Roselene de Lima Breda

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/4783731017963616
  • Última atualização do currículo em 19/12/2018


Doutoranda em Sociologia na Universidade Federal de São Carlos. Mestre em Sociologia pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), com estágio na École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS). Bacharel em Ciências Sociais, com ênfase em Sociologia, pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Pesquisadora do Laboratório Misto Internacional - Social activities, gender, markets and mobilities from below (Latin America)/ LMI-SAGEMM. Atualmente estuda a emergência de novas formas de gerenciamento de conflitos sociais em periferias urbanas, com ênfase nos modelos de intervenção e mediação propostos pelas políticas sociais brasileiras em sua interação com entidades da sociedade civil. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Roselene de Lima Breda
Nome em citações bibliográficas
BREDA, R. L.

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de São Carlos, Centro de Educação e Ciências Humanas, Departamento de Sociologia.
Rodovia Washington Luís, km 235 - SP-310
13565-905 - Sao Carlos, SP - Brasil


Formação acadêmica/titulação


2018
Doutorado em andamento em Sociologia.
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Orientador: Isabel Pauline Georges.
2013 - 2016
Mestrado em Sociologia.
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
com período sanduíche em École des Hautes Études en Sciences Sociales (Orientador: Marc Bessin).
Título: Efeitos da vulnerabilidade social: notas sobre o cotidiano de trabalho em um CRAS na cidade de São Paulo,Ano de Obtenção: 2016.
Orientador: Gabriel de Santis Feltran.
Coorientador: Isabel Pauline Georges.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, FAPESP, Brasil.
Palavras-chave: assistência social; CRAS; vulnerabilidade social; risco social.
Grande área: Ciências Humanas
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia Urbana.
Grande Área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Políticas Públicas de Assistência Social.
Setores de atividade: Outras atividades profissionais, científicas e técnicas.
2009 - 2012
Graduação em Ciências Sociais.
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Título: Entre recursos e escolhas: limites e possibilidades em torno das rotinas de atendimento de um CRAS.
Orientador: Gabriel de Santis Feltran.
Bolsista do(a): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, CNPq, Brasil.




Formação Complementar


2018 - 2018
Mini Curso Deficiência, Globalização e Resistência. (Carga horária: 30h).
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
2018 - 2018
Economia Solidária e Autogestão: Elementos de Aprofundamento. (Carga horária: 30h).
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
2018 - 2018
Mini Curso De ladrones a narcos. (Carga horária: 30h).
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
2014 - 2014
Mini Curso A Marginalidade como Índice Geo-Político. (Carga horária: 30h).
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
2014 - 2014
Mini Curso Infância e Relações Étinico-Raciais. (Carga horária: 30h).
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
2010 - 2010
Extensão universitária em ACIEPE-Direitos Humanos no Cinema. (Carga horária: 60h).
Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de São Carlos, UFSCAR, Brasil.
Vínculo institucional

2011 - 2011
Vínculo: Bolsista extensão, Enquadramento Funcional: Bolsista, Carga horária: 12
Outras informações
Integrou a equipe que trabalhou na elaboração do site do Observatório Social, projeto de extensão universitária vinculado ao Núcleo de Extensão UFSCar - Cidadania (NUCID).


Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, CEBRAP, Brasil.
Vínculo institucional

2012 - 2016
Vínculo: Colaborador, Enquadramento Funcional: Pesquisador Júnior


Institut de Recherche pour le Développement, IRD, França.
Vínculo institucional

2017 - 2017
Vínculo: Celetista, Enquadramento Funcional: Assistente de Pesquida, Carga horária: 20



Projetos de pesquisa


2018 - Atual
As palavras do desenvolvimento: deslizamentos semânticos e traduções operatórias da noção de vulnerabilidade social em parcerias transnacionais entre ONGs no Brasil
Descrição: Este projeto se inscreve no debate sobre a mudança nos modelos de gestão da pobreza que, mais do que adensar a perspectiva centrada na não universalização de direitos, mobiliza "tecnologias sociais" na gestão do conflito social ensejado entre grupos classificados como socialmente vulneráveis. Tendo esse debate como pano de fundo, o objetivo geral é descrever e analisar a emergência e expansão do modelo de parcerias transnacionais entre organizações voltadas à superação da pobreza no Brasil desde os anos 1990, a partir das mediações e das cadeias de tradução que se conformam na mobilização da noção de vulnerabilidade social como grade de inteligibilidade de processos multiescalares nas parcerias estabelecidas entre a ONG ChildFund e ONGs locais na região Nordeste do Brasil. Os objetivos específicos são: i) entender como o mercado das "tecnologias sociais", animado pelo uso da noção de vulnerabilidade social, estrutura o processo de transnacionalização de modelos de desenvolvimento social articulado ao fluxo de recomendações de agências de financiamento, avaliação, consultoria e emissão de certificações para o desenvolvimento com os contextos políticos locais e mercados internos onde se dá a circulação destas "tecnologias sociais"; ii) entender como se dá a tradução, nas práticas cotidianas das Unidades de Campo da ChildFund e em ONGs locais parceiras, no Crato (CE) e Santa Luz (PI), de saberes, diretrizes e conceitos incutidos nas "tecnologias sociais", e elaborados em escala transnacional, na sua articulação com os diferentes atores, contextos jurídicos e sociais implicados na concepção e implementação das parcerias e convênios entre prefeituras e ONGs; iii) investigar os mecanismos por meio dos quais a ChildFund Brasil angaria novos padrinhos a partir do processo de expansão para novas áreas via projeção de cenários futuros e mensuração de níveis de vulnerabilidade social. Para compreender a relação entre estes níveis, proponho mesclar: i) pesquisa documental centrada nos textos e diretrizes que pautam a atuação da ChildFund, somada à pesquisa das leis e normativas que pautam as possibilidades de estabelecimento de parcerias entre ONGs e delas com o Estado; ii) pesquisa de campo a partir de três contextos: escritório nacional da ChildFund, em Belo Horizonte, e suas Unidades de Campo em área consolidada, no Crato (CE) e área em expansão, em Santa Luz (PI). Aposta-se que esta comparação permitirá elevar o nível de generalização da análise e entendimento dos mecanismos de mediação e tradução que animam o uso da noção de vulnerabilidade social na estruturação de uma estratégia governamental de contenção do conflito social que emerge entre grupos classificados como socialmente vulneráveis..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Doutorado: (1) .

Integrantes: Roselene de Lima Breda - Coordenador.
2013 - 2016
A complexidade do social: critérios de intervenção e conflito social nas periferias urbanas
Descrição: Este projeto se inscreve no debate recente sobre a mudança de estatuto e desenho das políticas sociais, que em suas práticas teriam abandonado a perspectiva normativa de integração sócio-política, pela universalização de direitos, para uma perspectiva centrada na gestão do conflito social ensejado entre grupos subalternizados. Tendo esse debate como pano de fundo, o objetivo geral deste projeto é descrever e analisar o atendimento cotidiano de um CRAS ? Centro de Referência da Assistência Social, tendo como referência analítica a noção de complexidade mobilizada pelas normativas da PNAS e pelas equipes de atendimento ao longo da rede socioassistencial por esta unidade acionadas. Os objetivos específicos são: i) verificar os sentidos que a noção de complexidade adquire no desenho das políticas de assistência social; ii) extrair, de situações empíricas, os princípios e critérios efetivamente mobilizados pela equipe do CRAS para definição dos níveis de complexidade e encaminhamentos, observando como a intervenção estatal se molda a depender da complexidade de cada ?caso?; iii) estudar ?casos? considerados de pequena, média e alta complexidade, seguindo a trajetória dos encaminhamentos efetivamente realizados ao longo da rede socioassistencial, mapeando as práticas estatais mobilizadas nas ações de acolhida e intervenção. A hipótese é de que inscrita nos cotidianos dos técnicos implementadores da PNAS estrutura-se uma estratégia governamental de contenção do conflito social que emerge das periferias, público-alvo dessas políticas, e que tende a intensificar a mobilização de práticas de controles à medida que a complexidade dos casos aumenta. A pesquisa se desdobra de amadurecimento de Iniciação Científica iniciada em 2011, na periferia da cidade de São Carlos/SP..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Roselene de Lima Breda - Coordenador.
Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Bolsa.
2011 - 2012
Emergência de centros reguladores de conflitos em periferias: um estudo etnográfico sobre o CRAS
Descrição: A hipótese de que a gestão do conflito em periferias se daria de forma descentralizada é a ideia norteadora deste trabalho. O objetivo é observar de que maneira a recente presença do CRAS (Centro de Referência da Assistência Social) em periferias urbanas impacta sobre a regulação do conflito social que resulta do não acesso a direitos básicos e suas consequências, ligado ao contraste entre a riqueza e a pobreza. Interessa-nos compreender como se dá o processo de elaboração de respostas às demandas dos usuários por parte da equipe técnica do CRAS, em que medida a atuação desta equipe tem se mostrado efetiva na visão do usuário e em que circunstâncias o sujeito opta pelo CRAS e não por outras instâncias quando confrontado com um problema. A metodologia de pesquisa utilizada tem por base o trabalho de campo etnográfico. A pesquisa encontra-se em uma fase intermediária e a descrição analítica que resulta em diários de campo tem possibilitado a obtenção de resultados parciais que vão de encontro com a hipótese de deslocamento da lógica inclusiva que pautou as políticas públicas para uma lógica reguladora, ou seja, a possibilidade de superação do conflito sócio-político é deslocada para sua gestão e controle, tema sobre o qual versa vasta bibliografia..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .

Integrantes: Roselene de Lima Breda - Coordenador.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
Número de produções C, T & A: 1
2010 - Atual
As Margens da Cidade - grupos urbanos marginais, política e violência em três territórios do estado de São Paulo
Descrição: Este projeto se propõe a pesquisar circuitos sociais de grupos urbanos considerados marginais na cidade contemporânea, como jovens de periferia, moradores de rua, usuários de drogas, traficantes, criminosos e prostitutas. Rompendo com o senso comum e as abordagens que costumam figurá-los como excluídos da vida social, pretende-se verificar que relações esses sujeitos marginais estabelecem entre si e com outras instâncias sociais e políticas mais amplas, como a família, o mercado de trabalho, as igrejas, as políticas sociais, o mundo do crime e o Estado. Os objetivos específicos do projeto são: i) etnografar os mecanismos de gestão interna dessas populações (códigos de conduta, hierarquia internas, sociabilidades etc.); ii) etnografar as relações desses sujeitos marginais com as esferas da família, do trabalho, políticas sociais, religião, polícia, mundo do crime etc.; iii) comparar esses circuitos marginais em três territórios urbanos distintos do estado de São Paulo: o distrito de Sapopemba, na periferia leste da capital; uma cidade média (São Carlos); e uma pequena cidade do interior paulista (chamada aqui de Cruzes)..
Situação: Desativado; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Mestrado acadêmico: (7) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Roselene de Lima Breda - Integrante / Gabriel de Santis Feltran - Coordenador.
Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.


Membro de corpo editorial


2013 - 2016
Periódico: Áskesis - Revista dos Discentes do Programa de Pós Graduação em Sociologia


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia.
2.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Sociologia Urbana.
3.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Políticas Públicas de Assistência Social.
4.
Grande área: Ciências Humanas / Área: Sociologia / Subárea: Entidades da Sociedade Civil.


Idiomas


Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Francês
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
SOUZA, L. C.2014 SOUZA, L. C. ; BREDA, R. L. ; POSTIGO, E. L. G. ; MELO, N. M. . A questão das drogas em perspectiva: uma entrevista com Taniele Rui (UNICAMP), Maurício Fiore (UNICAMP), Heitor Frúgoli Jr.(USP) e Bruno Ramos Gomes (Coordenador da ONG ?É de lei?). ÁSKESIS, v. 3, p. 250, 2014.

Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
BREDA, R. L.. Cuesón social en Brasil e salidas posibles en el contexto atual. In: VII Jornadas Santiago Wallace de Investigacíon en Antropología Social, 2013, Buenos Aires. VII Jornadas Santiago Wallace de Investigacíon en Antropología Social, 2013.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
BREDA, R. L.. Perfis socialmente vulneráveis: a centralidade do risco na Política Nacional de Assistência Social brasileira. In: XXX Congresso Latinoamericano de Sociologia - ALAS, 2015, San Jose. XXX Congresso Latinoamericano de Sociologia - ALAS. v. 30. p. 94-94.

2.
BREDA, R. L.. Colonização da Assistência Social pela gestão. In: Encontro Internacional Participação, Democracia e Políticas Públicas: aproximando agendas e agentes, 2013, Araraquara. Participação, Democracia, Políticas Públicas: aproximando agendas e agentes, 2013.

3.
BREDA, R. L.. POLÍTICAS SOCIAIS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL: NOTAS SOBRE UMA LÓGICA GERENCIAL. In: XVI Congresso Brasileiro de Sociologia, 2013, Salvador. XVI Congresso Brasileiro de Sociologia, 2013.

4.
BREDA, R. L.. Emergência de centros reguladores de conflitos em periferias: um estudo etnográfico sobre o CRAS. In: III Seminário do Programa de Pós Graduação em Sociologia da UFSCar, 2012, São Carlos. Anais do III Seminário do Programa de Pós Graduação em Sociologia da UFSCar, 2012.

Apresentações de Trabalho
1.
BREDA, R. L.. Perfis socialmente vulneráveis: a centraliade do risco na Política Nacional de Assistência Social brasileira. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
BREDA, R. L.. Colonização da Assistência Social pela gestão. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

3.
BREDA, R. L.. Cuestión social en Brasil y salidas posibles en el contexto actual. 2013. (Apresentação de Trabalho/Outra).

4.
BREDA, R. L.. POLÍTICAS SOCIAIS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL: NOTAS SOBRE UMA LÓGICA GERENCIAL. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
BREDA, R. L.; FELTRAN, G. S. . Emergência de centros reguladores de conflito em periferias: um estudo etnográfico sobre o CRAS. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).


Produção técnica
Redes sociais, websites e blogs
1.
BREDA, R. L.. Como funciona, na prática, a Política de Assistência Social em São Paulo. 2017. (Site).


Demais tipos de produção técnica
1.
BREDA, R. L.. Como o discurso da vulnerabilidade social ganha materialidade em instituições, leis e medidas administrativas nos espaços da Assistência Social na cidade de São Paulo. 2015. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
BREDA, R. L.. Emergência de centros reguladores de conflitos em periferias: um estudo etnográfico sobre o CRAS. 2012. (Relatório de pesquisa).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Escola de Inverno LMI-SAGEMM "Produção e reprodução de formas de sociabilidade: dimensões territoriais e multi-escalares do Sul Global". 2018. (Outra).

2.
Pesquisando em / o movimento transnacional. 2018. (Oficina).

3.
Territórios, política(s) e mercados: enfoques regionais e de gênero.As palavras do desenvolvimento. 2018. (Seminário).

4.
Ciclo de Seminários LMI/SAGEMM - Assistência e Religião: articulações e liminaridades.A MATERIALIDADE DA VULNERABILIDADE SOCIAL NOS ESPAÇOS DA ASSISTÊNCIA SOCIAL NA CIDADE DE SÃO PAULO. 2016. (Seminário).

5.
XXX Congresso de la Asociacíon Latinoamericana de Sociologia. Perfis socialmente vulneráveis: construção de quadros de risco na Política Nacional de Assistência Social brasileira. 2015. (Congresso).

6.
Encontro Internacional Participação, Democracia e Políticas Públicas: aproximando agendas e agentes.Colonização da Assistência Social pela gestão. 2013. (Encontro).

7.
Gênero, interseccionalidades: desafios teórico-metodológicos no processo de pesquisa. 2013. (Outra).

8.
VII Jornadas Santiago Wallace de Investigación en Antropología Social.Cuestión social en Brasil y salidas posibles en el contexto actual. 2013. (Outra).

9.
36º Encontro Anual da ANPOCS. 2012. (Congresso).

10.
Fórum regional dos trabalhadores e trabalhadoras do SUAS: Implantação do SUAS e valorização dos trabalhadores. 2012. (Encontro).

11.
III Seminário do Programa de Pós Graduação em Sociologia da U UFSCar: Novos olhares, novas perspectivasc.Emergência de centros reguladores de conflitos em periferias: um estudo etnográfico sobre o CRAS. 2012. (Seminário).

12.
I Seminário de Antropologia Social da UFSCar. 2012. (Seminário).

13.
Mini Curso Sociologia Movimentos Sociais. 2012. (Outra).

14.
Seminário El processo de victimización de la trabajadora sexual migrante. 2012. (Seminário).

15.
Seminário Território, crime e ordenamento social nas margens da cidade. 2012. (Seminário).

16.
X Semana de Ciências Sociais UFSCar - Marxismo e Movimentos Sociais. 2012. (Outra).

17.
I Seminário Internacional Ruralidades, Trabalho e Meio Ambiente. 2011. (Seminário).

18.
Seminário Internacional da Afro-descendêcia 20 anos de NEAB/UFSCAR: Desafios ante a maturidade. 2011. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
BREDA, R. L.; GEORGES, I. P. H. ; RIZEK, C. S. . Escola de Inverno LMI-SAGEMM "Produção e reprodução das formas de sociabilidade: dimensões territoriais e multi-escalares do Sul Global". 2018. (Outro).

2.
BREDA, R. L.. II Seminário de Antropologia da UFSCar. 2013. (Outro).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 17/02/2019 às 22:53:37