Juliana Gonçalves Freire

Bolsista de Doutorado do CNPq

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/6585551512752379
  • Última atualização do currículo em 03/12/2018


Doutoranda e mestre em Antropologia pela Universidade Federal de Pernambuco (PPGA- UFPE). Bacharel em História com área de concentração em história cultural pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Atualmente é bolsista Capes/CNPq no PPGA-UFPE. Foi estagiária docente da disciplina Cultura Popular, ofertada pelo Departamento de Antropologia e Museologia da UFPE, para os cursos de Ciências Sociais Bacharelado e Licenciatura (2013-2014). Faz parte da comissão discente de eventos do PPGA-UFPE. Faz parte da equipe editorial da Revista de Estudos e Investigações Antropológicas -REIA, organizada pelos discentes do PPGA-UFPE Na graduação foi colaboradora do PIBIC (2009-2010), bolsista de extensão (2009). Desenvolve pesquisas de campo e bibliográficas sobre os seguintes temas: cultura popular, patrimônio cultural, manifestações artísticas e religiosas, folguedos, estética e performance. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Juliana Gonçalves Freire
Nome em citações bibliográficas
GONÇALVES,Juliana


Formação acadêmica/titulação


2015
Doutorado em andamento em Antropologia.
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Orientador: Lady Selma Ferreira Albernaz.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
2013 - 2015
Mestrado em Antropologia.
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Título: Criar, cantar e dançar: Um estudo antropológico do Guerreiro ? folguedo alagoano,Ano de Obtenção: 2015.
Orientador: Bartolomeu Figuerôa de Medeiros.
Coorientador: Jorge Freitas de Farias Jr.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: patrimônio; folguedo; manifestação artística; cultura popular.
Grande área: Ciências Humanas
2007 - 2013
Graduação em História Bacharelado.
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
Título: O sertão no palco: uma análise historiográfica do teatro de Ariano Sussuna.
Orientador: Clara Suassuna Fernades.
Bolsista do(a): Pró Reitoria de Extensão da Universidade Federal de Alagoas, PROEX - UFAL, Brasil.




Formação Complementar


2011 - 2012
Extensão universitária em Oficina de Introdução a cinematografia Digital. (Carga horária: 8h).
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
2011 - 2011
Antropologia Visual. (Carga horária: 40h).
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
2011 - 2011
Desvendando as religiões: histórias, mitos, festej. (Carga horária: 30h).
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
2011 - 2011
Antropologia brasileira. (Carga horária: 40h).
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
2010 - 2010
Métodos/Técnicas e Análise de Dados: a entrevista. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
2007 - 2007
A revolução científica no século XVII:. (Carga horária: 20h).
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: discente, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Fez o estágio docência nos cursos de Ciências Sociais Bacharelado e Licenciatura (2013-2014) nesta instituição.


Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
Vínculo institucional

2007 - 2013
Vínculo: aluna, Enquadramento Funcional: aluna, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Aluna da Universidade Federal de Alagoas - UFAL, com previsão para o término da graduação no final de 2011.



Projetos de pesquisa


2010 - 2011
Ordem Privada e imaginário político no Sertão do São Francisco: o motim de 1736
Descrição: Em território afastado, a princípio, dos olhares e cuidados da coroa portuguesa, homens foram aos poucos desbravando os sertões e se fixando nas terras. Ali naquele lugar, conhecido como o sertão do São Francisco, fora da rota aurífera, foi onde aconteceu uma das principais revoltas contra o governo local. A causa principal da revolta é muito discutida pelos historiadores, uns acreditam que o fator determinante foi à cobrança indevida de impostos ligados a arrecadação do ouro naquela região e outros divergem, afirmando que o estopim foi o receio dos potentados de perderem sua soberania naquela região. Assim, como foi colocado, a discussão de autores participantes do motim no ano de 1736 ainda são objetos de estudos, pois as lideranças são questionadas quanto aos seus interesses e sua participação no movimento. Portanto, existem lacunas que uma documentação mais completa, como a que existe no acervo da Torre do Tombo em Portugal poderá esclarecer para os futuros trabalhos. O mais importante nessa pesquisa é entender como os diferentes historiadores chegaram a essa conclusão, levando em conta os documentos pesquisados do Arquivo Público Mineiro e o confronto entre essas diferentes reflexões sobre esse assunto ainda pouco discutido dentro da historiografia brasileira..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.


Projetos de extensão


2011 - Atual
Programa MEC-Sesu Folguedos Populares em Alagoas: recuperação, disponibilização e pesquisa nos acervos sonoro, fotográfico e documental do Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore
Descrição: Este programa de extensão tem como objetivo contribuir para a conservação, pesquisa e disponibilização dos acervos fotográficos, sonoros e documentais da coleção do médico, folclorista e antropólogo alagoano Theotônio Vilela Brandão (1907-1981). A despeito de sua relevância para a preservação do patrimônio cultural alagoano, nordestino e brasileiro, grande parte desse precioso acervo não se encontra em condições adequadas de conservação e acomodação, o que inevitavelmente vem colocando em risco sua integridade física e consequentemente o conteúdo de suas informações. Abrangendo ações de tratamento digital, transcrição e catalogação dos documentos, formação e consolidação de um grupo de estudos, organização do Ciclo de Debates sobre Cultura Popular, Museus e Acervos Documentais e Audiovisuais , com quatro seminários temáticos e um encontro de mestres da cultura popular alagoana, este Programa tem como meta potencializar o acesso do público aos conteúdos do acervo, de modo que ele sirva de suporte para o desenvolvimento e a continuidade de pesquisas na área, favorecendo seu fortalecimento e, consequentemente, a valorização e o reconhecimento tanto de Théo Brandão como etnógrafo, folclorista e escritor, quanto dos detentores dos conhecimentos e das formas de expressões culturais tradicionais...
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
2010 - 2011
Estudos em Cultura Popular, Patrimônio e Acervos Audiovisuais
Descrição: Grupo de estudo, com o objetivo de discutir e pesquisar sobre o patrimônio cultural brasileiro, com ênfase nos estudos do Nordeste..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2010 - 2011
Historia e Cultura Afro-brasileira e Africana em Quadrinhos: Eficácia do uso de HQ´s na Sala de Aula: uma avaliação na região metropolitana de Maceió
Descrição: Descrição: O projeto visa medir a eficácia do uso de histórias em quadrinhos produzidas sobre a Cultura e história Africana e Afro-brasileira nas salas de aula em escolas públicas da região metropolitana de Maceió, que visam munir os professores de sociologia, história, letras e geografia de materiais didáticos mais estimulantes e lúdicos visando garantir o cumprimento da Lei 10.639/03 nas redes de ensino. Apesar de já ter 7 anos de promulgada, a lei que obriga as escolas a inserir conteúdos sobre as contribuições da cultura africana na formação da cultura brasileira ainda não encontra impulso nas salas de aula. São poucos os materiais didáticos produzidos e menores ainda aqueles que se preocupam em estimular visualmente o interesse do aluno e que mostrem que conteúdos devem ser trabalhados em sala de aula. Uma equipe de desenhistas de quadrinhos produziu com financiamento público em Pernambuco um álbum de 80 páginas enfocando estas contribuições e que pode ser usados por professores das diferentes áreas. O projeto tem o intuito de verificar a eficiência deste material didático em algumas escolas piloto de Maceió visando levar ao conhecimento dos futuros profissionais licenciados a possibilidade de produções de materiais didáticos semelhantes e as facilidades do uso deste veiculo comunicacional (HQ) na divulgação destes conteúdos pedagógicos.. Situação: Em andamento; Natureza: Extensão. Alunos envolvidos: Graduação ( 4) . Integrantes: Amaro Xavier Braga Júnior - Coordenador. Financiador(es): Universidade Federal de Alagoas - Bolsa...
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.
2009 - 2011
Mapeamento afro-religioso de Maceió-Al
Descrição: Este projeto constitui uma etapa de projeto anterior e que se desenvolve no Laboratório da Cidade e do Contemporâneo ? LACC, do Instituto de Ciências Sociais ? ICS da Universidade Federal de Alagoas ? UFAL desde 2004, tendo, nos anos de 2007 e 2008 a participação de alunos cotistas oriundos do Programa Afro-Atitude, do governo federal. Trata-se, nesse momento, da checagem, em campo, dos números e informações adicionais fornecidos pelas Federações ligadas às casas religiosas de matriz africana no Estado de Alagoas. Nosso objetivo é a construção de um mapa com dados efetivos e mais aproximados da realidade atual dessas práticas religiosas em Alagoas, tomando, nesta etapa, apenas a capital, Maceió, como campo de investigação. Aliado ao Projeto Nacional das Novas Cartografias Sociais, este nosso projeto do Mapeamento Afro-Religioso de Maceió, AL se inspira nas metodologias aportadas por esta experiência em que as comunidades e os grupos investigados traçam, eles próprios, sua noção de auto distribuição no espaço territorial..
Situação: Em andamento; Natureza: Extensão.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Antropologia.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: História.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
GONÇALVES,Juliana2018GONÇALVES,Juliana. O GUERREIRO TREME TERRA ALAGOANO: a contribuição de mestre Benon para a história do folguedo de Alagoas. ÁLTERA REVISTA DE ANTROPOLOGIA, v. 1, p. 55-68, 2018.

2.
GONÇALVES,Juliana2017GONÇALVES,Juliana. CRIAR, CANTAR E DANÇAR: as pessoas por trás das figuras e os elementos formadores dos Guerreiros. REVISTA DE ESTUDOS E INVESTIGAÇÕES ANTROPOLÓGICAS, v. 4, p. 152-176, 2017.

3.
GONÇALVES,Juliana2013GONÇALVES,Juliana; BRAGA JUNIOR, A. X. . Breve panorama sobre o cumprimento da Lei 10.639 em Maceió/AL. Revista Identidde, v. 18, p. 112-121, 2013.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
GONÇALVES,Juliana; Souza, Felipe F.S . Brincantes-romeiros: rezar, cantar e dançar no Juazeiro do Padre Cícero.. In: V REA ABANNE, 2015, Maceió. V REA ABANNE, 2015.

2.
GONÇALVES,Juliana; Souza, Felipe F.S . 'O cotidiano de um folguedo e a sua reinvenção: as contribuições de mestres e brincantes para a manutenção, preservação e transformação de um grupo de Guerreiro de Alagoas.'. In: 29ª Reunião Brasileira de Antropologia - diálogos antropológicos expandindo fronteiras, 2014, Natal-RN. 29ª Reunião Brasileira de Antropologia - diálogos antropológicos expandindo fronteiras, 2014.

3.
GONÇALVES,Juliana. CANTAR, DANÇAR E REZAR: A HISTÓRIA RELIGIOSA DO GUERREIRO ALAGOANO. In: Religião, a herança das crenças e as diversidades do crer, 2013, Campina Grande. RELIGIÃO, A HERANÇA DAS CRENÇAS E AS DIVERSIDADES DO SER. Campina Grande, 2013. v. 1. p. 284-293.

4.
GONÇALVES,Juliana; Souza, Felipe F.S . OS PEQUENOS NATIVOS: PESQUISA, ESTRANHAMENTO E CONVÍVIO COM AS CRIANÇAS DA PASTORAL DA BREJAL, MACEIÓ, AL. In: III Semana de Antropologia PPGA/UFPB - o ofício do antropólogo, 2013, João Pessoa. ANAIS - 2013 O Ofício do Antropólogo., 2013.

5.
GONÇALVES,Juliana. Panorama sobre o ensino da cultura africana e afro-brasileira nas escolas públicas em Maceió. In: I seminário internacional da história social do crime e segurança pública, 2011, Maceió. Encontro de História: poder, crime e segurança pública. Maceió: Edufal, 2011.

6.
GONÇALVES,Juliana. O nascimento de uma religião: João de Camargo. In: II encontro de história: Historiografia Brasileira-Problemas, Debates e Perspectivas, 2010, Maceió. Anais eletrônicos - II encontro de história: Historiografia Brasileira-Problemas, Debates e Perspectivas. Maceió: EDUFAL, 2010.

7.
GONÇALVES,Juliana; BRAGA JUNIOR, A. X. . Panorama Sobre a História da Cultura Afro-Brasileira e Africana na Sala de Aula em Maceió Conclusões. In: VII Congresso Acadêmico UFAL - excelência acadêmica com inclusão social, 2010, Maceió. VII Congresso Acadêmico UFAL - excelência acadêmica com inclusão social, 2010.

8.
GONÇALVES,Juliana; Rachel Rocha de Almeida Barros . A trajetória da religiosidade afro-brasileira em Maceió. In: VII Congresso Acadêmico UFAL - excelência acadêmica com inclusão social, 2010, Maceió. VII Congresso Acadêmico UFAL - excelência acadêmica com inclusão social, 2010.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
GONÇALVES,Juliana. Brincantes-romeiros: rezar, cantar e dançar no Juazeiro do Padre Cícero.. In: Reunião Equatorial de Antropologia, 2015, Maceió. V REA ABANNE, 2015.

2.
GONÇALVES,Juliana; Souza, Felipe F.S . O cotidiano de um folguedo e a sua reinvenção: as contribuições de mestres e brincantes para a manutenção, preservação e transformação de um grupo de Guerreiro de Alagoas.. In: 29ª Reunião Brasileira de Antropologia - diálogos antropológicos expandindo fronteiras, 2014, Natal-RN. 29ª Reunião Brasileira de Antropologia - diálogos antropológicos expandindo fronteiras, 2014.

3.
GONÇALVES,Juliana. O percurso histórico dos terreiros da cidade de Maceió. In: XXX Encontro Nacional dos Estudantes de História - Identidades e memórias dos estudantes de história do Brasil, 2010, Fortaleza. XXX Encontro Nacional dos Estudantes de História - Simpósios temáticos - resumos - cadernos de debates. Fortaleza: EdUECE, 2010.

4.
GONÇALVES,Juliana. DISTRIBUIÇÃO, POR GÊNERO E IDADE, DAS LIDERANÇAS RELIGIOSAS IDENTIFICADAS NO ?MAPEAMENTO AFRO- RELIGIOSO DE MACEIÓ-AL?.. In: VI Congresso Acadêmico da UFAL, 2009, Maceió. Excelência Acadêmica com inclusão social. Maceió, 2009.

Apresentações de Trabalho
1.
GONÇALVES,Juliana; Souza, Felipe F.S . 'O cotidiano de um folguedo e a sua reinvenção: as contribuições de mestres e brincantes para a manutenção, preservação e transformação de um grupo de Guerreiro de Alagoas.'. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
GONÇALVES,Juliana. O mestre é patrimônio: uma breve reflexão em torno do Registro do Patrimônio Vivo no estado de Alagoas. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

3.
GONÇALVES,Juliana. Antropologia no museu: a trajetória e os atuais projetos no Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore.. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
GONÇALVES,Juliana. Panorama sobre o ensino da cultura africana e afro-brasileira nas escolas públicas em Maceió. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
GONÇALVES,Juliana. O nascimento de uma religião: João de Camargo. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

6.
GONÇALVES,Juliana. Percurso Histórico dos terreiros da cidade de Maceió. 2010. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
GONÇALVES,Juliana. Panorama sobre a cultura afro-brasileira e africana na sala de aula de Maceió. 2010. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

8.
GONÇALVES,Juliana; BRAGA JUNIOR, A. X. . Panorama Sobre a História da Cultura Afro-Brasileira e Africana na Sala de Aula em Maceió. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
GONÇALVES,Juliana; Rachel Rocha de Almeida Barros . A trajetória da Religiosidade afro-brasileira em Maceió. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

10.
GONÇALVES,Juliana. DISTRIBUIÇÃO, POR GÊNERO E IDADE, DAS LIDERANÇAS RELIGIOSAS IDENTIFICADAS NO ?MAPEAMENTO AFRO- RELIGIOSO DE MACEIÓ-AL. 2009. (Apresentação de Trabalho/Congresso).


Produção técnica
Redes sociais, websites e blogs
1.
GONÇALVES,Juliana. Antropologicamente Falando !!!!. 2013; Tema: A proposta do blog é apresentar vários pontos de vista sobre determinados assuntos, levando em consideração o diálogo entre academia e sociedade.. (Blog).


Demais tipos de produção técnica
1.
GONÇALVES,Juliana. Revista de Estudos e Investigações Antropológicas. 2015. (Editoração/Outra).

2.
GONÇALVES,Juliana. O campo através da imagem. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
GONÇALVES,Juliana. O campo através da Imagem. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

4.
GONÇALVES,Juliana. Revista de Estudos e Investigações Antropológicas. 2014. (Editoração/Outra).

5.
GONÇALVES,Juliana. Mapeamento dos terreiros de Candomblé e Umbanda na cidade de Maceió: um relato de experiência. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

6.
GONÇALVES,Juliana. Mapeamento dos Terreiros de Candomblé e Umbanda na cidade de Maceió: um relato de experiência. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Cirkula 2016.?ETNOGRAFIA NA CIDADE: AS MANIFESTAÇÕES ARTÍSTICAS EM JUAZEIRO DO NORTE NO PERÍODO DAS ROMARIAS?. 2016. (Encontro).

2.
29ª Reunião Brasileira de Antropologia - diálogos antropológicos expandindo fronteiras. O cotidiano de um folguedo e a sua reinvenção: as contribuições de mestres e brincantes para a manutenção, preservação e transformação de um grupo de Guerreiro de Alagoas.. 2014. (Congresso).

3.
I Cirkula ? Habilidades e Saberes Antropológicos.O mestre é patrimônio: uma breve reflexão em torno do Registro do Patrimônio Vivo no estado de Alagoas. 2014. (Seminário).

4.
Palestra: O Giro dos Folguedos e as Culturas populares tradicionais de Alagoas. 2014. (Outra).

5.
Avaliação de Políticas Públicas sob a Perspectiva Etnográfica. 2013. (Oficina).

6.
Avaliação de Políticas Públicas sob a Perspectiva Etnográfica. 2013. (Oficina).

7.
Campos de Imagens: Antropologia Visual por Antropólogos e Não Antropólogos. Dia de Yemanjá na orla de Pajuçara. 2013. (Exposição).

8.
Eu e o Outro: a aprendizagem do olhar imagético. 2013. (Oficina).

9.
I seminário de Antropologia ppga.Coordenadora do Métodos antropológicos e patrimônio: discussões sobre produção simbólica e diversidade cultural. 2013. (Simpósio).

10.
IV REA/XIII ABANNE. Antropologia no museu: a trajetória e os atuais projetos no Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore.,. 2013. (Congresso).

11.
Minicurso Antropologia e Biologia:para ler Tim Ingold. 2013. (Outra).

12.
Minicurso Antropologia e o Inventário Nacional: procedimentos, aplicações e métodos. 2013. (Outra).

13.
Colóquio Desvendando as Religiões. 2012. (Outra).

14.
Curso: higienização e conservação do acervo documental do museu Théo Brandão. 2012. (Outra).

15.
Seminário Nacional Dialogando Sobre os Rumos da Antropologia Brasileira. 2012. (Seminário).

16.
1º Festival de Cinema Universitário de Alagoas. 2011. (Outra).

17.
I Ciclo debates em torno da obra de Dirceu Lindoso. 2011. (Outra).

18.
I Seminário internacional da história social do crime e segurança pública.Panorama sobre o ensino da cultura africana e afro-brasileira nas escolas públicas em Maceió. 2011. (Seminário).

19.
Congresso Acadêmico 2010: excelência Acadêmica com Inclusão Social. Cultura. 2010. (Congresso).

20.
Congresso Acadêmico 2010: Excelência Acadêmica com Inclusão Social. Panorama Sobre a História da Cultura Afro-Brasileira e Africana na Sala de Aula em Maceió. 2010. (Congresso).

21.
II Encontro de História: Historiografia brasileira - Problemas, Debates e Perspectivas.O nascimento de uma religião : João de Camargo. 2010. (Encontro).

22.
Jornada de Estudos Alagoas: Espaço e mobilidade no sec. XXI. 2010. (Outra).

23.
Mini-curso Métodos e técnicas de coleta e análise de dados: A entrevista narrativa. Mini-curso Métodos e técnicas de coleta e análise de dados: A entrevista narrativa. 2010. (Congresso).

24.
XXX Encontro Nacional dos Estudantes de História.O percurso histórico dos terreiros da cidade de Maceió. 2010. (Encontro).

25.
Congresso Acadêmico da UFAL. Distribuição por gênero e idade das lideranças religiosas identificadas no mapeamento afro-religioso de Maceió-Alagoas. 2009. (Congresso).

26.
II Simpósio de Ciências Sociais.NOMES E LINHAS DOS NOVOS TERREIROS IDENTIFICADOS NO ?MAPEAMENTO DO AFRO RELIGIOSO DE MACEIÓ-AL?. 2009. (Simpósio).

27.
O dia da África - Desmistificação da África. 2009. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
GONÇALVES,Juliana. o I Cirkula ? Habilidades e Saberes Antropológicos. 2014. (Outro).

2.
GONÇALVES,Juliana. Comissão Científica do I Cirkula -habilidades e saberes antropológicos- ppga - UFPE. 2014. (Congresso).

3.
GONÇALVES,Juliana. Mostra de Antropologia Visual - Campos de Imagens. 2013. (Exposição).

4.
GONÇALVES,Juliana. I seminário de Antropologia ppga. 2013. (Congresso).

5.
GONÇALVES,Juliana. Colóquio Desvendando as religiões. 2012. (Outro).



Educação e Popularização de C & T



Cursos de curta duração ministrados
1.
GONÇALVES,Juliana. O campo através da Imagem. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
GONÇALVES,Juliana. Mapeamento dos Terreiros de Candomblé e Umbanda na cidade de Maceió: um relato de experiência. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
GONÇALVES,Juliana. Mostra de Antropologia Visual - Campos de Imagens. 2013. (Exposição).



Outras informações relevantes


Estágio no Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas, entre os anos de 2007 e 2008, na cidade de Maceió-AL




2. Monitora da disciplina Antropologia 3, do curso de Ciências Sociais bacharelado e licenciatura, da Universidade Federal de Alagoas - UFAL, teve início no mês de Março de 2012. Situação: em andamento



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 21/01/2019 às 7:51:56