Ynaê Lopes dos Santos

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/9825396116792460
  • Última atualização do currículo em 18/10/2018


Doutora em História Social pela Universidade de São Paulo (2012), Mestre em História Social pela Universidade de São Paulo (2007), bacharel e licenciada em História pela USP (2002). Atualmente é Professora Adjunta na Escola Superior de Ciências Sociais CPDOC/FGV e do Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais (PPHPBC) da mesma instituição. Realiza Pesquisa na aérea de História da América, com ênfase em Escravidão nas Américas e Relações Étnico-Raciais, atuando principalmente nos seguintes temas: escravidão, América ibérica, formação dos Estados Nacionais, cidades escravistas e ensino de história. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Ynaê Lopes dos Santos
Nome em citações bibliográficas
SANTOS, Y. L.;SANTOS, YNAÊ LOPES DOS;LOPES DOS SANTOS, YNAÊ

Endereço


Endereço Profissional
Fundação Getúlio Vargas, ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS SOCIAIS.
Fundação Getúlio Vargas, 14º andar, sala 1408
Botafogo
22250900 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil
Telefone: (21) 37995830
URL da Homepage: https://cpdoc.fgv.br/


Formação acadêmica/titulação


2008 - 2012
Doutorado em História Social.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Irmãs do Atlântico. Escravidão e espaço urbano no Rio de Janeiro e em Havana (1763-1844), Ano de obtenção: 2012.
Orientador: Rafael de Bivar Marquese.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: escravidão; Rio de Janeiro; Havana; espaço urbano.
2004 - 2006
Mestrado em História Social.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Título: Além da Senzala. Arranjos Escravos de Moradia no Rio de Janeiro (1808-1850),Ano de Obtenção: 2007.
Orientador: Rafael de Bivar Marquese.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: moradia escrava; resistência escrava; controle social; Rio de Janeiro; século XIX; escravidão.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil.
Setores de atividade: Educação.
2001 - 2004
Graduação em Licenciatura em História.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
1999 - 2003
Graduação em História.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.


Pós-doutorado


2014 - 2015
Pós-Doutorado.
Fundação Getúlio Vargas, FGV, Brasil.
Bolsista do(a): Fundação Getúlio Vargas, FGV, Brasil.
Grande área: Ciências Humanas


Formação Complementar


2014 - 2014
FIFTH ANNUAL SUMMER INSTITUTE ?SLAVERY, MEMORY AND. (Carga horária: 60h).
INSTITUO NACIONAL DE ANTROPOLOGIA E HISTÓRIA, INAH, México.
2008 - 2008
Extensão universitária em II Curso de Atualização em Diáspora Africana. (Carga horária: 50h).
University of Texas at Austin, UTA, Estados Unidos.
2008 - 2008
Noirs, Nègres, Africains, Afro-descendants. (Carga horária: 66h).
Institut Interdisciplinaire Virtuel des Hautes Études sur les Esclavages, IIVHEET, França.
2007 - 2007
Uma História Política da África. (Carga horária: 8h).
Casa do Saber, CS, Brasil.
2005 - 2005
VIII Fábrica de Idéias. (Carga horária: 90h).
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
2004 - 2004
Sahel, a outra costa da África. (Carga horária: 10h).
Departamento de História da FFLCH/USP, USP, Brasil.
2003 - 2003
Extensão universitária em IV Semana dos Museus - Preservação em Museus: Iden.
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
2003 - 2003
Standard/Intensive English as a Foreign Language.. (Carga horária: 80h).
Basil Patteson School, BASIL PATTERSON, Escócia.
2000 - 2000
Curso de Formação de Monitores para a Exposição:. (Carga horária: 54h).
Serviço Social do Comércio, SESC, Brasil.
1997 - 1997
Standard/Intensive English as a Foreign Language.. (Carga horária: 150h).
Embassy CES Cambridge, EMBASSY CES, Grã-Bretanha.


Atuação Profissional



Universidade Federal Fluminense, UFF, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional:


Fundação Getúlio Vargas, FGV, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - Atual
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professor Adjunto, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador Bolsista, Carga horária: 40, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Horista, Carga horária: 6

Atividades

08/2018 - Atual
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da América II
História do Brasil Monárquico
Estágio Supervisionado II
Estágio Supervisionado IV
08/2018 - Atual
Ensino, História, Política e Bens Culturais, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
As Américas e os desafios do século XIX
08/2017 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS SOCIAIS, .

04/2016 - Atual
Direção e administração, ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS SOCIAIS, .

Cargo ou função
Coordenadora da Graduação em História (licenciatura).
02/2015 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS SOCIAIS, .

01/2014 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , FGV Rio de Janeiro, .

04/2015 - 08/2018
Pesquisa e desenvolvimento , ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS SOCIAIS, .

02/2018 - 06/2018
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da África
História da América 1
02/2018 - 06/2018
Ensino, História, Política e Bens Culturais, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Raça e Projetos de Nação nas Américas, séculos XIX e XX
08/2017 - 12/2017
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História do Brasil Monárquico
Estágio Supervisionado II
Estágio Supervisionado IV
08/2016 - 12/2016
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da América II
História do Brasil Monárquico
Estágio Supervisionado II
Estágio Supervisionado IV
08/2016 - 12/2016
Ensino, História, Política e Bens Culturais, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Memórias Urbanas. Histórias de Cidades e suas Múltiplas Vozes
02/2016 - 06/2016
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da África
História da América I
08/2015 - 12/2015
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da América II
História do Brasil Monárquico
Estágio Supervisionado II
Estágio Supervisionado IV
02/2015 - 06/2015
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da África
História da América I
02/2014 - 06/2014
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Memória, Sociedade e Prática de Ensino de História
08/2013 - 12/2013
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da América II

Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Professor Substituto, Enquadramento Funcional: Professor Substituto, Carga horária: 20

Vínculo institucional

2009 - 2011
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professor Convidado
Outras informações
Professora Convidada do LAESER/ IE/UFRJ para o Curso de extensão ?Oficina de Indicadores Sociais: ênfase em relações raciais (adaptado à Lei 10.639/03)? - Módulo II: Introdução Crítica ao Pensamento Social Brasileiro e o Estudo das Relações Raciais (Tradição Culturalista)

Vínculo institucional

2006 - 2007
Vínculo: Pesquisador, Enquadramento Funcional: Pesquisador, Carga horária: 40
Outras informações
Pesquisadora do IPPUR

Atividades

08/2013 - 12/2013
Ensino, Abi - História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da América II
04/2009 - 08/2011
Extensão universitária , Instituto de Economia - LAESER, .

Atividade de extensão realizada
Formação de Professores na OFICINA DE INDICADORES SOCIAIS COM ÊNFASE EM RELAÇÕES RACIAIS PARA PROFESSORES DA REDE DE ENSINO FUNDAMENTAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

Escola Parque, ESCOLA PARQUE, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2013
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professora de História do 7º ano, Carga horária: 12


Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - 2013
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador


Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC-Rio, Brasil.
Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Colaborator, Enquadramento Funcional: Profa. Autora de História da África (on line)
Outras informações
Professora Autora de História da África do Curso à distância da PUC-Rio junto com o Professor Doutor Leonardo Afonso de Miranda Pereira

Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professor Convidado
Outras informações
Professora do Curso de Pós Graduação Especialização em História da Cultura Afro Descendente

Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Prof. Tutora de História da África on line

Atividades

09/2011 - 10/2011
Ensino, História e Cultura Afrodescendente, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
História dos Povos Africanos
08/2010 - 09/2010
Ensino, História e Cultura Afrodescendente, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
História dos Povos Africanos

Instituto Cubano de Investigacion Cultural Juan Marinello, ICICJM, Cuba.
Vínculo institucional

2010 - 2010
Vínculo: Pesquisador, Enquadramento Funcional: Pesquisador, Carga horária: 40


Universidade Estácio de Sá, UNESA, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: Celetista formal, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 15

Vínculo institucional

2012 - 2013
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Prof. Tutora de História - Curso on line, Carga horária: 10

Atividades

03/2012 - Atual
Ensino, História, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da África Pré Colonial
História da América Colonial
HIstória da América Independente
HIstória do Rio de Janeiro I
História dos povos Indígenas e Afro-Descendentes no Brasil

Fundação Biblioteca Nacional, FBN, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2009
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador, Carga horária: 20


Fundação Educacional Duque de Caxias, FEUDUC, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2008
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Professora Titular, Carga horária: 8

Atividades

08/2007 - 12/2008
Ensino, HIstória, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da África Pré Colonial
História da África Colonial e Independente
02/2008 - 06/2008
Ensino, HIstória, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da África Colonial e Independente
História da África Pré Colonial
05/2007 - 07/2007
Ensino, HIstória, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
História da África Colonial e Independente
História da África Pré-Colonial

Escola Ágora de Educação Fundamental, ÁGORA, Brasil.
Vínculo institucional

2002 - 2004
Vínculo: Professor, Enquadramento Funcional: Professora, Carga horária: 15
Outras informações
Professora de História Geral e do Brasil do 5º Ano do Ensino Fundamental I Professora de História Geral e do Brasil dos 6º, 7º e 8º anos do Ensino Fundamental II

Atividades

3/2002 - 7/2004
Ensino,

Disciplinas ministradas
História Geral e do Brasil

Serviço Social do Comércio, SESC, Brasil.
Vínculo institucional

2000 - 2000
Vínculo: Prestador de Serviço, Enquadramento Funcional: Monitoria, Carga horária: 48
Outras informações
Monitora da Exposição Êxodos de Sebastião Salgado

Atividades

04/2000 - 06/2000
Outras atividades técnico-científicas , SESC Pompéia, SESC Pompéia.

Atividade realizada
Monitoria.


Linhas de pesquisa


1.
Laboratório de estudos do Mundo do Trabalho e Movimentos Sociais LEMT

Objetivo: O LEMT reúne professores e estudantes interessados nos debates e na pesquisa de temáticas relacionadas ao estudo dos mundos do trabalho e dos movimentos sociais em perspectiva interdisciplinar. Para além da história das organizações formais e informais dos trabalhadores e dos movimentos sociais em geral, um amplo arco de questões compõe o universo de interesses dos pesquisadores vinculados a este laboratório, incluindo temas como os processos produtivos, as migrações, as conexões do mundo do trabalho com o espaço urbano, a importância do cotidiano, as múltiplas dimensões culturais do universo das classes populares, as disputas políticas, as relações entre capital e trabalho, e ainda a atuação dos movimentos sociais no espaço público e sua interação com as diversas esferas do Estado. Além disso, nossos debates têm dado particular atenção aos processos de formação de classe e sua articulação com diferentes dimensões identitárias, tais como as de gênero, etnia, religião, origem regional e nacional, entre outras. Por fim, o laboratório tem incentivado cada vez mais abordagens comparativas e transnacionais que dialoguem com as recentes abordagens que procuram enfatizar as dimensões globais da história do trabalho e dos movimentos sociais..
2.
Coordenadora Institucional do PIBID História-FGV
3.
História da América
4.
História da Escravidão nas Américas
5.
História das Relações Étnico-Raciais
6.
Coordenadora do Laboratório de Relações Étnico Raciais LEER-FGV

Objetivo: O Laboratório de Estudos Étnico-Raciais se propõe a desenvolver estudos inter e transdisciplinares que visem aprofundar a pesquisa acadêmicas, a produção teórica e os debates públicos sobre as relações étnico raciais no Brasil, em suas diferentes regiões, e em diálogo com outras sociedades que compõem o mundo afro-atlântico. As relações étnico-raciais constituem a base material e simbólica da construção da identidade nacional. Ao longo da história brasileira, a ideia de nação e de estado está clivada por estas relações, que para além de imprimir a organização econômica desde o período colonial, na condição de escravidão, informaram para o conjunto da nação lugares sociais de desigualdade. A compreensão de como operam essas relações no tecido social, historicamente determinado, contribui efetivamente para prospecção de políticas que enfatizem a superação das desigualdades observadas nos diversos níveis e dimensões da sociedade brasileira..


Projetos de pesquisa


2018 - Atual
Intelligenza Negra nas Américas. Escravidão e herança africana nas obras de Manuel Querino, W.E.B Dubois e Lino Dou Allión.
Descrição: O presente projeto de pesquisa tem como objetivo analisar a obra de três intelectuais negros americanos e seus escritos sobre o passado escravista e a herança africana nas sociedades de que faziam parte. Manuel Querino, W.E.B. Du Bois, Lino Dou Allión foram homens negros cujas trajetórias estiveram marcadas pela produção intelectual num momento no qual a intelectualidade americana se deparava com os debates sobre raça, eugenia e identidade nacional. Produtores de narrativas contra hegemônicas, esses três intelectuais propuseram um olhar distinto para o elemento negro e sua herança africana na construção nacional de seus respectivos países. Desse modo, essa pesquisa pretende ? por meio de uma perspectiva transatlântica -, analisar a produção desses intelectuais negros, pontuando suas semelhanças e diferenças no que diz respeito ao passado escravista do Brasil, Estados Unidos e Cuba (respectivamente)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - Atual
ESCRAVIDÃO, MEMÓRIA E HISTORIOGRAFIA. Projeto de constituição de um acervo de entrevistas em História Oral sobre a Historiografia Brasileira da Escravidão
Descrição: O presente projeto tem o intuito de construir um banco de depoimentos orais (registrados em áudio e vídeo), com historiadores que tiveram relevância significativa na produção da historiografia brasileira sobre escravidão. Desde os primeiros anos da experiência republicana, o passado escravista (fosse ele colonial ou imperial) colocou-se como uma das grandes questões analisadas por historiadores e cientistas sociais que se debruçaram sobre a trajetória brasileira. As grandes obras interpretativas do Brasil versaram direta ou indiretamente sobre a instituição escravista, permitindo a constituição de uma gama variada de interpretações sobre o Brasil. À medida que o ensino superior e os cursos de pós-graduação foram se consolidando no Brasil República, crescia o número e a qualidade dos trabalhos que examinaram a escravidão e a vida dos escravos no Brasil, em debates que extrapolavam as fronteiras nacionais e serviram como contraponto para análises macroestruturais das relações raciais no continente americano. Os estudos sobre escravidão constituem, desde a década de 1960, um dos campos mais profícuos da produção acadêmica nacional, com análises que se filiam à correntes teóricas distintas, demonstrando o quão vasto e complexo é o passado escravista brasileiro. Todavia, poucas iniciativas foram feitas no sentido de ouvir e dar espaço à fala aos intelectuais de diferentes gerações que se debruçaram sobre o estudo da escravidão. Por isso, o presente projeto prevê a elaboração de um banco de depoimentos orais com a previsão de 30 horas de entrevista em caráter documental sobre a história da historiografia brasileira da escravidão. A formação deste corpus documental permitirá observar quais foram as principais questões colocadas pela República brasileira sobre a instituição mais longeva da história nacional: a escravidão. O acervo ficará disponível na forma virtual na página do CPDOC e estará aberto para futuros pesquisadores que examinem não só o passado escravista, mas também a formação de parcela significativa da história intelectual do Brasil..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Ynaê Lopes dos Santos - Coordenador / Anna Clara Fonseca - Integrante.Financiador(es): FAPERJ - Auxílio financeiro.
2016 - Atual
Personagens do pós-abolição: trajetórias e sentidos de liberdade no Brasil Republicano
Descrição: A memória é um tema que há muito desperta o interesse das ciências biológicas e humanas. No que diz respeito aos sentidos e significados sociais da memória, diversos estudos têm mostrado o dinamismo do assunto frisando, sobretudo, que estudar a memória é também se debruçar sobre a análise do esquecimento e do silenciamento. Todavia, como pontuado por Michel Pollak, as memórias que foram silenciadas permanecem vivas e, muitas vezes, invadem o espaço público por meio da reinvindicação da memória não-dita ou da memória não oficial. O projeto ?Personagens do pós-abolição: trajetórias, e sentidos de liberdade no Brasil Republicano? pretende trabalhar com sujeitos que, apesar das grandes contribuições para a história republicana do Brasil, tiveram suas vidas e trajetórias silenciadas, esquecidas, ou então não reconhecidas como parte da história dita oficial. Suas trajetórias pessoais marcaram de diferentes formas as primeiras décadas do Brasil República: João Cândido foi o líder da maior revolta da Marinha Brasileira; Juliano Moreira foi o médico responsável por uma verdadeira revolução no tratamento e na interpretação social das doenças mentais no Brasil; Eduardo das Neves tornou-se um dos expoentes da música popular brasileira, responsável por sua difusão bem como pela ampliação dos espaços de luta pela cidadania. Ainda nas artes, Paulo Silva, professor emérito da UFRJ, sagrou-se como um dos grandes nomes na música erudita brasileira. Sua trajetória demonstra como a produção musical do Brasil foi original e diversa. Maria de Lourdes Vale Nascimento foi uma personagem que, assumindo sua condição de mulher negra, lutou pela construção de uma intelectualidade ?de cor?, utilizando escritos jornalísticos como principal meio de afirmação racial e feminina...
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (12) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (1) .
Integrantes: Ynaê Lopes dos Santos - Integrante / Giovana Xavier Côrtes - Integrante / Martha Abreu - Coordenador / Álvaro Nascimento - Integrante / Amilcar Pereira - Integrante / Hebe Mattos - Integrante.
2014 - 2017
África e Brasil: Histórias e entrelaces
Descrição: No ano de 2013 comemorou-se uma década da implementação da Lei 10.639/2003 que previa a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Afro-brasileira nos bancos escolares. Tal medida foi resultante de uma série de fatores, passando pela luta de longa data dos movimentos negros do Brasil, pelo incremento das pesquisas e estudos acadêmicos no que diz respeito à relevância da história africana e de seu legado para a compreensão da história brasileira, além de uma política educacional brasileira que elegeu a diversidade como do dos seus temas norteadores. Nesses dez anos, inúmeros esforços foram feitos no intuito de tornar as histórias africanas e suas reverberações do Brasil um tema que fizesse parte dos conteúdos trabalhados por professores das diferentes disciplinas escolares. Foram muitas as ações realizadas, mostrando que, como pontuado por Pollack, em determinadas ocasiões memórias até então silenciadas ganham voz e força (POLLACK, 1992). No entanto, ainda há muito a ser feito. Os preconceitos, as estereotipias e a ignorância em relação ao tema apontam que essa será uma longa jornada. Infelizmente, questões relativas à cultura afro-brasileira continuam ganhando espaço nas escolas apenas em comemorações cívicas, como o 20 de novembro. Dessa feita, fazendo uso de boa parte do material que foi produzido nos últimos anos (tanto as pesquisas acadêmicas, como os trabalhos que propunham abordagens mais didáticas sobre o tema), o presente projeto pretende elaborar um livro paradidático direcionado para os alunos do Ensino Fundamental II. O objetivo principal desse projeto é construir um material que permita uma aproximação dialógica dos alunos com parte dos conteúdos relativos à História da África para que o tema deixe de ser tratado como uma espécie de parêntesis em meio aos conteúdos trabalhados ao longo do ano, permitindo que alunos e professores possam compreender e analisar os entrelaces das histórias africanas com outras partes do mundo, em especial com o Brasil..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2014 - Atual
O RIO DE VALENTIM. Transformações urbanas e mobilidade social no Rio de Janeiro através da vida e obra de Mestre Valentim (c. 1745-1813)
Descrição: Em 2013 celebraram-se os 200 anos da morte de um dos maiores artista do Brasil: Valentim Fonseca da Silva, o Mestre Valentim. Homem de cor e filho de escrava, Valentim gozou de notório reconhecimento, tendo sido um dos principais responsáveis pela orquestração do espaço urbano da capital colonial. Mentor e executor do primeiro espaço público da América portuguesa (o Passeio Público), o ?Mestre? do Rio também foi autor de chafarizes ? cujos usos tiveram papel crucial na dinâmica social do Rio -, bem como de importantes obras barrocas espalhadas nas muitas cidades cariocas. No entanto, nem mesmo seu trânsito frequente nas casas mais abastadas da capital colonial e o reconhecimento de sua competência pelas maiores autoridades coloniais impediram que o ?Mestre? do Rio morresse pobre e que, duzentos anos depois, sua trajetória ainda fosse pouco conhecida dentre o público geral. As transformações urbanísticas realizadas por esse artista (comparável apenas com Aleijadinho), bem como sua própria trajetória de vida, são testemunhos interessantes para analisar parte das características que fizeram o Rio de Janeiro uma cidade sem igual. Sendo assim, contar a história do ?Rio de Valentim? é uma forma de comemorar duplamente os 450 anos da cidade do Rio de Janeiro. Em primeiro lugar, porque permite o estudo mais aprofundado de um período crucial na história da cidade, marcado por importantes intervenções na sua malha urbana e na sua expansão geográfica e simbólica (já que no intervalo desse projeto, o Rio de Janeiro se transformou em capital colonial e, mais tarde, sede do Império português). Em segundo lugar, porque essa proposta permite o contato com uma personagem ímpar da história do Brasil, que só poderia ter alcançado tamanha notoriedade, na cidade do Rio de Janeiro..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2014 - Atual
À beira do Rio. A escravidão urbana no Rio de Janeiro como ferramenta para o estudo de HIstória, Memória e Ensino de HIstória
Descrição: O principal objetivo desse projeto é criar estratégias de ensino sobre a História do Rio de Janeiro partindo de um sujeito que geralmente fica à margem de questões mais amplas da cidade: o escravo. Uma breve análise sobre a literatura acerca da História do Rio de Janeiro demonstra que o biênio 1888-1889 representa, no geral, uma ruptura nos estudos sobre essa cidade. Salvo raros casos, o passado escravista, pouco honroso, parece não fazer eco nas questões suscitadas a partir da República. Questões fortemente vinculadas à escravidão, como a reformulação urbana de Pereira Passos, a ampliação das linhas de trem para o subúrbio, ou a popularização do samba, fazem leve menção ao legado escravocrata do Rio que parece ficar circunscrito às memórias e monumentos da região do Valongo. Entende-se que Somente com um exame dos espaços de apropriação do cativo e das funções que esses espaços desempenharam no cotidiano escravo é que se poderá redimensionar o peso que a escravidão teve (e tem) na História do Rio de Janeiro. Tal proposta, desenvolvida no âmbito do Programa de Formação de Quadros Profissionais do CPDOC, integra uma agenda de pesquisa mais ampla, que almeja o diálogo entre dois laboratórios da Instituição: o Laboratório de Estudos Urbanos (LEU) e o Laboratório de Ensino de História (LEH). Isso porque, o que se pretende apresentar como produto final dessa pesquisa é o piloto de uma plataforma de informações na qual professores e alunos possam acessar documentos e, principalmente, realizar visitas-guiadas em espaços não rememorados que narrem histórias do Rio de Janeiro a partir da vida de escravos. O primeiro espaço a ser trabalhado será o Jardim Botânico (projeto piloto), seguido da Lagoa Rodrigo de Freitas (que até hoje possui um quilombo em seu entorno), e por fim, a Praça XV ? que antes de ser uma homenagem à República, foi o principal ponto de trabalho dos escravos urbanos do Rio. A ideia é permitir que alunos do ciclo básico consigam resignificar espaços e personagens que durante muito tempo estiveram na beira da História do Rio de Janeiro..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Ynaê Lopes dos Santos - Coordenador.
2012 - 2013
Rosários da Resistência.Religiosidade, escravidão e resistência na Irmandade de Nossa Senhora do Rosário do Rio de Janeiro (séculos XVIII e XIX)
Descrição: O presente projeto pretende analisar como as atuações da Irmandade da Nossa Senhora do Rosário do Rio de Janeiro, entre os séculos XVIII e XIX, também se constituíram como formas de resistência à escravidão no Brasil na medida em que permitiram a recriação de laços de identidade (inclusive africana), solidariedade a compra da alforria de seus membros. Para tanto, além do exame do amplo debate historiográfico sobre o tema e da consulta às fontes já conhecidas, o projeto irá contar com a análise da documentação existente no arquivo da própria Irmandade, boa parte dela desconhecida entre os historiadores, o que permitirá, inclusive, pensar que memória foi construída em torno da irmandade..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (2) .
Integrantes: Ynaê Lopes dos Santos - Coordenador.Financiador(es): Universidade Estácio de Sá - Bolsa.Número de orientações: 4
2010 - Atual
Paisagens da cafeicultura escravista nas Américas, c.1760-1880
Descrição: Descrição: O projeto de pesquisa se articula a duas investigações mais amplas desenvolvidas entre 2005 e 2009. Na primeira delas, que contou com uma Research Collaborative Grant da Getty Foundation, pesquisei em parceria com colegas estrangeiros a paisagem e a arquitetura das plantations de três zonas agrícolas que se destacaram no mercado mundial do século XIX pelo dinamismo de suas economias escravistas: o Baixo Vale do rio Mississippi, nos Estados Unidos (maior região produtora de algodão em meados do século XIX), o ocidente da ilha de Cuba (idem, para o açúcar) e o Vale do rio Paraíba do Sul, no Brasil (idem, para o café). A segunda investigação foi elaborada no âmbito do Projeto Temático FAPESP Fundação do Estado e da Nação Brasil, 1790-1850. O trabalho aí desenvolvido tratou da política da escravidão no Brasil e em Cuba na primeira metade do século XIX, abordando uma face da construção da ordem escravista nesses dois espaços que foi pouco contemplada no projeto sobre a paisagem e a arquitetura das plantations. O objetivo principal do presente projeto é dar prosseguimento ao caminho inaugurado em 2005, articulando as dimensões da cultura material e da cultura política da escravidão atlântica. A nova pesquisa verticalizará a análise do objeto investigado no primeiro dos dois projetos acima mencionados, ao mesmo tempo em que estenderei seu arco temporal e espacial. Pretendo, noutros termos, examinar a paisagem e a arquitetura das plantations escravistas de café americanas em um período que compreende de meados do século XVIII ao término da escravidão no Brasil...
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (4) / Doutorado: (5) .
Integrantes: Ynaê Lopes dos Santos - Coordenador / Rafael de Bivar Marquese - Integrante / Tamis Parron - Integrante / Waldomiro Lourenço da Silva Jr. - Integrante / Carlos Almedia Bacellar - Integrante / Ricardo Salles - Integrante / Alain El Youssef - Integrante / Renata Romualdo Diório - Integrante.
2008 - 2009
?DUAS IRMÃS? DO ATLÂNTICO
Descrição: O presente projeto pretende fazer um exame sobre a vida escrava no espaço urbano por meio de um estudo comparado entre Rio de Janeiro e Havana durante os anos de 1790 e 1850, período no qual as duas cidades tiveram suas maiores populações escravas das Américas. A base documental dessa pesquisa consiste na análise de diferentes fontes encontradas na Biblioteca Nacional, tanto no que diz respeito ao Rio de Janeiro como Havana. Espera-se que, aliada à leitura crítica da bibliografia consagrada sobre o tema, essa análise documental permita destrinchar parte da dinâmica da vida escrava no mundo urbano..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2016 - Atual
Educação e inovação: desenvolvendo novas formas de ensinar ciências sociais e história
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.


Outros Projetos


2015 - 2018
Projeto Pibid 2013-FGV
Descrição: Coordenadora institucional do projeto desenvolvido no âmbito do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (Pibid), no curso de licenciatura de História da Escola Superior de Ciências Sociais da Fundação Getulio Vargas. O Projeto Pibid 2013 - FGV foi aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) por meio do Edital nº 61 /2013 e envolve bolsistas de iniciação à docência da licenciatura de História da FGV e um bolsista supervisor, professor de história do Colégio Estadual Amaro Cavalcanti, colégio no qual o projeto está sendo desenvolvido. Informações podem ser obtidas em http://pibid.cpdoc.fgv.br. Exerci a função de coordenadora institucional do Pibid FGV até fevereiro de 2015, encerrando meu envolvimento no projeto, que, contudo, continua em andamento na Escola de Ciências Sociais da FGV.
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Ynaê Lopes dos Santos - Coordenador.


Membro de corpo editorial


2018 - Atual
Periódico: ESTUDOS HISTORICOS (RIO DE JANEIRO)
2017 - Atual
Periódico: MOSAICO (RIO DE JANEIRO)


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da América.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da Escravidão nas Américas.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História do Brasil/Especialidade: História do Brasil Império.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História / Subárea: História da África.
5.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Educação.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.
Francês
Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Prêmios e títulos


2018
Paraninfa dos Formandos da Licenciatura em História da Escola Superior de Ciências Sociais da Fundação Getulio Vargas, Fundação Getúlio Vargas.
2018
3º Lugar no Concurso Público para Professora de História das Américas séculos XIX e XX - UFRJ, Universidade Federal do Rio de Janeiro.
2018
Jovem Cientista do Nosso Estados 2018, FAPERJ.
2017
Professora Homenageada dos Formandos da Escola de Ciências Sociais da Fundação Getúlio Vargas, Fundação Getúlio Vargas.
2014
2º lugar no Concurso Público para professor de História da América Colonial, Universidade Federal do Rio de Janeiro.
2003
Menção Honrosa pela Participação no 11o. SIICUSP - Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP, Universidade de São Paulo.
2001
Destaque de Mesa do 9o. SIICUSP, Universidade de São Paulo.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
LOPES DOS SANTOS, YNAÊ2017 LOPES DOS SANTOS, YNAÊ. La Habana Bourbônica. Reforma ilustrada e escravidão em Havana (1763-1790). REVISTA DE INDIAS, v. 77, p. 81-113, 2017.

2.
SANTOS, Y. L.2017SANTOS, Y. L.. Urban Slavery as a Scenario? A Critical examination of the Historiography of Urban Slavery in Rio de Janeiro and Havana. LANDA, v. 5, p. 532-561, 2017.

3.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS2016 SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Na tecitura do Urbano: Rio de Janeiro e Havana na trama da escravidão (1816-1821). Almanack, v. 1, p. 105-128, 2016.

4.
SANTOS, Y. L.2016SANTOS, Y. L.. A Havana de Vives Escravidão e vadiagem na dinâmica urbana da capital cubana (1823-1832). Revista Eletrônica da ANPHLAC, v. 20, p. 27-47, 2016.

5.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS2016SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Cowling, Camillia. Conceiving Freedom: Women of Color, Gender, and the Abolition of Slavery in Havana and Rio de Janeiro. REVISTA BRASILEIRA DE HISTÓRIA (IMPRESSO), v. 36, p. 225-228, 2016.

6.
SANTOS, Y. L.;SANTOS, YNAÊ LOPES DOS;LOPES DOS SANTOS, YNAÊ2015SANTOS, Y. L.. Que lancem todos os dias os nomes, empregos e mais sinais: circulação escrava e tentativas de controle estatal nas leis municipal do Rio de Janeiro e de Havana na década de 1830. Revista do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, v. 9, p. 31, 2015.

7.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS2015SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Histórias do silêncio no cabildo Carabali Vivi em Santiago de Cuba. AFROASIA, v. 51, p. 277-282, 2015.

8.
SANTOS, Y. L.;SANTOS, YNAÊ LOPES DOS;LOPES DOS SANTOS, YNAÊ2013SANTOS, Y. L.. Tornar-se corte: trabalho escravo e espaço urbano no Rio de Janeiro (1808-1815). Revista de História Comparada (UFRJ), v. 7, p. 262-292, 2013.

9.
SANTOS, Y. L.;SANTOS, YNAÊ LOPES DOS;LOPES DOS SANTOS, YNAÊ2010SANTOS, Y. L.. Escravidão, moradia e resistência. A prática do morar sobre si no Rio de Janeiro (1831-1840). Nuevo Mundo-Mundos Nuevos, v. 1, p. 1-14, 2010.

10.
SANTOS, Y. L.;SANTOS, YNAÊ LOPES DOS;LOPES DOS SANTOS, YNAÊ2009SANTOS, Y. L.. A Escravidão e a Corte: autonomia escrava e controle estatal no Rio de Janeiro Joanino (1808-1821). Cadernos de história (UFOP. Mariana), v. 1, p. 19-31, 2009.

11.
SANTOS, Y. L.;SANTOS, YNAÊ LOPES DOS;LOPES DOS SANTOS, YNAÊ2007SANTOS, Y. L.. Autonomia Escrava na Formação do Estado nacional brasileiro: o caso do morar sobre si no Rio de Janeiro. Almanack Braziliense, v. 6, p. 101-113, 2007.

12.
SANTOS, Y. L.;SANTOS, YNAÊ LOPES DOS;LOPES DOS SANTOS, YNAÊ2002SANTOS, Y. L.. Pensando sobre a África. Klepsidra / Revista Virtual de História, v. 7, p. 8, 2002.

13.
SANTOS, Y. L.;SANTOS, YNAÊ LOPES DOS;LOPES DOS SANTOS, YNAÊ2001SANTOS, Y. L.. A Reforma. Klepsidra. Revista Virtual de História, 2001.

14.
SANTOS, Y. L.;SANTOS, YNAÊ LOPES DOS;LOPES DOS SANTOS, YNAÊ2000SANTOS, Y. L.; SILVA, A. C. V. ; SCHWARCZ, J. ; WINTER, M. C. ; LANDULFO, M. ; PINTO, T. C. T. . Euclides da Cunha, Os Sertões e Canudos. Klepsidra. Revista Virtual de História, 2000.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. História da África e do Brasil Afrodescendente. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora Pallas/ FAPERJ, 2017. v. 1. 408p .

2.
SANTOS, Y. L.; PEREIRA, L. . Licenciatura em História da África. 1. ed. Rio de Janeiro: PUC-Rio, MEC, UERJ, 2011. v. 1. 162p .

3.
SANTOS, Y. L.. Além da Senzala. Arranjos escravos de moradia no Rio de Janeiro (1808-1850). São Paulo: HUCITEC, 2010. v. 1. 178p .

Capítulos de livros publicados
1.
SANTOS, Y. L.. Por um Brasil Africano. Sobre a importância em se pensar e educar o Brasil a partir de sua herança africana: o caso de Palmares. In: SIlva, Maria; Faris, Marcio; Ocariz, Maria; Neo, Augusto.. (Org.). Violência e Sociedade. O racismo como estruturante da sociedade e da subjetividade do povo brasileiro. 1ed.São Paulo: Editora Escuta Eireli-ME, 2018, v. 1, p. 29-48.

2.
SANTOS, Y. L.. Iluminismo e escravidão urbana no vice-reino do Brasil. Rio de Janeiro (1763-1790). In: Solimar Oliveira Lima, Rodrigo Caetano Silva. (Org.). Do Norte ao Sul: escravidão. Brasil, séc XVI -séc. XIX. 1ed.Teresina: EDUFPI, 2018, v. 1, p. 463-483.

3.
SANTOS, Y. L.. The walled Havana: walls, urban space and slavery in Havana (1762-1812). In: FREIRE-MEDEIROS, Bianca; O´DONNELL, Julia. (Org.). Urban Latin America: Images, Words, Flows and the Built Environment. 1ed.New York: Routledge, 2018, v. 1, p. 175-189.

4.
SANTOS, Y. L.. O feminismo negro como um lugar de pertença e aprendizado. In: MAGALHÃES, Livia. (Org.). Lugar de Mulher: Feminismo e Política no Brasil. 1ed.Rio de Janeiro: Editora Oficina, 2017, v. 1, p. 42-61.

5.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Ah, isso sim é África! Estereótipos e novas abordagens de histórias africanas no Ensino Fundamental. In: Giovana Xavier. (Org.). Histórias da escravidão e do pós-abolição para as escolas. 1ed.Cachoeira/ Rio de Janeiro: Ed. UFRB/ Fino Traço, 2015, v. 1, p. 149-164.

6.
SANTOS, Y. L.. Viver na Rua, viver a rua: usos e práticas da moradia escrava na Guanabara oitocentista. In: Mariza Soares e Nielson Bezerra. (Org.). Escravidão Africana no Recôncavo da Guanabara (séculos XVII-XIX). 1ed.Rio de Janeiro: Editora da UFF, 2011, v. , p. 85-100.

7.
SANTOS, Y. L.. Duas irmãs do Atlântico. Pesquisa na Biblioteca Nacional. 1ed.Rio de Janeiro: Ministério da Cultura, 2010, v. 1, p. 153-171.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
SANTOS, Y. L.. A escravidão das ruas. HIstória Viva, São Paulo, p. 64 - 69, 01 set. 2010.

2.
SANTOS, Y. L.. O Mercado de Homens. História Viva, São Paulo, p. 46 - 47, 25 mar. 2009.

3.
SANTOS, Y. L.. Moradias da Resistência. Leituras da História, São Paulo, p. 26 - 26, 01 ago. 2008.

4.
SANTOS, Y. L.. Zumbi dos Palmares. Revista Caros Amigos, São Paulo, p. 3 - 17.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
SANTOS, Y. L.. Arranjos Escravos de moradia sob o olhar dos viajantes. Um estudo sobre a Moradia Escrava na Cidade do Rio de Janeiro do século XIX. In: XVII Encontro Regional de História - O Lugar da História, 2004, Campinas. Anais do XVII Encontro Regional de História - O Lugar da História, 2004.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
SANTOS, Y. L.. Arranjos Escravos de Moradia no Rio de Janeiro (1808-1850). In: III Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional, 2007, Florianópolis. Caderno de Resumo do III Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional. São Leopoldo: OIKOS Editora, 2007. v. 1. p. 81-82.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
SANTOS, Y. L.. Escravidão urbana no Mundo Altântico - um exame historiográfico sobre Rio de Janeiro e Havana (c.1790-1850). In: IV Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional, 2009, Curitiba. IV Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional. Rio de Janeiro: Apicuri, 2009. v. 1. p. 91-91.

2.
SANTOS, Y. L.. Desvitimar para HUmanizar. Escravidão e agência escrava na sala de aula. In: V Congresso Brasileiro de Pesquisadores/as Negros/as, 2008, Goiânia. Caderno de Resumos do V Congresso Brasileiro de Pesquisadores/as Negros/as. Pensamento negro e anti-racismo. Diferenciações e percursos. Goiânia: Editora da UCG, 2008. v. 1. p. 80-80.

3.
SANTOS, Y. L.. "As Duas Irmãs do Atlântico": escravidão urbana no Rio de Janeiro e Havana no debate historiográfico. In: XIX Encontro Regional de História, 2008, São Paulo. Poder, violência e exclusão. São Paulo: Associação Nacional de História Seção São Paulo, 2008. v. 1. p. 317-317.

4.
SANTOS, Y. L.. As duas irmãs do Atlântico: escravidão urbana no Rio de Janeiro e Havana no dabte historiográfico. In: XIX Encontro Regional de História - ANPUH São Paulo, 2008, São Paulo. Poder, violência e exclusão.. São PAulo: ANPUH - São Paulo, 2008. v. 1. p. 317-317.

5.
SANTOS, Y. L.. Morar sobre si: a presença do Estado e a materialidade da vida escrava. In: I seminário Dimensões da POlítica na História: Estado, Nação, Império, 2007, Juiz de Fora. Caderno de Resumo e Programação. Juiz de Fora: Cliodel, 2007. v. 1. p. 40-40.

6.
SANTOS, Y. L.. Escravidão e Agência na sala de aula. In: Seminário Internacional Fábrica de Idéias: 10 anos de experiência, 2007, Salvador. Livro de Resumos - Seminário Internacional Fábrica de Idéias: 10 anos de experiência, 2007.

7.
SANTOS, Y. L.. A Literatura como ferramenta da História da África. In: III Encontro de Professores de Literaturas Africanas: Pensando África - Crítica, Ensino e Pesquisa, 2007, Rio de Janeiro. II Encontro de Professores de Literaturas Africanas: Pensando África - Crítica, Ensino e Pesquisa - Programação e Caderno de Resumos, 2007. v. 1. p. 100-100.

8.
SANTOS, Y. L.. Arranjos escravos de moradia. Escravidão urbana no Rio de Janeiro séc. XIX. In: 11o. Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP, 2003, São Paulo. 11o. Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP. São Paulo, 2003.

9.
SANTOS, Y. L.; NAVEIRA, O. P. ; WINTER, M. C. ; LANDULFO, M. . Morar sob o cativeiro: moradia escrava no Brasil (século XIX). In: 10o. Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP, 2002, São Paulo. 10o. Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP. São Paulo, 2002.

10.
SANTOS, Y. L.; WINTER, M. C. ; LANDULFO, M. ; NAVEIRA, O. P. . Morar sob o cativeiro: moradia escrava e controle social no Brasil. In: 9o. Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP, 2001, Sâo Paulo. 9o. Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP. São Paulo, 2001.

11.
SANTOS, Y. L.; WINTER, M. C. ; LANDULFO, M. . Morar sob o cativeiro: moradia escrava e controle social no Brasil. In: 8o. Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP, 2000, São Paulo. 8o. Simpósio Internacional de Iniciaçao Cinetífica da USP. São Paulo, 2000.

Apresentações de Trabalho
1.
SANTOS, Y. L.. Formas da História: outros olhares sobre a cidade e seus entornos. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Um Olhar Histórico sobre a discriminação Racial no Brasil. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Gênero, Raça e Classe a História do Rio de Janeiro. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
SANTOS, Y. L.. Autonomia escrava e identidade étnico racial no mundo citadino: o caso do Rio de Janeiro e Havana no século XIX. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
SANTOS, Y. L.. Escravidão no Brasil Ontem e Hoje. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
SANTOS, Y. L.. Estudo da Escravidão e o Ofício do Historiador. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
SANTOS, Y. L.; PEREIRA, A. . Revirando o chão da escola: por uma educação antirracista. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

8.
SANTOS, Y. L.. O Racismo como estranhamento. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

9.
SANTOS, Y. L.. Na corte, a serviço do imperador: O uso de escravos urbanos pelo Estado brasileiro no Rio de Janeiro oitocentista. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

10.
SANTOS, Y. L.. A Questão estética e as diferentes formas de Habitar: o Caso do Rio de Janeiro. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

11.
SANTOS, Y. L.. Como ensinar? Currículo e Ensino de História no Ensino Fundamental II. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

12.
SANTOS, Y. L.. The legacy of African slavery in Brazil. A historical and cultural overview. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

13.
SANTOS, Y. L.. No Jardim dos escravos. Histórias e (não) memórias dos escravos do jardim Botânico. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

14.
SANTOS, Y. L.. Invisible Workes, Slaves and the construction of the urban net-work of Rio de Janeiro and Havana in 19th Century. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

15.
SANTOS, Y. L.. Cidades escravistas: cenários de biografias escravas. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

16.
SANTOS, Y. L.. A África e o longo século XIX. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

17.
SANTOS, Y. L.. O racismo no Brasil República. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

18.
SANTOS, Y. L.. URBAN SLAVERY AS PLOT? The construction of the history of urban slavery in Rio de Janeiro and Havana. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

19.
SANTOS, Y. L.. When the problem is the solution: a brief course of studies of urban slavery in Brazil. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

20.
SANTOS, Y. L.. Memórias da Pequena África: diálogos com o Brasil. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

21.
SANTOS, Y. L.. La Habana Lucumí. Raça, escravidão e práticas lucumís em Havana (1812-1841). 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

22.
SANTOS, Y. L.. Os donos da rua! Trabalho de ganho no Rio de Janeiro e em Havana (século XIX). 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

23.
SANTOS, Y. L.. População negra e sua história no centro do Rio de Janeiro. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

24.
SANTOS, Y. L.. Housing, Autonomy and the City: Urban Slavery in Rio de Janeiro and the Practice of Slave Living on their Own (1808-1850). 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

25.
SANTOS, Y. L.. Escravidão urbana no mundo Atlântico - um exame historiográfico sobre Rio de Janeiro e Havana (c.1790-1850). 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

26.
SANTOS, Y. L.. The two Atlantic sisters: slavery and urban space in Rio de Janeiro and Havana (c.1790-1850).. 2009. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

27.
SANTOS, Y. L.. ESCRAVIDÃO URBANA NO CONTEXTO ATLÂNTICO. Rio de Janeiro e Havana sob o olhar historiográfico. 2008. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

28.
SANTOS, Y. L.. Desvitimar para Humanizar. Escravidão e Agência escrava na sala de aula. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

29.
SANTOS, Y. L.. O cativeiro urbano no Rio de Janeiro e em Havana. 2008. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

30.
SANTOS, Y. L.. A escravidão negociada. O caso dos arranjos escravos de moradia no Rio de Janeiro Oitocentista.. 2008. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

31.
SANTOS, Y. L.. As duas irmãs do Atlântico: escravidão urbana no Rio de Janeiro e Havana no debate historiográfico. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

32.
SANTOS, Y. L.. THE SPACIALITY OF URBAN SLAVERY. Rio de Janeiro and Havana in the Atlantic Context (c. 1790-1850).. 2008. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

33.
SANTOS, Y. L.. Escravidão e Agência em sala de aula. 2007. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

34.
SANTOS, Y. L.. Morar sobre si: a presença do Estado e a materialidade da vida escrava.. 2007. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

35.
SANTOS, Y. L.. Arranjos Escravos de Moradia no Rio de Janeiro (1808-1850). 2007. (Apresentação de Trabalho/Outra).

36.
SANTOS, Y. L.. Arranjos escravos de moradia sob o olhar dos viajantes. Um estudo sobre a Moradia Escrava na Cidade do Rio de Janeiro do século XIX. 2004. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

37.
SANTOS, Y. L.. Morar sob o Cativeiro: Moradia Escrava no Brasil (século XIX). 2002. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

38.
SANTOS, Y. L.. Morar sob o cativeiro: moradia escrava e controle social no Brasil. 2001. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

39.
SANTOS, Y. L.. Morar sob o cativeiro: moradia escrava e controle social no Brasil. 2000. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

Outras produções bibliográficas
1.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Conceiving Freedom: Women of Color, Gender, and the Abolition of Slavery in Havana and Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Rev. Bras. Hist. vol.36 no.72 São Paulo May./Aug. 2016 Epub Aug 18, 2016, 2016 (Resenha).

2.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. HISTÓRIAS DO SILÊNCIO NO CABILDO CARABALÍ VIVÍ DE SANTIGO DE CUBA. Salvador: Revista Afro Asia nº 51, 2016 (Resenha).

3.
SANTOS, Y. L.. Quando a Ilha era a cidade. Alejandro de la Fuente: Havana and Atlantic in the Sixteenth Century.. Brasília: Revista Brasileira do Caribe. Revista do Centro de Estudos do Caribe no Brasil, 2009 (Resenha).

4.
SANTOS, Y. L.. ABC da MPB/ A Descoberta/ Gambito/ Ai de ti, Tietê / Brique-book com as crianças na cozinha/ Lampião e Maria Bonita. O rei e a rainha do Cangaço/ A orquestra tintim por tintim/ O casaco encantado/ O dragão de Wawel/ O Jogo da parlenda/ Coleção Virando Onça/ Pequena viagem pelo mundo da pintura/ Pequena viagem pelo mundo do teatro. Rio de Janeiro: FNLIJ, 2006 (Resenha).

5.
SANTOS, Y. L.. Coleção - A Luta de Cada Um: Chico Mendes/ Irmã Dulce/Luiz Gama/ Pagu/ Zumbi dos Palmares. Rio de Janeiro: FNLIJ, 2006 (Resenha).

6.
SANTOS, Y. L.. A História que trai a História 2001 (Editorial).

7.
SANTOS, Y. L.. Evolução Política do Brasil - Caio Prado Júnior (resenha) 2001 (Resenha).

8.
SANTOS, Y. L.. Raízes do Brasil - Sérgio Buarque de Holanda (resenha) 2000 (Resenha).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Parecer ad hoc para a Revista Brasileira de Política Internacional. 2018.

2.
SANTOS, Y. L.. Parecer ad hoc Revista Mosaico. 2017.

3.
SANTOS, Y. L.. Parecer ad hoc Revista Civitas. 2017.

4.
SANTOS, Y. L.. Parecer ad hoc revista de História USP. 2017.

5.
SANTOS, Y. L.. Parecer ad hoc Revista Tempo Social. 2017.

6.
SANTOS, Y. L.. Parecerista Ad hoc Revista Brasileira de História. 2016.

7.
SANTOS, Y. L.. Parecerista Ad hoc da Revista de Estudos HIstóricos. 2016.

8.
SANTOS, Y. L.. Parecerista Ad hoc da Revista Estudos Econômicos. 2016.

9.
SANTOS, Y. L.. Parecerista Ad hoc Revista Almanack. 2015.

10.
SANTOS, Y. L.. Parecerista Ad hoc Revista Estudos Históricos. 2015.

11.
SANTOS, Y. L.. Parecerista ad hc da Revista Estudos Históricos. 2014.

12.
SANTOS, Y. L.. Parecerista ad hoc da Revista ANIMA (PUC-Rio). 2013.

Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
SANTOS, Y. L.. 1/3 das Universidades Federais tem denúncia em Cota Racial. 2018. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

2.
SANTOS, Y. L.. Alegorias do Brasil. 2018.

3.
SANTOS, Y. L.. 130 Anos pós Abolição. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

4.
SANTOS, Y. L.. Histórias do Pós-Abolição - 130 Anos da Abolição. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

5.
SANTOS, Y. L.. Desigualdade Social sobreviveu à Lei Áurea. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

6.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Desigualdade Racial sobreviveu à assinatura da Lei Áurea. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

7.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Crivella veta Lei que declara Quilombo da Pedra do Sal Patrimônio. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

8.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. 5 Livros para refletir o sentido da escravidão no Brasil. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

9.
SANTOS, Y. L.. Representatividade em sala de Aula. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

10.
SANTOS, Y. L.. Cultne DOC - Histórias do Pós Abolição - Ynaê Lopes dos Santos. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

11.
SANTOS, Y. L.. Centenário de Nelson Mandela. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

12.
SANTOS, Y. L.. O avesso da história: da África ao Brasil afrodescendente. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

13.
SANTOS, Y. L.. MENU ELEIÇÕES 2018 Percentual de candidatos negros cresce, mas segue abaixo da proporção da população. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

14.
SANTOS, Y. L.; NASCIMENTO, A. . EducAção - Heróis negros que não estão nos livros de História. 2018.

15.
SANTOS, Y. L.. Livros didáticos não tratam História africana no Brasil além da escravidão. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

16.
SANTOS, Y. L.. Entrevista para Bate papo FGV-Sociedade: Racismo no Brasil. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

17.
SANTOS, Y. L.. Brazilians defining themselves as black has grown 15%; while pretos and pardos are considered black, pretos are those defining themselves as simply black. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

18.
SANTOS, Y. L.. Nº de pessoas no País que se declara preta ou parda cresce 14,9%. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

19.
SANTOS, Y. L.. 451 anos do Rio de Janeiro. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

20.
SANTOS, Y. L.. Conexão Futura: Racismo. 2016.

21.
SANTOS, Y. L.. ?O Brasil vive sob o mito da democracia racial? Fonte: Último Segundo - iG @ http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2016-10-02/democracia-racial-brasil.html. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

22.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Racismo no Esporte. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

23.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Escravidão nas Américas. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

24.
SANTOS, Y. L.. História Cartográfica do Rio. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

25.
SANTOS, Y. L.. Fala, Doutor - Ynaê Lopes dos Santos: As Irmãs do Atlântico. 2012.

26.
SANTOS, Y. L.; PALMARES, G. . Abolição: 120 anos depois.. 2008. (Programa de rádio ou TV/Mesa redonda).

27.
SANTOS, Y. L.. Além da Senzala. Arranjos Escravos de Moradia no Rio de Janeiro 1808-1850. 2007. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

Redes sociais, websites e blogs
1.
SANTOS, Y. L.. Sobre calar e escutar frente ao racismo. 2016; Tema: Racismo no Brasil. (Blog).


Demais tipos de produção técnica
1.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS; LIMONCIC, F. ; NERY, T. ; VELASCOS, P. . Revolução nas Américas: Americana, Haitiana, Venezuelana e Cubana. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS; PEREIRA, A. . Martin Luther King Jr . e Nelson Mandela: a Luta pela Liberdade. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Relatório Final de Atividades PIBID HIstória -FGV. 2018. (Relatório de pesquisa).

4.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Black Lives Matter: o Movimento Negro Hoje. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

5.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Relatório de Atividades PIBID HIstória -FGV. 2017. (Relatório de pesquisa).

6.
LOPES DOS SANTOS, YNAÊ. Pelos Caminhos do Rio: o Rio africano. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

7.
SANTOS, Y. L.. História das Relações Étnico Raciais no Brasil. 2016. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).

8.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Relatório de Atividades PIBID HIstória -FGV. 2016. (Relatório de pesquisa).

9.
SANTOS, Y. L.. Cultura Africa e História do Brasil. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

10.
SANTOS, Y. L.. Curso de História da África Pré Colonial on line. 2013. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).

11.
SANTOS, Y. L.. Curso de História da África Pré Colonial on line. 2013. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).

12.
SANTOS, Y. L.. Presença Africana no Brasil: História e Cultura. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

13.
SANTOS, Y. L.. Curso de História dos Povos Indígenas e Afrodescedentes on line. 2012. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).

14.
SANTOS, Y. L.. Curso de História dos Povos Indígenas e Afrodescedentes on line. 2012. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).

15.
SANTOS, Y. L.; SILVA, Rodrigo . Memória da Cidade: História e patrimônio urbano no Brasil. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

16.
SANTOS, Y. L.. A História Popular do Negro no Brasil através dos Movimentos e Lutas Sociais - O Candomblé como Resistência do Negro no Brasil Escravista. 2011. .

17.
SANTOS, Y. L.. Evolução Urbana do Rio de Janeiro - Séculos XVI-XIX. 2011. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - Material Didático).

18.
SANTOS, Y. L.; PEREIRA, L. . Curso de História da África on line. 2011. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).

19.
SANTOS, Y. L.; PEREIRA, L. . Curso de História da África on line. 2011. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).

20.
SANTOS, Y. L.. Evolução Urbana do Rio de Janeiro - Séculos XVI-XIX. 2011. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).

21.
SANTOS, Y. L.. A História Popular do Negro no Brasil através dos Movimentos e Lutas Sociais - O Candomblé como Resistência do Negro no Brasil Escravista. 2009. .

22.
SANTOS, Y. L.. Escravidão Urbana. 2009. (Entrevista).

23.
SANTOS, Y. L.. Entrevista: Ynaê Lopes dos Santos. 2009. (Entrevista).

24.
SANTOS, Y. L.. História e Cultura Indígena e Afro-Brasileira - Religiosidade Negra: Da África ao Brasil. 2008. .

25.
SANTOS, Y. L.; CORTES, G. X. . Entre Fontes e Experiências: Apontamentos sobre o trabalho co História e Culturas Negras no Brasil,. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

26.
SANTOS, Y. L.. História e Cultura Indígena e Afro-Brasileira - Religiosidade Negra: Da África ao Brasil. 2008. .

27.
SANTOS, Y. L.; CORTES, G. X. . Entre Fontes e Experiências: Apontamentos sobre o trabalho co História e Culturas Negras no Brasil. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

28.
SANTOS, Y. L.. O outro lado de 1808. 2008. (Entrevista).

29.
SANTOS, Y. L.. Variações marcaram moradias de escravos urbanos. 2007. (Entrevista).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
SANTOS, Y. L.. Participação em banca de Adriana Rosa de Souza. A participação da família negra na experiência da criança e do adolescente escola: uma perspectiva sobre racismo institucional. 2018. Dissertação (Mestrado em Educação, Cultura e Comunicação) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

2.
SANTOS, Y. L.; PANDOLFI, D.; SANTOS, M. C. R.; OLIVEIRA, L. M. L.. Participação em banca de Maria Rita Dias de Almeida Fernandes. Meu Bloco na Rua: Barbas, Simpatia e Suvaco na retomada do Carnaval de Rua da Zona Sul do Rio de Janeiro. 2017. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

3.
SANTOS, Y. L.; HEYMANN, L. Q.; SANTOS, M. C. R.. Participação em banca de Luciana Mota da Cruz. Baile Charme de Madureira sob a legitimação de patrimônio cultural carioca de natureza imaterial. 2017. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

4.
ALBERTI, V.; ANASTASSAKIS, Z.; SANTOS, Y. L.. Participação em banca de Gianne Regina Conceição dos Santos. #SOUPAVULAGEM: a relação entre o arraial do pavulagem (Belém-PA), tradição e representação social na internet. 2017. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

5.
SANTOS, Y. L.; ALBERTI, V.; SALLES, R.; MATTOS, M. A. V. L.. Participação em banca de Daniel Gandra. A Era Negra do Vale: café, escravos e senhores em Piraí. 2016. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

Qualificações de Doutorado
1.
SANTOS, Y. L.; HOLLANDA, B. B.; GUEDES, S. L.. Participação em banca de Isabella Trindade Menezes. Entre o Sonho e a Exériência: ascensão, reconhecimento social e projetos de formação de jogadores de futebol no Rio de Janeiro. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

2.
SANTOS, Y. L.; FONTES, P. R. R.; GINO, A. L.. Participação em banca de João Henrique de Oliveira Christovão. Trabalhadores do Sal: organização sindical e lutas sociais nas salinas cabo-frienses 1940-1970. 2017. Exame de qualificação (Doutorando em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

Qualificações de Mestrado
1.
SANTOS, Y. L.; SANTOS, S. B.; VIEIRA, A. L. C.; SILVA, A. L.. Participação em banca de Adriana Rosa de Souza. A participação da família negra na experiência da criança e do adolescente na escola: uma perspectiva sobre racismo institucional na educação. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em Educação, Cultura e Comunicação) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

2.
SANTOS, Y. L.; SILVA, D. P.; COSTA, A. D.. Participação em banca de Ana Lucia Ferreira de Mattos. Rompendo Mordaças e Muros: a obra de Lima barreto nas Aulas de História. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

3.
SILVA, A. M. D.; SANTOS, Y. L.; HEYMANN, L. Q.; SANTOS, M. S.. Participação em banca de Diogo da Silva Nogueira. Espaços museológicos e escolas de samba: uma análise das exposições na década de 1990. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

4.
SANTOS, Y. L.; MAIA, J. M. E.; PAULLETO, L. B. S.. Participação em banca de Daniele da Mata Ramalho. África Diversa: lugares de Memória da Herança africana e políticas públicas para a memória e História da Escravidão. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

5.
SANTOS, Y. L.; ALBERTI, V.; SANTOS, N.. Participação em banca de Leila Sales dantas. O Samba Urbano Contemporâneo e sua desafricanização. Um estudo sobre as transformações do samba no bairro da lapa entre os anos de 2000 a 2017. 2017. Exame de qualificação (Mestrando em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

6.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS; PANDOLFI, D. C.; SILVA, A. M. D.; SANTOS, M. C. R.. Participação em banca de Maria Rita Dias de Almeida Fernandes. Barbas, Simpatia e Suvaco: A história da retomada do carnaval de Rua na Zona Sul do Rio de Janeiro na década de 1980. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

7.
SANTOS, Y. L.; SILVA, A. M. D.; ANASTASSAKIS, Z.. Participação em banca de Gianne regina Conceição dos Santos. #SOUPAVULAGEM: A Memória como instrumento de representação social na internet. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

8.
SANTOS, Y. L.; HEYMANN, L. Q.; SANTOS, M. C. R.. Participação em banca de Luciana Mota da Cruz. Baile Charme de Madureira sob a legitimação de patrimônio cultural carioca de natureza imaterial. 2016. Exame de qualificação (Mestrando em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

9.
SANTOS, Y. L.; SALLES, R.; ALBERTI, V.; FONTES, P.. Participação em banca de Daniel Nogueira Gandra. A Era Negra do VAle: Café, escravos e senhores em Piraí. 2015. Exame de qualificação (Mestrando em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
SANTOS, Y. L.; FARIAS, J.; CORTES, G. X.. Participação em banca de Evelyn Lucena.Representações de escravas africanas em ocupações de venda nos anúncios de fuga do Diário do Rio de Janeiro no século XIX. 2015. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História) - Universidade Federal do Rio de Janeiro.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Concurso público
1.
SANTOS, Y. L.; ANDRADE, E.; MAUL, R.; SALIM, M. A. A.; RODRIGUES, J. R. S.. Banca de Concurso Público e Provas de Títulos na Área de Ensino de HIstória e Estágio Supervisionado em HIstória. 2015. Universidade Federal Fluminense.

Outras participações
1.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS; GRIJO, M.; HOLANDA, B. B.. Banca de Seleção de Mestrado Profissional em História, Política e Bens Culturais - CPDOC 2016. 2017. Fundação Getúlio Vargas.

2.
SANTOS, Y. L.; FREIRE, A.; GRIJO, M.. Banca de Seleção de Mestrado Profissional em História, Política e Bens Culturais - CPDOC 2016. 2015. Fundação Getúlio Vargas.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
70a Reunião Anula da SBPC.Escravidão no Brasil Ontem e Hoje. 2018. (Outra).

2.
II Seminário Internacional Histórias do Pós Abolição do Mundo Atlântico.Mulheres Negras: Gênero, trabalho e mobilidade social na escravidão e no Pós Abolição. 2018. (Seminário).

3.
XIV Congresso Internacional da Associação de Estudos Brasileiros (BRASA). Autonomia escrava e identidade étnico racial no mundo citadino: o caso do Rio de Janeiro e Havana no século XIX. 2018. (Congresso).

4.
5º Seminário Fluminense de Pós Graduação em História.Ensino de Historiadores. 2017. (Seminário).

5.
Evento 20 de Novembro Imperator e casa do Saber.Racismo estruturante no Brasil. 2017. (Outra).

6.
Quilombo, Favela, Rua: o racismo que estrutura o Brasil.Quilombo, Favela, Rua: o racismo que estrutura o Brasil. 2017. (Outra).

7.
Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro.Racismo no Brasil República. 2017. (Outra).

8.
XXII Jornada de Estudos Históricos Professor Manoel Salgado.Gênero e Raça no Brasil. 2017. (Outra).

9.
A Base Nacional Curricular Comum em Debate.Uma análise crítica sobre a proposta da Base Nacional Curricular Comum. 2016. (Encontro).

10.
Aula Inaugural para o 3º período da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Santa Úrsula.?A Questão Estética e as diferentes formas de morar ? Escravidão no Rio de Janeiro?.. 2016. (Outra).

11.
Feminismo na Universidade.Feminismo, raça e classe - O caso do Feminismo Negro no Brasil. 2016. (Outra).

12.
Oficina Potencialização.Racismo na República Brasileira. 2016. (Outra).

13.
Religiões Afro-Brasileiras e Racismo.Religiões Afro-Brasileiras e Racismo. 2016. (Outra).

14.
Seminário de História Global e Transnacional. Centro de Relações Internacionais CPDOC/FGV.?Tradições de História Global na América Latina e Caribe? - Rafael Marquese. 2016. (Seminário).

15.
Seminário Intelectuais Negras - escritas de Si.Intelectuais Negras e o Mundo Acadêmico. 2016. (Seminário).

16.
XIII BRASA Congress. Na corte, a serviço do imperador: O uso de escravos urbanos pelo Estado brasileiro no Rio de Janeiro oitocentista. 2016. (Congresso).

17.
A visibilidade do Negro na Sociedade Brasileira.Um olhar histórico sobre o silênciamento do negro no Brasil. 2015. (Outra).

18.
Colóquio Ensino de História: O que ensinar, por que ensinar?.História local, memória e identidade. 2015. (Outra).

19.
Santander University 2015 Top China.The legacy of African slavery in Brazil. A historical and cultural overview. 2015. (Outra).

20.
SHADD BIOGRAPHY PROJETC. Testemunhos de Africanos da África Ocidental na era do tráfico de escravos.Cidades escravistas: cenários de biografias escravas. 2015. (Encontro).

21.
XII CONLAB. No Jardim dos escravos. Histórias e (não) memórias dos escravos do jardim Botânico. 2015. (Congresso).

22.
XXXIII International Congress of the Latin America Studies Association. Invisible Workes, Slaves and the construction of the urban net-work of Rio de Janeiro and Havana in 19th Century. 2015. (Congresso).

23.
FIFTH ANNUAL SUMMER INSTITUTE ?SLAVERY, MEMORY AND CITIZENSHIP?.The Edge of Rio: Urban slavery in Rio de Janeiro as a tool for the study of History, Memory and the Teaching of History. 2014. (Outra).

24.
Seminário de Reflexão e Memória da Cultura Afrobrasiliera.Territórios e Territorialidades Negras. 2011. (Seminário).

25.
VII Semana de HIstória da Universidade Estácio de Sá.A escravidão, a corte e a cidade. 2009. (Outra).

26.
Université d´Été: noirs, nègres, africains, afro-descendants, desdendants d´esclaves immigrés: deconstruire les categories de designation et interroger les identités et les representations d´hier à aujourd´hui.THE SPACIALITY OF URBAN SLAVERY. Rio de Janeiro and Havana in the Atlantic Context (c. 1790-1850). 2008. (Outra).

27.
V Congresso Brasileiro de Pesquisadores/as Negros/as. "Desvitimar para Humanizar. Escravidão e agência escrava em sala de aula". 2008. (Congresso).

28.
VI Semana do curso de História da Universidade Estácio de Sá.A Escravidão e a Corte: um lado africano do Rio de Janeiro oitocentista. 2008. (Outra).

29.
V Semana de História da Universidade Estácio de Sá.Desvitimar para humanizar: escravidão e agência escrava na sala de aula. 2008. (Outra).

30.
V Semana de HIstória da Universidade Estácio de Sá.Viver sobre si. Autonomia e Escravidão no Rio de Janeiro. 2008. (Outra).

31.
XIII Encontro Regional de História AnpuhRio - Identidades.ESCRAVIDÃO URBANA NO CONTEXTO ATLÂNTICO. Rio de Janeiro e Havana sob o olhar historiográfico.. 2008. (Encontro).

32.
XIX Encontro Regional de História - ANPUH São Paulo.As duas irmãs do Atlântico: escravidão urbana no Rio de Janeiro e Havana no debate historiográfico. 2008. (Encontro).

33.
Colóquio Internacional: Os Desafios Urbanos no Brasil e na África do Sul. 2007. (Outra).

34.
Colóquio Internacional História e Historiadores da África: uma homenagem a Joseph Ki-Zerbo. 2007. (Outra).

35.
III Encontro de Professores de Literaturas Africanas: Pensando África - Crítica, Ensino e Pesquisa.A Literatura como ferramenta da História da África. 2007. (Encontro).

36.
III Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional.Arranjos escravos de moradia no Rio de Janeiro (1808-1850). 2007. (Encontro).

37.
I Seminário Dimensões da POlítica na História: Estado, Nação, Império.Morar sobre si: a presença do Estado e a materialidade da vida escrava. 2007. (Seminário).

38.
IV Congresso de História da Baixada Fluminense com o tema:. A África no Brasil. O caso dos arranjos escravos de moradia no Rio de Janeiro.. 2007. (Congresso).

39.
Seminário Internacional Fábrica de Idéias: 10 anos de experiência.Escravidão e Agência na Sala de Aula. 2007. (Seminário).

40.
Cidade Vaidosa: Imagens Urbanas do Rio de Janeiro - Os Sentidos da Escultura Pública.Cidade Vaidosa: Imagens Urbanas do Rio de Janeiro - Os Sentidos da Escultura Pública. 2006. (Outra).

41.
Workshop Globalização, Políticas Territoriais, Meio Ambiente e Conflitos Sociais. 2006. (Outra).

42.
Espaços Públicos e Política na Cidade do Rio de Janeiro no início do século XIX.Espaços Públicos e Política na Cidade do Rio de Janeiro no início do século XIX. 2005. (Outra).

43.
Seminário Internacionasl. Brasil: de um Império a outro (1750-1850).Brasil: de um Império a outro (1750-1850). 2005. (Seminário).

44.
Ciclo de Palestras Conservação e Restauro na USP.Ciclo de Palestras Conservação e Restauro na USP. 2004. (Outra).

45.
XVII Encontro Regional de História - O Lugar da História.Moradia Escrava sob o Olhar dos Viajantes. 2004. (Encontro).

46.
11o. Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP.Arranjos escravos de moradia. Escravidão urbana no Rio de Janeiro séc. XIX. 2003. (Simpósio).

47.
Independência do Brasil: História e Historiografia.Independência do Brasil: História e Historiografia. 2003. (Seminário).

48.
IV Semana dos Museus - Preservação em Museus: Identidades, Políticas, Memórias.IV Semana dos Museus - Preservação em Museus: Identidades, Políticas, Memórias. 2003. (Outra).

49.
10o. Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP.Morar sob o cativeiro: moradia escrava no Brasil (século XIX). 2002. (Simpósio).

50.
9o. Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP.Morar sob o cativeiro: moradia escrava e controle social no Brasil. 2001. (Simpósio).

51.
A Idade Média no Cinema.A Idade Média no Cinema. 2001. (Outra).

52.
Brasil: Formação do Estado e da Nação (c. 1170-c.1850).Brasil: Formação do Estado e da Nação (c.1770-c.1850). 2001. (Seminário).

53.
II Seminário: Mitos Políticos e Repressão aos Comunistas no Brasil República.II Seminário: Mitos Políticos e Repressão aos Comunistas no Brasil República. 2001. (Seminário).

54.
8o. Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP.Morar sob o cativeiro: moradia escrava e controle social no Brasil. 2000. (Simpósio).

55.
Ciclo de Palestras da Coleção Virando os Séculos.Ciclo de Palestras da Coleção Virando o Séculos. 2000. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
SANTOS, Y. L.; PINTO, A. F. M. ; OLIVEIRA, F. ; NASCIMENTO, A. ; MATTOS, H. ; ABREU, M. ; NAPUMUCENO, E. B. . II Seminário Internacional História do Pós Abolição no Mundo Atlântico. 130 Anos da Abolição no Brasil. 2018. (Outro).

2.
MAIA, J. M. E. ; ALBERTI, V. ; KORNIS, M. ; FERREIRA, L. M. ; BLANK, T. ; SANTOS, Y. L. . Como você Ensina? Novos Desafios e estratégias no Ensino de Ciências Sociais e História. 2017. (Outro).

3.
SANTOS, Y. L.; LESSA, T. ; TORRES, C. ; QUEIROZ, H. ; ARANTES, E. . Ciclo de Palestras os Desafios da História. 2017. (Outro).

4.
SANTOS, Y. L.; POSSIDONIO, E. . ?A religiosidade centro-africana no Rio de Janeiro oitocentista?, palestra de Eduardo Possidônio. 2017. (Outro).

5.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS; MONTEIRO, L. . Festa de Reis e Rainha Negros e as fronteiras dos estudos de escravidão e pós abolição no Brasil?. Palestra de Lívia Monteiro. 2017. (Outro).

6.
SANTOS, Y. L.; ABREU, M. ; CORTES, G. X. ; MATTOS, H. ; PEREIRA, A. ; NASCIMENTO, A. . Seminário do projeto personagens do Pós Abolição ? Edital CAPES Memórias Brasileiras. 2017. (Outro).

7.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS; MAIA, J. M. E. . Seminário - Como você ensina? Desenvolvendo novas formas de ensinar Ciências Sociais e História. 2016. (Outro).

8.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS; POSSIDONIO, E. ; BOUCINHAS, A. ; MONTEIRO, L. ; CAVALHEIRO, D. . Ciclo de Palestras: "O Segundo Reinado e Suas Tantas Histórias". 2016. (Outro).

9.
YOUSSEF, A. E. ; SANTOS, YNAÊ LOPES DOS . A Guerra Civil Norte Americana e a Crise da Escravidão no Brasil. 2016. (Outro).

10.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Prepara, NEM!" ministrada pelos professores e alunos do Cursinho Prepara Nem!.. 2016. (Outro).

11.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS; AZEREDO, T. L. B. . O ensino de história e a prática docente nas escolas privadas do município do Rio de Janeiro na atual lógica da educação como mercadoria. 2016. (Outro).

12.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS; MAIA, J. M. E. ; NESI, E. ; SILVA, V. . I Semana da Consciência Negra. 2016. (Outro).

13.
SANTOS, Y. L.; ALADREN, G. . Simpósio Temático: A escravidão negra nas Américas: o antigo problema sob novas miradas. 2015. (Outro).

14.
SANTOS, Y. L.; VAINER, Carlos . Summer School 2007. 2007. (Outro).

15.
SANTOS, Y. L.; VAINER, Carlos . Colóquio Internacional Os Desafios Urbanos no Brasil e na África do Sul. 2007. (Outro).

16.
SANTOS, Y. L.; CONCEICAO, I. S. ; VAINER, Carlos . Workshop Golbalização, Políticas Territoriais, Meio Ambiente e Conflitos Sociais. 2006. (Outro).

17.
SANTOS, Y. L.; VAINER, Carlos . Summer School IPPUR/UFRJ-Cornell University. 2006. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Dissertação de mestrado
1.
Viviane Fernandes Silva. Trilhos de memórias: O bonde na construção da identidade do bairro de Santa Teresa.. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas. (Orientador).

2.
Marcos Melo. Do patrimônio documental à memória coletiva: ?o acervo do núcleo de memória e identidade dos moradores da Maré (NUMIN) como instrumento de representação da memória afrodescendente na Nova Holanda. Início: 2018. Dissertação (Mestrado profissional em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas. (Orientador).

3.
Vanessa de Araújo Andrade. O Porto da Memória: O Cais do Valongo e a região portuária nas reformas urbanas de Pereira Passos e Eduardo Paes. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas. (Orientador).

4.
Maria Clara Sant'Anna de Mello. Os Caminhos do Racismo Institucionalizado: uma análise sobre o papel do movimento negro em relação às políticas públicas brasileiras na área da saúde durante o Governo FHC e Lula (1994 ? 2010). Início: 2018. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas. (Orientador).

5.
André Chamun Calazans. Escravidão urbana, cultura do trabalho e desenvolvimento capitalista no Rio de Janeiro na visão dos viajantes (1808-1850). Início: 2018. Dissertação (Mestrado profissional em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas. (Orientador).

6.
Aline dos Santos Paixão. Samba de Gafieira - as transformações ocorridas de 1990 a 2019.. Início: 2018. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas. (Orientador).

7.
JÉSSICA SANTOS SÉ PRADO CABRAL. Estudo sobre o tombamento das ?calçadas musicais? de Vila Isabel. Início: 2017. Dissertação (Mestrado profissional em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas. (Orientador).

8.
Denise Tenório de Magalhães. Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea: um diálogo educativo e inclusivo. Início: 2017. Dissertação (Mestrado profissional em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas. (Orientador).

9.
Luciana Gondim Cruz Miragaya. MAR: práticas de engajamento de um museu-escola com as comunidades locais e construção de novos acervos. Início: 2017. Dissertação (Mestrado profissional em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas. (Orientador).

10.
Daniele Ramalho. África Diversa: lugares de memória da herança africana e políticas públicas para a memória e história da escravidão. Início: 2016. Dissertação (Mestrado profissional em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas. (Orientador).

Tese de doutorado
1.
PAULO FERNANDO SOARES PEREIRA. OS ESQUECIMENTOS DA MEMÓRIA: o tombamento do patrimônio cultural quilombola e a formulação de uma política pública. Início: 2018. Tese (Doutorado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas. (Coorientador).

2.
João Henrique de Oliveira Christovão. Trabalhadores do sal: organização sindical e lutas sociais nas salinas cabofrienses - 1940/1974. Início: 2015. Tese (Doutorado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas. (Orientador).

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Paula Caetano. Os aprendizados do PIBID-HIstória FGV. Início: 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Sociais) - Fundação Getúlio Vargas. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Dissertação de mestrado
1.
Daniel Gandra. A Era Negra do Vale: café, escravos e senhores em Piraí. 2016. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas, . Coorientador: Ynaê Lopes dos Santos.

2.
Leila Dantas. O Samba Urbano Contemporâneo e sua Desafricanização. Um estudo sobre as transformações do samba no bairro da lapa entre os anos de 2000 a 2017. 2016. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas, . Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

3.
Gianne Regina Conceição dos Santos. #SOU PAVULAGEM. A relação entre o arraial da Pavulagem (Belém, PA), Tradição e representação social na Internet. 2015. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas, . Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

4.
Maria Rita Dias de Almeida Fernandes. ?Meu Bloco na Rua: Barbas, Simpatia e Suvaco na retomada do Carnaval de Rua da Zona Sul do Rio de Janeiro?. 2015. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas, . Coorientador: Ynaê Lopes dos Santos.

5.
Luciana Mota da Cruz. Baile Charme de Madureira sob a legitimação de patrimônio cultural carioca de natureza imaterial. 2015. Dissertação (Mestrado em História, Política e Bens Culturais) - Fundação Getúlio Vargas, . Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

Monografia de conclusão de curso de aperfeiçoamento/especialização
1.
Almir Nunes. ÁFRICA, NOVO MUNDO E ESCRAVIDÃO uma história de John Thornton. 2011. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em História e Cultura Afrodescendente) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

2.
Alexandre Alarcão. Colonizações nas Áfricas. 2011. Monografia. (Aperfeiçoamento/Especialização em História e Cultura Afrodescendente) - Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Elisa Neri. Feminismo Negro: trajetórias e novos rumos de um movimento de dupla resistência e empoderamento no contexto das redes sociais. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Sociais) - Fundação Getúlio Vargas. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

2.
Fernanda Cerny. Não sou ?suas nega?: a constituição da subjetividade da mulher negra. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Sociais) - Fundação Getúlio Vargas. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

3.
Paulo Vitor Del Rey. A cor do medo?. É preto e tá de aba reta, é suspeito. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Sociais) - Fundação Getúlio Vargas. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

Iniciação científica
1.
Anna Calara Fonseca. Memórias da Historiografia da Escravidão. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Fundação Getúlio Vargas, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

2.
Michele Castro. Rosários da Resistência. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Estácio de Sá. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

3.
Leonardo Nunes. Rosários da Resistência. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Estácio de Sá. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

4.
Tadeu Goes. Rosários da Resistência. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Estácio de Sá. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

5.
Anderson Ribeiro. Rosários da Resistência. 2013. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Estácio de Sá. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

Orientações de outra natureza
1.
Lenilson Silva. Oficinas de História: como aprender e ensinar? PIBID História. 2017. Orientação de outra natureza. (História) - Fundação Getúlio Vargas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

2.
Vinicius Caetano. Oficinas de História: como aprender e ensinar? PIBID História. 2017. Orientação de outra natureza. (História) - Fundação Getúlio Vargas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

3.
Ana Lucia Milhomens. projeto PIBID. 2016. Orientação de outra natureza. (História) - Fundação Getúlio Vargas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

4.
Caio Pagin. Projeto PIBID. 2016. Orientação de outra natureza. (História) - Fundação Getúlio Vargas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

5.
Ayssa Norek. Oficinas de História: como aprender, como ensinar?. 2016. Orientação de outra natureza. (História) - Fundação Getúlio Vargas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

6.
Paula Cristina Cammarota Caetano. Oficinas de História: como aprender, como ensinar?. 2016. Orientação de outra natureza. (História) - Fundação Getúlio Vargas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

7.
Rachel Azevedo. História e Patrimônio do Rio de Janeiro: O Rio de Valentim. 2016. Orientação de outra natureza. (História) - Fundação Getúlio Vargas, Fundação Getúlio Vargas. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

8.
Artur Henrique Pereira da Silva. Oficinas de História: como aprender, como ensinar?. 2015. Orientação de outra natureza. (História) - Fundação Getúlio Vargas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

9.
Camilla Cetano de La Pasta. Oficinas de História: como aprender, como ensinar?. 2015. Orientação de outra natureza. (História) - Fundação Getúlio Vargas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

10.
Marcos Guilherme B. S Dias. Oficinas de História: como aprender, como ensinar?. 2015. Orientação de outra natureza. (História) - Fundação Getúlio Vargas, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.

11.
Millena Coelho. Que História é essa? O Ensino de História no Ensino Médio. 2015. Orientação de outra natureza. (História) - Fundação Getúlio Vargas, Fundação Getúlio Vargas. Orientador: Ynaê Lopes dos Santos.



Inovação



Projetos de pesquisa

Projeto de extensão


Educação e Popularização de C & T



Apresentações de Trabalho
1.
SANTOS, Y. L.. População negra e sua história no centro do Rio de Janeiro. 2011. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
SANTOS, Y. L.. La Habana Lucumí. Raça, escravidão e práticas lucumís em Havana (1812-1841). 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

3.
SANTOS, Y. L.. A África e o longo século XIX. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
SANTOS, Y. L.. O racismo no Brasil República. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
SANTOS, Y. L.. Como ensinar? Currículo e Ensino de História no Ensino Fundamental II. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).


Cursos de curta duração ministrados
1.
SANTOS, Y. L.; SILVA, Rodrigo . Memória da Cidade: História e patrimônio urbano no Brasil. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
SANTOS, Y. L.. Presença Africana no Brasil: História e Cultura. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
SANTOS, Y. L.. A História Popular do Negro no Brasil através dos Movimentos e Lutas Sociais - O Candomblé como Resistência do Negro no Brasil Escravista. 2011. .

4.
SANTOS, Y. L.; CORTES, G. X. . Entre Fontes e Experiências: Apontamentos sobre o trabalho co História e Culturas Negras no Brasil,. 2008. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

5.
SANTOS, Y. L.. História e Cultura Indígena e Afro-Brasileira - Religiosidade Negra: Da África ao Brasil. 2008. .

6.
SANTOS, Y. L.. Cultura Africa e História do Brasil. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Especialização).

7.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS; LIMONCIC, F. ; NERY, T. ; VELASCOS, P. . Revolução nas Américas: Americana, Haitiana, Venezuelana e Cubana. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

8.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS; PEREIRA, A. . Martin Luther King Jr . e Nelson Mandela: a Luta pela Liberdade. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

9.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Black Lives Matter: o Movimento Negro Hoje. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

10.
LOPES DOS SANTOS, YNAÊ. Pelos Caminhos do Rio: o Rio africano. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).


Desenvolvimento de material didático ou instrucional
1.
SANTOS, Y. L.. Curso de História da África Pré Colonial on line. 2013. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).

2.
SANTOS, Y. L.; PEREIRA, L. . Curso de História da África on line. 2011. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).

3.
SANTOS, Y. L.. Evolução Urbana do Rio de Janeiro - Séculos XVI-XIX. 2011. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).

4.
SANTOS, Y. L.. História das Relações Étnico Raciais no Brasil. 2016. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).

5.
SANTOS, Y. L.. Curso de História dos Povos Indígenas e Afrodescedentes on line. 2012. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - MaterialDidático).


Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
SANTOS, Y. L.. Fala, Doutor - Ynaê Lopes dos Santos: As Irmãs do Atlântico. 2012.

2.
SANTOS, Y. L.. Conexão Futura: Racismo. 2016.

3.
SANTOS, Y. L.. ?O Brasil vive sob o mito da democracia racial? Fonte: Último Segundo - iG @ http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2016-10-02/democracia-racial-brasil.html. 2016. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

4.
SANTOS, Y. L.. Livros didáticos não tratam História africana no Brasil além da escravidão. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

5.
SANTOS, Y. L.. Entrevista para Bate papo FGV-Sociedade: Racismo no Brasil. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

6.
SANTOS, Y. L.. Brazilians defining themselves as black has grown 15%; while pretos and pardos are considered black, pretos are those defining themselves as simply black. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

7.
SANTOS, Y. L.. Nº de pessoas no País que se declara preta ou parda cresce 14,9%. 2017. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

8.
SANTOS, Y. L.. 1/3 das Universidades Federais tem denúncia em Cota Racial. 2018. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

9.
SANTOS, Y. L.. Alegorias do Brasil. 2018.

10.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Desigualdade Racial sobreviveu à assinatura da Lei Áurea. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

11.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. Crivella veta Lei que declara Quilombo da Pedra do Sal Patrimônio. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

12.
SANTOS, YNAÊ LOPES DOS. 5 Livros para refletir o sentido da escravidão no Brasil. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

13.
SANTOS, Y. L.. Representatividade em sala de Aula. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

14.
SANTOS, Y. L.. Cultne DOC - Histórias do Pós Abolição - Ynaê Lopes dos Santos. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

15.
SANTOS, Y. L.. Centenário de Nelson Mandela. 2018. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

16.
SANTOS, Y. L.; NASCIMENTO, A. . EducAção - Heróis negros que não estão nos livros de História. 2018.




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 21/10/2018 às 4:56:45