Tatiana Coelho da Paz Bezerra

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/4852895766674281
  • Última atualização do currículo em 24/10/2018


Graduada em Museologia pela UFPE, com mestrado em andamento em Museologia e Patrimônio, pela UNIRIO. Foi bolsista nos Projetos de Extensão Museu Indígenas em Pernambuco (2012) e Museu da Parteira (2013). Participou dois projetos PIBIC voluntário em 2013/2014 e 2014/2015. Também fez parte de um projeto de pesquisa aprovado pela FACEPE, que trata sobre a formação de projetos de cidades. Tem experiência em Museologia, atuando nos seguintes temas: pós-colonialidade, tipologias de museus e crítica democrática, além de pesquisas sobre fotografia, produção de sentidos e patrimonialização. (Texto informado pelo autor)


Identificação


Nome
Tatiana Coelho da Paz Bezerra
Nome em citações bibliográficas
BEZERRA, T. C. P.


Formação acadêmica/titulação


2018
Mestrado em andamento em Museologia e Patrimönio.
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO, Brasil. Orientador: Bruno César Brulon Soares.
Bolsista do(a): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES, Brasil.
2011 - 2015
Graduação em Museologia.
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Título: 'MAS O RECIFE TEM TANTA GENTE BONITA...': O DISPOSITIVO FOTOGRÁFICO COMO TRADUTOR DA LÓGICA DE GENTRIFICATION NO RECIFE ANTIGO..
Orientador: Francisco Sá Barreto dos Santos.




Formação Complementar


2018 - 2018
XVI CURSO DE SEGURANÇA DE ACERVOS CULTURAIS. (Carga horária: 40h).
Museu de Astronomia e Ciências Afins, MAST, Brasil.
2014 - 2014
FOTÓGRAFO. (Carga horária: 222h).
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - PE, SENAC/PE, Brasil.
2012 - 2012
HISTÓRIA/ANTROPOLOGIA INDÍGENAS E DIAGNÓSTICO MUSEOLÓGICO PARTICIPATIVO. (Carga horária: 44h).
Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.


Atuação Profissional



Museu PAÇO DO FREVO, MPF, Brasil.
Vínculo institucional

2014 - 2015
Vínculo: Estágio, Enquadramento Funcional: MEDIADORA CULTURAL, Carga horária: 24
Outras informações
Atividades de mediação cultural, pesquisa de acervo e estudo do espaço museal.


Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Brasil.
Vínculo institucional

2013 - 2013
Vínculo: Bolsista, Enquadramento Funcional: Bolsista estagiária
Outras informações
Bolsista estagiária do projeto Museu da Parteira, realizado em 2013.



Projetos de pesquisa


2014 - 2016
CULTURAS DO PASSADO PRESENTE: um estudo sobre o discurso da novidade e as políticas patrimoniais em um Recife de três tempos
Descrição: O mundo geopolítico que se desenvolveu depois da queda do Muro de Berlim (1989) reorientou a organização política dos antigos Estados-Nação, produzindo novas formas para a atuação das políticas de Estado e das organizações de resistência. Os projetos de cidade podem ser apresentados como importante objeto de preocupação desses dois sujeitos políticos (Estado e resistência), a PARTIR do qual elaboramos o problema deste projeto de pesquisa. Tomamos por referência três momentos da história recente de Recife (1937, 1971 e 2014), que dizem respeito a importantes PROGRAMAS de intervenção político-urbanístico-patrimonial na cidade. Nesses três casos, um forte discurso montado sobre o cruzamento entre os usos políticos das noções de novidade e tradição pode ser verificado a partir de coleta de documentos escritos, vídeos e fotografias. É o que chamamos de Cultura do passado presente . Pretendemos, assim, construir respostas para a seguinte questão de pesquisa: a partir de que mecanismos EMERGE, em um Recife de três tempos, uma cultura do passado presente como linguagem política? De que maneiras, em eventos temporais específicos, familiaridades e estranhamentos constroem formas e agendas políticas de modernização e ruptura, desenvolvimento e reflexão sobre as políticas de cidade e as dinâmicas para projeção da urbe? O objetivo geral, dessa forma, é investigar como emerge uma cultura do passado presente enquanto linguagem política por meio dos discursos sobre a novidade (modernidade, progresso, desenvolvimento) e identidade (tradição, memória, patrimônio), nesses três recortes específicos da história recente de Recife. O projeto tem as seguintes metas: construir diagnósticos sobre as aproximações de sentido possíveis entre os eventos de 1937, 1971 e 2014, tendo o projeto de cidade como mote; relacionar os eventos dos recortes específicos às novas formas e agências políticas de Estado e resistência; coletar, selecionar e analisar material de texto, foto e vídeo sobre os três recortes específicos; e construir reflexões sobre os discursos de modernidade e identidade na cidade de Recife, e a emergência, no contemporâneo, de uma Cultura do Passado Presente como linguagem política. Para isso, o percurso metodológico consistirá em três etapas, além da etapa FINAL de produção de relatórios e artigos científicos, para que possamos contemplar desde a formulação do nosso problema de pesquisa até o objeto empírico em questão: a) pesquisa bibliográfica da literatura disponível que aborda os temas e conceitos a serem estudados para a delimitação e fundamentação do problema e objeto de pesquisa; b) pesquisa documental, nos arquivos públicos, dos jornais pernambucanos de grande circulação nos três recortes propostos, além da seleção de acervo de vídeo e foto dos mesmos períodos, disponíveis em fundações de pesquisa, arquivos e museus; e, por fim, c) análise de discurso como procedimento analítico do corpus construído durante o processo de investigação..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Tatiana Coelho da Paz Bezerra - Integrante / Francisco Sá Barreto dos Santos - Coordenador / Izabella Maria da Silva Medeiros - Integrante / Alexandro Silva de Jesus - Integrante / Daniel de Souza Leão Vieira - Integrante.Financiador(es): Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco - Auxílio financeiro.
2014 - 2015
MUSEOLOGIA E EXPERIÊNCIA DEMOCRÁTICA: ENCLAVES DA MUSEOLOGIA SOCIAL ? O MUSEU COMUNITÁRIO
Descrição: A fim de confirmar as instituições museais contemporâneas e o ofício do museólogo como elementos feitos permanentes objetos de reflexão de uma estrutura de saber científico também posta em revisão, novas expectativas a respeito do fazer museu, ou das museológicas, despontam como principais dispositivos para ampliação e consolidação de um campo de investigação em Museologia. As mais recentes investigações no ainda juvenil campo da investigação museológica têm sido ambiente instigante e aquecido para o encontro entre um projeto de fazer museu (museológica) que ainda pretende se adequar às consolidadas estruturas de organização e regulação da produção de ciência no Brasil, e uma demanda cada vez mais evidente para a renovação não somente dos objetos de investigação, mas de toda uma estrutura paradigmática da reflexão em ciências sociais e, por dedução e empréstimo, aos interesses teórico-metodológicos da pesquisa em Museologia. Assistimos, assim, os esforços concomitantes para estruturar/regular uma área de pesquisa no Brasil e rever seus ainda pouco definidos parâmetros para investigação e produção de objetos de interesse científico. Nesse contexto, o museu comunitário traduz as aspirações memoriais/patrimoniais por uma nova experiência democrática? O conceito de comunidade contribui para uma requalificação do fazer museológico diante dos desafios para uma nova política de democracia?.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (1) .
Integrantes: Tatiana Coelho da Paz Bezerra - Integrante / Francisco Sá Barreto dos Santos - Coordenador.
2013 - 2014
MUSEOLOGIA E EXPERIÊNCIA DEMOCRÁTICA: DESAFIOS DO MUSEU COMUNITÁRIO
Descrição: Os programas museológicos que foram desenvolvidos a partir do renovado desafio de introduzir nos já tradicionais espaços do museu o difícil elemento democrático, transformaram-se no ponto de partida para um novo projeto do "fazer museu", uma mobilização de sentidos de representação identitária (do Eu e do Outro) renovados por aquilo que se poderia chamar de uma nova lógica do fazer museu. Novos binarismos foram construídos para dar conta dessas demandas, tais como museus e alteridade, museus e democracia, museus e diferença, museus e comunidades etc. Em todos os casos, o mote transformado em desafio central para tal empreendimento pode bem ser resumido na questão problema que segue: pode o museu funcionar como dispositivos de reconstrução da experiência democrática?.
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
Alunos envolvidos: Graduação: (2) .
Integrantes: Tatiana Coelho da Paz Bezerra - Integrante / Francisco Sá Barreto dos Santos - Coordenador / Poliana Gomes - Integrante.


Projetos de extensão


2013 - 2013
Museu da Parteira
Descrição: Este projeto foi aprovado pelo edital Proext 2013 Mec-Sesu, com financiamento a partir de 2013, conforme cronograma apresentado. No entanto, já estão em andamento algumas de suas atividades, que independem de recursos financeiros. Alunos envolvidos: Graduação: (8) / Especialização: (1) / Mestrado acadêmico: (3) / Doutorado: (3) ..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.
2012 - 2012
Museus Indígenas em Pernambuco
Descrição: O Projeto de Extensão Universitária Museus Indígenas em Pernambuco é a continuidade das ações que vem sendo desenvolvidas desde 2006 através de parcerias entre o NEPE (Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Etnicidade) e os povos indígenas do estado de Pernambuco, no que se refere à salvaguarda e pesquisa sobre patrimônio cultural, à formação de coleções museológicas e a organização de museus indígenas. A partir da formação de uma equipe de pesquisadores reunindo estudantes do curso de Museologia da UFPE e jovens indígenas, serão elaborados diagnósticos dos processos de musealização em cada uma das áreas indígenas em Pernambuco, identificando coleções e fazendo um inventário de objetos musealizáveis. Serão realizados cursos e formações reunindo indígenas e estudantes, com o objetivo de prepará-los para elaboração de diagnósticos museológicos, através de uma metodologia participativa que visa estimular o protagonismo indígena no processo de musealização. Estes documentos poderão ser utilizados, posteriormente, para potencializar processos de musealização e gestão-administração da memória por parte dos movimentos indígenas. Além de apontar diretrizes para políticas culturais, as ações tem como meta divulgar e apoiar a formação de uma rede de professores e jovens indígenas na área de conhecimento da Museologia, possibilitando a criação de museus e centros de cultura indígenas. Espera-se uma maior discussão sobre as identidades étnicas no campo dos objetos e coleções etnográficas, propondo o debate entre instituições de ensino que possibilitem a criação de cursos tecnológicos de Museologia voltados para as comunidades indígenas. Através do 1º- Seminário Museus Indígenas em Pernambuco, que ocorrerá em Recife, serão apresentados e discutidos os diagnósticos museológicos, as pesquisas nas áreas e as propostas para a elaboração de políticas públicas para a memória e patrimônio cultural indígenas, envolvendo ensino e gestão museológica..
Situação: Concluído; Natureza: Extensão.


Áreas de atuação


1.
Grande área: Ciências Sociais Aplicadas / Área: Museologia.


Idiomas


Inglês
Compreende Bem, Fala Razoavelmente, Lê Bem, Escreve Razoavelmente.
Espanhol
Compreende Razoavelmente, Fala Razoavelmente, Lê Razoavelmente, Escreve Razoavelmente.


Produções



Produção bibliográfica
Trabalhos completos publicados em anais de congressos
1.
BEZERRA, T. C. P.; SANTOS, F. S. B. . ?Mas o Recife tem tanta gente bonita...?: o dispositivo fotográfico como tradutor da lógica de gentrification no Recife Antigo. In: II SEMINÁRIO BRASILEIRO DE MUSEOLOGIA, 2015, RECIFE. ANAIS SEBRAMUS 2015, 2015.

2.
SANTOS, F. S. B. ; BEZERRA, T. C. P. . Museus e políticas de ativismo: Pode o museu comportar dispositivos para uma Cultura Participativa?. In: II SEMINÁRIO BRASILEIRO DE MUSEOLOGIA, 2015, RECIFE. ANAIS SEBRAMUS 2015, 2015.

3.
BEZERRA, T. C. P.; SANTOS, F. S. B. . 'Comunidades Imaginadas por quem?': elementos para uma agenda crítica ao 'comunitário' do 'museu comunitário'. In: Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura - ENECULT, 2015, Salvador-BA. ENECULT - Anais do Evento, 2015.

Apresentações de Trabalho
1.
BEZERRA, T. C. P.; SANTOS, F. S. B. . 'COMUNIDADES IMAGINADAS POR QUEM?: elementos para uma agenda crítica ao 'comunitário' do 'museu comunitário'. 2015. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

2.
BEZERRA, T. C. P.; SANTOS, F. S. B. . ?MAS O RECIFE TEM TANTA GENTE BONITA...?: O DISPOSITIVO FOTOGRÁFICO COMO TRADUTOR DA LÓGICA DE GENTRIFICATION NO RECIFE ANTIGO.. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

3.
SANTOS, F. S. B. ; BEZERRA, T. C. P. . Museus e políticas de ativismo: Pode o museu comportar dispositivos para uma Cultura Participativa?. 2015. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

4.
MELO, M. D. ; BEZERRA, T. C. P. . REFLEXÕES SOBRE SEMELHANÇAS E CONTRASTES DA EDUCAÇÃO MUSEAL COM UMA FORMA ESCOLAR.. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

5.
BEZERRA, T. C. P.; SANTOS, F. S. B. . MUSEOLOGIA E EXPERIÊNCIA DEMOCRÁTICA: DESAFIOS DO MUSEU COMUNITÁRIO. 2014. (Apresentação de Trabalho/Congresso).

6.
BEZERRA, T. C. P.. 'Mas o Recife tem tanta gente bonita...: o dispositivo fotográfico como tradutor da lógica de gentrification no Recife Antigo'. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

7.
BEZERRA, T. C. P.; MELO, M. D. . MUSEOLOGIA E EXPERIÊNCIA DEMOCRÁTICA: A URGÊNCIA DE UMA MUSEOLOGIA DAS EMERGÊNCIAS PARA PENSAR REPRESENTAÇÕES IDENTITÁRIAS. 2014. (Apresentação de Trabalho/Comunicação).

8.
BEZERRA, T. C. P.. O ELEMENTO NACIONAL E ?CRÔNICAS DE UM PRESENTE AUSENTE?: A IMPOSIÇÃO CULTURAL COMO FORMA DE EXCLUSÃO E RECONHECIMENTO DO ?OUTRO?. 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

9.
BEZERRA, T. C. P.; OLIVEIRA JUNIOR, M. R. A. . Museu da Parteira: a construção da possibilidade de um diálogo museal a partir de um diálogo.. 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).

10.
M. D., MANUELA ; BEZERRA, T. C. P. . 'A DUPLA FACE DAS POLÍTICAS DE RECONHECIMENTO: OS PROCESSOS DE ESTETIZAÇÃO E REPRESENTAÇÃO DO ?OUTRO? EM ESPAÇOS MUSEAIS'. 2013. (Apresentação de Trabalho/Seminário).



Eventos



Participação em eventos, congressos, exposições e feiras
1.
OFICINA DE ESTUDOS DE PÚBLICO DE MUSEUS E CENTROS CULTURAIS. 2018. (Oficina).

2.
VII SEMINÁRIO MEMÓRIA, MUSEOLOGIA E PATRIMÔNIO. 2017. (Seminário).

3.
III Encontro de Pesquisadores do Frevo - sentidos do festejar: o popular entre negociações e agenciamentos. 2016. (Encontro).

4.
Encontro Nacional dos Estudantes de Museologia/VI ENEMU. 2013. (Encontro).

5.
III SEMINÁRIO DE MUSEOLOGIA E CONTEMPORANEIDADE - MUSCON. 2013. (Seminário).

6.
XIII ENCONTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS UFPE - ECS. 2013. (Encontro).

7.
CICLO DE PALESTRAS 2012. 2012. (Outra).

8.
CONEXÕES IBRAM. 2012. (Congresso).

9.
I ENCONTRO DE MUSEUS INDÍGENAS EM PERNAMBUCO. 2012. (Encontro).

10.
II SEMINÁRIO DE MUSEOLOGIA E CONTEMPORANEIDADE. 2012. (Seminário).

11.
INTRODUÇÃO À DOCUMENTAÇÃO MUSEOLÓGICA. 2012. (Oficina).

12.
I SEMINÁRIO DE PLANEJAMENTO MUSEUS INDÍGENAS EM PERNAMBUCO. 2012. (Seminário).


Organização de eventos, congressos, exposições e feiras
1.
BEZERRA, T. C. P.. III MUSCON - Seminário de Museologia e Contemporaneidade. 2013. (Congresso).

2.
ATHIAS, R. M. ; OLIVEIRA, A. G. ; BEZERRA, T. C. P. . I ENCONTRO DE MUSEUS INDÍGENAS EM PERNAMBUCO. 2012. (Outro).

3.
ATHIAS, R. M. ; OLIVEIRA, A. G. ; BEZERRA, T. C. P. . I SEMINÁRIO DE PLANEJAMENTO MUSEUS INDÍGENAS EM PERNAMBUCO. 2012. (Outro).




Página gerada pelo Sistema Currículo Lattes em 10/12/2018 às 2:44:55