Gabriella Frosi Albuquerque Figueiroa Faria

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/3484229294478220
  • Última atualização do currículo em 09/01/2019


Bióloga, possui graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Pernambuco (2010), mestrado em Biologia Vegetal (2013) e Doutorado em Biologia Vegetal pelo Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal da UFPE. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Ecofisiologia Vegetal. Atua principalmente nos seguintes temas: ecofisiologia de plantas adaptadas à condição de semi árido, tolerância à seca e salinidade com ênfase em relações hídricas, trocas gasosas, fluorescência, bioquímica, estresse oxidativo, anatomia ecológica, genética molecular. Além disso, desenvolve estudos dessas espécies com a aplicação de fungos micorrízicos arbusculares. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Gabriella Frosi Albuquerque Figueiroa Faria
Nome em citações bibliográficas
Frosi, G.;Gabriella Frosi;Frosi, Gabriella

Endereço


Endereço Profissional
Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Ciências Biológicas.
Avenida Professor Moraes Rêgo S/n - Laboratório de Fisiologia Vegetal
Cidade Universitária
50670901 - Recife, PE - Brasil
Telefone: (81) 21268844
URL da Homepage: https://www.ufpe.br/lfv/


Formação acadêmica/titulação


2013 - 2017
Doutorado em Biologia Vegetal.
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Título: Aspectos ecofisiológicos sobre a simbiose de espécies lenhosas da caatinga e fungo micorrízico arbuscular sob seca e salinidade, Ano de obtenção: 2017.
Orientador: MAURO GUIDA DOS SANTOS.
Coorientador: Leonor Costa Maia.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco, FACEPE, Brasil.
Palavras-chave: caatinga; Fungo micorrizico arbuscular; déficit hídrico; salinidade; trocas gasosas; Expressão Gênica.
Grande área: Ciências Biológicas
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Genética.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Microbiologia / Subárea: Biologia e Fisiologia dos Microorganismos / Especialidade: Micologia.
2011 - 2013
Mestrado em Biologia Vegetal.
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Título: Avaliação da germinação e mecanismos de tolerância à seca de duas oleaginosas perenes sob déficit hídrico,Ano de Obtenção: 2013.
Orientador: MAURO GUIDA DOS SANTOS.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
Palavras-chave: biodiesel; déficit hídrico; análises bioquímicas.
Grande área: Ciências Biológicas
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Botânica / Subárea: Fisiologia Vegetal / Especialidade: Ecofisiologia Vegetal.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Botânica / Subárea: Morfologia Vegetal / Especialidade: Anatomia Vegetal.
2006 - 2010
Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas.
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Título: Respostas da temperatura sobre a germinação e desenvolvimento de plantas jovens de Calotropis procera (Aiton) W. T. Aiton (Asclepiadacea) espécie invasora da caatinga..
Orientador: Mauro Guida dos Santos.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco, FACEPE, Brasil.


Pós-doutorado


2017
Pós-Doutorado.
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Bolsista do(a): Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco, FACEPE, Brasil.
Grande área: Ciências Biológicas
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Genética / Subárea: Fisiologia Vegetal.
Grande Área: Ciências Biológicas / Área: Microbiologia / Subárea: Micorriza.


Formação Complementar


2018 - 2018
Python for Biologists. (Carga horária: 75h).
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
2017 - 2017
Bioinformatics with Python for Biologists. (Carga horária: 60h).
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
2016 - 2016
Introduction to High Performance Computing in Bioinformatics Analysis. (Carga horária: 60h).
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
2016 - 2016
Computational Biology for the Analysis of Biological Networks. (Carga horária: 60h).
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
2015 - 2015
RT-qPCR e aplicações em transcriptômica. (Carga horária: 4h).
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
2015 - 2015
Curso de Primer Design,. (Carga horária: 15h).
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
2014 - 2014
Análise Estatística de Dados Temporais. (Carga horária: 45h).
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
2011 - 2011
Análise e Modelagem Sistêmica de Dados Fisiológico. (Carga horária: 4h).
Sociedade Brasileira de Fisiologia Vegetal, SBFV, Brasil.
2007 - 2007
Terapias Naturais Fitoterapia. (Carga horária: 30h).
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
2007 - 2007
Terapia Gênica. (Carga horária: 5h).
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.


Atuação Profissional



Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Vínculo institucional

2017 - Atual
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante de Pós Doutorado, Regime: Dedicação exclusiva.

Vínculo institucional

2013 - 2017
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante de Doutorado, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Bolsista FACEPE, Projeto: Aspectos ecofisiológicos sobre a simbiose de espécies lenhosas da caatinga e fungo micorrízico arbuscular sob seca e salinidade. Laboratório de Ecofisiologia Vegetal

Vínculo institucional

2011 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estudante de Mestrado, Regime: Dedicação exclusiva.
Outras informações
Bolsista Capes, Projeto: Avaliação da germinação e mecanismos de tolerância à seca de duas oleaginosas perenes sob déficit hídrico. Laboratório de Ecofisiologia Vegetal

Vínculo institucional

2009 - 2010
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estágio, Carga horária: 20
Outras informações
Bolsista FACEPE, Projeto: Respostas do déficit hídrico e temperatura sobre a germinação e desenvolvimento de plantas jovens de Calotropis procera espécie invasora da Caatinga. Laboratório Ecofisiologia Vegetal

Vínculo institucional

2008 - 2009
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Estágio, Carga horária: 20
Outras informações
Bolsista FACEPE, Projeto: Avaliação do metabolismo foliar e tolerância à seca de mudas de pinhão manso. Laboratório de Ecofisiologia Vegetal

Atividades

2008 - Atual
Pesquisa e desenvolvimento , Centro de Ciências Biológicas, Departamento de Botânica.

2017 - 2017
Ensino, Ciências Biológicas, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Tópicos Especiais III ? DCB 972: Bioestatística: um enfoque prático
2017 - 2017
Ensino, Ciências Biológicas, Nível: Pós-Graduação

Disciplinas ministradas
Participação na disciplina Tópicos Especiais III -DCB 972 (Aspectos Ecofisiológicos e Moleculares de Plantas sob Estresse)
08/2007 - 07/2008
Outras atividades técnico-científicas , Centro de Ciências Biológicas, Centro de Ciências Biológicas.

Atividade realizada
Monitoria da disciplina Fitofisiologia.


Linhas de pesquisa


1.
Anatomia Vegetal
2.
Bioquímica Vegetal
3.
Anatomia ecológica
4.
Ecofisiologia de plantas do semi árido
5.
Genética molecular
6.
Bioinformática
7.
Fungos Micorrízicos Arbusculares


Projetos de pesquisa


2014 - 2016
Seca e Salinidade: Estudo da Expressão Diferencial em Leguminosas Nativas e Cultivadas
Descrição: O projeto tem como objetivo geral estudar o papel de genes envolvidos nos mecanismos moleculares que governam a tolerância à seca e à salinidade em uma leguminosa nativa (Stylosanthes scabra) e cultivadas (feijão-caupi e soja), identificando, validando e testando genes candidatos diferencialmente expressos, bem avaliando como seu potencial para uso biotecnológico com vistas à geração de plantas transgênicas mais tolerantes aos estresses citados...
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Gabriella Frosi Albuquerque Figueiroa Faria - Integrante / Ana Maria Benko-Iseppon - Coordenador.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2014 - Atual
Rede InterSys: Biologia Sistêmica no Estudo de Função Gênica em Interações Bióticas
Descrição: O projeto envolve nove instituições e 17 subprojetos. Pretende estabelecer a rede INTERSYS, voltada para a formação de pessoal e geração de conhecimento científico de alto nível envolvendo interações bióticas a partir de abordagens multidisciplinares de biologia sistêmica (ômicas, biologia celular e bioinformática) através da integração de grupos nacionais e internacionais experientes...
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Gabriella Frosi Albuquerque Figueiroa Faria - Integrante / Ana Maria Benko-Iseppon - Coordenador.
Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Auxílio financeiro.
2014 - Atual
Aumento da biomassa de espécies lenhosas da caatinga em simbiose com micorriza e recuperação de áreas degradadas no semiárido (Facepe-Pronem-APQ-0336-2.03/14).
Descrição: O principal objetivo é avançar no conhecimento ecofisiológico sobre a tolerância ao estresse abiótico apresentado pela vegetação nativa da caatinga. Muito se fala em conservação e recuperação da floresta tropical seca, a qual se encontra em sua maior parte na região do nordeste brasileiro, entretanto, muito pouco se conhece da ecologia funcional dessas espécies, embora já tenhamos classificada a maioria delas presente nesta floresta. Nosso grupo entende que, conhecer a ecofisiologia dessas plantas é fundamental para posteriormente ocorrer o manejo sustentável e a conservação dessa floresta...
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Gabriella Frosi Albuquerque Figueiroa Faria - Integrante / Mauro Guida dos Santos - Coordenador.
Financiador(es): Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco - Auxílio financeiro.
2013 - Atual
Ecofisiologia vegetal, anatomia e mecanismos de tolerância ao estresse abiótico em espécies na Caatinga. CNPq-Proc.470247/2013-4
Descrição: O presente estudo visa dar continuidade as pesquisas ecofisiológicas de espécies vegetais dentro do ecossistema Caatinga, na região semiárida nordestina brasileira. Análises dessa natureza são raras, portanto, existe uma longa lacuna a ser preenchida. Serão avaliadas ao longo desses três anos pelo menos quatro espécies lenhosas nativas e uma espécie exótica, altamente adaptada ao semiárido nordestino, porém pouco explorada como fonte de renda ou genética para o melhoramento vegetal, mas com grande potencial, principalmente medicinal já publicado na literatura. O grupo de pesquisa proponente, ?Ecofisiologia de Plantas na Região Semiárida?, visa preservar a Caatinga, que possui somente cerca de 50% da sua área original, reflexo da exploração não sustentável por uma alta influência antrópica uma das maiores populações em regiões semiáridas do mundo. Para isso é preciso: (1) conhecer a ecofisiologia das principais espécies nativas visando à recuperação de áreas desmatadas; (2) prospectar alternativas de flora para uso sustentável pela população local, evitando assim o êxodo rural desorganizado e o desaparecimento de espécies. O objetivo geral desta proposta é avaliar parâmetros ecofisiológicos, sobretudo trocas gasosas, relações hídricas, anatômicos e bioquímicos em relação ao metabolismo foliar em quatro espécies nativas e uma exótica sob diferentes condições de crescimento na região nordeste. Para alcançá-lo dividimos o estudo em três módulos ou subprojetos: módulo I tem como objetivo geral avaliar anatômica e ecofisiologicamente duas espécies nativas da Caatinga: Cynophalla flexuosa J.Presl (Capparaceae) sempre verde, e Pseudobombax marginatum (A.St.-Hil., Juss. & Cambess.) A.Robyns (Malvaceae), caducifólia caracterizando o desempenho ecofisiológico dessas plantas em relação à sazonalidade; módulo II apresenta como objetivo geral avaliar o comportamento de espécies arbóreas ambas nativas: Catingueira (Poincianella pyramidallis Tull., Fabaceae) e Pereiro (Aspidosperma pyrifolium Mart., Apocynaceae), em três áreas de Caatinga em regeneração sob estádios de sucessão inicial, intermediária e tardia quanto a parâmetros determinantes da performance ecofisiológica delas neste ecossistema; módulo III objetiva analisar duas populações de Calotropis procera (Aiton) W. T. Aiton, uma presente em região de restinga (sob efeito de salinidade), outra presente no semiárido (sertão pernambucano) área de Caatinga degradada. Para avaliar aspectos de tolerância à salinidade e à seca, serão estudados parâmetros anatômicos, fisiológicos e bioquímicos. Além disso, aspectos relacionados à resistência a estresses abióticos (seca e salinidade) atividade gênica ligada ao estresse oxidativo (via SOS) e aos componentes antimicrobianos (defensinas) em C. procera serão analisados utilizando ferramentas da biologia molecular e de bioinformática. Pode-se perceber que se trata de uma proposta multidisciplinar, na qual estão presentes membros do grupo de pesquisa proponente, bem como importantes instituições parceiras públicas e privadas da região nordeste. Como produto final se espera uma quantidade considerável de conhecimento sobre espécies presentes no semiárido que colaborarão diretamente na tomada de decisões que visam à preservação do ecossistema e, sustentabilidade na convivência meio ambiente e população local. As chances das metas aqui propostas de serem alcançadas são grandes, uma vez que a infraestrutura necessária encontra-se disponível, além de uma equipa experiente, produtiva e multidisciplinar, a qual já trabalha em cooperação, inclusive com recentes publicações conjuntas...
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Gabriella Frosi Albuquerque Figueiroa Faria - Integrante / Mauro Guida dos Santos - Coordenador.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2013 - Atual
Aumento da tolerância em plantas jovens de espécies lenhosas da caatinga aos estresses salino e seca. (APQ-0829-2.03/12 )
Descrição: O presente estudo tem como principal objetivo avaliar a tolerância à seca e salinidade em plantas jovens de espécies lenhosas nativas da caatinga. Foram escolhidas juntamente com o Centro de Referência para Recuperação de Áreas Degradadas (CRRAD) - UNIVASF as espécies mais utilizadas no início da recuperação de áreas degradadas da caatinga. Dentre estas espécies há aquelas que já apresentaram em estudos anteriores a simbiose com fungos micorrízicos e outras que ainda não foram estudadas. A associação com estes microorganismos tem se mostrado um mitigador de estresse abiótico, entre eles nutricional, frio, seca e salinidade. Outro fator mitigador a estresses abiótico entre eles a seca é o suprimento de fósforo foliar no início do estresse. Dessa forma esta proposta integra estes dois mitigadores de estresse bem como busca respostas através de ferramentas fisiológica, bioquímica e molecular para estes efeitos sobre os vegetais. Três fatores são inéditos: os dois mitigadores em conjunto; estudo realizado em espécies lenhosas de floresta tropical seca e, o uso de ferramentas complementares empregadas no mesmo experimento de forma integrada. Após reunir uma equipe multidisciplinar e contar com o apoio de diferentes laboratórios se deu a proposta que se segue. Para melhor compreensão esta foi dividida em dois módulos os quais serão executados nos dois próximos anos de estudo. Módulo I - Seleção de espécies arbóreas da Caatinga responsivas a micorrizas arbusculares neste módulo será avaliado a capacidade de pelo menos seis espécies chaves para o reflorestamento quanto a capacidade de estabelecer ou não a simbiose, os fungos micorrízicos serão fornecidos pela micoteca do Departamento de Micologia UFPE e as sementes das espécies pelo CRRAD. As espécies são: três espécies de preenchimento: Poincianella pyramidalis (catingueira), Cnidoscolus quercifolius (faveleira), Pseudobombax marginatum (imbiratanha); e três espécies de diversidade:.
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Gabriella Frosi Albuquerque Figueiroa Faria - Integrante / Mauro Guida dos Santos - Coordenador / Jarcilene Silva Almeida-Cortez - Integrante / Silvia Caroline Farias Pereira - Integrante / Marcos Vinicius Meiado - Integrante / Leonor Costa Maia - Integrante / Ana Maria Benko-Iseppon - Integrante.
Financiador(es): Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco - Auxílio financeiro.
2010 - 2014
Avaliação de métodos de propagação em oleaginosas perenes (FACEPE APQ-0929501/10)
Descrição: O objetivo geral deste projeto é determinar uma tecnologia para propagação de seis espécies perenes, através do método sexuado ou da propagação in vitro (cultura de tecido). A proposta integra a UFPE, a UFRPE (UAST), o CETENE, o IPA e a Escola Agrotécnica Pajeú possibilitando alunos do ensino técnico a participarem de projetos de pesquisa voltados para seu estado. Além disso, promove a integração entre a maioria dos principais órgãos de pesquisa do Estado de Pernambuco, inclusive visando o desenvolvimento dos novos campi universitário no interior do estado. Foram escolhidas seis espécies com possibilidade de usos múltiplos pela população local, além do conteúdo oleaginoso da semente das espécies, elas podem ser empregadas para outros fins locais. Dessa forma, as espécies a serem estudadas neste projeto são: Moringa oleifera, Pachira aquatica, Manihot glaziovii, Syagrus coronata, Acrocomia aculeata e Elaeis guineenses. O projeto foi dividido em dois módulos e dentro desses seus experimentos. O primeiro módulo é o estudo do desenvolvimento in vitro de três dessas espécies (Syagrus coronata, Acrocomia aculeata e Elaeis guineenses), no segundo módulo se estudará a propagação ex vitro, de forma sexuada (via semente) e através de estaquia dentro das espécies possíveis. Para alcançar o objetivo geral desse projeto seis perguntas foram estabelecidas, as quais compõem os objetivos específicos: (1) quais as limitações para produção de novas plântulas a partir de sementes ou estacas? (2) qual a velocidade de desenvolvimento de plântulas provenientes de sementes ou estacas? (3) quais os processos fisiológicos chaves, tais como: fotossíntese e uso de água são mais sensíveis nas seis espécies à deficiência hídrica intrínseca da região? (4) qual protocolo in vitro é fitotecnica e economicamente viável para cada espécie estudada? (5) como se dá o desenvolvimento inicial das plantas provenientes da propagação in vitro? (6) qual a melhor tecnologia que assegura a sustentabilidade.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Gabriella Frosi Albuquerque Figueiroa Faria - Integrante / Mauro Guida dos Santos - Coordenador / Jarcilene Silva Almeida-Cortez - Integrante / Marcelo Francisco Pompelli - Integrante / Wolfgang Harand - Integrante / Antonio Fernando Morais de Oliveira - Integrante / Laureen Michelle Hollou-Kido - Integrante.
Financiador(es): Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco - Auxílio financeiro.
2010 - 2012
Relações hídricas e aspectos ecofisiológicos de espécies perenes com potencial uso para biocombustíveis no semiárido nordestino. (proc. CNPq-483550/2010-8)
Descrição: O atual projeto visa estudar no mínimo três espécies perenes que possuem potencial econômico para obtenção de óleos destinados a biodiesel, no entanto, ainda é raro o cultivo comercial das mesmas. Dessa forma, pretende-se ampliar as opções de pequenos e médios produtores rurais do semi-árido nordestino, podendo assim, cultivar espécies rústicas com finalidade econômica. No atual cenário da região predomina a exploração dos recursos naturais de forma não sustentável, o que acarreta em devastação e em muitas localidades em desertificação do meio. Por outro lado, existe a agricultura de alta tecnologia, que garante uma renda acentuada e atrai produtores do país inteiro para a região. Nesse mesmo cenário, se encontra o pequeno e médio produtor cada vez mais desestimulado por falta de alternativas para aumentar sua renda. O que os levam a vender suas propriedades e migrarem para as cidades, onde descobrem que não são competitivos. Atualmente a região nordeste, passa por transformações bruscas, tais como: novos trajetos de cursos de água, novas estradas e estímulo a produção de determinadas culturas que visam abastecer as inovações tecnológicas implantadas na região. Um bom exemplo disso: é a necessidade de produção de oleaginosas para a fabricação de biocombustíveis, através do CETENE (Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste) a região tem sido encorajada a explorar novas espécies que sabidamente possuem potencial para tal fim. Diante desse contexto, se insere esta proposta. Estudar a ecofisiologia vegetal de Moringa oleifera, Pachira aquatica e Sterculia striata, é o nosso principal objetivo. Para alcançá-lo, dividimos o projeto em três módulos: módulo I, este módulo tem como objetivo geral determinar a ecofisiologia da germinação das sementes das três espécies e caracterizar o desenvolvimento de plântulas sob condições do estresse abiótico mais comum na região, a seca, em casa de vegetação; módulo II, este módulo tem como objetivo geral avaliar o comportamento.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (2) / Doutorado: (1) .

Integrantes: Gabriella Frosi Albuquerque Figueiroa Faria - Integrante / Mauro Guida dos Santos - Coordenador / Jarcilene Silva Almeida-Cortez - Integrante / Marcelo Francisco Pompelli - Integrante / Wolfgang Harand - Integrante / Eduardo Soares de Souza - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.
2010 - 2012
Espécies nativas e exóticas do semi-árido pernambucano como fontes alternativas de biodiesel. (CNPq-551300/2010-8)
Descrição: O atual projeto visa obtenção de bolsas para formação de recursos humanos envolvidos com a cadeia produtiva de produção de biocombustíveis. A ampliação da produção e do consumo de biocombustíveis, incentivados pelo uso da agroenergia, e respaldados pela a sociedade e o Estado, juntos, deverão promover a proteção ao meio ambiente, o desfrute desse mercado internacional e, por conseguinte, auxiliar nos processos de inclusão social. A caatinga é um dos ecossistemas brasileiros mais modificados pelo homem, extensas áreas foram substituídas por pastagens, campos de agricultura ou terras em fase de desertificação, levando a Caatinga a se transformar em um dos setores mais ameaçados do país. O pinhão-manso (Jatropha curcas L.) está sendo considerado uma opção agrícola para a região nordeste por ser uma espécie exigente em insolação, com forte tolerância à seca e produzir óleo de boa qualidade para uso como biodiesel. A pesquisa com pinhão-manso no Brasil está apenas no início. A moringa (Moringa oleifera) é uma árvore nativa da África Tropical que foi introduzida no Brasil como planta ornamental. Tem crescimento rápido chegando até 10 metros, tolerante à seca, podendo se desenvolver em solos pobres com pHs elevados. Alguns estudos indicam que a espécie pode produzir até três toneladas de semente por hectare, semente esta que apresenta cerca de 39% de óleo, rico em ácido oléico (78%), o que indica que o produto é adequado para a obtenção de um biodiesel com um baixo teor de insaturações. O pinhão-bravo (Jatropha molissima) é um pequeno arbusto da família das euforbiáceas, no entanto, ao contrário de J. curcas é nativo do semi-árido brasileiro, vegetando com muita freqüência em áreas degradadas da caatinga. Com frutos deiscentes e folhagem caduca no período crítico de seca, apresenta um alto teor de óleo em suas sementes, cerca de 38%, mas dependendo das características intrínsecas do fruto, sua forma de cultivo e colheita esses teores podem ser significativamente inferiores..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Gabriella Frosi Albuquerque Figueiroa Faria - Integrante / Mauro Guida dos Santos - Coordenador.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.
2007 - 2009
Ecofisiologia do pinhão manso sob condições de sequeiro no semi-árido do Estado de Pernambuco (477329/2007-1).
Descrição: A convivência de recursos limitados do semi-árido com o homem existe e sempre existirá, no entanto, há necessidade de se encontrar atividades sustentáveis e que possibilitem essas famílias a romperem o ciclo de miséria que se encontram presas. Dessa forma, várias áreas do semi-árido estão se tornando árido e o que é árido vem se tornando desértico. A alternativa de culturas que possam ser exploradas nesta região e que possam vir a ter sua produção comercializada pode ser uma saída para este problema, neste contexto, o pinhão manso (Jatropha curcas L.) pode ser uma espécie promissora em um futuro em médio prazo. O óleo produzido a partir da semente de pinhão manso é semelhante ao do diesel extraído do petróleo. As propriedades encontradas no biocombustível atendem às especificações que a Agência Nacional do Petróleo (ANP) para o petrodiesel. Esta qualidade destaca a espécie para integrar o time de plantas oleaginosas que irão compor o programa de produção de combustível vegetal na região seca do Nordeste. As pesquisas com a planta na região ainda são bem recentes e é preciso ser prudente e buscar as informações técnicas já disponíveis para que não se venha a montar sistemas de produção insustentáveis. Além disso, pouco se sabe da diversidade do comportamento ecofisiológico dessas plantas. O investimento em pesquisa de base se faz necessário no momento para que no futuro se possa explorar essa espécie com sucesso. Diante do exposto a proposta ora apresentada tem como objetivo principal caracterizar o comportamento ecofisiológico, sobretudo as relações hídricas e as trocas gasosas de plantas de pinhão manso sob cultivo de sequeiro no semi-árido nordestino...
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Gabriella Frosi Albuquerque Figueiroa Faria - Integrante / Mauro Guida dos Santos - Coordenador.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.


Projetos de extensão


2015 - 2015
Botânica, Luz e Vida
Descrição: O projeto foi desenvolvido durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia visando a divulgação de temas relacionados às diversas áreas da botânica, dentre elas, a fisiologia vegetal..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.

Integrantes: Gabriella Frosi Albuquerque Figueiroa Faria - Integrante / Mauro Guida dos Santos - Integrante / Marcelo Francisco Pompelli - Coordenador / Marciel Teixeira de Oliveira - Integrante / Hiram Marinho Falcão - Integrante.


Revisor de periódico


2014 - Atual
Periódico: Bragantia (São Paulo, SP. Impresso)
2017 - Atual
Periódico: Acta Physiologiae Plantarum
2016 - 2016
Periódico: Acta Physiologiae Plantarum
2017 - Atual
Periódico: Journal of the Science of Food and Agriculture
2017 - Atual
Periódico: BRAZILIAN JOURNAL OF BIOLOGY
2018 - Atual
Periódico: PLANT AND CELL PHYSIOLOGY


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Botânica / Subárea: Fisiologia Vegetal/Especialidade: Ecofisiologia Vegetal.
2.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Botânica / Subárea: Fisiologia Vegetal.
3.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Botânica.
4.
Grande área: Ciências Biológicas / Área: Genética / Subárea: Genética Vegetal.


Idiomas


Espanhol
Compreende Razoavelmente, Lê Razoavelmente.
Português
Compreende Bem, Fala Bem, Lê Bem, Escreve Bem.
Inglês
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.


Produções



Produção bibliográfica
Citações

Web of Science
Total de trabalhos:9
Total de citações:16
Fator H:2
Frosi, Gabriella  Data: 28/02/2018

SCOPUS
Total de trabalhos:8
Total de citações:33
Frosi, Gabriella  Data: 28/02/2018

Artigos completos publicados em periódicos

1.
PEREIRA, S.2018PEREIRA, S. ; Frosi, G. ; OLIVEIRA, M. T. ; LUSTOSA, B. M. ; Arruda, E. ; Santos, M.G . Changes in phenotypic variability of two tropical woody species due to short and long-term exposure to different irradiances. BRAGANTIA, v. 77, p. 1-11, 2018.

2.
Frosi, Gabriella2018Frosi, Gabriella; BARROS, VANESSA ANDRADE ; OLIVEIRA, MARCIEL TEIXEIRA ; SANTOS, MARIANA ; RAMOS, DIEGO GOMES ; MAIA, LEONOR COSTA ; SANTOS, MAURO GUIDA . Arbuscular mycorrhizal fungi and foliar phosphorus inorganic supply alleviate salt stress effects in physiological attributes, but only arbuscular mycorrhizal fungi increase biomass in woody species of a semiarid environment. TREE PHYSIOLOGY, v. 38, p. 25-36, 2018.

3.
BARROS, VANESSA2018BARROS, VANESSA ; Frosi, Gabriella ; SANTOS, MARIANA ; RAMOS, DIEGO GOMES ; FALCÃO, HIRAM MARINHO ; SANTOS, MAURO GUIDA . Arbuscular mycorrhizal fungi improve photosynthetic energy use efficiency and decrease foliar construction cost under recurrent water deficit in woody evergreen species. PLANT PHYSIOLOGY AND BIOCHEMISTRY, v. 127, p. 469-477, 2018.

4.
LUSTOSA, BRUNO MELO2017LUSTOSA, BRUNO MELO ; SOUZA, LÍGIA GOMES FERREIRA ; Frosi, Gabriella ; FALCÃO, HIRAM MARINHO ; PEREIRA, SILVIA ; OLIVEIRA, MARCIEL TEIXEIRA ; SANTOS, MAURO GUIDA . Strategies of two tropical woody species to tolerate salt stress. Pesquisa Florestal Brasileira, v. 37, p. 63-72, 2017.

5.
RIVAS, REBECA2017RIVAS, REBECA ; Frosi, Gabriella ; RAMOS, DIEGO G. ; PEREIRA, SILVIA ; BENKO-ISEPPON, ANA M. ; SANTOS, MAURO G. . Photosynthetic limitation and mechanisms of photoprotection under drought and recovery of Calotropis procera , an evergreen C 3 from arid regions. PLANT PHYSIOLOGY AND BIOCHEMISTRY, v. 118, p. 589-599, 2017.

6.
Frosi, Gabriella2017Frosi, Gabriella; HARAND, WOLFGANG ; OLIVEIRA, MARCIEL TEIXEIRA DE ; PEREIRA, SILVIA ; CABRAL, SIMONE PEREIRA ; MONTENEGRO, ABELARDO ANTÔNIO DE ASSUNÇÃO ; SANTOS, MAURO GUIDA . Different physiological responses under drought stress result in different recovery abilities of two tropical woody evergreen species. Acta Botanica Brasilica, v. 31, p. 153-160, 2017.

7.
Alani, D.2016Alani, D. ; Medeiros, M. J. ; PEREIRA, S. C. F. ; OLIVEIRA, M. T. ; Frosi, G. ; Arruda, E. ; Santos, M.G. . Ecophysiological leaf traits of native and exotic palm tree species under semi-arid conditions. Bragantia (São Paulo, SP. Eletrônico), v. 75, p. 10-0, 2016.

8.
Frosi, G.2016 Frosi, G.; Barros, V.A. ; OLIVEIRA, MARCIEL TEIXEIRA ; CAVALCANTE, U. M. T ; Maia, L. C. ; Santos, M.G. . Increase in biomass of two woody species from a seasonal dry tropical forest in association with AMF with different phosphorus levels. Applied Soil Ecology (Print), v. 102, p. 46-52, 2016.

9.
Frosi, G.2016 Frosi, G.; Barros, V.A. ; OLIVEIRA, M. T. ; SANTOS, M. ; RAMOS, D. G. ; Maia, L. C. ; Santos, M.G . Symbiosis with AMF and leaf Pi supply increases water deficit tolerance of woody species from seasonal dry tropical forest. Journal of Plant Physiology (Print), v. 207, p. 84-93, 2016.

10.
OLIVEIRA, MARCIEL TEIXEIRA2014OLIVEIRA, MARCIEL TEIXEIRA ; MEDEIROS, CAMILA DIAS ; Frosi, Gabriella ; SANTOS, MAURO GUIDA . Different mechanisms drive the performance of native and invasive woody species in response to leaf phosphorus supply during periods of drought stress and recovery. Plant Physiology and Biochemistry (Paris), v. 82, p. 66-75, 2014.

11.
Frosi, Gabriella2012Frosi, Gabriella; OLIVEIRA, MARCIEL TEIXEIRA ; ALMEIDA-CORTEZ, JARCILENE ; SANTOS, MAURO GUIDA . Ecophysiological performance of Calotropis procera: an exotic and evergreen species in Caatinga, Brazilian semi-arid. Acta Physiologiae Plantarum, v. 35, p. 335-344, 2012.

Resumos expandidos publicados em anais de congressos
1.
Barros, V.A. ; Frosi, G. ; Maia, L. C. ; SANTOS, MAURO GUIDA . CHARACTERIZATION OF MYCORRHIZAL SYMBIOSIS IN DIFFERENT PHOSPHORUS LEVELS OF A WOODY NATIVE SPECIES IN CAATINGA. In: XII Congresso de Ecologia do Brasil, 2015, São Lourenço. CHARACTERIZATION OF MYCORRHIZAL SYMBIOSIS IN DIFFERENT PHOSPHORUS LEVELS OF A WOODY NATIVE SPECIES IN CAATINGA, 2015.

2.
GONCALVES, M. S. S. ; Frosi, G. ; Barros, V.A. ; OLIVEIRA, M. T. ; SANTOS, MAURO GUIDA ; Maia, L. C. . ECOPHYSIOLOGICAL ASPECTS OF A NATIVE WOODY SPECIES FROM A TROPICAL DRY FOREST UNDER AMF INOCULATION AND WATER DEFICIT. In: XII Congresso de Ecologia do Brasil, 2015, São Lourenço. ECOPHYSIOLOGICAL ASPECTS OF A NATIVE WOODY SPECIES FROM A TROPICAL DRY FOREST UNDER AMF INOCULATION AND WATER DEFICIT.

Resumos publicados em anais de congressos
1.
Frosi, G.; Neto, J R C F ; Bezerra Neto, J P ; Pandolfi, V. ; Santos, M.G . Análise in silico da via SOS em Cenostigma pyramidale (FABACEAE) submetida à condição salina. In: III Simpósio Norte e Nordeste de Bioinformática, 2018, Recife. III Simpósio Norte e Nordeste de Bioinformática, 2018.

2.
Silva, L T B ; Bezerra Neto, J P ; Venancio, G B C ; Frosi, G. ; Araújo, F. T. . IDENTIFICAÇÃO DE AQUAPORINAS NO TRANSCRIPTOMA DA CATINGUEIRA [CENOSTIGMA PYRAMIDALE (TUL.) L.P. QUEIROZ]. In: III Simpósio Norte Nordeste de Bioinformática, 2018, Recife. III Simpósio Norte Nordeste de Bioinformática, 2018.

3.
Cristovam, D.C.B.S ; Frosi, G. ; Barros, V.A. ; RAMOS, D. G. ; Santos, M.G . AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS ECOFISIOLÓGICOS DE ESPÉCIE LENHOSA NATIVA DA CAATINGA SOB APLICAÇÃO DE FÓSFORO FOLIAR SUBMETIDA AO DEFCIT HÍDRICO. In: 35° Reunião Nordestina de Botânica, 2017, Recife. AVALIAÇÃO DOS ASPECTOS ECOFISIOLÓGICOS DE ESPÉCIE LENHOSA NATIVA DA CAATINGA SOB APLICAÇÃO DE FÓSFORO FOLIAR SUBMETIDA AO DEFCIT HÍDRICO, 2017.

4.
NETO, K. A. M. ; Frosi, G. ; RAMOS, D. G. ; SOUZA, L. P. ; OLIVEIRA, M. T. . METABOLISMO FOTOSSINTÉTICO E TOLERÂNCIA AO DÉFICIT HÍDRICO EM ESPÉCIE PIONEIRA DO SEMIÁRIDO. In: 35° Reunião Nordestina de Botânica, 2017, Recife. METABOLISMO FOTOSSINTÉTICO E TOLERÂNCIA AO DÉFICIT HÍDRICO EM ESPÉCIE PIONEIRA DO SEMIÁRIDO, 2017.

5.
Frosi, G.; Maia, L. C. ; Barros, V.A. ; OLIVEIRA, M. T. ; SANTOS, M. ; RAMOS, D. G. ; Santos, M.G . Mycorrhizal symbiosis change the leaf biochemistry in woody native species of semiarid promoting tolerance to salt stress. In: IX Congreso Latinoamericano de Micología, 2017, Lima. IX Congreso Latinoamericano de Micología, 2017.

6.
Frosi, G.; Barros, V.A. ; OLIVEIRA, M. T. ; SANTOS, M. ; RAMOS, D. G. ; Maia, L. C. ; Santos, M.G . Mycorrhizal symbiosis and leaf Pi supply promoting tolerance to salt stress in woody native species of Brazilian semiarid. In: XVI Brazilian Congress of Plant Physiology, 2017, São Pedro. XVI Brazilian Congress of Plant Physiology, 2017.

7.
MAGALHAES, K. A. ; Frosi, G. ; RAMOS, D. G. ; SOUZA, L. P. ; OLIVEIRA, M. T. . Photosynthetic metabolism and water deficit tolerance of secondary succession species in semiarid. In: XVI Brazilian Congress of Plant Physiology, 2017, São Pedro. XVI Brazilian Congress of Plant Physiology, 2017.

8.
LIMA, L. L. ; Frosi, G. ; SANTOS, M. ; RAMOS, D. G. ; Barros, V.A. ; MAGALHAES, K. A. ; Santos, M.G . Influence of time of the day on the physiological responses of woody species of the semiarid in response to the saline shock. In: XVI Brazilian Congress of Plant Physiology, 2017, São Pedro. XVI Brazilian Congress of Plant Physiology, 2017.

9.
Frosi, G.; Barros, V.A. ; OLIVEIRA, M. T. ; SANTOS, M. ; RAMOS, D. G. ; Maia, L. C. . Aumento da tolerância à seca em Cenostigma pyramidale associada à micorriza e fósforo foliar. In: 2° Encontro de Biologia Vegetal, 2017, Recife. 2° Encontro de Biologia Vegetal, 2017.

10.
Araújo, F. T. ; Frosi, G. ; LIMA, S. C. B. S. ; Vita, A.C.A.M ; Pandolfi, V. ; Santos, M.G. ; Morgante, C.V. ; Melo, N.F ; BENKO-ISEPPON, A. M. . BIOQUÍMICA FOLIAR E RADICULAR DE Stylosanthes scabra Vogel (FABACEAE) SUBMETIDA AO DÉFICIT HÍDRICO. In: 67° Congresso Nacional de Botânica, 2016, Vitória - ES. 67° Congresso Nacional de Botânica, 2016.

11.
Cristovam, D.C.B.S ; RAMOS, D. G. ; Santos, M.S.G ; Frosi, G. ; Santos, M.G . Aumento da tolerância à salinidade de espécie lenhosa nativa da caatinga em associação com fungos micorrízicos arbusculares. In: IV Encontro Pernambucano de Micologia, 2016, Recife. IV Encontro Pernambucano de Micologia, 2016.

12.
Frosi, G.; Barros, V.A. ; OLIVEIRA, MARCIEL TEIXEIRA ; Maia, L. C. ; SANTOS, MAURO GUIDA . FUNGO MICORRÍZICO ARBUSCULAR ALIVIA OS EFEITOS DO DÉFICIT HÍDRICO SOBRE O METABOLISMO FOTOSSINTÉTICO DE ESPÉCIE LENHOSA DA CAATINGA. In: 66° Congresso Nacional de Botânica, 2015, Santos. FUNGO MICORRÍZICO ARBUSCULAR ALIVIA OS EFEITOS DO DÉFICIT HÍDRICO SOBRE O METABOLISMO FOTOSSINTÉTICO DE ESPÉCIE LENHOSA DA CAATINGA, 2015.

13.
RIVAS, R. ; BENKO-ISEPPON, A. M. ; Frosi, G. ; RAMOS, D. G. ; SANTOS, MAURO GUIDA . PHOTOSYNTHETIC MACHINERY ABILITY UNDER WATER DEFICIT IN CALOTROPIS PROCERA A C3 EVERGREEN PLANT OS ARID ENVIRONMENTAL. In: XV Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal, 2015, Foz do Iguaçu. PHOTOSYNTHETIC MACHINERY ABILITY UNDER WATER DEFICIT IN CALOTROPIS PROCERA A C3 EVERGREEN PLANT OS ARID ENVIRONMENTAL, 2015.

14.
LUSTOSA, B. M. ; Frosi, G. ; SOUZA, L. G. F. ; PEREIRA, S. C. F. ; Santos, M.G. . METABOLISMO BIOQUÍMICO E NUTRICIONAL DE PLANTAS DE BOMBACOPSIS GLABRA (PASQ) A ROBYNS (MALVACEAE), SUBMETIDAS A ESTRESSE SALINO. In: LXV Congresso Nacional de Botânica, 2014, Salvador. METABOLISMO BIOQUÍMICO E NUTRICIONAL DE PLANTAS DE BOMBACOPSIS GLABRA (PASQ) A ROBYNS (MALVACEAE), SUBMETIDAS A ESTRESSE SALINO, 2014.

15.
Barros, V.A. ; Frosi, G. ; CAVALCANTE, U. M. T ; Maia, L. C. ; Santos, M.G. ; Corte Real, N.M. . AVALIAÇÃO DA SIMBIOSE MICORRÍZICA EM PLANTAS DE CNIDOSCOLUS QUERCIFOLIUS POHL EX BAILL (EUPHORBIACEAE) EM CASA DE VEGETAÇÃO. In: LXV Congresso Nacional de Botânica, 2014, Salvador. AVALIAÇÃO DA SIMBIOSE MICORRÍZICA EM PLANTAS DE CNIDOSCOLUS QUERCIFOLIUS POHL EX BAILL (EUPHORBIACEAE) EM CASA DE VEGETAÇÃO, 2014.

16.
PEREIRA, S. C. F. ; Frosi, Gabriella ; LUSTOSA, B. M. ; SOUZA, L. G. F. ; Santos, M.G. . ASPECTOS ECOFISIOLÓGICOS DE BOMBACOPSIS GLABRA (PASQ) A. ROBYNS SUBMETIDA A DIFERENTES CONDIÇÕES LUMINOSAS. In: 65° Reunião Anual da SBPC, 2013, Recife. ASPECTOS ECOFISIOLÓGICOS DE BOMBACOPSIS GLABRA (PASQ) A. ROBYNS SUBMETIDA A DIFERENTES CONDIÇÕES LUMINOSAS, 2013.

17.
SOUSA, N. M. F ; Frosi, G. ; CAVALCANTE, U. M. T ; MALOSSO, E . Capacidade fotossintetica em plantas de pau-ferro (Libidibia ferrea) associadas a fungos micorrizicos arbusculares.. In: VII Congresso Brasileiro de Micologia, 2013, Belém. Sociedade Brasileira de Micologia, 2013. v. 1. p. 70.

18.
PEREIRA, S. C. F. ; Frosi, G. ; LUSTOSA, B. M. ; SOUZA, L. G. F. ; Santos, M.G. . Aspectos ecofisiologicos de duas oleaginosas perenes sob sombreamento.. In: 63 Congresso Nacional de Botânica, 2012, Joinville. Aspectos ecofisiologicos de duas oleaginosas perenes sob sombreamento., 2012. v. 1. p. 1-1.

19.
LUSTOSA, B. M. ; Frosi, G. ; SOUZA, L. G. F. ; PEREIRA, S. C. F. ; Santos, M.G. . Efeito da salinidade nas trocas gasosas em Bombacopsis glabra (Pasq) A. Robyns, uma oleaginosa perene. In: 63 Congresso Nacional de Botânica, 2012, Joinville. Efeito da salinidade nas trocas gasosas em Bombacopsis glabra (Pasq) A. Robyns, uma oleaginosa perene, 2012. v. 1. p. 1-1.

20.
Frosi, G.; OLIVEIRA, M. T. ; Almeida-Cortez, J.S. ; Santos, M.G. . EFEITO DA SAZONALIDADE SOBRE A ECOFISIOLOGIA DE CALOTROPIS PROCERA: ESPÉCIE INVASORA DA CAATINGA, NORDESTE BRASILEIRO. In: XIII Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal e XIV Reunião Latinoamericana de Fisiologia Vegetal, 2011, Búzios. Brazilian Journal of Plant Physiology (Impresso). Búzios: Board, 2011. v. 23. p. 1-1.

21.
Santos, M.G. ; Frosi, G. ; Pompelli, M.F. ; Almeida-Cortez, J.S. . Respostas da temperatura na germinação e do déficit hídrico em plantas jovens de Calotropis procera AIT R. BR. (Asclepiadaceae), espécie invasora da caatinga. In: XXXIII Reunião Nordestina de Botânica, 2010, Aracajú. Respostas da temperatura na germinação e do déficit hídrico em plantas jovens de Calotropis procera AIT R. BR. (Asclepiadaceae), espécie invasora da caatinga, 2010.

22.
ARCOVERDE, G. B ; Frosi, G. ; RODRIGUES, B. R. M ; Santos, M.G. . Plantas jovens de Jatropha curcas L. (Euphorbiaceae) sob diferentes regimes hídricos.. In: 60º Congresso Brasileiro de Botânica, 2009, Feira de Santana. Plantas jovens de Jatropha curcas L. (Euphorbiaceae) sob diferentes regimes hídricos., 2009. v. 1. p. 1-1.

23.
ARCOVERDE, G. B ; Frosi, G. ; RODRIGUES, B. R. M ; Santos, M.G. . Trocas gasosas, crescimento e bioquímica de plantas de Jatropha curcas (Euphorbiaceae) sob diferentes regimes hídricos.. In: XII Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal, 2009, Fortaleza. Trocas gasosas, crescimento e bioquímica de plantas de Jatropha curcas (Euphorbiaceae) sob diferentes regimes hídricos., 2009. v. 1. p. 1-1.

Apresentações de Trabalho
1.
Frosi, G.. Expressão diferencial de genes envolvidos com vias de sinalização em planta nativa do semiárido nordestino associadas com fungos micorrízicos arbusculares submetida à salinidade. 2018. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

2.
Frosi, G.; Neto, J R C F ; Bezerra Neto, J P ; Pandolfi, V. ; Santos, M.G . Análise in silico da via SOS em Cenostigma pyramidale (FABACEAE) submetida à condição salina. 2018. (Apresentação de Trabalho/Simpósio).

3.
Frosi, G.. EXPRESSÃO DIFERENCIAL DE GENES ENVOLVIDOS COM VIAS DE SINALIZAÇÃO EM PLANTA NATIVA DO SEMIÁRIDO NORDESTINO ASSOCIADA COM FUNGOS MICORRÍZICOS ARBUSCULARES E SUBMETIDA À SALINIDADE. 2018. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

4.
Frosi, G.; Barros, V.A. ; OLIVEIRA, M. T. ; SANTOS, M. ; RAMOS, D. G. ; Maia, L. C. ; Santos, M.G . Mycorrhizal symbiosis and leaf Pi supply promoting tolerance to salt stress in woody native species of Brazilian semiarid. 2017. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

5.
Frosi, G.. Abordagens Diferenciadas de estudos ecofisiológicosna Caatinga. 2017. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

6.
Frosi, G.. Aspectos ecofisiológicos de espécies lenhosas nativas da Caatinga associadas a fungos micorrízicos arbusculares. 2015. (Apresentação de Trabalho/Conferência ou palestra).

7.
Frosi, G.; Santos, M.G. ; OLIVEIRA, M. T. ; Almeida-Cortez, J.S. . EFEITO DA SAZONALIDADE SOBRE A ECOFISIOLOGIA DE CALOTROPIS PROCERA: ESPÉCIE INVASORA DA CAATINGA, NORDESTE BRASILEIRO. 2011. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

8.
Frosi, G.; Santos, M.G. . Respostas do Déficit Hídrico e Temperatura sobre a Germinação e Desenvolvimento de Plantas Jovens de Calotropis procera Espécie Invasora da Caatinga. 2010. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

9.
Frosi, G.; Santos, M.G. . Avaliação do Metabolismo Foliar e Tolerância à Seca de Mudas de Pinhão Manso. 2009. (Apresentação de Trabalho/Seminário).


Demais tipos de produção técnica
1.
Frosi, G.. Dê forma aos seus dados: construção de gráficos do básico ao avançado. 2018. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

2.
Frosi, G.. Entendendo seus Dados: Teoria e Prática Estatística. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

3.
Frosi, G.. Bioestatística: um enfoque prático. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

4.
Frosi, G.. Respostas Fisiológicas e Moleculares de Plantas sob Estresse Abiótico. 2017. (Curso de curta duração ministrado/Extensão).

5.
Frosi, G.. Fotossíntese: uma abordagem teórica e prática. 2016. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

6.
Frosi, G.. Consumo consciente da água. 2014. (Curso de curta duração ministrado/Outra).

7.
Frosi, G.. PRESERVAÇÃO AMBIENTAL. 2013. (Curso de curta duração ministrado/Outra).



Bancas



Participação em bancas de trabalhos de conclusão
Mestrado
1.
Santos, M.G; Frosi, G.; OLIVEIRA, A. F. M.. Participação em banca de Mariana Santos de Souza Gonçalves. Dinâmica de compostos orgânicos em Cenostigma pyramidale, sob deficiência hídrica crescente. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pernambuco.

Teses de doutorado
1.
Yano Melo, A M; Frosi, G.; Santos, C E R S; Costa, A F; Silva, I R. Participação em banca de Ingrid Alexssandra Neris Lino. BIOINSUMOS MICROBIANOS NO DESENVOLVIMENTO DO FEIJÃO-CAUPI E SEU POTENCIAL IMPACTO NA MICROBIOTA AUTÓCTONE DO SOLO. 2018 - Universidade Federal de Pernambuco.

Qualificações de Doutorado
1.
SILVA, M.S.; Frosi, G.; SILVA, T.D.. Participação em banca de MARA DANIELLE SILVA DO CARMO. ANÁLISE PROTEÔMICA DA RESPOSTA DIFERENCIAL DA PALMA FORRAGEIRA AO DÉFICIT HÍDRICO E À INFESTAÇÃO POR COCHONILHA-DE-ESCAMAS. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - RENORBIO) - Universidade Federal de Pernambuco.

2.
OLIVEIRA, A. F. M.; Frosi, G.; JUNIOR, T. C.. Participação em banca de MARIA REIS VALOIS COÊLHO. FISIOLOGIA DE CALOTROPIS PROCERA SOB SALINIDADE E EXPRESSÃO GÊNICA DIFERENCIAL DE AQUAPORINAS. 2018. Exame de qualificação (Doutorando em Biologia Vegetal) - Universidade Federal de Pernambuco.

Trabalhos de conclusão de curso de graduação
1.
Santos, M.G; Frosi, G.; FALCAO, H. M.. Participação em banca de Drielly Cristovam Barros de Santana.Frequência micorrízica em duas espécies lenhosas sob diferente disponibilidade hídrica. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pernambuco.

2.
Santos, M.G; Frosi, G.; PEREIRA, S. C. F.. Participação em banca de Diego Gomes Ramos.Correlação entre trocas gasosas e fluorescência da clorofila em Calotropis procera sob salinidade. 2016. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pernambuco.

3.
Almeida-Cortez, J.S.; FALCAO, H. M.; Frosi, Gabriella. Participação em banca de Fernando Henrique de Sena.Avaliação da germinação de sementes consumidas por caprinos em áreas de caatinga. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Bacharelado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Pernambuco.



Participação em bancas de comissões julgadoras
Outras participações
1.
Santos, M.G; Frosi, G.; OLIVEIRA, M. T.. AVALIADORA EXTERNA na Banca Examinadora do PROJETO DE DISSERTAÇÃO de ADGLECIANNE DE SOUSA MELO, discente regular do Programa de Pós-Graduação em BIOLOGIA VEGETAL, curso de MESTRADO (DESENVOLVIMENTO FOLIAR DE Calotropis procera SOB SALINIDADE E DÉFICIT HÍDRICO). 2018. Universidade Federal de Pernambuco.

2.
OLIVEIRA, A. F. M.; Frosi, G.; OLIVEIRA, M. T.. AVALIADORA EXTERNA na Banca Examinadora do PROJETO DE DISSERTAÇÃO de JOSÉ WEVERTON ALMEIDA BEZERRA, discente regular do Programa de Pós-Graduação em BIOLOGIA VEGETAL, curso de MESTRADO (Mesosphaerum suaveolens (L.) KUNTZE (LAMIACEAE) POSSUI EFEITO ALELOPÁTICO EM ESPÉCIES DE CACTACEAE EM SOLOS DA CAATINGA?). 2018.

3.
Frosi, G.. Parecerista Externa na PPGBV-966 Seminário Integrado do PPGBV, nível Doutorado do aluno Bruno Melo Lustosa ( CARACTERIZAÇÃO MORFOFISIOLÓGICA E A INFLUÊNCIA DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA COMUNIDADE DE ORBÓREAS EM UMA CRONOSEQUÊNCIA). 2018. Universidade Federal de Pernambuco.

4.
Frosi, G.. Parecerista Externa na PPGBV-966 Seminário Integrado do PPGBV, nível Doutorado da aluna Laís Luana de Lima (INFLUÊNCIA DA SALINIDADE NO RITMO CIRCADIANO EM PLANTAS DE Cenostigma pyramidalis (Tul.) L.P. Queiroz). 2018.

5.
Frosi, G.. Parecerista Externa na PPGBV-967 Seminário Integrado do PPGBV, nível Doutorado da aluna Maria Reis Valois Coêlho (SELECTION AND VALIDATION OF SUITABLE REFERENCE GENES OF CALOTROPIS PROCERA UNDER DIFFERENT SALT STRESS CONDITIONS). 2018. Universidade Federal de Pernambuco.

6.
Frosi, G.. Revisor AD HOC na etapa online de correção de trabalhos do XXII Encontro de Genética do Nordeste. 2018. Universidade Federal de Pernambuco.

7.
MELO, F. P. L.; LEAL, I. R.; Frosi, G.. AVALIADORA EXTERNA na Banca Examinadora do PROJETO DE DISSERTAÇÃO de GUSTAVO HENRIQUE AIRES ALBUQUERQUE do Programa de Pós-Graduação em BIOLOGIA VEGETAL, curso de MESTRADO (EFEITOS DA COMPETIÇÃO COM EXÓTICA E DA HETEROGENEIDADE AMBIENTAL NA SEMEADURA DIRETA APLICADA À RESTAURAÇÃO DA CAATINGA).. 2018. Universidade Federal de Pernambuco.

8.
Frosi, G.. Avaliador na sessão de apresentação oral da 35° Reunião Nordestina de Botânica. 2017. Universidade Federal Rural de Pernambuco.

9.
Frosi, G.. avaliador ad hoc de resumos simples do 2° Encontro da Biologia Vegetal - 2EBV. 2017. Universidade Federal de Pernambuco.

10.
Frosi, G.. Revisor AD HOC do 66° Congresso Nacional de Botânica. 2015. Universidade Federal de Pernambuco.

11.
Frosi, G.. Avaliador do XXII Congresso de Iniciação Científica. 2014. Universidade Federal de Pernambuco.



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
III Simpósio Norte Nordeste de Bioinformática.Análise in silico da via SOS em Cenostigma pyramidale (FABACEAE) submetida à condição salina. 2018. (Simpósio).

2.
XVI Brazilian Congress of Plant Physiology. Mycorrhizal symbiosis and leaf Pi supply promoting tolerance to salt stress in woody native species of Brazilian semiarid. 2017. (Congresso).

3.
XIII Congresso Brasileiro de Fisiologia Vegetal e XIV Reunião Latinoamericana de Fisiologia Vegetal. EFEITO DA SAZONALIDADE SOBRE A ECOFISIOLOGIA DE CALOTROPIS PROCERA: ESPÉCIE INVASORA DA CAATINGA, NORDESTE BRASILEIRO. 2011. (Congresso).

4.
14º Jornada de Iniciação Científica.respostas do déficit hídrico e temperatura sobre a germinação e desenvolvimento de plantas lovens de Calotropis procera espécie invasora da caatinga.. 2010. (Outra).

5.
XIII Jornada de Iniciação Científica - 200 anos de Charles Darwin.Avaliação do Metabolismo Foliar e Tolerância à Seca de Mudas de Pinhão Manso.. 2009. (Outra).

6.
I Workshop Internacional em Biotecnologia. 2008. (Outra).

7.
II Reunião Regional da Federação de Sociedade de Biologia Experimental-FESBE. 2007. (Outra).

8.
1º Simpósio de Melhoramento Genético Vegetal. 2006. (Simpósio).



Outras informações relevantes


Aprovada em 4° lugar no Concurso Público para Professor Doutor na área de Fisiologia Vegetal e Bioquímica de Plantas, Centro de Formação de Professores (CFP) - Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). DOU 156, segunda-feira, 15 de agosto de 2016, seção 3, página 47.

Aprovada em 2° lugar no Concurso Público para Professor Adjunto A, na área de conhecimento de Ciências Biológicas, sub área de Botânica, da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR). DOU 213, segunda-feira, 7 de novembro de 2016, seção 3, página 48.


Aprovada em 2° lugar no Concurso Público para Professor Adjunto A, para o departamento de Biologia, área Botânica/Fisiologia Vegetal, da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). DOU 77, segunda feira, 23 de Abril de 2018, Seção 3, página 57.



Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 16/02/2019 às 9:17:00