Rayane Noronha Oliveira

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/2490084773032102
  • Última atualização do currículo em 16/09/2018


Rayane Noronha é assistente social e mestra em Sociologia pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia, na linha de pesquisa Feminismo, Relações de Gênero e de Raça, ambas titulações pela Universidade de Brasília (UnB). Atualmente é professora substituta no curso de Serviço Social da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte. Possui experiências com pesquisas na área de Feminismos, Saúde Sexual e Saúde Reprodutiva e Sistema Prisional, experiência como coordenadora do Projeto de Extensão "Promotoras Legais Populares", vinculado à Faculdade de Direito da UnB, e atuação em movimentos sociais diversos. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Rayane Noronha Oliveira
Nome em citações bibliográficas
OLIVEIRA, R. N.


Formação acadêmica/titulação


2015 - 2017
Mestrado em Sociologia.
Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Título: O ABORTO NO BRASIL: Análise das Audiências Públicas do Senado Federal (2015-2016),Ano de Obtenção: 2017.
Orientador: Tânia Mara Campos de Almeida.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.
Palavras-chave: Aborto; senado federal; Audiência Pública; SUG 15/2014; Representação Social; Justiça Reprodutiva.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Ciência Política.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Outras Sociologias Específicas.
Setores de atividade: Atividades de atenção à saúde humana.
2010 - 2014
Graduação em Serviço Social.
Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Título: Mulheres, saúde reprodutiva e prisão: um estudo da maternidade em uma perspectiva feminista na Penitenciária Feminina do Distrito Federal.
Orientador: Débora Diniz.
2009 interrompida
Graduação interrompida em 2010 em Letras - Língua Portuguesa.
Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Ano de interrupção: 2010




Formação Complementar


2013 - 2014
Extensão universitária em Mestrado de Família e Gênero. (Carga horária: 80h).
Instituto Superior Ciências Sociais e Políticas -, ISCSP-UTL, Portugal.
2011 - 2011
Curso de Capacitação Promotoras Legais Populares. (Carga horária: 84h).
Universidade de Brasília, UnB, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade de Brasília, UnB, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2014
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Integrante da equipe de pesquisa, Carga horária: 20
Outras informações
Pesquisa intitulada "Radiografia do Crime Feminino do Distrito Federal" iniciada em 2012 na Penitenciária Feminina do DF.

Vínculo institucional

2010 - 2011
Vínculo: Bolsista Graduação, Enquadramento Funcional: Integrante da equipe de pesquisa, Carga horária: 15
Outras informações
Grupo de Estudos em Gênero, Política Social e Serviços Sociais (GENPOSS/UnB)


Rede Feminista de Saúde Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos, RFS, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - Atual
Vínculo: Coordenadora Regional, Enquadramento Funcional: Coordenadora Regional, Carga horária: 20
Outras informações
Como coordenadora tenho a função de acompanhar o debate atual sobre as questões dos direitos das mulheres, estar a par do debate político de forma geral, capacitar novas integrantes interessadas em atuar na rede, participar de audiências públicas, conselhos, conferências e outros espaços deliberativos e de formação.


Curso Promotoras Legais Populares, PLPS, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2014
Vínculo: Coordenadora, Enquadramento Funcional: Coordenadora, Carga horária: 20
Outras informações
Atuei na coordenação entre os anos de 2011 e 2014, com um intervalo de um ano em 2012. Esse curso tem como fundamento o método Paulo Freire de inclusão e educação popular. Juntamente a uma equipe multidisciplinar, trabalhei na organização de oficinas de capacitação para mulheres jovens e adultas que moravam na periferia. O objetivo era formar lideranças comunitárias para a atuação contra a violência doméstica, além de ampliar o alcance de informações sobre direitos humanos e seus mecanismos legais. Durante o período em que atuei como coordenadora, também fui facilitadora em diversas oficinas. Dentre os temas por mim tratados estão os direitos da população LGBT, direitos sexuais e reprodutivos das mulheres, situação carcerária feminina e questões relacionadas à população negra.


Centro de Educação a Distância na Universidade de Brasília, CEAD/UNB, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Tutora, Carga horária: 20
Outras informações
Tutora da 1ª edição do curso de extensão ?Introdução Crítica ao Direito das Mulheres?, ofertado na modalidade a distância, por meio de parceria entre o Centro de Educação a Distância da Universidade de Brasília (CEAD-UnB) e a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM/PR). O curso teve duração de 4 meses compostos por 14 módulos temáticos de discussão. Ao todo, foram ofertadas 500 vagas para todo o país, tendo como público-alvo estudantes de nível superior, gestoras(es) públicas(os) e militantes de movimentos sociais que atuam no enfrentamento à violência contra a mulher de todas as regiões do Brasil.


Berço da Cidadania - Instituto de Capacitação e Intervenção Psicossocial Pe, BDC, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2016
Vínculo: Pesquisadora, Enquadramento Funcional: Consultora, Carga horária: 20
Outras informações
Consultoria para realização de marco situacional da infância e juventude no DF - Levantamento de dados referentes à infância e juventude, com foco nos direitos fundamentais previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente.


Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, UERN, Brasil.
Vínculo institucional

2018 - Atual
Vínculo: , Enquadramento Funcional: Professora Substituta, Carga horária: 40
Outras informações
Professora Substituta da Faculdade de Serviço Social da UERN.

Atividades

04/2018 - Atual
Ensino, Serviço Social, Nível: Graduação

Disciplinas ministradas
Metodologia Aplicada às Ciências Sociais
Oficina de Elaboração de Trabalhos Científicos
Pesquisa Social,
Supervisão de Estágio I
Supervisão de Estágio III
Seminário de Monografia I


Projetos de pesquisa


2015 - 2017
O ABORTO NO BRASIL: Análise das Audiências Públicas do Senado Federal (2015-2016)
Descrição: No Brasil, entre maio de 2015 e abril de 2016, ocorreram cinco audiências públicas sobre aborto no Senado Federal. Essas audiências tiveram o objetivo de reunir especialistas e ativistas favoráveis e contrários/as à legalização e descriminalização do aborto, visando à ampliação do debate sobre o tema na sociedade civil, no Estado e no Legislativo Federal. Por meio das análises das falas proferidas nessas ocasiões, a presente dissertação teve o objetivo de identificar e refletir sobre a(s) representação(ões) social(ais) do aborto. Além disso, propôs verificar, comparativamente, quais são os simbolismos a respeito das mulheres e seus corpos nesses discursos que compõem a(s) representação(ões) social(is) do aborto; refletir sobre as ideias de laicidade do Estado expressas nos discursos; e analisar as estruturas das audiências, contextualizando os perfis sociopolíticos dos/as atores/atrizes que possuíram fala; as temáticas nas quais as audiências se concentram; os/as deputados/as e as correlações de força presentes nas audiências. A pesquisa, de metodologia quanti-qualitativa com abordagens combinadas, foi constituída de duas fases. A primeira fase foi destinada à organização e pré-análise do conteúdo taquigráfico das falas de 80 pessoas, proferidas nas cinco audiências, utilizando-se do Software Iramuteq para a sistematização do alto volume de dados. Por meio dessa sistematização, foram quantificadas as palavras mais frequentes e significativas, apresentadas pelos grupos de posição neutra (ou protocolar), favorável e contrária à legalização do aborto. Além disso, foram organizados os eixos e as classes dessas palavras, gerados por afinidades e discrepâncias argumentativas entre si. A segunda fase da pesquisa foi a da análise comparativa dos dados gerados pelo software, seguidamente da análise dos conteúdos dos trechos de textos discursivos, em seus contextos. Os resultados da dissertação constataram a existência de uma única representação social, considerando a dinâmica existente entre seu núcleo e sua periferia semântica. Essa representação é, enfim, composta por três eixos e cinco classes argumentativas, fundamentadas na noção de indivíduo, na qual o indivíduo-mulher e o indivíduo-feto, na condição de sujeitos de direitos, disputam reconhecimento da sociedade e a proteção do Estado. Uma das possibilidades de suplantar essa perspectiva é apresentada por meio da utilização teórico-política do termo Justiça Reprodutiva, criado pelo movimento de mulheres negras na tentativa de ampliar a perspectiva sobre a compreensão do acesso e direito das mulheres à saúde sexual e reprodutiva, correspondendo à historicidade, às subjetividades, às estruturas sociais e às especificidades da diversidade de mulheres existentes. Assim sendo, o direito ao aborto passa a ser um direito indissociável do direito à maternidade e o direito à garantia que o fruto daquele útero não será morto pelo genocídio ou que não será encarcerado pela mão penal do sistema carcerário seletivo..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (0) / Especialização: (0) / Mestrado acadêmico: (1) / Mestrado profissional: (0) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Rayane Noronha Oliveira - Coordenador / Tânia Mara Campos de Almeida - Integrante.
2012 - 2014
Mulheres, saúde reprodutiva e prisão: um estudo da maternidade em uma perspectiva feminista na Penitenciária Feminina do Distrito Federal
Descrição: Esta pesquisa intitulada Mulheres, saúde reprodutiva e prisão: um estudo da maternidade em uma perspectiva feminista na Penitenciária Feminina do Distrito Federal tem como objetivo analisar a saúde reprodutiva das mulheres grávidas e com filhas na Penitenciária Feminina do Distrito Federal (PFDF),sob uma perspectiva feminista. A metodologia mista utilizada neste texto consistiu em três fases: a primeira fase foi a de análise quantitativa das informações obtidas com o preenchimento do questionário fechado sobre os perfis de todas as mulheres da PFDF, para compreender o que é evidenciado nos seus perfis; a segunda foi a comparação dos perfis das mulheres que vivem na ala da maternidade com outras mulheres, em relação aos cuidados externos da família, para que houvesse sua apreensão; a terceira fase, de metodologia qualitativa, foi a análise dos dados obtidos a partir da participação de uma entrevista estruturada, realizada em 2013, com 12 mulheres que vivenciaram o parto em situação de prisão, para compreender se seus direitos são garantidos. Concomitante com as fases supracitadas houve a análise documental da legislação referente à saúde da mulher presa e à saúde reprodutiva das mulheres em geral. Esta pesquisa evidenciou que o perfil carcerário das mulheres presas na PFDF corresponde ao perfil de pessoas estigmatizadas e que são criminalizadas, em grande medida, por causa de uma trajetória de vida precarizada, correspondente à pobreza, à vivência racista, à baixa escolaridade e aos trabalhos desqualificados. As mulheres da ala da maternidade recebem menos visitas que as demais e, consequentemente, menos apoio externo à instituição. A figura da avó materna é eleita como a principal cuidadora das filhas, quando estas não estão mais sob a tutela das presidiárias, isso comprova a existência de uma rede de solidariedade feminina, mas que perpassa pelos cuidados atribuídos socialmente ao gênero. E, por fim, existe um abismo entre a legislação e a prática, em relação aos direitos das mulheres que vivenciam a maternidade em cárcere. Ele foi evidenciado através da negação ao direito de acompanhante no momento do parto e na utilização das algemas em todos os processos de parto, pelas mulheres entrevistadas. Essa ação é compreendida como uma violência obstétrica grave, que não apenas viola o direito a um parto humanizado, mas também corresponde a um continuum punitivo, que atravessa a instituição prisional e a instituição hospitalar através da permanente compreensão das mulheres presas como mulheres bandidas, e, por isso, mais receptíveis a punições institucionais..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) .
Integrantes: Rayane Noronha Oliveira - Integrante / Júlia Freire Alencastro - Integrante / Débora Diniz - Coordenador.
2012 - 2013
Mulheres, crime e sexualidade
Descrição: Estudo que fez parte da pesquisa Radiografia do Crime Feminino do Distrito Federal e teve como objetivo comparar o perfil das mulheres presas e sentenciadas no Presídio Feminino do Distrito Federal no ano de 2012, apresentado como variável suas sexualidades. Foram duas fases na pesquisa, a primeira foi a de análise qualitativa e quantitativa dos dossiês das presidiárias, e a segunda, de caráter quantitativo, foi a de realização de entrevistas com a aplicação de um questionário com perguntas fechadas sobre seus perfis. Os resultados mostram que as mulheres possuem um perfil com algumas semelhanças, são mulheres jovens, pretas ou pardas, com baixa escolaridade e desfiliadas do Estado. No entanto, a sexualidade surge como algo que evidencia piores condições de vida no que diz respeito às lésbicas. Essa população é a que mais usa drogas, que mais faz atendimento psiquiátrico, que é mais numerosa entre negras ou pardas e a que possui as penas de reclusão mais altas. Dessa forma, o estudo problematiza não apenas a desfiliação das mulheres presas perante o Estado na condição de mulheres negras e pobres, mas também os piores indicadores encontrados nos dados que podem estar relacionados à discriminação vivenciada pela população de lésbicas na sociedade..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Rayane Noronha Oliveira - Integrante / Juliana Medeiros Paiva - Integrante / Júlia Freire Alencastro - Integrante / Helena Patini Lancellotti - Integrante / Luana Dallposso - Integrante / Débora Diniz - Coordenador.Número de orientações: 1


Projetos de extensão


2010 - 2014
Promotoras Legais Populares do Distrito Federal (PLPs/DF)
Descrição: Curso de formação de Lideranças Comunitárias Femininas.
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
Alunos envolvidos: Graduação: (8) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) .
Integrantes: Rayane Noronha Oliveira - Coordenador / Lívia Gimenes Dias da Fonseca - Integrante / José Geraldo de Sousa Júnior - Integrante.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Serviço Social.
2.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Serviço Social / Subárea: Ciências Sociais Aplicadas.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia.


Idiomas


Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Inglês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.


Produções



Produção bibliográfica
Textos em jornais de notícias/revistas
1.
OLIVEIRA, R. N.; ALENCASTRO F.J. . Comemoração de seis anos da Lei Maria da Penha: e nós continuaremos metendo a colher!. Jornal do CFEMEA - Centro Feminsta de Estudos e Assessoria, Site CFEMEA, 07 ago. 2012.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
OLIVEIRA, R. N.. ENTRE TENSÕES E DIVERGÊNCIAS POLÍTICAS: A QUESTÃO DO ABORTO NO SENADO FEDERAL BRASILEIRO. In: 13º Fazendo Gênero, 2017, Florianópolis. Anais do XI Seminário Internacional Fazendo Gênero [recurso eletrônico] : 13th. Women?s Worlds, 2017.

Apresentações de Trabalho
1.
OLIVEIRA, R. N.. ENTRE TENSÕES E DIVERGÊNCIAS POLÍTICAS: A QUESTÃO DO ABORTO NO SENADO FEDERAL BRASILEIRO. 2017. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

2.
OLIVEIRA, R. N.. Entre tensões e divergências políticas: a questão do aborto no Senado Federal brasileiro. 2016. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
OLIVEIRA, R. N.. Mujeres, salud reproductiva y cárcel: un estudio de la maternidad en una perspectiva feminista en la Penitenciaría Femenina del Distrito Federal. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
OLIVEIRA, R. N.. Mulheres, crime e sexualidade. 2014. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

5.
OLIVEIRA, R. N.. Mulheres, saúde reprodutiva e prisão : um estudo da maternidade em uma perspectiva feminista na Penitenciária Feminina do Distrito Federal. 2014. (Apresentação de Trabalho/Outra).

6.
OLIVEIRA, R. N.. Exposição Fotográfica LGBTTT e Militância do Corpo. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

7.
OLIVEIRA, R. N.. 'MULHERES NEGRAS': UM PÉ NA SENZALA E OUTRO NA ÁREA DE SERVIÇO. 2012. (Apresentação de Trabalho/Outra).

Outras produções bibliográficas
1.
OLIVEIRA, R. N.; FONSECA, L. G. D. ; MACHADO, L. Z. ; SWAIN, T. N. ; ARONOVICH, L. ; BANDEIRA, L. M. . Linguagem inclusiva: O que é e para que serve?!. Brasília: CEAD, FUB, 2012 (Artigo em livro).


Produção técnica
Assessoria e consultoria
1.
OLIVEIRA, R. N.. Relatório do Grupo de Trabalho Saúde Sexual e Reprodutiva da reunião de preparação para o novo ciclo programático do UFNPA. 2016.

2.
OLIVEIRA, R. N.; MELO, D. . Diagnóstico sobre a situação da infância e adolescência no Distrito Federal.. 2016.

3.
OLIVEIRA, R. N.. 2°encontro da Sala de Situação, Ação e Articulação sobre Direitos de Grupos em Situação de Vulnerabilidade. 2016.

4.
OLIVEIRA, R. N.. Relatora/consultora da 1ª Reunião do Grupo Assessor da Sociedade Civil de 2016. 2016.

5.
OLIVEIRA, R. N.. Relatora/consultora da oficina para elaboração dos subsídios para o projeto Escritório da Cidadania no âmbito do Pacto do Rio.. 2016.

6.
OLIVEIRA, R. N.. Relatora/consultora da 2ª Reunião do Grupo Assessor da Sociedade Civil de 2016. 2016.

7.
OLIVEIRA, R. N.. Relatora/consultora da Oficina de Discussão sobre metodologia para monitoramento da implementação da Lei Maria da Penha e Lei do Feminicídio. 2016.

8.
OLIVEIRA, R. N.. Relatora/consultora da reunião de avaliação dos 10 anos da LMP: resgate de um projeto feminista de enfrentamento à violência doméstica e familiar no Brasil e construção de estratégias de fortalecimento para sua implementação. 2016.

Trabalhos técnicos

Demais tipos de produção técnica
1.
OLIVEIRA, R. N.. Fotografias do Livro 'Direito Achado na Rua Vol. 5' Introdução Crítica aos Direitos das Mulheres. 2012. (Fotografias e Capa do livro.).


Produção artística/cultural
Outras produções artísticas/culturais
1.
OLIVEIRA, R. N.. Semana de Arte LGBT. 2011 (Exposição Fotográfica.).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
OLIVEIRA, R. N.. Participação em banca de Kyslane Rodrigues de Aguiar.Policiais, Adolescentes e ato infracional: quem é quem nessa relação?. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.

2.
PAIVA, J. M.; VILELA, L.; OLIVEIRA, R. N.. Participação em banca de Tamires Silva.Violência nos relacionamentos entre adolescentes: desafios no enfrentamento​. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social) - Instituto de Educação Superior de Brasília.

3.
PEREIRA, L. L.; OLIVEIRA, A.; OLIVEIRA, R. N.. Participação em banca de Alessandra Beatriz dos Santos.Análise do papel da Atenção Primária à Saúde e do Pré-Natal na prevenção à violência obstétrica em mulheres negras. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Serviço Social) - Universidade de Brasília.




Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
III Seminário Estadual de Serviço Social e Direitos Sociais. 2018. (Seminário).

2.
Mini Curso Fundo Público e Capital Financeiro. 2018. (Outra).

3.
Seminário Internacional Fazendo Gênero.Entre tensões e divergências políticas: a questão do aborto no Senado Federal brasileiro. 2017. (Seminário).

4.
13ª Fórum Internacional AWID (Association for Women's Rights in Development). 2016. (Outra).

5.
Direitos sexuais da mulher e aborto.palestra sobre aborto. 2016. (Oficina).

6.
Gênero, Sexualidade e Religião: Entre Dogmas e Direitos. 2016. (Seminário).

7.
IX Congresso Português de Sociologia, Portugal, territórios de territórios. Entre tensões e divergências políticas: a questão do aborto no Senado Federal brasileiro. 2016. (Congresso).

8.
Oficina de Capacitação no Monitoramento e Acompanhamento da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da MUlher (PNAISM) e do Plano Nacional de Políticas para as Mulheres (PNPM).Discussão de estratégias para o monitoramento das Políticas por Região. 2016. (Oficina).

9.
Seminário Nacional RED-mencionando o Feminino: Coalizões e Respostas. 2016. (Seminário).

10.
Ciclo Nacional de Debates sobre o Estatuto da Família. O perigo do Estatuto da Família. 2015. (Exposição).

11.
Comunicação Científica: O artigo científico de pesquisa empírica. 2015. (Oficina).

12.
Festival Latinidades - Festival da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha. 2015. (Outra).

13.
Fórum Social Mundial.Diálogo sobre ofensivas fundamentalistas e racistas no mundo atual. 2015. (Encontro).

14.
Hannah Arendt e Walter Benjamim: modernidade e história. 2015. (Seminário).

15.
O Pensamento Negro na Sociologia Brasileira: Abdias, Guerreiro, Lélia e Clóvis? uma nova diáspora?. 2015. (Outra).

16.
Raça, racismo e Produção Científica. 2015. (Seminário).

17.
Relations of Difference: Diversity, power and inequality in intersectional and postcolonial feminist theories. 2015. (Outra).

18.
Uma releitura de Raízes do Brasil. 2015. (Seminário).

19.
Violência e Segurança: Pensando com Representações Sociais. 2015. (Exposição).

20.
Violência feminicida: reflexão emergente sobre a morte violenta de mulheres. 2015. (Seminário).

21.
XI Semana de Sociologia da UnB. 2015. (Seminário).

22.
XXX Asociación Latinoamericana de Sociología. Mujeres, salud reproductiva y cárcel: un estudio de la maternidad en una perspectiva feminista en la Penitenciaría Femenina del Distrito Federal. 2015. (Congresso).

23.
7° Festival Latinidades. 2014. (Outra).

24.
III Semana de Reflexões sobre a Negritude, Gênero e Raça. 2014. (Simpósio).

25.
Marcha da Maconha.Mulheres negras no contexto prisional: o que isso tem a ver com a legalização da maconha?. 2014. (Encontro).

26.
O Feminismo Negro e o Pensamento de Lélia Gonzalez. 2014. (Seminário).

27.
Semana do/a Assistente Social 2014. 2014. (Seminário).

28.
Seminário Internacional sobre Violência Mídia e Violência de Gênero. 2014. (Seminário).

29.
Ciclo Temático de Migrações e Cidadanias da Universidade Feminista sobre Violência. 2013. (Outra).

30.
Curso de Formação Avançada "História Oral: Métodos, Práticas e Problemas". 2013. (Outra).

31.
Jornadas Contra a Violência Doméstica. 2013. (Seminário).

32.
Mulheres Negras em Pauta: Formação Política e Advocacy.Apresentação das especificidades do DF no combate ao racismo. 2013. (Oficina).

33.
Aula Magna Ética, Redes Sociais e Formação Profissional em Serviço Social. 2012. (Outra).

34.
Cúpula dos Povos.. 2012. (Encontro).

35.
Encontro Nacional dos Estudantes de Terapia Ocupacional ? ENETO.Palestrante sobre Movimento Feminista. 2012. (Encontro).

36.
Encontro Nacional dos Estudantes de Terapia Ocupacional - ENETO.Movimento Feminista, Mov. LGBTTT, Mov. Negro e o Capitalismo. E suas importâncias para atuação de profissionais da Terapia Ocupacional.. 2012. (Encontro).

37.
Festival da Mulher Afro Latino Americana e Caribenha. 2012. (Seminário).

38.
I Encontro Nacional de Psicologia e Política Feminista. 2012. (Encontro).

39.
III SEMANA DE DIREITO E GÊNERO.Racismos e Feminismos. 2012. (Seminário).

40.
IV Semana de Direito e Gênero.Exposição sobre o Projeto Promotoras Legais Populares, projeto de extensão da UnB. 2012. (Seminário).

41.
IX ENCONTRO NACIONAL UNIVERSITÁRIO DE DIVERSIDADE SEXUAL. 2012. (Encontro).

42.
V Seminário Internacional de Política Social. 2012. (Seminário).

43.
X ENUDS Práticas de enfrentamento e resistência: Corpo, Política, Discurso e Poder.Exposição Fotográfica LGBTTT e Militância do Corpo. 2012. (Encontro).

44.
X ENUDS Práticas de enfrentamento e resistência: Corpo, Política, Discurso e Poder. 2012. (Encontro).

45.
X ENUDS Práticas de enfrentamento e resistência: Corpo, Política, Discurso e Poder."MULHERES NEGRAS": UM PÉ NA SENZALA E OUTRO NA ÁREA DE SERVIÇO. 2012. (Encontro).

46.
XXXIV ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE SERVIÇO SOCIAL. 2012. (Encontro).

47.
Educação em Direitos Humanos - Minicurso - Semana de Extensão UnB. 2011. (Outra).

48.
Encontro de Saberes - Minicurso - Semana de Extensão UnB. 2011. (Outra).

49.
III Seminário Internacional Pensando Gênero: A psicologia para além do espelho.. 2011. (Seminário).

50.
II Semana de Gênero e Direito. 2011. (Seminário).

51.
II Seminário Ifá Aje Cultura Negra, Filosofia Iorubá. 2011. (Seminário).

52.
Plenária de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgeneros (LGBT) UnB. 2011. (Outra).

53.
XIV Seminário Nacional & V Seminário Internacional Mulher e Literatura "Palavra e Poder: RepresentAÇÕES Literárias. 2011. (Congresso).

54.
III Conferência Internacional sobre Humanização do Parto e Nascimento. 2010. (Congresso).

55.
II Seminário Educação e Políticas Públicas: Raça e Gênero. 2010. (Seminário).

56.
VIII Encontro Nacional Universitário de Diversidade Sexual. 2010. (Encontro).

57.
IX Semana de Extensão da UnB - Extensão-espaço para a pesquisa- Semana da Universidade de Brasília. 2009. (Oficina).

58.
Seminário Educação e Políticas Públicas: Gênero e Raça. 2009. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
OLIVEIRA, R. N.. IX Encontro Nacional de Diversidade Sexual. 2011. (Outro).

2.
OLIVEIRA, R. N.. II Semana de Gênero e Direito. 2011. (Outro).

3.
OLIVEIRA, R. N.. III Conferência Internacional sobre Humanização do Parto e Nascimento. 2010. (Outro).



Orientações



Orientações e supervisões em andamento
Iniciação científica
1.
Débora Diniz. Mulheres, sexualidade e crime. Início: 2012. Iniciação científica (Graduando em Serviço Social) - Universidade de Brasília. (Orientador).


Orientações e supervisões concluídas
Trabalho de conclusão de curso de graduação
1.
Raila Neris de Oliveira Silva. Pessoa idosa: desafios na mobilidade urbana no município de Areia Branca - RN. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação em Serviço Social) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Orientador: Rayane Noronha Oliveira.

Orientações de outra natureza
1.
Bruna Dayane Santos. Estágio em Serviço Social no Hospital Regional Tarcísio de Vasconcelos Maia - HRTM. 2018. Orientação de outra natureza. (Serviço Social) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Orientador: Rayane Noronha Oliveira.

2.
Paloma Catarine de Queiroz. Estágio em Serviço Social no Hospital Regional Tarcísio de Vasconcelos Maia - HRTM. 2018. Orientação de outra natureza. (Serviço Social) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Orientador: Rayane Noronha Oliveira.

3.
Kainan Samuel de Lima. Estágio em Serviço Social no Hospital Regional Tarcísio de Vasconcelos Maia - HRTM. 2018. Orientação de outra natureza. (Serviço Social) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Orientador: Rayane Noronha Oliveira.

4.
Jully Helly Neves da Silva. Estágio em Serviço Social no Hospital Regional Tarcísio de Vasconcelos Maia - HRTM. 2018. Orientação de outra natureza. (Serviço Social) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Orientador: Rayane Noronha Oliveira.

5.
Jemima Helen Mota Moura. Estágio em Serviço Social no Hospital Regional Tarcísio de Vasconcelos Maia - HRTM. 2018. Orientação de outra natureza. (Serviço Social) - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. Orientador: Rayane Noronha Oliveira.




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 18/12/2018 às 23:17:08