Tainá Teixeira Cavalcante de Lima

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/7917475836129025
  • Última atualização do currículo em 13/11/2018


Engenheira Sanitarista e Ambiental pelo Centro Universitário Tiradentes (UNIT/AL). Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Sociedade, Tecnologias e Política Pública (UNIT/AL), bolsista CAPES/FAPEAL. Foi bolsista PROVIC de Iniciação Científica na UNIT/AL em projetos de pesquisa financiados pelo CNPq voltados para avaliação de impacto entre os anos de 2013 e 2016, e bolsista FAPEAL na Secretaria da Infraestrutura do Estado (SEINFRA) avaliando a eficiência e estações de tratamento em Alagoas entre os anos 2015 e 2017. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Tainá Teixeira Cavalcante de Lima
Nome em citações bibliográficas
LIMA, T. T. C.;LIMA, Tainá Teixeira Cavalcante de


Formação acadêmica/titulação


2018
Mestrado em andamento em Programa de Pós-Graduação em Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas.
Centro Universitário Tiradentes, UNIT, Brasil.
Título: Avaliação dos Impactos da associação entre favelização, desmatamento e poluição: estudo comparativo das regiões metropolitanas de São Paulo e Cidade do México,Orientador: Diego Freitas Rodrigues.
Coorientador: Janaina Accordi Junkes.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas, FAPEAL, Brasil.
Palavras-chave: Avaliação de Impacto; Favelização; Poluição urbana.
Grande área: Engenharias
Grande Área: Outros / Área: Ciências Ambientais.
2013 - 2017
Graduação em Engenharia Sanitária e Ambiental.
Centro Universitário Tiradentes, UNIT, Brasil.
Título: Alcance e limites operacionais do Google Earth para avaliação de impactos.
Orientador: Diego Freitas Rodrigues.
2010 interrompida
Graduação interrompida em 2012 em Engenharia Ambiental e Sanitária.
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
Ano de interrupção: 2012
2007 - 2009
Ensino Médio (2º grau).
Colégio Pontual, CP, Brasil.




Formação Complementar


2014 - 2014
A (in) sustentável leveza do desenvolvimento. (Carga horária: 4h).
Centro Universitário Tiradentes, UNIT, Brasil.
2013 - 2013
Extensão universitária em Curso Estatística para Análise de Dados Sociais. (Carga horária: 30h).
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.
2013 - 2013
Gerenciamento de Projetos. (Carga horária: 80h).
Instituto Brasileiro de Educação Continuada, INBEC, Brasil.
2010 - 2010
Extensão universitária em Nivelamento de Cálculos das Engenharias. (Carga horária: 40h).
Universidade Federal de Alagoas, UFAL, Brasil.


Atuação Profissional



Centro Universitário Tiradentes, UNIT, Brasil.
Vínculo institucional

2016 - 2017
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica, Carga horária: 20


IMPISA, IMPISA, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2014
Vínculo: Trainee, Enquadramento Funcional: Trainee, Carga horária: 110
Outras informações
Trainee no XXXV Acampamento Vivencial para Adolescentes, realizado na Chapada Diamantina/BA de 21 a 29 de Junho de 2014 pela IMPISA.


ATP Engenharia, ATP, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2015
Vínculo: Estágio, Enquadramento Funcional: Estágiária, Carga horária: 30
Outras informações
Estágio no setor de orçamento.


Faculdade Integrada Tiradentes, FITS, Brasil.
Vínculo institucional

2015 - 2016
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica, Carga horária: 20
Outras informações
Bolsista PROVIC de Iniciação Científica. Trabalho: "Licenças para Degradar? Mapeamento dos Impactos da Mineração Legal em Terras Indígenas no Bioma Amazônico Brasileiro e Colombiano." Orientador: Diego Freitas Rodrigues.

Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica, Carga horária: 20
Outras informações
Bolsista PROVIC de Iniciação Científica. Trabalho: "Desmatamento em Terras Indígenas na Amazônia Brasileira e Peruana: efeitos perversos da mineração?". Orientador: Diego Freitas Rodrigues.

Vínculo institucional

2013 - 2014
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Iniciação Científica, Carga horária: 20
Outras informações
Bolsista PROVIC de Iniciação Científica. Trabalho: "Mapeamento das Auditorias Ambientais Operacionais no Peru (2006-2012): entre o desenvolvimento e a sustentabilidade?" Orientação: Diego Freitas Rodrigues.


Secretaria de Infraestrutura do Estado de Alagoas, SEINFRA, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - 2017
Vínculo: Estágio, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 20
Outras informações
Estágio curricular obrigatório

Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Estágio, Enquadramento Funcional: Estagiária, Carga horária: 30
Outras informações
Estágio com o intuito de preparar processos para digitalização e edição de planilhas orçamentárias.



Projetos de pesquisa


2016 - Atual
Desenvolvimento como Sustentabilidade?? Avaliação do Déficit Socioecológico em Regiões Metropolitanas do Centro-Oeste e Nordeste do Brasil

Projeto certificado pelo(a) coordenador(a) Diego Freitas Rodrigues em 26/09/2016.
Descrição: Cidades com melhor índice de desenvolvimento humano são cidades com menor déficit socioecológico? Através de indicadores selecionados e, posteriormente, reduzidos a fatores, objetiva-se a composição de um índice de déficit socioecológico urbano para avaliação da correlação entre um melhor índice de desenvolvimento humano e a maior vitalidade dos ecossistemas ambientais urbanos e a saúde ambiental de cidades e regiões metropolitanas selecionadas (Belém, Brasília, Cuiabá, Maceió, Manaus, Recife). As cidades e suas respectivas Macrozonas Urbanas foram selecionadas a partir de dois critérios: o desempenho aproximado no Índice de Desenvolvimento Humano ? Municipal (IDH-M) e a taxa de urbanização. Dada a seleção, serão trabalhados dois grupos de indicadores: Vitalidade dos Ecossistemas Urbanos: (1) quantificação de áreas verdes preservadas nas regiões metropolitanas, (2) áreas de preservação permanente para produção de água sob impacto, (3) investimento em recuperação de áreas verdes, (3) proporção de áreas de preservação permanente sob ocupação irregular, (4) percentual de população urbana que vive em favelas, (5) taxa de mudança de solo não urbano para urbano. Saúde Ambiental: (1) abastecimento público de água potável na área urbana, (2) instalações sanitárias, (3) coleta de lixo e (4) resíduos depositados em aterros sanitários.. Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (5) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Tainá Teixeira Cavalcante de Lima - Integrante / Diego Freitas Rodrigues - Coordenador / Nathália Nascimento Silva e Souza - Integrante / Janaína Junkes - Integrante / Edson Struminski - Integrante / Mariana Lima e Maia - Integrante / Letícia Alves de Araújo - Integrante / Lorena Sampaio Almeida - Integrante / Pedro Barcellos - Integrante.
2015 - 2017
AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DOS SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ESGOTOS IMPLANTADO PELA SEINFRA/AL

Projeto certificado pela empresa SECRETARIA DE ESTADO DA INFRA-ESTRUTURA em 29/09/2016.
Descrição: O projeto visa monitorar por um período de 12 meses a qualidade do efluente bruto e tratado nos municípios de Marechal Deodoro (Reator UASB), Messias e União dos Palmares (Lagoas de estabilização) e Maceió (Lagoas aeradas) que operam sistemas de tratamento de esgotos construídos pela Secretaria de Infraestrutura de Alagoas, com vistas a avaliar o índice de qualidade de água - IQA dos corpos hídricos receptores, a eficiência destes sistemas e comparar com os parâmetros de projeto.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Tainá Teixeira Cavalcante de Lima - Integrante / Jamerson Cavalcante de Lima - Coordenador / Thassyla Karine Correia da Silva - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas - Bolsa.
2013 - Atual
MAIS ACCOUNTABILITY, MAIOR SUSTENTABILIDADE? INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO E O CONTROLE DEMOCRÁTICO NO LICENCIAMENTO AMBIENTAL EM MINERAÇÃO NA AMAZÔNIA BRASILEIRA, COLOMBIANA E PERUANA (2006 - 2012)
Descrição: Qual o impacto do investimento estrangeiro direto na sustentabilidade ambiental? Este projeto de pesquisa, utilizando metodologia mista envolvendo método comparativo amparado numa base de dados multivariados, tem por objetivo analisar a correlação positiva, na Amazônia brasileira, colombiana e peruana, entre a maior recepção de investimento estrangeiro direto (IED) na exploração de recursos naturais como mineração e uma maior degradação e baixa compensação ambiental nos países. Diferencia-se o status dessa correlação pelo grau de institucionalização de mecanismos de controle democrático no licenciamento ambiental em mineração em cada país. Para efeito de analisar a accountability no processo de licenciamento ambiental, será feito um mapa comparativo do IED na atividade de mineração, entre os anos de 2006 a 2012, auditadas pelas instituições de controle ambiental, IBAMA/Ministério do Meio Ambiente no Brasil, Ministerio de Ambiente y Desarrollo Sostenible/Autoridad Nacional de Licencias Ambientales na Colômbia e ao Ministerio del Ambiente/Contraloría General de La República no Peru. A escolha das unidades de análise se deu por representarem, na América do Sul, os países que mais receberam IED no setor de mineração nos últimos dez anos, de acordo com a CEPAL. Pressupõe-se que a menor institucionalização de mecanismos de controle democrático impacta diretamente na menor capacidade de gestão ambiental dos países e na pior qualidade de indicadores político-ambientais, cenário mensurado por indicadores diretos como (1) taxa de desmatamento em áreas sob mineração, (2) menor proporção de ecossistemas frágeis protegidos, (3) redução de auditorias ambientais operacionais realizadas por órgãos de licenciamento ambiental, (4) quantidade de projetos de mineração licenciados próximos a áreas protegidas e (5) quantidade de conflitos socioambientais relativos a atividades de mineração nos países ou indicadores indiretos como (6) preço de commodities minerais e (7) projetos de mineração financiados por bancos de desenvolvimento. A hipótese de pesquisa é que sob níveis de accountability mais baixos, o investimento estrangeiro direto tem efeito negativo na sustentabilidade ambiental..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (1) .
Integrantes: Tainá Teixeira Cavalcante de Lima - Integrante / Diego Freitas Rodrigues - Coordenador / Anelise Gomes da Silva - Integrante / Alan do Nascimento Pedrosa - Integrante / Nathália Nascimento Silva e Souza - Integrante / Lorena Madruga Monteiro - Integrante / Wendell Ficher Teixeira Assis - Integrante / José Alexandre da Silva Júnior - Integrante / Alberto Luiz Teixeira da Silva - Integrante.Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
Número de produções C, T & A: 2


Áreas de atuação


1.
Grande área: Engenharias / Área: Engenharia Sanitária / Subárea: Engenharia Ambiental.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Pouco, Lê Razoavelmente.


Produções



Produção bibliográfica
Artigos completos publicados em periódicos

1.
LIMA, T. T. C.2015LIMA, T. T. C.; PACIFICO, L. V. ; MARRONE, R. ; SILVA, G. ; LIMA, M. ; SILVA, D. F. . Sistema de drenagem de águas pluviais para irrigação da horta UNIT/Maceió. Cadernos de Graduação, v. 3, p. 13-24, 2015.

2.
RODRIGUES, D. F.2015RODRIGUES, D. F. ; SILVA JUNIOR, J. A. ; SILVA, D. ; LIMA, T. T. C. . A sustentável leveza da democracia? Os efeitos da qualidade democrática sobre o desempenho ambiental. Desenvolvimento e Meio Ambiente (UFPR), v. 33, p. 81-99, 2015.

Livros publicados/organizados ou edições
1.
RODRIGUES, D. F. (Org.) ; STRUMINSKI, E. (Org.) ; LIMA, T. T. C. (Org.) . Licenças para degradar? Impactos socioambientais da mineração na América do Sul. 1. ed. Aracaju: Editora Universitária Tiradentes, 2016. v. 1. 160p .

Resumos publicados em anais de congressos
1.
LIMA, T. T. C.; PACIFICO, L. V. ; MARRONE, R. ; SILVA, G. ; SILVA, D. F. . Sistema de drenagem de águas pluviais para irrigação da horta da UNIT/Maceió. In: Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, 2015, João Pessoa. Anais do Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental e Sustentabilidade. João Pessoa, 2015. v. 3. p. 778-778.

2.
RODRIGUES, D. F. ; SOUZA, N. N. S. E. ; LIMA, T. T. C. . LICENÇAS PARA DEGRADAR? IMPACTOS DA MINERAÇÃO NA AMAZÔNIA BRASILEIRA E COLOMBIANA. In: XI ENCONTRO NACIONAL DA ECOECO, 2015, Araraquara. Anais do XI Encontro Nacional da EcoEco, 2015.

3.
SOUZA, N. N. S. E. ; PEDROSA, A. N. ; LIMA, T. T. C. ; RODRIGUES, D. F. . Degradaçao alem do alcance: investimento em mineraçao e conflitos ambientais na Amazonia Brasileira.. In: 1° Congreso Latinoamericano sobre Conflictos Ambientales, 2014, Buenos Aires. Libro de Resúmenes. Buenos Aires: Universidad Nacional de General Sarmiento, 2014. v. 1. p. 226-227.

4.
LIMA, T. T. C.; PEDROSA, A. N. ; SOUZA, N. N. S. E. ; RODRIGUES, D. F. . Desmatamento em terras indígenas para atividades de mineração na Amazônia brasileira.. In: 1° Congreso Latinoamericano sobre Conflictos Ambientales, 2014, Buenos Aires. Libro de Resúmenes. Buenos Aires: Universidad Nacional de General Sarmiento, 2014. v. 1. p. 228-228.

5.
PEDROSA, A. N. ; SOUZA, N. N. S. E. ; LIMA, T. T. C. ; RODRIGUES, D. F. . Financiando Conflitos? O BNDES e os impactos socioambientais da Mineração no Bioma Amazônico.. In: 1° Congreso Latinoamericano sobre Conflictos Ambientales, 2014, Buenos Aires. Libro de Resúmenes. Buenos Aires: Universidad Nacional de General Sarmiento, 2014. v. 1. p. 227-228.

6.
PEDROSA, A. N. ; LIMA, T. T. C. ; RODRIGUES, D. F. . INVESTIMENTO ESTRANGEIRO DIRETO NA MINERAÇÃO E DESMATAMENTO EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO NA AMAZÔNIA LEGAL BRASILEIRA: UMA CORRELAÇÃO PERVERSA. In: Congresso Brasileiro de Iniciação Científica, 2013, Santos. Revista Ceciliana Dez 5(2), 2013. v. 5. p. 192-192.

Apresentações de Trabalho
1.
LIMA, T. T. C.; RODRIGUES, D. F. . Alcance e limites operacionais no uso do Google Earth para o ensino de Avaliação de Impactos Ambientais. 2018. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

2.
PEDROSA, A. N. ; LIMA, T. T. C. ; RODRIGUES, D. F. . O DESMATAMENTO CONTRA-ATACA : Impactos da Mineração em Unidades de Conservação na Amazônia Brasileira. 2015. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

3.
SOUZA, N. N. S. E. ; PEDROSA, A. N. ; LIMA, T. T. C. ; RODRIGUES, D. F. . Licença para degradar? Investimento em mineração e conflitos ambientais na Amazônia brasileira. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

4.
PEDROSA, A. N. ; SOUZA, N. N. S. E. ; LIMA, T. T. C. ; RODRIGUES, D. F. . Financiando conflitos? O BNDS e os impactos socioambientais da mineração no Bioma Amazônico. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
SOUZA, N. N. S. E. ; PEDROSA, A. N. ; LIMA, T. T. C. ; RODRIGUES, D. F. . Degradação além do alcance: Investimento em mineração e conflitos ambientais na Amazônia brasileira. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
LIMA, T. T. C.; PEDROSA, A. N. ; SOUZA, N. N. S. E. ; RODRIGUES, D. F. . Desmatamento em Terras Indígenas para atividades de mineração na Amazônia Brasileira. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

7.
LIMA, T. T. C.; RODRIGUES, D. F. ; PEDROSA, A. N. ; SOUZA, N. N. S. E. . Tristes Trópicos: Desmatamento em Terras Indígenas para atividades de mineração na Amazônia Brasileira. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
LIMA, T. T. C.; PEDROSA, A. N. ; RODRIGUES, D. F. . Investimento estrangeiro direto e degradação ambiental no Brasil e no peru: uma análise preliminar. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

9.
PEDROSA, A. N. ; LIMA, T. T. C. ; RODRIGUES, D. F. . Investimento estrangeiro direto na mineração e desmatamento em unidades de conservação na Amazônia legal brasileira: uma correlação perversa. 2013. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

10.
LIMA, T. T. C.; CAVALCANTE, E. L. ; SANTOS, K. B. ; RIBEIRO, J. L. S. ; SIQUEIRA, T. M. V. ; VALOURA, L. R. . Avaliação do Comportamento Temporal da Balneabilidade das Praias de Maceió-AL. 2010. (Apresentação de Trabalho/Congresso).


Produção técnica
Entrevistas, mesas redondas, programas e comentários na mídia
1.
RODRIGUES, D. F. ; LIMA, T. T. C. . Professores do Mestrado e egressa da Engenharia publicam livro virtual. 2017. (Programa de rádio ou TV/Entrevista).

2.
PEDROSA, A. N. ; RODRIGUES, D. F. ; LIMA, T. T. C. . Segundo Dia da Sempesq foi marcado por palestras e exposição fotográfica. 2015. (Programa de rádio ou TV/Comentário).

3.
RODRIGUES, D. F. ; LIMA, T. T. C. ; PEDROSA, A. N. . Vantagens e Limitações no uso do Google Earth para Avaliação de Impacto de Projetos de Mineração em Áreas Protegidas. 2015. (Programa de rádio ou TV/Mesa redonda).

4.
PEDROSA, A. N. ; LIMA, T. T. C. ; SOUZA, N. N. S. E. . FITS TEM 11 TRABALHOS APROVADOS EM CONGRESSO ACADÊMICO. 2014. (Programa de rádio ou TV/Comentário).


Demais tipos de produção técnica


Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
Campus Party Brasil. 2018. (Feira).

2.
Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto. Alcance e limites operacionais no uso do Google Earth para o ensino de Avaliação de Impactos Ambientais. 2018. (Congresso).

3.
I Simpósio de Avaliação de Impactos Ambientais e de Saúde. 2018. (Simpósio).

4.
Semana de Engenharia Ambiental e Sanitária.Contribuições do Engenheiro Sanitarista e Ambiental para o desenvolvimento do Estado de Alagoas. 2018. (Outra).

5.
Desafio Insano 72h. 2017. (Outra).

6.
9º Fórum de Desenvolvimento Regional. 2016. (Outra).

7.
Campus Party Brasil. 2016. (Feira).

8.
Direito e Arte - X-men: Dias do futuro esquecido. 2016. (Outra).

9.
I Simpósio Alagoano sobre Resíduos Sólidos. 2016. (Simpósio).

10.
A formação de Recursos Humanos em Ciência e Tecnologia e as Perspectivas para Alagoas. 2015. (Outra).

11.
Campus Party Brasil. 2015. (Outra).

12.
2º Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto. Tristes Trópicos: Desmatamento em terras indígenas para atividades de mineração na Amazônia Brasileira. 2014. (Congresso).

13.
Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto. Tristes Trópicos: Desmatamento em Terras Indígenas para atividades de mineração na Amazônia Brasileira. 2014. (Congresso).

14.
Semana de Engenharia e Desenvolvimento Regional. 2014. (Outra).

15.
Semana de Engenharia e Desenvolvimento Regional. 2014. (Outra).

16.
Congresso Brasileiro de Iniciação Científica. Investimento estrangeiro direto na mineração e desmatamento em unidades de conservação na Amazônia legal brasileira: uma correlação perversa. 2013. (Congresso).

17.
Congresso Brasileiro de Iniciação Científica. Investimento estrangeiro direto e degradação ambiental no Brasil e no peru: uma análise preliminar. 2013. (Congresso).

18.
Fits Educar é nossa praia. 2013. (Congresso).

19.
I Workshop de Desenvolvimento e Políticas Públicas no Brasil. 2013. (Seminário).

20.
Congresso de Engenharia, Ciência e Tecnologia. 2011. (Congresso).

21.
VIII Fórum Nacional de Defesa Civil. 2011. (Outra).

22.
CONECTE. Avaliação do comportamento temporal da balneabilidade das praias de Maceió-AL. 2010. (Congresso).

23.
Simpósio Ítalo-Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental. 2010. (Simpósio).

24.
VIII ENEEAMB e I ELEMA. 2010. (Congresso).

25.
XIII Jornada Alagoana de Saneamento Ambiental. 2009. (Outra).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
RODRIGUES, D. F. ; JUNKES, J. ; SILTA, V. ; LIMA, T. T. C. . I Simpósio de Avaliação de Impactos Ambientais e de Saúde. 2018. (Outro).

2.
LIMA, T. T. C.. Semana de Pesquisa: Pesquisa, Ciência e Tecnologia para superação das desigualdades em Alagoas. 2015. (Congresso).

3.
LIMA, T. T. C.. I Workshop de Desenvolvimento e Políticas Públicas no Brasil. 2013. (Congresso).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 19/12/2018 às 3:17:28