II Workshop APECS-BRASIL.ESCALAS LAGRANGIANAS NA PASSAGEM DRAKE ORIUNDAS DE BÓIAS DE DERIVA SUPERFICIAL. 2012. (Outra).

3.
IV Congresso Brasileiro de Oceanografia. ENERGÉTICA DA CORRENTE CIRCUMPOLAR ANTÁRTICA NA PASSAGEM DRAKE ATRAVÉS DE DADOS LAGRANGEANOS. 2010. (Congresso).

4.
Semana Acadêmica do Curso de Pós-graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicos.Monitoramento do comportamento e propriedades físicas da pluma fluvial do complexo estuarino de Paranaguá. 2010. (Outra).

5.
Semana Acadêmica do Curso de Pós-graduação em Sistemas Costeiros e Oceânicos.Cinemática e variabilidade espaço-temporal da Corrente Sul Atlântica no Oceano Atlântico Sul. 2010. (Outra).



Orientações



Orientações e supervisões concluídas
Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Sérgio Henrique Ribeiro Miranda. EXPERIMENTOS PRÁTICOS COMO RECURSO DIDÁTICO PARA O ENSINO DA DINÂMICA DOS OCEANOS. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Oceanologia) - Universidade Federal do Rio Grande. Orientador: Leopoldo Rota de Oliveira.

2.
Patricia Baldasso. ESTUDO DA VARIABILIDADE TEMPORAL DO TRANSPORTE DA CORRENTE CIRCUMPOLAR ANTÁRTICA COM DADOS DE SAÍDA DO MODELO OCCAM. 2010. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal do Rio Grande, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Leopoldo Rota de Oliveira.

Iniciação científica
1.
André Lopes Brum. Caracterização de Vórtices nos Oceanos Globais. 2012. Iniciação Científica. (Graduando em Oceanologia) - Universidade Federal do Rio Grande, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul. Orientador: Leopoldo Rota de Oliveira.

2.
André Lopes Brum. Desenvolvendo instrumental básico de laboratório para realização de experimentos na área de Dinâmica dos Oceanos do curso de Oceanologia. 2011. Iniciação Científica. (Graduando em Graduação em Oceanografia) - Universidade Federal do Rio Grande, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul. Orientador: Leopoldo Rota de Oliveira.



Inovação



Projetos de pesquisa


Educação e Popularização de C & T



Apresentações de Trabalho
1.
BRUM, A. L. ; OLIVEIRA, L. R. . EXPERIMENTOS DE FÍSICA DIRECIONADOS À DINÂMICA DOS OCEANOS. 2012. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
Oliveira, Leopoldo R.. Pesquisas Antárticas: Explorando Riquezas e Fragilidades. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).



Outras informações relevantes


Participação em vários cruzeiros oceanográficos vinculado ao Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR), desenvolvendo trabalhos de campo nas áreas de Oceanografia Física e Meteorologia.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 17/02/2019 às 10:48:55