Tiago Rodrigues Santos

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6742146345403999
  • Última atualização do currículo em 14/12/2018


Professor Adjunto do Centro de Formação de Professores da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.Doutor em Ciências Sociais na Universidade Estadual de Campinas(2017). Licenciado em Ciências Sociais (2007), bacharel em Sociologia (2009) e mestre em Geografia (2012) pela Universidade Federal da Bahia. Atualmente é vinculado do Projeto Integrado de Pesquisa GeografAR - A Geografia dos Assentamentos na Área Rural (IGEO-UFBA)e ao Núcleo de Estudos Ambientais e Rurais - NUCLEAR (FFCH-UFBA), ambos da Universidade Federal da Bahia e do Coletivo Quilombola - Laboratório de Pesquisa e Extensão em Comunidades Tradicionais Afro-Americanas (CERES/UNICAMP). Tem atuado principalmente nos seguintes temas: Educação do Campo,Educação Quilombola, comunidades quilombolas, educação popular, regularização de territórios quilombolas, reforma agrária, questão agrária,terras devolutas, movimentos sociais rurais e assentamentos rurais. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Tiago Rodrigues Santos
Nome em citações bibliográficas
SANTOS, T. R.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal do Oeste da Bahia, Centro das Humanidades.
Rua Professor José Seabra de Lemos - lado par
Recanto dos Pássaros
47808021 - Barreiras, BA - Brasil
Telefone: (77) 36143500
URL da Homepage: www.ufob.edu.br


Formação acadêmica/titulação


2012 - 2017
Doutorado em Ciências Sociais.
Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Título: Entre Terras e Territórios: Luta na/pela terra, dinâmicas e reconfigurações territoriais em Bom Jesus da Lapa (BA), Ano de obtenção: 2017.
Orientador: Sonia Maria Pessoa Pereira Bergamasco.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Reforma Agrária; Assentamentos Rurais; Comunidades Quilombolas.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Rural.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Ciência Política / Subárea: Representação Política.
2010 - 2012
Mestrado em Geografia.
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Título: O ASSENTAMENTO DIVIDIDO: Produção do Espaço, Mediadores e Conflitos no Projeto de Assentamento Cachá (1980-2010) - Marcionílio Souza (Bahia),Ano de Obtenção: 2012.
Orientador: Guiomar Inez Germani.
Coorientador: Antônio da Silva Câmara.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: REFORMA AGRARIA; Questão Agrária; Geografia; Mediadores Sociais; Movimetos Sociais.
Grande área: Ciências Humanas
2004 - 2009
Graduação em Ciências Sociais - Bacharelado em Sociologia.
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Título: CETA: nossa luta é justa e certa: formação e territorialização do Movimento CETA (Bahia).
Orientador: Antonio da Silva Camara (Orient.) e Guiomar Germani (Co-Ori).
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
2004 - 2007
Graduação em Licenciatura em Ciências Sociais.
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.




Formação Complementar


2013 - 2013
Marx e a Teoria Crítica. (Carga horária: 16h).
Universidade de São Paulo, USP, Brasil.
2010 - 2010
Testamentos e Invetários Post Mortem: fontes.. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
2009 - 2009
Cartografias Sociais de Povos e Com. Tradicionais. (Carga horária: 30h).
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
2008 - 2008
Capacitação em Lei de Reg. Públicos e Proc. Adm.. (Carga horária: 72h).
Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, INCRA, Brasil.
2008 - 2008
Capacitação para Reg. de Territórios Quilombolas. (Carga horária: 24h).
Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária, INCRA, Brasil.
2008 - 2008
Capacitação para Elaboração de RTID´s - Quilombola. (Carga horária: 40h).
Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - SR 05 - Bahia, INCRA (SR 05), Brasil.
2007 - 2007
Noções de Cartografia e Introdução ao Arc Giz. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
2006 - 2006
Aprendendo sobre o Método Geográfico. (Carga horária: 40h).
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, UFRB, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Docente, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Professor Assistente A, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

09/2017 - Atual
Direção e administração, Centro de Formação de Professores, .

Cargo ou função
Membro do Colegiado do Curso de Licenciatura em Educação do Campo.
08/2017 - Atual
Ensino, Educação do Campo, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Questão Agrária
Capital, Trabalho e Educação

Universidade Federal do Oeste da Bahia, UFOB, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2017
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professor Assistente A, Regime: Dedicação exclusiva.

Atividades

03/2016 - Atual
Direção e administração, Centro das Humanidades, .

Cargo ou função
Coordenador do Colegiado do Curso de Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades.
3/2015 - Atual
Ensino, Humanidades, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Estudos das Sociedades
Estudos das Subjetividades
Estudos sobre a Contemporaneidade
Filosofia e História das Ciências
Trabalho de Conclusão de Curso em Humanidades

Universidade Federal da Bahia, UFBA, Brasil.
Vínculo institucional

2004 - Atual
Vínculo: Pesquisador, Enquadramento Funcional: Pesquisador Volumtário, Carga horária: 20

Vínculo institucional

2004 - Atual
Vínculo: Pesquisador, Enquadramento Funcional: Voluntário
Outras informações
Pesquisador Vinculado ao Grupo, com a temética Quilombos e Campesinato.

Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Docente por Tempo Determinado, Enquadramento Funcional: Professor Substituto, Carga horária: 20

Atividades

03/2014 - Atual
Ensino, Geografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Geografia Humana I - Geografia da População
Globalização e Território
08/2013 - Atual
Ensino, Geografia, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Geografia Humana I
Globalização e Território
Geografia Regional
10/2004 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, Instituto de Geociências.


Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Pesquisador, Carga horária: 8

Vínculo institucional

2012 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante de Doutorado, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Desenvoleve pesquisa na áre de sociololgia e antropologia rural

Atividades

10/2013 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Departamento de Sociologia.


Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano, IFBAIANO, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - Atual
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Professor Colaborador na Especialização, Carga horária: 4

Atividades

10/2016 - Atual
Ensino, Especialização em Educação do Campo, Nível: Especialização

Disciplinas ministradas
Questão Agrária
11/2014 - Atual
Extensão universitária , Campus Itapetinga, .

Atividade de extensão realizada
Difusão de Práticas Agroecológicas.

Colégio Estadual Professor Aristides de Souza Oliveira, CEPASO, Brasil.
Vínculo institucional

2009 - 2011
Vínculo: REDA, Enquadramento Funcional: Professor, Carga horária: 20
Outras informações
Disciplinas: FILOSOFIA, GEOGRAFIA e SOCIOLOGIA ] Todas no Ensino Médio


Colégio Estadual Professor Carlos Barros, CEPCB, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2012
Vínculo: Servidor Público, Enquadramento Funcional: Docente aprovado em concurso público, Carga horária: 20
Outras informações
Professor efetivo, aprovado no Concurso Público SEC 01/2010. Nomeado em 15/10/2011. Exoneração solicitada para cursar o Curso de Doutorado em Ciências Sociais da Unicamp.


Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - SR 05 - Bahia, INCRA - SR, Brasil.
Vínculo institucional

2008 - 2009
Vínculo: Prestação de Serviços, Enquadramento Funcional: Analista de Processos, Carga horária: 40
Outras informações
Equipe interdisciplinar para elaboração de Relatório Técnico de Identificação, Reconhecimento, Delimitação de Áreas Remanescentes de Quilombos. Convênio INCRA/FAPEC.


Empresa de Turismo da Bahia, BAHIATURSA, Brasil.
Vínculo institucional

2001 - 2002
Vínculo: Outro, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 20

Atividades

8/2001 - 12/2002
Estágios , Empresa de Turismo, Gerencia Financeira.

Estágio realizado
BAHIATURSA.

Colégio Estadual Deputado Manoel Novaes, CEDMN, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2007
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Estagiário, Carga horária: 4
Outras informações
Estágio Supervisionado em Ciências Sociais.



Linhas de pesquisa


1.
Assentamentos de população na área rural
2.
Terras Públicas e Devolutas e Formas de Acesso à Terra
3.
Populações Tradicionais Afroamericanas


Projetos de pesquisa


2017 - Atual
Questão Agrária, Movimentos Sociais e Assentamentos Rurais nos Territórios do Velho Chico, Litoral Sul da Bahia e Sisal
Descrição: Analisar a Questão (da Reforma) Agrária no Brasil no atual contexto da Política de Desenvolvimento Territorial, tendo os Territórios do Velho Chico, do Litoral Sul e do Sisal como áreas privilegiadas para aprofundamento e como estudos de caso..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
Mapeamento das Comunidades de Fundos e Fechos de Pasto no Estado da Bahia
Descrição: O presente trabalho, realizado através do convênio entre a Secretaria de Promoção pela Igualdade Racial (SEPROMI) com a Universidade Federal da Bahia (UFBA), tem como objetivo elaborar uma base de dados georreferenciados das Comunidades Tradicionais de Fundo e Fecho de Pasto (CTFFP) no estado da Bahia, identificadas e com processo aberto, na Coordenação de Desenvolvimento Agrário (CDA), até 2015. A atividade de pesquisa e extensão a ser desenvolvida, além de permitir à SEPROMI o cumprimento dos compromissos estabelecidos no marco legal (Lei 12.910/2013). Ao mesmo tempo, permitirá dar continuidade às pesquisas desenvolvidas nesta temática e ao processo de sistematização de informações referentes à territorialidade deste grupo social, bem como contribuir com o Movimento das CTFFP no processo de autoafirmação de sua identidade e de defesa dos seus territórios..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2017 - Atual
O ESTADO DA BAHIA E TERRAS PÚBLICAS E DEVOLUTAS: Caminhos, impasses e perspectiva da Política de Regularização Fundiária das Terras Públicas e Devolutas na Bahia (2007-2018)
Descrição: A Questão Agrária continua sendo marcante na realidade brasileira. A questão da propriedade da terra e dos conflitos agrários sempre assumiram grandes proporções na história brasileira. Segundo dados da Comissão Pastoral da Terra, de 1985 a 2016 foram registrados 15 mil conflitos por terra no País e na Bahia. Na Bahia, foram mais de 3 mil conflitos no mesmo período. De um lado, a luta dos movimentos sociais pelo acesso a terra e território assume uma dimensão cada vez mais importante de ser analisada pela teoria social. De outro lado, assume importância compreender os mecanismos institucionais para enfrentar a questão agrária no País. No contexto recente, assume importância o papel dos governos estaduais na regulação do acesso a terra, dado que desde a Constituição de 1891 são as unidades federativas responsáveis pela identificação, discriminação e distribuição das terras devolutas. È neste sentido que o presente projeto de pesquisa busca analisar a ação do Governo do Estado da Bahia na regularização de terras devolutas e públicas no período de 2007 a 2018. O recorte temporal não é arbitrário: ele compreende o período das gestões do Partido dos Trabalhadores (PT) no Governo da Bahia e é justificado pela relação histórica do Partido dos Trabalhadores com movimentos sociais do campo que sempre reivindicavam uma maior atuação do governo estadual na discriminatória das terras públicas na Bahia. Esta pesquisa se valerá de uma intensa revisão bibliográfica sobre o tema das terras públicas, análise documental, cartográfica e entrevistas com gestores estaduais e lideranças de movimentos sociais. Espera-se compreender não apenas o processo de gestão das terras públicas estaduais no período, mas analisar a relação entre Estado, Governo, Partido Políticos e Movimentos Sociais na Questão Agrária da Bahia..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2016 - 2017
Modos de Ser, Modos de Viver, Modos de Lutar: quilombos no Território do Velho Chico
Descrição: No bojo de processo de luta, as comunidades tem demando estudo que permitam levantar dados, suas histórias, identificar seus territórios para que possam, a partir do enfrentamento com o Estado, solicitar a regularização de seus territórios tradicionais. O Decreto 4.887/2003, que regulamenta os procedimentos para identificação de territórios quilombolas, aponta a necessidade de estudos sobre cada comunidade, tendo levantamento socioeconômico, antropológico, territorial, dentre outros. Assim, esta pesquisa também justifica-se pelo seu compromisso social de realizar estudos que subsidiem a luta e os direitos territoriais das comunidades quilombolas. Neste sentido, as questões aqui expostas fazem parte das reflexões gerais sobre a questão quilombola na Bahia e no Brasil. Objetivos Geral Compreender o processo de luta das comunidades quilombolas no Estado da Bahia, em especial das comunidades (re)existentes no Território do Velho Chico..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (2) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Coordenador / Arthur Cerqueira dos Santos - Integrante / Luzia Marielle Ferreira da Silva - Integrante.Número de orientações: 2
2015 - 2016
Formas de ?ter? a terra, formas de lutar pela vida: Acesso à terra e ação coletiva no Território do Velho Chico (BA)
Descrição: Este projeto de pesquisa busca investigar o acesso à terra no Território do Velho Chico (BA) e as formas de lutas e resistências da diversidade do campesinato na região. A Questão Agrária ? em síntese, os conflitos advindos da apropriação, posse e uso da terra -, ainda é traço marcante da sociedade brasileira. Se historicamente os conflitos fundiários sempre foram a tônica da formação sócioespacial do país, se faz necessário compreender as transformações, continuidades e mudanças para que possamos entender a sua atual configuração. No campo baiano se, por um lado, se manifesta a mesma tensão fundiária, por outro lado podemos perceber singularidades e particularidades, como a forte presença de comunidades tradicionais no processo de luta social que se desenrola no meio rural do estado. Nesse sentido, o caso do Território do Velho Chico nos parece imprescindível para compreender a universidade, as particularidades e singularidades das variadas formas de manifestação da Questão Agrária. O TVC possui 16 municípios, abrange 46.334,80 km2 de área, com uma população de 370.102 habitantes, sendo 197.622 habitantes na área rural, com destaque a presença de comunidades tradicionais, de assentados reforma agrária e trabalhadores rurais acampados..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (0) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Coordenador / GERMANI, G.I. - Integrante / Eizy Batista Machado - Integrante / Clevison Dionísio dos Santos - Integrante.
2013 - 2015
Comunidades Tradicionais, Políticas Públicas e Desenvolvimento Territorial na Bahia: indígenas e quilombolas

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Guiomar Inez Germani em 30/12/2013.
Descrição: Identificar e analisar as políticas públicas para comunidades indígenas e quilombolas do estado da Bahia e compreender os impactos da implantação e implementação dessas políticas na organização socioterritorial dessas comunidades..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Mestrado acadêmico: (4) Doutorado: (5) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Integrante / FREITAS, H. I. - Integrante / GERMANI, G.I. - Coordenador / OLIVEIRA, G.G. - Integrante / RIOS, K. A. N; - Integrante / Junior, Avelar Araujo Santos. - Integrante / Alves, Taíse. - Integrante / Edite Diniz - Integrante / Diosmar Filho. - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 2
2012 - 2017
Entre Terras e Territórios: Reconfigurações Territoriais nas Fazendas Curralinho e Carnaíba (Bahia)
Descrição: Este projeto de pesquisa tem o objetivo de compreender origem, o desenvolvimento e a consolidação de diversos grupos sociais e a formação de uma diversidade sócio-territorial nas Fazendas Curralinho e Carnaíba, em Bom Jesus da Lapa, Bahia. A formação da sociedade brasileira, marcada pela histórica concentração fundiária e exclusão do acesso a terra a milhões de camponeses foi, também, responsável pela formação da diversidade sócio-espacial desta mesma sociedade. Essa diversidade de grupos sociais se expressaram no conjunto das lutas na/pela terra historicamente constituídas no País, bem como a demanda das mais expressivas das políticas públicas de reordenamento da estrutura fundiária. Essa multiplicidade de grupos está em um jogo que dialoga identidades sociais e categorizações, principalmente nomenclaturas estatais. Desses grupos, podemos exemplificar: indígenas, posseiros, acampados, trabalhadores rurais, trabalhadores rurais sem terra, quilombolas, comunidades de fundos e fechos de pasto. Essa diversidade nos coloca elementos para se pensar a relação entre forma espacial e conteúdo social. Ademais, trás consigo uma série de implicações, passiveis de ser questionadas cientificamente Neste sentido, acredita-se ser imprescindível discutir a ?condição? cada dos grupos sociais formadores da sociedade brasileira para se analisar os fundamentos dessa diversidade quanto para se compreender os processos sócio-espaciais que permitiram e permitem a lógica da reprodução social desses grupos sob a lógica contraditória do desenvolvimento do campo brasileiro..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Coordenador.
Número de produções C, T & A: 2
2011 - 2014
Continuando no Tortuoso Caminho para Chegar às Terras Devolutas na Bahia
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (3) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Integrante / FREITAS, H. I. - Integrante / GERMANI, G.I. - Coordenador / OLIVEIRA, G.G. - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2008 - 2011
Uma trajetória tortuosa: como chegar nas Terras Devolutas da Bahia?
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2007 - 2009
Inventário Social sobre a Construção de Barragens no estado da Bahia
Descrição: Este projeto de pesquisa objetiva identificar, sistematizar e mapear as barragens construídas no território baiano, bem como os impactos sócio-ambientais decorrentes de sua implantação e gestão. Pretende-se também integrar os esforços dos cientistas sociais brasileiros e latinoamenricanos na divulgação da problemática das barragens por ocasião do II Encontro Brasileiro Ciências Sociais e Barragens e I Encuentro Latinoamericano Ciencias Sociales y Represas. Ressalta-se que o seu desenvolvimento vem envolvendo pesqusadores e estudantes de iniciação científica dos Grupos de Pesquisa A Geografia dos Assentamentos nas Áreas Rurais (UFBA, coordenado pela Profa. Guiomar Germani) e Desenvolvimento, Sociedade e Natureza (UCSAL, coordenado pela Profa, Cristina Alencar)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Integrante / KUHN, E. R. A. - Integrante / GERMANI, G.I. - Integrante / ALENCAR, C.M.M. - Coordenador.
2007 - 2008
A (re)configuração territorial no município de Sítio Mato a partir da implantação do Assentamentos de Reforma Agrária
Descrição: Esta pesquisa teve como objetivo a analisar a (re) configuração territorial do município de Sítio do Mato (BA) a partir da implantação dos Projetos de Assentamentos. Para este trabalho, foram utilizados os procedimentos metodológicos a saber: a) Levantamentos de informações secundárias sobre o município; b) Entrevistas com militantes do Movimento CETA. . A pesquisa identificou 12 (doze) Projetos de Assentamentos (PA´s) em Sítio do Mato, que ocupam uma área de 58.008,17 ha, correspondente a mais de 40% da área total do município. Acrescenta-se ainda a identificação de quatro acampamentos de trabalhadores rurais sem terra e quatro Comunidades Negras Rurais Quilombolas. Observou-se também neste município uma articulação de atores sociais, onde ganha destaque o Movimento CETA, sendo pelas formas de acesso que orienta, seja pela capacidade de articulação com diferentes grupos sociais. A partir desta realidade, observou-se que muito embora p acesso à terra, via reforma agrária, tenha permitido o acesso a terrra a trabalhadores antes excluídos, analisasou-se que o acesso a terra por si só não tem garantido a democratização do acesso às políticas públicas, e consequentemente a efetivação da cidadania. Aponta-se, ainda, que a implantação dos assentamentos possibilitou em certa medida uma (re) configuração na estrutura fundiária do município, muito embora não possa afirma que a houve (re) configuração territorial, pois esta depende do grau de autonomia dos atores sociais inseridos no território.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2006 - 2007
A luta na/pela terra n Médio São Francisco: uma leitura da teritorializaçao do Movimento CETA
Descrição: Esta pesquisa teve como objeto de estudo analisar o processo de surgimento, inserção e consolidação do Movimento dos Trabalhadores Assentados, Acampados e Quilombolas (CETA) na Região do Médio São Francisco. Este trabalho é um aprofundamento da reflexão sobre a atuação dos movimentos sociais no campo baiano, como foco na territorialização do Movimento CETA no Médio São Francisco, dado que essa região é a que apresenta a maior diversidade de formas de acesso à terra do estado. A territorialização do Movimento CETA na região só pode ser compreendido se atentarmos para a força de articulação que a Comissão Pastoral da Terra (CPT) apresenta nesse contexto, entidade que deu gênese ao surgimento do movimento da região e com este mantém ainda laços estreitos. A territorialização do Movimento, presente em 14 municípios da região, orientando atualmente 11 acampamentos de trabalhadores rurais sem terra, 39 Projetos de Assentamentos e 10 Comunidades Quilombolas demonstra capacidade de articulação de diferentes agentes sociais unidos na bandeira da luta na/pela terra. O processo de pesquisa permitiu, também, compreender como a dinâmica da luta pela terra, em especial na região em estudo, é capaz de levar o Estado a adotar políticas públicas especificas para grupos antes excluídos, colocando aos movimentos sociais o desafio de adotar outras estratégias de luta, dada a (re) configuração de novas e velhas demandas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2005 - 2006
A Armadilha do Crédito Fundiário do Banco Mundial
Descrição: : Esta pesquisa foi proposta pela Via Campesina-Brasil na perspectiva de construção da Rede Terra de Pesquisa Popular, visando promover o monitoramento, acompanhamento, avaliação e a divulgação de alternativas aos projetos de Crédito Fundiário nos Estados, através da aplicação de pesquisa popular junto às famílias assentadas, assim contribuindo para uma melhor intervenção na ação e na organização da realidade social. A Rede Terra é formada por pesquisadores e pesquisadoras populares, militantes de cada uma das organizações que compõem a Via Campesina - Brasil, incluindo o Movimento Sem terra (MST), Movimento de Mulheres Camponesas (MMC), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Comissão Pastoral da Terra (CPT), Pastoral da Juventude Rural (PJR) e Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) e se articula com universidades, pesquisadores acadêmicos e intelectuais, como forma de estabelecer uma melhor compreensão da realidade social brasileira e assim qualificar ainda mais sua intervenção. Dessa forma, o Projeto GeografAR foi convidado a integrar a Rede e assim, coordenou o desenvolvimento da pesquisa no campo baiano...
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2005 - 2006
Origem e atuação da Coordenação Estadual dos Trabalhadores Assentados e Acampados (CETA) na Bahia.
Descrição: Este trabalho teve o objetivo de discutir o surgimento, o desenvolvimento e a consolidação do Movimento Estadual dos Trabalhadores Assentados, Acampados e Quilombolas da Bahia (CETA) junto aos trabalhadores rurais do estado. Para tanto, buscou-se uma análise a partir de três marcos históricos: a princípio enquanto ?Comissão de Assentados e Áreas de Conflitos da Bahia? (1995-1999); posteriormente como ?Coordenação Estadual doa Trabalhadores Assentados e Acampados da Bahia? (1999- 2002); e atualmente enquanto ?Movimento Estadual dos Trabalhadores Assentados e Acampados da Bahia? (2002 aos dias atuais), momento em que também foram incorporadas as Comunidades Negras Rurais Quilombolas. Pretende-se evidenciar a sua relação com a Comissão Pastoral da Terra (CPT), sendo esta a principal assessoria do Movimento, bem como sua relação com outros movimentos sociais que atuam no espaço baiano. Dessa forma, o estudo desse Movimento, um dos mais atuantes no estado, constituiu ferramenta imprescindível para o entendimento na nova cara da luta pela terra no estado, bem como evidencia peculiaridades e similitudes com os outros movimentos sociais rurais do estado, em especial, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, MST..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2004 - 2006
Estudo das diversas formas de acesso à terra no Médio São Francisco
Descrição: O estudo tem como objetivo realizar um diagnóstico preliminar dos territórios prioritários (um por cada um dos três estados) com enfoque nas dinâmicas de ocupação e acesso a terra e nas políticas públicas de desenvolvimento agrário METODOLOGIA: O trabalho constará de duas partes. A primeira servirá para identificar o cenário regional e a sua dinâmica, enquanto que a segunda demonstrará a especificidade de assentamentos e outras formas de ocupação em municípios selecionados. No processo, buscar-se-á a interlocução com gerentes territoriais do SDT, Superintendências do INCRA e CEDRS. CENÁRIO REGIONAL: 1. Resgate da história das formas de ocupação da área; 2. Banco de dados secundários: Literatura e produção bibliográfica; Dados estatísticos (PIB, estrutura fundiária, índice de Gini, renda, produção, saúde, educação, investimentos e ações governamentais, indústria, serviços, cultura); Levantamento dos investimentos públicos pertinentes a agricultura familiar; 3. Entrevistas, consultas e reuniões com lideranças dos movimentos sociais, conselhos municipais, grupo gestor do território, e representantes do poder local. LEVANTAMENTO EM ÁREAS SELECIONADAS: O levantamento em áreas selecionadas será feito por meio de duas etapas. A primeira constará de uma viagem exploratória para o reconhecimento do local. A segunda etapa constará de viagens de estudo mais aprofundados para aprimorar os indicadores nas áreas selecionadas. Estas áreas serão representativas da diversidade das formas de ocupação..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2017 - 2017
Questão Agrária Pés no Chão
Descrição: A cabeça pensa onde os pés pisam?. É com a inspiração desta frase de Frei Betto, religioso e militante, que compreendemos a proposta ora apresentada, qual seja, propor um Programa de Extensão ?Geografia Agrária ?Pés no Chão??, para estudantes, pesquisadores e militantes de movimentos sociais de luta na e pela terra na Bahia.Promover a troca de experiências e conhecimento entre os sujeitos sociais organizados no campo baiano. - Contribuir para o debate qualificado sobre o campo e a questão agrária na Bahia. - Contribuir na formação de lideranças de entidades e movimentos para lidar com a complexidade da questão agrária atual;- Permitir aos alunos de graduação, sobretudo os bolsistas e voluntários do Grupo GeografAR, a vivência com lideranças e militantes do campo baiano; Reforçar as atividades do ?Encontro Terra e Território?, promovida pelos movimentos sociais de luta na/pela terra..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2017 - Atual
Conjuntura e Caminhos da Questão Agrária na Bahia
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
2016 - 2017
Conjuntura da Questão Agrária e Quilombola
Descrição: Este Programa de Extensão, denominado ?Conjuntura da Questão Agrária e Quilombola na Bahia -Ano II?, trata-se de uma continuidade do Projeto de Extensão ? com o mesmo nome ? que foi realizado no ano de 2016, donde decorreram análises de conjuntura, bem como o curso de extensão ?Quilombolas: dos ancestrais, aos atuais para os futuros?, pensando com a Central Regional Quilombola do Velho Chico e teve como sujeitos lideranças e professores de escolas quilombolas do Território do Velho Chico. Para esta edição, desdobraremos a análise da conjuntura da questão agrária e quilombola em ? inicialmente ? em quatro grandes atividades (que serão detalhadas em ofício em anexo): 1) Curso de Formação ?Quilombolas: da totalidade ao lugar?; 2) Apoio ao Encontro Interterritorial das Comunidades Quilombolas; 3) Quilombando: Estágio de Vivência em Comunidades Quilombolas..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Especialização: (3) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Coordenador / Arthur Cerqueira dos Santos - Integrante.
2016 - 2016
Quilombolas: dos ancestrais, aos atuais para os futuros? ? Curso de Formação da Questão Quilombola.
Descrição: Este curso de formação, cujo formato está sendo pensado pela coordenação da CRQ e do CETA, com apoio do professor Tiago Rodrigues Santos do Grupo de Pesquisa GeografAR UFBA e da UFOB, visa auxiliar no processo de formação de novas lideranças quilombolas nos principais temas relacionadas a questão quilombola..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Coordenador.
2016 - 2016
a III Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária ? ?Abril Vermelho da UFOB.
Descrição: A questão agrária sempre foi marca dos conflitos da sociedade brasileira. A bandeira histórica da reforma agrária e dos modos de vida dos povos do campo, das águas e da floresta tem sido reafirmada pelos movimentos sociais do campo brasileiro. Nesse campo de forças sociais, as universidades tem sido, também, um lócus da defesa dos povos do campo. Na longa trajetória de relacionamento entre as universidades e os movimentos sociais do campo, tem-se, desde 2014, as Jornadas Universitárias em Defesa da Reforma Agrária, chamada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e vários outros movimentos e organizações. Neste ano de 2016, quando a acontecerá a III Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária, docentes, estudantes e técnicos da Universidade Federal do Oeste da Bahia, envolvidos com a temática de diversas maneiras, decidiram reunir-se as mais de 50 universidades brasileiras e realizar aqui, no Campus da Prainha, o ?Abril Vermelho da UFOB?..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Coordenador.
2014 - 2015
20 anos do Movimento CETA na Bahia
Descrição: Trata-se de um projeto de pesquisa-extensão visando contribuir com o levantamento da história do Movimento CETA na Bahia com vistas a comemoração dos seus 20 anos de atuação no estado da Bahia..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Coordenador / GERMANI, G.I. - Integrante / Peixoto, Heder de Jesus Souza - Integrante.
2014 - 2015
Difusão de Práticas Agroecológicas para Fortalecimento da Agricultura Camponesa e Comunidades Negras Rurais no Território de Identidade do Médio Sudoeste da Bahia
Descrição: O projeto pretende desenvolver ações de: ensino, pesquisa, extensão e formação continuada para os camponeses que ainda resistem e lutam pela permanência na terra. Apesar de estarem inseridos na região que tradicionalmente pratica a pecuária extensiva, que apropria-se de grandes faixas de terras, a agricultura familiar ocupa uma pequena parcela dessas terras, desse modo, se constituiu como uma forma de resistência e permanência de formas alternativas de uso da terra e da água. Nesse contexto, se inserem as comunidades negras rurais, que revelam fortes indícios de serem remanescentes de quilombos, além de outras pequenas propriedades rurais familiares, que foram se formando a partir do desmembramento de antigas propriedades, ou que se constituíram no processo histórico de formação territorial. As ações do projeto visam estabelecer vínculos e parcerias com essas comunidades para que, mesmo diante de um contexto controverso, os mesmos possam ter apoio técnico, cientifico e educacional para serem visibilizados, valorizados e respeitados, pelos seus saberes e práticas, importante para a manutenção de suas vidas e, sobretudo, para a produção de alimentos de consumo cotidiano das populações que vivem nesse território, tendo em vista que, conforme apontam os dados 70% da alimentação brasileira, provêm da agricultura familiar..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (4) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Integrante / ALCANTARA, D.M. - Integrante / SILVA, Gedeval Paiva. - Coordenador.Financiador(es): Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano - Auxílio financeiro.
2013 - 2013
Observatório de Conflitos Rurais do Estado de São Paulo
Descrição: O projeto ?Observatório dos Conflitos Rurais no Estado de São Paulo? tem como objetivos centrais realizar o levantamento, a sistematização e a publicização de dados referentes aos conflitos rurais no estado de São Paulo, envolvendo as diversas categorias de trabalhadores no campo, quais sejam, assalariados, pequenos produtores, sem terra, assentados e quilombolas. Os dados serão pesquisados, prioritariamente, por meio de consulta a documentos e ao arquivo de entidades do movimento sindical rural e de movimentos sociais rurais. Também está prevista a realização de entrevistas com as lideranças destas entidades. Após a sistematização destas informações, serão elaborados dois produtos: 1) dossiês, impressos e online, contendo a sistematização dos dados; 2) uma página eletrônica na internet onde os dados coletados e os dossiês produzidos serão armazenados..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Doutorado: (4) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Integrante / Fernando Antônio Lourenço - Coordenador / Cassius Marcelus Cruz - Integrante / Ellen Gallerani Corrêa - Integrante / Gabriel Pereira da Silva Teixeira - Integrante.


Projetos de ensino


2017 - 2018
Curso de Formação Continuada em Educação Básica do Campo: articulando princípios educativos e agroecológicos
Descrição: Curso de Formaçao continuada..
Situação: Concluído;
É um projeto em cooperação com: Agência de fomento, Instituição de Ensino.
Em relação a temática: Formação inicial ou continuada de professores, Ensino e aprendizagem.
Natureza: Ensino.
Objetivos e metas: Formar professores com bases agroecologicas..
Alunos envolvidos: Graduação: (50) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Coordenador / Silvana Lucia da Silva Lima - Integrante.


Outros Projetos


2011 - 2011
Diagnóstico Fundiário e Mapeamento das Comunidades Quilombolas Território de Identidade do Norte do Itapicuru

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Guiomar Inez Germani em 03/07/2013.
Descrição: Este projeto foi realizado em parceria com o Núcleo de Apoio a Quilombos da Cooordenaçaõ de Desenvolvimento Agrário, CDA, órgão do Governo do Estado da Bahia que tem como finalidade a regularização Fundiária. Foi realizado o mapeamento das comunidades quilombolas certificadas pela Fundação Cultural Palmares, donde 50 comunidades foram mapeadas e identificou-se suas características fundiárias..
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Integrante / GERMANI, G.I. - Coordenador / ROSÁRIO, Nádia Barreto. - Integrante.
2010 - 2010
Diagnóstico Fundiário e Mapeamento das Comunidades Quilombolas do Baixo Sul da Bahia

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Guiomar Inez Germani em 03/07/2013.
Descrição: Este projeto foi realizado em parceria com o Núcleo de Apoio a Quilombos da Cooordenaçaõ de Desenvolvimento Agrário, CDA, órgão do Governo do Estado da Bahia que tem como finalidade a regularização Fundiária. Foi realizado o mapeamento das comunidades quilombolas certificadas pela Fundação Cultural Palmares, donde 48 comunidades foram mapeadas e identificou-se suas características fundiárias..
Situação: Concluído; Natureza: Outra.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1) / Doutorado: (2) .
Integrantes: Tiago Rodrigues Santos - Integrante / GERMANI, G.I. - Coordenador / ROSÁRIO, Nádia Barreto. - Integrante.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Geografia / Subárea: Geografia Humana/Especialidade: Geografia Agrária.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia / Subárea: Antropologia Rural.


Idiomas


Francês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Pouco.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
1SANTOS, T. R.2016SANTOS, T. R.. NEM REDISTRIBUIÇÃO NEM RECONHECIMENTO, MUITO PELO CONTRÁRIO: a lógica da contestação a identidade e a territorialidade quilombola. Entrelaçando: Revista Eletrônica de Culturas e Educação, v. 10, p. 1-15, 2016.

Capítulos de livros publicados
1.
SANTOS, T. R.. Assassinato de José Zacarias dos Santos (1985). In: Sérgio Sauer; Gilney Viana; Cleia Anice da Mota Porto; Regina Coelly Fernandes Saraiva; Amoretti, Juliana; Gasparotto, Alessandra; Cioccari, Marta Regina; Teixeira, Marco Antonio dos Santos. (Org.). Comissão Camponesa da Verdade: Relatório final: violações de direitos no campo 1946 a 1988.. 1ed.Brasília: Dex-UNB, 2016, v. unico, p. 244-250.

2.
SANTOS, T. R.. Repressão e expropriação na Chapada Diamantina, Bahia (1970-1980). In: Sérgio Sauer; Gilney Viana; Cleia Anice da Mota Porto; Regina Coelly Fernandes Saraiva; Amoretti, Juliana; Gasparotto, Alessandra; Cioccari, Marta Regina; Teixeira, Marco Antonio dos Santos. (Org.). Comissão Camponesa da Verdade: Relatório final: violações de direitos no campo 1946 a 1988. 1ed.Brasília: Dex-UNB, 2016, v. unico, p. 241-244.

Textos em jornais de notícias/revistas
1.
SANTOS, T. R.. Conflitos agrários nos biomas da Bahia: avança o capital, resiste a vida. Alumeia - Revista da Comissão Pastoral da Terra Bahia, Salvador, p. 9 - 12, 21 nov. 2017.

2.
SANTOS, T. R.. O STF entre a Escravidão e a Constituição. A Tarde, p. A2 - A2, 14 ago. 2017.

3.
SANTOS, T. R.. Vida ou Morte Severina. A Tarde, Salvador, p. 11 - 11, 11 jul. 2017.

4.
SANTOS, T. R.. A Lei do Sexagenário. A Tarde, SALVADOR, p. A2 - A2, 28 dez. 2016.

5.
SANTOS, T. R.. CPt na Bahia: 40 anos de esperança. A Tarde, SALVADOR, p. A2 - A2, 28 nov. 2016.

6.
SANTOS, T. R.. A questão da Terra é caso de polícia. A Tarde, Salvador, p. A2 - A2, 22 jul. 2016.

7.
SANTOS, T. R.. Uns para o cravo, bilhões à ferradura. A Tarde, Salvador, p. A3 - A3, 27 jul. 2015.

8.
SANTOS, T. R.. 50 anos depois do Estatuto. E a terra?. A Tarde, Salvador, p. p.8 - p.8, 08 dez. 2014.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . Entre a autonomia e a institucionalização: Percursos da educação quilombola em Bom Jesus da Lapa (Ba). In: 30a Reunião da Associação Brasileira de Antropologia, 2016, JOão Pessoa. 30a Reunião da Associação Brasileira de Antropologia, 2016.

2.
ARAUJO, B. L. ; ALCANTARA, D.M. ; SANTOS, T. R. . TERRA E CONFLITO NA COMUNIDADE DE TINGA, MAIQUINIQUE (BA). In: Encontro Nacional de Geografia Agrária, 2016, São Cristóvão. XXIII Encontro Nacional de Geografia Agrára, 2016.

3.
MOTA, M. ; SANTOS, T. R. . A QUESTÃO AGRÁRIA EM FOCO: ANÁLISE DE NOTÍCIAS SOBRE COMUNIDADES QUILOMBOLAS DA BAHIA. In: Encontro Nacional de Geografia Agrária, 2016, São Cristóvão - SE. XXIII ENGA, 2016.

4.
SANTOS, T. R.. A morte de um brigador de terras, de um ladrão de terras: morte de Zacarias, nascimento de um Projeto de Assentamento. In: Encontro da Rede de Estudos Rurais, 2014, Campinas. Encontro da Rede de Estudos Rurais, 2014.

5.
SANTOS, T. R.; FREITAS, H. I. ; GERMANI, G.I. . GRANDES PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO E QUESTÃO AGRÁRIA NA BAHIA CONTEMPORÊNEA. In: XIV ENCUENTRO DE GEOGRAFOS DE AMERICA LATINA, 2013, LIMA. Anais do XIV ENCUENTRO DE GEOGRAFOS DE AMERICA LATINA, 2013.

6.
FREITAS, H. I. ; SANTOS, T. R. . POLÍTICA DE REFORMA AGRÁRIA, DESENVOLVIMENTO RURAL E O PASSIVO SOCIAL DO ?DEIXANDO SEMPRE A DESEJAR?.. In: XXI Encontro Nacional de Geografia Agrária, 2012, Uberlândia. Anais do XXI Encontro Nacional de Geografia Agrária, 2012. v. 1. p. 1-20.

7.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . Disputas pela mediação da luta na terra na Bahia: O caso do Assentamento Caxá ? Marcionílio Souza (BA) ? 1984-2010. In: V Jornada de Estudos em Assentamentos Rurais, 2011, Campinas. V Jornada de Estudos em Assentamentos Rurais, 2011.

8.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . Por que Reforma Agrária?. In: XIII Encuentro de Geógrafos de America Latina, 2011, San Jose - Costa Rica. XIII Encuentro de Geógrafos de America Larina, 2011. p. 001-015.

9.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. ; SILVA, P.H.C. . AS METAMORFOSES DA QUESTÃO QUILOMBOLA NA BAHIA. In: XXVIII Congresso Internacional ALAS, 2011, Recife. Anais do XXVIII Congresso Internacional ALAS, 2011.

10.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. ; CAMARA, A. S. . CETA: nossa luta é justa e certa: o Movimento CETA no quadro de luta na/pela terra na Bahia. In: I Seminário Internacional/III Nacional: Movimentos Sociais, Participaçao e Democracia, 2010, Florianopolis. CETA: nossa luta é justa e certa: o Movimento CETA no quadro de luta na/pela terra na Bahia, 2010. p. 347-361.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
SANTOS, T. R.. Reprodução Social em Assentamentos Rurais - Projeto Caxá e Projeto Zacarias (Bahia). In: I Fórum do Doutorado em Ciências Sociais da Unicamp, 2012, Campinas. I Fórum do Doutorado em Ciências Sociais da Unicamp, 2012. v. 1. p. 20-20.

2.
SANTOS, T. R.. Quilombos Contemporêneos da Bahia: das resistências e lutas localizadas à formação de organizações e representações políticas. In: III Encontro de São Lázaro, 2012, Salvador. III Encontro de São Lázaro. Salvador: Quarteto Editora, 2012. v. 1. p. 651-352.

3.
SANTOS, T. R.. Depois da terra, a disputa pela mediação: conflitos pela mediação politica da luta na terra no Assentamento de Reforma Agrária Caxá - (1984-2010). In: II Encontro de São Lázaro, 2011, salvador -. II ENCONTRO DE SÃO LÁZARO. Salvador: Quarteto, 2011. p. 315-316.

4.
SANTOS, T. R.. Campesinato: Sujeito Histórico e Produção do Espaço. In: Seminários Orientados de Pesquisa - O Espaço Geografico em Debate - Ano IX, 2011, Salvador. Seminários Orientados de Pesquisa - O Espaço Geografico em Debate - Ano IX. Salvador: EDUFBA, 2011. v. 1. p. 1-64.

5.
GERMANI, G.I. ; SANTOS, T. R. . A reconfiguração Territorial em Sitio do Mato a partir da Implantação dos Assentamentos de Reforma Agrária. In: I Encontro de São Lázaro - Encontro de Pesquisa e Pós-Graduação da FFCH-UFBA, 2010, salvador -. Encontro de São Lázaro. Salvador: Quarteto, 2010. v. 1. p. 263-263.

6.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . (RE) PENSANDO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO EM ASSENTAMENTOS RURAIS. In: XXIX Seminário Estudantil de Pesquisa XI Seminário de Pesquisa e Pós-Graduação, 2010, Salvador. XI Seminário de Pesquisa, Criação, Inovação e Pós-Graduação XXIX Seminário Estudantil de Pesquisa, Criação, Inovação, 2010.

7.
SANTOS, T. R.. A Luta pela terra na Bahia: A Trajetória do Movimento dos Trabalhadores Assentados Acampados e Quilombolas. In: XIII Congresso Brasileiro de Sociologia, 2007, Recife. Congresso Brasileiro de Sociologia.

8.
SANTOS, T. R.. A luta na/pela terra na Bahia: a Trajetória do Movimento CETA. In: XIII Congresso Brasileiro de Sociologia, 2007, Recife. Anais do XIII Congresso Brasileiro de Sociologia, 2007. v. xiii.

9.
SANTOS, T. R.; KUHN, E. R. A. ; GERMANI, G.I. ; ALENCAR, C.M.M. ; DINIZ, G. . Inventário Social de Barragens da Bahia. In: II Encontro Brasileiro Ciencias Sociais e Barragens e I Encuentro Latinoamericano Ciencias Sociales y Repressas, 2007, Salvador. Anais de II Encontro Brasileiro Ciencias Sociais e Barragens e I Encuentro Latinoamericano Ciencias Sociales y Repressas. Salvador: EDUFBA, 2007.

Apresentações de Trabalho
1.
SANTOS, T. R.. Resistências, Ação Coletiva e Reconfiguração Territorial: Reflexões de Pesquisa. 2016. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

2.
SANTOS, T. R.. Quilombos: o ouro da Chapada Diamatina. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

3.
SANTOS, T. R.. Direitos das Populações Negras e Quilombolas na Contemporaneidade. 2016. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

4.
SANTOS, T. R.. o 'lugar' da Reforma Agrária na Questão Agrária na Bahia. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

5.
SANTOS, T. R.. Conjuntura e Conflitos no Campo (Brasil e Bahia). 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
SANTOS, T. R.. Balanço da Reforma Agrária na Bahia: entre 'números', processos e perspectivas. 2014. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
SANTOS, T. R.; FREITAS, H. I. ; GERMANI, G.I. . GRANDES PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO E QUESTÃO AGRÁRIA NA BAHIA CONTEMPORÊNEA. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
SANTOS, T. R.. 'Novas Faces da Questão Agrária na Bahia'. - Comunidades Tradicionais, Quilombos e Questão Agraria na Bahia. 2013. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

9.
SANTOS, T. R.. Espaço Geográfico e Representaçao Política: dialogo interdisciplinar a partir do campo brasileiro. 2012. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

10.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . Território e Representação Política. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

11.
SANTOS, T. R.. Reprodução Social em Assentamentos Rurais - Projeto Caxá e Projeto Zacarias (Bahia). 2012. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

12.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . Disputas pela mediação da luta na terra na Bahia: O caso do Assentamento Caxá ? Marcionílio Souza (BA) ? 1984-2010. 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

13.
SANTOS, T. R.. Depois da terra, a disputa pela mediação: conflitos pela mediação politica da luta na terra no Assentamento de Reforma Agrária Caxá - (1984-2010). 2011. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

14.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . Por que Reforma Agrária?. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

15.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . A reconfiguração Territorial em Sitio do Mato a partir da Implantação dos Assentamentos de Reforma Agrária. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

16.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. ; CAMARA, A. S. . "CETA: nossa luta é justa e certa" - O MOvimento CETA o quadro de luta na/pela terra na Bahia. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

17.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . (RE) PENSANDO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO EM ASSENTAMENTOS RURAIS. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

18.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . A (re)configuração territorial no município de Sítio do Mato (Ba) a partir da implantação dos Projetos de Assentamentos de Reforma Agrária. 2008. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

19.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . A luta na/pela terra na Bahia: A Trajetória do Movimento CETA. 2007. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

20.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . A luta na/pela terra no Médio São Francisco : uma leitura da territorialização do Movimento CETA. 2007. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

21.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. ; KUHN, E. R. A. ; DINIZ, G. ; ALENCAR, C.M.M. . Inventário Social de Barragens na Bahia. 2007. (Apresentação de Trabalho/Outra).

22.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . A luta na/pela terra na Bahia: A Trajetória do Movimento dos Trabalhadores Assentados, Acampados e Quilombolas (CETA). 2006. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

23.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. . A luta na/pela terra na Bahia: A Trajetória do Movimento dos Trabalhadores Assentados, Acampados e Quilombolas (CETA). 2006. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

Outras produções bibliográficas
1.
SANTOS, T. R.. "VIREI TERROR, A RIMA É MINHA BOMBA": As possibilidades de utilização do Hip Hop no ensino de sociologia 2007 (Artigo de Conclusão da Licenciatura em Ciências Sociais).


Produção técnica
Trabalhos técnicos
1.
SANTOS, T. R.. Laudo Antropológico da Comunidade Quilombola de Batateira. 2012.

2.
SANTOS, T. R.; ROSÁRIO, N.B. ; GERMANI, G.I. . Diagnóstico Fundiário e Mapeamento das Comunidades Quilombolas do Piemonte Norte do Itapicurúl da Bahia. 2011.

3.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. ; ROSÁRIO, N.B. . Diagnóstico Fundiário e Mapeamento das Comunidades Quilombolas do Baixo Sul da Bahia. 2010.

4.
SANTOS, T. R.; MONTEIRO, L. ; DUARTE, L. ; GOMES, A. . Relatório Técnico de Identificaçaõ e Delimitação do Território da Comunidade Quilombola de Agreste - Seabra Bahia. 2009.

5.
SANTOS, T. R.; GOMES, A. ; DUARTE, L. ; CAPINAN, U. . Relatório Técnico de Identificação e Delimitação do Território da Comunidade Quilombola de Capão das Gamelas - Seabra /bahia. 2009.

6.
SANTOS, T. R.; GOMES, A. ; DUTERVIL, C. . Relatório Técnico de Identificação e Delimitação do Território da Comunidade Quilombola de Morro Redondo, Seabra - BA. 2009.

7.
TROMBONE, M. N. ; SANTOS, T. R. ; SILVA, M. . Laudo Técnico Antroplógico da Comunidade Quilombola do Calembá, Cachoeira (BA). 2008.

8.
SANTOS, T. R.; OLIVEIRA, Q. B. ; DUARTE, L. ; ANUNCIAÇÃO, S. . RTID das Comunidades Quilombolas de Ilha de Maré (Salvador). 2008.

Redes sociais, websites e blogs
1.
SANTOS, T. R.. Lutar no Brasil: Crime e Castigo. 2016; Tema: Lutar no Brasil: Crime e Castigo. (Site).

2.
SANTOS, T. R.. Kátia Abreu, A Treme-Terra. 2015; Tema: Agricultura e Capitalismo. (Site).

3.
SANTOS, T. R.. 'I' de Interesses. 2015; Tema: Lei de Biossegurança - Transgênicos. (Site).

4.
SANTOS, T. R.. Por que Marcham?. 2015; Tema: Reforma Agrária. (Site).

5.
SANTOS, T. R.. 50 anos depois, continuamos sem terra. 2014; Tema: Reforma Agrária. (Site).

6.
SANTOS, T. R.. Dez anos de Decreto 4887: Bahia. 2013; Tema: Regularização de Territórios Quilombolas na Bahia. (Blog).


Demais tipos de produção técnica
1.
SANTOS, T. R.. Geografia e Antropologia em Campo: observação participante e entrevistas. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

2.
SANTOS, T. R.. Comissão Camponesa da Verdade - Violações de Direitos no Campo. 2014. (Relatório de pesquisa).

3.
SANTOS, T. R.. Geografia em Campo: observação, entrevistas e etnografia. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

4.
SANTOS, T. R.. Geografia em Campo: observação, entrevistas e etnografia. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

5.
ARRUTI, J. M. ; SANTOS, T. R. . Minicurso: Comunidade Remanescente de Quilombos: terra e educação. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

6.
GERMANI, G.I. ; SANTOS, T. R. ; SAMPAIO, Levi José Furtado. . Terras Públicas e Reforma Agrária. 2011. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

7.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. ; TEIXEIRA, L. . Terras Públicas e Territorio da Cidadania. 2010. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

8.
SANTOS, T. R.. Terras Públicas e Comunidaddes Tradicionais na Chapada Diamantina. 2009. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

9.
SANTOS, T. R.; CHAMO, L. A. ; GERMANI, G.I. . Projetos de Assentamentos de Reforma Agrária (Bahia). 2007. (Cartas, mapas ou similares/Mapa).

10.
CHAMO, L. A. ; SANTOS, T. R. ; GERMANI, G.I. . Regionalização do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (Bahia). 2007. (Cartas, mapas ou similares/Mapa).

11.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. ; CHAMO, L. A. . Acampamentos de Trabalhadores Rurais Sem Terra (Bahia). 2007. (Cartas, mapas ou similares/Mapa).

12.
CHAMO, L. A. ; SANTOS, T. R. ; GERMANI, G.I. . Expansão do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra. 2007. (Cartas, mapas ou similares/Mapa).

13.
CHAMO, L. A. ; SANTOS, T. R. ; GERMANI, G.I. . Formas de acesso à terra e espacialização da concentração da terra nos municípios com atuação da CETA. 2007. (Cartas, mapas ou similares/Mapa).

14.
CHAMO, L. A. ; GERMANI, G.I. ; SANTOS, T. R. . Regionalização do Movimentos dos Trabalhadores Assentados, Acampados e Quilombolas (CETA). 2006. (Cartas, mapas ou similares/Mapa).

15.
CHAMO, L. A. ; OLIVEIRA, G.G. ; GERMANI, G.I. ; SANTOS, T. R. ; ESTRELA, E. . Acesso à terra e desenvolvimento territorial no nordeste do B rasil. 2006. (Desenvolvimento de material didático ou instrucional - CD- Room).

16.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. ; OLIVEIRA, G.G. ; FREITAS, H. I. ; CHAMO, L. A. ; RUIZ, A. . Acesso à terra e Desenvolvimento Territorial no Médio São Francisco. 2006. (Relatório de pesquisa).

17.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. ; FREITAS, H. I. ; AMORIN , I. G. ; JESUS, L. S. . Pesquisa sobre a Politica do Banco Mundial para o Meio Rural. 2006. (Trabalho de Campo).


Produção artística/cultural
Artes Visuais
1.
GERMANI, G.I. ; OLIVEIRA, G.G. ; AZENHA, L. A. ; DINIZ, E. ; ALCANTARA, D.M. ; RADEK, M. ; SANTOS, T. R. . Quilombo Porto Dom João. 2014. Filme.



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
OLIVEIRA, G.G.; SANTOS, J. A. L.; SANTOS, T. R.. Participação em banca de Luiza Chuva Ferrari. O Plano de Poder da Igreja Universal do Reino de Deus: estratégias territoriais da expansão neopentencostal no Brasil. 2018. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal da Bahia.

2.
LOBAO, J. S. B.; LIMA, S. L. S.; SANTOS, T. R.. Participação em banca de Vanderlei Rocha Lima. DA POSSE A RESISTÊNCIA: os desafios da Comunidade de Fundo de Pasto Caladinho na defesa do território. 2018. Dissertação (Mestrado em Planejamento Territorial) - Universidade Estadual de Feira de Santana.

3.
CAMARA, A. S.; CARDEL, L. M. P. S.; SANTOS, T. R.. Participação em banca de Girlane de Souza Nunes. ENTRE ?DERRUBAR A CERCA? E ENCONTRAR A ?PORTEIRA ABERTA?: Contradições na luta contemporânea do MST e o Programa Nacional de Crédito Fundiário.. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciencias Sociais) - Universidade Federal da Bahia.

Teses de doutorado
1.
ALENCAR, F. A. G.; SAMPAIO, Levi José Furtado.; GERMANI, G.I.; MITIDIERO JUNIOR, M. A.; SANTOS, T. R.. Participação em banca de Hingryd Inácio de Freiats. Assentamentos Rurais em terras Sul Baianas: o Litoral Sul. 2018. Tese (Doutorado em Geografia) - Universidade Federal do Ceará.

Qualificações de Doutorado
1.
GERMANI, G.I.; SAMPAIO, Levi José Furtado.; ALENCAR, F. A. G.; SANTOS, T. R.. Participação em banca de Adriano de Oliveira Lima. Assentamentos de Reforma Agrária no Território do Sisal (BA) e a luta pela permanência na terra. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em Geografia) - Universidade Federal do Ceará.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
RIOS, K. A. N; REIS, M. L.; SANTOS, T. R.. Participação em banca de Michele da Silva Alves.QUESTÃO AGRÁRIA NO MUNICIPIO DE BREJÕES/BA: UM OLHAR A PARTIR DA FAZENDA LAGOA DO MORRO. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Educação do Campo) - Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.

2.
SANTOS, T. R.; LIMA, K. C. A.; OLIVEIRA, A. D. S.. Participação em banca de Anderson Souza Barbosa.A PARTICIPAÇÃO DE ESTUDANTE DE CURSO DE GRADUAÇÃO NOS CONSELHOS SUPERIORES DA UFOB: característica do processo de afiliação institucional?. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Humanidades) - Universidade Federal do Oeste da Bahia.

3.
CALDAS, A. S.; GERMANI, G.I.; SANTOS, T. R.. Participação em banca de HERNANE MAGALHÃES NERY.A DINÂMICA DA FRONTEIRA E A SUJEIÇÃO DO TRABALHO A CONDIÇÕES ANÁLOGAS À ESCRAVIDÃO NO OESTE DA BAHIA. 2014. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Geografia) - Universidade Federal da Bahia.




Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
VIII Jornada de Assentamentos Rurais.Coordenação de GT. 2017. (Outra).

2.
I Colóquio do Grupo de Pesquisa GeografAR.Resistência, Ação Coletiva e Reconfiguração Territorial: Reflexões de Pesquisa. 2016. (Outra).

3.
Seminários Temáticos do PET em Humanidades.Sessão Especial Reforma Agrária. 2016. (Seminário).

4.
I Semana de Humanidades e Letras da Unilab.Comunidades tradicionais negras e indígenas. 2014. (Outra).

5.
I Simpósio Novembro Afro.Quilombos e comunidades remanescentes negras rurais: visibilidade e permanência no Piemonte da Chapada. 2014. (Simpósio).

6.
VI Encontro da Rede de Estudos Rurais.A morte de um brigador de terras, de um ladrão de terras: morte de Zacarias, nascimento de um Projeto de Assentamento. 2014. (Encontro).

7.
X EBGEO - Encontro Baiano de Estudantes de Geografia.A Geografia dos Movimentos Sociais: da teoria às manifestações sócioespaciais. 2014. (Encontro).

8.
Geografia e Imperialismo: de Rosa a Harvey. 2013. (Seminário).

9.
I Simpósio de Geografia Agrária da Bahia."Novas Faces da Questão Agrária na Bahia".. 2013. (Simpósio).

10.
Quem Tem Cor Age.Oficina Quilombola. 2013. (Oficina).

11.
Reconstruindo a Cartografia - do produto à obra. 2013. (Seminário).

12.
VI Jornada de Estudos em Assentamentos Rurais.Sessao de POsters: Geração de Renda e agregaçao de valor. 2013. (Encontro).

13.
VI Jornada de Estudos em Assentamentos Rurais. 2013. (Encontro).

14.
Workshoo Políticas de Reconhecimento e Sobreposições.Assentamentos Quilombolas na Bahia. 2013. (Outra).

15.
XIV ENCUENTRO DE GEOGRAFOS DE AMERICA LATINA. GRANDES PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO E QUESTÃO AGRÁRIA NA BAHIA CONTEMPORÊNEA. 2013. (Congresso).

16.
I Seminário Internacional: Estado, Território e Desenvolvimento. 2012. (Seminário).

17.
Seminário Paulista de Extensão Rural. 2012. (Seminário).

18.
VIII Semana de Geografia da UNICAMP.Território e Representação Política. 2012. (Encontro).

19.
II Encontro de Sao Lázaro.DDepois da terra, a disputa pela mediacao: mediação da luta na terra no Assentamento Caxá ? Marcionílio Souza (BA) ? 1984-2010. 2011. (Encontro).

20.
II Seminário Aberto do Grupo de Estudos Urbanos. 2011. (Seminário).

21.
Jornada Pedagógica 2011. 2011. (Outra).

22.
Seminários Orientados de Pesquisa.Campesinato: Sujeito Histórico e Produção do Espaço. 2011. (Seminário).

23.
Terras Públicas e Reforma Agraria.Terras Públicas e Reforma Agrária. 2011. (Oficina).

24.
V Jornada de Estudos em Assentamentos Rurais.Disputas pela mediação da luta na terra na Bahia: O caso do Assentamento Caxá ? Marcionílio Souza (BA) ? 1984-2010. 2011. (Outra).

25.
XIII Encuentro de Geografos de America Latina.Por que Reforma Agrária?. 2011. (Encontro).

26.
I Encontro de São Lázaro - Encontro de Pesquisa e Pós-Graduação da FFCH-UFBA.A reconfiguração Territorial em Sitio do Mato a partir da Implantação dos Assentamentos de Reforma Agrária. 2010. (Encontro).

27.
III Seminário de Estudos Ambientais e Ordenamento do Território Estratégias de investigação geográfica aplicadas ao território: o semiárido baiano. 2010. (Seminário).

28.
II Semana de Geografia Negra - UFBA.Territórios Quilombolas na Bahia. 2010. (Outra).

29.
I Seminário Internacional/III Nacional: Movimentos Sociais, Participaçao e Democracia.CETA: nossa luta é justa e certa: o Movimento CETA no quadro de luta na/pela terra na Bahia. 2010. (Seminário).

30.
Jornada Pedagógica 2010. 2010. (Outra).

31.
Seminário Intero do Projeto GeografAR.O Movimento CETA, a Reforma Agrária e a Política Territorial na Bahia. 2010. (Seminário).

32.
Seminário Políticas Sociais para o Desenvolvimento da Bahia. 2010. (Seminário).

33.
Seminário sobre Reforma Agrária e Discriminação das Terras Públicas.Movimentos Sociais e Terras Pùblicas na Bahia. 2010. (Seminário).

34.
Seminário Sobre Regularização e Produção nas áreas de Fundo de Pasto.Questão Agrária na Bahia: Fundos de Pasto e Terras Devolutas. 2010. (Seminário).

35.
XXIX Seminário Estudantil de Pesquisa XI Seminário de Pesquisa e Pós-Graduação.(RE) PENSANDO A PRODUÇÃO DO ESPAÇO EM ASSENTAMENTOS RURAIS. 2010. (Seminário).

36.
I Seminário Estadual de Cidadania das Comunidades Quilombolas.A luta pela terra e s comunidades quilombolas. 2009. (Seminário).

37.
Conferência dos Povos e Comunidades do Rio São Francisco. 2008. (Outra).

38.
II Seminário Quilombos: Direitos, Desafios e Experiências. 2008. (Seminário).

39.
Seminário Nacional "Os Movimentos Sociais e os novos sentidos da política". 2008. (Seminário).

40.
XXVII Seminário Estudantil de Pesquisa/IX Seminário de Pesquisa e Pós-Graduação..A (re) configração territorial no município de Sítio do Mato a partir da implantação dos assentamentos de reforma agrária. 2008. (Seminário).

41.
II Encontro Brasileiro Ciencias Sociais e Barragens e I Encuentro Latinoamericano Ciencias Sociales y Repressas.Inventário Social de Barragens na Bahia. 2007. (Encontro).

42.
II Fórun Social Nordestino: um outro Nordeste é possível.Modelos de Desenvolvimento e seus impactos sobre as Comunidades Tradicionais: unidades de conservação, barramento e carcinocultura. 2007. (Oficina).

43.
II Seminário Interdisciplinar : DIREITO E DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA. 2007. (Seminário).

44.
VIII Seminário de Pesquisa e Pós-Graduação e XVI Seminário Estudantil de Pesquisa.A luta pela terra na Região do Médio São Francisco: uma leitura da territorialização do CETA. 2007. (Seminário).

45.
XIII Congresso Brasileiro de Sociologia. A luta na/pela terra na Bahia: A Trajetória do Movimento CETA. 2007. (Congresso).

46.
IV Seminário Arquidiocesano de Educação Social nas Periferias - Adolescência:panoramas e Perspectivas. 2006. (Seminário).

47.
Seminário: Acesso à Terra e Desenvolvimento Territorial no Medio São Francisco. 2006. (Seminário).

48.
Seminário em Geociências - 2006.A luta na/pela terra na Bahia: a Trajetória do Movimento dos Trabalhadores Assentados, Acampados e Quilombolas (CETA). 2006. (Seminário).

49.
VII Seminário de Pesquisa e Pós Graduação e e XXV Seminário Estudantil de Pesquisa.A Luta na/pela terra na Bahia: A trajetória do Movimento dos Trabalhadores Assentados, Acampados e Quilombolas da Bahia (CETA). 2006. (Seminário).

50.
Projeto Genero, Raça e Cidadania no Combate à Violencia nas Escolas.Projeto Genero, Raça e Cidadania no Combate à Violencia nas Escolas. 2005. (Outra).

51.
Rede Terra de Pesquisa Popular. 2005. (Oficina).

52.
Seminário: Conversando Com Sua História. 2005. (Outra).

53.
Seminário de Comunicação e Política. 2005. (Seminário).

54.
Seminário Sobre Pesquisa Popular. 2005. (Seminário).

55.
Seminário Terras Públicas na Bahia. 2005. (Seminário).

56.
Guerra em 3 Tempos. 2003. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
GERMANI, G.I. ; OLIVEIRA, G.G. ; FREITAS, H. I. ; RIOS, K. A. N ; SANTOS, T. R. ; ALCANTARA, D.M. . II Simpósio Baiano de Geografia Agrária. 2017. (Outro).

2.
SANTANA, N. P. ; SANTOS, T. R. . VII Semana da Consciência Negra e IV Seminário das Comunidades Quilombolas do Território do Velho Chico. 2016. (Outro).

3.
GERMANI, G.I. ; SANTOS, T. R. ; FREITAS, H. I. ; OLIVEIRA, G.G. . Geografando nas Sextas:Balanço da Reforma Agrária na Bahia. 2014. (Outro).

4.
GERMANI, G.I. ; OLIVEIRA, G.G. ; SANTOS, T. R. ; TEIXEIRA, L. ; LEOPOLDINO, M. . Geografando nas Sextas: Monocultura de Eucalipto. 2014. (Outro).

5.
GERMANI, G.I. ; SANTOS, T. R. . Geografando nas Sextas: Conjuntura e Conflito no Campo (Brasil e Bahia). 2014. (Outro).

6.
GERMANI, G.I. ; SANTOS, T. R. ; LIMA, A.O. ; OLIVEIRA, G.G. ; ZENHA, L. A. ; Alves, Taíse. . Geografando nas Sextas: A Convenção 169 da OIT e os direitos territoriais ameaçados. 2014. (Outro).

7.
SANTOS, T. R.. VI Jornada de Estudos em Assentamentos Rurais. 2013. (Outro).

8.
SANTOS, T. R.; ARRUTI, J. M. . Antropologia e Geografia: territórios, etnicidade e educação. 2013. (Outro).

9.
SANTOS, T. R.; CRUZ, C. M. ; ARRUTI, J. M. ; CAMPUS, R. . Seminário Antropologia e Direito: dez anos do Decreto 4887/2003. 2013. (Outro).

10.
ARRUTI, J. M. ; CRUZ, C. M. ; CAMPUS, R. ; SANTOS, T. R. . Conjuntura Quilombola - Paraná, São Paulo e Bahia. 2013. (Outro).

11.
ARRUTI, J. M. ; CAMPOS, R. F. ; CRUZ, C. M. ; SANTOS, T. R. . Conjuntura Quilombola - Minas Gerais e Paraíba. 2013. (Outro).

12.
SANTOS, T. R.. I Fórum de Doutorandos do Curso de Doutorado de Ciências Sociais - UNICAMP. 2012. (Outro).

13.
SANTOS, T. R.; RIOS, K. A. N . Seminário Mineração e Desenvolvimento: exploração do subsolo, conflitos na superfície. 2011. (Outro).

14.
SANTOS, T. R.; RIOS, K. A. N . Seminário Novo Código Florestal: Meio Ambiente, Agricultura e Sociedade. 2011. (Outro).

15.
SANTOS, T. R.; RIOS, K. A. N . Conflitos no CAmpo - Brasil 2010. 2011. (Outro).

16.
SANTOS, T. R.; RIOS, K. A. N . Você tem fome de quê? Agricultura, agrotóxico e soberania alimentar. 2011. (Outro).

17.
PUENTES, A. T. ; SCHER, M.A.P. ; FÉLIX, I.M. ; PESSOA, L. ; GERMANI, G.I. ; SANTOS, T. R. . Seminários Orientados de Pesquisa "O Espaço Geograáfico em Debate" - Ano IX. 2011. (Outro).

18.
SANTOS, T. R.; RIOS, K. A. N ; GERMANI, G.I. ; OLIVEIRA, G.G. . Relatório da Missão Caetite: violações dos direitos humanos no ciclo nuclear. 2011. (Outro).

19.
SANTOS, T. R.; RIOS, K. A. N . Um novo projeto de desenvolvimento para o Brasil e os Movimentos populares. 2010. (Outro).

20.
SANTOS, T. R.; RIOS, K. A. N . Seminário Trabalho Escravo na Bahia. 2010. (Outro).

21.
SANTOS, T. R.; RIOS, K. A. N . Seminário Territórios Étnicos e Regularização Fundiária: Indigenas e Quilombolas. 2010. (Outro).

22.
GERMANI, G.I. ; OLIVEIRA, G.G. ; FREITAS, H. I. ; ALCANTARA, D.M. ; SANTOS, T. R. . Seminário Interno do Projeto GeografAR - A Conclitualidade Territorial no Campo Baiano. 2010. (Outro).

23.
CAPINAN, U. ; GOMES, A. ; SANTOS, T. R. . Audiência Publicas das Comunidades Quilombolas de Seabra, Bahia. 2009. (Outro).

24.
SANTOS, T. R.. Audiência Públicas das Comunidades Quilombolas de Ilha de Maré, Salvador - Bahia. 2009. (Outro).

25.
SANTOS, T. R.; FREITAS, H. I. ; KUHN, E. R. A. . I Encuntro Latinoamericano Ciencias Sociales y Repressas e II Encontro Brasileiro Ciências Sociais e Barragens. 2007. (Outro).

26.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. ; FREITAS, H. I. ; KUHN, E. R. A. ; MARQUES, J. . Oficina: Modelos de Desenvolvimentos e seue impactos sobre Povos e Comunidades Tradicionais: Undades de Conservação, Barramentos e Carcinocultura. 2007. (Outro).

27.
SANTOS, T. R.; FREITAS, H. I. ; KUHN, E. R. A. ; CHAMO, L. A. . Seminário: Perspectivas Teóricas e Garantias de Direitos às Terras Públicas. 2006. (Outro).

28.
SANTOS, T. R.; GERMANI, G.I. ; FREITAS, H. I. ; KUHN, E. R. A. ; OLIVEIRA, G.G. ; CHAMO, L. A. . Seminário: Acesso á Terra e Desenvovimento Territorial no Médio São Francisco. 2006. (Outro).

29.
SANTOS, T. R.; FREITAS, H. I. ; ROXO, H.L.C. ; SACRAMENTO, A. ; SANTOS JUNIOR, V. X. ; TOLENTINO, I. ; ARAUJO, M. A. ; DUTRA, I. ; ANJOS, M.P. . Seminário Terras Públicas na Bahia. 2005. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões concluídas
Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Raissa Carolina Chaves Nunes. O lugar do Estágio Supervisionado na Formação Profissional do Engenheiro Agrônomo da UNEB. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Humanidades) - Universidade Federal do Oeste da Bahia. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.

2.
Amilton Pereira dos Santos. EDUCAÇÃO QUILOMBOLA E O CURRÍCULO DE CIÊNCIAS: Contribuição aos Processos de Formação Identitária dos Jovens Quilombolas de Tomé Nunes (Ba). 2017. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Oeste da Bahia. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.

Iniciação científica
1.
Luzia Marielle Ferreira da Silva. ?Modos de ser, modos de viver, modos de lutar: Quilombos no Território do Velho Chico?. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Humanidades) - Universidade Federal do Oeste da Bahia, UFOB. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.

2.
Arthur Cerqueira dos Santos. Modos de ser, modos de viver, modos de lutar: Quilombos no Território do Velho Chico?.. 2016. Iniciação Científica. (Graduando em Geografia) - Universidade Federal do Oeste da Bahia. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.

3.
Arthur Cerqueira. Formas de acesso à terra em Bom Jesus da Lapa: Agricultura(s) e formações socioespaciais?. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em Geografia) - Universidade Federal do Oeste da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.

4.
Clevison Dionísio dos Santos. Formas de lutar na/pela Terra em Bom Jesus da Lapa (Ba): unidade e diversidade das formas de organização política. 2015. Iniciação Científica. (Graduando em História) - Universidade Federal do Oeste da Bahia. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.

Orientações de outra natureza
1.
Marcelo Mota. A questão Quilombola em Foco: Análise da Questão Quilombola no Jornal A Tarde. 2014. Orientação de outra natureza. (Geografia) - Universidade Federal da Bahia, UFBA. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.

2.
Briza Aguiar. A Questão Indígena em foco: análise sobre a questão indígena na Bahia. 2014. Orientação de outra natureza. (Geografia) - Universidade Federal da Bahia, UFBA. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.

3.
Heder de Jesus Souza Peixoto. 20 anos do Movimento CETA na Bahia. 2014. Orientação de outra natureza. (Geografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.

4.
Lorena Stephanie Santos Cerqueira. A Dimensão Territorial das Políticas Sociais para as Comunidades Negras Rurais e Quilombolas do Estado da Bahia 2.. 2012. Orientação de outra natureza. (Geografia) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.

5.
Hernane Magalhaes Nery. Trabalho Escravo e o desenvolvimento da agricultura capitalista no Oeste da Bahia. 2011. Orientação de outra natureza. (Geografia) - Universidade Federal da Bahia, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.

6.
Hernane Magalhães Nery. Diagnóstico e Mapeamento do Trabalho Escravo na Bahia. 2010. Orientação de outra natureza. (Geografia) - Universidade Federal da Bahia. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.

7.
Paulo Henrique Carvalho e Silva. Comunidades Quilombolas na Bahia: Mapeamento de Comunidades Quilombolas do Baixo Sul. 2010. Orientação de outra natureza. (Ciências Sociais) - Universidade Federal da Bahia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico. Orientador: Tiago Rodrigues Santos.



Inovação



Projetos de pesquisa

Projeto de extensão

Outros projetos


Educação e Popularização de C & T



Cursos de curta duração ministrados
1.
SANTOS, T. R.. Geografia em Campo: observação, entrevistas e etnografia. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
SANTOS, T. R.. Geografia em Campo: observação, entrevistas e etnografia. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
ARRUTI, J. M. ; SANTOS, T. R. . Minicurso: Comunidade Remanescente de Quilombos: terra e educação. 2012. (Curso de curta duração ministrado/Outra).


Redes sociais, websites e blogs
1.
SANTOS, T. R.. Dez anos de Decreto 4887: Bahia. 2013; Tema: Regularização de Territórios Quilombolas na Bahia. (Blog).

2.
SANTOS, T. R.. Lutar no Brasil: Crime e Castigo. 2016; Tema: Lutar no Brasil: Crime e Castigo. (Site).



Outras informações relevantes


Aprovado em 1º lugar para o processo seletivo de Professor Substituto do Departamento de Geografia da UFBA.
Realização do Programa de Estágio de Docencia (PED-C), com o Prof. Dr. José Mauricio Arruti, na disciplina Etnologia das Populações Rurais, disciplina eletiva do Curso de Graduação em Ciências Sociais da Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, 2013.2.
Realização do Tirocínio Docente Orientado, atividade obrigatória do Programa de Pós-Graduação em Geografia (UFBA) com o Prof. Dr. Angelo S. P. Serpa, na disciplina Geografia Regional I, 2011.1, disciplina obrigatória do Curso de Graduação em Geografia da Universidade Federal da Bahia.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 19/12/2018 às 4:19:01